Você está na página 1de 53

LIVRO

DE
EXERCÍCIOS
RESOLVIDOS
ESTRADAS
TOPOGRAFIA
TERRAPLANAGEM
PAVIMENTAÇÃO
VOLUME 01
Exercícios resolvidos de Estradas – Vol 01

Prezado candidato

Introdução

O livro é composto por exercícios de Topografia – (Curvas de nível,


Poligonal, Planimetria e Altimetria), Terraplanagem (Empolamento, Corte e
Aterro, Empréstimos e Bota Fora), Equipamentos (Escavadeiras, Scraper,
Tratores, Clam Shell e Caminhões), Ensaio laboratoriais (Ensaio de suporte
Califórnia CBR, Grau de compactação), Pavimento Flexível (Revestimento,
Base, Sub Base e Regularização de Sub leito) e Pavimento Rígido.

São questões de múltipla escolha e aquelas em que o candidato julga se a


afirmação é Certa ou Errada, esse método é utilizado pela organizadora
CESPE UNB de Brasília.

Nossa preocupação não é apenas em resolver as questões e sim tentar


esclarecer ao máximo os termos e conceitos envolvidos nos enunciados e
nas alternativas das questões de múltipla escolha, nem todas as questões foi
possível ter esse tipo de abordagem por fugir demais do tema e não agregar
nada ao estudo, o mesmo foi feito nas questões utilizadas pela organizadora
CESPE.

O objetivo é auxiliar no estudo daqueles que pretendem prestar os próximos


concursos na área de Engenharia civil.

Espero que este material seja útil e que corresponda as suas expectativas.

Bom estudo

Gustavo Maia

Para uso exclusivo de ofranc


Exercícios resolvidos de Estradas – Vol 01

Relação de figuras

Figura 01: Expansão e Fator de Empolamento


Figura 02: Pavimento Flexível
Figura 03: Poligonal Fechada
Figura 04: Rumo
Figura 05: Peneiras – Peneiramento do solo
Figura 06: Mandíbulas de Clam Shell
Figura 07: Retroescavadeira
Figura 08: Distribuição de cargas
Figura 09: Etapas do Ensaio ISC
Figura 10: Trator
Figura 11: Fiação catenária
Figura 12: Piggyback TOFC - Caminhões
Figura 13: Piggyback COFC
Figura 14: Relação Mobilidade e Acessibilidade das Vias Urbanas
Figura 15: Multimodal - Modalidades de transporte
Figura 16 - Traxcavator
Figura 17 - Berma de equilíbrio
Figura 18: Espessura do revestimento betuminoso.
Figura 19: Pavimento Rígido
Figura 20: Comparativo entre Pavimento Rígido e Flexível
Figura 21: Pavimento Flexível e Rígido - Distribuição de cargas
Figura 22: Greide
Figura 23: Ensaio Marshall
Figura 24: Trinca interligada – Tipo Jacaré
Figura 25: Trinca Isolada
Figura 26: Ondulações
Figura 27: Afundamento de trilha de roda
Figura 28: Panela
Figura 29: Curvas Mestras e Secundárias
Figura 30: Talvegue
Figura 31: Teodolito – Precisão dos equipamentos
Figura 32: Drag line
Figura 33: Teodolito
Figura 34: Pavimento Rígido - Composição

Para uso exclusivo de ofranc


Exercícios resolvidos de Estradas – Vol 01

01 - Uma das primeiras etapas de um projeto de uma rodovia é o projeto de


terraplenagem. As condições gerais para a sua execução são:
I. O projeto de terraplenagem deve ser desenvolvido de maneira a se obter, para
movimentação de volumes, soluções técnicas e econômicas compatíveis sob o ponto de
vista geológico, geotécnico, de drenagem, paisagístico e de proteção ao meio ambiente.
II. As compensações de volume longitudinais e laterais devem ser otimizadas.
III. As áreas destinadas a empréstimos e bota-foras devem ser indicadas atendendo-se a
aspectos técnicos e econômicos, e propiciando, sempre que possível, melhores condições de
visibilidade, drenagem, estabilidade de taludes e de preservação da natureza.
Em relação às afirmações acima:
(A) Apenas as afirmações I e III estão corretas.
(B) Apenas a afirmação III está correta.
(C) Apenas a afirmação II está correta.
(D) Apenas as afirmações I e II estão corretas.
(E) Todas as afirmações estão corretas.
Resolução:
Analisando as afirmativas
I – Correta
II – Correta
III – Correta
A Resposta correta é “E”

Vamos aproveitar a questão para analisar os demais itens


Terraplanagem é o conjunto de operações de escavação, carga, transporte, descarga,
compactação de solos, aplicadas na construção de aterros e cortes, dando a superfície do
terreno a forma projetada para construção de rodovias.
Compensação Lateral é a equivalência, nos trecho de seção mista, entre volumes de corte
e aterro da seção transversal.
Compensação longitudinal é a equivalência, no perfil longitudinal, entre volumes de corte
e aterro.
Empréstimos
Áreas indicadas no projeto, ou, selecionadas, onde serão escavados materiais a utilizar na
execução da plataforma da rodovia, nos segmentos em aterro.
Sempre que possível, deverão ser executados empréstimos contíguos ao corpo estradal,
resultando a escavação em alargamentos dos cortes.
Bota fora
Definição segundo o DNIT 108/2009-ES
Material de escavação de cortes, não aproveitado nos aterros, devido sua má qualidade, ao
seu volume ou à excessiva distância de transporte, e que é transportado para fora da
plataforma da rodovia, de preferência dentro da faixa de domínio, quando possível.
Os volumes destinados a bota-foras poderão ser integrados aos aterros, mediante
compactação adequada, como alargamentos de plataforma, suavização de taludes e bermas
de equilíbrio.
Na compensação de volume é preciso equilibrar o volume de corte e aterro para que a
movimentação de terra seja o mínimo possível.

02 - O projeto executivo de uma rodovia visa fornecer plantas, desenhos e notas de serviço

Para uso exclusivo de ofranc


Exercícios resolvidos de Estradas – Vol 01

que permitam a construção da rodovia. Um dos itens desse projeto é o projeto de


drenagem. A falta de drenagem adequada provoca, de uma maneira geral, os seguintes
efeitos danosos nos pavimentos:
I. Redução da capacidade do solo de fundação (subleito), em virtude de sua saturação,
podendo também, em maior ou menor grau, ser acompanhado de mudança de volume
(expansão).
II. Acumulação de finos do solo do subleito e materiais granulares das demais camadas do
pavimento, resultando em expansão.
III. Arrastamento de partículas dos solos e materiais granulares superficiais, em virtude da
velocidade do fluxo das águas.
Em relação às afirmações acima:
(A) Apenas as afirmações I e III estão corretas.
(B) Apenas a afirmação III está correta.
(C) Apenas a afirmação II está correta.
(D) Apenas as afirmações I e II estão corretas.
(E) Todas as afirmações estão corretas.
Resolução:
Analisando as afirmativas
I - Correta
II – Errada
III - Correta
A respeito da afirmação II a acumulação dos finos e materiais granulares não causam
expansão do solo.
A Resposta correta é “E”

Vamos aproveitar a questão para analisar os demais itens:


A falta de drenagem adequada provoca bombeamento de finos de solo do subleito e
materiais granulares das demais camadas do pavimento, com perda de capacidade de
suporte.
Drenagem consiste no escoamento de águas superficiais ou subterrâneas, para manter
seca e sólida a infra estrutura da estrada.
Para um estudo mais aprofundado sobre drenagem rodoviária sugiro estudar o Manual de
Drenagem de Rodovias elaborado pelo DNIT, lá você encontrará informações sobre:
- Drenagem de transposição de talvegues,
- Drenagem superficial
- Drenagem do pavimento
- Drenagem subterrânea ou profunda
- Drenagem de travessia urbana
- Geotêxteis
Expansão do solo consiste no aumento do volume aparente de um solo em função de
variação de umidade ou descarregamento, sem esquecer, de analisar as características
físicas e químicas do solo e seu comportamento laterítico ou não laterítico (saprolítico).

03 - O levantamento taquiométrico, em topografia,


(A) dispensa os cálculos geométricos e trigonométricos.
(B)) é mais rápido e menos preciso do que o nivelamento geométrico.
(C) dispensa o uso de teodolitos, preferindo os clinômetros.
(D) é mais preciso que o nivelamento geométrico.

Para uso exclusivo de ofranc


Exercícios resolvidos de Estradas – Vol 01

(E) não é recomendável para o levantamento de grandes extensões (propriedades


agrícolas).
Resolução:
Levantamento taquiométrico é mais rápido e menos preciso do que o nivelamento
geométrico.
A Resposta correta é “B”

Vamos aproveitar a questão para analisar os demais itens:


A taqueometria, do grego “takhys” (rápido), “metren” (medição), compreende uma série
de operações que constituem um processo rápido e econômico para a obtenção indireta da
distância horizontal e diferença de nível.
O levantamento taqueométrico é usado principalmente para definição planialtimétrica de
parcelas do terreno, realizado através de poligonais e de irradiações a partir dos vértices
das poligonais. A poligonal, desenvolvida em geral ao longo do contorno da área
considerada, serve de base de todo levantamento, enquanto as irradiações têm por
finalidade a determinação dos pontos capazes de definirem os acidentes aí existentes e de
caracterizarem o relevo do terreno.
O método correntemente empregado é o de num vértice de coordenadas conhecidas,
obtidas através da poligonação, ou mesmo de uma triangulação, levantar os pontos em
todas as direções que definam nitidamente as feições da superfície terrestre necessárias ao
trabalho que se está realizando.
Para a boa prática das operações é essencial que o vértice onde o instrumento é
estacionado seja nivelado com precisão, pois um vértice mal nivelado afetará,
naturalmente, o cálculo de todas as cotas ou altitudes dos pontos e, consequentemente, o
traçado das curvas de nível.

Clinômetro é um instrumento topográfico que permite medir a inclinação da linha de


visada com o horizonte, em graus ou porcentagem, destinado a medir deslocamentos
angulares.

04 - Sabendo-se que o azimute à direita da estaca A para a estaca B é 189°50’ e o rumo da


estaca C para a estaca B é S10°10’E, o ângulo ABC, medido no sentido horário, é
(A) 360°00’
(B) 340°00’
(C) 189°50’
(D) 79°50’
(E) 19°60’
Resolução:

Para uso exclusivo de ofranc


Exercícios resolvidos de Estradas – Vol 01

A Resposta correta é “B”

Vamos aproveitar a questão para analisar os demais itens:


Azimute é o ângulo contado a partir do Norte do meridiano, no sentido horário, variando de
0º a 360º, entre o meridiano e o alinhamento.
Podem ser azimutes Verdadeiros, Magnéticos ou Assumidos, conforme o meridiano adotado
como referência.

05 - No corte de terrenos, além do volume calculado devemos considerar o fator de


empolamento (%), que é o aumento do volume retirado, para o material, “argila escavada
úmida” este percentual é de:
(A) 22%.
(B) 35%.
(C) 20%.
(D) 25%.
Resolução:
Segundo o Manual de Implantação Básica de Rodovia DNIT 2010 ajustado

Para uso exclusivo de ofranc


Exercícios resolvidos de Estradas – Vol 01

Figura 01: Expansão e Fator de Empolamento

A Resposta correta é “D”

Vamos aproveitar a questão para analisar os demais itens:


Empolamento é a expansão volumétrica de um material, quando removido de seu estado
natural.

