Você está na página 1de 45

AGOSTO /2008

1
ABIMAQ - Associação Brasileira
da Indústria de Máquinas e Equipamentos

PRESIDENTE
Luiz Aubert Neto

GRUPO DE POLÍTICA INDÚSTRIAL


DIRETORIA DE COMPETITIVIDADE - Fernando Bueno (Coordenação)
DIRETORIA DE ECONÔMIA E ESTATÍSTICA - Evandro Orsi
DIRETORIA DE FINANCIAMENTO - Carlos Nogueira
DIRETORIA DE TECNOLOGIA - Celso Vicente
Vice-Presidente - Octaviano Silva
Ana Helena Andrade – representante CSPEP

CONSULTORES
Mario Bernardini
Mauro Arruda
Valdir Pepe

EQUIPE TÉCNICA
João Alfredo Saraiva Delgado – Diretor Executivo
Maria Cristina Zanella – Gerente de Economia
Daniel Fernando Pozenato – Analista de Economia
Leonardo Silva Gaggini - Analista de Economia
Eliana Silva Garcia - Assistente
Elaine Ananias da Costa - Estagiária
Joice Juliana da Silva - Estagiária

2
SUMÁRIO

A ABIMAQ e a PDP 4

Desenvolvimento sustentado: Uma visão 7

Dez alavancas essenciais ao progresso da indústria e do Brasil 9

1 - Expandir a Capacidade de Produção 12

2 - Ampliar a Inserção Internacional 21

3 - Fortalecer a Engenharia de Projeto 27

4 - Adensar Cadeia e Fortalecer Empresas de Capital Nacional 39

SUMÁRIO
5 - Apoiar a Modernização e a Consolidação Empresarial 41

LISTA DE TABELAS

Tabela 1 - Condições de Contorno para Competitividade Sistêmica 5

Tabela 2 - Competitividade Setorial 6

3
A ABIMAQ e a PDP

Nossa entidade tem continuamente de um trabalho exaustivo de interação, um


trabalhado para que a indústria de detalhamento de ações, responsabilidades,
máquinas estabelecida em nosso país cresça metas e prazos, para que todos possam se
e se desenvolva, agindo junto a todos os engajar no esforço e trabalhar para fazer
agentes indutores e promotores desse ajustes à medida que o progresso se efetive.
desenvolvimento, desde a célula base deste É importante lembrar, contudo, que
processo, a empresa fabricante de máquinas, existem condições de contorno para o
até o governo, passando por todos os sucesso desse programa, pelas quais vimos
demais agentes, quais sejam, entidades de lutando há bastante tempo. O próprio
classe, instituições de ensino e pesquisa, trabalho do Planejamento Estratégico
fornecedores de insumos e em especial, os da Abimaq, ora em finalização, dá uma
clientes usuários de nossas máquinas. dimensão mais ampla para o problema. Em
Apresenta-se agora, com o lançamento vista disso, uma visão de desenvolvimento

A ABIMAQ e a PDP
da PDP - Política de Desenvolvimento sustentado, e de algumas condições
Produtivo, uma oportunidade excelente de essenciais para que o progresso da nação,
juntarmos nossos esforços aos do governo da indústria e consequentemente da
e aos de entidades afins à nossa atividade, indústria de máquinas , se exerça, são
para conseguirmos um avanço decisivo. No apresentados preliminarmente às ações
corpo desse documento apresentamos, fruto detalhadas do PDP.

1Veja na tabela 1 uma série de indicadores que representam as condições de contorno básicas bem como
metas para melhoria dessas condições.
2Veja na Tabela 2 os indicadores básicos do setor de bens de capital mecânico e das empresas associadas

ABIMAQ comparativamente à indústria de bens de consumo. Nessa tabela também é apresentada uma
projeção para 2010 e 2022 com base no atingimento das metas estabelecidas nas condições de contorno.

4
Tabela 1 - Condições de Contorno para
Competitividade Sistêmica - Brasil

Itens 2006 2010 2022

PIB (PPP) Per Capita 8.546 10.137 16.920

PIB Per Capita – var. % (2) 2,4 4,4 4,4

PIB Industrial Per Capita 24.488 31.597 67.877

Taxa de Investimento (1) 17,6 21,0 30,0

PIB Industrial / PIB (1) 24,6 28,0 35,0

5
Carga Tributária / PIB 36,0 34,0 28,0

Juros 11,75 9,0 4,0

P&D / PIB 0,9 1,1 2,0

Índice de GINI 57,0 55,0 40,0

IDH 0,800 0,815 0,880

Escolaridade média 4,8 5,0 9,0

Fontes: IMD, IBGE, PNUD e IBPT. Elaboração: DEEE/ABIMAQ. Notas: (1) 2006; (2) Var % 2006/1997.

Condições de Contorno para Competitividade Sistêmica - Brasil 6


A ABIMAQ e a PDP
Tabela 2 - Competitividade Setorial

Balanced Scorecard – ABIMAQ 2022

Média anual Brasil Ind. Brasil Ind. ABIMAQ2 ABIMAQ ABIMAQ


(Euros 1.000) Consumo Máquinas 2007 2010 2022

Faturamento per capita 51,9 62,1 97,8 113,0 198,5

6
Valor agregado per capita 19,2 24,1 43,0 50,0 89,4

Capital produtivo per capita1 19,5 19,5 34,8 39,0 61,7

Custo de pessoal per capita 6,8 11,0 17,0 20,0 56,0

Escolaridade (em anos) 4,9 7,5 8,9 9,0 10,3


Fonte: IBGE, MTE, VDMA e ABIMAQ.
Elaboração: DEEE/ABIMAQ. ² Pesquisa ABIMAQ – Competitividade:
1
Indústria total •Número de empresas - 375
•Número de funcionários § 50.000
•Faturamento líquido anual § R$ 14 bilhões

7
A ABIMAQ e a PDP

Competitividade Setorial
Desenvolvimento sustentado: Uma visão

Ideologias políticas têm sistematicamente econômico, através do sucesso e da saúde


criado uma certa separação entre o progresso das empresas.
econômico e o social, como se fosse preciso
sacrificar um para conseguir o outro. Nosso Desenvolvimento econômico pressupõe
entendimento é que não há esta separação, a criação de valor e sua recirculação para a
ao contrário, a obtenção de um, de forma sociedade. Quanto maior for a parcela da
continuada, passa necessariamente pela sociedade que participar dessa recirculação,

Desenvolvimento sustentado: Uma visão


obtenção do outro. maior a capacidade de realimentação
desse processo, ou seja, o desenvolvimento
Desenvolvimento social se faz com econômico se alavanca do desenvolvimento
o desenvolvimento do indivíduo e com social.
um ambiente que permita a criação de
oportunidades para todos (baseadas na É claro que precisamos encontrar um justo
própria diversidade humana) evitando o equilíbrio entre a cooperação (que insere
cerceamento de oportunidades ou sua pessoas, aumenta a capacidade de vencer
concentração em uma pequena parcela da desafios, etc.) e a competição (que assegura
sociedade. vitórias e é o estímulo para o progresso).
Em outras palavras, como atingir o coletivo,
Por outro lado o desenvolvimento ou bem de todos, sem inibir a expressão
do indivíduo requer investimento em individual que é a essência do homem
educação e na subseqüente oportunidade e do seu avanço, evitando também um
de utilizar e fortalecer os conhecimentos e predomínio excessivo dos mais capazes sobre
conceitos adquiridos, o que normalmente o restante da sociedade. A solução passa
só as estruturas coletivas (e neste aspecto a por um conjunto de valores que garantam
empresa é a mais bem sucedida delas) podem este equilíbrio, os quais a sociedade tem de
propiciar. A oportunidade, dessa forma, está construir, aceitar e dominar, e que sejam a
intimamente ligada ao desenvolvimento base para uma sociedade evoluída.

