Você está na página 1de 20

LIÇÃO 1

Fundamentos da religião

Ao retornar à sua pátria, certo missionário apresentou à junta de missões um estudo


sobre as religiões mundiais – em especial aquelas praticadas no campo em que trabalhara nas
últimas décadas. No trabalho, o missionário incluíra sua própria abordagem aos adeptos
daquelas crenças. Conforme se podia ler nas páginas daquele documento, o evangelista dizia
a cada homem ou mulher com quem podia conversar que Cristo é o cumprimento dos
desejos humanos. Apesar de tudo, a junta missionária insistiu que aquilo era um erro. Para
aquele conselho, os missionários estavam no campo para destruir os deuses estrangeiros, e
não para escrever a respeito deles.

Não poucos obreiros tendem a embalar todas as religiões estrangeiras em um único


pacote e etiquetá-las como Rituais dos povos ignorantes. Isso denota o entendimento errôneo
de que os outros povos são formados por seres humanos que passam seus dias sentados,
com as pernas cruzadas, vivendo sem objetivos. Entretanto, nada mais justifica esta postura,
tantas vezes xenófoba. Não há como manter esta postura ainda hoje – os meios de
comunicação e transporte reduziram o mundo a não mais que uma aldeia global. É fato que
os muitos milhões de devotos de outras religiões dispensam às suas crenças tanto ardor
quanto qualquer cristão. Desta forma, o papel do evangelista nunca foi destruir os deuses
estrangeiros, mas pregar o único Deus a todas as nações.

A partir de agora, serão considerados os critérios que definem uma religião. Serão
abordados os motivos pelos quais a religiosidade é considerada uma experiência universal.
Esta lição é dedicada às diferenças nas abordagens aos movimentos religiosos observados em
diversos povos.
Em Lv 10.1-2 lê-se a triste história de Nadabe e Abiú, filhos do sacerdote Arão, mortos pelo
Senhor quando se apresentaram diante Dele com fogo estranho. Aqueles homens ousaram
aproximar-se de Deus a partir de seus próprios entendimentos e especulações. Ao invés de
achegarem-se a Deus, eles perderam suas vidas. O fogo, em todas as religiões mundiais é tido
como medida de adoração ou honraria, quer nos sacrifícios, nos incensos ou nos memoriais – e
cada religião apresenta-se como a centelha da verdadeira comunhão com Deus, porém, todas
são fogo estranho ao Senhor. Somente há uma forma de o homem aproximar-se do Criador:
oferecendo seu próprio corpo como sacrifício vivo ao Senhor, e isto por intermédio de Cristo,
Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo!

Definições de religião Esboço da Lição


Universalidade da religião
Origens da religião
Abordagem das religiões
Propósito na religião

Ao término desta lição, você deverá ser capaz de: Objetivos da Lição
- definir religião e descrever os seus critérios e características;
- indicar os motivos pelos quais a religiosidade é considerada uma experiência
universal;
- descrever as origens da religião, da expiação com acesso a Deus e da crença no
animismo como sua origem;
- identificar como as crenças sobre Deus e o mundo afetam as abordagens cristãs a
outras religiões;
- citar a motivação do homem em sua busca eterna.

1. Leia atentamente esta lição. Atividades de


Aprendizagem
2. Faça todas as questões de estudo.
3. Separe, no mínimo, 3 horas diárias para estudar.
4. Faça o autoteste no final desta lição.
Desenvolvimento DEFINIÇÕES DE RELIGIÃO
da Lição

Significados de religião

OBJETIVO 1 Religião é uma palavra de difícil definição. Mesmo os grandes estudiosos do tema
Declarar as várias definições
de religião.
encontram dificuldades em tecer definições para o termo. Certamente, há acepções que bem
atendem a realidade do cristianismo1, mas que não contemplam o budismo2. Para o
hinduísmo3 emprega-se uma definição sobre religião que não serve ao islamismo4. Por essa
razão, este livro adotará uma definição ampla, mas que não descaracterize o que de fato seja
a adoração ao verdadeiro Deus. Segundo o Houaiss5, religião é cul cultto pres
presttado a uma
divindade; crença na existência de um ente supremo como causa; fim ou lei universal
universal.
Este culto, que é manifestação de fé, implica em compromisso com o deus da devoção. Está
conduta obedece a preceitos divinos, conforme os escritos sagrados de cada religião.

1. Componha uma definição para religião, tendo por base aquela oferecida pelo verbete do
dicionário Houaiss.

Etimologia6

Religião provém de uma raiz latina (religare) que significa amarrar, atar firmemente.
Tem conexões com lig, no sentido de ligar ou com leg, no sentido de catar, colher ou
observar. Assim, chegamos à ideia de comprometer-se a obedecer às exigências de uma
mensagem divina.

2. Religião provém de uma raiz latina que significa


a) amarrar.
b) colher.
c) observar.
d) cometer.