06

A figura acima mostra o corte de um trecho do terreno indicado pelas letras A, B e C


relativo a um serviço de terraplenagem. Admitindo-se que as características geométricas da
seção transversal apresentada no desenho se repitam por uma grande distância na direção
normal ao plano do desenho e sabendo-se que o fator de empolamento do solo local é igual
a 20%, pode-se afirmar que o volume de solo (V) a ser transportado por unidade de
comprimento normal ao plano do desenho, expresso em m³/m, devido à operação de corte
é tal que
(A) 0 < V < 20.
(B) 20 < V < 40.
(C) 40 < V < 60.
(D) 60 < V < 80.
(E) V > 80.
Resolução:
A área da seção transversal é de 20 m², então o volume por metro linear será de 20 m³ por
metro, considerando o empolamento de 20%, teremos volume por metro linear de 24m³,

Para uso exclusivo de ofranc


Exercícios resolvidos de Estradas – Vol 01

sendo assim a melhor alternativa é de 20< V(24)<40.


A Resposta correta é “B”

07 - Assinale abaixo a opção que fornece a sequência (de cima para baixo) típica de
camadas subjacentes ao revestimento asfáltico em um pavimento flexível.
(A) subleito, reforço de subleito, base e sub-base
(B) sub-base, subleito, base e reforço de subleito
(C) base, sub-base, reforço de subleito e subleito
(D) base, reforço de subleito, sub-base e subleito
(E) reforço de subleito, subleito, sub-base e base
Resolução:
Sequência de cima para baixo é base, sub-base, reforço de subleito e subleito.
A Resposta correta é “C”

Vamos aproveitar a questão para analisar os demais itens:


Base
Camada destinada a resistir aos esforços verticais oriundos dos veículos distribuindo ao sub-
leito e sobre o qual se constrói o revestimento.
Essa camada pode ser constituída de brita fina, cascalho, pedra amarroada, material
estabilizado, concreto asfáltico ou de cimento.
Sub Base
Camada complementar a base, é executada quando for vantajoso reduzir a espessura da
base.
Reforço de sub leito
Camada do pavimento executada com o objetivo de reduzir a espessura da sub base, por
motivos técnico e econômicos.
Subleito
Camada maciça que serve de fundação para um pavimento.

Figura 02: Pavimento Flexível

Para uso exclusivo de ofranc


Exercícios resolvidos de Estradas – Vol 01

08 - No levantamento topográfico, que compreende processos e operações empregados


para se obter a imagem de um terreno, são usados métodos específicos, embasados em
princípios matemáticos, a fim de permitir a representação tecnicamente adequada do
terreno. Acerca desse assunto, assinale a opção correta.
(A) O levantamento é denominado altimétrico quando determina as projeções horizontais
dos pontos do terreno em relação a um plano horizontal.
(B) No método auxiliar de irradiação, as coordenadas polares são determinadas a partir de
duas distâncias em relação aos pólos magnéticos.
(C) No caminhamento por uma poligonal, são medidos os ângulos azimutais e as extensões
dos lados dos diversos segmentos da poligonal.
(D) No levantamento de uma poligonal fechada, não é aceitável qualquer erro de
fechamento.
(E) A triangulação é um processo largamente empregado por prescindir da medida dos
ângulos horizontais.
Resolução:
No caminhamento por uma poligonal, são medidos os ângulos azimutais e as extensões dos
lados dos diversos segmentos da poligonal.
A Resposta correta é “C”

Vamos aproveitar a questão para analisar os demais itens:


Levantamentos Altimétricos (Nivelamentos) é a operação que determina as diferenças
de nível ou distâncias verticais entre pontos do terreno, incluindo também, o transporte da
cota ou altitude de um ponto conhecido (RN – Referência de Nível) para os pontos
nivelados.
Método por Irradiação é utilizado para levantamento de pequenas áreas ou,
principalmente como método auxiliar à poligonação, e consiste em escolher um ponto
conveniente para instalar o aparelho, podendo este ponto estar dentro ou fora do perímetro,
tomando nota dos azimutes e distâncias entre a estação do teodolito e cada ponto visado.
Além de ser simples, rápido e fácil, ele tem a vantagem de poder ser associado a outros
métodos (como o do caminhamento, por exemplo) como auxiliar na complementação do
levantamento, dependendo somente dos cuidados do operador, já que não há controle dos
erros que possam ter ocorrido.
Levantamento Planimétrico, consiste na determinação de pontos e aspectos do terreno
que serão projetados sobre um plano horizontal de referência através de suas coordenadas
X e Y (representação bidimensional).
Levantamento Altimétrico, consiste na determinação de pontos e aspectos do terreno
que, além de serem projetados sobre um plano horizontal de referência, terão sua
representação em relação a um plano de referência vertical ou de nível através de suas
coordenadas X, Y e Z (representação tridimensional).

Poligonal é uma figura geométrica com muitos ângulos.


Poligonal fechada parte de um ponto com coordenadas conhecidas e retorna ao mesmo
ponto.
Sua principal vantagem é permitir a verificação de erro de fechamento angular e linear.

Para uso exclusivo de ofranc


Exercícios resolvidos de Estradas – Vol 01

Figura 03: Poligonal Fechada

Verificação do erro de fechamento ANGULAR


Para a poligonal fechada, antes de calcular o azimute das direções, é necessário fazer a
verificação dos ângulos medidos. Uma vez que a poligonal forma um polígono fechado é
possível verificar se houve algum erro na medição dos ângulos. Em um polígono qualquer, o
somatório dos ângulos externos deverá ser igual a:

Somatório dos ângulos medidos (Si) ===> Si= (n + 2)*180º


onde “n” é o número de lados estações da poligonal.

O erro angular (ea) cometido será dado por:


ea = (Somatório dos ângulos medidos) – ((n+2).180º)

Limite de erro de fechamento angular é raiz de “n” multiplicado pela precisão do


aparelho, onde “n” é igual ao número CE lados da poligonal.

Ea(Max)= Raiz de “n” * Precisão do aparelho


Por exemplo:
Teodolito com uma precisão no ângulo horizontal de 1’ e uma poligonal de 16 lados.
Ea=raiz de 16 multiplicado pela precisão de 1’
Ea=4’

OBS: Precisão do aparelho é fornecida pelo fabricante do aparelho.

Método da Triangulação consiste na implantação de uma malha de triângulos, que se


desenvolve a partir dos lados de medidas já conhecidas. O primeiro triângulo inicia se com
um lado de medida estipulada pelo operador. O terceiro ponto é então visado e os dois
ângulos da base são assim determinados. Através de cálculos os outros dois lados são
conhecidos, o que permite que seja iniciado um segundo triângulo e assim sucessivamente.
A principal utilização do método é em levantamentos de grandes superfícies, com a
finalidade de implantação de pontos de apoio geodésico na execução de levantamentos
aerofotogramétricos para a confecção de cartas geográficas.
Atualmente esse método vem sendo pouco utilizado, em virtude da utilização do GPS
(Sistema de Posicionamento Global), que fornece de forma precisa e instantânea as
coordenadas (geográficas e métricas) de qualquer ponto da superfície terrestre.

09 - A pavimentação de vias urbanas e rodovias é feita, usualmente, com dois tipos básicos
de pavimentos: flexíveis e rígidos, conforme as características do solo, os materiais
disponíveis, as condições de trânsito etc. Acerca desses pavimentos, assinale a opção

Para uso exclusivo de ofranc


Exercícios resolvidos de Estradas – Vol 01

correta.
(A) A estrutura de pavimentos flexíveis é composta por várias camadas de materiais
diferentes.
(B) Pavimentos rígidos, por poderem ter sua durabilidade comprometida pelo tráfego de
veículos em alta velocidade, exigem manutenção muito frequente, diferentemente dos
pavimentos flexíveis.
(C) Uma vez que os pavimentos flexíveis apresentam menor densidade específica, a
deformação sofrida pelo subleito é menor.
(D) A pavimentação rígida não é recomendada para vias com alta declividade longitudinal,
devido ao baixo coeficiente de atrito.
(E) A pavimentação flexível, devido à sua grande capacidade de infiltração de água de
chuva, é recomendada para estacionamentos ou vias de trânsito urbanas.
Resolução:
O pavimento flexível é composto por várias camadas de materiais diferentes, temos
Revestimento, a Base, a Sub base e o Reforço do subleito.
Mais sobre pavimentos flexíveis
Em geral, os materiais utilizados como Revestimento são o Concreto asfáltico de Petróleo
(CAP), Concreto Betuminoso Usinado a Quente (CBUQ) e demais misturas betuminosas a
base de petróleo.
Os materiais utilizados como Base são, Macadame Betuminoso, Macadame hidráulico, Brita
Graduada Simples (BGS), Brita e agregados graúdos.
A Sub – base é uma camada complementar a base, portanto são utilizados os mesmos
agregados graúdos e miúdos da base.
No Reforço do Subleito normalmente agregado é mais fino e com características
geotécnicas inferiores ao material usado na camada que lhe for superior.
Sub leito é o terreno de fundação do pavimento.
A Resposta correta é “A”.

Vamos aproveitar a questão para analisar os demais itens:


Item “B” O pavimento de concreto, independentemente do tráfego de veículos em alta
velocidade, tem durabilidade maior do que o pavimento flexível.
Normalmente o pavimento flexível é composto por Revestimento, Base, Sub Base, Reforço
de subleito e Subleito.
Item “C” A densidade específica de um material ou líquido refere-se à sua massa por
unidade de volume.
A densidade específica, também chamada densidade, é representada por ρ, e expressa em
kg/m³.
Item “D” Coeficiente de atrito é o quociente entre força de atrito, paralela a superfície de
contato, que se opõe ao movimento do corpo que desliza ou rola e a força normal a
superfície de contato exercida por um corpo sobre outro.
Item “E” o Pavimento flexível não possui grande capacidade de infiltração de água de chuva,
pelo contrário ele retém a água, impermeabilizando o solo e dificultando o escoamento da
água de chuva.

10 – Com uma trena de 20,0 m foi medida a distância AB que resultou 110,10m.
Posteriormente, a trena foi aferida e constatou se que media 20,02 m. O valor real da
distância entre AB, em m, é.
(A) 110,25

Para uso exclusivo de ofranc


Exercícios resolvidos de Estradas – Vol 01

(B) 110,21
(C) 110,15
(D) 110,00
(E) 109,99
Resolução:
Se a cada 20 metros a medida real era 20,02, erro de 0,02 para cada 20 metros,
Então com 100 metros a medida real será 100,10
Incluindo mais 10,10 metros a medida real será 10,11
Somando 100,10 com 10,11 teremos o valor real da distância entre AB em 110,21 metros.
A Resposta correta é “B”.

