Você está na página 1de 68

1ª Fase

Mapeamento do XXXI Exame da Ordem

Mapeamento 1ª Fase
XXXI Exame da OAB

1
1ª Fase
Mapeamento do XXXI Exame da Ordem

1ª FASE OAB

MAPEAMENTO
XXXI Exame da OAB

ÉTICA .....................................................................................................................................8
FILOSOFIA DO DIREITO .......................................................................................................13
DIREITO CONSTITUCIONAL .................................................................................................14
DIREITOS HUMANOS ..........................................................................................................20
DIREITO INTERNACIONAL ...................................................................................................21
DIREITO TRIBUTÁRIO ..........................................................................................................23
DIREITO ADMINISTRATIVO .................................................................................................26
DIREITO AMBIENTAL ...........................................................................................................30
DIREITO CIVIL ......................................................................................................................32
DIREITO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE ........................................................................37
DIREITO DO CONSUMIDOR .................................................................................................38
DIREITO EMPRESARIAL .......................................................................................................40
PROCESSO CIVIL ..................................................................................................................43
DIREITO PENAL ...................................................................................................................49
PROCESSO PENAL ...............................................................................................................53
DIREITO DO TRABALHO ......................................................................................................59
PROCESSO DO TRABALHO ..................................................................................................63

Olá, aluno(a). Neste material você encontra uma análise minuciosa das questões do XXXI Exame da OAB,
desenvolvida pela Equipe de 1ª Fase do Curso Ceisc. A análise realizada indica o assunto abordado, a base legal, o
tipo de questão e se há interdisciplinaridade. Esperamos que você aproveite esse estudo em sua preparação!
Bons estudos, Equipe CEISC.
Atualizado em janeiro de 2022.

2
1ª Fase
Mapeamento do XXXI Exame da Ordem

TIPO DE
N. DISCIPLINA GAB. ASSUNTO BASE LEGAL
QUESTÃO
D Processo Disciplinar Art. 77 do EOAB Interpretação da
01 Ética lei ao caso
concreto
B Código de Ética e Disciplina Art. 43 do CED Interpretação da
02 Ética Art. 42, V, CED lei ao caso
concreto
B Honorário advocatícios Art. 25 do EOAB Interpretação da
03 Ética lei ao caso
concreto
D Sociedade de advogados Art. 15, §7º do Interpretação da
04 Ética EOAB; lei ao caso
concreto
A Procuração e mandato Art. 14 do CED Literalidade da Lei
05 Ética

B Órgãos da OAB; Conselho Art. 54, §1º do Literalidade da Lei


06 Ética Seccional Regulamento Geral

D Sociedade de advogados Art. 16, §1º do Interpretação da


07 Ética EOAB lei ao caso
concreto
B Eleições e mandatos na OAB Art. 63, §2º do Interpretação da
08 Ética EOAB lei ao caso
concreto
A Immanuel Kant Sem base legal Doutrina
09 Filosofia do Direito

A Aristóteles; Grécia antiga Sem base legal Doutrina


10 Filosofia do Direito

B Direitos sociais Sem base legal Doutrina


11 Direito Constitucional

A Poder Legislativo; Imunidades Sem base legal Jurisprudência


12 Direito Constitucional

B Processo Legislativo; Medida Art. 167, § 3º da CF Literalidade da Lei


13 Direito Constitucional Provisória
D Remédios constitucionais; Súmula 629 do STF Súmula
Mandado de Segurança;
14 Direito Constitucional
Legitimidade

C Ordem econômica e Art. 43, §2º, III da Interpretação da


financeira; Princípio da CF lei ao caso
15 Direito Constitucional
redução das desigualdades concreto
regionais e sociais
C Direitos Políticos; Art. 14, § 7º da CF Interpretação da
16 Direito Constitucional Inelegibilidade lei ao caso
concreto
A Defesa do Estado e das Art. 142. § 2º, da CF Interpretação da
17 Direito Constitucional Instituições Democráticas; lei ao caso
Forças armadas concreto

3
1ª Fase
Mapeamento do XXXI Exame da Ordem

A Pacto Internacional de Art. 27 da Literalidade da Lei


Direitos Civis e Políticos, Convenção
18 Direitos Humanos
Validade em âmbito Nacional Americana de
Direitos Humanos
D Direito à religião, Censura Art. 13 Pacto de San Interpretação da
19 Direito Humanos Prévia Jose da Costa Rica lei ao caso
concreto
C Condição Jurídica do art. 14, I, “c” e §3º Interpretação da
Estrangeiro da Lei 13.445/17 lei ao caso
20 Direito Internacional
concreto

D Jurisdição e Competência Art. 21, II do CPC e Interpretação da


21 Direito Internacional art. 12 da LINDB lei ao caso
concreto
D Fato gerador; Impostos Art. 155, II, CF Interpretação da
22 Direito Tributário Estaduais; Impostos lei ao caso
Municipais; ICMS; ISS; concreto
B Impostos Municipais, ITBI Art. 208, CTN Interpretação da
23 Direito Tributário lei ao caso
concreto
D Impostos Municipais, ITBI Art. 156, II, CF Literalidade da Lei
24 Direito Tributário

B Suspensão do Crédito Art. 155-A, §3º, CTN Interpretação da


Tributário, Parcelamento do lei ao caso
25 Direito Tributário
devedor em Recuperação concreto
Judicial
B Contribuições Especiais; Art. 146, III, b, CF + Interpretação da
26 Direito Tributário Prescrição; Súmula Vinculante lei ao caso
nº 8, STF concreto
A Agentes públicos; Formas de Art. 37, V, da CF Interpretação da
Direito
27 ingresso lei ao caso
Administrativo
concreto
Direito D Atos administrativos; Art. 21 da LINDB Literalidade da Lei
28 Invalidação dos atos
Administrativo
A Controle da Administração Art. 5º, I, da Lei Interpretação da
Direito
29 Pública; Meios de Controle; 12.016/09 lei ao caso
Administrativo
Mandado de Segurança concreto
D Concessão de Serviços Art. 32, caput e § Literalidade da Lei
Direito
30 Públicos único, da Lei
Administrativo
8.987/95
B Intervenção do Estado na Art. 8º do DL Interpretação da
Direito
31 propriedade; Desapropriação 3.365/41 lei ao caso
Administrativo
concreto
A Responsabilidade Civil Art. 37, §6º, da CF Interpretação da
32 Direito
Objetiva do Estado lei ao caso
Administrativo
concreto
D Responsabilidade Penal Art. 225, §3º da CF Interpretação da
33 Direito Ambiental Ambiental e art. 15, II, alínea A lei ao caso
da Lei nº 9.605/98 concreto
D Estudo de Impacto Ambiental Art. 8 e 11 da Interpretação da
34 Direito Ambiental Resolução 01/86 do lei ao caso
concreto

4
1ª Fase
Mapeamento do XXXI Exame da Ordem

CONAMA, art. 225,


§1º, IV da CF
A Defeitos do Negócio Jurídico, art. 157 do CC. Interpretação da
35 Direito Civil Lesão lei ao caso
concreto
C Alimentos. Direito de Família Art. 1.695 CC Literalidade da Lei
36 Direito Civil

B Obrigações, Pagamento de Art. 305 CC Interpretação da


37 Direito Civil terceiro não interessado lei ao caso
concreto
D Venda a Descendente Art. 496 CC e Art. Interpretação da
38 Direito Civil 544 CC lei ao caso
concreto
C Emancipação Art. 5° CC e Art. 9° Interpretação da
39 Direito Civil CC lei ao caso
concreto
D Aceite do credor, Herança Art. 1.813 CC Literalidade da Lei
40 Direito Civil

C Divórcio, Regime de bens, Art. 1.660, V, CC e Interpretação da


41 Direito Civil frutos civis Art. 1.659, I, CC lei ao caso
concreto
C Medidas socioeducativas; Art. 120, ECA. Interpretação da
Direito da Criança e
42 Medida de semiliberdade; lei ao caso
do Adolescente
concreto
D Adoção; Crimes e Infrações Art. 258-B, ECA + Interpretação da
Direito da Criança e
43 Administrativas do ECA Art. 19-A, ECA. lei ao caso
do Adolescente
concreto
A Contratos de Plano de Saúde Art. 35-F, Lei nº Interpretação da
Direito do
44 9656/98 lei ao caso
Consumidor
concreto
B Responsabilidade Solidária Art. 7º do CDC Interpretação da
Direito do
45 lei ao caso
Consumidor
concreto
A Morte do Sócio, Continuidade Art. 1.028 CC Literalidade da Lei
46 Direito Empresarial da Sociedade Limitada
C Sociedade Limitada, Art. 1.052 CC e Art. Interpretação da
47 Direito Empresarial Integralização das Quotas 1.056. §2°, CC lei ao caso
concreto
D Contratos Empresariais, Art. 1.146 CC Literalidade da Lei
48 Direito Empresarial Trespasse

A Contratos Empresariais, art. 710 CC Interpretação da


49 Direito Empresarial Delimitação Zona Geográfica lei ao caso
concreto
A Efeitos, Falência art. 80 11.101/05 Interpretação da
50 Direito Empresarial lei ao caso
concreto
B Teoria Geral da Prova, Art. 371 CPC Interpretação da
51 Processo Civil Princípio da Comunhão da lei ao caso
Prova concreto

5
1ª Fase
Mapeamento do XXXI Exame da Ordem

D Improcedência Liminar do Art. 332 CPC Interpretação da


52 Processo Civil Pedido, Nulidade da decisão lei ao caso
concreto
D Sentença, Hipoteca Judiciária Art. 495 CPC Literalidade da Lei
53 Processo Civil

C Execução de título executivo Art. 917, §2° e §3° Literalidade da Lei


extrajudicial, Embargos à CPC
54 Processo Civil
execução, Excesso de
Execução
C Ação Rescisória, Falsidade de Art. 966, VI CPC Interpretação da
55 Processo Civil documentos do processo lei ao caso
concreto
B Ações Possessórias, Pedido Art. 559 CPC Interpretação da
56 Processo Civil Contraposto lei ao caso
concreto
B Reconvenção sem Art. 343 e Literalidade da Lei
57 Processo Civil contestação, Reconvenção parágrafos CPC
com litisconsórcio
A Associação criminosa Art. 1º,§1º Lei Interpretação da
58 Direito Penal falsidade ideológica de 12.850/13 c/c art. lei ao caso
documento particular 299, CP c/c 288, CP concreto
D Estelionato; Concurso Interpretação da
art. 171, CP c/c
59 Direito Penal material; Princípio da lei ao caso
Súmula 17, STJ
Consunção concreto
C Interpretação da
art. 138, CP e art.
60 Direito Penal Calúnia lei ao caso
138, §3º, CP
concreto
C Furto; Circunstâncias art. 155, CP e 61, l, Interpretação da
61 Direito Penal agravantes; CP, art. 28, inciso II, lei ao caso
Embriaguez preordenada CP concreto
C Noções Gerais Doutrina
62 Direito Penal Antijuridicidade; Fato típico; art. 213 CP
Estupro
C art. 33, lei Interpretação da
Crime permanente; Lei de
63 Direito Penal 11.343/06 c/c lei ao caso
Tóxicos
Súmula 711, STF concreto
C Procedimento especial dos Súmula
Súmula 713, STF;
64 Processo Penal crimes de competência do
súmula 160 STF
Tribunal do Júri
B art. 268, CPP; 598, Interpretação da
Apelação;
65 Processo Penal CPP; lei ao caso
Assistente de acusação
31 do CPP concreto
C art. 8º, §1º, Lei Literalidade da Lei
Flagrante retardado ou
66 Processo Penal 12850/13 e Súmula
diferido ou ação controlada
145/STF
C Interpretação da
Interrogatório; Prova art. 206, CPP e Art.
67 Processo Penal lei ao caso
testemunhal 191 CPP
concreto
D Competência por Literalidade da Lei
68 Processo Penal art. 53, §3º da CF
prerrogativa de função

6
1ª Fase
Mapeamento do XXXI Exame da Ordem

A Da rejeição da denúncia ou Literalidade da Lei


art. 41, CPP c/c 395,
69 Processo Penal queixa-crime; Recurso em
I, CPP e 581, I, CPP
sentido estrito
B Contrato de Trabalho: Art. 507-A da CLT Interpretação da
70 Direito do Trabalho Cláusula de Arbitragem lei ao caso
concreto
A Responsabilidade Solidária: Art. 2º, §2º da CLT Interpretação da
71 Direito do Trabalho Grupo Econômico lei ao caso
concreto
C Licença Maternidade e Art. 473 da CLT e Interpretação da
72 Direito do Trabalho Paternidade art. 320, §3 da Lei lei ao caso
nº 5452/43 concreto
B Contrato de Trabalho Art. 373-A e 377 da Interpretação da
73 Direito do Trabalho CLT lei ao caso
concreto
A Aviso Prévio Art. 489 da CLT Interpretação da
74 Direito do Trabalho lei ao caso
concreto
A Contrato de Trabalho: Súmula 12/TST e Interpretação da
75 Direito do Trabalho Doméstico art. 29 da CLT lei ao caso
concreto
B Incidente de Desconsideração Art. 855-A da CLT e Interpretação da
76 Processo do Trabalho da Personalidade Jurídica Art. 135 de CPC lei ao caso
concreto
B Processo de Homologação de Art. 855-B da CLT Interpretação da
77 Processo do Trabalho Acordo Extrajudicial lei ao caso
concreto
C Da audiência e Julgamento Art. 843 da CLT Interpretação da
78 Processo do Trabalho lei ao caso
concreto
B Sistema Recursal Trabalhista Súmula 201 do TST Súmula
79 Processo do Trabalho

D Sistema Recursal Trabalhista: Art. 899, §9º e 10 Interpretação da


80 Processo do Trabalho Recolhimento de Custas da CLT lei ao caso
concreto

7
1ª Fase
Mapeamento do XXXI Exame da Ordem

ÉTICA

QUESTÃO 01
Havendo indícios de que Sara obteve inscrição na Ordem dos Advogados do Brasil mediante prova falsa,
foi instaurado contra ela processo disciplinar. Sobre o tema, assinale a afirmativa correta.
A) O processo disciplinar contra Sara pode ser instaurado de ofício ou mediante representação, que pode
ser anônima.
B) Em caso de revelia de Sara, o processo disciplinar seguirá, independentemente de designação de
defensor dativo.
Art. 77. Todos os recursos têm efeito
C) O processo disciplinar instaurado contra Sara será, em regra,
suspensivo, exceto quando tratarem de
público. eleições (arts. 63 e seguintes), de suspensão
D) O recurso contra eventual decisão que determine o preventiva decidida pelo Tribunal de Ética e
Disciplina, e de cancelamento da inscrição
cancelamento da inscrição de Sara não terá efeito suspensivo. obtida com falsa prova.

Assunto Processo Disciplinar


Base legal Art. 77 do EOAB

Tipo de questão Interpretação da lei ao caso concreto.

QUESTÃO 02
Em certo município, os advogados André e Helena são os únicos especialistas em determinado assunto
jurídico. Por isso, André foi convidado a participar de entrevista na imprensa escrita sobre as repercussões
de medidas tomadas pelo Poder Executivo local, relacionadas à sua área de especialidade. Durante a
entrevista, André convidou os leitores a litigarem em face da Administração Pública, conclamando-os a
procurarem advogados especializados para ajuizarem, desde logo, as demandas que considerava
tecnicamente cabíveis. Porém, quando indagado sobre os meios de contato de seu escritório, para os
leitores interessados, André disse que, por obrigação ética, não poderia divulgá-los por meio daquele
veículo. Por sua vez, a advogada Helena, irresignada com as mesmas medidas tomadas pelo Executivo,
procurou um programa de rádio, oferecendo-se para uma reportagem sobre o assunto. No programa,
Helena manifestou-se de forma técnica, educativa e geral, evitando sensacionalismo. Considerando as
situações acima narradas e o disposto no Código de Ética e Disciplina da OAB, assinale a afirmativa correta.
A) André e Helena agiram de forma ética, observando as normas previstas no Código de Ética e Disciplina
da OAB.

8
1ª Fase
Mapeamento do XXXI Exame da Ordem

B) Nenhum dos dois advogados agiu de forma


Art. 42. É vedado ao advogado:
ética, tendo ambos inobservado as normas
V – insinuar-se para reportagens e declarações públicas.
previstas no Código de Ética e Disciplina da Art. 43. O advogado que eventualmente participar de
OAB. programa de televisão ou de rádio, de entrevista na
imprensa, de reportagem televisionada ou veiculada por
C) Apenas André agiu de forma ética, qualquer outro meio, para manifestação profissional, deve
observando as normas previstas no Código de visar a objetivos exclusivamente ilustrativos, educacionais e
instrutivos, sem propósito de promoção pessoal ou
Ética e Disciplina da OAB. profissional, vedados pronunciamentos sobre métodos de
D) Apenas Helena agiu de forma ética, trabalho usados por seus colegas de profissão.
observando as normas previstas no Código de
Ética e Disciplina da OAB.

Assunto Código de Ética e Disciplina


Base legal Art. 43 e Art. 42, V, do CED

Tipo de questão Interpretação da lei ao caso concreto.

QUESTÃO 03
O advogado Fernando foi contratado por Flávio para defendê-lo, extrajudicialmente, tendo em vista a
pendência de inquérito civil em face do cliente. O contrato celebrado por ambos foi assinado em
10/03/15, não prevista data de vencimento. Em 10/03/17, foi concluída a atuação de Fernando, tendo
sido homologado o arquivamento do inquérito civil junto ao Conselho Superior do Ministério Público. Em
10/03/18, Fernando notificou extrajudicialmente Flávio, pois este ainda não havia adimplido os valores
relativos aos honorários contratuais acordados. A ação de cobrança de honorários a ser proposta por
Fernando prescreve em
A) três anos, contados de 10/03/15. Art. 25. Prescreve em cinco
anos a ação de cobrança de
B) cinco anos, contados de 10/03/17. honorários de advogado,
C) três anos, contados de 10/03/18. contado o prazo:
D) cinco anos, contados de 10/03/15. III - da ultimação do serviço
extrajudicial;

Assunto Honorário advocatícios


Base legal Art. 25 do EOAB

Tipo de questão Interpretação da lei ao caso concreto.

QUESTÃO 04
Os sócios Antônio, Daniel e Marcos constituíram a sociedade Antônio, Daniel & Marcos Advogados
Associados, com sede em São Paulo e filial em Brasília. Após desentendimentos entre eles, Antônio
constitui sociedade unipessoal de advocacia, com sede no Rio de Janeiro. Marcos, por sua vez, retira-se

9
1ª Fase
Mapeamento do XXXI Exame da Ordem

da sociedade Antônio, Daniel & Marcos Advogados Associados. Sobre a situação apresentada, assinale a
afirmativa correta.
A) Daniel não está obrigado a manter inscrição
suplementar em Brasília, já que a sociedade Antônio, Art. 15. Os advogados podem reunir-se em sociedade
Daniel & Marcos Advogados Associados tem sede em simples de prestação de serviços de advocacia ou
constituir sociedade unipessoal de advocacia, na
São Paulo. forma disciplinada nesta Lei e no regulamento geral.
B) Antônio deverá retirar-se da Antônio, Daniel & § 7º A sociedade unipessoal de advocacia pode
resultar da concentração por um advogado das quotas
Marcos Advogados Associados, já que não pode
de uma sociedade de advogados, independentemente
integrar, simultaneamente, uma sociedade de das razões que motivaram tal concentração.
advogados e uma sociedade unipessoal de advocacia. Art. 16. Não são admitidas a registro nem podem
funcionar todas as espécies de sociedades de
C) Mesmo após Marcos se retirar da sociedade advogados que apresentem forma ou características
Antônio, Daniel & Marcos Advogados Associados de sociedade empresária, que adotem denominação
de fantasia, que realizem atividades estranhas à
permanece o impedimento para que ele e Antônio
advocacia, que incluam como sócio ou titular de
representem em juízo clientes com interesses sociedade unipessoal de advocacia pessoa não inscrita
opostos. como advogado ou totalmente proibida de advogar.
§ 4º A denominação da sociedade unipessoal de
D) Caso Antônio também se retire da Antônio, advocacia deve ser obrigatoriamente formada pelo
Daniel & Marcos Advogados Associados, a nome do seu titular, completo ou parcial, com a
expressão ‘Sociedade Individual de Advocacia’.
sociedade deverá passar a ser denominada Daniel
Sociedade Individual de Advocacia.

