Você está na página 1de 167

1

Gerenciamento do Processo de Trabalho em Enfermagem

 

Introdução

Conceitos de enfermagem

 

Objetivo do serviço de enfermagem Visão Missão

Filosofia

Finalidades

Características

 

Código de Ética Gerenciamento

Conceitos de Administração

Fundamentos da Administração

Principais Decisões do Processo Administrativo

Importância Social da Administração

 

Impacto da Qualidade da Administração Fundamentos de Administração: Administração no Presente

Mudança no Papel dos Gerentes

Competitividade

 

Interdependência Administração Informatizada

 

Administração Empreendedora Foco no Cliente

Qualidade de Vida

Meio Ambiente

Emergência do Terceiro Setor

Paradigmas Tradicionais X Paradigmas do Terceiro Milênio

 

As Empresas Teoria Administrativa

 

Conhecimentos descritivos, prescritivos, Doutrinas

Técnicas

Evolução da Administração

Revolução Industrial, A Revolução da Produção.

A Quinta Onda.

Administração Cientifica-seus princípios

 

Desenho de Cargos Teoria Clássica da Administração

2

Estrutura organizacional para o serviço de enfermagem

Organograma

 

Liderança à frente do grupo de trabalho da enfermagem Princípio da autoridade e responsabilidade:

Processo de trabalho

Planejamento

 

Organização. Direção controle

 

Administração Participativa Modelos de administração

Estratégia de Participação:

Comunicação Clientes e Funcionarios

 

Autogestão Implantação da Administração Participativa

3

1. Introdução

Estão reunidos neste trabalho assuntos que facilitam a compreensão do funcionamento e organização do Serviço de Enfermagem que deseja atingir os objetivos globais da organização enquanto empresa hospitalar. O Gerenciamento do Processo de Trabalho em Enfermagem é realmente muito abrangente e multidimensional e compreender a necessidade de utilizar conceitos de varias teorias de administração de modo a usa-la racionalmente no serviço de enfermagem. Cada teoria surgiu como uma resposta às necessidades empresariais,relevantes em sua época .Todas elas são validas e atuais.e o administrador precisa conhecê- las para ter à sua disposição uma alternativa para cada situação.As teorias centram –se em seis variáveis básicas:tarefas,estrutura,pessoas,tecnologia,ambiente e competitividade.Mostraremos a estrutura organizacional aplicadas ao Serviço de Enfermagem identificando organogramas usados,enfatizaremos as pessoas dentro da empresa ,o avanço da tecnologia e sua influencia na administração, a abordagem sistêmica das organizações . Finalmente discutiremos a importância do ambiente nas organizações, papeis dos enfermeiros na gestão de pessoas,administração e liderança,conceitos de enfermagem,filosofia do serviço de enfermagem,dimensionamento de pessoal entre outros assuntos .É um material que serve de estudo e não dispensa a consulta das referências citadas. Esta apostila foi preparada para os alunos de graduação de enfermagem que cursam a disciplina Processo de Trabalho na Enfermagem ./Administração do

4

Serviço de Enfermagem.O intuito é ser um roteiro de estudo para facilitar as leituras acadêmicas considerando que na enfermagem a todo tempo somos levados a entender quais os instrumentos mais adequados ao gerenciamento e as teorias de toda ordem como forma sistematizada de ver os fatos /eventos com finalidade de explicar a realidade.

“Pensaste já quão invisíveis somos uns para os outros? Meditaste já em quanto nos desconhecemos? Vemo-nos e não nos vemos. Ouvimo-nos e cada um escuta apenas

uma voz que está dentro de si. As palavras

dos outros são erros do nosso ouvir,

naufrágios do nosso entender”. Fernando Pessoa.

O que as pessoas mais desejam é alguém que as escute de maneira calma tranqüila. ”

Em silencio.Sem dar conselhos. Sem que digam: ”Se eu fosse você

A gente ama não é

.. a pessoa que fala bonito. É a pessoa que escuta bonito. A fala só é bonita quando ela

nasce de uma longa e silenciosa escuta. É na escuta que o amor começa. E é na não escuta que ele termina.(Rubem Alves,2004)

Profª enfermeira ,Jeni Rodrigues Teixeira,Mestre em Ciências Sociais. Santo André,2009.

5

Iniciamos nosso trabalho no sentido de mostrarmos que profissional as

empresas então

buscando.Então o trabalho da enfermagem,deve ser entendido como pratica social,que

articula-se

a

outras

praticas

e

um

executivo

em

formação

precisa

conhecer

o

mercado,preferentemente

o

negocio

da

saúde.

A maior característica a ser desenvolvida é a enorme competência no relacionamento

interpessoal,competência

em

comunicação e competência para utilizar

tecnologia.Nas

habilidades

interpessoais

a

capacidade

de

trabalhar

em

equipe,capacidade de assumir papeis

de liderança

e facilidade

para

a tomada

de

decisões.A habilidade para saber utilizar todo potencial criativo e intelectual de sua equipe

surge como uma das principais características desse novo profissional como na saúde ,na

educação.(Maia,2006)

.

O trabalho constitui a mediação entre o homem e a natureza,caracterizando-se como processo de transformação requerida por necessidades humanas,que na enfermagem são necessidades de saúde. O trabalho em enfermagem constitui um processo,este pode

ser

decomposto

em

três

elementos:

a) objeto de trabalho,aquilo que incide a atividade que será transformada,constituindo

em

produto

;

b)

os

meios

e

os

instrumentos

do

trabalho;

c) a atividade adequada a um fim,o trabalho propriamente dito,que se organiza de uma forma especifica (Marx,1994). A transformação do objeto de trabalho em saúde e enfermagem pode se dar ,tanto na perspectiva da promoção,como da prevenção e /ou da recuperação da saúde.Podemos afirmar,saúde não é apenas ausência de doenças,mas qualidade de vida e emancipação

6

dos sujeitos- usuários e trabalhadores.

A assistência da saúde é meio para a realização do trabalho em cada trabalho especializado em enfermagem, medicina, fisioterapia. Nesse trabalho, o conjunto de atividades realizadas pelos vários profissionais são organizadas e executadas expressando relações desiguais entre os trabalhadores, isto são relações hierárquicas,que em alguns são “superiores” e outros “inferiores”. O trabalhador de enfermagem particularmente,transforma o objeto,utilizando um saber especifico em uma dada estrutura física,bem como outros instrumentos próprios,ou seja,métodos,materiais ,equipamentos,visto que o saber técnico constitui instrumento de trabalho.

Segundo Mendes-Gonçalves, 1994, o processo de produção em saúde está centrado na finalidade de controlar as doenças em escala social e recuperar a força de trabalho incapacitado, o trabalho da enfermagem configura-se como instrumento de trabalho em saúde .

O processo de trabalho de enfermagem particulariza-se em uma rede que é denominada cuidar ou assistir,administrar ou gerenciar,pesquisar e ensinar (SILVA,1996). Cada um destes pode ser tomado como processo à parte com seus próprios elementos (objeto, meios/instrumentos e atividades),e podem ou não coexistir em determinado momento e instituição.Nesses diferentes processos,os agentes,ou seja,os trabalhadores de enfermagem,inserem -se de forma heterogênea e hierarquizada,expressando a divisão técnica e social do trabalho (Silva,1996). Vários estudos mostram a existência de uma divisão de trabalho no interior da equipe de enfermagem, segundo a qual cabem ao pessoal de nível médio, majoritariamente, as atividades assistenciais e ao enfermeiro as ações de gerenciamento do cuidado e da unidade. Especificamente sobre o trabalho do enfermeiro, evidencia-se que as intervenções deste agente concretizam dois diferentes processos de trabalhos: o processo “cuidar” e o processo “administrar”,com a primazia do ultimo. No processo de trabalho gerencial, os objetos de trabalho do enfermeiro são a organização dos recursos humanos de enfermagem; os materiais ,equipamentos e instalações,alem dos diferentes saberes administrativos. A gerencia como processo de trabalho de enfermagem pode ser aprendida através dos

7

fundamentos da Teoria Geral da Administração (TGA). Para gerenciá-la o Serviço de Enfermagem vai se reportar na Lei do Exercício Profissional da Enfermagem (nº7498,de 25 de junho de 1986(COREN,2001) que diz:Ao enfermeiro são asseguradas as atividades privativas tais como:direção do órgão de enfermagem e chefia de serviço e de unidade;planejamento,organização,coordenação,execução e avaliação dos serviços de assistência de enfermagem;consultoria,auditoria e emissão de parecer sobre matéria;consulta de enfermagem;cuidados diretos de enfermagem a pacientes graves com risco de vida;cuidados de maior complexidade técnica e que exijam conhecimentos de base cientifica e capacidade de tomar decisões imediatas;e orientação e supervisão dos profissionais técnicos e auxiliares de enfermagem (COREN,2001)).

Gostaria, inicialmente de compartilhar minha vivência pessoal como professora no sentido ajudar você na melhoria continua do seu capital intelectual e agregar novos valores às suas habilidades adquiridas até aqui para que permita a realização de sua missão na enfermagem; e alcançar os seus objetivos globais do mundo em transformação.A riqueza deste momento é porque você inicia o momento profissional, isso é motivo de muita alegria!

Gostaria de fazer uma sugestão inicial. Plante algo: compre um vaso, terra, adubo e sementes. Plante qualquer coisa que tiver vontade, mas comece com uma semente. Se comprometa com a nova vida que sair. Mexa com a terra, regue-a acompanhe o crescimento da planta. Compare o crescimento de sua planta com o crescimento na disciplina de gerenciamento. A minha semente será você!

8

Conceitos de Enfermagem

Objetivo do Serviço de Enfermagem Visão Missão Filosofia Finalidades Características

Código de Ética

Wanda de Aguiar Horta

“Enfermagem é a ciência e a arte de assistir o ser humano no atendimento de suas necessidades básicas, de torná-lo independente desta assistência, quando possível, pelo ensino do auto cuidado; de recuperar, manter e promover a saúde em colaboração com outros profissionais 1979”.

Virginia Henderson

“A função única do enfermeiro é auxiliar o indivíduo, enfermo ou sadio, a desempenhar aquelas atividades que contribuem para com a saúde ou a sua recuperação (ou para uma morte pacífica) que ele possa realizar sem auxilio caso possua a força, o desejo ou conhecimento necessário”.E fazer isto de uma que ele adquira a independência tão rapidamente quanto possível (Henderson, 1969).Definição adotada pelo International Council of Nurses (ICN).

Florence Nightingale

9

“A Enfermagem é entendida como uma arte e uma ciência que requer uma educação

formal, organizada e cientifica que consiste no cuidar de seres sadios como doentes” ações essa desenvolvida com base em conhecimentos administrativos ““.

Hildegard Peplau

Ä enfermagem estabelece um processo interpessoal terapêutico para alcançar a saúde dos indivíduos”. O enfermeiro deve ser capaz de desenvolver um relacionamento terapêutico com o paciente através do respeito, interesse e cortesia; ajudar o paciente a reajustar suas metas em função de suas possibilidades; clarificar seus interesses e compreender seu próprio comportamento”.

O Objetivo da enfermagem segundo Nightingale “é colocar o paciente nas melhores condições, para que a natureza aja sobre ele”. Objetivo é o alvo que precisa ser atingido, para que a empresa possa atingir suas metas. Isso implica para a gerencia traduzir a missão da empresa para termos específicos e mensuráveis. O objetivo principal do serviço de enfermagem num hospital é:

prover os pacientes com os melhores cuidados de enfermagem, desde sua

entrada no hospital até sua saída e volta ao lar, sua família e seu trabalho; prover a continuidade dos cuidados de enfermagem para cada paciente, através

de um trabalho personalizado e compreensivo, durante o diagnostico, tratamento, reabilitação e prevenção de moléstias; assegurar a prestação de assistência de enfermagem com foco na promoção da

saúde,na recuperação da doença e no fornecimento de informações relevantes para a equipe multiprofissional. prover ao pessoal as facilidades necessárias à realização de seus objetivos, etc.

Enfermagem é prestar assistência a pessoas incapazes de satisfazerem suas próprias necessidades de saúde (Orem, 1980). O serviço de enfermagem compreende: previsão, organização e administração de recursos para o atendimento de cuidados aos pacientes, de modo sistematizado, respeitando os preceitos éticos e legais na profissão. Para que aja estruturação do conhecimento de enfermagem é necessário o diagnóstico de enfermagem.O Diagnóstico de enfermagem proporciona a base para a seleção das

10

intervenções de enfermagem visando o alcance de resultados pelos quais a enfermagem é responsável.Nanda, 1990. O padrão do programa de trabalho do Serviço de Enfermagem evidencia a adequação de novas tecnologias visando à qualidade da assistência prestada, avaliando continuamente a satisfação do cliente. (Ministério da Saúde).

Visão da Enfermagem

A visão é uma imagem mental poderosa do que queremos criar no futuro.Ela reflete aquilo com que nos preocupamos mais, representa uma expressão de como será nossa missão e se está em harmonia com nossos valores e propósito. As visões são o resultado de um trabalho conjunto entre a cabeça e o coração. Elas se baseiam na realidade, mas visualizam o futuro.Elas nos permitem explorar, as realidades desejadas. Por causa disto, elas se tornam a estrutura para o que queremos criar, o que nos orienta quando fazemos escolhas e compromissos de ação. A visão é uma imagem de como vemos o desenvolvimento do nosso propósito. “O que nós realmente queremos para a Enfermagem?”. A visão da Equipe de Enfermagem deve ser direcionada no sentindo de simplificar a assistência, através de qualidade que deve ser desenvolvida diuturnamente, levando à prática, por meio de providências concretas, as relações pessoais e profissionais de forma mais saudável e compartilhando o trabalho de autogestão, para a autonomia da equipe.

Missão

Sua primeira obrigação é descobrir a missão que seja significativa para você

... irá se manifestar em você quando você decidir ouvir o desejo de seu coração.

Sua missão

-Naomi Stephen, Finding Your Life Mission Missão é a obrigação, compromisso, dever a cumprir.Grupo de pessoas que receberam um encargo (Aurélio). A definição de uma missão pessoal age como detonador, emocional que libera sentimentos fortes. A missão não é uma meta restrita, mas um

objetivo-guia abrangente, por exemplo, em uma empresa pode ser encantar os clientes para que eles voltem a procurar nosso serviço. A missão pessoal não é um fator restritivo, mas o combustível que impulsiona as pessoas em direção à sua visão.A missão mostra

qual

o

propósito

da

pessoa existir.

Então a pergunta é “Eu estou aqui para fazer o que?” Especificamente na enfermagem essa pergunta precisa ser feita.

11

Em 1989, Marx e Morita colocam que o Serviço de Enfermagem tem por missão desenvolver líderes capazes de servir de elo entre as pessoas e a instituição, objetivando prepará-los para conduzir o serviço com maestria, mesmo em situações adversas e favorecendo –lhes condições para que possam prestar ao paciente um atendimento de qualidade.

Filosofia

A Filosofia proporciona a uma pessoa a capacidade de auto compreensão do mundo que a cerca a nível organizacional.Uma Filosofia básica de administração de serviços de enfermagem nos dá uma percepção de nossa missão, uma compreensão completa de nossos valores e objetiva global. Numa filosofia deve estar explicito, por exemplo, que é necessária a satisfação do cliente de acordo com as necessidades individuais. O respeito e a valorização dos funcionários, bem como, sua constante atualização, também devem ser metas do Serviço de Enfermagem para um futuro promissor. A enfermagem, como os outros ramos do conhecimento humano, não pode prescindir de uma filosofia que dê bases seguras para o seu desenvolvimento. Filosofia é pensar a realidade e a enfermagem tem o Ser que “é aquilo que é”, é a realidade. Na enfermagem distinguimos três Seres: o Ser–Enfermeiro, o Ser-Cliente ou Paciente e o Ser –Enfermagem. O Ser - Enfermeiro é um ser humano, com todas as suas dimensões, potencialidades e restrições, alegrias e frustrações; é aberto para o futuro e para a vida, e nela está o compromisso assumido com a enfermagem. O Ser - Cliente ou paciente pode ser um indivíduo uma família ou uma comunidade; são seres humanos que necessitam de cuidados de outros seres humanos. O Ser-Enfermagem é um Ser que só é de fato pelo encontro do Ser –Enfermeiro com o Ser - Cliente que tem como objeto assistir às necessidades humanas básicas, o que está intrinsecamente ligado ao ser humano. (HORTA, 1979).

Todos e cada um de nos descobrimos existindo no mundo – uma existência que é agir,sentir,pensar,e que transcorre normalmente.Precisamos descobrir o sentido de nossa existência e para isso fazemos uma reflexão filosófica.Então o que é filosofia ?É a reflexão,pelo homem ,a respeito dos problemas sentidos.Uma reflexão para ser filosófica deve ser caracterizada por radicalidade,rigor e globalidade.Para ser radical,a reflexão deve ser profunda indo às raízes da questão .Para ter rigor,deve ser sistemática,seguir

12

determinados métodos.Porem ao examinar uma questão esta de ser examinada globalmente numa perspectiva de conjunto.

Filosofia do Cuidar segundo a teoria de Watson:

O cuidado pode ser efetivamente demonstrado e praticado apenas de modo interpessoal; A pratica do cuidado é fundamental à enfermagem. É o atributo mais valioso que a enfermagem oferece a humanidade.

No Gerenciamento do Serviço de Enfermagem deve se considerar as condições essenciais de um bom departamento ou serviço de Enfermagem portanto iniciar com a formulação de sua filosofia, por ser a base lógica por onde se desencadearão as ações gerenciais das seções, setores e unidades de Enfermagem. A filosofia de um serviço não é apenas uma discussão pragmática e estéril, a sua determinação é importante, pois é baseado nela que o gerente analisará e estabelecerá os objetivos a serem alcançados em seu gerenciamento. Vale a pena lembrar um exemplo de filosofia do Hospital Universitário da USP, (KURCGANT, 1991).

“Nós enfermeiras acreditamos- que a essência da assistência de enfermagem se fundamenta na promoção, manutenção, e recuperação da saúde, por meio da utilização de todos os nossos recursos técnico- científicos, incluindo o sistema operacional da assistência de enfermagem e das nossas habilidades instrumentais e expressivas, direcionadas para o autocuidado”.

A filosofia de Gerenciamento no Serviço de Enfermagem deve nos fornecer a percepção de nossa missão, a compreensão do inter-relacionamento do sistema e a assimilação completa dos nossos valores. É lógico que para que nossa filosofia seja viável ela deve ser fundamentada na filosofia da organização hospitalar. Segundo Arndt/ Huckabay, 1986. “Uma filosofia básica do Serviço de Enfermagem pode ser descrita como um conjunto de valores e fins intencionalmente escolhidos, que servem como critérios para a determinação de meios favoráveis à consecução dos objetivos finais”. Para atingirmos as metas organizacionais é necessário esforço. A qualidade, quantidade, tempo e custo deste esforço são relacionados e devem receber atenção constante. As decisões serão baseadas em fatos concretos. Isto é aplicável em todos os níveis e fases de planejamento, organização, execução, controle e avaliação dos planos de trabalho.

13

O gerente eficaz do Serviço de Enfermagem utiliza a delegação adequada. Para evitar o desperdício de tempo, é necessário dar autoridade pertinente e responsabilidade aos níveis gerenciais mais baixos, de acordo com a descrição das atribuições regulamentadas pelo Regimento do Serviço de Enfermagem. Uma comunicação efetiva é necessária em todos os setores interdependentes. O gerente só mantém o equilíbrio se o fluxo de comunicação se processar adequadamente. O Gerenciamento do Serviço de Enfermagem deve ser flexível e se adaptar as necessidades da instituição, da comunidade e da sociedade em geral. Uma vez esclarecida a filosofia do Serviço de Enfermagem, o segundo passo devemos enfocar o estabelecimento dos objetivos do serviço. Segundo Urwick “um gerente sem objetivos é um vagabundo”. Entretanto, estamos cansados de observar grandes números de pessoas na chefia de Enfermagem que não se preocupa em estabelecer os objetivos do Serviço. Estabelecer objetivos para o Serviço de Enfermagem é um dos aspectos mais fascinante e ao mesmo tempo, mais difíceis e ingratos, como foi colocado no inicio deste texto.

Finalidades do Serviço de Enfermagem:

Em 1989, Marx e Morita ,descreve o Serviço de Enfermagem dizendo que as finalidades

do Serviço de Enfermagem são: Assistir o paciente, integralmente, visando o ser humano como um todo, a fim de reintegrá-lo à sociedade, o mais rápido possível; □Promover o melhor padrão de atendimento, estimulando a equipe ao constante desenvolvimento técnico - cientifico, oferecendo oportunidades de progresso nas funções e crescimento dentro das especialidades; Criar um ambiente harmonioso, produtivo e desenvolver o trabalho em equipe, enfatizando como chave do sucesso, o bom relacionamento profissional; Colaborar com os estudos e pesquisas cientifica de profissionais de outras áreas, auxiliados - os em suas necessidades; Manter colaboração com serviços de Saúde Pública ou Privada, atendendo a eventuais solicitações; Contribuir com as Escolas de Enfermagem e outras Instituições Educacionais na formação dos profissionais; Participar no recrutamento, seleção e aplicar quantitativos de profissionais de enfermagem de profissionais para a Equipe de Enfermagem; Colaborar com Direção do Hospital e serviços hospitalares, visando melhorar,

14

aperfeiçoar, integrar, desenvolver as atividades técnicas e administrativas. Trabalhar de acordo com o Código de Ética da Enfermagem da Associação Brasileira de Enfermagem (ABEn) e do (COREN). Marx1998.

Características do Serviço de Enfermagem

O Serviço de Enfermagem é um grupo organizado de pessoas onde é grande o numero de atividades e sua complexidade com as seguintes características:

Continuidade; Diversidade de necessidade; Contingência; Intensidade de emoção.

Funções

Apresentam três funções distintas de atividades havendo necessidade da divisão e

distribuição

de

trabalho

esses

elementos.

1-Funções

simples

onde

não

requerem

qualquer

habilidade

técnica.

2-Funções intermediárias que são desenvolvidas por profissionais de nível médio, envolvendo orientação e acompanhamento do trabalho de Enfermagem em grau auxiliar e participação no planejamento da assistência; ainda atividades de natureza repetitiva, sob

supervisão, bem como a participação em nível de execução simples, em processo de

tratamento

COREN,

2001.

3-Funções complexas: atividades estas que são privativas do enfermeiro:Direção do órgão de Enfermagem integrante da estrutura básica da instituição de saúde pública ou privada; Organização e direção dos serviços de Enfermagem e de atividades técnicas e auxiliares nas empresas prestadoras desses serviços; Planejamento, organização, coordenação execução e avaliação dos serviços de assistência de enfermagem (lei nº7.498/86-art11-COREN-S. P.).

EXERCICIO Responda em dupla ou individual:

1-O que você diz que é a sua missão ? 2-Porque você diz isso ? 3-Qual o verdadeiro propósito do que você faz ? 4-Agora use algum tempo para revisar sua missão pessoal,baseado no que você descobriu acima.