A realidade ulterior

Segundo Paul Tillich7, a religião é a realidade ulterior – aquilo que é de derradeira


preocupação. Para Tillich, uma religião é o mais fundamental dos valores do homem. Por ser
muito ampla, esta definição acampa ideologia e outras crenças dificilmente reconhecidas pelos
estudiosos como religião. Por exemplo, homens devotos à pátria, ao ponto de morrerem por
ela, segundo esta definição, seriam religiosos. O próprio marxismo é passível de ser chamado
de religião dentro do conceito de Tillich. Em sentido contrário, o cristianismo não seria mais
que mera ideologia – no entanto, o viver cristão demanda em um compromisso de fé com o
Senhor Jesus; e isto vai muito além dos limites de um sistema ideológico.

16 RELIGIÕES MUNDIAIS
3. A definição de religião como realidade ulterior é fraca, pois
a) pode incluir ideologias tais como o marxismo e o patriotismo.
b) a religião, conforme a conhecemos, está muito acima de uma ideologia.
c) uma religião não é apenas uma ideologia.
d) uma religião é fundamental para os valores do homem.

Critérios da religião

Os propósitos deste livro implicam na indicação de alguns critérios necessários a um OBJETIVO 2


Citar cinco critérios que são
sistema chamado de religioso, do ponto de vista do teísmo8.
essenciais para um sistema
de crenças ser chamado de
religião.

Obediência
Uma religião requer certas exigências que os seguidores devem obedecer na sua
prática: reconhece todos os deveres como mandamentos divinos (Immanuel Kant9).

Confiança
Uma religião requer que seus membros expressem confiança na deidade - acreditem
que a deidade satisfará as necessidades da vida. É necessário que aquele que se aproxima de
Deus creia que Ele EXISTE, e que é galardoador dos que O buscam (Hb 11.6).

Dependência
Uma religião requer que seus adeptos dependam da deidade para satisfazer alguma
necessidade emocional, espiritual ou física. A essência ddaa religião é um sentiment
sentimentoo de
10
dependência total (Schleiermacher ).

Reverência
Os seguidores de uma religião consideram a deidade com reverência e respeito. A
reverência é, portanto, um relacionamento entre eles e a deidade. Conforme disse William
James11: a religião consiste nos sentiment
consiste os
os,, nos aattos e n
sentimentos naas experiência
experiênciass dos indivíduos
indivíduos,, no
tocante à sua situação diante daquilo que consideram divino divino.

Transcendência
A religião dirige seus seguidores a um poder que vai além daquilo que é humano e
natural. A religião é aquilo que, independentemente do bom-senso e do raciocínio
ciocínio,, cap
raciocínio capaacit
citaa
o homem a aprender o infinito (Max Müller12).

4. Aplique esses critérios ao cristianismo, e indique porque ele é classificado como religião.

Fundamentos da Religião 17
Os muitos rituais praticados nas tantas igrejas cristãs hoje podem confundir a muitos
crentes. Tais liturgias, de fato, fazem parte da religião? Questionamentos como esse se
tornaram mais frequentes a partir dos avivamentos ocorridos no século XX, e já no princípio
do XI – entre os evangélicos menos tradicionais, os ritos costumam ser em menor número que
nas igrejas históricas do protestantismo. Há quem condene veementemente a prática de ritos,
porém, é o coração de quem presta o culto que conta. Ninguém é salvo pelos rituais do
cristianismo, mas somente pela graça de Deus. Neste aspecto, o cristianismo é diferente de
qualquer outra religião.

5. Por quais motivos se costuma dizer que o cristianismo não é uma religião, mas uma
pessoa – religião é ritual, Cristo é realidade?

Inclusões da religião

OBJETIVO 3 Em sentido material, há diversos detalhes típicos de um sistema religioso.


Especificar os objetos, pessoas
e práticas sagradas que
geralmente estão incluídas na
religião.
Objetos sagrados
Os objetos considerados sacros para as religiões podem variar muito; vão de
montanhas até relíquias, passando por pedras, árvores ou fontes de água. Algumas destas
coisas são guardadas em templos, outras adoradas no lugar em que estão. Muitos
movimentos religiosos utilizam-se de móveis ou vestimentas especiais de culto. Há, também,
os escritos sacros: os hindus têm o Bhagavad Gita13; os siques14, seu Granth15; os cristãos, a
Bíblia; e os muçulmanos, o Alcorão16. Cada um destes objetos tem seu valor religioso
reconhecido pelos movimentos que os adoram.

Pessoas consagradas
É comum a todas as religiões as pessoas que atuam como ministros, sacerdotes,
profetas, médiuns ou guardiões de lugares e objetos sacros. Na maioria das vezes, estes
homens ou mulheres recebem treinamento específico para as funções que irão desempenhar
(orações e sacrifícios em favor de outros adoradores). No que se refere ao povo de Deus,
estes elementos são alvos de uma chamada celestial específica, como no caso de Isaías (Is 6),
e são cheios do Espírito Santo de Deus.

