Você está na página 1de 2

A cólera aviária é uma doença bacteriana relativamente comum entre as 

aves de criação e também


atinge as aves domésticas e silvestres. É uma alteração que se manifesta com menor ou maior
gravidade, sendo potencialmente mortal. É altamente contagiosa e pode causar uma verdadeira
epidemia se houver várias aves vivendo juntas, uma vez que também é resistente a muitos
antibióticos.
Neste artigo do PeritoAnimal, veremos o que é a cólera aviária, quais são os seus sintomas, o
tratamento que pode ser implementado e como evitar o seu aparecimento.
O que é a cólera aviária?
Esta doença é de origem bacteriana. Especificamente, é causada pela bactéria Pasteurella
multocida. Diferentes serotipos (grupos de microorganismos como bactérias ou vírus) e graus de
virulência podem desencadear a doença. Além disso, é uma bactéria muito resistente no ambiente.
Algumas galinhas com coriza infecciosa agravam o seu estado, sofrendo também de cólera aviária.
As aves podem ter esta bactéria como parte da flora normal do sistema respiratório, razão pela qual
é considerada um agente patogênico secundário em outras doenças, embora possa ser o próprio
gatilho primário.
Além das aves de criação, as aves domésticas e as silvestres também podem sofrer de cólera
aviária. A transmissão da doença ocorre por via horizontal e as aves cronicamente infectadas são a
principal fonte de infecção.
No entanto, a bactéria também pode ser encontrada em outros animais, incluindo humanos. As aves
são infectadas pela ingestão das bactérias que contaminaram os alimentos ou a água, sendo que os
excrementos de aves doentes ou portadoras são outra fonte de infecção. Além disso, outra via
possível de contaminação é a respiratória, por inalação ou espirro, e cutânea, por meio de feridas e
diferentes tipos de lesões.
Quais os sintomas da cólera aviária?
A gravidade do quadro será influenciada pelo tipo do vírus. Também devem ser levados em conta as
espécies afetadas, o estado de saúde da ave doente, o ambiente em que vivem, a gestão do local,
etc. Dependendo dos sintomas apresentados, é possível falar em uma infecção extremamente
aguda, aguda ou crônica. A infecção extremamente aguda é caracterizado pela morte súbita das
aves afetadas, sem que sejam detectados quaisquer sintomas de doença.
Sintomas da cólera aviária aguda
Em geral, na forma aguda, a doença provoca elevação brusca na taxa de mortalidade, além de
febre, anorexia, descarga mucoide, depressão e dispneia - uma dificuldade de respiração. Veja
quais são os principais sintomas:
 Falta de apetite (a galinha não come)
 Febre
 Sede
 Sonolência
 Prostração (a ave permanece imóvel)
 Diarreia abundante que pode conter sangue
 Problemas respiratórios
 Muco
 Cristas e barbelas ficam roxas porque a ave não consegue obter oxigênio suficiente
 Sangramento generalizado
Sintomas da cólera crônica nas aves
Em sua forma crônica, são observadas lesões nas articulações, bainha dos tendões, edema de
barbela e almofadas plantares. As lesões normalmente estão relacionadas a distúrbios vasculares e
também podem ser observados pontos necróticos no fígado. Confira os principais sintomas deste
caso da doença:
 Barbela inchada devido ao pus acumulado
 Artrite
 Massas ou abcessos
 Sangramento
 Alargamento do fígado e do coração
 Outras lesões internas
Tratamento da cólera aviária
O diagnóstico da cólera aviária é feito por meio da observação dos sinais clínicos, achados de
necropsia e isolamento da bactéria nos tecidos das aves acometidas. Por ser uma doença
bacteriana, apenas o veterinário pode diagnosticar a administração de antibióticos, embora nem
sempre alcancem bons resultados devido à resistência de alguns tipos de bactéria.
Muitos antibióticos comumente utilizados não conseguem eliminar a bactéria. Para descobrir o
medicamento mais recomendado, o ideal é fazer um antibiograma. Com o teste é possível
determinar a quais antibióticos as bactérias presentes na ave são mais sensíveis ou resistentes.
A prevenção da doença é feita pela adoção de boas práticas de biosseguridade no local onde ficam
as aves e vacinação. A alimentação adequada e a higiene são pilares fundamentais tanto para a
recuperação como para a prevenção. Em geral, devido à melhoria das condições de vida das aves,
é mais provável que encontremos casos crônicos do que casos agudos da cólera aviária.
Prevenção da cólera aviária
É possível proteger as galinhas por meio da vacinação e, claro, proporcionando condições de vida
adequadas em todos os momentos. A boa notícia é que sim, existe uma vacina para a cólera aviária.
A vacina pode ser administrada durante os primeiros meses de vida da ave e cabe ao veterinário
indicar a forma mais apropriada de para a aplicação desta e de outras vacinas, bem como o
protocolo em caso de necessidade de repetição de doses, uma vez que existem vários tipos de
vacinas.
Para uma protecção mais completa, podem ser necessárias duas doses separadas por um período
de 3 a 4 semanas. A aplicação, dependendo da vacina, é subcutânea, intramuscular ou oral. No
entanto, é preciso levar em conta que, como existem vários tipos de bactérias, a vacina pode não
proteger a ave contra todas elas. Isso significa que mesmo uma galinha vacinada pode contrair
cólera aviária.

Você também pode gostar