CRESCIMENTO

Secretarias Pedro e Paulo Apóstolo

1

APRESENTAÇÃO
“Porque meu povo se perde por falta de conhecimento”... (Oséias 4,6) É com muita alegria que a Renovação Carismática Católica da Diocese de Londrina, através das Secretarias Pedro e Paulo Apóstolo, apresenta a Apostila para Crescimentos que deverá fazer parte da formação de nossos participantes de grupo de oração, tendo como objetivo a formação católica concreta, o conhecimento da palavra de Deus e uma melhor identidade com a RCC. Esta apostila destina-se a todos os grupos de oração a saber; Grupos de Adultos, Jovens e Adolescentes e tem como base a organização de um crescimento completo com aproximadamente 12 meses de duração, respeitando a realidade de cada comunidade, porém salientando a necessidade de que todo o material, isto é, todos os ensinos, sejam ministrados até o término do crescimento. É importante ressaltar no entanto, que esta apostila não deve ser o único material de pesquisa, mas deve se observar os livros contidos na bibliografia da mesma, além de outras publicações. O crescimento geralmente, inicia-se após a Experiência de Oração ou Seminário de Vida no Espírito, após 4 ou 5 meses aconteceria o Encontro de Dons Carismáticos e por fim o Encontro de “Eis-me Aqui”. Temas conjuntos ou extensos, podem ser feitos em tardes de formação, não tendo necessidade de se ter um encontro mais prolongado. Exemplo disso é acontecer uma tarde ou dia de formação para tratar de Espiritualidade e Sexualidade, ou Falsas Doutrinas. Recomenda-se que ao longo do crescimento se tenha, para gerar unidade entre os participantes, dias de bate-papo, partilhas, adorações ao Santíssimo Sacramento etc. Para a confecção do calendário, o critério ficaria sob a responsabilidade dos coordenadores, observando a realidade de cada grupo, eventos da paróquia, da RCC e Diocese, podendo ser realizado semanalmente com duração de 1h30 à 2h00, ou quinzenalmente com uma duração maior. As Secretarias Pedro e Paulo Apóstolo estarão à disposição para dúvidas, auxílio na confecção do calendário e sugestão de pregadores. Queremos agradecer a todos que nos ajudaram com sugestões, auxílio em subsídios de material, bibliografias, além do Núcleo Diocesano da Secretaria Pedro, que confeccionou o material contido nesta Apostila. Que Deus nos abençoe e nos coloque sempre a frente a avançar, dessa forma poderemos com obediência e boa vontade, colher os frutos no futuro, frutos que serão servos maduros, grupos mais consistentes e principalmente, bons católicos, que amam Maria, Jesus e sua Igreja.

“Sabemos que o Filho de Deus veio e nos deu entendimento para conhecermos o Verdadeiro. E estamos no Verdadeiro, nós que estamos em seu Filho Jesus Cristo. Este é o verdadeiro Deus e a Vida Eterna.” (IJO 5,20).

Secretaria Pedro Marco Antonio Cito

Secretaria Paulo Apóstolo Célia Dias

Coordenação Geral - RCC Sonia Secco Cândido

2

ÍNDICE
Vida de oração........................................................................................................................ 04 A Bíblia .................................................................................................................................. 10 História da RCC, Ofensiva Nacional e o projeto Reavivando a Chama ................................. 21 A Santíssima Trindade ............................................................................................................ 28 Dons Infusos e Efusos ou Carismáticos................................................................................... 30 História da Salvação .................................................................................................................37 Evangelhos .............................................................................................................................. 44 Os Sacramentos ....................................................................................................................... 48 História da Igreja Católica Apostólica Romana....................................................................... 62 O Credo Apostólico ou oração do Creio.................................................................................. 78 Os Atos dos Apóstolos ............................................................................................................ 82 Maria Santíssima..................................................................................................................... 85 A Liturgia................................................................................................................................. 92 Missa parte por parte .............................................................................................................. 98 Outras Denominações, falsas doutrinas e “Nova Era”........................................................... 105 Comunhão dos Santos ........................................................................................................... 131 Oração do Pai Nosso ............................................................................................................. 134 Espiritualidade, Maturidade Humana, Afetividade e Sexualidade ...................................... 139 Santos e Santidade .................................................................................................................150 Céu, Inferno e Purgatório ...................................................................................................... 157 Os Anjos ............................................................................................................................... 166 Os Dogmas da Igreja.............................................................................................................. 173 Sugestões de Horário e Cronograma .................................................................................... 195

3

VIDA DE ORAÇÃO
"Quem reza certamente se salva; quem não reza certamente se condena". Sto. Afonso de Ligório.

O modelo de oração de Jesus Jesus iniciou sua vida pública com oração. Em seu batismo no momento de oração o céu se abriu o Espírito Santo desceu sobre ele, e a voz de Deus foi ouvida do céu. É o mesmo para nós: tão logo começamos a orar é o momento em que os céus se abrem. Deus e o homem se encontram em perfeita comunhão. As limitações humanas desaparecem e entra em cena o Deus do universo. Se reconhecêssemos o que faz por nós a oração entraríamos mais freqüentemente na presença de Deus através da oração! Não só os céus se abrem quando oramos como também o Espírito Santo desce sobre nós. Que empolgante essa verdade! Jesus quando veio nos salvar só podia estar em um lugar de cada vez ,mas hoje o Consolador, o Espírito Santo pode estar conosco em qualquer lugar e a qualquer hora. O Espírito Santo nos capacita quando oramos. Quando Jesus orou ouviu a doce voz do Pai dizendo “Este é meu Filho amado”. Como todos nós desejamos ouvir as palavras de segurança do amor de Deus! Essas coisas todas acontecem quando oramos. Os grandes pregadores podem mover multidões mas até mesmo a mais simples oração fala direto ao coração de Deus. Jesus gostava de orar sozinho em lugares solitários. Muitas vezes ia até uma montanha para orar e continuava em oração a noite toda. Antes de uma decisão importante como a escolha dos apóstolos ele conversou com o Pai. Mesmo quando estava com os discípulos ele se afastava para orar sozinho. Por vezes ele orava com um pequeno grupo de discípulos. Podemos também nos reunir em oração com dois ou três amigos. Jesus prometeu que onde dois ou três estiverem reunidos no seu nome Ele estará no meio deles. Jesus não apenas orou com os amigos orou por eles. Disse a Simão: “mas eu roguei por ti para que a tua fé não desfaleça. E tu quando te converteres fortalece teus irmãos” (Lucas 22:32). Paulo também orou por seus amigos e queria que eles soubessem de suas orações. Muitas e muitas vezes ele orou pelas comunidades iniciadas, por seus "filhos na fé" encorajando-os com suas orações. Da mesma maneira nossos amigos são encorajados quando sabem que oramos por eles.

4

Jesus não orou para conseguir o que queria mas para receber força para cumprir a vontade do Pai. Ele estava em perfeita harmonia com o Pai. Ao enfrentar a cruz ele disse: “Pai se queres afasta de mim este cálice todavia não se faça a minha vontade mas a tua” (Lucas 22:42). A oração nos ajuda a fazer a vontade de Deus. Em suas orações Jesus perdoava aqueles que o crucificavam dizendo: “Pai perdoa-lhes pois não sabem o que fazem” (Lucas 23:34). Como perdoar aqueles que nos ferem? Somente pela oração. O último ato de Jesus antes de morrer foi uma oração, o final natural de uma vida de oração. Nós também podemos nos consagrar a Deus. Para Jesus a oração era tão natural quanto respirar. Se sinceramente desejamos ser como Cristo sigamos Seu exemplo! A oração não custa nada financeiramente. Onde e quando nos encontramos em humildade na presença do Senhor estamos ligados a um Deus maravilhoso. Jesus iniciou o ministério com oração e terminou o seu ministério sobre a terra com oração. Se Ele viveu em oração quanto mais nós necessitamos orar! O QUE É ORAÇÃO ? A oração cristã é uma relação de Aliança entre Deus e o homem em Cristo. CIC 2564. Orar primordialmente é falar com Deus é manter comunhão com Ele, é estar junto

plenamente buscando conhecê-lo mais e mais, orar é mergulhar em um caminho de intimidade e busca pelo Senhor , sim uma busca por reatar os laços rompidos pelo pecado original que separou o homem de Deus. Adão mantinha comunhão com Deus, o Senhor passeava junto a Adão pelo paraíso olhavam toda a criação juntos "Tendo pois, o Senhor Deus formado da terra todos os animais dos campos, e todas a aves dos céus, levou-os ao homem , para ver como ele os havia de chamar...” (Gênesis 2,19) , o Senhor se alegrava em mostrar ao homem toda a criação e partilhar com ele, havia uma estreita ligação entre Criador e criatura, uma afinidade recíproca. Mas o homem pecou e pecando foi separado de seu Criador e Senhor, foi privado pelo pecado de manter a mesma comunhão e afinidade de outrora, agora o homem tinha medo de seu Senhor e se escondia de sua Presença (Gênesis 3,10). Esta separação ocasionada pelo pecado é representada pelo véu que dentro do Tabernáculo construído por Moisés e pelo Templo construído por Salomão separava o povo do Lugar Santo onde estava "Arca da Aliança, a Presença de Deus " o "Santos dos Santos" local onde
5

somente o sacerdote entrava e mesmo assim uma vez por ano para estar com Deus, ..."Farás um véu de púrpura violeta , de escarlate ,de carmesim e de linho retorcido , sobre o qual serão artisticamente bordados querubins. Suspendê-lo-ás sobre as quatro colunas de madeira de acácia revestida de ouro , com pregos de ouro , sobre quatro pedestais de prata. Colocarás o véu debaixo dos colchetes, e é ali, atrás do véu que colocarás a arca da aliança. Esse véu servirá para separar o "santo" do "santo dos santos"(Êxodo 26,31-34) ver também (Hebreus 9-14). Mas através do sacrifício de Jesus pelo seu sangue esta separação foi rompida " Jesus de novo lançou um grande brado , e entregou a alma. E eis que o véu do templo se rasgou de alto a baixo, a terra tremeu...” (Mateus 27,49-50). O Senhor Jesus rasgou o véu e permitiu que através do Seu Sangue tivesse-mos livre acesso ao Pai. Por este motivo, irmãos temos ampla confiança de poder entrar no santuário eterno em virtude do Sangue de Jesus, pelo caminho novo e vivo que nos abriu através do véu... (Hebreus10, 19-20) Por isso Jesus vai dizer: "Até agora nada pediste em meu Nome. Pedi e recebereis, e vossa alegria será perfeita" (João 16,24). Através de Jesus temos livre acesso ao coração do Pai e Nele podemos desfrutar das riquezas que ele reserva para nossas almas. A oração um momento intimo com o Senhor A oração quer saibamos ou não, é o encontro entre a sede de Deus e a nossa. Deus tem sede de que nós tenhamos sede Dele. (Santo Agostinho). Acima de tudo a oração é a expressão de amor de um filho que ama seu Pai. E por amar quer estar com Ele e poder dizer como o salmista “Eu prefiro ser um porteiro em sua casa do que estar em qualquer lugar Senhor!” (Salmo 84 vers.11) Davi amava a Deus por isso foi chamado o Homem segundo o coração de Deus, Davi tinha tanto desejo de estar com o Senhor e o amava tanto que disse “ uma coisa só te peço é habitar todos os dias em sua casa..” (Salmos 26 ,4). Orar é ir além de saber que Deus esta nos ouvindo, é querer estar junto dele. Davi queria habitar na presença e também disse “ aquele que habita no esconderijo do altíssimo a sombra do onipotente descansará” (Salmo 90) Davi tinha seu prazer e seu descanso em estar com o Senhor. Davi também declarou “a minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo” veja que interessante Davi faz questão de dizer do “Deus vivo” o que ele quer dizer com isso? Ele diz que ela (sua alma) tem sede de um Deus que está presente e pode ser experimentado ele não
6

quer um Deus de ouvir falar , ele quer e tem sede de uma experiência de vida com este Deus. (cf. Jó 42,25). Minha alma desfalecida se consome suspirando pelos átrios do Senhor, meu coração e minha carne exultam pelo Deus vivo. (Salmo 83,3). Era esta sede e esta fome que movia Davi a querer estar cada vez mais junto do seu Senhor a buscá-lo incessantemente, creio que o segredo para a Oração é o desejo desesperado de um coração que arde apaixonado faminto pelo seu Senhor. Jesus nos olha como um noivo apaixonado ele espera ardentemente pela nossa companhia, seus olhos são olhos de amor e este amor não pode acabar, as infinitas águas não poderiam apagar este amor (Cânticos 8,6). Atrai-me e correrei (Cânticos 1 ,4). A oração deve acontecer em nós com o anseio dos apaixonados que se buscam que se atraem que se querem. A oração apaixonada nos leva estar com Aquele que nós amamos. Todos que andaram com Jesus assimilaram algumas de suas características Pedro (Mateus 26,73). Pedro e João (Atos 4.13). Assim orar é passar tempo com O Senhor é estar ao seu lado, absorvendo suas características seu modo de falar, de orar, de ver, de viver e principalmente sua forma de amar. A verdadeira oração consiste em estar com Jesus e estar junto com Ele implica em mudança, sim implica em mudança, pois quando nós, imperfeitos, fracos e impuros nos encontramos com aquele é Santo que é Supremo a Sua Luz nos toca e nos muda. A oração restaura o homem a semelhança de Deus e o faz participar do poder do amor de Deus que salva a multidão. (CIC 2572). A Oração Eficaz Porque muito pode a oração do justo pela sua eficácia. (Tiago 5.16). Um turista de passagem em uma cidade perguntou a um senhor que estava sentado em uma praça: Nasceu aqui nesta cidade algum grande homem? E então aquele senhor lhe respondeu “não somente bebês”! Ninguém nasce um grande herói de oração, grandes homens e

mulheres de oração são formados no campo da prática! A perseverança é o segredo de uma oração eficaz Não nos cansemos de fazer o bem, porque ao seu tempo colheremos, se não desfalecermos. (Galatas 6.9).

7

Existe um ditado que diz “ pela perseverança a lesma entrou na arca de Noé”. Certa vezes um homem foi chamado a orar por uma jovem que estava enferma em um hospital, ele foi mas o que ele não sabia é que ela estava em coma a quase um ano, quando ele a viu naquele estado em coma com uma traqueotomia em sua garganta, com um tubo de alimentação o choque foi tão grande que ele definiu a cena como: “vê-la pela primeira vez foi como esperar uma receita médica e receber uma cirurgia no cérebro”, sua fé se abalou mas ele orou , embora achou que Deus podia curar aquela jovem naquela ora, não foi isto que aconteceu foi necessário de três a quatro oras todas as semanas em intensa oração durante um ano e então Deus a curou. Se Deus é soberano, isto significa que Ele realiza o que Ele quer e quando quiser. E então porque orar ? A resposta está no fato do Senhor ter nos colocado, constituído como seus cooperadores; devemos orar porque o Senhor nos incumbiu como responsáveis por cuidar de sua criação. “Nós somos cooperadores com Deus e vós o campo de Deus...” (1Cor.3,9). Adão era comparável ou semelhante a Deus tão semelhante que era como uma aparição dEle. Deus foi reconhecido em Adão, "O Senhor Deus tomou o homem e colocou-o no jardim do Éden para cultivá-lo e guardá-lo (Gênesis 2.15), a palavra guardá-lo no hebraico “Shamar” que significa Zelar Proteger , então Adão era o responsável , vigia , aquele que tinha que zelar .

"Façamos o homem nossa imagem e semelhança . Que ele reine sobre os peixes do mar, sobre as aves do céus, sobre os animais domésticos e sobre toda terra ...(Gênesis 1,26-28). Adão feito imagem e semelhança, se pararmos para pensar é como quando vemos alguém que em uma primeira olhada parece ser algum conhecido e então olhamos novamente e percebemos não ser é só alguém semelhante parecido. Foi assim que aconteceu com toda a criação quando viu Adão. O Senhor quer que oremos porque ele nos colocou como responsáveis por esta terra ele espera um homem que se coloque na brecha pela nações pelo mundo, clamando, intercedendo junto ao coração de seu Senhor. "Tenho procurado entre eles alguém que construísse o muro e se detivesse sobre a brecha diante de mim , em favor da terra, a fim de prevenir a sua destruição... (Ezequiel 22,30-31) Temos o dever de zelar em oração buscando , suplicando a Deus por nós ,nossas casas , famílias, por todo o mundo para que a vontade de Deus aconteça. Embora Deus não esteja limitado a nós, Ele quer precisar de nós.
8

No livro de Daniel no capítulo 9 Diz que Daniel descobriu lendo o livro do profeta Jeremias.7 .14-15 . que o cativeiro na Babilônia seria de setenta anos.Orar alinhados a vontade de Deus. I Pedro 3. Mas porque minha oração parece não ser respondida? Salmo 65.6 .12: o rosto do Senhor está contra aqueles que praticam males.Permanecer em Jesus e em sua palavra. A palavra diz no evangelho de Mateus 11.” violentos em oração.Pedir e buscar com fé. 9 .. com o fim de satisfazerdes as vossas paixões”. João 15.14 . Isaías 59.12: iniquidades fazem separação entre vós e Deus. Marco 9. Chaves para oração Atos 1. Mateus 6. Mateus 6. e Daniel diz no versículo 3 “voltei meu rosto ao Senhor Deus para o buscar com oração e súplicas com jejum pano de saco e cinzas" Daniel cumpriu o seu papel de "Zelador" clamou a Deus pela libertação do Povo.Oração de concordância.12 que “o reino de Deus é arrebatado pelos violentos .7-8 . porque pedis mal.17-19: "Se eu intentasse no coração o mal.7 .23 e Mateus 7. não me teria ouvido o Senhor" a intenção má no coração e a vaidade faz com que Deus não nos atenda. I João 5.3: “pedis e não recebereis .Ter um momento só seu com o Senhor.Não usar de vãs repetições. Tiago 4.

sua oração. Algo que era normal naquele tempo pode hoje nos parecer um absurdo. A família vai se multiplicando. suas reflexões.C. sua sabedoria. Os cananeus. A Bíblia foi escrita num intervalo de tempo de aproximadamente 14 séculos. Em Canaã nascem os filhos. Os Israelitas a chamam de Israel. Mas é um livro feito por muitos livros. É um livro Humano Divino: Humano porque foi feito escrito por homens e divino porque foi inspirado por Deus. Os Patriarcas Com Abraão se inicia a história do Povo da Bíblia. a boca de Deus falando a nós. a chamam de Canaã. O Próprio nome da Bíblia no diz que ela é um Livro por excelência. Muita gente quer ser dona da terra onde moram esses hebreus.C. Abraão. onde a terra é mais fértil. Este povo cria uma literatura que relata sua historia. Inicialmente é um grupo de migrantes. isto implica em conceitos diferentes dos nosso. são chamados Hebreus e descendem de Abraão. Daí. que no plural fica “Bíblia”. Entre eles estão Jacó e sua família (Jacó vai atrás do seu filho José que tinha sido vendido por seus outros filhos). Aramaico (Evangelho de Mateus) e Grego (livros do Novo Testamento). os netos. Deus quis usar o homem para transmitir a sua Palavra. o Povo de Israel. A Palavra “Bíblia” vem do grego “biblos”. Abraão sai da Mesopotânia. Toda essa literatura é inspirada pela sua fé no único Deus que lhes revela: “Estou sempre com vocês!” O povo da Bíblia mora perto do Mar Mediterrâneo. Isto se dá aproximadamente pelo ano de 1850 a. Eles são os primeiros pais e fundadores do Povo da Bíblia. Isaac e Jacó são chamados Patriarcas. à procura de uma terra com sua família. Com o 10 . O povo da Bíblia A Bíblia surge no meio de um povo do Oriente. portanto. até o século I d. Mais tarde será chamada Palestina: terra dos Filisteus. desde o século XIII a. 1400 anos. vindos da Mesopotânia (hoje Iraque). outros moradores de lá. o diminutivo “biblíon” = livrinho. que significa “livro”. O Povo muda para o Egito Muita gente se muda para o Egito. Os livros da Bíblia foram escritos em três línguas muito antigas: o Hebraico (todos os livros do Antigo Testamento).A Bíblia A Bíblia é a Palavra. no Oriente Médio.C. não se pode ler a Bíblia com a mesma mentalidade e valores do nosso tempo. e vai morar em Canaã.

O primeiro é Saul. os faraós (reis) do Egito. Fica com o nome: Reino do Norte. assim como o têm outros povos vizinhos. 11 . Daí em diante. Em seu lugar fica Josué. onde permanece durante 50 anos (587–538 a. chamados Juizes. Davi vence todos os povos vizinhos. O segundo é Davi. O povo caminha pelo deserto durante 40 anos.). entre outros. o povo deseja um Rei. Moisés morre antes de o povo entrar naquela terra. As dominações Os grandes impérios daquele tempo não deixam o povo da Bíblia em paz. que salvará seu povo. Mas a Babilônia. Depois da morte de Josué.C. O último deles é Samuel. faz o povo fugir da opressão dos reis do Egito. Como capital escolhe Jerusalém. O Reino do Sul se chama: Reino de Judá. Divisão do Reino Depois da morte do rei Salomão há muitas lutas políticas e brigas.C. que não quer aceitar o filho de Salomão como rei. É o tempo do Exílio. um novo Davi. pondo fim à sua existência.C.passar dos tempos. É considerado o rei mais importante que o povo da Bíblia teve em toda a história. é vencida pela Pérsia. que fica fiel à família de Davi. a Assíria invade o Reino do Norte (Israel) e toma posse daquela região. E o Sul. Em 724–725 a.. O reino acaba dividido em dois: O Norte. Libertação e volta à sua terra Surge no meio do povo um líder que chefia um movimento de libertação. o povo é liderado por outros chefes. o Império da Babilônia vence a Assíria e toma posse do Sul (Judá). O rei dos Persas deixa o povo judeu voltar para sua terra. de volta a Canaã. começam a escravizar os povos. une povo e aumenta seu reino. É nesta época de dominação que surge a esperança de um Messias. os judeus são quase sempre dominados por povos estrangeiros. Os primeiros reis Para ser mais forte contra os ataques dos seus inimigos. por sua vez. como principal líder do povo. ou Israel. O terceiro rei é Salomão – 900 a. Até aqui formam os livros do Antigo Testamento. Com a ajuda de Deus. Os babilônios levam boa parte da população de Judá para Babilônia. Mais ou menos 150 anos depois. os Hebreus. Este líder é Moisés.

Vem anunciar o amor de Deus. suas orações. o Povo da Bíblia é um punhado de gente simples. Eles são obras especialmente de homens que falam inspirados por Deus: os profetas. o Povo vai se unindo mais. os pecadores. Vão ajudar também o Povo a viver melhor. liderados pelos Juizes. a Bíblia vai ajudar o Povo a viver. E nesta época e neste contexto surgem o Novo Testamento. vem Jesus. está na Bíblia. Deus é o esposo. em cantos e orações. A Bíblia é um reflexo de uma vivência do povo com seu Deus e de Deus com seu Povo. Também gostam de outra 12 . Mas acontecem coisas importantes na vida dessa gente: a mudança para o Egito. Dizem: “Deus nos ama”. as dominações estrangeiras. Depois do sofrimento e do escândalo da sua morte violenta. a lutar. a comunidade. Contam de pai para filho as grandes obras de Deus. a volta para a terra. sofrendo. Revelação de Deus. rezando e outros escritos da Bíblia vão surgindo. especialmente para os pequenos. Assim surge a Igreja que se espalha rapidamente no mundo daquele tempo. Entra em grande choque com líderes do seu povo e termina morrendo numa cruz. a saída sob a liderança de Moisés. É Deus. Vão descobrindo a mão de Deus em tudo isso e expressam sua fé em celebrações festivas. que anima e orienta seu povo para continuar a lutar e nunca desanimar. os pobres. Por sua vez. Assim. É por isso que dizemos que a Bíblia é a Palavra de Deus. a pressão sofrida no país. inicialmente. com uma certa liderança no mundo daquele tempo. O povo vai vivendo. através da Bíblia. Começa a formar uma nação mais bem organizada. e. que vai crescendo e se multiplicando. cada vez mais. o Povo aprende a lutar. A Aliança O Povo da Bíblia vai descobrindo. o Povo. E assim continua.Jesus Cristo No meio de um tempo de grande agitação e de grandes esperanças políticas e religiosas. mais tarde pelos primeiros reis. é a esposa. quais os laços que o ligam a Deus. Assim. E escrevem. por isto. Os Profetas gostam de comparar a Deus com um marido todo dedicado à sua esposa. De volta à terra de Canaã. a não perder a esperança. e. a passagem pelo deserto. Fortificado pelo poder do espírito Santo. Eles vão ajudar o Povo a refletir melhor e a compreender o que Deus espera. O quê? A vida do Povo: suas lutas suas reflexões. Deus também caminha com o seu povo Já vimos que. vão anunciar esta boa nova a todos os povos. a Bíblia vai sendo escrita. Deus está na história do Povo. seus seguidores O vêem ressuscitado e proclamam: “O Senhor está vivo!”. lutando. a celebrar. a observar e a refletir sobre tudo o que acontece. Há divisão do Reino. seus cantos.

ÊXODO (Ex) – a saída. Antigo testamento O Pentateuco Os primeiros 5 livros do Antigo Testamento são chamados “Pentateuco”. em vez de procurar aliar-se a um Império poderoso. Convida à conversão e fidelidade. do pecado. Assim é o amor de Deus para com seu povo. Por isso chamamos a Bíblia o “Livro da Aliança”. Antigo e Novo Testamento indicam também a coleção de Livros da Bíblia que tratam da Antiga e da Nova Aliança.comparação: o Povo de Israel. menos exatamente. Fidelidade até a morte. A divisão da Bíblia A Bíblia está dividida em duas grandes partes: O Antigo Testamento (que se abrevia AT) ou Velho Testamento. por “testamento”. DEUTERONÔMIO (Dt) – Segunda Lei. levitas e de todo o povo. Daí o uso das expressões “Antigo Testamento” e “Novo Testamento” para indicar a Antiga e a Nova Aliança. GÊNESIS (Gn) – O livros que traz reflexões sobre as origens do mundo. Esses 5 livros são também chamados “Torá” (= Lei) porque contém a Lei da Antiga Aliança. hoje. a palavra “Aliança” foi substituída por “pacto” e. faz aliança com o próprio Deus. 13 . do povo de Deus. É porque o anel lembra o compromisso do casal: Amor. chamamos de “aliança” o anel de casamento. O Antigo Testamento Católico contém 46 livros e o Novo Testamento 27 livros. LEVÍTICO (Lv) – se chama assim porque traz as leis do culto e as obrigações dos sacerdote. e Novo Testamento (que se abrevia NT). É o livro que relata novamente a promulgação da Lei da Aliança. Correspondem às duas grandes etapas da história do Povo de Deus: a Antiga Aliança (antes de Jesus) e a Nova Aliança (a partir de Jesus). É uma palavra grega que significa “cinco livros”. Ela contém 73 livros de épocas e estilos diferentes. A Bíblia é como uma coleção ou uma biblioteca. Reflete sobre a saída do povo hebreu do Egito sob a liderança de Moisés. Nós. Na tradução para outras línguas. do homem. NÚMEROS (Nm) – se chama assim porque começa com a contagem do Povo de Israel. depois.

Quando foi escrito o Antigo testamento Os textos da Bíblia começaram a ser escritos desde os tempos anteriores a Moisés (1200 a. poesias. Joel. Amós. num mesmo capítulo. as vezes. Juizes. Abdias. estão entrelaçados textos de épocas distintas. 14 . A partir de Salomão (972-932).C. desde que Deus chamou Abrão de Ur na Caldéia. Judite. Crônicas. Do seu trabalho surgiram quatro coleções de narrativas históricas que deram origem ao Pentateuco. Baruc. Ageu. eram os escribas e sacerdotes. Até o século XVIII d. foi se formando a literatura Sagrada de Israel. pois se escrevia em tábuas de madeira. Ezequiel. Neles encontramos a expressão da sabedoria e dos sentimentos do povo: ditados. foi formando a sua tradição histórica e jurídica. Habacuc. tanto de Judá quanto da Samaria um grupo de escritores que zelavam pelas tradições de Israel.OUTROS LIVROS • LIVROS HISTÓRICOS – são 16 livros que narram histórias do Povo e seus líderes: Josué. Reis II. Lamentações. Daniel. outras vezes. A teoria que a Igreja Católica aceita é seguinte: O povo de Israel. cantos.). Moisés foi o primeiro codificador das leis e tradições orais e escritas de Israel. Zacarias e Malaquias. no século XIII a. Trazem a vida e a mensagem dos Profetas: Isaías. nos últimos século.C. os estudos mais apurados mostraram que não deve Ter sido Moisés autor desta obra. Após Moisés. Jeremias. Vale lembrar que o Antigo Testamento foi escrito aos poucos em épocas diferentes e por diversos autores.C. Crônicas II. Miquéias. por isso. Macabeus I e Macabeus II • LIVROS SAPIENCIAIS OU DE SABEDORIA – são 7 livros. Sofonias. Neemias. Ester. • LIVROS PROFÉTICOS – são 18 livros. Samuel I. Jonas. Samuel II. Moisés deve ter sido quem fez a primeira codificação das Leis de Israel. Reis I. Oséias. Essas tradições foram crescendo aos poucos por outros escritores no decorrer dos séculos. passou a existir na corte dos reis. mas. pergaminho (couro de carneiro). Esdra. etc. Escrever era uma arte rara e cara. I. Assim. Rute. papiro. por ordem de Deus. orações. Tobias. Naum. o bloco e tradições foi enriquecido com novas leis devido às mudanças históricas e sociais de Israel. sem que houvesse uma catalogação rigorosa das mesmas. admitia-se que Moisés tinha escrito o Pentateuco. pode conter o mesmo assunto de maneiras diferentes.

Assim temos. Judas e Tiago • APOCALIPSE O último Livro da Sagrada Escritura que nos fala da vitória final de Jesus Cristo. Efésios. Daqui e dali surgiram resumos. com tinta e caneta. Assim surgiram os livros do Novo Testamento. perto do ano 50. pontos de vistas diferentes sobre a vida e a mensagem de Jesus. 2º Tessalonicenses. • • EVANGELHOS E ATOS . Colossenses. a Tito. Os Autores dos Evangelhos são considerados Mateus. 15 . II Carta de João. Marcos. 2º Timóteo. I Carta de João. A palavra “Evangelho” quer dizer: Boa Nova. 1º Timóteo. colocaram por escrito suas orientações através de “cartas” ou “epístolas”. Nem os apóstolos e discípulos tinham gravador para registrar as palavras de Jesus. Novo Testamento O livro lido nas primeiras comunidades cristãs era o Antigo Testamento.Como foi conservado e multiplicado Naquela época se escrevia. Os Evangelhos São os 4 Evangelhos que vêm logo no começo do Novo Testamento. Jesus não escreveu e nem mandou escrever nada. o Salvador. Eles colocaram por escrito tradições vindas desde os apóstolos e reflexões das comunidades cristãs. Só no século XV as Bíblias começaram a ser impressas e aí se introduziu a divisão em capítulo e versículos. a Filêmon e aos Hebreus • 7 EPÍSTOLAS CATÓLICAS I Carta de Pedro. II Carta de Pedro. Galátas. Narram as ações e palavras de Jesus. mas do jeito como diversas comunidades cristãs as refletiram. Tais resumos serviram de base para os Evangelhos que foram escritos mais tarde. em folhas de papiro (depois costuradas para formar rolos) ou em pedaço de couro ou pergaminho (depois ajuntados em forma de livro). 1º Tessalonicenses. Filipenses. Os Evangelhos proclamam como Boa Nova que Jesus é o Cristo. que usamos até hoje. 14 EPÍSTOLAS DE PAULO Aos Romanos. O texto original era copiado muitas vezes. O Novo Testamento ainda não estava escrito. Transmitiam oralmente o que Jesus tinha feito e ensinado. Os apóstolos começaram a pregar. Marcos. nos 4 Evangelhos. Lucas e João e os Atos dos Apóstolos. Lucas e João.Mateus. Nas comunidades cristãs também se refletia sobre o ensinamento de Paulo. Boas Notícias.

Epístolas Católicas São 7 cartas ou epístolas “católicas”. imperadores romanos. mas a todas as igrejas cristãs. São chamadas assim. Galatas. Colossenses. 9 são dirigidas a comunidade que Paulo fundava ou confirmava e. (“Católico” significa “Universal”). Apocalipse Este livro é atribuído a São João. “Apocalipse” significa “Revelação”. Daí o nome de “Cartas Pastorais”. Roma. porque não se dirigem a uma pessoa ou a uma determinada comunidade. provavelmente.Atos dos Apóstolos É um livro provavelmente escrito por Lucas. Delas. em geral. São elas: Carta de Tiago. Este livro narra a vida dos Apóstolos. que é também o mais antigo livro do NT. As cartas que São Paulo escreveu pessoalmente. de vez em quando. o de Marcos. Quando não podia ir pessoalmente. A última é uma carta dirigida. aos Hebreus. Descreve também um pouco da vida das primeiras comunidades cristãs. Efésios. Esta e. Cartas de são Paulo São atribuídas a Paulo 14 cartas. desde a ressurreição de Jesus até a chegada do Evangelho à Capital do Império. nem anuncia 16 . chamado Filêmon. enviava longas cartas. animá-las e resolver problemas. Tessalonicenses I e II. mas a seus líderes ou “pastores”. algumas das outras cartas não foram escritas por Paulo pessoalmente. antes que fosse escrito o primeiro Evangelho. Paulo morreu em 64 (ou 67). As 9 cartas são: Romanos. Filipenses. Há ainda uma carta dirigida a um cristão. Pedro I e II. São elas: Timóteo I e II e Tito. O autor deste livro deseja sustentar a fé dos primeiros cristãos e encorajá-los a suportar com firmeza as primeiras perseguições. tido como uma continuação do 3º Evangelho. A mais antiga é a primeira carta aos Tessalonicenses. especialmente de Pedro e Paulo. voltava para ajudá-las. Não é um livro de “mistérios”. Assim. mas por discípulos dele. O autor usa uma linguagem simbólica. escrita em 51. suas atividades e sua pregação. para apresentá-las como modelo a ser seguido também pelos cristãos de outras épocas. principalmente as de Nero e Domiciano. Corintios I e II. João I e II e Judas. são mais antigas que os Evangelhos. Estas cartas não são dirigidas a comunidade. descreve a derrota dos perseguidores e a vitória final de Cristo. Seguem as 3 cartas chamadas Cartas Pastorais. mas que é entendida pelos cristãos.

logo. Garante-nos o Catecismo da Igreja e o Concílio Vaticano II que: “Foi a tradição apostólica que fez a Igreja discernir que escritos deviam ser enumerados na lista dos Livros Sagrados” (DV 8. cânon = lista). CIC.24-20. Baruc. 13-14. que é a seguinte: se foi a Igreja. e principalmente os seus seguidores. se a isso não me levasse a autoridade da Igreja Católica” (CIC. porque Lutero. 119). O Apocalipse é o último livro da Bíblia. 120). compôs a Bíblia. Judite. não existiria a Bíblia como a temos hoje. alguns regionais outros universal. que guiada pelo Espírito Santo. com os 73 livros canônicos. Pelo contrário. além de Ester 10. Santo Agostinho dizia: “Eu não acreditaria no Evangelho. Sabedoria. foi “berçando” a Bíblia. isto é. Demorou alguns séculos para que a Igreja chegasse à forma final da Bíblia.desgraças para os cristãos. sem a tradição da Igreja não teríamos a Bíblia. portanto era necessário para os judeus. Eclesiástico (ou Sirácida). ausência de erro. rejeitaram os livros de Tobias. então a Bíblia perde a sua inerrância. inspirados pelo Espírito Santo. isto é. se realizou um Sínodo. Esta conclusão nos leva a outra também importantíssima. Neste Sínodo foi definido os seguintes critérios: 17 . Em vários Concílios. Por que a Igreja tem tanta certeza de que ela não erra naquilo que é essencial para levar os seus filhos à salvação? Por causa das grandes promessas que o próprio Senhor lhe fez. Portanto. definirem a Bíblia Judaica. Estes livros são chamados também de “deuterocanônicos” (deutero = segundo. e descobrindo os livros inspirados. é ela também a única autoridade capaz de interpretar segundo o que Deus quis nos dizer de fato. quando por partes dos rabinos judeus. isto é.4-16 e Daniel 3. Mas se você não acredita. Foi num longo processo de discernimento que a Igreja. I e II Macabeus. A razão para isso remonta do ano 100 da era cristã. isto se deu porque começavam a surgir os Evangelhos e o Atos dos Apóstolos. Cânon = lista). Os outros são chamados de “protocanônico” (proto = primeiro. Se você acredita no dogma da infalibilidade de Igreja. em Jâmnia (ou Jabnes) no sul da Palestina. é um livro que conforta e dá coragem. a Igreja estudou o cânon da Bíblia. garantindo que ela guardaria sem erros o “Depósito da Fé” que Jesus nos deixou através dos Apóstolos. o seu índice. Por que a Bíblia Católica é diferente da Bíblia Protestante? A Bíblia protestante tem apenas 66 livros. então pode acreditar na Bíblia como Palavra de Deus. A importância da Igreja Se não fosse a Igreja Católica. desde o tempo dos Apóstolos.

em hebraico e a versão completa com todos os livros. já haviam traduzido a Bíblia do hebraico para o grego. Vimos. recomenda três pontos ao se ler a Palavra de Deus: 1 – CONTEÚDO E UNIDADE DA ESCRITURA INTEIRA – quer dizer. 18 . sendo. Constituição Apostólica “DEI VERBUM” Através da Dei Verbum o Concílio Vaticano II quis ensinar a todos como entender a revelação de Deus aos homens. especialmente pesar a palavra dos Papas. Muitas vezes um versículo só será bem entendido quando lido juntamente com outros. isto é. os judeus não aceitaram os livros que hoje formam a Bíblia católica. 2 – A TRADIÇÃO VIVA DA IGREJA – Observar como a Tradição da Igreja interpretou a parte que está sob estudo.). Os judeus de Alexandria antes do Sínodo de Jâmnia. sem erro. A Dei Verbum. indispensável para quem deseja entender bem o que seja a Revelação de Deus. Todavia. o que mostra que era esta a Bíblia usada pelos Apóstolos. Algumas edições da Bíblia Ave-Maria trazem no início o seu texto integral. portanto que mais por critérios nacionalistas que religiosos. nem grego. 3 – Escrito antes de Esdras (455-428 a. considerando assim. 300 são tiradas da Versão dos Setenta. e falavam grego. através de 70 sábios judeus. já existia uma forte colônia de judeus que viviam em Alexandria no Egito. pois é uma Constituição Dogmática. Das 350 citações do Antigo Testamento que há no novo. Os Apóstolos e os Evangelistas optaram pela versão dos Setenta. Santos Padres da Igreja e seus doutores. nem aramaico. a versão dos Setenta. mais tarde.1 – Os livros deveriam ser escritos na Terra Santa. cerca de 200 anos antes de Cristo. 2 – Escrito somente em hebraico. Estude-o atentamente. O ideal é que se leia na íntegra a Dei Verbum. não interpretar uma parte da Escritura fora do seu contexto integral. adotada também por Martinho Lutero que rejeitou por oposição a Igreja a versão dos Setenta. canônicos os livros rejeitados no concílio de Jâmnia. através da Bíblia e da Tradição. Surgiu então a chamada versão grega chamada dos Setenta. Havia portanto no começo do Cristianismo duas Bíblias Judaicas.C. 4 – Sem contradição com a Torá ou Lei de Moisés.

• O sentido alegórico – podemos adquirir uma compreensão mais profunda dos acontecimentos reconhecendo a significação deles em Cristo.6) Catecismo da Igreja Católica O Catecismo da Igreja nos ensina que há dois sentidos nas Escrituras. 1 – O SENTIDO LITERAL – é dado pelo significado das palavras da Escritura e descoberto pela exegese (estudo profundo do texto bíblico) que segue as regras da correta interpretação. • • O sentido moral – os acontecimentos relatados na Escritura podem conduzir-nos a um justo agir.3 – ANALOGIA DA FÉ – isto é. não fazem parte do cânon (índice) da Bíblia. uma não pode ser oposta a outra. 2 – O SENTIDO ESPIRITUAL – graças à unidade do projeto de Deus não somente o texto da Escritura. não são canônicos. pois o Espírito Santo não se contradiz. verificar a coesão das verdades da fé entre si. mas que não foram considerados pelo Magistério da Igreja como revelados pelo Espírito Santo. a Igreja na terra é sinal da Jerusalém Celeste. além de possuírem até heresias como o gnosticismo. 12. Assim. é que muitos são fantasiosos sobre a pessoa de Jesus e outros personagens bíblicos. isto é. assim. mas também as realidades e os acontecimentos de que fala. As razões que levaram a Igreja a não considerá-los como Palavra de Deus. e portanto. conduzindo-nos para a nossa Pátria. Há 19 . Neles há algumas verdades históricas. segundo uma antiga tradição da Igreja. Os livros Apócrifos São aqueles livros que foram escritos pelo povo de Deus. O espiritual pode ser subdividido em alegórico. e também é um sinal do Batismo. moral e anagógico. e isto faz a Igreja considerá-los importantes nos estudos. a travessia do Mar Vermelho é um sinal da vitória de Cristo. O CONCÍLIO VATICANO II indica também três critérios para uma interpretação da Escritura conforme ao Espírito Santo que a inspirou: A) Prestar muita atenção ao conteúdo e à unidade da Escritura inteira B) Ler a escritura dentro da Tradição viva da Igreja inteira C) Estar atento “à analogia da fé” (Rom. podem ser sinais. O sentido anagógico – podemos ver realidades e acontecimentos na sua significação eterna.

Atos de Tadeu. Apocalipse de Pedro. Exemplos deste livros são por exemplo no AT: 1 e 2 Henoque. Vida dos Profetas. 20 . Atos de João. 3 e 4 Esdras. entre outros. etc. Apocalipse de Abraão.livros apócrifos referentes ao Novo e ao Antigo Testamento. Evangelho de Nicodemos. Escada de Jacó. E no NT. História de José o carpinteiro. Epístolas de Barnabé. podemos citar: Proto-Evangelho de Tiago.

Reino de Verdade e Justiça. “Repita-se em todo povo cristão o espetáculo dos Apóstolos reunidos em Jerusalém. Aqueles professores haviam se dedicado durante muitos anos ao serviço de Jesus Cristo. em suas orações e atividades. a Mãe de Jesus. reuniam-se frequentemente para momentos de oração fervorosa e para conversar sobre a vitalidade de sua vida de fé. membros de faculdades da Universidade de Duquesne do Espírito Santo. começou a despontar o movimento religioso chamado agora “Renovação Carismática”. cada um reconhecia que havia certo vazio. em outubro de 1966. e o Espírito Santo atendeu. falta de dinamismo. Nesta circunstância. debilidade espiritual. Digne-se o Espírito Santo escutar de forma mais consoladora a oração que sobe a Ele de todas as partes da terra. entregando-se a várias atividades apostólicas. Sabemos que João XXIII pediu não uma graça qualquer. mas a graça de uma renovação na Igreja. Foi esta oração que o Espírito atendeu literalmente. Pastor dos cordeiros e das ovelhas. Ainda que não pudessem especificar o porquê. Era como se a vida cristã dependesse demasiado de seus próprios esforços. dilate o Reino do Divino Salvador. e sob a direção de Pedro. restrita. Reino de Amor e de Paz” ( Oração para a preparação do Concílio Vaticano II . depois da ascensão de Jesus aos céus. começaram a orar para que esse divino Espírito manifestasse neles Sua 21 . de um Novo Pentecostes para toda a Igreja. permanecendo unânime na oração.João XXIII). quando. quando a Igreja nascente se encontrou reunida em comunhão de pensamento e de oração com Pedro. como se avançassem sob seu próprio poder e motivados por sua própria vontade. Conscientes de que a força da comunidade cristã primitiva estivera na vinda do Espírito Santo em Pentecostes. em uma conjuntura histórica importante para a Igreja Católica. a Renovação aparece como um acontecimento pós-conciliar estreitamente vinculado ao próprio Concilio. com Maria. Que Ele renove em nosso tempo os prodígios como o de um Novo Pentecostes e conceda que a Santa Igreja. estavam sentindo que algo faltava em sua vida cristã pessoal. Outono de 1966: “Um grupo de pessoas. Apesar disso. Não se havia passado um ano sequer ao término do Concílio.Renovação Carismática Católica Conhecendo a história A RCC surgiu na Igreja Católica no momento em que se começava a procurar caminhos para por em prática uma renovação eclesial desejada pelo Concilio Vaticano II. particular.

atraída pelo ruído que se produziu. S. No começo dos anos 70. 33). Eduardo Dougherty. Em diversos lugares do mundo se experimentou uma nova efusão do Espírito Santo.Grande manifestação do poder de Deus. saíram para evangelizar a multidão que se ajuntava. Como conseqüência deste derramamento. A Renovação Carismática Católica. S. É uma Espiritualidade Pentecostal. Haroido Rahm. Pe. como São Pedro atesta em seu discurso inicial “recebeu de Deus o Espírito prometido e o derramou como estais vendo e ouvindo”(Atos 2.J. audível e visível. Espiritualidade da RCC A RCC tem sua espiritualidade fundamentada em Pentecostes.1ss podemos notar alguns sinais deste derramamento: . Treinamento de Liderança Cristã (TLC) e gradativamente foi se ampliando como uma nova força de evangelização com identidade própria. Vento. 22 . resgatando os valores da Igreja. Simultaneamente outros padres e leigos.. Realizavam Grupos de Oração. conquista o seu espaço como Movimento Eclesial. em diversos pontos. reuniões de planejamento e. os Apóstolos. houve uma explosão de manifestações de Deus na vida de muitos grupos que insistentemente pediam a renovação no Espírito Santo. os professores de Pittsburgh (EUA) começaram a pedir em oração que o Espírito Santo lhes concedesse uma renovação e que o vazio que seus esforços humanos haviam deixado fosse plenificado com a vida poderosa do Senhor ressuscitado. Saies. A partir de 1967. Tomando o texto Atos dos Apóstolos 2. Espírito Santo!”. Dessa forma. a Pessoa do Espírito Santo. em favor de sua própria vida espiritual e do trabalho apostólico. dentre eles. alguns sacerdotes jesuítas. começaram a realizar retiros chamados de Experiência do Espírito Santo.J. cheios do poder de Deus e dos seus sinais. A RCC se espalhou no Brasil rapidamente. Cada dia rezavam uns pelos outros: “Vem. mais tarde Experiências de Oração. promovendo uma renovação na vida espiritual de muitos católicos atuantes e na de outros que retornaram renovados à Igreja. a RCC se expandia. entre eles Pe. A Renovação atingiu os lideres já engajados em movimentos como Cursilhos.presença cheia de poder. Encontro de Casais. o Barulho. pois expressa derramamento perene do Espírito da Promessa iniciado naquele dia. à medida que isso acontecia. Imediatamente manifestaram-se sinais do poder de Deus (carismas). Línguas de Fogo O Pentecostes acontece de uma maneira sensível. que se espalharam por todo o Brasil. e Pe. começaram também a experimentar um novo ardor na evangelização e nos trabalhos apostólicos.

revoltadas. tristes. Bênçãos de cura. especial. O elemento mais importante de um Grupo de Oração é o POVO. carinhoso. A espiritualidade da RCC é o Batismo no Espírito Santo com a manifestação poderosa dos carismas e dos frutos que sinalizam o processo de santificação gerado pelo Espírito Santo. consequentemente as pessoas se abrem ao louvor e vivenciam que. e acompanhá-lo no caminhar espiritual.o anúncio da Boa Nova -. de libertação.O Batismo no Espírito Santo tem que ser uma experiência sensível para nós. Grupo de Oração O Grupo de Oração é o principal Serviço e expressão da RCC. isto é. se o povo não crer nas palavras. Bênçãos que vêm de encontro às nossas carências. Daí ser o instrumento principal da RCC na promoção da experiência pentecostal na Igreja que chamamos de Batismo no Espírito Santo. Muitas dessas pessoas estão decepcionadas. Ele nos devolve esse louvor transformado em bênçãos e graças. O Grupo de Oração é o lugar onde o povo vai se encontrar com Deus. depressivas. O Grupo acontece em torno das pessoas que o frequentam. trazem dentro de si uma fé que não responde às suas ansiedades. Ruidosa porque gera uma mudança de vida. que nos impulsiona a realizar a Missão. Cheias do Espírito de Deus. Sua finalidade. 23 . pois assim. amarguradas. Quem são essas pessoas? Como elas estão? O que elas buscam no Grupo de Oração? O que precisam? Como levá-las ao Batismo no Espírito Santo? O que Deus quer falar a elas? As pessoas que vão ao Grupo de Oração têm a dignidade da filiação divina e cabe ao Grupo resgatar essa riqueza que talvez nem elas próprias conheçam. porque manifesta o poder de Deus e não por barulhos. Daí a necessidade de terem um tratamento personalizado. simplesmente. As perguntas de discernimento para a preparação do Grupo de Oração devem partir da necessidade dessas pessoas. Deve ser uma experiência tão “ruidosa” que atraia a multidão. tendo em vista o Batismo no Espírito Santo e o engajamento nas comunidades. que nos faz sair do comodismo. e os Grupos do Oração existem para levar as pessoas a esse Batismo. fazer o primeiro anúncio . então. A Evangelização deve manifestar esses sinais sensíveis. Não há medidas para o Batismo no Espírito Santo. é anunciar o Querigma. fechadas pela sua timidez. muitas delas não têm formação cristã e não têm nenhuma orientação. Deve promover a experiência de Pentecostes. crerá nas obras que estão vendo. quando louvamos a Deus com o coração. ou facilitar esta experiência para o fiel. ou por gritos e músicas ensurdecedoras. magoadas.

Proporcionar às pessoas dos Grupos de Oração a experiência do amor de Deus que está no meio de nós é levá-las à experiência de Pentecostes. a salvação(. formou-se também o Conselho Nacional que é composto pelos Coordenadores Estaduais. No início da década de 90. se sentem bem. gerador de uma anemia espiritual nas lideranças da RCC.) Porque todo aquele que invocar o Nome do Senhor será salvo” (Rom 10. felizes.13). Mas todos amados por Deus. na UNIDADE ajuntando todas 24 . Tal experiência deve produzir no coração dessas pessoas o desejo de uma maior conversão para serem perseverantes e.Também as pessoas que. nascendo as Secretarias para os respectivos serviços da RCC. crescerem na vida de oração. estão presentes no Grupo para louvar e bendizer o Senhor pelos Seus feitos em suas vidas. tendo todo seu trabalho orientado por uma Comissão Nacional. na doutrina e na fraternidade. na Eucaristia. reunidos rezando e pedindo ao Senhor que mostrasse como solucionar este problema. correção e reavivamento. o seu crescimento na vida nova trazida pelo Espírito Santo. uma quebra na unidade da RCC em muitos lugares do Brasil. ociosos.. muitas palavras foram colocadas por Deus como exortação.. os participantes dos Grupos de Oração são de diversos tipos.. Assim. alegres. apesar das dificuldades. devem essas pessoas buscar um Grupo de Perseverança. “Se confessares com tua boca que Jesus é Senhor e creres em teu coração que Deus o ressuscitou dentre os mortos. Após muito discernir os “sinais dos tempos” e as palavras do Senhor (Ag. um esfriamento na missão.9-10. 1. a exemplo da multidão presente no dia de Pentecostes: curiosos. etc. assim. Então. perseverantes. Ofensiva Nacional A OFENSIVA NACIONAL visa colocar a RCC em marcha. Por isso. Organização da RCC RCC foi se organizando nas Paróquias. serás salvo. Depois de algum tempo. Pois quem crê obtém a justiça. e quem confessa com a boca. o Conselho Nacional da RCC detectou uma perda de identidade. separações. A carência maior em todos os que vão ao Grupo de Oração é o amor.5-9). é levá-las a experimentar o que aquela multidão experimentou. através das Equipes ou Núcleos de Serviço que se formavam com as pessoas que se comprometiam mais diretamente. esmorecimento nos trabalhos pastorais. surgiu o Projeto de ação da RCC denominado “Ofensiva Nacional”. necessitados. nas Dioceses e nos Estados. a fim de que tenha continuidade o seu processo de conversão.

Assim a Ofensiva Nacional parte de três pontos: UNIDADE .000 Grupos de Oração. em 268 Dioceses do Brasil. retomando aquilo que é a sua identidade: a vivência da graça do Batismo no Espírito Santo. incrementado-as nas dioceses. para o crescimento das diversas expressões da RCC.Como Renovação Espiritual na Igreja. A função de cada SECRETARIA é: coordenar os diversos projetos desenvolvidos para cada expressão da RCC.000. • • • • • • • • • • • • • • Secretaria Ágape (Família) Secretaria Marcos (Juventude) Secretaria Davi (Músicos) Secretaria Lucas (Universitários) Secretaria Marta (Ação Social) Secretaria Pedro (Pregadores) Secretaria Rafael (Cura e Libertação) Secretaria Moisés (Intercessão) Secretaria Matias (Fé e Política) Secretaria Paulo Apóstolo (Formação) Secretaria Gabriel (Comunicação) Secretaria Atos 2 (CR’ s) Secretaria Renascem (Seminaristas) Secretaria Cristo Sacerdote (Sacerdotes) Atualmente a RCC está presente. seminários. sem a qual todo esforço seria perdido. com aproximadamente 9.as suas expressões. chegando a evangelizar perto de 65. Secretarias A SECRETARIAS na RCC foram criadas para atender suas várias expressões e articular suas ações. IDENTIDADE . a partir do Batismo no Espírito Santo. visando uma vida de santidade e serviço MISSÃO . em comunhão com seus pastores.000 de pessoas.vivência do Batismo no Espírito Santo. de maneira organizada e realizando um trabalho pastoral. desenvolvendo encontros. 25 .unidade de ensino. das expressões e da ação. com todas as suas conseqüências. cursos. evangelizar com renovado ardor missionário e formar em santidade e serviço o Povo de Deus. dando assessoria às coordenações estadual e diocesana.

