Você está na página 1de 13

Larissa Pasquoto Rodrigues RA:1605424

UNIP INTERATIVA – POLO AMERICANA CILLOS

PROJETOS E PRÁTICAS DE AÇÃO PEDAGÓGICA

IDENTIDADE E AUTONOMIA NA
EDUCAÇÃO INFANTIL

Americana
Abril 2017

Larissa Pasquoto Rodrigues RA:1605424


UNIP INTERATIVA – POLO AMERICANA CILLOS

PROJETOS E PRÁTICAS DE AÇÃO PEDAGÓGICA

IDENTIDADE E AUTONOMIA NA
EDUCAÇÃO INFANTIL

Trabalho apresenado a disciplina de


Projetos e práticas de ação pedagógica da
Universidade Paulista UNIP Interativa
como requisito de avaliação da disciplina,
ministrado pelas tutoras:
Lucy Almeida (Video Aula/Contéudos)
Cléopatra Barbosa (Elaboração e planejamento do painel)
Americana
Abril 2017
SUMÁRIO

1-TEMA....................................................................................................página 1
2 – JUSTIFICATIVA................................................................................ página 1
3 – SITUAÇÃOPROBLEMA.................................................................... página 3
4 – PÚBLICO ALVO.................................................................................página 2
5 – OBJETIVOS ......................................................................................página 2
5.1 Objetivo geral.....................................................................................página2
5.2 Objetivos específicos.........................................................................página 3
6 – EMBASAMENTO TEÓRICO..............................................................página 4
7 – PERCURSO METODOLÓGICO .......................................................página 5
8 – RECURSOS.......................................................................................página 5
9 – CRONOGRAMA DE ATIVIDADES....................................................página 6
10 – AVALIAÇÃO.....................................................................................página 7
11 –REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS.................................................página 8
1-TEMA

O tema escolhido para ser trabalho no projeto é IDENTIDADE E AUTONOMIA


EDUCAÇÃO INFANTIL.

2 – JUSTIFICATIVA

Cada criança possui sua capacidade de enxergar e compreender o mundo e é


partindo dessas observações e estabelecendo relações com a realidade do
meio que ela aprende e assim segue na construção de sua identidade. Neste
processo de construção em busca de sua autonomia, a criança percorre
diversos caminhos, cabendo ao professor e pais identificar os conhecimentos
prévios que a criança tem sobre si mesmo e os que a rodeiam e criando
metodologias de apoio para ajudar e facilitar este processo. Nesse processo a
criança deve sentir-se valorizado e reconhecido enquanto indivíduo,
enxergando a si próprio como parte de um grupo em que ele está inserido.
A construção da identidade se dá por meio das interações da criança com o
seu meio social. A escola de Educação Infantil é um universo social diferente
do da família, favorecendo novas interações, ampliando desta maneira seus
conhecimentos a respeito de si e dos outros. A autoimagem também é
construída a partir das relações estabelecidas nos grupos em que a criança
convive. Um ambiente farto em interações, que acolha as particularidades de
cada indivíduo, promova o reconhecimento das diversidades, aceitando-as e
respeitando-as, ao mesmo tempo em que contribui para a construção da
unidade coletiva, favorece a estruturação da identidade, bem como de uma
autoimagem positiva.
1

3 – SITUAÇÃO PROBLEMA

O projeto identidade e autonomia tem o objetivo de favorecer novas interações


e ampliar o conhecimento da criança a respeito de si mesma e dos outros
indivíduos, visando responder os seguintes questionamentos dessa faixa
etária:
 
Qual a importância do meu nome e das pessoas que me cercam ?

Reconhecer os aspectos do seu próprio corpo e saber diferenciar com os


demais.

Por que é importante ter amigos e viver bem em um círculo social ?

4 – PÚBLICO ALVO

Alunos de Maternal II ( Idades variantes de 2 a 3 anos), período matutino com 9


crianças (5 meninas e 4 meninos) e vespertino com 7 crianças (4 meninas e 3
meninos), de uma escola particular na cidade de Americana, interior de São
Paulo. 