Assunto Sociedade de advogados


Base legal Art. 15, §7º e Art. 16, §4º do EOAB

Tipo de questão Interpretação da lei ao caso concreto.

QUESTÃO 05
Um escritório de renome internacional considera expandir suas operações, iniciando atividades no Brasil.
Preocupados em adaptar seus procedimentos internos para que reflitam
Art. 14. O advogado não
os códigos brasileiros de ética profissional, seus dirigentes estrangeiros deve aceitar procuração de
desejam entender melhor as normas a respeito da relação entre clientes e quem já tenha patrono
constituído, sem prévio
advogados no país. Sobre esse tema, é correto afirmar que os advogados
conhecimento deste, salvo
brasileiros por motivo plenamente
A) podem, para a adoção de medidas judiciais urgentes e inadiáveis, justificável ou para adoção
de medidas judiciais
aceitar procuração de quem já tenha patrono constituído, sem prévio urgentes e inadiáveis.
conhecimento deste.
B) deverão considerar sua própria opinião a respeito da culpa do acusado
ao assumir defesa criminal.
C) podem funcionar, no mesmo processo, simultaneamente, como
patrono e preposto de seu cliente, desde que tenham conhecimento direto dos fatos.

10
1ª Fase
Mapeamento do XXXI Exame da Ordem

D) podem representar, em juízo, clientes com interesses opostos se não integrarem a mesma sociedade
profissional, mas estiverem reunidos em caráter permanente para cooperação recíproca.

Assunto Procuração e mandato


Base legal Art. 14 do CED

Tipo de questão Literalidade da lei

QUESTÃO 06
O advogado João era conselheiro de certo Conselho Seccional da OAB. Todavia, por problemas pessoais,
João decidiu renunciar ao mandato. Considerando o caso narrado, assinale a afirmativa correta.
A) Compete ao plenário do Conselho Seccional respectivo declarar extinto o mandato, sendo exigido que
previamente ouça João no prazo de dez dias, após notificação deste mediante ofício com aviso de
recebimento.
B) Compete à Diretoria do Conselho Seccional
Art. 54. Compete à Diretoria dos Conselhos Federal
respectivo declarar extinto o mandato, e Seccionais, da Subseção ou da Caixa de
independentemente de exigência de prévia notificação Assistência declarar extinto o mandato, ocorrendo
uma das hipóteses previstas no art. 66 do Estatuto,
para oitiva de João. encaminhando ofício ao Presidente do Conselho
C) Compete ao plenário do Conselho Seccional Seccional.
§ 1º A Diretoria, antes de declarar extinto o
respectivo declarar extinto o mandato, sendo exigido
mandato, salvo no caso de morte ou renúncia, ouve
que previamente ouça João no prazo de quinze dias, o interessado no prazo de quinze dias, notificando-
após notificação pessoal deste. o mediante ofício com aviso de recebimento.

D) Compete à Segunda Câmara do Conselho Federal da


OAB declarar extinto o mandato, independentemente
de exigência de prévia notificação para oitiva de João.

Assunto Órgãos da OAB; Conselho Seccional


Base legal Art. 54, §1º do Regulamento Geral

Tipo de questão Literalidade da lei

QUESTÃO 07
A sociedade Antônio, Breno, Caio & Diego Advogados Associados é integrada, exclusivamente, pelos
sócios Antônio, Breno, Caio e Diego, todos advogados regularmente inscritos na OAB. Em um determinado
momento, Antônio vem a falecer. Breno passa a exercer mandato de vereador, sem figurar entre os
integrantes da Mesa Diretora da Câmara Municipal ou seus substitutos legais. Caio passa a exercer, em
caráter temporário, função de direção em empresa concessionária de serviço público. Considerando esses
acontecimentos, assinale a afirmativa correta.

11
1ª Fase
Mapeamento do XXXI Exame da Ordem

A) O nome de Antônio poderá permanecer na razão social da sociedade após o seu falecimento, ainda
que tal possibilidade não esteja prevista em seu ato
constitutivo.
Art. 16. Não são admitidas a registro nem podem
B) Breno deverá licenciar-se durante o período em que funcionar todas as espécies de sociedades de
exercer o mandato de vereador, devendo essa advogados que apresentem forma ou
características de sociedade empresária, que
informação ser averbada no registro da sociedade. adotem denominação de fantasia, que realizem
C) Caio deverá deixar a sociedade, por ter passado a atividades estranhas à advocacia, que incluam
como sócio ou titular de sociedade unipessoal de
exercer atividade incompatível com a advocacia.
advocacia pessoa não inscrita como advogado ou
D) Com o falecimento de Antônio, se Breno e Caio totalmente proibida de advogar.
deixarem a sociedade e nenhum outro sócio ingressar § 1º A razão social deve ter, obrigatoriamente, o
nome de, pelo menos, um advogado responsável
nela, Diego poderá continuar suas atividades, caso em pela sociedade, podendo permanecer o de sócio
que passará a ser titular de sociedade unipessoal de falecido, desde que prevista tal possibilidade no
ato constitutivo.
advocacia.

Assunto Sociedade de advogados


Base legal Art. 16, §1º do EOAB

Tipo de questão Interpretação da lei ao caso concreto.

QUESTÃO 08
Os advogados Diego, Willian e Pablo, todos em situação regular perante a OAB, desejam candidatar-se ao
cargo de conselheiro de um Conselho Seccional da OAB. Diego é advogado há dois anos e um dia, sendo
sócio de uma sociedade simples de prestação de serviços de advocacia e nunca foi condenado por infração
disciplinar. Willian, por sua vez, exerce a advocacia há exatos quatro anos e constituiu sociedade
unipessoal de advocacia, por meio da qual advoga atualmente. Willian já foi condenado pela prática de
infração disciplinar, tendo obtido reabilitação um ano e
três meses após o cumprimento da sanção imposta. Já
Art. 63. A eleição dos membros de todos os órgãos
Pablo é advogado há cinco anos e um dia e nunca da OAB será realizada na segunda quinzena do
respondeu por prática de qualquer infração disciplinar. mês de novembro, do último ano do mandato,
mediante cédula única e votação direta dos
Atualmente, Pablo exerce certo cargo em comissão, advogados regularmente inscritos.
exonerável ad nutum, cumprindo atividades exclusivas § 2º O candidato deve comprovar situação regular
perante a OAB, não ocupar cargo
da advocacia. Considerando as informações acima e o
exonerável ad nutum, não ter sido condenado por
disposto na Lei no 8.906/94, assinale a afirmativa infração disciplinar, salvo reabilitação, e exercer
correta. efetivamente a profissão há mais de 3 (três) anos,
nas eleições para os cargos de Conselheiro
A) Apenas Diego e Willian cumprem os requisitos para Seccional e das Subseções, quando houver, e há
serem eleitos para o cargo pretendido. mais de 5 (cinco) anos, nas eleições para os
demais cargos.
B) Apenas Willian cumpre os requisitos para ser eleito
para o cargo pretendido.
C) Apenas Diego e Pablo cumprem os requisitos para serem eleitos para o cargo pretendido.

12
1ª Fase
Mapeamento do XXXI Exame da Ordem

D) Apenas Pablo cumpre os requisitos para ser eleito para o cargo pretendido.

Assunto Eleições e mandatos na OAB


Base legal Art. 63, §2º do EOAB

Tipo de questão Interpretação da lei ao caso concreto.

FILOSOFIA DO DIREITO

QUESTÃO 09
É preciso sair do estado natural, no qual cada um age em função dos seus próprios caprichos, e
convencionar com todos os demais em submeter-se a uma limitação exterior, publicamente acordada,
e, por conseguinte, entrar num estado em que tudo que deve ser reconhecido como seu é determinado
pela lei...
Immanuel Kant
A perspectiva contratualista de Kant, apresentada na obra Doutrina do Direito, sustenta ser necessário
passar de um estado de natureza, no qual as pessoas agem egoisticamente, para um estado civil, em
que a vida em comum seja regulada pela lei, como forma de justiça pública. Isso implica interferir na
liberdade das pessoas. Em relação à liberdade no estado civil, assinale a opção que apresenta a posição
que Kant sustenta na obra em referência.
A) O homem deixou sua liberdade selvagem e sem freio para encontrar toda a sua liberdade na
dependência legal, isto é, num estado jurídico, porque essa dependência procede de sua própria
vontade legisladora.
B) A liberdade num estado jurídico ou civil consiste na capacidade da vontade soberana de cada
indivíduo de fazer aquilo que deseja, pois somente nesse estado o homem se vê livre das forças da
natureza que limitam sua vontade.
C) A liberdade civil resulta da estrutura política do estado, de forma que somente pode ser considerado
liberdade aquilo que decorre de uma afirmação de vontade do soberano. No estado civil, a liberdade
não pode ser considerada uma vontade pessoal.
D) Na república, a liberdade é do governante para governar em prol de todos os cidadãos, de modo que
o governante possui liberdade, e os governados possuem direitos que são instituídos pelo governo.

Assunto Kantismo. Immanuel Kant


Base legal Sem base legal

Tipo de questão Doutrina

13
1ª Fase
Mapeamento do XXXI Exame da Ordem

QUESTÃO 10
Temos pois definido o justo e o injusto. Após distingui-los assim um do outro, é evidente que a ação
justa é intermediária entre o agir injustamente e o ser vítima da injustiça; pois um deles é ter demais e o
outro é ter demasiado pouco.
ARISTÓTELES. Ética a Nicômaco. Coleção Os Pensadores. São Paulo: Abril Cultural, 1973.
Em seu livro Ética a Nicômaco, Aristóteles apresenta a justiça como uma virtude e a diferencia daquilo
que é injusto. Assinale a opção que define aquilo que, nos termos do livro citado, deve ser entendido
como justiça enquanto virtude.
A) Uma espécie de meio-termo, porém não no mesmo sentido que as outras virtudes, e sim porque se
relaciona com uma quantia intermediária, enquanto a injustiça se relaciona com os extremos.
B) Uma maneira de proteger aquilo que é o mais conveniente para o mais forte, uma vez que a justiça
como produto do governo dos homens expressa sempre as forças que conseguem fazer valer seus
próprios interesses.
C) O cumprimento dos pactos que decorrem da vida em sociedade, seja da lei como pacto que vincula
todos os cidadãos da cidade, seja dos contratos que funcionam como pactos celebrados entre
particulares e vinculam as partes contratantes.
D) Um imperativo categórico que define um modelo de ação moralmente desejável para toda e
qualquer pessoa e se expressa da seguinte maneira: “Age como se a máxima de tua ação devesse
tornar-se, por meio da tua vontade, uma lei universal”.

Assunto Aristóteles; Grécia antiga


Base legal Sem base legal

Tipo de questão Doutrina

DIREITO CONSTITUCIONAL

QUESTÃO 11
Preocupado com o grande número de ações judiciais referentes a possíveis omissões inconstitucionais
sobre direitos sociais e, em especial, sobre o direito à saúde, o Procurador-Geral do Estado Beta (PGE)
procurou traçar sua estratégia hermenêutica de defesa a partir de dois grandes argumentos jurídicos: em
primeiro lugar, destacou que a efetividade dos direitos prestacionais de segunda dimensão, promovida
pelo Poder Judiciário, deve levar em consideração a disponibilidade financeira estatal; um segundo
argumento é o relativo à falta de legitimidade democrática de juízes e tribunais para fixar políticas públicas
no lugar do legislador eleito pelo povo. Diante de tal situação, assinale a opção que apresenta os conceitos
jurídicos que correspondem aos argumentos usados pelo PGE do Estado Beta.
A) Dificuldade contraparlamentar e reserva do impossível.
B) Reserva do possível fática e separação dos Poderes.

14
1ª Fase
Mapeamento do XXXI Exame da Ordem

C) Reserva do possível jurídica e reserva de jurisdição do Poder Judiciário.


D) Reserva do possível fática e reserva de plenário.

Assunto Direitos sociais


Base legal Sem base legal

Tipo de questão Doutrina

QUESTÃO 12
Josué, deputado federal no regular exercício do mandato, em entrevista dada, em sua residência, à revista
Pensamento, acusa sua adversária política Aline de envolvimento com escândalos de desvio de verbas
públicas, o que é objeto de investigação em Comissão Parlamentar de Inquérito instaurada poucos dias
antes. Não obstante, após ser indagado sobre os motivos que nutriam as acaloradas disputas entre
ambos, Josué emite opinião com ofensas de cunho pessoal, sem qualquer relação com o exercício do
mandato parlamentar. Diante do caso hipotético narrado, conforme reiterada jurisprudência do Supremo
Tribunal Federal sobre o tema, assinale a afirmativa correta.
A) Josué poderá ser responsabilizado penal e civilmente, inclusive por danos morais, pelas ofensas
proferidas em desfavor de Aline que não guardem qualquer relação com o exercício do mandato
parlamentar.
B) Josué encontra-se protegido pela imunidade material ou inviolabilidade por suas opiniões, palavras e
votos, o que, considerado o caráter absoluto dessa prerrogativa, impede a sua responsabilização por
quaisquer das declarações prestadas à revista.
C) Josué poderá ter sua imunidade material afastada em virtude de as declarações terem sido prestadas
fora da respectiva casa legislativa, independentemente de estarem, ou não, relacionadas ao exercício do
mandato.
D) A imunidade material, consagrada constitucionalmente, foi declarada inconstitucional pelo Supremo
Tribunal Federal, de modo que Josué não poderá valer-se de tal prerrogativa para se isentar de eventual
responsabilidade pelas ofensas dirigidas a Aline.

Assunto Poder Legislativo; Imunidades


Base legal Sem base legal

Tipo de questão Jurisprudência

QUESTÃO 13
Diante das intensas chuvas que atingiram o Estado Alfa, que se encontra em situação de calamidade
pública, o Presidente da República, ante a relevância e urgência latentes, edita a Medida Provisória nº
XX/19, determinando a abertura de crédito extraordinário para atender às despesas imprevisíveis a serem

15
1ª Fase
Mapeamento do XXXI Exame da Ordem

realizadas pela União, em decorrência do referido desastre natural. A partir da situação hipotética
narrada, com base no texto constitucional vigente, assinale a afirmativa correta.
A) A Constituição de 1988 veda, em absoluto, a edição de ato normativo dessa natureza sobre matéria
orçamentária, de modo que a abertura de crédito extraordinário deve ser feita por meio de lei ordinária
de iniciativa do Chefe do Executivo.
B) A Constituição de 1988 veda a edição de ato normativo dessa Art. 167. São vedados:
natureza em matéria de orçamento e créditos adicionais e § 3º A abertura de crédito
extraordinário somente será admitida
suplementares, mas ressalva a possibilidade de abertura de crédito para atender a despesas imprevisíveis e
extraordinário para atender a despesas imprevisíveis e urgentes, urgentes, como as decorrentes de
guerra, comoção interna ou calamidade
como as decorrentes de calamidade pública.
pública, observado o disposto no art.
C) O ato normativo editado afronta o princípio constitucional da 62.
anterioridade orçamentária, o qual impede quaisquer modificações Art. 62.
§ 1º É vedada a edição de medidas
nas leis orçamentárias após sua aprovação pelo Congresso Nacional provisórias sobre matéria:
e consequente promulgação presidencial. I - relativa a:
d) planos plurianuais, diretrizes
D) O ato normativo editado é harmônico com a ordem orçamentárias, orçamento e créditos
constitucional, que autoriza a edição de medidas provisórias que adicionais e suplementares, ressalvado
o previsto no art. 167, § 3º;
versem sobre planos plurianuais, diretrizes orçamentárias,
orçamento e créditos adicionais, suplementares e extraordinários,
desde que haja motivação razoável.

Assunto Processo Legislativo; Medida Provisória


Base legal Art. 167, § 3º da CF

Tipo de questão Literalidade da lei

QUESTÃO 14
Alfa, entidade de classe de abrangência regional, legalmente constituída e em funcionamento há mais de
1 ano, ingressa, perante o Supremo Tribunal Federal, com mandado de segurança coletivo para tutelar os
interesses jurídicos de seus representados. Considerando a urgência do caso, Alfa não colheu autorização
dos seus associados para a impetração da medida. Com base na narrativa acima, assinale a afirmativa
correta.
A) Alfa não tem legitimidade para impetrar mandado de segurança coletivo, de modo que a defesa dos
seus associados em juízo deve ser feita pelo Ministério Público ou, caso evidenciada situação de
vulnerabilidade, pela Defensoria Pública.
B) Alfa goza de ampla legitimidade para impetrar mandado de segurança coletivo, inclusive para tutelar
direitos e interesses titularizados por pessoas estranhas à classe por ela representada.

16
1ª Fase
Mapeamento do XXXI Exame da Ordem

C) Alfa possui legitimidade para impetrar mandado de segurança coletivo em defesa dos interesses
jurídicos dos seus associados, sendo, todavia, imprescindível a prévia autorização nominal e
individualizada dos representados, em assembleia especialmente convocada para esse fim.
D) Alfa possui legitimidade para impetrar mandado de
Súmula 629, STF - A impetração de mandado de
segurança coletivo em defesa dos interesses jurídicos
segurança coletivo por entidade de classe em favor
da totalidade ou mesmo de parte dos seus associados, dos associados independe da autorização destes.
independentemente de autorização. Súmula 630, STF - A entidade de classe tem
legitimação para o mandado de segurança ainda
quando a pretensão veiculada interesse apenas a
uma parte da respectiva categoria.

Assunto Remédios constitucionais; Mandado de Segurança; Legitimidade


Base legal Súmula 629 e Súmula 630 do STF

Tipo de questão Súmula

QUESTÃO 15
O governo federal, visando ao desenvolvimento e à redução das desigualdades no sertão nordestino do
Brasil, editou a Lei Complementar Y, que dispôs sobre a concessão de isenções e reduções temporárias
de tributos federais devidos por pessoas físicas e jurídicas situadas na referida região. Sobre a Lei
Complementar Y, assinale a afirmativa correta.
A) É formalmente inconstitucional, eis que a Constituição da República de 1988 proíbe expressamente a
criação de regiões, para efeitos administrativos, pela União.
B) É materialmente inconstitucional, sendo vedada a concessão de incentivos regionais de tributos
federais, sob pena de violação ao princípio da isonomia federativa.
C) É formal e materialmente constitucional, sendo possível
Art. 43. Para efeitos administrativos, a
que a União conceda incentivos visando ao desenvolvimento União poderá articular sua ação em um
econômico e à redução das desigualdades no sertão mesmo complexo geoeconômico e social,
nordestino. visando a seu desenvolvimento e à
redução das desigualdades regionais.
D) Apresenta inconstitucionalidade formal subjetiva, eis que § 2º Os incentivos regionais
cabe aos Estados e ao Distrito Federal, privativamente, criar compreenderão, além de outros, na
forma da lei:
regiões administrativas visando ao seu desenvolvimento e à III - isenções, reduções ou diferimento
redução das desigualdades. temporário de tributos federais devidos
por pessoas físicas ou jurídicas;

Ordem econômica e financeira; Princípio da redução das desigualdades regionais e


Assunto
sociais

17
1ª Fase
Mapeamento do XXXI Exame da Ordem

Base legal Art. 43, §2º, III da CF

Tipo de questão Interpretação da lei ao caso concreto

QUESTÃO 16
José Maria, no ano de 2016, foi eleito para exercer o seu primeiro mandato como Prefeito da Cidade
Delta, situada no Estado Alfa. Nesse mesmo ano, a filha mais jovem de José Maria, Janaína (22 anos),
elegeu-se vereadora e já se organiza para um segundo mandato como vereadora. Rosária (26 anos), a
outra filha de José Maria, animada com o sucesso da irmã mais nova e com a popularidade do pai, que
pretende concorrer à reeleição, faz planos para ingressar na política, disputando uma das cadeiras da
Assembleia Legislativa do Estado Alfa. Diante desse quadro, a família contrata um advogado para orientá-
la. Após analisar a situação, seguindo o sistema jurídico-constitucional brasileiro, o advogado afirma que
A) as filhas não poderão concorrer aos cargos almejados, a menos que José Maria desista de concorrer à
reeleição para o cargo de chefe do Poder Executivo do Município Delta.
B) Rosária pode se candidatar ao cargo de deputada estadual, mas Janaína não poderá se candidatar ao
cargo de vereadora em Delta, pois seu pai ocupa o cargo de chefe do Poder Executivo do referido
município.
C) as candidaturas de Janaína, para reeleição ao cargo de
Art. 14. A soberania popular será exercida
vereadora, e de Rosária, para o cargo de deputada estadual, pelo sufrágio universal e pelo voto direto
não encontram obstáculo no fato de José Maria ser prefeito de e secreto, com valor igual para todos, e,
Delta. nos termos da lei, mediante:
§ 7º São inelegíveis, no território de
D) Janaína pode se candidatar ao cargo de vereadora, mas sua jurisdição do titular, o cônjuge e os
irmã Rosária não poderá se candidatar ao cargo de deputada parentes consangüíneos ou afins, até o
segundo grau ou por adoção, do
estadual, tendo em vista o fato de seu pai exercer a chefia do Presidente da República, de Governador
Poder Executivo do município. de Estado ou Território, do Distrito
Federal, de Prefeito ou de quem os haja
substituído dentro dos seis meses
anteriores ao pleito, salvo se já titular de
mandato eletivo e candidato à reeleição.