38 ( v. A nós foi dada a graça de trabalhar esta dimensão. Sabemos que quando o Espírito Santo intervém. em 20 de maio deste ano.".. Pe. em Mariápolis.37 . O Papa disse em Fiuggi: "A Renovação Carismática tem ajudado muitos cristãos a redescobrirem a presença do Espírito Santo em suas vidas". para obter do Senhor uma visão profética para a RCC do Brasil hoje. Quanto ao nosso papel como Movimento. E.. o Santo Padre nos advertiu: " Em cada momento mas. 35 . através de uma vida renovada. para ouvir o que o Espírito está dizendo hoje à Igreja. Motivação: um deserto de oração. especialmente nos decisivos."Formaram-se grupos para reconstruir a cidade. NOVO PROJETO RCC BRASIL – REAVIVANDO A CHAMA. a graça profética que é manifestada pelos carismas. Nossa escuta expressou-se no compromisso de assumir o rumo que nos impulsiona à missão: levar às pessoas do nosso tempo a caminhar para a verdadeira felicidade. e do Diretor Espiritual do Conselho Nacional.. na palavra de 1 Mac 12. onde o Senhor já havia suscitado. Hércules Daniel. 13 -14. " Espaço Privilegiado" O Conselho Nacional da RCC reuniu Conselheiros e Secretários Nacionais com a Presidência para a sua Assembléia Geral anual. Base de reflexão: em audiência mariana dominical. Deus tem exortado a RCC à ousadia de avançar para conquistar a terra prometida.. temos a graça profética de revelar à Igreja a dimensão carismática que lhe é própria. Somos fruto do Concílio Vaticano II. Vargem Grande (São Paulo). Sabemos que o Espírito Santo está presente e age. Secretaria Cristo Sacerdote. a reconstrução da casa. A dimensão carismática é co-essencial à Igreja."). o 26 .A reunião foi precedida de um retiro de silêncio. através da Ofensiva Nacional. de 17 a 20 de outubro de 2001. Antonello. conduzido por Pe. O Conselho Nacional e os Secretários Nacionais colocaram-se à escuta do Espírito para atualizar esta graça. E este o empenho que se espera neste momento da RCC diante da necessidade da redescoberta por toda a Igreja do sentido novo da evangelização que é repleto de frutos do alto. muda radicalmente as pessoas e a história. à medida que se torna fruto de um Pentecostes pessoal. A escuta e o discernimento nos levaram novamente à palavra de Ageu 1. a Igreja coloca-se à escuta do Espírito Santo.Ultimamente.

embora só com a metade da altura" (Nee 3. Outras prioridades: relacionamento com as comunidades. fortalecimento da intercessão (unida aos coordenadores nacionais e diocesanos. Vida de oração e de santidade sendo almejada por todos os membros da RCC. pois que o "circuito foi completado. cada um ao seu trabalho" (Nee 4. uma mentalidade nova. 38). retornamos todos à muralha. com enfoque principal nos grupos de oração e no resgate da dimensão querigmática dos grupos. à falta de oração pessoal e ao afastamento dos líderes dos grupos de oração. através de pequenos grupos. pois. 9b). Confirmação: 2 Cor 10. Levai adiante a minha obra". e cativamos todo pensamento e o reduzimos à obediência a Cristo". Após a escuta: foram discernidos os sinais que revelam problemas que retêm o avanço da obra. É necessário maior esclarecimento sobre a missão das Secretarias e das Coordenações diocesanas e estaduais. Lançou-se o Projeto " Reavivando a Chama". o enfraquecimento dos grupos de oração com a falta de manifestações carismáticas. por isso Eu hoje vos dou uma mentalidade nova. Discernimos através desta palavra que estes pequenos grupos são os nossos grupos de oração e que um reavivamento se fará através deles. não só um coração novo mas.Senhor nos mostrou a necessidade da reconstrução dos muros. Eu hoje vos dou. dando continuidade à caminhada iniciada pela Ofensiva Nacional. que por sua vez. Outros problemas referem se à omissão e acomodação dos líderes. As Secretarias terão como objetivo atingir os grupos de oração. Deixai os conceitos e os preconceitos. 27 . por exemplo. mosteiros e ordens contemplativas) e formação dirigida aos coordenadores de grupos de oração e diocesanos. Animados com o novo projeto " Reavivando a Chama". da falta de entusiasmo e do louvor comunitário.5: "Nós aniquilamos todo raciocínio e todo orgulho que se levanta contra o conhecimento de Deus. " nós. deverão ser instrumentos de formação de todo o povo. Profecia: " Eu quero vos lembrar que Eu sou a Cabeça.

afinal Deus é grande demais para ser colocado dentro das estreitas medidas da inteligência humana: tudo aquilo que a inteligência humana é capaz de explicar: “É mais fácil meter a água do mar numa pocinha cavada na areia da praia. Jesus estava pois no princípio pois foi gerado por Deus Pai antes de todos os séculos. os três são a mesma substância.19). A Igreja diz: Luz de Luz.13: “A graça de Nosso Senhor.Santíssima Trindade Em nome do Pai do Filho do Espírito Santo.. É o próprio Deus que se revela três pessoas O Pai é revelado pelo Filho Por que Pai? 1 – Porque é o Criador do mundo (assim chamado desde o Antigo Testamento) 2 – Porque é Bondade e solicitude de amor para todos os seus filhos (Is 66. Deus verdadeiro de Deus verdadeiro – Jesus Deus Filho. O Padre nos saúda no início da missa como São Paulo aos Corintios: 2cor 13. a sabedoria. chegar a compreende-lo é vida eterna”. Fomos nós que iniciamos esta saudação? Não é bíblica. nós fomos batizados assim.. do que colocar Deus no intelecto humano” Sto Agostinho. Jo 1. A Igreja chama também de substância. crer nele é piedade.13) 3 – Jesus revela: Deus é eternamente Pai em relação a seu Filho único! Mt 11. mas é um só Deus! Entre o Pai. Deus Filho e Deus Espírito Santo.1. que são 3 pessoas distintas. existe um amor tão profundo que eles formam uma só natureza: a Natureza Divina.27 Reciprocamente. 28 . Deus Filho só é Filho em relação a seu Pai Por isso Jesus o Verbo que “no início estava junto de Deus” e que “é Deus” Jo1. as línguas. Sendo para nós isso difícil de compreender a Igreja declara: “Mistério da Santíssima Trindade”. São Bernardo. aqui se calam a lógica humana. E o Verbo se fez carne. para que fale tão somente a fé: “Querer sondar este mistério é temeridade..” A escritura nos traz que há 3 pessoas em Deus: Deus Pai. o Filho e o Espírito.14.. Mistério – é absolutamente incompreensível para o homem. a ciência. uma só essência. (Mt 28. Diante deste mistério não temos palavras para explicar o que cremos.

É o nosso Redentor: Em Jesus Cristo nosso Senhor. ungido do Senhor. Criação. ressuscitou ao terceiro dia ! ESPÍRITO SANTO – é o Santificador. no entanto. São Unos. o Espírito Santo que procede. tem origem.8 diz que Deus é Amor. Como? Se I Jo 4. CIC 430. mas um só Deus em três pessoas. Não professamos três Deuses. restaurar. que habita em vós?” Pois “Se alguém me ama – diz o Senhor Jesus – guardará a minha Palavra. diz em Rm 5. morto e sepultado. na unidade perfeita da Santíssima Trindade. CADA UM TEM UMA MISSÃO NA SANTÍSSIMA TRINDADE: PAI – é o Criador. é a nossa entrada na unidade trina. Mas desde já somos chamados a ser habitados pela Santíssima Trindade. Cristo: tradução grega do termo hebraico. desceu a mansão dos mortos. e faremos Nele a nossa morada”. falou pelos profetas no Antigo Testamento. procede do Pai. Jo 14. a comunidade.26. 23). Opera interiormente a obra da salvação – santificar. Sua missão Redentora (ápice): foi crucificado. E como Pai e Filho são um. A obra Divina. e o meu Pai o amará e uniremos a ele. Messias. E é através dos dons que o Espírito Santo edifica a cada um de nós. o que nós percebemos nas missões divinas.26. Em ação desde a criação do mundo em Gen 1. é uma obra comum das três pessoas divinas.16-17. este amor. Deus Filho. Vida eterna com Deus. 29 . Funda a Igreja em Atos 2: manifesta a Igreja e também propaga a Igreja.O Pai e o Filho são revelados pelo Espírito Santo Antes da sua Páscoa. a fim de ensiná-los e conduzi-los à Verdade (ao Pai e ao Filho). o Filho que é gerado. (Ele cumpre a sua missão. Ele contém todos os demais dons.19 – “Não sabeis que o vosso corpo é templo do Espírito Santo. Jo 14. O Espírito Santo constrói assim o corpo místico de Cristo que somos nós a Igreja. Ele procede do Pai e do Filho: é enviado pelo Pai. cada pessoa opera a obra comum segundo a sua propriedade pessoal (qualidade própria).26. Jesus: Hebraico: Deus Salva. o Amor é o primeiro Dom. a Igreja.5 foi derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado. O Verbo também estava lá.13. O fim último de toda esta missão. Ele estará agora junto dos discípulos e Neles. FILHO – é o Salvador. em nome do Filho como unos em Jo 14. (Jo 14. o Espírito Santo é o Dom de Deus. Resumindo: A Trindade é UNA. O Espírito Santo é assim revelado como uma outra pessoa Divina: Jo 15. I Cor 6. ma são inseparáveis. ou seja. Eles são distintos em sua origem: é o Pai que gera. contudo. Criador do céu e da terra. Salvação e Santificação. Jesus anuncia o envio de um “outro Paráclito = Defensor”: o Espírito Santo. Deus todo Poderoso.2. seus membros. (CIC 687). Jo 16.

Fortaleza: dom da coragem e da força espiritual para vivermos a fé e suas consequências. Por ele. mas a verdade que se identifica com Jesus e que nos toma felizes -Mt 10. 25.ICor 2.os dons que recebemos na Crisma: Recebemos quando somos crismados . lCor 1. É também chamado dom da oração ou espiritualidade cristã.IJo 5.os 7 dons . Este dom nos faz saber. dom do testemunho da fé viva em Deus. o verdadeiro do falso e. 4 . É o dom do testemunho da fé viva em Deus. especialmente nos momentos mais difíceis . 3 . pronta e seguramente o que convém dizer e o que convém fazer nas diversas circunstâncias. São eles: 1 .IRs 3. 2 .9.Conselho: luz que o Espírito nos dá para distinguirmos o certo do errado.Piedade: produz em nós uma afeição para com Deus. 17. assim. 30 .Rom.Dons infusos e dons carismáticos Dons Infusos .Entendimento: aceitamos as verdades reveladas por Deus. 5 .Ciência: nos faz conhecer a verdade que é a Vida. E a ciência de Deus revelada aos simples . paz e alegria no Espírito . Por ele.23-24. Este dom nos faz entender melhor a vida sobrenatural .Sabedoria: busca-se por este dom não a sabedoria do mundo e seus valores. o Espírito Santo nos dá o gosto de amar e servir a Deus. 14. o Espírito Santo nos guia indicando o caminho a seguir. Dom de santificação que nos faz conhecer as coisas criadas. na realização de nossa vocação e da vontade de Deus a nosso respeito. especialmente nas situações cruciais. justiça. é o conhecimento de Deus e de seus mistérios . 1-5. 6 . entendemos que ali está a salvação .2Tim 1.8-11. do relacionamento com Deus numa vida com graça. 7.são os que acompanham o Espírito Santo sempre que nos é dado e que visam o fortalecimento e o aperfeiçoamento de cada um. 20. Fil 3. orientarmos acertadamente nossas vidas e a vida de quem nos pede orientação e conselho.Mt 11. Os 7 dons são individuais para o cristão para o robustecimento da vida cristã pessoal e para o testemunho a dar no mundo. Este dom nos dá uma compreensão profunda das verdades reveladas. nas suas relações com o Criador. e uma tema afeição para com as pessoas e coisas divinas. mesmo não compreendendo todo o mistério. dando-lhe a devida glória e louvor.19-20. adorando-O com amor sobrenatural e santo ardor.

quer pelo estudo. mas Vós”. São dados para que o homem possa fazer alguma coisa para a comunidade. O Espirito e os Carismas pertencem à Igreja unicamente porque ela os recebeu com dons gratuitos do Pai por Jesus Cristo. a vida sacramental. é o respeito pelas coisas santas. São concedidos para a edificação do Corpo de Cristo. a assiduidade da meditação da Palavra.dons de poder para o serviço da comunidade cristã. Os Carismas são graças. o desejo de servir. por amor. Os dons em si não aumentam a santidade. Como primeiro dom de Cristo à sua Igreja. que provêm do Espírito Santo. Podemos aperfeiçoar os dons. não dependendo de méritos nem esforços humanos. 29. Jesus nos 31 . podem levar a ela e não devemos nos impacientar quando seus efeitos não são tão imediatos quanto gostaríamos que fossem. é o temor de não cumprir fielmente seus mandamentos. Lc 23. que consistem em um poder. a vida de oração. pois os dons não são separáveis do Doador.Ef 4. falamos de graças de Deus e de ação divina na Igreja e em nossas vidas. 11-12 lCor 12. Por conseguinte. 4-7.34. isto é. Se a Igreja nasce de Deus e é manifestada no mundo aos homens na pessoa e na missão de Jesus. exercitando-os sempre que possível e necessário e ampliando nossa compreensão.Jo 5. Gal 5. Quando falamos em dons carismáticos. Senhor. busca-se o cumprimento da santa e amorosa vontade de Deus. O Espírito Santo é o dom por excelência. reverenciando sua santidade e nos afastando do pecado. enviado no Pentecostes. É do Espírito Santo que a Igreja recebe seus Carismas conforme lhe apraz. é o Dom que encerra em si todos os outros dons. de não dar a Deus a devida glória. como Jesus no ensinou .Temor de Deus: por ele imprime-se em nossa alma o desejo de estar estreitamente unido a Deus. Algumas condições para recebermos e perseverarmos na vida carismática: A simplicidade de coração e sua pureza. os Carismas.dons de serviço . edificada sobre os Apóstolos. capacidade para realizar algo. são manifestações de Deus em nós. 38. são ação criadora de Deus presente e atuante no homem dados a nós como dons gratuitos. e cuja finalidade é um serviço em favor da comunidade cristã. 3. Dons Efusos ou Carismáticos: São os “Carismas” . 8. como diz Santo Agostinho “não vossos dons. 42. é o santo temor de não pecar. quanto pela oração. 6. a perseverança à recepção dos dons espirituais. como todos os outros dons espirituais. como dons espirituais. a eliminação do pecado e das faltas que são obstáculos à ação de Deus. são a manifestação de uma única realidade: a vida abundante do Espírito.7 . a fim de santificar a Igreja e adorná-la com seus frutos . 22. ela é também vivificada pelo Espírito Santo. E a Ele que devemos aspirar mais do que os dons.

nossa incapacidade e ignorância ante as nossas próprias necessidades e as da comunidade. na rua. na cura de um enfermo. Para receber o dom de línguas é necessário que os batizados não ponham obstáculos.convida a pedir . procurando conhecer a maneira como o Senhor está agindo em nós. e encorajando-nos mutuamente. O dom de línguas é o mais fácil de deixar plena liberdade ao Espírito para glorificar a Jesus e ao Pai. Quando rezar em línguas? Tratando-se de uma oração particular pode-se fazê-la sempre que se queira: no quarto. mas que colaborem com Deus. porque sabemos que é o Espírito que inspira as intenções e as palavras mais adequadas a fim de chegarem diretamente ao coração de Deus. no trabalho. trata-se de um dom que o Espírito Santo preparou para suprir nossa fraqueza. O dom de línguas nasceu com a própria Igreja. 26-27. ou para pedir um favor especial. para a qual somos movidos pelo próprio Espírito (ICor 12. É a oração que brota do coração. Deus quer que cada cristão conheça quais são os seus dons e saiba como desenvolvê-los. outros há que o recebem após alguns dias ou semanas.Lc. tendo fé que Ele agirá através de nós.11). através dos dons carismáticos. Alguns o recebem simultaneamente com a efusão no espirito. Como receber os dons Rezar para obter os carismas obstáculos / Pregar o evangelho O Dom de Línguas O dom de línguas é o mais simples dos carismas. O dom de línguas é uma oração especial. o doador. A medida que trabalhamos conscientemente. através de nós. Para que serve o dom de línguas? Rm 8. Quando se recebe o dom de línguas? Não há regra fixa. desejando que Ele aja.9-12. É o Espírito Santo falando com o Pai através de nós. Enquanto oramos em línguas nos sentimos envolvidos por um mistério e sentimos uma profunda alegria e paz. mas é também o mais bonitos.11. veremos o poder de Deus manifestar-se cada vez mais. É uma oração completa e poderosa. 32 / tornar-se disponível / desprendimento / remover os . O dom de línguas é uma oração apropriada para qualquer circunstância. É oportuno rezar em línguas quando estivermos distraídos e quando não conseguirmos rezar de outra maneira.

Como confirmar a profecia Depois que a mensagem é proclamada todos devem estar em uma atitude de escuta para que o 33 . requer-se a interpretação. por vezes. pois é a mensagem que interessa. pode ser feita em línguas. não o transmissor) para transmitirnos o que ele tem a nos dizer.18). As línguas e a interpretação são dons que se completam. pronto a cuidar de cada um de nós. Quando há um profecia em línguas. mediante a inspiração do Espírito Santo. O Dom da Profecia “E profetizarão os vossos filhos e as vossas filhas” (At 2. E que não vos falará por si mesmo. A profecia é uma mensagem do céu. enquanto o Espírito não conceder o dom da interpretação. A profecia como vimos. Profecia é uma mensagem especial do Senhor dirigida a uma comunidade ou a um indivíduo. Sucede. Como ouvir uma profecia Quando os reunidos em oração ouvirem o inicio da profecia.. Ele quer nos falar do amor do Pai e dizer-nos que Ele mesmo está vivo e presente. neste caso. encorajamento e esperança. meditar e assimilar a palavra que veio de Deus. guiar-vos-á por toda a verdade. exortação. devem entrar em profundo e rigoroso silêncio de escuta. Ouvida a profecia o grupo continuará em profundo silêncio para acolher. Enfim é conveniente rezarmos em línguas toda vez que quisermos glorificar o Senhor e não encontrarmos as palavras adequadas. a assembleia deve manter-se no mais absoluto silêncio. esclarecimento. mas dirá tudo o que ouve e vos anunciará as coisas vindouras” (Jo 16. quando tivermos que tomar decisões importantes.quando estivermos fatigados ou deprimidos. São Paulo nos exorta a rezarmos sempre no Espírito: “por meio de toda a espécie de oração e de súplicas. A interpretação não é tradução literal da mensagem. Depois. que a mensagem em línguas é muito breve ao passo que a interpretação é constituída por muitas palavras. todos imediatamente. Profetizar é portanto.12). Mensagem de alegria. O Dom da Interpretação das Línguas "Aquele que tem o dom das línguas que reze para ter o dom de interpretá-las” (I Cor 14. “Quando o Espírito da verdade. vier.13). deve ser devidamente seguida de uma resposta à Deus. falar em nome de Deus.17). A interpretação das línguas é o segundo dom do Espírito Santo. orai incessantemente movidos pelo Espírito” (Ef 6. Jesus se serve de homens (nem sempre perfeitos. É Jesus que nos quer falar por meio do Espírito.

sentimentos ou palavras para confirmar a veracidade da Profecia.mas o que tenho te dou: em nome de Jesus Cristo.. fortes ressentimentos. E Deus que usa as mão dos médicos para livrar muitos corpos da morte.Senhor então confirme a profecia (ICor 14. Jesus está vivo entre nós. Jesus veio curar todas as enfermidades: espirituais. à Bíblia ou algum dogma da Igreja. pelos sacramentos. Os remédios embora produzidos pelos homens. “Não extingais o Espírito. cura-as com os sacramentos. O doente deve pedir a cura com fé. “Não tenho ouro nem prata . missa. e necessário que antes de mais nada ele queira ficar curado. 34 . de visões. ódio ou rancor. terço. sendo assim. da mesma forma como quando estava entre os apóstolos. através dos médicos e dos remédios. “Todas as coisas foram feitas por meio dele" (Jo 1.. através de moções dadas a outros membros da comunidade. (At 5. Jesus cura pelos meios naturais. deve ser rejeitada de pronto. mas o início da era das curas na Igreja. não perdoar o mal que os outros fizeram.dizia Pedro ao homem coxo . levanta-te e anda” At 3. As enfermidades físicas e psicológicas ou seja do corpo e da mente cura-as de três maneiras: pela medicina. mas examinai tudo. físicas e psicológicas.3). pronto para nos libertar das enfermidades e das culpas. As enfermidades da alma ou espirituais.. mas simplesmente da cabeça ou da oração do profeta. isto é. certos de terem recebido os mesmos poderes que o Mestre.29). Depois de Pentecostes. Para orarmos por um doente. Este não foi um caso excepcional. 1921). O Dom de Cura e Milagres “. Até a própria sombra de Pedro curava os enfermos. Não há enfermidades que Ele não possa curar. Jesus deu aos apóstolos os mesmos poderes carismáticos que ele possuía: “curai os enfermos” (Mc 16).. etc. Jesus cura hoje. comunhão. Para isso deve-se notar se a profecia contém alguma afirmação contrária a sã doutrina.6). Precisamos ensinar aos doentes que sempre recorram à Ele e não só em casos desesperadores. Devemos nos preparar para orar por enfermos Primeiramente devemos nos preparar pela oração. jejum.12). diretamente. pois estes são instrumentos em suas mãos. A mensagem proferida pela boca do profeta poderia não vir de Deus. Alguns obstáculos que por ventura poderão bloquear a intervenção divina devem ser afastados: pecados graves não confessados. etc. não desprezeis as profecias. pois se trata de uma falsa profecia. retendo o que é bom” (I Ts 5. imporão as mãos nos doentes e eles recobrarão a saúde”. em última análise são compostos de elementos naturais criados por Deus. os apóstolos os praticavam. Deus pode se utilizar da própria Palavra..

E ele que nos capacita para sabermos usar os demais dons. lenta ou não se realizar. O dom da fé serve de preparação para usar os outros.divisões. Fé significa entrega total a Deus e a sua providência. Quando não há discernimento surgem muitos problemas.problemas de relacionamentos pessoais entre os irmãos. Sem discernimento os demais dons podem se tomar perigosos. . porque sabe que seu pai a levará para um lugar bom e agradável. O dom do Discernimento dos Espíritos O dom do discernimento é o protetor dos demais dons. . A criança que anda de automóvel junto com seu pai. O dom da Fé “Esta é a arma que vence o mundo: a nossa fé” (I Jo 5. um raio de luz que parte de Deus para a alma humana. pois uma coisa boa pode servir para o mal. Deus ao criar-nos preparou um plano para cada um de nós. . Em geral a fé não invade corações trancados. devemos entregá-lo a Deus.mal uso dos carismas. querer o que Deus quer. mas ela permanece tranquila e alegre.4). “A fé vem da pregação e a pregação é feita por mandato de Cristo” (Rm 10. Quando temos um problema. Concluindo. devemos preparar o enfermo para o arrependimento ou fortalecer a sua fé. O homem de fé não crê simplesmente que Deus pode fazer a cura ou o que foi pedido. A fé é um dom de Deus. Claro que para vingar. porque quer que vivamos da fé . mas crê que o fará de fato ou antes que Ele já o fez. capaz de aniquilar todas as forças infernais. “Um líder sem discernimento é um estorvo para a comunidade”. A fé é a nossa “energia atómica”. a fé deve encontrar terreno adequado. Orar com palavras simples e espontâneas Devemos orar com serenidade. e sem preocupação de vermos logo os efeitos. e fazer a sua vontade. Saber discernir é pensar como Deus pensa. 35 . A cura pode ser imediata. principalmente o dom da cura e o dom dos milagres. como doenças incuráveis por exemplo. Deus não nos revela todo o plano que ele traçou para nós. milagres são curas impossíveis de se realizar aos olhos da medicina. Estes são os principais problemas de uma comunidade sem discernimento: . 17). podemos dizer que o dom da fé é um carisma relacionado com os demais. A tarefa de dar a solução é Dele e não nossa. não sabe onde este a levará. inveja e discórdias.abusos na ceia do Senhor.Devemos pedir o dom do discernimento para sabermos como devemos pedir.

O dom da Palavra de Ciência “A um é concedido. a linguagem da sabedoria” (I Cor 12. Poderíamos chamá-lo de diagnóstico que Deus faz de um fato. 36 . Este carisma é a aplicação prática e o uso reto do dom da palavra de ciência. E este dom que recebemos devemos defender a verdade de qualquer espécie de ataque. não conhecidos por meios humanos. Com o dom da palavra de ciência o Espírito Santo nos faz ver. não para a destruição” (II Cor 12. não podemos adquirir através do estudo. onde aplicamos a nossa inteligência e a nossa vontade.18). fatos. O carisma da palavra de ciência. por meio do Espírito a linguagem da ciência (I Cor 12. Revelou os pecados do paralítico e a vida passada da Samaritana. de um estado de espírito. de um problema. com o dom da sabedoria Ele nos faz agir. Também Jesus exerceu este dom. Este dom faz com que a nossa inteligência penetre nas verdades divinas sem que empreguemos o esforço do raciocínio.18). O dom de ciência apresenta-nos o panorama da situação e com o dom da sabedoria o Senhor nos revela qual deve ser o nosso comportamento em cada situação. por meio do Espírito. Podemos definir este dom como uma revelação sobrenatural relativa a situações.8). de uma situação e cujo resultado é comunicado à nossa mente. E este o dom que recebemos quando temos decisões difíceis para tomar. O dom da Palavra de Sabedoria “A um é concedida.“O Senhor deu-nos poder para a edificação. eventos passados. O dom da palavra de ciência em geral vem acompanhado da linguagem da sabedoria. presente ou futuros.

. Deus se vê obrigado a purificar a humanidade e manda um dilúvio salvando-se apenas um homem e sua família. c) politicamente .multiplicando-o numericamente.História da Salvação Após o pecado de nossos primeiros pais (Adão e Eva). viva em Haran e Deus não escolheu por nenhum mérito seu. Deus é que chega ao homem. Noé que foi o Pai do novo gênero humano. farei de ti uma grande nação. depois instruir seu povo de cujas raízes nascerá o Salvador: Jesus Cristo !!! 1) Deus constituirá seu povo de 3 formas a) externamente . 1) ABRÃO . como nós também ainda não entendemos muitas vezes que. Passam-se os séculos. ser igual a Ele.. mas é que ele tinha decidido por em ação seu plano de Salvação. esquecer a segurança de seu lar e partir. Não entenderam. seu futuro será incerto. e) pela esperança da vinda do Messias. Abrão já tinha terras e riquezas. E incapaz de salvar-se a si mesmo. Mas o pecado continua enraizado na natureza do homem. Chegado o tempo oportuno. b) internamente . E aqui começa a vida propriamente do patriarca. que lhe esmagaria a cabeça”. alcançá-lo. Ele põe em prática seu plano de salvação. mas de exclusividade com Deus. Deus deixa entrever uma grande recompensa: "Tua recompensa será grande. renunciar a estabilidade econômica. mas não tinha descendentes. Deus faz uma promessa de Salvação a eles: “O homem seria libertado do pecado com todas as suas consequências e o maligno seria derrotado por um descendente da mulher. É um passo vazio. (Gn 11). terá que romper com seu passado pagão. mais a maldade do homem se estendia por toda a terra. Mas nós vemos que com o passar das gerações. 2) Depois Deus instruirá também de 3 formas a) pela palavra dos profetas. o caminho é inverso.na terra prometida com a Monarquia. mas Deus não se esquece de sua promessa. o homem por si mesmo é incapaz de chegar a Deus. servia a outros deuses. Deus pede que ele deixe tudo. Deus vai constituir. No entanto. Abrão 37 . b) pelo sofrimento do deserto.Abraão Abrão era um politeísta. construíram então a Torre de Babel.com a doação da Lei e a Aliança no Monte Sinai. pretendem chegar a deus. e os filhos de Noé voltam ao pecado.

quando tinha 40 anos. e ele sente a angustia de ver o tempo passar e resolve intervir. Deus troca o nome de Abrão para Abraão e de Sarai para Sara e os abençoa. morreu com 185 anos e foi pai de uma grande nação. o sonhador que é vendido pelos irmãos e levado para o Egito como escravo e na prisão interpreta sonhos do faraó. Depois da morte e de Sara. e como a areia na praia. Benção de Jacó aos seus filhos (Gn.1). eles tiveram um filho cujo nome foi Isaac. limitações e pecados em sua vida. Deus o fará pai de 12 filhos. A glória de Jacó a quem se dá o nome de ISRAEL. 22. que também era estéril. Isaac. 3) JOSÉ NO EGITO Os últimos 13 capítulos de Gênesis.1 8). Quando o menino cresce. quando descobriu que a vida de Isaac era puro dom da providência divina. Deus abençoou em tudo (Gen. Ele rogou a Deus e ela ficou grávida e tiveram dois filhos. pois assim mais resplandece o poder de Deus. ele casou outra vez com Cetura e teve 6 filhos. porém no último momento Deus interveio e não deixa que ele mate seu filho (Gen. reside em sua fraqueza. e Abraão obedece. Somente a partir dessa experiência. foi que Abraão compreendeu que apesar de suas fraquezas. (acaba tendo um filho com Agar escrava de Sara sua esposa). Assim. aproveitando a que seu pai já estava velho e não enxergava direito.49. Quanto mais fraco ele é. fundamento das 12 Tribos de Israel. Jacó era um oportunista e com uma mentira apropria-se da primogenitura que pertencia a Esaú. Passam-se 24 anos de espera até a realização da promessa de Deus. Deus pede a Abraão mais uma prova de sua fé. quando Abraão tinha 100 anos e Sara 90 anos. porque obedecestes a minha voz” (Gen. 1-28). 22). Esaú e Jacó. mas Deus demora. agora foi o poder de Deus e não o engenho humano que interveio. são dedicados a esse filho de Jacó. o plano de Deus estava se realizando plenamente. Ele traz para Egito seus irmãos e seu pai Jacó e lhes dá as 38 . José. mas uma vez Deus não se limitou aos moldes humanos e escolheu quem foi de sua vontade.acredita nas promessas de Deus e parte já com 75 anos de idade. 24. Deus desde o inicio da história da Salvação nos mostra que seus caminhos serão diferentes dos critérios humanos. mais sobressai o poder divino. chantageando o irmão que estava com fome. “Multiplicarei a tua posteridade como as estrelas do céus. Todavia não foi a sua astúcia que conseguiu tudo. 2) JACÓ O filho de Abraão. Abrão dá um passo na fé e obedece a Deus. Depois interceptou a benção de seu pai. que o torna seu Ministro. que seria o sacrifício de Isaac. casou-se com Rebeca. Tudo que é impossível ao homem é possível a Deus.

Nasce Moisés (retirado das águas). se fosse homem. Deus o envia de volta ao Egito onde anuncia ao Faraó que foi chamado pelo Deus único a libertar o seu povo. pois o faraó queria matá-lo. gafanhotos. nem na sabedoria dos homens. São nessas circunstâncias que Deus decide constituir os filhos de Abraão como um povo.melhores terras do Egito (Gen. Tem um encontro com Deus no Monte Horeb. tem 2 filhos e passa a cuidar do rebanho de seu sogro Jetro. Um dia matou um soldado egípcio que batia num israelita. Deus o obriga a renunciar a tudo que ele tinha. 13-14). o fizesse morrer. Deus. sempre se compadeceu de seu povo. mosquitos. mas gosta de andar no meio do povo. Antes de confiar-lhe a missão. que 39 . porque as israelitas temiam a Deus e não cumpriram a ordem. que era formoso aos olhos de Deus (At 7. não vai se fundamentar nem na força. seus privilégios (filho da filha do faraó). serviu-se até mesmo do faraó e de sua casa para levar adiante a salvação. Não tomam o caminho mais curto. 4) MOISÉS Os descendentes de Israel se tornam muitos e o Faraó Ramsés II do Egito se preocupou porque se tornaram em maior número e mais fortes que os egípcios e resolveu torná-los escravos (Ex. Deus envia ao Egito as 10 pragas rãs. 1. Sua mãe o escondeu por 3 meses. Todavia o plano de Deus caminhava através dessas circunstâncias. Um dia resolve ir além do deserto e sua história se transforma por inteiro. 3). Mas esse método também não deu cedo. Deus educa e faz amadurecer o libertador de seu povo. Deus o despoja de todas as seguranças humanas para deixar bem claro que a libertação de seu povo. Moisés tem boa educação. até a terra prometida. trevas etc. mais ou menos 2 séculos.20). O Faraó deu ordens às parteiras para que ao nascer um israelita. educa e prepara em sua casa o maior libertador de todos os tempos. inclusive o filho do faraó. e vivia feliz. Após a morte de Jacó e de José muitos anos se passaram.20). mas unicamente no poder divino. úlceras. No deserto. Nessa noite começa uma longa caminhada que vai durar 40 anos. sua cultura e sua sabedoria. levou-se ao Rio Nilo onde a filha do faraó o encontrou e se encantou por ele. colocou-o numa cesta de vime. como o Faraó o ignora. e a partir daí sua vida nunca mais foi a mesma (Ex. ocultou o corpo na areia. O próprio faraó que tinha proposto aniquilar o povo de Deus. mas aquele que Deus traçou Foi preciso atravessar o mar Vermelho. e por fim a morte dos primogênitos egípcios. Moisés casa-se com Sífora. só que foi descoberto e fugiu para o deserto de Madiã. depois não podendo mantê-lo oculto. 50.

Deus repete isso a seu povo. Levítico. Isto é até mesmo para nós. o mais glorioso de todos os homens e o mais querido de Deus. Esta conquista não foi fácil. Os capítulos 19 a 24 do Êxodo. Moisés sobe ao Monte Nebo onde morre. será um povo unido em seu interior. revela uma mútua união de amor entre eles. como pela infidelidade do povo. não havia um governo comum. Depois de ter cumprido uma das missões mais difíceis que Deus tinha confiado a um homem sobre a terra. No Sinai estabeleceuse um matrimonio entre Deus e seu povo. 5) JOSUÉ Foi escolhido por Deus para introduzir e estabelecer o povo na terra prometida. o mau humor. Para se estabelecer era preciso expulsar os antigos moradores da terra. Ele concede a terra. A Aliança no Monte Sinai: Aliança é o termo jurídico que os israelitas usaram para anunciar suas relações com Deus. 40 . que são as "cláusulas" da Aliança “Eu serei teu Deus e tu serás meu povo”. Com 120 anos Moisés passa a direção do povo de Deus a Josué. 16-20). Moisés foi o maior dos profetas. o único vínculo era o culto a Javé Deus Uno. e o Messias sairá deste povo. Ele resume o Antigo Testamento. O quadro que o autor apresenta é impressionante e não tem paralelo (Ex 19. Deus mandava um novo juiz que os livrava da opressão e eles voltavam a infidelidade. Mesmo com suas fraquezas. Eles eram oprimidos e humilhados por serem um povo fraco e desorganizado. o grande intercessor. mas cabe ao homem submetê-la. Moisés era um grande homem de Deus. Crescia a necessidade de um governo geral que unificasse as tribos. acalmar a murmuração. Israel quer um rei como as outras nações. Esse luxo de detalhes tão abundantes é apenas a moldura do essencial: Deus que desce ao homem para santificá-lo e dar-lhe a lei (10 mandamentos). As 12 tribos são governadas então por juizes. são o núcleo mais importante do Antigo Testamento. viessem as codornizes (codornas). Enquanto permanecesse fiel a Javé. aparece em Êxodo.caísse Maná do céu. e de ter repetido a benção de Jacó aos seus descendentes. Vem então a Monarquia. seu sucessor que entrará na terra prometida. o deserto é lugar de prova. Poderíamos sintetizar dizendo Deus faz o que o homem não pode fazer. por isso esse período é caracterizado tanto pelas constantes invasões dos inimigos. Números e Deuteronômio. mas não o substitui naquilo que o homem pode realizar. O último juiz foi Samuel. reclamações. foi um trabalho árduo e perigoso submeter a terra.

muito orgulhoso resolve se proclamar rei em seu lugar. Salomão pede “um Coração que escute” (1 Rs 3. Eclesiastes e Cântico dos Cânticos. nascido em Belém de Judá. e as suas mulheres perverteram-lhe o coração. por isso o Espírito Santo também o abandonou. segundo o coração de Deus. Depois disto acontecido. Como agradecimento Deus concede a ele qualquer coisa que ele peça. O pecado chorado serviu para que o eleito de Deus não esquecesse sua miséria e que sem Deus não era possível fazer algo bom. E chamado o rei modelo de Israel. que canta. Já velho. é invejoso. "Deus quando perdoa. e é o testemunho vivo de que Deus perdoou Davi totalmente. O filho daquela com quem Davi cometeu um dos maiores pecados de sua vida. filho de Isaí. porém ele não é dócil ao Espírito Santo. trata de matá-lo. foi ungido pelo profeta Samuel. se enamora de Betzabé. porque teve mais confiança em si mesmo e abandonou Javé.7) DAVI Deus escolhe Saul como primeiro Rei de Israel. Com Salomão o reino atinge o máximo do apogeu comercial. a Arca da Aliança é trazida para Jerusalém e a cidade de Davi será seu Sacrário. seu filho. nós também devemos esquecer se não estaremos duvidando da misericórdia de’ Deus. A figura de Saul é trágica. Davi é um homem. Davi envelheceu e Adonias. pois foi eleito por Deus e é rejeitado. político e bélico. Pastor. cultural. Davi é um dos mais importantes personagens de toda história sagrada. esquece. Davi é um grande Rei e cantor. leva Betzabé para seu palácio. A vida de opulência o levará a idolatria Teve mais de 700 esposas de classe principesca e 300 concubinas. Salomão é responsável por 3 livros da Bíblia: Provérbios. pede perdão a Deus (SI. 8) SALOMÃO O sucessor de Davi é seu filho Salomão. Será também um homem limitado. onde coloca a Arca da Aliança (480 anos depois da saída do Egito). Para seu sucessor ele indicou Salomão. chora dança e ama. filho de Betzabé. 51). e tipo do Messias que há de nascer de sua linhagem. elas o seduziram seu 41 . ciumento dos dons que Deus concedeu a seu servo Davi.9). Este coração atento ao Senhor dará a Salomão uma sabedoria extraordinária. e prepara a morte de seu marido. Mas estes não eram os planos de Deus nem a vontade de Davi. ora. Salomão edifica o templo de Javé. fazendo-a Cidade Santa e capital do Reino. A ele virão rei e rainhas. pecadores e prostitutas e para cada um ele terá sempre uma palavra de sabedoria e paz. Davi também é um homem fraco e falha. Deus manda o profeta Natã até ele e o repreende. casada com Urias. Davi se arrepende. Depois de conquistar Jerusalém.

briga com o servo de seu pai Jeroboão e separam as tribos. Estamos diante do último capitulo de preparação para a vinda de Jesus. converte-se em terreno baldio. Deus envia-lhes os profetas homens inspirados como Elias e Elíseu. 19 reis sucederam cada um. Os profetas não são aqueles que falam de Deus. o silêncio e a cruz entram no plano de Deus para educar-nos e formar-nos embora nem nós. Jeremias. Estavam sempre em brigas. • Povo de Deus. No exílio começa-se a descobrir que a dor e o sofrimento são meios para a educação do povo. Para corrigir e melhorar os reis e o povo. Sofonias. Daniel. corrige e educa na justiça. • A Arca da Aliança. A dor. Os profetas tiveram papel muito importante no desenvolvimento religioso e na formação do povo de Deus. • A Terra concedida por Deus. a solidão. quem leva adiante o plano de Deus não são os sábios e poderosos deste mundo. ápice desta profecia. mais do que nunca na História da Salvação. mas os pequenos e simples. Tem valor formativo e construtivo dentro do plano de Deus. Ezequiel. Morre Salomão e seu filho Roboão assume. e 2 ficaram com Roboão (Judá e Benjamim). eles tinham geralmente quatro facetas: a) Severo: rigoroso com a fidelidade a Deus. 17-20). 9) CISMA Israel se divide política e religiosamente e se precipita para o desmoronamento por causa de sua infidelidade. Oséias. c) Edificante: a palavra de Deus ensina. Assim: • Do Templo de Salomão não fica pedra sobre pedra. mas os que falam em nome de Deus. Joel. 10 tribos ficaram com Jeroboão. O povo eleito perde sua razão de ser. Amós. É a última etapa de purificação. Zacarias. pobres não economicamente e socialmente. os pobres de Javé. Malaquias e outros. d) Exortativo: faz um chamamento. Em 586 Nabucodosor com seu poderoso exército invade Jerusalém e reduz a nada a antiga glória salomânica (II Cron. Esse longo peregrinar do povo 42 . Por fim.coração para seguir outros deuses (1 Rs 11. mas em disposição interior voltadas para Deus. nem ninguém o compreenda. Isaías. não havia mais remédio para a rebeldia de Israel e o castigo é a última coisa que Deus utiliza para que seu povo se converta. alerta o povo para a pureza e santidade. 4-6). b) Consolador: conforta e reanima o povo — Livro da Consolação (Is. escolhido por Ele é lançado no meio das outras nações. 40-5 5). sinal de presença de Deus desaparece para sempre.

homens simples. que ouviram a voz de Deus e foram tementes a Ele. 10) CONCLUSÃO A História da salvação nos mostra. Com ela e nela se cumpre a promessa maior e mais importante que Deus tenha feito ao homem caído. Com Abraão e todos os patriarcas. Ela é o final glorioso de todas as etapas preparatórias à vinda do Salvador e o laço de união com o Novo Testamento. pecadores. Nela chega ao cume a preparação que precedeu a vinda do Messias. Seu nome era Maria e morava numa aldeia ignorada pelo Antigo Testamento (Nazaré da Galiléia). sempre procurou reatar a Aliança que nós mesmo rompemos com Ele. fundamentais para a edificação do povo escolhido e a preparação da vinda de Cristo. que foram obedientes a Deus e foram. Is 7). 43 . portanto. (cf. pelos desígnios de Dele. aprendemos exemplos de homens limitados. apesar de nossa desobediência no paraíso. Deus. o projeto de Deus após o pecado original.escolhido foi coroado por uma mulher.

Mateus começa apresentando a genealogia de Jesus (homem). A igreja reconhece como canônicos (inspirados por Deus) os quatros Evangelhos: Mateus. mas garantiu aos Apóstolos na última Ceia. levar a Boa-Nova da Salvação a todos. Os Evangelhos são simbolizados pelos animais descritos em Ez 1.10 e Ap 4. Existem também evangelhos apócrifos que a Igreja não reconheceu como Palavra de Deus. o homem (Mateus). Para os apóstolos era “aquilo que Jesus fez e disse” (At 1. e com certeza. também. etc. o arrependimento dos pecados e a conversão dos costumes. enquanto Marcos e Lucas. Os Evangelistas são: Mateus. Lucas e João. São os de Tomé. Jesus pregou sem nada deixar escrito. 25) e lhes “ensinaria toda a verdade” (Jo 16. que o Espírito Santo os faria “relembrar todas as coisas” (Jo 14. eles contém verdades históricas junto com narrações fantasiosas e heresias. É a força renovadora do mundo e do homem. Mateus e João foram discípulos diretos de Jesus. que é tido como morada do leão. O três primeiros são chamados de “sinóticos” porque podem ser lidos em paralelo. o touro (Lucas). De 20 a 30 anos após a morte de Jesus os Apóstolos sentiram a necessidade de escrever o que pregaram durante esses anos. portanto palavra viva de Deus.OS EVANGELHOS A palavra “Evangelho” vem do grego “evangélion” que quer dizer “Boa Notícia”. para que as demais comunidades fora da Terra Santa pudessem conhecer a mensagem de Jesus. Foram escritos por discípulos ou seguidores de Jesus. já de o São João é bastante diferente.1). sabe que nunca errou o caminho da salvação. de Nicodemos. de Tiago. Cada Evangelista tinha um propósito específico ao escrever seu 44 . Destes. Foi a tradição da Igreja nos séculos II a IV que tomou esta simbologia tendo em vista o início de cada evangelho. Lucas e João. Marcos.13). Marcos tem início com João no deserto. O principal propósito dos Evangelistas é demonstrar que Jesus de Nazaré é o Messias prometido e enviado por Deus a todo o povo de Israel e a todos os homens. Os Evangelhos são conjuntos de Livros Inspirados. a Igreja que nasceu com Pedro e os Apóstolos.6-8: o leão (Marcos). mediante o Batismo. de Pedro. milagres e a narração da morte e gloriosa ressurreição de nosso Senhor Jesus Cristo. os Evangelhos da Infância. e João começa com o Verbo eterno que das alturas desce como uma águia para se encarnar. que trazem os ensinamentos. Lucas começa com Zacarias a sacrificar no Templo um touro. a águia (João). Visam. todos nos anos seguintes à Ascensão de Cristo aos Céus. Desta promessa. Marcos. seguidores destes.

que por sua vez foi discípulo de S. e o Redentor do Homem. É o primeiro que foi escrito em Israel e em Aramaico. Isso porque eram dirigidas às comunidades cristãs fundadas em diferentes lugares. exatamente aquele que Jesus chamou para segui-lo. o Bispo Pápis. Evangelho de Mateus Mateus foi um dos doze Apóstolos de Cristo. Ele escreveu para os judeus de sua terra. condenação. a calcular e a narrar os fatos. 45 . Era o único dos apóstolos habituado à arte de escrever. Evangelho de Marcos O segundo Evangelho relatado no Novo Testamento é o de Marcos. Marcos não foi discípulo direto de Jesus.10. (Mt 28. Foi também companheiro de São Paulo na primeira viagem missionária (At 13. Um de seus principais pontos é o ensino de Jesus sobre as “Bem-Aventuranças”. Morte e Ressurreição de Jesus Cristo. mas seguidor dos Apóstolos. vindo da Casa de Davi. Jesus disse: “Vem e segue-me.5. Todos foram traduzidos para o grego. quando se encontrava em um posto de cobrança de taxas. pois era cobrador de impostos. 2Tm 4. Eis que estarei convosco até a consumação dos séculos”. conforme a conversão e a propagação do Cristianismo. O objetivo da narração foi mostrar aos judeus que Jesus era o Messias anunciado pelos profetas. especialmente de Pedro. Cl 4. tendo em vista que o mundo romano da época falava o grego. na Frígia. de Hierápolis. do Filho e do Espírito Santo. por isso. O Evangelho de Mateus é o primeiro que aparece na Bíblia. ensinai-as a observar tudo que vos ordenei. que o chama de filho (1Pe 5. Compreende-se que os próprios Apóstolos o tenham escolhido para esta tarefa. O texto de Mateus foi traduzido para o grego. por volta do ano 50.Evangelho.9). Batizai-as em nome do Pai. Comprova-se aí a historicidade do Evangelho de Mateus. bem como o dramático confronto de Jesus com o demônio. O texto aramaico de Mateus se perdeu. Já no ano 130. que foi discípulo de S.11). O Autor demonstra claramente que Jesus é o “Rei de Israel”.16 e ss). Policarpo. língua universal na época. fala do Evangelho de Mateus no século II. no deserto. cita muitas vezes o Antigo Testamento e as profecias sobre o Messias.13). Seu relato termina com a declaração missionária de toda a Igreja: “Ide e fazei com que todas as nações se tornem discípulos. Serviu de modelo para Marcos e Lucas. Também Santo Irineu (200). fala deste texto. O homem levantou-se e o seguiu”(Mt 8. Mateus descreve de modo bastante intenso o processo de prisão. convertidos ao cristianismo. João evangelista.

Ao que parece, foi o primeiro a escrever a vida de Jesus, antes mesmo de Mateus, e isso por volta do ano 50-55 d.C. Seu nome aparece nos “Atos dos Apóstolos”. É o menor de todos e o menos sistemático na apresentação dos temas. Marcos nos apresenta Jesus como “O Grande Servo de Israel”, que veio ao mundo para “Sacrificar-se pelos homens”. Como Mateus, Marcos relata a Ressurreição de Cristo, primeiro às mulheres, como a Maria Madalena, e em seguida a seus Apóstolos. Marcos termina seu Evangelho de forma também missionária. “Ide por todo o mundo, proclamai o Evangelho a toda criatura. Aquele que crer será salvo; o que não crer será condenado”. ( Mc 16,15 ). Evangelho de Lucas Lucas não era judeu como Mateus e Marcos, mas pagão de Antioquia da Síria (Cl 4,10-14). Era culto e médico. Ligou-se profundamente a São Paulo e o acompanhou em trechos da Segunda e terceira viagem missionária do apóstolo (At 16,10-37; 20,5,21). No ano 60 foi para Roma com Paulo (At 27, 1-28) e ficou com ele durante o seu primeiro cativeiro (Cl 4, 14; Fm 24) e acompanhou Paulo no segundo cativeiro (2Tm 4,11). A Tradição da Igreja dá testemunho deste Evangelho. O texto foi escrito em grego, numa linguagem culta e há uma afinidade com a linguagem e a doutrina de São Paulo. Foi escrito por volta do ano 70. Como escreveu para os pagãos convertidos ao cristianismo, não se preocupou como o que só interessava aos judeus. O evangelho de Lucas é talvez o mais gracioso em estilo e em citações de fatos do nascimento e da infância de Jesus. O próprio evangelista nos diz que tentou se informar de todas as palavras, ações e milagres de Jesus. Ao que tudo indica, colheu informações inclusive de Maria, relatadas principalmente no início de seu Evangelho. É Lucas quem nos relata a anunciação do anjo Gabriel a Nossa Senhora, o nascimento de Jesus numa gruta de Belém, a visitação de Maria a sua parente Isabel (mãe de João Batista), o episódio do menino Jesus aos 12 anos discutindo com os doutores da Lei no Templo de Jerusalém, etc. Mateus mostra um Jesus como Mestre notável por seus sermões – o novo Moisés, Marcos o apresenta como o herói admirável (o Leão da tribo de Judá – Ap 5,5), Lucas se detém mais nos traços delicados e misericordiosos da alma de Jesus. É o evangelho as salvação e da misericórdia. É também o evangelho da Espírito Santo e da oração. E não deixa de ser também o evangelho da pobreza e da alegria dos pequenos e humildes que colocam a confiança toda em Deus. Foi Lucas quem também narrou o Livro “Atos dos Apóstolos”, onde se narram os fatos, viagens e acontecimentos da vida dos primeiros cristãos, principalmente de Pedro e Paulo.
46

Evangelho de João São João era filho de Zebedeu e Salomé e irmão de Tiago maior. Testemunhou tudo o que narrou, com profundo conhecimento. É o “discípulo que Jesus amava” (Jo 21, 40). Este Evangelho foi escrito entre os anos 95 e 100 d.C, provavelmente em Éfeso onde João residia. João não quis repetir o que os três primeiros evangelhos já tinham narrado, mas usou essas fontes. Escreveu um evangelho profundamente meditado e teológico, mais do que histórico como os outros. Contudo, não cedeu a ficções ou fantasias sobre o Mestre mostrando inclusive dados que os outros evangelhos não têm. O último evangelista canônico do Novo Testamento é o Apóstolo João, o mais jovem seguidor de Cristo, autor também do último Livro da Bíblia, o “Apocalipse”, ou Livro das Revelações. O Evangelho de João é de cunho eminentemente “Espiritual”, pois enfatiza a todo o momento o caráter Divino de Jesus. Não que os demais Evangelistas não o façam, mas em João essa característica é fundamental. Por esse motivo, João inicia sua narração com seu famoso “Prólogo”, onde diz que “O Verbo era Deus”. E ainda: “E o Verbo se fez carne e habitou entre nos”. Pela leitura atenta de seu Evangelho, percebe-se que João já supunha conhecida, por seus leitores, a vida de Jesus, narrada pelos demais evangelistas, e que desejava completar de modo mais “teológico” o que os seus colegas escreveram. De fato, segundo os estudos de especialistas bíblicos, o cristianismo já se encontrava bastante difundido por todo o império romano, e não havia a necessidade de se estender muito sobre o cotidiano de Jesus, e sim sobre sua divindade e harmonia com Deus-Pai. Ainda assim, é emocionante o relato dos milagres de Jesus, como a ressurreição de Lázaro, a cura do cego de nascença e outros, com todo seu colorido diálogo e riqueza de imagens que os caracterizam. A parte final de seu Evangelho, a partir do capítulo 14, é um estudo sublime de alta teologia, onde Nosso Senhor Jesus Cristo explica sua origem Divina, sua relação com Deus-Pai e a vinda do Espírito Santo, “que vos lembrará de tudo que Eu vos disse, e vos ensinará outras tantas coisas”. É nesse momento que Jesus ora: “Para que todos sejam um, como nós somos um, Ó Pai”.

47

OS SACRAMENTOS.
O que é um sacramento? O Sacramento é um sinal ou ação visível. Sendo sinal externo quer insinuar que ele indica e simboliza algo, uma realidade. Pôr exemplo: fumaça é sinal que há fogo em algum lugar. Assim também existe nos sacramentos um sinal visível que é apercebido pelos nossos sentidos, pôr ex.: água, óleo, pão e vinho ou palavras que são proferidas. Pelo material Deus quer conduzir os homens ao espiritual. Sacramentos são sinais sagrados instituídos pôr Jesus Cristo que conferem ao homem a graça de honrar a Deus, santificar sua alma e praticar a caridade e a justiça. Quais são os sacramentos da Igreja? Os sacramentos da nova lei foram instituídos por Cristo e são sete, a saber: o Batismo, a Confirmação, a Eucaristia, a Penitência, a Unção dos Enfermos, a Ordem e o Matrimônio. Os sete sacramentos atingem todas s etapas e todos os momentos importantes da vida do Cristão: dão à vida de fé do cristão origem e crescimento, cura e missão. Nisto existe uma certa semelhança entre as etapas da vida natural e as da vida espiritual. CIC 1210 Deus Oferece a todos os homens a sua graça, mas a colaboração do homem e indispensável para que a graça produza o seu efeito. 01 - Batismo O santo Batismo é o fundamento de toda vida cristã, o pórtico da vida no Espírito (“vitae spiritualis ianua”) e a porta que abre o acesso aos demais sacramentos. Pelo Batismos somos libertos do pecado e regenerados como filhos de Deus, tornamo-nos membros de Cristo, e somos incorporados à Igreja e feitos participantes em sua missão. CIC 1213. Disse Jesus a Nicodemos: Em verdade te digo, quem não nascer da água e do Espírito Santo não poderá entrar no reino de Deus. O que nasceu da carne é carne, e o que nasceu do Espirito é espirito. Não te maravilhes que tenha dito: necessário vos é nascer de novo. (João 3,1-5). O valor do Batismo. Pôr que o batismo é o sacramento mais necessário? Assim é necessário que todos se convertam a Cristo e sejam incorporados em Cristo, no seu corpo, pelo Batismo. O Batismo é necessário para todos os homens, porque só pelo Batismo recebemos vida nova em Cristo. Quem quiser participar da vida da graça deve ser primeiro batizado, pois sem o batismo os outros sacramento não podem ser recebidos validamente.
48

Muitos homens recebem o batismo de desejo, isto é, se conhecesse o valor e a necessidade do batismo, ele receberia o sacramento e faria tudo o que fosse necessário para cumprir a vontade de Deus e se salvar. Ele será salvo por caminhos e meios que são conhecidos só ao Divino Espirito Santo. Também o Batismo de sangue substitui o batismo das águas. Recebem o Batismo de sangue os mártires que sofrem uma morte violenta pôr amor de Cristo antes de serem batizados com água , são batizados no seu próprio sangue. Quem perder a sua vida pôr minha causa, salvá-laá. (Mateus 10,39). O que é o Batismo? O Batismo que nos salva, não consiste em uma remoção das impurezas do corpo, mas é um compromisso solene de uma consciência boa para com Deus, pela ressurreição de Jesus Cristo, Mas quando a bondade de Deus apareceu, ele salvou-nos na sua misericórdia pelo banho regenerador no Espirito Santo. O Batismo é o sacramento em que o homem renasce de água e do Espirito Santo para a vida nova em Cristo. Já no Antigo Testamento encontramos várias figuras e símbolos a respeito do valor e do sentido do batismo. Ex.: o dilúvio, só se salvou quem estava na arca. Só se salva quem se batiza. A passagem pelo mar vermelho. Os Israelitas deixaram a terra da escravidão para entrarem na terra da promessa. Quem se batiza é libertado do pecado, para viver a liberdade dos filhos de Deus. Pelo Batismo o homem é regenerado para participar da vida divina, é incorporado em Cristo, inserido no seu mistério, é morto, sepultado e ressuscitado com Ele. Recebe o Espirito de doação, transformando-o assim num verdadeiro adorador que o Pai procura. Mas o Batismo é apenas o início ou ponto de partida da vida Cristã. O cristão consegue somente a plenitude da vida em Cristo quando pratica a fé e se engaja ativamente na comunidade cristã, participando da vida e missão da igreja. Quais são os efeitos do Batismo? Quem ouve e aceita a Boa Nova de Cristo recebe pelo batismo a cidadania no reino de Deus. Deus o recebe com grande bondade como seu filho. João escreve: Vede que amor nos tem o Pai. Seu amor é tão grande que somos chamados filhos de Deus e de fato, o somos. (1 João 3,1). O amor de Deus sempre está perto e o acompanha em todos os seus caminhos, e mesmo ele esquecendo de Deus, o amor do Pai persegue o filho ingrato.

