Você está na página 1de 2

CENTRO UNIVERSITÁRIO DO PLANALTO DE ARAXÁ

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO ESCOLAR, ORIENTAÇÃO E


SUPERVISÃO PEDAGÓGICA

ANA LUIZA PAIVA VALLE E CARVALHO

LILIANE

MARINA

MARILIA CARDOSO MARTINS

A AUTONOMIA DA ESCOLA PÚBLICA

ARAXÁ
2011
A autonomia da escola pública

As escolas, hoje, procuram cada vez mais sua autonomia administrativa,


financeira, jurídica e pedagógica, porém nem sempre isso é alcançado em sua
plenitude, principalmente para as escolas públicas.
A exemplo disso pode-se observar em algumas cidades do interior do
Estado de Minas Gerais onde os cargos de gestão das escolas municipais são
comissionados, o que diminui não apenas a autonomia, mas também a
democratização da gestão escolar.
Mas como alcançar essa autonomia?
Um dos principais instrumentos que ajudam a escola pública a conseguir
essa autonomia é o Projeto Político Pedagógico – PPP. Segundo Rosário
(2008) “através do seu Projeto Político Pedagógico a escola viabiliza e define
os caminhos para a sua autonomia administrativa, pedagogia, financeira e
jurídica, pois é o instrumento que orienta e possibilita operacionalizar a
autonomia da escola.”
Assim, o projeto político pedagógico, deve ser a expressão da
necessidade de organizar a escola por meio de intencionalidades
verdadeiramente postas em defesa de uma escola democrática e autônoma.
Pois para Rosário (2008) “é possível redimensionar a autonomia da escola
para além do projeto que está posto pelos governos, tendo como suporte um
projeto politico pedagógico que possibilitem a gestão democrática da escola.”
Desta forma, o PPP (projeto político pedagógico) deve ser formulado
como resultado de reflexões, investigações, autocrítica e o entendimento de
que a escola só pode chegar a consecução de objetivos humanizadores da
educação se abrir espaço para que nela ocorra um processo participativo de
vivências de um projeto social democrático que no cotidiano da mesma,
concretizem valores que abram caminho para a sua autonomia.

REFERÊNCIA:

ROSÁRIO, Maria José Aviz do. Políticas Públicas Educacionais. Campinas:


Editora Alínea, 2008.