Você está na página 1de 3

PROBLEMA DE GEOMETRIA DA FUVEST – 2019 (SEGUNDA FASE)

Conforme se vê na figura, em um plano, encontram-se:


- duas retas perpendiculares r e s, e o ponto O de intersecção dessas duas retas.
- um ponto Q  s tal que que a medida de ̅̅̅̅
𝑂𝑄 é 5.
- uma circunferência c, centrada em Q, de raio 1.
- um ponto P  c tal que o segmento ̅̅̅̅
𝑂𝑃 intersecta c apenas em P.
Denotam-se θ = 𝑄𝑂̂𝑃 e β= 𝑂𝑄̂𝑃 .
a) Calcule senθ, no caso em que θ assume o máximo valor possível na descrição acima.
b) Calcule senθ, no caso em que β = 60 0.
Ainda na figura, encontram-se:
- a reta t passando por Q e P.
- a semirreta u partindo de P e passando por O.
- a semirreta w partindo de P para fora de c de modo que u e w estejam em semiplanos
distintos relativos a t.
Supõe-se que os ângulos formados por u e t e por w e t seja iguais a um certo valor α, com
00 ≤ α ≤ 900. Caso w intersecte r ( como é o caso da figura), denotam-se R como esse único ponto
de intersecção e  = 𝑂𝑅̂ 𝑃 .
c) Determine a medida de 𝑶𝑹 ̅̅̅̅ , no caso em que α=450.
RESOLUÇÃO
Seja M a projeção ortogonal de Q sobre a reta u , e seja d = QM ; distância de Q à u .
Já, da propriedade, dos ângulos opostos pelo vértice α =  MPQ . Em consequência, α = 900 se, e só se, u é tangente à c , isto é, M = P .
a) O valor de θ , claramente, varia com a distância ( d ), de Q à reta u, alcançando seu valor

máximo (θm), quando a reta u é tangente à circunferência c, isto é, u ⊥ t ( α = 900).

Neste caso, d = QM = 1 (medida do raio da circunferência c ).


Portanto, do  OMQ retângulo em M ( M = P ),

𝑄𝑀 1
sen θ = sen θ m = = .
𝑂𝑄 5

𝟏
resposta:
𝟓

1
b) No caso de β = 600, tem-se a figura.
Seja K a projeção ortogonal de P sobre r . Note que K  ̅̅̅̅
𝑂𝑄 , e
divide a região triangular OQP , em duas regiões, determinadas
pelos triângulos: QKP e OKP; retângulos em K.(figura ao lado)

Fazendo KQ = q , OK = k, KP = m e OP = p, tem-se do QKP:


1 √3
𝑞 = 𝑐𝑜𝑠600 =
2
e 𝑚 = 𝑠𝑒𝑛600 =
2
.
1 9
Em consequência, 𝑘 = 𝑂𝑄 − 𝐾𝑄 = 5 − 𝑞 = 5 − =2 .
2

Por outro lado, do teorema de Pitágoras , aplicado ao  OKP:


81 3 84
𝑝 2 = 𝑘 2 + 𝑚2 = + = , ou seja, 𝑝 = √21.
4 4 4
3
𝑚 (√2 ) 1 √7
Portanto, senθ = = = 2. = .
𝑝 √21 √7 14

√𝟕
resposta:
𝟏𝟒

Nota: Uma resolução alternativa.


Do teorema dos Cossenos aplicado ao  OQP:

𝑝 2 = 12 + 52 − 2.1.5. 𝑐𝑜𝑠600 = 21 ∴ 𝑝 = √21

Do teorema dos senos aplicado ao OQP:


3
1 𝑝 𝑠𝑒𝑛600 (√2 ) 1 √7
= 𝑠𝑒𝑛600  senθ = = =2 = 14
𝑠𝑒𝑛𝜃 𝑝 √21 √ 7

2
c) ̅̅̅̅̅ e, em consequência :
No caso de α = 450, necessariamente, P 𝑂𝑀
  QMP é retângulo isósceles com MPQ = 450 e, portanto,
√2
d = QM = PM = sen450 = .
2
√2
  QMO é retângulo em M; QOM = θ, QM = e OQ = 5.
2

1 7√2
Dai, 𝑂𝑀2 + 𝑑 2 = 𝑂𝑄 2 , ou seja, 𝑂𝑀 = √25 − = .
2 2
7√2 √2 6√2 7√2
Logo, OP = OM – PM = – = = = 3√2 .
2 2 2 2

  OPR é retângulo em P, com  ROP = 900 – θ e


 =  PRO = 900 –  ROP = θ.

Já, de  PRO = MOQ = θ , conclui-se que  OPR   QMO .


𝑂𝑅 𝑂𝑃 𝑂𝑃
Dai, = , ou seja, 𝑂𝑅 = 𝑂𝑄. .
0𝑄 𝑄𝑀 𝑄𝑀

√2
Portanto, como OQ = 5, OP = 3√2 e QM = , então
2
𝑂𝑃 3√2
𝑂𝑅 = 𝑂𝑄. = 5. √2
= 5𝑥3𝑥2 = 30.
𝑄𝑀 (2)
resposta: 𝟑𝟎

Nota: Uma solução alternativa


Note que OPQ = 1800 – α =1800 - 450 = 1350, , OQ=5 e QP =1.
Assim, do  OQP tem-se:
 52 = 12 + OP2 – 2. 1.OP. cos1350 .( teorema dos Cossenos)
Dai, OP2 + √2 .OP – 24 = 0 e, portanto, OP= 3. √2 .
1 5 √2
 = ( teorema dos senos) . Dai 𝑠𝑒𝑛𝜃 = .
𝑠𝑒𝑛𝜃 𝑠𝑒𝑛1350 10
𝑂𝑃 𝑂𝑃 3√2
Como  OPR é retângulo em P, ROP = 900 – θ e  =  ORP = 900 –  ROP= θ, então sen = senθ = 𝑂𝑅. Portanto, OR= = √2
= 30.
𝑠𝑒𝑛𝜃 ( 10 )

AUTOR: LUIZ ANTONIO PONCE ALONSO (13/04/2019)

Você também pode gostar