7
Estes pressupostos nos levam à obrigação a sociedade e influir no processo, buscando
de trabalhar com valores o tempo todo atingir as metas pré- fixadas.
e à necessidade de estabelecer tanto
direções a serem seguidas como metas a Para nós é muito claro que o crescimento
serem alcançadas. econômico do país a taxas superiores a 5% ao ano
é condição necessária, ainda que não suficiente,
Neste processo a simbiose entre o social e o para podermos avançar na solução de nossos
econômico tem de ser estabelecida, fazendo problemas. Além de crescer, entretanto, temos
com que os indicadores sociais direcionem que resgatar o conceito de desenvolvimento,

Desenvolvimento sustentado: Uma visão


o desenvolvimento econômico, e também perdido ao longo dos anos 80.
fazendo com que os indicadores econômicos
sejam levados em conta ao buscarmos o Desenvolvimento é mais do que
desenvolvimento social. crescimento. É crescimento adicionado a
mudanças estruturais nas instituições, na infra-
Um sistema universal e eficiente de medir estrutura física e regulatória, na capacidade
nosso estágio de desenvolvimento bem de trabalho e maturidade da população, e
como de orientá-lo deverá ser baseado no na produção e oferta de bens e serviços com
IDH - Índice de Desenvolvimento Humano, maior conteúdo tecnológico obtidos através
ampliado tanto em profundidade (definindo do conhecimento aplicado e inovação.
sub-indicadores ligados à renda, escolaridade
e expectativa de vida) como espacialmente A melhoria da capacidade de inovação das
(por regiões, classes sociais...). Sociedades empresas brasileiras e das cadeias produtivas
e nações em diferentes estágios de implica na disponibilidade e utilização integral
desenvolvimento podem servir de referência de recursos humanos capacitados, através da
para nossas metas. educação formal e da prática, e num sistema
de Ciência e Tecnologia integrado com as
Entender as relações de causa e efeito e empresas dentro de uma política industrial
os valores que movem os agentes sociais é que explicite claramente objetivos e meios
essencial para poder estabelecer alianças com para alcançá-la.

8
A seguir, apresentamos um conjunto de nacionais de qualidade (PNQ).
10 pontos que acreditamos essenciais para
o desenvolvimento sustentado, e pelos 3. A reforma tributária, a ser feita, deve
quais necessitamos continuar a batalhar em reduzir progressivamente a carga até ficar

Dez alavancas essenciais ao progresso da indústria e do Brasil


todos os foros. Não incluímos temas éticos abaixo de 30% do PIB, alargando a base
ou ambientais não porque os consideremos de contribuintes, reduzindo a sonegação e
menos importantes, ao contrário, são de equilibrando as contribuições dos diferentes
extraordinária e basilar relevância, merecendo agentes econômicos. É essencial um investimento
em vista disso apreciação em separado. na conscientização do governo e sociedade
quanto a deveres e obrigações mútuas referentes
Premissas para o Desenvolvimento a pagar impostos e bem utilizá-los.
Sustentado
4. A meta de crescer mais de 5% a.a.
1. Transformar a educação em prioridade exige juros baixos, compatíveis com as
nacional tratando seus gastos, tanto públicos demais economias do mundo, e câmbio
como privados, na formação de recursos suficientemente competitivo para compensar o
humanos, na inserção digital, em pesquisa, “Custo Brasil”, na medida em que este existir.
tecnologia e inovação como investimentos e
não despesas, com tratamento fiscal e política 5. O controle da inflação deve
de crédito privilegiados. privilegiar a oferta de bens e serviços e não a
compressão da demanda. O primeiro passo
2. O governo deve perseguir o equilíbrio nesse sentido é a completa desoneração
nominal (com a inclusão dos juros) nas dos investimentos produtivos.
contas públicas através de melhor eficiência
administrativa e da utilização de práticas de 6. A exportação deve ser completamente
gestão orientadas pelos critérios dos prêmios desonerada na fronteira e as importações

9
taxadas com a mesma carga da produção 9. A elaboração de políticas verticais que
interna. A desejável inserção, cada vez levem ao aproveitamento de oportunidades
maior, do Brasil no comércio mundial e à redução das desigualdades deve ser
deve preservar nossa capacidade de baseada numa análise realista da situação

Dez alavancas essenciais ao progresso da indústria e do Brasil


implementarmos políticas nacionais atual e focada na identificação de vocações
de desenvolvimento e de redução de setoriais e regionais e conseqüente
assimetrias regionais e internacionais. aproveitamento e construção de vantagens
competitivas em educação, P & D, infra-
7. Os marcos regulatórios nas áreas de estrutura e logística.
concessões públicas devem ser negociados
abertamente com os agentes econômicos e 10. A inovação tecnológica deve passar a
os consumidores e serem claros o suficiente ser principal prioridade do setor produtivo.
para o judiciário não ser chamado Para tanto além de um tratamento fiscal e
continuamente a interpretá-los. creditício estimulante é fundamental que
as políticas públicas correlatas (Política
8. A reforma trabalhista deve ter como Industrial, Ciência e Tecnologia e Comércio
base o princípio de igualdade jurídica entre o Exterior) sejam alinhadas ao objetivo de
legislado e o negociado. A legislação trabalhista melhorar continuamente o conteúdo
deve ter seu foco alterado de proteção ao tecnológico dos processos produtivos e dos
emprego para promoção do emprego formal. bens e serviços brasileiros.

10
A PDP avança em maior ou menor grau Empresas de Capital Nacional
em vários dos pontos acima. Aproveitemos  5 - Apoiar a Modernização e a
a oportunidade e não esmoreçamos em Consolidação Empresarial
continuar a buscar soluções e o progresso Essa estrutura respeita os desafios

Dez alavancas essenciais ao progresso da indústria e do Brasil


em pontos ainda não abordados ou não apresentados como objetivos na Política de
suficientemente atendidos. Desenvolvimento Produtivo – PDP em 12 de
maio de 2008 no que se refere ao setor de
Para tal, apresentamos a seguir as ações Bens de Capital. Parte dessas propostas foi
propostas pela ABIMAQ, tanto em seu atendida no âmbito da PDP e aparecem em
documento ABIMAQ 2022 como em seu destaque no documento (grafadas em negrito
Planejamento Estratégico, divididos em 5 e itálico e fundo azul), as demais sugestões
tópicos, a saber: foram apresentadas como um pleito do setor
de Bens de Capital e agregam, além posições
 1 - Expandir a Capacidade de Produção da ABIMAQ, as posições da ABDIB e da
 2 - Ampliar a Inserção Internacional ABINEE para aprovação no Comitê Executivo
 3 - Fortalecer a Engenharia de Projeto de Bens de Capital do MDIC, responsável pela
 4 - Adensar Cadeia e Fortalecer implementação e acompanhamento da PDP.

11
Expandir a Capacidade de Produção
METAS
Ação / Medidas Justificativa Dificuldades/Risco Responsável Prazo
2008 2009 2010

1 - Expandir a Capacidade de Produção


1.1 - Estímulo ao Investimento
1.1.1 - Reduzir de 20% no spread básico médio do
Ampliar FBKF como
conjunto de linhas de financiamento do BNDES: de BNDES mai/08
participação no PIB
1,4% a.a. para 1,1% a.a.

Para reduzir ainda


1.1.2 - Reduzir da taxa de intermediação financeira: mais a taxa o BNDES
BNDES mai/08 19,0% 20,0% 21,0%
de 0,8% para 0,5% deveria utilizar um
seguro de crédito

1.1.3 - Reduzir o spread básico da linha FINAME de


BNDES mai/08

12
1,5% para 0,9% a.a.