Assunto Direitos Políticos; Inelegibilidade


Base legal Art. 14, § 7º da CF

Tipo de questão Interpretação da lei ao caso concreto

18
1ª Fase
Mapeamento do XXXI Exame da Ordem

QUESTÃO 17
João dos Santos foi selecionado para atuar como praça prestadora de serviço militar inicial, fato que lhe
permitirá ser o principal responsável pelos meios de subsistência de sua família. No entanto, ficou
indignado ao saber que sua remuneração será inferior ao salário-mínimo, contrariando o texto
constitucional, insculpido no Art. 7º, inciso IV, da CRFB/88. Desesperado com tal situação, João entrou no
gabinete do seu comandante e o questionou, de forma ríspida e descortês, acerca dessa remuneração
supostamente inconstitucional, sofrendo, em consequência dessa conduta, punição administrativo-
disciplinar de prisão por 5 dias, nos termos da legislação pertinente. Desolada, a família de João procurou
um advogado para saber sobre a constitucionalidade da remuneração inferior ao salário-mínimo, bem
como da possibilidade de a prisão ser relaxada por ordem judicial. Nessas circunstâncias, nos termos do
direito constitucional brasileiro e da jurisprudência do STF, assinale a opção que apresenta a resposta do
advogado.
A) A remuneração inferior ao salário-mínimo para as praças prestadoras de serviço militar inicial não
viola a Constituição de 1988, bem como não cabe habeas
corpus em relação às punições disciplinares militares, Art. 142. § 2º, CF Não caberá habeas corpus em
relação a punições disciplinares militares.
exceto para análise de pressupostos de legalidade, Súmula vinculante n. 6
excluída a apreciação de questões referentes ao Não viola a Constituição o estabelecimento de
remuneração inferior ao salário mínimo para as
mérito. praças prestadoras de serviço militar inicial.
B) A remuneração inferior ao salário-mínimo contraria o
Art. 7º, inciso IV, da Constituição de 1988, bem como se
reconhece o cabimento de habeas corpus para as
punições disciplinares militares, qualquer que seja a circunstância.
C) O estabelecimento de remuneração inferior ao salário-mínimo para as praças prestadoras de serviço
militar inicial não viola a Constituição da República, mas é cabível o habeas corpus para as punições
disciplinares militares, até mesmo em relação a questões de mérito da sanção administrativa.
D) A remuneração inferior ao salário-mínimo contraria a ordem constitucional, mais especificamente o
texto constitucional inserido no Art. 7º, inciso IV, da Constituição de 1988, bem como não se reconhece o
cabimento de habeas corpus em relação às punições disciplinares militares, exceto para análise dos
pressupostos de legalidade, excluídas as questões de mérito da sanção administrativa.

Assunto Defesa do Estado e das Instituições Democráticas; Forças armadas


Base legal Art. 142. § 2º, da CF; Súmula vinculante n. 6

Tipo de questão Interpretação da lei ao caso concreto

19
1ª Fase
Mapeamento do XXXI Exame da Ordem

DIREITOS HUMANOS

QUESTÃO 18
Recentemente assumiu a presidência da Câmara dos Deputados um parlamentar que afirma que o Brasil
é um país soberano e não deve ter nenhum compromisso com os Direitos Humanos na ordem
internacional. Afirma que, apesar de ter sido internamente ratificado, o Pacto Internacional dos Direitos
Civis e Políticos não se caracteriza como norma vigente, e os direitos ali previstos podem ser suspensos
ou não precisam ser aplicados. Por ser atuante na área dos Direitos Humanos, você foi convidado(a) pela
Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados para prestar mais esclarecimentos sobre o
assunto. Com base no que dispõe o próprio Pacto Internacional dos Direitos Civis e Políticos - PIDCP,
assinale a opção que apresenta o esclarecimento dado à Comissão.
A) Caso situações excepcionais ameacem a existência da nação
e sejam proclamadas oficialmente, os Estados-partes podem Artigo 27. Suspensão de garantias
1. Em caso de guerra, de perigo público,
adotar, na estrita medida exigida pela situação, medidas que ou de outra emergência que ameace a
suspendam as obrigações decorrentes do PIDCP, desde que tais independência ou segurança do Estado
Parte, este poderá adotar disposições
medidas não acarretem discriminação por motivo de raça, cor, que, na medida e pelo tempo
sexo, língua, religião ou origem social. estritamente limitados às exigências da
B) É admissível a suspensão das obrigações decorrentes do PIDCP situação, suspendam as obrigações
contraídas em virtude desta
quando houver, no âmbito do Estado- parte, um ato formal do Convenção, desde que tais disposições
Poder Legislativo e do Poder Executivo declarando o efeito não sejam incompatíveis com as demais
obrigações que lhe impõe o Direito
suspensivo, desde que tal ato declare um prazo para essa Internacional e não encerrem
suspensão, que, em nenhuma hipótese, pode exceder o período discriminação alguma fundada em
motivos de raça, cor, sexo, idioma,
de 2 anos.
religião ou origem social.
C) Em nenhuma hipótese ou situação os Estados-partes do PIDCP
podem adotar medidas que suspendam as obrigações
decorrentes do Pacto, uma vez que, ratificado o Pacto, todos os seus direitos vigoram de forma efetiva,
não sendo admitida nenhuma possibilidade de suspensão ou exceção.
D) Mesmo ratificado, o Pacto Internacional dos Direitos Civis e Políticos e os direitos nele contidos não
podem ser caracterizados como normas vigentes, uma vez que se trata de direitos em sentido fraco, de
forma que apenas os direitos fundamentais, previstos na Constituição, são direitos em sentido forte.

Assunto Pacto Internacional de Direitos Civis e Políticos, Validade em âmbito Nacional


Base legal Art. 27 da Convenção Americana de Direitos Humanos

Tipo de questão Literalidade da lei

20
1ª Fase
Mapeamento do XXXI Exame da Ordem

QUESTÃO 19
Recentemente houve grande polêmica na cidade de Piraporanga, porque o Prefeito proibiu o museu local
de realizar uma exposição, sob a alegação de que as obras de arte misturavam temas religiosos com
conteúdos sexuais, além de haver quadros e esculturas obscenas. Você é contratada(o) para atuar no caso
pelos autores das obras de arte e por intelectuais. Com base na Convenção Americana de Direitos
Humanos e na Constituição Federal de 1988, assinale a opção que apresenta o argumento que você, como
advogada(o), deveria adotar.
A) A censura prévia por autoridades administrativas competentes, como mecanismo eficaz para assegurar
o respeito à reputação de pessoas e como forma de garantir a moralidade pública, deve ser admitida.
B) O exercício da liberdade de expressão e o da criação artística estão sujeitos à censura prévia, mas
apenas por força de lei devidamente justificada, como forma de proteção da honra individual e da moral
pública.
C) A liberdade de expressão e de criação artística estão sujeitas à censura prévia pelas autoridades
competentes quando elas ocorrem por meio de exposições em museus, tendo em vista a proteção da
memória nacional e da ordem pública.
D) A lei pode regular o acesso a diversões e espetáculos Artigo 13 - Liberdade de pensamento e de expressão
1. Toda pessoa tem o direito à liberdade de
públicos, tendo em vista a proteção moral da infância e
pensamento e de expressão. Esse direito inclui a
da adolescência, sendo vedada, porém, toda e liberdade de procurar, receber e difundir
qualquer censura prévia de natureza política, informações e idéias de qualquer natureza, sem
considerações de fronteiras, verbalmente ou por
ideológica e artística. escrito, ou em forma impressa ou artística, ou por
qualquer meio de sua escolha. [...]

Assunto Direito à religião, Censura Prévia


Base legal Art. 13 Pacto de San Jose da Costa Rica

Tipo de questão Interpretação da lei ao caso concreto

DIREITO INTERNACIONAL

QUESTÃO 20
Em razão da profunda crise econômica e da grave instabilidade institucional que assola seu país, Pablo
resolve migrar para o Brasil, uma vez que, neste último, há melhores oportunidades para exercer seu
trabalho e sustentar sua família. Em que pese Pablo possuir a finalidade de trabalhar, acabou por omitir
tal informação, obtendo visto de visita, na modalidade turismo, para o Brasil. Considerando-se o
enunciado acima, à luz da Lei de Migração em vigor (Lei no 13.445/17), assinale a afirmativa correta.

21
1ª Fase
Mapeamento do XXXI Exame da Ordem

A) Se Pablo, com o visto de visita, vier a exercer atividade remunerada no Brasil, poderá ser expulso do
país.
B) Se Pablo, com o visto de visita, vier a exercer
atividade remunerada no Brasil, poderá ser Art. 14. O visto temporário poderá ser concedido ao
imigrante que venha ao Brasil com o intuito de
extraditado do país. estabelecer residência por tempo determinado e que se
C) Pablo poderia solicitar, bem como obter, visto enquadre em pelo menos uma das seguintes hipóteses:
I - o visto temporário tenha como finalidade:
temporário para acolhida humanitária, diante da c) acolhida humanitária;
grave instabilidade institucional que assola seu § 3º O visto temporário para acolhida humanitária
poderá ser concedido ao apátrida ou ao nacional de
país.
qualquer país em situação de grave ou iminente
D) Pablo poderá obter asilo, em razão da profunda instabilidade institucional, de conflito armado, de
crise econômica que assola seu país. calamidade de grande proporção, de desastre ambiental
ou de grave violação de direitos humanos ou de direito
internacional humanitário, ou em outras hipóteses, na
forma de regulamento.

Assunto Condição Jurídica do Estrangeiro


Base legal Art. 14, I, “c” e §3º da Lei 13.445/17

Tipo de questão Interpretação da lei ao caso concreto

QUESTÃO 21
Em função do incremento nas atividades de transporte aéreo no Brasil, a sociedade empresária Fast Plane,
sediada no país, resolveu adquirir helicópteros de última geração da pessoa jurídica holandesa Nederland
Air Transport, que ficou responsável pela fabricação, montagem e envio da mercadoria. O contrato de
compra e venda restou celebrado, presencialmente, nos Estados Unidos da América, restando ajustado
que o cumprimento da obrigação se dará no Brasil. No momento de receber as aeronaves, contudo, a
adquirente verificou que o produto enviado era diverso do apontado no instrumento contratual. Decidiu
a sociedade empresária Fast Plane, então, buscar auxílio jurídico para resolver a questão, inclusive para a
propositura de eventual ação, caso não haja solução consensual. Considerando-se o enunciado acima,
aplicando-se a Lei de Introdução às Normas do Direito Brasileiro (Decreto-lei no 4.657/42) e o Código de
Processo Civil, assinale a afirmativa correta.
A) A lei aplicável na solução da questão é a holandesa, em razão do local de fabricação e montagem das
aeronaves adquiridas.
B) A autoridade judiciária brasileira será competente para processar e julgar eventual ação proposta pela
Fast Plane, mesmo se estabelecida cláusula de eleição de foro exclusivo estrangeiro, em razão do princípio
da inafastabilidade da jurisdição.

22
1ª Fase
Mapeamento do XXXI Exame da Ordem

C) A autoridade judiciária brasileira tem


competência exclusiva para processar e Art. 21, CPC. Compete à autoridade judiciária brasileira processar e
julgar eventual ação a ser proposta pela julgar as ações em que:
II - no Brasil tiver de ser cumprida a obrigação;
Fast Plane para resolver a questão.
Art. 12, LINDB. É competente a autoridade judiciária brasileira,
D) A autoridade judiciária brasileira tem quando for o réu domiciliado no Brasil ou aqui tiver de ser cumprida a
competência concorrente para obrigação.
§ 1º Só à autoridade judiciária brasileira compete conhecer das ações
processar e julgar eventual ação a ser relativas a imóveis situados no Brasil.
proposta pela Fast Plane para resolver a § 2º A autoridade judiciária brasileira cumprirá, concedido
o exequatur e segundo a forma estabelecida pela lei brasileira, as
questão. diligências deprecadas por autoridade estrangeira competente,
observando a lei desta, quanto ao objeto das diligências.

Assunto Jurisdição e Competência


Base legal Art. 21, II do CPC e art. 12 da LINDB

Tipo de questão Interpretação da lei ao caso concreto

DIREITO TRIBUTÁRIO

QUESTÃO 22
A sociedade empresária ABC, concessionária de serviço de transporte público coletivo de passageiros,
opera a linha de ônibus 123, que inicia seu trajeto no Município X e completa seu percurso no Município
Y, ambos localizados no Estado Z. Sobre a prestação onerosa desse serviço de transporte, deve incidir
A) o ISS, a ser recolhido para o Município X.
B) o ISS, a ser recolhido para o Município Y.
Art. 155. Compete aos Estados e ao Distrito
C) o ICMS, a ser cobrado de forma conjunta pelo Município X Federal instituir impostos sobre:
e o Município Y. II - operações relativas à circulação de
mercadorias e sobre prestações de serviços de
D) o ICMS, a ser recolhido para o Estado em que se localizam transporte interestadual e intermunicipal e de
o Município X e o Município Y. comunicação, ainda que as operações e as
prestações se iniciem no exterior;

Assunto Fato gerador; Impostos Estaduais; Impostos Municipais; ICMS; ISS;


Base legal Art. 155, II, CF

Tipo de questão Interpretação da lei ao caso concreto

23
1ª Fase
Mapeamento do XXXI Exame da Ordem

QUESTÃO 23
João da Silva, servidor da Administração Tributária do Município Y, recebeu propina de José Pereira,
adquirente de um imóvel, para, em conluio com este, emitir uma certidão que atestava falsamente a
quitação de débito do Imposto de Transmissão de Bens Imóveis (ITBI) incidente sobre a transferência de
propriedade. A certidão seria apresentada ao tabelião para lavrar-se a escritura pública de compra e
venda imobiliária e para posterior registro. Considerando-se que, nesse Município, o contribuinte de ITBI
é o adquirente de imóvel, assinale a afirmativa correta.
A) O servidor João da Silva poderá ser responsabilizado funcional e criminalmente por esse ato, mas a
dívida tributária somente poderá ser cobrada de José Pereira, o
Art. 208. A certidão negativa expedida com
único que é parte na relação jurídico-tributária com o Município
dolo ou fraude, que contenha erro contra a
credor. Fazenda Pública, responsabiliza pessoalmente
B) O servidor João da Silva poderá ser responsabilizado o funcionário que a expedir, pelo crédito
tributário e juros de mora acrescidos.
pessoalmente pelo crédito tributário e juros de mora Parágrafo único. O disposto neste artigo não
acrescidos. exclui a responsabilidade criminal e funcional
que no caso couber.
C) O tabelião poderá ser o único responsabilizado pela dívida
tributária e juros de mora acrescidos, por ter lavrado a escritura
pública sem averiguar, junto ao Fisco Municipal, a veracidade
das informações da certidão apresentada.
D) Caso seja aplicada multa tributária punitiva contra José Pereira, este poderá exigir do Fisco que 50% do
valor da multa seja cobrado do servidor João da Silva.

Assunto Impostos Municipais, ITBI


Base legal Art. 208, CTN

Tipo de questão Interpretação da lei ao caso concreto

QUESTÃO 24
Maria dos Santos, querendo constituir hipoteca sobre imóvel de sua propriedade em garantia de
empréstimo bancário a ser por ela contraído, vai a um tabelionato para lavrar a escritura pública da
referida garantia real. Ali, é informada que o Município Z, onde se situa o bem, cobra o Imposto de
Transmissão de Bens Imóveis (ITBI) sobre a constituição de direitos reais de garantia. Diante desse
cenário, assinale a afirmativa correta.
A) É possível tal cobrança, pois a constituição de direito real de garantia sobre bens imóveis, por ato inter
vivos, é uma das hipóteses de incidência do ITBI.
B) O contribuinte do ITBI, nesse caso, não seria Maria dos Santos, mas sim a instituição bancária em favor
de quem a garantia real será constituída.

24
1ª Fase
Mapeamento do XXXI Exame da Ordem

C) O tabelião atua como responsável por substituição


tributária, recolhendo, no lugar do contribuinte, o ITBI Art. 156. Compete aos Municípios instituir
impostos sobre:
devido em favor do Município Z nessa constituição de II - transmissão "inter vivos", a qualquer título,
direitos reais de garantia. por ato oneroso, de bens imóveis, por natureza
ou acessão física, e de direitos reais sobre
D) Não é possível exigir ITBI sobre direitos reais de imóveis, exceto os de garantia, bem como
garantia sobre imóveis. cessão de direitos a sua aquisição;

Assunto Impostos Municipais, ITBI


Base legal Art. 156, II, CF

Tipo de questão Literalidade da lei

QUESTÃO 25
Uma sociedade empresária em recuperação judicial requereu, perante a Secretaria Estadual de Fazenda
do Estado X, o parcelamento de suas dívidas tributárias estaduais. O Estado X dispunha de uma lei geral
de parcelamento tributário, mas não de uma lei específica para parcelamento de débitos tributários de
devedor em recuperação judicial. Diante desse cenário, assinale a afirmativa correta.
A) O parcelamento não pode ser concedido caso inexista lei específica estadual que disponha sobre as
condições de parcelamento dos créditos tributários do devedor em recuperação judicial.
B) O prazo de parcelamento a ser concedido ao devedor em
recuperação judicial quanto a tais débitos para com o Estado X não Art. 155-A. O parcelamento será
pode ser inferior ao concedido por lei federal específica de concedido na forma e condição
estabelecidas em lei específica.
parcelamento dos créditos tributários do devedor em recuperação § 3º Lei específica disporá sobre as
judicial. condições de parcelamento dos
C) O parcelamento do crédito tributário exclui a incidência de juros, créditos tributários do devedor em
recuperação judicial.
em regra, no caso de devedor em recuperação judicial.
D) O parcelamento do crédito tributário exclui a incidência de multas,
em regra, no caso de devedor em recuperação judicial.

Assunto Suspensão do Crédito Tributário, Parcelamento do devedor em Recuperação Judicial


Base legal Art. 155-A, §3º, CTN

Tipo de questão Interpretação da lei ao caso concreto

QUESTÃO 26
Uma lei ordinária federal tratava de direitos do beneficiário de pensão previdenciária e também previa
norma que ampliava, para 10 anos, o prazo decadencial para o lançamento dos créditos tributários

25
1ª Fase
Mapeamento do XXXI Exame da Ordem

referentes a uma contribuição previdenciária federal. A respeito da ampliação de prazo, assinale a


afirmativa correta.
A) É inválida, pois, em razão do caráter nacional das contribuições previdenciárias federais, somente
poderia ser veiculada por Resolução do Senado Federal.
B) É inválida, pois somente poderia ser veiculada por Lei Art. 146. Cabe à lei complementar:
Complementar. III - estabelecer normas gerais em matéria de
legislação tributária, especialmente sobre:
C) É válida, pois o CTN prevê a possibilidade de que o prazo
b) obrigação, lançamento, crédito, prescrição
geral de 5 anos, nele previsto para a Fazenda Pública constituir e decadência tributários;
o crédito tributário, seja ampliado por meio de Lei Ordinária Súmula Vinculante nº 8 - São
inconstitucionais o parágrafo único do artigo
Específica. 5º do Decreto-Lei nº 1.569/1977 e os artigos
D) É válida, por existir expressa previsão constitucional, 45 e 46 da Lei nº 8.212/1991, que tratam de
prescrição e decadência de crédito tributário.
específica para contribuições de seguridade social, autorizando
a alteração de prazo de constituição do crédito tributário por
Lei Ordinária.

