Você está na página 1de 3

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA

EVANDRA COSTA SILVA

CONCEITOS SOBRE O SOLO

CRUZ DAS ALMAS – BA


2021
 CONCEITO PRÓPRIO
O solo é formado pela decomposição das rochas, que pode acontecer através
das atividades biológicas, do clima, da topografia, etc. É o bem mais precioso
que existe nessa terra, porque é onde tudo acontece, é de onde tudo surge. É
o lugar onde as plantas e animais se desenvolvem. Portanto ele é o principal
motivo de realizarmos as nossas atividades econômicas, pois através dele
exploramos os recursos minerais e energéticos, que irão dar origem à várias
matérias primas, as quais serão utilizadas para nos alimentarmos, em uma
indústria, uma construção, etc.

 CONCEITO TÉCNICO
O solo é um recurso complexo e heterogêneo, que surgiu através de trocas de
energia, da decomposição das rochas, dos organismos vivos e da atmosfera.
Ele é um recurso renovável, porém a má utilização dele pode fazer com que se
torne incultivável. Também é um meio que possui diversas funções vitais como,
por exemplo, servir como habitat para os animais, para plantas e pessoas,
conservar a água e matérias-primas, etc.
Existem três tipos de solos:
Solo arenoso: grande parte de suas partículas são areia. Por isso, esse solo
possui uma porosidade e permeabilidade elevada, então não é muito indicado
para práticas agrícolas.
Solo argiloso: grande parte de suas partículas são argila. É um solo bom para
as atividades agrícolas, por ser rico em nutrientes.
Solo humífero: é um solo muito fértil, grande parte dele é formada por matéria
orgânica em decomposição. É um solo muito bom para a agricultura, pois esse
tipo de solo serve como adubo para as plantas.

Em 1999 a Embrapa publicou um Sistema Brasileiro de Classificação de Solos,


onde foram classificados 13 tipos de solos brasileiros. Os três solos de maior
predomínio no Brasil são os latossolos, argissolos e neossolos, que é
aproximadamente 70% do território nacional. Os latossolos e argissolos são
solos mais profundos, ácidos e de baixa fertilidade natural. Já os neossolos são
o contrário dos anteriores, são pouco profundos e com uma boa fertilidade.

Vi que foram desenvolvidos conhecimentos sobre os horizontes do solo, para


explicar a estrutura do mesmo:
Horizonte O: formado a partir da decomposição de matérias orgânicas de
origem animal e vegetal (conhecido como húmus).
Horizonte A: possui matéria orgânica, água e sais minerais. Também é
chamado de solo humífero, pela grande quantidade de matéria orgânica
decomposta.
Horizonte B: concentra materiais e sais minerais vindos do horizonte O e A. É
uma camada mais aerada.
Horizonte C: é um solo que está em processo de decomposição de rochas.
Também é conhecido como saprolito, pois representa a zona de transição entre
o solo e a sua rocha mãe. Possui grande presença de ar.
Horizonte D ou R: rocha que deu origem ao solo.

 SOBRE O VÍDEO ASSISTIDO


O vídeo é um pouco triste, mas é a nossa realidade. Fala sobre o
desmatamento das florestas, sobre o uso inadequado do solo (onde depois do
uso o terreno é deixado desprotegido, facilitando a erosão), sobre o aumento
das monoculturas (que provoca exaustão do solo, esgotamento dos nutrientes,
sem contar no grande uso de agrotóxicos), sobre o crescimento das cidades,
consequentemente a crescente diminuição do solo pra cultivos. Fala sobre a
concentração de terra na mão de quem tem uma maior condição, deixando
muitas famílias desamparadas e enfim. Ele basicamente foca na mensagem de
que o solo é finito e precisamos cuidá-lo, pois se não soubermos aproveitá-lo,
ficaremos sem nossa fonte de subsistência.
Um ponto legal é que, quanto mais o tempo passa, a agricultura adquire
tecnologias/conhecimentos que podem ajudar a diminuir os impactos gerados
ao solo. Temos o plantio direto, onde a nova cultura é semeada sobre o resto
da lavoura anterior, envolvendo menos o solo. E a palha que sobra acaba
ficando no campo, isso preserva a umidade por mais tempo, protege a terra de
insolação, ventos e das enxurradas.
Também foi criada a Integração Lavoura Pecuária Floresta, onde os cultivos e
criações podem ser feitos ao mesmo tempo, dentro de uma mesma área. Essa
estratégia faz com que reduza a emissão de gases de efeito estufa.
Existe também a possibilidade de instalar sensores, dessa forma tem como
detectar a umidade e a composição do solo. Dessa forma, o produtor pode
escolher uma boa hora para irrigar o plantio ou quanto de fertilizante ele vai
aplicar em cada parte do mesmo, evitando desperdícios.

Você também pode gostar