15

Código de ética .Definição de Ética

Segundo Chiavenato,2006 a ética influencia todas as decisões dentro da organização.Muitas organizações tem o seu código de ética como uma declaração formal para orientar e guiar o comportamento de seus parceiros.Para que o código de ética encorajem decisões e comportamento éticos das pessoas são necessários duas providencias

Coloca que das criações do homem, a invenção mais complexa e maravilhosa é, sem dúvida alguma, a empresa.Cada empresa constitui uma criação particular, uma invenção específica, pois tem suas próprias características, seus recursos, seus objetivos etc. Ela é uma organização social que utiliza recursos a fim de atingir determinados objetivos. É uma organização social por ser uma associação de pessoas que trabalham em conjunto para exploração de algum negócio. As empresas podem ser desdobradas e mini empresas e em micro empresas. As empresas devem ter obrigações ou envolvimento aberto e honesto com a sociedade, daí surgiu o termo responsabilidade social.A responsabilidade social da empresa é a obrigação administrativa de tomar atitudes que protejam e promovam tanto o bem estar da sociedade como um todo quanto aos interesses da empresa.De acordo com o conceito de responsabilidade social da empresa, um gerente deve se empenhar em alcançar objetivos sociais.As áreas que as empresas podem atuar para proteger o bem estar da sociedade são numerosas e variadas.Talvez as áreas mais conhecidas sejam de temas urbanos, ambientais, relativos ao consumidor e as praticas de oportunidade de emprego. Por exemplo, a missão da empresa Endagered Species Chocolate Companhy é usar a atração universal do chocolate para divulgar uma mensagem ambiental.A empresa fabrica produtos naturais a base de chocolate da mais alta qualidade, embrulhados em embalagem atraente que enfatiza a importância de animais e, seus habitat para educar e motivar quem compra o chocolate.Acrescentam ao impacto que cada barra a doação de uma percentagem de lucros a diversos grupos ambientalistas sem fins lucrativos que estão trabalhando para ajudar espécies em risco e preservar seu hábitat (golfinhos ameaçados).A sociedade deveria expressar com clareza aquilo que deseja que as empresas façam.É tarefa do governo fazer regras simples e compreensíveis e determinar os limites dentro das quais as empresas trabalhassem. Um outro aspecto a ser considerado na empresa moderna é a Ética empresarial.

16

Albert Schweitzer,famoso médico missionário e humanista,definiu ética como “nossa preocupação quanto ao bom comportamento.Sentimos a obrigação de considerar não apenas nosso bem estar,mas também o dos outros seres humanos” Esse preceito é similar ao da regra de ouro: “Fazer ao outro o que desejamos que ele nos faça”.

Nos negócios, a ética pode ser definida como a capacidade de refletir sobre os valores do processo de tomada de decisões na empresa, de determinar como esses valores e decisões vão afetar vários grupos de interesse e estabelecer como os gerentes poderão utilizar essas observações na administração diária de uma empresa.Gerentes éticos perseguem o sucesso dentro dos limites de práticas administrativas sólidas,

caracterizadas

por

igualdade

e

justiça.

Ética e competitividade são inseparáveis.Competimos como em uma sociedade.Nenhuma sociedade, em nenhum lugar, competirá por muito tempo ou será bem sucedida se competir com pessoas se apunhalando pelas costas; com pessoas tentando roubar umas das outras; com a exigência de que tudo seja confirmado por escrito porque as pessoas não acreditam mais nas outras; com qualquer problema se transformando em um processo na justiça. Embora as práticas de ética administrativas não estejam relacionadas a indicadores específicos de lucratividade financeira, não há conflito que seja inevitável entre práticas éticas e geração de lucro. Um código de ética é uma declaração formal que funcione como parâmetro ético de como as pessoas de uma empresa em particular deve agir e tomar decisões.Os códigos de ética geralmente cuidam de assuntos como: conflitos de interesses, concorrência, privacidade de informação, política de entrega de presentes, e dar receber contribuições políticas ou empresariais. O código de ética da johnson&johnson que norteia os seus negócios da empresa é distribuído anualmente a todos os funcionários.Por exemplo: ”Acreditamos que nossa primeira responsabilidade é para com os médicos enfermeiros e pacientes, mães e todas as outras pessoas que utilizam nossos produtos e serviços”.”Ao satisfazermos suas necessidades, tudo o que fizermos deve ser da mais alta qualidade”.”Devemos lutar constantemente para reduzir nossos custos a fim de manter preços razoáveis”.”Os pedidos dos consumidores devem ser pronta e precisamente atendidos”.

EXERCICIO Refletir e discutir em dupla como você percebe a Ética dentro da sua empresa que você

17

trabalha ou já trabalhou.Deixe registrado em seu caderno.

Gerenciamento Conceitos de Administração Fundamentos da Administração Principais Decisões do Processo Administrativo Importância Social da Administração Impacto da Qualidade da Administração

Gerenciamento

vem

da

palavra

gerencia

do

latin,gerentia,gerere,fazer,gestão,efeito de gerir,gerenciamento ato de gerenciar,o

que administra negócios,AURELIO,1986

Para entender o que significa a administração, é preciso ir além da interpretação da palavra.É preciso também compreender o papel que a administração desempenha para as organizações e para a sociedade. A palavra Administração tem sua origem do latim (ad, direção, tendência para minister, comparativo de inferioridade; e sufixo ter, subordinação e serviço e significa a ação de prestar serviço ou ajuda. Em sua origem, a palavra administração significa a função que se desenvolve sob o comando de outro, um serviço que se presta a outro). Para Chiavenato, 1993 a tarefa da Administração é interpretar os objetivos propostos pela empresa e transformá-los em ação empresarial por meio do: planejamento, organização, direção e controle de todos os esforços realizados em todas as áreas e em todos os níveis da empresa, a fim de atingir tais objetivos. A palavra Administração sofreu formidável aprofundamento e ampliação em seu significado. E o administrador seja ao nível de diretor de empresas, gerente de departamento, chefe ou ainda supervisor de seção – passou a ser uma figura indispensável em todos os tipos possíveis de organizações humanas nestes últimos tempos. A Administração não é coisa mecânica que dependa de certos hábitos físicos que devem ser corrigidos a fim de se ter um comportamento correto. Pode-se ensinar o que um administrador deve fazer, mas isto não o capacitará a ser um bom administrador, isso tudo será relevante, estão condicionados a características de personalidade e ao modo pessoal de agir de cada um. Todo conhecimento tecnológico básico é indispensável, mas, o sucesso do gerente depende muito mais de seu desempenho do que traços de sua

18

personalidade. Robert L.Katz aponta três tipos de habilidades necessárias para que o administrador

possa executar o processo administrativo: a habilidade técnica, a humana e a conceitual:

Habilidade técnica; consiste em utilizar conhecimentos, métodos, técnicas e

equipamentos necessários para a realização de suas tarefas especificas por meio da instrução, experiência, educação, (técnicas básicas de enfermagem). Habilidade humana: consiste na capacidade e discernimento para trabalhar com pessoas, compreender suas atitudes e motivações e aplicar uma liderança eficaz.As

pessoas são guiadas e controladas para o alcance de determinados

objetivos.

.

Habilidade conceitual: consiste na habilidade para compreender as complexidades da organização global e ajustamento do comportamento da pessoa dentro da organização. Esta habilidade permite que a pessoa se comporte de acordo com os objetivos da organização.À medida que um funcionário caminha de um nível inferior de gerencia em direção à alta gerencia, as habilidades conceituais se tornam mais importantes, e as habilidades técnicas menos importantes.As habilidades humanas são extremamente importantes para gerentes de níveis alto e médio e também para os níveis de supervisão, que é bem comum no Serviço de Enfermagem.

Fundamentos da Administração

Para Amaru, 2000 a Administração é o processo ou atividade dinâmica que consiste em

tomar decisões sobre objetivos e recursos. O processo de administrar ou processo administrativo é inerente a qualquer situação em que aja pessoas utilizando recursos para

atingir algum tipo de objetivo. Ex: vamos pensar em situações práticas em que ajam pessoas utilizando recursos para produzir bens e serviços.Pense em organizações próximas como padarias, supermercados, a prefeitura de sua cidade ou pense em organizações distante que tem influencia sobre nossa vida: rede de televisão cujos programas você assiste, as empresas que fabricam os produtos que você usa com roupas, automóveis, as companhias fornecedoras de serviços como telefone, água, energia elétrica. Pense na organização que você trabalha.Pense em si próprio ou em sua família como administradores e tomadores de decisões.

Decisões

Tomar decisões significa fazer escolha. O processo administrativo abrange quatro tipos principais de decisões, também chamadas processo ou funções, onde se descreve as decisões de cada um.

19

Principais decisões do processo administrativo

Processo

Significado

Planejamento: Consiste em tomar decisões entre objetivos e recursos necessários para realizá-los. Organização: Consiste em tomar decisões sobre a divisão de autoridade e responsabilidade entre pessoas e sobre a divisão de recursos para realizar tarefas e objetivos. Direção: Compreende as decisões que acionam recursos, especialmente pessoas, para

realizar tarefas e alcançar objetivos. Controle: Consiste em tomar decisões e agir para assegurar a realização dos objetivos. Recursos

Os recursos que as organizações utilizam classificam em seis tipos principais:

instalações, espaços, tempo, dinheiro, informações e pessoas.

Objetivos

Os objetivos são os resultados esperados, ou fins que as organizações ou sistema procuram atingir, por meio do emprego de recursos.Produtos e serviços são os objetivos imediatos, que possibilitam à realização de outros objetivos, como o atendimento de interesses de acionistas, a satisfação dos clientes e a contribuição para a comunidade. Um sistema ou organizações que conseguem realizar seus objetivos é eficaz.Entre duas organizações, é mais eficiente aquela que realiza o mesmo objetivo com menor

quantidade de recursos. Eficácia é a capacidade de realizar os objetivos.Eficiência é a capacidade de utilizar produtivamente os recursos.

Ainda sobre objetivos a Eficácia refere-se aos fins e alcançar resultados. A Eficiência

refere-se aos meios: os métodos, processo, regras e regulamentos sobre como as coisas devem ser feitas na empresa ou fazer as coisas corretamente.

Pessoas As pessoas estão no centro do processo administrativo.Elas tomam decisões, compartilham o processo decisório com outras pessoas ou são afetadas pelas decisões que outros tomam. Como indivíduos ou membros das organizações, as pessoas são principais agentes do processo administrativo. Dentro desse contexto, a questão é escolher entre tratar as pessoas como recursos organizacionais ou como parceiros da organização.Os empregados podem ser tratados como recursos produtivos das organizações: os chamados de recursos humanos. Como recursos humanos precisam ser administrados para obter deles o

20

máximo rendimento possível.Neste sentido, as pessoas constituem patrimônio físico na contabilidade da organização. Mas pessoas podem ser visualizadas como, parceiros das organizações. Como tais, elas são fornecedoras de conhecimentos, habilidade, capacidade e, sobretudo, o mais importante aporte para as organizações – a inteligência, que proporciona decisões racionais e imprime o significado e rumo aos objetivos globais.As pessoas constituem o capital intelectual da organização.As organizações bem

sucedidas se deu conta disso e tratam seus funcionários como parceiros do negócio e não mais com simples empregados contratados.

Administradores / Gerentes

Administradores ou gerentes, são pessoas que tomam decisões de administração.Podem ser indivíduos (um presidente da empresa) (ou assembléia de acionistas que nomeia presidente).Todas as pessoas que administram o trabalho de outras pessoas, porque ocupam posições de chefia.O conhecimento torna-se básico e o desafio maior passa ser a produtividade do conhecimento.Tornar o conhecimento útil e produtivo tornou-se a maior responsabilidade gerencial, Chiavenato, 1993. O enfermeiro administra os serviços de enfermagem na sua organização e direção, bem como as atividades técnicas nas empresas. (Lei nº7.498/86-art11-COREN-S. P).

Importância Social da Administração

A administração é o processo que procura assegurar a eficácia e eficiência das organizações.Para Fayol a administração é importante em qualquer escala de utilização de recursos para a realização de objetivos – individual, familiar, grupal, organizacional ou social. Embora o processo administrativo seja importante em qualquer contexto de utilização de recursos, a razão principal para estudá-lo é seu impacto sobre o desempenho das organizações. As organizações assumiram importância sem precedentes na sociedade e na vida das pessoas. O principal objetivo ou motivo para a existência das organizações é o fato de que certos objetivos só podem ser alcançados por meio de uma ação coordenada de grupo de pessoas. Na sociedade organizacional muitos produtos e serviços essenciais para a simples sobrevivência somente se tornam disponíveis quando há organizações empenhadas em realizá-los.A qualidade de vida depende delas em grande parte: serviços de saúde, fornecimento de energia, segurança pública, controle de poluição – tudo depende de alguma empresa ou organização pública.

21

Impacto da Qualidade da Administração

Devido a sua importância para a realização dos objetivos sociais, as organizações afetam a qualidade de vida tanto positivamente quanto negativamente.É dramático o impacto do mau funcionamento de uma organização, especialmente de grande porte para a sociedade. Pense nos seguintes casos; Numa cidade inundada pelas chuvas, lembre-se da prefeitura; No baixo nível de ensino; Na necessidade de pagar planos de saúde ou pensão; Nas filas dos hospitais públicos – o governo não trabalha como deveria. Na época da ditadura militar, os militares que falavam em disciplina e hierarquia, destituíram um presidente da republica legitimamente eleito, transformaram o Brasil num imenso quartel. Invasões de escolas e sindicatos, censura de todos os tipos. Impacto da qualidade é percebido quando o mau funcionamento em uma organização afeta a qualidade de vida tanto positivamente quanto negativamente.

Teoria Administrativa Conhecimentos descritivos, prescritivos, Doutrinas Técnicas Evolução da Administração

Essencialmente uma teoria é uma representação abstrata do que se percebe como realidade.A teoria é um conjunto de afirmações ou regras feitas para enquadrar alguma parte do mundo real. Segundo F.von Hayek, sem teoria, os fatos são silenciosos. A Teoria Geral da Administração é o corpo de conhecimentos a respeito das organizações e do processo de administrá-las.É formada por princípios, proposições e técnicas em permanente elaboração.Na teoria de administração não há formulas ou receitas definitivas, como acontece com outras disciplinas. Teoria em administração significa um conjunto organizado de conhecimentos, produzido pela experiência prática das organizações. Segundo Amaru, 2000 as teorias de administração compreendem dois tipos principais de conhecimentos ou teorias: descritivos e prescritivos.

22

Os conhecimentos descritivos: Procuram explicar o que são as organizações e como são administradas.

: Diferentes autores têm diferentes explicações: Há muitas teorias que explicam de forma diferente as mesmas coisas. Os conhecimentos prescritivos: Procuram explicar como as organizações devem ser administradas.Compreendem doutrinas ou filosofias e técnicas ou ferramentas, para administrar as organizações.

Conhecimentos Descritivos

Os conhecimentos de natureza Descritiva são os que propõem explicar um evento ou fenômeno da realidade.Seu objetivo é entender e explicar as organizações e os administradores.Em toda descrição encontra a interpretação do autor. Diferentes autores procuram entender o mesmo evento ou processo de maneiras diversas.Ex: Um dos

melhores é o da teoria polemica que é a própria definição da administração como processo de tomar decisões de planejamento, organização, direção e controle.Há autores que divergem dessa interpretação, propuseram –se a oferecer explicações alternativas.

Conhecimentos Prescritivos

Há teorias que propõem recomendações, soluções para problemas ou decisões.As teorias prescritivas, que compreende duas categorias: doutrinas (princípios ou preceitos e técnicas).

Doutrinas

As doutrinas ou princípios recomendam como agir e contem valores implícitos ou explícitos. Os valores definem o que é importante e em que a atenção deve ser concentrada. Por ex: o movimento da administração cientifica tinha uma doutrina ou principio da eficiência de recursos.O movimento da qualidade tem uma doutrina ou principio da satisfação do cliente.

Técnicas

As técnicas são soluções para problemas específicos.Por ex: o problema de estudar a eficiência de um processo pode ser resolvido com as técnicas do estudo dos tempos e movimentos. As técnicas, em geral, agregam –se em métodos.

Evolução da Administração

Situando historicamente as diferentes épocas a Teoria da Administração pode ser

compreendida em cinco fases

23

A primeira Ênfase nas tarefas É a abordagem típica da Escola da Administração Cientifica (1903).A ênfase nas tarefas é uma abordagem microscópica feita no nível do operário e não no nível da empresa tomada como uma totalidade. É uma abordagem mecanicista por envolver um conjunto de fatores, estudos de tempos e movimentos, seleção cientifica do trabalhador, aplicação do método científico, medidas para reduzir ou neutralizar a fadiga, estabelecimento de padrões de produção, como se cada um deles contribuíssem para a maximização da eficiência, como se fossem dentes de uma grande engrenagem. A segunda fase Ênfase na Estrutura Organizacional.É a fase em que administrar é sobre tudo planejar e organizar a estrutura de órgãos e de cargos que compõem a empresa, dirigir e controlar suas atividades.Três teorias fazem abordagens relacionadas com a estrutura organizacional: a Teoria Clássica de Fayol (1916), a Teoria Burocrática de Weber (1909) e a Teoria Estruturalista (1947). A terceira fase Ênfase nas pessoas Essa teoria procura enfatizar as pessoas dentro das empresas, deixando em segundo plano a estrutura e as tarefas.Teoria das Relações Humanas (1932) A quarta fase Ênfase na Tecnologia É fase que administrar é lidar com a tecnologia, a fim de extrair dela a máxima eficiência possível com o avento da cibernética da mecanização, da automação, da computação e mais recentemente a robotização a tecnologia posta a serviço da empresa passou a moldar a estrutura e a condicionar seu funcionamento.Teoria do Desenvolvimento Organizacional (1962) A quinta fase Ênfase no Ambiente É a fase que administrar é lidar com as demandas do ambiente e obter o, Maximo de eficácia das empresas.A ênfase do ambiente com o aparecimento da teoria da contingência (1972), segundo a qual não existe uma única “melhor maneira” (the best way) e organizar as empresas. A Teoria da Administração coloca três maneiras de estudar a administração, que são o Enfoque: O enfoque é um aspecto particular das organizaçõ9es ou do processo administrativo que é selecionado para estudo ou produção do conhecimento, Por ex: o enfoque humanístico, social ou comportamental interpreta as organizações predominantemente como sistemas sociais, feito de pessoas e sentimentos. Modelos: conjunto de técnicas, doutrinas e ingredientes culturais que moldam a

24

organização e ação administrativa.Por ex: o modelo japonês de administração tem forte influencia cultural e forte influencia da escola da administração cientifica ou outro: o modelo ou estilo democrático de liderança está associado simultaneamente à satisfação e produtividade do grupo.Ou ainda o modelo de organização que é o produto de determinadas doutrinas ou técnicas. Por ex: o modelo burocrático ou mecanicista de organização enfatiza a regulamentação e a padronização de procedimentos; as empresas que adotam o modelo japonês de administração que procura alcançar o modelo da organização enxuta. Escolas que trazem correntes de pensamentos ou grupos de autores que privilegiam ou preferem determinado enfoque.Ex: escola de relações humanas que congrega adeptos do enfoque humanístico, ou enfoque da qualidade que focaliza satisfação do cliente.

Fundamentos de Administração: Administração no Presente Mudança no Papel dos Gerentes

Competitividade

Interdependência Administração Informatizada Administração Empreendedora Foco no Cliente Qualidade de Vida Meio Ambiente Emergência do Terceiro Setor Paradigmas Tradicionais X Paradigmas do Terceiro Milênio As Empresas

Como refere Amaru,2004 no limiar do século XXI,mudanças de todo os tipos de ambientes -competitivo,tecnológico,econômico,social -levaram ao surgimento de novos conceitos e técnicas para administrar as organizações.Essas inovações são chamadas de novos paradigmas da administração. Que são Paradigmas ?

25

Paradigmas são modelos ou padrões que servem, como marcos de referencia,para explicar às pessoas como lidar com diferentes situações no campo da administração. Mudança de paradigmas.No inicio do século XXI,A Revolução Industrial continua evoluindo,fazendo a sociedade humana ingressar na era pós-industrial, e ao mesmo tempo a continua em marcha a Revolução Digital,que começou em meados do século XX com a substituição de certas atividades intelectuais pelos computadores.A globalização,a passagem para a era pós-industrial e Revolução Digital provocaram mudança de muitas concepções tradicionais.Algumas mudanças serão colocadas a seguir :

Mudança no papel dos gerentes. No paradigma tradicional,não há administração sem gerente,nem vice versa.Downsizing(diminuição de tamanho) tornou-se uma tendência em meados dos anos 80.Em busca de maior eficiência na utilização de recursos e redução de custos,as organizações achataram a hierarquia,simplificaram o processo de trabalho ,promoveram o aumento produtividade,diminuíram quadros de chefes,transferindo poder de decisão para os funcionários operacionais(empowerment).

Competitividade

No inicio do séc. XX, a palavra chave era eficiência.No final do séc. XX a palavra-chave é a competitividade.A eficiência continua sendo uma preocupação dominante, como no tempo de Taylor e Ford, mas por razões diferentes.A expansão das multinacionais,a facilidade de transporte,a eliminação de restrição alfandegárias e tributarias e a formação dos blocos economicos como a ALCA a União Européia, Associação Norte Americana de Livre Comércio (Nafta), Mercosul, Associação das Nações do Sudeste Asiático (Asean,criaram um mercado competitivo em escala mundial. Há organismos internacionais que zelam pela saúde da economia globalizada, como Organização Mundial do Comércio. Outros organismos como Fundo Monetário Internacional e Banco Mundial, são agentes estimuladores de políticas de abertura dos mercados e outras como privatização e redução do déficit público. Essas políticas forçam os governos a preocupar- se com a eficiência da mesma forma que as empresas privadas. Deu-se a esse conjunto de políticas a designação de Consenso de Washington.A eficiência tornou-se um dos

26

ingredientes da competitividade. Pode-se comprar praticamente de tudo em qualquer lugar do mundo.

Interdependência

Ao mesmo tempo em que incentivou a competitividade entre empresas, a economia globalizada também tornou os países interpendentes, devido ao livre transito de capitais.Problemas econômicos de um país com economia frágil deixaram de ser localizados, para provocar um efeito sistêmico que afeta inúmero outro. O que é um problema difícil de ser resolvido. A sociedade global, por causa da interdependência dos países, criou necessidades sem precedentes de administração internacional.

Administração Informatizada

A tecnologia da informação está presente em todos os processos administrativos e produtivos.Movimentar contas no banco, Fazer planejamento das compras de uma unidade industrial ou controlar a fabricação de peças são tarefas que não precisam mais da intervenção humana direta. A tecnologia da informação facilita a tomada de decisão e o desempenho de todas as tarefas de comunicação. Os exércitos de contadores, auxiliares de escritórios e operários do passado foram substituídos por computadores. Algumas funções de controle que os gerentes precisavam realizar pessoalmente também foram absorvidas pelos computadores.Muitas das atividades gerenciais foram alteradas pela tecnologia da informação.

Administração empreendedora

Uma tendência do século XXI é o desemprego.A perda da perspectiva de emprego

duradouro e de carreira nas grandes organizações estimulou muitas pessoas a procurarem ser seus próprios patrões.Com a administração empreendedora tornou-se uma tendência social importante.As pessoas passaram a ser capazes de descobrir e implementar novos negócios .

Foco no Cliente

No inicio do séc. XX, o administrador não precisava preocupar-se tanto com o cliente, como seu colega de 100 depois. O consumerismo surgiu, nos anos 60, da necessidade de evitar riscos para a vida, causada por produtos especialmente o automóvel.Rapidamente, transformou-se em doutrina de conduta das sociedades em

27

relação a seus fornecedores de produtos e serviços. Essa conduta é amparada pela legislação que há em muitos países para proteger o consumidor, como o Código de Defesa do Consumidor que há no Brasil.No passado a preocupação era com a produção ou participação no mercado e hoje, é a disseminação das doutrinas da qualidade total e satisfação do cliente, que se tornaram palavras chave no dicionário do administrador do presente.

Qualidade de Vida

As questões ligadas a administração de recursos humanos,assumiram dimensão considerável para o empregador do presente.Saúde educação do empregado e de sua família benefícios,participação nos resultados da empresa,stress do executivo,entre outros ,são assuntos da agenda do administrador moderno.

Meio ambiente

Na época de Taylor e de Ford, os administradores não precisavam preocupar-se com a poluição provocada por suas fabricas nem no nível de emissão de gases dos veículos que fabricavam.À medida que os problemas provocados pelos danos ao meio ambiente tornaram-se mais graves, afetando a saúde e o bem estar das pessoas, a sociedade reagiu. O que marcou no ano 60 do século XX,foi a legislação que limita a liberdade de decisão das ações das empresas.Decisões da localização de empresas,construção,projetos e embalagens de produtos,o administrador moderno deve tomar levando em conta a legislação.