11 – O rumo de uma linha 4-5 é N21°12’E. O azimute à direita do norte da linha 5-6 é
325°04’. O ângulo à direita na estaca 5 entre 4-6 é
(A) 303°52’
(B) 236°08’
(C) 222°24’
(D) 193°42’
(E) 123°52’
Resolução:

Para uso exclusivo de ofranc


Exercícios resolvidos de Estradas – Vol 01

A Resposta correta é “E”

Vamos aproveitar a questão para analisar os demais itens:


Azimute é o ângulo contado a partir do Norte do meridiano, no sentido horário, variando de
0º a 360º, entre o meridiano e o alinhamento.
Rumo é o menor ângulo formado pela meridiana que materializa o alinhamento Norte Sul e
a direção considerada. Varia de 0º a 90º, sendo contado do Norte ou do Sul por leste e
oeste. Este sistema expressa o ângulo em função do quadrante em que se encontra. Além
do valor numérico do ângulo acrescenta-se uma sigla (NE, SE, SW, NW) cuja primeira letra
indica a origem a partir do qual se realiza a contagem e a segunda indica a direção do giro
ou quadrante.

Para uso exclusivo de ofranc


Exercícios resolvidos de Estradas – Vol 01

Figura 04: Rumo

12 – Para efeito de terraplanagem os solos classificam se em:

Valor do diâmetro em mm
Pedregulho Areia Silte Argila
(A) 4,8 a 76 0,05 a 4,8 0,005 a 0,05 <0,005
(B) 3,0 a 5,0 0,02 a 3,0 0,001 a 0,02 <0,001
(C) 4,0 a 5,0 0,1 a 6,0 0,008 a 0,09 0,005 a 0,05
(D) >=0,005 >=0,05 >=0,10 >=0,20
(E) >100,0 3,0 a 6,0 0,005 a 0,05 <0,005

Resolução:
Pedregulho é a fração de solo que passa na peneira 76 mm (3”) e é retida na peneira de
4,8 mm.
Areia é a fração de solo que passa na peneira 4,8 mm e fica retida na peneira de 0,05 mm.
Silte é a fração de solo que passa na peneira 0,05 mm e fica retida na peneira de 0,005
mm.
Argila é a fração de solo que passa na peneira 0,005 mm.

Para uso exclusivo de ofranc


Exercícios resolvidos de Estradas – Vol 01

Figura 05: Peneiras – Peneiramento do solo

A Resposta correta é “A”

13 – Com relação aos equipamentos de terraplanagem é correto afirmar que:


(A) As escavadeiras com lança tipo “shovel” são recomendadas para operar em taludes
situados acima do nível do terreno em que a máquina está colocada.
(B) As escavadeiras com lança tipo “shovel” são recomendadas para operar em taludes
situados abaixo do nível do terreno em que a máquina está colocada.
(C) A escavadeira com lança tipo “clam Shell” é recomendada para taludes em aterro.
(D) A escavadeira com lança tipo “clam Shell” é muito utilizada na execução de túneis.
(E) A retroescavadeira é recomendada para a abertura de valas de pequenas dimensões e
quando há obstáculos (como escoramentos)
Resolução:
As escavadeiras com lança tipo “shovel” são recomendadas para operar em taludes situados
acima do nível do terreno em que a máquina está colocada.
A Resposta correta é “A”

Vamos aproveitar a questão para analisar os demais itens:

Shovel é escavadeira de colher

Clam Shell é a escavadeira com mandíbulas, não é recomendada para execução de túneis
e taludes em aterro.
Composto por uma caçamba abre e fecha como mandíbula, que é suspensa por cabo
vertical.
Usada para escavar dentro de em valas escoradas.

Para uso exclusivo de ofranc


Exercícios resolvidos de Estradas – Vol 01

Figura 06: Mandíbulas de Clam Shell

Retroescavadeira é a escavadora de colher, com caçamba invertida, que trabalha o


terreno de cima para baixo permitindo escavações em cotas inferiores a do plano onde se
acha assentada.

Figura 07: Retroescavadeira

Para responder às questões 14 e 15, considere a figura abaixo que mostra uma
seção transversal típica de um pavimento flexível com todas as camadas,
teoricamente, necessárias.

Para uso exclusivo de ofranc


Exercícios resolvidos de Estradas – Vol 01

14 – Com relação as camadas normalmente utilizadas, quando necessárias, é correto:

2 3 4 5

Regularização Reforço do
(A) Sub-base Base
do Subleito subleito

Regularização Reforço do
(B) Base Sub-base
do Subleito subleito

Reforço do Regularização
(C ) Base Sub-base
subleito do Subleito

Reforço do Regularização
(D) Base Sub-base
subleito do Subleito

Reforço do Regularização
(E) Sub-base Base
subleito do Subleito

Resolução:

A Resposta correta é “C”


Para informações sobre Base, Sub Base, Reforço de sub leito e Reforço de Sub leito consulte
a questão

Revestimento:
É a camada que recebe diretamente a ação do rolamento dos veículos e destinada
econômica e simultaneamente:
- A melhorar as condições do rolamento quanto à comodidade e segurança;
- A resistir aos esforços horizontais que nele atuam, tornando mais durável a superfície de
rolamento. Deve ser resistente ao desgaste. Também chamada de capa ou camada de
desgaste.
Base
Camada destinada a resistir e distribuir ao subleito, os esforços oriundos do tráfego e sobre
o qual se construirá o revestimento.
Sub-base:
Camada complementar à base, deve ser usada quando não for aconselhável executar a
base diretamente sobre o leito regularizado ou sobre o reforço, por circunstâncias técnico-
econômicas. Pode ser usado para regularizar a espessura da base.
Reforço do subleito:
É a camada de espessura constante transversalmente e variável longitudinalmente, de
acordo com o dimensionamento do pavimento, fazendo parte integrante deste e que, por
circunstâncias técnico econômicas, será executada sobre o subleito regularizado. Serve para
melhorar as qualidades do subleito e regularizar a espessura da sub-base.
Regularização do sub-leito (Nivelamento):
É a operação destinada a conformar o leito, transversal e longitudinalmente. Poderá ou não
existir, dependendo das condições do leito. Compreende cortes ou aterros até 20 cm de
espessura.

Para uso exclusivo de ofranc


Exercícios resolvidos de Estradas – Vol 01

15 – Com relação aos pavimentos que podem ser rígidos ou flexíveis, é incorreto afirmar
que:
(A) – Devido a sua rigidez, os pavimentos flexíveis distribuem a carga em área mais ampla,
de modo que as pressões sobre o subleito são menores.
(B) – Os rígidos tem sensível resistência a flexão e não podem sofrer deformações
sensíveis.
(C) – Os flexíveis sofrem deformações dentro de certos limites, sem se romper.
(D) – A vida útil dos pavimentos rígidos é maior do que os flexíveis
(E) – A visibilidade noturna nos pavimentos de concreto é superior à dos pavimentos
flexíveis.
Resolução:
O pavimento Rígido, devido a sua enorme rigidez distribui a carga em uma área mais
ampla do subleito e pequena pressão na fundação do pavimento.
O pavimento flexível utiliza um maior número de camadas e distribui cargas para uma
área menor do subleito e exerce grande pressão na fundação do pavimento.

Figura 08: Distribuição de cargas

A Resposta correta é “A”.

Vamos aproveitar a questão para analisar os demais itens:


A definição de pavimento flexível segundo o DNIT é:
“Pavimento que consiste em uma camada de rolamento asfáltica e de base, constituída de
uma o u mais camadas, que se apóia sobre o leito da estrada sendo que a camada de
rolamento pode-se adaptar-se à deformação da base quando solicitada.”
Segundo o DNIT o pavimento rígido é aquele cujo revestimento é constituído de concreto de
cimento.
Flexível é aquele em que todas as camadas sofrem deformação elástica significativa sob o
carregamento aplicado e, portanto, a carga se distribui em parcelas praticamente
equivalentes entre as camadas.
Rígido é aquele em que o revestimento tem uma elevada rigidez em relação as camadas
inferiores, portanto, absorve praticamente todas as tensões do carregamento aplicado.
Os rígidos tem sensível resistência a flexão e não podem sofrer deformações sensíveis.

Para uso exclusivo de ofranc


Exercícios resolvidos de Estradas – Vol 01

Os flexíveis sofrem deformações dentro de certos limites, sem se romper.


A vida útil dos pavimentos rígidos é maior do que os flexíveis
A visibilidade noturna nos pavimentos de concreto é superior à dos pavimentos flexíveis.

16 – O CBR ou ISC (Índice de Suporte Califórnia) é uma das características mais


importantes de um solo e pode ser definido como:
(A) – O teor de umidade de um solo que é igual a massa de água/massa de solo seco
(B) – Grau de saturação de um solo
(C) – O índice de vazios que é igual ao volume de vazios/volume do solo seco.
(D) – A relação porcentual entre pressão necessária para fazer penetrar um pistão
padronizado em um solo preparado e outro padrão
(E) – A relação porcentual entre massa específica aparente de um solo e sua massa real.
Resolução
Índice de suporte Califórnia é a relação em porcentagem, entre a pressão obtida na
penetração de um pistão padronizado, a velocidade de 0,05 pol/min, em um corpo de prova
de solo preparado de modo padronizado e uma pressão tomada como padrão.
As pressões padrões foram obtidas, ensaiando uma brita graduada de alta qualidade,
considerada como material de referência.

Figura 09: Etapas do Ensaio ISC

A Resposta correta é “D”.

Vamos aproveitar a questão para analisar os demais itens:


Teor de umidade do solo é a quantidade de água em uma massa de material expressa
em porcentagem de peso d’água na mesma.
Índice físico, expresso em porcentagem, representado pela relação entre peso da água e o
peso dos sólidos contidos num determinado volume de solo.
Índice de vazios é um índice físico que relaciona o volume de vazios e o volume de
sólidos, contidos numa porção do solo.
Massa específica aparente é a relação entre a massa e o volume de um material,
incluídos no mesmo os poros e vazios, em geral expressa em Kg/dm³ ou g/cm³.
Massa específica real é a relação entre massa seca e o volume, excluídos poros
presentes, de um solo ou substância mineral.

Para uso exclusivo de ofranc


Exercícios resolvidos de Estradas – Vol 01

Considere o texto abaixo para responder as questões 17 e 18.


Na execução de serviços de terraplanagem, diferenciam se quatro operações básicas
denominadas ciclo de operação, que podem ocorrer de maneiras simultâneas ou
sequenciais.
São elas:
- Escavação ou corte
- Carga de material escavado (ou carga da caçamba)
- Transporte
- Descarga e espalhamento

17 – Com relação aos equipamentos de terraplanagem, é incorreto afirmar que:


(A) – O trator de esteiras provido de lâmina executa sozinho todas as operações indicadas,
sendo as três primeiras, simultaneamente.
(B) – Um conjunto de trator com “scraper”, sem auxílio de outro equipamento, executa as
duas primeiras de maneira simultânea e as outras, sequenciais.
(C) – As escavocarregadoras executam apenas as duas primeiras de maneira sequencial.
(D) – O tempo desprendido pelo equipamento em um ciclo de operação completo (até sua
volta a posição inicial) afeta sensivelmente o custo da operação.
(E) – As carregadeiras se deslocam entre o talude de terra e o veículo, conseguem girar
sem dificuldades e são indicadas para executar as duas primeiras operações em locais de
dimensões muito grandes.
Resolução:

A Resposta correta é “E”

Vamos aproveitar a questão para analisar os demais itens:


Inserir foto dos equipamentos
Trator esteira é um veículo automotor especialmente construído para rebocar ou empurrar
outros veículos e máquinas e acionar determinados dispositivos adaptados a ele, como o
trator com lâmina que serve para cortar ou empurrar solos.

