Você está na página 1de 5

ÉTICA

Ética moral - ética trabalhista - uma escada que não se desce

Ética (do grego ethos, que significa modo de


ser, caráter, comportamento) é o ramo da filosofia que busca estudar e
indicar o melhor modo de viver no cotidiano e na sociedade. Diferencia-
se da moral, pois enquanto esta se fundamenta na obediência a normas,
tabus, costumes ou mandamentos culturais, hierárquicos ou religiosos
recebidos, a ética, ao contrário, busca fundamentar o bom modo de viver
pelo pensamento humano.

Na filosofia clássica, é possível amplificar o estudo da ética estendendo


seu campo em varias outras áreas:

- física
- metafísica
- estética

Atualmente compreende-se melhor a ética na:

- antropologia
- psicologia
- sociologia
- economia
- pedagogia
- educação física
- nutrição e dietética
- política

Porém, com a crescente profissionalizaçã o e especialização do


conhecimento que se seguiu à revolução industrial, a maioria dos
campos que eram objeto de estudo da filosofia, particularmente da ética,
foram estabelecidos como disciplinas científicas independentes. Assim, é
comum que atualmente a ética seja definida como "a área da filosofia
que se ocupa do estudo das normas morais nas sociedades humanas" e
busca explicar e justificar os costumes de um determinado agrupamento
humano, bem como fornecer subsídios para a solução de seus dilemas
mais comuns. Neste sentido, ética pode ser definida como a ciência que
estuda a conduta humana e a moral é a qualidade desta conduta,
quando julga-se do ponto de vista do Bem e do Mal.

Não podemos confundir ética com lei, pois, muito embora as leis sejam
regras de convívio do ser humano mediante ao espaço em que ele se
encontra (ou pode se encontrar futuramente), a ética não tem o caráter
ditatorial ou punitivo ao indivíduo que decide optar pelo não cumprimento
dela, mas, apenas ao de transmitir conhecimento e normas de
adequação para o bem estar e o sucesso pessoal. Ao contrário do que
ocorre com a lei, nenhum indivíduo pode ser compelido, pelo Estado ou
por outros indivíduos, a cumprir as normas éticas, nem sofrer qualquer
sanção pela desobediência a estas; por outro lado, a lei pode ser omissa
quanto a questões abrangidas no escopo da ética.

Modernamente, a maioria das profissões têm o seu próprio código de


ética profissional, que é um conjunto de normas de cumprimento
obrigatório, derivadas da ética, freqüentemente incorporados à lei
pública. Nesses casos, os princípios éticos passam a ter força de lei;
nota-se que, mesmo nos casos em que esses códigos não estão
incorporados à lei, seu estudo tem alta probabilidade de exercer
influência, por exemplo, em julgamentos nos quais se discutam fatos
relativos à conduta profissional. Ademais, o seu não cumprimento pode
resultar em sanções executadas pela sociedade profissional, como
censura pública e suspensão temporária ou definitiva do direito de
exercer a profissão. Como pode-se perceber, há etica na lei e o não
cumprimento delas pode fazer o diferencial de uma carreira profisisonal.

É extremamente importante saber diferenciar a Ética da Moral e do


Direito. Estas três áreas de conhecimento se distinguem, porém têm
grandes vínculos e até mesmo sobreposições. Tanto a Moral como o
Direito baseiam-se em regras que visam estabelecer uma certa
previsibilidade para as ações humanas. Ambas, porém, se diferenciam.

A Moral apresenta-se a nível comportamental/educacional ao ser


garantindo-lhe sua identidade pessoal e íntima e diversos aspectos
sociais que proporcionam seu bem-viver.
O Direito fornece normas de conduta ante uma sociedade de
determinado local, podendo sofrer variaçõe pequenas ou grandes de um
Estado a outro e até mesmo grandes mudanças quando se refere às
culturas de nações .

Ética Profissional

Esta reflexão sobre as ações realizadas no exercício de uma profissão


deve iniciar bem antes da prática profissional.
A fase da escolha profissional, ainda durante a adolescência muitas
vezes, já deve ser permeada por esta reflexão. A escolha por uma
profissão é optativa, mas ao escolhê-la, o conjunto de deveres
profissionais passa a ser obrigatório. Geralmente, quando você é jovem,
escolhe sua carreira sem conhecer o conjunto de deveres que está
prestes ao assumir tornando-se parte daquela categoria que escolheu.

Toda a fase de formação profissional, o aprendizado das competências e


habilidades referentes à prática específica numa determinada área, deve
incluir a reflexão, desde antes do início dos estágios práticos. Ao
completar a formação em nível superior, a pessoa faz um juramento, que
significa sua adesão e comprometimento com a categoria profissional
onde formalmente ingressa. Isto caracteriza o aspecto moral da chamada
Ética Profissional, esta adesão voluntária a um conjunto de regras
estabelecidas como sendo as mais adequadas para o seu exercício.
Mas pode ser que você precise começar a trabalhar antes de estudar ou
paralelamente aos estudos, e inicia uma atividade profissional sem
completar os estudos ou em área que nunca estudou, aprendendo na
prática. Isto não exime você da responsabilidade assumida ao iniciar esta
atividade! O fato de uma pessoa trabalhar numa área que não escolheu
livremente, o fato de “pegar o que apareceu” como emprego por precisar
trabalhar, o fato de exercer atividade remunerada onde não pretende
seguir carreira, não isenta da responsabilidade de pertencer, mesmo que
temporariamente, a uma classe cheia de compromissos e deveres a
cumprir.