Emergência do terceiro setor

Segundo Amaru,2004 com o aumento dos problemas sociais e a incompetência do

Estado para resolvê-los.a sociedade organiza-se para cuidar de si própria.Surgem as ONGS(organizações não Governamentais),que se tornam parceiras das empresas em programas de assistência social.proteção do meio ambiente e outros,de defesa de interesses específicos.As ONGS que constituem o terceiro setor,representam agentes econômicos expressivos,com necessidade de serem administradas com eficiência.Ela tem uma disciplina com vida própria.

28

PARADIGMAS TRADICIONAIS

 

PARADIGMAS DO TERCEIRO MILENIO

 

Revolução

Industrial

substituição

e

Revolução

digital-

substituição e

potencialização

do

trabalho

humano

potencialização das funções humanas

por maquinas

de decisão,comunicação e informação por computadores.

Classe operaria numerosa, em conflito com

Trabalhadores

em

serviços

e

do

uma classe de patões e gerentes.

conhecimento e profissionais liberais

mais

numerosos

que

os

operários

clássicos.

 

Trabalhador especializado- operador de maquinas qualificado apenas para a realização de uma tarefa

Grupos de trabalhadores autogeridos e polivalentes, com educação em nível superior.

Emprego e carreiras estáveis.

 

Desemprego,

empregabilidade,

 

terceirização,

economia

informal,

empreendedorismo.

 
   

Estruturas organizacionais enxutas.

 

Grandes estruturas organizacionais. Ênfase na eficiência

   

Interesse da empresa e do acionista.

 

Ênfase na competitividade. Ética e responsabilidade social, cidadania

 

empresarial.

 

29

Tecnologia da Informação e Administração

A Tecnologia sempre influenciou o funcionamento das organizações a partir da Revolução

Industrial. Esta foi o resultado da aplicação da tecnologia da força motriz do vapor da produção, depois substituído pelas pessoas,permitindo o aparecimento das fabricas e das indústrias .No final do século XVIII,a invenção da maquina de escrever foi o primeiro passo para o trabalho em escritórios.A invenção do telefone,no final do século XIX,permitiu grande expansão.O navio,o automóvel e o avião expandiram os negócios mundiais.O desenvolvimento tecnológico constitui a plataforma básica que impulsionou o desenvolvimento das organizações e permitiu a consolidação da globalização. Mas foi a invenção do computador na segunda metade do século XX,que permitiu a automação das organizações.Sem o computador,não haveria possibilidade de administrar

grandes organizações,com

variedade

de

produtos,processo,materiais,clientes,fornecedores e pessoas envolvidas.O computador permitiu lidar com grandes números de negócios simultaneamente a um custo mais baixo e com rapidez e absoluta confiabilidade. O computador tem sua origem na Cibernética, que é uma ciência interdisciplinar que oferece sistemas de comunicação e de processamento de informações e controles que auxiliam as demais ciências como matemática, engenharia, medicina, eletrônica, física, neurologia para a construção de uma maquina complexa que funcionasse como o cérebro humano. Uma maquina precisa ser programada para funcionar. Um enorme hardware requer um enorme software.

A partir de 1975 surge o computador pessoal - PC que passa levar informação em grande escala. A tecnologia começa oferecer soluções para atender as necessidades organizacionais de crescimento e complexidade.

Principais Conceitos de Sistemas

Conceito de entrada (input) O sistema recebe entradas para funcionar. A entrada de um sistema é tudo o que o sistema importa ou recebe de seu mundo exterior. Pode ser constituído de :informação,energia e materiais. Informação. É tudo que permite reduzir a incerteza a respeito de alguma coisa.Quanto maior a informação menor a incerteza.

30

Energia. É a força para movimentar, dinamizar e fazer o sistema funcionar. Materiais são os recursos a serem utilizados pelo sistema como meios para produzir as saídas (produtos e serviços).Os materiais são chamados de operacionais quando são usados para transformar ou converter outros recursos (maquinas,equipamentos ,ferramentas,instalações,instruções,utensílios) e são chamados produtivos (matérias- primas) quando transformados ou convertidos em saídas ou produtos/serviços.

Conceito de saída (output)

Saída é o resultado final de uma operação de um sistema. Todo sistema produz uma ou varias saídas.Através dela sistema exporta resultado de suas operações para o meio ambiente.Nas organizações produzem varias saídas como bens ou serviços (informações,lucros,pessoas aposentadas ou que se desligam,poluição,detritos etc.

Conceito de caixa negra (Black Box) O conceito de caixa negra é um sistema que não pode ser desvendado,cujos elementos internos são desconhecidos e que só pode ser conhecido por fora através de observação externa. Fica fácil a compreensão quando o medico observa o paciente queixoso.Utiliza-se o conceito de caixa preta quando sistema é impenetrável ou inacessível o cérebro humano ou corpo humano,ou como computador eletrônico.

Conceito de Retroação (Feedback) A retroação é um mecanismo segundo o qual uma parte de energia de saída de um sistema retorna a entrada.Também compreendida como retroalimentaçao ou

realimentação,é um subsistema de comunicação de retorno proporcionado pela saída.A retroalimentaçao serve para comparar com padrão estabelecido.

Exemplo:Fazer um elogio para o funcionário que teve comportamento compatível com o acordado.A retroalimentaçao confirma se o objetivo foi cumprido,o que é fundamental para o equilíbrio do sistema.

Conceito de Homeostasia

A homeostasia é o equilíbrio dinâmico através da auto-regulação,ou seja através do autocontrole. É o equilíbrio dinâmico entre as partes do sistema.Os sistemas tem uma

31

tendência a se adaptar a fim de alcançar um equilíbrio interno diante das mudanças externas do meio ambiente,como a temperatura do corpo humano,que se mantêm apesar das variáveis ambientais.A homeostase é influenciada por componentes emocionais,sociais e espirituais. Conceito de Informação-tanto do ponto de vista popular como do cientifico-envolve um processo de redução de incerteza.Na linguagem diária,a informação esta relacionada a novidade e utilidade,pois informação é o conhecimento disponível para uso imediato Na .. sociedade a informação ampla e variada cresce em funçso da complexidade da sociedade. O conceito de informação requer outros conceitos;

1.Dado. é um registro ou anotação a respeito de um evento ou ocorrência.Um banco de dados é um meio de acumular e armazenar conjunto de dados para serem processados posteriormente.As anotações de Enfermagem são os registros feitos pela equipe de enfermagem no prontuário do cliente.(COREN-SP,2001) 2.Informação .É a mensagem com significado num determinado contexto,disponível para uso para reduzir a margem de incerteza a respeito de nossas decisões . 3.Comunicação.Quando a informação é transmitida a alguém sendo compartilhada por essa pessoas.O destinatário precisa receber e compreender .A informação transmitida,mas não recebida,não foi comum içada.Comunicar significa tornar comum uma determinada informação. Poderemos utilizar a informação em meios automáticos ou meios verbais no gerenciamento. Em meios automáticos será através da Informática que lida com tratamento racional e sistemático da informação. Um paciente ao sair de alta foi orientado que tomasse um determinado remédio(antibiótico),mas quando retornou a incisão cirúrgica estava infectada.Ao ser questionado a respeito de por que não havia tomado o medicamento,respondeu que não tinha dinheiro para comprá-lo.É que a enfermeira ao orientá-lo sobre o

medicamento,havia dito : “O senhor deve tomar esse remedinho

“.

..... O processo de receber e utilizar informações é um processo de ajustamento do individuo

à realidade e que lhe permite viver e sobreviver no ambiente.

Conceito de Redundância

Redundância é a repetição da mensagem para que sua recepção correta seja garantida.

32

A redundância introduz no sistema de comunicação uma certa capacidade de eliminar o ruído e prevenir distorções e enganos na recepção da mensagem.Por isso quando se quer entrar em uma sala bate-se na porta mais de duas vezes ou, quando se quer comprovar o resultado de uma operação aritmética complexa,torna-se a fazê – la.O controle é quase sempre uma redundância. Sistema de Informação Gerencial Como um organismo ,as organizações recebem e utilizam informações que lhes permite viver no ambiente que as rodeia.O processo de tomada de decisões baseia-se nas informações disponíveis. O sistema de informação gerencial (SIG) constitui de uma combinação de sistema de computação,de procedimentos e de pessoas,e tem como base banco de dados,que nada mais é do que um sistema de arquivos.

Integração do Negócio

A passagem do mundo real para o virtual passa pela TI,que proporciona os meios para que as organizações agilizem seus processos internos.A TI utiliza a internet,a intranet extranet pois ela são principal fonte de energia da organização.A internet quebra paradigmas com os clientes quando agiliza transações,aumenta a velocidade da comunicação,elimina fronteiras,reduz custos e facilita a forma de fazer negócios.

Discuta em dupla como é o funcionamento Informação na empresa que você trabalha ou já trabalhou .Como é a participação da enfermagem ?

As Empresas

 

Classificação:

Quanto

à

Propriedade,

tipo

de

Produção

(primaria,secundaria

ou

de

transformação),Tamanho.

Empresas públicas - São as empresas de propriedade do Estado.O seu objetivo é

prestar

serviços

públicos

à

comunidade.

Empresas privadas – são as empresas de propriedades particulares. O seu objetivo é

33

produzir bens (produtos ou prestar serviços a fim de obter lucros suficientes para remunerar o capital investido pelos investidores particulares). Exercício:

Quanto ao tipo de produção, em: primarias ou extrativas (como as empresas agrícolas,

de

perfuração

de

petróleo

–seu

objetivo

é

extrair

matéria prima da natureza.

Secundaria ou de transformação - são as empresas produtoras de bens, como é o caso

das indústrias em geral. Seu objetivo é processar e transformar matérias primas em

produtos

acabados.

Terciárias ou prestadoras de serviço – são as empresas especializadas em serviço (como o comércio, bancos, financeiras, empresas de comunicação, de propaganda,

consultoria legal, contábil, hospitais etc.) Seu objetivo é prestar serviços, seja para a comunidade quando são empresas estatais), seja para um determinado mercado, para obter lucro (quando são particulares ou privadas). Quanto ao tamanho, em: Empresas grandes –quando são empresas que tem muitos

empregados

e

grandes

 

instalações

físicas

Empresas médias –quanto o número de empregados

é

médio

e

o tamanho

das

instalações

é

também

é

médio.

Empresas

pequenas

–são

empresas

que

tem

poucos

empregados

e

pequenas

instalações.

Revolução Industrial, A Revolução da Produção.

A Quinta Onda.

Administração Cientifica-seus princípios Desenho de Cargos Teoria Clássica da Administração

A ocorrência de duas revoluções industriais ambas originárias na Grã Bretanha, único país a ter terreno fértil para a eclosão da revolução industrial. A primeira Revolução Industrial (1780/1840) foi uma profunda transformação econômica e social. O homem do campo e o antigo artesão, destituído de qualquer coisa além de sua força de trabalho, passaram a vendê-la ao novo capitalista industrial.Alem disso os meios de produção e o próprio resultado dela não mais pertenciam ao antigo

34

trabalhador autônomo e pequeno proprietário.A manufatura de algodão, típica dessa primeira fase, promovia a transformação dos métodos tradicionais, com a difusão de máquinas e a divisão de trabalho. Durante a Segunda Revolução Industrial (1840/1895), o processo de industrialização se alastrou da Grã Bretanha para vários paises, promovida por um aprimoramento dos meios de transporte e pelo abundante capital acumulado na Inglaterra, ávido ser investido.Provindo do comercio colonial em expansão, do contrabando, do tráfico de escravos, da agricultura e da produção manufatureira, o capital britânico encontra nas estradas de ferro seu escoadouro natural alavancando os lucros com a explosão das comunicações e transações internas e externas facilitadas pela nova rede de transporte, a industrialização da Grã Bretanha atingiu seu auge. A mecanização do trabalho passou a receber todas as atenções das organizações emergentes. Aprimoramento mecânico e tecnológico da produção resultava em maiores quantidades e menores custos, possibilitando reduzir preços e aumentar o mercado.

Para Chiavenato,2006 é importante entender o que esta acontecendo dentro da complexidade das teorias administrativas e são mudanças que vieram para ficar. Por isso vamos abordar

A Quinta Onda.

A era industrial predominou em quase todo século XX e cedeu lugar a Era da

Informação.Na nova era ,as mudanças passam ser gradativamente mais rápidas e intensas.Sobretudo descontinuas.Descontinuidade significa que as mudanças ao são mais lineares ou seqüenciais nem seguem uma relação causal (causa e efeito).Elas são totalmente diversas e diferentes do passado.A simples projeção do passado ou do presente não funciona mais,pois as mudanças não guardam nenhuma similaridade como que se foi. Como dizia Joseph Schumpeter:a economia saudável é aquela que rompe o equilíbrio por meio da inovação tecnológica.Em vez de aperfeiçoar o que já existe,a atitude produtiva é de inovar através da destruição criativa.Destruir o velho para criar o novo.Para Schumpeter,os ciclos que em que o mundo viveu no passado foram determinados por atividades econômicas diferentes.

35

Cada ciclo-como qualquer ciclo de vida de produto –tem suas fases.Só que essas ondas estão ficando cada dia mais curta,fazendo com que a economia renove a si mesma mais rapidamente para que um novo ciclo possa começar. O primeiro elemento central da quinta onda é a Internet,a World Wide Web- WWW -, a rede mundial que interliga milhões de computadores,pessoas,equipes e organizações. A inquebrantável dessa onda é que não há mais espaço para se fazer as coisas do passado.Claro que precisamos conhecer o que foi feito no passado com base elementar para nosso conhecimento e para poder inovar. O que aprendemos no passado passa ter pouco valor pratico para um futuro que se aproxima rapidamente. É uma nova dimensão que ainda não estamos acostumados. O segundo elemento central da quinta onda é a globalização dos negócios. Esta é um processo de mudança crescente através das fronteiras e das TI,permitindo a comunicação espontânea com o mundo.E todas as pessoas em todos os cantos do mundo tem acesso ao melhor do mundo.A globalização constitui um das mais difusas influencias sobre nações,organizações e pessoas . Para Kanter citado por Chiavenato 2006,a quatro processos estão associados à globalização. 1.Mobilidade de capital,pessoas e idéias :os ingredientes de um negocio – capital,pessoas e idéias - estão adquirindo mais mobilidade.Migram de um lugar para outro com maior rapidez e facilidade.A transferência de informação em velocidade tornou o lugar irrelevante. 2.Simultaneidade- em todos os lugares ao mesmo tempo:globalização significa uma disponibilidade maior de bens e serviços em muitos lugares ao mesmo tempo.Exemplo; lança-se um produto no mercado especialmente relacionado novas tecnologias rapidamente o mundo identifica o lançamento. 3.Desvio – múltiplas escolhas:a globalização é ajudada pela competição alem das fronteiras apoiado por um transito internacional mais fácil ,desregulamentação e privatização de monopólios governamentais.Isso aumenta as alternativas .

36

4.Pluralismo – o centro não pode dominar:no mundo inteiro os centros monopolistas estão se dispersando e sofrendo processo de descentralização ,independente do lugar . Os quatro processos juntos – mobilidade,simultaneidade,desvio ,pluralismo –

colocam mais opções na mão do cliente,o que acelera e reforça as forças globalizantes.Pensar como o cliente está se tornando a lógica global dos negócios.Para vencer mercados competitivos globais ,as organizações bem sucedidas compartilham uma forte ênfase na inovação;

  • 1. As organizações organizam-se em torno da lógica do cliente.Por exemplo as instituições hospitalares competitivas entendem a necessidade se preocupar com o serviço de hotelaria .O que não é sinônimo de luxo ,mas de conforto e qualidade,acima de tudo.O conceito esta baseado na idéia de bem receber,de acolher.A indústria de hospitalidade dos tempos atuais ,transmite a grandeza desse serviço.

  • 2. Estabelecem metas elevadas: tentam definir padrões mundiais. Para Boeger,2005 no mundo inteiro a hotelaria deve estar incorporada aos serviços hospitalares,tornando-se uma tendência irreversível em qualquer instituição de saúde,por uma exigência do publico que freqüenta hospitais.

  • 3. Selecionam pensadores criativos com visão abrangente: definem cargos de forma abrangente,estimulam as pessoas a aprender múltiplas,habilidade,trabalhando em varias territórios,e dão ferramentas para executar a tarefa.

  • 4. Encorajam o empreendimento: investem em equipes de empowerment para que elas busquem novos conceitos e coloquem em pratica suas idéias e reconhecem fortemente a iniciativa.

  • 5. Sustentam o aprendizado constante : promovem a circulação de informações,observam os concorrentes e inovadores no mundo inteiro,medem seu próprio desempenho com base em padrões mundiais de qualidade,dão treinamento continuo para manter pessoas atualizados.

37

Exercício

:

fazer

passeio

pela

.org/wiki/complexidade;entre outros.

internet

:http://pt.wkipedia

Ver complexidade, principio

da

trabalhos futuro na enfermagem.

incerteza,teoria

do

caos,possibilidade

de

Fazer figura x.1 pag329

38

Princípios Gerais da Teoria da Administração Cientifica

O nome de Administração Cientifica devido à tentativa de aplicar métodos das ciências

aos trabalhos operacionais a fim de aumentar a eficiência industrial Na virada do séc. XIX Frederick Taylor desenvolveu estudos a respeito de técnicas de

racionalização

do

trabalho

do

operário.

A característica mais marcante do estudo de Taylor é a busca de uma organização cientifica do trabalho, enfatizando tempos e métodos e por isso é visto como precursor da Teoria da Administração Cientifica. Frederick Taylor (1856-1915) americano de família enriquecida pelo comércio com a Índia.considerado fundador da TGA . Taylor teve como seguidores:Gantt, Gilbreth,Ford.Sua preocupação era eliminar o desperdício e elevar a produtividade. Obcecado por regras desde criança, já adulto o rigor de Taylor era tal, que a cada baile chegava a fazer uma lista das moças atraentes e outras não atraentes, de forma a poder repartir seu tempo entre elas, igualitariamente. Taylor mecânico e consultor, via a necessidade premente de aplicar métodos científicos à administração, para garantir a consecução de seus objetivos de máxima produção a mínimo custo. Para tanto defendia os seguintes princípios: ▪ Principio do Preparo :Selecionar Cientificamente o Trabalhador de acordo com suas com as suas aptidões, e prepara-los e treiná-os para produzirem mais e melhor de acordo com o método planejado. ▪Tempo padrão – O trabalhador deve atingir no mínimo a produção-padrão estabelecida pela gerência. É muito importante contar com parâmetros de controle de produtividade, por que o ser humano é naturalmente preguiçoso. Se o seu salário estiver garantido, ele certamente ele produzirá o menos possível. ▪Plano de Incentivo Salarial – A remuneração dos funcionários deve ser proporcional aos números de unidades produzidas. Essa determinação se baseia no conceito de Homo economicus, que considerava as recompensas e sanções financeiras as mais significativas para o trabalhador. ▪Trabalho em Conjunto – Os interesses dos funcionários (altos salários) e da administração (baixo custo de produção) podem ser conciliados, através da busca do maior grau de eficiência e produtividade. Quando o trabalhador produz muito, sua remuneração aumenta e a produtividade da empresa também.

39

▪Gerentes Planejam, Operários Executam – O planejamento de ser de responsabilidade exclusiva da gerência, enquanto a execução cabe aos operários e seus supervisores.

▪Divisão do Trabalho – Uma tarefa deve ser dividida maior numero possível de subtarefas. Quanto menor e mais simples a tarefa, maior será a habilidade do operário em desempenhá-la. Ao realizar um movimento simples repetido vezes, o funcionário ganha velocidade na sua atividade, aumentando o número de unidades produzidas e elevando seu salário de forma proporcional ao seu esforço. ▪Supervisão-Também deve ser funcional, ou seja, especializada nas áreas. A função básica do supervisor, como o próprio nome indica, é controlar o trabalho dos funcionários, verificando o número de unidades produzidas e o comprimento da produção-padrão mínima. Ênfase na Eficiência existe uma única maneira certa de executar uma tarefa (the best Way). Para descobrê-la, a administração deve ser empreender um estudo de tempos e métodos, decompondo os movimentos das tarefas executadas pelos trabalhadores.

Considerações acerca da Administração Cientifica de TAYLOR

Enfoque mecanicista do ser humano – A visão da organização como uma máquina, que

pode e deve seguir um projeto definido, recebe crítica feroz de estudiosos da administração. A partir dessa concepção, cada funcionário é considerado uma mera engrenagem no corpo da empresa, tendo desrespeitado sua condição de ser humano. ■Homo econômicos – O incentivo monetário, apesar de importante, não revela suficiente para promover a satisfação dos trabalhadores. O reconhecimento do trabalho, os incentivos morais e a auto-realização são aspectos fundamentais, que a administração científica desconsidera. ■Abordagem Fechada – A administração científica não faz a referência ao ambiente da empresa. A organização é vista de forma fechada, desvinculada de seu mercado, tendo negligenciado as influências que recebe e impõe ao que a cerca. ■Superespecialização do operário – Com a fragmentação das tarefas, a qualificação do funcionário passa a ser supérflua. Ela passa a desenvolver tarefas cada vez mais repetitivas, monótonas e desarticuladas do processo como um todo. A superespecialização leva à alienação do trabalhador, no melhor estilo retratado por Chaplin em Tempos modernos. ■Exploração dos empregados – Como decorrência do estímulo à alienação do funcionário, da falta de consideração de seu aspecto humana e da precariedade das condições sociais existentes à época (falta de legislação trabalhista digna, proibição de

40

movimentos sindicais), a Administração Científica legitima a exploração de operários, em prol dos interesses patronais.

Taylor é normalmente como um cientista insensível e desumano, que tratava os operários como objetos de estudos isolados, em favor de estudos que favoreciam a elite empresarial. Entretanto, poucos apontam a preocupação de Taylor com o aumento da eficiência da produção, buscando a redução dos custos não apenas para elevar os lucros, mas também para elevar a produtividade dos trabalhadores, aumentando seus salários. Não pode deixar de ser observado que, em uma época que ainda sofria os reflexos do regime feudal e escravocrata, as idéias de Taylor representava um avanço na forma de encarar a participação do trabalhador no processo produtivo.

Supervisão funcional

A especialização do empregado deve ser acompanhada da especialização do supervisor.Taylor era contrario à centralização da autoridade,e propunha supervisão funcional com diversos supervisores ,cada especializado em cada área.A administração funcional consiste em dividir o trabalho de maneira que cada homem,desde o assistente até o superintendente ,excute a menor variedade possível de funções .Cada operário recebe orientações e ordens de vários encarregados diferentes,cada qual desempenhando sua própria função.

Princípios Básicos de Ford (1863-1947) foi o divulgador da administração cientifica.Ford produziu a inovação do século XX com a produção em massa do carro com garantia de qualidade pelo menor custo possível

Crítica à Teoria Científica

O ponto mais crítico na Teoria Científica é o seu aspecto mecanicista explicitado pela caracterização do homem como uma peça de engrenagem, e não como um ser humano.