Interpretação de eventos naturais


Há religiosos que alegam interpretar eventos naturais (tempestades, terremotos
e inundações). Segundo eles, esses fenômenos naturais assinalam a presença de Deus
ou podem representar juízo contra algum povo ou seus inimigos. Para esta proposta
de crendices, outras eventualidades podem conter sinalizações espirituais: mesmo os
fatos históricos assinalariam as intervenções do divino em atos de salvação ou
condenação.

18 RELIGIÕES MUNDIAIS
Declaração de crenças
Quanto aos escritos sacros, eles são encontrados em praticamente todas as religiões.
Incluem rituais para a comunicação com uma deidade ou para conquistar seu favor. Podem
conter uma declaração a respeito da vida após a morte, e descrever o céu, o inferno ou até a
re-encarnação.

6. Especifique quatro objetos sagrados, quatro pessoas sagradas e duas práticas que a
maioria das religiões tem em comum.

A religião e a deidade

Como é possível notar, uma deidade é parte vital da religião. De acordo com os OBJETIVO 4
Alistar pelo menos cinco
dicionários, deidade é o Ser Supremo, exaltado ou reverenciado por sua bondade e seu características de uma
infinito poder. Sendo assim, uma deidade possui algumas características: deidade.
- apesar de semelhanças com a humanidade, as deidades são seres sobrenaturais;
- embora possa revelar-se materialmente em determinadas ocasiões, a deidade é
invisível – muitos seguidores atribuem-lhe uma imagem ou figura;
- soberana, a deidade tudo domina: o bem-estar e o destino da humanidade;
- uma deidade sempre reage aos atos religiosos dos homens;
- a adoração a uma deidade inclui reverência, confiança, obediência e submissão;
- há personalidade em uma divindade (intelecto, emoção, vontade).

7. Aliste resumidamente pelo menos cinco características de uma deidade.

Outros termos relativos ao teísmo, e que devem ser compreendidos são: deidade,
deísmo, teísmo, monoteísmo, politeísmo, panteísmo.

Deísmo é diferente de deidade. Deidade é o ser supremo, o objeto da máxima


adoração. Deísmo, no entanto, não é um ser, mas uma crença. Os deístas acreditam que Deus
não se envolve com o mundo de modo pessoal. Acreditam que Ele criou o mundo e colocou
em andamento as leis que o governam. A seguir, retirou-se e deixou que tudo seguisse
sozinho. Podemos comparar o Deus em quem o deísta crê como o homem que dá corda no
relógio, deixando-o na prateleira para funcionar.

Teísmo, por outro lado, é a crença de que o homem pode entrar em estreito
relacionamento com Deus. O teísta diz que Deus está envolvido com os assuntos do

Fundamentos da Religião 19
homem e do mundo. Tanto o judaísmo quanto o cristianismo são religiões teístas, e as
duas praticam o monoteísmo, a crença em um só Deus. Politeísmo é a crença em muitos
deuses. Os hindus são politeístas. E panteísmo é a crença de que todas as coisas são
partes de um ser ulterior. As crenças hindu, budista, grega e romana eram às vezes,
panteístas.

8. Associe cada termo (direita) com sua descrição apropriada (esquerda).


____ a) A crença de que todas as coisas finitas são 1. Deidade
partes ou aparências do Ser ulterior. 2. Deísmo
____ b) A crença em muitos deuses. 3. Teísmo
____ c) A crença em um só deus. 4. Monoteísmo
____ d) A crença de que Deus está envolvido nos 5. Politeísmo
assuntos do homem e do seu mundo. 6. Panteísmo
____ e) A crença de que Deus criou o mundo, mas
que não está envolvido nele.
____ f) Um ser reverenciado por possuir poder
supremo.

UNIVERSALIDADE DA RELIGIÃO

OBJETIVO 5 A religião é algo comum a toda a humanidade. Jamais se encontrou tribo alguma, por
Indicar a extensão da religião
isolada que fosse, que não tivesse uma centelha religiosa. Os relatos de alguns exploradores
no mundo.
que davam conta da existência de povos sem religião mostraram-se embasados na falta de
conhecimento dessas culturas. Os estudos antropológicos sérios asseguram não haver povo
ou cultura desprovida de traços religiosos.

Os monumentos mais antigos da humanidade, tais como as pirâmides do Egito,


revelam evidências de que os povos mais antigos tinham crenças e práticas religiosas. Mas
apenas o ser humano tem um senso de religião – nenhum animal revelou evidências de um
sentimento religioso, nem de qualquer preparativo para uma vida além da morte.

