Você está na página 1de 4

PROBLEMA PROPOSTO PELO PROFESSOR YUDI [01/09/2018]

Na figura , ABC é um triângulo retângulo em B, com


AB = 3, BC=4 e CA=5.

Determine a medida do raio da circunferência, que


tangência internamente às circunferências de diâmetros
𝑨𝑩 , ̅̅̅̅̅
̅̅̅̅̅ 𝑩𝑪 𝒆 ̅̅̅̅̅
𝑪𝑨 .

RESOLUÇÃO - Usando conceitos básicos de geometria e trigonométricos

Seja  a circunferência que tangência internamente às circunferências de diâmetros 𝐴𝐵


̅̅̅̅̅, 𝐵𝐶
̅̅̅̅̅ 𝑒 𝐶𝐴
̅̅̅̅̅.
Sejam O e R , respectivamente, o centro e a medida do Raio de  .

Denotando por M, N e P pontos médios dos lados ̅̅̅̅


𝐵𝐶 , ̅̅̅̅ 𝐴𝐵 respectivamente, obtém-se o  MNP (medial) do  ABC .
𝐶𝐴 𝑒 ̅̅̅̅
3 4 5
Claramente, este triângulo é retângulo em N; MN = , NP = = 2 e PM = .
2 2 2

Das propriedades, bem conhecidas, de tangência interna entre duas circunferências, resultam :
5 3
ON = R – , OM = R – 2 e OP = R – ;
2 2
facilmente, verifica-se que O um ponto “ interno” (região poligonal) do  MNP, conforme figura acima.
𝜋
Agora, fazendo ONM = ∝ , tem-se  PNO = − ∝ e, portanto, do teorema dos cossenos aplicado aos triângulos :
2
MNO e PNO, obtém-se respectivamente:
5 2 3 2 5 3
(𝑅 − 2)2 = (𝑅 − ) + ( ) − 2. (𝑅 − ) . ( ) . cos(𝛼) ........ [I]
2 2 2 2
3 2 5 2 5 𝜋
(𝑅 − ) = (𝑅 − ) + (2)2 − 2. (𝑅 − ) . (2). cos( − 𝛼) ........ [II]
2 2 2 2

2𝑅−9 𝜋 3𝑅−12
Já, de [I] e [II], cos𝛼 = e sen𝛼 = cos ( − 𝛼) = respectivamente.
15−6𝑅 2 15−6𝑅
2𝑅−9 2 3𝑅−12 2
Logo, em consequência, da identidade cos 2 𝛼 + sen2 𝛼 = 1, ( ) + ( ) = 1.
15−6𝑅 15−6𝑅
72
Dai, (2𝑅 − 9)2 + (3𝑅 − 12)2 = (15 − 6𝑅)2 , o que implica 23𝑅2 − 72𝑅 = 0 , ou seja, R = 0 ou 𝑅 = .
23
72
Portanto, como claramente R  0, conclui-se que 𝑅 = .
23
𝟕𝟐
RESPOSTA:
𝟐𝟑

1
Nota1: O centro O de  é determinado pela construção da intersecção dos lugares geométricos:
72 5 29
 circunferência de centro N e raio 𝑁0
̅̅̅̅, isto é,
23
− , ou seja,
2 46
.
3𝑅−12 20
 semirreta ⃗⃗⃗⃗⃗⃗⃗⃗
𝑁𝑂 , tal que ONM = ∝ ( medido no sentido anti-horário) e 𝑡𝑔(𝛼) =
2𝑅−9
= .
21

Nota2: Usando o conceito de inversão geométrica para a obtenção do centro O de .

JUSTIFICATIVAS
1. Sendo  ( circunferência de centro B e raio 𝐵𝐶
̅̅̅̅ ) a circunferência de inversão, E e D inversos de A e H por  ,
𝐷𝐸 perpendicular `a semirreta ⃡⃗⃗⃗⃗
respectivamente e, portanto, as retas ⃡⃗⃗⃗⃗ 𝐵𝐴 por E, ⃡⃗⃗⃗⃗
𝐷𝐶 perpendicular `a semirreta
⃡⃗⃗⃗⃗ por C e 𝐶𝐸
𝐵𝐶 ⃡⃗⃗⃗ são respectivamente os inversos das circunferências de diâmetros ̅̅̅̅ ̅̅̅̅ 𝑒 𝐶𝐴
𝐴𝐵 , 𝐵𝐶 ̅̅̅̅.

2. Como  é tangente internamente as circunferências de diâmetros ̅̅̅̅ ̅̅̅̅ 𝑒 𝐶𝐴


𝐴𝐵 , 𝐵𝐶 ̅̅̅̅, nos pontos W,U e V
respectivamente, e , os pares (W,V) e (U,V) de pontos, pertencem à semiplanos opostos determinados por ⃡⃗⃗⃗⃗ 𝐴𝐵 ,
então  é o inverso da circunferência  ´ , de centro I e raio R´, exinscrita ao CDE , mas tangente ao lado 𝐶𝐸 .
̅̅̅̅

3. 𝑋´𝑌´ é um diâmetro de  ´ passando por B , então o seu inverso ̅̅̅̅


Deste modo, se ̅̅̅̅̅̅ 𝑋𝑌 é um diâmetro de Γ,passando
por O ( centro de  ).
Nota3: CÁLCULO DO RAIO R DA CIRCUNFERÊNCIA 𝚪 POR INVERSÃO
Considerando uma inversão em relação à circunferência  ( centro B e raio BC =4)