41

Outro aspecto também criticado foi à ênfase na especialização do operário como fator de produção. Pesquisas posteriores provocam que a especialização do operário não significa aumento de produção. Outros aspectos também criticados foram a não consideração das influências do grupo no desempenho individual e a não-consideração da estrutura informal ou dimensão expressiva no comportamento de grupos. A proposta de regras e diretrizes que padronizavam e determinavam o comportamento do trabalhador na organização foi considerada bloqueadora da iniciativa e da criatividade, e, portanto considerada como uma teoria essencialmente prescritiva e normativa. Na prática da administração do pessoal de enfermagem, encontramos freqüentemente propostas típicas dessa fase da administração. Assim, a preocupação com o como fazer tem sido a preocupação constante da enfermagem enquanto prática profissional. A divisão do trabalho aliada à padronização das tarefas tem norteado essa prática. A elaboração ou simples e adoção de manuais de técnicas e de procedimentos tem sido uma das maiores preocupações dos enfermeiros que assumem a responsabilidade dos serviços de enfermagem. As escalas diárias de divisão de atividade estabelecem um método de trabalho funcionalista que é típico na fase mecanicista da administração. A assistência de enfermagem é fragmentada em atividades, e para cada elemento executor é determinada uma ou mais tarefas. Muitos enfermeiros têm muitas dificuldades para implantar a sistematização da assistência de enfermagem porque simplesmente não conseguem disvincular-se das funções de tarefeiros. Dessa forma o elemento executor se distancia do todo, que é a assistência de enfermagem, para se fixar na parte, que é a tarefa. A assistência de enfermagem integral ao paciente, que é aquele que permite ao executor participar do planejamento, execução e avaliação de todas as atividades que integram a assistência, ocorre somente na assistência a pacientes graves.

Desenho de Cargos

A primeira tentativa de definir estabelecer racionalmente cargos e tarefas aconteceu com a administração cientifica. A simplificação de desenhos de cargos permite a algumas vantagens 1-Admissão de empregados com qualificações mínimas e salários menores para reduzir os custos;

42

2-Minimização de custos de treinamento; 3-Facilidade de supervisão para que cada supervisor controle um numero maior de subordinado; 5-Amento da eficiência do trabalhador,permitindo maior produtividade.

Cada cargo exige certas competências do seu ocupante para que seja bem desempenhado.Assim sendo deve-se analisar o conjunto de tarefas de enfermagem levando em consideração os tipos de atribuições que a pessoa irá exercer a qualidade e a quantidade de serviços que devem ser mantidos e objetivos para os quais o hospital existe. Exemplo de cargo: Gerente de serviço de enfermagem.Exemplo de funções:

Planejamento organização e direção do serviço de enfermagem.Exemplo de funções:

planejamento, organização e direção do serviço de enfermagem. Assim (Chiavenato, 2006) diz que descrição de cargos é uma definição escrita do que o ocupante do cargo faz, como ele faz e em que condições o cargo é desempenhado. A descrição escrita de cargos e funções serve para impedir sua duplicação e evitar futuros problemas relacionados com os funcionários. O funcionário para estar bem integrado na equipe de Enfermagem tem o direito de ser informado exatamente, o que se espera dele e o que o hospital lhe pode oferecer. Para se descrever os cargos e suas respectivas atribuições são importantes entender os seguintes termos.

Tarefa - é toda a atividade considerada em si mesma.

Função – é um conjunto de tarefas executadas de maneira sistemática, por uma ou várias pessoas.

Cargo – é a posição hierárquica dos que executam um conjunto de tarefas dentro de uma organização. Assim sendo, na análise de conjunto de tarefas de enfermagem deve-se levar em consideração os tipos de atribuições que o funcionário ira exercer; a qualidade de serviços que devem ser mantidos e os propósitos para os quais existe o hospital. Exemplo de “cargo”: Chefe de Serviço de Enfermagem. Exemplo de “funções”: Planejamento e direção do Serviço de Enfermagem.

43

Segundo Chiavenato,2006 o “cargo” pode ser descrito, analisado e especificado.

Descrição de cargo” é a detalhação das atribuições, diárias, semanais, mensais e esporádicas do seu oponente, ou seja, a determinação do que ele faz, como, porque e para que o faz.

Analise de cargo” é o levantamento (e determinação) dos requisitos (conhecimentos e capacidades, necessários ao seu ocupante, das suas responsabilidades e das condições e riscos de trabalho).

Especificação do Cargo –é a determinação detalhada dos requisitos, (físicos e mentais) necessários á pessoa que ocupa, do nível de suas responsabilidades e das condições e riscos de trabalho”. A função também, pode ser analisada o que, consiste no exame da função feito com o objetivo de identificar as partes que a compõe e as circunstancias em que é executada”. Deste modo, podemos concluir que a descrição de cargos e funções é fundamentada nas necessidades específicas do hospital, constitui um acordo oficioso entre o hospital e o funcionário; e mostra ao empregado as condições vigentes do emprego e as possibilidades futuras.

Cargo – Enfermeira Chefe Da Unidade

Descrição de funções

Função – chefiar a unidade

Conceito – Profissional de nível superior, graduada em Escola ou Faculdade de Enfermagem, habilitado a programar e a executar atividades de Enfermagem em sistema de saúde, a liderar a equipe de enfermagem e a exercer ensino e pesquisa em sua área de competência.

Atribuições

Diagnosticar as necessidades de Enfermagem e elaborar o plano de assistência a ser

prestada pela equipe de enfermagem em serviço de proteção, de recuperação e de reabilitação de saúde.

44

Prestar assistência de Enfermagem em serviço de proteção, de recuperação e de reabilitação da saúde. Coordenar e supervisionar o pessoal da equipe de enfermagem da unidade. Programar e desenvolver o treinamento em Serviço para o pessoal da equipe de Enfermagem da Unidade. Coletar, analisar e interpretar os dados de produção das atividades de Enfermagem da Unidade. Participar das atividades da Instituição, planejar e avaliar o desenvolvimento dos programas de Enfermagem da Unidade. Organizar e administrar a Unidade de Enfermagem. Realizar pesquisa operacional em Enfermagem. Prestar assessoria em Assuntos de Enfermagem.

REQUISITOS

Intelectuais – capacidade de observação, capacidade de decisão, iniciativa, criatividade, capacidade de liderança, memória de dados.

Físicas – aparência física adequada, resistência física.

Morais – atitudes condizentes ao ambiente hospitalar.

Deveres

(cumprir o regimento do Serviço de enfermagem). (cumprir às ordens e normas de serviço). (cumprir o horário de trabalho). (cooperar com a administração da entidade). (zelar pela manutenção do hospital e de todo o material confiado a sua responsabilidade). (manter ordem e disciplina no local de trabalho). (adotar medidas de segurança previstas para evitar acidentes de qualquer natureza).

Autoridade

Responsável perante a supervisora de quem depende

Subordinação

45

Dirige e orienta, diretamente, o pessoal lotado em sua unidade.

Outros Dados

Idade - [de acordo com a legislação vigente] Sexo – ambos Experiência – experiência profissional de pelo menos um ano, tendo tido ocasião de colaborar com enfermeira chefe administração de Unidade.

Exercício: descrição de cargo de supervisor, conforme a lei n: 7.498 de 25 de julho. 1986, referente ao decreto 94.406 de oito de julho 1987 – usar : documentos- Básicos de enfermagem : 1ª. edição 2001 COREN .SP.

Órgãos

Cargos

Diretoria

-----------------------

Diretor

I

I

I

I

Gerência

-------------------------

Gerente

I

I

I

i

Departamento

-----------------------

 

Chefe

I

I

I

I

Divisão

------------------------

Supervisor

 

46

I

I

Seção

------------------------

Encarregado

Figura xx. Exemplo de órgãos e cargos.in: Chiavenato, 1994, pág.33.

EXERCICIO;

Em grupo de duas /três pessoas ,discutir alguma rotinas de trabalho,executadas em instituição hospitalar conhecida de vocês,que pareçam ineficientes.Essas rotinas ou tempo e os movimentos envolvidos na execução de alguma tarefa poderiam ser alterados para melhor eficiência,sem por em risco a qualidade do cuidado ? Fazer uma lista de maneiras pelas quais os enfermeiros poderiam trabalhar com maior eficiência. Examinar o impacto que podem ter outros departamentos ou a organização do posto de enfermagem na prevenção de um trabalho mais eficiente.

Teoria Clássica da Administração

A segunda

década

do

século

XX

foi

tumultuada

A primeira Guerra Mundial (1914-1918) envolveu a Europa e Estados Unidos em operações militares.Apos seu término,os meios de transporte tiveram enorme expansão com a indústria automobilística,as ferrovias,aviação militar,civil e comercial. As comunicação e passaram por enorme expansão do jornalismo e do radio em ondas medias e curtas,Na Europa surgiu Teoria Clássica da Administração.

47

As Funções Gerenciais - A Teoria Clássica de Fayol

Fayol, O Verdadeiro Pai da Administração? Paralelamente aos estudos de Taylor. O engenheiro Henri Fayol que nasceu em Constantinopla e faleceu em Paris ,vivendo as conseqüências da Revolução Industrial ,e mais tarde da Primeira Guerra Mundial. Ingressando como engenheiro de minas entrou para uma empresa metalúrgica e carbonífera onde fez carreira . Henry Fayol (1841-1925) foi nomeado seu diretor em 1888, com a missão de reverter o quadro de falência da empresa. Mais do que recuperá-la, Fayol a transformou em um vasto complexo metalúrgico, aposentando-se em 1918, aos

77 anos. Seu sucesso era atribuído à sua forma abrangente e completa de pensar a empresa e os problemas básicos da administração, prática. Sua obra básica, Princípios Gerais da Administração, compila suas conclusões, abordando tópicos como as características dos administradores, a importância de seu treinamento, suas funções básicas e os princípios básicos da administração. Buscou desenvolver a primeira teoria da administração, defendendo que seu estudo teórico deveria preceder a prática da profissão. Em função disso, dada sua percepção dos problemas básicos da administração moderna e a universalidade de seus princípios gerais, alguns autores vêem em Fayol o verdadeiro pai da administração. De acordo com Fayol, a administração é uma atividade comum a todos os empreendimentos humanos (família, negócios, governo,) que sempre existe algum tipo de planejamento, organização, comando, coordenação e controle.Portanto todos

deveriam

estudá-la,

então.

Fayol criou e divulgou sua própria teoria, a qual começa dividir a empresa em seis atividade ou funções distintas:

I.Função técnica: relacionadas com a administração dos recursos materiais, Istoé, relacionadas com a produção de bens ou com a prestação de serviços da empresa.São as funções ligadas com a produção e manufatura ou com a realização dos serviços prestados pela empresa.No Serviço de Enfermagem através das técnicas básicas que a prestação de serviço ocorre. II.Função comercial: relacionadas com administração dos recursos mercadológicos da empresa, isto são relacionadas com a venda ou a comercialização dos produtos ou serviços oferecidos pela empresa.São as funções de relacionamentos da empresa com

48

seu mercado.Cada especialidade hospitalar tem o cuidado de enfermagem especifico para ser oferecido ou vendido ao paciente/cliente que compra o atendimento ou troca a doença pela saúde. III.Função financeira: relacionada com a administração dos recursos financeiros da empresa, isto é com a busca e gestão do capital e valores monetários. O serviço de enfermagem através de sua gerência participa do processo de seleção e compra de materiais e equipamentos essenciais à assistência ao paciente e as condições de trabalho do pessoal de enfermagem. IV.Função segurança: relacionadas com a proteção da propriedade e das pessoas que trabalham ou são atendidas naquela empresa.O serviço de enfermagem para ter uma gerencia eficiente deve cuidar de seu equipamento, materiais, planta física para que tudo esteja adequado e conservado para oferecer todas as condições de segurança aos seus clientes (pacientes e funcionários). V.Função contábil: relacionadas com registro de estoques, estatísticas balanços, custos, O serviço de enfermagem contribui em grande escala com a economia hospitalar, quando controla, adequadamente, o material de consumo, material permanente, equipamento; deve desenvolver um sistema de controle eficiente que, normalmente consiste num inventário elaborado anualmente pelo serviço de patrimônio do hospital com a colaboração da equipe de enfermagem, através do número do patrimônio e sua depreciação pelo uso, duração e estado geral. VI.Função administrativa: relacionadas com a integração e sincronia de todos os recursos empresariais, Isto é com a administração da cúpula de todas as demais funções essenciais da empresa. As funções administrativas são também chamadas funções do administrador, porque se referem ao próprio ato de administrar. Assim administrar é planejar, organizar, dirigir e controlar.Em outras palavras Fayol sugeriu que a função administrativa fosse a mais importante de todas e definiu cada um de seus componentes:

O conjunto das funções administrativas forma o processo administrativo. A idéia do processo inclui o aspecto dinâmico da relação entre as diferentes funções, com cada uma delas influenciando e sendo influenciada pelas demais. São elas para Luther Gulick seguidor de Fayol:

Planejar planning) : ema tarefa de traçar as linhas gerais das coisas que deve ser

49

feitas e dos métodos de fazê-las,a fim de atingir os objetivos da empresa.

Organizar organizing) : é o estabelecimento da estrutura formal da autoridade,por meio da qual as subdivisões de trabalho são integradas,definidas e coordenadas -humana e material

Assessoria (staffing) :é a função de preparar treinar o pessoal e manter condições favoráveis de trabalho.

Direção directing) :é a tarefa continua de tomar decisões e incorpora-las em ordens e instruções especificas e gerais,e ainda a de funcionar como líder da empresa.

Coordenação(coordinating) :é o estabelecimento de relações entre as varias partes do trabalho.

Informação (reporting) :é o esforço de manter informado,a respeito do que se passa,aqueles perante a qual o chefe é responsável;pressupõe a existência de registros,documentação,pesquisa e inspeções.

Orçamento (budgeting) : é a função relacionada à elaboração.execução e fiscalização orçamentária,ou seja,o plano fiscal,a contabilidade e o controle.

As palavras planning, organizing, staffing, directing) coordinating reporting budgeting .formam o acróstico POSDCORB ,utilizados por Gulick para indicar os elementos da administração.

Comandar-manter o pessoal em atividade em toda a empresa. Significa fazer com que os subordinados executem o que deve ser feito. Pressupõe que as relações hierárquicas estejam claramente definidas, ou seja, que a forma como administradores e subordinados se influenciam esteja explícita, assim como o grau de participação e colaboração de cada um para a consecução dos objetivos definidos. Controlar – controlar é estabelecer padrões e medidas de desempenho que permitam assegurar que as atitudes adotadas são as mais compatíveis com o que a organização almeja. O controle das atividades desenvolvidas permite maximizar a probabilidade de que tudo ocorra conforme as regras estabelecidas e as ordens ditadas, ou é cuidar para que tudo se realize de acordo com os planos. Coordenar reunir, unificar e humanizar toda a atividade e esforço e a implantação de qualquer planejamento seriam inviáveis sem a coordenação das atitudes e esforços de

50

toda a organização (departamento e pessoal), tendo em vista os objetivos traçados.

As funções básica da empresa de hoje

Chiavenato,2006 diz que a visão de Fayol sobre as funções básicas esta ultrapassada.As

funções recebem

 

o

nome

de

áreas

da administração:

as

funções

administrativas

recebem

o

nome

área

de

Administração

geral;

as

funções

técnicas

são

áreas

de

Produção,Manufatura

ou

Operações;

as

funções

 

comerciais,de

área

de

Vendas/Marketing.

As

funções

de

segurança

passaram

para

um

nível

mais

baixo.

As

funções

contábeis

passaram

a

se

subordinar

as

funções

Financeiras.

Finalmente

surgiu

a

área

de

recursos

humanos

ou

Gestão

de

Pessoas.

Outras mudanças estão ocorrendo e estão sendo geridas por equipes e não mais por departamento.,como antigamente.

Papel do Gerente Segundo Fayol

Uma vez organizada a uma empresa, seus colaboradores necessitam de ordens para saber fazer, suas ações precisam de coordenação e suas tarefas precisam de controle gerencial.Para assegurarmos o desempenho satisfatório desse papel, Fayol indicou 16 deveres:

  • 1. Assegurar a cuidadosa apresentação dos planos e sua rigorosa execução.

  • 2. Cuidar para que a organização humana e material seja coerente com o objetivo, os recursos e os requisitos da empresa.

  • 3. Estabelecer uma autoridade construtiva, competente, enérgica e única.

  • 4. Harmonizar atividades e coordenar esforços.

  • 5. Formular as decisões de forma simples, nítida e precisa.

  • 6. Organizar a seleção eficiente do pessoal.

  • 7. Definir claramente as obrigações.

  • 8. Encorajar a iniciativa e o senso de responsabilidade.

  • 9. Recompensar justa e adequadamente os serviços prestados.

10.Usar sanções contra faltas e erros.

51

11.Manter a disciplina. 12.Subordinar os interesse individual ao interesse geral. 13.Manter unidade de comando. 14.Supervisionar a ordem material e humana. 15.Ter tudo sobre controle. 16.Combater o excesso de regulamentos, burocracia e papelada.

Finalmente Fayol completa sua teoria onde relaciona de forma completa sua teoria com a proposição de 14 princípios básicos, que podem ser estudados e seguidos para uma administração eficaz de forma complementar aos de Taylor, já que vistos sob outra ótica empresarial. A própria divisão do trabalho, tão característica dos trabalhos de Taylor era defendida por Fayol para cargos técnicos e também administrativos. Confira:

1-Divisão de Trabalho –O trabalho deve ser dividido entre pessoas e equipes para assegurar que todo esforço e atenção estarão concentrados em partes especificas das tarefas.Fayol apresentou a especialização no trabalho como a melhor maneira de utilizar os recursos humanos de uma empresa, ou seja, dos executivos da administração aos operários da fabrica, favorecendo a eficiência na produção, aumentando a produtividade. 2-Autoridade e Responsabilidade-a primeira é o direito de mandar e o poder de se fazer obedecer.A segunda, a sanção –recompensa ou penalidade –que acompanha o exercício do poder, é o direito dos superiores hierárquicos de dar ordens que serão supostamente obedecidas; responsabilidade é a contrapartida/conseqüência natural da autoridade, consiste em responder por seus deveres/dever de prestar contas e, portanto, está naturalmente associado à autoridade.Todo aquele que assume autoridade também assume responsabilidade. 3-Unicidade de Comando – um empregado deve receber ordens de apenas um superior, evitando contra-ordens; de forma que cada individua tenha apenas superior. 4-Unicidade de Direção – A empresa como um todo deve caminhar em direção a um objetivo comum; um só chefe e só programa para um conjunto de operações que visam ao mesmo objetivo com a aplicação de um plano para um grupo de atividades. 5- Disciplina –depende da obediência,a aplicação da energia,comportamento e respeitos aos acordos estabelecidos. Estabelecer normas de conduta e de trabalho, válidas para todos os funcionários.A ausência de disciplina joga a organização no caos. 6-Prevalência dos interesses Gerais – os interesses de uma pessoa não devem ter prioridade sobre os interesses da empresa ou interesse gerais da corporação devem

52

prevalecer sobre esses interesses individuais. 7-Remuneração – deve ser suficiente para garantir a satisfação dos funcionários e da organização, tendo em vista o custo de vida, oferta de pessoal qualificado. 8-Centralização –refere-se à concentração da autoridade no topo da hierarquia da organização Sua capacidade de enfrentar suas responsabilidades e a iniciativa dos subordinados.Fayol não dava importância ao papel do subordinado. 9-Hierarquia (Cadeia Escalar) é a linha de autoridade que vai do escalao mais alto ao mais baixo em função do principio do comando.Dando-se aos subordinados de chefes diferentes a autonomia para estabelecer relações diretas (a ponte de Fayol). 10-Ordem - deve ser mantida em toda a organização, preservando um lugar para cada coisa (pessoa) e cada coisa (pessoa) em seu lugar.É a ordem material e humana. 11-Eqüidade – tratamento das pessoas com benevolência//amabilidade e justiça, não excluindo a energia e o rigor quando necessários.a justiça deve prevalecer também no ambiente de trabalho, justificando a lealdade e a devoção dos funcionários à empresa. 12-Estabilidade do pessoal – manutenção das equipes como forma de promover seu desenvolvimento a alta rotatividade do pessoal tem conseqüências negativas sobre o desempenho da organização e o moral dos trabalhadores. 13-Iniciativa – faz aumentar o zelo e a atividade dos agentes, deve ser entendida como a capacidade de visualizar estabelecer um plano e assegurar pessoalmente seu sucesso. 14-Espírito de corpo (“sprit de corps”) – o trabalho deve ser conjunto, facilitado pela comunicação dentro das equipes com componentes de um mesmo grupo, precisam ter consciência de classe, para com isso defenderem seus propósitos Desenvolvimento e manutenção da harmonia dentro da força de trabalho. Fayol condenou o estilo de administração que se baseia na política de governar. Em suas palavras: não há nenhum mérito em criar intrigas entre os funcionários.Qualquer principiante pode fazer isso.Por outro lado é preciso verdadeiro talento para coordenar esforços, encorajar os méritos individuais sem despertar ciúmes nem prejudicar relações harmoniosas.

Considerações acerca da Teoria Clássica

Obsessão pelo comando – tendo como ótica a visão da organização a partir da gerência administrativa, Fayol centrou seus estudos na unidade do comando, na autoridade e na responsabilidade. Em função disso é normalmente visto como obcecada pelo comando gerência.

53

A empresa como sistema fechado – outra crítica freqüentemente endereçada à administração clássica é que considerava a empresa como um sistema fechado. Ora, a partir do momento em que o planejamento é defendido como sendo a pedra angular da gestão empresarial, é difícil imaginar que a organização seja vista como uma parte isolada do ambiente.Preocupou-se com a organização formal,descuidando-se da organização informal. Manipulação dos trabalhadores – assim como a administração científica, a administração clássica foi tachada de tendenciosa, desenvolvendo princípios que buscavam em ultima instância, explorar os trabalhadores. Entretanto, cabe diferenciar a elaboração e o estudo dos princípios e funções defendidos por Fayol e de sua aplicação, muitas vezes deturpada, de alguns empresários fizeram (e fazem) dos mesmos.

Contrapondo as Funções Gerenciais de Fayol aos Princípios Científicos de Taylor Enquanto Taylor estudava a empresa do ponto de vista do chão de fábrica para cima (privilegiando as tarefas de produção), Fayol estudava a administração para baixo (privilegiando as tarefas da organização).

Administração Cientifica

Administração Clássica

Precursor

Frederick Taylor

Henri Fayol

Origem

Chão de Fábrica

Gerência administrativa

Ênfase

Adoção de métodos

Estrutura

formal

da

 

empresa

 

Racionais e padronizados

Adoção de princípios

 

Máxima divisão de tarefas

Administração

pelos

altos

 

escalões

Enfoque

Produção

Gerência

Detendo-se menos na organização sistemática da empresa, a ênfase de Fayol recaiu sobre os princípios da prática administrativa, dedicando atenção especial às diversas funções administrativas.

54

Não é raro encontrarmos a utilização indistinta dos termos administração científica e administração clássica. Entretanto, as diferenças entre as duas são patentes. A administração científica surgiu no chão da fábrica. Conforme o próprio nome indica, preconiza a adoção de métodos racionais e padronizados, a máxima divisão de tarefas e o enfoque centrado na produção. A administração clássica, que teve origem na alta administração, enfatiza a estrutura formal da organização e a adoção de princípios e funções administrativas necessárias à realização do trabalho. O sucesso do empreendimento, segundo Fayol, está relacionado ao desempenho satisfatório dessas funções, em todos os setores da organização.

Crítica a teoria clássica

Entretanto, uma das críticas à Teoria Clássica se deve ao seu caráter prescritivo e

normativo por determinar com regras e normas o comportamento da administração.A teoria concebe a organização Mem termos lógicos,formais,rígidos e abstratos sem considerar seu conteúdo psicológico e social.

A teoria Clássica e a enfermagem

Ainda em algumas instituições de saúde, a estruturação é rigidamente hierarquizada estabelece a subordinação integral de um indivíduo a outro, e de um serviço a outro. A enfermagem, reproduz na sua estruturação esse modelo . Assim, os organogramas comumente encontrados nos serviços de enfermagem mostram linhas de subordinação integral, definidas e compatíveis com o poder atribuído, pela organização, às pessoas que integram esse serviço. As pessoas e as relações interpessoais não são devidamente consideradas, e as propostas de trabalho resultam em atividades rotineiras com avaliações exclusivamente quantitativas. Assim a preocupação com a quantidade de trabalho desenvolvido é maior do que com a qualidade. Os desenvolvimentos do pessoal de enfermagem e do próprio serviço fica assim, comprometidos. Muitos enfermeiros preocupados em conseguir o maximo de eficiência seguem a risca os mandamentos desta teoria que é extremamente empírico.Com isso não dão atenção a pessoas e grupos nem aos conflitos intra -organizacionais e ao processo decisório.