49

O espírito de Cristo deve penetrar na vida do cristão e fortalecê-lo na luta contra as forças do mal. Se cremos na comunhão dos Santos. porque também ela necessita do batismo e tem direito de participar dos frutos da obra redentora de Cristo desde o início de sua vida. Vela acesa . participam da sua vida e suas graças pôr que então excluir as crianças desta vida? A Igreja batiza a criança. foi marcado com um selo sagrado. (II Cor1. Pôr que não tirá-lo pelo batismo? Pelo batismo a criança torna-se filha de Deus e membro do corpo de Cristo. Símbolos do Batismo O óleo dos catecúmenos . Pôr que a Igreja batiza crianças? O Batismo é antes de tudo uma graça de Deus que Ele oferece gratuitamente ao homem e também às crianças. veste da graça.Confirmação ou Crisma Com efeito. justiça e caridade. dedicar-se ao apostolado da Igreja. Unção com óleo da Crisma . enriquecidos da força especial do Espírito Santo. 02. A unção do batizando na testa significa que ele de agora em diante participa do sacerdócio e realeza de Cristo. Como o óleo penetra na pele da criança. luz da graça.na alma da criança foi acesa uma nova luz. e assim mais estritamente obrigados 50 . dar testemunho de uma vida cristã na oração.Sacerdotes e reis antigamente eram ungidos com óleo. isto é: todos os fiéis que pertencem a igreja pelo batismo. Pelo Batismo somos filhos de Deus e irmãos de Jesus Cristo: o batismo apaga em nós o pecado original e nos comunica a vida nova da graça de Cristo: (graça santificante). “pelo sacramento da Confirmação (os fiéis) são vinculados mais perfeitamente à Igreja. honestidade. Porque então negar esta graça às crianças? O pecado original também existe nas crianças (Sl 50) . Compromisso do Batismo Quem foi batizado. que deve ser conservada até o fim da vida.é símbolo de que o cristão foi revestido de Cristo. Veste Branca . está obrigado perante Deus e a comunidade cristã de professar a sua fé. nos aceita na comunidade dos fiéis Igreja) e nos faz herdeiros da glória do céu. Ef 4. o Espírito Santo foi colocado no seu coração. da fé. assim Cristo penetra na vida da pessoa.O Batismo é administrado só uma vez. 5-6). Quem foi batizado pertence a Deus para sempre.22.

por meio da Eucaristia. estes. pôr isso a crisma também é chamada sacramento do apostolado. onde tanta gente pára no bê-a-bá da religião e nunca mais evolui espiritualmente. mas confessar francamente o Cristo crucificado. é um encontro consciente com Deus e com a comunidade. santidade. para entender e viver os ensinamentos da nossa fé e construir um mundo melhor no amor. uma confirmação daquilo que ele recebeu no Batismo. a confirmação deve fortalecer a alma. Confirma e ratifica a decisão que os pais e padrinhos tomaram em seu lugar na hora do Batismo. Os que foram elevados à dignidade do sacerdócio régio pelo Batismo e configurados mais profundamente a Cristo pela Confirmação. recebe o Espírito Santo e sabe que se espera dele agora. deixou de ser criança. O bálsamo impede putrefação e espalha um odor agradável. é o sacramento dos que já chegaram a uma certa maturidade na fé. como verdadeiras testemunhas de Cristo devem difundir e defender tanto por palavras como por obras”.à fé que. participam com toda a comunidade do próprio 51 . O sacramento da Crisma não é de absoluta necessidade para a salvação. O cristão. verdade e justiça. 03 . Pelo sacramento da Crisma ele confirma pessoalmente este ingresso. Confirmação. Pelo Batismo ele foi introduzido na comunidade cristã. Esta unção deveria ser o resultado de uma opção consciente do jovem cristão.Eucaristia A Santa Eucaristia conclui a iniciação cristã. Na Crisma recebemos a Espírito Santo com os seus dons. • O sinal da cruz na testa significa que foi impresso na alma do crismando um caráter sagrado e indelével e que ele nunca deve se envergonhar da cruz. E num país como o nosso. Assim como o óleo fortalece o corpo. • O crisma é um óleo santo perfumado bálsamo e bento solenemente pelo bispo. Pôr isso. podemos concluir que este sacramento deve ser muito mais valorizado e vivido. CIC 1285 Crisma: porque é unção com óleo da Crisma. sacramento da maturidade ou sacramento da juventude cristã. Neste sacramento o cristão recebe as graças ou os dons do Espirito Santo para professar firmemente a sua fé. Mas para o cristão crescido na fé. uma decisão pessoal Envolve uma opção consciente. Indica que o crismando deve se preservar da podridão do pecado e espalhar o odor da virtude cristã.

Figuras. Nesta ocasião Jesus entregou aos apóstolos seu grande testemunho de amor.Quando Jesus mudou a água em vinho. Ele provou que também tem poder de mudar vinho em seu sangue. sentido e eficácia deste sacramento. Muitos séculos antes de dar aos homens a sagrada eucaristia. mostrando valor. mas também é o mistério do amor. A Eucaristia é o alimento maravilhoso que Deus oferece ao seu povo na viagem para a eternidade. ele preparou seu povo para este mistério de amor. amou-os até o fim. Então os Judeus murmuravam entre si e diziam: como este nos pode dar a sua carne para comer? Jesus respondeu: “Em 52 .Na multiplicação dos pães Jesus prova que tem poder absoluto sobre o pão. que é o cume. Na celebração da Eucaristia Jesus se oferece em sacrifício pôr todos nós. CIC 1322. Quando e como Jesus prometeu instituir a Sagrada Eucaristia? Foi na sinagoga de Cafarnaum que Cristo prometeu aos judeus o sacramento da Eucaristia. Ela é o memorial da morte e ressurreição do Senhor. tendo amado os seus que estavam no mundo. é o centro e ponto culminante de toda a vida de comunidade. . A Eucaristia é o mistério da nossa fé. vínculo de caridade.. E o ápice da nossa religião. e ao mesmo tempo se dá em alimento a todos os fiéis. banquete pascal em que se recebe Cristo. preparou o espírito do homem. Deus é um pedagogo sábio e prudente. autor da salvação. A Alma se enche de graça e nos é concebido o penhor da glória futura. a Eucaristia. A Eucaristia é fonte e coroa de toda a evangelização porque torna presente a Cristo. Exemplos .O sacrifício de Melquisedec indica a matéria da Eucaristia. . a coroa do amor de Deus para com os homens.Como Abraão devia sacrificar seu único filho. é o verdadeiro pão do céu. Deus oferece seu único filho Jesus no sacrifício da cruz que é posto presente em cada missa. sinal de unidade. São João começa o seu relato da última ceia em Jerusalém com as palavras: percebendo Jesus que chegara a sua hora de passar deste mundo para o Pai. . pão e vinho. O pão que eu vos darei é minha carne para a vida do mundo. é o sacramento de piedade.sacrifício do Senhor. e que o pão eucarístico não se acaba para ser dado em alimento aos homens nas fraquezas de sua vida. símbolos e acontecimentos nos Antigo e Novo Testamentos.

Eucaristia fonte de amor e união A Eucaristia nasce do amor e gera amor. Sangue que é derramado e oferecido a beber. para que a hóstia e vinho consagrados fazem de muitos um só corpo. livre de todo o pecado grave. Tomai e bebeis isto é o meu sangue da nova e eterna aliança que será derramado pôr vós para remissão dos pecados”. Ele tomou o pão. Como devemos comungar O fruto espiritual da comunhão depende em grande parte do nosso modo de comungar. Toda vez que os homens de coração sincero receberem este Sacramento sentem entre si um novo impulso para se relacionar mais entre si. Muitos grãos de trigo formam uma hóstia e muitas uvas espremidas oferecem o vinho da consagração. E o memorial da morte e da ressurreição de Cristo. Condição essencial para uma boa e válida comunhão é estar em estado de graça. A Eucaristia torna-se assim o grande instrumento da aproximação dos homens entre si. se não comeis a carne do Filho do Homem e não beberdes o seu sangue então a vida não entrará em vós. A Eucaristia quer fortalecer o amor fraterno entre os homens a fim de que todos vivam em perfeita união de paz e justiça. Com estas palavras Jesus instituiu a Eucaristia. Quem 53 . A Sagrada Eucaristia nos conta: na noite antes de ser traído. isto é o meu corpos que é entregue pôr vós. Encarregou os apóstolos de fazer em sua memória o que tinha feito. mais digna. Quem come minha carne e bebe o meu sangue terá a vida eterna e eu o ressuscitarei no dia do juízo. A Eucaristia cria em nós corações. transformados pelo amor. Jo 6). agradeceu. respeitando os direitos dos próximos e cumprindo os seus deveres na sociedade humana. Corpo que é imolado e oferecido a comer. partiu-o e deu-o aos discípulos com as palavras: “Tomai e comei todos vós. mais cristã. que é banquete e sacrifício ao mesmo tempo. As próprias espécies usadas na Eucaristia indicam este sentido. Esta participação autêntica e consciente significa e realiza supressão de tudo o que divide os homens e efetua o encontro de todos a um nível superior.verdade. onde toda oposição fica eliminada. Eles cumpriram esta ordem e as transmitiram aos seus sucessores. (cf. A comunhão exige uma preparação espiritual e corporal. Assim a Igreja celebra continuamente a Eucaristia em memória do Senhor até Ele voltar no fim dos séculos. fazendo a nossa convivência neste mundo mais humana. Pois a minha carne é verdadeiro alimento e o meu sangue a verdadeira bebida”. uma só família. a Igreja. isto é. a família de Cristo. em verdade eu vos digo.

e a qual colabora para sua conversão com caridade. violências. ódio e vingança. Quem for comungar venha decentemente vestido. exemplo e orações”. Deus nos aceitou como amigos.indignadamente comer deste pão. torturas. Ex.Penitência “Aqueles que se aproximam do sacramento da Penitência obtêm da misericórdia divina o perdão da ofensa feita a Deus e ao mesmo tempo são reconciliados com a Igreja que feriram pecando.: pôr influência. embora nos esforcemos por fazer o bem. por rotina ou para fazer gosto para as outras pessoas. abster-se uma hora antes da comunhão de qualquer alimento. sentir o desejo de receber Jesus para santificação da sua vida. Quem julgar estar em pecado grave. Toda a humildade. descobrimos muitos males. A preparação corporal consiste no jejum eucarístico. Ele oferece o seu perdão. até os que se gloriam do nome de cristão. Ele não quer a morte do pecador . A comunhão exige o máximo respeito e reverência. O mal se avoluma ao nosso redor e parece que não há forças para detê-lo. sexo desenfreado. Não basta rezar simplesmente o ato de contrição. CIC 1422. Antes de tudo cada um examine cuidadosamente a sua consciência. Diariamente ouvimos falar de assassinados. Quem quiser comungar deve ter a reta intenção. isto é. Também no mundo em que vivemos ao lado das belezas e riquezas. come e bebe a sua própria condenação. isto é. o 54 . seduções. mas sim que ele viva e se converta.19). piedade e fé é pouco diante de tão grande mistério. Nunca comungar pôr outros motivos. roupa limpa e decente. (Rom 7. nos deu o sacramento do perdão. Se conscientize bem da sublimidade da santa comunhão. mas nem sempre correspondemos ao seu amor e nem sempre ouvimos a sua voz. humildade e fé. Seriam comunhões inválidas. pôr vaidade. superabundou também a graça. Mas onde superabundou o pecado. fazem coro nesta ladainha de crimes. guerra. fome. a não ser água. para ser visto e considerado piedoso. primar pela simplicidade e modéstia como convém ao ato. Quem quiser comungar prepare-se cuidadosamente pôr atos de piedade. prejudicando a vida espiritual da nossa alma. miséria. Depois da filiação Divina. Deus não abandona o homem no seu pecado. 04 . se está em estado de graça. praticamos o que é desagradável aos olhos de Deus. sólido e líquido. Sentimos em nós a inclinação para o mal. Não obedecemos seus mandamentos e não amamos os irmãos como Ele nos amou. deve primeiro receber o sacramento da confissão. podemos nos sentar a sua mesa. opressões.

Depois de nos ter dado a sua amizade o perdão é o ato mais bondoso de Deus. Mas não apenas pelas parábolas conhecemos o amor de Deus para com os pecadores. que não poupou seu filho único. Lembramos apenas algumas : A Mulher adúltera. que chamamos Penitência ou Confissão. mesmo que o homem se afaste de sua lei e da sua casa. Em verdade.perdão é o melhor dos Dons de Deus. Jesus institui o sacramento da penitência com as palavras: recebei o Espirito Santo. O Bom Ladrão: ‘ainda hoje estará comigo no paraíso’. (cf. O amor que nunca se acaba. mas o entregou à morte na cruz para salvar o que estava perdido. a eles serão perdoados. que nos mostra o quando Deus nos ama. Cristo que veio restabelecer a amizade entre Deus e os homens. (cf.8-10). A Samaritana. (Jo 3. sobretudo através das atitudes de Jesus.11-32). 55 . da mesma forma como os outros sacramentos. As Cem Ovelhas (Mt18. O sacerdote nos ajuda com seus conselhos e Cristo nos ajuda com a sua graça para emendar a nossa vida. nos trouxe o perdão. O amor que não se esquece de ninguém. Deus é o pai que espera ansiosamente a volta do filho. IJO 3). deveria ser o motivo de máxima alegria para você. Jesus nos conta as mais belas parábolas. a quem os retiverdes serão retidos. Por que devemos nos confessar a um sacerdote? Cristo estabeleceu como norma que o perdão dos pecados nos viesse através de terceiros. Confessar-se.11-14).16). Deus é o amor que crê e confia no homem. Mas é justo e conveniente que confessemos os pecados leves afim de nos humilhar e purificar também das faltas pequenas. Deus ama o pecador? Deus é amor. Recordamos as parábolas: A Dracma Perdida (Lc 15. O Paralítico: ‘filho tenha confiança teus pecados te serão perdoados’. homem. que tudo compreende e tudo perdoa. Jo 20). a quem vos perdoardes os pecados serão perdoados. nem do mais ingrato pecador. O amor levou Deus a tal ponto. Jesus ama e persegue os pecadores com seu amor para salvá-los. O Filho Pródigo (Lc 15. Instituindo aos apóstolos e seus sucessores como seus intermediários: a quem vos perdoardes os pecados. Quando há pecado grave é necessário se confessar antes de receber a Sagrada Comunhão.

mas exige um caminhar. para que os alivie e salve. Durante toda a nossa vida nos acompanha. que exige a boa confissão: 1. Ele se lembra de uma maneira especial dos doentes.Arrependimento . que também melhor pode ser chamada Unção dos Enfermos. é muito difícil não pecar mais. quando a pessoa começa pôr doença ou pôr velhice. Para nós humanos. a estar em perigo de morte. 3.Bom propósito . Neste Sacramento. a confissão dos pecados. certamente já é tempo oportuno para recebe-lo. Mas pelo menos tente! 05 .Unção dos Enfermos “Pela sagrada Unção dos Enfermos e pela oração dos presbíteros. A preparação. Cristo se encontra com os enfermos e lhes trás conforto nas dores da doença. Geralmente falamos em cinco partes.Exame de consciência – cair em si e refletir sobre a vida que esta vivendo. O sacerdote pede ao Senhor que Ele os alivie e salve.Cumprir a penitência dada pelo sacerdote.Modo de se confessar O sacramento da penitência não é um ato de momento. que sofreu e foi glorificado. não é um sacramento só dos que estão no fim da vida. Quem deve receber este sacramento? A Extrema Unção. CIC 1499. 4. 2. um progredir pôr diversos etapas.Acusar-se humildemente ao padre. 5. Durante 56 . O que é o sacramento dos Enfermos? Pela Santa Unção dos enfermos. Para eles instituiu um sacramento próprio.Colocar-se diante de Deus e se arrepender dos pecados. tentar não pecar mais. Exorta os mesmos a que livremente se associem à paixão e morte de Cristo e contribuam para o bem do povo de Deus.a promessa de melhorar. O Sacramento dos enfermos é o sacramento instituído pôr Cristo para conferir ao doente força e ânimo nas suas dores. dos pecados cometidos.A confissão . alimentar a esperança e lhe perdoar os pecados.A satisfação . e exorta os doentes a unirem-se livremente à Paixão e Morte de Cristo e contribuírem assim para o bem do povo de Deus. toda a Igreja encomenda os doentes ao Senhor. a ação de graças e finalmente a etapa de executar o que prometemos na confissão. a Igreja toda entrega os doentes aos cuidados do Senhor sofredor e glorificado. Cristo está perto de nós.

O sacramento dos enfermos conforta o doente. portanto não é mera função jurídica.2-4). dar seu corpo em comunhão. perdoar os pecados. Ele é o chefe de todo o culto que se oferece ao Pai.). no sacramento dos enfermos. O sacramento dos enfermos tem mais o sentido de confortar o doente. E o enviado do Pai. corno aconteceu com os apóstolos. pois é Ele que prega e administra os sacramentos. pregar a santa palavra a homens pôr ele escolhidos e predestinados. Cristo oferece seu poder de consagrar.muito tempo este sacramento foi considerado com sacramento dos moribundos. Pôr isso foi chamado extrema ou última unção. o presbiterado e o diaconado. e antes de uma operação grave. Nem o sacerdote pode arvorares desta dignidade e nem uma vez aceita 57 . Tiago (Mt 10. aconselhando e consolando o seu povo. Quem é o sacerdote? O sacerdócio é um chamado de Deus. Do seu sacerdócio eterno Cristo fez participar o Papa. Era considerado prenuncio da morte ou bilhete de ingresso no céu. Ele continuou celebrando o sacrifício santo e imaculado que é a missa. Comporta três graus: o episcopado. é portanto o sacramento do ministério apostólico. Ti 5. (cf. Cristo chamou Pedro. Ele não considera a classe social e nem cultura ou a raça dos escolhidos. Por que Cristo instituiu o sacerdócio? Cristo é o único Sacerdote que está no meio do Antigo Testamento. 13ss. Não como que a comunidade pudesse escolher. Cristo entrega sua tarefa santificadora a homens dentro da própria comunidade humana. CIC 1536. Cristo ainda hoje continua na sua função sagrada. Ele chama a quem ele quer. com idade avançado. para realizar a salvação e santificação de todos. Ele continua pregando a palavra de Deus. Ser sacerdote. os bispos. perdoa o pecado quando não é possível uma confissão e muitas vezes restitui a saúde. Deus toma a iniciativa. continua curando os doentes. os padres e diáconos. 06 . abençoando as famílias na sacramento do matrimônio. Pode ser ministrado as pessoas com doença grave. Ele é chamado e instituído pôr Deus.Ordem A Ordem é o sacramento graças ao qual a missão confiada por Cristo a seus Apóstolos continua sendo exercida na Igreja até o fim dos tempos. ajudando. João. Na Igreja. No seu sacerdócio Eterno que recebeu do Pai. continua tirando o pecado do mundo nos sacramentos do batismo e da penitência.

se dedicando exageradamente a atividades externas. carisma do celibato. Entre padre e fiéis deve existir clima de 58 . como se fosse um funcionário público ou operário que pede sua conta e procura outro trabalho. etc. Pôr exemplo: amor à oração. radical a Deus e a serviço dos homens. É necessário que o padre encontre na comunidade. Ele começa um novo gênero de vida. disposição a servir aos outros. a sua opção é irrevogável. Qual o relacionamento que deve haver entre sacerdotes e fiéis? O sacerdote vive para o comunidade. O sacerdote é o homem da fé. Daí tudo o que ele fizer e disser deve trazer um cunho sacerdotal. O sacerdote é sacer-dote. espírito de renúncia. o homem de Deus que vive em Deus e para Deus. amor à igreja. A sua missão nem sempre é fácil. Seria um grande prejuízo para a própria comunidade se o sacerdote se esquecesse da oração. é uma das principais tarefas do sacerdote.opção irrevogável Uma vez que o sacerdote aceita o chamado de Deus e se ordena livremente. A fé o ilumina nas suas decisões e atitudes. Te és sacerdote in eterno. a fé o sustenta. Ele não é sacerdote a prazo. Evangelizar instruir os fiéis nos ensinamentos divinos. futuros sacerdotes devem procurar descobrir se existe no candidato sinais autênticos de sua vocação sacerdotal. Critérios para vocação Também os responsáveis pela formação e ordenação dos seminaristas. um sagrado dote de Deus à humanidade. conforta e anima nas decepções da vida. porque aceitou o desafio de Moisés: conduzir um povo a seu destino. perdão e amor. para seu sustento físico e espiritual. bom trato ao próximo. onde ele trabalha um clima de compreensão mútua. Pela oração constante. para sempre. pode renunciá-la. Naturalmente a comunidade tem o direito e o dever de se manifestar a respeito de idoneidade e dignidade do candidato ao ministério sacerdotal.esta missão. ele vive da fé. mas também precisa da comunidade. ele se consagra de uma maneira total. conforta-los com as esperanças que emanam da palavra de Deus. mas para sempre. que formam a alma de toda a família cristã. que pertence exclusivamente a Deus e ao serviço de Deus junto aos homens. Opção Sacerdotal . dotes intelectuais suficientes para sua missão. muitas vezes ele é pedra de contradição. Sacerdote homem da fé e oração O sacerdote é o homem da oração. profunda e fervorosa ele leva uma vida de íntima união com Deus. no tempo e na eternidade. deve ser sacerdotalizado.

entre os batizados.Matrimônio “A aliança matrimonial. amor. O que é a família do plano de Deus? A família é a imagem de Deus. os esposos cristãos são robustecidos como que consagrados para os deveres e dignidade de seu encargo pôr um sacramento especial. por Cristo Senhor”. Esta vida tem como modelo e fonte o amor de Cristo pela sua Igreja. Homens e mulheres são chamados pôr deus para um vida de íntima comunhão e amor. contentando-se com o casamento civil. uma igreja doméstica. já não procuram o casamento religioso. Filho. 59 . mas é família. desempenham a sua missão conjugal e familiar e se aproximam cada vez mais de sua própria perfeição e mútua santificação. É o sacerdócio da família. pois ela revela Deus no mais íntimo do seu mistério. é ordenada por sua índole natural ao bem dos cônjuges e à geração e educação da prole. para ser um pequeno santuário.confiança. pela qual o homem e a mulher constituem entre si uma comunhão da vida toda. Pai. .-i 07. Espírito Santo. Por que os católicos recebem o sacramento do matrimônio? Já no paraíso. O matrimônio poderá ser chamado também: a consagração dos pais. Imbuídos do espírito de Cristo. Muitos não conhecem e nem prezam o valor e a importância do sacramento do amor conjugal. onde pai e mãe dentro do sacerdócio comum dos fiéis realizam a sua missão. Pois por este sacramento é santificada a família e consagrada ao Senhor. a Família Divina. Pois Deus não é solidão. à dignidade de sacramento. estão dispostos a fazer uma aliança para a vida toda e se comprometem mutuamente viver unidos no amor e fidelidade até a morte os separar. e foi elevada. O sacramento do matrimônio une os esposos para uma santa e indissolúvel aliança e lhes oferece as graças necessárias para cumprirem os seus deveres de esposos e pais. Devido a pouca instrução religiosa ou pôr comodismo e descuido. Jesus elevou esta aliança à dignidade de sacramento. respeito e ajuda mútua nos trabalhos pastorais e sobretudo oração recíproca. CIC 1601. Deus uniu homem à mulher pôr um vínculo sagrado. Por isso. Os noivos que recebem este sacramento.

Deus. De máxima importância é 60 . o único canal pelo qual se comunicou a fé dos pais aos filhos em várias gerações. Desde cedo o jovem deve aprender a renunciar aos interesses próprios e abrir-se para as necessidades dos outros. sentido-se também responsável pelo crescimento e desenvolvimento da comunidade onde vive. onde a maioria dos homens vive numa situação de miséria e sofrimento. capazes e dispostas a colaborar na transformação das estruturas pecaminosas para construir um mundo de amor. Educação para o amor Num mundo que prega o amor livre e onde a vida sexual é desvirtuada do sublime plano de Deus. que ela transmitiu de geração em geração. Educação para a transformação. santidade e sentido do amor. no amor e na oração. é de máxima importância que os filhos recebam dos país. Sobretudo no plano religioso e cristão ela tem sido o principal e as vezes.Missão da família na sociedade de hoje Sobretudo a família tem sido a grande transmissora de valores culturais. A fé é a luz na vida do homem que lhe mostra a estrada para seu último destino. do dinheiro. éticos e espirituais. Metas da educação hoje Educação para uma fé madura. Neste mundo de ódio e perturbação. a família cristã coloca hoje o testemunho da igreja doméstica que apesar de uma eventual pobreza e sofrimento vive feliz. Amor que é capaz de servir. deve possuir coragem de acolher para si um estilo de vida simples e modesta em contraste com a cultura e espírito consumista do mundo moderno. A experiência mostra quanto é importante na vida do homem e da sociedade a fé em Deus. porque vive unida na fé. Contra os ídolos do egoísmo. A família hoje. do poder e do prazer de consumir demasiadamente. de harmonia e fraternidade. Daí é preciso formar personalidades fortes. Educação para o serviço. a família cristã coloca o seu valioso contra testemunho de uma vida de fé e de renúncia em humildade e modéstia servindo a Deus e ao seu próximo. renunciar a si mesmo e doar-se para fazer a felicidade do outro. devido ao egoísmo dos homens e as grandes injustiças sociais. precisamos do testemunho de uma família onde esposo e filhos no seu relacionamento cotidiano são instrumentos e ministros do amor de Cristo. A educação deve sempre levar em consideração a realidade de hoje. O tempo presente precisa do testemunho vivo de uma família sadia. íntegra na sua moral e sua fé. da escola e da igreja uma sólida educação para a grandeza. No meio de tantas famílias desajustadas e frustradas.

que vivem juntos. para saírem do pecado e participarem ativa e vivamente da vida da igreja: porque só depois de casados na Igreja podem adquirir o direito de receber os sacramentos. a confissão. para propagar a liberdade do amor e do sexo. para que os jovens possam enfrentar a onda da pornografia e da imoralidade que hoje destroi maliciosamente todo sentimento do pudor. Enquanto não estiverem casados na igreja eles vivem numa união ilícita. pôr ignorância. é o caso dos que já contraíram uma vez casamento religioso ou civil com uma pessoa mas pôr uma insuperável incompatibilidade de caráter e temperamento ou pôr outros motivos se separaram e agora vivem em companhia de um outro. pois não é uma simples lei disciplinar da igreja. pôr isso também não podem receber os sacramentos da igreja. porém. Muito mais delicado. De outro lado. não pode rejeitar os que a procuram na sua aflição e angústia. como diz o povo. pôr verdadeiros motivos de fé desejam agora participar da vida e dos sacramentos da Igreja. compreensão e ajuda fraterna. merecem da parte da igreja toda atenção. Os que dizer dos que não são casados religiosamente? Há casais ambos solteiros e desimpedidos. 61 . descuido e outros motivos. pôr conselhos e convites deve se fazer tudo para que eles procurem receber a sacramento do matrimônio. talvez em plena harmonia e com grande número de filhos. Seria antievangélico e desumano desprezar ou julgá-los. Por uma catequese eficiente. como mãe. infelizmente estes casos hoje se repetem inúmeras vezes.hoje uma sadia e sincera educação sexual. pois a igreja. mas a indissolubilidade matrimonial tem como fundamento a própria palavra de Cristo. comunhão e crisma. não contraíram matrimônio religioso. a igreja também não pode abdicar da indissolubilidade e unidade do matrimônio. mas. Conscientes de sua situação. castidade e pureza. O que dizer a estes casais? Sem dúvida estes casos. no pecado. vivem amasiados.

(aceitam a boa nova) e Judeus (ficam presos às Leis de Moisés). vinda do Espírito Santo sobre os apóstolos e Maria em Jerusalém.. “.no ano 36 d.. At 2. sempre colocado como chefe e guia da vida Cristã das comunidades. há a transmissão dos dons aos batizados. promulga o Edito de Milão pelo Imperador Constantino. termina perseguições e no ano de 313. Pedro participa deste. Universal para todos. Eclesia = Casa de encontro. Os apóstolos são assíduos pregadores dos ensinamentos de Jesus. Atos 2. como determinante de nossa fé — Santo Anastácio Bispo de Alexandria. caridade imensa). a consciência de ter que se formar comunidades onde a fração do pão e as orações em comum criam uma união fraterna entre os homens.. Estima-se 100. • Perseguição Romana — inicia no ano de 64.Teodósio (Imperador). como sinal de acolhimento ao seio da comunidade. Romana = Sede da Igreja. Católica — (Grego). fundada em Roma.(cf.42). • • • Ano de 325 — Concílio de Nicéia: inicia a oração do Credo ou Creio.42ss). • Concílio de Jerusalém (ano 49). como outro pilar da vida Cristã (Atos. lançando assim a liturgia da Palavra. filho de Santa Helena. (a repartição do bens. Apostólica = Apóstolo = Seguidor. morre Pedro e Paulo.. religião Católica Romana é religião oficial do Império. pela imposição das mãos. 62 . Refeição em comum. IGREJA ANTIGA OU PRIMITIVA • Pentecostes + ou .PAPA LITIRIO. Ano de 380 .. presença de Deus (Epifania) — “Transforma” homens fracos e despreparados em intrépidos pregadores do Jesus Ressuscitado. Nero quer justificar incêndio em Roma. As comunidades se destacam. 2.dito de Tessalônica . Aprendiz. 1-13.C. o primeiro a usar o titulo de Papa. divide cristãos.” O Espírito Santo desce como línguas de fogo.000 mártires (Mártir Grego = Testemunho).HISTORIA DA IGREJA CATÓLICA APOSTÓLICA ROMANA Igreja — (Grego). Já aqui nestes tempos temos o Batismo (do Grego mergulho) incorporação ao corpo Místico de Cristo. Ano de 355 . Pedro. o Cristo.

SÉCULO V AO SÉCULO XV • Idade Média . propondo para isto o Sacramento da Reconciliação e não mais oferendas e sacrifícios. X ao Séc. a instituição só será novamente livre em 1929.• Ano de 390 — Imperador Teodósio divide o Império Romano em 2. IGREJA NA IDADE MÉDIA . Ano de 476 — Fim do Império Romano Ocidental — invasão dos povos Bárbaros. do Ocidente — Capital Roma. IV — Instaura Celibato nesta Diocese. migram para o campo onde cultivam a terra para subsistir. Idade Média compreende a queda do Império Romano do Ocidente (476) à tomada Constantinopla pelos Turcos Muçulmanos em 1453.Decadência do Feudalismo. Ano de 451 — Caldecônia — afirma a dupla natureza de Cristo. Igreja Primitiva — romper com Judaísmo para ser Universalista. V ao Séc. Aceita todo o povo e os convida a serem Santos e pecadores. XV) . X) — Forma e desenvolve o Feudalismo. Destaques como Santo Agostinho e São Gerônimo (Bíblia Vulgata). Início da instrumentação da fé pelo Estado. Alta Idade Média (Séc. com tratado de Latrão que concede ao Papa o Vaticano como sede da Santa Sé. medida regional que com o tempo se espalha. • • Concilio de Elvira Séc. a grande 63 . este fato custará muito caro à pureza da vida baseada no Evangelho. ou queda do Império Romano do Oriente. deposição de Rômulos Augusto. empobrecendo o povo e apagando o “brilho” das cidades. O povo perde a Cultura e o idioma latino. homens de fé e de capacidades intelectuais avantajadas. • Século IV a VII — Período dos Padres da Igreja ou Santos Padres. e nunca mais se uniram. A queda do Império Romano causou uma desagregação social e comercial. Ano de 431 — Concílio Éfeso — Maternidade Divina de Maria.Idade da Fé. Baixa Idade Média (Séc. comum à todos. Humana e Divina. pelos Germanos. estruturação da Igreja como Instituição. tornando-se aberta e não uma assembleia fechada de pessoas que se digam santas e irrepreensíveis. do Oriente — Capital Constantinopla (antiga Bizâncio e atual Istambul na Turquia). Colocam a literatura Cristã bem com o modo de vida social Cristão dentro de parâmetros aceitos até hoje.

são os monges que se espalham pelo Continente Europeu. caracteriza esta ação a conversão de Rei dos Francos. seja na partilha da colheita. • A Igreja nesta época se caracteriza pela vida monástica (Mosteiros) onde os homens se afastam do mundo para viver perto de Deus. Com a fragmentação do território do antigo Império. eremita — latim = eremus = deserto). enchendo-o de medo e pavor. Logo a traição e a mentira são abomináveis. além das “coisas de Deus”. ele as cede a quem bem queira. a força espiritual. se isolar (Monásticos — Grego = solitário. devoção aos Santos e Mártires. construção de grandes obras. às relíquias. como uma forma de manter o contato com Deus. Clóvis e 64 . Ao redor destes mosteiros. A Igreja mantém em meio a isto o idioma latino e parte da sua estruturação hierárquica é baseada na do Império. plantas medicinais (herança dos conhecimentos Greco-Romanos). Nestes tempos a conversão dos bárbaros era a meta principal para formar novamente o Império. Ano de 529 — Mosteiros de Monte Cassino ou mais tarde Mosteiro de São Bento — Monges Beneditinos. com perda de qualidade do fiel.massa camponesa agora é pobre e analfabeta. surge assim a vida religiosa e as ordens religiosas. seja na participação em guerras. em regime de concessão em troca de fidelidade. Como quase todos são analfabetos. todas as terras circunvizinhas são propriedade do Nobre. Via Sacra. para tentar de todas as formas reestruturar o Império. Nesta sociedade. Reis e Camponeses curvam-se frente dos membros da Igreja. logo estes fiéis querem se recolher. romano e fé Católica. Como exemplo os paramentos dos padres ainda hoje lembram as Togas Romanas. cultivar o solo. São Bento é o pai da Europa. o etério e inexplicável domina o homem. Houve a particularização do Estado. cada senhor faz sua Lei. o contingente das Igrejas havia “inchado” muito. cultura Europeia soma bárbaros. as fortalezas (cidades fortificadas por muros) adquirem grande autonomia e influência. cidades surgiram. como: Rosário. como plantar. a ignorância é total. a instituição se aproxima dos Reis e Governantes. pois estes detinham conhecimentos extraordinários. sendo a base de todas as relações. Surge assim as devoções populares. • O distanciamento entre povo e Clero foi inevitável e marcante. • Como a Igreja entra neste período mais bem preparada já que manteve o idioma único e a “biblioteca” com os conhecimentos de então. a palavra empenhada (juramento) tem valor inestimável.

surge Maomé e o Islã. Séc. foram postos à venda. retoma os territórios Pontifícios (Capital Roma) dos Lombardos. Nícolaísmo — Não observância do celibato.Franciscanos e Dominicanos. praticamente todos os cargos Episcopais e Abaciais. humildade e pobreza pregadas nos Evangelhos serão sublimadas e levadas às últimas consequências.As ordens de Clumy (derivam dos Beneditinos) e Cister serão as fontes de onde sairão grandes Pastores para a Igreja e para os Homens. o nomeado por sua vez apoderava-se dos bens da “sua” Igreja para pagar seus compromissos. bem como a atuação de São Patrício entre os Anglo Saxões. VII .de 3 mil guerreiros seus à fé Católica. permanecendo como propriedade da Igreja até 1870.As ordens Mendicantes . X À SÉC. futura França). com absolvição imediata (na Gália.Pepino o Breve. Nestes tempos. É Conhecido como período Escolástico. com a coroação de Carlos Magno (pelo Papa Leão III). Simonia — Comércio das coisas sagradas. sepultando o sonho de uma humanidade unida em Cristo. Ano 910 . era nomeado quem oferecia mais dinheiro e fidelidade ao soberano. mantendo em meio a grandes desvios da sociedade da época o fervor e o respeito aos Evangelhos. Nos anos 800 a Igreja se une aos Germanos (genericamente chamados de bárbaros). XV • Época do florescimento da Cultura Religiosa Cristã. vislumbre de um Império Cristão e de uma Cristandade Universal. São Columbano institui a confissão auricular e particular. o 65 . A simplicidade. e os devolve à Igreja. O testemunho destes homens mudaram a concepção de fé então vigente. BAIXA IDADE MÉDIA SÉC. São Thomaz de Aquino é desta época. É de se admirar que mesmo em meio a tantos problemas e dificuldades a Igreja tenha desempenhado sua missão Evangelizadora/Redentora e nunca tenha faltado homens e mulheres dignos e santos para seus quadros. afastando a fé do centro das preocupações da Igreja da época. surgem como antítese ao Clero da época que estava bastante corrompido pelas riquezas e condutas libertinas. A união entre igreja e império (poder Civil e poder Religioso) será causador de intrigas e luta pelo poder. • Ano 1100 . • Ano 750 .

vai se opor firmemente a isto. sentindo-se atingido convoca dieta (assembleia) em WORMS. para ser perdoado. Recebendo perdão Henrique IV retorna à Alemanha. por isso morro no exílio”.A III Cruzada é chamada Cruzada dos 3 Reis Católicos — Rei Ricardo Coração de Leão(Inglaterra). Ano 1100 . O Papa. • No ano de 1075 . foi a única que conseguiu tomar Jerusalém. Para o contexto da época era um golpe fatal ao Imperador que “arrependido” enfrenta o frio e os Alpes e durante 3 dias espera à frente do castelo. Frederico Barba Roxa (Alemanha). A Igreja sai deste conflito podendo eleger seus designados aos cargos que bem entendesse. 66 . fez grandes reformas na estrutura da Igreja.(Italiano) = sobrinho. que no Séc. Ano de 1230 . Nepotismo Atribuir cargos à parentes — Nepoti . simbolizado pelo BÁCULO e ANEL. Muitos padres.. A entrega de cargos e/ou benefícios era uma cerimônia chamada investidura. deixando a frase "Amei a justiça. porém saqueiam Roma.Concordata de Worms. bem como evitar seu avanço sobre o continente e permitir que os peregrinos católicos cheguem em segurança à terra santa. As Catedrais góticas expressam em pedras a fé do povo deste tempo. resolve a questão das investiduras. Ano de 1076 . com conseqüência desastrosas para ação pastoral e evangélica da Igreja. converteu-se na mais poderosa instituição da Europa Feudal. comanda por Godofredo de Bulhão. Os Normandos expulsam os alemães. Ano de 1122 . • Ano de 1099 . odiei a iniquidade. desolado. bispos até cardeais eram “investidos” de sua autoridade.A primeira Cruzada. Henrique IV. foi a resposta do Papa. onde o Papa se encontrava. abades. A motivação religiosa é determinante para a Cristandade tentar tomar dos Turcos os locais santos (Jerusalém).nome é em relação ao Papa Nicolau I. LX. esgotado pelas fadigas e dores. proíbe todos religiosos a aceitar investidura dos Ofícios Sagrados. desta forma constituindo um grave abuso de intromissão do poder temporal (Rei ou Imperador) nos assuntos religiosos/espirituais. e a excomunhão do monarca. onde os bispos seriam eleitos pelo Clero. recebendo do Papa o legado ou investidura espiritual.Imperador do Santo Império Romano Germânico. onde. morre em 1085.Papa Gregório VII (o Papa mais importante da Idade Média).Convocada as cruzadas pelo Papa Urbano II. Declara o Papa Gregório VII deposto. retira-se para Salermo. reúne exército e ataca a Itália (territórios pontifícios) para prender o Papa. no Concílio de Clermont. Rei Felipe Augusto (França).

dever Cristão de Confessar e Comungar no tempo Pascal. Seu pontificado de quase 20 anos colocou a Igreja no centro de todas as grandes decisões religiosas e temporais.. principalmente) começa a se destacar na sociedade. Seu poder era supra Nacional e ele se impunha sobre os Reis e Imperadores como representante de Deus sobre a terra. até a eleição.• Ano de 1200 . propagação da Fé e cura da alma como tarefa dos Bispos. Morreu em Perugia. Ano de 1290. questões doutrinárias e disciplinares da Igreja. supremo senhor feudal na Sicília e Inglaterra.Gregório IX. mais alta autoridade moral da Europa em seu tempo. Sua idéia sobre a missão do papado eram radicais para seu tempo. Salamanca e outras. junto com revoltas de camponeses e operários.. vitimado pela peste em 1216. terreno doado pelo Padre Sorbone.) começam aparecer. na vacança do cargo de papa um Cardeal deveria assumir. pelo conclave (conclave – latim = fechar com chave). o povo pede para ter intermediação da Igreja em outras questões (nesta época não há Direito Civil algum). • Ano de 1232 — Tribunais da Santa Inquisição . Convocou o maior Concílio da Idade Média o IV Latrão (1215). criados para solucionar. a princípio. nada acontecia sem sua anuência. etc. Muitas injustiças e exageros foram cometidos. Deu inicio as obras da construção do Vaticano. uma burguesia emergente (comerciantes. baseados nas Ordálias Divinas. Uma mentalidade Capitalista (visão de lucro. tribunais locais. onde define-se a Doutrina da Transubstanciação.Papa lnocêncio III . Foi Tutor de Frederico II (Imperador Alemão). e não ser nomeado pelo Imperador um sucessor. depois vieram Oxford . aprova as Ordens Franciscanas e Dominicanas. submetidos ao Papa (direito Canônico). 67 . é a de Paris. entra em declínio a Cristandade unida pela fé. salários. Com a morte de Inocêncio III. mas muita correção nos modos também A tortura como meio de se obter confissão é aceita na época como um meio legal dentro do processo investigativo. sob égide do Papa. próximo a Jerusalém. Também o sistema feudal entra em decadência.Primeira Universidade para estudos Teológicos e Filosóficos.Papa que teve maior poder na história da Igreja. morre assim o último cavaleiro cruzado. Para fugir das violências cometidas pelos senhores feudais. tomba mortalmente ferido. São Luiz IX. sem poder alcançá-la. • Ano de 1198-1216 . em seu leito de morte foi assistido por São Francisco de Assis.

em lembrança ao Cativeiro da Babilônia. tropas marcham para Roma e prendem o Papa. Provocando um mal estar junto à população Francesa. logo morre. Permanecem seus sucessores (quase todos Franceses) neste local até 1378. feudo da Igreja na França. Os legalistas do Rei descobrem o direito Romano e conseguem assim justificar melhor seus atos. com este argumento. Roma e Pisa). dois Papas.• Ano de 1300— Papa Bonifácio VIII e Rei Felipe. o Belo (França) entram em conflito pela disputa do direito de aplicação da justiça. até 1417. 68 . Este período é conhecido também como Cativeiro de Avinhon. o povo procura misericórdia Divina (procissão dos flagelantes) para suas mazelas e não encontra respostas. Bispo Francês. reunindo em torno de si a Igreja e fazendo um pontificado de 14 anos. • Ano de 1348 — Peste Negra mata 1/3 da população Europeia. Este. quando Gregório XI à pedido de Santa Catarina de Siena volta à Roma. que era consenso das 3 facções envolvidas. mas logo morre. • Ano de 1414 — 1418 — Concílio de Constânça. sem receber nenhum apoio do outros Reis Católicos. determina a renúncia dos Papas e antipapas em favor de Martinho V. uma igreja — CISMA do OCIDENTE — permanecem estas divergências (houve um tempo com “3 Papas” — Avinhão. Felipe manda falsificar uma bula Papal. eleito por interferência do Rei. Ano de 1453 — Queda de Constantinopla sob domínio Turco Muçulmano. IDADE MODERNA • Séc. muda-se para Avinhão. este episódio marca claramente a perda de poder temporal do Papa e a individualização dos Países.Séc. XV queda Constantinopla 1453 — Rev. XVIII. sentido de nacionalidade fica mais definido. • Ano de 1309-1378 — Os Papas de Avinhão — Papa Clemente V. caracteriza o fim do império Romano do Oriente e da Idade Média. Francesa 1789 . Os Bispos em Roma elegem Urbano VI e os Bispos em Avinhão elegem Clemente VII. Surge aqui a caricatura da morte como esqueleto com a foice numa mão (ceifar vidas) e ampulheta na outra (é chegado o momento). convocado pelo Imperador Cigismundo da Alemanha.

Politicamente.Caracterizada pela mudança no modo de produção feudal (agrícola) para produção capitalista (visando lucros). A experimentação e análise de resultados justificam tudo. • Nicolau Copérníco ( era padre) . e expansões marítimas. assim como descobertas. Socialmente. A Igreja nesta época. ocorre afirmação do poder Real através das Monarquias Absolutistas e a consolidação do Estado Nacional. Na Religião ocorre a maior crise pela qual passou a Igreja com a quebra da unidade Católica. Michelangelo (capela Cistina. Pietá. Nas ciências as invenções da pólvora. curioso e objetivo frente aos fenômenos do mundo. os custo são muito elevados. MECENAS . • J. 69 . cada Cardeal tem seu palácio e sua Corte. Davi). das novas terras.Teoria Heliocentrica. com aparecimento do Protestantismo (1517). A Cúria vive em extremo luxo. Os mosteiros perdem o rigor e entram em decadência. Movimentos Terrestre. Kepler — Órbita elíptica dos astros.Constitui o desenvolvimento da cultura humanista leiga e antropocêntrica. O poder Papal estava em declínio desde o cisma ocidente (Avinhão) e se acentua com a Renascença que prega a negação do divino/místico. • Galileu Galilei — Telescópio.Estudo da Cultura Greco Romana. temos a ascensão e predomínio da burguesia e a afirmação do humanismo. Rafaello (Madomas).Autoridades que favorecem e protegem os artistas — Leonardo da Vinci (Monalisa. impostos. também afeta as ciências. bússola e a imprensa alteram em definitivo os destinos da humanidade. taxas e indulgências são usados para levantar dinheiro junto aos fiéis. Itália é o berço e centro da Renascença. A Renascença. em que o homem é o centro e a razão de tudo — antropocentrismo. Santa Ceia). HUMANISMO . na qual o Cristianismo e o método experimental são pilares para novo desenvolvimento. tem os Papas envolvidos com as artes e a política Europeia. a rejeição frontal ao místico e ao mágico traz ao homem um espírito crítico. a disciplina religiosa desaparece. RENASCENÇA . • Isac Newton — Lei da Gravidade. • André Versálio — Pai da anatomia humana. Vocação religiosa perde espaço para interesses econômicos e sociais.

isto não foi levado à sério pelas autoridades eclesiásticas. o Rei Henrique VIII. ao propor a indulgencia comete alguns excessos e passa explorar a credulidade popular. a solução lhe pareceu estar na compreensão da justiça de Deus. • Na Inglaterra. teologia Calvinista (caracterizada pela austeridade e zelo religioso). as reações reformistas dentro da Igreja tiveram espaço. Lutero se revolta contra isto e propõe 95 teses para um debate acadêmico sobre assuntos políticos. (de onde vem o nome protestantes). • Martinho Lutero — Entre 1515 e 1517 viveu uma forte crise pessoal e religiosa. entre 1517 e 1520. As escolas Jesuítas se espalham por toda Europa. 2 acontecimentos marcantes: Papa Paulo III em 1540. América e Oriente. dogmas de fé e vida religiosa. Tomas Cromweli. pois ele era protestante e a grande maioria do povo francês. se proclama chefe da Igreja Inglesa e assim anula seu casamento com Catarina de Aragão (católica) e pode se casar com Ana Bolena. Dieta de Spira (1529) — Proíbe a expansão do Luteranismo. que ele colocou em Rom. Todas as tentativas de reaproximação com a Igreja foram frustradas e em 1521 Lutero é excomungado pelo Papa Leão X. 3. começa na Alemanha. apoiado por um advogado. pois a Bíblia Protestante fora traduzida por Lutero. Lutero fixou residência em Witemberg (seu antigo convento). teve filhos e morreu em 1546. Na Alemanha. O casamento dentro do “novo clero” é aceito. • Edito de Mantes (1598) — Rei Henrique IV da França promulga lei de tolerância religiosa. católica. se casou com a ex-freira Catarina Bora. Os Jesuítas eram homens de grande formação 70 . 28. • Contra Reforma ou Reforma Católica — diante da rápida expansão protestante. Porém.Neste contexto os clamores por reformas na Igreja se avolumam. O Bispo Tetzel. a expressão máxima desta sua compreensão. sua maior virtude. aprova a ordem fundada por Santo Inácio de Loyola “Companhia de Jesus” que tem na missiologia da pregação. onde Lutero morava. dividiu em Países menores e apropriou-se de terras da Igreja por príncipes e nobres protestantes. o recolhimento de esmolas através de indulgências. os príncipes de 6 cidades protestam contra. após recusar-se a se retratar. para a conclusão da Basílica de São Pedro. Entrementes. criando o clima favorável ao protesto do monge agostiniano Martinho Lutero em 1517. surge a Igreja Anglicana que tem cerimonial Católico. Imposição do idioma alemão-saxônico.

guardiã e interprete da palavra revelada. XVIII. do testemunho de fé e das obras. XVIII a Europa tem no absolutismo real seu regime político. necessidade de registros paroquiais de batizados e casamentos. distintos assim dos leigos (afastou mais ainda o povo de participar da missa). 71 . a ingerência nos assuntos da Igreja é inevitável galicanismo. Igreja é o Corpo Místico de Cristo. XVII a França é a grande potência Católica. daí todas as questões envolvendo o alto clero neste País vai influenciar os outros países e a Igreja como um todo. surgem assim os orfanatos. Atesta a veneração ao santos. Durou até 1563 com Pio IV. como exemplo a serem seguidos. isto quer dizer que todos os poderes estão nas mãos dos reis. doentes e velhos. a da Bíblia Vulgata em 1568. heróis de fé. Manteve a unidade dentro de um contexto de divisões. canonizado no séc. Organizou os cânticos sacros em métrica e rimas definidas. • Papa Gregório XIII (1572-1585) — Fundou a Universidade dos Jesuítas. Determina a necessidade de nossa cooperação dentro do projeto da salvação através dos sacramentos. denominada gregoriana. acordes de anjos ou celestiais — Canto Gregoriano • • • Papa Sisto V (1585 — 1590) — Inicia a revisão da Vulgata. esta é fonte de graças através dos sacramentos. Os reis se consideram herdeiros divinos. logo a unidade política dependerá de unidade religiosa do povo. Religião Católica é oficial dentro deste Estado e o rei torna-se seu defensor. O Concílio trouxe uma renovação moral. Criação Seminários para formação do clero. A partir do séc. No séc. foram Baluartes na defesa da fé Católica em todo mundo de então. Colocou a Igreja como mediadora. hospitais — casas de misericórdias. A Igreja é o braço do Estado responsável pelo assistencialismo (responsabilidade pelos órgãos. jurídica e disciplinar. com a edição Sisto-Clementina da Bíblia latina. Os sacerdotes são os que oferecem o autêntico sacrifício. Suas diretrizes governam a Igreja por 400 anos até o concílio Vaticano II em 1965. Basicamente. • Concílio de Trento — convocado por Paulo III em 1545. Matrimônio é sacramental e indissolúvel. asilos). de 1566. Proclamou São Tomás doutor da Igreja. Papa Clemente VIII — 1592— Conclui revisão Bíblica. reformou o calendário Juliano da época baseado em estudos mais adequados do tempo em relação à vida de Jesus Cristo = Calendário Gregoriano. patrocinou a edição do catecismo romano.teológica cristã e muito disciplinados. Papa Pio V.

fortemente influenciado pelo protestantismo. 72 . que quase foi queimado na fogueira por blasfêmia. em caso de sede vacante. quase todos fiéis faziam a Páscoa. bem como medo e ignorância geram episódios dolorosos como os de Galileu Galilei. Grande parte da população é analfabeta e não entende latim. passionistas. • Papa Inocêncio XI ( 1667-1689) não aceita a intervenção real que agora é lei na França. o rei receberia a rendas e poderia nomear o titular. 1801 . Bispos indicados pelo rei não são aceitos pelo Papa. XVIII. Surgem novos estatutos religiosos (trapistas. cria-se o impasse. o povo escutava atentamente aos grandes pregadores (as homilias duravam horas). O MOVIMENTO ILUMINISTA • É o movimento filosófico ocorrido no séc. 1682 — A assembleia geral do clero da França se curva ao poder real e aceita o galacanismo. A ausência de uma base Bíblica e Litúrgica leva à incompreensão da piedade Divina.) Um forte sentido de unidade e uma sincera aspiração à santidade dá a um grupo exíguo de sacerdote e leigos a vida e exemplo da Igreja pós-tridentina. a Igreja é rica e o segmento clerical é dominante na sociedade e goza privilégios.. mundo e sociedade. XVIII. Núncio apostólico Francês (espécie de diplomata que representa a santa sé) é expulso e os territórios de Avinhão que pertencem à Igreja são tomados. redentoristas. segura de si não se envolve com seu povo.1673 — Rei Luís XIV reivindica o direito de regalia de todas as dioceses e abadias. As conquistas científicas justificam o universo. Acentua-se as devoções populares como manifestações de fé do povo. em que a razão (e somente ela) é a base do entendimento sobre o homem. mantido no Concílio de Trento com língua oficial da Igreja. a teoria teocêntria da Idade média é colocada como retrógrada. a Igreja se acomoda frente ao pauperismo do povo e das causas que o motivam. que diz que. Filósofos iluministas criticam fortemente as desigualdades sociais. • No início do Séc. as monarquias absolutistas e pregam a intolerância à religião. A incompreensão e intolerância.Napoleão e Pio VII revogam as Leis Galicanistas e a renovação do episcopado francês é feito pelo Papa. práticas de fé exteriores como culto aos Santos Padroeiros.. às relíquias. Porém nem sempre se convertiam em mudanças interiores. Esta igreja é também autoritária e agora suspeita de tudo que vem do mundo secular. mas o quadro social é mais complexo e amplo. etc. a razão humana está no centro.

Voltaire — Prega o deísmo. É a demolição da ordem atual religiosa e social. Nos Séc. XVIII. XVIII. existe um Deus único. autor do Universo. sua obra principal: “O contrato Social na Economia”. quanto menos intervenção do homem melhor. Inglaterra (171). fora e acima das religiões e dos governos. Judiciário e Executivo. Com o tempo. Início: Séc. 73 . Montesquieu — Separa Poder em 3: Legislativo. seu livro. democracia. A MAÇONARIA Deriva das corporações de pedreiros e construtores da idade média. deixai passar. logo alcança grande repercussão no seio da sociedade. mas incapaz de agir neste universo. novas doutrinas são incorporadas na busca de um aperfeiçoamento filosófico do homem. que está acima de todas.Expoentes iluministas sociais. Rousseau — Igualdade social. Seus ritos e métodos sempre foram sigilosos. burgueses intelectuais e aristocratas se filiam às associações de construtores e começam a introduzir nestas entidades aspectos mais voltados ao social a filantropia. Os estragos na imagem da Igreja foram profundos e determinantes no futuro do povo Europeu ocidental. Desde o início a Igreja se coloca contra as ideias da maçonaria. Quesnay e Gournay — Deus estabeleceu leis naturais perfeitas. várias “lojas” se juntam sob uma só designação e é eleito ou nomeado o primeiro Grão Mestre. para a reconstrução da verdadeira fraternidade humana sob sua égide. era moda negar a religiosidade. principalmente Católico. Adam Smith — Inglês estabelece a lei da oferta e da procura. XVIII e XIX. Os filósofos e economistas também expõem suas idéias em viva voz nas praças e nos salões. aceitarem nada sobrenatural. A partir daqui os maçons se espalham rapidamente. O Iluminismo antropocêntrico favoreceu muito a disseminação da maçonaria na Europa. O Espírito das Leis. por terem clara tendência anticlerical. onde o “grande Arquiteto do Universo” recebe honras e reconhecimento. eram vendidos a baixo preço e escrito no idioma local. contudo. meados séc. Deixai fazer. sem. A ENCICLOPÉDIA Edição da idéias iluministas em forma de livros. religião da natureza. surge a escola liberal. os segredos das grandes obras góticas eram passados de geração em geração. A maçonaria contempla todos os homens sob uma única religião. o mundo se auto regula.

O exemplo que envolve o Brasil Colônia caracteriza esta ação: Marques de Pombal (que era maçon) levanta a possibilidade de que o atentado sofrido pelo Rei D. monárquico e absolutista. O liberalismo econômico massacra o homem do proletariado e grandes injustiças trabalhistas são cometidas. amplia as necessidades de matérias primas. pelo BREVE DOMINUS AC REDENTOR NOSTER. No séc.Extinção da Companhia de Jesus Pela sua grande expansão os Jesuítas causaram desconfortos nas ordens mais antigas e principalmente nos protestantes e maçons. Caracteriza-se pela ruptura com o antigo regime medieval. XVIII acontecem 2 dos mais importantes fenômenos da humanidade: Revolução industrial Pelo emprego das máquinas à vapor o homem consegue multiplicar as capacidades produtivas. • A Segunda metade do séc. Em 1814. este sucesso não deixaria de ter um preço. Estamos em 1759. a questão social nas cidades agora industrializadas tornam-se gravíssimas. Assim sendo eram um obstáculo e a destruição da influência da Igreja sobre o homem da época teria que passar pela destruição da Companhia. levando o homem deste tempo a questionar a ordem sócio-econômica e política.600 religiosos serviam. aumento as possibilidades de lucros. alimentando assim o expansionismo colonial. almejando melhorias para a vida do homem comum. liberdade e fraternidade. A partir deste fato o governo Português expulsa os jesuítas de suas terras e das colônias. Era de longe a maior e mais influente ordem religiosa. XVIII havia 669 colégios e outros tantos pequenos institutos Jesuítas. onde 22. o Papa Pio VII restabelece a Companhia. porém. Ideologicamente. Seu lema igualdade. se difunde por todo o mundo. porém. Uma enorme quantidade de boatos acusatórios começam a surgir para denegrir a imagem dos Jesuítas. José I teria sido possível pois seu confessor era Jesuíta e este levou informações valiosas aos possíveis agressores. Outros fatos semelhantes explodem por todos os lados e em 1773 o Papa Franciscano Clemente XIV extingue a Companhia. os Jesuítas eram contrários às idéias iluministas. Uma forte crise econômica e a fraqueza de caráter do Rei Luís XVI levam a edolir a revolução. nunca mais recobrará seu esplendor. A França era o País símbolo do antigo regime feudal. Os burgueses (classe média) ascendem dentro do poder político pois eles tem muito dinheiro. encurtar as distâncias. Revolução francesa Ocorre paralelamente à Industrial entre os anos 1789-1799. 74 .