9. Na eventualidade de você conhecer alguma pessoa totalmente avessa à religião, responda


se não há indícios de alguma razão oculta para que isso acontecesse?

ORIGENS DA RELIGIÃO

A religião e a experiência mais antiga

OBJETIVO 6 Onde a religião teve a sua origem? O registro mais antigo da história da religião está
Provar que religião era algo
embasado no relacionamento
na Bíblia. Ela informa de onde veio a religião e demonstra que a primeira religião era
com Deus. monoteísta. O texto de Gn 1.1 declara: No princípio criou Deus os céus e a terra
terra.

20 RELIGIÕES MUNDIAIS
Alguns antropólogos ensinam que a religião foi desenvolvida pelo homem. Dizem que
ele avançou de suas origens brutais para o monoteísmo e, finalmente, para um politeísmo
complexo. Esta conjectura, no entanto, não é mais que uma ideia formulada para apoiar a
teoria de evolução. A fé judaico-cristã, por contraste, insiste que a religião é monoteísta em
sua forma e existia desde a criação do mundo (o monoteísmo é praticado por cristãos, judeus
e muçulmanos). Finalmente, evidências apontam que as demais religiões do mundo tornaram-
se politeístas, na medida em que as pessoas se tornavam moral e espiritualmente corruptas.

10. Assinale cada alternativa correta.


a) A evidência bíblica apoia a teoria de que a religião progrediu do budismo para o monoteísmo.
b) O relacionamento monoteísta entre Deus e Adão era caracterizado por sua natureza pessoal.
c) A adoração no Éden não era satisfatória, porque não havia rituais nem igreja.
d) Adão e Eva conversavam com Deus.

A expiação e o acesso a Deus

Desde o Éden o homem tem experimentado diferentes formas de expiar seus OBJETIVO 7
Indicar as origens e o
pecados e retornar para Deus. No entanto, o orgulho de realizar estes atos por seus propósito dos sacrifícios.
próprios méritos tem sido o seu erro principal. Porém, é evidente que o caminho para a
salvação é o sacrifício. Quando o Senhor teceu as túnicas de pele para Adão e Eva,
derramou sangue – essa foi a primeira expiação ou cobertura pelo pecado. Entretanto, o
sacrifício dependia de fé no coração: esse fato é ilustrado nos sacrifícios de Caim e Abel (Gn
4.4). Em Babel, o povo rebelou-se contra Deus e esta rebelião foi um fracasso total. Os
idiomas foram confundidos e os rebeldes foram espalhados por toda a terra. Após muitos
anos, Deus restaurou o relacionamento pessoal com o homem na pessoa de Abraão, que
também oferecia sacrifícios, e por causa da fé e da obediência à chamada de Deus, tornou-
se pai de muitas nações. Seus sacrifícios, no entanto, eram o resultado da fé, e não os meios
de merecer o favor e a bênção de Deus.

Mais tarde, durante a experiência do êxodo, Deus ensinou a Moisés os diferentes tipos
de sacrifícios que deveriam ser oferecidos. Além disso, deixou claro ao seu povo que os
sacrifícios não eram exercícios mecânicos. Deviam ser acompanhados de arrependimento
genuíno e de uma mudança de comportamento. No decurso de toda a história de Israel, nos
cultos do Tabernáculo e do Templo, o sacrifício pelo sangue era parte central da adoração.
Mesmo assim, o sacrifício por si só não bastava. Havia também a necessidade da dedicação
mais sincera. Esses sacrifícios anteviam continuamente o sacrifício perfeito, o Senhor Jesus
Cristo. Versículos no NT, tais como Gl 2.16, explicam a necessidade do sacrifício perfeito,
porque o homem não é justificado pelas obras da lei lei.

11. Assinale cada alternativa correta.


a) O Sacrifício de sangue foi introduzido por Deus a fim de ensinar ao homem que a
salvação não acontece pela justiça das obras.
b) O sacrifício de sangue era o meio de acesso a Deus.
c) Mediante a oferta de sacrifícios a Deus, o homem torna-se justo.

Fundamentos da Religião 21
d) Em Babel, o povo oferecia sacrifícios a fim de evitar o castigo divino e a dispersão dos construtores.
e) O sacrifício oferecido por Abraão capacitou-o a tornar-se pai de muitas nações.
f) Os israelitas recebiam o perdão pelos pecados mediante a fé no sacrifício perfeito vindouro.
g) O sacrifício cristão é aquele que identifica-se com Cristo e dá louvores pela grande graça de Deus.

Animismo e mana

OBJETIVO 8 Fora da prática religiosa de Abraão e seus descendentes, o animismo tornou-se a mais
Descrever a crença do
animismo e do mana como
antiga religião. Esta crença atribui a todos os objetos alma e espírito – segundo alguns
base da origem de outras estudiosos, as mais antigas religiões do mundo têm no animismo as suas raízes (incluí-se aí o
religiões mundiais. budismo e o hinduísmo). Entre os traços comuns a estas manifestações religiosas podem ser
contados o fetichismo, os tabus17 e a adoração à natureza. Para a maioria dos peritos, o
animismo desenvolveu-se a partir do monoteísmo.