Assunto Contribuições Especiais; Prescrição;


Base legal Art. 146, III, b, CF + Súmula Vinculante nº 8, STF

Tipo de questão Interpretação da lei ao caso concreto.

DIREITO ADMINISTRATIVO

QUESTÃO 27
Maria foi contratada, temporariamente, sem a realização de concurso público, para exercer o cargo de
professora substituta em entidade autárquica federal, em decorrência do grande número de professores
do quadro permanente em gozo de licença. A contratação foi objeto de prorrogação, de modo que Maria
permaneceu em exercício por mais três anos, período durante o qual recebeu muitos elogios. Em razão
disso, alunos, pais e colegas de trabalho levaram à direção da autarquia o pedido de criação de um cargo
em comissão de professora, para que Maria fosse nomeada para ocupá-lo e continuasse a ali lecionar.
Avalie a situação hipotética apresentada e, na qualidade de advogado(a), assinale a afirmativa correta.

26
1ª Fase
Mapeamento do XXXI Exame da Ordem

A) Não é possível a criação de um cargo em comissão de


Art. 37. A administração pública direta e
professora, visto que tais cargos destinam-se apenas às
indireta de qualquer dos Poderes da União,
funções de direção, chefia e assessoramento. dos Estados, do Distrito Federal e dos
B) É adequada a criação de um cargo em comissão para que Municípios obedecerá aos princípios de
legalidade, impessoalidade, moralidade,
Maria prolongue suas atividades como professora na publicidade e eficiência e, também, ao
entidade administrativa, diante do justificado interesse seguinte:
V - as funções de confiança, exercidas
público. exclusivamente por servidores ocupantes de
C) Maria tem estabilidade porque exerceu a função de cargo efetivo, e os cargos em comissão, a
serem preenchidos por servidores de
professora por mais de três anos consecutivos, tornando
carreira nos casos, condições e percentuais
desnecessária a criação de um cargo em comissão para que mínimos previstos em lei, destinam-se
ela continue como professora na entidade autárquica. apenas às atribuições de direção, chefia e
assessoramento;
D) Não é necessária a criação de um cargo em comissão para
que Maria permaneça exercendo a função de professora,
porque a contratação temporária pode ser prorrogada por
tempo indeterminado.

Assunto Agentes públicos; Formas de ingresso


Base legal Art. 37, V, da CF

Tipo de questão Interpretação da lei ao caso concreto

QUESTÃO 28
Otacílio, novo prefeito do Município Kappa, acredita que o controle interno é uma das principais
ferramentas da função administrativa, razão pela qual determinou o levantamento de dados nos mais
diversos setores da Administração local, a fim de apurar se os atos administrativos até então praticados
continham vícios, bem como se ainda atendiam ao interesse público. Diante dos resultados de tal
apuração, Otacílio deverá
A) revogar os atos administrativos que contenham vícios insanáveis, ainda que com base em valores
jurídicos abstratos.
B) convalidar os atos administrativos que apresentem vícios sanáveis, mesmo que acarretem lesão ao
interesse público.
C) desconsiderar as circunstâncias jurídicas e administrativas
que houvessem imposto, limitado ou condicionado a conduta Art. 21. A decisão que, nas esferas
do agente nas decisões sobre a regularidade de ato administrativa, controladora ou judicial,
decretar a invalidação de ato, contrato, ajuste,
administrativo. processo ou norma administrativa deverá
D) indicar, de modo expresso, as consequências jurídicas e indicar de modo expresso suas consequências
jurídicas e administrativas.
administrativas da invalidação de ato administrativo.

27
1ª Fase
Mapeamento do XXXI Exame da Ordem

Assunto Atos administrativos; Invalidação dos atos


Base legal Art. 21 da LINDB

Tipo de questão Literalidade da lei

QUESTÃO 29
A autoridade competente, em âmbito federal, no regular exercício do poder de polícia, aplicou à
sociedade empresária Soneca S/A multa em razão do descumprimento das normas administrativas
pertinentes. Inconformada, a sociedade Soneca S/A apresentou recurso administrativo, ao qual foi
conferido efeito suspensivo, sendo certo que não sobreveio qualquer manifestação do superior
hierárquico responsável pelo julgamento, após o transcurso do prazo de oitenta dias. Considerando o
contexto descrito, assinale a afirmativa correta.
A) Não se concederá Mandado de Segurança para invalidar Art. 5º Não se concederá mandado de
a penalidade de multa aplicada a Soneca S/A, submetida a segurança quando se tratar:
recurso administrativo provido de efeito suspensivo. I - de ato do qual caiba recurso administrativo
com efeito suspensivo, independentemente de
B) O ajuizamento de qualquer medida judicial por Soneca S/A caução;
depende do esgotamento da via administrativa.
C) Não há mora da autoridade superior hierárquica, que, por determinação legal, dispõe do prazo de
noventa dias para decidir.
D) A omissão da autoridade competente em relação ao seu dever de decidir, ainda que se prolongue por
período mais extenso, não enseja a concessão de Mandado de Segurança.

Assunto Controle da Administração Pública; Meios de Controle; Mandado de Segurança


Base legal Art. 5º, I, da Lei 12.016/09

Tipo de questão Interpretação da lei ao caso concreto

QUESTÃO 30
O Município Beta concedeu a execução do serviço público de veículos leves sobre trilhos e, ao verificar
que a concessionária não estava cumprindo adequadamente as obrigações determinadas no respectivo
contrato, considerou tomar as providências cabíveis para a regularização das atividades em favor dos
usuários. Nesse caso,
A) impõe-se a encampação, mediante a retomada do serviço pelo Município Beta, sem o pagamento de
indenização.
B) a hipótese é de caducidade a ser declarada pelo Município Beta, mediante decreto, que independe da
verificação prévia da inadimplência da concessionária.

28
1ª Fase
Mapeamento do XXXI Exame da Ordem

C) cabe a revogação do contrato administrativo pelo


Município Beta, diante da discricionariedade e precariedade Art. 32. O poder concedente poderá intervir
da concessão, formalizada por mero ato administrativo. na concessão, com o fim de assegurar a
adequação na prestação do serviço, bem
D) é possível a intervenção do Município Beta na concessão,
como o fiel cumprimento das normas
com o fim de assegurar a adequada prestação dos serviços, contratuais, regulamentares e legais
por decreto do poder concedente, que conterá designação pertinentes.

do interventor, o prazo, os objetivos e os limites da medida. Parágrafo único. A intervenção far-se-á por
decreto do poder concedente, que conterá a
designação do interventor, o prazo da
intervenção e os objetivos e limites da
medida.

Assunto Concessão de Serviços Públicos


Base legal Art. 32, caput e § único, da Lei 8.987/95

Tipo de questão Literalidade da lei

QUESTÃO 31
Diante da necessidade de construção de uma barragem no Município Alfa, a ser efetuada em terreno rural
de propriedade de certa sociedade de economia mista federal, o Poder Legislativo local fez editar uma lei
para declarar a desapropriação por utilidade pública, após a autorização por decreto do Presidente da
República, sendo certo que, diante do sucesso das tratativas entre os chefes do Executivo dos entes
federativos em questão, foi realizado acordo na via administrativa para ultimar tal intervenção do Estado
na propriedade. Diante dessa situação hipotética, assinale a afirmativa correta.
A) A autorização por decreto não pode viabilizar a desapropriação do bem em questão pelo Município
Alfa, porque os bens federais não são expropriáveis.
B) A iniciativa do Poder Legislativo do Município Alfa para
Art. 8º O Poder Legislativo poderá tomar a
declarar a desapropriação é válida, cumprindo ao respectivo iniciativa da desapropriação, cumprindo, neste
Executivo praticar os atos necessários para sua efetivação. caso, ao Executivo, praticar os atos necessários
à sua efetivação.
C) A intervenção na propriedade em tela não pode ser ultimada
na via administrativa, mediante acordo entre os entes
federativos envolvidos.
D) O Município Alfa não tem competência para declarar a desapropriação por utilidade pública de
propriedades rurais.

Assunto Intervenção do Estado na propriedade; Desapropriação


Base legal Art. 8º do DL 3.365/41

Tipo de questão Interpretação da lei ao caso concreto

29
1ª Fase
Mapeamento do XXXI Exame da Ordem

QUESTÃO 32
Rafael, funcionário da concessionária prestadora do serviço público de fornecimento de gás canalizado,
realizava reparo na rede subterrânea, quando deixou a tampa do bueiro aberta, sem qualquer sinalização,
causando a queda de Sônia, transeunte que caminhava pela calçada. Sônia, que trabalha como faxineira
diarista, quebrou o fêmur da perna direita em razão do ocorrido e ficou internada no hospital por 60 dias,
sem poder trabalhar. Após receber alta, Sônia procurou
você, como advogado(a), para ajuizar ação indenizatória em § 6º As pessoas jurídicas de direito público e as
de direito privado prestadoras de serviços
face
públicos responderão pelos danos que seus
A) da concessionária, com base em sua responsabilidade agentes, nessa qualidade, causarem a
civil objetiva, para cuja configuração é desnecessária a terceiros, assegurado o direito de regresso
contra o responsável nos casos de dolo ou
comprovação de dolo ou culpa de Rafael. culpa.
B) do Estado, como poder concedente, com base em sua
responsabilidade civil direta e subjetiva, para cuja
configuração é prescindível a comprovação de dolo ou culpa
de Rafael.
C) de Rafael, com base em sua responsabilidade civil direta e objetiva, para cuja configuração é
desnecessária a comprovação de ter agido com dolo ou culpa, assegurado o direito de regresso contra a
concessionária.
D) do Município, como poder concedente, com base em sua responsabilidade civil objetiva, para cuja
configuração é imprescindível a comprovação de dolo ou culpa de Rafael.

Assunto Responsabilidade Civil Objetiva do Estado


Base legal Art. 37, §6º, da CF

Tipo de questão Interpretação da lei ao caso concreto

DIREITO AMBIENTAL

QUESTÃO 33
Seguindo plano de expansão de seu parque industrial para a produção de bebidas, o conselho de
administração da sociedade empresária Frescor S/A autoriza a destruição de parte de floresta inserida em
Área de Preservação Permanente, medida que se consuma na implantação de nova fábrica. Sobre
responsabilidade ambiental, tendo como referência a hipótese narrada, assinale a afirmativa correta.
A) Frescor S/A responde civil e administrativamente, sendo excluída a responsabilidade penal por ter a
decisão sido tomada por órgão colegiado da sociedade.
B) Frescor S/A responde civil e administrativamente, uma vez que não há tipificação criminal para casos
de destruição de Área de Preservação Permanente, mas apenas de Unidades de Conservação.

30
1ª Fase
Mapeamento do XXXI Exame da Ordem

C) Frescor S/A responde civil, administrativa e penalmente, sendo a ação penal pública, condicionada à
prévia apuração pela autoridade ambiental competente.

D) Frescor S/A responde civil,


Art. 225. Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de
administrativa e penalmente,
uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao Poder
sendo agravante da pena a Público e à coletividade o dever de defendê-lo e preservá- lo para as presentes e
intenção de obtenção de futuras gerações.

vantagem pecuniária. § 3º As condutas e atividades consideradas lesivas ao meio ambiente sujeitarão os


infratores, pessoas físicas ou jurídicas, a sanções penais e administrativas,
independentemente da obrigação de reparar os danos causados.
Art. 15, Lei 9.605. São circunstâncias que agravam a pena, quando não constituem
ou qualificam o crime:
II - ter o agente cometido a infração:
a) para obter vantagem pecuniária;

Assunto Responsabilidade Penal Ambiental


Base legal Art. 225, §3º da CF e art. 15, II, alínea A da Lei nº 9.605/98

Tipo de questão Interpretação da lei ao caso concreto

QUESTÃO 34
Efeito Estufa Ltda., sociedade empresária que atua no processamento de alimentos, pretende instalar
nova unidade produtiva na área urbana do Município de Ar Puro, inserida no Estado Y. Para esse fim,
verificou que a autoridade competente para realizar o licenciamento ambiental será a do próprio
Município de Ar Puro. Sobre o caso, assinale a opção que
indica quem deve realizar o estudo de impacto ambiental.
Art. 225. § 1º Para assegurar a efetividade
A) O Município de Ar Puro. desse direito, incumbe ao Poder Público:
B) O Estado Y. IV - exigir, na forma da lei, para instalação de
obra ou atividade potencialmente causadora
C) O IBAMA. de significativa degradação do meio ambiente,
D) Profissionais legalmente habilitados, às expensas do estudo prévio de impacto ambiental, a que se
empreendedor. dará publicidade;

Assunto Estudo de Impacto Ambiental


Base legal Art. 8 e 11 da Resolução 01/86 do CONAMA, art. 225, §1º, IV da CF

Tipo de questão Interpretação da lei ao caso concreto

31
1ª Fase
Mapeamento do XXXI Exame da Ordem

DIREITO CIVIL

QUESTÃO 35
João, único herdeiro de seu avô Leonardo, recebeu, por ocasião da abertura da sucessão deste último,
todos os seus bens, inclusive uma casa repleta de antiguidades. Necessitando de dinheiro para quitar suas
dívidas, uma das primeiras providências de João foi alienar uma pintura antiga que sempre estivera
exposta na sala da casa, por um valor módico, ao primeiro comprador que encontrou. João, semanas
depois, leu nos jornais a notícia de que reaparecera no mercado de arte uma pintura valiosíssima de um
célebre artista plástico. Sua surpresa foi enorme ao descobrir que se tratava da pintura que ele alienara,
com valor milhares de vezes maior do que o por ela cobrado. Por isso, pretende pleitear a invalidação da
alienação. A respeito do caso narrado, assinale a afirmativa correta.

A) O negócio jurídico de alienação da pintura celebrado Art. 157. Ocorre a lesão quando uma pessoa, sob
premente necessidade, ou por inexperiência, se
por João está viciado por lesão e chegou a produzir seus obriga a prestação manifestamente
efeitos regulares, no momento de sua celebração. desproporcional ao valor da prestação oposta.
§ 1º Aprecia-se a desproporção das prestações
B) O direito de João a obter a invalidação do negócio segundo os valores vigentes ao tempo em que
jurídico, por erro, de alienação da pintura, não se sujeita foi celebrado o negócio jurídico.
a nenhum prazo prescricional. § 2º Não se decretará a anulação do negócio, se
for oferecido suplemento suficiente, ou se a
C) A validade do negócio jurídico de alienação da pintura parte favorecida concordar com a redução do
subordina-se necessariamente à prova de que o proveito.

comprador desejava se aproveitar de sua necessidade


de obter dinheiro rapidamente.
D) Se o comprador da pintura oferecer suplemento do
preço pago de acordo com o valor de mercado da obra,
João poderá optar entre aceitar a oferta ou invalidar o negócio.

Assunto Defeitos do Negócio Jurídico, Lesão


Base legal Art. 157 do CC.

Tipo de questão Interpretação da lei ao caso concreto

QUESTÃO 36
Salomão, solteiro, sem filhos, 65 anos, é filho de Lígia e Célio, que faleceram recentemente e eram
divorciados. Ele é irmão de Bernardo, 35 anos, médico bem-sucedido, filho único do segundo casamento
de Lígia. Salomão, por circunstâncias sociais, não mantinha contato com Bernardo. Em razão de uma
deficiência física, Salomão nunca exerceu atividade laborativa e sempre morou com o pai, Célio, até o
falecimento deste. Com frequência, seu primo Marcos, comerciante e grande amigo, o visita. Com base
no caso apresentado, assinale a opção que indica quem tem obrigação de pagar alimento a Salomão.

32
1ª Fase
Mapeamento do XXXI Exame da Ordem

A) Marcos é obrigado a pagar alimentos a Salomão, no caso de necessidade deste.


B) Por ser irmão unilateral, Bernardo não deve, em
hipótese alguma, alimentos a Salomão.
Art. 1.695. São devidos os alimentos quando quem
C) Bernardo, no caso de necessidade de Salomão, deve os pretende não tem bens suficientes, nem pode
arcar com alimentos. prover, pelo seu trabalho, à própria mantença, e
aquele, de quem se reclamam, pode fornecê-los,
D) Bernardo e Marcos deverão dividir alimentos, entre sem desfalque do necessário ao seu sustento.
ambos, de forma igualitária.

Assunto Alimentos. Direito de Família


Base legal Art. 1.695 CC

Tipo de questão Literalidade da lei

QUESTÃO 37
Jacira mora em um apartamento alugado, sendo a locação garantida por fiança prestada por seu pai, José.
Certa vez, Jacira conversava com sua irmã Laura acerca de suas dificuldades financeiras, e declarou que
temia não ser capaz de pagar o próximo aluguel do imóvel. Compadecida da situação da irmã, Laura
procurou o locador do imóvel e, na data de vencimento do aluguel, pagou, em nome próprio, o valor
devido por Jacira, sem oposição desta. Nesse cenário, em relação ao débito do aluguel daquele mês,
assinale a afirmativa correta.
A) Laura, como terceira interessada, sub-rogou-se em todos os direitos que o locador tinha em face de
Jacira, inclusive a garantia fidejussória.
Art. 305. O terceiro não interessado, que paga a
B) Laura, como terceira não interessada, tem apenas
dívida em seu próprio nome, tem direito a
direito de regresso em face de Jacira. reembolsar-se do que pagar; mas não se sub-roga
C) Laura, como devedora solidária, sub-rogou-se nos nos direitos do credor.
Parágrafo único. Se pagar antes de vencida a
direitos que o locador tinha em face de Jacira, mas não dívida, só terá direito ao reembolso no
quanto à garantia fidejussória. vencimento.

D) Laura, tendo realizado mera liberalidade, não tem


qualquer direito em face de Jacira.

Assunto Obrigações, Pagamento de terceiro não interessado


Base legal Art. 305 do CC

Tipo de questão Interpretação da lei ao caso concreto

QUESTÃO 38
Antônio, divorciado, proprietário de três imóveis devidamente registrados no RGI, de valores de mercado
semelhantes, decidiu transferir onerosamente um de seus bens ao seu filho mais velho, Bruno, que

33
1ª Fase
Mapeamento do XXXI Exame da Ordem

mostrou interesse na aquisição por valor próximo ao de mercado. No entanto, ao consultar seus dois
outros filhos (irmãos do pretendente comprador), um deles, Carlos, opôs-se à venda. Diante disso,
bastante chateado com a atitude de Carlos, seu filho que não concordou com a compra e venda do imóvel,
decidiu realizar uma doação a favor de Bruno. Em face do exposto, assinale a afirmativa correta.
A) A compra e venda de ascendente para descendente só pode ser impedida pelos demais descendentes
e pelo cônjuge, se a oposição for unânime.
B) Não há, na ordem civil, qualquer impedimento à realização de contrato de compra e venda de pai para
filho, motivo pelo qual a oposição feita por Carlos não
poderia gerar a anulação do negócio.
Art. 496. É anulável a venda de ascendente a
C) Antônio não poderia, como reação à legítima oposição descendente, salvo se os outros descendentes e
de Carlos, promover a doação do bem para um de seus o cônjuge do alienante expressamente
houverem consentido.
filhos (Bruno), sendo tal contrato nulo de pleno direito. Parágrafo único. Em ambos os casos, dispensa-se
D) É legítima a doação de ascendentes para o consentimento do cônjuge se o regime de bens
for o da separação obrigatória.
descendente, independentemente da anuência dos
Art. 544. A doação de ascendentes a
demais, eis que o ato importa antecipação do que lhe descendentes, ou de um cônjuge a outro,
cabe na herança. importa adiantamento do que lhes cabe por
herança.