EXERCICIO:

1-Levantar os sete elementos da administração segundo Luther Gulick que formam o

55

acróstico POSDCORB (seguidor de Fayol). E os quatro princípios para administração para Urwick (seguidor de Fayol). Pesquisar em :Chiavenato,Idalberto.Princípios da Administração Rio de

Janeiro.Elsevier.2006.

2-Responda Você acredita que a regra “um patrão por pessoa”seja uma boa idéia ? Funcionários iniciantes em hospitais costumam ter vários patrões ? Alguma vez você trabalhou tendo mais de um patrão ? Qual foi o resultado ?

Estrutura organizacional para o serviço de enfermagem

Organograma

Liderança à frente do grupo de trabalho da enfermagem Princípio da autoridade e responsabilidade:

O Serviço de Enfermagem deve ser gerenciado por um enfermeiro que responderá pela sua organização e direção. Assim o Serviço de enfermagem como um grupo organizado de pessoas tem todos os esforços coordenados para alcançar seus objetivos.Participar no planejamento de unidades hospitalares no sentido de acompanhar o sistema construtivo para alcançar a máxima eficiência espacial construtiva, da planta física do Serviço de Enfermagem e toda sua estrutura,Chiavenato,1994

56

Uma estrutura organizacional refere-se à maneira como um grupo é formado,suas linhas de comunicação e seus meios de canalizar a autoridade e de tomada de decisão. A

palavra estrutura significa a disposição ou arranjo das partes que constituem um ser vivo, ou um edifício, ou um livro ou arranjo dos órgãos ou cargos que compõem uma empresa. Cada organização possui uma estrutura organizacional formal e informal .

Estrutura Formal

É a estrutura oficialmente aceita pela direção da empresa, formada pelos departamentos e pela divisão de trabalho( composta pelos órgãos e cargos).Define a autoridade e responsabilidade e o comprometimento do administrador.As habilidades e as funções estão definidas e organizadas de maneira sistemática.

Estrutura Informal

É a rede relacionamentos humanos e sociais que existe espontaneamente entre as pessoas que trabalham em uma empresa. Ao ocuparem cargos e trabalharem em órgãos da empresa, as pessoas desenvolvem relacionamentos de amizade (que facilitam as relações no trabalho) ou de antagonismos (que dificultam as relações no trabalho).Esses relacionamentos informais não constam do organograma, mas podem facilitar ou dificultar o funcionamento da estrutura formal ou estrutura organizacional. Exemplo de uma estrutura é considerada informal quando funcionários de diferentes unidades de um hospital se encontram e trocam informações sobre assuntos da instituição, sem passar através das linhas formais de comunicação, ou ainda quando um subordinado influi na decisão do chefe, de forma sistemática, devido ao relacionamento de amizade existente entre eles.A estrutura informal, muitas vezes, surge pelo fato de a estrutura formal reagir lentamente às mudanças, aparecendo então relações não estabelecidas, para enfrentar as situações decorrentes das mudanças. A estrutura informal pode ser capaz de contornar os problemas que não estão sendo resolvidos a contento pela estrutura formal. No entanto, a estrutura informal pode agir, também se opondo aos objetivos organizacionais, quando esses forem considerados como prejudiciais aos interesses do grupo.Os padrões de relações informais são extremamente diversos, podendo estar em perfeita harmonia ou em completa oposição aos padrões estabelecidos na organização formal, dependendo do grau de motivação do grupo em relação aos objetivos da instituição.

Organograma

O organograma é a representação gráfica das inter-relações departamentais de uma

57

empresa ou de cargos e funções, que compõem um departamento ou a organização formal de uma empresa .Pode apresentar-se de forma clássica, elaborada para mostrar as subordinações, que é denominado Organograma Hierárquico. O organograma é composto de retângulos (que representam os cargos ou órgãos)que são ligados entre si por linhas que representam as relações de comunicação. Quando são horizontais ,as linhas representam as relações laterais de comunicação.Quando são verticais,as linhas representam as relações de autoridade(do superior sobre o subordinado)ou as relações de responsabilidade(do subordinado em relação ao superior) Chiavenato ,1994.

Gerente de Enfermagem Assessoria /Secretaria de CCIH Enfermagem Educação Permanente Serviço de Serviço do Bloco Enfermeiro
Gerente de
Enfermagem
Assessoria
/Secretaria de
CCIH
Enfermagem
Educação
Permanente
Serviço de
Serviço do
Bloco
Enfermeiro
executivo/Supervis
or Materno Infantil
MMaterno/I
Infantil
Enfermeiro
Atendiment
executivo/Supervis
or Materno
o Externo
Operatório
Ambulatóri
Centro
o
Cirurgico
Recuperaçã
Day clinic
o
Anestésica
Hemodiális
e
Central de Material e
Esterelização
Quimiotera
pia

Também se apresenta da forma inovada , como é o caso do Organograma circular, que

58

propomos como instrumento mais adequado ao gerenciamento dos Serviços de enfermagem.No Organograma Circular, o paciente está incluso na representação e, é a partir deste pressuposto, que são estabelecidas as seguintes premissas:

Concentrar as atenções no objetivo primordial do hospital o paciente; Despersonalizar a hierarquia da instituição; Focalizar os serviços mais próximos ao paciente.Mostrar a quem os profissionais se reportam ao nível administrativo.Este organograma vem atender às necessidades atuais do Gerenciamento do Serviço de Enfermagem, voltado à visão mais humanística, em que o paciente é o centro das atenções e a equipe atua em parceria para melhor atende-lo.

Organograma Circular

59

59 Fonte:Marx,C.L.et.;Morita,C.L.Manual de Gerenciamento de Enfermagem.2ªed.rev.e atual - São Paulo:EPUB,2003. A estrutura organizacional varia enormemente de

Fonte:Marx,C.L.et.;Morita,C.L.Manual de Gerenciamento de Enfermagem.2ªed.rev.e atual - São

Paulo:EPUB,2003.

A estrutura organizacional varia enormemente de uma empresa para outra,pois cada empresa tem sua cultura,sua própria historia e seu negocio.Para os autores da administração clássica o princípio da organização pode ocorrer em dois sentidos: no horizontal e no vertical. O princípio da especialização horizontal ocorre em um maior número de órgãos do mesmo nível hierárquico. A departamentalização pode ser identificada por reunir as atividades para fins administrativos e o processo funcional, ocorre em todos os níveis hierárquicos e caracteriza-se pelo crescimento horizontal do organograma como exemplo abaixo.

Exemplo de especialização vertical e horizontal simultaneamente.

O princípio da especialização vertical ocorre quando é necessário, aumentar qualidade da supervisão, com mais níveis hierárquicos de supervisão na estrutura, que é o processo escalar (Fayol).Caracteriza-se pelo crescimento vertical do organograma é a representação pela hierarquia da organização. A especialização vertical e a horizontal constituem então, formas de divisão de trabalho: a vertical em termos de autoridade e responsabilidade, a horizontal ou

60

departamentalização, em termos de diferenciação entre os diversos tipos de atividades executadas pelos órgãos.

Princípio da autoridade e responsabilidade: A distribuição da autoridade e da responsabilidade entre os elementos dos diversos níveis da estrutura é representada pela hierarquia da organização formal: autoridade como sendo o poder de dar ordens e exigir obediências do subordinado e a responsabilidade como dever de prestar contas no superior.O poder de comandar diminui à medida que se vai do alto para baixo na estrutura hierárquica, ou seja, a autoridade e responsabilidade fluem verticalmente em linha reta, do mais alto nível da organização ao seu nível, mais baixo.

Diretora da divisão de enfermagem Assistentes diretoras de área enfermeiras chefes e demais categorias da equipe
Diretora da divisão de enfermagem
Assistentes
diretoras de área
enfermeiras chefes e demais categorias
da equipe de enfermagem

Pirâmide hierárquica

área de autoridade

Figura xx pirâmide hierárquica e correspondente área de autoridade .in: Kurcgant, 1991, pág. 29

Autoridade Integral: Quando o dirigente tem completa responsabilidade pelas atividades do órgão dirigido –deve-se definir, da maneira mais clara possível, não só a quantidade de autoridade atribuída a cada pessoa ou órgão, mas também a natureza

dessa

61

autoridade.

Se o objetivo empresarial é produzir determinado produto, o produto do serviço de enfermagem é o cuidado de enfermagem para os pacientes/ clientes. Essa é a atividade do gerente do serviço de enfermagem. Autoridade Administrativa: Quando o dirigente tem a responsabilidade apenas pela atividade administrativa do órgão definido.Ex: gerente de enfermagem.

Autoridade Técnica: Quando o dirigente tem apenas responsabilidade técnica do órgão dirigido. A responsabilidade provém da relação superior/ subordinado e refere-se á obrigação que uma pessoa tem de fazer alguma coisa para outrem. A responsabilidade não é delegada.

Quando a execução de uma atividade é atribuída a um subordinado, o chefe será sempre responsável pelo o que o subordinado faz. A autoridade e a responsabilidade devem ser equivalentes, ou seja, quando se atribuem a um subordinado a responsabilidade pela execução de uma atividade deve atribuir-lhe, também a autoridade necessária para a execução dessa atividade.O exemplo: quando a gerente de enfermagem delega uma tarefa á enfermeira da educação continuada uma determinada tarefa e esta por sua vez o faz a enfermeira de uma unidade de internação, não se altera e nem se exime à enfermeira da educação continuada da responsabilidade perante a gerente de enfermagem.A prestação de contas passa a ser da enfermeira da unidade de internação para a enfermeira da educação continuada e desta para a gerente do serviço de

enfermagem,Kurcgant,1991.

Nível decisorial diretora da divisão de enfermagem assistentes Nível diretoras de área
Nível
decisorial
diretora da divisão de enfermagem
assistentes
Nível
diretoras de área

62

Intermediário

Nível

Operacional

enfermeiras chefes e demais categorias rias da equipe de enfermagem

Figura xx - Pirâmide hierárquica. in: Kurcgant, 1991, pág. 27 .

Liderança à frente do grupo de trabalho da enfermagem

Não existem lideres solitários. Se você está só, não está liderando ninguém” Fernanda Costa Maia.

“Liderança é o processo de conduziras ações ou influenciar o comportamento e a mentalidade de outras pessoas”. Liderança é a realização de metas por meio da direção de colaboradores.A pessoa que comanda com sucesso seus colaboradores para alcançar finalidades específicas é líder.Um grande líder tem essa capacidade dia após dia, ano após ano, numa variedade de situações.Palavras como influencia, adeptos, colaboradores e outras semelhantes implicam importante condição de liderança: consentimento.Consentimento é diferente de obediência produzido pela autoridade formal.Consentimento pressupõe identidade de interesses.A liderança ocorre quando há congruência entre a proposta do líder e a recompensa esperada pelo grupo, ou problema que o grupo preci8sa resolver, que cria no grupo a disposição ou motivação para fazer aquilo que o líder propõe.O líder é alguém que apresenta da maneira correta a proposta correta, na hora correta. Uma liderança permeia todas as atividades do gerente.(Amaru, 2000). Para o desempenho eficaz das atividades em um ambiente complexo e cheio de desafios e problemas, a pessoa deve possuir qualidades diferenciadoras ou atributos específicos

ao assumir funções específicas de gerenciamento, chefia. Os principais atributos de um enfermeiro bem sucedidos são classificados em três categorias:

A tendência da administração (quer seja em hospitais, quer seja em unidades de saúde

63

pública ou outros contextos de atuação do enfermeiro) é buscar um profissional cujo potencial seja voltado para tomada de decisões. Um profissional que assuma, lidera sem ser arrogante ou autoritário em suas decisões, um profissional flexível para com os demais com uma boa capacidade de escuta.

Qualificações intelectuais

As qualificações deste enfermeiro focalizam-se na capacidade de adquirir utilizar o conhecimento; capacidade para ensinar os outros, deve possuir conhecimentos para implementar os princípios de aprendizagem e instrução em situações que possa desenvolver sua equipe.Como estrategista de ensino, deve ser capaz de identificar situações propicias.Compreender e estimular condições para as transferências da aprendizagem e métodos de ensino. A capacidade para solucionar problemas deve ser uma qualificação essencial. Além de ter a sensibilidade de interpretar os problemas com clareza, localizar os sintomas de uma crise em formação e intervir nos seus estágios iniciais de desenvolvimento. Se o enfermeiro for incapaz de antecipar os problemas, ele passará de uma crise para outra, o trabalho será interrompido repetidamente para acalmar as coisas e as políticas administrativas alternadas com freqüência numa tentativa de atender as demandas de cada situação.O exercício do julgamento auxiliará a equipe, analisar problemas e encontrar soluções para os mesmos. A equipe é essencial para o crescimento profissional, o líder desta, no entanto deve ser capaz de incentivar a participação de todos na resolução de problemas Quando a equipe se ausenta da participação em conjunto há um movimento de retração, causando uma dificuldade no crescimento profissional e intelectual dos membros desta equipe. Além disso, torna se imprescindível que o gerente de enfermagem cuide de sua saúde mental com o mesmo afinco de sua vida profissional.

Experiência na área de liderança e comunicação

Liderança e comunicação são atributos fundamentais para o enfermeiro frente ao seu grupo de trabalho. Gerentes são responsáveis diretos pelo sucesso da organização. A excelência empresarial está profundamente relacionada coma excelência gerencial. A visão, dedicação e a integridade do gerente são os principais determinantes do sucesso empresarial. As principais ferramentas gerenciais quase sempre se resumem em uma característica fundamental: a liderança. Cada pessoa tem suas aspirações pessoais, os seus objetivos, as suas preferências, as suas características de personalidade, os seus

64

talentos e habilidades. Cada pessoa é única e ímpar ao constituir uma equipe de trabalho, e as pessoas se destacam pelas diferenças individuais.Para que as pessoas possam trabalhar satisfatoriamente em equipe elas precisam de liderança. A liderança constitui uma necessidade típica do trabalho em equipe.O gerente de enfermagem deve saber

conduzir as pessoas, isto é como liderar as pessoas e administrar as diferenças entre elas. A liderança é necessária em todas as atividades e em todos os tipos de organização humana principalmente a empresa hospitalar. A liderança não deve ser confundida com direção ou gerência. O líder nem sempre é um bom dirigente ou gerente, mas os líderes devem estar presentes no nível de direção, no de gerência e em todos os demais níveis da organização. A liderança é um fenômeno tipicamente social que ocorre em grupos social.Podemos defini-la como influência interpessoal exercida numa dada situação e dirigida através do processo de comunicação humana. A influência é uma transação interpessoal, na qual uma pessoa age no sentido de modificar ou provocar o comportamento de uma outra pessoa de maneira intencional. A comunicação é uma prioridade estratégica para uma empresa. Comunicação é o processo de transmissão de uma informação de uma pessoa para outra sendo então compartilhada por ambos.Comunicar significa tornar comum a uma ou mais pessoas uma determinada informação. Numa organização, a comunicação é essencial, pois não é somente a troca de palavras ou símbolos e sim a comunhão de conceitos técnicos comuns a todos. A comunicação é a capacidade de relatar, explicar as políticas da intuição à luz dos problemas que a equipe está enfrentando A capacidade de ouvir e prestar a atenção é mais um importante aspecto da comunicação. O enfermeiro deve saber escutar, como escutar, de forma a expressar suas opiniões. O enfermeiro precisa olhar.”Olhar é uma coisa. Enxergar o que você está olhando é outra. Compreender o que você vê é uma terceira. Aprender pelo que você compreende é outra

coisa

Mas agir com base no que você aprendeu é tudo o que realmente importa!”

... Benjamin Pucket-Allied stores corporation.

Características pessoais

As características pessoais desejáveis em um enfermeiro são: estar em harmonia com os

interesses da profissão, postura, atitudes, modos de agir, compromisso, competência.Este profissional é um empreendedor e precisa necessariamente gostar do que faz ter

65

dedicação, voltados não somente para ganhos econômicos ou status que isso possa lhe trazer, mas sim gozar de um bem estar físico e emocional no desenvolver de suas atividades. A postura e modos de agir estão intimamente ligados com harmonia da profissão.

Não há profissional bem sucedido, se este não avalia constantemente seus modo de agir e de se colocar, nas diferentes situações cotidianas que o trabalho lhe exige, para a sua equipe e principalmente para ele próprio. Quando um enfermeiro pensa em melhorar a qualidade do serviço que desenvolve numa empresa hospitalar precisa refletir sobre a importância das equipes e lideranças. Vamos fazer uma reflexão sobre o vôo dos gansos no sentido de facilitar a compreensão do papel de líder. Ao observarmos a formação dos gansos, com um deles à frente fazendo suas evoluções para um rumo certo, os demais grasnando e seguindo –º. O objetivo do primeiro é favorecer os demais, rompendo a resistência do vento durante o percurso, outro ganso ocupa a posição no vértice, ocorrendo o revezamento baseados nesse fato da natureza, constatamos um sincronismo, a participação, a cooperação, a confiança e a performance harmoniosa de um grupo de gansos, os quais têm um objetivo comum ao empreender um vôo.Talvez o objetivo possa ser um vôo de lazer. Ou

de treinamento para os novatos

...

ou

uma viagem mais longa buscando um novo hábitat.

Qual o vôo que sua instituição quer voar? O trajeto é longo a se percorrido, com objetivos definidos e que envolve performances que deverão ser harmoniosas quanto às dos gansos. Quais são seus objetivos /Como é sua equipe? Uma equipe sincronizada é decorrente da harmonia entre seus membros e da contribuição de cada um em beneficio do todo; porem devemos considerar o seguinte:

Ambiente físico: pessoas são influenciadas pelo ambiente físico onde trabalham. Respeito mutuo: quando se é respeitado, torna –se fácil respeitar os parceiros e clientes. Crenças e valores: o ponto principal para o sucesso está naquilo que as pessoas acreditam.As equipes tendem a contribuir, participar e envolver-se, não somente quando solicitadas, mas se cria um ambiente de credibilidade na organização, gerando confiança. As equipes não se constituem do dia para a noite, e seu desenvolvimento está diretamente ligado ao investimento que seus membros recebem ao longo do tempo. Capacitação, Treinamento e Desenvolvimento são as ferramentas para o crescimento de equipe.

66

Estimular a criatividade do grupo é uma postura desafiadora para lideres e gestores: sair da acomodação do tradicional “está bom como está” para “poderá ficar melhor”; realmente não é fácil. Como irá ocorrer a sensibilização para implantar a SAE, se isso é necessário? Qual a meta da equipe de enfermagem no seu local de trabalho? A sua equipe de enfermagem está comprometida com resultados.As pessoas estão

engajadas? Estão dispostas há parar o dia adia para estudar o que querem fazer? Porque a enfermagem necessita de diagnósticos? A enfermagem necessita de um sistema de classificação para descrever um fundamento cientifico confiável para o preenchimento dos critérios de profissionalização. Retomando o exemplo dos gansos, espera-se que cada instituição tenha

tantas

...formações

de

equipes

quantas forem necessárias, com incansáveis

revezamentos e preparo de lideranças; porque, seus “gansos” vão muito mais. além do que bater asas e grasnar: eles têm a consciência de que esse vôo não termina.

EXERCÍCIO

Em dupla ou individualmente levantar características ,em sua opinião que um líder deve ter.Que característica de liderança você possui ? Voce acredita ter nascido com habilidades de liderança ou você as desenvolveu de maneira consciente ?

Processo de trabalho Planejamento Organização. Direção controle

Planejamento :ferramenta para a gestão. O planejamento é uma das funções do processo administrativo,juntamente com as

67

funções de organização,direção,controle e avaliação O planejamento é definido pelo dicionário Aurelio como a “elaboração.por etapas,de planos e programas bem definidos”. Para Allen,1999 a definição de planejamento como sendo elaboração de planos com objetivos específicos para anular problemáticas,por meio de ações seqüenciais corretivas,a partir de uma análise diagnóstica previa para identificar a problemática. Planejamento é a função administrativa que determina antecipadamente o que se deve fazer e quais os objetivos que devem ser atingidos,Chiavenato,2006. O estabelecimento de objetivos a serem alcançados é o ponto de partida do planejamento:saber aonde se pretende chegar para saber exatamente como chegar lá.Os objetivos são alvos escolhidos que se pretende alcançar em um certo espaço de tempo. A hierarquia dos objetivos.Existem empresas que buscam alcançar vários objetivos simultaneamente Existem objetivos como um todo da empresa que pode ser conhecido com planejamento estratégico,de departamento to como tático e de cada cargo operacional.

O Processo Administrativo

Planejamento

   

Controle

Definir missão

Organização Dividir o trabalho

Direção Designar pessoas

Definir padrões

Formular objetivos

Designar as

Coordenar esforços

Melhorar

o

Definir planos para

atividades

Comunicar

desempenho

alcançá-los

Agrupar

as

Motivar

Avaliar

o

Programar

as

atividades em

Liderar

desempenho

atividades

órgãos e cargos Alocar recursos Definir autoridade e responsabilidade

Orientar

Ação corretiva

Os objetivos podem ser visto em três níveis :estratégicos,táticos e operacionais 1-Objetivos estratégicos: São os chamados objetivos organizacionais ou globais, são amplos e abrangem a organização como um todo.Suas características são globalidade e longo prazo

68

2-Objetivos táticos:São chamados objetivos departamentais,ou seja,objetivos referentes a cada departamento da organização.Suas características básicas são médio prazo. 3-Objetivos operacionais:São objetivos referentes a cada tarefa.Sua característica é o curto prazo.

Organização

A organização é uma entidade social porque é constituída de pessoas.O trabalho é estruturada pela divisão de trabalho e o desempenho é atribuído aos membros da organização.Esta definição se aplica a todos os tipos de organização,seja lucrativa ou não em bancos,igrejas,hospitais,financeiras,clubes .A organização pode ser visualizada sob dois aspectos:organização formal e informal A organização como função administrativa significa o ato de organizar ,estruturar e integrar os recursos .

Direção

A direção constitui a terceira função administrativa e vem depois do planejamento e da organização.O seu papel é acionar a empresa.A direção tem a ver com atuação das pessoas .As pessoas precisam ser colocadas em seus cargos e funções,treinadas,guiadas e motivadas para alcançar resultados que dela se esperam. A direção refere-se às relações interpessoais entre administradores e subordinados. Os diretores dirigem os gerentes,os gerentes dirigem os supervisores,e os supervisores dirigem os funcionários/operários.

Controle

1-O controle como função restritiva e coercitivo sentido de coibir ou limitar certos desvios indesejáveis ou de comportamentos não aceitos. 2-O controle um sentido de manter o fluxo ou funcionamento de um sistema. 3- Controle com função administrativa como parte do processo administrativo como planejamento,organização ,direção.

As

fase

do

controle:

1- Estabelecimento de padrões ou critérios.Os padrões representam o desempenho ou resultado desejado. 2-Observação do desempenho para ajustar as operações a determinados padrões,que busca obter informação precisa a respeito daquilo que está sendo controlado.

69

3-Comparação com o desempenho padrão estabelecido para evitar desvios.Nem toda variação existe correção,mas apenas as que ultrapassam os limites da normalidade.

Planejamento é o processo de determinar como a organização pode chegar

onde

deseja

e

o

que

fará

para

executar

seus

objetivos.

Planejar envolve em tomar decisões.As decisões que tomar serão influenciadas

pelo:

sua filosofia pessoal,disposição

de aceitar a responsabilidade de tomar decisões para ajudar os outros membros

da equipe a contribuir para o atendimento do cliente.