1.1.4 - Duplicar o prazo de financiamento na linha


FINAME: de 5 anos para até 10 anos, com dois BNDES mai/08
anos de carência
Aumentar a Participação
1.1.5 - Alterar composição de juros FINAME
BNDES mai/08 de BKMEC Nacional no
100%TJLP.
consumo aparente

1.1.6 - Revisar a fórmula de cálculo da TJLP, visando BNDES/MDIC/


Aumento da Inflação jul/08 53,0% 56,0% 60,0%
sua redução. Associações

MPEs sem facilidades


1.1.7 - Usar mecanismo de equalização de juros para
de captação de
compensar a diferença entre TJLP e inflação
recursos externos

13
A ABIMAQ e a PDP

Expandir a Capacidade de Produção


Expandir a Capacidade de Produção
METAS
Ação / Medidas Justificativa Dificuldades/Risco Responsável Prazo
2008 2009 2010
1 - Expandir a Capacidade de Produção
1.1 - Estímulo ao Investimento
As taxas de juros de
Estimular a concorrência mercado para
entre os agentes financiamento da
1.1.8 - Reduzir a taxa de remuneração do agente financeiros restringindo o produção ainda são
financeiro e reduzir o custo da utilização do FGPC ou credenciamento àqueles elevadas, BNDES/MF/
que oferecerem as ago/08 Expansão do Consumo
de quaisquer outros fundos de avais e/ou seguros de menores taxas de enfraquecendo a saúde Associações
Aparente de BKE
crédito. remuneração e as financeira das
melhores metas de empresas de bens de
atendimento às MPEs capital e aumentando
seus custos
O tamanho do mercado
secundário de
1.1.9 - Aceitar, nas operações FINAME, como parte

13
Máquinas. Máquinas BNDES/
razoável das garantias, o próprio equipamento a ser ago/08 14,5% 15,7% 16,8
sob encomenda são Associações
financiado.
muito difíceis de serem
revendidas.
As exigências de
garantia nas linhas
tradicionais e de CND
1.1.10 - Criar SPE para leasing de máquinas, de forma
inviabilizam o acesso A existência do BNDES/ Aumentar a Participação
a promover a redução dos custos de financiamento de ago/08
a grande parte das FINAME-leasing Associações da Indústria no PIB
parte da demanda de bens de capital.
MPEs os
financiamentos do
BNDES.
1.1.11 - Substituir o FGPC por um seguro de crédito a BNDES/ MF/
set/08 26,0% 27,0% 28,0%
ser desenhado com uma seguradora especializada. Associações

14
A ABIMAQ e a PDP

Expandir a Capacidade de Produção


Expandir a Capacidade de Produção
METAS
Ação / Medidas Justificativa Dificuldades/Risco Responsável Prazo
2008 2009 2010
1 - Expandir a Capacidade de Produção
1.1 - Estímulo ao Investimento

Até 15/08/08 não


1.1.12 - Inclusão da indústria de bens de capital
estava BNDES jun/08
como beneficiária do Programa Revitaliza.
operacionalizada

1.1.13 - Ofertar condições diferenciadas (em custo,


cobertura e prazo), a investimentos do setor de BK em A idade média das
Custo e orçamento do BNDES/ Máquinas e Equipamentos
novas máquinas - em novos processos produtivos, em máquinas é bastante mai/08
BNDES Associações per Capita (R$ 1000)
softwares modernos de gestão e em maior capacitação elevada
de sua mão de obra.

14
Necessidade de
disseminar informação
(em termos técnicos e
1.1.14 - Elevar o nível de informação das empresas Alcançar os pequenos Associações/
operacionais, através set/08 88 96 105
associadas sobre linhas de financiamento. e médios empresários BNDES
de palestras, material
de divulgação, sites,
etc.)

Necessidade de
atuação junto ao
Associações/
MDIC e ao
1.1.15 - Fazer com que o Proger passe a financiar MDIC/
CODEFAT e órgãos Decisão Política out/08
somente máquinas produzidas no País. CODEFAT/
competentes para
BNDES/Mtrab
estimular a industria
nacional

15
A ABIMAQ e a PDP

Expandir a Capacidade de Produção


Expandir a Capacidade de Produção
METAS
Ação / Medidas Justificativa Dificuldades/Risco Responsável Prazo
2008 2009 2010

1 - Expandir a Capacidade de Produção


1.1 - Estímulo ao Investimento
Medidas como a inclusão
de PACs como títulos
negociáveis no âmbito do
FIDC-ABIMAQ e da
multiplicação da
experiência de
1.1.16 - Ampliar a oferta de capital de giro às Desempenho do
celebração de convênios BNDES nov/08
empresas do setor para antecipação de Faturamento de BKMEC
PACs junto a outros
Bancos, além do
existente com o
Bradesco, aumentam a

15
liquidez no setor.

A estruturação de
financiamento a projetos
de investimento de
grande porte, de maneira
que a oferta interna de
Falta Planejamento de
1.1.17 - Criar um banco de projetos de longo prazo recursos seja competitiva
com o financiamento Projetos de Longo
para se antecipar às necessidades de financiamento e
internacional reduzirá a Prazo. Dificuldade de BNDES jan/09 14% 8% 7%
de engenharia em pacotes completos, que envolvam possibilidade de oferta
as entidades
diferentes empresas em seu fornecimento. externa de pacotes operacionalizarem
completos, e as
empresas brasileiras
terão melhores
condições de competir
mundialmente

16
A ABIMAQ e a PDP

Expandir a Capacidade de Produção


Expandir a Capacidade de Produção
METAS
Ação / Medidas Justificativa Dificuldades/Risco Responsável Prazo
2008 2009 2010
1 - Expandir a Capacidade de Produção
1.1 - Estímulo ao Investimento
Reunindo os agentes
envolvidos, o BNDES
deve discutir a
estruturação de
financiamento a projetos
1.1.18 - Ser mais pró-ativo e atuar na atração de de investimento de
recursos de investidores institucionais, nacionais e grande porte, de maneira
estrangeiros para viabilizar maior número de projetos que a oferta interna de
do tipo project finance, principalmente na área de infra- recursos seja competitiva Falta Planejamento de BNDES/ MPOG
Desempenho do
estrutura logística, por meio, por exemplo, de com o financiamento Projetos de Longo /MDIC/ MF out/08
internacional. Dessa Faturamento de BKË
Sociedades de Propósito Específico - SPEs. Além Prazo Associações
disso, nesses projetos, o BNDES deve aceitar como forma, será reduzida a
garantias os recebíveis que serão gerados a partir da possibilidade de oferta

16
externa de pacotes
operação desses projetos.
completos, e as
empresas brasileiras
terão melhores
condições de competir
mundialmente.

Articulação BNDES e
ABIMAQ, ABDIB,
ABINEE. Necessidade
de garantias que
1.1.19- Reestruturação de FIDC (Fundo de encorajem outros
investidores a participar BNDES jan/09 12% 13% 14%
Investimentos em Direitos Creditórios)
como cotistas, o BNDES
deve se fazer presente
como cotista
subordinado.

17
A ABIMAQ e a PDP

Expandir a Capacidade de Produção


Expandir a Capacidade de Produção
METAS
Ação / Medidas Justificativa Dificuldades/Risco Responsável Prazo
2008 2009 2010
1 - Expandir a Capacidade de Produção
1.2 - Desoneração Tributária do Investimento
Investimento no setor de
Bens de Capital
1.2 - Desoneração Tributária do A elevada Carga Tributária em Bens de Capital inibe o Investimento Mecânicos (R$ Bilhões)
Investimento. Produtivo

A elevada Carga
Tributária em Bens de
1.2.1 - Desonerar Todo o Investimento Produtivo. Capital inibe o
MF/ RF jan/09 1,90 2,16 2,50
Investimento Produtivo

1.2.2 - IOF Alíquota zero - Alteração do art 8º do


Decreto nº 6306 de 14/12/07 - Inclui, no inciso XII, além BNDES /
mai/08
das operações efetuadas pelo BNDES (que já eram FINEP / MF
beneficiadas, incluindo FINAME), as da FINEP.

17
1.2.3 - PIS/Cofins - Alteração das Leis nº 10.637, de
30/12/02, de 10.833, de 29/12/03 e 10. 865, de Investimento no setor de
30/04/04 pela MPv nº 428 art 1º -Redução do MF mai/08 Bens de Capital Elétricos
aproveitamento do crédito decorrente da aquisição de (R$ milhões)
bens de capital, de 24 meses para 12 meses.

