Você está na página 1de 19

Estudos do Plano Decenal de Expansão de Energia 2031

Demanda de Eletricidade
Superintendência de Estudos Econômicos e Energéticos
Outubro de 2021
Projeção 2021
Consumo na Consumo nas residências
Consumo nas indústrias
Rede Consumo no comércio e outros
PDE 2031 | O consumo de eletricidade em 2021

Projeção do consumo na rede 2021 por classe (%) Projeção do consumo na rede 2021 (%)
Cenário de referência Por cenário

Inferior Referência Superior


5,0% Total
5,8%
3,0% Outros 5,0%

4,9% Comercial

8,7% Industrial 1,9%

1,9% Residencial

% em relação a 2020

A pandemia da COVID-19 gerou impactos no ritmo e na intensidade da retomada do consumo de eletricidade ao longo de 2021.

Estudos do Plano Decenal de Expansão de Energia 2031 | 2


PDE 2031 | Perspectivas para o consumo das residências
Número de consumidores residenciais (NCR) e
Consumo médio por unidade residencial (CPC) Consumo residencial (TWh) Cenário referência
Por cenário Crescimento médio de
Cenário de referência 3,3% anuais entre
Cenário Superior 2021 e 2031
Cenário Referência 223
CPC (kWh/mês) 88 Cenário Inferior
NCR (milhão) 83
208
75 76 196 184
197
68
179 178
60 148 174
165 165
161 131
156
151
151
150

2011
2012
2013
2014
2015
2016
2017
2018
2019
2020
2021
2022
2023
2024
2025
2026
2027
2028
2029
2030
2031
2011

2012

2013

2014

2015

2016

2017

2018

2019

2020

2021

2022

2023

2024

2025

2026

2027

2028

2029

2030

CPC (kWh/mês) NCR (milhão) 2031

No cenário superior, o retorno mais breve às atividades presenciais em 2021 atenua o aumento do consumo nas residências.
No horizonte decenal, o maior consumo médio por unidade residencial já registrado no Brasil (179 kWh/mês, em 1998) só
deve ser superado no segundo quinquênio deste estudo.

Estudos do Plano Decenal de Expansão de Energia 2031 | 3


PDE 2031 | Evolução dos grandes consumidores industriais

Consumo na rede de grandes consumidores (TWh)


Cenário de referência ▪ Em 2021, há retomada de produção de plantas eletrointensivas,
Cimento sobretudo nas cadeias do alumínio, pelotização e soda-cloro .
2,5% a.a. crescimento
Química médio anual
Papel & Celulose
▪ Setores exportadores de commodities, como pelotização,
Metalurgia
siderurgia e celulose, são beneficiados por novo ciclo de
80 commodities;
72 8
62 8
▪ A demanda de eletricidade na rede por parte de segmentos como
10
celulose e siderurgia é limitada pela sua capacidade de
7 9
15 autoprodução de eletricidade.
8
14
13

47 * Para a projeção do consumo de eletricidade, considerou-se


41
34 informações relacionadas à produção dos setores no horizonte decenal
coletadas até agosto de 2021.

2021 2026 2031


Notas: (1) Metalurgia: alumínio primário, alumina, bauxita, aço bruto, pelotização, ferro-ligas e cobre;
(2) Papel & Celulose: papel, celulose e pasta de alto rendimento;
(3) Química: petroquímica e soda-cloro.

Estudos do Plano Decenal de Expansão de Energia 2031 | 4


PDE 2031 | Perspectivas para o consumo das indústrias

Grandes consumidores versus industrial tradicional (% a.a.) Consumo industrial (TWh) Cenário referência
Por cenário Por cenário Crescimento médio de
3,0% anuais entre
2021 e 2031
Industrial Tradicional 3,3% Cenário Superior
266
Superior
Superior

Grandes Consumidores 4,0% Cenário Referência


Cenário Inferior
Industrial Total Rede 3,8%
223 243
Industrial Tradicional 3,2%
Referência
Referência

Grandes Consumidores 2,5%


210 207
Industrial Total Rede 3,0%
Industrial Tradicional 1,1% 170 166 188
Inferior
Inferior

Grandes Consumidores 2,5% 184


181
Industrial Total Rede 2,0% 169

2011
2012
2013
2014
2015
2016
2017
2018
2019
2020
2021
2022
2023
2024
2025
2026
2027
2028
2029
2030
2031
Crescimento médio anual

O cenário de referência supõe o sucesso na realização de reformas estruturais com ganhos de competitividade para a indústria.
Em especial, destaca-se a retomada da indústria de construção (beneficiada por novos projetos de concessões e investimentos
em infraestrutura), transformação e dos setores exportadores de commodities.

