Você está na página 1de 5

Prodesign M

Aula: prof. Cimara Barroso

Por: Annelise Lopes

-O grande diferencial dessa lima além do formato é o


tipo de liga, já que é uma liga de níquel titânio
termicamente tratada e ainda é manual. Essas limas
tem origem rotatória (tanto que é amesma lima que se
acopla no motor) so que modificaram o cabo, sendo
este mais calibroso para ter um melhor manuseio.
-O diferencial desse sitema é que a curva de
aprendizado é menor conseguindo excelentes
resultados. Ajudano também a trabalhar em dentes com
raízes mais encurvadas
-É um sistema manual simples, basiscamente com
posto de 2 (anteriroes) a 3 limas (posteriores). Essa
redução do número de limas é permitido por conta o
desenho dessa lima permite te dar uma conicidade
maior, enquanto que as convencionais tem conicidade
padrão 0,2mm.
-Facilita também o momento de obturar, pois o canal será modelado/ formatado e aquela modelagem irá
permitir a adaptação do cone de guta percha e muitas vezes um único cone é capaz de preencher todo o
canal.
-O custo é mais acessível que a lima protaper.
O obejtivo sempre é esse representado no esquema:

-a lima seja ela rotatória ou manual sempre tem como meta de abir caminho para que a solução irrigadora
possa penetrar como também abrir caminho para que onsiga obturar de forma tridimensional e lembrando
que qualquer sistema melhor que seja não consegue tocar em todas as paredes do canal. Então,
SEMPRE em qualquer sistema o canal tem que estar bem irrigado.
-Na maioria dos casos ao utilizar as limas prodesign M dispensa-se o so das brocas Gates Glidden

Diferenciação do instrumento
- é perceptível que a ponta (tip) e a conicidade (tapper) variam
- graças a essa variação consegue-se atingir toda a extensão do conducto. Mesmo com o desenho
diferente a ideia ainda continua simular com as convenionais, pois com as convencionais iniciava-se
primeiro com a lima mais calibrosa para poder abrir o canal no terço cervical e médio. Ao utilizar as limas
prodesign também será iniciado com a lima mais calibrosa diferindo somente na quantidade de limas a
serem utilizadas.

-A fase de exploração até


conseguir a patência é a mais
demorada. É justamente nessa
fase onde ocorre mais probelmas
devendo ter um maior cuidado.

Legenda

Ex: 25/06 = a ponta é de 25 e a


conicidade é 0,6

Dentes Anteriores Dentes Poteriores


35/01 (branca) e 35/05 (amarelo) - 25/01 (branca)- Lima para patência. Lima muito flexível.
cabo verde Entretanto, se tiver alguma obstrução no canal talvez essa lima já
40/01 e 40/05 -cabo cinza não consiga resolver tendo que usar a 15/05. Apelido: Gisele
15/05 (amarela)- Lima para patência. O desenho é quadrangular
que permite forçar mais esse instrumento por ter mais massa
metálica, entretanto ele é flexível devido ao tipo de liga e
tratamento térmico, é mais rígida que a 25/01. Apelido: Joker (é
muito versátil, principalmente acoplada ao motor)
25/06 (preta)- instrumentos shape/ modelagem, é com ele que se
inicia e termina o preparo.

- essa lima foi feita para trabalhar com movimentos de rotação, ou seja, em sentido único, diferentemente
das convencionais que os movimentos eram oscilantes. Ao trabalhar com movimentos de ¼ de volta para
direita e esquerda com essa lima o seu poder de corte é reduzido.