1.2.4 - Pessoas jurídicas fabricantes de bens de


capital, de veículos e autopeças, sem prejuízo da
depreciação normal, terão direito à depreciação
acelerada, calculada pela aplicação da taxa
usualmente admitida, multiplicada por 4, das MF mai/08 474,77 536,49 611,60
máquinas, equipamentos, aparelhos e instrumentos,
novos, destinados ao ativo imobilizado e empregados em
processo industrial do adquirente(equivalente a 2 anos)
(valida para aquisições efetuadas até 31/12/2010) MPv º
428 art 11 e 12.

18
A ABIMAQ e a PDP

Expandir a Capacidade de Produção


Expandir a Capacidade de Produção
METAS
Ação / Medidas Justificativa Dificuldades/Risco Responsável Prazo
2008 2009 2010
1 - Expandir a Capacidade de Produção
1.2 - Desoneração Tributária do Investimento
1.2.5 - Permitir que os impostos e contribuições
federais incidentes sobre os bens de capital fabricados
no país sejam compensados com quaisquer outros
impostos e/ou contribuições federais devidos pelos MF/ CONFAZ jan/09
compradores – para os importados, essa dedução só
deve ser permitida se a máquina estiver na relação de
ex-tarifário;

1.2.6 - Permitir que os fabricantes de bens de


capital compensem créditos de IPI, PIS e Cofins
MF/ RF/ jan/09
automaticamente com qualquer outro imposto ou
contribuição federal.

1.2.7 - Permitir crédito presumido para PIS, COFINS, e


IPI, para as empresas compradoras que não estejam

18
enquadradas no super-simples, quando da aquisição MF/ CONFAZ jan/09
de B.K. de empresas fabricantes de bens de capital
que estejam enquadradas nesse programa;

1.2.8 - Permitir que o Fundo de Compensação


Federal das Exportações securitize créditos MF/ CONFAZ jan/09
acumulados de ICMS das empresas de BK.

1.2.9 - Permitir que todas as empresas que fizerem


investimentos em máquinas, aparelhos,
instrumentos e equipamentos novos lance, crédito MF mai/08
de 25% do valor anual da depreciação contra a
CSLL

1.2.10 - Altera a TIPI aprovada pelo Decreto nº 6006,


de 28/12/06 de Diversos produtos, Com redução de MF set/08
alíquota de IPI
19
A ABIMAQ e a PDP

Expandir a Capacidade de Produção


Expandir a Capacidade de Produção
METAS
Ação / Medidas Justificativa Dificuldades/Risco Responsável Prazo
2008 2009 2010

1 - Expandir a Capacidade de Produção


1.2 - Desoneração Tributária do Investimento
1.2.11 - Altera o prazo de recolhimento do IPI - O
prazo de apuração e recolhimento do IPI passa de MF jan/09
decendial (dez dias) para mensal. MPv nº 428 art 7º

O percentual de
exportação de
produtos exigido para
1.2.12 - Alterar o percentual de RECAP – Regime
suspensão do
Especial de Aquisição de Bens de Capital para
PIS/PASEP e COFINS
Empresas Exportadoras. Alteração da Lei nº 11.196
na aquisição de Bens
(Lei do Bem) pela MPv nº 428 art. 4º - Empresa
de Capital permitirá a
preponderantemente exportadora - redução do
inclusão de um maior MF mai/08

19
percentual de exportação alcançado no exercício
número de empresas
anterior, de 80% para 70% . Mesma redução no
nesse programa:
caso de enquadramento por compromisso de
Setores intensivos em
exportação futura (O setor automotivo e Têxtil
mão de obra (têxtil,
Passam de 70% para 60%
confecção, calçados,
couro, madeira e
móveis).

O percentual de 70%
ainda é muito alto
1.2.13 - Reduzir o percentual de exportação exigido provavelmente
de 80% para 50% em setores intensivos em mão- nenhuma empresa de
MF ago/08
de-obra e para o setor de Bens de Capital e de 80% Bk atinge este
para 60% em demais setores. percentual.
Burocracia no acesso
aos incentivos

20
A ABIMAQ e a PDP

Expandir a Capacidade de Produção


Expandir a Capacidade de Produção
METAS
Ação / Medidas Justificativa Dificuldades/Risco Responsável Prazo
2008 2009 2010
1 - Expandir a Capacidade de Produção
1.2 - Desoneração Tributária do Investimento
1.2.14 - Desburocratizar os incentivos ao investimentos em
Bens de Capital direcionados para projetos de infra-estrutura MF set/08
(desoneração de PIS e COFINS)

1.2.15 - – Incluir as concessionárias de transporte


ferroviário como beneficiárias dos incentivos Incentivos previstos no
previstos no REPORTO - (Regime Tributário para regime: suspensão do
IPI, PIS e Cofins, nas
Incentivo à Modernização e Ampliação da Estrutura
vendas internas ou MF jul/08
Portuária) Alteração da Lei nº 11.033 de 21/12/04. importação de BKs e
Desoneração do IPI, PIS e Cofins na importação e outros bens destinados
aquisição de equipamentos ferroviários. MPv nº 428 ao ativo imobilizado.
art 6º

20
1.2.16 - Limitar as suspensões de impostos na
Importação para os regimes especiais para aqueles MF fev/09
produtos com o benefício do ex-tarifário

1.2.17 - Reduzir tributos - INDÚSTRIA DE TV-DIGITAL –


Alíquota zero do IPI, PIS e Cofins, na venda no mercado
interno ou de importação de máquinas, aparelhos,
instrumentos e equipamentos destinados ao ativo
MF set/08
imobilizado de empresas fabricantes de equipamentos
para TV-Digital.

1.2.18 - Reduzir alíquotas de PIS e Cofins a zero na


construção, conservação, modernização e conversão de
embarcações registradas ou pré-registradas no REB –
Registro Especial Brasileiro (MP nº 428/08, art. 3º) na MF mai/08
importação e sobre a receita bruta decorrente de venda,
no mercado interno, de partes, peças e componentes.

21
A ABIMAQ e a PDP

Expandir a Capacidade de Produção


Ampliar a Inserção Internacional
METAS
Ação / Medidas Justificativa Dificuldades Responsável Prazo
2008 2009 2010
2 - Ampliar a Inserção Internacional
2.1 - Incentivo à Exportação

2.1.1 - Ampliação do drawback verde-amarelo, com


Consumo Aparente de
extensão do benefício da suspensão para o MF mai/08
BKMEC (R$ bilhões)
PIS/COFINS (o IPI já gozava desse benefício).

2.1.2 - Promover os Produtos e Serviços no Exterior:


Alíquota zero do IR na fonte aos valores pagos,
creditados ou remetidos ao exterior, para pagamento

21
de despesas com promoção, propaganda e pesquisa
de mercado, de serviços e produtos brasileiros,
MF jan/09 80,0 86,0 92,2
inclusive, estandes e locais de exposições e feiras,
bem como as de instalação e manutenção de
escritórios comerciais e de representação, de
armazéns, depósitos ou entrepostos. Alteração da
Lei 9.481 - MPv nº 428 art 9º.

2.1.3 - Eliminar a incidência do IOF sobre contratos


de adiantamento de contratos de câmbio MF mai/08
exportação. Decreto 6.453

2.1.4 - Aumento do limite para o procedimento


MDIC/
simplificado no SISCOMEX: de US$150 mil para ago/08
Associações
US$300 mil.