Estudos do Plano Decenal de Expansão de Energia 2031 | 5


PDE 2031 | Perspectivas para o comércio e demais classes

Consumo comercial (TWh) Consumo das outras classes (TWh)


Por cenário Por cenário
Cenário referência Cenário referência
Crescimento médio de Cenário Superior Crescimento médio de
Cenário Superior
4,2% anuais entre 4,4% anuais entre
Cenário Referência Cenário Referência
2021 e 2031 2021 e 2031
Cenário Inferior Cenário Inferior
142 129

124
112 130 103 117
118
106 100
91 79
83 99 74 96

87 81
87 81
84 79

2011
2012
2013
2014
2015
2016
2017
2018
2019
2020
2021
2022
2023
2024
2025
2026
2027
2028
2029
2030
2031
2011
2012
2013
2014
2015
2016
2017
2018
2019
2020
2021
2022
2023
2024
2025
2026
2027
2028
2029
2030
2031

Após forte impacto em 2020 em consequência da pandemia da COVID-19, o comércio e as outras classes voltam a apresentar
protagonismo na evolução do consumo ao longo do horizonte de planejamento.

Estudos do Plano Decenal de Expansão de Energia 2031 | 6


PDE 2031 | Como evolui o consumo de eletricidade na rede?

Consumo rede (TWh)


Por cenário
Cenário Superior 761
Cenário Referência Cenário referência
Cenário Inferior Crescimento médio de
3,5% anuais entre
705
2021 e 2031
622
639
594
558
466 476
503
499
483
2011

2012

2013

2014

2015

2016

2017

2018

2019

2020

2021

2022

2023

2024

2025

2026

2027

2028

2029

2030

2031
Cenário de Referência: crescimento médio de 3,5% anuais, enquanto PIB cresce a 2,9% no decênio.

Estudos do Plano Decenal de Expansão de Energia 2031 | 7


Autoprodução não-injetada
Principais Consumo total de eletricidade
Elasticidade-renda
indicadores Intensidade elétrica
PDE 2031 | Autoprodução não injetada na rede

Autoprodução não-injetada na rede:


▪ A autoprodução não injetada é uma importante componente do Grandes consumidores versus demais setores (TWh)
consumo de eletricidade no país e responde por Cenário de referência
aproximadamente 10% do consumo total. Demais setores 3,3% a.a. crescimento
médio anual
▪ Entre os segmentos mais preponderantes, destacam-se por Grandes Consumidores

ordem de grandeza do consumo os segmentos industriais de


celulose e siderurgia, além de ramos do setor energético, como 78
68
exploração e produção de óleo e gás e o setor sucroalcooleiro. 57
44
▪ A expectativa é de que os grandes consumidores expandam o 33
39
volume de autoprodução não-injetada em 11 TWh no período
decenal, o que equivale à geração de 2,2 GW hidráulicos. 24 29 35

▪ Para os demais setores, a expectativa é de que esse consumo 2021 2026 2031
tenha expansão de 3% anuais. Grandes Consumidores Demais setores
Notas: (1) Grandes consumidores: focados em celulose, siderurgia e petroquímica;
(2) Demais setores: E&P de óleo e gás, refino, sucroalcooleiro e outros.

No período decenal, os setores que mais se destacam pelo incremento do autossuprimento de eletricidade são:
celulose, E&P de óleo e gás e sucroalcooleiro.

Estudos do Plano Decenal de Expansão de Energia 2031 | 9


PDE 2031 | Como evolui o consumo total de eletricidade?

Consumo total (TWh)


Por cenário
847
Cenário Superior Cenário referência
Cenário Referência Crescimento médio de
792
3,5% anuais entre
Cenário Inferior
2021 e 2031
697
725
669
633
540
525
567
563
546
2011

2012

2013

2014

2015

2016

2017

2018

2019

2020

2021

2022

2023

2024

2025

2026

2027

2028

2029

2030

2031
Nota: (1) Consumo total de eletricidade inclui consumo na rede apurado pelo SIMPLES (sistema utilizado pela EPE para coleta de dados de consumo de eletricidade na
rede do SIN e isolados), APE não-injetada na rede, MMGD não-injetada na rede e consumo interno de usinas não captado pelo SIMPLES.
(2) Em 2031, os Sistemas Isolados representam 0,8% do consumo na rede Brasil e 0,7% do consumo total de eletricidade.

A diferença do consumo total de eletricidade entre os cenários superior e inferior atinge o montante de 122 TWh (14%) em 2031.