Grande desordem social.Final da Idade Moderna. . assassinato em massa de padres e religiosas que não juravam obedecer à constituição civil.Países vizinhos temem pelas consequências e coligam-se para se defenderem sentido isto os revolucionários mais radicais (Robespierre. o Cardeal 75 . .ATUALIDADE • A igreja mantém atitude conservadora perante as mudanças políticas liberais. Humilhando o Papa. . Danton e Marat) tomam o poder. .Declaração dos direitos do homem . economia e política se segue. geograficamente a Europa está desarrumada pelas guerras Napoleônicas. apoia a criação da Santa Aliança encabeçada pelo Czar Russo Alexandre I.Divisão do poder civil em 3 poderes: Executivo. começa sua ascensão. a guilhotina funciona a todo vapor.Tomada da Bastilha pelo povo — prisão onde ficavam os inimigos da monarquia. muitas vezes injustamente presos. temos uma nova ordem social baseada no Iluminismo racionalista e antropocêntrico. na economia a industrialização e o colonialismo contrapõem-se à agricultura medieval.• Características mais importantes: . o massacre explode. aceita coroar Napoleão. Papa Pio VI confronta o Estado. Congresso de Viena (1815) — Restruturar o mapa da Europa após convulsões da revolução e das guerras Napoleônicas. Papa Pio VII retorna os Estados da Igreja em 1801 através de medidas diplomáticas. . a profanação das Igrejas.1799 Papa Pio VI tem os estados pontifícios tomados pela França.O culto extremado da razão levou ao deísmo. conservadores retomam o poder. colocam o povo contra o clero e nobres. Este toma a coroa de suas mãos e se auto coroa dentro da Catedral de Notre Dame. a Igreja sofreu enormes perdas. é o fim do terror. .O terror atinge até lideres extremistas e Robespierre é guilhotinado em 1795. que fossem atadas pelos liberais. IDADE COMTEPORÃNEA . Legislativo e Judiciário. . Foi reprimido ideais mais fervorosos.1800. invade novamente os estados pontifícios e faz o papa prisioneiro da França até 1814. em jovem General de nome Napoleão Bonaparte manobra habilmente dentro do poder revolucionário. as fronteiras foram apagadas. até 1830. Durante este congresso. que pretendia defender as monarquias Europeias.

Eleva a Cátedra de Pedro à mestra dos povos. Após 1840 nova onda revolucionária busca maiores direitos civis previstos em constituição. Reestrutura a Cúria Romana.Consalve secretário do Vaticano e sob ordens de Pio VII. Redução das injustiças sociais causadas pela revolução industrial e pelo capitalismo. Perde os territórios pontifícios para Itália unificada (186l). • Pio X (1903-1914) — Foi canonizado em 1954. Grande reformador da Igreja contemporânea. o Papa é refém no Vaticano de onde pede e não obtém qualquer apoio das monarquia Católicas (França em guerra com a Rússia) está criado o conflito entre a Igreja e o estado Italiano. 76 . . Fundou o Instituto Bíblico do Vaticano em 1909. 1869 — Convoca concilio Vaticano I — proclamação da infabilidade pontifícia. manteve uma atividade prevalentemente religiosa e pastoral.Encíclica Rerun Novarum alerta sobre a questão social humana envolvida no capitalismo.Abriu os arquivos do Vaticano à todos os interessados. pregando que a Igreja era um empecilho para o progresso da sociedade civil. . Com a política estando nas mãos agora dos burgueses/liberais um movimento anti clerical foi orquestrado. só foi resolvida em 1929. principalmente pelos maçons. 31 anos e 7 meses. . Reconhece o valor dos regimes democráticos e o republicano. mas na Itália de então.Grande habilidade política e conciliatória. 1867 — Primeira edição do livro “O Capital”. Engels. elabora o novo Catecismo que leva seu nome e o difunde pelo mundo todo. estas extensas terras legítimas da Igreja eram motivo de cobiça. Papa Pio IX (1846 — 1878) teve o mais longo pontificado da história. . nas questões de moral e fé quando fala sobre a luz do Espírito Santo. . Dom José Camargo de Barros. Consegue de volta os territórios pontifícios. • Papa Leão XIII (1878-1903) Inicia abertura da igreja e tenta reconciliá-la aos tempos modernos. 1854 — Proclamado dogma da Imaculada Conceição. Questão Romana. 1871 — A cidade de Roma é tomada pelo exército Italiano. proíbe o envolvimento do poder secular no condave. • • • • • • 1848 — publicado o manifesto comunista de Karl Marx.Marx e F.Criou a diocese de Curitiba 1892 — Primeiro Bispo do Paraná e Santa Catarina.

• Papa Pio XII (1939— 1958) — Homem culto e de forte formação diplomática. eleito já no primeiro dia do Conclave. • Papa João XXIII (1958— 1963) .O modernismo surge na virada do Séc.Convoca Concílio Vaticano II — aberto 1962. Muito viajado conhece as necessidades da Igreja e do mundo. Em 1958 falece fechando assim o ciclo tridentino da Igreja. estabelece uma teologia mais moderna.Lutou muito pela paz e a tolerância entre as nações para rejeitar a guerra. Em 1950 proclama a dogma da Assunção Corpórea de Maria ao Céu.Em várias partes da Europa os governos republicanos se separam da Igreja (não religião oficial) confiscam propriedades eclesiástica e perseguem religiosos. . não é . • Papa Pio XI (1922 — 1939) Pacto de Latrão 1929 — Papa deixa de ser prisioneiro no Vaticano. . suas obras e sua espiritualidade eram mescladas pelo individualismo e autoritarismo típico das premissas tridentinas. ..ouvido. A Primeira Grande Guerra matou 10 milhões de pessoas e feriu 20 milhões. • Papa Bento XV (1914-1922) — Manteve-se imparcial dentro do conflito armado. . 1917— Revolução Comunista na Rússia. afastamento de Deus e o materialismo consumista como causas da guerra. Na encíclica Beatossimum coloca o egoísmo nacionalista. era um homem alegre extrovertido. Escreveu a Encíclica Quas Primas — Institui a festa de Cristo Rei.Estimula a comunhão da criança só após idade da razão. 1914 inicia Primeira (hiena Mundial. Em 1953 Estabelece a Fundação Pio XII para o apostolado leigo. foi profundamente amado. reativa a obra pontifícia de assistência para auxiliar os povos envolvidos na guerra.Pediu Paz justa e equilibrada para evitar novos conflitos.Papa pressente a corrida belicosa na Europa e pede Paz. desagradando os aliados. durante seu papado temos ascensão do totalitarismo em várias partes do mundo. .Cria no Vaticano um posto de informações sobre prisioneiros de guerra e deportados. . Neste mesmo ano o Papa morre.Durante a guerra. XX exigindo uma consciência religiosa individual que está acima da revelação da Igreja. . .1910— Reage contra o modernismo através do Sacrorum Antistitum prescreve o juramento anti modernista que era a recitação do Creio. 77 .

sem dividir a natureza: uma é a pessoa do Pai. outra a do Filho. O símbolo está. Nossa profissão de fé começa com Deus. da segunda Pessoa divina e do Mistério da Redenção dos homens. podemos dizer com João Paulo I: Deus é Pai e é Mãe também. Deus criou o homem “à sua imagem e semelhança. A nossa fé católica consiste em adorar um só Deus na Trindade e a Trindade na Unidade. Quem reza o Creio está em comum acordo com a Igreja Universal. supera a paternidade e a maternidade humanas. pois Deus é o primeiro e o último (IS 44. Ele não é homem nem mulher. Ele é Deus. 78 . como Deus o é (cf. São dozes os artigos de fé contido na oração do Creio: CREIO EM DEUS PAI TODO-PODEROSO CRIADOR DO CEU E DA TERRA. é o que nos aponta o salmo 130 e Isaías no capítulo 66. CIC 239). Pois crendo em Deus. igual a majestade. porque Deus é nosso Pai. bondade e solicitude amorosa para com todos os seus filhos. é amoroso. Mas essa ternura amorosa de Deus é melhor indicada pela imagem da maternidade. Mas uma só é a divindade do Pai. e que você passa a aceitar todos os outro artigos de fé. fonte e princípio da nossa santificação. Aliás. Por isso. pois contido nesta oração está a síntese de nossa fé. outra a do Espírito Santo. sem nenhuma ajuda. igual a glória. notar que Deus transcende a distinção humana dos sexos. Atribuindo a Deus o nome de PAI. em seguida. isto é. a linguagem da fé indica principalmente dois atributos de Deus: que ele é a origem primeira de tudo e é. do Filho e do Espírito Santo. tudo criou. de corpo e alma. O homem é uno. sem confundir as pessoas. Deus é todo poderoso porque seu poder é universal: tudo pode. Convém porém. dividido em três partes: Primeiro fala-se da primeira Pessoa divina e da obra admirável da criação. Por isso.6). Ninguém é pai nem mãe. diretamente. de dar a existência a quem não tinha de forma alguma (o que significa “criar do nada”). criou-o homem e mulher”.Símbolo da Fé . que exprime ainda melhor a intimidade de Deus com sua criatura.Creio Apostólico. A doutrina de fé afirma que a alma. espiritual e imortal. finalmente. pois. é criada imediatamente por Deus. tudo governa. é misterioso porque só pela fé podemos conhecer a onipotência Divina. ao mesmo tempo. Deus criou o universo – o mundo dos anjos e o mundo dos homens – livremente. Quem diz creio diz “dou minha adesão aquilo que nós cremos”. com o poder infinito do criar. da terceira Pessoa divina. versículo 13.

NASCEU DA VIRGEM MARIA. CIC 487. venceu a morte . que tem o “poder da morte” (Hb 2. Crê também que a Santíssima Virgem Maria. por sua morte por nós. que é verdadeiro Deus. Por mistério da Redenção entende-se o amor de Deus que nos amou e nos enviou seu Filho como vítima de expiação pelos nossos pecados. foi elevada à glória do céu de corpo e alma. o corpo de Cristo morto. a pessoa do Verbo encarnado. Verdadeiro Deus e verdadeiro Homem. – Mc 1. Jesus morreu realmente e. Enquanto o corpo de Jesus esteve no sepulcro. 2 . 14). Descendo ao lugar dos mortos. não confundidas. Ele venceu a morte e o demônio. “não conheceu a corrupção” (Atos 13.E EM JESUS CRISTO SEU ÚNICO FILHO NOSSO SENHOR Segunda pessoa da Trindade . terminado o curso de sua vida terrena. RESSUSCITOU AO TERCEIRO DIA. a Mãe da Igreja. Maria concebeu a Jesus virgem e permaneceu virgem até sua morte.Nasceu da virgem (cf. Nosso Senhor Fi1 2. FOI CRUCIFICADO.14). antecipando a ressurreição de todos os membros de seu Corpo Místico. Is 7. a Pessoa divina do Verbo continuou a assumir tanto a alma como o corpo de Jesus. a nova Eva. 37).ICOR 15.1 – O Cristo. Jesus Cristo é o filho de Deus. Porque o verbo se fez carne . PADECEU SOBRE SEPULTADO. lss – Narração da Paixão de Cristo. A fé da Igreja crê que a Santíssima Virgem Maria. Por isso. PÕNCIO PILATOS. a divina e a humana. Jesus foi gerado no seio de Maria pela ação do Espírito Santo. feito homem. Chama-se este mistério de mistério da Encarnação. mas o que ela ensina a respeito de Maria por sua vez estabelece sua fé em Cristo. 79 . ele possui duas naturezas. Jesus abriu as portas do céu para os justos que o precederam na morte. QUE FOI CONCEBIDO PELO PODER DO ESPIRITO SANTO.9. onde já participa da glória da Ressurreição de seu Filho. DESCEU A MANSÃO DOS MORTOS.17-19.Jo 1. Maria é chamada verdadeiramente “Mãe de Deus” porque ela é a mãe do Filho eterno de Deus feito homem. Ressuscitou. mas unidas numa só pessoa. no céu continua sua missão materna para com os membros do Corpo de Cristo. MORTO Mt 27. separados pela morte. Na unidade de sua Pessoa divina. as da terra e as do céu”.Filho unigênito do Pai. para “no Cristo reconciliar todas as coisas. O que a fé católica crê a respeito de Maria se fundamenta naquilo que ela crê a respeito de Jesus.

Atos 1 e Hb9.A nossa fé na Ressurreição de Jesus tem por objeto um fato historicamente atestado pelos discípulos que reencontraram realmente o Ressuscitado e. DONDE HÁ DE VIR A JULGAR OS VIVOS E OS MORTOS. pela sua morte e ressurreição. 12-13.ICOR 12. que Ele assiste. na qual por palavras e sinais. NA COMUNHÃO DOS SANTOS Comunhão (participação) . misteriosamente transcendente porque significa a entrada da humanidade de Cristo na glória de Deus. Jo 16. Ele nos comunica a graça de Cristo. nos carismas e ministérios.eklesia = assembleia de povos. Por isso entendemos que Jesus após sua Ascensão está a direita do Pai no céu. ao mesmo tempo. o Pai envia ao mundo seu filho. NA SANTA IGREJA CATÓLICA Igreja . sociedade hierárquica e Corpo Místico de Cristo.27ss. santa e pecadora. 27. CREIO NO ESPÍRITO SANTO Terceira pessoa da Santíssima Trindade.dos santos (do que é sagrado). pelos quais a Igreja é edificada e no testemunho dos santos. A Igreja é visível e espiritual. os defuntos que completam sua purificação no purgatório e os bem-aventurados no céu. Igreja Peregrina ou Militante (Terra) / Igreja Padecente (Purgatório) / Igreja Triunfante (Céu). realiza nosso juízo particular. conforme prometera aos apóstolos. onde. Sendo assim o Espírito Santo atua na Igreja de Cristo através da palavra de Deus. na Sagrada Tradição e no Sagrado Magistério. ESTÁ SENTADO A DIREITA DE DEUS PAI TODOPODEROSO. todos nós . na qual Ele intercede pelos orantes. na oração. SUBIU AOS CÉUS. 80 . que Ele inspirou. A Igreja e una. /Jo 20. como atesta a escatologia da Igreja.21-23. pela unção do Espírito Jesus é consagrado o Cristo (o Messias). onde Ele manifesta a santidade da Igreja e onde continua a obra da salvação. até sua volta gloriosa. pela ação do Espírito Santo em Maria. Formam todos uma só Igreja e nós cremos que nesta comunhão são ouvidas todas as preces. Nós cremos na comunhão de todos os fiéis em Cristo: os que estão peregrinos sobre a terra. Jesus é constituído Senhor na glória e de lá derrama o Espírito Santo sobre a Igreja. sacramento da salvação e sinal da comunhão de Deus e dos homens. na liturgia sacramental.

onde. Na unidade do Espírito Santo. (Credo de Paulo VI). Mt 25. 31. a alma é separada do corpo. aos mandamentos. NA RESSUREIÇÁO DA CARNE Pela morte.14). NA VIDA ETERNA Nós cremos que aqueles que estão reunidos com Jesus e com Maria no paraíso formam a Igreja do céu. por vontade de Cristo. reunindo-o à nossa alma. mas na ressurreição. É confiar totalmente Naquele que é o Amém do infinito amor e da perfeita fidelidade. Crer é dizer Amém as palavras.4. à revelação de Deus. Deus Pai Todo-Poderoso. vêem a Deus face a face. Como o Cristo ressuscitou e vive para sempre.11s 4. Quem diz amém diz eu Creio. com Cristo e em Cristo. toda honra e toda glória agora e para sempre! Amém 81 . na eterna bem-aventurança. Rm 8. Deus dará vida incorruptível ao nosso corpo transformado. Deus quer que todos sejam salvos ITim 2. AMÉM Quer dizer Assim Seja. Jesus Cristo é o Amém (Ap 3. a vós. Por Cristo. o Juízo final se dará com a volta de Cristo. intercedem por nós e ajudam nossa fraqueza com solicitude fraterna. assim também nós ressuscitaremos no último dia. às promessas. a Igreja possui o poder de perdoar os pecados dos batizados e que ela o exerce habitualmente pelos seus ministros no sacramento da penitência.NA REMISSÃO DOS PECADOS A fé nos ensina que.16.11.

C. o martírio de Estevão. Paulo: É o líder da equipe missionária extrapalestinense. O autor teve de utilizar informações que não podiam ser sempre de primeira mão. greco-romana. observa os mesmos traços de escrita . pois grande parte dos protagonista já estavam mortos. Para explicar esses fatos se supôs a existência de fontes diversas. é narrado o nascimento de nossa Igreja.Atos dos Apóstolos Escrito por São Lucas (em grego. o inicio da igreja e seus primeiros gestos. como pode ser observada pelo uso da 1° pessoa do plural . Personagens Principais Pedro: Porta-voz representante dos “doze”. Sua finalidade: Mostrar a solidez e a autenticidade dos ensinamentos cristãos. Conta a história da Igreja desde a Ascensão de Jesus. em contato e comunhão com a Igreja local de Antioquia Credibilidade histórica dos Atos. Paulo é o protagonista. as viagens de Pedro e Paulo. Na primeira parte. uma linguagem culta . 16). Mas.C. para sustentar a perseverança e a confiança dos cristão que viviam fora da Palestina . elaborou o material de acordo com suas peculiaridades estilistico-religiosas e seu projeto ideal. o Pentecostes. O processo avança mais por aproximação de relatos ou ciclos narrativos autônomos do que por seqüência coerente ou linear dos fatos. a conversão de Saulo. permanece em ligação constante com a Igreja local de Jerusalém . em todo o livro. por exemplo. e abrange um período de + ou . onde se desenvolveu a missão de Paulo. É Chamado de o 5º evangelho ou o livro do Espírito Santo. ou seja. Na segunda parte. A distância dos acontecimentos narrados vai no mínimo de 30 anos a no máximo 50 anos depois d. Outro crédito que se tem . é o fato do autor ter participado de alguns momentos na história dos Atos. ano 63) Esta autoria é devido a comparações feitas entre o livro de Atos e o evangelho de Lucas . nos grandes centros urbano. o autor do Atos. a alternância do esquema de viagem com o da atividade missionária confere maior homogeneidade ao tecido narrativo.30 d.1 e 28. no trecho que narra uma das viagens de Paulo (At 27. 82 . nota-se certa falta de organicidade no desenvolvimento.

Pentecostes At 2 At 2. vai a Judéia e a Samaria. batiza o primeiro pagão. naufrágio.42 Discurso de Pedro Formação das Comunidades Prisão de Pedro e João Eleição dos Diáconos At 4 At 6 Discurso de Estevão e seu martírio Batismo de Cornélio At 10 At 7 Morte de Tiago e prisão de Pedro At 12 No Atos dos Apóstolos. o nascimento dos cristãos e da primeira comunidade católica. no ano de 49 este concílio.37 At 2. Malta e Roma O Atos dos Apóstolos é o documento testemunhal e histórico do nascimento da Igreja.Paulo . além de abrir as portas da Igreja definitivamente para todos. é o livro do Espírito Santo. Sua Conversão Paulo e Timóteo At 9 At 16 At 17 At 19 At 19 At 20 At 21 a 26 At 27 e 28.O livro se divide em 2 partes 1 . das quais várias cartas são escritas por ele para instruir e exortar após sua primeira estada. mostra 83 . 2 . realiza várias viagens apostólicas e funda importantes comunidades. circuncidados ou não. marca o encontro de Pedro e Paulo e o início da parte paulina dos Atos dos Apóstolos. temos Concílio Apostólico de Jerusalém.Pedro – Atos de 1 a 12 Pedro leva o Evangelho em Jerusalém após o pentecostes. Pregação em Atenas Relíquias de Paulo Os exorcistas Judeus A Janela de Êutico Prisão. Cornélio e preside o Concílio de Jerusalém onde se discutiu a causa dos circuncidados. capítulo 15. principais passagens.Atos de 12 a 28 Paulo é o evangelizador dos gentios e o apóstolo missionário. pregação e soltura Viagem a Roma.

batizando os pagãos e levando a palavra de Deus onde o Espírito os conduzia. Convite à conversão. ⇒ Anúncio cristão e cultura. levando a boa nova à toda parte. A força do Espírito: ⇒ O pentecostes cristão ( pentekosté – qüinquagésimo. 7. Relação entre o evangelho. ⇒ O método do anúncio cristão.12-13) prometido por Jesus. ⇒ O Pentecostes dos pagão e dos outros grupos. Evangelho e lei: ⇒ Papel da lei e das instituições ⇒ O concílio de Jerusalém 8. ⇒ Paulo ante a autoridade imperial. ⇒ Os protagonistas históricos da palavra. 4. ⇒ O Espírito Santo e a missão cristã. Etapas e estruturas da comunidade cristã: ⇒ O batismo cristão. 5. 9. 6. fonte de Liberdade. ⇒ Imposição das mãos. antiga festa agriculta ). A igreja na história: relação com a sociedade e o poder político: ⇒ O movimento cristão em confronto com o poder judaico . ⇒ O cumprimento das Escrituras. 3. ⇒ Formas de anúncio. A força da Palavra: ⇒ Valor do anúncio cristão. 84 . ⇒ Comunhão fraterna. O espírito Santo. ⇒ Os protagonistas da missão. Temas mais de “maior valor” dos Atos 1. A comunidade Cristã: ⇒ A escuta da palavra. ⇒ Estruturas da comunidade. A palavra e a vida da comunidade: ⇒ O serviço da palavra de Deus. ⇒ As orações. 2.os discípulos sendo agora conduzidos pelo paráclito (Jo 16. ⇒ Confronto dos cristãos com o poder romano. ⇒ Acusações do mundo judaico. A missão cristã: ⇒ Origem da missão. religião e cultura: ⇒ Anúncio cristão e religiosidade. ⇒ Fração do pão.

22). à Virgem Maria é para a Igreja o modelo da Fé e da Caridade. 85 . Quanto a origem do Pecado Deus criou Lúcifer. tua oração foi ouvida. Anunciação do Anjo a Maria E Anunciou à Virgem que ela seria a mãe do Salvador. finalmente a terceira era distribuída entre os pobres. acolheu e acreditou na palavra de Deus. Sofredora. Maria. Lúcifer fez naquela hora exatamente o contrário. com seu Sim.MARIA Os Pais de nossa Senhora ( Sant’ana e São Joaquim) Joaquim e Sant’ana eram um casal distinto. (Lucas 1. Também Ana recebeu um aviso do anjo: “Ana. um Anjo apareceu a Joaquim comunicando—lhe a boa notícia : “Joaquim. Pela sua adesão Total à vontade de do Pai. Pobreza. chamada também de Nova Eva. mesmo surpresa com tal saudação. à obra redentora de seu filho. Ana. mais viviam tristes e humilhados porque já estavam chegando à idade avançada e eram estéreis. E por sua astúcia aconteceu o pecado da desobediência dos nossos primeiros pais. se fez serva e foi co-autora da salvação. Eles sempre rezando confiantes que Deus teria suscitado uma descendência. Humildade. é a mulher que ao invés de desobedecer ao seu Criador. Serva. Mãe e Esposa. a cada moção do Espirito Santo. a Segunda era reservada para o culto judaico e. que devia estar ali para ajudar na tarefa de Deus. falar-se-á de tua descendência”. mas. Dividiam suas rendas anuais em três partes: Uma para as próprias necessidades. Piedade. o senhor ouviu teu choro. Amor. Obediência. Joaquim se retirou para rezar. Segundo a Sagrada Tradição. Virtudes de Maria Caridade. Maria. Maria se tornou de modo eminente o templo de Deus. Prudência. Era um casal de posses. disse o anjo. não questionando sua condição de solteira. uma filha lhe será dada a quem darás o nome de Maria”. Conceberás e darás a luz e por toda a terra. Então fez voto de consagrar a menina prometida por Deus ao serviço do Templo. Pureza e Intercessora. Eram justo e observante das leis judaicas.26-38). na purificação de Jesus (Lc 2. pois foi submissa a Deus. não hesitou mas disse: Eis a serva do Senhor. mas. Fé.

Conjunto de doutrinas fundamentais do cristianismo. Canto de Louvor a Deus feito por Maria. Maternidade Divina (Mãe de Deus) O dogma da maternidade divina de Maria foi definido pelo Concílio de Éfeso.Magnificat (Lc 1.14). Não é um dogma definido por um concilio Ecumênico. que é Jesus. por uma graça especial de Deus.35). Assunção Com o a ajuda da Bíblia.27. Virgindade Eis a virgem que concebe e dá à Luz um filho que se chamará “Emanuel”. Virgindade no parto ‘Santo Agostinho sustenta que a virgindade não começa com as marcas no corpo. Segundo a eles. o corpo se separa da alma. Maria é uma pessoa completamente por Deus. foram criados para nos ajudar a continuarmos no rumo do santuário vivo. enfrentando todo o tipo problema Como toda mulher do seu tempo. Mateus e Lucas coincidem ao falar da concepção virginal. o templo humano onde habita a graça e o pecado não entra. declara a Igreja desta forma: depois da morte. O papel de Maria é levar a todos o conhecimento de Jesus.16-25 e Lc 1. A alma que é a dimensão mais importante 86 . 46ss). Dogmas de Fé sobre a Santíssima Virgem Maria O que significa a palavra Dogma? Ponto fundamental. É pela fé que Maria. Maria é a única origem humana de Jesus. considerado como indiscutível de uma crença religiosa ou filosófica. (Is 7. da filosofia e da Teologia. foi preservada de toda mancha de pecado original (Bula de Pio XI. mas toda a sua pessoa de filho de Deus encarnado. ano 431. não é São José que engravida Maria. (Mt 1. temporariamente. e realmente Jesus é concebido pelo Espírito Santo. Os dogmas são como placas sinalização que indicam o caminho de nossa fé. Imaculada Conceição Maria uma Mulher de carne e osso. Em partes é aceito esse dogma por outras religiões. Maria não é somente mãe da parte Humana de Jesus Cristo. Inefabilis Deus de 8/12/1854). Proposição apresentada como incontestável. É de fé que Maria concebeu e deu a luz seu filho. sem prejuízo da sua virgindade e ficou sempre virgem mesmo depois do parto. no primeiro instante de sua conceição. mas com a opção das pessoas.

em virtude do Poder de Deus. Num 20.1). bem como membros de uma mesma tribo ou raça Quisera de fato. São Paulo diz que Jesus é o primeiro ressuscitado e que nós o seguiremos (Cl 1. Zelfa ( serva de Lia). sua esposa. Os Irmãos de Jesus Irmão. a Mensagem do Apocalipse (Apoc 12.46-50. Dentro desse pensamento é que foi proclamado o dogma da Assunção. pelos meus irmãos. cheio de graça e de Luz. Mc 3. (Gên 35.25 .1-2) b) Filho do mesmo Pai ou da mesma Mãe Doze eram os filho de Jacó. na terminologia Bíblica significa: a) Filhos do mesmo Pais Adão uniu-se a Eva.31-35. Ao que Jesus respondeu: “Quem é minha mãe e quem são meus irmãos” ? (Mt 12. a qual concebeu Caim e Abel. Abraão disse a Ló: Oh não haja rixas entre mim e ti nem entre os meus pastores e os teus. em 1/11/1950) Aplica-se também a Maria.18 Rm 15. Raquel.da pessoa onde esta sua identidade. elevada ao Céu.22-26) c) Parentes Próximos Abraão partiu. É de fé que Maria.4-5).8) d) Parentes Remotos. não precisou esperar a ressurreição da carne. Eu. Filhos de Lia. como o Senhor tinha ordenado e levou consigo Ló (Gên 12. ela já esta junto de Deus com o corpo transformado.3. “Tua mãe e teus irmãos estão lá fora querem falar-te”. subiu ao Céu de Corpo e Alma (Pio XII. os da minha raça quanto à carne (Rm 9. Maria.20-22). 87 . pois somos irmãos (Gên 13.19-21) f) Os que pertencem a mesma natureza Humana Disse Jesus: “Ouviste o que foi dito aos antigos”: Não matarás e quem matar será submetido ao juízo. diferentemente de nós. estavam fora sua mãe e seus irmão procurando falhar-lhe. (Gên 4. porem. Bala ( serva de Raquel ). Lev 25. Lc 8. Disse alguém. eu próprio ser separado de Cristo.3) e) Os que pertencem à mesma fé Enquanto Jesus falava às turbas. vai para o encontro com Deus no “Juízo Particular”. vos digo: Todo aquele que irar contra seu irmão será submetido ao juízo.

é filho de Zebedeu.55-56) “Cristo. Tu és a mulher. me condenaram. 1ss) Para nós chamar-mos nossa mãe de Mulher é um termo ofensivo. e uma coroa de doze estrelas na cabeça” (Ap 12. Mulher: “Eis ai o teu Filho! Filho eis aí tua Mãe!” . Mãe desta humanidade. à escuridão. 7.42 Maria vai ser chamada por Isabel de: “Bendita mais do que todas as mulheres". 25-26).21-22.19-20. Ela tem o mal debaixo dos seus pés. “Mulher eis ai o teu Filho!” (Jo 19. E aqui está João.. no alto da cruz. tu és a primeira criatura. Os outros me julgaram. A minha hora ainda não chegou!” ( Jo 2. sem. ao menos de quatro conhecemos os nomes: a) Dos dois Tiagos apóstolos.9-10) b) Tiago Menor. At 1.. Justamente porque Jesus era o filho de Deus. assim também para os judeus. e os irmão e os discípulos. A “Mulher” da Bíblia Porei inimizade entre ti e a Mulher. um. Este termo: Mulher vai ser repetido por mais três vezes na Bíblia. Mulher. Ela 88 . irmão de Judas Tadeu (Mt 27.1) Por que a Lua? A lua preside à noite. Jesus sabia bem quem era a mulher. sabia muito bem que a primeira criatura concebida e projetada pelo Pai era esta Mulher: MARIA. Tiago Maior. a lua debaixo de seu pés. A expressão PRIMOGÊNITO declara apenas que Cristo foi o primeiro a ser gerado no seio da Virgem. “Um grande sinal apareceu no céu: Uma Mulher vestida de sol. Representando toda essa humanidade salva. mas ai ficaram apenas alguns dias. mas aí está João. eis ai o teu filho! Depois diz ao discípulo: Eis ai tua mãe. Desde que o Pai fez a primeira das criaturas. Irmãos Atribuídos a Jesus Jesus desceu a Cafarnaum com a mãe. irmão de João evangelista. se ele tivesse realmente tantos irmãos e sua Mãe tantos filhos”. Em Lucas 1. (Lc 8.E quem chamar ao seu irmão “Raça” será submetido ao sinédrio (Mt 5. com isso.14) Destes irmãos. afirmar a existência de outro ou de outros filhos. não teria entregue sua Mãe Santíssima a um estranho. Então. (Lc 5.3). tu já és mãe desta humanidade que Eu estou salvando. “Mulher.

As aparições não fazem parte do credo e dos dogmas Católicos. A Instituição do Rosário Festa de Nossa Senhora do Rosário 07/l0. Jesus desceu com José e Maria. As Aparições existem mesmo ou são invenção das pessoas? Por “Aparição” entende-se. Uma coroa de doze estrelas em sua cabeça.. (Lc 2. O rosário é uma oração que nasceu do amor da idade Média por Maria. 89 . Aurora é o sol que está chegando (os clarões) antes de sol.41). Ela é a Mulher. não leva a nenhum desvio da Sã Doutrina.28). e) Honrá-la como a mulher do povo honrou. a conversão dos pecadores. construção de capelas ou Basílicas etc. É necessário. toda manifestação sensível de uma pessoa ou coisa cuja presença. quando a aparição ou o comportamento do vidente em questão. em Medjgoure. a Igreja permite o culto. veio para Nazaré e eralhes submisso. b) O Anjo Gabriel (Lc 2. Temos como maiores exemplos as aparições de Fátima. atribuída ao auxílio da Santa Mãe de Deus com recitação do Rosário. Devoção a Maria a) Honrá-la como Cristo a honrou. A Tradição conta que esta oração foi instituída por São Domingos a quem a Mãe de Deus recomendara como uma arma de proteção na luta contra os hereges albigenses. c) Como José seu Esposo que não há deixou desamparada ( Mt 1.42-43). linguagem teológica. O Rosário foi instituído pelo Papa Pio V no aniversário da vitória alcançada sobre os turcos em Lepanto (1571) pelos Cristão em batalha naval. mas evidencia a fé católica. nas circunstâncias em que ela se verifica. Guadalupe e mais recentemente. não aparenta à princípio. os sacramentos. Ela é a Aurora ( que vem antes do Sol ) Jesus é o Sol e Maria a Aurora.tem Lúcifer — que era luz e tomou-se o portador das trevas debaixo de seu pés.27). Notemos porém que. Temos a liberdade de acreditar ou não essa experiência religiosa. contudo distinguir a oração do rosário da festa do santo rosário. O Papa Pio V animou vivamente a pratica da recitação do rosário.19). não poderia ser explicada pelas leis comuns da natureza. Ditoso o seio que trouxe e os peitos que te amamentaram! (Lc 11. a confecção de Imagens de Nossa Senhora. desvio psicológico etc. Bendita és tu entre as Mulheres e bendito é o fruto te teu ventre! E de onde me é dado a graça que venha visitar-me a Mãe do meu Senhor? ( Lc 1. d) Sua Prima Isabel.

Bento XV: “A Igreja. nas famílias e nos locais de trabalho. o Rosário de Maria é de grande valor não só para derrotar os que odeiam a Deus e os inimigos da Religião. como também estimula. Por isso. São Pio X: “O Rosário é a mais bela e a mais preciosa de todas as orações à Medianeira de todas as graças: é a prece que mais toca o coração da Mãe de Deus. de 19 de setembro de 1961).. E nós afirmamos que. de 29 de setembro de 1937).. entre os fiéis de rito latino. se a família. de 15 de setembro de 1951). para desempenho cabal deste árduo dever. Pio XII: “Será vão o esforço de remediar a situação decadente da sociedade civil. e de enriquecê-lo com indulgências apostólicas”. sempre encontrou nela a Mãe da graça e a Mãe da misericórdia. para os eclesiásticos. Ademais. 90 . precisamente conforme tem o costume de saudá-la.Os Papas recomendam o Rosário Pio IX: “Assim como São Domingos se valeu do Rosário como de uma espada para destruir a nefanda heresia dos albigenses. assim também hoje os fiéis exercitando o uso desta arma — que é a reza cotidiana do Rosário — facilmente conseguirão destruir os monstruosos erros e impiedades que por todas as partes se levantam” (Encíclica Egregiis. até o presente. Rezai-o todos os dias”. alimenta e atrai para as nossas almas as virtudes evangélicas” (Encíclica Ingravescentibus malis.. de 8 de setembro de 1894). Leão XIII: “Queira Deus — é este um ardente desejo Nosso — que esta prática de piedade retome em toda parte o seu antigo lugar de honra! Nas cidades e aldeias. entre as elites e os humildes. de 3 de dezembro de 1856). e da participação nos Sacramentos. não se ajustar diligentemente à lei do Evangelho. para os leigos” (Carta Apostólica Il religioso convegno.. seja o Rosário amado e venerado como insigne distintivo da profissão cristã e o auxílio mais eficaz para nos propiciar a divina clemência” (Encíclica Jucunda semper. os Romanos Pontífices jamais deixaram passar ocasião alguma. sobretudo por meio do Rosário. Pio XI: “Uma arma poderosíssima para pôr em fuga os demônios .. princípio e base de toda a sociedade humana. de exaltar com os maiores louvores o Rosário mariano.. João XXIII: “Como exercício de devoção cristã. é sobretudo conveniente o costume do Rosário em família” (Encíclica Ingruentium malorum. . o Rosário ocupa o primeiro lugar depois da Santa Missa e do Breviário.

para que. 7)” (Encíclica Mense maio. apoiados nesta Proteção (Maria) maternal. em comunidade. pela sua múltipla Intercessão. na Igreja com títulos de: Advogada. que ainda peregrinam e se debatem entre perigos e angústias. desde o consentimento que ela prestou fielmente na anunciação e manteve sem vacilar ao pé da cruz. até que cheguem ao lugar escolhido por Deus.28) “Ave ( Maria ) cheia de graça o senhor é contigo” . forte pelo feito de que Deus lhe confia o homem” Carta apostólica de João Paulo II 91 . batei e abrir-se-vos-á’ (Mt. e com duas falas: 1º A saudação do Anjo Gabriel (Lc 1. de 19 de abril de 1965). abandonou esta missão salutar. pessoalmente — vos fará penetrar pouco a pouco nos sentimentos de Jesus Cristo e de sua Mãe.com seu amor de Mãe cuida de seu Filho. Auxiliadora. 7. eles se unam mais intimamente ao Mediador e Salvador. pela qual se proporciona aos fiéis o mais excelente meio de cumprir de modo suave e eficaz o preceito do Divino Mestre: ‘Pedi e recebereis. buscai e achareis. até à consumação final de todos os eleitos. sente-se até continuamente e recomenda-a ao amor dos fiéis. Nenhuma Criatura pode colocar-se no mesmo plano que o Verbo encarnado e redentor. Maria Intercessora A maternidade de Maria. evocando todos os acontecimentos que são a chave de nossa salvação” (Alocução de 6 de maio de 1980). A Oração da Ave Maria A oração é dividida em duas partes. João Paulo II: “O Rosário. 2º A saudação de Isabel (Lc 1. Amem” (Assim Seja). Por isso a Santíssima Virgem é invocada. Amparo e Medianeira. depois de elevada ao céu. De fato. mas. “A Mulher é forte pela consciência da Missão. na economia da graça. Agora e na hora de nossa morte. A Igreja não hesita em atribuir a Maria uma função assim subordinada.42) “Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto de teu ventre (Jesus )” E por último a parte introduzida pela Igreja: “Santa Maria Mãe de Deus. lentamente recitado e meditado — em família. forma de oração tão grata à Virgem Mãe de Deus e tão freqüentemente recomendada pelos Romanos Pontífices. continua a obter — nos os dons da Salvação eterna. Rogai por nó Pecadores.Paulo VI: “Não deixeis de inculcar com toda a diligência e insistência o Rosário marial. perdura sem cessar.

essa iniciativa perdeu seu caráter livre. à divindade. Essa instituição caiu em desuso quando desapareceu a marinha ática. por meio da prática religiosa. inclusive dramáticas. a instituição da liturgia manteve-se no campo esportivo e religioso nas cidades gregas até a época helenista e foi inclusive adotada também pelos romanos. Entre as periódicas. prestado ao Estado. esse encargo litúrgico foi distribuído entre os 1200 cidadãos mais ricos. Igualmente a "estiasi". ou convites para celebrar a divindade à frente dos membros da tribo. assim. teve altíssima consideração a instituição da "coregia" já em 508 a. o vocábulo "leitourgia" do grego clássico tomou o significado definitivo de "serviço". era necessário ser muito rico.A Liturgia O vocábulo tem suas origens nas raízes gregas "léiton érgon" no significado de "obra pública" ou "serviço" prestado ao Estado ou à divindade segundo a livre iniciativa de um particular ou de um grupo. No decorrer do tempo. tornou-se institucionalizada ou imposta. para a preparação de coros líricos ou trágicos no acompanhamento de represent ções teatrais. mais ou menos obrigatório. para o treinamento atlético dos jovens e a provisão dos aparelhos úteis para essa finalidade. para exercê-lo. surgiu a que foi adotada em tempo de guerra: a "trierarchia". palavras. O caráter coletivo da liturgia teve grande valor social. onde todo ano era designado em cada tribo um número igual de "liturgos". A seguir. gestos. Essas formas 92 . Na antiga Grécia teve sobretudo o caráter de serviço de utilidade pública e. divididos em 20 "simmorias". que consistia na preparação e manutenção de barco e tripulação por parte do comandante. O "corego" vencedor obtinha como prêmio uma trípode de bronze. colocando-a sobre "monumentos corégicos": assim é em Atenas a rua das Trípodes e. a um particular. mas especialmente em Atenas. a coletiva tem necessidade de formas fixas de expressão: ações. Diferentemente da religiosidade individual. ou extraordinárias. ou seja. Outra liturgia periódica foi a "ginnasiarchia". o recinto de Dionísio. banquete oferecido em reuniões públicas para festejar alegres eventos públicos. Era liturgia muito onerosa porque podia custar de 40 a 60 minas. para a administração de suas províncias. Entre as liturgias extraordinárias. Era difundido numa centena de cidades gregas. ficando cada uma delas incumbida de fornecer certo número de barcos. recorrentes a cada ano. Todavia. porquanto permitia a unificação da comunidade.C. nas encostas da Acrópole. As liturgias podiam ser periódicas. que depois oferecia ao deus Dionísio.

assim. cujo acesso era proibido a pessoas estranhas ao culto e. a celebração eucarística abandona a língua "canônica" latina e realiza-se nas línguas nacionais para permitir uma participação mais consciente da assembléia e sua inserção ativa na ação litúrgica. a forma de representação dramática da história dos deuses. no final de um curso de exercícios espirituais. Por influência das comunidades cristãs provenientes do judaísmo. nas representações com grafito e pinturas nos templos e nas tumbas do antigo Egito. Hoje essa área não está mais interditada. O presbitério é a parte da igreja normalmente separada por balaustrada. reservado somente ao clero e seus auxiliares. Portanto. a celebração. o altar da celebração. mas "o mistério" de Cristo. passou-se ao atual costume de comungar em pé. assumindo. por isso. nem às mulheres. Nela costuma ficar habitualmente o coro durante as celebrações solenes. consolidando na repetição sua validez e autoridade. por intenção ou por libação direta no cálice do vinho. nos poemas mitológicos destinados ao uso litúrgico descobertos em Ras Shamra. Reforma litúrgica após o concílio do Vaticano II Com a reforma litúrgica que se seguiu ao Vaticano II. mas possuem também a sacralidade própria dos mitos. fixo ou móvel. sobre o qual fica o tabernáculo para a conservação e guarda das espécies eucarísticas consagradas e não consumidas. na administração solene de sacramentos. Pode-se receber a hóstia consagrada diretamente na língua ou sobre as mãos. em celebrações de particular significado para a assembléia: por exemplo. A liturgia tornou-se assim manifestação do culto público. das fórmulas e dos ritos necessários para expressá-lo. a pregação. sancionado e codificado no conjunto das cerimônias. O ANO LITURGICO AS ORIGENS: O DOMINGO E A PÁSCOA O ano litúrgico é simplesmente a pessoa de Jesus Cristo e Seu mistério celebrado sacramentalmente como "memória". "presença". com a única denominação de "dia do Senhor". em vigor até os anos 70. surgiu depois um "grande domingo". nos textos rituais babilônicos. nas religiões politeístas. como celebração anual da Páscoa prolongada por 50 dias até o "feliz 93 . "profecia". De todas as liturgias das religiões antigas encontra-se testemunho na literatura ritual védica e bramânica na Índia. o mistério. Reveste-se do caráter de altar "maior" o do presbitério. Outra significativa e inovadora modificação é "o modo" como os fiéis se aproximam da Comunhão: do antigo ajoelhar-se junto à balaustrada. o culto da Igreja primitiva nasceu da Páscoa e para celebrar a Páscoa. durante cerimônias de consagração religiosa e/ou secular. Na Igreja primitiva.têm caráter mágico nas sociedades mais primitivas. nas epígrafes sagradas documentadas juntamente com representações sacrificais e com cenas descritivas de festas por parte da civilização grega e romana. a vida cristã tiveram um único centro vital: a Páscoa. é posto fora do presbitério e voltado para a assembléia dos fiéis. ou por concessões estabelecidas pelo direito canônico. Esse significado permanece até hoje. A comunhão é dada sob as duas espécies também aos fiéis. no início da vida cristã encontra-se apenas o domingo como única festa. Com essa mesma finalidade. nos primeiros tempos não se celebravam "os mistérios".

"Martyr" significa testemunha. tanto no Oriente como no Ocidente. instaurando na liturgia um critério de "historicização" que. e a disciplina penitencial com a reconciliação dos penitentes na manhã de quinta-feira santa. ao contrário. Depois do século IV. nasceu independentemente do mistério pascal. A celebração do batismo na noite de Páscoa. que proclamou Maria Mãe de Deus. que remontam a 260. aqueles que derramaram seu sangue por Cristo foram assemelhados a Ele no ato supremo do testemunho ao Pai e entraram por direito na visão unitária do mistério pascal. em relação a situações históricas e exigências pastorais.5). fizeram nascer também o período preparatório da páscoa. ciclo esse chamado de "Advento". inserido no período natalino. mas se desenvolveu e cresceu segundo critérios de vida da Igreja. já no século V. MARIA Depois do concílio de Éfeso (431). e a primeira testemunha é Cristo. a quaresma. somente depois das disputas teológicas dos séculos IV e V é que o Natal se tornou afirmação de fé no mistério da encarnação. deu origem à "semana santa". mais ou menos. já em uso no século III. instalou-se também um ciclo preparatório de 4 ou 6 semanas para a festividade do Natal. No final do século IV. por isso. AS CELEBRAÇÕES DOS MÁRTIRES À celebração do mistério pascal desde a metade do século III associou-se a dos mártires. como testemunham em Roma os mais antigos grafitos da "Memoria apostolorum". sentiu-se a necessidade de contemplar e reviver os diversos momentos da paixão. O NATAL O ciclo do Natal. ao se expressar. ou seja. A reflexão teológica sobre o ano litúrgico será um processo sucessivo e sempre aberto a contínuos aprofundamentos.Pentecostes". com a comemoração da maternidade divina. 94 . na realidade. Dessa breve síntese conclui-se que o ano litúrgico não se formou historicamente segundo critérios orgânicos. sendo celebrados no "dies natalis" de seu ingresso na Jerusalém celeste. para criar uma espécie de paralelismo com o ciclo preparatório da festa pascal. "testemunha fiel" (Ap 1. surgiu como exigência de afastar os fiéis das celebrações pagãs e idolátricas do "sol invicto" que aconteciam no solstício de inverno. inspirada nos "quarenta dias bíblicos". instaurou-se o culto a ela dirigido.

Essa inserção de Deus na história apresenta-se como "profecia". presente "ab aeterno" nesse projeto. que se realiza em Cristo: "Abraão.deu-nos vida por Cristo. por isso. O ano litúrgico celebra o mistério de Deus em Cristo. Cada etapa do plano salvífico não só prepara a seguinte.. 95 . mas. O ano litúrgico não espelha. renova e profetiza o mistério Deus-Cristo até o final dos tempos. embora não definitiva. pois a salvação realizada em sua carne é comunicada pela Igreja por meio da Palavra e dos Sacramentos a todos os homens disponíveis a acolhê-la. fundamentando-se numa sucessão de eventos que visam a parusia final em que "Deus será tudo em todos" (1Cor 15. perpetua. Seu mistério salvífico. "eleição". que haveis de celebrar por todas as gerações. como "realização plena.4-6). O outro aspecto fundamental que dá valor e razão de ser ao ano litúrgico é o modo como.56). como instituição perpétua" (Ex 12. antes. A criação. por meio da revelação de Si mesmo em vista de uma salvação para a eternidade de todo o universo criado.. deve ser considerado na radicalidade da unidade e da totalidade e na dinâmica escatológica.e nos ressuscitou com ele e nos sentou nos céus em Cristo Jesus" (Ef 2. que visa uma realização: a páscoa de morte-ressurreição. a vida terrena de Jesus de Nazaré sob o ponto de vista histórico-cronológico. "aliança" no Antigo Testamento. a Igreja. transmite-se. mas o ato primeiro da história da salvação. No tempo da "plenitude". esta é a perspectiva teológica dada pelos Evangelhos e pelos livros seguintes do Novo Testamento. O mistério. Somente este é o propósito da pessoa e da missão de Jesus sobre a terra. ritualiza-se. então. vosso pai.28b).DO ANTIGO TESTAMENTO AO CRISTIANISMO O elemento que caracteriza a religião judaica e cristã é o fato de Deus ter entrado na história. total. não é uma premissa. alegrou-se porque haveria de ver meu dia. Viu e exultou" (Jo 8. então. embora dele não possa prescindir. quando Cristo assumiu a realidade humana. mas já a inclui como uma semente que se desenvolve: cada momento de seu crescimento contém a potencialidade do conjunto. Já no Antigo Testamento.. mas é já salvação. o Antigo Testamento não é preparação histórica para o evento da encarnação de Jesus.. completa" no Novo Testamento. o evento salvífico da saída do povo eleito do Egito é perpetuado numa festa e num "rito memorial": "Este dia será para vós uma festa memorável em honra do Senhor.14). unidade dos crentes. na pessoa de Jesus. torna-se presente e eficaz para todos os homens de todos os tempos e de todos os países o evento pascal. os mistérios daquela salvação se realizaram: "Deus. o Filho predileto do Pai. Também o "tempo da Igreja" une-se numa unidade vital ao "tempo de Cristo". por intermédio dele.

21). . começa com as Primeiras Vésperas do domingo que cai no dia 30 de novembro ou que lhe é mais próximo e termina antes das Vésperas de Natal. o que se repete hoje e que realiza definitivamente todas as promessas de Deus. antes ou depois das Primeiras Vésperas. A verdadeira festa da Igreja é o próprio Jesus. A oitava de Natal tem esta seqüência litúrgica: . inicia-se com as Primeiras Vésperas de Natal e termina no domingo seguinte à Epifania. Cristo deu cumprimento aos eventos salvíficos do Antigo Testamento. celebra-se São João Evangelista. protomártir. No Natal há uma missa de "vigília". com a encarnação. é um crescimento. na medida de nossa adesão pessoal. O fato de a celebração dos mistérios do Senhor se repetir no "círculo do ano" não deve fazer pensar numa repetição cíclica segundo a visão pagã do mito do eterno retorno. Senhor do tempo. Quando Ele depois diz: "Fazei isto em minha memória" (Lc 22. depois de haver lido o rolo do profeta Isaías. celebra-se a festa da Sagrada Família. . TEMPO DE NATAL-EPIFANIA. assim ritualizada e repetida nas ações litúrgicas. celebra-se Santo Estêvão. cordeiro pascal imolado e glorificado.dia 26 de dezembro. ou seja. Jesus. na continuidade de Sua presença entre nós por obra do Espírito Santo".no domingo dentro da oitava. Ao Deus. nEle se realiza a Escritura e com Ele se inaugura o ano do Senhor. em quatro domingos. caso não haja esse domingo. que se celebra na noite de 24 de dezembro. a história da salvação. na qual se celebra o batismo de Jesus. "seu cumprimento em cada um de nós. não é somente uma memória histórica. . responde o homem que reconhece a senhoria dEle reservando e dando o tempo para a comunhão com Ele. Ele concluirá: "Hoje se cumpriu a Escritura que acabais de ouvir" (Lc 4. sua páscoa no tempo: a salvação perpetua-se na história humana com o memorial eucarístico. E dar o tempo significa dar a vida. a festa é celebrada em 30 de dezembro. mas. insere. por meio do rito da ceia. até o cumprimento de nossa transformação em filhos de Deus por meio da redenção que nos foi dada por nosso 'irmão' de graça e de adoção. na sinagoga de Nazaré.Todas as festas de Israel são uma celebração memorial ligada aos eventos pascais do Êxodo.19). O ano litúrgico é o tempo de Deus. um movimento aberto e ascensional. que. hoje. 96 . A estrutura do ano litúrgico O ano litúrgico está subdividido no calendário romano segundo a seguinte cadência cronológica: TEMPO DO ADVENTO. assumiu a temporalidade para um encontro pleno com o homem.dia 27 de dezembro. antes.dia 28 de dezembro.