5 – OBJETIVOS

5.1 Objetivo geral:

Reconhecer a si e aos outros como um ser social, sabendo que cada um


possui suas diferenças, criar meios de aquisição de conhecimento de si mesmo
e do mundo que a rodeia, a fim de possibilitar à criança a construção plena de
sua identidade e autonomia no meio em que a cerca.

2
5.2 Objetivos específicos:

Conceitos de figurativo e abstrato;


Identificar e reconhecer aspectos de seu próprio corpo;
Respeitar e valorizar a si mesmo e aos outros;
Estimular o gosto pelo fazer artístico levando-as à reflexão sobre questões
artísticas e estéticas de forma significativa;
Estimular o a criatividade da criança e auxiliar em seu desenvolvimento motor;
Escrever o nome próprio;
Conhecer o nome das pessoas que convivem ao seu redor;
Conhecer a história de seu nome;
Estimular habilidades manuais com meios artísticos, para que a criança veja a
diferença em sonorização, imagens, cores, texturas e conceitos artísticos;
Promover e estimular a linguagem oral;
Enriquecer e ampliar o vocabulário, com historias e manuseio de livros e
atividades lúdicas;
Estimular a imaginação e a criatividade, para o estimulo da criatividade e
imaginação;
Praticar a coordenação motora fina e ampla;
Desenvolver a leitura através da visualização de figuras;
Conhecer os instrumentos de pesos e medidas;
3

6 – EMBASAMENTO TEÓRICO

Considerando que a identidade e a autonomia na educação infantil é uma


linguagem corporal capaz de explorar o cognitivo da criança o desenvolvimento
motor, além de um facilitador do processo de aprendizagem. O artigo 17 do
ECA dispõe que o direito ao respeito será garantido se observada a
inviolabilidade da integridade física , psíquica e moral , abrangendo a
preservação da imagem , da identidade , da autonomia , dos valores , ideias e
crenças , dos espaços e objetos pessoais. 
       Segundo o Referencial Curricular Nacional para Educação Infantil, “o
desenvolvimento da identidade e da autonomia estão intimamente relacionados
com os processos de socialização...” como o brincar de faz de conta, que é
necessário para as que as crianças possam reconhecer as relações entre ela e
o outro e possa conhecer a si mesma. Este ato de explorar e aprender com o
lúdico, faz com que a criança tenha vontade de aprender e querer cada vez
mais explorar o diferencial.
Na escola é o melhor lugar para se aprender a identidade e a autonomia, visto
que é um ambiente com grande diversidade cultural, familiar, social, sexual
entre outros aspectos que fazem com que a criança comece a reconhecer e
analisar essas diferenças através do cotidiano. A criança por si começa a fazer
certas observações, como por exemplo, saber onde fica determinados
ambientes, quais ambientes ela pode permanecer, quais são seus objetos
pessoais como copinhos, mamadeiras, sapato, roupas; reconhece e sabe
quando chamam seu nome, quem a chamou e com qual a intensidade
emocional (Braveza, raiva, alegria, atenção), começa a aprender a questionar
situações problemas entre outros.

4
PERCURSOR METODOLÓGICO

Considerando que a identidade e a autonomia na educação infantil é uma


linguagem corporal capaz de explorar o cognitivo da criança o desenvolvimento
motor, além de um facilitador do processo de aprendizagem. Podemos usar
como percursor metodológico imagens (fotos, livros, desenhos), espelhos; para
que a criança se olhe e consiga associar o seu corpo e suas características,
jogos com diferenças e semelhanças como, por exemplo, o jogo dos sete erros,
jogo da memória, jogo da cabeça, ombro, joelho e pé (Para assimilar partes do
corpo e fazer reconhecimento de outras existentes nela e inexistentes ou
similares a do amigo), pato ganso (A criança tem a autonomia de fazer
escolhas), faz de conta, livros didáticos, bonecos, caixa de conceitos com
roupas e acessórios, brincadeira do seu mestre mandou (Utiliza de autonomia),
cantinhos (Com variados temas), utilizar métodos de fácil entendimento para
que a criança consiga associar e memorizar com facilidade e também de
materiais lúdicos. Este ato de explorar e aprender com o lúdico, faz com que a
criança tenha vontade de aprender e querer cada vez mais explorar o
diferencial.