Assunto Venda a Descendente


Base legal Art. 496 e 544 do CC

Tipo de questão Interpretação da lei ao caso concreto

QUESTÃO 39
Márcia, adolescente com 17 anos de idade, sempre demonstrou uma maturidade muito superior à sua
faixa etária. Seu maior objetivo profissional é o de tornar-se professora de História e, por isso, decidiu
criar um canal em uma plataforma on-line, na qual publica vídeos com aulas por ela própria elaboradas
sobre conteúdos históricos. O canal tornou-se um sucesso, atraindo multidões de jovens seguidores e
despertando o interesse de vários patrocinadores, que começaram a procurar a jovem, propondo
contratos de publicidade. Embora ainda não tenha obtido nenhum lucro com o canal, Márcia está
animada com a perspectiva de conseguir custear seus estudos na Faculdade de História se conseguir

34
1ª Fase
Mapeamento do XXXI Exame da Ordem

firmar alguns desses contratos. Para facilitar as


Art. 5º A menoridade cessa aos dezoito anos completos,
atividades da jovem, seus pais decidiram emancipá- quando a pessoa fica habilitada à prática de todos os
la, o que permitirá que celebre negócios com futuros atos da vida civil.
patrocinadores com mais agilidade. Sobre o ato de Parágrafo único. Cessará, para os menores, a
incapacidade:
emancipação de Márcia por seus pais, assinale a I - pela concessão dos pais, ou de um deles na falta do
afirmativa correta. outro, mediante instrumento público,
independentemente de homologação judicial, ou por
A) Depende de homologação judicial, tendo em vista sentença do juiz, ouvido o tutor, se o menor tiver
o alto grau de exposição que a adolescente tem na dezesseis anos completos;
Art. 9º Serão registrados em registro público:
internet.
II - a emancipação por outorga dos pais ou por sentença
B) Não tem requisitos formais específicos, podendo do juiz;
ser concedida por instrumento particular.
C) Deve, necessariamente, ser levado a registro no
cartório competente do Registro Civil de Pessoas
Naturais.
D) É nulo, pois ela apenas poderia ser emancipada caso já contasse com economia própria, o que ainda
não aconteceu.

Assunto Emancipação
Base legal Art. 5° CC e Art. 9° CC

Tipo de questão Interpretação da lei ao caso concreto

QUESTÃO 40
Arnaldo faleceu e deixou os filhos Roberto e Álvaro. No inventário judicial de Arnaldo, Roberto, devedor
contumaz na praça, renunciou à herança, em 05/11/2019, conforme declaração nos autos. Considerando
que o falecido não deixou testamento e nem dívidas a serem pagas, o valor líquido do monte a ser
partilhado era de R$ 100.000,00 (cem mil reais). Bruno é primo de Roberto e também seu credor no valor
de R$ 30.000,00 (trinta mil reais). No dia 09/11/2019, Bruno tomou conhecimento da manifestação de
renúncia supracitada e, no dia 29/11/2019, procurou um advogado para tomar as medidas cabíveis. Sobre
esta situação, assinale a afirmativa correta.
A) Em nenhuma hipótese Bruno poderá contestar a renúncia da herança feita por Roberto.

35
1ª Fase
Mapeamento do XXXI Exame da Ordem

B) Bruno poderá aceitar a herança em nome de Roberto, desde que o faça no prazo de quarenta dias
seguintes ao conhecimento do fato.
C) Bruno poderá, mediante autorização judicial,
Art. 1.813. Quando o herdeiro prejudicar os seus
aceitar a herança em nome de Roberto, recebendo credores, renunciando à herança, poderão eles, com
integralmente o quinhão do renunciante. autorização do juiz, aceitá-la em nome do renunciante.
§ 1º A habilitação dos credores se fará no prazo de trinta
D) Bruno poderá, mediante autorização judicial, dias seguintes ao conhecimento do fato.
aceitar a herança em nome de Roberto, no limite de § 2º Pagas as dívidas do renunciante, prevalece a
renúncia quanto ao remanescente, que será devolvido
seu crédito. aos demais herdeiros.

Assunto Aceite do credor, Herança


Base legal Art. 1.813 do CC

Tipo de questão Literalidade da lei

QUESTÃO 41
Aldo e Mariane são casados sob o regime da comunhão parcial de bens, desde setembro de 2013. Em
momento anterior ao casamento, Rubens, pai de Mariane, realizou a doação de um imóvel à filha. Desde
então, a nova proprietária acumula os valores que lhe foram pagos pelos locatários do imóvel. No ano
corrente, alguns desentendimentos fizeram com que Mariane pretendesse se divorciar de Aldo. Para tal
finalidade, procurou um advogado, informando que a soma dos aluguéis que lhe foram pagos desde a
doação do imóvel totalizava R$ 150.000,00 (cento e cinquenta mil reais), sendo que R$ 50.000,00
(cinquenta mil reais) foram auferidos antes do casamento e o restante, após. Mariane relatou, ainda, que
atualmente o imóvel se encontra vazio, sem locatários. Sobre essa situação e diante de eventual divórcio,
assinale a afirmativa correta.
A) Quanto aos aluguéis, Aldo tem direito à meação sob o total dos valores.
B) Tendo em vista que o imóvel locado por Mariane é seu bem particular, os aluguéis por ela auferidos
não se comunicam com Aldo.
C) Aldo tem direito à meação dos valores recebidos
Art. 1.659. Excluem-se da comunhão:
por Mariane, durante o casamento, a título de I - os bens que cada cônjuge possuir ao casar, e os que lhe
aluguel. sobrevierem, na constância do casamento, por doação ou
sucessão, e os sub-rogados em seu lugar;
D) Aldo faz jus à meação tanto sobre a propriedade
Art. 1.660. Entram na comunhão:
do imóvel doado a Mariane por Rubens, quanto V - os frutos dos bens comuns, ou dos particulares de
sobre os valores recebidos a título de aluguel desse cada cônjuge, percebidos na constância do casamento, ou
pendentes ao tempo de cessar a comunhão.
imóvel na constância do casamento.

36
1ª Fase
Mapeamento do XXXI Exame da Ordem

Assunto Divórcio, Regime de bens, frutos civis


Base legal Art. 1.660 e 1.659 CC

Tipo de questão Interpretação da lei ao caso concreto

DIREITO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE

QUESTÃO 42
O adolescente João, com 16 anos completos, foi apreendido em flagrante quando praticava ato infracional
análogo ao crime de furto. Devidamente conduzido o processo, de forma hígida, ele foi sentenciado ao
cumprimento de medida socioeducativa de 1 ano, em regime de semiliberdade. Sobre as medidas
socioeducativas aplicadas a João, assinale a afirmativa correta.
A) A medida de liberdade assistida será fixada pelo prazo máximo de 6 meses, sendo que, ao final de tal
período, caso João não se revele
suficientemente ressocializado, a medida será
Art. 120. O regime de semi-liberdade pode ser determinado
convolada em internação. desde o início, ou como forma de transição para o meio aberto,
B) A medida aplicada foi equivocada, pois possibilitada a realização de atividades externas,
independentemente de autorização judicial.
deveria ter sido, necessariamente,
§ 1º São obrigatórias a escolarização e a profissionalização,
determinada a internação de João. devendo, sempre que possível, ser utilizados os recursos
C) No regime de semiliberdade, João poderia existentes na comunidade.
§ 2º A medida não comporta prazo determinado aplicando-se,
sair da instituição para ocupações rotineiras no que couber, as disposições relativas à internação.
de trabalho e estudo, sem necessidade de
autorização judicial.
D) A medida aplicada foi equivocada, pois não
poderia, pelo fato análogo ao furto, ter a si
aplicada medida diversa da liberdade assistida.

Assunto Medidas socioeducativas; Medida de semiliberdade;


Base legal Art. 120 do Estatuto da Criança e do Adolescente

Tipo de questão Interpretação da lei ao caso concreto

QUESTÃO 43
Maria chega à maternidade já em trabalho de parto, sendo atendida emergencialmente. Felizmente, o
parto ocorre sem problemas e Maria dá à luz, Fernanda. No mesmo dia do parto, a enfermeira Cláudia
escuta a conversa entre Maria e uma amiga que a visitava, na qual Maria oferecia Fernanda a essa amiga
em adoção, por não se sentir preparada para a maternidade. Preocupada com a conversa, Cláudia a relata

37
1ª Fase
Mapeamento do XXXI Exame da Ordem

ao médico obstetra de plantão, Paulo, o qual, por sua vez, noticia o ocorrido a Carlos, diretor-geral do
hospital. Naquela noite, já recuperada, Maria e a mesma amiga vão embora da maternidade, sem que
nada tenha ocorrido e nenhuma providência tenha sido tomada por qualquer dos personagens envolvidos
– Cláudia, Paulo ou Carlos. Diante dos fatos acima, assinale a afirmativa correta.
A) Não foi cometida qualquer infração, porque a adoção irregular não se consumou no âmbito da
maternidade.
B) Carlos cometeu infração administrativa, consubstanciada no não encaminhamento do caso à
autoridade judiciária, porque somente o diretor do hospital pode fazê-lo.
C) Carlos e Paulo não cometeram infração
administrativa ao não encaminharem o caso à Art. 258-B. Deixar o médico, enfermeiro ou dirigente de
estabelecimento de atenção à saúde de gestante de efetuar
autoridade judiciária, porque não cabe ao imediato encaminhamento à autoridade judiciária de caso de
corpo médico tal atribuição. que tenha conhecimento de mãe ou gestante interessada em
D) Carlos, Paulo e Cláudia cometeram infração entregar seu filho para adoção:
Pena - multa de R$ 1.000,00 (mil reais) a R$ 3.000,00 (três mil
administrativa por não encaminharem o caso reais)
de que tinham conhecimento para a Art. 19-A. A gestante ou mãe que manifeste interesse em
entregar seu filho para adoção, antes ou logo após o
autoridade judiciária. nascimento, será encaminhada à Justiça da Infância e da
Juventude.

Assunto Adoção; Crimes e Infrações Administrativas


Base legal Art. 258-B e Art. 19-A do Estatuto da Criança e do Adolescente

Tipo de questão Interpretação da lei ao caso concreto

DIREITO DO CONSUMIDOR

QUESTÃO 44
O médico de João indicou a necessidade de realizar a cirurgia de gastroplastia (bariátrica) como
tratamento de obesidade mórbida, com a finalidade de reduzir peso. Posteriormente, o profissional de
saúde explicou a necessidade de realizar a cirurgia plástica pós-gastroplastia, visando à remoção de
excesso epitelial que comumente acomete os pacientes nessas condições, impactando a qualidade de
vida daquele que deixou de ser obeso mórbido. Nesse caso, nos termos do Código de Defesa do
Consumidor e do entendimento do STJ, o plano de saúde
Art. 35-F. A assistência a que alude o art. 1o desta
de João Lei compreende todas as ações necessárias à
A) terá que custear ambas as cirurgias, porque configuram prevenção da doença e à recuperação, manutenção
e reabilitação da saúde, observados os termos
tratamentos, sendo a cirurgia plástica medida desta Lei e do contrato firmado entre as partes.
reparadora; portanto, terapêutica.

38
1ª Fase
Mapeamento do XXXI Exame da Ordem

B) terá que custear apenas a cirurgia de gastroplastia, e não a plástica, considerada estética e excluída da
cobertura dos planos de saúde.
C) não terá que custear as cirurgias, exceto mediante previsão contratual expressa para esses tipos de
procedimentos.
D) não terá que custear qualquer das cirurgias até que passem a integrar o rol de procedimentos da ANS,
competente para a regulação das coberturas contratuais.

Assunto Contratos de Plano de Saúde


Base legal Art. 35-F, Lei n 9656/98

Tipo de questão Interpretação da lei ao caso concreto

QUESTÃO 45
Adriano, por meio de um site especializado, efetuou reserva de hotel para estada com sua família em
praia caribenha. A reserva foi imediatamente confirmada pelo site, um mês antes das suas férias, quando
fariam a viagem. Ocorre que, dez dias antes do embarque, o site especializado comunicou a Adriano que
o hotel havia informado o cancelamento da contratação por erro no parcelamento com o cartão de
crédito. Adriano, então, buscou nova compra do serviço, mas os valores estavam cerca de 30% mais caros
do que na contratação inicial, com o qual anuiu por não ser mais possível alterar a data de suas férias. Ao
retornar de viagem, Adriano procurou você, como advogado(a), a fim de saber se seria possível a
restituição dessa diferença de valores. Neste caso, é correto afirmar que o ressarcimento da diferença
arcada pelo consumidor
A) poderá ser buscado em face exclusivamente do hotel,
Art. 7° Os direitos previstos neste código não
fornecedor que cancelou a contratação.
excluem outros decorrentes de tratados ou
B) poderá ser buscado em face do site de viagens e do convenções internacionais de que o Brasil seja
hotel, que respondem solidariamente, por comporem a signatário, da legislação interna ordinária, de
regulamentos expedidos pelas autoridades
cadeia de fornecimento do serviço. administrativas competentes, bem como dos
C) não poderá ser revisto, porque o consumidor tinha o que derivem dos princípios gerais do direito,
analogia, costumes e eqüidade.
dever de confirmar a compra em sua fatura de cartão de Parágrafo único. Tendo mais de um autor a
crédito. ofensa, todos responderão solidariamente
D) poderá ser revisto, sendo a responsabilidade exclusiva pela reparação dos danos previstos nas
normas de consumo.
do site de viagens, com base na teoria da aparência,
respondendo o hotel apenas subsidiariamente.

Assunto Responsabilidade Solidária


Base legal Art. 7º do CDC

Tipo de questão Interpretação da lei ao caso concreto

39
1ª Fase
Mapeamento do XXXI Exame da Ordem

DIREITO EMPRESARIAL

QUESTÃO 46
No contrato da sociedade empresária Arealva Calçados Finos Ltda., não consta cláusula de regência
supletiva pelas disposições de outro tipo societário. Ademais, tanto no contrato social quanto nas
disposições legais relativas ao tipo adotado pela sociedade não há norma regulando a sucessão por morte
de sócio. Diante da situação narrada, assinale a afirmativa correta.

A) Haverá resolução da sociedade em relação ao sócio em


Art. 1.028. No caso de morte de sócio, liquidar-
caso de morte. se-á sua quota, salvo:
B) Haverá transmissão causa mortis da quota social. I - se o contrato dispuser diferentemente;
II - se os sócios remanescentes optarem pela
C) Caberá aos sócios remanescentes regular a substituição dissolução da sociedade;
do sócio falecido. III - se, por acordo com os herdeiros, regular-se
a substituição do sócio falecido.
D) Os sócios serão obrigados a incluir, no contrato,
cláusula dispondo sobre a sucessão por morte de sócio.

Assunto Morte do Sócio, Continuidade da Sociedade Limitada


Base legal Art. 1.028 CC

Tipo de questão Literalidade da lei

40
1ª Fase
Mapeamento do XXXI Exame da Ordem

QUESTÃO 47
Anadia e Deodoro são condôminos de uma quota de
sociedade limitada no valor de R$ 13.000,00 (treze mil Art. 1.052. Na sociedade limitada, a responsabilidade
reais). Nem a quota nem o capital da sociedade – de cada sócio é restrita ao valor de suas quotas, mas
todos respondem solidariamente pela integralização
fixado em R$ 50.000,00 (cinquenta mil reais) – se do capital social.
encontram integralizados. Você é consultado(a), como § 1º A sociedade limitada pode ser constituída por 1
(uma) ou mais pessoas.
advogado(a), sobre a possibilidade de a sociedade
§ 2º Se for unipessoal, aplicar-se-ão ao documento
demandar os condôminos para que integralizem a de constituição do sócio único, no que couber, as
referida quota. Assinale a opção que apresenta a disposições sobre o contrato social.
Art. 1.056. A quota é indivisível em relação à
resposta correta. sociedade, salvo para efeito de transferência, caso
A) Eles são obrigados à integralização apenas a partir em que se observará o disposto no artigo seguinte.
§ 1º No caso de condomínio de quota, os direitos a
da decretação de falência da sociedade.
ela inerentes somente podem ser exercidos pelo
B) Eles não são obrigados à integralização, pelo fato de condômino representante, ou pelo inventariante do
serem condôminos de quota indivisa. espólio de sócio falecido.
§ 2º Sem prejuízo do disposto no art. 1.052, os
C) Eles são obrigados à integralização, porque todos condôminos de quota indivisa respondem
os sócios, mesmo os condôminos, devem integralizar solidariamente pelas prestações necessárias à sua
integralização.
o capital.
D) Eles não são obrigados à integralização, porque o
capital da sociedade é inferior a 100 salários mínimos.

Assunto Sociedade Limitada, Integralização das Quotas


Base legal Art. 1.056. §2° e 1.052 CC

Tipo de questão Interpretação da lei ao caso concreto

QUESTÃO 48
As sociedades empresárias Y e J celebraram contrato tendo por objeto a alienação do estabelecimento da
primeira, situado em Antônio Dias/MG. Na data da assinatura do contrato, dentre outros débitos
regularmente contabilizados, constava uma nota promissória vencida havia três meses no valor de R$
25.000,00 (vinte e cinco mil reais). O contrato não tem nenhuma cláusula quanto à existência de
solidariedade entre as partes, tanto pelos débitos vencidos quanto pelos vincendos. Sabendo-se que, em
15/10/2018, após averbação na Junta Comercial competente, houve publicação do contrato na imprensa
oficial e, tomando por base comparativa o dia 15/01/2020, o alienante
A) responderá pelo débito vencido com o adquirente por não terem decorrido cinco anos da publicação
do contrato na imprensa oficial.

41
1ª Fase
Mapeamento do XXXI Exame da Ordem

B) não responderá pelo débito vencido com o adquirente em razão de não ter sido estipulada tal
solidariedade no contrato.
Art. 1.146. O adquirente do estabelecimento
C) responderá pelo débito vencido com o adquirente até
responde pelo pagamento dos débitos
a ocorrência da prescrição relativa à cobrança da nota anteriores à transferência, desde que
promissória. regularmente contabilizados, continuando o
devedor primitivo solidariamente obrigado
D) não responderá pelo débito vencido com o pelo prazo de um ano, a partir, quanto aos
adquirente diante do decurso de mais de 1 (um) ano da créditos vencidos, da publicação, e, quanto aos
outros, da data do vencimento.
publicação do contrato na imprensa oficial.

Assunto Contratos Empresariais, Trespasse


Base legal Art. 1.146 CC

Tipo de questão Literalidade da lei

QUESTÃO 49
Duas sociedades empresárias celebraram contrato de agência com uma terceira sociedade empresária,
que assumiu a obrigação de, em caráter não eventual e sem vínculos de dependência com as proponentes,
promover, à conta das primeiras, mediante retribuição, a realização de certos negócios com exclusividade,
nos municípios integrantes da região metropolitana de Curitiba/PR. Ficou pactuado que as proponentes
conferirão poderes à agente para que esta as represente, como mandatária, na conclusão dos contratos.
Antônio Prado, sócio de uma das sociedades empresárias contratantes, consulta seu advogado quanto à
legalidade do contrato, notadamente da delimitação de zona geográfica e da concessão de mandato ao
agente. Sobre a hipótese apresentada, considerando as disposições legais relativas ao contrato de
agência, assinale a afirmativa correta.
A) Não há ilegalidade quanto à delimitação de zona geográfica para atuação exclusiva do agente, bem
como em relação à possibilidade de ser o agente mandatário
das proponentes, por serem características do contrato de Art. 710. Pelo contrato de agência, uma
agência. pessoa assume, em caráter não eventual e
sem vínculos de dependência, a obrigação de
B) Há ilegalidade na fixação de zona determinada para atuação promover, à conta de outra, mediante
exclusiva do agente, por ferir a livre concorrência entre retribuição, a realização de certos negócios,
em zona determinada, caracterizando-se a
agentes, mas não há ilegalidade na outorga de mandato ao
distribuição quando o agente tiver à sua
agente para representação das proponentes. disposição a coisa a ser negociada.
C) Há ilegalidade tanto na outorga de mandato ao agente para Parágrafo único. O proponente pode conferir
poderes ao agente para que este o represente
representação dos proponentes, por ser vedada qualquer na conclusão dos contratos.
relação de dependência entre agente e proponente, e também
quanto à fixação de zona determinada para atuação exclusiva
do agente.