Figura 10: Trator


Tipos de trator

Para uso exclusivo de ofranc


Exercícios resolvidos de Estradas – Vol 01

Com lâmina, de esteiras, de rodas, escavocarregador

Carregadeiras são máquinas autopropulsoras, com as mesmas características gerais de


um trator, provida de balde ou caçamba que carrega terra e material a granel.

18 – A terraplanagem normalmente é remunerada por m³ de terra medido no corte,


considerando alguns fatores que envolvem o tempo de ciclo efetivo e o volume de terra
efetivamente transportados. Assim sendo, é incorreto afirmar que:
(A) – É importante estudar os tempos de parada que normalmente ocorrem durante o
percurso
(B) – A produção do equipamento (volume escavado, transportado e descarregado na
unidade de tempo) também é importante.
(C) – O fator de empolamento contribui desfavoravelmente no custo do processo
(D) – O fator de rendimento ou eficiência é geralmente superior a unidade.
(E) – As condições metereológicas afetam o fator de rendimento e eficiência.
Resolução:
Todos os itens estão corretos exceto aquele que fala sobre o fator de rendimento.
O fator de rendimento e eficiência é a relação entre o tempo de produção efetiva e o
tempo de produção nominal. Em uma hora de trabalho não se obtém 60 minutos de
trabalho efetivo, sendo assim o fator de rendimento ou eficiência é sempre menor ou igual a
1 (unidade).
A Resposta correta é “D”

Vamos aproveitar a questão para analisar os demais itens:


Empolamento é o aumento percentual de volume de um solo escavado em relação ao seu
volume inicial ou em natura.
Tempo de operação é a soma do tempo de viagem com o de carga e descarga, incluindo o
tempo correspondente as paradas voluntárias ou não – Tempo total de viagem.
Tempo total de ciclo é a soma dos tempos fixos, de percurso e de retorno
Tempo fixo é o intervalo de tempo gasto pelo veículo com carga, descarga e manobras.
Tempo de percurso ou tempo de ida é o intervalo de tempo gasto pelo veículo para ir
carregado do ponto de carregamento ao ponto de descarga.
Tempo de retorno é o intervalo de tempo gasto pelo veículo para retornar vazio do ponto de
descarga ao ponto de carga.

Considere o texto abaixo para responder as questões 19 a 20.


Na construção de uma barragem em concreto na cabeceira de um rio, em região
rochosa e com bolsões de argila e areia molhada, a fundação foi preparada sobre
rocha firme. Existe uma estrada de terra que permite o acesso ao local onde será
feita a barragem, bem como o escoamento de material para a construção.
Com base nessa situação hipotética, julgue os itens seguintes.

19 - Considere que seja necessário retirar um mesmo volume de argila e de terra comum,
ambos no estado natural, do local da escavação. Nessa situação, considerando-se o
empolamento dos materiais, o volume de terra seca a ser transportada é superior ao
volume de argila seca a ser transportada.
Resolução:
Afirmação Errada.

Para uso exclusivo de ofranc


Exercícios resolvidos de Estradas – Vol 01

Empolamento é o aumento percentual de volume de um solo escavado em relação ao seu


volume inicial ou em natura
Quem expande mais?
Segundo o Manual de Implantação básica de Rodovia do DNIT 2010.
Fator de empolamento de solos argilosos é de 40%.
Empolamento de Terra comum seca é de 25%.
Suponhamos que o volume a ser retirado seja de 10m³, então teremos 14 m³ de argila e
12,5 m³ de terra comum, o volume de terra seca a ser transportada é INFERIOR ao volume
de argila seca a ser transportada.

20 - Para a conservação da estrada de terra mencionada, seria adequado tomar, entre


outras, as seguintes providências:
eliminar as ondulações por meio da raspagem com motoniveladora, remover cordões de
terra existentes entre pista e valetas e manter a seção abaulada da estrada, para facilitar o
escoamento de água.
Resolução:
Afirmação Correta
Abaulamento é a declividade transversal simétrica em relação ao eixo da plataforma de
trechos de uma estrada, para permitir a drenagem das águas pluviais, no menor espaço de
tempo.

Considere o texto abaixo para responder as questões 21 a 24.


Considerando a infraestrutura viária — rodovias; ferrovias e metrovias; terminais
modais e multimodais —, julgue os itens seguintes.

21 - Considere que uma linha de veículo leve sobre trilhos (VLT), cujas composições serão
tracionadas com energia elétrica, esteja sendo planejada para interligar um bairro periférico
ao centro de determinada cidade. Nessa situação, a energia elétrica pode ser transmitida às
composições por meio de fiação aérea composta (catenárias).
Resolução:
Afirmação correta
Na ferrovia, a catenária é um sistema de suspensão dos cabos elétricos que alimentam
locomotivas e que se mantém sempre a mesma altura em relação ao leito da ferrovia.
Catenária significa curva a qual se estende por um fio homogêneo, indefinidamente flexível,
suspenso por duas extremidades, dois pontos fixos.

Figura 11: Fiação catenária

22 - Suponha que um terminal ferroviário de cargas será construído para permitir o


carregamento e o descarregamento de mercadorias. Considerando-se condições ideais de
projeto e reserva de capacidade para operação futura nesse terminal, é adequado que o
pátio ferroviário a ser construído tenha os feixes de recepção, de triagem (ou separação),

Para uso exclusivo de ofranc


Exercícios resolvidos de Estradas – Vol 01

de classificação (ou formação) e de partida.


Resolução:
Afirmação Correta
Reserva de capacidade para operação futura
Feixes de recepção, triagem, de classificação

Feixe significa a reunião de objetos que estão ligados por algo em comum, no nosso caso
aqui estão em paralelo.

Feixes de Linhas Múltiplas


Pátios de maior importância devem possuir diversos “feixes de desvios” que serão dispostos
de acordo com as necessidades de cada “terminal” e para os quais será dirigida a
composição ou suas frações, conforme a necessidade específica do serviço:
1) Feixe de recepção;
2) Feixe de separação (triagem);
3) Feixe de classificação (ou de formação);
4) Feixe de partida.
Do “feixe de recepção”, os vagões desligados, são conduzidos para o “feixe de triagem”,
onde os vagões são separados por destino geográfico.
No “feixe de classificação”, completa-se a seleção dos vagões, colocando-os por ordem de
destino.
No ”feixe de partida” deve haver um número de desvios correspondentes aos diferentes
destinos.
O pátio pode necessitar de linhas independentes de acesso ao parque de manutenção de
locomotivas ou ao estacionamento.
Em pátios de menor importância, os feixes de triagem e de classificação podem ser
englobados em um único feixe.

PÁTIOS FERROVIÁRIOS
Correspondem ao conjunto de instalações ferroviárias e sistemas de feixes de linhas, onde
se processam:
- Fracionamento de composições;
- Formação de composições;
- Recepção, cruzamento e partida de trens;
- Estacionamento de vagões e outros veículos;
- Manobras diversas.

Tipos Básicos de Pátios


01 - Pátios de Cruzamentos
São pátios destinados apenas para o cruzamento ou ultrapassagem de trens.
São compostos de um desvio de comprimento útil, suficiente para conter o trem tipo que
circula no trecho.
Poderá, além deste desvio principal, conter outro menor, para estacionamento de vagões e
veículos avariados, retirados das composições.
02 - Pátios de Triagem
São caracterizados por permitirem operações de fracionamento ou formação de
composições sendo, normalmente, situados em pólos industriais ou urbanos de grande

Para uso exclusivo de ofranc


Exercícios resolvidos de Estradas – Vol 01

porte, em entroncamentos de duas linhas e nos pontos de quebra de tração (mudança do


perfil da linha, final de serra e início de planalto).
03 - Pátios Terminais
São caracterizados por possuírem:
- Maior movimento de carga e descarga de mercadorias (Terminais de Carga);
- Maior movimento de passageiros (Terminais de Passageiros).

Partes Componentes de um Pátio


Linhas
As linhas ou vias que compõem os pátios e formam os “feixes de linhas”, têm características
específicas e podem ser descritas como segue:
1) Linha Principal – é a linha de melhor traçado do pátio, onde os trens circulam sem que
haja necessidade de mudança de direção;
2) Linha Secundária – é a linha que parte da principal, para a qual são desviados os trens
que devem aguardar cruzamento ou ultrapassagem;
3) Linha de Circulação – é a linha destinada para deslocamento de veículos e locomotivas
de manobras de um extremo ao outro do pátio;
4) Linhas Específicas – são aquelas que têm funções bem definidas nos “feixes de linhas”
que compõem os pátios:
- Linha de transferência de carga;
- Linha de passagem;
- Linha de armazém;
- Linha de abastecimento;
- Linha de reparação;
- Linha de estacionamento de trens de socorro;
- Linhas diversas (outras).
Haste de Manobra é um segmento de linha, situado no extremo do pátio que serve para a
movimentação da composição ou parte dela, sem interferir em outras correntes de tráfego,
garantindo uma elevada flexibilidade operacional, isto é, possibilitando executar várias
manobras, simultaneamente.
Triângulo de Reversão é o aparelho de via usado para efetuar a mudança de sentido, no
deslocamento de um veículo.
Giradores são equipamentos utilizados para girar veículos, instalados em pátios, onde não
é possível a construção de triângulos de reversão por falta de espaço, ou outros motivos.
Edifícios Administrativos são as estações.
Armazéns e Barracões são utilizados para armazenagem de cargas antes, durante e
depois das operações de transporte.
Torre de Comando é onde se localiza a Central de controle da via.
Iluminação e instalações elétricas completas, com cabos, postes, refletores,
transformadores, quadros de comando, relês e chaves que permitem a operação noturna
dos pátios de manobra.

23 - O transporte rodoviário pode operar conjuntamente ao transporte ferroviário, mediante


a utilização de piggy-backs, que transportam, em vagões-plataforma, os caminhões
completamente montados (a parte do caminhão que contém o motor e a carroceria).
Resolução:
Afirmação Errada
Piggy-back é uma técnica utilizada no transporte multimodal que consiste no uso de semi

Para uso exclusivo de ofranc


Exercícios resolvidos de Estradas – Vol 01

reboques rodoviários sobre plataformas ferroviárias comuns.


O serviço de transporte piggyback, com o objetivo de viabilizar a intermodalidade de cargas
utilizando a ferrovia como um dos modais. O serviço piggyback inclui o transporte de
trailers de caminhão (TOFC) e de containers (COFC).

O serviço piggyback TOFC combina a eficiência em longas distâncias da ferrovia com a


flexibilidade do serviço de coleta e entrega feito pelos caminhões. Entregas com hora
marcada, regularidade de escalas e economia de gastos com combustível são as maiores
razões para o presente crescimento e potencial futuro deste tipo de serviço. Por exemplo,
uma composição de cem vagões (que carregue dois trailers em cada vagão) é mais
econômico do que duzentos caminhões viajando pela rodovia.

Figura 12: Piggyback TOFC - Caminhões

O serviço piggyback COFC pode ser considerado como a forma internacional de transporte
de containers e seu equivalente doméstico o TOFC. Um container não possui rodas e deve,
portanto, ser colocado sobre uma plataforma de caminhão para que seja feita a entrega
porta a porta, após o transporte ferroviário. O volume de manuseio de carga, neste caso, é
reduzido porque o container pode ser carregado e selado na origem e embarcado
diretamente ao destinatário. Economias de escala são obtidas ao se transportar mercadorias
acabadas em containers, o que significa não só menores custos de embalagem e
armazenagem, como também menores tempos de trânsito uma vez que todos os esforços
de carregamento, descarregamento e entrega de mercadorias são reduzidos.