Forma de Trabalho
- Da mesma forma que na técnica manual, sempre começará explorando o canal com uma lima número
10.
- Os termos como CAD, CTP, CTR... ainda serão usados, a única diferença é em relação a redução do
número de passos.
-Se fosse a técnica manual iria pegar a lima e trabalharia até o CTP utilizando várias limas + brocas gates.
A ideia utilizando a prdeign não é diferente, primeiramente será observada a radiografia para mensurar o
CAD e estipular CTP. A lima a ser utilizada é basicamnete a 25/06 a de shape trabalhando até chegar no
CTP, ao chegar deve radiografar para obter a odontometria I. E com uma lima fina (uma número 15 ou 20)
será obtido a LAI, bom, teoricamente nessa técnica não se tem LAI, LAF e nem batente apical porque a
modelagem conseguida com esse intrumento já me dá conicidade suficiente para travar o cone de guta
percha. Quando se fala em pegar uma lima fina, é a lima que encaixar para poder radiografar a lima
manual para estabelecer o CTR e ve ser realmente está a 1mm do forame apical.
- Não esquecer de realizar a patência a cada troca de lima
-Invés de se trabalhar com 3 lima acima parase ter a LAF, nessa técnica trabalha-se utilizando a 25/01
(Gisele) até a 15/05 (Joker), basicamente o terço cervical será trabalhado com essas duas limas não tendo
a criação de batente). Após conseguir que as duas limas cheguem no CTR, deve-se retrornar para a
primeira lima que é a 25/06 e assim fazendo todo o preparo até CTR cheganddo até o terço apical.
- Lembando que devemos seguir a anatomia do canal, é possível que essas limas fiquem frouxas(
principalmente em canais palatinos de molares superiores, canais distais de molares inferiores e alguns
pré- molares) precisando de uma lima mais calibrosa (limas 35/05 e 40/05 ou com limas manuais).
-O trabalho é gradativo para conseguir ter uma melhor descontaminação do canal. Sempre em qualquer
téncia o trabalho é progressivo.
- Tem que começar a trabalhar com borda de referencia, pois até então em dentes anteriores o ponto de
referencia era a borda incisal. Já em dentes posteriores pode escolher a cúspide (ex: cúspide vestibular)
para servir de referência do início ao fim.

Então basicamente é:
1) Entrar com o instrumento até encontrar resistência (até ela parar), nesse momento você irá girar
(lembarando que o movimento é rotatório para a direita) esses movimentos não precisam
aprofundar porque dessa forma o fromato obtido será semelhante a um parafuso ( mais chance de
fraturar a lima). Então o movimento feito é rodando para que a lima saia
2) Lembrar da patência+ irrigação+ aspiração
3) Para conseguir o CTP primeiro tem que se obetr o CAD através da radiográfica, mas nem sempre é
possível diferenciar as raízes na radiografia podendo nesse momento incial usar o mesmo CTP
para as duas raízes. Entretanto, quando já estiver com a lima dentro do canal é necessário
diferenciar as raízes utilizando o método de Clark. Porque pode ser que esse anais desemboquem
no mesmo forame ou sigam caminhos independentes terminando em forames isolados.
4) Lima 25/06 no CTP. Trabalhando no terço cervical e médio até ter resistencia fazendo movimentos
de roda retirando a lima (você para de rodar até a lima sair frouxa). Quando a lima chegar no CTP
será feito a 2º tomada radiográfica. Obtendo a odontometria I
5) Trabalhar com as limas de patência alternando as duas limas até chegar no terço apical.
6) É bom começar a trabalhar com gaze para limpar os remanescentes de raspas de dentina que
ficam presas na lima, pois essas sujidade diminuem o poder de corte do instrumeento. O tamborel
tem essa função já que ele é prenchido com gaze ou refil de tamborel embebido em hipoclorito
fazendo assim a desisnfecção da lima, esse processo pode ser feito manualmente também.
7) A LAI é alima manual utilizada para radiografar
8) Trabalhar com as duas limas de patencia até o CTR
9) A LAF é a 25/06 ou 25/06 + a lima que foi utlizada para complementar (limais manuias ou outra
prodesign) a instrumentação

- Cada empresa tem a sua forma de


tratamento Térmico

- Quando se tem alteração nas espiras do


instrumento, apresenta deformações é
sinal de que a lima irá quebrar

- demora mais a deformar do que uma


lima convencional
Vantagens

Resumo do Fabricante
Dentes Posteriores
Dentes Anteriores

Prováveis erros
-desvio apical: porque caso seja trabalhado em uma curvatura com uma lima inadequada, a chance de
confeccionar um falso canal, desviá-lo ou modificar a forma daquele canal é muito grande

Outros materiais
https://www.novaendovita.com/loja/uso-continuo/limas-manuais/lima-prodesign-m/

Você também pode gostar