Você está na página 1de 3

Série Encontros de Jesus: “A vocação de discípulos”

18-Caminhando junto ao mar da Galileia, viu dois irmãos, Simão, chamado Pedro, e André, que lançavam as redes
ao mar, porque eram pescadores.
19-E disse-lhes: Vinde após mim, e eu vos farei pescadores de homens.
20-Então, eles deixaram imediatamente as redes e o seguiram.
21-Passando adiante, viu outros dois irmãos, Tiago, filho de Zebedeu, e João, seu irmão, que estavam no barco em
companhia de seu pai, consertando as redes; e chamou-os.
22-Então, eles, no mesmo instante, deixando o barco e seu pai, o seguiram.
Mateus 4:18-22

Shalom queridos líderes de honra,

Prosseguindo na série de Encontros com Jesus, o texto anterior mostra que uma nova fase estava começando. No
versículo 17, a Bíblia nos mostra que:
”...Dali por diante, passou Jesus a pregar e a dizer: arrependei-vos, porque está próximo o reino dos céus.”

Mostra o início, mas não mostra o final.

E essa nova fase de Jesus é uma fase que se estende até os dias de hoje, demonstrando que, geração após geração, o
próprio Senhor Jesus continua iniciando essa fase em vidas. As vidas que estão sendo trabalhadas para a propagação
do Reino dos Céus, nesse momento são a nossa. A geração na qual nós estamos incluídos. E muitas vezes quando
pensamos nisso, podemos perceber a responsabilidade desse Santo serviço gerando uma pergunta dentro de nós:
Será que daremos conta? O Reino de Deus que é inicialmente pregado por Jesus é um Reino Eterno. Será possível
que pessoas que tem começo e fim, como nós, são capazes de levar essa tarefa adiante?

E é então que esse maravilhoso texto acima se apresenta, como que um bálsamo de Deus para nossas dúvidas.

 “Caminhando junto ao mar...”

Fala de Jesus em movimento, um Jesus que não para que prossegue, continua e que está junto, está perto de algo
muito simbólico: o mar. O mar representa nosso ministério, nosso chamado, e representa também as vozes
humanas, a bagunça de opiniões humanas (inclusive a voz de nosso próprio coração humano), que tentam nos
afastar desse propósito. Lançando dúvidas, questões existenciais e até medos (será que é comigo que Jesus está
falando? Esse chamado é para mim? Serei eu capaz?)

E esse Jesus que não para e está caminhando junto, nos Vê!

Que coisa maravilhosa! Ele viu primeiro. Ele olha para dois irmãos que estavam trabalhando, estavam ocupados,
atarefados, realizando algo que eles tinham muito provavelmente recebido de ofício como herança de sua família,
por muitas gerações. Jesus não vai até pessoas que estavam desocupadas, encostadas, ociosas, Ele olha para uma
dupla que lançava redes, trabalhava, estava se esforçando para cumprir algo semelhante a um ministério, porque
ministério é uma palavra que significa trabalho, serviço. Ele olha para pessoas como você e eu, que estávamos e
estamos realizando algo em nosso dia-a-dia. E o texto explica: Porque eram pescadores, ou seja, trabalhadores,
esforçados, ativos, como você e como eu.

Então, Jesus, chegando perto deles (que maravilha Jesus chegar tão perto a ponto de ouvirmos sua voz, ao ponto de
sermos vistos por Ele, a ponto de ele ouvir nossa voz também) e Ele faz um chamado. E esse chamado lá na epigrafe
do texto, no título, diz: Vocação de discípulos, um título dado com muito sucesso. Vocação é o ato de chamar com a
voz, e a preposição usada “de” ao invés de “dos” abre esse chamado para mais pessoas, e abre também a
possibilidade de um chamado de um em um, ou seja, além dessas pessoas que estão relatadas no texto, eu e você
somos colocados dentro do texto por esse título.

 “Venham após mim!”

Para você e para mim! Que quer dizer: Venham para perto de mim! Não fique longe de mim! Eu andarei a sua frente,
vou ser seu exemplo, onde eu pisar você vai pisar, o que eu fizer vai servir de base para você fazer também, o que eu
falar servirá de exemplo para você falar também! Venha após mim, olhe para frente eu estou a sua frente, não olhe
para o lado, não de ouvidos ao Mar de vozes que dizem palavras contrárias, eu estou à sua frente. Não olhe para
trás, para o fracasso, para o dia da decepção, para o dia mal que você viveu. Eu não estou lá. Olhe para onde eu
estou, estou andando a sua frente e imprimindo o ritmo! Se eu ando você anda, se eu paro você para. E Eu continuo
perto de você!

