Você está na página 1de 5

alfaconcursos.com.

br

SUMÁRIO
Começando do Zero – Redação ......................................................................................................................... 2
Dissertação .................................................................................................................................................... 2
Fundamentos do texto dissertativo-argumentativo ................................................................................. 3
Orientações para facilitar sua para produção ............................................................................................... 3
Estratégia Norteadora ............................................................................................................................... 3
Orientações para produzir um bom texto ..................................................................................................... 4
Estrutura da dissertação ................................................................................................................................ 4

MUDE SUA VIDA!


1
alfaconcursos.com.br

COMEÇANDO DO ZERO – REDAÇÃO

DISSERTAÇÃO
Ao definir dissertação, é preciso saber que existem dois tipos de dissertação: expositiva e
argumentativa. A expositiva intenta explanar, explicar, conceituar, interpretar, expor sobre
determinado tema sem a pretensão de combater ideias. Já a argumentativa, foco de nossos
estudos, faz uso dos recursos da dissertação expositiva com o propósito de fazer o interlocutor
acreditar e/ou aceitar um ponto de vista, uma tese, por meio do uso de argumentos e dos
discursos convincentes e persuasivos. Sumariamente, um texto dissertativo-argumentativo
pode ser caracterizado assim: seu produtor propõe uma tese (ou uma hipótese) e a justifica.
E o que é uma tese? Uma tese é o resumo de um posicionamento sobre algum tema.
Um bom texto argumentativo apresenta uma tese bastante clara, argumentos diversos
para sustentá-la, mostra os efeitos benéficos da adoção da tese, mostra que a tese tem
opositores e tenta diminuir o valor dos argumentos contrários.
E o que é argumentação? Argumentação é um procedimento que visa levar o interlocutor
a adotar uma determinada posição, fazê-lo acreditar naquilo que é falado por meio de
argumentos. Para isso, é precisa selecionar as informações mais pertinentes, escolher a
linguagem adequada, considerar o contexto e o seu público-alvo, demonstrando certa
parcialidade sobre o tema sem cometer exageros.
Argumento, segundo Passarelli (2012), “é a manifestação linguística, construída por
enunciados que, relacionados uns com os outros, incluem uma asserção capaz de levar a uma
conclusão". As características básicas do ato de argumentar são a eficácia do discurso e o
caráter utilitário. A primeira objetiva conseguir fazer com o interlocutor adote um determinado
comportamento ou partilhe de certa opinião coerente com a tese defendida. Para isso o
argumento deve ser admissível, verossímil e aceitável. Lembre-se de que argumentar é agir com
honestidade, isso dá maior credibilidade. A segunda diz respeito à função, para que fim se
produz o discurso.
Na produção de texto dissertativo-argumentativo é preciso ter clareza sobre que tipo de
discurso foi adotado, pois o sucesso da produção dependerá de suas escolhas. Vamos conhecer
um pouco sobre os tipos de discursos (persuasivo, convincente) mais comumente utilizados e
entender qual é o melhor a ser adotado em produções de concursos, sendo eles:
 Discurso Persuasivo - recorre a emoções, interesses pessoais, desejos e motivações
irracionais, subjetividade, adesões, casos, piadas. Baseia-se na propaganda e
aproveita-se do orgulho, do medo, do ódio, da simpatia, da inveja, do patrimônio, da
vaidade, da rivalidade e dos preconceitos.
 Discurso Convincente – recorre a evidências, dados objetivos, raciocínio lógico,
provas e comprovações. Tenta esclarecer, informar, recordar, modificar condutas,
eliminar uma opinião, crença ou teoria, influir. Baseia-se na argumentação e
aproveita-se de estatísticas, cifras, demonstrações, pesquisas, testemunhas e
testemunhos, exemplos e fatos.

Após ler a caracterização de cada um dos discursos, provavelmente, o leitor acharia que o
discurso convincente é o mais adequado para produções voltadas ao vestibular. Porém, o ideal
é a utilização dos dois, sem exageros, pois convencer (vencer junto com o outro) é mais racional
e precisa do persuadir para levar o outro a acreditar, a aceitar o que se defende, ou seja,
persuadir funciona como a força motriz para concretização da ação.

MUDE SUA VIDA!


2
alfaconcursos.com.br

FUNDAMENTOS DO TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO

 Tipos:
Argumentativa: sustenta uma posição diante da situação fornecida pelo tema; e
Expositiva: traça um quadro, sem posição, a respeito da situação dada pelo tema.

 Características básicas:
Estrutura rígida;
Defesa de um ponto de vista;
Linguagem impessoal; e
Norma-padrão.

 Elementos essenciais:
Tese: linha de raciocínio que conduzirá todo o texto;
Argumentos: ideias que serão usadas para sustentar a tese; e
Organizadores textuais: palavras ou expressões usadas para organizar e promover a
coesão entre as partes do texto.

 Estratégias diferenciais:
Repertório sociocultural produtivo; e
Qualidade da proposta de intervenção.

