Você está na página 1de 4

CENTRO UNIVERSITÁRIO JOAQUIM NABUCO – UNINABUCO DIGITAL

SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS


DISCIPLINA: GESTÃO DE QUALIDADE
ALUNA: GISELLE DA SILVA AFONSO
MATRÍCULA: 01498088

ATIVIDADE CONTEXTUALIZADA

Conteúdo do exercício. Metodologia Ativa – Resolução de problemas: o


objetivo dessa atividade é instigar a resolução de problemas com base no que foi
estudado nesta disciplina.
Aqui você deve explorar as possibilidades da metodologia ativa na
contextualização do assunto proposto, para a solução de problemas. Então, um time
de beisebol profissional tem como objetivo vencer a World Series. O dono da equipe
queria ganhar muito dinheiro de forma rápida. Logo, a equipe afundou todos os seus
recursos na negociação pelos melhores jogadores da liga. Foi capaz de obter o
suficiente deles que, dentro de duas temporadas, o time era o campeão da World
Series. No entanto, a equipe havia comprometido uma porcentagem tão alta de seus
recursos financeiros com os salários dos jogadores que outros elementos
importantes da equipe começaram a sofrer. Seu estádio rapidamente caiu em tal
estado de ruína que os torcedores começaram a não ir assistir os jogos. As
instalações de treinamento também começaram a sofrer, o que causou
descontentamento entre os jogadores. Ao se concentrar somente no resultado final
desejado, essa organização negligenciou outros aspectos importantes da
construção de uma equipe competitiva. Como resultado, o campeonato da World
Series da equipe foi uma vitória de uma vez na vida. Na próxima temporada, a
infraestrutura em ruínas da equipe a enviou para o fundo de sua divisão. Sem as
pessoas, processos e ambiente para mudar a situação, a equipe acabou sendo
vendida com prejuízo e transferida para outra cidade.
Com base no texto apresentado responda à seguinte questão: Por que uma
empresa que está produzindo um produto satisfatório deseja examinar
continuamente seus processos e o ambiente de trabalho?
O que aconteceu com o velho ditado “se não está quebrado, não conserte”?
sobre processos organizacionais, qualidade nos processos e ambiente de trabalho e
como esses elementos atuam juntos para que se tenha um ambiente produtivo.

Ao observar as condições da equipe de beisebol fica evidente a ausência de


um planejamento adequado a médio e longo prazo. Deve-se considerar que este
planejamento mais elaborado traria efeitos duradouros para a equipe, mesmo que
lançasse uma ou duas temporadas a frente à realização do objetivo, ou seja, vencer
a World Series.
O primeiro investimento realizado não deveria ser a contratação de jogadores,
mas sim, investir nas instalações da equipe, com o intuito de que mais torcedores
viessem ao estádio, aumentando a renda proveniente dos ingressos.
Em um segundo momento a equipe deveria realizar contratações de alguns
poucos jogadores, visando dar um novo ritmo aos jogos e conquistar melhores
colocações nas ligas, o que deveria produzir o interesse de patrocinadores.
Com essa estratégia, a equipe poderia consolidar uma posição favorável nos
campeonatos que viesse a disputar, obtendo uma maior presença dos torcedores,
presença que é convertida na renda dos ingressos. Surge, assim, um “efeito
dominó”: melhores colocações nos torneios, produz aumento na renda referente aos
ingressos, que, por sua vez, permite a contratação de reforços e o investimento no
desenvolvimento dos jogadores já ativos na equipe. Assim, com um time bem
preparado, estádio em boas condições, torcedores animados com a equipe, e uma
renda mensal estável, bastaria apenas persistir com tal estratégia e o alvo seria
alcançado: ser campeão da Worlds Series.
A partir desta análise é possível responder à pergunta: por que uma empresa
que está produzindo um produto satisfatório deseja examinar continuamente seus
processos e o ambiente de trabalho?
Não é novidade que a mera produção de um produto, ou a oferta de um
serviço não é o suficiente para que uma empresa se consolide em seu ramo de
atuação. Tem se tornado, cada vez mais evidente, que os clientes buscam produtos
e serviços de qualidade, ofertados em excelência e apontando uma cultura de
inovação. Assim, as empresas precisam estar atentas a todas as necessidades do
seu público consumidor, suas buscas, as tendências do mercado, o surgimento de
novas tecnologias que possam agregar um diferencial diante da concorrência, enfim,
as empresas precisam estar atentas para oferecer melhorias contínuas em seus
produtos, serviços e processos.
Assim, para alcançar resultados positivos é preciso ter uma equipe que
conheça todas as partes do processo e que esteja continuamente motivada. Aquele
responsável pela equipe não deve manter a ênfase apenas nos resultados, mas
sobretudo no bem estar dos profissionais. Para isso a empresa deve possuir um
bom plano de carreira com oportunidades reais de desenvolvimento profissional,
incentivos financeiros, etc. Tem sido amplamente comprovado que um ambiente de
trabalho agradável contribui para aumentar os níveis de produtividade dos
colaboradores. Neste sentido, é preciso superar o paradigma tradicional de
organização do trabalho, moldado em torno de escritórios convencionais e hierarquia
verticalizada.
Já no que se refere ao ditado clássico “se não está quebrado, não conserte”,
que tem aproximações, na perspectiva esportiva – colocando em perspectiva com a
equipe de basebol profissional do exemplo – com o ditado “não se mexe em time
que está ganhando”, são claramente ditados retrógrados e devem ser repensados
quando falados no âmbito organizacional, pois, em meio as mudanças da época em
que vivemos, com rápida evolução tecnológica e com amplas redes globalizadas,
uma empresa que não aposta em inovações, mesmo que seja líder em seu
segmento, será rapidamente ultrapassada por seus concorrentes.
Assim, é preciso ter em mente que neste mundo hiperconectado, as
mudanças no mercado ocorrem de forma veloz, aquilo que até “ontem” era desejo
de consumo, torna-se “hoje” algo superado e esquecido. Neste mercado de novas
tendências cabe as empresas ter em mente novas propostas organizacionais que
tenham como ênfase estes três elementos: a atenção aos desejos dos
consumidores; a realização de um atendimento de alta qualidade dos produtos,
serviços e processos; e a busca constante pelo desenvolvimento e aplicação de
inovações. Então, sim! é preciso “mexer em time que está ganhando” com fins de
acompanhar o fluxo do mercado.
REFERÊNCIAS CONSULTADAS

COSTA, K. A.; FREITAS, M. A. M. Gestão de qualidade, um desafio permanente: um


estudo de caso sobre o processo de manutenção de um sistema de qualidade em
uma indústria metalúrgica. Produto & Produção, v. 14, n. 2, p. 59-71, 2013.

MAINARDES, E. W.; LOURENÇO, L.; TONTINI, G. Percepção dos conceitos de


qualidade e gestão pela qualidade total: um estudo de caso na universidade. Revista
Eletrônica de Gestão Organizacional, v. 8, n. 2, 2010.

MELLO, F. H. Ambiente de trabalho e produtividade: entenda essa diferença.


Qulture.rocks, 5 jan. 2022. Disponível em: https://qulture.rocks/blog/ambiente-de-
trabalho-e-produtividade/. Acesso em: 06 jan. 2022.

Você também pode gostar