O Planejamento envolve atribuir prioridades:

-Decidir junto com o paciente

Às vezes os membros da equipe de enfermagem não são capazes de fazer tudo que gostariam de fazer para cada paciente,nem mesmo tudo que deveria ser feito.O enfermeiro não pode ajuda um paciente que se recusa a reconhecer a existência de um problema,como um alcoólatra que se recuse a crer que tem um problema com a bebida.

Para

determinar

prioridades:

Algumas

perguntas.

1-A que nível de bem- estar encontra-se o paciente neste momento? 2-Este é um problema comum,ou fora do comum,ou seja,um problema que é esperado,como uma dor incisional no primeiro dia pós-operatório,ou um problema inesperado,tal como uma dor intensa na área operada no 15º dia pós-operatório?

Selecionar Objetivos para a intervenção de enfermagem.O objetivo vai definir o que será realizado e proporcionar uma base para avaliação da eficácia do atendimento aos pacientes.Eles podem ser objetivos do Processo de enfermagem ou da evolução dos pacientes.

Um objetivo de Enfermagem faz saber a todos o que a enfermeiro espera fazer pelo paciente e ajudá-lo a conseguir por conta própria;por exemplo,ensinar o paciente a tomar sua própria insulina. Os objetivos do paciente,ou da evolução final,indicam o que o paciente vai poder fazer em conseqüência da assistência de enfermagem - por exemplo,o paciente vai medir corretamente sua dose de insulina e administrá-la

70

de modo seguro.São objetivos que devem ser elaborados conjuntamente pelo paciente e pela enfermeira.

Um objetivo deve identificar a alteração no comportamento do paciente que se espera em conseqüência da assistência de enfermagem. Por exemplo,

1.Ajudar o paciente a aceitar (ou conviver com ) sua condição.Como o enfermeiro vai saber e quando o paciente aprendeu a conviver com sua condição?Na verdade este é um objetivo de enfermagem e não uma evolução final esperada.

2.Aprender a andar de muletas.O paciente vai aprender a usar muletas,mas que grau de destreza é esperado?Em volta do quarto ou até o final do corredor?Só naquele andar ou subindo e descendo escadas?

Objetivo do paciente informa à equipe o que o paciente espera fazer. E o plano de

cuidados diz à equipe de enfermagem exatamente como ajudar conseguir isto.

o

paciente a

A equipe de Enfermagem de uma unidade de oncologia clinica estabeleceu o seguinte objetivo:melhorar a satisfação do cliente quanto o controle da dor. Como conduzir a situação?.

Organização é o processo de estabelecer o uso ordenado de todos os recursos do sistema administrativo.É o momento que os gerentes estabelecem metas e esclarecem quais recursos serão utilizados para alcançá-las.O principal foco da organização é determinar o que os funcionários farão individualmente,assim a melhor maneira de combinar seus esforços no alcance dos objetivos da empresa hospitalar. A Organização se refere ao resultado do processo de organizar. A Organização engloba a mobilização de recursos humanos e materiais,de modo que possam ser alcançados os objetivos institucionais. Exemplo: A equipe de educação continuada no hospital foi chamada para planejar curso sobre avaliação da dor para a equipe de oncologia clinica. Cada recurso da empresa representa um investimento ,para isso é necessário organizar estes recursos:

1.Cada setor deve ser comandado por gerente competente e enérgico para que todos os funcionários estejam trabalhando naquilo que mais possam ser úteis. 2.Definir deveres.

71

3.Coordenar todas as atividades e esforços.

Direcionamento

O direcionamento consiste na motivação e na condução do pessoal,a fim de realizar as ações necessárias para conseguir os objetivos da unidade ou da instituição. Uma função

72

básica é influenciar as atividades dos funcionários por meio de liderança,o que não será

possível

com

lideres

autocráticos.

“Nós não temos pacientes problemas,temos pacientes com problemas”Daí a necessidade de conduzir com eficácia a intervenção da enfermagem e uso de técnicas de resolução de problemas -negociação. Exemplo;A gerente envolveu a equipe com o objetivo de comunicar os novos padrões de cuidado para o controle da dor na unidade. A equipe da Educação Continuada reuniu-se semanalmente durante o 1ºmês,a fim de rever a literatura de controle da dor para os clientes de oncologia e compartilhar as informações com toda a equipe da unidade.A enfermeira executiva reuniu-se com toda equipe,para discutir os meios pelos quais as novas intervenções de controle da dor poderiam ser incorporadas melhor em suas praticas.

Controle é o processo por meio do qual os gerentes são capazes de controlar Controlar é fazer com que algo aconteça do modo como foi planejado. Comparar os resultados com os padrões predeterminados de desempenho e no empreendimento de ação corretiva,quando o desempenho não satisfaz o padrão. Exemplo: A educação continuada estabeleceu duas medidas de resultado:

A satisfação do cliente com o controle da dor, e a competência da equipe por meio de um teste de conhecimento sobre técnicas não invasivas de controle da dor. A gerente estabeleceu a expectativa de que a equipe participaria no treinamento adicional,quando os níveis não fossem satisfeitos.Os resultados de satisfação demonstrado por todos os clientes foram revistos semanalmente pela educação continuada.Quando não havia melhoria,investigava as falhas e reformulava as condutas.

Tomada de Decisão

A tomada de decisão consiste na identificação de um problema,na busca por soluções e na seleção da alternativa que melhor atinge os objetivos daquele que toma a decisão

As decisões podem ser classificadas de acordo com o tempo que um gerente deve gastar

para

tomá-las.

As decisões programadas são decisões rotineiras e repetitivas nas quais se costuma

lidar

com

elas.

73

As decisões não programadas,ao contrario,são tipicamente decisões tomadas de uma única vez , e são menos estruturadas. Exemplo:Três meses depois que a equipe foi treinada e que novas orientações praticas foram implementadas,a gerente reviu os registros dos clientes e descobriu que a documentação da avaliação da dor estava registrada de forma consistente.A educação continuada reuniu-se com a gerente,para identificar as condutas que poderiam melhorar a qualidade da documentação,sem acrescentar solicitações de registros

Uma ferramenta da organização é PDCA.Vamos ver o que significa PDCA P (Plan=Planejar)É a fase que definimos o queremos,planejamos o que será feito,estabelecemos metas e definimos os métodos que permitirão atingir metas propostas. D(Do =Executar)É a fase em que tomamos iniciativa,educamos,treinamos,implementamos executamos o planejado conforme metas e métodos definidos. C(Check=Verificar)É a fase em que verificamos os resultados obtidos a partir da análise continua dos trabalhos para ver se o que está sendo executado confere com o planejado. A (Action=Agir)É a fase das correções de rotas se for necessário,na qual realizamos as ações corretivas ou de melhoria,caso tenha sido constatada na fase anterior a necessidade de corrigir ou melhorar processos.

Teoria das Relações Humanas

Origem da Teoria de Relações Humanas A experiência de Hawthorne.

Os Pressupostos da Abordagem de Relações Humanas; Mayo :pontos de vista defendido - Liderança,Comunicação Origens da Organização Informal;

A Teoria das Relações humanas e a enfermagem

Introdução

Pode até parecer paradoxal que, frente à enorme onda de desemprego resultante da crise de 29, os estudiosos das organizações se preocupassem com o fator humano no trabalho.Entretanto, a crise funcionou como o sinal de que, assim como os princípios

74

econômicos vigentes até então, o paradigma da administração também necessitava passar por uma reformulação radical. Crise de 29 – do Liberalismo ao Intervencionismo A crise de 29 foi um dos maiores choques que a economia mundial já atravessou. Até então, o capitalismo norte-americano seguia uma política liberal: os empresários pagavam salários baixos, mantinham os preços elevados, aumentavam a produção e o Estado não intervinha. Quando não havia demanda suficiente para a produção, recorriam ao financiamento da estocagem. Quanto maiores os estoques, maior a paralisação da produção, maior desemprego, menor o nível de consumo. A crise se refletia na bolsa, onde havia maior número de vendedores do que os compradores de ações, negociadas a preços cada vez mais baixos. Após a queda da bolsa, o governo assumiu uma postura intervencionista na Economia, regulando a produção e fixando limites para preços e salários. Surgiram o salário mínimo, o limite máximo de trabalho diário, a previdência social e a legalização das organizações sindicais. A busca de uma maior eficiência nas empresas exigiu a reconsideração das relações e aspirações dos elementos humanos na organização.A humanização dos conceitos administrativos se apresentou como mais adequada às novas exigências. Paralelamente desenvolveram-se vários campos das ciências humanas que permitiam compreender melhor o funcionamento da psicologia do trabalhador. Assim, os pesquisadores e estudiosos da psicologia do trabalho e industrial ressaltavam a importância da consideração conjunta dos fatores humano e material para a avaliação da produtividade no trabalho. Formas fundamentais para o desenvolvimento dessas propostas os conceitos desenvolvidos por Lewin sobre o comportamento dos grupos sociais e que posteriormente também foram explorados na explicação dos aspectos comportamentais do processo de mudança dentro da organização. Todavia, as experiências desenvolvidas por Mayo e sua equipe na fábrica da Western Eletric Company (Hawthorne , Chicago) formam o quadro de referência que possibilitou delinear os princípios básicos da escola de Relação humanas. Elton Mayo começou a se interessar em 1923 pela rotatividade de pessoal e queda de produtividade. A partir dos anos 20 percebia-se nas empresas americanas o que se convencionou chamar de “spleen –industrial”: um abatimento moral dos trabalhadores, com perda de interesse pelo trabalho, fadiga e monotonia. A experiência se baseava na alteração de um variável da condição de trabalho (iluminação, pausas, jornada de trabalho), enquanto as outras permaneciam constantes. Como a produtividade aumentava

75

tanto no grupo experimental quanto nos outros, a conclusão foi a de que fatores físicos influenciam menos a produção do que os emocionais. O simples fato de mostrar, pela presença dos cientistas e pelas experiências, que havia interesse pelas condições dos operários, incentivava-os a se interessar novamente pelo trabalho.Conforme o relatório das experiências:

Origem da Teoria das Relações Humanas

1-A necessidade de humanizar e democratizar a administração,deixando de lado os conceitos rígidos e mecanicistas da Teoria Clássica.

2-O desenvolvimento das ciências humanas,principalmente a psicologia com sua aplicação à organização industrial. 3-A psicologia de Kurt Lewin foi fundamental para o humanismo na administração.Elton Mayo é o fundador da escola. 4-As conclusões da experiência de Hawthorne,realizada entre 1927 e 1932,sob coordenação de Elton Mayo.

A experiência de Hawthorne.

Em 1927,O Conselho Nacional de Pesquisas iniciou uma experiência na fabrica de Hawthorne da Western Eletric Company,situado em Chicago,para avaliar a correlação entre iluminação e a eficiência dos operários ,medida por meio da produção.A experiência de E.Mayo estendeu-se à fadiga,acidentes de trabalho,rotatividade do pessoal (turno-over) e ao efeito das condições de trabalho , sobre a produtividade do pessoal.As experiências ficou comprovado as variáveis psicológicas na produção do trabalho. A experiência de Hawthorne passou três fase para chegar a conclusão que definiu os aspectos básicos ou pressupostos da Escola das Relações Humanas

76

Formado em filosofia e medicina, professor em Harvard, o australiano Elton Mayo

(1880-1949).

Lewin e o Estudo dos grupos

Judeu alemão emigrado para o EUA nos anos 30. Kurt Lewin (1890 –1947) estudou em

Berlim com Max Wertheimer, um dos fundadores da Gestalt. Lewin defendia como comportamento de grupo um conjunto de forças e interações simbólicas que afetam não somente a estrutura grupal, mas também o comportamento individual.

Os Pressupostos da Abordagem de Relações Humanas

As pesquisas de Elton Mayo propiciaram um cenário favorável à introdução de uma nova abordagem na solução dos problemas de administração, focalizada no progresso de motivar os indivíduos para o atendimento das metas organizacionais. Para tanto alguns pressupostos sobre o comportamento humano precisavam ser aceitos e considerados pelos administradores:

O nível de produção é resultante da integração de comportamento sociais – O nível de produção não é determinada pela capacidade física ou fisiológica do empregado. O trabalhador socialmente desajustado terá baixa eficiência. Isso por que os aspectos sociológicos, psicológicos e emocionais são mais importantes do que os técnicos. O papel de integração grupal é primordial para o bem-estar psicoemocial dos trabalhadores na disposição de produzir.

Comportamento social dos empregados.O comportamento do individuo se

apóio totalmente no grupo. Eles não agem individualmente, mas como membros

de

grupos.

Desviando-se das normas grupais, sofrem punições sociais ou morais dos colegas mais severas do que impostas pela organização, por que os marginalizam do

relacionamento com

 

o

grupo.

É o “espirt de corps” (espírito de corpo) que leva a situação como a de alguns

trabalhadores que, mesmo não concordando com uma greve, participam do movimento em nome da coesão grupal. A administração que busca a eficiência e o

aumento

da

produtividade

deve

então

atentar

à

conciliação

dos

objetivos

empresariais com os interesses subjetivos dos trabalhadores, para obter os resultados desejados. Participação nas decisões – a participação de cada um no processo decisório é

77

fundamental, embora condicionada à situação e ao padrão de liderança adotado. O trabalhador é um ser pensante; ele deve estar sujeito a um controle de resultados, mas não a uma supervisão estrita, principalmente no que se refere ao modo de realizar sua tarefa. A participação nas decisões, favorecida através de uma comunicação de baixo para cima, estimula a iniciativa dos funcionários e aumenta a produtividade empresarial.

Recompensas e sanções sociais. O comportamento dos trabalhadores está condicionado não somente a aspectos biológicos, mas também a normas e padrões sociais.Os operários que produziram acima ou abaixo da norma do grupo perderam o respeito e a consideração dos colegas.Preferiam produzir menos e

ganhar menos –a por em risco suas relações amistosas com o grupo. As pessoas são avaliadas pelo grupo em relação a essas normas de padrões de comportamentos. conceito de homem social dada a importância atribuída aos fatores psicoemocionais, a motivação econômica passa a ser secundária na determinação do rendimento do trabalhador; são prioritárias as necessidades de reconhecimento, aprovação social e a participação.

Grupos Informais

A empresa passa a ser visualizada como uma organização social composta por grupos sociais informais que constituem a organização humana da empresa.Os grupos informais definem regras de comportamentos,recompensas e sanções sociais,escala de valores,crenças e expectativas.,

Importância do Conteúdo do trabalho – trabalhos simples e repetitivos são monótonos e negativos para a motivação do trabalhador e, conseqüentemente, para o nível de produção. As tarefas devem ser estimulantes, incentivando o trabalhador a se interessar pela produtividade e qualidade do que desenvolve.Os operários trocavam de posição para variar e evitar a monótona,contrariando a política da empresa.

Mayo defende os seguintes pontos de vista:

1-O trabalho é uma atividade tipicamente grupal.a produção é influenciada pelas normas do grupo do que pelos incentivos salariais e materiais de produção.A atitude do empregado diante do trabalho e a natureza do grupo social do qual ele participa são os

78

fatores decisivos de produtividade. 2-O operário não reage como individuo isolado,mas como membro de um grupo social.As mudanças tecnológicas tendem a romper os laços informais de camaradagem e de amizade dentro do trabalho e privar o operário do espírito gregário. 3-A tarefa básica da administração é formar uma elite capaz de compreender e de comunicar ,com chefes democráticos,persuasivos e simpáticos a todo pessoal.Em vez de entender a lógica da administração,a nova elite de administradores deve entender a lógica dos trabalhadores. 4-A capacidade de colaborar com os outros esta se deteriorando.”somos tecnicamente competentes como nenhuma outra idade na historia o foi,e com isto com uma total incompetência social”.É necessário a formação de uma elite social capaz de recobrar a cooperação. 5-O ser humano é motivado pela necessidade de “estar junto”,de “ser reconhecido”,de receber adequada comunicação.

Liderança

A experiência de Hawlthorne mostrou a existência de lideres informais que incorporavam as normas e as expectativas do grupo e ajudavam os trabalhadores atuarem como grupo coeso e integrado. A liderança é necessária em todos os tipos de organização humana, seja nas empresa seja em cada um de seus departamentos. No serviço de enfermagem esta posto que gerentes, supervisores, enfermeiros executivos, trainee todos precisam conhecer a natureza humana e saber conduzir as pessoas.

A Liderança pode ser visualizada a partir da compreensão:

1-Liderança como fenômeno de influencia interpessoal. A Liderança é dirigida por meio do processo de comunicação ,ocorre como fenômeno social e exclusivamente nos grupos sociais.Ela decorre dos relacionamentos entre as pessoas em uma determinada estrutura social .

79

A influencia significa uma força psicológica ,uma transação interpessoal na qual uma pessoa age de modo a modificar o comportamento de outra de modo intencional. A influencia envolve conceitos como poder e autoridade de modo provocar mudanças no comportamento de pessoas e grupos.O poder é o potencial de influencia de uma pessoa sobre a outras,é a capacidade de exercer influencia embora essa influencia pode não ser exercida.A autoridade é o poder legitimo,isto é o poder que tem uma pessoa em virtude de seu papel ou posição em uma estrutura organizacional.O poder legal é socialmente aceito.

2-Liderança como um processo de redução de incerteza de um grupo. Liderança é um processo continuo de escolha que permite a empresa caminhar em direção a sua meta,apesar de todas as perturbações internas e externas.O grupo tende a escolher como líder a pessoa que possa dar mais assistência e orientação que define e ajuda o grupo a escolher os rumos e as melhores soluções para os seus problemas para que alcance seus objetivos.O líder é um tomador de decisões que ajuda o grupo a toma decisões adequadas.

3-Liderança como uma relação funcional entre líder e subordinados.

A relação entre lideres e subordinados repousa entres bases:

A vida para cada pessoa pode ser vista com uma continua luta para

satisfazer necessidade ,aliviar tensões e manter o equilíbrio. A maior parte das necessidades individuais em nossa cultura,é satisfeita

por meio de relações com outras pessoas e grupos sociais. Para outra pessoa,o processo de usar relações com outras pessoas é um processo ativo de satisfazer necessidades. Há uma relação funcional em que o líder é percebido como possuidor dos meios para a satisfação do grupo.Seguir um líder é uma forma de atender suas necessidades.O líder ,surge como um meio para sua consecução dos objetivos desejados.O líder, é um estrategista que sabe indicar os rumos para as pessoas.

80

4- Liderança como um processo em função do líder,dos seguidores e variáveis da situação .Liderança é o processo de exercer influencia sobre pessoas ou grupos nos esforços nos objetivos em uma determinada situação.A liderança existe em função das necessidades existentes em determinada situação da junção de características pessoais do líder,dos subordinados e da situação .Trata-se de uma abordagem situacional.Assim,não há um tipo único e exclusivo para cada situação.

Comunicação

Comunicação é a troca de informações .Significa tornar comum uma mensagem ou informação.A comunicação requer um código para formular uma mensagem e envia-la na forma de sinal( como ondas sonoras,letras impressas,símbolos)por meio de um canal( ar,fios,papel)a um receptor da mensagem que a decodifica e interpreta seu significado.Na comunicação dieta falada,na conversação a linguagem funciona como código e é reforçada pela comunicação não verbal(gestos,sinais e símbolos).A comunicação pode se dar a distancia,através da escrita,telefone ou internet como meio de transmitir mensagens. Os humanistas mostraram que as comunicações dentro das organizações são terrivelmente falhas e os administradores precisam :

Assegurar a participação das pessoas na solução dos problemas.

Incentivar a franqueza e confiança entre indivíduos e grupos na empresa.

Ainda: a comunicação é uma atividade administrativa que tem dois propósitos:

Proporcionar informação e compreensão para que as pessoas possam se conduzir nas tarefas. Ex :Um enfermeiro no seu cotidiano delega tarefas aos seus funcionários diz claramente como deve ser realizada aquela tarefa .Deve perguntar ao seu funcionário se ele é capaz de realizar a tarefa.É importante que a pessoa a quem a tarefa foi delegada entenda a importância da mesma.Se o subordinado está com dificuldade para executar o que foi delegado,o enfermeiro deve estar disponível como recurso que ajude a identificar soluções alternativas,Marquis&Huston2005.

81

Proporcionar atitude que promovam motivação ,cooperação e satisfação nos cargos. Segundo Marquis &Huston,2005 o enfermeiro deve encorajar os subordinados a resolver sozinhos os seus problemas e precisam fazer perguntas sobre a tarefa ou esclarecer o resultado desejado.O enfermeiro deve comunicar com clareza o que deve ser feito e verificar se o funcionário compreendeu.

Organização informal

Os grupos sociais estão acondicionados a dois tipos de organização:a organização foram (ou racional) a organização informal(ou natural). A organização informal concretiza-se nos usos ,costumes idéias e normas sociais.Ela é entendida por meio de atitudes e disposições baseadas na opinião,no sentimento e na necessidade de associar-se e não se modifica facilmente apresenta as seguintes característica:

Relação de coesão ou antagonismo.As pessoas nas empresas criam relações pessoas de simpatia (de identificação )ou de antagonismo (de antipatia)

Status.Os indivíduos interagem nos grupos e acabam por ter uma posição social ou status independente da posição da organização formal.

Colaboração

espontânea.A

organização

informal

é

o

reflexo da

colaboração espontânea das pessoas. A possibilidade de oposição.A organização informal pode se desenvolver em oposição a organização formal quando há inabilidade da direção em proporcionar um clima adequado de boas relações humanos com as pessoas.

Padrões de relações e atitudes.Os grupos informais desenvolvem espontaneamente,padrões de relações e atitudes aceitos e assimilados pelas pessoas,pois traduzem os interesses e aspirações do grupo. Mudanças de níveis e alterações dos grupos informais.As pessoas participam de vários grupos informais em face das relações funcionais que

82

mantém com outras,em outros níveis e setores da empresa.A organização informal escapa das limitações da organização formal. Padrão de desempenho nos grupos informais.]O padrões de desempenho dos grupos informais nem sempre correspondem aos padrões estabelecidos pela administração.A empresa avalia o desempenho por padrões que ela determina,enquanto cada individuo é avaliado pelo seu grupo.Na organização informal,a pessoa preocupa-se com o reconhecimento e aprovação social do grupo ao qual pertence.Seu ajustamento social reflete sua integração ao seu grupo.

Origens da Organizacional Informal

Os interesses comuns aglutinam as pessoas. Ao passarem juntas a maior

parte de tempo no locais de trabalho ,as pessoas passam a identificar intereses comuns quanto a assuntos de política,esportes,atividades etc. A interação provocada pela própria organização formal.O cargo que cada pessoa ocupa na empresa exige relações formais com outras pessoas e dão margem a uma vida grupal intensa fora dela.

A flutuação do pessoal na empresa provoca alterações dos grupos

informais.A rotatividade e transferências das pessoas trazem mudanças na estrutura informal,pois as alterações se alternam e com ele os vínculos humanos. Os períodos de lazer permitem a interação entre as pessoas e fortalecem o vinculo entre elas.Nos tempos livre ou de lazer as pessoas acabam permanecendo ao redor de seu local de trabalho e em contato com as pessoas.

Exercício de Aprendizagem:

83

Em grupo de três pessoas ou individualmente.listar características que,em sua opinião,um líder efetivo deve ter. Que características de liderança você possui ? Você acredita ter nascido com habilidades de liderança ou você as desenvolveu ? Como elas foram desenvolvidas,se foi este o caso ? O quadro abaixo pode dar uma idéia do assunto.