42
1ª Fase
Mapeamento do XXXI Exame da Ordem

D) Não há ilegalidade quanto à fixação de zona determinada para atuação exclusiva do agente, mas há
ilegalidade quanto à concessão de mandato do agente, porque é obrigatório por lei que o agente apenas
faça a mediação dos negócios no interesse do proponente.

Assunto Contratos Empresariais, Delimitação Zona Geográfica


Base legal Art. 710 CC

Tipo de questão Interpretação da lei ao caso concreto

QUESTÃO 50
José da Silva, credor de sociedade empresária, consulta você, como advogado(a), para obter orientação
quanto aos efeitos de uma provável convolação de recuperação judicial em falência. Em relação à
hipótese apresentada, analise as afirmativas a seguir e
assinale a única correta.
Art. 80. Considerar-se-ão habilitados os créditos
A) Os créditos remanescentes da recuperação judicial serão remanescentes da recuperação judicial, quando
considerados habilitados quando definitivamente incluídos definitivamente incluídos no quadro-geral de
credores, tendo prosseguimento as habilitações
no quadro-geral de credores, tendo prosseguimento as que estejam em curso.
habilitações que estiverem em curso.
B) As ações que devam ser propostas no juízo da falência
estão sujeitas à distribuição por dependência, exceto a ação
revocatória e a ação revisional de crédito admitido ao quadro geral de credores.
C) A decretação da falência determina o vencimento antecipado das dívidas do devedor quanto aos
créditos excluídos dos efeitos da recuperação judicial; quanto aos créditos submetidos ao plano de
recuperação, são mantidos os prazos nele estabelecidos e homologados pelo juiz.
D) As ações intentadas pelo devedor durante a recuperação judicial serão encerradas, devendo ser
intimado o administrador judicial da extinção dos feitos, sob pena de nulidade do processo.

Assunto Efeitos, Falência


Base legal Art. 80 da Lei 11.101/05

Tipo de questão Interpretação da lei ao caso concreto

PROCESSO CIVIL

QUESTÃO 51
Julieta ajuizou demanda em face de Rafaela e, a fim de provar os fatos constitutivos de seu direito, arrolou
como testemunhas Fernanda e Vicente. A demandada, por sua vez, arrolou as testemunhas Pedro e

43
1ª Fase
Mapeamento do XXXI Exame da Ordem

Mônica. Durante a instrução, Fernanda e Vicente em nada contribuíram para o esclarecimento dos fatos,
enquanto Pedro e Mônica confirmaram o alegado na petição inicial. Em razões finais, o advogado da
autora requereu a procedência dos pedidos, ao que se contrapôs o patrono da ré, sob o argumento de
que as provas produzidas pela autora não confirmaram suas alegações e, ademais, as provas produzidas
pela ré não podem prejudicá-la. Consideradas as normas processuais em vigor, assinale a afirmativa
correta.
A) O advogado da demandada está correto, pois competia à demandante a prova dos fatos constitutivos
do seu direito.
B) O advogado da demandante está correto, porque a Art. 371. O juiz apreciará a prova constante dos
prova, uma vez produzida, pode beneficiar parte distinta da autos, independentemente do sujeito que a tiver
promovido, e indicará na decisão as razões da
que a requereu.
formação de seu convencimento.
C) O advogado da demandante está incorreto, pois o
princípio da aquisição da prova não é aplicável à hipótese.
D) O advogado da demandada está incorreto, porque as
provas só podem beneficiar a parte que as produziu, segundo o princípio da aquisição da prova.

Assunto Teoria Geral da Prova, Princípio da Comunhão da Prova


Base legal Art. 371 CPC

Tipo de questão Interpretação da lei ao caso concreto

QUESTÃO 52
Um advogado elabora uma petição inicial em observância aos requisitos legais. Da análise da peça
postulatória, mesmo se deparando com controvérsia fática, o magistrado julga o pedido improcedente
liminarmente. Diante dessa situação, o patrono do autor opta por recorrer contra o provimento do juiz,
arguindo a nulidade da decisão por necessidade de dilação probatória. Com base nessa situação
hipotética, assinale a afirmativa correta.
A) O advogado pode aduzir que, antes de proferir sentença extintiva, o juiz deve, necessariamente,
determinar a emenda à inicial, em atenção ao princípio da primazia de mérito.
B) Não existem hipóteses de improcedência liminar no atual sistema processual, por traduzirem restrição
do princípio da inafastabilidade da prestação jurisdicional e ofensa ao princípio do devido processo legal.
C) Somente a inépcia da petição inicial autoriza a
improcedência liminar dos pedidos. Art. 332. Nas causas que dispensem a fase
D) Nas hipóteses em que há necessidade de dilação instrutória, o juiz, independentemente da citação
do réu, julgará liminarmente improcedente o
probatória, não cabe improcedência liminar do pedido.
pedido que contrariar [...]

44
1ª Fase
Mapeamento do XXXI Exame da Ordem

Assunto Improcedência Liminar do Pedido, Nulidade da decisão


Base legal Art. 332 CPC

Tipo de questão Interpretação da lei ao caso concreto

QUESTÃO 53
Marcos foi contratado por Júlio para realizar obras de instalação elétrica no apartamento deste. Por
negligência de Marcos, houve um incêndio que destruiu boa parte do imóvel e dos móveis que o
guarneciam. Como não conseguiu obter a reparação dos prejuízos amigavelmente, Júlio ajuizou ação em
face de Marcos e obteve sua condenação ao pagamento da quantia de R$ 148.000,00 (cento e quarenta
e oito mil reais). Após a prolação da sentença, foi interposta apelação por Marcos, que ainda aguarda
julgamento pelo Tribunal. Júlio, ato contínuo, apresentou cópia da sentença perante o cartório de registro
imobiliário, para registro da hipoteca judiciária sob um imóvel de propriedade de Marcos, visando a
garantir futuro pagamento do crédito. Sobre o caso apresentado, assinale a afirmativa correta.
A) Júlio não pode solicitar o registro da hipoteca judiciária, uma vez que ainda está pendente de
julgamento o recurso de apelação de Marcos.
B) Júlio, mesmo que seja registrada a hipoteca judiciária, não terá direito de preferência sobre o bem em
relação a outros credores.
C) A hipoteca judiciária apenas poderá ser constituída e registrada mediante decisão proferida no
Tribunal, em caráter de tutela provisória, na pendência do recurso de apelação interposto por Marcos.
D) Júlio poderá levar a registro a sentença, e, uma vez
constituída a hipoteca judiciária, esta conferirá a Júlio o Art. 495. A decisão que condenar o réu ao
direito de preferência em relação a outros credores, pagamento de prestação consistente em
dinheiro e a que determinar a conversão de
observada a prioridade do registro. prestação de fazer, de não fazer ou de dar coisa
em prestação pecuniária valerão como título
constitutivo de hipoteca judiciária.

Assunto Sentença, Hipoteca Judiciária


Base legal Art. 495 CPC

Tipo de questão Literalidade da lei

QUESTÃO 54
Bruno ajuizou contra Flávio ação de execução de título executivo extrajudicial, com base em instrumento
particular, firmado por duas testemunhas, para obter o pagamento forçado de R$ 10.000,00 (dez mil
reais). Devidamente citado, Flávio prestou, em juízo, garantia integral do valor executado e opôs
embargos à execução dentro do prazo legal, alegando, preliminarmente, a incompetência relativa do juízo
da execução e, no mérito, que o exequente pleiteia quantia superior à do título (excesso de execução).
No entanto, em seus embargos à execução, embora tenha alegado excesso de execução, Flávio não

45
1ª Fase
Mapeamento do XXXI Exame da Ordem

apontou o valor que entendia ser correto, tampouco apresentou cálculo com o demonstrativo
discriminado e atualizado do valor em questão. Considerando essa situação hipotética, assinale a
afirmativa correta.
A) Os embargos à execução devem ser liminarmente rejeitados, sem resolução do mérito, porquanto
Flávio não demonstrou adequadamente o excesso de execução, ao deixar de apontar o valor que entendia
correto e de apresentar cálculo com o demonstrativo discriminado e atualizado do valor em questão.
B) O juiz deverá rejeitar as alegações de incompetência relativa do juízo e de excesso de execução
deduzidas por Flávio, por não constituírem matérias passíveis de alegação em sede de embargos à
execução.
C) Os embargos à execução serão processados para
a apreciação da alegação de incompetência relativa Art. 917. Nos embargos à execução, o executado
poderá alegar:
do juízo, mas o juiz não examinará a alegação de § 2º Há excesso de execução quando:
excesso de execução, tendo em vista que Flávio não I - o exequente pleiteia quantia superior à do título;
II - ela recai sobre coisa diversa daquela declarada no
indicou o valor que entendia correto para a título;
execução, não apresentando o cálculo discriminado III - ela se processa de modo diferente do que foi
determinado no título;
e atualizado do valor em questão.
IV - o exequente, sem cumprir a prestação que lhe
D) O juiz deverá processar e julgar os embargos à corresponde, exige o adimplemento da prestação do
execução em sua integralidade, não surtindo executado;
V - o exequente não prova que a condição se realizou.
qualquer efeito a falta de indicação do valor alegado § 3º Quando alegar que o exequente, em excesso de
como excesso e a ausência de apresentação de execução, pleiteia quantia superior à do título, o
embargante declarará na petição inicial o valor que
cálculo discriminado e atualizado do valor em
entende correto, apresentando demonstrativo
questão, uma vez que os embargos foram discriminado e atualizado de seu cálculo.
apresentados dentro do prazo legal.

Assunto Execução de título executivo extrajudicial, Embargos à execução, Excesso de Execução


Base legal Art. 917, §2° e §3° CPC

Tipo de questão Literalidade da lei

QUESTÃO 55
Em um processo em que Carla disputava a titularidade de um apartamento com Marcos, este obteve
sentença favorável, por apresentar, em juízo, cópia de um contrato de compra e venda e termo de
quitação, anteriores ao contrato firmado por Carla. A sentença transitou em julgado sem que Carla
apresentasse recurso. Alguns meses depois, Carla descobriu que Marcos era réu em um processo criminal
no qual tinha sido comprovada a falsidade de vários documentos, dentre eles o contrato de compra e
venda do apartamento disputado e o referido termo de quitação. Carla pretende, com base em seu
contrato, retornar a juízo para buscar o direito ao imóvel. Para isso, ela pode
A) interpor recurso de apelação contra a sentença, ainda que já tenha ocorrido o trânsito em julgado,
fundado em prova nova.

46
1ª Fase
Mapeamento do XXXI Exame da Ordem

B) propor reclamação, para garantir a autoridade da decisão


prolatada no juízo criminal, e formular pedido que lhe
Art. 966. A decisão de mérito, transitada em
reconheça o direito ao imóvel. julgado, pode ser rescindida quando:
C) ajuizar rescisória, demonstrando que a sentença foi VI - for fundada em prova cuja falsidade tenha
sido apurada em processo criminal ou venha a
fundada em prova cuja falsidade foi apurada em processo ser demonstrada na própria ação rescisória;
criminal.
D) requerer cumprimento de sentença diretamente no juízo
criminal, para que a decisão que reconheceu a falsidade do documento valha como título judicial para
transferência da propriedade do imóvel para seu nome.

Assunto Ação Rescisória, Falsidade de documentos do processo


Base legal Art. 966, VI CPC

Tipo de questão Interpretação da lei ao caso concreto

QUESTÃO 56
Gustavo procura você, como advogado(a), visando ao ajuizamento de uma ação em face de João, para a
defesa da posse de um imóvel localizado em Minas Gerais. Na defesa dos interesses do seu cliente, quanto
à ação possessória a ser proposta, assinale a afirmativa correta.
A) Não é lícito cumular o pedido possessório com condenação em perdas e danos a Gustavo, dada a
especialidade do procedimento.
B) Na pendência da ação possessória proposta por
Art. 559. Se o réu provar, em qualquer tempo,
Gustavo, não é possível, nem a ele, nem a João, propor que o autor provisoriamente mantido ou
ação de reconhecimento de domínio, salvo em face de reintegrado na posse carece de idoneidade
financeira para, no caso de sucumbência,
terceira pessoa. responder por perdas e danos, o juiz designar-
C) Se a proposta de ação de manutenção de posse por lhe-á o prazo de 5 (cinco) dias para requerer
Gustavo for um esbulho, o juiz não pode receber a ação de caução, real ou fidejussória, sob pena de ser
depositada a coisa litigiosa, ressalvada a
manutenção de posse como reintegração de posse, por impossibilidade da parte economicamente
falta de interesse de adequação. hipossuficiente.

D) Caso se entenda possuidor do imóvel e pretenda


defender sua posse, o meio adequado a ser utilizado por
João é a reconvenção em face de Gustavo.

Assunto Ações Possessórias, Pedido Contraposto


Base legal Art. 559 CPC

Tipo de questão Interpretação da lei ao caso concreto

47
1ª Fase
Mapeamento do XXXI Exame da Ordem

QUESTÃO 57
O arquiteto Fernando ajuizou ação exclusivamente em face de Daniela, sua cliente, buscando a cobrança
de valores que não teriam sido pagos no âmbito de um contrato de reforma de apartamento. Daniela,
devidamente citada, deixou de oferecer contestação, mas, em litisconsórcio com seu marido José,
apresentou reconvenção em peça autônoma, buscando indenização por danos morais em face de
Fernando e sua empresa, sob o argumento de que estes, após a conclusão das obras de reforma,
expuseram, em site próprio, fotos do interior do imóvel dos reconvintes sem que tivessem autorização
para tanto. Diante dessa situação hipotética, assinale a afirmativa correta.
A) Como Daniela deixou de contestar a ação, ela e seu marido não poderiam ter apresentado
reconvenção, devendo ter ajuizado ação
autônoma para buscar a indenização
pretendida. Art. 343. Na contestação, é lícito ao réu propor reconvenção para
manifestar pretensão própria, conexa com a ação principal ou
B) A reconvenção deverá ser processada, com o fundamento da defesa.
a despeito de Daniela não ter contestado § 1º Proposta a reconvenção, o autor será intimado, na pessoa de
seu advogado, para apresentar resposta no prazo de 15 (quinze)
a ação originária, na medida em que o
dias.
réu pode propor reconvenção § 2º A desistência da ação ou a ocorrência de causa extintiva que
independentemente de oferecer impeça o exame de seu mérito não obsta ao prosseguimento do
processo quanto à reconvenção.
contestação. § 3º A reconvenção pode ser proposta contra o autor e terceiro.
C) A reconvenção não poderá ser § 4º A reconvenção pode ser proposta pelo réu em litisconsórcio
com terceiro.
processada, na medida em que não é § 5º Se o autor for substituto processual, o reconvinte deverá
lícito a Daniela propor reconvenção em afirmar ser titular de direito em face do substituído, e a
litisconsórcio com seu marido, que é um reconvenção deverá ser proposta em face do autor, também na
qualidade de substituto processual.
terceiro que não faz parte da ação § 6º O réu pode propor reconvenção independentemente de
originária. oferecer contestação

D) A reconvenção não poderá ser


processada, na medida em que não é
lícito a Daniela incluir no polo passivo da
reconvenção a empresa de Fernando, que
é um terceiro que não faz parte da ação originária.

Assunto Reconvenção sem contestação, Reconvenção com litisconsórcio


Base legal Art. 343 e parágrafos CPC

Tipo de questão Literalidade da lei

48
1ª Fase
Mapeamento do XXXI Exame da Ordem

DIREITO PENAL

QUESTÃO 58
Caio, funcionário público, Antônio, empresário, Ricardo, comerciante, e Vitor, adolescente, de forma
recorrente se reúnem, de maneira estruturalmente ordenada e com clara divisão de tarefas, inclusive
Antônio figurando como líder, com o objetivo de organizarem a prática de diversos delitos de falsidade
ideológica de documento particular (Art. 299 do CP: pena: 01 a 03 anos de reclusão e multa). Apesar de o
objetivo ser a falsificação de documentos particulares, Caio utilizava-se da sua função pública para obter
as informações a serem inseridas de forma falsa na documentação. Descobertos os fatos, Caio, Ricardo e
Antônio foram denunciados, devidamente processados e condenados como incursos nas sanções do Art.
2º da Lei nº 12.850/13 (constituir organização criminosa),
Art. 1º, § 1º Considera-se organização
sendo reconhecidas as causas de aumento em razão do
criminosa a associação de 4 (quatro) ou
envolvimento de funcionário público e em razão do mais pessoas estruturalmente ordenada e
envolvimento de adolescente. A Antônio foi, ainda, agravada a caracterizada pela divisão de tarefas,
ainda que informalmente, com objetivo
pena diante da posição de liderança. Constituído nos autos de obter, direta ou indiretamente,
apenas para defesa dos interesses de Antônio, o advogado, em vantagem de qualquer natureza,
mediante a prática de infrações penais
sede de recurso, sob o ponto de vista técnico, de acordo com cujas penas máximas sejam superiores a 4
as previsões legais, deverá requerer (quatro) anos, ou que sejam de caráter
A) desclassificação para o crime de associação criminosa, transnacional.
Art. 288, CP. Associarem-se 3 (três) ou
previsto no Código Penal (antigo bando ou quadrilha). mais pessoas, para o fim específico de
B) afastamento da causa de aumento em razão do cometer crimes.
envolvimento de adolescente, diante da ausência de previsão
legal.
C) afastamento da causa de aumento em razão da presença de funcionário público, tendo em vista que
Antônio não é funcionário público e nem equiparado, devendo a majorante ser restrita a Caio.
D) afastamento da agravante, pelo fato de Antônio ser o comandante da organização criminosa, uma vez
que tal incremento da pena não está previsto na Lei nº 12.850/13.

Assunto Associação criminosa; Falsidade ideológica de documento particular


Base legal Art. 1º, §1º Lei 12.850/13 c/c art. 299, CP c/c 288, CP

Tipo de questão Interpretação da lei ao caso concreto

QUESTÃO 59
Maria, em uma loja de departamento, apresentou roupas no valor de R$ 1.200 (mil e duzentos reais) ao
caixa, buscando efetuar o pagamento por meio de um cheque de terceira pessoa, inclusive assinando
como se fosse a titular da conta. Na ocasião, não foi exigido qualquer documento de identidade. Todavia,
o caixa da loja desconfiou do seu nervosismo no preenchimento do cheque, apesar da assinatura perfeita,

49
1ª Fase
Mapeamento do XXXI Exame da Ordem

e consultou o banco sacado, constatando que aquele documento constava como furtado. Assim, Maria
foi presa em flagrante naquele momento e, posteriormente,
denunciada pelos crimes de estelionato e falsificação de Art. 171 - Obter, para si ou para outrem,
vantagem ilícita, em prejuízo alheio, induzindo
documento público, em concurso material. Confirmados os
ou mantendo alguém em erro, mediante
fatos, o advogado de Maria, no momento das alegações artifício, ardil, ou qualquer outro meio
finais, sob o ponto de vista técnico, deverá buscar o fraudulento:
Pena - reclusão, de um a cinco anos, e multa,
reconhecimento de quinhentos mil réis a dez contos de réis.
A) do concurso formal entre os crimes de estelionato SÚMULA Nº 17, STJ. Quando o falso se exaure
no estelionato, sem mais potencialidade lesiva,
consumado e falsificação de documento público. é por este absorvido.
B) do concurso formal entre os crimes de estelionato
tentado e falsificação de documento particular.
C) de crime único de estelionato, na forma consumada,
afastando-se o concurso de crimes.
D) de crime único de estelionato, na forma tentada, afastando-se o concurso de crimes.