Entre a solenidade de Cristo Rei e o Advento pode-se inserir um domingo adicional de tempo ordinário. da quarta-feira de cinzas até as Vésperas da quinta-feira santa. TEMPO COMUM. o 6º domingo da Quaresma marca seu início e chama-se "Domingo de Ramos". da segunda-feira após o domingo do Batismo de Jesus até a noite que precede a quarta-feira de cinzas. Os dias que se seguem à Páscoa constituem a oitava de Páscoa e se celebram como solenidade do Senhor.dias 29. cai sempre 50 dias depois da Páscoa. 97 . transferida para o 7º domingo de Páscoa. da Quaresma e de Páscoa têm sempre preferência até sobre festas do Senhor e sobre todas as solenidades. Os domingos do Advento. O 40º dia depois da Páscoa celebra a solenidade da Ascensão. de um mínimo de 4 semanas a um máximo de 8. recomeça depois na segunda-feira que segue Pentecostes e termina antes das Primeiras Vésperas do 1º domingo do Advento.celebram-se os Santos Inocentes. a festa de Corpus Christi é celebrada na quinta-feira seguinte à festa da Santíssima Trindade. da Páscoa até o domingo de Pentecostes.31 de dezembro são dias feriais dentro da oitava. com um mínimo de 5 domingos. TEMPO DA QUARESMA. com um máximo de 7 domingos. . TEMPO PASCAL. SEMANA SANTA.30. No domingo depois da festa da Santíssima Trindade celebra-se a festa de Corpus Christi. No Brasil. O domingo depois de Pentecostes celebra a festa da Santíssima Trindade. Compreende 33 ou 34 semanas durante o curso do ano litúrgico. DOMINGO DE PENTECOSTES. celebra-se a solenidade de Cristo. As solenidades que coincidem com esses domingos são antecipadas para o sábado. incluindo o seguinte. No último domingo desse tempo. Rei do universo. Termina na Vigília Pascal.

missa em rito ambrosiano etc. celebrada solenemente por um bispo ou por um prelado com a assistência de numerosos ministros e sempre cantada por um coral especial dirigido por um mestre de capela. Segundo a SOLENIDADE: . ao invés. celebrada na noite anterior à festa. ou seja.missa solene ou cantada em que o celebrante é assistido pelo diácono e/ou outros acólitos. - missa vespertina. O termo "missa" deriva de "missa". Santo Agostinho expressou com clareza essa despedida ritual: "Ecce post sermonem fit missa catechumenis. faça-se a despedida dos catecúmenos. celebrada em sufrágio dos defuntos.missa em rito latino ou romano . aos quais é concedida a expressividade cultual dos ritos originais com cantos. como pela incidência ecumênica com a presença de celebrantes e fiéis de todo o mundo. a missa distingue-se em: . e fiquem os fiéis. com a reforma litúrgica do Vaticano II. - missa papal celebrada pelo papa com cerimonial muito solene. de rico e vastíssimo ritual que. da qual participam simultaneamente vários presbíteros na qualidade de concelebrantes - missa pontifical. quando fazia parte do rito a despedida dos catecúmenos antes do Ofertório. que entrou em vigor com a constituição apostólica de 6 de janeiro de 1953.depois do sermão. ou seja.missa lida ou baixa ou privada. simplesmente recitada pelo celebrante em todas as suas partes e sem canto .missa em rito grego missa em rito armênio . despedida. à centralidade religiosa expressa tanto pela homilia papal dirigida ao mundo com a ajuda da mídia. para dar lugar. católica e ortodoxa. músicas e gestos. manebunt fideles" . - missa fúnebre ou de réquiem. - missa concelebrada. equivalente a "missio". celebrada pelo sacerdote sobre o altar e representa o memorial do sacrifício da cruz por meio da oferta do Corpo e Sangue de Cristo sob as espécies eucarísticas. Segundo o RITO. antigamente chamada de "missa em pontifical". e entrou em vigor a partir do século IV. que entrou em uso na segunda metade deste século.A SANTA MISSA A missa é a mais importante função sacra da Igreja cristã. 98 . ou concelebração. Santo Ambrósio talvez tenha sido o primeiro a usar esse termo no significado atual. ficou bastante reduzido.

mas com significado exclusivamente escatológico no século II. vigorava aqui e ali o uso das leituras em grego. embora quem nos dê testemunho dele seja o bispo de Milão. a invocação do Logos sobre os elementos que lhe seriam consagrados. seguida separadamente pela do vinho. orações e hinos com finalidade didática. a celebração fraterna da missa difunde-se bastante. segundo o testemunho de Tertuliano. pela solenidade a ela conferida pela presença do 99 . São Justino. comemoração da Ceia do Senhor. o mesmo aconteceu na Inglaterra. A língua usada era o grego. com a intenção de substituir a missa galicana pela romana. em seu livro "De Sacramentis". refeição fraterna entre os primeiros cristãos. recitava-se a narração da instituição eucarística. em 538. de modo separado. a leitura. O "cânon latino definitivo" foi elaborado em Roma. as incensações do altar. aos poucos traduzidas para o latim. Nos séculos V e VI. Santo Ambrósio. dá a primeira descrição da missa romana. ou seja. feita de leituras sagradas dos Apóstolos e dos Profetas. No culto dos primeiros cristãos já estão presentes a pregação. aprovou o cânon romano. a reforma instaurada por Pepino e continuada por Carlos Magno. Instaurou-se o valor teológico da missa quando a ceia comum foi separada da Eucaristia e. teve influência no decurso dos anos sobre o rito e as orações da própria missa romana. o Sínodo de Praga ordenou que a liturgia romana assimilasse a espanhola. centralizada na Paixão e que já compreendia a epiclese. O Intróito começou a fazer parte da missa como canto pontifical por volta do século VI. no ano 150. uma missa bilíngüe. depois da missão de Agostinho ordenada por Gregório I.consagração precedida da oração de agradecimento. do Evangelho. segundo o exemplo deixado por Cristo na última Ceia. Em sua "Apologia" pelos cristãos ao imperador Antonino Pio e no "Diálogo com Trifão". dividida em duas partes: a "didática". enfim. o uso da língua latina entrou por volta do século IV. que a define como "dilectio". do celebrante. Suas origens remontam ao "ágape" cristão.oferecimento do pão e. Entre o século II e o século IV. Durante a consagração.comunhão primeiro do pão eucarístico. Nas Gálias. esta última baseada em formulários judaicos usados depois das refeições. os ritos fundamentais foram três: .A missa é o único e supremo rito sacrifical do cristianismo católico e desde os primeiros séculos é o centro da vida litúrgica e mística da Igreja. dos fiéis são de origem galicana. o bispo Profuturo. antes desse século. em 563. do vinho . e a "sacrifical". a liturgia romana da missa começou a se difundir para além da Itália: na Espanha. logo substituída por uma outra de caráter cristológico. comunidade de amor fraterno em Santo Inácio de Antioquia. segundo o que se deduz da Didaché (Primeiro Catecismo da Igreja) . bem como os sinais da cruz durante o cânon e o maior número de orações.

fazendo com que o sacerdote realizasse o sacrifício voltando as costas para a assembléia. e o "Deus qui humanae substantiae". a recitação do Credo. no centro apenas o sacrifício. 100 . cuja fórmula é do século XII. juntamente com o que era necessário para os sacerdotes: um vestígio disso são as esmolas de hoje. por isso. chamadas "pequeno cânon" que. Ainda sob influência da França. não são anteriores ao século XIV: "Suscipe". O altar. que incensa com três voltas. da segunda parte participavam todos os crentes. mas no fundo da abside. costumava ser dividida em duas partes: "missa dos catecúmenos" e "missa dos fiéis". as orações de introdução ao sacrifício eram recitadas pelo celebrante aos pés dos degraus: remonta ao século IX a recitação do salmo 42. eram admitidos à primeira parte os que aspiravam a se tornar cristãos e. antiga oração da liturgia natalícia romana. uniformizando seus textos e ritos. tornou-se norma para todas as Igrejas do Ocidente. ou seja. com claro valor catequético.papa. eram excluídos do sacrifício eucarístico e participavam somente da liturgia da Palavra. este adquiriu dimensões maiores na largura: as partes laterais eram usadas para leituras e orações. o sacerdote sobe ao altar. Judica me. melodias. O ofertório é uma relíquia dos cantos que se costumavam fazer durante a cerimônia da coleta das ofertas. a partir do século XIII. o clero acompanhava pondo-se adiante do povo e não mais atrás do altar. Deus. depois da leitura do Evangelho e da homilia. com exceção das Igrejas que possuíssem um ritual próprio desde pelo menos 200 anos. por volta do século IX. reunidas num cibório. talvez de origem galicana. isso não antes do século IX. introduziram-se a hóstia grande para uso do celebrante e as pequenas. feita a oferta. tropos e versetos entre os textos. significava a subida ao Gólgota. para a comunhão dos fiéis ajoelhados. enquanto a do cálice passou a ser obrigatória em 1570 com o missal de Pio V. não fermentado. ofereciam pão ázimo. a missa. uma vez que estavam ainda na fase de preparação doutrinal. se a missa é solene. "Sancte Pater". Até o século XI eram os próprios fiéis que ofereciam o pão e o vinho do sacrifício. com o Glória e o Confiteor. Esse texto. introduziram-se. em Roma. Como rito. O rito da elevação da hóstia consagrada foi introduzido somente por volta do século XII. publicado em 14 de julho de 1570. Outras inovações significativas aconteceram entre o século VIII e o século IX: o altar não foi mais posto entre o celebrante e o povo. A segunda parte da missa tinha início com o Ofertório. colocado no alto de alguns degraus. procedia-se a uma nova incensação do altar. Seguiam-se orações. no rito latino. é introduzida no século VI no Oriente e no século XI no rito latino. do século XII em diante assume a forma da atual hóstia. Com o uso do pão ázimo.

porque "presença operante do Ressuscitado que presta culto ao Pai no Espírito". pela recíproca "confissão comunitária". fórmula usada desde o século VII. pela "imploração" da divina misericórdia 101 . é a celebração dominical comunitária do mistério pascal. uma "anamnese do Kyrios". cum ipso. na acepção simplificativa popular. A oração do Postcommunio concluía a celebração. ao Prefácio. a comunhão do sacerdote. restam vestígios disso na atual oração da Communio. Com o Pater. memória do evento em que Cristo passou do estado de fraqueza e de enfermidade na carne ao estado de glória. assembléia celebrante juntamente com Cristo. às vezes. com o qual acontece a consagração das duas espécies eucarísticas e sua dupla elevação. Ela se articula em 5 partes bem definidas: 1 . a oração e o beijo da paz posteriores ao ano 1000. in ipsum". Tem assim início o Cânon. o sacerdote. missa est" fazia a despedida da assembléia. até o século IX. A missa é o "sacramento" por excelência. Ela é. a quem se une a assembléia. A estrutura da missa A missa. No decurso dos séculos teve várias denominações. todas as orações seguintes. o "Ite. essencialmente.seguida do Lavabo. Durante a comunhão dos fiéis. e o último evangelho era de devoção particular até o século XV e era a leitura do Prólogo de João. cantava-se um salmo. "missa e eucaristia". "sacrifício". com a "Oratio supra populum". Torna-se atual por meio da convocação dos crentes. ou seja.RITOS DE ENTRADA Compostos pela "saudação trinitária" pronunciada pelo sacerdote. ou lavagem das mãos. "oferta". representado por seu ministro para isso delegado. sempre expressas em língua latina. é parte integrante do sacrifício. "memorial". o "cânon" ou "cânon actionis". "conclusão". à "Oratio super oblata secreta" e. no qual o Pai o constituiu Senhor da história e do cosmo e "espírito vivificante" para toda criatura. ou Sanctus. tem início a parte da Comunhão: primeiro a fração da hóstia. segundo a teologia católica. continua com uma oração de agradecimento e termina com o Triságio. depois. que. O Prefácio. chamado em outras liturgias de "prólogo". começa com um diálogo entre celebrante e fiéis. ou seja. finalmente. o antiqüíssimo Agnus Dei. culminam com o doxologia "Per ipsum. O Placeat com a bênção são posteriores ao ano 1000. existente desde o tempo da heresia de Berengário. todas elas com fundamento neotestamentário: "ceia do Senhor". "fração do pão". que é a introdução à oração eucarística por excelência.

com o canto em litania do "Kyrie", alternado entre o celebrante e os fiéis; o hino de louvor do "Glória", recitado pelo celebrante juntamente com os fiéis; a "coleta", que é a primeira das três grandes orações presidenciais e que sintetiza o significado das leituras seguintes; 2 - LITURGIA DA PALAVRA Faz da assembléia uma "comunidade de escuta" com a "lectio prophetica" do Antigo Testamento, o "salmo responsorial", escandido entre leitor e comunidade, a "lectio apostolica" tirada dos Atos dos Apóstolos ou das epístolas de Paulo, o "canto aleluítico", que precede a "liturgia Verbi" tirada do Evangelho de um dos quatro evangelistas segundo o ciclo anual; a esta segue a "homilia", meditação aprofundada da proclamação da Palavra. A profissão de fé com o "Credo", recitado pela assembléia juntamente com o sacerdote, é como um grande e coletivo "Amém" a que se segue "a oração dos fiéis", intercessão pelas necessidades universais; 3 - LITURGIA EUCARÍSTICA Aqui começa a fase estritamente sacramental da celebração (da "mensa Verbi" à "mensa sacramenti"): a atenção litúrgica desloca-se do ambão para o altar por meio do "ofertório", ou seja, a oferta do pão e do vinho com a segunda oração presidencial, a "oração sobre as oferendas"; segue-se a "oração eucarística", que consta do "praefatio" recitado somente pelo celebrante, no qual se concentra o mistério celebrado n'"aquele" dia; terminado o prefácio, o celebrante convoca toda a assembléia ao tríplice louvor do "Sanctus" para se recolher em seguida na "palavra-memorial" ou epiclese consecratória sob intercessão do Espírito Santo, concluída na anáfora de toda a assembléia; segue-se a grande oração das "intercessões", união da Igreja itinerante com a Igreja gloriosa, agradecimento e intercessão ao mesmo tempo, e o "memento" pelos vivos e pelos defuntos: essas duas orações são rezadas somente pelo celebrante; a "doxologia" trinitária fecha a grande realidade misteriosamente realizada; 4 - RITOS DE COMUNHÃO Constam da oração comunitária do "Pai Nosso", ponte entre a consagração e a consumação do banquete; depois vem a "doxologia-aclamação" da assembléia, o augúrio e "a troca da paz", a "fractio panis" com a invocação no "Agnus Dei" e o convívio, sinal do banquete no Reino; terminam os ritos com a terceira oração presidencial, expressão de reconhecimento e súplica de eficácia do mistério celebrado;

102

5 - RITOS DE DESPEDIDA Podem conter avisos do celebrante à comunidade, além da saudação final, do "a missa terminou, ide em paz" e da bênção. ESQUEMA OU ROTEIRO DA MISSA 1 - Rito de Entrada Procissão de entrada (do celebrante) Canto de Entrada (de pé) Celebrante reverencia o altar e o beija (de pé) Saudação e acolhida (pelo celebrante) (de pé) Ato Penitencial – (de pé)
a)

Exame de consciência e “confissão”

b) Absolvição sacerdotal

c) Senhor, tende piedade de nós (pode ser cantado) Glória (só nas missas festivas - cantado ou recitado (de pé) Coleta (oração oficiada pelo celebrante) (de pé) 2 - Liturgia da Palavra Primeira leitura (feita por um leigo) (sentados), Canto de Meditação (por todos) (sentados) Segunda leitura (feita por um leigo) (sentados) Canto de aclamação ao Evangelho (por todos) (de pé) Leitura do Evangelho (pelo padre ou diácono) (de pé) Homilia (pelo celebrante) (sentados) Profissão de fé (credo) (de pé) Oração dos fiéis (preces da comunidade) (de pé) 3 - Liturgia Eucarística a) – Ofertório Procissão das ofertas (cântico de Ofertório) (sentados) Apresentação do pão (padre eleva a hóstia) (sentados) Mistura umas gotas de água no vinho (sentados) Apresentação do vinho (elevando o cálice) (sentados) Purificação dos dedos do celebrante (sentados) Orai, irmãos (de pé)
103

Oração sobre as ofertas (de pé) b) - Consagração (Antífona) Prefácio (O Senhor esteja convosco (de pé) Santo, Santo, Santo (de pé) Invocação do Espírito Santo sobre as ofertas (de pé) Narrativa da ceia (estando para ser entregue ...) (de pé) Consagração do pão (Tomai e comei ...) (de joelhos) Consagração do vinho (Tomai e bebei ...) (de joelhos) Aclamação (Eis o mistério da fé) (de pé) Lembrança da morte e ressurreição do Senhor (de pé) Oração pela Igreja militante (de pé) Oração pela Igreja padecente (de pé) Oração pela Igreja triunfante (de pé) Louvor final (Por Cristo , com Cristo, em Cristo ...) (de pé) c) - Comunhão Pai-Nosso (com introdução feita pelo celebrante) (de pé) Pede a Deus que nos livre do mal (celebrante) (de pé) Rito da paz (saudação da paz entre todos) (de pé) Fração do pão (celebrante parte a hóstia grande) (de pé) Cordeiro de Deus (recitado ou cantado) (de pé) c1) - Rito da comunhão Felizes os convidados (de pé) Senhor, eu não sou digno (de pé) Distribuição da comunhão (sentados depois da comunhão) Purificação da cálice e âmbula (sentados) Oração pós-comunhão (oficiada pelo celebrante) (de pé)

4 - Rito Final Avisos e exortação do celebrante (sentados) Bênçãos final (de pé) Despedida (Vamos em paz...) (de pé)

104

Falsas Doutrinas
MT 16, 19s — Só Jesus tem o poder de fundar uma religião, e é por isso e não só por isso que outras denominações fogem da vontade do próprio Cristo. O homem desde Gênesis se afastou de Deus (pecado), e das mais diversas formas, e é isto que estaremos vendo. IGREJA CATÓLICA Jesus a fundou, e nos salvando do pecado, subiu aos céus, mas

mandou o Espírito Santo para que nos transformando em templos deste mesmo espírito, e entregando toda a autoridade de ligar e desligar ao Apóstolos, pudéssemos pregar a Boa Nova. (cf. Mt 16,19). ICOR 12,12-27 — Somos parte do Corpo cuja cabeça é Cristo, a Igreja portanto, não é apenas uma assembleia de pessoas que procuram viver bem, ela é o Cristo atuante em nós pelo Espírito Santo e pela Eucaristia — Não se pode recomeçar a Igreja, pois quem recomeçasse faria obra humana, separada de sua cabeça Cristo, ficando portanto, frágeis a ação e interesses de homens. A Igreja com o Espírito Santo sempre agindo nela através da sucessão apostólica, mudou em muita coisa, não precisando fundar várias outras Igrejas, vejamos: - Concílio de Jerusalém, ano de 49 d.C. At 15, 4-9. Pedro — Apóstolo dos Gentios — circuncidados e convertidos. Paulo — Apóstolo dos Pagãos — não circuncidados. Discussão se precisaria circuncidar os pagãos ou não. - 313 d.C. — Edito de Milão — O Imperador Constantino dá paz a Igreja ela se multiplica e converte todo o Império Romano e os Bárbaros. - As grandes verdades de fé — Ssma. Trindade, Jesus Salvador, pecado — Niceia 1 (325 d.C.) — Constantinopla 1 (381 d.C.) — Efeso (431 d.C.). - CVII — Mudança da Liturgia — Plano de ação do leigo — nasce a RCC — mudanças feitas pelo Espírito Santo — além das diversas espiritualidades dentro da própria Igreja (Igrejas particulares). Vamos a partir de agora dividir o assunto em 6 blocos: Doutrinas Monoteístas Judaísmo e Islamismo Luterana, Anglicana, Presbiteriana, Batista e Metodista. Pentecostais, Adventistas, Testemunhas de Jeóva,

Igrejas Cristãs Protestantes

Igrejas com roupagem Cristã

Mormóns, A Igreja Brasileira. e a Universal do Reino de Deus. Sociedades Secretas Panteístas Maçonaria

Budismo, PL, Seicho-no-iê. Espiritismo e Fenómenos Mediúnicos e Nova Era.

105

colocadas na Arca da Aliança.. E sofreram muito fazendo trabalhos forçados na fabricação de tijolos do faraó. A Arca da Aliança acompanhou os judeus durante toda a travessia do deserto. em 70 d. Cerca de 750 a.JUDAÍSMO A religião judaica iniciou-se com a idéia do Deus Único.C. Tempos depois. os judeus foram exilados da Inglaterra e da França e em seguida.. Nos séculos XII e XIII. em 516 a. conquistaram Canaã. que atacavam a opressão social. se libertaram da escravidão no Egito e. Passaram a ser conhecidos como judeus (palavra derivada de Judá e Judéia). Mais tarde... e somente em 539 a..C. uma revolta contra os romanos. no ano de l492. No entanto. moral e política. o Templo de Javé foi reerguido e ampliado pelo rei Herodes. depois de peregrinar 40 anos no deserto. em 587 a.C. Aproximadamente no ano 1200 a. o judaísmo teve grande penetração na Espanha. No ano 1000 a.. foram escravizados no Egito. O reino foi dividido em dois: Norte (Israel) e Sul (Judá) sendo Jerusalém a capital de Judá. durante o século XIV. valorizando a justiça e os ideais éticos. os babilônios invadiram o reino do sul e destruíram o Templo de Jerusalém. o Gênesis.C. foram perseguidos e expulsos também da Espanha.. Somente no ano 1851.. Foi nesta passagem pelo deserto que Moisés recebeu as duas tábuas da Lei. 106 . Abraão deixou a cidade de Ur – atual sul do Iraque e partiu com sua esposa em busca da benção de Deus: terras e descendentes. Isso provocou a reação dos profetas. esta cláusula foi anulada. A maior parte da população foi deportada para o exílio na Babilônia. que construiu o primeiro Templo de Jerusalém e nele guardou a Arca da Aliança. resultou novamente na destruição do Templo. Vivo e Verdadeiro”. liderados por Moisés. e tal destruição enfraqueceu o poder político e religioso daquela região.. fiel a seu povo e merecedor de toda a fidelidade.C. Pouco depois. Porém.C. os filhos dos filhos de Abraão. O reino do norte foi destruído pelos assírios em 722 a.C.C. que fortaleceu a tradição judaica. as lideranças no país sofreram decadência religiosa. como sinal “da presença do Deus Único.C. O Judaísmo passou a ser centrado nas sinagogas e os judeus se dispersaram pelo Mediterrâneo. Por volta de 1800 a. A Noruega instituiu uma lei em 1687 que negava aos judeus a permissão de entrar no país sem uma autorização. os israelitas. e de Salomão. no primeiro livro da Bíblia. a monarquia foi introduzida em Israel pelo rei Saul e atingiu seu ponto mais alto durante os reinados de Davi. puderam retornar à sua terra. a Terra Prometida.

sexo e fé. Habacuc. os cinco livros de Moisés: Gênesis. Tudo pertence à Lei de Deus. Os Salmos. Jonas. seguindo somente a Deus. Êxodo. Naum. Zacarias e Malaquias. pois todo ser-humano. Os judeus adotam a Tzedaká (uma doação durante as funções religiosas) como um dos 613 mitsvot. Jeremias. Foi Javé quem criou o mundo e ensinou ao homem como viver em função dos seus deveres.C. tornando-se completo por volta de 400 a. Abdias. Levítico. sendo os três mais importantes: cânticos de louvor 107 . Reunião de vários textos escritos no decorrer dos anos. Contém as normas legais. Números e Deuteronômio. Ezequiel e os Doze Profetas Menores. Ageu. Seu nome real é tão sagrado que os judeus normalmente nem o pronunciam. Joel. no ano 1948. Oséias. Partem do princípio de “Amarás o teu próximo como a ti mesmo”. A Lei (Torá) – o Pentateuco. podendo ser divididos em vários tipos. Não há distinção entre a parte ética e a parte religiosa da doutrina judaica. Livros Sagrados A Bíblia é o livro sagrado dos judeus. Há 613 mandamentos. textos poéticos com grande significado histórico. que em hebraico quer dizer “eu sou quem sou”. independente de cor. Os escritos (Ketuvin) – demais livros escritos. Doutrina A religião judaica é monoteísta. foi proclamado o Estado de Israel. cujo princípio se refere à "Justiça Social". organizados em 24 livros divididos em três grupos: 1. 248 afirmações e 365 proibições. 2. Sofonias. Após a Segunda Guerra Mundial. na Alemanha nazista. É lido como ou Javé. Amós. 3. morais e as regras do culto judaico. raça. Os livros proféticos são: Isaías. Grande parte desses livros foi escrita durante o período dos reis. Os profetas (Neviim) – são livros históricos e proféticos que buscam uma interpretação religiosa para a história. onde 6 milhões de judeus foram exterminados. Miquéias. A Bíblia judaica eqüivale ao Antigo Testamento. é merecedor de todas as oportunidades de uma vida melhor. substituindo-o por “o Senhor” ou “o Nome”. O nome “Deus” é escrito nas letras IHVH. ajudando e respeitando seu próximo. Toda a vida depende de um único Deus e tudo o que é bom vem Dele.A maior perseguição aos judeus ocorreu entre 1933 a 1945.

Ásia. que nunca se apaga. O Livro de Daniel – a mais recente escritura do Antigo Testamento. quando o profeta Maomé migrou para a cidade de Madina. 108 . de lamentação (orações) e de ação de graças. Túmulo do Rei Davi – localizado na colina do Monte Sião. uma espécie de armário situado na parede oriental. destruído no ano 70 d. reúne os judeus do mundo inteiro para fazerem orações e entregarem seus pedidos escritos em pequenos papéis e colocados no grande Muro. e seu significado no contexto religioso é a submissão voluntária à vontade de Deus. o túmulo do Rei Davi é um dos lugares mais visitados de Jerusalém. Bagdá se tornou a capital do mundo islâmico. Dento da Arca estão guardados os rolos da Tora. Em hebraico. e são envolvidos por uma capa feita de material nobre. Dentro da sinagoga.C. Muro das Lamentações – A única parte que sobrou do segundo Templo de Jerusalém. aproximadamente 165 a. com a mensagem revelada ao profeta Maomé (Mohammad). a Arca está indicada por uma "luz eterna". O termo islam deriva da palavra “Salama” (estar em paz). regras. essa luz é chamada de "ner tamid". O Livro de Jó – livro de grande importância para a literatura mundial. uma coroa e um escudo de metal precioso. Os muçulmanos conquistaram a Espanha em 749 e a religião islâmica começou a se espalhar pela África. como seda. veludo. ISLAMISMO A religião islâmica surgiu em 610 d. (Contém leis. Bálcãs e sudeste da Europa a partir do ano 800. Texto usado pelos rabinos em seus ensinamentos para orientar os fiéis em situações concretas. preceitos morais. esposa de Jacó.C.O túmulo de Raquel. pelo imperador Tito. O calendário muçulmano iniciou-se no ano 622 da era comum. que estão escritos em pergaminho.C. Túmulo de Raquel . direcionada a Jerusalém. situa-se às margens da estrada que liga Jerusalém e Belém. Tem como foco principal a Arca. Os seguidores desta religião são chamados de muçulmanos (aqueles que se submetem a Deus). Lugares Sagrados Sinagoga – Templo judaico sem imagens nem objetos no altar. É um lugar muito visitado pelos Judeus.(hinos). histórias e lendas sobre “A Lei” ). decorados com sinos. O Talmud – Estudo. No ano 749 EC. comentários.

Constituem 95% da população nos países como Afeganistão. o controle muçulmano diminuiu naquela região. o Islamismo é praticado por uma sétima parte da população mundial. No período entre 998-1030 d. jejum e a peregrinação à Caaba que fica na cidade de Meca (Makkah). 109 . na Índia. Curitiba. a população islâmica é de 50% a 75%. A maioria dos muçulmanos encontra-se no Oriente Médio. Turquia. Tailândia. o noroeste da Índia foi conquistado por Mahmud de Ghazna. e Maomé é seu Profeta. O Sudeste Asiático sofreu a influência do Islam durante o período de 1588 a 1629. Rússia. Tanzânia. Marrocos. Iraque. Catar.C. seus sucessores (os califas). oração. passaram a liderar os muçulmanos por um grande período até o ano de 1918. Gana. zacat (caridade. muitos muçulmanos emigraram para a Europa. Somália. Guiné. Em 1947. Mauritânia. o Paquistão foi criado pelos muçulmanos da Índia. se confirmando como a segunda maior religião do planeta. “Não há deus senão Alá ( Deus) . chamado de “Os cinco Pilares”: credo. Shehu Usman Dan Fodio. Emirados Árabes Unidos e Iêmen. A religião islâmica continuava sua expansão. No Brasil há um milhão de muçulmanos espalhados por todo o território nacional. Rio Grande do Sul e Foz do Iguaçu. Na Índia. Líbia. em busca de emprego e novas oportunidades. Rio de Janeiro. Quênia. No século XX. Bahrein. o percentual está entre 10% e 50%. As maiores comunidades se encontram nas cidades de São Paulo. Suriname. quando ocorreu a queda do Império Otomano. Esta emigração resultou numa grande expansão da religião islâmica nas décadas de 80 e 90. Doutrina O foco principal do Islam é o Monoteísmo (a concepção do Deus único) e a revelação dEle ao profeta Maomé (Mohammad). Senegal. Argélia. Foi estabelecido um estado muçulmano no Sudão. com o término da Batalha de Palssey. Madagascar. Indonésia. Kuwait. Tunísia. se tornando a religião que mais se expandiu no Ocidente durante esse período. Omã. levou o Islam até a África ocidental durante o ano 1804. Malásia e Moçambique. Zâmbia. Arábia Saudita. no período de 1885 a 1898.” Os muçulmanos seguem um conjunto de cinco obrigações religiosas. Egito. Ilhas Maldiva. Irã. Paquistão. Com grande concentração na África e na Ásia. devido à vitória britânica. por Mahdi. principalmente na Indonésia e Sumatra. No Cazaquistão.Após o falecimento do profeta Maomé (Mohammad). Jordânia. África e Ásia. Em 1757.

Toda reforma deve acontecer para gerar mais unidade e não o contrário. Primeiro santuário construído por Ibrahim para adorar o Deus Único. a tradição oral e escrita dos primeiros cristão e dos Santos Concílios de nada vale. estante sobre a qual é apoiado o Corão. Denominado “Al Fatiha” (a abertura). o Corão contém as palavras exatas de Deus. Doutrina Somente a Bíblia e fonte de fé. O Espírito Santo inspire a cada crente o sentido da bíblia. Algumas histórias são de profetas do Velho e do Novo Testamento da Bíblia.Livros Sagrados O Corão (Alcorão) – livro sagrado dos muçulmanos que reúne as revelações para o profeta Maomé (Mohammad). Em grandes mesquitas do Oriente Médio. com a pedra negra encravada no lado oriental. LUTERANISMO Fundador: Martinho Lutero — Monge Agostiniano em 1529. porém. Lutero foi chamado várias vezes a dialogar desde então. em vez de revigorar a Igreja.São os templos muçulmanos. Apreciação A Reforma Luterana começou querendo ser um alerta. que se organizam da seguinte forma: os textos mais longos vêm primeiro. A lº Manifestação de Lutero contra a Igreja se deu em 31/10/1517. Exceção à regra. constitui o início e o fim do Hajj – peregrinação à cidade de Meca (Makkah). mas com sua reação contrária aos Bispos alemães. quando afixou 95 teses teológicas contra a Igreja na porta de uma Igreja na Alemanha. é a sura 1. de onde o imã fala. seguidos pelos mais curtos. A maioria possui planta retangular. foi excomungado definitivamente em 1521. À sua direita. A Bíblia deve ser livre na teoria do livre exame. é um conjunto de 114 capítulos (suras). Kaaba – É o centro físico da fé islâmica. a Kaaba está localizada na cidade de Meca (Makkah). está o “mimbar”. que conforme eram reveladas a Maomé. Para os muçulmanos. Todas as orações são feitas em sua direção. dividiu-a. ao lado há o “kursi”. oficiais ficam sobre uma plataforma denominada “dakka”. sem resultado. geralmente com três degraus. pois cada cabeça tem sua sentença e cada um pode reformar o Credo e fundar uma Igreja. sofreu a primeira Intervenção da Santa Sé. este capítulo inicial louva Alá e pede Sua orientação. sem intervenção do Magistério. Este livro maravilhoso do ponto de vista dos ensinamentos e do seu estilo literário. Templos Mesquitas . Como se vê. Estrutura oca em forma de cubo. que inicia o Corão. denominado “mihrab”. este princípio gera o esfacelamento do próprio Protestantismo. O primeiro Corão foi compilado por volta de 650 EC (Era Comum). este as recitava e seus seguidores as escreviam. Um arco na parede. 110 . indica a direção de Kaaba.

o que lhe foi negado. e em todo país ele se tomou o chefe espiritual.4). Seus discípulos em 1612 na Inglaterra fundaram a primeira Igreja Batista. Em 1567 se separam definitivamente do Anglicanismo com a ajuda de John Knox e começam a formar Igrejas. que o leva a rejeitar Deus. se deve ao abusa da liberdade. em 1521 escreveu um livro contra Lutero. Na Inglaterra. rejeitando o batismo de crianças (coisa que Lutero não fazia). e instituiu o que ele chamava de presbitério: formado pelos anciãos ou presbíteros de cada comunidade. 111 . ambos decapitados em 1535 e canonizados em 1935. e resolveu pedir divórcio. acima de cada desses. então ele consegui do Parlamento o Ato de Supremacia. Em Gainsborongh. existe o Sínodo uma assembleia de presbíteros. O Rei era então casado com Catarina de Aragão e tinha filhos. OS BATISTAS Fundador: Jonh Smyth em 1604. Ana Bolena. O Rei no início do seu reinado era um grande defensor da fé católica. daí o nome. Sob pena de morte aos súditos que assim não o reconhecesse — Entre os que se recusaram estão João Fischer e Tomás More. mas foi vítima de paixão afetiva e excesso de orgulho. Calvino organizou a sua Igreja conforme concepção própria: rejeitou a hierarquia episcopal. PRESBITERIANISMO Fundador: João Calvino em 1564 em Genebra. porém apaixonou-se por uma dama da corte. A Igreja diz que Deus não cria ninguém para a condenação mas para sermos todos salvos (ITIM2. Ele depois da negação do Papa conseguiu se casar com Ana secretamente com autorização de um bispo corrupto da Inglaterra. que lhe valeu da parte do Papa Leão X o título de defensor da fé. papel que antes era exercido pelo Papa.“Deus não abandona a não ser que seja abandonado primeiro.ANGLICANA Fundador — Rei Henrique VIII em 1534. Smyth funda uma comunidade. o Papa descobrindo o excomungou. em consequência aplicou em si mesmo um segundo batismo. Segundo Santo Agostinho que o Concílio de Trento (1 545-1563) reassumiu: . Se a criatura se perde. Doutrina Calvino diz: Deus não predestina o homem somente para a glória mas também a perdição.

tomou em seu início a aproximação com a igreja quase muito próxima. John era devoto de Maria e em uma carta redigida em 18 de julho 1749 demonstra isso claramente. buscando mais do que a ‘justificação pela fé” (objetivo protestante). / Deus predestina o homem a perdição / a bíblia é a única fonte de doutrina — E sob essas teses. l3-15 — Por isto o escritor Origines por volta do ano 240 d. A bíblia narra diversos batismos “com toda a sua casa” — Atos l6. podia dizer — “A Igreja recebeu dos Apóstolos a tradição de dar o Batismo aos pequeninos”. cada batista coloca seu ponto de vista próprio. reconhecêssemos que na igreja antiga era realmente em rios. mas pela indiferença e pela não aceitação.C. — que dizia que a ordenação sacerdotal dos metodistas era inválida. John e Charles iniciaram um movimento estudantil destinado a afervorar os jovens: liam o Novo Testamento. faziam orações. O Metodismo enfim. racionalismo). porém com o crescimento da Igreja isso ficou inviável. John se ordenou ele mesmo pastor e seus primeiros discípulos também embora fosse ele mesmo um simples pregador anglicano. mas também não ao contrário. desejavam uma santificação mais pessoal. METODISMO Fundador: John Wesley 1729 — Inglaterra Com o esfriamento do Anglicanismo (indiferença. aos poucos o metodismo distanciando do Anglicanismo e finalmente John foi proibido de pregar nos púpitos. imprimindo um caráter mais pessoal a fé da pessoa. porém não querendo Ter seus pastores destituídos. mas a água mesma como símbolo de purificação. dois irmãos. Filho de Pastor John queria reformar a Igreja na Inglaterra. Apreciação Quanto ao batismo em particular. Notemos que o que importa não é a quantidade de água.Doutrina Os Batistas professam pontos doutrinários do Calvinismo. e por causa da regularidade nos estudos e de suas vidas Metodistas. notemos o seguinte: E verdade que a bíblia não se refere a batismo de crianças. Quanto a maneira de imergir.. 112 . Doutrina John não queria mudar nada na doutrina protestante só avivar a fé. jejuns. Clube Santo. não aceitou a declaração da igreja na Bula “Apostolicae Curae — 13/09/1896. O novo movimento não era para ser uma nova igreja.

Cruzada o “Brasil para Cristo” . veio dos EUA e tem um postura teológica sem improvisos. em 1906 fundou a primeira comunidade usando esse termo “genérico” de Pentecostais. No Brasil a população pentecostal compreende 75% dos protestantes.PENTECOSTALISMO A origem do pentecostalismo se prende a denominação protestante Metodista.. O Pastor Metodista W J. azul e roxo). simbolizando os elementos essenciais de sua doutrina: conversão. 113 . possui uma hierarquia muito simples: pastores. diáconos. É a única denominação que participa do CM na Suíça.Luis Francescon. não tendo aceitação pelas Igreja Protestantes. Ex. e depois a Cruzada. / Distingue-se da Assembleia de Deus pôr possuírem características próprias: Os fiéis oram de joelhos Ias mulheres usam véu /A congregação faz o Batismo pôr imersão. qualquer crente que julgue ter uma visão ou uma profecia facilmente se acha “inspirado” por Deus afundar outra denominação. dada a livre interpretação e também.Foi fundada em 1918. pôr sermos um país de 30 mundo a religião pentecostal Realçaremos aqui 5 Igrejas Pentecostais chamadas “tradicionais”. cura divina. Deus é Amor – Fundador . porque pelo uso sugestivo a emocional o ES. fundou então um movimento dentro da Igreja. Congregação Cristã no Brasil . imigrante italiano no Brás-SP. divulgando sua doutrina milagrosa A Igreja já sofreu diversos processos por charlatanismo. Nenhuma denominação Protestante tende tanto a dividir-se como os pentecostais. mas.1909 . Igreja do Evangelho Quadrangular . pastor da Assembleia de Deus. usando o método do “Batismo no Espírito» para renovar o Metodismo com uso dos dons etc. pela viúva Aímée Semple McPerson. cunhado de Manoel de Melo. Dentro do Metodismo se formou um movimento chamado de Holiness (Santidade). para aprofundar a vida espiritual. A Igreja hoje possui diversos programas de rádio em todo o país.É a corrente pentecostal mais clássica. Montou um movimento a Tenda Divina. com uma cruz vermelha no centro e o número 4 escrito no meio. vermelho.Fundador é o Sr. missionário leigos. Seymor. tendo essencialmente suas pregações baseadas em milagres.Davi Miranda em 1962. batismo no ES e a iminente volta de Cristo a terra.. Tem em seus templos uma bandeira e quatro cores (amarelo. Assembleia de Deus . Manoel de Melo em 1955.

114 . opiniões subjetivas e anseios pessoais ou interesseiros com “Dons do ES”. em determinadas regras . É surpreendente o recuo de algumas denominações ao Antigo Testamento deixando de lado a revelação trazida pôr Jesus Cristo. a Sr. Criam não raro. e não o Domingo. um clima de pavor em tomo dos crentes. mas facilmente ensoberbecido pelo fiéis. Fundador: Willian Miller em 1844 mas a maior propagadora foi a Sra. vindo de. Não tem uma doutrina específica tendo cada qual uma particularidade. todos esses movimentos Pentecostais chama a atenção da Igreja Católica a uma urgente e sólida catequese. Ellen então juntou todos os fiéis e montou uma Igreja que prega a volta de Cristo na terra (advento).5-1 1 depois de fracassar várias vezes. Geralmente os pastores tem formação muito simples. São Paulo já nos advertia da importância do Discernimento do ES (ITes 5. nem tomam café tomando assim. proclamou a vinda de Jesus em 1843 . e a rigorosidade com que e levado suas crenças. O Dia do Senhor é o Sábado. tendo a creditar todas as desgraças do mundo a ação diabólica. Willian sem religião. ADVENTISTAS Adventista vem do latim adventus . levam a confundir não raro. mas o despreparo de muitos fiéis e a má fé de outros. Dn8.cf.19s. seitas afro-brasileiras onde lidavam com entidades “malignas e benéficas”. e realiza feitos sobrenaturais em quem a ele se abre.São grupos voltados quase que exclusivamente a prática de exorcismo e curas milagrosas.). Não comem carne de porco. É certo que o ES distribui seus dons e carismas. Em suma. Apreciação Como se vê o Adventismo tem uma postura de Recuo ao Antigo Testamento. uma postura fariseista. G.Ultrapentecostais . pela atribuição de iluminados dos mesmos. tendo a imaginar o demônio em tudo. Ellen Gould White. White? O Comportamento dos fiéis se dá.que significa vinda. tendo dai este tamanho sincretismo religioso. sempre exaltando o milagre imediata e a visão nebulosa o mundo. Apreciação A tônica dos movimentos pentecostais está na grande estima pelos dons do Espírito Santo. Doutrina Os adventistas não crêem somente na bíblia tendo para ingressar na seita professar o seguinte juramento: Aceita o espírito de profecia tal como se manifestou no seio da Igreja pelo ministério e os escrito de E.

depois do Harmaguedon todos os que não se converteram. todos serão tentados e provados.TESTEMUNHAS DE JEOVÁ Fundador: Charles Russel em 1931 nos EUA. uma maneira tardia de ler o nome de Deus revelado a Moisés . que ficou não em uso no judaísmo mas sim no protestantismo.000 eleitos que irão para o céu c/ Jeová. porém sem sofrimento. Desde 1918 Jesus está reinando pôr mil anos (Ap20. os Jonadabs. mas nunca compre suas publicações visto que não são cristãos. o Inferno para os testemunhas são o túmulo. porque eles sabem a verdade enquanto nós todos não. fracassando desligou do ramo em 1878. Em consequência disto Jesus não é Deus somente uma criatura. ONU expressões da denominação satânica neste mundo. Os que vencerem serão divididos em 2 Categoria: os 144.6). Como receber os testemunhas . Os testemunhas tem que proclamar isto. Rutherford foi seu sucessor.914 quando se dará o Harmaguedon (Ap16. Trindade é absurdo aos olhos dos Testemunhas. Não existe inferno.A Ssma. mas ficarão na terra como humanos. Adventista. Miguel Arcanjo. para não pronunciar o santo nome de Deus os primeiros judeus davam o nome de JEOVÁ. Após sua morte em 1916. Apreciação A Seita é a reforma da reforma. automaticamente os livros fogem de nossa doutrina. coloque que você não está interessado. até 2. obrigando-os a se explicarem. Considera o Serviço Militar a.JAHWEH. eles combatem todas as religiões como se todas fosse obra do demônio. O fundador da seita julga ter redescoberto o Evangelho como se ninguém até então tivesse o entendido. pôr mais benéficos que pareçam. serão salvos. pregando a volta de Abraão e Jesus e chamando as pessoas junto com ele a serem testemunhas do fato. 115 . passou a afirmar que a volta de Jesus se daria 1914. Se julgam os especiais.Não entre em discussão. a 1º aliás. serão aniquilados. O restante. . e se não tiver outro jeito mostre um folheto católico e os coloque na defensiva.Atenda com educação. Em Deus não há três pessoas .6 entendido ao pé da letra). Doutrina Deus quis revelar seu nome aos pagãos JEOVÁ.

OS MORMONS A Igreja de Jesus Cristo os Santos dos Últimos Dias Fundador Joseph Smith em 1830 nos RUA de família metodista. quando viu dois anjos. O Batismo póstumo é uma das práticas mais estranhas do Mormoísmo. pois atribui. que.Igreja Católica Apostólica Brasileira. e feito pôr uma procuração dada pelo defunto a um descendente deste defunto. Salvador do Mundo. em 1930 ele publica então o LIVRO DOS MORMONS. Além disso. coletâneas de passagens bíblicas e não bíblicas. Doutrina Existe um Deus Trino. A Primeira visão de Smith se deu em 1820. que seria o Livro dos Mormons. Carlos Duarte Costa em 1946. este lhe anunciava que ele iria encontrar placas de ouro que existiria a história do povo de Deus na América. e então sem demora o anjo leva as placas embora. Fundador D. Smith dizia que quem olhasse as placas morreria e assim. assim como a autobiografia de Smith e revelações que ele teria tido de Deu. que segundo ele. as deixava escondidas.o “Anjo Moroni”. fica apagado. O livro do Mormom é tido como a 30 Revelação depois do AT e NT da Bíblia. A IGREJA BRASILEIRA ICAB . 116 . O texto era atribuído pelo anjo Moroni a um rei chamado Mormom (dai o nome). Apreciação Estas poucas considerações são suficientes para afirmar que a doutrina mormom não é cristã. em 1822. o documento estava redigido em uma língua desconhecida que ele também não entendia. neste contexto. então Moroni se deu duas pedras «Urim e Thumrnín» que traduzia assim. também atribui como leitura sagrada o livro Pérola de Grande Valor. o próprio Jesus. além da Bíblia admitem urna nova revelação de Deus. os textos. conta ter recebido a visita de um outro anjo . O homem que não conheceu o Evangelho nesta vida pode conhecer depois de morto e receber um batismo póstumo. porém Deus tem carne e osso o filho e o ES são emanações do Pai. Deus e Homem. lhes disseram para “restaurar a Igreja”.

o demônio é um anjo caído e recebe a permissão de deus para tentar os homens. D. Ex. fundou a chamada Igreja Brasileira. Criando assim um vasto Império. O demônio é identificado como pomba-gira ou exu.Dom Carlos. o primado de Pedro. pagando o dizimo regularmente e não fugindo de sua doutrina. caso contrário correm o risco de terem os encostos de volta. sendo suas orações e libertações feitas por pastores em meio ao frenesi de reuniões específicas como descarrego etc. o que é falso. A IURD brincando com a credulidade das pessoas construiu para si um vasto império. de 03/04/91 pg. praticante de Macumba. Edir Macedo em 1977. tende ser uma cópia da Igreja Católica. não contente fundou com seu cunhado a “Igreja Cruzada do Caminho Eterno” sendo Edir o tesoureiro. Fazem casamentos de divorciados etc. em 1977 se desentendeu com seu cunhado e fundou a Igreja Universal. Doutrina Precaríssima. porém retirando é claro.. em 1944 foi suspenso de suas funções então a revelia. A possessão diabólica é possível mas ela é bem rara e não se pode fazer disso um show. 117 . Carlos ordenou pôr conta própria padres e diáconos que pregam em sua Igreja. tendo tudo para aumentar. as entidades das religiões afro-brasileiras são semideuses que não existem. ao contrário. Ainda pôr problemas. Doutrina É feito o atendimento aos fiéis atribuindo tudo a Satanás. Em suma. Depois de libertas. se filiou a Igreja Pentecostal Nova Vida. Quatro anos depois ele mesmo se deu o cargo de “bispo” .ESSE NEGÓCIO DE BISPO É só UM Titulo PARA ENVOLVER OS CATÓLICOS – Jornal da Tarde. seu único êxito em enganar os fiéis se dá nos ritos copiados da Igreja Católica UNIVERSAL DO REINO DE DEUS Fundador: Sr. as pessoas tem que continuar frequentando a Igreja. Apreciação O Pressuposto que toda desgraça é causada pelo demônio deve ser superada. Bispo Católico foi nomeado bispo de Botucatu em 1924 pôr problemas de obediência foi afastado e nomeado bispo auxiliar de Maura na África Ocidental. foi excomungado em 1946. não dando atenção ao alerta da Santa Sé.16. O HOMEM É SUFICIENTEMENTE MAL PARA FAZER O MAL.

com a publicação do “Livro dos Espíritos”. de Bento XII. As bases do Espiritismo foram lançadas em 1857. 10-11 . separada do corpo pela morte. Refutação doutrina da reencarnação nega a Redenção de Jesus por nós. 118 . ir durante certo tempo. SENDO PORTANTO INCOMPATÍVEL COM A FÉ CATÓLICA. tais como o “Livro dos Médiuns” e o “Evangelho Segundo o Espiritismo”. deixando muitos crentes dispostos a voltar ao aprisco de Pedro. Hb 9. após a morte.Verifica-se porém onde a Igreja Católica possui um amplo trabalho pastoral a IURD recua. “No século IV. O absurdo da reencarnação foi posto a nu em declarações inequívocas do Magistério Eclesiástico. que indica a transmigração da alma humana através de vários corpos dos homens. Decretum pro graecis. alojar-se em outro corpo humano para se purificar. Mediunidade ==> Uma pessoa especial com “poderes”. Constituição Apostólica Benedictus Deus. 29-1-1336. A referida doutrina nasceu na tentativa de explicar fenômenos paranormais: Adivinhação.A doutrina espírita se baseia em três pontos: Reencarnação ==> A alma humana. II Concílio de Lyon. das plantas etc”. Casa Mal-assombradas. Há um significado mais restrito da metempsicose. seguindo de outras obras “célebres”. inspirando-se em Platão. Deut 18. Reencarnação é o termo usado para indicar a passagem da alma de um a outro corpo humano. ano 1274. dos animais. Orígenes tentou apresentar esta doutrina como sendo católica. cada indivíduo é julgado e recebe um destino eterno irrevogável (cfr. ESPIRITISMO Espiritismo foi o termo usado pôr Allan Kardec para designar a sua doutrina e distingui-las de outros movimentos semelhantes. do Concílio de Florença.20-41. segundo o qual.27 – A O ESPIRITISMO NEGA PELO MENOS 40 VERDADES DE FÉ. A pessoa volta a terra várias vezes até virar um espírito puro. levantando-se contra ele uma forte polêmica. 4-6-1439)” (22). Ela foi condenada pelo Concílio de Constantinopla no ano de 543 (Papa Virgílio). Fritz. Dr. Comunicação com os mortos ==> Os mortos falam com os vivos para dizerem como está o além – Refutação Luc 16.

“Um decreto do Santo Ofício. a Macumba do Rio. Os Kardecistas não toleram que se qualifique a Umbanda como espírita.F. mas fortemente paganizadas e diretamente influenciadas pelas práticas espíritas.. o Nagô ou as Casas de Minas do Maranhão. Leão XIII proibiu a leitura e a posse dos livros nos quais se ensina ou se recomenda o sortilégio. declara ilícito assistir. página 149. com cara de religião deve ser rejeitado. o Xangô de Pernambuco. com fachadas cristãs. publicada no órgão oficial Reformador. aproximar-se da Sagrada Comunhão. receber respostas etc. numa solene declaração. explica: “Não podemos indicar uma data exata para a aparição. a evocação dos espíritos e semelhantes superstições”. aos poucos se aglutinaram e continuam a coordenar-se ainda hoje. a adivinhação.. o Catimbó do Nordeste. Movimentos populares. herética e escandalosa a prática de evocar as almas dos mortos. Quem está participando de uma Sociedade Secreta. a declaração da S. antes da publicação do NOVO CÓDIGO DE DIREITO CANÔNICO pelo Papa João Paulo II. uma vez que já está filiado. declara ilícita.M. Espiritismo umbandista D. Quem se filia a uma Sociedade Secreta não pode prever o que lhe será imposto ou ordenado. de 4 de agosto de 1856. acabou concedendo aos umbandistas o ‘privilégio’ de se chamarem espíritas”. Frei Boaventura Kloppenburg O. 119 . A Federação Espírita Brasileira. A história de sua fundação está no conteúdo de História da Igreja desta Apostila. Mas os próprios umbandistas continuam a proclamar empenhadamente que também eles são verdadeiros espíritas. Penitenciária (1º de fev. pois tudo o que é discriminatório (Homens). Bispo de Novo Hamburgo (RS). já não podem ser consideradas cristãs. CIC -2116. de julho de 1953. O Batuque do Sul./1882). o Candomblé da Bahia. ainda que passivamente. a magia.2117 -Palavra da Santa Igreja sobre a Seita. daquilo que hoje se chama espiritismo de Umbanda. que foi feito pelo pronunciamento da Santa Sé em 26/11/1983. secreto. não podendo portanto. entre nós. para formar a umbanda (palavra africana que significa feitiçaria). às consultas e jogos espíritas. A Igreja tem uma posição oficial quanto ao assunto. SOCIEDADES SECRETAS MAÇONARIA Pôr si só. de origem nitidamente africana. está em estado de PECADO MORTAL. a Pajelança da Amazônia: eis a matéria remota desse novo tipo de Espiritismo.

A 3º enuncia a meta a ser atingida: a cessação da dor pela destruição desta ignorância. é o sistema que identifica Deus com tudo e com o próprio homem. Sendo Panteísta está fora daquilo que a Palavra de Deus nos fala. só busca o prazer. a Verdade e a Liberdade. tendo sucessivas “vidas” para a purificação dos pecados. pois. descreve o caminho com oito pistas que conduz à meta. o que acarreta a cessação da sede da existência empírica.C. são reencarnacionistas. Todas as religiões panteístas. o esquema do pensamento do Budismo se dá no problema da salvação do homem. A 1º enuncia o fato ao qual nenhum homem escapa: a existência universal da dor.panteísmo portanto. por conseguinte. o budismo se detém no que considera mais urgente: a libertação efetiva e imediata do homem em relação ao que o aliena. — Seu fundador foi Sidharta Gautama — O Buda. tanto moral quanto física. donde se segue que nada há acima do ser humano nem existe possibilidade de oração a Deus. o Despertar final para a Realidade. BUDISMO Nasceu nos séculos VI-V a. A 4º finalmente. afirma que o próprio homem é parcela da Divindade. sob o positivo O Nirvana. O ensinamento fundamental do budismo encontra-se nas Quatro verdades (“Santas Verdades”).PANTEÍSMO Apreciação: Do grego Pan (Tudo) e theós (Deus) . 120 . assim com as Seitas. sob o aspecto negativo: a libertação da dor. Essa religião é essencialmente monástica em sua origem. A 2º enuncia a origem da dor universal: esta nasce da ignorância do homem que não sabe que seu pequeno “eu” e ilusório e que. (O “Iluminado”). este traz no seu íntimo uma parcela de Divindade. a saber. Essas verdades explicadas sem aprofundamento. nos permite ao menos notar que o Budismo e uma terapia de salvação. em última análise. É uma forma de ateísmo.

Fundador: Masaharu Taniguchi. Foi então que através de uma filosofia implantada por ele teve uma ideia genial: O contágio de doenças não passa de uma ideia ou de uma maneira de pensar. Seicho-no-iê significa: Casa da Longa Vida ou da Plenitude. o porquê das coisas malsucedidas. porque julgava ter contaminado a filha do diretor de uma fábrica a qual tivera saído. Suas ideias foram amadurecendo e em 1930 começou a publicar a Revista Seicho-no-iê. Taniguchi era um rapaz libertino que sala com muitas mulheres e se contaminou com um tipo de vírus.PERFECT LIBERTV (PL) Fundador: Tokuchika Míki em 29/09/1946. Todas essas mensagens são aparentemente benéficas. A Mensagem: A mensagem da PL é mais de índole ética e moral. Algumas: Saberei viver agradecendo ás pessoas e às coisas. como não existe doenças. Foi desenvolvendo tal concepção de modo a chegar a uma conclusão ainda mais ampla: “Não existe matéria.Outras mensagens: O homem em si é a manifestação de Deus. . cidade de Kobe em 11/1893. SEICHO-NO-IÊ Origem: Japão. Segue-se disso que a doença pode ser curada com o coração”. não satisfeito. A Mensagem: Começo curioso. porém vários textos peelístas mostram a sua origem panteístas A PL atribui enorme importância ao seu Patriarca: O Patriarca sabe o porquê do estudo.) Apreciação Verifica-se que os preceitos da PL se baseiam na lei natural do cristianismo através da vida sem o pecado. procurou várias formas de cura até que um cirurgião o curou. setembro 1974 pg2. quem criou tudo isso foi o coração. e a concretização dos ideais. São normas para que a pessoa se liberte mais e mais de suas paixões e consiga bom relacionamento com todos. Tudo progride e evolui. (Jornal PL. alimentava escrúpulos. que no Brasil recebe o nome de Pomba Branca Tomando daí em diante proporções de religiões com seu próprio conceito de Deus.É Panteísta. o porquê das doenças. o porquê da infelicidade. Levarei uma vida de casado com verdadeira harmonia. Esforçar-me-ei para não ser levado pela ganância. Viva evidente e positivo como o Sol. Sabe também qual o método para alcançar o sucesso a saúde. 121 . As suas orientações básicas saem da doutrina cristã.