ORIENTAÇÕES PARA FACILITAR SUA PARA PRODUÇÃO


O primeiro passo é ler, reler e grifar, com muita calma, tanto as instruções como os
textos-base da proposta de redação. Isso é importante para que você mantenha adequação ao
tema, aspecto que representa o primeiro dos três critérios que compõem a avaliação.
Como a prova exige uma dissertação argumentativa, o segundo passo é definir a sua
tese e as ideias centrais de cada parágrafo argumentativo. Para isso, recorra às ideias dos
textos motivadores e traga elementos de seu repertório. Anote tudo em tópicos. Defina a tese e
escolha os argumentos mais fortes para defendê-la. Trace o esqueleto do seu texto,
considerando o que será trabalhado na introdução (apresentação da tese), no desenvolvimento
(argumentação) e na conclusão (reafirmação da tese). Essa estrutura e a pertinência dos
argumentos constituem o segundo critério de avaliação.
É chegada a hora do rascunho. Redija-o com clareza e procure amarrar muito bem as
palavras de cada oração, as orações de cada parágrafo e os parágrafos entre si. Isso tornará o
texto coeso, qualidade importante para o terceiro item da correção. Faça uma revisão do
rascunho, agora observando com cuidado os aspectos gramaticais, também avaliados pelo
terceiro critério. Por fim, transcreva a redação para a folha definitiva.

ESTRATÉGIA NORTEADORA
Faça sempre uso do brainstorm, o uso faz com que você desenvolva uma tempestade de
ideias, quando você terminar de ler a coletânea, provavelmente sua cabeça vai estar muito
acelerada, pensando sobre argumentos e ideias que você possa usar.

MUDE SUA VIDA!


3
alfaconcursos.com.br

Deste modo, nessa etapa, você vai transcrever para o papel tudo que está na sua cabeça,
tudo que você sabe sobre o tema, sem limites de quantidade, sinta-se livre para colocar quantas
ideias você quiser, mas lembre-se, depois selecione apenas o que for essencial para sua
produção.
O brainstorm, serve para você achar a ideia central (tese) de seu texto, esse processo será
um facilitador na sua produção, evitando se perder no texto e não ter coesão e coerência textual.

Atenção!
Coloque apenas ideias, nada de colocar argumentos. Essa ferramenta vai servir
para nortear sua produção e evitar uma ampliação temática muito grande, ou então,
de dar uma fuga ao tema.

ORIENTAÇÕES PARA PRODUZIR UM BOM TEXTO


Para produzir uma redação visando uma nota máxima, há algumas regras básicas que
devem ser consideradas, sendo elas:
Tome cuidado com radicalismos, a banca quer que a defesa do ponto de vista ocorra
com argumentos e posições claras, racionais e, principalmente, respeitosas. Por isso, evite usar
qualquer expressão extremista, mesmo que sejam termos como “nunca”, “sempre”, “jamais”.
Evite usar clichês, provérbios e citações sem critério, você pode acabar errando o
autor da expressão (o que pega muito mal), ou até mesmo usá-la fora de contexto, o que pode
direcionar a sua redação para um lado que você não quer.
Rebuscar demais as palavras também não é uma boa ideia, seu texto pode ficar sem
fluência e clareza, dificultando a compreensão do corretor, com isso, lembre-se: linguagem
formal não é sinônimo de linguagem complicada.
O uso da linguagem oral também deve ser bem pensado, as expressões coloquiais e
gírias não são adequadas a um texto que exige a norma culta da língua.
Erros de gramática, são deslizes graves e recorrentes de regras do português podem
descontar muitos pontos da sua redação. Se houver dúvida na hora de usar algum termo,
procure trocá-lo por outra palavra mais segura, para não arriscar.

ESTRUTURA DA DISSERTAÇÃO
O texto dissertativo organiza-se em três partes:

 Introdução: apresentação da ideia principal ou tese.


É a parte do texto em que se apresenta o tema ao leitor, contextualizando-o. É comum
também colocar a ideia-chave, a tese a ser defendida na dissertação. A partir da ideia principal
é que se desenvolve o resto do texto, onde você pode justificar e apresentar fatos que
comprovem sua tese. Mas preste muita atenção: a tese não pode ser confundida com o tema.
Ela é uma afirmação (proposição) sobre o tema; é um posicionamento claro e de fácil
entendimento e absorção pelo leitor, responsável pelo encaminhamento (desenvolvimento) e
direcionamento do texto, pois é em torno dela que se desenvolvem os argumentos na tentativa
de comprová-la.

 Desenvolvimento: apresentação de argumentos que sustentam a ideia principal.

MUDE SUA VIDA!


4
alfaconcursos.com.br

É a parte do texto em que se tenta provar a tese por meio de variadas estratégias e
movimentos argumentativos (sustentação, negociação, refutação). É no desenvolvimento que
se justifica, demonstra, prova as declarações feitas na introdução, sempre respeitando a
progressão, ou seja, o texto deve ser construído de forma que vá apresentando novas
informações, claras e pertinentes. Evite a repetição desnecessária do que já foi dito, isso
prejudica o texto, por isso dê preferência pela objetividade. Não produza parágrafos com mais
de um tópico frasal, para cada novo tópico frasal produza um novo parágrafo.

Atenção!
Além de apresentar fatos que fundamentem a sua dissertação (tese), é
importante apontar argumentos contrários ou pontos de vista discordantes,
mostrando o porquê, de acordo com a sua tese, eles não são verdadeiros. Isso
enriquece a discussão.

 Conclusão: apresentação de um resumo da ideia principal ou de uma sugestão para


a resolução do problema.
É a parte final do texto. Mas concluir não é simplesmente “terminar” o texto. A conclusão
é feita de comentários que confirmam os aspectos desenvolvidos nos parágrafos anteriores ou
os sintetizem. É o momento de oferecer uma solução ou demonstrar algum tipo de expectativa
em relação à sua tese e ao assunto como um todo. Também pode ser feita uma reafirmação de
sua tese baseada nos argumentos apresentados no desenvolvimento de seu texto. Mas, esse não
é o momento de levantar questionamentos, portanto evite frases interrogativas. Elas criam uma
expectativa de resposta e consequentemente a impressão que a discussão continuará.

MUDE SUA VIDA!


5

Você também pode gostar