 Ele diz: “E eu vos farei...”

Ah! Que palavra maravilhosa! Quem faz é Ele!!! Quem vai nos mostrar como nos transformar para fazer é Ele, o
poder de transformação é dele. Aquele que sabe todas as coisas, que é Soberano, Sabedoria, Poder, Justiça, Paz,
Alegria, Criador, está dizendo para você e para mim eu transformarei você. Vou transformar você em pescador de
homens.

E então ao ouvirem esse chamado, eles se tornam seguidores, ouvem o chamado e o seguem.

O interessante desse texto é que é um texto cheio de movimento, ele tem continuidade, como estudamos lá no
início, continuidade geracional, Jesus não parou por aí, ele sendo seguido por aqueles que ele chamou, continuou a
chamar! Ele chamou mais gente! E continua chamando, significa que mais pessoas irão chegar, e que nós temos que
nos preparar para receber essas pessoas, mais pescadores de homens chegarão, pessoas que ouviram o mesmo que
nós ouvimos o mesmo chamado, mas desta vez eles estavam fazendo algo diferente: estavam consertando redes.
Também eram pescadores, mas estavam fazendo algo diferente. A rede serve para retenção, consolidação, firmeza
da pesca, não adianta fazer o esforço da pesca, que é sim um grande esforço, mas perder tudo por causa de buracos
na rede.

Nessa linda leitura podemos perceber que Jesus pensa em tudo. E chama pessoas com habilidades diferentes. E
continua seguindo a frente dessas pessoas, e ora iremos andar bem rápido porque é hora de pescar e ora iremos
andar mais lentamente porque é momento de consertar redes, mas que o movimento nunca para e que Ele sempre
estará conosco.

 Passando adiante, viu outros dois irmãos...

O Mestre chama discípulos. O que é muito interessante, porque na época de Jesus o Mestre era inatingível, ficava
em um patamar distante e filas e filas de candidatos iam até o mestre para se tornarem seus discípulos.

Esse Mestre é diferente, Ele é quem vai até o discípulo, Ele é quem se revela, Ele troca de lugar conosco, Ele é
acessível, Ele se faz menor, procurando-nos, para nos dar exemplo de humildade, simplicidade, para destruir todo
preconceito, toda competição e nos fazer bem sucedidos em toda boa obra. E então ele começa a seguir na frente,
para continuar dando exemplo e nos ensina a ser assim também.
Conclusão:

Somos privilegiados pelo chamado e fortalecidos com a presença Dele, Ele é fiel, imutável, não deixará de fazer
conforme prometeu no dia em que nos chamou. Seremos bem-sucedidos, enquanto estivermos andando atrás dele,
o seguindo, esse é o segredo, fazendo assim estaremos na direção certa. Tem hora para pescar, tem hora para
consertar rede, e esses momentos se alternam. Todo dia é dia de pesca, todo dia é dia de consertar rede, todos nós
somos chamados pelo mesmo Jesus e não há competição porque foi Ele quem nos escolheu. É muito importante
lembrar sempre que aquele que chamou é capaz de cumprir não só o chamado, mas também o resultado. Apenas
creia no que Ele está te ensinado, você é um agente poderoso dentro do Reino de Deus e o Rei desse Reino foi quem
te chamou. Que essa semente seja plantada em seu coração e te acrescente confiança naquele que te chamou e te
faça dar muitos frutos.

Avisos:

CULTOS DE DOMINGO

Domingos de Purim

Às 9:00hs e 18:30hs**

**Novo horário

REDES DE MARÇO

 Rede de Casais

Sexta-feira, dia 12/03 às 19:45hs

“Ester e Assuero, um amor à primeira vista”

 Rede de Mulheres

Sexta-feira, dia 19/03 às 19:45hs

“Ester, do exílio ao palácio”

 Rede de Líderes

Sexta-feira, dia 26/03 às 19:45hs

“Curando Líderes, Parte lll”

ENCONTRO COM DEUS

12, 13 E 14 de Março

Você também pode gostar