Assunto Estelionato; Concurso material; Princípio da Consunção


Base legal Art. 171, CP c/c Súmula 17, STJ

Tipo de questão Interpretação da lei ao caso concreto

QUESTÃO 60
Durante uma reunião de condomínio, Paulo, com o animus de ofender a honra objetiva do condômino
Arthur, funcionário público, mesmo sabendo que o ofendido foi absolvido daquela imputação por decisão
transitada em julgado, afirmou que Artur não tem condições morais para conviver naquele prédio,
porquanto se apropriara de dinheiro do condomínio quando exercia a função de síndico. Inconformado
com a ofensa à sua honra, Arthur ofereceu queixa-crime em face de Paulo, imputando-lhe a prática do
crime de calúnia. Preocupado com as consequências de seu ato, após ser regularmente citado, Paulo
procura você, como advogado(a), para assistência técnica. Considerando apenas as informações expostas,
você deverá esclarecer que a conduta de Paulo
configura crime de Art. 138 - Caluniar alguém, imputando-lhe
falsamente fato definido como crime:
A) difamação, não de calúnia, cabendo exceção da Pena - detenção, de seis meses a dois anos, e multa.
verdade por parte de Paulo. § 3º - Admite-se a prova da verdade, salvo:
I - se, constituindo o fato imputado crime de ação
B) injúria, não de calúnia, de modo que não cabe
privada, o ofendido não foi condenado por sentença
exceção da verdade por parte de Paulo. irrecorrível;
C) calúnia efetivamente imputado, não cabendo II - se o fato é imputado a qualquer das pessoas
indicadas no nº I do art. 141;
exceção da verdade por parte de Paulo. III - se do crime imputado, embora de ação pública, o
D) calúnia efetivamente imputado, sendo possível o ofendido foi absolvido por sentença irrecorrível.

oferecimento da exceção da verdade por parte de


Paulo.

50
1ª Fase
Mapeamento do XXXI Exame da Ordem

Assunto Calúnia
Base legal Art. 138, CP e art. 138, §3º, CP

Tipo de questão Interpretação da lei ao caso concreto

QUESTÃO 61
Inconformado por estar desempregado, Lúcio resolve se embriagar. Quando se encontrava no interior do
coletivo retornando para casa, ele verifica que o passageiro sentado à sua frente estava dormindo, e o
telefone celular deste estava solto em seu bolso. Aproveitando-se da situação, Lúcio subtrai o aparelho
sem ser notado pelo lesado, que continuava dormindo profundamente. Ao tentar sair do coletivo, Lúcio
foi interpelado por outro passageiro, que assistiu ao ocorrido, iniciando-se uma grande confusão, que fez
com que o lesado acordasse e verificasse que seu aparelho fora subtraído. Após denúncia pelo crime de
furto qualificado pela destreza e regular processamento do feito, Lúcio foi condenado nos termos da
denúncia, sendo, ainda, aplicada a agravante da embriaguez preordenada, já que Lúcio teria se
embriagado dolosamente. Considerando apenas as informações expostas e que os fatos foram
confirmados, o(a) advogado(a) de Lúcio, no momento da apresentação de recurso de apelação, poderá
requerer
A) o reconhecimento de causa de diminuição de pena diante da redução da capacidade em razão da sua
embriaguez, mas não o afastamento da qualificadora da destreza.
B) a desclassificação para o crime de furto simples, mas
não o afastamento da agravante da embriaguez Art. 155 - Subtrair, para si ou para outrem,
coisa alheia móvel:
preordenada. Pena - reclusão, de um a quatro anos, e multa.
C) a desclassificação para o crime de furto simples e o Art. 61 - São circunstâncias que sempre
agravam a pena, quando não constituem ou
afastamento da agravante, não devendo a embriaguez do
qualificam o crime:
autor do fato interferir na tipificação da conduta ou na I - a reincidência;
dosimetria da pena. Art. 28 - Não excluem a imputabilidade penal:
II - a embriaguez, voluntária ou culposa, pelo
D) a absolvição, diante da ausência de culpabilidade, em álcool ou substância de efeitos análogos.
razão da embriaguez completa.

Assunto Furto; Circunstâncias agravantes; Embriaguez preordenada


Base legal Art. 155, CP e 61, l, CP, art. 28, inciso II, CP

Tipo de questão Interpretação da lei ao caso concreto

51
1ª Fase
Mapeamento do XXXI Exame da Ordem

QUESTÃO 62
Yuri foi denunciado pela suposta prática de crime de estupro qualificado em razão da idade da vítima,
porque teria praticado conjunção carnal contra a vontade de Luana, de 15 anos, mediante emprego de
grave ameaça. No curso da instrução, Luana mudou sua versão e afirmou que, na realidade, havia
consentido na prática do ato sexual, sendo a informação confirmada por Yuri em seu interrogatório.
Considerando apenas as informações expostas, no momento de apresentar alegações finais, a defesa
técnica de Yuri deverá pugnar por sua absolvição, sob o fundamento de que o consentimento da suposta
ofendida, na hipótese, funciona como
A) causa supralegal de exclusão da ilicitude.
B) causa legal de exclusão da ilicitude.
C) fundamento para reconhecimento da atipicidade Art. 213. Constranger alguém, mediante violência ou
grave ameaça, a ter conjunção carnal ou a praticar ou
da conduta.
permitir que com ele se pratique outro ato libidinoso:
D) causa supralegal de exclusão da culpabilidade. Pena - reclusão, de 6 (seis) a 10 (dez) anos.

Assunto Noções Gerais Antijuridicidade; Fato típico; Estupro


Base legal Art. 213 CP

Tipo de questão Doutrina

QUESTÃO 63
André, nascido em 21/11/2001, adquiriu de Francisco, em 18/11/2019, grande quantidade de droga, com
o fim de vendê-la aos convidados de seu aniversário, que seria celebrado em 24/11/2019. Imediatamente
após a compra, guardou a droga no armário de seu quarto. Em 23/11/2019, a partir de uma denúncia
anônima e munidos do respectivo mandado de busca e apreensão deferido judicialmente, policiais
compareceram à residência de André, onde encontraram e apreenderam a droga que era por ele
armazenada. De imediato, a mãe de André entrou em contato com o advogado da família. Considerando
apenas as informações expostas, na Delegacia, o advogado de André deverá esclarecer à família que
André, penalmente, será considerado
A) inimputável, devendo responder apenas por ato infracional análogo ao delito de tráfico, em razão de
sua menoridade quando da aquisição da droga, com base na Teoria da Atividade adotada pelo Código
Penal para definir o momento do crime.

52
1ª Fase
Mapeamento do XXXI Exame da Ordem

B) inimputável, devendo responder apenas por ato


infracional análogo ao delito de tráfico, tendo em vista Art. 33. Importar, exportar, remeter, preparar,
que o Código Penal adota a Teoria da Ubiquidade para produzir, fabricar, adquirir, vender, expor à venda,
oferecer, ter em depósito, transportar, trazer
definir o momento do crime. consigo, guardar, prescrever, ministrar, entregar a
C) imputável, podendo responder pelo delito de tráfico consumo ou fornecer drogas, ainda que
gratuitamente, sem autorização ou em desacordo
de drogas, mesmo adotando o Código Penal a Teoria da com determinação legal ou regulamentar:
Atividade para definir o momento do crime. Pena - reclusão de 5 (cinco) a 15 (quinze) anos e
pagamento de 500 (quinhentos) a 1.500 (mil e
D) imputável, podendo responder pelo delito de
quinhentos) dias-multa.
associação para o tráfico, que tem natureza Súmula 711. A lei penal mais grave aplica-se ao
permanente, tendo em vista que o Código Penal adota a crime continuado ou ao crime permanente, se a sua
vigência é anterior à cessação da continuidade ou
Teoria do Resultado para definir o momento do crime. da permanência.

Assunto Crime permanente. Lei de Tóxicos


Base legal Art. 33, lei 11.343/06 c/c Súmula 711, STF

Tipo de questão Interpretação da lei ao caso concreto

PROCESSO PENAL

QUESTÃO 64
Ricardo foi pronunciado pela suposta prática do crime de homicídio qualificado. No dia anterior à sessão
plenária do Tribunal do Júri, o defensor público que assistia Ricardo até aquele momento acostou ao
processo a folha de antecedentes criminais da vítima, matérias jornalísticas e fotografias que poderiam
ser favoráveis à defesa do acusado. O Ministério Público, em sessão plenária, foi surpreendido por aquele
material do qual não tinha tido ciência, mas o juiz presidente manteve o julgamento para a data agendada
e, após o defensor público mencionar a documentação acostada, Ricardo foi absolvido pelos jurados, em
23/10/2018 (terça-feira). No dia 29/10/2018, o Ministério Público apresentou recurso de apelação,
acompanhado das razões recursais, requerendo a realização de novo júri, pois a decisão dos jurados havia
sido manifestamente contrária à prova dos autos. O Tribunal de Justiça conheceu do recurso interposto e
anulou o julgamento realizado, determinando nova sessão plenária, sob o fundamento de que a defesa
se utilizou em plenário de documentos acostados fora do prazo permitido pela lei. A família de Ricardo
procura você, como advogado(a), para patrocinar os interesses do réu. Considerando as informações
narradas, você, como advogado(a) de Ricardo, deverá questionar a decisão do Tribunal, sob o fundamento
de que

53
1ª Fase
Mapeamento do XXXI Exame da Ordem

A) respeitando-se o princípio da amplitude de defesa, não existe vedação legal na juntada e utilização em
plenário de documentação pela defesa no prazo mencionado.
B) diante da nulidade reconhecida, caberia ao Tribunal de Justiça realizar, diretamente, novo julgamento,
e não submeter o réu a novo julgamento pelo Tribunal
do Júri. Súmula 160
É nula a decisão do Tribunal que acolhe, contra o réu,
C) não poderia o Tribunal anular o julgamento com base
nulidade não argüida no recurso da acusação,
em nulidade não arguida, mas tão só reconhecer, se ressalvados os casos de recurso de ofício.
fosse o caso, que a decisão dos jurados era Súmula 713
O efeito devolutivo da apelação contra decisões do
manifestamente contrária à prova dos autos. júri é adstrito aos fundamentos da sua interposição.
D) o recurso foi apresentado de maneira intempestiva,
de modo que sequer deveria ter sido conhecido.

Assunto Procedimento especial dos crimes de competência do Tribunal do Júri


Base legal Súmula 713 e 160 do STF

Tipo de questão Súmula

QUESTÃO 65
Mariana foi vítima de um crime de apropriação indébita consumado, que teria sido praticado por Paloma.
Ao tomar conhecimento de que Paloma teria sido denunciada pelo crime mencionado, inclusive sendo
apresentado pelo Ministério Público o valor do prejuízo sofrido pela vítima e o requerimento de reparação
do dano, Mariana passou a acompanhar o andamento processual, sem, porém, habilitar-se como
assistente de acusação. No momento em que constatou que os autos estariam conclusos para sentença,
Mariana procurou seu advogado para adoção das medidas cabíveis, esclarecendo o temor de ver a ré
absolvida e não ter seu prejuízo reparado. O advogado de Mariana deverá informar à sua cliente que:

54
1ª Fase
Mapeamento do XXXI Exame da Ordem

A) não poderá ser fixado pelo juiz valor mínimo a título de indenização, mas, em caso de sentença
condenatória, poderá esta ser executada, por meio de
ação civil ex delicto, por Mariana ou seu representante Art. 268. Em todos os termos da ação pública,
poderá intervir, como assistente do Ministério
legal. Público, o ofendido ou seu representante legal, ou,
B) poderá ser apresentado recurso de apelação, diante na falta, qualquer das pessoas mencionadas no Art.
de eventual sentença absolutória e omissão do 31.
Art. 598. Nos crimes de competência do Tribunal do
Ministério Público, por parte de Mariana, por meio de Júri, ou do juiz singular, se da sentença não for
seu patrono, ainda que não esteja, no momento da interposta apelação pelo Ministério Público no
prazo legal, o ofendido ou qualquer das pessoas
sentença, habilitada como assistente de acusação. enumeradas no art. 31, ainda que não se tenha
habilitado como assistente, poderá interpor
apelação, que não terá, porém, efeito suspensivo.
C) poderá ser fixado pelo juiz valor a título de
Parágrafo único. O prazo para interposição desse
indenização em caso de sentença condenatória, não recurso será de quinze dias e correrá do dia em que
podendo a ofendida, porém, nesta hipótese, buscar a terminar o do Ministério Público.
Art. 31. No caso de morte do ofendido ou quando
apuração do dano efetivamente sofrido perante o juízo declarado ausente por decisão judicial, o direito de
cível. oferecer queixa ou prosseguir na ação passará ao
cônjuge, ascendente, descendente ou irmão.
D) não poderá ser buscada reparação cível diante de
eventual sentença absolutória, com trânsito em julgado,
que reconheça não existir prova suficiente para
condenação.

Assunto Apelação. Assistente de acusação


Base legal Art. 268, 598 e 31 do CPP

Tipo de questão Interpretação da lei ao caso concreto

QUESTÃO 66
Durante escuta telefônica devidamente deferida para investigar organização criminosa destinada ao
contrabando de armas, policiais obtiveram a informação de que Marcelo receberia, naquele dia, grande
quantidade de armamento, que seria depois repassada a Daniel, chefe de sua facção. Diante dessa
informação, os policiais se dirigiram até o local combinado. Após informarem o fato à autoridade policial,
que o comunicou ao juízo competente, eles acompanharam o recebimento do armamento por Marcelo,
optando por não o prender naquele momento, pois aguardariam que ele se encontrasse com o chefe da
sua organização para, então, prendê-los. De posse do armamento, Marcelo se dirigiu ao encontro de
Daniel e lhe repassou as armas contrabandeadas, quando, então, ambos foram surpreendidos e presos
em flagrante pelos policiais que monitoravam a operação. Encaminhados para a Delegacia, os presos
entraram em contato com um advogado para esclarecimentos sobre a validade das prisões ocorridas.

55
1ª Fase
Mapeamento do XXXI Exame da Ordem

Com base nos fatos acima narrados, o advogado deverá esclarecer aos seus clientes que a prisão em
flagrante efetuada pelos policiais foi
A) ilegal, por se tratar de flagrante
esperado.
Art. 8º, Lei 12850/13 - Consiste a ação controlada em retardar a
B) legal, restando configurado o flagrante intervenção policial ou administrativa relativa à ação praticada por
preparado. organização criminosa ou a ela vinculada, desde que mantida sob
observação e acompanhamento para que a medida legal se
C) legal, tratando-se de flagrante
concretize no momento mais eficaz à formação de provas e
retardado. obtenção de informações.
D) ilegal, pois a conduta dos policiais § 1º O retardamento da intervenção policial ou administrativa será
previamente comunicado ao juiz competente que, se for o caso,
dependeria de prévia autorização judicial. estabelecerá os seus limites e comunicará ao Ministério Público.
Súmula 145
Não há crime, quando a preparação do flagrante pela polícia torna
impossível a sua consumação.

Assunto Flagrante retardado ou diferido ou ação controlada


Base legal Art. 8º, §1º, Lei 12850/13 e Súmula 145 do STF

Tipo de questão Literalidade da lei

QUESTÃO 67
O Ministério Público ofereceu denúncia em face de Tiago e Talles, imputando-lhes a prática do crime de
sequestro qualificado, arrolando como testemunhas de acusação a vítima, pessoas que presenciaram o
fato, os policiais responsáveis pela prisão em flagrante, além da esposa do acusado Tiago, que teria
conhecimento sobre o ocorrido. Na audiência de instrução e julgamento, por ter sido arrolada como
testemunha de acusação, Rosa, esposa de Tiago, compareceu, mas demonstrou que não tinha interesse
em prestar declarações. O Ministério Público insistiu na sua oitiva, mesmo com outras testemunhas tendo
conhecimento sobre os fatos. Temendo pelas consequências, já que foi prestado o compromisso de dizer
a verdade perante o magistrado, Rosa disse o que tinha conhecimento, mesmo contra sua vontade, o que
veio a prejudicar seu marido. Por ocasião dos interrogatórios, Tiago, que seria interrogado por último, foi
retirado da sala de audiência enquanto o corréu prestava suas declarações, apesar de seu advogado ter
participado do ato. Com base nas previsões do Código de Processo Penal, considerando apenas as
informações narradas, Tiago
A) não teria direito de anular a instrução probatória com fundamento na sua ausência durante o
interrogatório de Talles e nem na oitiva de Rosa na condição de testemunha, já que devidamente arrolada
pelo Ministério Público.

56
1ª Fase
Mapeamento do XXXI Exame da Ordem

B) teria direito de anular a instrução probatória com fundamento na ausência de Tiago no interrogatório
de Talles e na oitiva de Rosa na condição de testemunha.
C) não teria direito de anular a instrução probatória com Art. 206. A testemunha não poderá eximir-se da
base na sua ausência no interrogatório de Talles, mas obrigação de depor. Poderão, entretanto, recusar-se
a fazê-lo o ascendente ou descendente, o afim em
deveria questionar a oitiva de Rosa como testemunha, já linha reta, o cônjuge, ainda que desquitado, o irmão e
que ela poderia se recusar a prestar declarações. o pai, a mãe, ou o filho adotivo do acusado, salvo
quando não for possível, por outro modo, obter-se ou
D) não teria direito de anular a instrução probatória com integrar-se a prova do fato e de suas circunstâncias.
base na sua ausência no interrogatório de Talles, mas Art. 191. Havendo mais de um acusado, serão
interrogados separadamente.
deveria questionar a oitiva de Rosa como testemunha,
pois, em que pese seja obrigada a prestar declarações,
deveria ser ouvida na condição de informante, sem
compromisso legal de dizer a verdade.

Assunto Interrogatório. Prova testemunhal


Base legal Art. 206 e 191 CPP

Tipo de questão Interpretação da lei ao caso concreto

QUESTÃO 68
Durante longa investigação, o Ministério Público identificou que determinado senador seria autor de um
crime de concussão no exercício do mandato, que teria sido praticado após sua diplomação. Com o
indiciamento, o senador foi intimado a, se fosse de sua vontade, prestar esclarecimentos sobre os fatos
no procedimento investigatório. Preocupado com as consequências, o senador procurou seu advogado
para esclarecimentos. Considerando apenas as informações narradas e com base nas previsões
constitucionais, o advogado deverá esclarecer que
A) o Ministério Público não poderá oferecer denúncia em face do senador sem autorização da Casa
Legislativa, pois a Constituição prevê imunidade de natureza formal aos parlamentares.
B) a denúncia poderá ser oferecida e recebida, assim como a ação penal ter regular prosseguimento,
independentemente de autorização da Casa Legislativa, que não poderá determinar a suspensão do
processo, considerando que o crime imputado é comum, e não de responsabilidade.

57
1ª Fase
Mapeamento do XXXI Exame da Ordem

C) a denúncia não poderá ser recebida pelo Poder Judiciário sem autorização da Casa Legislativa, em razão
da imunidade material prevista na Constituição, apesar de poder ser oferecida pelo Ministério Público
independentemente de tal autorização.
D) a denúncia poderá ser oferecida e recebida Art. 53. Os Deputados e Senadores são invioláveis,
civil e penalmente, por quaisquer de suas opiniões,
independentemente de autorização parlamentar, mas palavras e votos.
deverá ser dada ciência à Casa Legislativa respectiva, § 3º Recebida a denúncia contra o Senador ou
Deputado, por crime ocorrido após a diplomação, o
que poderá, seguidas as exigências, até a decisão final, Supremo Tribunal Federal dará ciência à Casa
sustar o andamento da ação. respectiva, que, por iniciativa de partido político nela
representado e pelo voto da maioria de seus
membros, poderá, até a decisão final, sustar o
andamento da ação.

Assunto Competência por prerrogativa de função


Base legal Art. 53, §3º da CF
Literalidade da lei
Tipo de questão
Questão interdisciplinar (Processo Penal)

QUESTÃO 69
Caio foi denunciado pela suposta prática do crime de estupro de vulnerável. Ocorre que, apesar da
capitulação delitiva, a denúncia apresentava-se confusa na narrativa dos fatos, inclusive não sendo
indicada qual seria a idade da vítima. Logo após a citação, Caio procurou seu advogado para
esclarecimentos, destacando a dificuldade na compreensão dos fatos imputados. O advogado de Caio,
constatando que a denúncia estava inepta, deve esclarecer ao cliente que, sob o ponto de vista técnico,
com esse fundamento poderia buscar
A) a rejeição da denúncia, podendo o Ministério Público Art. 41. A denúncia ou queixa conterá a exposição
apresentar recurso em sentido estrito em caso de do fato criminoso, com todas as suas circunstâncias,
acolhimento do pedido pelo magistrado, ou oferecer, a qualificação do acusado ou esclarecimentos pelos
quais se possa identificá-lo, a classificação do crime
posteriormente, nova denúncia. e, quando necessário, o rol das testemunhas.
B) sua absolvição sumária, podendo o Ministério Público Art. 395. A denúncia ou queixa será rejeitada
quando:
apresentar recurso de apelação em caso de acolhimento I - for manifestamente inepta;
do pedido pelo magistrado, ou oferecer, Art. 581. Caberá recurso, no sentido estrito, da
decisão, despacho ou sentença:
posteriormente, nova denúncia.
I - que não receber a denúncia ou a queixa;
C) sua absolvição sumária, podendo o Ministério Público
apresentar recurso em sentido estrito em caso de
acolhimento do pedido pelo magistrado, mas, transitada
em julgado a decisão, não poderá ser oferecida nova
denúncia com base nos mesmos fatos.