Na maioria dos países animistas os sacrifícios de sangue continuam sendo praticados.


Essa é a maneira pela qual os adeptos destas religiões buscam achegar-se aos seus seres
supremos. Os missionários aos povos animistas podem valer-se destas práticas sacrificiais
para introduzir a mensagem da cruz e do sacrifício perfeito de Cristo, restaurando, assim, a
adoração ao Deus verdadeiro.

12. Responda a estas perguntas:


a) Quais as características comuns ao animismo e as outras religiões?

b) Como as práticas do animismo podem tornar-se uma ponte que leva a Cristo?

Os melanésios18 do Pacífico Sul acreditavam no mana (posteriormente tratado na Lição


2). O mana é uma força misteriosa que, segundo acreditavam, existe na totalidade da
natureza. O Bispo Codrington, um missionário na Melanésia, foi informado a respeito da
crença tradicional de que o mana era a origem de toda a religião. Esses ilhéus (habitantes das
ilhas) acreditavam, também, em tabus que eram colocados em certas pessoas, localidades e
objetos para evitar enfermidades ou infortúnios.

13. Onde se originou o mana, e qual é a crença do povo a respeito dele e de outras religiões?

22 RELIGIÕES MUNDIAIS
ABORDAGEM DAS RELIGIÕES

A abordagem a outras religiões por parte dos evangélicos deve ser feita mediante
a compreensão dos pensamentos que os praticantes dessas seitas têm a respeito de Deus
e do mundo. São dois os tipos básicos de ideias: primeiro, Localidade divina (saber onde
Deus habita); Mentalidade mundial (conhecimento sobre a natureza das pessoas e suas
culturas).

As crenças a respeito de Deus

As diferentes religiões dividem-se quanto à ideia de Localidade divina. Determinados OBJETIVO 9


Descrever a ideia cristã de
grupos defendem que Deus transcende a criação – Ele está acima do mundo, mas pode ser Localidade divina.
alcançado por um mediador. O cristianismo e o islamismo enquadram-se nesta categoria. O livro
do profeta Isaías afirma que Deus é alto e sublime e que Sua glória enche a terra (Is 6.1-3 e
40.12-26). No AT, os homens buscavam contato com Deus através dos sacerdotes; porém, Cristo
é o novo e vivo caminho para que os homens acheguem-se a Deus. Isso dá conta de que Deus
criou o universo, mas não é o universo. A natureza e o mundo não são Deus.

Outro grupo afirma que Deus é imanente - trata-se da crença de que Deus habita
dentro. Para o cristão, Deus é o Criador e exerce o controle sobre toda a Criação. Deus está
presente em todos os lugares, mas Ele habita dentro do crente. Os panteístas creem que os
espíritos dos deuses estão dentro de todas as coisas. Conforme será visto mais adiante, o
hinduísmo filosófico sustenta essa crença. Os panteístas, no entanto, consideram que Deus
abrange uma área tão vasta que não podem entrar em contato com Ele. Não têm o
relacionamento pessoal com Deus que é desfrutado pelos cristãos. Os cristãos podem dizer
que Deus é transcendente, mas que também é imanente dentro de nós. Deus está em nós, mas
este fato não significa que nós somos Deus.

14. Quanto à fé cristã Deus é


a) transcendente e, portanto, não pode ser alcançado pelo homem.
b) imanente em todas as coisas; portanto, o homem é Deus.
c) tanto transcendente quanto imanente.

Estilos básicos de raciocínio

A abordagem cristã a outras religiões precisa levar em consideração as ideias sobre o


mundo. A maioria da humanidade pode ser divida em três tipos básicos de mentalidade,
quanto ao mundo:
- o tipo causativo: as culturas ocidentais de raciocínio
- o tipo intuitivo: as culturas do extremo oriente
- o tipo imaginativo: as culturas animistas

Conforme é possível notar, a mentalidade oriental é bastante distinta do pensamento


ocidental. O não-ocidental é mais passivo e menos inventivo; ele apega-se ao passado e resiste
ao que é novo ou estrangeiro. Trata-se de uma mentalidade mística e reservada, onde a

Fundamentos da Religião 23
família, o clã e a comunidade são deveras maiores que os interesses pessoais – aqui, a lógica
pode não ter muito valor. O período áureo destes povos jaz no passado, vinculado aos
ancestrais, todos considerados com o máximo respeito.

