Você está na página 1de 2

1.

JUSTIFICATIVA
A necessidade de promover o ser humano a partir de seu reconhecimento com, o suj
eito capaz
individualmente de resgatar valores essenciais para que fazendo parte do coletiv
o possa
transformar a sociedade sendo agente ativo desse processo.
Entendendo e atuando no contexto global ao reconhecer a cultura de origem do pov
o afro-brasileiro
comprometidos com a sucessão dos seus e o conhecimento das lendas, folclores e do
utrinas.
Faz-se necessário restabelecer relações de respeito mútuo, assim crianças e adolescentes p
recisam
por meio de exercícios mentais e corporais atrativos tornar agradável o aprendizado
de diversos
tipos de atividades como esporte, dança, informática entre tantos outros e pela capoe
ira
torna-se possível, pois é uma modalidade que atrai atenção e permite atuação por meio da
musicalização, o jogo da capoeira, dança e movimentos acrobáticos.
2. OBJETIVO GERAL
Tem-se por objetivo a integração da cultura afro-brasileira, socializando e contextu
alizando a
historia de nossos antepassados, relacionada à origem afro-brasileira a partir da
teoria e
prática que a capoeira proporciona.
Os exercícios realizados promovem autoconfiança, equilíbrio de corpo e mente bem como
produzem
socialização dos vínculos das origens dos educandos, contemplando uma coletividade. Na
s rodas
de capoeira é possível compreender que as diferenças podem ser minimizadas ou praticam
ente eliminadas.
3. OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Possibilitar a compreensão e o reconhecimento da Capoeira englobando surgimento e
evolução, lendas e folclore.
Apresentar o diferencial entre o jogo da capoeira como autodefesa, treinamento fís
ico e promoção das suas tradições.
Proporcionar o autoconhecimento bem como a reflexão sobre si mesmo e em relação ao out
ro,
buscando através da capoeira disciplina de corpo e mente.
Desmistificar basicamente conceitos e pré-conceitos em relação à habilidade individual e
coletiva da prática da capoeira em prol da educação para permitir um relacionamento co
letivo amistoso.
Desenvolve a psicomotricidade, aumentando a flexibilidade , a coordenação e os refle
xos
Melhora o sistema caridovascular e a capacidade respiratoria
Pode ser usada como forma de defesa pessoal para homens e mulheres
Aumenta a auto-estima, a confiança e fortalece o carater
Ajuda as pessoas pue possuem um nivel detimidez muito acentuado
Aumenta a definição muscular e a resistência do organismo
Acelera o metabolismo ajudando na queima calórica
Grande redução do estress do dia a dia

BREVE HISTÓRICO
O Brasil a partir do século XVI foi palco de uma das maiores violências contra um p
ovo. Mais de dois milhões
de negros foram trazidos da África, pelos colonizadores portugueses, para se torna
rem escravos nas lavouras da
cana-de-açúcar.Tribos inteiras foram subjugadas e obrigadas a cruzar o oceano como a
nimais em grandes galeotas
chamadas de navios negreiros. Pernambuco, Bahia e Rio de Janeiro foram os portos
finais da maior parte desse
tráfico. Ao contrário do que muitos pensam, os negros não aceitavam pacificamente o ca
tiveiro; a história
brasileira está cheia de episódios onde os escravos se rebelaram contra a humilhante
situação em que se
encontravam. Uma das formas dessa resistência foi quilombo; comunidades organizada
s pelos negros fugitivos,
em locais de difícil acesso. Geralmente em pontos altos das matas. O maior desses
quilombos estabeleceu-se
em Permambuco no século XVII, numa região conhecida como Palmares. Uma espécie de Esta
do africano foi formado.
Distribuindo em pequenas povoações chamadas mocambos e com uma hierarquia onde no ápi
ce encontrava-se o rei
Ganga-Zumbi, Palmares pode ter sido o berço das primeiras manifestações da Capoeira.
Desenvolvida para ser
uma defesa, a Capoeira foi sendo ensinada aos negros ainda cativos, por aqueles
que eram capturados e voltavam
aos engenhos. Para não levantar suspeitas, os movimentos da luta foram sendo adapt
ados às cantorias e músicas
africanas para que parecessem uma dança. Assim, como no Candomblé, cercada de segre
dos, a Capoeira ganhou
a malícia dos escravos de "ganho" e dos frequentadores da zona postuária. Na Cidade
de Salvador, capoeiristas
organizados em bandos provocavam arruaças nas festas populares e reforçavam o caráter
marginal da luta. Durante
décadas a Capoeira foi proibida no Brasil. A liberação da sua prática deu-se apenas na
década de 30, quando uma
variação da Capoeira (A CAPOEIRA REGIONAL ,mais para o esporte do que manifestação cult
ural) foi apresentada ao
então presidente, Getúlio Vargas.