Estudos do Plano Decenal de Expansão de Energia 2031 | 10


PDE 2031 | Elasticidade-renda e intensidade elétrica

Elasticidade-renda (Ɛ) Intensidade elétrica (kWh/(R$ 1.000))

2021-2031 Cenário Superior


Cenário Referência
Cenário Δ% PIB Δ% Consumo 0,161
Ɛ Cenário Inferior
a.a. Total (a.a.) 0,155
0,153
Inferior 1,9% 2,9% 1,50 0,146 0,150

Referência 2,9% 3,5% 1,20 0,147 0,147

Superior 3,9% 4,1% 1,04 0,128 0,144


0,145
0,147

2011
2012
2013
2014
2015
2016
2017
2018
2019
2020
2021
2022
2023
2024
2025
2026
2027
2028
2029
2030
2031
Quanto mais tímido o cenário para a atividade econômica, maior a intensidade elétrica resultante, por conta de efeito
estrutural entre os setores.

Estudos do Plano Decenal de Expansão de Energia 2031 | 11


Conceitos de consumo e carga
Requisito de Perdas e diferenças
Carga de energia
Geração Comparação entre planos
PDE 2031 | Decomposição de consumo e carga de energia

Consumo Ganho de Consumo Autossuprimento Brasil Sistemas SIN Perdas e SIN


potencial Eficiência total Consumo Rede Isolados Consumo Rede Diferenças Carga de energia

Notas: (1) Consumo potencial – consumo caso fossem mantidos os hábitos e padrões tecnológicos observados no ano-base, isto é, sem incorporar os ganhos de eficiência
elétrica decorrente de políticas vigentes .
(2) Autossuprimento - consumo suprido por energia gerada pelo próprio consumidor, sem uso da rede, incluindo autoprodução de grandes consumidores e demais
setores. Inclui parcela de MMGD não injetada na rede no ano-base.
(3) Carga de energia – não considera abatimento de MMGD.

Estudos do Plano Decenal de Expansão de Energia 2031 | 13


PDE 2031 | Qual a diferença entre os cenários de perdas?
▪ A parcela de “perdas e diferenças” no Sistema Interligado Nacional é
calculada a partir da diferença entre o valor da carga global de energia
SIN – Perdas e diferenças (% da carga de energia) apurada pelo ONS e o valor de consumo na rede (SIN) obtido pela EPE.
Por cenário
▪ Esta parcela engloba as chamadas perdas técnicas nas redes de
20,0 19,6 20,0 transmissão e distribuição e as denominadas perdas não técnicas, que
19,5 19,4 19,4
19,5 19,5 consideram ligações irregulares/clandestinas, erros de medição, erros no
19,0
19,0
19,4 18,8 19,0 processo de faturamento, unidades consumidoras sem equipamento de
19,0 medição, efeito calendário etc.
18,5 18,5
18,0 18,3
17,8 18,0 ▪ Adicionalmente, a parcela de “perdas e diferenças” contabilizam outras
Cenário Superior diferenças relativas aos próprios conceitos utilizados de carga global
17,5 17,5
Cenário Referência (ONS/CCEE) e de consumo na rede (EPE), como é o caso de alguns
17,0 17,2 17,0
Cenário Inferior consumidores livres conectados na rede básica que possuem
16,5 16,5 autoprodução de energia, cujo consumo é integralmente considerado na
16,0 16,0 carga global, porém, não no consumo na rede, além de parcela
2019

2020

2021

2022

2023

2024

2025

2026

2027

2028

2029

2030

2031
significativa (cerca de 70%) de consumo próprio de usinas de geração.
Para mais informações acessar GT-Perdas.NT01/2017 disponível em:
Fonte: ONS e EPE (histórico) e EPE (projeções) https://www.epe.gov.br/sites-pt/publicacoes-dados-abertos/publicacoes/PublicacoesArquivos/publicacao-
610/NT%20GT%20Perdas%20-%20Vers%C3%A3o%20Final%20(1).pdf

Quanto mais favorável o cenário econômico, maiores as condições para se investir no combate às perdas. Desta forma, no cenário de
referência, e também no superior, sob um ritmo de crescimento econômico mais sustentado espera-se que as perdas e diferenças
decresçam mais no segundo quinquênio.

Estudos do Plano Decenal de Expansão de Energia 2031 | 14


PDE 2031 | E as perspectivas para os requisitos de geração?

SIN – Carga de energia (MWmédio) SIN – Acréscimos anuais médios por cenário (MWmédio)
Fonte: ONS (histórico) e EPE (projeções) Fonte: ONS (histórico) e EPE (projeções)

Cenário Superior
Cenário Superior Cenário referência 3.568
104.094 Cenário Referência
Cenário Referência Crescimento médio de 3.147
3,4% anuais entre Cenário Inferior 2.842
Cenário Inferior 97.238
2021 e 2031 2.618
86.254
2.240
89.711 2.071
1.707
66.839 83.029
64.625 78.510
1.065 1.181
70.517 708
69.940
68.153
2011
2012
2013
2014
2015
2016
2017
2018
2019
2020
2021
2022
2023
2024
2025
2026
2027
2028
2029
2030
2031
2012-2016 2017-2021* 2022-2026 2027-2031

* Considerando o ano de 2021 projetado.

