Você está na página 1de 6

MATRIZ DE ATIVIDADE INDIVIDUAL

Elaborado por: Ana Paula da Silva Chagas Ferreira


Disciplina: Fundamentos de Gerenciamento de Projetos
Turma: ONL021Z9 – POPRJRS14T7

2
Business Case
Este documento marca a apresentação da ideia de projeto denominada “Transformação de
Escritórios Desocupados em Moradias Sociais”.
Sob o advento de um mundo pós pandemia, onde mudou-se a forma de trabalhar e,
principalmente, onde tais trabalhos podem ser desenvolvidos, há uma série de prédios que antes
eram ocupados por centenas de escritórios e departamentos de diversas empresas, mas que agora,
com o forte desenvolvimento do regime de teletrabalho (home office), encontram-se totalmente
vazios.
Por trás de uma perspectiva onde pessoas empregadas conseguem executar suas tarefas no
conforto de seus respectivos lares, há uma ótica social que precisa ser abordada: o aumento da
população que vive em situação de rua no país. Elevadas taxas de desemprego e inflação cada vez
mais alta promovendo preços estratosféricos em alimentos e bens básicos de consumo fizeram com
que a pandemia de covid-19 fosse, além de mortal por si só, um agravante para problemas sociais já
existentes.
Nesse sentido encontra-se aqui apresentada uma proposta de projeto que visa garantir
moradia digna a milhares de pessoas em situação de miséria, tirando-as de ambientes hostis de
criminalidade, utilizando espaços que, antes da pandemia eram largamente ocupados, mas que agora
se tornaram locais fantasmas no meio das cidades.
Além dos benefícios sociais, os prédios comunitários também serão fonte de capacitação em
diversas esferas (artesanato, agricultura de subsistência, cursos relacionados a estética etc.), bem
como serão autossuficientes à medida que a médio e longo prazos as capacitações derem retorno em
mão de obra para geração de rendas para os moradores.
As datas que marcam o início e o fim do projeto são, respectivamente, 10 de janeiro de
2022 e 09 de janeiro de 2023. Os principais marcos são pontuados abaixo:

• Mapeamento e compra de prédios elegíveis para o projeto;


• Contrato de adequação dos prédios incluindo obras civis, elétricas, instalação de
equipamentos e mobília;
• Mapeamento de pessoas em situação de rua nas áreas adjacentes aos prédios;
• Ocupação dos prédios.

Os principais riscos associados a este projeto são a dificuldade em achar prédios elegíveis à
instalação de moradias comunitárias e a não aderência das pessoas em situação de rua à proposta de
vivência nos prédios, já que terão regras preestabelecidas de convivência e gestão.

3
Termo de Abertura do Projeto

Project charter (Termo de abertura)

Projeto: Transformação de Escritórios Desocupados em Número: 01 Versão: 00


Moradias Sociais

1. Objetivo do projeto
Transformar, em 01 (um) ano e com um aporte financeiro de R$15.000.000,00, prédios de
escritórios desocupados devido às novas políticas de teletrabalho adotadas durante a pandemia de
covid-19 em moradias sociais que promovam bem-estar e capacitação a pessoas em situação de rua.
2. Gerente do projeto, responsabilidade e autoridade
O gerente de projetos será alguém com fortes habilidades de liderança, comunicação interpessoal e
negociação, que irá gerir o cronograma geral do projeto, identificar e resolver os principais
problemas que surgirem durante a execução do projeto, definir e obter métricas que atestem o
progresso e a qualidade das entregas, bem como manter as partes interessadas em constante
alinhamento. Será nomeado frente a um consenso entre os investidores do projeto.
3. Metas
▪ Promover bem-estar social a pessoas em situações de miséria e hostilidade;
▪ Cumprimento o projeto no tempo de 01 (um) ano;
▪ Cumprimento do projeto obedecendo ao aporte financeiro indicado (R$15.000.000,00).
4. Premissas
▪ Elevação nos custos com materiais de construção civil e elétrica para as adequações nos
prédios;
▪ Prédios elegíveis ao projeto sendo ocupados para outras funções;
▪ Pessoas que não querem sair da situação de rua.
5. Restrições
▪ Custo do projeto limitado a R$15.000.000,00.
6. Riscos
▪ Materiais para as adequações nos prédios estarem com um valor mais caro que o orçado;
▪ Escassez de prédios vagos;
▪ Não aderências das pessoas em situação de rua ao projeto.
7. Prazo de implantação
01 (um) ano
8. Investimento
R$ 15.000.000,00
9. Principais etapas
Etapas Duração estimada Custo estimado
Mapeamento e compra de prédios elegíveis para o projeto 5 meses R$11.000.000,00

4
Contrato de adequação dos prédios incluindo obras civis, 4 meses R$3.000.000,00
elétricas, instalação de equipamentos e mobília
Mapeamento de pessoas em situação de rua nas áreas 2 meses R$500.00,00
adjacentes aos prédios
Ocupação dos prédios 1 mês R$1.500.000,00
10. Principais stakeholders
Nome/função
Pessoas beneficiárias Recebedor do benefício do projeto - Clientes
Equipe de projetos Equipe que cuidará da gestão do projeto
Fornecedores Empresas que fornecerão materiais e serviços
Investidores As partes que irão dar suporte financeiro ao projeto

11. Comentários

Sponsor: Ana Paula S.C. Ferreira,


27 de agosto de 2021.

5
Referências Bibliográficas

GALANI, Luan. Cidades do pós-pandemia serão agriculturáveis e com escritórios


transformados em casas. Copyright © 2021, Gazeta do Povo. Todos os direitos reservados. [S. l.],
6 ago. 2020. Disponível em: https://www.gazetadopovo.com.br/haus/arquitetura/cidades-no-pos-
pandemia-serao-descentralizadas-agriculturaveis-e-com-lajes-corporativas-transformadas-em-
residencias/. Acesso em: 26 ago. 2021.

Você também pode gostar