Você está na página 1de 18

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS EM

BAIXA TENSÃO

1
PAULO HENRIQUE RODRIGUES
Determinação do padrão de entrada

O fornecimento de energia elétrica é


determinado em função das limitações
estabelecidas
pelas normas técnicas da concessionária
local (onde se situa a unidade consumidora)
em
função da potência (carga) instalada ou
potência de demanda e tipo de carga ou de
fornecimento.
Determinação do padrão de entrada

NTC - Norma Técnica Copel - refere-se às normas de materiais de redes de


distribuição, montagens de redes de distribuição, ferramentas, materiais utilizados em
trabalhos com linha viva, projetos de redes de distribuição e padrões para entradas de
serviço.
ETC - Especificação Técnica Copel - refere-se aos padrões normativos para
fornecimento de equipamentos de medição e também uniformes e equipamentos de
segurança do trabalho.
MIT - Manual de Instrução Técnica Copel - define os procedimentos relativos às
atividades de projeto, construção, operação, manutenção e controle de qualidade do
sistema de distribuição.
Terminologias e definições

Consumidor: É a pessoa física ou


jurídica a qual solicita à
concessionária e assume a
responsabilidade pelo pagamento das
contas e pelas demais obrigações
regulamentares e contratuais.

Unidade consumidora: São as


instalações de um único consumidor,
caracterizadas pela
entrega de energia elétrica em um só
ponto, com medição individualizada.
Terminologias e definições

Edificação Individual: É toda e


qualquer construção, reconhecida
pelos poderes públicos,
contendo uma única unidade
consumidora.

Edificação de Uso Coletivo: É toda e


qualquer construção, reconhecida pelos
poderes
públicos, constituída por duas ou mais
unidades consumidoras, cujas áreas
comuns, com
consumo de energia sejam juridicamente de
responsabilidade do condomínio.
Terminologias e definições

Ponto de Entrega: É o ponto até o qual a


concessionária se obriga a fornecer energia
elétrica, com participação nos investimentos
necessários, bem como, responsabilizando-se
pela execução dos serviços de operação e de
manutenção do sistema, não sendo
necessariamente o ponto de medição.
Terminologias e definições

Entrada de Serviço: É o conjunto


constituído pelos condutores, equipamentos
e acessórios
instalados entre o ponto de derivação da rede
secundária e a medição, inclusive. A entrada
de serviço abrange, portanto, o ramal de
ligação e o padrão de entrada da unidade
consumidora.
Terminologias e definições

Ramal de Ligação: É o conjunto de


condutores e acessórios instalados pela
concessionária
entre o ponto de derivação da rede
secundária e o ponto de entrega.
Terminologias e definições

Padrão de Entrada: É a instalação


compreendendo o ramal de entrada, poste ou
pontalete particular, caixas, dispositivo de
proteção, aterramento e ferragens, de
responsabilidade do
consumidor, preparada de forma a permitir a
ligação da unidade consumidora à rede da
concessionária.
Terminologias e definições

Carga ou Potência Instalada


(kW): É o somatório das potências
nominais dos
equipamentos elétricos de uma
unidade consumidora.
Terminologias e definições

Demanda (kVA): É a potência elétrica realmente absorvida em um


determinado instante
por um equipamento ou sistema.

A demanda média é potência elétrica absorvida durante um intervalo de


tempo determinado, usualmente 15 minutos.

A demanda máxima é a maior de todas as demandas ocorridas em um


intervalo de tempo.

A demanda provável (ou potência de


alimentação ou potência de demanda ou simplesmente demanda) é a demanda
máxima da instalação. Este é o valor que será utilizado para o
dimensionamento dos condutores alimentadores e dos respectivos dispositivos
de proteção
Escolha do Padrão de Entrada

O Padrão de Entrada e os tipos de


fornecimento são definidos em função
da carga instalada, da demanda,
do tipo de rede e local onde estiver
situada a unidade consumidora.
Escolha do Padrão de Entrada

Será a soma das cargas de iluminação,


TUG e TUE calculadas na seção anterior.
Escolha do Padrão de Entrada

Se observarmos o funcionamento de uma


instalação elétrica, seja residencial, comercial
ou industrial; poderemos constatar que a
potência elétrica consumida pela
mesma é variável a cada instante. Esta
variação ocorre também ao longo dos dias da
semana e até mesmo das estações do ano. Tal
fato ocorre porque as diversas cargas que
compõem a instalação não estarão todas
em funcionamento simultâneo.
Escolha do Padrão de Entrada
Escolha do Padrão de Entrada
Escolha do Padrão de Entrada

Realizado a partir da Tabela 2 da NTC901100


Escolha do Padrão de Entrada

Você também pode gostar