Para Marquis &Huston,2005 as características de um líder :

Inteligência

Personalidade

Capacidades

 

Adaptabilidade

Capacidade

de

Conhecimento

angariar cooperação

Julgamento

Criatividade

   

Decisão

Cooperação

 

Habilidade interpessoal Tato

Fluência oral

Vivacidade

Diplomacia

 

Autoconfiança

   
 

Integridade pessoal

 

Prestigio Participação social

 

Equilíbrio

e

controle

 

emocional

 

Não conformismo

   
 

Independência

   

Critica a teoria das Relações Humanas

Entre as varias criticas feitas a Teoria das Relações Humanas está a oposição cerrada à Teoria Cientifica, onde, na busca da harmonia, os conflitos eram abafados, e os confrontos entre o empregado e a administração, ignorados. Por esses fatos, considera-se como uma “ideologia manipulatória da empresa capitalista num determinado momento histórico de seu desenvolvimento”,pois envolve um processo por meio do qual a pessoa acredita estar fazendo algo que vem ao encontro de sua vontade,quando na realidade ela foi condicionada a pensar assim

CHIAVENATO,2006.

84

A Teoria das Relações humanas e a enfermagem

Na administração do pessoal de enfermagem, a liderança surge como estratégia de condução de grupo. A comunicação adequada entre o enfermeiro (líder) e os demais membros do grupo de enfermagem ou do grupo multiprofissional foi sendo considerada fator relevante para a continuidade e otimização da assistência de enfermagem. Em seu trabalho relata que a prática da enfermagem está sendo favorecida quando se consegue implantar o Método de Equipe com advento da Teoria de Relações Humanas cujo precursor foi Elton Mayo.E que a liderança informal, enquanto conceito vinculado à administração de grupos, teve seu berço na referida teoria; foi neste método que a liderança democrática mais floresceu. Com o objetivo de organizar o pessoal de enfermagem de modo a garantir uma assistência centralizada no paciente, é focalizado o trabalho em grupo ou em equipe, para qual o paciente representa o centro das atividades e, as funções da equipe resultam nas necessidades por eles apresentadas. Ao enfermeiro compete assumir o cuidado de um grupo de pacientes, bem como se responsabilizar.pelo trabalho de seus colaboradores: enfermeiro, técnico e auxiliar de enfermagem. A liderança desse profissional é fundamentada no conhecimento das habilidades, características individuais e necessidades dos membros da equipe; e dos objetivos traçados pelo grupo.Uma característica importante deste método é o é o estimulo para que cada membro desenvolva o seu potencial, uma vez, ao ser designado para cuidar de determinado paciente, o funcionário sabe que foi considerado o mais qualificado para proporcionar uma assistência que atenda as necessidades daquele paciente.

85

Teoria da Burocracia As Características da Burocracia

Disfunções da Burocracia

A Teoria Burocrática e a enfermagem

Max Weber (1864-1920), nasceu na Prússia estudou economia política e dedicou sua vida

à sociologia; foi professor e chegou trabalhar em administração

hospitalar.

.É considerado

o fundador da Teoria da Burocracia. Para Weber, o termo burocracia não tem significado pejorativo de uso popular, mas um significado técnico que identifica certas características da organização formal voltada exclusivamente para a racionalidade e para a eficiência. O tipo “ideal” de burocracia, segundo Weber apresenta sete dimensões principais:

Weber e o espírito do Capitalismo Sociólogo e economista alemão se dedicou ao estudo da história social comparada lidando, entre outros temas, com a sociologia da liderança. Estado, economia, direito, música e religião.Weber parecia ter um interesse particular pelo fato de o capitalismo não ter surgido no Oriente. Para o autor, sua gênese ocidental podia ser atribuída, entre outros motivos, a diferenças de religião. Sua tese era de que o impulso para o desenvolvimento de uma mentalidade capitalista tinha origem em religiões que, como o protestantismo, viam no sucesso econômico de um indivíduo a prova de ser um escolhido de Deus. “Entre os diaristas, os católicos denotam maior tendência para permanecer no artesanato, tornando-se conseqüentemente muitas vezes mestres-artesãos, enquanto os protestantes são mais atraídos pelas fábricas, onde preenchem as camadas superiores da mão-de-obra especializada e as posições administrativas. A explicação desses casos está, sem dúvida, nas peculiaridades mentais e espirituais adquiridas do meio, especialmente do tipo de educação propiciada pela atmosfera religiosa do lar e da família, que determinará a escolha da ocupação e, através dela, da carreira profissional”.

As Características da Burocracia

O modelo burocrático segue preceitos rígidos e disciplinadores para o desempenho eficaz do indivíduo e da organização. A instabilidade das emoções e os comportamentos aleatórios eram vistos como perniciosos ao bom desempenho empresarial. Assim, os pressupostos da teoria saíam em defesa de aspectos coerentes com a visão racionalista do ser humano. Ética protestante – como princípios básicos, o protestantismo defende a vida dedicada ao trabalho duro, à poupança e ao ascetismo. Os que realmente se dedicam a essa

86

conduta espartana (e, portanto, seguem a vontade de Deus) alcançam a prosperidade e ficam em paz com o destino de sua alma.Com isso, quão mais rico mais o indivíduo prova ser fiel e recompensado por Deus. A riqueza não é vista como um meio, mas como o resultado de uma conduta. Homem Organizacional – O tipo de personalidade adequada à sociedade moderna é a do homem flexível ao desempenho de vários papéis simultâneos, dentro da organização. Resistente às frustrações, dedicado de forma irrestrita ao cumprimento de suas tarefas, o funcionário da organização burocrática deve ser capaz de adiar as recompensas e o desejo de auto-realização. Formalização: todas as atividades da organização são definidas por escrito (rotinas e procedimentos) e a organização opera de acordo com um conjunto de leis ou regras (regras e regulamentos, regimento, interno, estatutos) que são aplicáveis os casos individuais, sem exceção. Divisão do trabalho: cada participante tem um cargo ou posição definida com esfera específica de competência, com deveres oficiais, atribuições estritamente especificadas e delimitadas. Princípio da hierarquia: a burocracia se assenta em uma hierarquia bem definida de autoridade. Cada funcionário é submetido a ordens impessoais que guiam suas ações de modo a assegurar sua obediência. Cada função mais baixa está sob controle e supervisão da mais alta, assegurando unidade de controle: cada funcionário tem apenas um único chefe. Daí o formato de estrutura piramidal da burocracia. Impessoalidade: o funcionário ideal desempenha com impessoalidade no relacionamento com outros ocupantes de cargo. A burocracia enfatiza os cargos e não as pessoas que os ocupam, pois as pessoas entrem e saem da organização, mas os cargos permanecem para garantir sua continuidade e perpetuação. Competência técnica: a seleção e escolha dos participantes são baseada na competência técnica e qualificação profissional dos candidatos e não em preferências de ordem pessoal. Daí a utilização de testes e concursos para preenchimento de cargos ou para promoções são feitas de acordo com a Antigüidade ou mérito funcional, dependendo sempre do julgamento do superior. Separação entre propriedade e administração: os recursos utilizados pela organização burocrática para a execução de suas tarefas não são propriedades dos burocratas. A administração esta separada da propriedade dos meios de produção, pois o dirigente ou o burocrata não é necessariamente o dono da organização ou dos seus meios de produção,

87

mas um profissional especializado na sua administração. Daí o gradativo afastamento do capitalismo da gestão do seu próprio negócio e a pulverização do capital por meio das sociedades anônimas. Profissionalização do funcionário: os funcionários da burocracia são profissionais, pois são especialistas em face de divisão do trabalho; são assalariados de acordo com as suas funções ou posição hierárquica; seus cargos constituem a sua principal atividade dentro da organização; são nomeados pelo superior imediato; seus mandatos são por tempo indeterminado; seguem carreiras dentro da organização e não possuem a propriedade dos meios de produção da organização. A burocracia constitui um exemplo típico do modelo de organização dotado de racionalidade capaz de ser aplicáveis a todos os tipos de organizações e empresas, independentemente de sua natureza, operações, tamanhas etc. A burocracia visa atingir certas conseqüências desejadas, dentre elas a previsibilidade do comportamento das pessoas dentro da organização. Até certo ponto, isto significa a tentativa de padronizar o desempenho humano para alcançar um objetivo organizacional: a máxima eficiência da organização.

Disfunções da Burocracia

1-Despersonalização do relacionamento entre os participantes pelo fato de os ocupantes de cargos se tratarem como tal e não como pessoas. 2-Internalização das diretrizes, isto é , as normas e os regulamentos – inicialmente elaborados para melhor atingir os objetivos organizacionais – adquirem valor próprio , transformando-se de meios em objetivos e passando a ser absolutos . O funcionário passa a se preocupar mais com as regras e os regulamentos da organização do que com o seu próprio trabalho dentro dela. 3-Uso da categorização como técnica do processo, ou seja, a tomada de decisão passa ser prerrogativa do funcionário que tem a categoria hierárquica mais elevada, independentemente do seu conhecimento sobre o assunto que está sendo decidido. 4-Excesso de formalismo e de papelório, pois a tendência, pois a tendência de documentar e formalizar todas as comunicações chega a um ponto que pode prejudicar o funcionamento da organização. 5-Exibição de sinais de autoridade, pois como a burocracia enfatiza enormemente a hierarquia como meio de controle de desempenho dos participantes, surge a necessidade de utilização de indicadores, de símbolos ou sinais que destaquem a autoridade e o poder, como é o caso de uniformes, tipo de sala ou de mesa utilizada, locais reservados

88

no refeitório ou no estacionamento de carros etc. 6-Superconformidade em relação às regras e aos regulamentos da organização, os quais passam a adquirir uma importância fundamental para o funcionário.A partir daí, este passa a Ter verdadeira devoção e obsessão por eles bitolando seu desempenho em função dos regulamentos e deixando de lado os deveres inerentes ao cargo. 7-Propensão dos participantes a se defenderem de pressões externas no sentido de

mudanças, o funcionário passa a recebê-las como ameaças à posição que desfruta dentro da organização e um perigo para a sua segurança pessoal. Daí a tendência de se defender contra qualquer tipo de influência externa, o que leva fatalmente a dificuldades no atendimento aos clientes e usuários, tomados como figuras estranhas e portadoras daquelas ameaças e pressões. 8- Resistências a mudanças, pois as mudanças representam ameaças igualmente para a sua posição e estabilidade dentro da organização. O funcionário se sente mais seguro e protegido com a rotina que domina e conhece bem e que não lhe traz ameaças. Para preservar e garantir seu esquema atual passa a resistir a qualquer forma de mudança ou modificação da situação.

Crítica à Teoria Burocrática

As criticas a essa teoria são denominadas disfunções: exagerado apego às regras, normas e regulamentos, transformando-os de “meios” em “fins”; valorização maior para as normas e regras do que para o contingente humano; impessoalidade no relacionamento humano; e necessidade de exibir símbolos que evidenciem o poder dos participantes.

A Teoria Burocrática e a enfermagem

Nas instituições de saúde encontramos freqüentemente formas organizacionais burocráticas. Trevizan, em seu estudo sobre as organizações de saúde burocratizadas e a prática da enfermagem, demonstra claramente esse fato. Os serviços de enfermagem seguem o modelo da instituição permitindo a visualização, nas estruturas e dinâmicas desses serviços, de propostas burocráticos. O pessoal de enfermagem passa Ter características profissionais, de técnicos especializados, com comportamentos e posições estrategicamente definidos pelo grupo que detém o poder da organização. A valorização das normas e regras parece ser, entretanto, o enfoque da Teoria da Burocracia que mais tem influenciado a prática da enfermagem, influência essa que, na verdade, constitui um dos fatores que têm contribuído para uma prática administrativa estanque, baseada em regras e normas obsoletas com poucas

89

perspectivas de mudanças. Percebe-se que a administração na enfermagem sofre o mal de uma disfunção da Teoria Burocrática.

Teoria Comportamental (ou Behaviorismo) da Administração A influência da Motivação Humana - Necessidades Humanas Básicas. Estilos de Administração Organização como sistema social cooperativo -Funções do executivo As Teorias X e Y de Mc Gregor As Contribuições de Chris Argyris Valorização das Pessoas O comportamento e a Prática Gerencial

A teoria comportamental trouxe nova concepção e novo enfoque dentro da teoria de administrativa com abordagem das ciências do comportamento,abandono das posições explicativas e descritivas.A ênfase é nas pessoas dentro do contexto organizacional mais amplo. A Teoria Comportamental da Administração tem seu inicio com Herbert A. Simon,Chester Barnard,Douglas McGregor,Rensis Likert,Chris Argyris.Dentro do campo da motivação humana salientam-se Abraham Maslow,Frederick Hersberg e David Mc Clelland. A Teoria Comportamental reapresenta um desdobramento da Teoria das Relações Humanas,com a qual se mostra critica e severa. O comportamento administrativo descrito por Herbert Simon constitui o início da Teoria das Decisões.A Teoria Comportamental surge no final de 1940 com redefinição dos conceitos administrativos.Fundamenta-se no comportamento individual as pessoas para explicar o comportamento organizacional.Para isso é necessário estudar a motivação humana.O administrador deve conhecer as necessidade humanas para compreender o comportamento humano e utilizar a motivação como meio de melhorar a qualidade de vida das organizações .CHIAVENATO,2005

A influência da Motivação Humana

“Em termos do conceito de uma organização industrial enquanto o sistema social, muito

dos problemas humanos de gestão pode ser reformulado. Uma visão tradicional desses problemas freqüentemente distorce a situação humana real na planta industrial. Os

90

trabalhadores, supervisores ou executivos são muitas vezes considerados separadamente de seu ambiente social e história pessoal e são tratados essencialmente como homens econômicos. A simples análise de causa e efeito de seu comportamento é substituída pelo contexto situacional mais rico, no qual suas vidas são vividas e nas quais prevalece a relação de dependência mútua”. .Com o advento da Teoria das Relações Humanas uma nova linguagem passa a dominar o repertório administrativo; fala-se em motivação, liderança, comunicação, organização informal, dinâmica de grupo, etc.Os conceitos de autoridade ,hierarquia ,racionalização do trabalho , departamentalização ,princípios gerais de administração etc., passam a ser duramente contestados . Com a Teoria das Relações Humanas surge uma nova concepção sobre a natureza do homem, o homem social. Os trabalhadores são criaturas sociais complexas, com sentimento, desejos e temores. As pessoas são motivadas por certas necessidades e alcançam suas satisfações primárias por meio dos grupos com os quais interagem.Dificuldades em se relacionar no grupo levam ao abaixamento do moral, fadiga mais rápida, redução do nível do desempenho. Os intervalos e paradas para o café são importantes não só reduzem a fadiga física como permite que as pessoas interajam, formando grupos sociais informais.

91

91 Necessidades de auto-realização Necessidades do ego (estima) Necessidades sociais Necessidades de segurança Necessidades fisiológicas Figura

Necessidades de auto-realização Necessidades do ego (estima)

Necessidades sociais

Necessidades de segurança Necessidades fisiológicas
Necessidades de segurança
Necessidades fisiológicas

Figura XX - modelos de motivação de Maslow 1

A influência da Motivação Humana

Motivo,motivação,mover,movimentar e motor são palavras modernas que tem a mesma origem e estão associadas à mesma idéia: aquilo que se movimenta,que faz andar.ao estudo da motivação é um tema central do enfoque comportamental.AMARU,2008.

1 In Chiavenato, Idalberto, Princípios de Admnistração: o essencial em teoria geral da Administração.RJ:Elsevier, 2006.

92

A motivação procura explicar por que as pessoas se comportam, daí a necessidade de estudar:

Necessidades Humanas Básicas.

A compreensão da motivação do comportamento exige o conhecimento das necessidades humanas. Maslow constatou certas necessidades fundamentais,e verificou-se que o comportamento humano é determinado por causas que escapam ao entendimento do homem Essas causas chamam necessidades ou motivos que são forças inconscientes que levam

o indivíduo a um certo comportamento. A motivação se refere ao comportamento que é causado por necessidades dentro do indivíduo que é dirigido ao objetivo para satisfazer essas necessidades. A motivação é uma das principais responsabilidades gerenciais A influência gerencial sobre seus

subordinados exige liderança eficaz e uma continua motivação da

equipe.

.A motivação

funciona como um dinamizador, um impulsionador do comportamento humano.

As Necessidades Humanas

A motivação existe dentro das pessoas e se dinamiza através das necessidades humanas.Todas as pessoas têm necessidades próprias, que podem ser chamadas de desejos, aspirações, objetivas individuais, ou motivos. As necessidades humanas ou motivas são forças internas que impulsionam cada pessoa determinando seus pensamentos e direcionando o seu comportamento frente às diversas situações da vida.As necessidades ou motivos constituem fontes internas de motivação da pessoa. A teoria motivacional mais conhecida é a de Abraham Maslow e baseia-se na hierarquia das necessidades humanas. Para Maslow, as necessidades percorrem a vida do homem evoluindo por três estágios de motivação: à medida que vai crescendo e amadurecendo, vai ultrapassando os estágios mais baixos e desenvolvendo necessidades de níveis gradativamente mais elevados. Os três estágios estão arranjados em: necessidades fisiológicas, psicológicas e de auto – realização. Necessidades Fisiológicas: São as chamadas necessidades vitais ou vegetativas estão num nível mais baixo de todas as necessidades, relacionadas à sobrevivência do indivíduo, exigem satisfação cíclica.São inatas e instintivas.Elas orientam a vida desde seu nascimento. As principais necessidades fisiológicas são as de alimentação, sono, atividade física,

93

satisfação sexual, abrigo e proteção contra os elementos e de segurança física contra os perigos Se um indivíduo tem fome, procura alimento, porem, quando come regularmente, a fome deixa de ser uma motivação importante. As necessidades fisiológicas podem ser satisfeitas por antecipação, sem mesmo atuarem sobre o comportamento humano.Assim, a vida moderna com os horários de refeições, de sono, bem como a adequação do vestuário etc. permite que essas necessidades passem a ser controladas pelo cotidiano, sem que cheguem a influenciar o comportamento. A experiência de Hawthorne fez a companhia de energia desenvolver uma política com relação ao seu pessoal que atendia plenamente às necessidades mais básicas de seus empregados Necessidades Psicológicas são as necessidades exclusivas do homem, são aprendidas

e adquiridas no decorrer da vida e representam um padrão mais elevado e complexo de necessidades.As necessidades psicológicas são raramente satisfeitas em sua plenitude. O homem procura indefinidamente maiores satisfações dessas necessidades, que vão desenvolvendo e se sofisticando gradativamente. Na empresa: intervalos de descanso; conforto físico; horário de trabalho razoável. São necessidades psicológicas:

  • 1 . Necessidade de segurança intima

É a necessidade que leva o indivíduo à sua autodefesa, à procura de proteção contra o

perigo real e imaginário, físico ou abstrato, a busca de proteção contra a ameaça ou privação potenciais, a fuga ao perigo, o desejo de estabilidade, a busca de um modo ordenado e previsível são manifestações típicas desta necessidade. Surgem no comportamento humano quando as necessidades fisiológicas estão relativamente satisfeitas. Como aquelas, também intimamente relacionadas com a sobrevivência da pessoa. Remuneração e benefícios, estabilidade no emprego e condições seguras no trabalho.Compreendendo melhor: as necessidades de segurança têm grande importância, uma vez que na vida organizacional a pessoa tem relação de dependência com a empresa e onde as ações gerenciais arbitrárias ou as decisões inconsistentes e incoerentes podem provocar incerteza ou a insegurança nas pessoas quanto à sua permanência no emprego. Se as ações ou decisões gerenciais refletem discriminação e favoritismo ou alguma prática imprevisível, pode–se tornar poderosos ativadores de insegurança entre as pessoas.

94

É a necessidade de fazer parte, de ter contato humano, de participar conjuntamente com outras pessoas de alguma coisa ou empreendimento.A necessidade de participação foi bastante enfatizada por Elton Mayo na explicação do comportamento em grupo.A aprovação social, o reconhecimento do grupo, a necessidade de calor humano, de fazer parte de algum grupo, de dar e receber amizade (amizade com os colegas, interação com os clientes, gerente amigável) são necessidades que fazem parte desta classe de necessidade e que levam o homem a viver em grupo e socializar-se. Dentro do grupo social existe a simpatia (que leva à coesão social) e a antipatia (que leva à dispersão social), dependendo da maneira como esta necessidade é satisfeita ou não nos diversos indivíduos. 3.Necessidade e autoconfiança ou auto-estima. É uma necessidade decorrente da auto-avaliação de cada indivíduo. Refere-se à maneira

pela qual cada pessoa se vê esse avalia, ao auto-respeito e a consideração que tem para consigo mesmo, auto-apreciação, a autoconfiança, a necessidade de aprovação social e de reconhecimento, de status, promoções, de prestigio e de consideração, responsabilidade por resultados. A satisfação dessa necessidade conduz a sentimentos de autoconfiança, de valor, força, de prestigio, poder capacidade e utilidade a sua frustração pode produzir sentimentos de inferioridade, fraqueza, dependência e desamparo, os quais, por sua vez, podem levar ao desanimo ou nas atividades compensatórias.

4 . Necessidade de afeição ou sociais

É a necessidade de dar e receber amor e carinho.São necessidades relacionadas com a

vida associativa do indivíduo com outras pessoas. São as necessidades de associação, de participação, de aceitação por parte dos colegas, de troca de amizade, de afeto e amor. Surgem no comportamento quando as necessidades mais baixas (fisiológicas e de segurança) se encontram relativamente satisfeitas. Quando as necessidades sociais não suficientemente satisfeitas, a pessoa se torna resistente antagônica e hostil com relação às pessoas que a cercam. A frustração dessa necessidade conduz geralmente à falta de adaptação social e à solidão.A necessidade de dar e receber afeto; participação nas decisões é uma importante ativadora do comportamento humano quando se utiliza a administração participativa.

  • 5. Necessidade de auto – realização

São as necessidades humanas mais elevadas e que se encontram no topo da hierarquia.São as necessidades que leva cada pessoa a realizar o seu próprio

95

potencial e se desenvolve continuamente ao longo da vida.Essa tendência se expressa através do impulso da pessoa em tornar-se mais do que é e de vir a ser tudo o que pode ser. As necessidades de auto-realizarão estão relacionadas com plena realização daquilo que cada pessoa tem de potencial e de virtual, da utilização plena dos talentos. De desenvolver um trabalho criativo e desafiante com diversidade e autonomia.São os produtos da educação e da cultura e também elas raramente são satisfeitas em sua plenitude, pois o homem vai procurando gradativamente maiores satisfações e estabelecendo metas crescentemente sofisticadas Teoria dos Dois Fatores de Hersberg Frederick Hersberg estudou a teoria dos dois fatores para explicar o comportamento Das pessoas em situação de trabalho.

1.Fatores higiênicos buscou identificar os fatores que motivam os funcionários no ambiente que rodeia nos seus locais de trabalho. Essas condições estão fora do controle das pessoas,são decididos pela empresa .Os fatores higiênicos são :salário,benefícios sociais,estilo de chefia ou supervisão,condições físicas e ambientais de trabalho,políticas e diretrizes da empresa,regulamentos internos,clima de relacionamento entre a empresa e os empregados.

. Quando esses fatores ficam abaixo do nível aceitável, o resultado é a insatisfação com o trabalho. Seu efeito é como certos remédios higiênicos :evitam a infecção ou combatem a dor de cabeça,mas não melhoram a saúde.