Figura 13: Piggyback COFC

24 - Nos pavimentos rodoviários flexíveis, a avaliação das condições de segurança dos


revestimentos asfálticos é realizada por meio da medição da macrotextura e da aderência
pneu-pavimento. Para o levantamento dessa aderência, utiliza se, por exemplo, o ensaio da
mancha de areia, enquanto, para o levantamento da macrotextura, é utilizado o pêndulo
britânico.
Resolução:

Para uso exclusivo de ofranc


Exercícios resolvidos de Estradas – Vol 01

Afirmação Errada
A avaliação da macrotextura é feita através do ensaio de mancha de areia. A
macrotextura dá uma indicação de rugosidade geométrica do revestimento, sendo assim
permite estimar sua capacidade de drenagem de água superficial.

A maneira mais comum de se medir microtextura é através do ensaio de pêndulo


britânico.
Pêndulo Britânico
O ensaio de aderência é feita através do pêndulo britânico, microtextura, resistência a
derrapagem.

Acerca de tópicos relacionados a sistema viário, tráfego, técnica e economia dos


transportes, julgue os itens de 25 e 26.

25 - Suponha que uma nova área a ser urbanizada terá vias de comunicação arteriais,
coletoras e locais. Nesse caso, considerando-se que as variáveis acessibilidade e mobilidade,
oferecidas aos usuários do transporte motorizado, são essenciais, é correto afirmar que os
projetos de vias arteriais deverão proporcionar acessibilidade, enquanto os projetos de vias
coletoras e locais deverão oferecer mobilidade.
Resolução:
Afirmação Errada
Em termos funcionais as principais funções das vias são a acessibilidade e a mobilidade.
Em um sistema viário, quanto maior a acessibilidade de uma via, menor a sua fluidez
(mobilidade) e quanto maior a sua fluidez, menor sua acessibilidade. Ou seja, a
acessibilidade é maior em vias com menor capacidade de geração de viagens (vias locais).
Por outro lado, nas vias com maior capacidade (vias arteriais) o seu acesso é menor,
resultando em uma maior capacidade de dar vazão ao fluxo. Esta é a relação
mobilidade/acessibilidade
Vias arteriais deverão proporcionar MOBILIDADE, atender a demanda de tráfego de
passagem por uma região.
Vias coletoras e locais deverão proporcionar ACESSIBILIDADE, atendimento ao tráfego
local e das propriedades lindeiras.
Via coletora é a via que serve de ligação entre vias arteriais e locais

Para uso exclusivo de ofranc


Exercícios resolvidos de Estradas – Vol 01

Figura 14: Relação Mobilidade e Acessibilidade das Vias Urbanas

Classificação Funcional das Vias Urbanas (Resumo)


VIAS EXPRESSAS
- Ligações rápidas em escala metropolitana
- Trânsito de passagem exclusivo

VIAS ARTERIAIS
- Ligações em escala metropolitana e em escalas de zonas
- Trânsito de passagem permanente

VIAS COLETORAS
- Ligações em escala de bairros
- Trânsito de passagem e local equilibrados

VIAS LOCAIS – residenciais e outras


• Ligação em escala de unidade de vizinhança
• Trânsito local predominante

26 - No Brasil, o transporte de grãos pode ser realizado por meio de operadores de


transporte multimodal de cargas, tipo de transporte de cargas que, de acordo com a
legislação brasileira, utiliza duas ou mais modalidades de transporte desde a origem até o
destino e é regido por vários contratos simultâneos.
Resolução:
Afirmação Correta
Intermodal é a operação que envolve mais de uma modalidade de transporte, sob um
único conhecimento de transporte, o qual é emitido por um Operador de Transporte
Multimodal (OTM).
O OTM assume total responsabilidade pela operação, desde a origem até o destino, como
um transportador principal e não como um agente.

Para uso exclusivo de ofranc


Exercícios resolvidos de Estradas – Vol 01

Figura 15: Multimodal - Modalidades de transporte

27 - As cotas de nível de dois pontos A e B, distantes entre si de 40,00 m, são 836,40 e


835,20. O ponto C, com cota de 836,10, encontra-se a uma distância do ponto A, em
metros, de
(A) 3,60.
(B) 4,80.
(C) 9,00.
(D)10,00.
(E) 12,00.
Resolução:

Cota no Ponto “A” = 836,40 m e no Ponto “B” 835,20 m.


Distância entre “A” e “B” é de 40 metros.
Para 40 metros de distancia temos uma diferença de cota de 1,20 metros
No Ponto “C” a cota é 836,10 m e está localizado entre os pontos A e B.
Fazendo a Regra de Três
Dif de cota Distância entre os pontos
1,20 m ----------- 40 metros
0,30 m ----------- x metros
X = 10 metros
A Resposta correta é “D”.

28 - Se um traxcavator consegue carregar 16 caminhões de 5 m³ com material solto em


uma hora de trabalho, durante a escavação de um material que tem empolamento igual a
25%, o volume de material no corte removido em duas horas de serviço é
(A) 64 m³.
(B) 80 m³.

Para uso exclusivo de ofranc


Exercícios resolvidos de Estradas – Vol 01

(C) 128 m³.


(D) 160 m³.
(E) 200 m³.
Resolução
Em 1 hora teremos 80 m³ de material solto.
Em 2 horas teremos 160m³.
Se Empolamento é 25% para transportarmos 1m³ de material de corte teremos 1,25 m³ de
volume solto.
Logo em 2 horas teremos 160/1,25 é igual a 128m³ de volume de corte.
A Resposta correta é “C”.

Figura 16 - Traxcavator

29 - Sob certas condições é possível evitar-se o deslocamento de materiais instáveis,


durante a execução do aterro, construindo-se camadas laterais que servem de contrapeso
aos empuxos resultantes da carga do aterro principal. A denominação técnica dessas
camadas é:
(A) camada de topo;
(B) camada drenante;
(C) muro de gravidade;
(D) contrafortes;
(E) bermas de equilíbrio.
Resolução
Berma de equilíbrio é realizada lateralmente nos aterros assentes sobre terrenos de baixa
capacidade de suporte, destinada a manter o equilíbrio e impedindo o refluxo do solo
subjacente.

Para uso exclusivo de ofranc


Exercícios resolvidos de Estradas – Vol 01

Figura 17 - Berma de equilíbrio

A Resposta correta é “E”.

Agora vamos aproveitar a questão para analisar os demais itens.


Camada drenante tem função de drenar águas pluviais.
Muro de gravidade, é usado para contenção de encostas de morros.

Considere o texto abaixo para responder as questões 30 e 31.


Um aspecto importante no sistema de transporte de uma cidade está relacionado à
pavimentação das vias destinadas ao trânsito de veículos, uma vez que tem
consequências diretas sobre a segurança do trânsito de veículos e o escoamento
de águas pluviais, entre outros aspectos.
Com relação a esse assunto, julgue os itens seguintes.

30 - Para vias de trânsito de veículos leves, recomenda-se a adoção de pavimento flexível


constituído de placas delgadas de concreto armado, assentadas sobre uma sub-base
compactada.
Resolução:
Afirmação errada
Pavimento flexível não é composto por placas de concreto armado.
O pavimento flexível é composto por várias camadas de materiais diferentes, temos
Revestimento, a Base, a Sub base e o Reforço do subleito.

Para uso exclusivo de ofranc


Exercícios resolvidos de Estradas – Vol 01

Placas delgadas significam camadas finas.

31 - A fixação da espessura mínima a adotar para os revestimentos betuminosos é feita


com base no número de operações do eixo padrão.
Resolução:
Afirmação correta
Segundo o Manual de Pavimento flexível, item de revestimento betuminoso.

Figura 18: Espessura do revestimento betuminoso.

32 - Quanto aos principais tipos de pavimentação, rígidos e flexíveis, é INCORRETO


afirmar que:
(A) os rígidos são pouco deformáveis.
(B) os rígidos rompem por tração na flexão.
(C) os flexíveis são aqueles em que as deformações, até certo limite, não levam ao
rompimento.
(D) os flexíveis são dimensionados, normalmente, à compressão e à tração, na flexão.
(E))a placa de concreto exerce as funções de base e revestimento, nos pavimentos rígidos.
Resolução:
Placa de concreto não tem revestimento.

Figura 19: Pavimento Rígido


A Resposta correta é “E”

Vamos aproveitar a questão para analisar os demais itens:

Para uso exclusivo de ofranc


Exercícios resolvidos de Estradas – Vol 01

Os rígidos são pouco deformáveis.


Os rígidos rompem por tração na flexão.
Os flexíveis são aqueles em que as deformações, até certo limite, não levam ao
rompimento.
Os flexíveis são dimensionados, normalmente, à compressão e à tração, na flexão.

Figura 20: Comparativo entre Pavimento Rígido e Flexível

Figura 21: Pavimento Flexível e Rígido - Distribuição de cargas

33 - Em se tratando dos elementos geométricos do projeto de uma rodovia, os principais


são os axiais e os transversais.
Considerando essa informação, a afirmativa CORRETA é:
(A) Curvas horizontais e tangentes são elementos altimétricos.

Para uso exclusivo de ofranc


Exercícios resolvidos de Estradas – Vol 01

(B) Tangentes e greides retos são elementos planimétricos.


(C) Curvas horizontais e curvas verticais são elementos altimétricos.
(D) Tangentes e curvas horizontais são elementos planimétricos.
(E) Tangentes e curvas são elementos apenas altimétricos.
Resolução:
Analisando item por item teremos:
A – As curvas horizontais são elementos planimétricos, bidimensional (eixo X e Y)
B – Greides são elementos altimétricos
A Resposta correta é “D”

Vamos aproveitar a questão para discorrer sobre a:


Utilização das Medidas de um Levantamento Altimétrico
As medidas, cálculos e transportes de um nivelamento podem ser utilizados na:
Construção de Perfis
- Estudo do relevo ou do seu modelado, através das curvas de nível;
- Locação de rampas de determinada declividade para projetos de engenharia e arquitetura:
edificações, escadas, linhas de eletrificação rural, canais e encanamentos, estradas etc.;
- Estudo dos serviços de terraplanagem (volumes de corte e aterro).

Altimetria é a parte da topografia que nos permite o levantamento do relevo do terreno,


ou seja, o valor da coordenada Z.
Para isso, temos que ter bem presente em nossas mentes o que é:
01 - Altitude é a distância vertical que vai desde um ponto qualquer da superfície
topográfica, até o nível médio do mar. Tido como plano de referência verdadeiro.
02 - Cota é a distância vertical que vai desde um ponto qualquer da superfície topográfica,
até o plano imaginário de referência. Plano particular para um nivelamento.
03 - Desnível é a diferença da distância vertical entre dois ou mais pontos da superfície
topográfica. Geralmente determinado pela diferença entre as cotas dos pontos em questão,
tendo-se o cuidado de indicar se essa diferença é em aclive (+) ou em declive (-).
04 - Referência de nível (RN) o RN é um marco geodésico que nos indica o valor das
coordenadas, principalmente a altitude do referido ponto. Esses marcos são levantados,
pelo SGE (Serviço Geográfico do Exército) ou pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e
Estatística).
05 - Transportar um RN significa fazermos um nivelamento de precisão desde um RN pré-
existente, até o local onde desejamos saber a altitude.