22
A ABIMAQ e a PDP

Ampliar a Inserção Internacional


Ampliar a Inserção Internacional
METAS
Ação / Medidas Justificativa Dificuldades Responsável Prazo
2008 2009 2010
2 - Ampliar a Inserção Internacional
2.1 - Incentivo à Exportação

2.1.5 - Permitir ao BNDES aplicar até 20% dos


recursos repassados pelo FAT, em operações de
financiamento a empreendimentos e projetos
destinados à produção ou comercialização de bens Exportação de BKMEC
BNDES out/08
e serviços com reconhecida inserção internacional (R$ bilhões)
nos quais as obrigações de pagamento sejam
denominadas ou referenciadas em dólar ou em
euro . MPv nº 429 art 12

2.1.6 - FINANCIAMENTOS DO BNDES NO

22
EXTERIOR – As operações de financiamento a
empreendimentos e projetos destinados à
produção ou comercialização de bens e serviços
com reconhecida inserção internacional poderão
BNDES jan/09 19,6 18,8 16,7
ser formalizadas no exterior, para o que fica o
BNDES autorizada a constituir subsidiárias no
exterior e a aceitar as cláusulas usuais em
contratos internacionais, entre elas a de
arbitramento. MPv nº 429 art 13

2.1.7- Disciplina o uso do FGE, suas garantias e


MF mai/08
coberturas - MPv nº 429 art 17

23
A ABIMAQ e a PDP

Ampliar a Inserção Internacional


Ampliar a Inserção Internacional
METAS
Ação / Medidas Justificativa Dificuldades Responsável Prazo
2008 2009 2010
2 - Ampliar a Inserção Internacional
2.1 - Incentivo à Exportação
2.1.8- Seguro de Crédito a exportação - SCE Decreto
6.452 - O seguro passa a cobrir também a fase de produção do
bem ou serviço exportado; inclui, como evento passível de
cobertura, o ato ou decisão de autoridade de outro país
solicitando o cumprimento de garantias bancárias por entender
que o exportador está parcial ou totalmente inadimplente com
MF mai/08
suas obrigações; amplia o conceito de "risco de fabricação";
define melhor a incidência da cobertura do SCE; garantia da
União será concedida por meio do MF (e não do IRB); as
garantias da união serão honradas com recursos do FGE.

2.1.9 - Retomar os níveis anteriores de participação do


BNDES ago/08

23
BNDES nos financiamentos à Exportação

2.1.10 - Tornar o BNDES mais agressivo em relação às


condições de financiamento oferecidas a projetos de
investimento realizados em outros países, por exemplo
financiando a inserção internacional das empresas de BK Criação de Fundo
Nacionais através da aquisição e/ou joint ventures com
BNDES nov/08
Soberano
empresas estrangeiras. O fundo soberano pode ser uma das
ferramentas para esse objetivo. Essa é uma forma eficaz
para conquistar fatias do mercado internacional.

2.1.11 -O BNDES deve cobrar dos seus agentes financeiros


mais eficiência na aplicação dos seus programas de apoio às Na ponta a agência é
exportações (do BNDES-Exim pré-embarque, p.ex.), tendo penalizada na concessão BNDES jul/08
em vista o comportamento abusivo de imporem produtos das linhas BNDES
próprios.

24
A ABIMAQ e a PDP

Ampliar a Inserção Internacional


Ampliar a Inserção Internacional
METAS
Ação / Medidas Justificativa Dificuldades Responsável Prazo
2008 2009 2010
2 - Ampliar a Inserção Internacional
2.1 - Incentivo à Exportação
2.1.12 - O Governo em parceria com ABIMAQ,ABIDIB,
Alcançar os pequenos e
ABINEE (produtores de BK) deve promover a MDIC/ Importação de BKMEC
médios empresários e set/08
participação das Empresas em Feiras e Missões Taxa de Câmbio Associações (R$ bilhões)
internacionais, principalmente MPEs.

2.1.13 - Em parceria com ABIMAQ,ABIDIB, ABINEE


(produtores de BK) e APEX, dar maior publicidade, no MDIC /
exterior, às condições de financiamento das exportações Taxa de Câmbio Associações / set/08 37,6 37,8 36,9
brasileiras de bens de capital – por meio, inclusive, de portal APEX
na Internet que promova o “made in Brazil”.

2.1.14 - Fortalecer a atuação do Progex para empresas


Limites do programa e MCT/
de BK, mediante adequação de produtos para atender Taxa de Câmbio
dez/08
Associações
às exigências técnicas internacionais

24
2.1.15 - Estimular as empresas de BK, participantes do
programa de promoção comercial da Apex, a realizar Limites do programa e MDIC/ MCT/
adequações de produtos, via o Progex, para potencializar Taxa de Câmbio
dez/08
Associações
oportunidades de exportação

2.1.16 - Aumentar a base exportadora das empresas MDIC/


Taxa de Câmbio jan/09
de BK Associações

2.1.17 - Capacitar as Empresas em Operações de MDIC/ BB/


Comércio Exterior, através de cursos, palestras, Taxa de Câmbio BNDES/ out/08
seminários e manuais específicos. Associações
A visão geral é que o país MDIC/ MRE/
2.1.18 - Estimular o Governo por Acordos Bilaterais deva somente atuar por Itamaraty/ jan/09
acordos Multilaterais Associações
2.1.19 - Desenvolver Banco de Dados de comércio Os dados disponíveis são
Associações/
internacional e Implementar área de Inteligência de defasados de no mínimo mar/09
dois anos MDIC/ BNDES
Mercado

25
A ABIMAQ e a PDP

Ampliar a Inserção Internacional


Ampliar a Inserção Internacional
METAS
Ação / Medidas Justificativa Dificuldades Responsável Prazo
2008 2009 2010

2 - Ampliar a Inserção Internacional


2.2 - Defesa Comercial
2.2.1 - O governo federal deve recorrer às entidades
empresariais representativas do setor industrial no
Brasil para a busca de informações que contribuam
Ministério pouco
para a caracterização de prática de dumping,
aparelhado para o MDIC / SECEX ago/08
aparelhar o ministério para acelerar a análise dos
volume de processos
processos anti dumping e custear, juntamente com
as entidades de classe envolvidas, estes
processos.

MDIC/ MF/ RF/


2.2.2 - Ex-tarifário para BKE quando concedido,
Operacionalização Associações / set/08
deve ser específico para cada aquisição.
SDP

25
2.2.3 - Antidumping - Alteração da Lei nº 9.019 -
Extensão das medidas antidumping a terceiros
MF/ RF/ MDIC/
países, bem como a partes, peças e componentes
Associações / jan/09
dos produtos objeto de medidas vigentes, caso
SECEX
seja constatada a existência de práticas elusivas
que frustrem a sua aplicação. MPv nº 429 art 14.

2.2.4 - Ampliação da efetividade dos processos de


investigação antidumping e ao uso de direitos MDIC / SECEX ago/08
provisórios especialmente na importação de BKE.

2.2.5 - Criação de Grupo de Trabalho (governo,


MT/
agências reguladoras e setor privado) visando jul/08
Associações
propostas para redução dos custos de logística

26
A ABIMAQ e a PDP

Ampliar a Inserção Internacional


Ampliar a Inserção Internacional
METAS
Ação / Medidas Justificativa Dificuldades Responsável Prazo
2008 2009 2010
2 - Ampliar a Inserção Internacional
2.2 - Defesa Comercial
MF/ RF/ MDIC/
2.2.6 - Utilizar preço de referência com base em
Regras da OMC Associações / ago/08
preço por quilo por família de equipamentos; SECEX
2.2.7 - Convênios entre entidades de classe e
Receita Federal com o objetivo de coibir abusos na Vários portos de MF/ RF/ MDIC/
Associações
set/08
utilização do sub-faturamento, ex-tarifários e de entrada de BK
importações ilegais.

A Importação de
equipamentos usados
que estão disponíveis

26
para aquisição no Uma fábrica desativada
exterior são, via de regra, em qualquer lugar do
2.2.8 - Revisar legislação, inibindo importação de Tecnologicamente mundo só o é por não MDIC / SECEX
defasados e já
ago/08
máquinas e equipamentos usados conseguir competir, / associações
aposentados por não portanto não há motivo
tornarem os processos para ser competitiva aqui.
de fabricação onde estão
instalados competitivos
em âmbito internacional.

Difundir entre as MDIC/ Inmetro/


2.2.9 – Fortalecer os Comitês de Normalização visando
empresas a importância
elevar o patamar tecnológico das empresas nacionais de ABNT/
da participação nas out/08
BK, para implementação de ferramentas tecnológicas de Associações /
Comissões de
defesa comercial MCT
Normalização

27
A ABIMAQ e a PDP

Ampliar a Inserção Internacional


Fortalecer a Engenharia de Projeto
METAS
Ação / Medidas Justificativa Dificuldades Responsável Prazo
2008 2009 2010

3 - Fortalecer a Engenharia de Projeto


3.0 - Elaborar Instrução Normativa que permita que os Benefícios Fiscais previstos na Lei do Bem sejam considerados
como automáticos pela Receita Federal, principalmente os gastos relativos a Projetos de Engenharia, eliminando dessa
maneira a insegurança jurídica que permeia a utilização desses benefícios

Incrementar as inovações de seus produtos é essencial para a


3.1 - Incentivo fiscal e financeiro à
indústria nacional de BK competir no mercado global e recuperar sua
Inovação e P&D posição entre as sete maiores do mundo.