RECURSOS
Para o recurso podemos utilizar da sala de aula e em espaços externos como
pátio, quadra, sala de estimulação, diretamente com a professora e uma
auxiliar de classe ou estagiária para auxiliar na hora da atividade, os matérias
que podemos utilizar são: Jogos, imagens, livros, desenhos, papéis para que
eles desenhem e expressem aquilo que conseguem ver e entender, espelhos,
caixa de conceitos, entre outros, nesse momento é importante que a criança
esteja á vontade para que ela consiga associar e expressar sua autonomia e
sua identidade através das atividade lúdicas.
Nesse momento de descontração é onde o professor ou responsável da sala
pode acompanhar e fazer a analise de cada aluno, onde ele expressa maior
dificuldade e onde tem fácil interpretação e assimilação do conteúdo.

5
CRONOGRAMA DE ATIVIDADE.

Esse tipo de trabalho de autonomia não deve ser um trabalho que seja
executado somente em dias específicos, é um tipo de projeto que deve ser
trabalhado a todo o momento com as crianças, porem, em determinados dias
da semana devem ser feitos atividades voltadas diretamente para esse projeto
com conteúdos mais específicos e sempre devem ser voltados para a parte
lúdica.
Deve ser utilizados como precursores metodológicos para auxilio do projeto,
painéis com fotos, painel com idade, mês de aniversário, deve sempre ter um
espelho na altura da criança para que a mesma possa se observar com
frequência, fazer sempre atividade em sala de aula que a criança tenha a
autonomia de fazer escolhas, como escolher cores na atividade designada a
ela, saber quais são seus matérias e objetos pessoais, poder fazer escolhas de
qual amigo ele quer brincar naquele determinado momento (Mas sempre
lembrando que todos são amigos e que devemos respeitar nosso circulo
social), deixar que a criança possa escolher em determinados dias quais ao
alimentos que ela quer comer em algum período do dia, nesse processo a
criança deve sentir-se valorizado e reconhecido enquanto indivíduo,
enxergando a si próprio como parte de um grupo em que ele está inserido.
Como já foi descrito acima um ambiente farto em interações, que acolha as
particularidades de cada indivíduo, promove o reconhecimento das
diversidades, aceitando-as e respeitando-as, ao mesmo tempo em que
contribui para a construção da unidade coletiva, favorece a estruturação da
identidade, bem como de uma autoimagem positiva.

6
AVALIAÇÃO

A avaliação do projeto foi a esperada, a avaliação não é possível ser feita em


um período de tempo curto, visto que é um processo demorado e lento, sendo
que a criança possui seu tempo para determinadas atividades é um processo
longo, porem, foi um projeto de fácil aceitação para todas as crianças da sala,
todos gostaram muito, visto que a maior parte do projeto foi feito com a parte
lúdica.
Cada criança apresentou uma evolução durante o projeto, as mesma foram
feitas continuadamente com cada aluno e relatadas no livro de classe e no
portifólio de cada criança.
7

REFERENCIAS BIBLIOGRAFICAS:

https://pedagogiaaopedaletra.com/desenvolvimento-de-projetos-e-renovacao-d
a-pratica-pedagogica/ 03/04/2017 – 21:31

https://pedagogiaaopedaletra.com/identidade-e-autonomia/ 03/04/2017 – 22:10

http://rede.novaescolaclube.org.br/planos-de-aula/como-desenvolver-identidade
-e-autonomia-em-criancas 04/04/2017 – 20:45

http://portal.mec.gov.br/docman/dezembro-2010-pdf/7163-2-11-avaliacao-transi
coes-hilda-micarello/file 07/04/2017 – 19:15
8

Você também pode gostar