Planimetria é uma metodologia que tem por finalidade a determinação, no terreno, dos
dados necessários à representação em plano horizontal, da forma e da posição relativas de
todos os acidentes que nele se encontram, comportando, assim, a medida de ângulos e de
distâncias referidas àquele plano, através das coordenadas X e Y (representação
bidimensional).

Greide ou “Grade” é a linha que une dois a dois, um certo número de pontos dados num
perfil. É o eixo de uma rampa. Ou a representação da rampa sobre o gráfico do perfil.
Ao se locar um greide sobre o gráfico de um perfil longitudinal, surgem distâncias verticais
entre o ponto por onde passa o greide e o ponto correspondente no terreno.

Greide ou “Grade” é a linha que une dois a dois, um certo número de pontos dados num

Para uso exclusivo de ofranc


Exercícios resolvidos de Estradas – Vol 01

perfil

Figura 22: Greide

34 - Dada a figura abaixo, calcular a área, pelo processo das coordenadas.

(A) 1.908,00 m².


(B) 1.235,57 m².
(C) 1.490,00 m².
(D) 2.057,00 m².
(E) 2.286,00 m2.
Resolução:
X1= 0 X2= 42,485 X3= 48,761
Y1= 51,518 Y2= 46,409 Y3= 103,819

Formula para cálculo de área


A= 0,5* ((y1*x2+y2*x3+y3*x1) – (y1*x3+y2*x1+y3*x2))
A= 0,5* ((2188,14+2262,46+0) – (2511,63+0+4409,85))
A= 0,5*(4450,60-6921,47)
A= 0,5*[-2470,87]
A= 1235,57 m²

A Resposta correta é “B”

35 - Dentre as características dos materiais betuminosos e metálicos listadas abaixo,


assinale a opção correta.

Para uso exclusivo de ofranc


Exercícios resolvidos de Estradas – Vol 01

(A) Hidrocarbonetos são compostos químicos formados somente por carbono e oxigênio.
(B) A viscosidade determina a resistência à tração e dureza dos betumes.
(C) O betume asfáltico é um material sólido de baixa viscosidade resultante da destilação
fracionada do petróleo.
(D) A capacidade de uma escora metálica depende apenas de sua seção transversal, e
independe de seu comprimento.
(E) Os aços laminados a quente têm patamar de escoamento.
Resolução:
Das afirmações acima a opção correta é a de que os aços laminados a quente têm patamar
de escoamento.
Laminação É um processo de transformação mecânica que consiste na redução da seção
transversal por compressão do metal, por meio da passagem entre dois cilindros de aço ou
ferro fundido com eixos paralelos que giram em torno de si mesmos.
Esta seção transversal é retangular e refere-se a produtos laminados planos de alumínio e
suas ligas, compreendendo desde chapas grossas com espessuras de 150 mm, usadas em
usinas atômicas, até folhas com espessura de 0,005 mm, usadas em condensadores.
Existem dois processos tradicionais de laminação de alumínio: “laminação a quente” e
“laminação a frio”.
Aços laminados a quente têm patamar de escoamento.
Laminagem a quente é um processo que envolve moinho de rolamento do aço a uma
temperatura elevada (tipicamente a uma temperatura acima de 1700 ° F), o que é acima da
temperatura de recristalização do aço. Quando o aço é acima da temperatura de
recristalização, que pode ser moldado e formado de modo simples, e o aço pode ser feito
em tamanhos muito maiores. Aço laminado a quente é geralmente mais barato do que o
aço laminado a frio devido ao fato de que muitas vezes é fabricado sem quaisquer atrasos
no processo, e, portanto, não é necessária a reaquecimento do aço (como é com laminados
a frio). Quando o aço arrefece ele irá encolher ligeiramente dando, assim, menos controlo
sobre o tamanho e a forma do produto acabado quando comparado ao laminado a frio.
Aço laminado a quente é usado em situações em que as formas e tolerâncias exatas não
são necessárias.
A Resposta correta é “E”

Vamos aproveitar a questão para analisar os demais itens:


Hidrocarbonetos são substâncias ou compostos formados por átomos de carbono e de
hidrogênio.
Viscosidade é a característica ou estado daquilo que é viscoso ou pegajoso. A resistência
que um fluido apresenta ao escoamento, ocasionada pelo movimento relativo entre suas
partes; atrito que ocorre no interior de um fluido. Mecanismo utilizado pelas partículas de
uma substância ao se aderirem (umas às outras).
Betume é uma mistura de hidrocarbonetos pesados obtidos em estado natural ou por
diferentes processos físicos ou químicos com seus derivados, de consistência variável e com
poder aglutinante e impermeabilizante, sendo completamente solúvel em bissulfeto de
carbono (CS2)
A capacidade de uma escora metálica depende de sua seção transversal e de seu
comprimento.

36 - O ensaio CBR, realizado em corpos de prova para determinar as características de um


solo, tem por objetivo verificar

Para uso exclusivo de ofranc


Exercícios resolvidos de Estradas – Vol 01

(A) sua granulometria.


(B) sua capacidade de suporte.
(C) seu peso específico.
(D) o índice de vazios.
(E) seu módulo de elasticidade.
Resolução:
O ensaio CBR, realizado em corpos de prova para determinar as características de um solo,
tem por objetivo verificar sua capacidade de suporte.
Ensaio CBR é o ensaio de suporte dos solos muito utilizado dada a simplicidade do
equipamento necessário e a facilidade de execução apesar do empirismo metodológico.
Índice de Suporte Califórnia (ISC) ou ensaio CBR é a relação, em porcentagem, entre
pressão obtida na penetração de um pistão padronizado, a velocidade de 0,05 pol/min, em
um corpo de prova de solo preparado de modo padronizado e uma pressão tomada como
padrão. As pressões padrões foram obtidas, ensaiando uma brita graduada de alta
qualidade, considerada como material de referência. A pressão geralmente tomada para o
cálculo do ISC é a correspondente a 0,1 pol de penetração, mas em alguns casos são
usadas outras penetrações.
Através do ensaio de CBR é possível conhecer qual será a expansão de um solo sob um
pavimento quando este estiver saturado, e fornece indicações da perda de resistência do
solo com a saturação.
O ensaio de CBR é mundialmente difundido e serve de base para o dimensionamento de
pavimentos flexíveis.
A Resposta correta é “B”

Vamos aproveitar a questão para analisar os demais itens:

Em Mecânica dos solos o Índice de vazios é a relação porcentual entre o volume de vazios
de um material e o volume de sólidos, contidos em uma porção de solo.
Peso específico é a relação entre PESO e o VOLUME de um corpo, expressa geralmente
em N/m³ ou Kgf/m³.
Massa específica é a relação entre massa e volume de um corpo, expressa geralmente
kg/m³ ou g/m³.
OBS: Não confundir Peso específico com Massa específica.
Modulo de Elasticidade é a relação, na fase elástica, entre dada tensão a que se submete
um corpo e a deformação que corresponde a esta.

37 - A quantidade ótima de ligante a ser utilizada em misturas asfálticas usinadas a quente,


destinadas à pavimentação de vias, pode ser determinada pelo método de dosagem
Marshall. O ensaio Marshall executado para simular a energia de compactação, com
intensidade de tráfego pesado, estabelece que a quantidade de golpes de soquete por face
do corpo-de-prova é
(A) 50.
(B) 75.
(C) 100.
(D) 150.
(E) 175.
Resolução:
O método Marshall indica 2 níveis de energia de compactação:

Para uso exclusivo de ofranc


Exercícios resolvidos de Estradas – Vol 01

50 golpes por face do corpo de prova para baixos volumes de tráfego.


75 golpes por face do corpo de prova para ALTOS volumes de tráfego.
A Resposta correta é “B”

Marshall é o nome dado a um ensaio para avaliar a estabilidade e a fluência de misturas


betuminosas usinadas a quente.
Estabilidade Marshall é a resistência máxima á compressão diametral semi confinada
apresentada pelo corpo de prova, quando moldado e ensaiado.
Fluência Marshall é a deformação total apresentada pelo corpo de prova, desde aplicação da
carga inicial nula até a aplicação da carga máxima.

Figura 23: Ensaio Marshall

38 - Para a construção de estradas com sub-base ou base de solo-cimento preparadas em


usinas, o tempo decorrido entre o início da compactação e o acabamento final da camada
não deve exceder a
(A) 5 horas.
(B) 4 horas.
(C) 3 horas.
(D) 2 horas.
(E) 1 hora.
Resolução:
O tempo entre o início da compactação e o acabamento final da camada não deve passar de
2 horas.
A Resposta correta é “D”

39 - A superfície acabada da sub-base ou base de solo-cimento deve ser imprimada.


Contudo, a imprimação não deve ser aplicada em dias chuvosos, dias nebulosos prestes a
chover e em dias com temperatura ambiente abaixo de
(A) 16°C.
(B) 20°C.
(C) 14°C.
(D) 10°C.
(E) 12°C.

Para uso exclusivo de ofranc


Exercícios resolvidos de Estradas – Vol 01

Resolução:
A Imprimação não deve ser aplicada em dias chuvosos e com temperatura ambiente abaixo
de 10°C.
A Resposta correta é “D”

Vamos aproveitar a questão para analisar os demais itens:


Imprimadura ou imprimação é a aplicação de um material betuminoso fluido na superfície
de uma base concluída, para aumentar sua coesão superficial, impermeabiliza La e
aumentar sua aderência ao revestimento.
Pintura de imprimadura é a primeira camada fina de tinta aplicada sobre a superfície de
material novo ou deteriorado antes da pintura propriamente dita.

40 - O ensaio realizado por meio da extensão ou alongamento de pequenas amostras de


cimento asfáltico de petróleo (CAP) define sua característica de
(A) solubilidade.
(B) ductilidade.
(C) fadiga.
(D) densidade.
(E) ponto de amolecimento.
Resolução:
Ductilidade é a capacidade de um material se deformar sob a ação de cargas, o material
dúctil consegue se distender e comprimir sem que haja rompimento, trata se de um
material deformável, maleável.
A Resposta correta é “B”

Vamos aproveitar a questão para analisar os demais itens:


CAP Cimento asfáltico é obtido especialmente para apresentar as qualidades e consistências
próprias para o uso direto na construção de pavimentos, Rever nos meus apontamentos
Solubilidade é a capacidade de dissolução de uma determinada substância (soluto) em
outra que seja homogênea (solvente).
Fadiga consiste numa redução gradual da resistência de um material em face a repetidas
solicitações.
O efeito repetido de carga ou de vibrações provoca uma redução na capacidade resistente.
Ponto de amolecimento é a temperatura mais baixa na qual uma esfera metálica
padronizada, atravessando um anel também padronizado, perfeitamente cheio com material
betuminoso, percorre uma determinada distância.

41 - Nos pavimentos flexíveis, o revestimento betuminoso é componente importante para o


bom desempenho desse tipo de infra-estrutura. Esse revestimento pode ser classificado
como revestimento por penetração e por mistura.
Acerca de revestimento betuminoso, assinale a opção correta.
(A) O tratamento superficial é uma categoria de revestimento por mistura.
(B) No macadame betuminoso por penetração direta, o material betuminoso é lançado
previamente ao agregado.
(C) A capa selante pode ser construída por penetração invertida ou direta.
(D) Revestimento por mistura, em função do material ligante, pode ser classificado como
de graduação aberta ou de graduação densa.
(E) Areia-betume é um tipo de misturado a frio em usina.