3.1.1 - Nova linha capital inovador do BNDES, com


recursos de R$ 6 bilhões para empresas que invistam em Gastos do faturamento em
capacitação, engenharia e ativos intangíveis (bens não- BNDES jul/08 P,D&I no setor de BK sob
físicos, como tecnologia, transparência e conhecimento). encomenda

27
Juros equivalentes à TJLP (6,25% a.a. atualmente);

3.1.2 - Utilizar o Criatec para aumentar a competitividade das


Divulgação e acesso
pequenas empresas de segmentos do setor de BK que BNDES set/08 0,70% 0,80% 0,90%
demandam maior dinamismo tecnológico. da linha

3.1.3 - Incluir o setor de BK no Funtec como originalmente


Divulgação e acesso
projetado, viabilizando parcerias entre as empresas do setor BNDES set/08
e as instituições de pesquisa. da linha

3.1.4 - Nova linha inovação tecnológica do BNDES para


apoiar projetos de pesquisa em desenvolvimento e BNDES jun/08
inovação, com juros especiais de 4,5% ao ano;

28
A ABIMAQ e a PDP

Fortalecer a Engenharia de Projeto


Fortalecer a Engenharia de Projeto
METAS
Ação / Medidas Justificativa Dificuldades Responsável Prazo
2008 2009 2010
3 - Fortalecer a Engenharia de Projeto
3.1 - Incentivo fiscal e financeiro à Inovação e P&D
3.1.5 - Implementar um BNDES Inovação seguindo o
modelo de operação do FINAME (i.e, automático), com Gastos do faturamento em
foco em engenharia de produto, desenvolvimento de Operacionalização BNDES set/08 P,D&I no setor de BK
protótipos e aquisição de tecnologia, para operações de seriado
até R$ 500 mil;

Objetivo de estimular o
setor de BK a investir
mais e melhor em
inovação; em particular,
o instrumento de
subvenção econômica da

28
FINEP deve ser
direcionado para
segmentos do setor de
BK que fornecem a
setores/programas Burocratização dos
3.1.6 - Promover parcerias entre BNDES e FINEP para
estratégicos (ex: energia processos e Vies BNDES set/08 0,90% 1,10% 1,20%
criar um mix de programas dos dois órgãos renovável, meio Acadêmico da FINEP
ambiente e exportação);
por outro lado, a
subvenção econômica
deve ser aplicada de
forma contínua, apenas
em projetos estratégicos,
e de forma
complementar a outros
instrumentos operados
pela FINEP;

29
A ABIMAQ e a PDP

Fortalecer a Engenharia de Projeto


Fortalecer a Engenharia de Projeto
METAS
Ação / Medidas Justificativa Dificuldades Responsável Prazo
2008 2009 2010
3 - Fortalecer a Engenharia de Projeto
3.1 - Incentivo fiscal e financeiro à Inovação e P&D
3.1.7 - Dar estímulo financeiro para os bens de capital
que tenham sido objeto de inovações comprovadas –
este incentivo deve ser automático no caso de Operacionalização BNDES set/08
máquinas e equipamentos que tenham sido objeto de
financiamento para inovação via FINEP ou BNDES.
3.1.8 - Depreciação super-acelerada – Para fins de
apuração do IRPJ, no próprio ano da aquisição de
máquinas, equipamentos, aparelhos e instrumentos,
MF mai/08
novos, destinados à utilização nas atividades de
pesquisa tecnológica e desenvolvimento de inovação
tecnológica.

29
3.2 - Política de Competitividade - Inovação, Informação e Gestão
A articulação entre
diversos agentes e
3.2.1 - Criar um Sistema Nacional de Inovação com MCT viabilizará a
MCT out/09
um Sistema único de informação tecnológica. eliminação da
distância entre
Academia e Empresas

As necessidades e as
fronteiras tecnológicas
são diferentes para
MCT /
3.2.2 - Implementar Programa de Inovação Setoriais. cada segmento jul/09
associações
econômico e devem
ser tratados
diferentemente.

30
A ABIMAQ e a PDP

Fortalecer a Engenharia de Projeto


Fortalecer a Engenharia de Projeto
METAS
Ação / Medidas Justificativa Dificuldades Responsável Prazo
2008 2009 2010
3 - Fortalecer a Engenharia de Projeto
3.1 - Incentivo fiscal e financeiro à Inovação e P&D
3.1.7 - Dar estímulo financeiro para os bens de capital
que tenham sido objeto de inovações comprovadas –
este incentivo deve ser automático no caso de Operacionalização BNDES set/08
máquinas e equipamentos que tenham sido objeto de
financiamento para inovação via FINEP ou BNDES.
3.1.8 - Depreciação super-acelerada – Para fins de
apuração do IRPJ, no próprio ano da aquisição de
máquinas, equipamentos, aparelhos e instrumentos,
MF mai/08
novos, destinados à utilização nas atividades de
pesquisa tecnológica e desenvolvimento de inovação
tecnológica.

30
3.2 - Política de Competitividade - Inovação, Informação e Gestão
A articulação entre
diversos agentes e
3.2.1 - Criar um Sistema Nacional de Inovação com MCT viabilizará a
MCT out/09
um Sistema único de informação tecnológica. eliminação da
distância entre
Academia e Empresas

As necessidades e as
fronteiras tecnológicas
são diferentes para
MCT /
3.2.2 - Implementar Programa de Inovação Setoriais. cada segmento jul/09
associações
econômico e devem
ser tratados
diferentemente.

30
A ABIMAQ e a PDP

Fortalecer a Engenharia de Projeto


Fortalecer a Engenharia de Projeto
METAS
Ação / Medidas Justificativa Dificuldades Responsável Prazo
2008 2009 2010
3 - Fortalecer a Engenharia de Projeto
3.3 - Política Tecnológica
As inovações nessas
áreas só podem fazer
sentido quando aplicadas
3.3.3 - Desenvolver projetos com a Indústria de BK em um produto ou Elencar BK como setor
em Software e Eletrônica embarcados, em processo. Isso se dá a Associações/
estratégico para jan/09
Robótica, em Microtecnologia, Microeletrônica e partir da viabilização da MCT
produção do produto e Subvenção
Nanotecnologia
da implementação dos
processos inovadores
com BK.

31
O design, entendido aqui
3.3.4 - Constituir parcerias com especialistas em como o projeto integrado
Associações/
design industrial e em processos de manufatura para do produto, é cada vez mar/09
mais um instrumento de MCT
viabilizar projetos nas empresas de BK
competitividade

A responsabilidade sócio
ambiental é também um
instrumento de
3.3.5 - Desenvolver pesquisas em tecnologias mais competitividade. São os
Articulação e Associações/
limpas, cada vez mais exigidas nos países BKs que por fim abr/09
permitem que um informações MCT
desenvolvidos
processo seja
ambientalmente
compatível.

32
A ABIMAQ e a PDP

Fortalecer a Engenharia de Projeto


Fortalecer a Engenharia de Projeto
METAS
Ação / Medidas Justificativa Dificuldades Responsável Prazo
2008 2009 2010

3 - Fortalecer a Engenharia de Projeto


3.3 - Política Tecnológica
Esses Agentes podem
ser, por exemplo,
técnicos e consultores do
SENAI que além de
identificarem gargalos Formatação do Projeto MCT/ FINEP/
3.3.6 - Desenvolver e Implementar Programa de
tecnológicos estariam e articulação entre os SENAI/ mar/09
formação de Agentes de Extensão Tecnológica. capacitados em formatar agentes Associações
projetos para captação
de recursos junto à
FINEP, FAPs, CNPq,
BNDES e outras fontes.