58
1ª Fase
Mapeamento do XXXI Exame da Ordem

D) a rejeição da denúncia, podendo o Ministério Público apresentar recurso de apelação em caso de


acolhimento do pedido pelo magistrado, mas, uma vez transitada em julgado a decisão, não caberá
oferecimento de nova denúncia.

Assunto Da rejeição da denúncia ou queixa-crime; Recurso em sentido estrito


Base legal art. 41 c/c 395, I e 581, I, CPP

Tipo de questão Literalidade da lei

DIREITO DO TRABALHO

QUESTÃO 70
Gervásia é empregada na Lanchonete Pará desde fevereiro de 2018, exercendo a função de atendente e
recebendo o valor correspondente a um salário-mínimo por mês. Acerca da cláusula compromissória de
arbitragem que o empregador pretende inserir no contrato da empregada, de acordo com a CLT, assinale
a afirmativa correta.
A) A inserção não é possível, porque, no Direito do
Trabalho, não cabe arbitragem em lides individuais. Art. 507-A. Nos contratos individuais de trabalho cuja
remuneração seja superior a duas vezes o limite máximo
B) A cláusula compromissória de arbitragem não estabelecido para os benefícios do Regime Geral de
poderá ser inserida no contrato citado, em razão Previdência Social, poderá ser pactuada cláusula
compromissória de arbitragem, desde que por iniciativa do
do salário recebido pela empregada.
empregado ou mediante a sua concordância expressa, nos
C) Não há mais óbice à inserção de cláusula termos previstos na Lei nº 9.307, de 23 de setembro de
compromissória de arbitragem nos contratos de 1996.

trabalho, inclusive no de Gervásia.


D) A cláusula de arbitragem pode ser inserida em
todos os contratos de trabalho, sendo admitida de forma expressa ou tácita.

Assunto Contrato de Trabalho: Cláusula de Arbitragem


Base legal Art. 507-A da CLT

Tipo de questão Interpretação da lei ao caso concreto

59
1ª Fase
Mapeamento do XXXI Exame da Ordem

QUESTÃO 71
Paulo trabalhou para a Editora Livro Legal Ltda. de 10/12/2017 a 30/08/2018 sem receber as verbas
rescisórias ao final do contrato, sob a alegação de dificuldades financeiras da empregadora. Em razão
disso, ele pretende ajuizar ação trabalhista e procurou você, como advogado(a). Sabe-se que a
empregadora de Paulo estava sob o controle e a direção da sócia majoritária, a Editora Mundial Ltda.
Assinale a afirmativa que melhor atende à necessidade e à segurança de satisfazer o crédito do seu cliente.
A) Poderá incluir a sociedade empresária
controladora no polo passivo da demanda, e esta
Art. 2º - Considera-se empregador a empresa, individual
responderá solidariamente com a empregadora, ou coletiva, que, assumindo os riscos da atividade
pois se trata de grupo econômico. econômica, admite, assalaria e dirige a prestação pessoal
de serviço.
B) Poderá incluir a sociedade empresária
§ 2º Sempre que uma ou mais empresas, tendo, embora,
controladora no polo passivo da demanda, e esta cada uma delas, personalidade jurídica própria, estiverem
responderá subsidiariamente com a empregadora, sob a direção, controle ou administração de outra, ou
ainda quando, mesmo guardando cada uma sua
pois se trata de grupo econômico. autonomia, integrem grupo econômico, serão
C) Não há relação de responsabilização entre as responsáveis solidariamente pelas obrigações decorrentes
da relação de emprego.
sociedades empresárias, uma vez que possuem
personalidades jurídicas distintas, o que afasta a
caracterização de grupo econômico.
D) Não se trata de grupo econômico, porque a mera
identidade de sócios não o caracteriza; portanto, descabe a responsabilização da segunda sociedade
empresária.

Assunto Responsabilidade Solidária: Grupo Econômico


Base legal Art. 2º, §2º da CLT

Tipo de questão Interpretação da lei ao caso concreto

QUESTÃO 72
Enzo é professor de Matemática em uma escola particular, em que é empregado há 8 anos. Após 2 anos
de namoro e 1 ano de noivado, irá se casar com Carla, advogada, empregada em um escritório de
advocacia há 5 anos. Sobre o direito à licença pelo casamento, de acordo com a CLT, assinale a afirmativa
correta
A) O casal poderá faltar aos seus empregos respectivos por até 3 dias úteis para as núpcias.

60
1ª Fase
Mapeamento do XXXI Exame da Ordem

B) Carla, por ser advogada, terá afastamento de 5


dias e Enzo, por ser professor, poderá faltar por 2
Art. 320, Lei nº 5.452 - A remuneração dos professores será
dias corridos. fixada pelo número de aulas semanais, na conformidade
C) Enzo poderá faltar ao serviço por 9 dias, dos horários.
§ 3º - Não serão descontadas, no decurso de 9 (nove) dias,
enquanto Carla poderá se ausentar por 3 dias as faltas verificadas por motivo de gala ou de luto em
consecutivos. conseqüência de falecimento do cônjuge, do pai ou mãe, ou
de filho.
D) Não há previsão específica, devendo ser
acertado o período de afastamento com o
empregador, observado o limite de 10 dias.

Assunto Licença Maternidade e Paternidade


Base legal Art. 473 da CLT e art. 320, §3 da Lei nº 5452/43

Tipo de questão Interpretação da lei ao caso concreto

QUESTÃO 73
Rafaela trabalha em uma empresa de calçados. Apesar de sua formação como estoquista, foi preterida
em uma vaga para tal por ser mulher, o que seria uma promoção e geraria aumento salarial. Um mês
depois, a empresa exigiu que todas as funcionárias do sexo feminino apresentassem atestado médico de
gravidez. Rafaela, 4 meses após esse fato, engravidou e, após apresentação de atestado médico, teve a
jornada reduzida em duas horas, por se tratar de uma gestação delicada, o que acarretou a redução
salarial proporcional. Sete meses após o parto, Rafaela foi dispensada. Como advogado(a) de Rafaela, de
acordo com a legislação trabalhista em vigor, assinale a opção que contém todas as violações aos direitos
trabalhistas de Rafaela.
A) Recusa, fundamentada no sexo, da promoção para a função de estoquista.
B) Recusa, fundamentada no sexo, da promoção
Art. 377 - A adoção de medidas de proteção ao trabalho das
para a função de estoquista, exigência de atestado mulheres é considerada de ordem pública, não justificando,
de gravidez e redução salarial. em hipótese alguma, a redução de salário.

C) Recusa, fundamentada no sexo, da promoção


para a função de estoquista, exigência de atestado
de gravidez, redução salarial e dispensa dentro do período de estabilidade gestante.
D) Dispensa dentro do período de estabilidade gestante.

Assunto Contrato de Trabalho


Base legal Art. 373-A e 377 da CLT

Tipo de questão Interpretação da lei ao caso concreto

61
1ª Fase
Mapeamento do XXXI Exame da Ordem

QUESTÃO 74
Eduardo e Carla são empregados do Supermercado Praiano Ltda., exercendo a função de caixa. Após 10
meses de vigência do contrato, ambos receberam aviso prévio em setembro de 2019, para ser cumprido
com trabalho. Contudo, 17 dias após, o Supermercado resolveu reconsiderar a sua decisão e manter
Eduardo e Carla no seu quadro de empregados. Ocorre que ambos não desejam prosseguir, porque, nesse
período, distribuíram seus currículos e conseguiram a promessa de outras colocações num concorrente
do Supermercado Praiano, com salário um pouco superior. Diante da situação posta e dos termos da CLT,
assinale a afirmativa correta.
A) Os empregados não são obrigados a aceitar a retratação, que
Art. 489 - Dado o aviso prévio, a rescisão
só gera efeito se houver consenso entre empregado e torna-se efetiva depois de expirado o
empregador. respectivo prazo, mas, se a parte
B) Os empregados são obrigados a aceitá-la, uma vez que a notificante reconsiderar o ato, antes de
seu termo, à outra parte é facultado
retratação foi feita pelo empregador ainda no período do aviso aceitar ou não a reconsideração.
prévio. Parágrafo único - Caso seja aceita a
reconsideração ou continuando a
C) A retratação deve ser obrigatoriamente aceita pela parte prestação depois de expirado o prazo, o
contrária se o aviso prévio for trabalhado, e, se for indenizado, contrato continuará a vigorar, como se o
aviso prévio não tivesse sido dado.
há necessidade de concordância das partes.
D) O empregador jamais poderia ter feito isso, porque a CLT não
prevê a possibilidade de reconsideração de aviso prévio, que se
torna irreversível a partir da concessão.

Assunto Aviso Prévio


Base legal Art. 489 da CLT

Tipo de questão Interpretação da lei ao caso concreto

QUESTÃO 75
Renato é um empregado doméstico que atua como caseiro no sítio de lazer do seu empregador. Contudo,
a CTPS de Renato foi assinada como sendo operador de máquinas da empresa de titularidade do seu
empregador. Renato tem receio de que, no futuro, não possa comprovar experiência na função de

62
1ª Fase
Mapeamento do XXXI Exame da Ordem

empregado doméstico e, por isso, intenciona ajuizar reclamação trabalhista para regularizar a situação.
Considerando a situação narrada e o entendimento consolidado do TST, assinale a afirmativa correta.
A) Caso comprove que, de fato, é doméstico, Renato conseguirá a retificação na CTPS, pois as anotações
nela lançadas têm presunção relativa.
B) Somente o salário poderia ser objeto de demanda judicial para Súmula 12 do TST As anotações apostas
pelo empregador na carteira profissional
se comprovar que o empregado recebia valor superior ao do empregado não geram presunção
anotado, sendo que a alteração na função não é prevista, e a "juris et de jure", mas apenas "juris
tantum".
demanda não terá sucesso. Art. 29. O empregador terá o prazo de 5
C) Caso Renato comprove que é doméstico, o pedido será julgado (cinco) dias úteis para anotar na CTPS,
em relação aos trabalhadores que
procedente, mas a alteração será feita com modulação de
admitir, a data de admissão, a
efeitos, com retificação da data da sentença em diante. remuneração e as condições especiais,
D) Renato não terá sucesso na sua reclamação trabalhista, se houver, facultada a adoção de sistema
manual, mecânico ou eletrônico,
porque a anotação feita na carteira profissional tem presunção conforme instruções a serem expedidas
absoluta. pelo Ministério da Economia.

Assunto Da rejeição da denúncia ou queixa-crime; Recurso em sentido estrito


Base legal Súmula 12 do TST e art. 29 da CLT

Tipo de questão Interpretação da lei ao caso concreto

PROCESSO DO TRABALHO

QUESTÃO 76
Após tentar executar judicialmente seu ex-empregador (a empresa Tecidos Suaves Ltda.) sem sucesso, o
credor trabalhista Rodrigo instaurou o incidente de desconsideração de personalidade jurídica,
objetivando direcionar a execução contra os sócios da empresa, o que foi aceito pelo magistrado. De
acordo com a CLT, assinale a opção que indica o ato seguinte.
A) O sócio será citado por oficial de justiça para pagar a dívida em 48 horas.

63
1ª Fase
Mapeamento do XXXI Exame da Ordem

B) O sócio será citado para manifestar-se e requerer as


Art. 855-A. Aplica-se ao processo do trabalho o
provas cabíveis no prazo de 15 dias. incidente de desconsideração da personalidade
C) O juiz determinará de plano o bloqueio de bens e valores jurídica previsto nos arts. 133 a 137 da Lei
no 13.105, de 16 de março de 2015 - Código de
do sócio, posto que desnecessária a sua citação ou Processo Civil.
intimação. Art. 135, CPC. Instaurado o incidente, o sócio ou a
D) Será conferida vista prévia ao Ministério Público do pessoa jurídica será citado para manifestar-se e
requerer as provas cabíveis no prazo de 15
Trabalho, para que o parquet diga se concorda com a (quinze) dias.
desconsideração pretendida.

Assunto Incidente de Desconsideração da Personalidade Jurídica


Base legal Art. 855-A da CLT e Art. 135 de CPC
Interpretação da lei ao caso concreto
Tipo de questão
Questão interdisciplinar (Processo Civil)

QUESTÃO 77
José da Silva, que trabalhou em determinada sociedade empresária de 20/11/2018 a 30/04/2019,
recebeu, apenas parcialmente, as verbas rescisórias, não tendo recebido algumas horas extras e reflexos.
A sociedade empresária pretende pagar ao ex-empregado o que entende devido, mas também quer evitar
uma possível ação trabalhista. Sobre a hipótese, na qualidade de advogado(a) da sociedade empresária,
assinale a afirmativa correta. José da Silva, que trabalhou em determinada sociedade empresária de
20/11/2018 a 30/04/2019, recebeu, apenas parcialmente, as verbas rescisórias, não tendo recebido
algumas horas extras e reflexos. A sociedade empresária pretende pagar ao ex-empregado o que entende
devido, mas também quer evitar uma possível ação trabalhista. Sobre a hipótese, na qualidade de
advogado(a) da sociedade empresária, assinale a afirmativa correta.
A) Deverá ser indicado e custeado um advogado para o empregado, a fim de que seja ajuizada uma ação
para, então, comparecerem para um acordo, que já estará
previamente entabulado no valor pretendido pela Art. 855-B. O processo de homologação de acordo
empresa. extrajudicial terá início por petição conjunta,
sendo obrigatória a representação das partes por
B) Deverá ser instaurado um processo de homologação advogado.
de acordo extrajudicial, proposto em petição conjunta, § 1º As partes não poderão ser representadas por
advogado comum.
mas com cada parte representada obrigatoriamente por
§ 2º Faculta-se ao trabalhador ser assistido pelo
advogado diferente. advogado do sindicato de sua categoria.
C) Deverá ser instaurado um processo de homologação de
acordo extrajudicial, proposto em petição conjunta, mas
cada parte poderá ser representada por advogado, ou não,
já que, na Justiça do Trabalho, vigora o jus postulandi.
D) Deverá ser instaurado um processo de homologação de acordo extrajudicial, proposto em petição
conjunta, mas com advogado único representando ambas as partes, por se tratar de acordo extrajudicial.

64
1ª Fase
Mapeamento do XXXI Exame da Ordem

Assunto Processo de Homologação de Acordo Extrajudicial


Base legal Art. 855-B da CLT

Tipo de questão Interpretação da lei ao caso concreto

QUESTÃO 78
Você foi contratado(a) para atuar nas seguintes ações trabalhistas: (i) uma ação de cumprimento, como
advogado da parte autora; (ii) uma reclamação plúrima, também como advogado da parte autora; (iii)
uma reclamação trabalhista movida por João, ex-empregado de uma empresa, autor da ação; (iv) uma
reclamação trabalhista, por uma sociedade empresária, ré na ação. Sobre essas ações, de acordo com a
legislação trabalhista em vigor, assinale a afirmativa correta.
A) Tanto na ação de cumprimento como na ação plúrima,
todos os empregados autores deverão obrigatoriamente Art. 843 - Na audiência de julgamento deverão
estar presentes. O mesmo deve ocorrer com João. Já a estar presentes o reclamante e o reclamado,
independentemente do comparecimento de
sociedade empresária poderá se fazer representar por
seus representantes salvo, nos casos de
preposto não empregado da ré. Reclamatórias Plúrimas ou Ações de
B) O sindicato de classe da categoria poderá representar Cumprimento, quando os empregados poderão
fazer-se representar pelo Sindicato de sua
os empregados nas ações plúrima e de cumprimento. João categoria.
deverá estar presente, em qualquer hipótese, de forma § 1º É facultado ao empregador fazer-se
substituir pelo gerente, ou qualquer outro
obrigatória. A sociedade empresária tem que se fazer preposto que tenha conhecimento do fato, e
representar por preposto, que não precisa ser empregado cujas declarações obrigarão o proponente.
da ré. § 2º Se por doença ou qualquer outro motivo
poderoso, devidamente comprovado, não for
C) Nas ações plúrima e de cumprimento, a parte autora possível ao empregado comparecer
poderá se fazer representar pelo Sindicato da categoria. pessoalmente, poderá fazer-se representar por
outro empregado que pertença à mesma
João deverá estar presente, mas, por doença ou motivo profissão, ou pelo seu sindicato.
ponderoso comprovado, poderá se fazer representar por § 3º O preposto a que se refere o § 1º deste
artigo não precisa ser empregado da parte
empregado da mesma profissão ou pelo seu sindicato. Na
reclamada.
ação em face da sociedade empresária, o preposto não
precisará ser empregado da ré.
D) O sindicato da categoria poderá representar os
empregados nas ações plúrima e de cumprimento. João
deverá estar presente, mas, por doença ou motivo
ponderoso comprovado, poderá se fazer representar por
empregado da mesma profissão ou pelo seu sindicato. Na ação em face da sociedade empresária, o
preposto deverá, obrigatoriamente, ser empregado da ré.

Assunto Da audiência e Julgamento


Base legal Art. 843 da CLT

Tipo de questão Interpretação da lei ao caso concreto

65
1ª Fase
Mapeamento do XXXI Exame da Ordem

QUESTÃO 79
Em setembro de 2019, durante a audiência de um caso que envolvia apenas pedido de adicional de
insalubridade, o Juiz do Trabalho determinou a realização de perícia e que a reclamada antecipasse os
honorários periciais. Inconformada com essa decisão, a sociedade empresária impetrou mandado de
segurança contra esse ato judicial, mas o TRT, em decisão colegiada, não concedeu a segurança. Caso a
sociedade empresária pretenda recorrer dessa decisão, assinale a opção que indica a medida recursal da
qual deverá se valer.
A) Agravo de Instrumento. Súmula 201 do TST. Da decisão de Tribunal
B) Recurso Ordinário. Regional do Trabalho em mandado de segurança
cabe recurso ordinário, no prazo de 8 (oito) dias,
C) Agravo de Petição. para o Tribunal Superior do Trabalho, e igual
D) Recurso de Revista. dilação para o recorrido e interessados
apresentarem razões de contrariedade.

Assunto Sistema Recursal Trabalhista


Base legal Súmula 201 do TST

Tipo de questão Súmula

QUESTÃO 80
Heloísa era empregada doméstica e ajuizou, em julho de 2019, ação contra sua ex-empregadora, Selma
Reis. Após regularmente instruída, foi prolatada sentença julgando o pedido procedente em parte. A
sentença foi proferida de forma líquida, apurando o valor devido de R$ 9.000,00 (nove mil reais) e custas
de R$ 180,00 (cento e oitenta reais). A ex-empregadora,
não se conformando com a decisão, pretende dela
§ 9º O valor do depósito recursal será reduzido
recorrer. Indique a opção que corresponde ao preparo pela metade para entidades sem fins lucrativos,
que a ex-empregadora deverá realizar para viabilizar o empregadores domésticos, microempreendedores
individuais, microempresas e empresas de
seu recurso, sabendo-se que ela não requereu pequeno porte.
gratuidade de justiça porque tem boas condições § 10. São isentos do depósito recursal os
beneficiários da justiça gratuita, as entidades
financeiras. filantrópicas e as empresas em recuperação
A) Tratando-se de empregador doméstico, só haverá judicial.
necessidade de recolher as custas.
B) Deverá recolher integralmente as custas e o depósito
recursal.
C) Por ser empregador doméstico, basta efetuar o recolhimento do depósito recursal.
D) Deverá recolher as custas integralmente e metade do depósito recursal.

66
1ª Fase
Mapeamento do XXXI Exame da Ordem

Assunto Sistema Recursal Trabalhista: Recolhimento de Custas


Base legal Art. 899, §9º e 10 da CLT

Tipo de questão Interpretação da lei ao caso concreto

67
1ª Fase
Mapeamento do XXXI Exame da Ordem

68

Você também pode gostar