Para uso exclusivo de ofranc


Exercícios resolvidos de Estradas – Vol 01

Resolução:
Revestimento betuminoso
Capa selante é a camada de revestimento do pavimento executado por penetração
invertida ou direta, constituída de uma aplicação de ligante asfáltico.

A Resposta correta é “C”

Vamos aproveitar a questão para analisar os demais itens:


Areia betume ou areia asfalto é uma argamassa constituída de agregado miúdo, ligante
betuminoso e eventualmente filler.
Macadame betuminoso por penetração é o revestimento constituído de aplicações de
agregados graúdos e de aplicações de ligante betuminoso para enchimento dos vazios e
aglutinação dos agregados.
Tratamento superficial é um revestimento constituído pela aplicação de material
betuminoso, sobre a base, seguida de cobertura de agregado, podendo esta operação ser
repetida 2 ou 3 vezes, formando 1,2 ou 3 camadas

42 - Na tarefa de conservação dos pavimentos flexíveis, deve-se identificar os defeitos


existentes e suas causas prováveis, para então traçar a estratégia de reparo.
Com relação a esses defeitos, assinale a opção incorreta.
(A) Trincas são defeitos exclusivos do revestimento, a partir do qual evoluem para todo o
pavimento.
(B) Desagregação é resultado de deficiência no ligante.
(C) Instabilidade ou deformação plástica pode ser ocasionada por excesso de ligante.
(D) A ação da água constantemente presente no pavimento pode ocasionar desagregação.
(E) Ondulações transversais ou sulcos profundos podem ser ocasionados por deformação
plástica da base.
Resolução:
Trinca é qualquer descontinuidade na superfície do pavimento (Flexível ou Rígido),
consistindo de aberturas de menor que podem evoluir para de maior porte, apresentando
sob diversas formas, constituindo se em objeto de consideração quando da avaliação da
superfície da pista de rolamento.
As trincas normalmente começam na superfície, mas se não for tratada de forma correta,
ela se expande para as demais camadas do pavimento.

Para uso exclusivo de ofranc


Exercícios resolvidos de Estradas – Vol 01

Figura 24: Trinca interligada – Tipo Jacaré

Figura 25: Trinca Isolada

Figura 26: Ondulações

Figura 27: Afundamento de trilha de roda

Para uso exclusivo de ofranc


Exercícios resolvidos de Estradas – Vol 01

Figura 28: Panela

A Resposta correta é “A”

43 A representação de um levantamento topográfico utiliza convenções que permitem


representar o terreno real, com suas três dimensões, em desenhos executados em duas
dimensões.
Acerca desse assunto, assinale a opção correta.
(A) Os desenhos gráficos das curvas de nível para representar uma elevação ou uma
depressão são muito distintos.
(B) Com o traçado das curvas de nível e de um rio, pode-se saber o sentido de
escoamento, independentemente de cotas altimétricas.
(C) As distâncias medidas no desenho representam a distância entre dois pontos
acompanhando a declividade do terreno.
(D) A equidistância das curvas de nível é assegurada tanto no plano horizontal como no
vertical.
(E) Na representação de um talvegue, as curvas de nível têm arranjo inverso daquelas para
a representação de um rio.
Resolução:
Com o traçado das curvas de nível e de um rio, pode-se saber o sentido de escoamento,
independentemente de cotas altimétricas.
A Resposta correta é “B”.

Vamos aproveitar a questão para analisar os demais itens:


Curvas de nível: é a forma mais tradicional para a representação do relevo. Podem ser
definidas como linhas que unem pontos com a mesma cota ou altitude. Representam em
projeção ortogonal a interseção da superfície do terreno com planos horizontais.
A diferença de cota ou altitude entre duas curvas de nível é denominada de equidistância
vertical, obtida em função da escala da carta, tipo do terreno e precisão das medidas
altimétricas.
As curvas de nível devem ser numeradas para que seja possível a sua leitura. A figura 15.6
apresenta a representação de uma depressão e uma elevação empregando-se as curvas de
nível. Neste caso esta numeração é fundamental para a interpretação da representação.

Para uso exclusivo de ofranc


Exercícios resolvidos de Estradas – Vol 01

As curvas de nível podem ser classificadas em curvas mestras ou principais e secundárias.


As mestras são representadas com traços diferentes das demais (mais espessos, por
exemplo), sendo todas numeradas. As curvas secundárias complementam as informações.

Figura 29: Curvas Mestras e Secundárias

Algumas regras básicas a serem observadas no traçado das curvas de nível:


01 - As curvas de nível são "lisas", ou seja não apresentam cantos.
02 - Duas curvas de nível nunca se cruzam.
03 - Duas curvas de nível nunca se encontram e continuam em uma só (figura 15.10).
04 - Quanto mais próximas entre si, mais inclinado é o terreno que representam (figura
15.11).

Talvegue é um termo bastante utilizado na área da hidrologia e entre outras do


conhecimento humano, sendo uma palavra originária da expressão em alemão "thal weg"
significando "caminho do vale".
Mais precisamente, é denominado talvegue certa linha de relativa sinuosidade localizada no
fundo de um vale, originária a partir da junção de duas superfícies, formando um ângulo. O
talvegue representa ainda uma determinada configuração que consiste na parte mais funda
de um vale, sendo que passam por este as águas de chuva, rios e riachos. É por isso
mesmo, que, quando coberto por um curso de água permanente, consiste também no canal
mais profundo do leito do curso de água. Além desta característica, o talvegue irá delinear a
direção natural deste curso, sendo a sua linha a parte mais rápida da correnteza do mesmo.
Aplica-se o termo ainda aos cursos subterrâneos de água que em certos pontos afloram à
superfície, seguindo-se a linha da corrente mais rápida e forte para delimitar seu traçado
nas partes em que o leito aquoso se encontra encoberto.

Para uso exclusivo de ofranc


Exercícios resolvidos de Estradas – Vol 01

Figura 30: Talvegue

44 - O maior declive do terreno da figura ocorre em:

(A) a
(B) b
(C))c
(D) d
(E) e
Resolução:
A menor distância entre duas curvas de nível representa a linha de maior declive do
terreno.
A Resposta correta é “C”

45 - Com relação a serviços de topografia, seus componentes, equipamentos e


procedimentos, assinale a opção incorreta.
(A) As poligonais podem ser abertas ou fechadas.
(B) O serviço de altimetria visa à determinação de cotas ou altitudes de pontos.
(C) As curvas de nível são as projeções, sobre o plano horizontal, das linhas que
representam as interseções entre a superfície do terreno e os planos horizontais
equidistantes entre si na direção vertical.
(D) O azimute de uma direção pode ser magnético ou verdadeiro.
(E) Os teodolitos medem somente ângulos horizontais.
Resolução:

Para uso exclusivo de ofranc


Exercícios resolvidos de Estradas – Vol 01

Teodolitos são equipamentos destinados à medição de ângulos, horizontais ou verticais,


objetivando a determinação dos ângulos internos ou externos de uma poligonal, bem como
a posição de determinados detalhes necessários ao levantamento (Figura 6.8).
Atualmente existem diversas marcas e modelos de teodolitos, os quais podem ser
classificados em:
• Pela finalidade: topográficos, geodésicos e astronômicos;
• Quanto à forma: ópticos-mecânicos ou eletrônicos;
• Quanto a precisão: A NBR 13133 (ABNT, 1994, p. 6) classifica os teodolitos segundo o
desvio padrão de uma direção observada em duas posições da luneta, conforme tabela 6.1.

Figura 31: Teodolito – Precisão dos equipamentos

A Resposta correta é “E”.

Vamos aproveitar a questão para analisar os demais itens:


Poligonal
A poligonação é um dos métodos mais empregados para a determinação de coordenadas
de pontos em Topografia, principalmente para a definição de pontos de apoio planimétricos.
Uma poligonal consiste em uma série de linhas consecutivas onde são conhecidos os
comprimentos e direções, obtidos através de medições em campo.
O levantamento de uma poligonal é realizado através do método de caminhamento,
percorrendo-se o contorno de um itinerário definido por uma série de pontos, medindo-se
todos os ângulos, lados e uma orientação inicial (figura 9.1). A partir destes dados e de
uma coordenada de partida, é possível calcular as coordenadas de todos os pontos que
formam esta poligonal.
Utilizando-se uma poligonal é possível definir uma série de pontos de apoio ao
levantamento topográfico, a partir dos quais serão determinadas coordenadas de outros
pontos.

As poligonais levantadas em campo poderão ser fechadas, enquadradas ou abertas.


• Poligonal fechada: parte de um ponto com coordenadas conhecidas e retorna ao mesmo
ponto (figura 9.2). Sua principal vantagem é permitir a verificação de erro de fechamento
angular e linear.
Poligonal aberta: parte de um ponto com coordenadas conhecidas e acaba em um ponto
cujas coordenadas deseja-se determinar (figura 9.4). Não é possível determinar erros de
fechamento, portanto devem-se tomar todos os cuidados necessários durante o
levantamento de campo para evitá-los.
Azimute de uma direção é o ângulo formado entre a meridiana de origem que contém os
Pólos, magnéticos ou geográficos, e a direção considerada. É medido a partir do Norte, no
sentido horário e varia de 0º a 360º.

Para uso exclusivo de ofranc


Exercícios resolvidos de Estradas – Vol 01

Azimute verdadeiro é igual ao azimute magnético menos a declinação magnética.


Azimute magnético é igual ao azimute verdadeiro mais declinação magnética.
Para maiores informações sobre Altimetria, consulte a questão 33 e sobre Curvas de
nível a questão 43.

46 - A seleção apropriada de equipamentos de escavação reduz custos e o tempo de


execução da obra. No caso de escavações para aberturas de valas de pequenas dimensões,
particularmente quando existem obstáculos tais como escoramentos e tubulações
subterrâneas, o equipamento indicado é o
(A) drag-line.
(B) trator de esteiras.
(C) motoescraper.
(D) clam-shell.
(E) shovel.
Resolução:
Escavações para aberturas de valas de pequenas dimensões, particularmente quando
existem obstáculos tais como escoramentos e tubulações subterrâneas, o equipamento
indicado é o Clam Shell.
Clam Shell é uma escavadeira com caçamba de mandíbulas
− É semelhante à caçamba drag-line, porém com menor raio de ação.
- Caçamba suspensa por cabo vertical, usadas em valas escoradas.
- Caçamba abre e fecha como mandíbula.
− Remoção do material verticalmente, podendo escavar dentro de valas escoradas.
A Resposta correta é “D”.

Vamos aproveitar a questão para analisar os demais itens:


Drag Line é uma escavadeira de arrasto
Recomendações de uso
- Execução de taludes;
- Remoção de solos úmidos;
- Abertura de valas com grandes dimensões, sem escoramento;
- Remoção de solos submersos;
- Abertura de canais de drenagem;
- Limpeza de cursos d’água com o uso de caçambas perfuradas.