2. Os fatores motivacionais estão relacionados com conteúdo de cargo e com a natureza das tarefas que a pessoa executa. Estão sob o controle do individuo e relacionado com o que ele faz e desempenha.Envolve sentimentos de crescimento pessoal,realização pessoal, reconhecimento do trabalho, responsabilidade e progresso profissional. Os efeitos dos fatores motivacionais sobre as pessoas é profundo e estável.Quando são ótimos ,provocam a satisfação das pessoas.Porem,quando são precários,evitam a satisfação.Por isso Hersberg os chama de fatores satisfacientes. “Para proporcionar motivação continuamente no trabalho, Hersberg propõe o

96

“enriquecimento do cargo” ou enriquecimento de tarefas” “(job enrichmente): consiste em substituir tarefas mais simples por tarefas mais complexas pra acompanhar o crescimento da pessoa, oferecendo-lhe condições de desafio e satisfação profissional no cargo. O enriquecimento de tarefas depende do desenvolvimento de cada pessoa e deve adequar - se às características individuais em mudança. Pode ser vertical com eliminação de tarefas simples e acréscimo de tarefas mais complexas ou horizontais (eliminação de tarefas relacionadas com certas atividades e acréscimo de outras tarefas diferentes no mesmo nível de dificuldade). Ver pág 173

Exercício

Pode ser discutido em grupo de três pessoas ou individual. O leva os funcionários a dedicarem –se ao trabalho ,vestirem a camisa da empresa e lutarem por ela ? O que faz com que dêem o maximo possível para ajudar a empresa a ser realmente competitiva ? Pensando em como motivar o seu pessoal, o gerente do serviço de Enfermagem contratou um consultor de empresas para assessorá-lo nessa empreitada. Como o consultor vai ajudar o grupo nesta tarefa ?

Estilos de administração

A Teoria da Administração pode oferece uma serie de estilos mas eles dependem da convicção que os administradores tem sobre o comportamento das pessoas dentro da organização.Essas convicções não só moldam não apenas a maneira de conduzir as pessoas,mas também a maneira pela qual se divide o trabalho,se planeja,organiza e controla as atividades. As teorias X e Y de McGregor ,compara dois estilo antagônicos de administrar:um estilo baseado na teoria tradicional,mecanicista e pragmática que deu o nome de Teoria X;de outro modelo baseado nas concepções a respeito do comportamento humano que deu o nome de Teoria Y.

97

Teoria X –É concepção tradicional de administração e baseia-se em convicções errôneas e incorretas sobre o comportamento humano :

As pessoas são indolentes e preguiçosas por natureza:evitam o trabalho ou trabalham o mínimo possível em troca de recompensas salariais ou materiais.

Falta ambição :as pessoas não gostam de responsabilidades e preferem ser dirigidas e sentir-se seguras nesta dependência.O homem é egocêntrico e seus objetivos pessoais opõem-se aos objetivos da organização

Sua própria natureza leva as pessoa a resistirem às mudanças,pois procuram sua segurança e pretendem não assumir riscos que as ponham em perigo.

A dependência torna as pessoas incapazes de autocontrole e autodisciplina:elas precisam ser dirigidas e controladas pela administração.

Corresponde à falta de confiança nas pessoas e à sua dependência e controle pela administração. Autoridade administrativa centralizada e autoritária.

Teoria Y- Baseia-se em concepções e premissas atuais e sem preconceitos a respeito da natureza humana.

As

pessoas não tem desprazer inerente em trabalhar

 

As pessoas não são,passivas ou resistentes às necessidades da empresa: elas podem tornar-se assim como resultado de sua experiência negativa em outras empresas.

As

pessoas

tem

motivação

potencial

de

desenvolvimento,comportamento

adequado e capacidade de assumir responsabilidades. O homem médio aprende a aceitar e procurar responsabilidades.

Capacidade de imaginaçao e criatividade na solução dos problemas empresariais são amplamente distribuídas entre as pessoas. As potencialidades intelectuais das pessoas são apenas parcialmente utilizadas.

A teoria X corresponde à falta de confiança nas pessoas e à sua dependência e controle pela administração com uma autoridade mais centralizada e autoritária. O padrão

98

A representa os comportamentos interpessoais, a dinâmica de grupo e as normas organizacionais associadas a essa teoria. A teoria Y corresponde à melhor distribuição do poder, com democracia, delegações e responsabilidades, considerando o homem um “contribuinte ativo”. O padrão B representa os comportamentos democráticos e participativos. A Teoria Y é um estilo de direção baseado em medidas inovadoras e humanistas,a saber:

Descentralização das decisões e delegação de responsabilidades a fim de permitir

liberdade para que as pessoas dirijam suas tarefas, assumam desafios decorrentes e satisfação suas necessidades de auto realização. Ampliação do cargo para maior significado do trabalho: a Teoria Y substitui a

especialização pela ampliação do cargo, sua reorganização e extensão de atividades, para que as pessoas possam ter uma idéia da sua contribuição pessoal para as atividades da empresa. Participação nas decisões e administração consultiva para permitir a participação

nas decisões ,sobre opiniões e pontos de vista a respeito das decisões que se comprometam com o alcance dos objetivos da empresa. Auto-avaliaçao do desempenho

O tradicional método de avaliação do desempenho,deve ser substituído por programas de auto-avaliaçao do desempenho ,onde as pessoas são encorajadas a avaliar sua contribuição para os objetivos empresariais e assumir responsabilidades.

Teoria Y, baseada nos seguintes princípios:

O dispêndio de esforço físico e mental no trabalho é tão natural quanto o descanso; O homem está sempre disposto a se auto corrigir, para atingir os objetivos com os quais está comprometido; O compromisso com os objetivos depende das recompensas com sua consecução O ser humano aprende não só a aceitar responsabilidades, como a procurá-las; Imaginação, criatividade e engenhosidade na solução de problemas são comuns. Na vida industrial moderna são utilizadas as potencialidades intelectuais do homem.

99

Sistema de Administração

Likert considera a administração um processo relativo no qual não existem princípios universais validos para todas as situações.A administração nunca é igual em todas as organizações.

100

Likert classifica a administração em quatro variáveis:

  • 1. Sistema autoritário coercitivo. É um sistema autocrático e forte,coercitivo e arbitrário que controla rigidamente tudo dentro da organização.

  • 2. Sistema Autoritário benevolente: É um sistema autoritário que tem uma variação do nº1 (mais condescendente e menos rígido).

  • 3. Sistema Consultivo. Trata-se de um sistema que pende mais para o lado participativo do que impositivo-abrandamento da autoridade.

  • 4. Sistema Participativo: É um sistema democrático por excelência.

Ver pág.178

Organização como sistema social cooperativo

O estudo do fator humano no papel dos gerentes

Chester Barnard nasceu em 1886 e estudou economia em Harvard.Em 1948, aposentou – se da companhia Bell para tornar-se presidente da Fundação Rockefeller, na qual ficou até sua morte em 1961 .Publicou um livro sobre a teoria da cooperação para explicar as organizações. Para Barnard, as pessoas não atuam isoladamente, mas através de interações com outras pessoas para juntas alcançarem seus objetivos. Nas interações humanas ,as pessoas influenciam -se mutuamente : são as relações sociais.Cada um tem sua diferenças individuais,suas capacidade e limitações.Para melhorar suas condições ,as pessoas precisam cooperar entre si para alcançar seus objetivos.A cooperação é fruto da decisão de cada pessoa em função das vantagens e satisfações pessoais

Funções do executivo, segundo Barnard:

Incutir senso de propósito moral.Trabalhar com a organização informal.Facilitar a comunicação.

Tomar decisões.Entender a aceitação da autoridade.

A sobrevivência de uma organização depende muito mais do equilíbrio com um ambiente externo em continua mudança do que dos sistemas internos.O executivo, para garantir a sobrevivência da organização, deve privilegiar a comunicação, como forma de obter a cooperação da organização informal.A organização informal, se devidamente reconhecida e compreendida, pode oferecer uma grande contribuição para a sobrevivência da

101

organização formal. A disposição para cooperar depende do equilíbrio que o individuo percebe entre o esforço (contribuição, segundo Barnard) que dedica à organização e os benefícios que ela recebe.Os benefícios são incentivos financeiros e também recompensas não materiais e persuasão ou doutrinação.Barnard acreditava que uma das tarefas mais significativas do executivo é a obrigação de doutrinar seus empregados ,incutindo neles um senso de propósito moral.Barnard deu grande ênfase ao trabalhador individual, que considerava o fator estratégico básico em qualquer organização. A arte da tomada de decisões é extremamente importante no papel dos gerentes, mas o gerente deva estar consciente de que dependem dos subordinados para implementar suas decisões .

Simon e o Processo decisório

Herbert Simon, nos anos 60, fez uma contribuição de grande importância para o trabalho dos gerentes. De acordo com Simon, administrar é sinônimo de tomar decisões.Essencialmente, toda ação gerencial tem ação decisória.Para ele o processo de tomar decisões tem três fases:

Intelecção ou prospecção: análise de um problema ou situação que requer solução. Concepção: criação de alternativas de solução para o problema ou situação. Decisão: julgamento e escolha de uma alternativa. Cada fase é um processo decisório em si, assim como a implementação das decisões.O homem econômico seleciona o melhor curso de ação, dentre todas as possibilidades, de modo aproveitar todas as vantagens. Em lugar do homem econômico, Simon propõe o modelo do homem administrativo, que procura tomar as decisões satisfatórias, que são aquelas que atendem aos requisitos mínimos desejados. Liderança - A capacidade de fazer a melhor escolha é a característica dos lideres, que flexibilizam a decisão, apoiando-se na colaboração de todos. “A liderança se refere à qualidade do comportamento dos indivíduos, através do qual eles guiam pessoas ou suas atividades em esforço organizado. A liderança depende do individuo, de seus seguidores e das condições em que ocorre. Portanto, um bom líder deve entender a organização, os indivíduos que a compõem e suas inter-relações. Somente assim poderão estimular ações coordenadas”.

102

Autoridade e consentimento – Autoridade é a característica de uma comunicação (ordem) numa organização formal, em virtude da qual ela é aceita por um contribuinte ou membro da organização, como governando a ação com que ele contribui;isto é dirigindo ou determinando o que ele faz ou o que ele não deve fazer ,no que tange à organização . “Mesmo quando a aceitação se dá através de coerção física, repousa sobre o consentimento dos indivíduos. Isso só ocorre quando se apresentam simultaneamente as condições: eles entendem a comunicação; no momento de decidir, acreditam que é compatível com os objetivos da organização ou com seu interesse pessoal; encontram-se mental e fisicamente .

As Contribuições de Chris Argyris Chris Argyris dedicou-se ao estudo do comportamento organizacional, um campo da ciência do comportamento que enfoca o entendimento e procura explicar o comportamento do indivíduo e dos grupos nas organizações.Sua hipótese de estudos era que o indivíduo não deve ser visto como uma mera acumulação de suas partes; ao contrário, é dotado de personalidade própria. Segundo o comportamento organizacional, é fundamental para a redução dos conflitos internos da empresa e seu bom desempenho geral que as propriedades dos dois componentes básicos da organização social (o indivíduo e a organização formal) sejam diagnosticadas. Após estudos desenvolvidos nesse campo. Argyris concluiu que as necessidades dos indivíduos saudáveis tendem a ser compatíveis com as exigências da organização formal. Para que o indivíduo se mantenha psicologicamente saudável, tem de criar seu próprio grupo de regras informais. Com isso ele consegue:

Reduzir seu sentimento de dependência, submissão, subordinação e passividade; Minimizar a probabilidade de ficar sujeito à arbitrariedade do poder; Expressar seus sentimentos reprimidos; Criar seu próprio mundo informal, com cultura e valores próprios.

As contribuições de Mcclelland

Mcclelland dividiu os fatores motivacionais, que levam os indivíduos a se comportar de maneiras diferentes, em três categorias:

Necessidade de realização: relacionada ao desenvolvimento de tarefas e à consecução de desafios, é parcialmente responsável pele crescimento econômico de um país;

103

Necessidade de poder: diz respeito à vontade de alguém influenciar pessoas e sistema organizacionais, variando de pessoa a pessoa; Necessidade de afiliação: consiste no conjunto de impulsos que leva a pessoa a pertencer a um grupo e ser amada. Como resultado de seus estudos, concluiu que as pessoas com necessidade comum apresentam algumas características com necessidades comuns apresentam algumas características comuns. No que tange à necessidade de realização, por exemplo:

reagem bem a um objetivo quando participam de sua formulação; Ao formular suas metas, tendem a optar pelas realistas, mas moderadamente difíceis.Estão mais preocupadas com a realização pessoal do que com recompensas externas. A originalidade do trabalho de Mc Clelland também reside na busca de correlações entre a necessidade e as características sociais –políticas de vários países, dentro do contexto de um estudo acerca da motivação humana. .

Valorização das Pessoas

Os grupos informais possibilitam a convivência social, o bem estar psicológico, o escape das tensões e a participação, de que as pessoas precisam, e sem as quais as organizações seriam sistemas mecânicos e burocráticos, feitos de cargos e responsabilidades, regulamentos e metas. As necessidades de reconhecimento e estima é atendida por meio da ligação do indivíduo com esses grupos.Os grupos informais também

têm a necessidade de filiação a outras pessoas e, desse modo dão identidade social ao indivíduo, Não apenas ele se enxerga como membro de grupos, mas os outros tendem a encará-lo da mesma forma.

Proteção dos integrantes

Os grupos informais também desempenham funções de proteção de seus integrantes. Indivíduos que se sentem ameaçados e querem se proteger, ou que pretendem preservar ou conquistar posições, e percebem uma identidade de interesses entre si, tendem a agregar-se para faze-los.Exemplos são as gangues, os grupos que tem interesse pelas

mesmas musicas. Essa função dos grupos informais também é facilmente visível nas torcidas organizadas ou mesmo nos grupos vizinhos que se reúnem para formar condomínios.

Normas de conduta

104

A organização informal compreende também um sistema de normas de conduta que definem o comportamento dos grupos e indivíduos. As normas de conduta podem coincidir ou conflitar com a legislação oficial da organização Ratificando ou anulando os regulamentos oficiais.Essas normas nascem de entendimentos implícitos ou explícitos entre os membros da organização e definem vários aspectos do

comportamento, como a qualidade e quantidade da produção, a disposição de colaborar com a administração, o comportamento ético e o horário em que vão realmente trabalhar. Esse comportamento é determinado mais pelas normas de conduta do que pelas regras burocráticas.

Crenças, Valores e Preconceitos.

Crenças, valores e preconceitos podem ser explicados por idéias ou afirmações como:

Pessoa ocupada é pessoa produtiva. Se uma pessoa parou para pensar, deixou de produzir. O empregado leal deve estar disponível para a empresa mesmo depois do expediente, sem pensar em horas extras. A empresa é uma grande família e o chefe representa o pai. Quanto menor a escolaridade de uma pessoa, mais ela precisa de liderança e supervisão. Crenças como essas fazem parte dos valores e determinam o comportamento em muitas organizações.Outro exemplo é o uso, em algumas empresas, de elevadores sociais para funcionários administrativos e de elevadores de serviço para funcionários da manutenção, reproduzindo nas organizações os mesmos preconceitos da sociedade que se refletem na arquitetura dos edifícios residenciais. As crenças e valores também podem ser neutros ou positivos em relação às pessoas, como nos casos a seguir, que se opõem aos exemplos anteriores. O trabalho deve ser completado durante o expediente. Se as horas normais de trabalho forem ultrapassadas sistematicamente, trata –se de desorganização e ineficiência. As pessoas são essencialmente iguais e tem as mesmas potencialidades básicas, que se desenvolvem por meio de treinamento e experiência. As pessoas são capazes de autogestão no ambiente de trabalho, se tiverem à orientação e motivação adequadas. O papel do chefe é criar as condições para auto motivação e autogestão dos funcionários. Crenças, valores e preconceitos estão na base das normas de conduta, influenciando a maneira como os chefes tratam seus funcionários e, de forma geral, como pessoas se

relacionam.

105

O comportamento e a Prática Gerencial

O behaviorismo recebe criticas comuns a outros enfoques, a exemplo da que o acusa de enxugar a prática administrativa a partir dos objetivos dos dirigentes das empresas.De forma mais especifica, o que sobressai é a contestação da validade prática da Teoria Comportamental.Pesquisas empíricas levantaram dúvidas de que a administração participativa seja a melhor forma de administração.A relação estabelecida entre a satisfação moral e nível de produtividade é vista de forma simplista.Em função disso, as propostas do behaviorismo são consideradas por alguns administradores abstratas demais para que possam resolver problemas práticos específicos.

A Teoria Comportamental e a Enfermagem

Na administração de pessoal em enfermagem são encontradas, freqüentemente, a adoção de estilos de chefias compatíveis com os pressupostos da Teoria Comportamental especialmente voltados ao treinamento e desenvolvimento de pessoal discutindo novos paradigmas do mundo dos negócios mostrando os novos caminhos e processos de transformações das empresas.

Administração Estratégica Esclarecendo os Conceitos

Origem.A estratégia passou ocupar espaço no mundo empresarial em meados de 60, em resposta a absolescência dos planejamentos a longo e a médios prazos e às dificuldades desses instrumentos se adaptarem a um ambiente turbulento, em constante mutação.A partir da década de 80, o enfoque do planejamento estratégico ganhou amplitude e profundidade, profundidade e complexidade, dando origem à administração estratégica.

106

Compreendendo definições:

Henry Mintzberg define estratégia:

Uma forma de pensar no futuro.

Integrada no processo decisório.

Um procedimento formalizado e articulador de resultados.

Uma programação.

Richard Pascale estratégia significa “selecionar oportunidades definidas em termos de pedidos a serem atendidos e produtos a serem oferecidos”.Ao mesmo tempo, para ”fazer decisões sobre investimentos de recursos com a finalidade de atingir objetivos identificados”. Igor Ansoff, considerado o pai do planejamento estratégico e da administração estratégica, define estratégias:

“São estratégia que permitem á empresa se desenvolver e perseguir seus objetivos da melhor forma, considerando-se suas relações com o ambiente que se insere”.

O planejamento estratégico é o processo de planejamento formalizado e de longo alcance, empregado para se definir e atingir os objetivos organizacionais.Deve ocorrer no nível

estratégico da estrutura da organização (geralmente a cúpula diretiva ou comitê reunindo a alta gerencia) e deverá nortear as atividades de planejamento nos demais níveis hierárquicos.

Esclarecendo os Conceitos

Finalidade - é o papel principal da empresa, definido pela sociedade em que se insere e compartilhado por todas as empresas similares dessa sociedade. Missão –é a finalidade própria da empresa, o que a diferencia de suas semelhantes. Objetivo –é o alvo que precisa ser atingido, para que a empresa possa atingir suas metas.Traduz a missão para termos específicos e mensuráveis. Estratégia – é o programa geral para a consecução dos objetivos da empresa e, portanto, para o desempenho da missão.Estratégia é o padrão de resposta da organização ao seu ambiente no tempo.Ela associa os recursos humanos e outros recursos de uma organização aos desafios e riscos apresentados pelo mundo exterior.

Principais categorias de decisões em uma empresa;

 

Planejamento

Conteúdo

Extensão

de

Amplitude

Níveis

da

tempo

empresa

Institucional

Estratégico

Genérico

e

Longo prazo

Macroorientado.Aborda

107

   

Sintético

 

a empresa como uma totalidade

Intermediário

Tático

Menos

Médio prazo

Aborda

cada

unidade

genérico

e

da

empresa

mais

separadamente

ou

detalhado

cada

conjunto

de

recursos

separadamente

 

Operacional

Operacional

Detalhado

e

Curto prazo

Microorientado.Aborda

Analítico

cada

tarefa

ou

operação isoladamente

Exemplo: Uma estratégia da Gilete: Mulheres A Gilete tem produzido laminas de barbear de segurança tecnologicamente avançadas desde 1903.Embora a Gilete tenha se preocupada com rostos dos homens, a empresa em 1992 teve uma nova estratégia; a perna das mulheres.Os executivos da Gilete esperam que o mercado para laminas de mulheres propicie o crescimento da empresa no século XXI.A Gilete praticamente ignorou o mercado feminino até 1975 quando lançou o aparelho para depilação Daisy representou um pouco mais de uma versão rosa do aparelho descartável Good News, para homens, que a empresa já vendia, mas o que aconteceu?As mulheres não estavam comprando o novo Daisy - literalmente.Em 1992, a introdução do Sensor para mulheres, desenhado por uma engenheira industrial, mostrou que a gerencia adotou uma visão diferente com o mercado de mulheres.Hoje, a Gilete transformou sua linha de depilação para mulheres em um negócio global no valor de milhões de dólares.A Gilete reconhece a oportunidade que o mercado feminino oferece e os concorrentes também.A gerencia da Gilete mostra uma história clara de investimento em sua estratégia de desenvolvimento de vendas de produtos para as mulheres. [] Os gerentes entendem que o planejamento estratégico deve determinar o que sua organização deve fazer para ter sucesso no futuro, que pode ser um período de 3 ou 5 nos.Os gerentes mais bem sucedidos tendem ser aqueles que são capazes de incentivar o pensamento estratégico inovador dentro de sua organização.Os gerentes podem ter dificuldade para decidir exatamente até que ponto no futuro eles devem estender seu planejamento estratégico.Como regra geral, eles devem seguir o principio do compromisso, que estabelece que os gerentes devem comprometer recursos p-ara planejar somente se puderem antever, em um futuro previsível, um retorno sobre as

108

despesas de planejamento como resultado da análise de planejamento de longo alcance. (Samuel Certo, 2003). No caso da Enfermagem os enfermeiros têm um grande compromisso com a profissão e para tanto compreender as leis que regem a própria profissão e dar aplicabilidade a ela.

O decreto nº94.406, de 8 de junho de 1987com artigo 8º: “O enfermeiro exerce todas as atividades de enfermagem, cabendo-lhe privativamente, entre outras atividades, o planejamento, a organização, a coordenação, a execução e a avaliação dos serviços de assistência de enfermagem”.

Relembrar que o processo de enfermagem de Wanda Aguiar Horta é o primeiro a ter aplicabilidade no seio da enfermagem brasileira.

  • 1. Histórico de Enfermagem

  • 2. Diagnostico de Enfermagem

  • 3. Plano Assistencial

  • 4. Prescrição de Enfermagem

  • 5. Evolução de Enfermagem

  • 6. Prognóstico de enfermagem

Porem o COREN num levantamento feito com enfermeiros no interior do Estado de São Paulo em 2000 traz as dificuldades para a implantação e manutenção da SAE com:

inexperiência reação a mudanças falta de supervisão falta de atualização

falta de tempo devido ao grande numero de pacientes e ao acúmulo de funções burocráticas. Planejamento da Assistência de Enfermagem É a determinação das ações de Enfermagem, pela utilização de um método de trabalho, a fim de atender às necessidades da clientela.

  • 1. O planejamento estratégico

É um plano de longo alcance, estabelecido a nível mais global, que corresponde ao planejamento para a implementação de um método de assistência de Enfermagem a nível institucional pelo serviço de enfermagem.

  • 2. O planejamento tático

É um plano de médio alcance, mais detalhado, que corresponde à adaptação do método de assistência para cada unidade do serviço de enfermagem, respeitando

suas especificidades.

  • 3. O planejamento operacional

109

É um planejamento de curto alcance, que corresponde ao planejamento da assistência utilizando um método para cada paciente ou grupos específicos.

Pontos fortes Administração Estratégica

Foco no mercado e no cliente.

Permite ao gerente identificar melhor o comportamento do cliente.

Facilita perceber e explorar novas oportunidades de mercado.

Pontos fracos Administração Estratégica

Exige diferenciar as formas de lidar e atender o cliente.

Requer estratégias especificas p0ara cada unidade de negócio.

Exige muita prospecção de oportunidades de negócio.

Instrumentos Administrativos O sistema de comunicação Manuais de Enfermagem Finalidades Elaboração dos manuais Conteúdo

do

Manual

Os instrumentos administrativos têm por finalidade auxiliar a estrutura formal do serviço de

enfermagem facilitando sua administração já que as organizações burocráticas determinam e impõem um conjunto de leis ou regras, as quais tem por objetivo o funcionamento organizacional com racionalidade e eficiência como foi concebido por Max Weber.

O sistema de comunicação

O Serviço de Enfermagem para estabelecer comunicação entre equipes, dos vários turnos de trabalho entre pacientes e instituição utiliza vários recursos, dentre eles:

Passagem de Plantão Na passagem de plantão aproveita-se para atualizar as informações sobre toda a clientela naquela unidade de internação.O kardex é um formulário operacional que freqüentemente não se torna parte