Você está na página 1de 1

O letal vírus G | ARTIGO | Opinião - Diário de Santa Maria http://www.clicrbs.com.

br/dsm/rs/impressa/4,41,2600790,12826

Diário de Santa Maria


31/07/2009 | N° 2251

ARTIGO

O letal vírus G
Durante os anos em que fiz minha graduação em Letras, fui infectada com o letal e extremamente nocivo vírus G. Esse
perigoso vírus tem sido transmitido a muitas gerações de professores, especialmente os de português. E vem causando
danos irreparáveis a uma imensa parcela de alunos nos quatro cantos de nosso país.

Descubra, caro colega, se você também foi infectado por ele e ainda não está diagnosticado. Seus principais sintomas são:
aulas focadas em tópicos gramaticais, listagem de certo e errado na língua, listas intermináveis de exercícios, decoreba de
regras (como a da crase), reprodução da “ladainha” dos modos e tempos verbais, uso do texto para fins específicos de um
ponto gramatical etc. Se você apresenta um ou mais destes sintomas, sinto muito: você também foi infectado pelo vírus
G, ou vírus da Gramática.

Não quero dizer com isso que ensinar gramática é um erro. Tudo depende da sua concepção do que é e de qual gramática
ensinar, é claro! O que quero dizer é que, no curso de graduação que fiz, lá no distante século passado, havia transmissão
da gramática normativa apenas. E isso causou sérios danos em meu desempenho profissional. Pois muitas aulas
meramente gramaticais eu dei. E hoje percebo porque elas, muitas vezes, eram chatas e desmotivadoras.

Mas há antídoto para o vírus G. Só que ele começa a agir lentamente e poderá levar muitos anos para se obter uma cura.
No início do tratamento, você deverá tomar doses maciças do vírus L, ou vírus da Linguística.

Você deverá recorrer a estes estudiosos e beber diretamente em sua fonte. Ou seja, ler muito. Estudar. Concordar.
Discordar. Para, com isso, mudar! Reveja os Parâmetros Curriculares Nacionais. Pesquise bibliografia na Internet.
Descubra Sírio Possenti, Marcos Bagno, Ataliba Castilho e Irandé Antunes. Faça cursos de atualização legítimos. Ocupe
uma pequena parte de seu tempo extra com isso e você perceberá as mudanças na organização de sua aula e,
principalmente, no interesse dos alunos por ela.

Mudança. Esta é a palavra de ordem. Não teremos sucesso na transformação da escola que todos dizemos querer, se não
houver boa vontade e interesse em mudar. Não adianta modificarmos a parte física da escola e incorporarmos tecnologia,
se não houver mudança e principalmente a cura da “gramatiquiece”.

Lembre-se: a gramática aprisiona a língua. Normatiza o que é livre. Claro que ela deve ser ensinada, mas não somente
ela. Incorpore em sua rotina de sala de aula outros elementos e os textos que estão na rua, nos jornais, na Internet. Faça
com que seu aluno participe e sugira assuntos. Descubra seu conhecimento de mundo e seus interesses. Planeje para
eles e não para a gramática. Vacine-se contra o vírus G. Você perceberá as mudanças.

LUCIANA MELLO DA SILVA MELLO|PROFESSORA MUNICIPAL DE ITAARA

1 de 1 31/07/2009 10:40