Você está na página 1de 10

Licenciatura em Geologia Aplicada e do Ambiente - 2005/2006

INTRODUÇÃO À MECÂNICA DAS ROCHAS


Fernando M. S. F. Marques *

Aula teórica 11

* Departamento de Geologia, Faculdade de Ciências de Lisboa

RESISTÊNCIA AO CORTE: DESCONTINUIDADE LISA EM ROCHA

σv σv

τ τ = σ v .tg(φ )

φ
τ

σv

1
RESISTÊNCIA AO CORTE: DESCONTINUIDADE RUGOSA EM ROCHA
- MODELO DE PATTON

σv σv

τ
i i

Rotura da rocha intacta

τ = σ v .tg(φ + i) τ

φ+i

σv

Modelo de Ladanyi e Archambault (1970)

σ      σ  
0,5 4 1, 5 0,5
σ  σ σ
1 −   1 −  tg i + tg φ + 0,232 1 −  1 −    1 + 10 
τ σ j  σ j   σ j     σ j    σ j 
=    
σj  5,5

σ
1 −  1 −  tgi . tg φ
 σ j  
 

Baseado no modelo de Patton, para as baixas tensões de confinamento e no


modelo de Fairhurst para a resistência da rocha intacta

2
RESISTÊNCIA AO CORTE: DESCONTINUIDADE RUGOSA EM ROCHA
- MODELO DE BARTON ET AL.

σv σv

Efeitos:
- Dilatância
- Esmagamento parcial das rugosidades (dependente da dimensão
das rugosidades, da resistência à compressão uniaxial da rocha e
da tensão efectiva vertical)

  JCS    JCS 
τ = σ n tg φ b + JRC. log 10   

φ'Pico = φ b + JRC. log 10  
  σ n   σn 

- MODELO DE BARTON ET AL.


Determinação de JCS
(Joint compressive strength)

Ou seja a resistência à compressão uniaxial das


paredes dos blocos que limitam a
descontinuidade.

Determinação de JCS com martelo


(esclerómetro) de Schmidt, normalmente do tipo
L (de mais baixa energia de impacto – ensaio de
menor volume da rocha).

A conversão do ressalto medido no martelo de


Schmidt em JCS é efectuada através do ábaco,
considerando-se a inclinação do martelo durante
os ensaios e a densidade da rocha ensaiada

Ou pela expressão

Log 10 ( σc ) = 0,00088 γ R + 1,01

3
MODELO DE BARTON ET AL.

Determinação de JRC
(Joint roughness coefficient)

Por comparação visual com


perfis tipo

Note-se que JRC pode depender


da direcção de deslizamento
considerada

  JCS  
τ = σ n tg φ b + JRC. log 10   

  σn  

 JCS 
φ'Pico = φ b + JRC. log 10  
 σn 

MODELO DE BARTON ET AL.


Determinação de JRC
(Joint roughness coefficient)

4
- MODELO DE BARTON ET AL. -
Determinação de φ r em rochas alteradas

r
φ r = (φ b − 20 ) + 20
R

Com
r - nº de ressalto Schmidt com a rocha húmida
R - nº de ressalto Schmidt com a rocha seca

φ b - 25º a 37º - rochas sedimentares


29º a 38º - rochas ígneas
21º a 30º - rochas metamórficas

5
Limites de aplicabilidade do modelo de Barton

JCS = 1 MPa; JRC = 0 - 20 JCS = 25 MPa; JRC = 0 - 20


30 30
25
25
20
20
τ (M P a)

15
t (MPa)

15
10
10
5

0 5
0 5 10 15 20 25 30 35 40 45 50 55
-5 0
sn (MPa) 0 5 10 15 20 25 30 35 40 45 50 55
σ n (MPa)

JCS = 5 MPa; JRC = 0 - 20 JCS = 100 MPa; JRC = 0 - 20


30 40

25 35

30
20
25
τ (M Pa)

t (MPa)

15 20

10 15

10
5
5
0 0
0 5 10 15 20 25 30 35 40 45 50 55 60 0 5 10 15 20 25 30 35 40 45 50 55

σ n (MPa) sn (MPa)

Só deve ser aplicado para valores de σn inferiores à resistência à compressão uniaxial

6
7
Inconvenientes da utilização de ensaios triaxiais para estudo da resistência de descontinuidades
(a) Situação inicial do ensaio com pratos fixos
(b) Ensaio com prato fixo e um com apoio esférico – Perda de contacto entre as paredes da descontinuidade e
possibilidade de rotura da membrana de borracha.
(c) Ensaio com pratos com apoios esféricos – Redução progressiva da área da descontinuidade sujeita a corte e
risco de rotura da membrana.
(d) Ensaio com pratos fixos e discos rígidos lubrificados - Redução progressiva da área da descontinuidade sujeita a
corte e risco de rotura da membrana.
Em todos os casos resultam momentos aplicados à amostra que são difíceis de quantificar

Equação do critério de rotura de


Hoek-Brown para rocha intacta
Rocha intacta -
usar equação 1 0,5
 σ' 
(1) σ'1 = σ'3 + σ ci  m i 3 + 1 
 σ'ci 
Uma família de
descontinuidades -
não usar o critério
de Hoek-Brown

Duas famílias de
descontinuidades -
não usar o critério
de Hoek-Brown

Muitas descontinuidades Equação geral do critério de rotura


- usar equação 2 com
precaução de Hoek-Brown para maciços rochosos
compartimentados
a
 σ' 
(2) σ'1 = σ'3 + σ ci  m b 3 + s 
Maciço rochoso muito fracturado
- usar equação 2  σ'ci 

Transição da rocha intacta para o maciço rochoso muito compartimentado, com o


aumento da dimensão da amostra (Adaptado de Hoek, 2000)

8
Critério de rotura de Hoek-Brown (1980): Mármore; qu=100MPa; m=9
-300

-200
τ (MPa)

-100

0
-100 0 100 200 300 400 500 600 700
σ (MPa)

Geological Strength Index (GSI) -


Caracterização de maciços
rochosos baseada na imbricação
e alteração das descontinuidades

9
Estimativa do Geological Strength
Index (GSI) baseada em descrições
geológicas

Equação geral do critério de rotura


de Hoek-Brown para maciços rochosos
compartimentados
a
 σ' 
(2) σ'1 = σ'3 + σ ci  m b 3 + s 
 σ'ci 

 GSI − 100 
m b = m i exp 
 28 
 GSI − 100 
s = exp 
 9 
Para GSI < 25 s=0
GSI
a = 0,65 −
200

10