. produto da mente humana o homem cria sua doença e sua saúde. pois visto por uma pessoa mais cética logo percebe quão ilógica é sua mensagem. O Pecado também não existe. porém. Dessas fontes o homem contemporâneo espera algo de novo. que. professa) de que a era zodiacal do Peixe está para ceder à nova era. sentiu a necessidade de saber por que e para que vive.... Sobreveio uma relativa prosperidade no Ocidente Europeu e na América do Norte. religiões orientais. que tome o lugar dos vetustos valores do século XX. O recurso às drogas também foi frustrador. mas sim nas curas milagrosa que são operadas.. pretensa mística.. Apreciação As razões que a Seicho-no-iê tanto atrai o público não está na sua doutrina. Nome e origem da Nova Era O nome é assaz sedutor. Isso. é irreal. espiritismo. Decorre do fato de que o homem contemporâneo está decepcionado por tudo que tem experimentado no século XX: o otimismo derivado do progresso da ciência e da tecnologia foi duramente golpeado por duas guerras mundiais. uma vez que a “doença” não existe. Assim. luta e sofre. tendo então nenhuma doutrina ética. Dai o perigo de falsas curas. mas geralmente não atinge a raiz das doenças orgânicas. para quem cultiva os pensamentos positivos. Consequência: o mal não existe. NOVA ERA A Nova Era ou New Age é um movimento que interpela constantemente o público com seus impressos e símbolos. pura ilusão uma vez que você é puro espírito. Só existe a realidade espiritual. aptas a pôr o homem em contato com o mistério: ocultismo. o homem é feliz. teosofia. em 21 de 122 . Daí a procura de correntes “místicas”. Vejamos qual a sua mensagem. Afirmam os astrólogos que sempre que o sol muda de sinal no Zodíaco. especialmente na religião. ocorrem mudanças radicais no setor da cultura humana. não bastou para responder aos anseios do homem ocidental. a ciência. é pura ilusão. mas que a astrologia. em meio ao progresso material. porém. não foi capaz de lhe responder.Doutrina A matéria não tem existência real. dita ´´do Aquário´´. Registramos ainda a concepção (que a autêntica ciência ignora. Na verdade sabemos que a sugestão pode Ter seus efeitos benéficos.

difundindo a yoga. podemos assinalar algumas de suas notas mais típicas. Não obstante. já em curso. ligadas entre si pela aspiração à novidade. o pacifismo.. nem livro que defina suas doutrinas e nem um corpo de artigos que lhe dê estrutura. o hare´krishna e as culturas alternativas: a dos hippies ou dos “filhos das flores”. o ecologismo. e surgirá uma nova religião mundial. propõem uma nova espiritualidade. mas por “suave conspiração” de muitas pessoas. Todos os homens são convidados a entrar nessa “suave conspiração”. O Movimento da Nova Era não é preparado por uma pessoa ou um grupo. como consequência do vazio deixado pelos mitos do progresso e do consumismo e em virtude da sede de mística e valores transcendentais.. não. a dos psicodélicos. o sol teria entrado no signo zodiacal do Peixe e apareceu o cristianismo. Pode-se apenas dizer que o Movimento da Nova Era teve início na década de 70 na Califórnia. o espiritismo ou a transcomunicação (com os mortos). o esoterismo com seus segredos. O retorno de Cristo inaugurará essa nova era. concórdia e felicidade. por isso. que poderá ter o nome de “Maitreya”. afirmam os astrólogos (não os astrônomos): em breve o sol entrará no signo zodiacal do Aquário.março do ano 1° da era cristã. o feminismo. A “suave conspiração”. parece estar mobilizando milhões de pessoas. como nenhuma outra instituição conseguiu realizar até hoje. Desaparecerá a religião cristã.. que se sentem sufocadas por velhas instituições e moral antiquada e.. estavam as religiões orientais existentes nos Estados Unidos. rica de revelações de seres superiores. mas o Cristo “Avatar” (budista). pacífico e fraterno. como dizem. Como primeiros referenciais do novo movimento. a Nova Era é um amálgama de ideias e movimentos diversos. caracterizada pela fartura. começará. nem sede social. uma nova era. sem que tenham um chefe ou fundador propriamente dito. então. 123 . síntese das anteriores e promotora de amor. dizem. as medicinas alternativas. a meditação transcendental. que terão no Evangelho de São João o “Evangelho do Aquário” (pois se diz que é essencialmente esotérico). Como se vê. é o Peixe. Ora. O nome “Aquário” implicará numa efusão de graças e luzes sobre o mundo. cujo símbolo. o Cristo do Evangelho. Fartura principalmente de doutrinas esotéricas. porém. para criarem juntos um mundo novo. de índole fortemente sincretista. Daí a dificuldade de defini-la com precisão.

como uma rede de ligações e de interdependências. O cristianismo possui um credo definido. Ele entra em diálogo com o homem. O channeling e o esoterismo gnóstico Channeling (de channel. mais recente: o universo não constaria de partículas. o espírito e a matéria são uma imensa vibração energética onde todas as diferenças são apenas aparentes. Tônica nas religiões orientais Embora seja sincretista. a Nova Era adota o modelo holístico. de modo a se sentir uma coisa só com a energia cósmica. Em consequência. Isso bem se entende. Com essa concepção se combinam resquícios do gnosticismo dos primeiros séculos: o homem possui uma centelha da divindade. segundo as quais o eu se dilata. Ora. em grego). a Nova Era afirma que Deus e o mundo. mas de ondas de energia que constituem um todo (holon. Também são estimulantes das experiências mística da Nova Era a música. canal. sem poder sair dele como observador neutro ou sujeito independente. o Movimento da Nova Era prefere as teses das religiões orientais (que geralmente são panteístas) aos artigos da fé cristã. O homem seria parte desse todo. 3. que o torna familiar ao Todo Divino (que é o universo).Características gerais Indiquemos cinco notas distintivas do Movimento da Nova Era: 1. até com defuntos e seres extraterrestres. a dança e as artes em geral. A Nova Era incita seus adeptos a fazerem experiências “transpessoais”. tais experiências possibilitariam ao homem entrar em contato com pessoas muito distantes. 2. cujos elementos se mantêm em equilíbrio mediante interação constante. quanto mais alguém aprofunda a realidade. dizem os holistas. visto que o cristianismo afirma a transcendência de Deus. Tais experiências podem ser estimuladas pelo uso de drogas e pelo incentivo direto do cérebro (biofeedback). participando da vida orgânica do conjunto. Holismo ou organicidade do universo A física clássica de Newton tinha o universo na conta de imensa máquina. mas sim de entidades superiores (A divindade? Cristo? Fadas? O inconsciente coletivo?). 124 . tanto mais faz a experiência da unidade do todo. e não reais. mas não é o homem. evitando o sincretismo religioso. em inglês) é a forma mais recente de espiritismo: o médium faz as vezes de channel: recebe mensagens não de defuntos.

contrária à mensagem cristã. de paz e felicidade. a perda de identidade da religião vem a ser o fim da mesma! Símbolos da Nova Era Símbolo oficial da sociedade Teosófica No alto. mas através do enfoque holístico. daí o sucesso do movimento. Conclusão Deve-se dizer que a mensagem do Movimento da Nova Era é. 5.. dentro da estrela a cruz com laço. 125 .. o Espírito Crístico Universal. tal como é anunciado pelo livro O Retorno de Cristo (1948)... apregoada por algumas correntes cristãs de nossos dias. como são a homeopatia e a acupuntura. Deus feito homem. de ponta a ponta. não é o do Evangelho. no centro a estrela de Davi. Nega a transcendência de Deus. que representa os processos de involução e evolução. a distinção entre espírito e matéria. fazendo da religião uma atitude sentimental e cega. o Cristo Energia. Otimismo A perspectiva da Nova Era. porém. a cruz suástica. E. que simboliza o movimento cósmico. O Movimento da Nova Era fala do retorno de Cristo. Cai no relativismo religioso. a existência do pecado. contra a pureza Sexual criada por Deus. da Sra. ora. não mediante a medicina convencional. em volta a serpente que representa Satanás. teosofista e ocultista inglesa que teria recebido revelações de um mestre desencarnado dito “o Tibetano”. a divindade de Jesus Cristo. e não a adesão à verdade. é o Cristo dito “cósmico”. símbolo de perversão sexual. que recorre às terapias “suaves”. Terapêutica O Movimento da Nova Era se dedica também ao tratamento das doenças do corpo e da alma. Alice Bailey. O Cristo da Nova Era. Pode-se dizer que a expectativa de Nova Era corresponde à de um reino milenar de Cristo (milenarismo). substitui a mentalidade derrotista de grande parte da humanidade contemporânea.4.

pois as forças opostas são parte da mesma perspectiva divina. apenas são vibrações altas ou baixas. envolvendo pessoas ou organizações. a Nova Era afirma que Deus e Lúcifer se completam. Também representa o pacto de sangue entre os novaerinos. Assim.Símbolo da Besta Este número tem qualidades sagradas e por isso. preto e branco. governada por Lúcifer. bem e mal. deveria ser usado com maior freqüência possível para representar a Nova era. Também é considerado como "Ponte Mental" entre o homem e as energias cósmicas e a cidade de Shambala. segundo os ensinamentos da Alice Bailey. Fita entrelaçada – Sem Fim Significa a vida entrelaçada. É usado para uma melhor obediência entre os aliados do movimento Nova Era. Yin Yang Representa o equilíbrio entre as forças contrárias: negativo e positivo. que é Lúcifer. O bem e o mal é a mesma coisa. Arco-íris É o símbolo principal da Nova Era. mas apresentado só a metade! Ele representa a ponte entre a alma humana individual e a "Grande Mente Universal" ou "Alma Universal". 126 . o arco-íris é o símbolo da Aliança entre Deus e o Seu povo. Na Bíblia. onde há sempre uma continuidade em outras encarnações. suma-sacerdotiza da Sociedade Teosófica.

127 . O círculo representa o planeta Terra como reino de satanás. Usado também em rituais satânicos. transforma-se e sai em forma de borboleta. Cruz virada para baixo Usado por grupos de Rock e adeptos da Nova Era. Signo de Lúcifer Este sinal é o símbolo da bandeira de Lúcifer. Mão chifrada Usado por artistas ligados à música (principalmente Rock) e seus fãs. SS Usado por grupos nazistas e grupos de Rock também em roupas. assim a humanidade passa de uma era antiga. Simboliza zombaria da cruz de Jesus. Simboliza o louvor e invocação de satanás. transforma-se em todos os sentidos e entra na nova era. O ponto são os homens. broches. Simboliza o louvor em rituais satânicos. tatuagens.Borboleta A borboleta é o símbolo próprio dos adeptos da nova era ou dos "aquarianos". instrumentos a serviço deste reino. Como a lagarta entra no casulo. etc.

É bem conhecida sua conotação com a pessoa de Adolf Hitler e seu movimento nazista que dizimou milhões de seres humanos na Segunda guerra mundial. Lua-estrela Usados em roupas. endereços. artes e também em centros espíritas. um vidente satânico e conselheiro de Hitler. A cruz suástica é inspiração de chamberlain. também no Brasil e em outras partes do mundo. Simboliza poder para transportar através do cosmos. É conhecido. Cruz suástica Para o Movimento Nova Era simboliza o movimento cósmico . 128 . Foi ele que inspirou a Hitler as idéias de um reino de terror e poder. Pirâmide É tida como elemento que capta a energia cósmica e beneficia as pessoas dando sorte nos negócios. o renascimento deste movimento nazista.Besouro Símbolo que mostra que a pessoa que usa tem poder dentro do satanismo.

etc.Anarquia O movimento prega a destruição de toda e qualquer organização que não queira se integrar ao novo sistema. heterossexualismo. 129 . O pé-de-galinha é uma cruz com os braços quebrados e caídos. fornicacionismo. É a volta ao paganismo antigo. a prostituição ritual. lesbianismo. Declara a anarquia do inferno a essas organizações que resistem à adesão universal. Simboliza a "verdadeira" paz sem Cristo. pois representa uma árvore de cabeça para baixo. cujos "deuses" promoviam as danças com barulho excessivo. Cruz de Cabeça para Baixo ou “Cruz de Nero” É uma cruz de cabeça para baixo. sexo grupal. as orgias. troca da parceiros conforme a escolha pessoal. etc. eleva o espírito e embeleza o corpo. E esse símbolo simboliza a Igreja de Satã nos Estados Unidos (EUA) Unicórnio É o símbolo da liberdade e promiscuidade sexual: homossexualismo. Cruz com laço Simboliza o desprezo da virgindade. também chamada de "pé-de-galinha". O círculo representa o inferno. O movimento Nova Era ensina que a sexualidade é a parte que purifica o ser humano. também foi símbolo de ecologia no mundo. Na década de 60 foi usada pelos hippies.

a Nova Era propaga sua doutrina e. Com certeza. inseridas nestas figuras. porém com esta apreciação. Existem muitos outros símbolos. Os adeptos da Nova Era dizem que o ser humano não deve pertencer a nenhuma família possessiva. nos mesmos sermos canais de disseminação de mensagens anti-cristãs. como vimos.Casal Transpessoal Símbolo do fim do casamento representado pela letra ômega. É necessário estarmos atentos. A cruz para baixo significa que todas as crenças serão destruídas para que o planeta Terra seja governado por Maitreya o "Novo Messias". sem informação podemos. Netuno Simboliza a transformação das crenças. por exemplo. de forma sutil. comerciais. você já viu muitos destes símbolos em camisetas. sem governantes diretos nem representantes que se digam adeptos de suas mensagens e doutrina. porque. 130 . mas ela é uma suave conspiração. produtos etc. É uma gota de sangue em zombaria ao sangue redentor de Jesus. já observamos que. última letra do alfabeto grego. como o satanismo. mas deve ficar sempre livre para buscar outros parceiros. programas de televisão. Mancha Usada principalmente em automóveis. a Nova Era comunica suas ideias não sendo uma seita instituída.

Por COMUNHÃO DOS SANTOS entendemos. que formam a IGREJA MILITANTE b) As almas do purgatório.Que.2. os cristão eram realmente Santos. Entretanto. seja finalmente porquê. Que se entende aqui por “comunhão” E quem são os santos? Quando se fala em comunhão. que se compreenderá bem examinando os escritos de São Paulo. embora houvesse também naquele tempo a Zizánia entre o trigo. que se acham em Deus. Santos eram chamados. cada um participa do bem espiritual de todos os outros. estão intimamente unidos aos bem-aventurados do céu. Chamavam-se assim seja porque. dentro desta verdade de fé. aqui. às Almas do Purgatório e a todos os justos da terra. todos os membros da Igreja. todos os indivíduos que haviam aderido a fé cristã e haviam recebido o batismo. em virtude desta união formando um verdadeiro organismo vivo e dinâmico. em sua cartas. a saber: a) Os justos da terra. que é a Glória do céu. Col 1. participação. E quando se fala dos Santos. logo se pensa nos bem aventurados do céu. nos tempos apóstolos. Em outras palavras Comunhão dos Santos é a intercomunicação de dons divinos entre todos aqueles que pertencem à Igreja de Cristo. Hoje entendemos por Santos.Que todos os cristãos. em estado de graça. seja porque só haviam tornado membros do Corpo Místico de Cristo. 1.COMUNHÃO DOS SANTOS A comunhão dos santos é uma das verdades de fé incluída no símbolo dos apóstolos: Creio na Comunhão dos Santos. todos os fiéis que pertencem ao Corpo Místico de Cristo. pois: 1. comunicação que parte da cabeça (Cristo) e passa para os membros (Cristãos). São Paulo. tinham sido santificados. os dois termos assumem uma significação um tanto diferente. na primitiva igreja. Quanto à palavra Comunhão. ou seja. morada dos Santos. abraçando o cristianismo. E quais são esses bens? O Tesouro inesgotável dos bens de que participam todos os membros do Corpo Místico é 131 . 2. significa aqui: união. que formam a IGREJA PADECENTE. Somente no século V foi colocada entre os artigos do Creio. logo vem à mente o Sacramento da Eucaristia. c) Os bem aventurados do céu que formam a IGREJA TRIUNFANTE. chama os primeiros cristão de Santos: ICor 1.

forças e merecimentos. missas que tem um valor infinito. Se a isto acrescentar os méritos alcançados continuamente pelas preces dos Santos do céu. as dificuldades que temos para conservar-nos fiéis a Deus e alcançarmos a bem-aventurança eterna. Vantagens Os anjos e Santos do céu conhecem as nossas lutas e fraquezas. os méritos inesgotáveis de Maria e de todos os Santos. Neste momento. De todo esse Tesouro infinito de méritos cada cristão participa onde quer que esteja. milhares de missionários estão trabalhando com ardor apostólico na conversão dos infiéis. Por isso rezam e intercedem por nós. em maior ou menor escala. antes de tudo dos méritos infinitos de Jesus Cristo. Os merecimentos das boas obras que qualquer cristão faz têm uma repercussão universal. Os méritos que elas alcançam nos enriquecem. é Deus. assistindo a Moribundos ou conferindo algum sacramento. As almas do purgatório também rezam pêlos cristãos da terra.. das quais também todo o cristão participa. milhares de doentes estão oferecendo seus sofrimentos a Deus e sofrendo resignados. porque são seus irmãos. rezando e se sacrificando no silêncio dos claustros. Disto se depreende que dentro da Igreja é inconcebível o egoísmo de quem dissesse: Quero trabalhar só para o meu bem com as ações que pratico. milhares de missas estão sendo celebradas. boas obras e sacrifícios de todos os Cristãos da terra. As boas obras ou ações de todos estes fiéis são pérolas que vão sendo lançadas no tesouro da Igreja e de todas estas boas obras qualquer cristão onde quer que esteja. pregando. as Missas que continuamente se celebram em todas as partes do mundo. Dos méritos de suas orações nós participamos se pertencemos ao Corpo Místico de Cristo. podemos ter uma ideia da torrente de dons divinos que circula continuamente no Corpo Místico de Cristo ou na Igreja. por amor de DEUS.constituído. As orações. com a oferta de sua vida ao Pai. milhares de Sacerdotes estão confessando . milhares de religiosos e religiosas estão meditando.. acumulados na Igreja para aqueles que deles necessitam. as preces e louvores que as almas do Purgatório elevam a Deus pelos seus irmãos na fé. Nossa Comunhão com todos os justos da terra. pelas almas do purgatório. méritos que ele conquistou com sua Paixão e Morte. por exemplo. nos tornam merecedores de um cabedal tão grande de luz. como o próprio Sacrifício de Cristo. 132 . que só Deus sabe. Quem distribui os dons divinos. está participando.

não ter sido excluído dessa Comunhão pela excomunhão. 133 .Condições para participar da COMUNHAO DOS SANTOS É necessário ser realmente membro do Corpo Místico de Cristo. É necessário ser membro vivo da Igreja. a Virgem Santíssima e os Santos intercedem por nós por meio de Jesus. fora da Comunhão dos Santos: os Pagãos. A porta para entrar na Comunhão dos Santos é o Batismo. os Hereges. Estão. Apóstatas. assim como os galhos secos ou cortados da árvore não recebem seiva que passam por todas as partes vivas da árvore. estar em estado de graça ou viver em estado de graça. pois. E necessário. Portanto. etc. Membros cortados não participam da vida do corpo. Isto ensinavam os apóstolos em “Creio na Comunhão dos Santos”. Esta é a verdade consoladora ou Dogma da Comunhão dos Santos. recorrendo a seus méritos e sua mediação. Cismáticos.

Lucas traz um texto breve. 134 .Oração do Pai Nosso " Um dia . Perdoai nossas ofensas como nós perdoamos a quem nos tem ofendido. S.. Livrai-nos do mal. E não nos deixei cair em tentação . o uso litúrgico concluiu a Oração do Senhor com uma doxologia " Pois vosso é o reino o poder e a Glória para sempre. Seja feita vossa vontade.. De servo mau tornastes um bom filho e agora podes dizer Pai Nosso. A) Santo Ambrósio: O homem não ousava levantar o rosto ao céu (diante de Deus). e de repente recebeste a graça de Cristo: " todos os teus pecados estão perdoados. (CIC 2783) . baixava os olhos para a terra . uma versão mais desenvolvida. O pão nosso de cada dia nos daí hoje. É em resposta a este pedido é que o Senhor confia a seus discípulos e à sua Igreja a oração cristã fundamental. Esta realmente era a realidade do homem ele não ousava olhar para Deus(todos os profetas que viam o Senhor se jogavam por terra ex. Venha a nós o vosso reino. Isaías e outros) B) São Cipriano: Quando Chamamos Deus de Pai precisamos lembrar que devemos nos comportar como filhos de Deus . Mateus . Santificado seja vosso nome.1). Jesus rezava. Bem cedo . A tradição litúrgica da Igreja conservou o texto de S. Ezequiel. como João Batista ensinou a seus discípulos' (Lucas 11. Mateus: Pai nosso que estais no céus. Quando terminou um de seus discípulos pediu-lhe: Senhor. A oração do Senhor Pai Nosso O Senhor Jesus nos mostra que podemos ousar nos aproximar de Deus com toda confiança e intimidade. Assim na terra como no céu. ensinanos a orar.. nos revelando Deus como Pai. S.

15) Mas na nova Aliança em Jesus o Senhor se mostra como "o Deus que Salva" e Jesus o chama pelo nome de "ABA".. para Jesus e para todos nós Seu Nome é ABA "Paizinho Querido" Ele é nosso Pai amoroso. testemunho pessoal).C) São João Crisóstomo : Não podeis chamar de Vosso Pai ao Deus de toda bondade. (CIC 2807) A um anseio neste pedido de Jesus. Em Malaquias 1. Santificado Seja Vosso Nome O termo "santificar" deve ser entendido aqui não primeiramente em seu sentido causativo (só Deus santifica.. (o amor e sacrifício de Cristo Jesus.: santidade .. mas sim uma maneira de ser. sozinhos ou diante dos outros (ex. o Pai de todos que aceitam a Jesus como Senhor Que Estais No Céu Esta expressão não significa um lugar . e ainda dizeis: ai que cansaço! E mostrai desprezo pelo altar. podemos ver no livro de Êxodo que Moisés perguntou a Deus “que responderei se perguntarem qual é o Seu Nome”? e o Senhor respondeu “Eu sou aquele que Sou”(Êxodo 3. Nós que participamos da Nova Aliança temos o privilégio de conhecer o nome do Senhor. conhecido e que todos aqueles que venham a conhecê-lo vivam de forma a honrar este nome com o seu proceder e viver . tratar de forma Santa. seus filhos e doravante Ele é nosso Deus Nosso Pai .. que nos faz filhos de Deus) Quando dizemos Pai Nosso reconhecemos que todas as promessas de amor reveladas pelos profetas se cumprem na nova aliança (no sacrifício de Jesus) em Cristo nós nos tornamos seu povo . que o nome de Deus seja adorado. Ele está além de tudo quanto podemos conceber a respeito de Sua Santidade... torna santo) mas sobretudo num sentido estimativo. ex: reconhecer como Santo. não uma distância de Deus mas sua majestade " que estais no céu" = "que é superior a tudo que é humano" ou " que é superior a tudo". se conservais um coração cruel e desumano. (CIC 2794).11-12 o Senhor diz: "Vós porém profanais o meu nome.. Venha a nós O Vosso Reino 135 ." O Senhor nos fala que profanamos ou seja não Santificamos o seu nome quando desprezamos aquilo que Ele nos deu ou incumbiu de fazer . pois nesse caso já não tende mais em vós a marca da bondade do Pai celeste.

na Igreja e no mundo. ó Deus. (CIC 2816) Este pedido é o " Maranatha" . a Vontade do Pai foi realizada completa e perfeitamente e uma vez por todas. e com isso realizar a sua Vontade . ele consente totalmente com esta vontade: " Não a minha vontade mas a tua seja feita!"(Lc 22. Pedimos que se realize plenamente este desígnio amoroso na terra. Jesus disse ao entrar neste mundo : "Eis -me aqui .10). Eles devem. Só Jesus pode dizer: "Faço sempre o que lhe agrada"(Jo 8. nós mesmos. 3-4) B) Seja feita em nossa vida . como já acontece no céu.29). para fazer tua vontade"(Hb 10. São Cipriano: O Reino de Deus pode até significar o Cristo em Pessoa. pois é nele que ressuscitamos. dessa forma ela será cumprida perfeitamente na terra como no Céu.7).São Cirilo de Jerusalém: Só um coração puro pode dizer com segurança venha o vosso Reino. predestinados pelo propósito daquele que tudo opera segundo o conselho de sua Vontade. apressa portanto a vinda do teu reinado.(CIC 2819) Pedir a Deus que Venha o Seu Reino é pedir os atributos do reino de Deus em nossa vida pessoal . conforme decisão prévia que lhe aprouve tomar: a de em Cristo encabeçar todas as coisas. 136 . que sob o altar. No Cristo . por nossa iniciativa teríamos soltado este grito. Tertuliano: Mesmo que esta oração (Pai Nosso) não nos tivesse imposto um dever de pedir a vinda deste Reino . na Igreja e no mundo a vontade do Senhor. e por sua vontade humana. (CIC 2817) Seja Feita Vossa Vontade assim na Terra como no Céu A) A vontade primordial de Deus e que todos sejam salvos (1 TM 2 . Pedir o Reino de Deus é pedir o modo de vida do Céu aqui e agora. a quem invocamos com nossas súplicas todos os dias e cuja vinda queremos apressar por nossa espera.9-11). apressandonos a ir abraçar nossas esperanças às almas dos mártires. fomos feitos sua herança"(Ef 1. obter justiça no fim dos tempos. Senhor . "Deu-nos a conhecer o mistério de sua vontade. Nele. tardarás a pedir contas do nosso sangue aos habitantes da terra?(Ap. Assim como Ele é nossa Ressurreição. podemos tornar-nos um só espírito com ele. assim também por ele reinamos. com efeito ..42) Orígenes: Aderindo a Cristo. invocam o Senhor com grandes gritos: " Até quando .. 6. o grito do Espírito e da Noiva : "Vem Senhor Jesus". Senhor. Na oração de sua agonia. eu vim .

servindo de testemunho e edificação para muitos. levado aos altares proporciona cada dia aos fiéis um alimento celeste". amassado na Paixão . assim como nós perdoamos aos que nos têm ofendido Este pedido é surpreendente."Perdoainos as nossas ofensas". Se comportasse apenas o primeiro membro da frase . e que a terra não mais seja diferente do céu. que glorifica efetivamente o nosso Pai. implicitamente. Jesus nos ensina a fazer este pedido . no êxodo podemos ver que Deus dava todas as manhãs o maná necessário para cada dia . porque reconhece como Ele é bom e além de toda bondade cuida de nós. todo bem suficiente para a subsistência. João Crisóstomo: Ele ordena aqui (na oração do Pai Nosso). colocado nas dispensas da Igreja. São Pedro Crisólogo: Cristo é Ele mesmo o pão que. É ele que cuida de tudo que precisamos " é ele que da a todos os seres vivos o alimento"(Sl 104. e Ele age em nosso favor. cozido no forno do sepulcro. 27). " Dai-nos é ainda a expressão da Aliança : pertencemos a Ele e Ele pertence a nós. Ele nos deixou este exemplo pois só através da leitura (da Sagrada Escritura/Sagrada Tradição/Sagrado Magistério) e oração poderemos saber a vontade Deus para nossa vida e poder viver sua vontade. isto é. a virtude floresça novamente. Neste texto "cada dia" é em sua língua original "epiousios ( pronuncia-se epiússios) esta palavra tomada em sentido qualitativo . nela reine a verdade. significa " o necessário a vida" e em sentido mais amplo . levedado na carne. mas "em toda terra". o corpo de Cristo . o vício seja destruído . Pois não diz "seja feita a vossa vontade" em mim ou em vós. O Pão nosso de cada dia nos Dai Hoje "Dai-nos" é a demonstração da confiança dos filhos que tudo esperam de Seu Pai." remédio de imortalidade" que sem o qual não temos a vida. semeado na virgem. nos três primeiros pedidos da Oração do Senhor. Literalmente designa diretamente o Pão da Vida. a cada fiel que reza. Perdoai-Nos as nossas ofensas.S. (CIC 2837). por toda terra.poderia ser incluído . "O Pão nosso" o Pão que dá vida . (CIC 2825) O Senhor Jesus vivia em oração e lia a palavra de Deus . pois o Sacrifício de Cristo é " para a remissão dos pecados". a fim de que dela seja banido o erro. 137 . que o faça universalmente.

uma palavra os liga " Como". nosso coração se abre à sua graça. enfermidades etc. 138 . e isso é tremendo. é mais forte que o pecado. Mt. (CIC 2840). O perdão dá testemunho que o amor é maior. 23-24 Não nos deixei cair em tentação Jesus mostra aqui a raiz do pecado. 43-44. Recusando-nos a perdoar nossos irmãos e irmãs.) Mas em meio a tentação Deus nos dá uma solução (1Cor 10.Ao pedir que nos livre do "maligno " pedimos igualmente que sejamos libertos de todos os males. Mas livrai-nos do mal Além dos males humanos (acidentes. perdoando e confessando nossos pecados . (CIC 2854). (CIC 2838).21. Neste último pedido o Senhor nos convida como Igreja a colocar diante do Pai todo sofrimento imposto pela mal no mundo ( guerras. presentes. 6. nosso pedido não será atendido .) o que está evidente e que o mal caracterizado é a pessoa maligna do "diabo". mas designa uma pessoa "satanás".Mas de acordo com um segundo membro da frase. Mt 5 .1-13). miséria etc.não é pecado pois Jesus foi tentado e não pecou. o anjo que se opõe a Deus . fome . o "mal "não é uma abstração . nosso coração se fecha. Nosso pedido é voltado para o futuro. (CIC 2846) Pois só se peca quando sedemos as tentações que nos afligem e a tentação por si só . passados e futuros. Neste pedido.13). este mar de misericórdia não pode penetrar em nosso coração enquanto não tivermos perdoado aos que nos ofenderam. o maligno. a não ser que tenhamos antes correspondido a uma exigência. (CIC 2851). É aquele que se atira no meio do plano de Deus e de sua obra de salvação realizada em Cristo. sua dureza o torna impermeável ao amor misericordioso do Pai. dos quais ele é o autor ou instigador. nossa resposta deve tê-lo precedido.) para que Ele imponha a derrota final a "satanás" e seus anjos caídos. Não cair em tentação envolve uma decisão de valores e de coração "onde estiveres seu tesouro também estará seu coração"(Mt. 5. pois nossos pecados são fruto do consentimento na tentação. Ora. A tentação é vencida pelo conhecimento da Palavra e pela oração (Luc 4.

Este laço não pode ser quebrado.afetiva. Jo 4. O amor é a chave de uma vida jovem no Espírito. da relação afetiva. pois é momento de entrega e principalmente de conhecimento afetivo. Vão dar início a um novo processo de amar e de ser afetivamente unido em particular. o homem tem a tarefas de procriação. Maturidade Humana e Sexualidade Transição da relação da Afetividade para a Sexualidade Quando falamos de afetividade. vida em comum . Ser afetivo é deixar amar-se.tem como efeito impedir muitas vezes o aprofundamento do amor. Devido à tantas formas de nos afastarmos da afetividade é que devemos lutar com toda a nossa força para reconquistar e cada vez mais vivenciá-la em nossas vidas. Deixar tudo o que é do mundo. E verdade que assumir logo de início as atitudes de casal relações sexuais. pela falta de atitudes amorosas e afetivas. com amor e para amar (cf.Afetividade. é uma necessidade que se for dada continuidade resultará em uma sexualidade de amor. “Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos. desamor e as demais coisas que hoje a nossa sociedade apresente através dos MCS (Meios de Comunicação Sociais). Assim nossa afetividade dá lugar a paixão que atualmente leva os jovens a se entregarem a sociedade mundana que “está na moda”. A afetividade vem trazer a sexualidade. ela é só do casal sem intromissão de ninguém. “O Amor é 139 . se não tiver amor. no tempo certo. e automaticamente se identificam com o adultério da TV. ou como címbalo que retine” (1 Cor 13. É “fácil demais”. O laço é quebrado com a traição. onde tanto o homem como a mulher vão buscar sua afetividade juntos. Deus nos mostra o novo nascimento do amor. O amor não é só o fogo do sentimento. que foi dada por Deus. e não uma sexualidade de puro sexo. as novelas de televisão nos mostra a traição (adultério) como uma coisa normal que pode acontecer com qualquer casal. mostramos a relação que pode existir entre homem e mulher é a “relação” . pois Deus é o criador.16). O amor é um fogo que é um fogo. sou como bronze que soa. Nisto existe pessoas que acreditam que o amor pode se desgastar com o tempo. e dai irá a genitalidade. e procurar as coisas que vem de Deus. Somos criaturas feitas de amor. faz-se assim um laço de afetividade. os jovens se identificam com a TV.1). viciar a sua verificação. desconfiança. o homem conquista a mulher e ela por sua vez se deixar conquistar pelo homem. Dizer um “basta” as vontades próprias e se entregar a Jesus. interromper sua construção. atravessamos a sexualidade e chegamos a genitalidade e esquecemos que a afetividade traz a sexualidade. não é só um flash de uma paixão.

na vida nova que Jesus nos convida a assumir e a ter convicção no que afirmamos.mais forte do que a morte. ou sua continuidade. O fogo ardente do amor é uma chama divina! Toda água dos oceanos não seria suficiente para apagar o fogo do AMOR” (Ct. 140 . de jovens que fogem de casa revoltados com seus pais. de menores carentes. puro e de maneira santa. Temos que valorizar a vida. Santos para Deus para podermos entregar para Jesus e dizer: Toma. é a santidade que teremos que buscar. noivado e namoro. e um mal noivado é resultado de um mal namoro. Temos que ter uma juventude para Jesus. de famílias santas. que encontramos um alto índice de prostituição. único e exclusivamente TEU. temos que exercitar um namoro santo. O namoro de jovens deve ser santo. A afetividade é amor. O grande problema dos jovens no namoro é ultrapassar o “sinal vermelho”. suas atitudes serão santas. O sacramento do matrimônio dá esta capacidade de renovar o amor bebendo da fonte que é o amor. uma companheira. somos chamados por Deus a santidade ( ITs 4. temos que ter um limite de chegada. no amor e nas feridas abertas não cicatrizadas. 3. se isso significar ser santo. 78) mas sim a uma nova vida no Espírito. Senhor. o homem vai precisar da mulher. o desinteresse pelo casamento. Ultrapassar o “sinal vermelho” é dar um tiro na vida. Muitas das vezes esta carência pode tomar-se doentia. namoro e casamentos SANTOS. para com eles se tomarem verdadeiros santos. O homem foi criado por Deus com uma carência afetiva. a Igreja precisa de jovens santos. O homem tem carências afetivas. brincar com o sexo e abusar dele fazendo o que bem entender. a vida matrimonial. é uma graça maravilhosa a que Deus coloca nas mãos do homem. dar esse tiro na vida significa selar a entrada a santidade no como. e essa atitude de transformação provém da criação. Podemos assim fazer uma relação com o matrimônio. temos que trabalhar nossos jovens sobre a importância e a beleza de um matrimônio sadio e bem feito e ver os frutos desta criação que Deus-Pai nos deu. isto é. pois é a falta desse limite que encontramos jovens ainda não maduros na frente de famílias. mas isso não quer dizer que começaremos a brincar com os sentimentos dos outros. construindo assim uma nova vida de jovens renovados no Espírito de jovens transformados. um mal casamento é reflexo de um mal noivado. nosso coração é teu. de amor. uma pessoa que resolveu deixar tudo para viver com ele. daí tem origem o ciúme.6). precisamos de jovens santos.

ser santos. que querem servir a Deus como Santos hoje. por ela. o jovem tomou-se capaz de fecundar uma mulher. voz. a maturidade é sinal de responsabilidade. a maturidade e o grau que temos que buscar como jovens que querem ser santos. o uso indevido dela toma-a pecado e de impureza para o Nosso Deus. na escola. Sexualidade Jovem Masculina É importante que o homem se reconheça como “Todo masculino”. o mesmo na mulher. mais jovem. que evoluímos ao projeto de Cristo. o homem toma forma de homem. A partir de então. o 141 . para todo o como para dar e conservar a forma masculina. aos prazeres sociais que hoje conquistaram todos os extremos do mundo. seria um sinal a saída pós-maturidade do jovem a vida que o mundo oferece.Carência afetiva é uma necessidade. assim entenderemos que a mulher é “Toda feminina”. O masculino tem seus órgãos sexuais voltados a fecundação. A maturidade é sinal de que caminhamos na estrada certa. ser responsável em estar com o outro respeitando. física e de atitudes. de maneira mais crítica. a imaturidade é sinal de que decaímos no oceano da desilusão e atravessamos a linha imaginária do pensamento não evolutivo. Este é o começo da função dos testículos.Quando o jovem alcança sua maturidade nas atitudes e atos. Uma parte dos hormônios são levados para a corrente sanguínea e. quando começa a perceber com a maturidade psicológica o que vem a ser certo e o que vem a ser errado. ter responsabilidade tão qual a de um marido com sua esposa. começou a ter uma visão de mundo não infantil. Queremos ser santos hoje.Quando o jovem amadurece em seu corpo. Maturidade de Atitudes . isso significa um como podendo ver uma maturidade apenas física. A afetividade nos apresenta a maturidade de três maneiras: Maturidade Psicológica . Maturidade Física . isso faz o amor crescer. Isto acontece em algum momento da adolescência.Quando o jovem se toma maduro nos pensamentos. esta é a palavra chave de nosso grito. a não compreensão disto pode gerar problemas futuros com relação a namoro e casamento. na sociedade. músculos e seus órgãos masculinos se desenvolvem e ficam adultos. Por fim. para o pensamento não-involutivo. Nossa plena maturidade é alcançarmos a maturidade psicológica. do esperma e espermatozóides. na rodinha de amigos. os testículos são responsáveis pela produção de hormônios sexuais.

4. o esperma com os espermatozóides. o cabelo. Através da provocação dos genitais a dois. força. ou seja. assim acontece a necessidade de ejaculação.jeito de homem. Todo homem tem a necessidade de ejaculação. braços. coragem. 2. a barba. de manipulá-los. formulando assim os seus desejos eróticos. ou a provocada por masturbação. excitando-o até a ejaculação e ao natural orgasmo que acompanha a ejaculação. etc. sente a vontade de se deter a revistas. Os testículos desde quando começam a funcionar. a ejaculação à noite enquanto se esta dormindo manipula-se ou sonha-se coisas eróticas e acontece a ejaculação. o rosto. ou por relação sexual com uma pessoa do mesmo ou do outro sexo. Por olhar cenas e filmes tão eróticos que excitem e causem ejaculação e a chegada do orgasmo sexual. não tendo pecado pois é uma necessidade. a vontade de tocar os órgão genitais. Se este já teve relações sexuais com alguém. Em muitos casos acontece a “Polução Noturna” isto é. “Apresentamos cinco pontos onde pode acontecer a provocação dos genitais que irão levar a ejaculação e ao orgasmo: 1. Masturbação A masturbação do homem é o ato voluntário de provocar os órgão genitais com a finalidade de um forte prazer do orgasmo sexual. nas vesículas seminais. pois os testículos não param a sua produção toma-se improvável o homem viver sem esta necessidade. pois o depósito está cheio e tem que esvaziar. produzem permanentemente o material sexual. Necessidade de Ejaculação Esta necessidade pode se manifestar de diversas maneiras. voz. o psiquismo toma conta e vem imagens. 5. A falta de hormônios masculinos pode tomar um homem efeminado. Por contatos eróticos com o corpo de outra pessoa. quando o depósito está cheio o organismo e o psiquismo se mobilizam a esvaziá-lo. livros e filmes excitantes. Por contatos físicos eróticos que excitem a ponto de causar ejaculação e orgasmo. Este material é armazenado no corpo. 142 . Através da manipulação do pênis. ou a ejaculação natural. enquanto esta não acontece não sossego. como um depósito. 3. pensamentos que só irão sair da mente quando acontecer a ejaculação. provocar a excitação do pênis para fazer acontecer a ejaculação.

as ações voluntárias. no colégio. doação de si mesmo no serviço dos outros. Do vício . sentindo uma tensão que só acaba após o ato ser consumado. A desobediência ao mandamento se torna pecado exatamente porque ele gera algum desamor. e todo desamor é um atentado a vida. Tensões psíquicas da adolescência . mais claro. é somente ele e os genitais. pecado é algo que prejudica a todos. Todo mandamento é para o nosso bem. é a saída mais rápida que se encontra. esta masturbação é busca direta e indiretamente. Se formos analisar as atitudes e descobrir nelas o erro. o jovem entra em crise e sai dela através da masturbação. Pode nos prejudicar.O jovem passa diversas tensões que o leva a descarregar. atos realizados passo a passo. “O que é pecado para que a masturbação seja considerada como pecado? Pecado tem outro nome. a vigilância dos olhos do coração. purificados e dispostos a mar e a sem dúvida receber muito amor. que prejudica. O primeiro passo consiste em acreditar que se é dono da sexualidade: nem sempre. Desamor é o contrário do amor.Cria-se um vício de tantas vezes ceder a necessidade de ejaculação que involuntariamente e inconsolavelmente o leva a provocar a masturbação. que deixa consequências negativas. alguma desordem. se sente só.O jovem se sente reprimido pelo fato dos testículos produzirem material sexual. mas sim dos atos. Pecado é toda atitude de desamor contra o próprio jovem. que destrói. talvez estejamos caminhando ao lado oposto. a liberdade. Também o mandamento que se refere à sexualidade. da imaginação. e só provoca a masturbação.O jovem que não recebe amor. mais compreensível: desamor. chegando a masturbar-se voluntariamente. sem dúvida. a princípio é pecado toda atitude de 143 . se aliviar das tensões na masturbação. A partir daqui pode começar a reeducação que vai concluir e incluir com a necessidade do perdão (este fortifica a vontade e esperança). algo que faz mal. contra Deus.A origem da masturbação vem de diversos pontos Da necessidade de Ejaculação . Pecado é tudo que seja contrário ao amor e àquilo que o amor (verdadeiro) faz. Por carências afetivas . a rebeldia. Reeducação que é um caminho de vida e vai fazer de nós homens e mulheres de pé. São resultado de tensões na família. contra o outro. uma higiene de vida. Quando o nosso Deus dá mandamentos para não agir de determinadas maneiras. Pecado é o ato de desamor. contra a natureza. verificamos que a atitude de masturbar-se é um desamor. é porque aquilo não é bom para nós. algum mal ou prejuízo. o pecado.

tanto morais como afetivas e sexuais. a fecundação. Um distúrbio nesta área pode causar sérios danos psíquicos na juventude possibilitando um não amadurecimento. um verdadeiro milagre. ele ejacula. é um estado emocional e caracterizado por produzir ações quase que desprovidas de controle intencional. e sentir o impacto produzido no seu eu. sente e vivência as situações com uma força extraordinária. por isso dizemos que o ser humano é afetivo e não que tem uma afetividade. ser indiscritível nos pensamentos. com frequência. A criança por carecer ainda dos meios intelectuais necessários para dominar suas emoções. e não em atos involuntários “a sós” ou até mesmo a dois de mesmo sexo. como uma tendência a reagir com emoção e ela se manifesta com efeitos sobre o corpo e o espirito. mas não atitudes de necessidade de ejaculação. Qualquer distúrbio na vida afetiva poderá impedir o amadurecimento correto da personalidade. um estado definido por uma reação de espera e exploração. e ao costume da vontade de Deus ao projeto tão bonito que ele criou que é o milagre da procriação. tomar uma decisão séria em uma reeducação sexual. e toda a espécie de prazer que um homem deve ter é com ela.masturbar-se é um desamor é um atentado a vida. todas estas práticas tem que ser reeducadas na família. Temos que ser fiéis ao nosso Deus e aos seus mandamentos. por exemplo o homem que tem o costume de provocar masturbação. Um dos traços do comportamento do ser humano é o “domínio sobre a afetividade”. e por isso que. 144 . Além disso o ato de masturbação pode causar sérios danos ao casamento. pois Ele deu a mulher ao homem. Em resumo o estado afetivo elementar que oscila entre dois pólos: prazer e desprazer. a afetividade não pode ser medida com adjetividade como a inteligência. A criança. A afetividade é uma maneira de ser. O afeto. Também identificamos. mesmo que não compreenda com clareza. Deus condena estas práticas. desencadeando os processos doentios da regressão ou fixação. isto é. é continuamente dominada pela afetividade no seu querer e no seu agir. A afetividade não é como um dos nossos outros estados “Psíquicos”. sendo vergonhoso ao homem e frustrante para a mulher. na inteligência e principalmente nas atitudes. no caso podemos estar até reprimidos ou inconsciente. o psicológico e tanto religiosos. segundo pontos de vista objetivos e morais. antes do ato sexual dar início ou até mesmo antes do orgasmo. E uma experiência interna “somática” dos conteúdos de fora (para a consciência). encontramos como sinônimo de emoção. a princípio é pecado toda atitude de masturbação. agradável e desagradável. fazendo desse jovem um alienado para com os sentimentos. A afetividade é caracterizada pela qualidade de experimentos (vivenciar) internamente a realidade exterior.

tendo seus anseios naturais de acordo com sua identidade. implica de maneira bem extensa no campo da afetividade. sabe agüentar e superar as situações. mas por tem. existe fora do 145 . E aquela pessoa que ora quer uma coisa e ora quer outra coisa. do adolescente e do adulto. dirigir e aproveitar de maneira prática. Seu psiquismo apresenta-se como um complexo mundo de emoções. temos que buscar a maturidade. inata e natural. um aproveitamento da afetividade e da sensibilidade com um enriquecimento da personalidade que dá calor e aproxima os outros da idéia que temos de mundo. Trata-se de um verdadeiro e eficaz conhecimento. obtendo respostas e perguntas. o ser humano maduro tem intelecto que lhe transmite o direito de transferir ou deixar de lado. não se decide. bem significativo e transformador. “Como a ideologia ocidental insiste em que a atividade sexual seja puramente instintiva. O fator psicológico da vida tanto da criança. Pode aproveitar a riqueza da afetividade sem ser submisso a ela. no campo profissional apresenta uma inconstância muito grande. O adulto que consegue. mas principalmente com Deus. o modo de agir. ela vem com o tempo. A contemplação profunda de nós mesmos converterá toda riqueza do sentimento e da afetividade em energia propulsora do crescimento pessoal através da vida do amor. pois a maturidade é buscada. tal controle funcional e afetivo da sua afetividade espontânea. O adulto. o resultado de se viver mal a adolescência é se prejudicar emocionalmente. supera repugnância e atrações. Pelo contrário estamos convencidos de que ela é impenetrável à mudança e. Só assim seremos jovens de maturidade ágil e lógico. que condicionam um agir ao mesmo tempo riquíssimo e contuso na sua incoerência. habitualmente. sabe analisar os fatos e as pessoas mais profundas nos conflitos com outras pessoas. racionalizações. por conseguinte. já que o adolescente se toma vulnerável em seu psiquismo a emoção. orientar. e não apenas de um ‘Luxo’ intelectual’. sentimentos. A afetividade (namoro) também coloca o jovem a amar ou até enjoar dessa pessoa sendo simpática ou antipática. por isso deve ser controlada emocionalmente e ter uma boa vida tanto pessoal como familiar. dinâmica e construtiva sua afetividade. mas só por isso não deve se ficar esperando ela chegar.O adolescente se caracteriza por uma instabilidade afetiva sintomática. E a inteligência em definitivo que assimila e determina de maneira decisiva. relutamos em reconhecer que a sexualidade tem uma história.

Entre sexo e pessoa. O corpo não é uma coisa. a quem gosta de debater temas polêmicos . mesmo dentro de grupos de evangelização e em outras comunidades católicas.Paris 1980) Sexualidade e Modernidade Nos dias de hoje. Entre coração e corpo. muitas vezes. jovens cristãos solteiros buscando. Ele é alguém. Entre alegria e gozo.tempo. Ele é eu mesmo. O corpo para essas filosofias está completamente desligado da alma. nem tudo é tão simples! Nossa sexualidade não é mais transparente a luz. a instrução mútua e a intenção de 146 . meias-verdades sobre o corpo percorrem as ruas. E a pessoa que eu sou. Mas a minha pessoa não se reduz a meu corpo. Entre a sexualidade e genitalidade. o que permitiria ter dezenas. possui uma história”. que é interessante que nos mova a caridade. ou ainda “se não fizermos. Uma sombra. ou então “só faço com o(a) namorado(a) e isso não tem problema”. são comuns as opiniões. Transfiguração do corpo? Mais ainda!” (João Paulo II aos jovens .Parque dos Príncipes .como a sexualidade -. Alguns tentam aplacar suas consciências proferindo frases do tipo: “as relações humanas hoje são mais evoluídas”. seremos tachados de ultrapassados” e até mesmo dizem “precisamos nos conhecer sexualmente antes do casamento”. O papa nos mostra uma realidade bem concreta do que acontece ao corpo na sociedade hoje. Uma trágica desconexão pode ocorrer entre a atração do sexo e a transmissão da vida. Entre o amor e fecundidade. senão centenas de diferentes formas corporais. Para as filosofias do extremo oriente. “Adoração do corpo? Não. Os historiadores sociais apontam incontáveis provas de tais mudanças. um peso a perturbam. de que se deve quebrar um “tabu” existente a respeito do sexo antes do casamento. nunca! Desprezo do corpo? Também não! Controle do corpo? Sim. logo surgem as questões: Vale a pena ser casto? Virgindade entre solteiros ainda é um bem a ser cultivado? Antes de qualquer outra coisa. lembro. como também a minha alma não se reduz a minha pessoa. o como é um tipo de envelope que pode ser trocado. No entanto indicamos a existência de vária mudanças importantes tanto no comportamento sexual como no significado que lhe atribuímos. encontrar justificativa para seus atos. Entrando na história da sexualidade vamos encontrar o principal meio de se chegar a sexualidade . Diante dessas realidades. Muitas conclusões infelizes.O corpo. efetivamente. talvez com receio da impopularidade perante os colegas. as quais deixem claro que a sexualidade. Entretanto.

compraríamos o que achamos mais agradável (talvez a oração.27ss). não deixando margem a dúvidas: “nem todo aquele que me diz: ‘Senhor. Nesse supermercado. teria dito Ele apenas para a gente daquela época? E quanto a São Paulo . Mas qual é essa mensagem? Não seria aquela contida na Bíblia e interpretada pelo Magistério da Igreja? Ou seria a Bíblia ultrapassada? Quanto à sexualidade. Mt 5. está construída sobre “uma só fé” (cf. para que não nos assalte o desejo estéril de jogar pedras uns nos outros. a Bíblia. às vontades do único e verdadeiro Deus) ou à ideia particular (e não a da Igreja) que temos dessa mensagem? Afinal.teria ele animado apenas a comunidade da Galácia à pureza (cf. Quanto à popularidade da mensagem de Cristo. Quanto ao mandamento divino. bem sabemos da necessidade de nos adequarmos ao que Deus nos pede e não o contrário! Essa verdade é insistentemente afirmada.16)? Se a Igreja pregasse o erro. Enfim. ajudar a levar os jovens a uma verdadeira conversão à mensagem de Cristo (Ele mesmo nos ordena que façamos isso . pensemos bem: buscamos uma conversão à real mensagem do Evangelho (ou seja. entrará no reino dos céus mas quem fizer a 147 . quando Cristo nos diz para sermos castos até em pensamento (cf. Gl 5. Mt 16. vamos considerar dois aspectos: Pelo mandamento Divino e o sentimento Humano.16-26) e a de Corinto à continência (cf. Ef 4. cremos ou não no que diz a Bíblia? Cremos ou não que a Igreja. Mc 16. a participação na Santa Missa e outros mandamentos mais simples de serem seguidos) e desprezaríamos o que achamos menos conveniente (a castidade e a confissão. esposa amada de Cristo.5) e não sobre crenças. Sobre o tema.18)! E essa mesma Igreja de Cristo. cairíamos no absurdo de afirmar que Cristo teria mentido ao dizer que as portas do inferno não prevaleceriam sobre ela (cf. não se refere à nossa época) estaremos como que institucionalizando o “supermercado da fé”. para quem acha isso “pedir muito”). no qual só nos aproximamos das mercadorias que nos aprazem. Senhor’. então. perguntemo-nos: O que vamos fazer quando apostolamos nos movimentos de evangelização da juventude ou no nosso cotidiano? Com certeza. 1 Cor 7. é a preciosa guardiã de seus ensinamentos (Lc 10.8-9)? Se dissermos sim às três últimas perguntas (ou seja.nos corrigir fraternalmente.15). como ensina São Paulo.cf.

ou por ser popular/impopular.21).. mas. Com alguma certeza.67). será que no final desses relacionamentos anteriores (que acabou por falta de amor. Sendo esse o caso.por uma questão de ZELO. cai por terra o argumento “só faço com minha namorada e com muito amor”.. Assim também faz a Igreja: entre a popularidade simplista (que atrairia inúmeros incautos) e os mandamentos. achavam que também as amavam. o desejo sexual não é aplacado!). mas para que evitemos confusões..21). sofrimentos e experiências que não nos levem à felicidade verdadeira e integral. é válida a seguinte reflexão. não seguimos o cristianismo por questão de simpatia/antipatia. E ainda: “quem recebe os meus mandamentos e os observa. “trouxas”. de sensualidade e de maus costumes infundidos pelo mundo atual. Afinal. Jo 6. A Igreja nunca poderia modificar o que Cristo ensinou. se quisesse tão-somente a popularidade. certamente teria pensado de outra forma.. restam mágoas. se torna muito mais complacente a ele). mas porque cremos ser esse o caminho da nossa salvação!!! Com relação ao sentimento humano da sexualidade.. disse aos que ficaram: “Quereis vós também retirar-vos?” (cf. mesmo com o amor definhando?. eles não continuavam a manter relações sexuais (por uma mera questão de continuidade . em vez disso. não é mesmo? Assim também devemos fazer nós . ridículos e até mesmo. Isso sem contar a tendência crescente de fraquejar outra vez (com a prática do pecado. Em Seu longo discurso sobre o Pão da Vida (a Eucaristia. presumo).vontade de meu Pai que está nos céus” (Mt 7.”. a natureza humana.. ainda que sejamos rotulados de retrógrados.afinal.. muitos O abandonaram dizendo ‘‘quem pode ouvir essas palavras duras?’’ E Cristo. ao final do relacionamento. poderia o amor produzir desamor? E quem já passou por essas mágoas e decepções pode compreender bem que os mandamentos divinos foram feitos não apenas como uma exigência descabida.ele(a) não é o que eu pensava.. Ter consciência de que os valores da castidade e da virgindade são atuais (assim como toda a Bíblia!) é essencial para que o jovem tenha força para ser fiel aos ensinamentos cristãos.”) e desgaste emocional (por ser inevitável o envolvimento dos sentimentos). frágil como é. esses devem ter mantido relações sexuais com antigas namoradas (afinal. especialmente aos que dizem querer “acompanhar a evolução do mundo moderno uma vez que o sexo seja feito com muito amor e somente com o namorado. decepções (muitas vezes. esse é que me ama” (Jo 14.22-71). Então.. nesses casos. 148 . consigo mesmo: “errei no meu julgamento . E.. Ademais.. defende sempre a 2º opção . o próprio Cristo não evitou palavras duras quando necessário. facilidade/dificuldade..). Afinal.ir contra a avalanche de má doutrina. Jo 6.

fica o ensinamento de Santo Agostinho: “Somos maiores que os tempos. mas se arrependeram e se tornaram exemplos de vida!) e. mas com significados duvidosos. Finalmente. ou vemos o matrimônio como uma forma de “opressão e de impedimento da liberdade sexual”? Diante de tantas reflexões. que cederam às tentações da carne. porque NÓS é que fazemos os tempos ou damos aos tempos o seu colorido próprio. não hão de desanimar aqueles que já caíram em tentação mas desejam uma real e profunda conversão. Peçamos aos santos que intercedam por nós (como São Francisco de Assis e Santa Maria Madalena. teria “direito sobre seu corpo”). a SEXUALIDADE ultrapassou todos os limites (dizem os namorados: “somos livres e evoluídos. vamos refletir se não é em nome dessa pretensa modernidade que o número de ABORTOS explodiu (a mulher se diz “evoluída” e. até o momento em que possamos expressar a Deus a maturidade de nosso amor. aos namorados e noivos não é lícito dispor do corpo do companheiro.” Vale a pena pensar nisso! 149 . o Sacramento do Matrimonio. Uma última pergunta: realmente acreditamos que Deus está presente nesse sacramento. trocando experiências com aqueles que têm as mesmas dificuldades. da Catedral de Brasília). “liberdade”). Diante dessa dúvida entre o modo de viver atual e os preceitos da Igreja (e de Deus).Aproveitando a ocasião para falar sobre a tão falada “evolução da sociedade e do mundo moderno”. E essa pertença só é dada com. Poderemos fazer a vontade de Cristo vivendo uma VIRGINDADE ESPIRITUAL (sim. como não poderia ser diferente. ao que reputo ser de crucial importância: vivamos em comunidade. ainda que se amem. pois eles ainda NÃO SE PERTENCEM (nas palavras do Padre Marcony. recebendo a bênção sacramental no matrimônio. o número de “RECASAMENTOS” e consequentes adultérios multiplicou uma enormidade (afinal. “somos livres. temos o direito buscar outro companheiro e sermos mais felizes”) e. aos que se queixam de que os tempos não são propícios a uma profunda vivência cristã. raciocinemos novamente: Seriam as leis morais de Deus passageiras? Em última análise. sugiro que se fortifiquem rezando para que seja feita a vontade de Deus nas nossas vidas. assim sendo. temos direito de nos amar”). Todos são casos em que belas palavras são usadas (“amor”. Além de conversar com caridade e seriedade com o companheiro (o que também é muito difícil!). ela realmente existe!). dizem os cônjuges.

a imitar os gestos religiosos dos povos pagãos. Os israelitas tendiam. por sua vez. sabemos que Deus quis dirigir-se aos homens por meio da figura humana de Jesus. Em certos casos. o Senhor mesmo mandou confeccionar imagens para sustentar a piedade de Israel. O que é necessário para a canonização de um santo? O primeiro passo é o processo de beatificação no qual se faz necessário a confirmação de um milagre comprovado pela ciência e a proclamação de sua beatificação pelo Papa.4) proíbe aos israelitas a confecção de imagens. 29s – As paredes do templo de Salomão foram revestidas de imagens dos querubins. também feita pelo Papa. utilizou parábolas e alegorias que se referiam 150 . se continua o processo. 23-28 – O texto menciona os querubins postos junto à Arca da Aliança no templo de Salomão. Após o servo de Deus se tornar beato. onde obtendo-se a comprovação de um segundo milagre acontece a canonização. o Messias. Este. 17-22 – O Senhor mandou Moisés colocar dois querubins sobre a Arca da Aliança. 1Rs 7. como faziam os povos vizinhos. 23-26 – O mar de bronze colocado à entrada do palácio de Salomão era sustentado por 12 bois de metal. Por quê? Porque poderiam dar oportunidade para que o povo de Israel as adorasse. 1RS 6. Nm 21. senão. sim. Aquele que é separado do impuro. 1Rs 6. onde o Sumo-pontífice o insere no calendário católico e autoriza a confecção das veneráveis imagens. quis ilustrar realidades invisíveis através das imagens. 4-9 – O Senhor Deus mandou confeccionar a serpente de bronze para curar o povo mordido por serpentes. vejamos: Ex 25.Santos e Santidade O que é ser Santo? Aquele que deixa todo o pecado. inspiradas pelas coisas visíveis: assim. Verificase porém que a proibição de fazer imagens não era algo de absoluto. Culto as imagens no Antigo Testamento O livro do Êxodo (20. Aquele que é dedicado e consagrado a Deus. O Novo Testamento Pelo mistério da Encarnação.

relativo. o povo fiel procurou aproximar do Filho de Deus. muitos cristãos do Oriente puseram-se a negar a legitimidade do culto das imagens... É o que notaram alguns escritores cristão antigos: “O desenho mudo sabe falar sobre as paredes das igrejas e ajuda grandemente” (São Gregório de Nissa. geralmente inspirados em textos bíblicos: Noé salvo das águas do dilúvio. mais por motivos políticos do que por razões religiosas. com base nos raciocínios de grandes teólogos como São João Damasceno. exercendo funções pedagógicas de grande alcance. ao filho pródigo. tornou menos sedutora a prática da idolatria. reafirmou a validade do culto das imagens. O culto das imagens é. à figueira. o Peixe – Ichthys -. século IV). o Concílio fez uma distinção entre latréia (adoração. os pães restantes na multiplicação feita por Jesus. portanto. Os imperadores bizantinos tomaram parte na querela. pois elas representam os Santos ou o próprio Senhor. A controvérsia iconoclasta Nos séculos VIII e IX. verificou-se na Igreja uma disputa em torno do uso das imagens – a luta iconoclasta. aos pássaros do céu. dos simples e das crianças. Mais: a evolução dos povos.. culto da veneração. tributável aos Santos e também às imagens sagradas. os antigo cemitérios cristão (catacumbas) foram decorados com diversos afrescos. Por influência do Judaísmo. Com efeito. Nas Igrejas. só se explica na medida que é tributado indiretamente àqueles representados pelas mesmas. que levava aos homens a passar das coisas visíveis ao amor pelas invisíveis. do Islamismo. é preciso ressaltar.. e não de adoração. Daniel na cova dos leões. de seitas e de antigas heresias cristológicas. Em conseqüência. A meditação acerca das fases da vida de Jesus e a representação artísitica das mesmas tornaram-se recursos através dos quais. Isto tudo fez com que os cristão compreendessem que a proibição de fazer imagens já cumprira o seu papel junto ao povo de Israel. O Papa São Gregório Magno escreveu no século IV: “A imagem é o livro daqueles que não sabem ler”. as imagens tornaram-se a Bíblia dos iletrados. reconhecimento da soberania absoluta de Deus) e proskýnesis (veneração). A controvérsia foi levada ao Concílio de Nicéia II (787). que simbolizava o Cristo. 151 . ao bom pastor. que foram aprimorando sua cultura. à mulher que perdeu sua moeda. este. os três jovens na fornalha cantando. doravante prevaleceria a pedagogia divina exercida na Encarnação.aos lírios do campo.

porém. e morrer é lucro. interceder por nós. pondo fim à nossa vida na Terra..Assim se pronunciaram os padres conciliares: “Definimos. deixaria subsistir um núcleo da personalidade chamado rephaim. hão de ser como as estrelas por toda a eternidade” (Dn 12.. os justos gozam de vida Consciente e bem-aventurada. são os que vêm da grande tribulação: lavaram suas vestes e alvejaram-nas no sangue do Cordeiro. mais serão levados a se recordar dos modelos originais.. como as representações da Cruz. em mosaico ou de qualquer outra matéria adequada. Assim. a se voltar para eles.. a lhes testemunhar. e os que ensinaram a muitos a justiça.14. Santa Mãe de Deus. Está claro que. com as da. e Sabedoria 3. fala da ressurreição da carne.. nessas condições.23). no além.9. esse núcleo ficaria inconsciente ou adormecido num subterrâneo chamado cheol.. uma veneração respeitosa. Acontece.2s). viver é Cristo. Jesus prometeu: “Hoje estarás comigo no paraíso” (Lc 23.. que. assim também as veneráveis e santas imagens. em pintura. 1-5. A mesma noção ocorre em textos da mesma época.. no além..11.13-15).. Como se vê. Porque pedimos intercessão dos Santos? O texto de Eclesiastes data do século IV a. pois esta só convém. pois isto me é muito melhor....21. É por isto que estão diante do trono de Deus... O Apocalipse nos apresenta a corte celeste. Estes imaginavam que a morte. resplandecerão como o esplendor do firmamento. Sinto-me num dilema: meu desejo é partir e estar com Cristo.43)..o que lhe parecia melhor do que ficar na vida presente: “Para mim. nas casas e nas estradas. São Paulo desejava morrer para estar com Cristo . No Novo Testamento é nítida a afirmação de que. os nossos irmãos falecidos não poderiam. Reflete uma concepção escatológica muito antiga entre os judeus. segundo nossa fé. o texto fala de vida consciente e gloriosa para os justos no além.C.C. onde é celebrada solene liturgia com a participação dos justos que lavaram suas vestes no sangue do Cordeiro: “Estes que estão trajados com vestes brancas. ressurreição para a vida eterna no caso dos justos: “Os que são esclarecidos. 152 . como II Macabeus 7.” (Fl 1. Assim. o livro de Daniel.. arrependido de suas faltas. servindo-lhe lhe dia e noite em seu templo” (Ap 7.. sem que isso seja adoração. que é do século II a. com as dos Santos anjos e as de todos os Santos e justos. O mesmo se faça com a imagem de Deus Nosso Senhor e de Jesus Cristo Salvador. devem ser expostas nas santas igrejas de Deus. Quanto mais os fiéis contemplarem essas representações.23. que essa concepção foi ultrapassada pelos próprios judeus. Ao bom ladrão. A Deus” (Sessão de 13 de outubro de 787).

que tinha sido Sumo Sacerdote. tardarás a fazer justiça. emprego. como os cristãos intercedem pelos seus irmãos na Terra. como grandes orantes em favor do povo de Deus peregrino na Terra: “Foi este o espetáculo que coube a Judas Macabeu apreciar: Onias. caminheiros em demanda da pátria celeste. destaca-se especialmente Maria Santíssima. exercendo assim. os justos no além estão conscientes: louvam a Deus e acompanham a história dos homens na Terra. . aquele que muito ora pelo povo e por toda a cidade santa.. Profeta. que está sentado no trono. ó Senhor Santo e verdadeiro. desde os seus primeiros decênios. pedindo a Deus saúde. um homem notável pelos cabelos brancos e pela dignidade. homem honesto e bom. a Mãe a quem Jesus confiou o gênero humano quando pendia da Cruz (cf Jo 19.26). mas podem interceder por nós. no céu. não permite que a morte extinga a comunhão que existe entre nós. Ele faz com que os justos na glória do céu conheçam as preces que lhes dirigimos e as nossas necessidades. em virtude da sua maternidade. Mais: em Ap 6. Jeremias. trajados com vestes brancas e com palmas na mão E. tribos. ambos falecidos. a fim de que possam orar por nós. e ao Cordeiro” (Ap 7. a Grande Orante em prol dos seus filhos peregrinos. Sumo Sacerdote. Apareceu. já estava viva no povo judaico anterior a Cristo. Deus. apresenta Onias. Dentre os Santos existentes na glória. datado do século II a. estava com as mãos estendidas intercedendo por toda a comunidade dos judeus. proclamavam: ‘A salvação pertence ao nosso Deus. modesto no trato e de caráter manso. o profeta de Deus”’. o seu ministério de solidariedade e comunhão conosco. por excelência. a consciência de que os justos no além intercedem pelos seus irmãos militantes na Terra. tenha praticado o culto de veneração dos Santos e tenha recorrido a eles para pedir sua intercessão junto a Deus. pedindo a restauração da ordem violada pelo pecado.9s. de todas as nações. quando. É o que atesta o livro 2º dos Macabeus. De resto. junto ao altar de Deus nos céus clamam em alta voz: “Até quando. São estes textos que explicam que a Tradição cristã. pois não são fontes de graça. Ela continua. sendo maravilhosa e majestosíssima a superioridade que o circundava. o papel que iniciou em Caná. felicidade e outras graças. disse a seu Divino Filho: “Eles não têm mais vinho” 153 . disse Onias: ‘Este é o amigo dos seus irmãos. que ninguém podia contar. vendo a perplexidade do noivo.C. da mesma forma. Estavam de pé diante do trono e diante do Cordeiro.9s).. em alta voz. povos e línguas. e Jeremias. no capítulo 15.“Eis que vi uma grande multidão. que nos fez solidários entre nós. Os Santos não nos dão coisa alguma. Tomando então a palavra. vingando nosso sangue contra os habitantes da Terra? Como se vê. a seguir. Maria é. os mártires.