15. Associe tipo (direita) à sua característica (esquerda).


____ a) A lógica desempenha um papel inferior.
1. Tipo causativo
____ b) Característica do extremo Oriente.
2. Tipo imaginativo
____ c) Tipo ocidental, de raciocínio.
3. Tipo intuitivo
____ d) Tipo que repudia novidades e agarra-se ao
4. Tipo não-ocidental
passado.
____ e) Tipo cujos inimigos são a mudança.

PROPÓSITO NA RELIGIÃO

OBJETIVO 10 Não é raro encontrar pessoas que descreiam de Deus. Mesmo assim, quase todos
Citar o propósito da religião,
que impulsiona o homem a
concordam em que se deva reconhecer algo como objeto de reverência, sendo este superior
fazer uma busca eterna. a própria pessoa. A partir disso, uma pergunta se forma: Deus deve buscar o homem, o
homem deve buscar a Deus? Esse questionamento provocou inúmeros debates. O
cristianismo reconhece que desde a queda do homem, a humanidade iniciou uma busca sem
fim pela Divindade. Alguns o fazem querendo saída para difíceis situações; outros esforçam-
se em prol da auto-realização. Gênesis revela que Deus também tem uma busca; Ele procura
ter comunhão com os homens. Os seguidores de algumas religiões comparam essa busca
com a escalada de uma montanha que leva a Deus. Acreditam que as religiões são caminhos
diferentes que levam à mesma montanha. Todas as crenças podem ser aceitas, pois todas
levam a Deus. Essa é uma fala bastante comum, mas representa a verdade? O que é que a
Palavra de Deus diz a respeito?

Para esta resposta, o ponto de partida é o próprio homem, que deve ser visto da
forma como realmente é: o ser humano contém uma dimensão espiritual que somente pode
ser satisfeita pela fonte da vida espiritual - essa dimensão pode ser comparada com a sede. O
homem, perdido em um deserto de pecado e de desespero e sedento, precisa de água. Deus
fornece um oásis! Ele convida todos a virem às águas e receberem satisfação para a alma.
Ninguém é salvo somente por subir com dificuldade uma montanha pelos seus próprios
esforços. É salvo por chegar até a Fonte da Vida. Ali, a sede é satisfeita pela água viva. E
assim, a busca chega ao final! Certo dia, no último dia de uma festa em Jerusalém, Jesus ficou
em pé no meio das multidões e exclamou: Se alguém tem sede, venha a mim, e beba (Jo
7.37). O convite ainda vale: Ó vósvós,, todos os que tendes sede, vinde às águ
águaas (Is 55.1).

16. Responda a estas perguntas.


a) A religião é o homem buscando a Deus, ou Deus procurando o homem?

24 RELIGIÕES MUNDIAIS
b) Qual a sua experiência em relação à ideia de que todas as religiões levam a Deus?

c) Como comparar a salvação com a água?

Fundamentos da Religião 25
autoteste MÚLTIPLA ESCOLHA: Assinale a única alternativa correta.
MÚLTIPLA

1. A evidência histórica demonstra que a religião é


a) limitada às pessoas evangelizadas.
b) encontrada em todas as culturas.
c) um desenvolvimento da civilização.
d) uma influência unificante.
e) todas as alternativas estão corretas.

2. Os crentes que se submetem às exigências de uma religião demonstram


a) transcendência.
b) confiança.
c) obediência.
d) dependência.
e) todas as alternativas estão corretas.

3. Os crentes da religião que respeitam a deidade praticam a


a) reverência.
b) dependência.
c) obediência.
d) transcendência.
e) todas as alternativas estão corretas.

4. Segundo o registro bíblico, a primeira forma da religião era


a) monoteísta.
b) panteísta.
c) deísta.
d) teísta.
e) a) e d) estão corretas.

5. A cobertura pelo pecado e o caminho de acesso a Deus


a) eram mediante o sacrifício com sangue nos tempos de Adão e Eva.
b) foram completados pelo sacrifício de Jesus na cruz.
c) agora são mediante o sacrifício do louvor.
d) conforme todas as respostas acima.
e) todas as alternativas estão corretas.

6. O crente de uma religião tipo Localidade Divina acredita que Deus é


a) transcendente e alcançado através de um mediador.
b) alheio ao universo dos homens.
c) imanente e pessoal.
d) presente em toda a criação, de modo que todos possam ser um tipo de Deus.

26 RELIGIÕES MUNDIAIS
7. As características em comum das religiões animistas são as seguintes, exceto:
a) a reverência pelos ancestrais.
b) a fé em Jeová.
c) elementos do fetichismo.
d) sinais de consciência espiritual.

ASSOCIAÇÃO: Faça o que é pedido em cada grupo de exercício.

