Você está na página 1de 6

Física Experimental II

Experimento: CAMPO ELÉTRICO E CONTORNOS


EQUIPOTENCIAIS

Professor: Amorim

Nome Número

André Luis Cobello 102513

Daniela Rosa Ribeiro 102033

Gleise Silva David 101783

Nadia Baumgartner 102573

Turma 233
02/05/2011

1 - OBJETIVO:

Determinar os contornos equipotenciais e o campo elétrico de


dois anéis.

2 – MATERIAIS UTILIZADOS:

• Dois anéis de latão;

• Água não destilada;

• Cuba ;

• Fonte de tensão, com corrente alternada, 12V;

• Multímetro;

3 – FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA:

Um campo elétrico é o campo de força provocado por cargas elétricas


(elétrons, prótons ou íons) ou por um sistema de cargas. Cargas elétricas
num campo elétrico estão sujeitas a uma força elétrica.

Michael Faraday (1791 – 1867) foi o primeiro a propor o conceito de campo


elétrico e também contribuído com outros trabalhos para o
eletromagnetismo, posteriormente este conceito foi aprimorado com os
trabalhos de James Clerk Maxwell, discípulo de Faraday.
O conceito de campo elétrico surgiu da necessidade de explicar a ação de
forças a distância. Podemos dizer que o campo elétrico existe numa região
do espaço quando, ao colocarmos uma carga elétrica (q) nessa região tal
carga é submetida a uma força elétrica F.
O campo elétrico pode ser entendido como sendo uma entidade física que
transmite a todo o espaço a informação da existência de um corpo
eletrizado (Q) e, ao colocarmos outra carga (q) nesta região, será
constatada a existência de uma força F de origem elétrica agindo nesta
carga (q).
O campe elétrico uniforme é definido como uma região em que todos os
pontos possuem o mesmo vetor campo elétrico em módulo, direção e
sentido. Sendo assim, as linhas de força são paralelas e equidistantes.

Para produzir um campo com essas características, basta utilizar duas


placas planas e paralelas eletrizadas com cargas de mesmo módulo e sinais
opostos. Um capacitor pode ser citado como exemplo de criador de campo
elétrico uniforme.

É importante neste momento, fazer uma analogia entre o campo elétrico e o


campo gravitacional de um planeta. Ao redor de um planeta, existe um
campo gravitacional devido a sua massa, análogo ao campo elétrico que
existe em torno de uma esfera eletrizada. Percebemos então, uma analogia
entre as grandezas físicas de massa e carga elétrica, como sendo
responsáveis por gerar os campos gravitacional e elétrico respectivamente.
Para definir, matematicamente, o campo elétrico é necessário definirmos
uma grandeza física que o represente. Esta grandeza é o vetor campo
elétrico. Considerando a definição utilizada anteriormente, o vetor campo
elétrico é dado por:

A força F, à qual a carga q fica submetida será atrativa ou repulsiva,


dependendo do sinal de q.
A direção do vetor campo elétrico terá a mesma direção da reta que une o
ponto considerado e a carga de geradora (Q). Já o sentido do vetor campo
elétrico, depende do sinal da carga geradora (Q):
O campo elétrico gerado por uma carga elétrica (Q) positiva é de
afastamento e, o campo elétrico gerado por uma carga elétrica (Q) negativa
é de aproximação. O sentido do campo elétrico independe do sinal da carga
(q) que sofre a ação da força F.

Partido de que:
e que , após alguns cálculos chegamos que :

, sendo que q2 é a carga que gera o campo elétrico, d a


distância entre as cargas e k a constante elétrica do meio ( 9,0 . 109
unidades do SI).

As cargas de prova positivas encontram-se em movimento dentro de um


campo elétrico. A partir da trajetória dessas cargas, traçam-se linhas que
são denominadas linhas de força, que têm as seguintes propriedades:

1. Saem de cargas positivas e chegam nas cargas negativas;


2. As linhas são tangenciadas pelo campo elétrico;
3. Duas linhas de força nunca se cruzam;
4. A intensidade do campo elétrico é proporcional à concentração das
linhas de força.

O Campo elétrico gerado por várias cargas pontuais é calculado através de


uma soma vetorial, que ajudará a chegar ao campo resultante.

Para um sistema constituído de várias cargas elétricas, todas elas


interagem simultaneamente.

Superfície equipotencial ocorre quando uma carga puntiforme está


isolada no espaço, ela gera um campo elétrico em sua volta. Qualquer
ponto que estiver a uma mesma distância dessa carga possuirá o
mesmo potencial elétrico. Portanto, aparece ai uma superfície
equipotencial esférica. Podemos também encontrar superfícies
equipotenciais no campo elétrico uniforme, onde as linhas de força são
paralelas e equidistantes. Nesse caso, as superfícies equipotenciais
localizam-se perpendicularmente às linhas de força (mesma distância
do referencial). O potencial elétrico e distância são inversamente
proporcionais, portanto o gráfico cartesiano Vxd é uma assímptota.

Nota-se que, percorrendo uma linha de força no seu sentido, encontramos


potenciais elétricos cada vez menores.

Vale ainda lembrar que o vetor campo elétrico é sempre perpendicular à


superfície equipotencial, e consequentemente a linha de força que o
tangencia também.

4 – PROCEDIMENTOS:
Traçou-se o eixo x,y em dois papeis milimetrados e em seguida o contorno
dos anéis. Um dos papeis ficou embaixo da cuba na qual os anéis foram
fixados com fita adesiva e então esta foi preenchida com água. Optou-se
por água ao invés de sulfato de cobre devido a este ser tóxico.

Os anéis possuíam fios que foram conectados à fonte de tensão. A ponta de


prova comum (preta) do multímetro foi fixada no canto esquerdo da cuba, e
com a outra ponta de prova fez-se as medições de tensão em três pontos
com mesma tensão caracterizando uma equipotencial.

Na outra folha foram anotados os pontos de 6 equipotenciais, de acordo


com os eixos, ligando os pontos para obter o traçado das equipotenciais.

Sabendo que o campo elétrico forma ângulo de 90°com as linhas


equipotenciais, oito linhas de campo foram traçadas.

5 – RESULTADOS:

Em anexo, segue a figura das equipotenciais e do campo.

6 – CÁLCULOS:

−V j +1 −V j −1
E=
2 ∗ ( x j +1 − x j )
−8 − 5
E=
2 ∗1
E = −1,5 V / cm

7- CONCLUSÃO:

A teoria foi comprovada através do experimento, visto que a forma das


equipotenciais seguem o padrão visto na teoria.

8 – BIBLIOGRAFIA:

Roteiro de aula do experimento V

Anotações da aula do dia 02 maio de 2011

http://www.infoescola.com/fisica/campo-eletrico/

http://www.efeitojoule.com/2009/01/campo-eletrico-e-conceito-campo.html
http://pt.wikipedia.org/wiki/Campo_el%C3%A9trico

http://pt.wikipedia.org/wiki/Potencial_el%C3%A9trico