S. Eis como se justificam a intercessão dos Santos por nós e a devoção (não adoração) que nós lhes dedicamos. Já os hebreus conservavam religiosamente as relíquias: Moisés levou do Egito o corpo de José (Ex. dizendo ao Senhor Jesus: “Eles não têm pão. O mesmo se fez a S. Policarpo. 25). não têm fé. queimado vivo. mas exige que sejam "consagrados.. O mesmo Deus honra as relíquias. 26-30) Eis a origem da benção dos objetos e das pessoas consagradas a Deus. 19). As Relíquias dos Santos e o Incenso Na era comum. enquanto nos lembram as virtudes dos santos que representam. lance um olhar benigno sobre nós. Santo Inácio de Antioquia foi lançado no anfiteatro de Roma às feras. Jesus atendeu imediatamente a Maria. O incenso era utilizado como ritual desde o Antigo Testamento. as armaduras dos grandes guerreiros.3). por exemplo. É de crer que Jesus. Muitos corpos de santos permanecem incorruptos. bentos ou ungidos" com uma unção especial. não têm casa. atento às preces de sua Mãe. Uma das quais está exposta à veneração dos fiéis na igreja de Loreto. já era costume dos primeiros cristãos. 13. O culto das relíquias é inato no homem: gostamos de conservar como recordação os objetos que pertenceram aos homens ilustres. inclusive da Mãe de Deus. E não somente Deus manda separar estes objetos. não têm saúde. Relíquia é aquilo que resta dos corpos dos santos.(Jo 2. as estátuas. um dos evangelistas. e doou enorme quantidade de vinho. Sobre relíquias. já nas catacumbas. não têm esperança. As relíquias são veneráveis porque os corpos dos santos foram templos e instrumentos do Espírito Santo e ressuscitarão um dia na glória (Conc. o altar do incenso e a pia com a sua base" (Ex 30. que são objetos de culto. os cristãos imitaram-lhe o exemplo. devemos explicar o seu significado. porque se serve delas para operar milagres. os seus restos foram considerados jóias preciosas. como outrora o lançou sobre os convivas de Caná. Maria Santíssima faz algo de semelhante em nossos tempos. exalando bom odor etc. bispo de Esmirna (166). desde a mais alta 154 . de Tr. Lucas. Os túmulos dos mártires foram. os seus discípulos procuraram-nos de noite e levaram-nos para Antioquia (no ano 107). a reprodução de imagens e a guarda das relíquias dos santos. não têm amor”. E na categoria de objetos entram as imagens. ou os objetos que estiveram em contato com Cristo ou com os santos. Itália. Ora. Os capítulos 25 a 31 do Êxodo são a enumeração de todos os objetos que Deus manda fazer e reservar para o seu culto. não têm escola. que lhe não deixaram senão ossos. pintou imagens de Nossa Senhora (fala-se em três pinturas). Qualquer um que visitar Roma verá as catacumbas com pinturas. e a mesa com todos os seus vasos. Ele mesmo manda fazer o azeite da santa unção e diz: "E com ele ungirás a tenda da reunião e a arca do testamento..

Nazianzo. 155 . mas pela vontade de Deus. Basílio Magno (330 – 369) – bispo e doutor. Treves – Itália. Alexandria – Egito. Egito.antigüidade. Já no Antigo Testamento vemos um morto ressuscitar ao contato dos ossos do profeta Eliseu (4 Reis. S. 13.?). Hilário de Poitiers – (310 – 367) – bispo e doutor. 2. Atanásio – (295 . 8. até hoje. Agostinho). são: 1. É evidente que o milagre não é produzido materialmente pelas relíquias. S. 10. S. João Crisóstomo – (349 – 407) – bispo e doutor. Cirilo de Jerusalém – (315 – 386) – bispo e doutor. Efrém – (306 – 373) – diácono e doutor – Nisibi – Mesopotâmia. 21). 3. S. o título de “doutor ou doutora” da Igreja a 33 santos canonizados. S. Ambrósio – (340 – 397) – bispo e doutor. 11. os sítios onde se construíram Igrejas e altares para aí celebrar o Santo Sacrifício. 5. Nada de estranho há nisso. Strido – Itália. S. Jerônimo . Os Santos Doutores em ordem cronológica. 6. pois. 7. Paulo (At 19. diferenciações dadas pela Igreja e pelo povo. Antioquia. As diferenciações do Santos.(348 – 420) – presbítero e doutor. S. Agostinho – (354 – 430) – bispo e doutor. S. Cesaréia. superstição alguma nas peregrinações do povo cristãos a certos lugares em que Deus obra milagres pelas relíquias ou imagens dos santos (S. Santo Agostinho conta uma multidão de curas e a ressurreição de duas crianças obtidas na África do Norte pelas relíquias de S. livros e dissertações a respeito da nossa fé. Não há. Cirilo de Alexandria – (370 – 442) – bispo e doutor. 12). 15). como a Cruz de Cristo ("lignum crucis") e o presépio de Belém. 30 homens e 3 mulheres que deram importante contribuição a Santa Igreja em seus inscritos. dando inclusive maior peso em definições de nossa doutrina e defesa de apostasia e heresias em seu tempo. 4. Gregório Nazianzeno – (330 – 379) – bispo e doutor. Pedro curava doentes (At 5. 9. Existem dos mais de vinte mil santos canonizados da Igreja. ou os lenços e aventais de S. Poitiers. Santos Doutores: A Igreja Católica deu. quantos não foram curados (Mt 9. Jerusalém. citaremos 3 tipos destas mesmas diferenciações. S. Para que um santo seja considerado “doutor” é necessário que um Papa assim o declare. pois ao simples tocar da veste do Messias. S. a seguir. 22)? A simples passagem da sombra de S. S. Muitas relíquias se guardam em relicários de prata. Tagaste – Tunísia. Estevão.

Pedro Crisólogo – (380 – 451) – bispo e doutor. S. S. Pedro Damião – (1007 – 1072) – bispo e doutor. Policarpo. 18. Lisieux – França. 28. S. Tomás de Aquino – (1225 – 1274) – sacerdote e doutor. entre outros. 27. Itália. Sevilha. S. Montepulciano – Itália. S. 32. 14. como por exemplo S.12. S. Toscana – Itália. S. como por exemplo S. S. Ravena. Pedro Canísio – (1521 – 1597) – presbítero e doutor. Boaventura – (1218 – 1274) – bispo e doutor. Cantebury – Inglaterra. 26. Dijon – França. 31. S. Expedito. Tereza de Lisieux – (1873 – 1897) – virgem e doutora. Baviera. Anselmo – (1033 – 1109) – bispo e doutor. S. Alberto Magno – (1206 – 1280) – bispo e doutor. 25. os santos e santas que obtêm grande devoção popular. S. Afonso de Ligório – (1696 – 1787) – bispo e doutor. 15. Imola – Itália. Catarina de Sena – (1347 – 1380) – Sena. Itália. 24. Roma – Itália. 13. Beda Venerável – (672 – 735) – Newcastle – Inglaterra. 19. entre outros. Nápoles – Itália. João da Cruz – (1542 – 1591) – presbítero e doutor. S. 156 . Bernando – (1090 – 1153) – abade e doutor. Ávila – Espanha. Tomás More. S. S. Santos Populares: São aclamados por esta nomenclatura. Roberto Delarmino – (1542 – 1621) – bispo e doutor. 29. Fonteveros – Espanha. Holanda. 17. 22. 33. 23. João Damasceno – (650 – 749) – sacerdote e doutor. Leão Magno – (400 – 461) – papa e doutor. S. S. Isidoro – (560 – 636) – bispo e doutor. Santos Mártires: Cristãos que deram a vida para não negar sua fé. Francisco de Sales – (1567 – 1655) – bispo e doutor. S. Genebra. S. e por perseguição derramaram o seu sangue por Jesus. Lourenço de Brindes – (1559 – 1619) – sacerdote e doutor. Tereza de Ávila – (1515 – 1582) – virgem e doutora. 30. S. Sebastião. S. Gregório Magno – (540 – 604) – papa e doutor. Itália. S. Bagnoregio. Antonio de Pádua – (1195 – 1231) – sacerdote e doutor. Dasmaco – Síria. S. S. 21. S. S. 16. são aclamados como mártires. Rita de Cássia. Francisco de Assis. Lisboa – Portugual. 20. S.

4) Por ser somente um período. A Palavra de Deus nos diz: “O homem é semelhante ao sopro da brisa. Foi o homem que. misticismo. Deus criou o homem para a imortalidade. Luiz Cechinato diz que “Deus jamais teria criado o ser humano ‘à sua imagem e semelhança’ para depois destiná-lo à morte”. que confundem o povo e o levam a estar cada vez mais longe da doutrina da nossa Igreja. sem retorno e breve. Seus dias são como a sombra que passa. 01.” (Sl 143. ao Juízo Final e à Ressurreição dos mortos. em que devemos provar a Deus se o amor que temos por Ele é maior ou menor que o amor que temos pelos bens por Ele criados. Para que tenhamos uma boa compreensão a respeito de céu. Foi por inveja do demônio que a morte entrou no mundo.. Nascemos. Experimentamos emoções novas e diferentes. se comparado à eternidade que nos aguarda. É um período de escolha entre o bem e o mal. amamos. na verdade. e o fez à imagem de sua própria natureza. A morte. “a morte aparece como fim normal da vida” (CIC 1007). é “o campo de provas da eternidade”. 23-24) 157 . aí concretiza-se a morte. ao Juízo Particular. exultamos de alegria. vivemos nossa vida que. ora triunfante. faremos um estudo norteado pelo Catecismo da Igreja Católica e iluminado pela luz do Evangelho. por novos conceitos e idéias ligados ao esoterismo. conhecendo mais profundamente assuntos rel cionados à morte. por histórias antigas contadas pelos pais. Inferno e Purgatório Trata-se de um tema muito polêmico. No conceito popular. é muito influenciado pelas crenças não-cristãs.. é conseqüência do pecado. somos amados. O Pe. como vemos à luz da Palavra.Céu. vivemos momentos ora pesarosos. por tradições familiares. Enfim. inferno e purgatório. A vida acaba para todos. padecemos de tristeza. E os que pertencem ao demônio prová-la-ão” (Sb 2. “Ora. A Morte Todos recebemos um grande dom de Deus como presente: a vida. não aceitou o projeto de Deus e quis passar a viver sendo conhecedor do bem e do mal. Quando a alma separa-se do corpo e vai para junto de Deus.

para que não vos entristeçais. Assim. (CIC 1012) Pe. o Verbo encarnado.Nesse ponto. Como diz o apóstolo Paulo: “Porque para mim o viver é Cristo e o morrer é lucro” (Fil 1.” (Gl 3. 21). nos é dado. pois está escrito: Maldito todo aquele que é suspenso no madeiro (Deut 21 23). quando Jesus veio à Terra visando a Redenção da humanidade. Luiz Cechinato também coloca alguma recomendações para nos prepararmos para a morte: • “Ter a consciência em paz com Deus e com os outros. um corpo imperecível”. não querermos que ignoreis coisa alguma a respeito dos mortos. Mas. para os cristãos. “Eis uma verdade absolutamente certa: Se morrermos com ele. que é a nossa salvação”. para vê-lo. a vida não é tirada. mas transformada. Como um homem sem pecado pode experimentar da conseqüência do pecado? Obviamente. a benção de Abraão se estende aos gentios. E desfeito o nosso corpo mortal. não limitou-se a isso: Jesus veio transformar o sentido da morte: “Sendo crucificado. nos céus. podemos nos questionar: Jesus. Se cremos que Jesus morreu e ressuscitou. Santa Teresa de Jesus disse: “Quero ver a Deus e. é preciso morrer”. para os que crêem em vós. também experimentou da morte. fazendo-se por nós maldição. com ela. 13-14). com ele viveremos” (2Tm 2. Desde o sacrifício da cruz. a conseqüência do pecado do homem. “Cristo remiu-nos da maldição da lei. entro na vida” “Irmãos. aceitou a condição humana e. a morte veio concretizar o mais profundo desejo de estar com Deus.11). em Cristo Jesus. sendo filho de Deus. Jesus assumiu sobre si a ‘maldição’ da morte e a transformou numa ‘benção’.13-14) A liturgia da igreja também diz: “Senhor. 158 . Disse também: “Eu não morro. cremos também que Deus levará com Jesus os que nele morreram” (1Ts 4. como os outros homens que não tem esperança. como se a gente fosse morrer no fim daquele dia.

evitai que ela se transforme em pecado. Lc 16. na qual pedimos a Nossa Senhora: ‘Rogai por nós. O céu é a 159 . 26). A nossa sentença nos levará diretamente ao céu.”(Mt 3. acontecerá também um julgamento logo após a morte. lembra-te de mim. em tuas mãos entrego o meu espírito’ (Lc 23. 10.• São Paulo aconselha: ‘Se tiverdes raiva. Jesus Cristo nos ‘abriu’ o Céu. em estado de graça ou de pecado e apresentaremos ao Criador os frutos que colhemos durante nossa jornada na vida terrestre.) Logo após a morte. para que tenhamos tempo de dizer como Jesus: ‘Pai. ou ao. Nessa ocasião. teologicamente chamada Visão Beatífica.’ ” (Lc 23. O Catecismo nos diz: “Pela sua Morte e Ressurreição. com a segunda vinda de Jesus (Parusia). pecadores. agora e na hora de nossa morte’. 02. • Peçamos a Deus que nos livre de uma morte súbita e imprevista. Porém. a merecida recompensa. todas as almas sem a mancha do pecado vão diretamente para o céu. Depois da ascensão de Jesus. vinda diretamente da JUSTIÇA de Deus. se estiver sem pecado na alma. • Em nossa preparação para a morte. rezemos sempre a ave-maria. o juízo será a imediata visão de Deus. 42-43). Receberemos. A vida dos bem-aventurados consiste na posse em plenitude dos frutos da redenção operada por Cristo. Que o sol não se ponha sobre a vossa ira. acontecerá o Juízo Final. Não deis lugar ao demônio’ (Ef 4. segundo nossos atos e sentimentos. nos apresentaremos para Deus. a um tempo de purificação. O julgamento solene e público de nossa alma se dará no fim do mundo. que associou à sua glorificação celeste os que creram nele e que ficaram fiéis à sua vontade. ou ao inferno. 2627). 19-31) e com o bom ladrão: “E acrescentou: ‘Jesus. A) O céu Quando a alma do fiel estiver confortada pelos sacramentos e com uma indulgência plenária bem ganha no momento da morte. O Juízo Particular “Toda árvore que não produzir bons frutos será cortada e lançada ao fogo. como aconteceu com o rico e o lázaro (Cf. denominado Juízo Particular. quanto tiveres entrado no teu Reino!’ Jesus respondeulhe: ‘Em verdade te digo: hoje estarás comigo no paraíso.

E. em um “lugar” que chamamos purgatório. entre os quais estarão nossos amigos e familiares que já forma para a glória. que no fim se reunirá a Ele”. Trese ainda afirma que o sofrimento no purgatório é diferente do sofrimento no inferno. com a agonia da separação. no meio de sua agonia. A alma sofre ao ver adiado sua união com deus. É um momento eterno de um êxtase absoluto de felicidade. segundo o Papa Bento XII. encontraram alguns 160 . • As almas de todos os fiéis mortos depois de receberem o Batismo de Cristo. na roupa dos judeus mortos. também viveremos no céu outros gozos acidentais: a presença do Redentor Jesus Cristo e de nossa querida mãe Santa Maria. No purgatório. A doutrina sobre o purgatório foi formulada no Concílio de Florença (1479) e no Concílio de Trento (1542). Deve. Jo 3. “o impacto do Amor infinito que é Deus é uma sacudidela tão forte que aniquilaria a alma se o próprio Deus não lhe desse a força necessária pra suster o peso da felicidade que é Ele”. 2). em defesa de Israel. nos quais não houve nada a purificar quando morreram. como no inferno. quebra a barreira e encontra-se com Deus”. Luiz Cechinato: Primeiro Os irmãos Macabeus lutaram contra os pagãos. há o que chamamos de pena de sentido. não contempla diretamente a face de Deus. Leo Trese diz que a alma “experimenta uma fome tão intensa de Deus que se lança contra a barreira das suas imperfeições ainda presentes. comentados pelo Pe. até que.” (CIC 1026) Os capacitados a ver Deus face a face (cf. Estaremos em companhia dos anjos e santos. já foram purificados de seus pecados. antes. no primeiro caso. mas tem a felicidade de saber. que amamos tanto à distância. após a morte. purga as imperfeições. passar por um período de purificação. já que. Além da alegria da Visão Beatifica. são: • As almas de todos os santos mortos antes da Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo. a alma tem a certeza da salvação e não da condenação: “a alma do purgatório não quer aparecer diante de Deus no seu estado de imperfeição.comunidade bem-aventurada de todos os que estão perfeitamente incorporados a ele. baseada nos dois textos bíblicos. B) A purificação final ou purgatório Se a alma confessou seus pecados mortais e foi absolvida deles através do sacramento da Reconciliação. quando separa-se do corpo. • As almas dos que.

se ele (Judas) não esperasse que aqueles mortos viessem a ressuscitar. 38-45). Era sinal de crença na ressurreição. 32). diariamente. o caso mais desagradável: o que acontece com a alma que exclui-se do projeto divino. as indulgências e penitência em favor de nossos irmãos que partiram deste mundo. As almas dos que morrem em estado de pecado mortal descem imediatamente depois da morte aos infernos. O perdão após a morte se apóia também na oração pelos defuntos. agora. “o fogo eterno”. O próprio Jesus refere-se por vezes. ao inferno. sem arrependimento e sem o vínculo de união com Deus? Esta alma perdeu-se para sempre e está separada eternamente de Deus. 2Mc12. muitos deduziram que alguns pecados serão perdoados na outra vida. onde se 161 .objetos consagrados às divindades pagãs. 1035: O ensinamento da Igreja afirma a existência e a eternidade do inferno. 43) ou da “Geena” (Mt 5. onde sofrem as penas do inferno. Está escrito: “De fato. que era o Vale de Henon. mas se disse contra o Espírito Santo. nem neste mundo nem no mundo futuro” (Mt 12. como em (2 Mc 12. seria supérfluo e tolo rezar pelos mortos” (Cf. falando do “fogo que não se apaga” (Mc 9. 38-45). o Único em que o homem pode ter a vida e a felicidade para as quais foi criado e às quais aspira. Então Judas mandou oferecer um sacrifício expiatório pelos que haviam tombado na guerra. Para os judeus. C) O inferno Consideremos. não aceitando a salvação oferecida por Deus e morrendo em pecado mortal. lhe será perdoado. a fim de que fossem absolvidos de seus pecados. Na Bíblia essa atitude é elogiada como “piedoso costume”. ao sul de Jerusalém. n. Recomenda ainda as esmolas. 29). Segundo Jesus Cristo disse: “Se alguém disser uma palavra contra o Filho do Homem. como vemos no Catecismo da Igreja Católica. A Igreja tem orado pelos mortos e em favor deles oferece a }Deus. não lhe será perdoado. A pena principal do Inferno consiste na separação eterna de Deus. Diante desta afirmação. isso era uma contaminação com os ídolos. o Santo Sacrifício da Missa.

ouvindo continuamente. At 1. era um lugar de fogo contínuo.ofereciam sacrifícios (e. para sempre. Os teólogos dizem que no inferno. O Juízo Final A ressurreição de todos os mortos. desejando morrer e sabendo que é impossível. Porém.32. muitas vezes. sem alívio. o grande sofrimento. 31. a frustração total e definitiva da vida: a separação eterna e definitiva de Deus. ódio a Deus e a mim mesmo...o pior sofrimento do inferno. 7). Lá.. 15) antecederá o Juízo Final. Para mim.. de crianças) ao deus Moloc (2 Rs 23. Leo Trese diz o seguinte: Suponho que. será desvendada definitivamente a verdade sobre a relação de cada homem com Deus. numa solidão imensa.. como o pastor separa as ovelhas dos cabritos. cheia de escárnio a voz da minha própria consciência: “É para sempre. E irão estes para o castigo eterno. Que Deus nos livre dele a todos! 03. sem descanso. há dois grandes sofrimentos. dentro do âmbito das verdades reveladas.. 28-29).. As tentativas de acertar a data da vinda gloriosa de Jesus são feitas ao acaso. O Juízo Final “há de revelar até as últimas consequências o que tiver feito de bem ou deixado de fazer durante a sua vida terrestre” (CIC 1039). Diante de Cristo. Jr 19. cada qual imagina o inferno a seu modo. e porá as ovelhas à sua direita e os cabritos à sua esquerda. 162 . o fogo do inferno ao é o fogo dos fornos ou caldeiras. cheia exclusivamente de ódio. no Juízo Final.Melhor expressada em linguagem humana por “fogo”. Este será “a hora em que todos os que repousam nos sepulcros ouvirão a sua voz e sairão. Portanto. (CIC 1038).” Mas não existem palavras ou pincel que possam descrever o horror do inferno na sua realidade.. E serão reunidas em sua presença todas as nações e ele há de separar os homens uns dos outros. a dor moral e espiritual pior que a dor física. sabendo também que este é o destino que eu escolhi livremente a troco de um prato de lentilhas. para uma ressurreição de julgamento” (Jo 5. Então Cristo “via em sua glória. os que tiverem praticado o mal. Vejo-me de pé. Só o Pai conhece a hora e o dia desse Juízo (cf.46).. (At 24. visto que este não afetaria a alma. despido e só.. o que mais me abala quando penso nele é a sua terrível solidão. e os justos irão para a Vida Eterna” (Mt 25. 10. ou penas: A pena de sentido . eram jogados os cadáveres de animais e dos condenados para serem queimados. para sempre. A pena de dano . feita por livre escolha. e todos os anjos com ele. 2-6). aleatoriamente e não estão de acordo com os ensinamentos de Jesus. A respeito disso.

nem grito. A ressurreição foi o combustível que moveu muitos mártires a darem sua vida por Cristo. Diz: “Eu sou a ressurreição e a vida 163 . é chamada de “novos céus e nova terra”. contudo ele é de grande interesse para o reino de Deus. Porém. Os que estiverem unidos à Cristo formarão a “Esposa do Cordeiro” (Ap 21. Crendo nela. na qual deus se revelará de maneira inesgotável aos eleitos. Antíoco IV Epífanes: Prestes a dar o último suspiro. 9). E este disse. uma “marca do cristão”. jurista. 9) e não será mais atingida pelas dores e pelo pecado.04. Jesus liga a fé na ressurreição à sua própria pessoa. dizia: A confiança dos cristãos é a ressurreição dos mortos. se morrermos por fidelidade às suas leis.). deve antes impulsionar a solicitude pelo aprimoramento desta terra. Nela. nem dor” (Ap 21. Sobre isso. ainda que o progresso terrestre se deva distinguir cuidadosamente do aumento do Reino de Deus. nem luto.C. A esperança de novos céus e de nova terra A renovação que acontecerá após o Juízo Final. A ressurreição dos mortos Crer que ressuscitaremos em Cristo foi. (CIC 1049) 05. Tertuliano (155 d. a expectativa de uma terra nova. São Paulo fala da integração entre céu e terra. estará consumado o projeto de Deus de “em Cristo encabeçar todas as coisas. de paz e de comunhão mútua” (CIC 1045).” (2 Mac 7. em que os justos reinarão para sempre com Cristo. a exemplo dos sete irmãos Macabeus. quando estava a ponto de expirar: “É uma sorte desejável perecer pela mão humana com a esperança de que Deus nos ressuscite” (2 Mac 7. Nele cresce o corpo da nova família humana que já pode apresentar algum esboço do novo século. mas o Rei do universo nos ressuscitará para a vida eterna. glorificados de copo e alma. longe de atenuar. o CIC nos fala: Contudo. somos cristãos. será a fonte inexaurível da felicidade. 14). a esperança do novo céu e da nova terra não nos deve alienar da realidade. Por isso. 10). disse ele: “Maldito. na medida em que pode contribuir para melhor organizar a sociedade humana. “A visão beatífica. onde o Senhor terá sua morada definitiva entre os homens e “enxugará toda lágrima de seus olhos e já não haverá morte. desde o início. 4). torturados e mortos por ordem do rei da Síria. tu nos arrebatas a vida presente. as que estão no céu e as que estão na terra” (Ef 1.

porque os corpos dos mortos já viraram pó. 25). os que tiverem feito o bem. e os que a ouvirem viverão. Que dizer? Precisamos olhar a vida a partir de Deus. em verdade. Quem ressuscitará? Todos os mortos vão ressuscitar. É o próprio Jesus que ressuscitará os que nele tiverem crido: “Em verdade. seguiremos o que o Pe. e já está aí. Um dia. “Para Deus. Não podemos medir a ação de Deus tendo como base a capacidade humana. 24-25) O Catecismo diz: A esperança cristã na ressurreição está toda marcada pelos encontros com o Cristo ressuscitado. por ele. A Bíblia diz: “Vem a hora em que todos os que repousam nos sepulcros ouvirão a voz do Filho de Deus e sairão. e não a partir do homem. vos digo: vem a hora. Em verdade. Sou eu mesmo! Apalpai-me e entendei que um 164 . unindo-o à sua alma. 37).” (Jo 5. De que maneira ressuscitará? Jesus ressuscitou com o seu próprio corpo. em que os mortos ouvirão a voz do Filho de Deus. sairão para uma ressurreição de vida. Alguém poderá achar que isso é impossível. Deus restituirá a vida àquele corpo. como crer que este corpo tão manifestamente mortal possa ressuscitar para a vida eterna? De que maneira os mortos ressuscitam? Para alcançarmos essas respostas. 28-29). viverá” (Jo 11. sairão para a sua condenação” (Jo 5. mas passou da morte para a vida. Ele até disse aos discípulos: “ Vede as minhas mãos e os meus pés. Porém. Cechinato diz: Luiz Que é ressuscitar? Quando o homem morre. A alma.aquele que crê em mim. nada é impossível” (Lc 1. vai ao encontro de Deus. como ele. ainda que esteja morto. os que tiverem praticado o mal. em verdade vos digo: quem ouve a minha palavra e crê naquele que me enviou tem a vida eterna e não incorre na condenação. porém. (CIC 995). seu corpo entra em decomposição. Ressuscitaremos com ele.

Sim. já agora na terra. ao som da trombeta final. Precisamos aceitar pela fé aquilo que ultrapassa o nosso conhecimento humano.. pois. também é verdade que. 39-40). segundo o CIC 1002. pela fé no poder de Deus. mas esta vida permanece como que “escondida com Cristo em Deus” (cf. ressuscitastes com Cristo. Cl 3. “se é verdade que Cristo nos ressuscitará ‘no último dia’.. Outra coisa: a ressurreição será definitiva. cheios de glória” (Cl 3. São Paulo fala que nosso corpo vai ser “transfigurado num corpo de glória”. São Paulo diz: “ Num instante. Jesus disse: “A vontade daquele que me enviou é esta: que eu não perca nenhum daqueles que ele me deu. pois a trombeta tocará. já ressuscitamos com Cristo. onde Cristo está sentado à direita de Deus (Cl 2 . 3). 3. para julgar a humanidade (cf. Esta é a vontade de meu Pai: Quem vê o Filho e nele crê. semelhante ao corpo glorioso de Cristo ressuscitado (Fl 3. Quando ressuscitará? A ressurreição definitiva se dará no “último dia”. buscamos um crescimento na fé e no amor. Por ora. 31-46).12. é necessário que este ser corruptível revista a incorruptibilidade. procurai as coisas do alto. uma participação na morte e na ressurreição de Cristo: ‘Fostes sepultados com ele no batismo.21). mas o ressuscite no último dia. tem a vida eterna. 1)”. e eu o ressuscitarei no último dia” (Jo 6. e os mortos ressurgirão incorruptíveis. 52-53) Nossa ressurreição é apenas uma questão de tempo.) Se. que o ressuscitou dos mortos (. Pois.espírito não tem carne nem ossos. Jesus fala de sua vinda gloriosa. 165 . e nós seremos transformados. 39). num abrir e fechar de olhos. até o dia em que Jesus virá e seremos também “manifestados com ele. Não será como ao de Lázaro que foi provisória: ele ressuscitou e tornou a morrer. já que. graça ao Espírito Santo. também com ele ressuscitastes. e que este ser mortal revista a imortalidade” (1 Cor 15. a vida cristã é. 3). Participamos da vida do Cristo Ressuscitado. Mt 25. Como se dará isso? Trata-se de um mistério do agir de Deus. no fim do mundo. de certo modo. como estais vendo que eu tenho” (Lc 24.

que acompanha Tobias e o liberta (Tb 5.2s. indica a função e não a natureza. Basta recordar os querubins que guardam o Paraíso terrestre (Gn 3. em número indeterminado. O testemunho da Escritura é tão claro quanto a unanimidade da Tradição” (CIC 328). 166 . Comumente. Com o tempo.mensageiro do Senhor.16 9. Etimologicamente. 19). Principados. 31.15 (o anjo Rafael). a Igreja definiu como “verdade de fé”. 22.ANJOS Anjos existem? “A existência dos seres espirituais. o Arcanjo Rafael.13. 12. os israelitas tendiam a distanciar Deus dos homens. considera-se que eles foram criados antes dos homens.17-19. 18. Baseando-se na Escritura e na Tradição. (ver Gn -14. informa-nos que os Anjos são distribuídos em nove hierarquias: Querubins. tenhamos em vista Tb 3. como vimos acima. essa ameaça foi cedendo a uma noção. Serafins. Dn 10.21 (Gabriel).4ss). não-corporais. Ex 2.4ss). mas também sua criação. é uma verdade de fé.17.). isto os levou a desenvolver a noção de intermediários entre o Senhor Deus e os homens. os inúmeros Anjos do Apocalipse (1. Dn 10. a que a Sagrada Escritura chama habitualmente anjos. o protetor do povo de Deus). “anjo” significa “mensageiro”.lss).. Dn 8.13.. Dominações. cada vez mais profunda. o Arcanjo Gabriel. Tronos.28. assim foi tomando vulto a doutrina relativa aos anjos. de modo que é o próprio Deus quem intervém por meio do seu emissário. 8. não apenas a existência dos Anjos.11-13.20 (o anjo tutor de cada povo). Virtudes.1 (Miguel. Todavia no decorrer dos séculos. Arcanjos e Anjos. que anuncia a Encarnação do Verbo. acentua transcendência do Eterno. Quase todas as páginas da Bíblia atestam a existência desses puros espíritos. de modo que os escritores bíblicos e extra-bíblicos (apócrifos) foram mais e mais falando de anjos. 24. como fala Santo Agostinho. o povo ameaçava cair no politeísmo. da transcendência de Deus. Quem são os anjos ? Nos livros mais antigos da Bíblia aparece uma figura um tanto misteriosa chamada em hebraico mal’ak Yahveh . que evoca a tradição. Potestades. o que.23). 9. os três Anjos que aparecem a Abraão (Gn 18. daí a sobriedade dos livros mais antigos sobre o assunto. 21.2-6. 12. portanto. A Sagrada Escritura. e especialmente São Paulo.11-14. Nos tempos mais remotos da história de Israel. os Anjos que anunciam o nascimento de Jesus aos pastores. sua Ressurreição (Lc 1. Trata-se de um mensageiro investido por Deus com determinada missão e plenos poderes. 11.

Não somente a piedade cristã os reconhece. os anjos estão muito em foco. de imensos exércitos celestes. O Evangelho fala do “exército celeste” (Lc 2. que de certo modo fazem as vezes de cortesãos e arautos do Reino de Deus. de Anjos que estão diante do trono de Deus (Tb 12. de protetores de cidades e nações (Dn 12.. sofrem-na”. de Anjos que louvam a Deus e executam Suas ordens (Lc 2. alegram-se pela conversão dos pecadores (Lc 15. Fala também. junto a Maria e José. aqueles que negam a existência dos anjos bons e maus. Em Sb 2. todavia é sujeito a Deus. num ato de soberba.7-9). numa hierarquia celeste — como se disse acima —. onde executam sua ação específica.1-5. No próprio ato da criação..10. os que a ele pertencem. a noção do anjo mau. Há aí uma alusão a Gn 3.13). muitas vezes. Sto.13ss).1). e não uma força neutra instintiva do homem. At 12.15)..43). servem ao Cristo na sua natividade (Lc 2.10). Acompanham a mensagem da boanova na família de João Batista. Tudo isso faz pensar numa ordem. uma “espécie”. porém. Muitos abusaram de sua liberdade. os Anjos estão presentes em determinados lugares.19). como se fossem figuras mitológicas. Em nossos dias. de guias das criaturas (Tb 12). Nos escritos do Novo Testamento ainda é mais patente a presença dos anjos. há Anjos superiores e inferiores. Mas. Este é um ser inteligente. 167 . no topo da qual se reconhece o Arcanjo São Miguel (Ap 12. só age contra o homem por permissão do Senhor e o homem é capaz de resistir-lhe (ver o caso de Jó). astuto e mentiroso. Que dizer a propósito? Aparece também no Antigo Testamento. adversário dos homens. Há. rebelaram-se contra Deus e imediatamente foram punidos e condenados ao inferno. mas nem todos perseveraram nela.. Depreende-se claramente das Sagradas Escrituras que os Anjos não são iguais em dignidade.23s lê-se o seguinte: “Deus criou o homem imortal e o fez à sua imagem e semelhança. após as tentações (Mc 1. Tomás de Aquino ensina que cada anjo não apenas é diferente dos outros. entrou no mundo a morte.13).2-6). e não alhures. A Bíblia fala de Anjos da guarda (Mt 18.Diferenciação entre anjos bons e maus.7.13). Suas funções também são diferentes. de fileiras inumeráveis. mas também o esoterismo e a literatura fantasiosa. na ascensão (At 1.. Ainda de acordo com Sto. por si. mas constitui. onde a serpente aparece como imagem do diabo tentador. na ressurreição (Mt 28.15). na agonia (Lc 22. os Anjos foram “elevados à ordem sobrenatural”. Tomás. por inveja do diabo. trazidos à Terra por Jesus Cristo.

31. portanto. de modo que o estado de perdição dos maus é plenamente compatível com tais predicados de Deus.31) . Que tipo de pecado terá sido esse? Há poucos dados na Revelação para responder. Os anjos bons são ministros de Deus para a glória do Criador e a cão dos homens. Principados. não lhes podemos atribuir figura corpórea (chifres. isto estaria insinuado em Mt 18. porém. a rebelião ocorreu quando Deus anunciou aos anjos a encarnação do Filho (teriam de adorar Deus feito homem). Potestades. Uma parte dos anjos se terá rebelado contra Deus por soberba (este é o pecado típico dos espíritos). Essa classificação partiria dos anjos mais perfeitos aos menos perfeitos no plano ontológico. Quanto aos anjos maus. Tronos. Julga-se.Os anjos maus também ocorrem frequentemente no Novo Testamento com nomes diversos: Satanás Adversário (Mc 1. Deus elevou à graça sobrenatural (à semelhança do que se deu com os homens) e os submeteu a uma prova. tridentes.o que mostra que o demônio só age com autorização de Deus. que a Igreja soleniza mediante a festa dos Santos Anjos da Guarda (dia 2 de outubro). Desde os primeiros séculos. É preciso. Sabemos que Deus é sumamente bom e justo..13). nada tem de dogmático. Ap 12. avessos a Deus e ao seu plano de salvação. Anjos (em sentido estrito). Em consequência. no século VI.8). dotados de inteligência mais aguda são irrevogáveis. cf Lc 22. asas. cf IJo 3.10.44.2). Lc 4. O teólogo grego Dionísio Areopagita. em vista de um fim providencial. porém. Conforme alguns teólogos..12. Deus lhes concede a autorização de tentar os homens. O pecado dos anjos Os anjos são criaturas que Deus fez boas (Deus nada pode fazer intrinsecamente mau). Dominações.15). Jesus diz que ele “é homicida desde o princípio e que não permaneceu na verdade” (Jo 8. Beijai (2Cor 6. A atividade dos anjos no mundo. os cristãos crêem que cada ser humano tem seu anjo da guarda.25). Virtudes. mas que abusaram da sua liberdade e se afastaram de Deus pelo pecado. As decisões dos anjos. O Maligno pediu os Apóstolos para os joeirar como trigo. Querubins. recolheu na Sagrada Escritura os nomes dos anjos mencionados no Antigo e no Novo Testamentos e distribuiu-os numa hierarquia de nove coros: Serafins.12. Tornou-se comum esta crença. mas Jesus rogou por eles ao Pai (Lc 22.. Demônio (Mt 4.). 168 . Belzebu (Mt 10. Não lhes resta margem para conversão. para que se fortaleça a virtude dos bons. Arcanjos. que mantenhamos sóbrios ao falar dos anjos maus.. que depois ter criado os anjos. garras.

13). apontados casos de possessão diabólica. se não havia possessão. quem estará contra nós?. A Igreja admite a possibilidade de tal fenômeno. São Paulo nos diz que Deus não permite que sejamos tentados acima das nossas forças. que pode ladrar muito. Por conseguinte. e são até hoje. Quanto mais os pacientes admitem isto. os progressos da psicologia e da medicina revelam que muitos dos sintomas outrora atribuídos à ação direta do demônio. Além das tentações. Na história da Igreja foram. com a tentação. mas terá confirmado os homens no erro. mas. nervosos ou parapsicológicos. Estes são meras criaturas de Deus. mas a sua ação visa mais a induzir ao pecado do que às doenças ou desgraças físicas. isto. a grande maioria dos casos apresentados como de possessão não são senão estados mórbidos. Todavia. Pergunta-se: é possível tal estado de coisas? Distinguimos: Os Evangelhos nos dizem que Jesus encontrou possessos e os exorcizou. Santo Agostinho o compara a um cão acorrentado. Esta é um estado em que o demônio se serve do corpo da pessoa. sim. ao passo que as entidades cultuadas naqueles centros religiosos são tidas como semideuses. principalmente no Brasil. apavoram e prejudicam. a presença dos cultos afro-brasileiros e espíritas entre nós sugere facilmente às pessoas impressionáveis a idéia de que uma doença nervosa. Ora. Notemos ainda que não se devem identificar os exus e orixás das religiões afro-brasileiras com os anjos maus.37). a vontade. o demônio. e nada terá a temer por parte do Maligno: “Se Deus está conosco. Os anjos 169 . porém.” (Rm 8. é inaceitável.. nos dá os meios de sair dela vitoriosos (cf ICor 10.31). todavia. não são senão efeitos patológicos.Satanás não é Todo-Poderoso. sem que o possesso consiga resistir-lhe. tanto mais se sugestionam. mas não pode morder senão a quem se lhe chega perto. confiando em Deus. por isto tem um ritual de exorcismo. é de crer que nos tempos de Jesus havia possessos.. Daí a necessidade de esclarecimento do povo de Deus: existe. Em conseqüência. falando por este e movendo-o à blasfêmia e a atitudes convulsivas. do possesso fica isenta de pecado. a Sagrada Escritura menciona a possessão diabólica. devemos ser sóbrios diante de notícias de possessão diabólica. Como praticar uma correta devoção aos anjos? A devoção aos anjos leva à prática da Palavra de Deus e dos ensinamentos da Igreja. Jesus não somente terá realizado uma farsa teatral (para se adaptar a uma crença dos judeus). renitente e feia é resultado da possessão diabólica. pois Jesus mesmo declarou: “Para isto nasci e vim ao mundo: para dar testemunho da verdade” (Jo 18. porém. Que o cristão viva santamente. confirmando em todos os observadores a impressão de que existe possessão diabólica.

Somente conhecemos o nome de três anjos: Miguel. espalhando a moda dos anjos. Essa é uma armadilha da Nova Era. 170 . Quando São João. pedindo sua ajuda e proteção. mas não adoração. (Gen. E a finalidade principal dessa missão é chamá-los à conversão. para escapar da condenação final. na Igreja. pronto a ajudar-me”. no meio de nós. Citações na palavra de Deus das diversas ações dos anjos em seus ministérios específicos: Proteger. Experimentei continuamente que ele está bem perto de mim. Quando o homem deixa de crer no verdadeiro Deus. Rafael e Gabriel. O papa Pio XI afirmava: “Sempre me senti maravilhosamente assistido pelo meu anjo da guarda. Podemos rezar pedindo o auxílio dos anjos? Se os anjos são enviados para estar junto dos homens. Podemos conversar com eles. a qual somente a Deus é devido”. Os anjos protegem a porta do paraíso (e expulsou-o. Proteger A batalha no céu MIGUEL e seus anjos (Apoc. tornam-se. 3-24) Protegem a Hagar e seu filho efaz que ela seja obediente. QUERUBINS. Na Bíblia os anjos são sempre enviados por Deus para realizar uma missão junto dos homens. ajoelhou-se e rezou ao seu anjo da guarda. Não devemos. 12-7). Adora a Deus” (Ap 19. como tu e teus irmãos. Os anjos são adorados quando os invocamos como se fossem entidades mágicas. armados de urna espada. e colocou ao oriente do Jardim do Édem. o autor do livro do Apocalipse. São João Maria Vianney. chamando-se demônios. ao chegar aos limites de sua paróquia. companheiros de caminhada pela vida. em todos os lugares. passa a crer em qualquer coisa e comete enganos danosos para sua vida. independente do relacionamento com Deus.10). para guardar o caminho da árvore da vida. E o fruto da sua oração foi a conversão da maioria da população do lugar. quis ajoelhar-se diante de um anjo. Anunciar e Curar. o Cura d’Ars. Onde os anjos vivem? Eles vivem em todos os lugares: no céu. pois nesse caso estão afastados de Deus. na terra. Santo Agostinho dizia: “É preciso honrar os anjos testemunhando-lhes amor e respeito.de luz nunca levam à desobediência. Eles estão presentes desde o começo da vida. nos ares. com o poder de trazer qualquer solução para a vida da pessoa. flamejante. como aconteceu com Tobias. ouviu dele as seguintes palavras: “Não faças isso! Eu sou um servo. portanto estimular o desejo de se conhecer o nome de nosso anjo da guarda. possuidores do testemunho de Jesus.

Sara.20: “Levanta-te toma o menino e sua mãe e retoma a terra de Israel Anunciar Os anjos mensageiros. donde vens? Volta para tua senhora. anunciar a salvação.27: “Apressa-te e refugia4e lá porque nada posso fazer antes que lá tenha chegado. ordenou o anjo do Senhor. Nascimento de João Batista. ou seja. porque foi ouvida tua oração. Nascimento de Ismael.Gênesis 16-7: “Hajar. Gênesis 16. Êxodo 23. é o arcanjo GABRIEL. sai daqui porque o Senhor vai destruir essa cidade. e não lhe j1m~u sida. Isabel. Uma das responsabilidades dos anjos mensageiros.13: “Levanta. pois não me recusaste teu próprio filho. Mateus 2. O anjo responsável pela boa nova ao mundo. Gênesis 19-14: “Levantai-vos. tua mulher terá um filho. Protegem a Lot. Proteger a Tobias. e Humilha-te diante dele. Gênesis 19. a esta época. dar-lhes-ás o nome de Ismael Gênesis 18-10: “E ele lhe disse: voltarei dentro de um ano. escrava de Saraí.23: “Vou enviar um anjo adiante de ti para te proteger no caminho e para te conduzir ao lugar que te preparei. tua mulher dar-teás um filho e chamaste-as João. é de anunciar aquilo que humanamente falando é impossível. Gênesis 22-12: “Não estendas tua mão contra o menino. Mateus 2.11: “Disse ainda mais — estais grávida. Proteger a Isac. e fica até que eu te avise. porque Herodes vai procurar o menino para matar.13: “Não tentas Zacarias. e vai dar ‘a luz um filho. são aqueles encarregados de trazer ao povo a boa nova. Lucas 1 -11. Protegem o povo na caminhada. 20. 30. fazer gerar a vida onde é estéril. Agora eu sei que temes a Deus. 171 . toma o menino e sua mãe e foge para o Egito. Tobias 5-1 5: “Eu o levarei até lá e te reconduzirei Proteger ao menino Jesus.

5-5: “Tobias encontrou um jovem de belo aspecto equipado para a viagem” Is. 25-18: “Farás dois querubins de ouro. governa e ilumina. Terão estes querubins suas asa estendidas para o alto.” Tob. já que a ti me confiou a piedade divina. Cura Tobit.26-33: “Ave cheia de graça o Senhor é contigo Eis que conceberás e darás a luz a um filho e lhe porás o nome de Jesus. e protegerão com elas a tampa. Tobias 5-13: “O anjo disse-lhe: Tem ânimo porque é fácil a Deus curar-te” Tobias 6-15: “O anjo pede a Tobias que faça os remédios para cura. sede nossa proteção contra a maldade e as ciladas do demônio. com um par velavam a face. fígado e o fel que servirão de remédio muito eficaz” Cura Sara dos sete demónios. sobre a qual terão a face iluminada.43: Os anjos consolam Jesus. Abra o peixe tire o coração. Curar as feridas e traumas deixados pelo inimigo. 6-2: “Os serafins se mantinham junto dele Cada um deles tinham seis asas. 22. meu zeloso guardador. mulher de teu filho. pela força divina. Curar Uma das funções dos anjos na Terra é também curar.Nascimento de Jesus.” Mateus 2-19: A volta do Egito. Tobias 12-14: “Agora o Senhor enviou-me para curar-te e livrar do demônio Sara. guarda.” Como são os anjos segundo a Sagrada Escritura Ex. Amém 172 . Para esse ministério Deus envia o seu Arcanjo Rafael que significa “Deus cura”. e vós. Lucas 1. Amém Exorcismo breve do Papa Leão XIII (1884) São Miguel Arcanjo. Jo 1-51: Jesus conversa com Natanael “Verás o céu aberto e os anjos descer e subir sobe o Filho do Homem”. Ordene-lhe Deus. sempre me rege. Príncipe da milícia celeste. defendei-nos no combate. com outro cobriam os pés e com o terceiro voavam” Anjos na vida de Jesus Mt 2-13: “O anjo pede a José que vá com Maria e o menino Jesus para o Egito. Jo 20-12: A ressurreição. Oração a nosso Anjo da Guarda Santo Anjo do Senhor. instantemente o pedimos. precipitai no Inferno satanás e os outros espíritos malignos que vagueiam pelo mundo para perder as almas. Mt 4-11: Os anjos alimentam Jesus Lc.

diretamente proposta pela Igreja à nossa fé. é uma verdade revelada por Deus. Do século I ao IV. quando. a Sagrada Escritura e o Sagrado Magistério.15-16). dá a conhecer o ensinamento divino em seu próprio conceito: tal é a primazia de Pedro e de seus discípulos e. Para que o ensinamento divino contido nas Sagradas Escrituras seja um dogma são necessárias duas condições: - O sentido deve estar suficientemente manifestado. Dogma. e. como conseqüência. se a nossa vida for reta. No Evangelho se sublinha várias vezes a natureza da fé. é uma certeza a respeito do que não se vê." (Hb 11. portanto. .” (CIC 88/89). Está descrita como uma adesão ao ensinamento divino anunciado por Cristo ou pregada em seu nome e com sua autoridade pelos Apóstolos. nossa inteligência e nosso coração estarão abertos para acolher a luz dos dogmas da fé.1). Relacionamos os dogmas da Igreja segundo os pilares de nossa fé: a Sagrada Tradição. Para que uma verdade revelada seja um dogma é necessário que este proponha diretamente à nossa fé por uma definição solene da Igreja o pelo ensinamento de seu magistério ordinário. Quando o texto das escrituras estiver definido pela Igreja como contendo um dogma revelado. que o iluminam e tornam seguro. será condenado. fonte do dogma. A Revelação. com sentido preciso e determinado. Os dogmas são luzes no caminho da nossa fé.OS DOGMAS DA IGREJA “O Magistério da Igreja empenha plenamente a autoridade que recebeu de Cristo quando define dogmas. O que crer e for batizado se salvará. como tal. "A fé é o fundamento da esperança.'" (Mc 16. o que não crer. No Evangelho de São Marcos encontramos: "Depois lhes disse: 'Ide pelo mundo e pregai a boa nova a toda criação. propõe verdades contidas na Revelação divina ou verdades que com estas têm uma conexão necessária. é um dever restrito para os exegetas católicos aceitá-lo. a infalibilidade pontifícia. Há uma conexão orgânica entre a nossa vida espiritual e os dogmas. isto é. A revelação feita por Jesus Cristo e anunciada aos Apóstolos tem seu caráter definitivo e imutável e a doutrina de São Paulo mostra bem este caráter. Inversamente. utilizando uma forma que obriga o povo cristão a uma adesão irrevogável na fé. esta doutrina se manifesta pela insistência com a qual os Santos Padres afirmaram a obrigação de crer integramente na doutrina ensinada por Jesus Cristo aos Apóstolos.Esta doutrina deve ser proposta pela Igreja como revelada. 173 .