32
O extensionismo
tecnológico tem se
mostrado uma
3.3.7 - Viabilizar ações de Extensionismo Tecnológico MCT/
ferramenta eficiente e set/08
para as empresas de BK. que pode ser ajustada às Associações
necessidades individuais
de cada empresa

A integração entre a
3.3.8 - Viabilizar Parcerias com Entidades e ICTs, demanda das empresas
e da sociedade e a oferta Associações/
nacionais e internacionais para desenvolvimento de tecnológica é
abr/09
MCT
pesquisas de interesse do setor fundamental para a
competitividade.

33
A ABIMAQ e a PDP

Fortalecer a Engenharia de Projeto


Fortalecer a Engenharia de Projeto
METAS
Ação / Medidas Justificativa Dificuldades Responsável Prazo
2008 2009 2010

3 - Fortalecer a Engenharia de Projeto


3.3 - Política Tecnológica
Algumas tecnologias,
principalmente
envolvendo materiais,
são de interesse não
3.3.9 - Considerar o setor de bens de capital como apenas do setor de bens Elencar BK como setor
estratégico, ouvindo esse setor na definição das de capital como também estratégico para MCT jun/09
prioridades do MCT. de outras indústrias. Subvenção
Assim, a definição de
programas inter-setoriais
deverá ser priorizada na
agenda do governo.

33
A adequação dos
produtos e processos
3.3.10 - Articular com o MCT e Finep, o fortalecimento para o atendimento a
normas internacionais é Alcance do Projeto
das ações do Progex - Programa de Apoio Tecnológico fundamental para o
MCT/ ICTs jul/09
limitado
à Exportação, para BK atingimento das metas
de exportação no âmbito
do PDP.

A falta de informação e a
3.3.11 - Apoiar e realizar Congressos Seminários, dificuldade de disseminar
palestras, e eventos sobre Inovação Tecnológica e a cultura inovativa é um MCT /
entrave que deve ser
set/08
Tecnologia Aplicada em Máquinas, Equipamentos e associações
Processos de Fabricação. combatido de forma firme
e contínua

34
A ABIMAQ e a PDP

Fortalecer a Engenharia de Projeto


Fortalecer a Engenharia de Projeto
METAS
Ação / Medidas Justificativa Dificuldades Responsável Prazo
2008 2009 2010

3 - Fortalecer a Engenharia de Projeto


3.3 - Política Tecnológica
A inovação não é um
processo isolado de um
elo da cadeia. Só a partir
3.3.12 - Desenvolver relacionamentos com outras da identificação das
entidades associativas e sindicatos para aproximar os necessidades de cada Articulação Associações jul/08
diversos segmentos da cadeia produtiva segmento da cadeia é
possível encontrar
soluções técnicas e
economicamente viáveis.

34
O desenvolvimento
tecnológico necessita de
laboratórios e ambiente
de testes adequados.
Para as pequenas e
3.3.13 - Atuar no sentido de reequipar Universidades, médias empresas o
MCT/
Escolas Técnicas Públicas e Institutos de Pesquisa custo da montagem de Levantar déficit jan/09
um laboratório para Associações
para projetos de Inovação nas empresas
adequar-se a normas
torna essa atividade
inviável e portanto o
acesso a mercados mais
exigentes impossível.

35
A ABIMAQ e a PDP

Fortalecer a Engenharia de Projeto


Fortalecer a Engenharia de Projeto
METAS
Ação / Medidas Justificativa Dificuldades Responsável Prazo
2008 2009 2010
3 - Fortalecer a Engenharia de Projeto
3.3 - Política Tecnológica
A disseminação de
informações é
fundamental para que as
3.3.14 - Promoção do Encontro Nacional de Inovação empresas,
principalmente quando Associações/
em Máquinas, Equipamentos e Processos de nesses eventos são
ago/08
Protec/ MCT
Fabricação apresentados casos de
sucesso no uso dos
instrumentos de apoio a
inovação.

35
Finalidade de pesquisar,
acumular e disseminar
conhecimentos relativos
à barreiras e exigências
3.3.15 - Criar Sistema de Inteligência em Informações técnicas internacionais MCT/ IBGE/
vigentes e futuras, novas
Extensão do Projeto mar/09
Tecnológicas em BK. Associações
Tecnologias de
materiais, produtos e
processos, realizando o
Ciclo do Conhecimento.

3.3.16 - Implementação no setor de BK do programa Este é o principal elo


MCT/
“Pesquisador na Empresa” visando à fixação de entre a Universidade e a set/08
Empresa. Associações
mestres e doutores nas empresas.

36
A ABIMAQ e a PDP

Fortalecer a Engenharia de Projeto


Fortalecer a Engenharia de Projeto
METAS
Ação / Medidas Justificativa Dificuldades Responsável Prazo
2008 2009 2010

3 - Fortalecer a Engenharia de Projeto


3.4 - Política da Qualidade
O setor de BK é um
grande disseminador
de tecnologia. A
3.4.1 - Participar ativamente do desenvolvimento de
questão da MCT/
Políticas de Propriedade Intelectual com ênfase no Articulação com
propriedade intelectual Associações/ ago/08
acesso a informação em meio digital dos instituições
é um aspecto INPI
documentos descritivos de patentes.
fundamental para
incentivar novos
avanços tecnológicos

36
3.4.2 - Identificar demandas no setor de BK quanto à Setor de abrangência Associações/
jan/09
Qualidade, Produtividade e TIB nacional MCT

A utilização de
3.4.3 - Identificar e divulgar ofertas das diversas ferramentas de TIB e
Instituições (MCT, SENAI, FPNQ, IPEG, REMESP, de Qualidade é
fundamental para a Articulação com Associações/
ABNT, INMETRO, INPI, etc.) nos temas Qualidade, out/08
melhoria da instituições MCT
Produtividade e TIB e articular ações de apoio e de
fomento. competitividade e
produtividade das
empresas
3.4.4 - Propor a implementação de mecanismos de
indução à melhoria da Qualidade, Produtividade e Articulação com MCT/
ago/08
utilização de TIB nas empresas de BK, tais como instituições Associações
incentivos fiscais, bônus metrologia, etc.

37
A ABIMAQ e a PDP

Fortalecer a Engenharia de Projeto


Fortalecer a Engenharia de Projeto
METAS
Ação / Medidas Justificativa Dificuldades Responsável Prazo
2008 2009 2010

3 - Fortalecer a Engenharia de Projeto


3.4 - Política da Qualidade
O setor de BK é um
grande disseminador
de tecnologia. A
3.4.1 - Participar ativamente do desenvolvimento de
questão da MCT/
Políticas de Propriedade Intelectual com ênfase no Articulação com
propriedade intelectual Associações/ ago/08
acesso a informação em meio digital dos instituições
é um aspecto INPI
documentos descritivos de patentes.
fundamental para
incentivar novos
avanços tecnológicos

37
3.4.2 - Identificar demandas no setor de BK quanto à Setor de abrangência Associações/
jan/09
Qualidade, Produtividade e TIB nacional MCT

A utilização de
3.4.3 - Identificar e divulgar ofertas das diversas ferramentas de TIB e
Instituições (MCT, SENAI, FPNQ, IPEG, REMESP, de Qualidade é
fundamental para a Articulação com Associações/
ABNT, INMETRO, INPI, etc.) nos temas Qualidade, out/08
melhoria da instituições MCT
Produtividade e TIB e articular ações de apoio e de
fomento. competitividade e
produtividade das
empresas
3.4.4 - Propor a implementação de mecanismos de
indução à melhoria da Qualidade, Produtividade e Articulação com MCT/
ago/08
utilização de TIB nas empresas de BK, tais como instituições Associações
incentivos fiscais, bônus metrologia, etc.