1. Claramente, o inverso de C é o próprio C. Ainda mais, sendo E o inverso de A e D o inverso de H , BE . BA = BC2


3.4 12
e BD. BH = BC2 (definição de inversão). Como AB = 3, BC= 4, CA = 5 e 𝐵𝐻 = = (relações métricas, no ABC),
5 5
16 16 20
então 𝐵𝐸 = e 𝐵𝐷 = 12 = .
3 ( ) 3
5
16 20
2. O quadrilátero BCDE é um retângulo com DE = BC= 4, 𝐷𝐶 = 𝐵𝐸 = e 𝐶𝐸 = 𝐵𝐷 = ; pois a inversão preserva
3 3
as medidas dos ângulos.
3. As circunferências de diâmetros𝐴𝐵̅̅̅̅ , ̅̅̅̅
𝐵𝐶 𝑒 ̅̅̅̅̅ 𝐷𝐸 , ⃡⃗⃗⃗⃗
𝐶𝐴, são respectivamente os inversos das retas ⃡⃗⃗⃗⃗ 𝐷𝐶 𝑒 ⃡⃗⃗⃗
𝐶𝐸 ; pois a
inversão de retas que não passam pelo centro de inversão ( B) são circunferências que passam pelo centro de
inversão.
Já, o inverso de circunferências que não passam pelo centro de inversão são circunferências que também não
passam pelo centro de inversão. Portanto, o inverso da circunferência  , que, claramente, não passa pelo centro
de inversão (B), é uma outra circunferência “  ´ “ ,de centro I e raio de medida R´ , que também não passa pelo
𝐷𝐸 , ⃡⃗⃗⃗⃗
centro (B), mas tangência , simultaneamente, às retas ⃡⃗⃗⃗⃗ ⃡⃗⃗⃗ .
𝐷𝐶 𝑒 𝐶𝐸

2
Sejam W,U e V os pontos de tangência de  com as circunferências de diâmetros ̅̅̅̅
𝐴𝐵 , ̅̅̅̅
𝐵𝐶 𝑒 ̅̅̅̅
𝐶𝐴 respectivamente.
Note que os pares de pontos: (W,V) e (U,V), pertencem à semiplanos opostos determinados por ⃡⃗⃗⃗⃗
𝐴𝐵 e ⃡⃗⃗⃗⃗
𝐵𝐶 ,
respectivamente . Em consequência disso, a circunferência  ´ é exinscrita ao CDE , mas tangente ao lado ̅̅̅̅
𝐶𝐸 .
Deste modo, sendo 𝑾´ , 𝑼´ e V´ inversos de 𝑾, 𝑼 e 𝑽 , então 𝑾´ ∈ 𝜞 ´ ∩ 𝑫𝑬 , 𝑼´ ∈ 𝜞 ´ ∩ 𝑫𝑪 e 𝑽´ ∈ 𝜞 ´ ∩ ⃡⃗⃗⃗⃗
⃡⃗⃗⃗⃗ ⃡⃗⃗⃗⃗ 𝑪𝑬.
Nessas condições, resultam das propriedades de tangência :

 IU´= DW´= R´ e, portanto, EV´= EW´= R´– DE = R´– 4.


16
 IW´ = DU´= R´ e, portanto, CV´= CU´= R´– DC = R´ – 3 .
 EV´+ CV` = CE.

16 20
Dai, R´– 4 + R´ – = , o que implica 2R´= 16 , ou seja, R´= 8 e, portanto,
3 3

16 2 64 16 𝑥 13
𝐼𝐵2 = ( 𝑅´ − 4)2 + (𝑅´ − ) = 16 + = .
3 9 9

4. Finalmente, sendo X`Y ` um diâmetro de 𝚪´ passando por B ( centro de inversão), o seu inverso é um segmento XY,
que corresponde a um diâmetro de 𝚪 ; pois a inversão de retas que passam pelo entro de inversão (B) são também
retas que passam por B.
𝑋´𝑌´
5. Portanto, como 𝑋𝑌 = . 𝐵𝐶 2 ´(propriedade), BC = 4 (enunciado), X´Y´ =2R´ = 16, XY = 2R e
𝐵𝑋´ .𝐵𝑌´
208 16 𝑥23
𝐵𝑋´. 𝐵𝑌´ = (𝑅´)2 − 𝐼𝐵 = 64 − 2
= ( potencia de B em relação a 𝚪 ´) , segue-se que :
9 9
𝑋´𝑌´ 16 16 72
2𝑅 = . 𝐵𝐶 2 = 16𝑥23 . 16 , ou seja, 𝑅= 16𝑥23 .8 = .
𝐵𝑋´.𝐵𝑌´ 23
9 9
Nota4: Existem exatamente 4 circunferências tangentes as de diâmetros AB,BC e CA . A figura abaixo exibe estas
circunferências.

3
Por curiosidade, através de um raciocínio similar, determina-se a medida r , do raio , da circunferência de centro O´, tangente
externamente às circunferências de diâmetros ̅̅̅̅
𝐴𝐵 𝑒 ̅̅̅̅
𝐵𝐶 , e tangente internamente à circunferência de diâmetro ̅̅̅̅
𝐶𝐴.
𝟏𝟗𝟐
A medida deste raio é dada por r = ; veja figura abaixo.
𝟐𝟎𝟗

O uso da inversão permite um manuseio simples destas circunferências.

AUTOR: Luiz Antonio PONCE Alonso [ 01/09/2018].

Você também pode gostar