Conservação do mundo • Dogmas sobre o Ser Humano 1. Jesus Cristo. A Existência de Deus como Objeto de Fé 3. Cristo subiu em corpo e alma aos céus e está sentado à direita de Deus Pai • Dogmas sobre a Criação do Mundo 1. ainda que homem. Cristo imolou-se a si mesmo na cruz como verdadeiro e próprio sacrifício 6. A Imaculada Conceição de Maria 174 . O homem caído não pode redimir a si próprio • Dogmas Marianos 1.• Dogmas sobre Deus 1. Jesus Cristo é verdadeiro Deus e filho de Deus por essência 2. Tudo o que existe foi criado por Deus a partir do Nada 2. Caráter temporal do mundo 3. não por imitação 3. A Existência de Deus 2. O pecado de Adão se propaga a todos seus descendentes por geração. Cada uma das duas naturezas em Cristo possui uma própria vontade física e uma própria operação física 4. Jesus possui duas naturezas que não se transformam nem se misturam 3. é Filho natural de Deus 5. Cristo ressuscitou glorioso dentre os mortos 8. O homem é formado por corpo material e alma espiritual 2. A Unicidade de Deus 4. Deus é Eterno 5. Ao terceiro dia depois de sua morte. Cristo nos resgatou e reconciliou com Deus por meio do sacrifício de sua morte na cruz 7. Santíssima Trindade • Dogmas sobre Jesus Cristo 1.

mas também na disciplina e governo da Igreja 4. A Eucaristia é verdadeiro Sacramento instituído por Cristo 6. O Purgatório 175 . não somente em coisas de fé e costumes. A Morte e sua origem 2. O matrimônio é verdadeiro e próprio Sacramento • Dogmas sobre as Últimas Coisas (Escatologia) 1. O Céu (Paraíso) 3. A Igreja é infalível quando faz definição em matéria de fé e costumes • Dogmas sobre os Sacramentos 1. A Igreja foi fundada pelo Deus e Homem. Cristo constituiu o Apóstolo São Pedro como primeiro entre os Apóstolos e como cabeça visível de toda Igreja. Mãe de Deus 3. O Inferno 4. A Confirmação é verdadeiro e próprio Sacramento 3. Maria. Cristo está presente no sacramento do altar pela Transubstanciação de toda a substância do pão em seu corpo e toda substância do vinho em seu sangue 7. A Igreja recebeu de Cristo o poder de perdoar os pecados cometidos após o Batismo 4. O Papa possui o pleno e supremo poder de jurisdição sobre toda Igreja. Jesus Cristo 2. O Papa é infalível sempre que se pronuncia ex cátedra 5. A Unção dos enfermos é verdadeiro e próprio Sacramento instituído por Cristo 8. conferindo-lhe imediata e pessoalmente o primado de jurisdição 3. O Batismo é verdadeiro Sacramento instituído por Jesus Cristo 2. A Confissão Sacramental dos pecados está prescrita por Direito Divino e é necessária para a salvação 5. A Virgem • Dogmas sobre o Papa e a Igreja 1. A Ordem é verdadeiro e próprio Sacramento instituído por Cristo 9.2. A Assunção de Maria 4.

Sagrada Escritura: Hb 11. "A mesma Santa Mãe Igreja sustenta e ensina que Deus. sob Pio IX (1846-1870)." (cf. mas também é objeto da fé sobrenatural . 1785).1-9. declarou: "Se alguém disser que Deus vivo e verdadeiro. O Juízo Universal A EXISTÊNCIA DE DEUS Possibilidade de reconhecer a Deus como a única luz da razão natural . já que. e de certo modo espontaneamente por meio de Sua obra." (Dz.13. sob Pio IX (18461878). Rm 1. em ambos os casos. O Fim do mundo e a Segunda Vinda de Cristo 6. seja excomungado" (Dz. A idéia de Deus não é inata em nós. 1782). pode ser reconhecido com certeza pela luz natural da razão humana partindo das coisas criadas. não pode ser reconhecido com certeza pela luz natural da razão humana por meio das coisas que foram feitas.20.5. crê e confessa que existe um único Deus Verdadeiro" (Dz.6. faz com que todos possam conhecer a existência de Deus com facilidade. Sagrada Escritura: Sab. seja excomungado. mas temos a capacidade para conhecê-Lo com facilidade. A EXISTÊNCIA DE DEUS COMO OBJETO DE FÉ A existência de Deus não apenas é objeto do conhecimento da razão natural. Não existe contradição no sentido de que uma pessoa possa temer ao mesmo tempo a ciência e a fé da existência de Deus.O concilio Vaticano I (1869-1870). A Ressurreição dos Mortos no Último Dia 7. Dz.Segundo o Concílio Vaticano I (1869-1870). o objeto formal é diverso: 176 . princípio e fim de todas as coisas. criador e Senhor nosso. Este mesmo Concílio condenou como herética a negação da existência de Deus: "Se alguém negar que apenas Deus é o Verdadeiro Criador e Senhor das coisas visíveis e invisíveis. 1806). declarou em 24 de abril de 1870: "A Santa Igreja Católica Apostólica e Romana. 1801). A revelação sobrenatural da existência de Deus confirma o conhecimento natural de Deus.15.

ao segundo.3). DEUS É ETERNO Deus não tem princípio nem fim . Infinito em Seu entendimento e vontade e em toda perfeição" (Dz. 1 Cor. Imenso.O concílio de Latrão (1215). "A santa Igreja Católica Apostólica romana crê e confessa que existe um único Deus Verdadeiro e Vivo" (Dz. Os Santos Padres provam a unicidade de Deus por Sua perfeição absoluta e pela unidade da ordem do mundo. 177 . Rm 1. 1Tim 1.17.18). Sagrada Escritura: Dt 6. A história comparada das religiões nos ensina que a evolução religiosa da humanidade não passou do politeísmo ao monoteísmo.. At 14. Ef 4. mas sim. Ele não seria o Ser Supremo.23. Diz Tertuliano: "O Ser Supremo e Excelentíssimo precisa ser único. não há nenhum Deus" São Tomás [de Aquino] deduz especulativamente a unicidade de Deus devido à Sua simplicidade.39. "A Santa Igreja Católica. pela razão ilimitada da fé. ao contrário. com razão diz nossa verdade Cristã: Se Deus não é o Único. I. ou seja.14.Evidência Natural X Revelação Divina Ao primeiro chegamos pela razão natural e." (Dz. 428).5. da infinidade de Suas perdições e da unidade do universo (S.4. e como Deus é o Ser Supremo. 8. 428).11.O Concílio IV de Latrão e o Concílio Vaticano atribuem a Deus a eternidade: "Firmemente cremos e simplesmente confessamos que apenas um é o Verdadeiro Deus eterno.4.. 17. Apostólica Romana crê e confessa que existe um único Deus Verdadeiro. Rm 3. Incompreensível. 1782). Vivo. Se opõe a este dogma básico do Cristianismo o politeísmo dos pagãos e o dualismo agnóstico-maniqueista que supunha a existência de dois princípios não criados e eternos. 1782). 2.6. Eterno. A UNICIDADE DE DEUS Não existe mais que um único Deus . do monoteísmo ao politeísmo (cf. sob Inocêncio III (11981216) declarou: "Firmemente cremos e simplesmente confessamos que Deus é apenas Um" (Dz.Th. porque se não for assim. e não pode haver igual a Ele.

2.Th. ou o sobrepuja em poder." (Dz.. sem sucessão alguma. três pessoas certamente. sempre.. Verdadeiro.O Concílio de Latrão (1215). o Filho está todo no Pai e todo no Espírito Santo. e o Espírito Santo de Um e de Outro.. e sem fim" (Dz. o Pai está todo no Filho todo no Espírito Santo. Especulativamente. Imenso. Sagrada Escritura: Sl 89. I. SANTÍSSIMA TRINDADE Em Deus há três pessoas: Pai. Filho de Deus. sob Eugênio IV (1431-1447).428). JESUS CRISTO É VERDADEIRO DEUS E FILHO DE DEUS POR ESSÊNCIA Declara o Símbolo "Quicumque" do Concílio de Toledo (400-447): "É necessário para a eterna salvação crer fielmente na encarnação de nosso Senhor Jesus Cristo. Onipotente e Inefável. apresentou um compêndio desta doutrina que pode ser considerada como a meta final da evolução do dogma: "Por razão desta unidade. mas uma só essência. o Espírito Santo está todo no Pai e todo no Filho. Imutável. Filho e Espírito Santo. a eternidade de Deus se demonstra por sua absoluta imutabilidade. O Pai não vem de ninguém." (Dz. em um agora permanente e indivisível.2-3). O dogma da Trindade é declarado por este Concílio.O Dogma diz que Deus possui o Ser Divino sem princípio nem fim. mas o Concílio de Florença (1438-1445). 704). Jo 8. a razão última da eternidade de Deus é a plenitude absoluta de um ser que exclui toda potencialidade e.7. O Filho apenas do Pai. Sl 2. toda sucessão (S. Filho e Espírito Santo. ou o excede em grandeza. que é Deus e homem. 178 . portanto.. Pai. Incompreensível.58. 40). sob Inocêncio III (11981216) diz: "Firmemente cremos e simplesmente confessamos que apenas um é o Deus Eterno. e cada uma delas possui a essência divina que é numericamente a mesma .10. É Deus engendrado na substância do Pai antes dos séculos. substância ou natureza absolutamente simples. sem começo. Nenhum precede ao outro em eternidade.

natureza íntegra e perfeita de verdadeiro homem.. Mt 11. de modo inseparável e de modo não confuso. Tudo isto indica que Cristo é possuidor de uma íntegra natureza divina e de uma íntegra natureza humana: a prova está nos milagres e no padecimento. 179 .) Também diz o Concílio de Calcedônia (451. inteiro no seu.O dogma diz que Jesus Cristo possui a infinita natureza divina com todas suas infinitas perfeições. inteiro no nosso" (Dz. JESUS POSSUI DUAS NATUREZAS QUE NÃO SE TRANSFORMAM NEM SE CONFUNDEM Afirma São Leão I Magno (440-461) em sua epístola dogmática de 13 de Junho de 449: "Ficando então a salvo a propriedade de uma e outra natureza.5. Jesus equipara seu conhecimento ao conhecimento divino do Pai. porque possui em comum com o Pai a substância Divina. IV Ecumênico): "..25). E estas duas vontades físicas não se opõe uma a outra como afirmam os ímpios hereges.18.27.42.. sem mudanças. sem separação e de modo algum apagada a diferença de natureza por causa da união.. 148). CADA UMA DAS DUAS NATUREZAS EM CRISTO POSSUI UMA PRÓPRIA VONTADE FÍSICA E UMA PRÓPRIA OPERAÇÃO FÍSICA Declara o III Concílio de Constantinopla (680-681). que não existem também duas vontades físicas e duas operações físicas de modo indivisível. Os milagres são outra prova da divindade de Cristo: "As obras que faço em nome de Meu Pai dão testemunho de Mim.6. por haver sido engendrado eternamente por Deus.14. de modo que não seja conversível." (Dz. conforme os ensinamentos dos Santos Padres. Jo 10..39." (Jo 10.8. Sagrada Escritura: Is 7.. 291 e Dz. Is 9.49. Fil 2.Nosso Senhor Jesus Cristo. 143 ss. Sagrada Escritura: Jo 1. Lc 22. conservando cada natureza sua propriedade e concorrendo em uma só pessoa" (Dz.38. 8.17. Jo.6-7. Ele mesmo perfeito na divindade e Ele mesmo perfeito na humanidade. Lc 2.14. nasceu Deus Verdadeiro. Mt 17. sob Santo Agatão (678-681): "Proclamamos igualmente. Mt 23. Sagrada Escritura: Mt 26.. 6. sem divisão.. que se há de reconhecer em duas naturezas: sem confusão... 263-288).

Apesar da dualidade física das duas vontades. 299.. em Cristo não pode haver mais que uma filiação de Deus: a natural.. era o que recebia o sacrifício... Hb 9. O sentido do dogma é: a pessoa que subsiste na natureza humana (de Cristo) é o filho natural de Deus. era ao mesmo tempo sacerdote e oferenda. 309). 940-122-951). declara. enviou aos homens seu Filho. sob Pio IV (1559-1565). É FILHO NATURAL DE DEUS Diz o Concílio de Trento (1545-1563). Jesus Cristo.O Pai celestial. 794. na sessão IV de 13 de Janeiro de 1547 (sob Paulo III.. 2038). 180 . Cristo quando instituiu a Sagrada Eucaristia recordou o sacrifício de Sua morte: "Este é Meu corpo que será entregue por vós.14.16. A filiação é propriedade da pessoa. Sagrada Escritura: Rm 8." (Lc 22. quando chegou a plenitude. ordena." (Dz.29. Cristo.25. de maneira perfeitíssima à vontade Divina. Os Santos Padres sempre rechaçaram a doutrina da dupla filiação de Cristo. ensina." (Dz.17. Rm 3. por sua natureza humana. CRISTO IMOLOU A SI MESMO NA CRUZ COMO VERDADEIRO E PRÓPRIO SACRIFÍCIO Afirma o Concílio de Trento (1545-1563). JESUS CRISTO. O adversário deste dogma é o racionalismo (Dz..Ef. Mt 3. não da natureza. 5. Jo 3.. 1534-1549): ". mas por sua natureza Divina. que na Missa está contido e de modo não cruel se imola aquele mesmo Cristo.28.. pelo mesmo motivo.32. juntamente com o Pai e o Espírito Santo. Em Cristo não existe mais que uma pessoa que procede do Pai por geração eterna. Jo 1. a 17 de Setembro de 1562: "O Sacrossanto Concílio. AINDA QUE HOMEM.2.19). existiu e existe a unidade moral porque a vontade humana de Cristo se conforma com a livre subordinação. que apenas uma vez se ofereceu Ele mesmo cruelmente no altar da cruz.. Sagrada Escritura: Jo 1....

CRISTO RESSUSCITOU GLORIOSO DENTRE OS MORTOS Expõe o XI Concílio de Toledo (675).fielmente cremos e simplesmente confessamos: ressuscitou dentre os mortos e subiu ao céu em Corpo e Alma. 1Tm 2.. nossa pregação é vazia e também a vossa fé. a restauração da antiga relação de filhos e amigos com Deus (cf." (Dz." (Dz. ou seja. para conseguir para eles o eterno perdão.. que nos reconciliou com Deus por meio de Seu Sangue fazendo-Se por nós a Justiça.28.. 938).. e se Cristo não ressuscitou. ressuscitado por sua própria virtude.. sob Adeodato (672-676): ". por inspiração do Espírito Santo.14).. o corpo e a Alma. se levantou do sepulcro. Tal negação foi condenada por Pio X (Dz. 286) Sua razão foi a união hipostática.. ou seja. Foi causa instrumental a parte humana de Cristo." (Dz. Jesus Cristo quis oferecer a si mesmo a Deus Pai. como sacrifício apresentado sobre a hora da cruz em sua morte. A causa principal da ressurreição foi o lugar comum com o Pai e o Espírito Santo. Rm 3...33. É negada a ressurreição de Cristo em todas as formas de racionalismo antigo e moderno.. CRISTO SUBIU EM CORPO E ALMA AOS CÉUS E ESTÁ SENTADO À DIREITA DE DEUS PAI Sob Inocêncio III (1198-1216). a Santidade e a Redenção.1Tm 2. Sagrada Escritura: Sl 15..Mt.10).. Mt 26. Sagrada Escritura: Mt 20.40.. Rm 5. Este Deus e Senhor Nosso.28.14.ao terceiro dia." (Dz 790). declarou o IV Concilio de Latrão (1215): ". At 4. Do ponto de vista apologético: a ressurreição é o argumento mais decisivo sobre a verdade dos ensinamentos de nosso Senhor: ". 429)..24.. unida hipostaticamente com a divindade... declara e manda. 2036).CRISTO NOS RESGATOU E RECONCILIOU COM DEUS POR MEIO DO SACRIFÍCIO DE SUA MORTE NA CRUZ Declara o Concílio de Trento (1545-1563). São Paulo atribui à morte de Cristo a reconciliação dos pecadores com Deus.. 12. 181 . AO TERCEIRO DIA DEPOIS DE SUA MORTE.10.6. sob Pio IV (1559-1565): "O concílio. ensina. ".." (1Cor 15..

criou do nada.28. Dz.. ". Mc 16. TUDO O QUE EXISTE FOI CRIADO POR DEUS A PARTIR DO NADA Afirma o Concílio Vaticano I (1869-1870).63. criou do nada a uma e outra criatura. mas também que ao mesmo tempo chega a alcançá-la a razão com apenas suas forças naturais. Lc 24. mas teve um princípio no tempo. baseando-se nos argumentos cosmológicos e sobretudo na argumento da contingência. existente desde o princípio dos tempos. constituída de espírito e corpo" (Dz.19. criou do nada uma e outra criatura..3. O testemunho claro desta verdade da época apostólica. CARÁTER TEMPORAL DO MUNDO O mundo teve princípio no tempo . que unicamente este Verdadeiro Deus.. a Igreja ensina que o mundo não existe desde toda a eternidade. 428). O racionalismo é contrário a este dogma." (Dz. espirituais e corporais." (Dz.. isto é.. sob Pio IX (1846-1877): "Proclamamos e declaramos desta cátedra de Pedro. 1783). 16..Criador de todas as coisas..2.. a angélica e a mundana.4. O progresso da física atômica permite inferir. que por Sua onipotente virtude. Cristo subiu aos céus por sua própria virtude.. A criação do mundo do nada. sob Pio IX (18461878).51. Também o Concílio de Latrão.26. como comum." (Dz. Sagrada Escritura: Jo 6... afirma: "Determinamos declarar desta cátedra de São Pedro.5. em 1215: ". A doutrina da eternidade do mundo foi condenada (cf. pelo processo de 182 . e logo a humana... 428). Sagrada Escritura: Gn...Todos os símbolos da fé confessam.. desde o princípio do tempo. não apenas é uma verdade fundamental da revelação cristã. Sagrada Escritura: Jo 17. a espiritual e a corporal.O Concílio Vaticano I (1869-1870). 1.subiu aos céus e está sentado à direita de Deus Pai..1.28. Sl 101.. 501-503). ou melhor dizendo. Contra a filosofia pagã e o materialismo moderno que suponha a eternidade do mundo. não deixa tempo suficiente para formação de lendas. Hb 11.. da matéria cósmica.". 14. de acordo com o símbolo apostólico: ". 1783). 2Mc 7. Ef 1.Criador de todas as coisas visíveis e invisíveis..

1783)..." (Dz..a humana como comum constituída de corpo e alma. Se prova especulativamente a unicidade da alma no homem por testemunho da própria consciência. qual seja a idade da terra e do universo. com sua providência o conserva e governa. 183 . sob Pio IX (1846-1877). A alma espiritual é o princípio da vida espiritual e ao mesmo tempo o é da vida animal (vegetativa e sensitiva) (Dz. sob Inocêncio III (1198-1216): "... pela qual somos conscientes de que o mesmo Eu. A ação conservadora de Deus é um constante influxo causal pelo que mantém as coisas na existência.. Col 1. composta de espirito e corpo... São Tomas de Aquino define a conservação do mundo como continuação da ação criadora de Deus. o Concílio de Constantinopla declarou: ". Sagrada Escritura: Gn 2. Jo 5. sob Pio IX (1846-78): ". Tudo o que Deus criou.17.28. a 24 de Abril de 1870: "A Igreja Católica declara a partir desta cátedra. a alma animal e a alma espiritual. 22 Novembro 1951: Sobre a demonstração da existência de Deus à luz das modernas ciências naturais). 1784)." (Dz. Igualmente.7. Ecl 12. é o mesmo que gere a sensibilidade e a vida vegetativa. portanto. 428). E o Concílio Vaticano I (1869-70).17. para defender o dogma católico contra os que dizem que consta de três partes essenciais: o corpo. Sagrada Escritura: Sb 11." (Dz. que é o princípio da atividade espiritual.. para dar glória a Deus O HOMEM É FORMADO POR CORPO MATERIAL E ALMA ESPIRITUAL Afirma o IV Concílio de Latrão (1215).26. que o homem tem apenas uma alma racional e intelectual. CONSERVAÇÃO DO MUNDO Deus conserva na existência a todas as coisas criadas . o corpo é parte essencialmente constituinte da natureza humana.. 338). 1655). e não carga e estorvo como disseram alguns (Platão e outros Originalistas).desintegração dos elementos radiativos....." (Dz... Segundo a doutrina da Igreja. a humana. Mt 10. É condizente à sabedoria e bondade de Deus conservar na existência as criaturas que são vestígio das perfeições divinas e servem.Diz o Concílio Vaticano I (18691870).7. provando positivamente o princípio do mundo no tempo (Discurso de Pio XII.

793). e é contrário também ao dogma católico o moderno racionalismo com suas diversas teorias de 'auto-redenção'". Se opõe à doutrina católica o pelagianismo. e não também para nós todos. os quais se aplicam ordinariamente tanto aos adultos como às crianças por meio do Sacramento do Batismo. destruída pelo pecado. é apagar realmente em nós o pecado e não apenas que não nos impute uma culpa estranha (Dz. segundo o qual. Sagrada Escritura: Rm 3. que é morte da alma.. nem os judeus poderiam faze-lo com a força da lei mosaica. até as crianças recém-nascidas recebem o Batismo para remissão dos pecados. "Tal pecado se apaga pelos méritos da Redenção de Cristo." (Dz. Rm 5. O Concílio Vaticano II no decreto "Ad Gentes" nº 8 declara: "Somente um ato livre por parte do amor divino poderia restaurar a ordem sobrenatural. e que é inerente a cada indivíduo.O PECADO DE ADÃO SE PROPAGA A TODOS SEUS DESCENDENTES POR GERAÇÃO. se propaga de Adão a todos seus descendentes por geração e não por imitação. o homem tem em sua livre vontade o poder de redimir-se a si mesmo. 792). A IMACULADA CONCEIÇÃO DE MARIA O Papa Pio IX. a justiça e Santidade que havia recebido de Deus. na Bula "Ineffabilis Deus".. NÃO POR IMITAÇÃO O Concílio de Trento condena a doutrina de que Adão perdeu para si apenas. sob Paulo III (1534-1549): "Que os homens caídos eram de tal forma escravos do pecado que se achavam sob a servidão do demônio e da morte. O efeito do Batismo." (Dz. de 8 de Dezembro de l854 definiu solenemente o dogma da Imaculada Conceição de Maria: 184 . O HOMEM CAÍDO NÃO PODE REDIMIR A SI PRÓPRIO Assim ensina o Concílio de Trento (1545-1563).7. Sagrada Escritura: Sl 50. 791). segundo a doutrina do Concílio de Trento. Por isso.12-21. Positivamente ensina que o Pecado. que nem os gentios poderiam livrar-se nem levantar-se com a força da natureza.23.

290).42.15. sob o Papa São Clementino I (422-432). Como foi concebida sem pecado: Ausência de toda mancha de pecado. mas sim o suposto divino que a sustenta. o Verbo. não tem uma natureza humana. a Santíssima Virgem não é Mãe de Deus. Lema da graça Santificante. portanto. 113). Ausência da inclinação o mal. no primeiro instante de sua conceição. deve ser firme e constantemente acreditada por todos os fiéis" (Dz. e que portanto. ou seja. mas quem dela nasce. 218. em atenção àquela que havia sido predestinada para ser a Mãe de Deus. Maria gerara a Cristo segundo a natureza humana.28. 1641)."Declaramos. Este privilégio e dom gratuito foi concedido apenas à Virgem e a ninguém mais. 185 . preservada imune de toda mancha de culpa original. MARIA. Concílio de Constantinopla II (Dz. Concílio de Constantinopla III (Dz. b. seja excomungado. Sagrada Escritura: Gn 3. pronunciamos e definimos que a doutrina que sustenta que a Santíssima Virgem Maria. ou seja. Lc 1. c. MÃE DE DEUS O Concilio de Éfeso (431). 2. 1. 148). definiu solenemente que: "Se alguém afirmar que o Emanuel (Cristo) não é verdadeiramente Deus. Muitos Concílios repetiram e confirmaram esta doutrina: · · · Concílio de Calcedônia (Dz. o sujeito nascido." (Dz. Lc 1. foi por singular graça e privilégio de Deus onipotente em previsão dos méritos de Cristo Jesus. foi revelada por Deus. Em previsão dos méritos de Cristo porque a Maria a Redenção foi aplicada antes da morte do Senhor. o é sem mancha alguma de pecado (= pecado original). a. Daí que o Filho de Maria é propriamente o Verbo que subsiste na natureza humana. d. 256). Salvador do gênero humano. 3. Maria desde o primeiro instante que é constituída como pessoa no seio de sua mãe. porque deu à luz segundo a carne ao Verbo de Deus feito carne.

declara: "Determinamos proclamar e declarar desta cátedra de Pedro. sempre Virgem Maria. O Pastor eterno e guardião de nossas almas para converter em perene a obra salutar da Redenção decretou edificar a Santa Igreja.35..14. contra os erros modernistas declarou: "A Igreja foi fundada de modo rápido e pessoal por Cristo Verdadeiro e Histórico durante o tempo de sua vida sobre a terra. 2145). Lc 1. no tocante a doutrina.. JESUS CRISTO A Constituição Dogmática sobre a Igreja.19.então Maria é verdadeira Mãe de Deus. de 1º de Novembro de 1950. CRISTO CONSTITUIU O APÓSTOLO SÃO PEDRO COMO PRIMEIRO ENTRE OS APÓSTOLOS E COMO CABEÇA VISÍVEL DE TODA IGREJA. Isto quer dizer que Cristo fundou a Igreja. na Bula "Munificentissimus Deus".4. posto que o Verbo é Deus. Sagrada Escritura: Is 7.". como casa do Deus Vivo. Rm 9.31. Pio X. cumprindo o curso de sua vida terrena. Lc 1..7. Os reformadores ensinaram que Cristo havia fundado uma Igreja invisível. declaramos e definimos ser dogma divinamente revelado que a Imaculada Mãe de Deus. pela bula "Etentur coeli". Mt 18." (Dz. sob Eugênio IV (1431-1447). Gl 4. de 6 de Julho de 1439: 186 . foi assumpta em corpo e alma à gloria celeste" (Dz. 2333).34. Lc 22. A IGREJA FOI FUNDADA PELO DEUS E HOMEM. que Ele estabeleceu os fundamentos substanciais da mesma. Cristo: Verdadeiro Deus e Verdadeiro Homem..19. Sagrada Escritura: Lc 16. todos os fiéis estejam unidos pelo vínculo da fé e caridade. A Organização jurídica era pura instrução humana. na qual. sob o papa Pio IX (1846-1878). proclamou solenemente o dogma da assunção de Maria ao céu: "Pronunciamos.52.. Mt 13. aprovada pelo Concílio do Vaticano I (1869-1870).13. CONFERINDOLHE IMEDIATA E PESSOALMENTE O PRIMADO DE JURISDIÇÃO Diz o Concílio de Florença (1438-1445). Mt 28.. Mc 4. 5 A ASSUNÇÃO DE MARIA O Papa Pio XII. culto e constituição.

.. não foi constituído por Jesus Cristo nosso Senhor. mas não pleno e supremo poder de jurisdição sobre a Igreja universal. De Jurisdição: verdadeiro poder de governo que é potestade: legislativa. NÃO SOMENTE EM COISAS DE FÉ E COSTUMES. seja excomungado."Definimos que todos os cristãos devem crer e receber esta verdade de fé. 6.." (Dz. 2. jurídica (litigiosa) e coercitiva. Conforme esta declaração. Sagrada Escritura: Mt 16.15-17. Afirma também o Concílio Vaticano I (1869-1870). o poder do Papa é: 1. Episcopal: o Papa é ao mesmo tempo bispo universal de toda a Igreja e da diocese de Roma. MAS TAMBÉM NA DISCIPLINA E GOVERNO DA IGREJA Ensina o Concílio Vaticano I (1869-1870). 4. Pleno: o Papa pode resolver por si mesmo qualquer assunto que caia dentro da jurisdição eclesiástica sem nada requerer dos Bispos nem de toda a Igreja. Ordinário: é ligado com seu ofício em virtude de uma ordenação divina e não foi delegado por nenhum superior em jurisdição. Dz. mas também naquelas de regime e disciplina da Igreja. 1827). At 1. não só nas matérias que pertencem à fé e aos costumes. 5. como príncipe de todos os Apóstolos e cabeça visível de toda a Igreja. na Constituição dogmática sobre a Igreja de Cristo: "Se alguém disser que o bem-aventurado Pedro Apóstolo. Por isto. Supremo: nenhum outro sujeito possui o poder igual ou maior. Universal: se estende a todos os pastores e fiéis da Igreja em matéria de ensinamento e governo.15. 3. Jo 21. sob Pio IX (1846-1878): "Se alguém disser que o Pontífice Romano tem apenas o dever de inspeção e direção. O PAPA POSSUI O PLENO E SUPREMO PODER DE JURISDIÇÃO SOBRE TODA A IGREJA. 1823). 17-19.seja excomungado" (Dz. 1831 cf. a coletividade de todos os Bispos não está acima do Papa. que a Sé Apostólica e o Pontífice Romano é o sucessor do bem-aventurado Pedro e tem o primado sobre todo rebanho.. 694). 187 ." (Dz...

As encíclicas pontificais não são definições ex cátedra. em sua qualidade de sucessor de Pedro e não outras pessoas ou organismos (ex.7. define por sua suprema autoridade apostólica que uma doutrina sobre a fé e costumes deve ser sustentada pela Igreja universal. Lc 22. Condição da infalibilidade é que o Papa fale ex cátedra: a. Para compreender este dogma.. quando cumprindo seu cargo de pastor e doutor de todos os cristãos. Dz. pela assistência divina que lhe foi prometida na pessoa de Pedro. Razão da infalibilidade é a assistência sobrenatural do Espírito Santo. Imediato: pode exercer sem instância prévia sobre os Bispos e fiéis. reveladas ou em íntima conexão com a revelação divina. (Dz. que preserva o supremo mestre da Igreja de todo erro. Sujeito da infalibilidade é todo o Papa legítimo. sob Pio IX (1846-1878). convém ter na lembrança: 1. b. as definições do Bispo de Roma são irreformáveis por si mesmas e não por razão do consentimento da Igreja. 4." (Dz. Conseqüência da infalibilidade é que a definição ex cátedra dos Papas sejam por si mesmas irreformáveis. se condena toda a ordenação do poder civil que subordinam a comunicação oficial com a Santa Sé a um controle civil e fazem depender a obrigatoriedade das disposições pontifícias a uma boa visão das autoridades civis. 188 . Por este poder do Papa de tratar livremente com todos os bispos e fiéis da Igreja. na Sessão IV de 18 Julho 1870: ". e portanto.ensinamos e definimos ser dogma divinamente revelado que o Pontífice Romano. Sagrada Escritura: Mt 16. quando fala ex cátedra. 1839. 466-694). isto é. 5. 1829) O PAPA É INFALÍVEL SEMPRE QUE SE PRONUNCIA EX CATEDRA Ensina o Concílio Vaticano I (1869-1870). goza daquela infalibilidade que o Redentor divino quis que estivera provisionada sua Igreja na definição sobre a matéria da fé e costumes.18. Que tenha a intenção de definir alguma doutrina de fé ou costume para que seja acreditada por todos os fiéis. 3. Objeto da infalibilidade são as verdades de fé e costumes. sem a intervenção ulterior de qualquer autoridade.31. Que fale como pastor e mestre de todos os fiéis fazendo uso de sua suprema autoridade.15-17.: congregações pontificais) a quem o Papa confere parte de sua autoridade magistral. 2.. Jo 21.

Estão sujeitos à infalibilidade: 1. é infalível quando reunido em concílio universal ou disperso pelo rebanho da terra. ao rechaçar a hierarquia (Papa). O Concílio Vaticano I. O BATISMO É VERDADEIRO SACRAMENTO INSTITUÍDO POR JESUS CRISTO A CONFIRMAÇÃO É VERDADEIRO E PRÓPRIO SACRAMENTO A IGREJA RECEBEU DE CRISTO O PODER DE PERDOAR OS PECADOS COMETIDOS APÓS O BATISMO Define o Concílio de Trento (1545-1563). Sagrada Escritura: Jo 14..16. Mc 16. A IGREJA É INFALÍVEL QUANDO FAZ DEFINIÇÃO EM MATÉRIA DE FÉ E COSTUMES Declara o Concílio Vaticano I (1869-1870). 1839). São contrários a este dogma os que.16.16. rechaçam também o Magistério da autoridade da Igreja. com o Papa cabeça do episcopado. Os Apóstolos e seus sucessores (a Igreja) se acham livres do perigo de errar ao pregar a fé (Dz. por razão de seu cargo. 2. é mestre autorizado da verdade revelada enquanto esteja em comunhão com a Sé Apostólica e professe a doutrina universal da Igreja.. Obs: cada Bispo em particular não é infalível ao anunciar a verdade revelada (ex.Lc 10.: Nestório caiu em erro e heresia). quando fala ex cátedra. sob Pio IX (1846-1878): "O pontífice Romano quando fala ex cátedra. é necessário que os Papas gozem de infalibilidade em matéria de fé e costumes.Para poder cumprir com a função de ordenar eficazmente. O Papa. 1793-1798). sob Júlio III (1550-1565): 189 . ensina e promove uma verdade de fé ou de costumes para que todos os fiéis a sustentem. na definição da infalibilidade do Papa. O episcopado pleno. possui aquela infalibilidade que o Divino Salvador quis que estivesse dotada sua Igreja quando definisse algo em matéria de fé e costumes" (Dz. Mas cada bispo em sua diocese. pressupõe a infalibilidade da Igreja.

Lc 22." (Dz. mas sim à Igreja como instituição permanente para passá-lo aos sucessores dos Apóstolos. 190 . Sagrada Escritura: Mc 14. é o trânsito de uma coisa a outra. Cessam as substâncias de Pão e Vinho. 894. A UNÇÃO DOS ENFERMOS É VERDADEIRO E PRÓPRIO SACRAMENTO INSTITUÍDO POR CRISTO Pio X condenou a sentença modernista que pretende que o Apóstolo São Tiago tenha. CRISTO ESTÁ PRESENTE NO SACRAMENTO DO ALTAR PELA TRANSUBSTANCIAÇÃO DE TODA A SUBSTÂNCIA DO PÃO EM SEU CORPO E TODA SUBSTÂNCIA DO VINHO EM SEU SANGUE "Transubstanciação" é uma conversão no sentido passivo. O poder de perdoar não foi concedido aos Apóstolos como carisma pessoal. em sua carta.).. A matéria: o pão e vinho. apenas recomendado uma prática piedosa (Dz." (Jo 6. porque neles está realmente o Corpo. apenas os acidentes permanecem sem mudar: continuamos vendo o pão e o vinho.19.foi comunicada aos Apóstolos e a seus legítimos sucessores o poder de perdoar e de reter os pecados para reconciliar aos fiéis caídos depois do Batismo. o Sangue. A EUCARISTIA É VERDADEIRO SACRAMENTO INSTITUÍDO POR CRISTO · · · 1.. A CONFISSÃO SACRAMENTAL DOS PECADOS ESTÁ PRESCRITA POR DIREITO DIVINO E É NECESSÁRIA PARA A SALVAÇÃO O Papa Leão Magno.54). 2.22. A forma: as palavras da consagração." (Com.56). contra os abusos da confissão pública declarou: "basta indicar a culpa da consciência apenas aos sacerdotes mediante confissão secreta. A graça interna: indicada e produzida pelo signo é a união com Cristo e a vida eterna: "Quem come Minha Carne e bebe Meu Sangue permanece em Mim e Eu nele" (Jo 6.". "Aquele que come Minha Carne e bebe Meu Sangue tem a vida eterna. Alma e Divindade de Cristo. mas substancialmente já não o são. pois sucedem em seus lugares o Corpo e o Sangue de Cristo. Dz. 2048). 3. A Transubstanciação é uma conversão milagrosa e singular diferente das conversões naturais. porque não apenas a matéria como também a forma do pão e do vinho são convertidas. 145).

e este por um Dom sobrenatural "lumen gloriae" é capacitado para o ato da visão de Deus (Sl 35. E é uma hierarquia instituída por ordenação divina. O INFERNO 191 . Também o Símbolo apostólico declara: "Creio na vida eterna" (Dz. At 14. de maneira clara e sem véus. ao quebrar a ordem Divina. pois a referida Divina essência lhes é manifestada imediata e abertamente. O CÉU (PARAÍSO) As almas dos justos que no instante da morte se acham livres de toda culpa e pena de pecado entram no céu. 530).A ORDEM É VERDADEIRO E PRÓPRIO SACRAMENTO INSTITUÍDO POR CRISTO Existe na Igreja um sacerdócio visível e externo: "Se alguém disser que na Igreja católica não existe uma hierarquia instituída por ordenação Divina. pela Constituição "Benedictus Deus". O MATRIMÔNIO É VERDADEIRO E PRÓPRIO SACRAMENTO INSTITUÍDO POR CRISTO A MORTE E SUA ORIGEM A morte.. são verdadeiramente ditosas e terão vida eterna e eterno descanso" (Dz. e as almas em virtude dessa visão e esse gozo. vendo-a face a face. Os atos que integram a felicidade celestial são de entendimento. 966). ficou condenado a morrer. de 29 de Janeiro de 1336.. por revelação sabemos que Deus dotou o homem.6. no paraíso. proclama: "Por esta constituição que há de valer para sempre e por autoridade apostólica definimos. as almas completamente purificadas entram no céu e contemplam imediatamente a essência divina. Benedito XII (1334-1342). que segundo a ordenação de Deus. já que seu ser é composto de partes distintas. Ainda que o homem seja mortal por natureza. seja excomungado. Presbíteros e Ministros." (Dz.5) de amor e gozo. Sagrada Escritura: At 6. é conseqüência primitiva do pecado. Mas por castigo.22. do Dom pré-natural da imortalidade do corpo.10. Ap 22. que consta de Bispos. 6 e 9). na atual ordem de salvação.

2Ts 1.15. Esta exige que apenas as almas completamente purificada sejam exibidas no céu.29.41. O purgatório é estado de purificação.1336. declara: "Segundo a comum ordenação de Deus. Para São Gregório Magno. " (Dz. proíbe que as almas unidas em caridade com Deus.. 86). Dn 7. Negam a existência do inferno aqueles que não acreditam na imortalidade pessoal (materialismo). sob Gregório X (1271-1276). esta última frase indica que as culpas podem ser perdoadas neste mundo e também no futuro. aprovado pelo I Concílio de Constantinopla (381). imediatamente depois da morte. O PURGATÓRIO As almas dos justos que no instante da morte estão agravadas por pecados veniais ou por penas temporais devidas pelo pecado vão ao purgatório. são purificadas depois da morte com as penas do purgatório. na Constituição "Benedictus Deus". 464).8.27.. Cristo.13. O II Concílio de Leão (1274). onde são atormentadas com suplícios infernais. virá de novo para julgar os homens.28... O Símbolo Niceno-Constantinopolitano." (Dz. as almas dos que morrem em pecado mortal. Sagrada Escritura: Mt 5. Sinais precursores da segunda vinda: 192 . Mt 25.30. Sagrada Escritura: Mt 16. sob São Dâmaso (366-384). Mt 25. antes de ter satisfeito com verdadeiros frutos de penitência por seus pecados de atos e omissão. 531). 1Cor 1. Por isso se admite um estado intermediário que purifique e de duração limitada. Mc 8.46. Sua Justiça reclama que sejam pagos os restos de penas pendentes.. Lc. baixam ao inferno. rodeado de majestade.e outra vez deverá vir com glória para julgar aos vivos e aos mortos.38. Mt 24. afirma: "As almas que partiram deste mundo em caridade com Deus. O inferno é um lugar de eterno sofrimento onde se acham as almas dos réprobos. A existência do Purgatório se prova especulativamente pela Santidade e Justiça de Deus. Mt 23. Benedito XII (13341342). e por outro lado. com verdadeiro arrependimento de seus pecados.9. O FIM DO MUNDO E A SEGUNDA VINDA DE CRISTO No fim do mundo. cf. 2Ts 1. de 29.As almas dos que morrem em estado de pecado mortal vão ao inferno. Mt 10." (Dz.26.. sejam atiradas ao inferno.01.8. 9. declara: ".

as estrelas cairão do céu e as forças dos céus serão sacudidas. para dar testemunho a todas as nações. A apostasia da fé: "Jesus lhes respondeu: Olhai para que ninguém vos engane. 40). este mistério. Pregação do Evangelho por todo o mundo: "Esta Boa Nova do Reino deverá ser proclamada no mundo inteiro. "E é preciso que antes seja proclamada a Boa Nova a todas as nações.. totalidade moral)..")... o filho de perdição. Antes da apostasia.14). Também o Símbolo Apostólico confessa: "creio . ocidental como oriental. e não brilhe a luz da lua. " (Rm 11. irmãos. a fé certa que cremos e confessamos que . afastará de Jacó as impiedades. e à Sua vinda. todos os homens deverão ressuscitar com seus corpos. De fato.. se manifestará o homem com iniquidade.. A conversão dos judeus: "Então não quero que ignoreis. que entrou no uso litúrgico e deve ser tida por verdadeira a definição de fé: ". como diz a Escritura: Virá de Sion o Libertador. 2..4.. pessoa determinada a ser o instrumento de Satã). o amadurecimento parcial que sobreveio a Israel. ou é objeto de culto.25-27..1..10: "Quando as estrelas do céu e a constelação de Orion já não iluminarem.. Is 13.. virá o fim.. Grandes calamidades: enchentes. apostasia da fé Cristã). e assim todo Israel será salvo." (2Ts 2. e enganarão a muitos. perdurará até entre a totalidade dos gentios. a lua não dará seu resplendor." 193 ." (Mt 21... 3... porque virão muitos usurpando Meu nome e dizendo 'Eu sou o Cristo'.. E então.. o adversário que se eleva sobre tudo o que leva o nome de Deus. "Que ninguém os engane de nenhuma maneira. 5. Primeiro deverá vir a apostasia e manifestar-se o homem ímpio. calamidades ou catástrofes naturais serão o prelúdio da vinda do Senhor: "Imediatamente depois da tribulação daqueles dias.É pois. falsos profetas). na ressurreição da carne." (Mt 24. manifestar-se-á o Anticristo: "Antes da apostasia. 4.." (Dz... até o extremo de sentar-se ele mesmo no Santuário de Deus e proclamar que ele mesmo é Deus.3." (Mt 24.29..10). o sol se escurecerá." (Mc 13. E esta será Minha Aliança com eles quando tenham apagado seus pecados... A RESSURREIÇÃO DOS MORTOS NO ÚLTIMO DIA É declarado pelo Símbolo "Quicumque" (chamado também "Atanasiano").. este símbolo alcançou tanta autoridade na Igreja. cf. que não ocorra que vos presumais de sábios." (2Ts 2.3. e o sol estiver obscurecido.

Mt 22..29.. At 10. pois a fé certa que cremos e confessamos que . O JUÍZO UNIVERSAL Cristo.39.27. Jo 11.29. Mt 16.. É o que expressa o Símbolo "Quicumque": É. 194 .. julgará a todos os homens. 22. dali haverá de vir a julgar os vivos e os mortos.Sagradas Escrituras: Mt 22.25. Jo 6." Sagradas Escrituras: Mt 11. depois de seu retorno.42.

15:00 15:00 .16:00 16:00 .17:00 17:00 DESPERTAR SAMARITANA CAFÉ ANIMAÇÃO ESPÍRITO SANTO E EFUSÃO ALMOÇO ANIMAÇÃO JESUS SENHOR INTERVALO E ANIMAÇÃO PERSEVERANÇA PREPARAÇÃO PARA MISSA SANTA MISSA ENCERRAMENTO DESPERTAR E ANIMAÇÃO FILHO PRÓDIGO CAFÉ PECADO DESERTO ANIMAÇÃO JESUS SALVADOR ALMOÇO TEATRO CONFISSÕES CAFÉ ANIMAÇÃO FÉ E CONVERSÃO BANHO ANIMAÇÃO MARIA JANTAR ORAÇÃO DE CURA 195 .01 Sexta 19:00 – 20:00 20:00 – 20:30 20:30 – 21:00 21:00 – 22:00 RECEPÇÃO E JANTAR ANIMAÇÃO SEMEADOR AMOR DO PAI Sábado 08:00 – 08:30 08:30 – 09:00 09:00 – 09:30 09:30 – 10:30 10:30 – 10:45 10:45 – 11:00 11:00 – 12:00 12:00 – 13:30 13:30 – 14:00 14:00 – 15:00 15:00 – 15:30 15:30 – 16:00 16:00 – 17:00 17:00 – 18:00 18:00 – 18:15 18:15 – 19:00 19:00 – 20:15 20:15 – 22:00 Domingo 08:00 – 08:30 08:30 – 09:00 09:00 – 09:30 09:30 – 10:00 10:00 – 12:00 12:30 – 13:30 13:30 – 13:50 13:50 – 14:40 14:40 .SUGESTÃO PARA HORÁRIO DE EXPERIENCIA DE ORAÇÃO .15:40 15:40 .

14:20 14:20 – 15:20 15:20 – 15:50 15:50 – 16:50 16:50 – 17:30 17:30 – 17:50 17:50 – 18:40 18:40 – 20:00 20:00 – 22:00 Domingo 08:00 – 08:30 08:30 – 09:00 09:00 – 09:30 09:30 – 10:00 10:00 – 12:00 12:30 – 13:30 13:30 – 14:00 14:00 – 14:40 14:40 .SUGESTÃO PARA HORÁRIO DE EXPERIENCIA DE ORAÇÃO .15:00 15:00 .02 Sexta 19:00 – 20:00 20:00 – 20:30 20:30 – 21:00 21:00 – 22:00 RECEPÇÃO E JANTAR ANIMAÇÃO SEMEADOR AMOR DO PAI Sábado 08:00 – 08:30 08:30 – 09:00 09:00 – 09:30 09:30 – 10:45 10:45 – 11:00 11:00 – 11:20 11:20 .11:50 12:00 – 13:30 13:30 .14:00 14:00 .16:00 16:00 DESPERTAR SAMARITANA CAFÉ ANIMAÇÃO ESPÍRITO SANTO E EFUSÃO ALMOÇO ANIMAÇÃO PERSEVERANÇA PREPARAÇÃO PARA MISSA SANTA MISSA ENCERRAMENTO ACOLHIDA E ANIMAÇÃO FILHO PRÓDIGO CAFÉ PECADO E SALVAÇÃO DESERTO ANIMAÇÃO CENÁCULO ALMOÇO TEATRO PREPARAÇÃO PARA CONFISSÕES CONFISSÕES ANIMAÇÃO JESUS SENHOR CAFÉ ANIMAÇÃO MARIA JANTAR ORAÇÃO DE CURA 196 .

ANIMAÇÃO 14:30 ÀS 15:10 – DOM DA PROFECIA 15:10 ÀS 15:50 – DOM DA FÉ 15:50 ÀS 16:10 .01 SEXTA: 19:00 AS 20:00 – ACOLHIDA E JANTAR 20:00 ÀS 20:40 .CARISMAS E SUA UTILIZAÇÃO 21:10 ÀS 21:50 .ORAÇÃO DA MANHA 09:30 ÀS 09:50 .ANIMAÇÃO 14:00 ÀS 14:30 – DOM DA CARIDADE 14:30 ÀS 15:00 .ORAÇÃO DA MANHÃ 09:30 ÀS 10:10 .JANTAR 20:00 ÀS 21:00 .REPOUSO NO ESPÍRITO 10:50 ÀS 12:00 – ORAÇÃO 12:00 AS 13:30 .DOM DE LINGUAS E INTERPRETAÇÃO 21:50 ÀS 22:30 – ORAÇÃO SÁBADO: 08:00 AS 08:30 .DESPERTAR 08:30 AS 09:00 .CENÁCULO 14:15 ÀS 14:30 .CAFE 09:00 ÀS 09:30 .PREPARAÇÃO P/ MISSA 15:30 ÀS 16:30 .ALMOÇO 13:30 ÀS 14:00 .SUGESTÃO PARA HORÁRIO DE ENCONTRO DE DONS .CAFE 09:00 ÀS 09:30 .INTERVALO + ANIMAÇÃO 16:10 ÀS 16:50 – DOM DE MILAGRES 16:50 ÀS 17:00 – DÚVIDAS / PARTILHA 17:00 ÀS 19:00 .ANIMAÇÃO 09:50 ÀS 10:50 .ENCERRAMENTO 197 .ANIMAÇÃO 13:30 ÀS 14:15 .ANIMAÇÃO 20:40 ÀS 21:10 .DOM DE DISCERNIMENTO DOS ESPÍRITOS 10:10 ÀS 11:00 – DOM DE SABEDORIA E DE CIENCIA 11:00 ÀS 12:00 – ORAÇÃO 12:00 AS 13:00 .MISSA 16:30 .CENÁCULO 15:00 ÀS 15:30 .BANHO 19:00 ÀS 20:00 .DOM DE CURA E LIBERTAÇÃO 21:00 AS 23:30 – ORAÇAO DOMINGO: 08:00 ÀS 08:30 .DESPERTAR 08:30 ÀS 09:00 .ALMOÇO 13:00 AS 13:30 .

(Obediência) 15:00 às 15:30 – Cenáculo 15:30 às 15:50 – Café da Tarde 15:50 às 16:00 – Animação 16:00 às 17:00 – Pregação: Lava Pés 17:00 às 19:00 – Banho 19:00 às 20:00 – Jantar 20:00 às 20:50 – Pregação: Ser Servo (Perfil do Servo) 20:00 às 22:00 – Oração Domingo 07:30 às 08:00 – Acordar 08:00 às 08:30 – Café da manhã 08:30 às 09:00 – Animação 09:00 às 09:50 – Pregação: Comunidade/Perseverança 09:50 às 10:00 – Intervalo 10:00 às 10:10 – Animação 10:10 às 11:00 – Pregação: Eis-me aqui 11:00 às 11:40 – Oração Eis-me aqui 11:40 às 12:00 – Dúvidas / Partilha 12:00 às 13:00 – Almoço 13:00 às 13:30 – Animação 13:30 Às 14:00 – CENÁCULO 14:30 Às 15:00 – Preparação Para Missa 15:00 Às 16:00 .SUGESTÃO PARA HORÁRIO DE ENCONTRO DE “EIS-ME AQUI” .01 Sábado 07:00 às 08:00 – Chegada 08:00 às 08:30 – Café da manhã 08:30 às 09:00 – Animação & Oração 09:00 às 09:30 – Pregação: Eutico 09:30 às 10:00 – Pregação: Ministério da Palavra 10:00 às 10:10 – Intervalo 10:10 às 10:30 – Animação 10:30 às 11:00 – Pregação: Ministério de Música 11:00 às 11:30 – Pregação: Ministério de Intercessão 11:30 às 12:00 – Pregação: Ministério de Cura e Libertação 12:00 às 13:30 – Almoço 13:30 às 14:00 – Animação 14:00 às 14:30 – Pregação: Ministério de Pastoreio 14:30 às 15:00 – Pregação: Julgamento Constituído .SANTA MISSA 16:00 .Encerramento 198 .

AFETIVIDADE E SEXUALIDADE – Tarde de Formação SANTOS E SANTIDADE – 01 Ensino CÉU.01 Ensino DONS INFUSOS E EFUSOS OU CARISMÁTICOS – 01 Ensino + O ENCONTRO HISTÓRIA DA SALVAÇÃO – 02 Ensinos EVANGELHOS – 01 Ensino OS SACRAMENTOS – 01 ou 02 Ensinos HISTÓRIA DA IGREJA CATÓLICA – 01 ou 02 Ensinos O CREDO APOSTÓLICO OU ORAÇÃO DO CREIO – 01 Ensino OS ATOS DOS APOSTÓLOS . ENCONTRO DE “EIS-ME AQUI” 199 . Bate-papos e Partilhas – Ao menos 02 dias ao longo do ano.01 Ensino FALSAS DOUTRINAS E “NOVA ERA” – Tarde de Formação ou 3 Ensinos COMUNHÃO DOS SANTOS – 01 Ensino ORAÇÃO DO PAI NOSSO – 01 Ensino ESPIRITUALIDADE.SUGESTÃO PARA MONTAGEM DO CRONOGRAMA DO CRESCIMENTO VIDA DE ORAÇÃO – 01 Ensino A BÍBLIA – 02 Ensinos HISTÓRIA DA RCC – 01 Ensino A SANTÍSSIMA TRINDADE .01 Ensino MARIA SANTÍSSIMA – 01 Ensino A LITURGIA – 01 Ensino MISSA PARTE POR PARTE . INFERNO E PURGATÓRIO – 01 Ensino OS ANJOS – 01 ou 02 Ensinos OS DOGMAS DA IGREJA – 01 ou 02 Ensinos Adoração e Orações em Comunidade – Ao menos 02 dias ao longo do ano.

Cleófas. Felipe Aquino. Edições Loyola. Bíblia Sagrada Edição Pastoral. Cleófas. Pe. História da Igreja. SCJ. O que é preciso saber sobre a Renovação Carismática. Prof. Louva-a-Deus. D. E sereis minhas Testemunhas. Cleófas. Pedrini. Edição Ave Maria. Ed. Ed. Santuário. O Poder de Curar. Ed. Ed. Ed. Ed. Ed. 6 ed. Documento 53 – CNBB. Bíblia de Jerusalém. Santuário. Vol I – A Sagrada Tradição. Vol III – O Sagrado Magistério. Nossa fé segundo o Catecismo da Igreja Católica. Loyola. Patti Gallagher Mansfield. Ed. Loyola. Pe Francis MacNutt. Coleção Ekklesia volume 1. Pe. Ed. Coleção Paulo Apóstolo vol 19. Ed. Bíblia Sagrada. Antônio de Miranda. Na Escola dos Santos Doutores. SDN. Pierre Pierrard. Católicos Perguntam. Alírio J. Ed. Vol II – A Sagrada Escritura. Paulus. 200 . Santuário. Edições Loyola. Ed. Jovens em Renovação. Ed. Felipe Aquino. Prof. Bíblia Sagrada. As sete súplicas do Pai-Nosso.Editora Santo Antonio. Paulus. Luiz Cehcinato. Prof. Coleção Paulo Apóstolo vol 1. Coleção Paulo Apóstolo vol 17. Paulinas. Coleção Paulo Apóstolo vol 3. Catecismo da Igreja Católica. Ágape. Ed. Curso de Liturgia. Ed. Ed. Igreja Catolica. Quadrante.Bibliografia A fé explicada. Compendio do Vaticano II – Editora Vozes. denominações cristãs e correntes religiosas. Orientações Pastorais sobre a Renovação Carismática Católica. Católico Pode ou não pode? Por quê? Pe. Cleófas. Santuário. Anjos. Jonas Abib. Joãozinho. Prof. Ed. Ernst Dassmann. Felipe Aquino. Dom Estevão Bettecourt . Didaqué. Felipe Aquino. Carismas. Dom Estevão Bettecourt – Editora Santuário. ed. Escola da Fé. O Peregrino Russo Editora Paulus. Escola da Fé. Ed. SCJ. Como um Novo Pentecostes. Escola da Fé. Pe. Alberto Luiz Gambarini. 3. Loyola. Leo Trese. Santuário. Tradução Ecumênica (TEB). companheiros no dia-a-dia.

Ed. J. Para Falar de Anjos. Sites: Dercio Antonio Paganini. Alves. Paulinas. Loyola. J. Canção Nova e Sacramusic. Jonas Abib. Orando com Poder. Dom Servilio Conti . Pe. Os Santos de Cada Dia. Loyola. 201 . Ed.O Santo do Dia.C. Edições Loyola.M. Ed.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful

Master Your Semester with Scribd & The New York Times

Special offer: Get 4 months of Scribd and The New York Times for just $1.87 per week!

Master Your Semester with a Special Offer from Scribd & The New York Times