No decênio a expansão da carga de energia o cenário de referência expande 27 GWmédios, ou cerca de 50 GW hidráulicos (o
equivalente a cerca de 3,5 Itaipus, incluindo as parcelas brasileira e paraguaia).

Estudos do Plano Decenal de Expansão de Energia 2031 | 15


PDE 2031 | Quais as diferenças entre planos?

Linha do tempo SIN – Carga de energia (GWmédio)


das publicações Por plano
2ª Revisão
1ª Revisão 2ª Revisão PDE 2031
93,8
Quadrim. PDE 2030 (referência)
2020-2024 Quadrim. Quadrim. Demanda 97,2
PDE 2030 2021-2025 2021-2025 Eletricidade
2ª Revisão Quadrimestral 2020-2024 94,3
Demanda PLAN PLAN 2025
Eletricidade 2021-2025 1ª Revisão Quadrimestral 2021-2025
PDE 2031 (Referência)

Data de 64,6
Elaboração JUN AGO NOV MAR JUL AGO
da projeção 2020 2020 2020 2021 2021 2021
56,1

2011
2012
2013
2014
2015
2016
2017
2018
2019
2020
2021
2022
2023
2024
2025
2026
2027
2028
2029
2030
2031
Nota: Não inclui consumo referente a sistemas isolados.
Imagens: Ícones feitos por Freepik de www.flaticon.com
Fonte: ONS (histórico), EPE/ONS/CCEE (projeções 1ª Revisão Quadrimestral 2025, PLAN 2025, 2ª Revisão Quadrimestral 2024) e EPE (projeções PDE 2030 e PDE 2031)

O impacto da crise da COVID-19 já era contemplado no momento da elaboração das projeções da carga de energia do PDE
2030, apesar da natural incerteza do processo. A revisão das expectativas para este ciclo levam a um aumento de cerca de
580 MWmédios na carga de energia do SIN em 2030.

Estudos do Plano Decenal de Expansão de Energia 2031 | 16


PDE 2031 | Impactos conjunturais nas projeções de longo prazo
▪ Com o objetivo de tratar incertezas ao longo do horizonte decenal no que
SIN – Carga de energia (GWmédio)
tange ao atendimento da demanda de eletricidade no SIN, além da
85,0 Por cenários
trajetória de Referência, são elaborados no PDE 2031 cenários
82,6
alternativos para os requisitos de geração;

80,0
80,0 ▪ No final de julho/2021, foi divulgada a 2ª Revisão Quadrimestral da Carga
do PLAN 2021–2025, na qual o cenário econômico foi atualizado para o
79,2
ano de 2021, gerando uma previsão de carga no SIN 1,4% superior à
prevista para 2021 na 1ª Revisão Quadrimestral, elaborada em
75,0 76,2 março/2021;

▪ A carga de energia de referência do PDE 2031 se ancora nos valores até


70,5 2025 divulgados na 2ª Revisão Quadrimestral. A partir de 2022, volta a
70,0 69,9
ficar mais próxima dos números esperados à época da 1ª Revisão
Quadrimestral no cenário de referência do PDE 2031;
68,9
68,2
▪ Vale ressaltar, contudo, que o foco dos estudos do PDE não é o curto
65,0 prazo. Ajustes conjunturais, como a atualização realizada para o ano de
2021 2022 2023 2024 2025 2021, não interferem, portanto, na consistência dos cenários de longo
PDE 2031_Inferior PDE 2031_Referência prazo do PDE e nas projeções elaboradas;
PDE 2031_Superior 2ª Revisão Quadrimestral 2021-2025*
▪ Pelas incertezas inerentes do planejamento da expansão, e sendo o PDE
1ª Revisão Quadrimestral 2021-2025*
um plano anual, a conjuntura deve ser observada, mas um descolamento
* Corresponde ao Referência
da expectativa da carga no curtíssimo prazo não deve, isoladamente,
motivar uma revisão da carga de Referência do plano.

Estudos do Plano Decenal de Expansão de Energia 2031 | 17


www.epe.gov.br

Diretor
EPE Brasil @EPE_Brasil EPE
Giovani Vitória Machado Equipe Técnica
Allex Yujhi Gomes Yukizaki
Coordenação Técnica Simone Saviolo Rocha EPE - Empresa de Pesquisa Energética
Arnaldo dos Santos Junior Avenida Rio Branco, 1 - 11o andar
Carla da Costa Lopes Achão 20090-003
Gustavo Naciff de Andrade Centro - Rio de Janeiro

Você também pode gostar