8-12. Associe os critérios para a religião (direita) com as declarações descritivas (esquerda).
____ 8. Os adeptos contam com um poder além a) Obediência
deles mesmos para satisfazer as b) Confiança
necessidades espirituais ou físicas. c) Dependência
____ 9. A religião capacita os homens a atingirem d) Reverência
o infinito. e) Transcendência
____ 10. Os crentes dão crédito a uma deidade,
dizendo que “Deus existe e Ele
recompensa”
____ 11. Exige-se dos adeptos que se submetam a
deveres e responsabilidades.
____ 12. Os seguidores consideram a deidade com
respeito.

13-16. Associe cada termo (direita) com sua descrição apropriada (esquerda).
____ 13. Crença que todas as coisas finitas são a) Deísmo
partes ou aparências do ser supremo. b) Teísmo
____ 14. Crença em um único Deus. c) Monoteísmo
____ 15. Crença que Deus está envolvido com os d) Panteísmo
afazeres do homem e seu mundo.
____ 16. Crença que Deus criou o mundo, mas não
se envolve com ele.

17-20. Associe cada termo (direita) com sua descrição apropriada (esquerda).
____ 17. As culturas do extremo Oriente. a) Tipo causativo
____ 18. O tipo lógico que raciocina. b) Tipo intuitivo
____ 19. O tipo em que a lógica tem menos c) Tipo imaginativo
influência. d) Tipo não-ocidental
____ 20. Inimigos da mudança e do progresso.

Fundamentos da Religião 27
RESPOSTAS ÀS QUESTÕES DE ESTUDO

9. Resposta pessoal: você pode conhecer podemos guiar outra pessoa a um


alguém assim, aparentemente grosseiro e conhecimento da salvação verdadeira.
ímpio. É possível, no entanto, que a pessoa
esteja sofrendo a reação de um
4. Resposta pessoal: o cristianismo
acontecimento trágico em sua vida. Ainda
realmente cumpre todos os critérios,
poderá ser alcançado com o Evangelho,
ainda que haja críticas no sentido de que
porque Jo 6.37 continua existindo na Bíblia e
alguns dos seus seguidores não
ainda é operante e eficaz.
cumprem os padrões mais elevados. Uma
religião deve ser julgada pelo seu ideal
1. Como cristão, sua resposta pode ser uma ou padrão, tal como Cristo e a Bíblia, e
paráfrase tal como: a religião envolve um não pelas falhas de alguns membros.
compromisso pessoal para com Deus e o seu
serviço, e inclui a conduta de conformidade
13. Teve sua origem na Melanésia, e era
com as instruções da sua Palavra.
considerado a fonte de todas as religiões
primitivas.
10. a) E
b) C 5. Resposta pessoal: os pregadores
c) E frequentemente fazem declarações tais
d) C como sacudir o jugo para livrar as
pessoas da dependência dos rituais ou da
tradição. É verdade que nossa fé
2. a), b) e c) estão corretas.
centraliza-se em uma Pessoa, Jesus Cristo.
A dependência dos atos formais não nos
11. a) C compra a salvação. Se as pessoas confiam
b) C nos rituais para levá-las à salvação,
c) E devemos conduzi-las ao caminho melhor.
d) E
e) E 14. c)
f) C
g) C 6. Você pode escolher dentre os seguintes
itens. Objetos sagrados: árvores, pedras,
templos, santuários e mobílias. Pessoas
3. a), b) e c) estão corretas. sagradas: profetas, ministros, sacerdotes e
médiuns. Praxes comuns: interpretar os
12. a) A reverência aos ancestrais, o raios, as inundações e os terremotos,
fetichismo, os tabus, a adoração da aderir a escritos sagrados.
natureza, objetos que possuem alma ou
espírito, sacrifício de sangue.
15. a) 2
b) Resposta pessoal: você pode declarar
b) 3
que o sacrifício de sangue, a consciência
do pecado, e um Deus santo que pode c) 1
perdoar, são características que há em d) 4
comum. Com o apoio das Escrituras, e) 4

28 RELIGIÕES MUNDIAIS
7. Escolha dentre estas: a deidade é 8. a) 6
sobrenatural, invisível, soberana, b) 5
responsiva, adorada, tem personalidade.
c) 4
d) 3
16. Suas respostas devem ser semelhantes às
e) 2
seguintes:
f) 1
a) a busca é feita de ambos os lados.
Porque Deus procura a comunhão com
os homens, e os homens têm dentro de
si o anseio por honrar alguém além de
si mesmo e por procurar ajuda da parte
Dele;
b) a Bíblia diz que ninguém vem a Deus a
não ser através de Jesus Cristo;
c) a sede é satisfeita por beber da água, e
não por alguém procurar curar sua sede
com recursos interiores. Jesus é a fonte
da vida eterna, e é somente recebendo a
sua salvação que podemos achar a
satisfação.