Figura 32: Drag line

Para uso exclusivo de ofranc


Exercícios resolvidos de Estradas – Vol 01

Motoscraper é uma máquina propulsora, composta de uma unidade motriz articulada com
uma caixa metálica que se aciona, empregada para escavar, carregar, transportar e
esparramar solos e materiais soltos.
Scraper automotriz ou Motoscraper
– É utilizado na execução de uma larga faixa de terraplenagem com produtividade e baixo
custo.
– A máquina melhora o adensamento do solo pelo uso do avental e do ejetor.
– Pode receber apoio da lâmina do trator pusher no auxílio ao processo de carga.
Trator
Executa a tração ou empurra outros equipamentos para o aumento da tração de carga ou
realiza atividades que não exijam o transporte de terras. Pode receber diversos
implementos destinados a diferentes tarefas.
Trator de Esteira e o campo de aplicação e utilização.
- Esforço trator elevado.
- Rampas de grande declividade.
- Terrenos com topografia acidentada.
- Terrenos de baixa capacidade de suporte
Shovel é uma escavadeira de colher
- Usada nos cortes de material de 1ª categoria, escavando taludes à cima do nível da
máquina.
- A caçamba se movimenta de baixo para cima.
- A descarga do material é realizada pelo fundo móvel da pá.

47 - Os asfaltos são aglomerantes de grande interesse em obras de construção civil por se


tratar de um poderoso ligante, rapidamente adesivo, altamente impermeável e de longa
durabilidade.
A respeito das características dos diferentes tipos de asfalto, assinale a opção correta.
(A) Durante o aquecimento e manipulação de um cimento asfáltico, a temperatura deve se
manter sempre superior à correspondente ao ponto de fulgor.
(B) O asfalto líquido de cura rápida é uma mistura de cimento asfáltico, de 80 a 120 de
penetração, e de um solvente altamente volátil, em geral com ponto de evaporação próximo
ao da gasolina.
(C) As emulsões asfálticas são misturas homogêneas de cimento asfáltico com solvente de
hidrocarboneto de baixa volatilidade.
(D) Nos asfaltos líquidos de cura média, utiliza-se cimento asfáltico com penetração menor
que a do cimento asfáltico usado nos asfaltos líquidos de cura rápida.
Resolução:
O asfalto líquido de cura rápida é uma mistura de cimento asfáltico, de 80 a 120 de
penetração, e de um solvente altamente volátil, em geral com ponto de evaporação próximo
ao da gasolina.
A Resposta correta é “B”

Vamos aproveitar a questão para analisar os demais itens:


Asfalto diluído é o asfalto resultante da diluição de adequado cimento asfáltico preparado de
petróleo com uma nafta conveniente.
Ponto de fulgor é a temperatura de aquecimento mais baixa, na qual, aplicando se uma
chama de ensaio sobre a superfície de um hidrocarboneto, os vapores destes se inflamam
momentâneamente.

Para uso exclusivo de ofranc


Exercícios resolvidos de Estradas – Vol 01

Emulsão é um sistema em equilíbrio estável de dois líquidos não miscíveis, separados um


do outro, ou de um sólido, finamente subdividido e um líquido.
Emulsão Asfáltica é a dispersão de glóbulos de asfalto em água ou dispersão de glóbulos
de água em asfalto, por ação de um agente emulsificador.
Emulsificador é um produto utilizado na fabricação de uma emulsão e que mantém estável
a dispersão.
Asfalto líquido = Asfalto Diluído
Existem dois tipos de asfaltos diluídos: cura média (CM) e cura rápida (CR).
A “cura” do asfalto diluído se refere à velocidade de perda dos elementos voláteis (solvente)
após a sua aplicação.
Melhor explicando, o asfalto diluído, após a sua aplicação, perde os elementos voláteis que
fazem parte da sua composição.
Assim, após esse tempo de cura, o produto final volta a ter a consistência inicial do CAP, ou
seja, semissólido.
Essa diferenciação da velocidade de cura (rápida e média) é conseguida a partir da
utilização de diferentes tipos de solventes, da seguinte forma:
- Cura Rápida (CR) onde o solvente utilizado é a nafta, mais volátil, sendo que a cura ocorre
numa velocidade maior (rápida).
- Cura Média (CM) onde o solvente utilizado é o querosene, menos volátil, e a cura ocorre
numa velocidade menor (média).

48. Analisando as curvas de nível de um levantamento planialtimétrico dadas pela figura,


conclui-se que o perfil representado refere-se à linha de corte

(A) I.
(B) II.
(C) III.
(D) IV.
(E) V.
Resolução
No perfil o ponto mais alto fica entre o 20m e 25m.
I – Errado – Não passa pelo 20 m.
II – Errado – Ultrapassa o 25 m.
III – Correta – o ponto mais alto não ultrapassa 25 m, fica entre 20m a 25m.
IV – Errado – Ultrapassa o 25m.

Para uso exclusivo de ofranc


Exercícios resolvidos de Estradas – Vol 01

V – Errado – Não passa pelo 20m.


A Resposta correta é “C”.

Considere o texto abaixo para responder as questões 49 a 52.


Para a interpretação correta dos trabalhos de topografia utilizados na engenharia
civil, é importante que o profissional tenha conhecimentos específicos acerca dos
equipamentos utilizados em cada tarefa e domine os conceitos relativos à
representação dos trabalhos topográficos. A respeito desse assunto, julgue os
itens seguintes.

49 - No nivelamento geométrico, as linhas de visada horizontais necessitam ter seus


desníveis medidos na vertical.
Resolução:
Afirmação correta
Nivelamento geométrico (ou nivelamento direto)
Nivelamento que realiza a medida da diferença de nível entre pontos do terreno por
intermédio de leituras correspondentes a visadas horizontais, obtidas com um nível, em
miras colocadas verticalmente nos referidos pontos.
Diferença de nível
É o afastamento entre duas superfícies de nível tomado ao longo de uma vertical comum a
estas superfícies. Este afastamento é variável com a latitude, diminuindo do equador no
sentido dos pólos. Assim, uma superfície de nível situada no equador a 1.000 m acima da
superfície de nível zero, estará no polo a 995m acima desta superfície. O nivelamento
geométrico entre dois pontos da superfície física fornece a diferença de nível entre os
mesmos.

50 - Nas medidas horizontais dos ângulos de um levantamento topográfico, os azimutes


representam a declinação vertical da visada.
Resolução:
Afirmação errada
Azimute não tem relação com declinação vertical.
Azimute é o ângulo contado a partir do Norte do meridiano, no sentido horário, variando de
0º a 360º, entre o meridiano e o alinhamento.
Podem ser azimutes Verdadeiros, Magnéticos ou Assumidos, conforme o meridiano adotado
como referência.

51 - O teodolito é um dos equipamentos adequados para a execução de levantamento


planialtimétrico.
Resolução:
Afirmação correta
O instrumento utilizado é o teodolito provido de fios estadimétricos, que além de medir
ângulos, acumula, também, a função de medir óticamente as distâncias horizontais e
verticais. São feitas as leituras processadas na mira com auxílio dos fios estadimétricos,
bem como o ângulo de inclinação do terreno, lido no limbo vertical do aparelho.
Os instrumentos capazes de medir ângulos horizontais e ângulos verticais são chamados de
teodolitos e têm como componentes fundamentais:
1) uma luneta - cujo eixo óptico materializa as direcções, podendo tomar todas as posições
no espaço com movimentos em torno de um eixo que, depois do estacionamento do

Para uso exclusivo de ofranc


Exercícios resolvidos de Estradas – Vol 01

teodolito, ficará colocado na posição vertical (eixo principal) e outro que ficará na posição
horizontal (eixo secundário);
2) dois limbos graduados - destinados a medir os ângulos e que estão colocados na posição
horizontal e vertical, de forma que os seus centros existam teoricamente sobre os eixos
atrás mencionados;
3) nivelas - cuja finalidade é colocar vertical o eixo principal do teodolito

Figura 33: Teodolito

52 - A curva de nível em uma planta topográfica representa a linha sobre o terreno com
mesma cota altimétrica.
Resolução:
Afirmação correta
Para maiores informações sobre Curvas de Nível veja a questão 43.

Nos levantamentos topográficos muito extensos ou que envolvam alta precisão,


pode-se empregar a triangulação topográfica. Nesse tipo de levantamento, há a
possibilidade de a triangulação topográfica estar relacionada à geodésica. A
respeito dessa situação específica, julgue os itens seguintes.

53 - É possível que somente um vértice geodésico seja coincidente com os vértices


topográficos.
Resolução:
Afirmação Correta
Triangulação topográfica
Triangulação: quando aplicado a pontos ou vértices, próximos ao ponto de amarração,
com o objetivo de localização futura. Consiste na construção de um triângulo com base em
pontos bem definidos em campo, como divisas de propriedades, esquinas, etc. sendo que
um dos vértices desse triângulo será sempre o ponto para o qual se tem interesse de
preservar ou localizar.

Considere o texto abaixo para responder as questões 54 a 56.


As finalidades básicas das vias pavimentadas são a de suportar as cargas
produzidas pelo tráfego, proteger o leito da estrada contra a entrada de água,

Para uso exclusivo de ofranc


Exercícios resolvidos de Estradas – Vol 01

reduzir a perda dos materiais superficiais e promover resistência a intempéries,


entre outras. Acerca dos diversos tipos de pavimentos e suas aplicações, julgue os
próximos itens.

54 - Os pavimentos rígidos são pouco deformáveis e constituídos principalmente de


concreto armado de cimento portland, em que o revestimento tem elevada rigidez em
relação às camadas inferiores, absorvendo praticamente todas as tensões oriundas do
carregamento aplicado.
Resolução:
Afirmação Errada
Pavimento rígido não tem revestimento, como mostra a figura abaixo.
As tensões oriundas do carregamento aplicado são absorvidas pela Base e Sub Base.

Figura 34: Pavimento Rígido - Composição

55 - A estrutura de um pavimento flexível pode ser constituída por um revestimento


betuminoso sobre uma base granular ou de solo estabilizado granulometricamente.
Resolução:
Afirmação correta
Para um estudo mais detalhado consulte o Manual de Pavimento Flexível do DNIT.

56 - Nos pavimentos flexíveis, a base tem como função reduzir as deformações de tração
no revestimento.
Resolução:
Afirmação Correta

Para uso exclusivo de ofranc


Exercícios resolvidos de Estradas – Vol 01

Referências bibliográficas
NBR 7182 - Ensaio de Compactação.
NBR 9895 - Índice de Suporte Califórnia CBR.
NBR 06971 - 1999 - Defensas Metálicas - Projeto e Implantação.
Manual de Drenagem de Rodovias – DNIT.
Manual de Pavimentos Rígidos – DNIT.
Manual de Conservação Rodoviária – DNIT.
Manual de Pavimentação Versão Final – DNIT.
Manual de Projeto de Obras de Arte Especiais – DNIT.

Para uso exclusivo de ofranc


Exercícios resolvidos de Estradas – Vol 01

Prezado leitor

Espero que tenha gostado do conteúdo desta apostila.


Sua opinião é fundamental para que possamos continuar melhorando a qualidade
do material didático e corrigir eventuais falhas, de modo a atender as suas
expectativas.

Assim sendo esteja à vontade para deixar suas criticas e elogios.

E-mail gusmaia2015@gmail.com

Desde já agradecemos sua atenção e nos colocamos a disposição para atende - lo


no que for possível.

Autor: Gustavo Maia

Para uso exclusivo de ofranc

Você também pode gostar