Você está na página 1de 10

Escola Municiapal Prefeito Max Colin

Diretora: Celia Cix

Diretor Adjunto: Reynaldo Aluísio Machado

Supervisora: Simone da Silva Lemos

Simone dos Santos Valcanario

Orientadora: Elainy Cristina B. de Souza

Fabiana A. de Jesus

Atividades Complementeres: Maristela Franck

Coordenadoras da Sala Informatizada: Ana Paula B. de


Domingos

Fern
anda S. Koch

Disciplina: Educação Fisica

Professora: Ana

Alunas: Suellen nº:

Sara nº:

Leticia nº:

9ºB
História do Judô

O judô é uma arte marcial esportiva. Foi criado no


Japão, em 1882, pelo professor de Educação Física
Jigoro Kano. Ao criar esta arte marcial, Kano tinha como
objetivo criar uma técnica de defesa pessoal, além de
desenvolver o físico, espírito e mente. Esta arte marcial
chegou ao Brasil no ano de 1922, em pleno período da
imigração japonesa.

O judô teve uma grande aceitação no Japão, espalhando,


posteriormente, para o mundo todo, pois possui a
vantagem de unir técnicas do jiu-jitsu (arte marcial
japonesa) com outras artes marciais orientais.

Princípios Filosóficos

O Judô tem como alicerce os três princípios filosóficos


definidos por Jigoro kano que, como ditado por ele
mesmo evidenciam a principal diferença entre o JUDÔ
KODOKAN e o antigo Jiu-jitsu : ” o Judô pode ser
resumido como a elevação de urna simples técnica a um
principio de viver” (Jitsu = técnica; Do = princípio).
Esses princípios, mesmo não sendo conscientemente
esclarecidos e compreendidos, estão presentes em
todos os atos e atividades do praticante de judô. Por
outro lado, quando o praticante tiver fixado e tomar
consciência dos princípios que norteiam o judô, pode-se
verificar que não são restritos ao Dojô, mas são
igualmente válidos em qualquer atividade da vida diária,
quando se pretende atingir um determinado objetivo.

Os três princípios do judô são :

JU = suavidade
SEIRYOKU-ZEN-YO = máxima eficiência com mínimo
esforço
JITA-KYOEI = bem estar e benefícios mútuos

Local
O judô é normalmente praticado em um ginásio fechado,
sobre um tatame. O tatame tradicional japonês é feito de
palha de arroz prensada revestida com esteira de junco
e faixa preta lateral. Atualmente o composto que reveste
o solo de uma luta é feito de material sintético. O
tatame é composto pela área de combate (espaço onde
os judocas se enfrentam), pela zona de perigo (faixa
vermelha que indica o fim da área de combate e a
necessidade de retornar à mesma) e a área de segurança
(local fora da área de combate em que não é válido
nenhum tipo de golpe).
A área de combate é um quadrado de 8m a 10m de
comprimento e conta com duas marcações, que são os
locais onde os judocas iniciam as lutas. A zona de
perigo tem 1m de largura, e a área de segurança tem 3m
de comprimento.

Uniforme
A vestimenta do judoca é o quimono , uma jaqueta e uma
calça de cotton azul ou branco (para identificação
durante a luta) confortáveis, para que o lutador consiga
realizar os movimentos com facilidade. O quimono é
amarrado por uma faixa, que simboliza a graduação do
judoca. Um iniciante começa com a faixa branca, e, de
acordo com a evolução de seu aprendizado, recebe, pela
ordem, as faixas amarela, laranja, verde, azul, marrom e,
finalmente, a preta.
Quando o lutador recebe a faixa preta, ele alcança o
primeiro dan (grau) para tornar-se um mestre. Do 1º ao 5º
dan a faixa é preta, e torna-se branca e vermelha do 6º
ao 8º dan . Somente no 9º e no 10º ela se torna
vermelha.A primeira coisa que um iniciante aprende é a
cair de costas no tatame sem se machucar. Antes de
começar a lutar com um companheiro, o praticante
treina uma sessão de quarenta ou cinqüenta quedas.
Kiai, o grito de luta, é definido pelos mestres como um
estado que ajuda a vencer, pois o espírito, orientado
para o combate, se liberta de qualquer pensamento ou
temor. É o resumo da melhor condição do corpo e da
mente.