1
Conjunto das religiões ditas cristãs e institucionalizadas (catolicismo, igrejas ortodoxas, confissões do protestantismo).
2
Sistema filosófico e religioso indiano fundado por Siddhartha Gautama (563 - 483 a.C.), o Buda. Ele parte da constatação
do sofrimento como a condição fundamental de toda existência e afirma a possibilidade de superá-lo através da obtenção
de um estado de bem-aventurança integral, o nirvana. O budismo não professa a existência de qualquer deus.
3
Terceiro período da religião indiana, caracterizado por pluralismo de cultos, deuses e seitas.
4
Religião caracterizada por monoteísmo estrito e síntese entre fé religiosa e organização sociopolítica, fundada pelo
profeta árabe Maomé (570 ou 580 - 632), que codificou sua doutrina em um livro sagrado, o Corão, fundamento
escrito da fé muçulmana.
5 HOUAISS, Antônio. Dicionário eletrônico Houaiss da língua portuguesa. São Paulo: Ed. Objetiva, 2002.
6
Estudo da origem e evolução das palavras.
7
Paul Johannes Oskar Tillich (1886 - 1965) era teólogo e filósofo cristão. Contemporâneo de Barth, tornou-se um dos
mais influentes teólogos protestantes do século XX. Ordenado pastor em 1912, participou da Primeira Guerra Mundial
como capelão. Após a Segunda Guerra Mundial, fez frequentes viagens a Europa para cursos e conferências. Recebeu
o prêmio da paz dos editores alemães em 1962.
8
Doutrina comum a religiões monoteístas e sistemas filosóficos, caracterizada por afirmar a existência de um único Deus,
de caráter pessoal e transcendente, soberano do universo e em intercâmbio com a criatura humana.
9
Immanuel Kant (1724 - 1804), filósofo alemão, é considerado como o último grande pensador dos princípios da era
moderna. Ele é conhecido por sua concepção conhecida como transcendentalismo: todos nós trazemos formas e conceitos
a priori (aqueles que não vêm da experiência) para a experiência concreta do mundo, os quais seriam de outra forma
impossíveis de determinar.
10 Friedrich Daniel Ernst Schleiermacher (1768 - 1834) era teólogo – foi co-responsável pela aparição da teologia liberal,
negando a historicidade dos milagres e a autoridade literal das Escrituras.
11
William James (1842 - 1910) era um teólogo notavelmente excêntrico, além de filósofo e psicólogo. Em A vontade
de crer, William James questionou a existência de Deus, a imortalidade da alma, o livre-arbítrio e os valores éticos.
Também escreveu A imortalidade humana (1898) e As variedades da experiência religiosa (1902).

Fundamentos da Religião 29
12
Friedrich Max Müller (1823 - 1900) era linguista, orientalista e mitólogo alemão. Sua obra principal é a coleção The
sacred books of the East (Os livros sagrados do leste) - de 51 volumes, publicada de 1879 a 1910, fonte essencial da
história das religiões e da mitologia comparada. É considerado o criador da disciplina religião comparada.
13
A Bhagavad Gita (A Canção do Senhor) é um texto religioso que relata o diálogo de Krishna com Arjuna (seu
discípulo guerreiro) em pleno campo de batalha. Arjuna representa o papel de uma alma confusa sobre seu dever, e
recebe iluminação diretamente do Senhor Krishna, que o instrui na ciência da auto-realização. No desenrolar da
conversa são colocados pontos importantes da filosofia indiana, que incluía já na época elementos do Bramanismo e do
Sankhya.
14
Membro do Siquismo – religião monoteísta, fundada no Punjab (Índia) no fim do século XV por Nanak Dev (1469-
1538). Ela afirma a existência de um Deus único criador e rejeita o sistema de castas.
15
O Guru Granth Sahib é o livro sagrado do siquismo. Trata-se de uma coleção de orações e hinos escritos pelos primeiros
cinco gurus do siquismo. Este livro é colocado em uma plataforma e coberto com um tecido fino. Assim, todas as vezes
que o sique entra no santuário, sua primeira atitude é ajoelhar-se perante o livro sagrado – todo o conteúdo desta obra
pode ser lida em 48 horas.
16
O Alcorão ou Corão (recitação, em árabe) é o livro sagrado do Islã. Para os muçulmanos ele é a palavra literal de Deus
revelada a Maomé ao longo de vinte e dois anos.
17
Proibições em relação a pessoas, animais ou coisas que se fossem violadas provocariam castigos místicos de ordem física
ou psíquica. Os tabus eram utilizados para proteção dos fiéis.
18
Habitantes da Melanésia (gr., ilhas dos negros), região oeste do Oceano Pacífico a nordeste da Austrália, que inclui os
territórios das ilhas Molucas, Nova Guiné, ilhas Salomão, Vanuatu, Nova Caledônia e Fiji.
Notas exclusivas da edição brasileira. Dados atualizados pela Editoria Acadêmica da FAETAD.

30 RELIGIÕES MUNDIAIS
Fundamentos da Religião 31

Você também pode gostar