Um jovem que, por exemplo, exerce a atividade de auxiliar de


almoxarifado durante o dia e, à noite, faz curso de programador de
computadores, certamente estará pensando sobre seu futuro em outra
profissão, mas deve sempre refletir sobre sua prática atual.

Tomando-se o exemplo anterior, esta pessoa pode se perguntar sobre os


deveres assumidos ao aceitar o trabalho como auxiliar de almoxarifado,
como está cumprindo suas responsabilidades, o que esperam dela na
atividade, o que ela deve fazer, e como deve fazer, mesmo quando não
há outra pessoa olhando ou conferindo.

É salutar que em seu meio de trabalho a pessoa conheça todas as suas


normas de conduta e que estas não a impeçam de sobressair-se aos
demais na busca moral de prevalecer-se como bom trabalhador àquela
atividade empregada. O conceito moral de empenhar-se além do que
normalmente é pedido e revelado aos deveres rotineiros dos afazeres
nem sempre é algo que atinge o reconhecimento e tampouco é
abastecido pelas leis do segmento, cabendo, muitas vezes, refletir em si
mesmo o que pode estar fazendo para se tornar um profisisonal
exemplar em área de atuação, de acordo com os preceitos éticos da
mesma.

Uma postura pró-ativa, ou seja, não ficar restrito apenas às tarefas que
foram dadas a você, mas contribuir para o engrandecimento do trabalho,
mesmo que ele seja temporário é um caminho. Se sua tarefa é varrer
ruas, você pode se contentar em varrer ruas e juntar o lixo, mas você
pode também tirar o lixo que você vê que está prestes a cair na rua,
podendo futuramente entupir uma saída de escoamento e causando uma
acumulação de água quando chover. Você pode atender num balcão de
informações respondendo estritamente o que lhe foi perguntado, de
forma fria, e estará cumprindo seu dever, mas se você mostrar-se mais
disponível, talvez sorrir, ser agradável, a maioria das pessoas que você
atende também serão assim com você, e seu dia será muito melhor.

Quando demonstramos um desempenho de satisfação no ambiente o


qual nos encontramos, estamos exercendo uma atitude cívica de
cooperação para a realização bem feita da atividade e a moral cívida da
prestatividade que lhe cabe à sociedade que não se restringe a apenas
obedecer e realizar atos, mas, agregar sua disponibilidade psicológica e
sua atenção em ramificações que surgem diante de uma simples
prestação de informações que pode ser o diferencial entre mostrar-se
bom no que faz ou bastante compentente para conquistar cargos de
confiança e liderança, fazendo com que portas se abram através
daqueles que percebem seu valor moral e cívico. Mas, caso não apareça
outro trabalho, com essa percepção de que pode, através de pequenas
mudanças pessoais, exercer mais e melhor a mesma atividade oferecida
a qualquer outra pessoa, obterá maior felicidade em seu dia a dia e seu
comportamento se refletirá em outros campos que determinam vários
momentos sua vida que estão além daquele momento de concentração
e dedicação ao que deve ser cumprido.
A capacidade que você pode ter de ser um profissional que qualquer
patrão desejaria ter entre seus empregados, um colaborador revela,
você, um profisisonal eticamente bom.

A Ética no trabalho voluntário

O trabalho voluntário é conhecido aqui no Brasil como aquele exercido


por um indivíduo que pode ser remunerado, mas, pelas circunstâncias do
local ao qual se encontra, é de seu conhecimento que ele desempenhará
tais obrigações sem retorno financeiro. Mediante ai sto, não é difícil
encontrar comportamentos polêmicos que visam confundir o profissional
voluntário com uma simples pessoa que realiza favores.
Neste ponto deve-se observar se a dedicação do que é proposto a ser
feito pelo voluntário atinge às expectativas e está de acordo com as
normas do recinto tanto quanto observado a um empregado comum. A
partir do momento em que a pessoa exerce com valor as obediências e
diretrizes daquele ambiente trabalhista da mesma maneira como o faz
em todos os aspectos ademais necessários em sua vida, pode-
se constatar que sua conduta é ticamente adequada ao exercício
voluntariado empregado em questão. Para isso, imprescindível estar
sempre bem informado, acompanhando não apenas as mudanças nos
conhecimentos técnicos da sua área profissional, mas também nos
aspectos legais e normativos. Vá e busque o conhecimento. Muitos
processos ético-disciplinares nos conselhos profissionais acontecem por
desconhecimento e negligência.

Competência técnica, aprimoramento constante, respeito às pessoas,


confidencialidade, privacidade, tolerância, flexibilidade, fidelidade,
envolvimento, afetividade, correção de conduta, boas maneiras, relações
genuínas com as pessoas, responsabilidade, corresponder à confiança
que é depositada em você, são ingredientes que estampam o
comportamento eticamente adequado e conduz o indivíduo ao sucesso
pessoal progressivo.

Abraços. FabianoCaldeira.