37
A ABIMAQ e a PDP

Fortalecer a Engenharia de Projeto


Fortalecer a Engenharia de Projeto
METAS
Ação / Medidas Justificativa Dificuldades Responsável Prazo
2008 2009 2010

3 - Fortalecer a Engenharia de Projeto


3.4 - Política da Qualidade

3.4.10 - Assessorar as empresas nos Programas de


Associações/
Qualidade e Estimular a certificação de produtos e de Cultura empresarial out/08
MCT
sistemas de qualidade para empresas de BK

3.4.11 - Articular ações de capacitação de RH e


Associações/
realização de extensionismo em qualidade, out/08
MCT
produtividade e TIB

3.5 - Política de Recursos Humanos


A questão da formação
3.5.1 - Apoiar todas as ações que visem aumentar a Elevar a escolaridade

38
de pessoal é Articulação entre
média de anos de estudos dos trabalhadores do fundamental. No setor de Associações dez/08 Média do setor (em anos
Entidades
setor BK a necessidade de de estudo)
pessoas habilitadas a
operar máquinas de alto
3.5.2 - Apoiar a Criação de cursos para a formação teor tecnológico é muito
Articulação entre
específica de Tecnólogos e Engenheiros de grande. Com o Associações dez/08 7,7 7,8 8,0
crescimento econômico Entidades
Máquinas e Equipamentos.
dos últimos anos a falta
de mão de obra
especializada está
3.5.3 - Criar Parcerias com ETEs ETFs, SENAI etc.
agravada. Uma ação
para formação específica de mão de obra para o setor conjunta e urgente é
de BK de forma a atender a grande demanda por necessária para Articulação entre
SENAI jan/09
profissionais do setor, tanto no que tange aos fortalecer o ensino Entidades
profissionais técnicos como a cursos de curta duração técnico e a formação de
para o pessoal operacional mão de obra em áreas
específicas.

39
A ABIMAQ e a PDP

Fortalecer a Engenharia de Projeto


Adensar Cadeia e Fortalecer Empresas de Capital Nacional
METAS
Ação / Medidas Justificativa Dificuldades Responsável Prazo
2008 2009 2010

4 - Adensar Cadeia e Fortalecer Empresas de Capital Nacional


4.1 - Programas de Modernização de Máquinas e Equipamentos - Modermaq
4.1.1 - Prorrogação da vigência do Programa
FINAME de Modernização da Indústria Nacional e
dos Serviços de Saúde - MODERMAQ para
31/12/2008. O MODERMAQ é uma linha que financia
VA/PO na Indústria de BK
a aquisição de máquinas e equipamentos novos, de BNDES mai/08
(Reais)
fabricação nacional, credenciados no BNDES, com
vistas à dinamização do setor de bens de capital e
à modernização geral da indústria e do setor de
saúde.
4.1.2 - Criar um Moderinfra, nos moldes do Modermaq
para atender o financiamento de máquinas e BNDES ago/08 120.161 124.903 128.148
equipamentos especiais para Infra-estrutura.

39
4.1.3 - Incluir máquinas e implementos agrícolas nos
diversos programas do PDP (eliminação da taxa flat e BNDES jun/08
FINAME 10 anos).

4.2 - Política de Mercado Interno Pessoal Ocupado na


Indústria de BKMEC
4.2.1 - Identificação de potenciais projetos e
segmentos de mercados consumidores de máquinas e 248.000
Financiamento ao MDIC/
equipamentos, bem como os principais projetos de jan/09 257.000
projeto Associações
investimentos, seus cronogramas e requisitos técnicos 270.000
e permear as informações junto às empresas de BK.

4.2.2 - Mapear os principais segmentos de mercado:


Financiamento ao
tamanho, principais clientes, investimentos por Associações mar/09
projeto
segmento e oportunidades para a indústria nacional;

40
A ABIMAQ e a PDP

Adensar Cadeia e Fortalecer Empresas de Capital Nacional


Adensar Cadeia e Fortalecer Empresas de Capital Nacional
METAS
Ação / Medidas Justificativa Dificuldades Responsável Prazo
2008 2009 2010

4 - Adensar Cadeia e Fortalecer Empresas de Capital Nacional


4.2 - Política de Mercado Interno
4.2.3 - Propiciar o estreitamento de relacionamento
Articulação Associações set/08
com os grandes clientes públicos e privados.

4.2.4 - Estruturar parcerias estratégicas com entidades


congênere de setores clientes que possam resultar em Articulação Associações out/08
oportunidades de negócios para as empresas de BK.

4.2.5 - Realizar estudos setoriais para identificar os


segmentos mais afetados pela importação predatória e a
relação entre produção nacional de componentes e
acessórios e a produção final de máquinas e
Associações nov/08
equipamentos bem como os insumos básicos nacionais

40
utilizados na produção (aço, instrumentação, eletrônica).

4.3 - Ampliação da oferta de projetos para concessões e Parcerias Público-Privadas


4.3.1 - Apoio técnico e financeiro à Estruturadora
Brasileira de Projetos financiar a estruturação de BNDES ago/08
projetos de infra-estrutura para concessões;

4.3.2 - Constituição de Fundo Multilateral com


recursos do BNDES, IFC e BID para financiar a
BNDES jul/08
modelação de projetos-piloto para concessões e
PPP – Parcerias Público-Privadas;

4.3.3 - Criação do Fundo BNDES de projetos – para


financiar projetos estruturantes de infra-estrutura BNDES jul/08
com maturação de longo prazo.

41
A ABIMAQ e a PDP

Adensar Cadeia e Fortalecer Empresas de Capital Nacional


Apoiar a Modernização e a Consolidação Empresarial
METAS
Ação / Medidas Justificativa Dificuldades Responsável Prazo
2008 2009 2010

5 - Apoiar a Modernização e a Consolidação Empresarial


5.1 - Fundo de Investimento em Participações
5.1.1 - Criação de Fundos de Investimentos em
Participações – um dos propósitos é a capitalização de Se for necessário CND
empresas do setor; o outro é de ser o instrumento para a
consolidação do setor, isto é, a formação de empresas
para atuação do BNDES jul/08
nacionais que possam estar entre as maiores do mundo BNDES
em seus respectivos segmentos.
5.1.2 - O BNDES deverá financiar a aquisição de empresas
nacionais de BK (fusão entre empresas com esse perfil é Em muitos segmentos do A maioria das
muito difícil dado que em sua maioria são pequenas e setor há um número
empresas de Capital
médias, e familiares ) por grupos nacionais; promovendo o excessivo de empresas, BNDES set/08
surgimento de novas empresas que incorporem as o que dificulta suas Nacional do setor são
tecnologias das antigas e destas não carreguem os passivos condições competitivas. Familiares
fiscais;
5.2 - Compras governamentais

41
5.2.1 - Tornar o Governo Parceiro da Indústria de Bens
de Capital a partir de seu poder de compra. Usar o PAC Segundo o Presidente da Deve enfrentar forte
para alavancar os segmentos do setor de bens de capital Republica, o poder de oposição de grandes
voltados para infra-estrutura (infra-estrutura social, compra do Estado será grupos internacionais e
CASA CIVIL ago/08
logística e energia). Serão mais de R$ 500 bilhões em fundamental para
fortalecer as empresas
Empreiteiras Nacionais
investimentos, até 2010;
nacionais. A partir das
grandes obras do PAC e
5.2.2 - Utilizar o índice de conteúdo local em BK como da Petrobrás será dada Deve enfrentar forte
parâmetro na seleção do Fornecedor nas Compras dos prioridade ao conteúdo
oposição de grandes
Governos e Empresas Públicas e em financiamentos do local. Os benefícios BNDES ago/08
BNDES. Este índice deve se referir aos BKs que fiscais e os recursos do grupos internacionais e
compõem cada um dos projetos em análise. Empreiteiras Nacionais
BNDES não podem
financiar a criação de
5.2.3 - A Lei 8.666 deve ser modificada para que empregos em outros
dispositivos previstos em leis recentes (p.ex: Lei de países com dinheiro Envolve uma grande
Inovação e Estatuto das Micro e Pequenas Empresas) público dos articulação entre CASA CIVIL dez/08
possam ser aplicados de maneira a atender seus trabalhadores brasileiros. Executivo e Legislativo
objetivos, dando preferência ao produto nacional.

42
A ABIMAQ e a PDP

Apoiar a Modernização e a Consolidação Empresarial


42
43
44

Você também pode gostar