Re g ras do judô

As lutas de judô são disputadas em um tatame em área


de 14 por 14 metros. As disputas contam com dois
árbitros de cadeira e um juiz principal. Qualquer um dos
três podem interromper a lutar para consulta recíproca.

A duração dos combates é de até cinco minutos e o


cronômetro sempre pára quando o árbitro interrompe a
luta. Caso termine empatada, a disputa vai para uma
prorrogação de cinco minutos no golden-score (quem
marcar o primeiro ponto é proclamado o vencedor). Para
vencer a luta sumariamente o atleta precisa aplicar um
ippon no adversário. Existem quatro formas de aplicar
esse golpe: fazer com que o adversário caia com as
costas no chão; imobilizar o adversário por 25 segundos
no chão; levar o oponente à desistência por
estrangulamento; aplicar uma chave-de-braço torcendo o
braço do rival.

Um atleta que consegue aplicar dois waza-aris também é


decretado o vencedor. Esse golpe consiste em imobilizar
o adversário por 20 segundos e também ocorre quando o
oponente cai no tatame, porém não com os dois ombros.

Há ainda o yuko , quando o judoca cai de lado ou é


imobilizado entre 15 e 20 segundos. Caso dure entre 10
e 15 segundos, o árbitro decreta o koka .

Graduações

Os judocas são classificados em duas graduações: kiu e


dan [5].As promoções no judô baseiam-se em exames que
incidem sobre requisitos tais como: duração de tempo
de treino, idade, caráter moral, execução das técnicas
especificadas nos regulamentos[6] e comportamento em
competições. No caso de promoção de
kiu (classificação), faixa branca a marrom é outorgada
pela associação, no caso de promoção as graduações de
dan, até 5º dan são realizadas pela banca examinadora
da Liga ou Federação Estadual, as outras graduações
superiores pela Confederação Nacional.

Os graus no Judô dividem os alunos nos grupos: Dangai


(da faixa branca à marrom)[6] Yudan (do 1º ao 5º Dan)
[6]Kodanshas (faixa "coral" e faixa vermelha)[6]. O mais
alto grau concedido é a extremamente rara faixa
vermelha Judan (10º Dan) que até o ano de 2009 fora
concedida apenas a 15 homens, sendo que até a referida
data 3 estão vivos (Toshigo Daigo, Ishiro Abe, Yoshimi
Osawa) os três promovidos dia 08/01/2006 pelo Kodakan

Curiosidades

- Na edição olímpica de 1964, em Tóquio, o judoca


japonês Iaso Okano derrotou o francês Lioel Grossain,
nas quartas-de-final, e acabou deixando o rival
inconsciente após aplicar um estrangulamento. Para
recuperar o oponente, ele recorreu a uma técnica
milenar japonesa e o judoca recobrou a consciência em
seguida.

- Rogério Sampaio não levou "apenas" a medalha de ouro


na Olimpíada de Barcelona, em 1992. O judoca, segundo
brasileiro a conseguir o feito, também foi eleito o melhor
do esporte naquela edição olímpica.

- A maior delegação do judô brasileiro em Olimpíadas até


hoje ocorreu em Atlanta-1996 e em Pequim - 2008. Em
ambas as ocasiões foram 13 atletas - sete no masculino
e seis no feminino.
Introdução

Neste trabalho falaremos sobre judo um esporte


olimpico.O Judô foi criada por um homem chamado
Jigoro Kano, que nasceu em 18 de outubro de 1863 em
Mikage, no Distrito de Hyogo. Terceiro filho de uma
família de três meninos e duas meninas. Com 17 anos
iniciou o treinamento de Jiu-Jitsu, em 1882 fundou seu
próprio Dojo e em 1884 foi fundado o Judô, resultante da
conjunção de vários sistemas de Jiu-Jitsu e da
introdução de seu fundamento filosófico.
Conclusão

O judo tem o intuito de formar homens e mulheres


melhores que transmitam valores de delicadeza,
coragem, honra, sinceridade, modestia, respeito e
amizade a nossa sociedade.

O judo nao é uma luta violenta mais sim uma luta que
ensina a consentração e o respeito a outros lutadores.

Para concluir podemos falar que com este trabalho


aprendemos um pouco mais do judo e que é uma luta
muito respeitada no Brasil e no mundo todo