Você está na página 1de 44

Polimerização em Massa

Processamento de Polímeros

Alunos: RA: Professor:


Amanda Helena Salgado da Silva 191322131 Paulo Henrique Fernandes Pereira
Lavinia Rosa Coura 191322261
Luana Marcondes de Oliveira Marcilio 171321294
Marcos Paulo Valdés de Freitas 161323553
1. Polimerização
2. Tipos de Polirreações
3. Técnicas de Polimerização
Sumário 4. Polimerização em Massa
5. Vantagens e Desvantagens
6. Exemplos e Aplicações
7. Referências
Polimerização
Reações químicas: Monômeros > Macromoléculas de polímeros

Polímero: Massa molar deve ser superior a 10.000 g/mol

Os polímeros comerciais possuem valores entre 700 e 800 de grau de polimerização.


Polimerização
Classificação: quantidade de meros

Homopolímero: formados por apenas um monômero


Copolímero: formados por dois monômeros (une propriedades)
Terpolímero: formados por três monômeros (une propriedades)

Homopolímero: Polietileno Copolímero: borracha sintética SBR


Etileno estireno e butadieno
Polimerização
Classificação: quantidade de meros

Terpolímero: Acrilonitrila butadieno estireno ( ABS )


Polimerização
Exemplos

Copolímero conhecido como PETG (Polietileno Tereftalato Glicol)

PET + Glicol

Boa estabilidade térmica


Retarda a cristalização

Maior grau de transparência


Polimerização
Exemplos

Copolímero conhecido como PETG (Polietileno Tereftalato Glicol)

PET + Glicol

Usado em máscaras Usado em


impressão 3D

Alta transmitância Facilidade de estrusão


Resistência química Estabilidade térmica
Alta durabilidade
Polimerização
Classificação

Tipo de reação química Cinética

Adição etênica Poliadição


Esterificação Policondensasão
Amidação
Acetilação
Polimerização

Variáveis que influenciam na polimerização

Parâmetros primários Parâmetros secundários:

pressão, temperatura de inibidores, catalisadores,


reação, tempo e presença de retardadores de reação,
iniciador de reação, agitação. controladores de massa molar,
reagentes específicos, etc.
Tipos de Polirreações
Classificação Carothers

Polimerização por adição Polimerização por condensação


Polímeros formados por reações de adição, Caracterizadas pela formação e eliminação
em que sucessivas unidades monoméricas de subprodutos, para cada ligação formada
são adicionadas à cadeia. na cadeia.(moléculas de baixa massa molar
como água e HCl).
DIFERENÇAS

Polimerização por adição Polimerização por condensação

Não há formação de subproduto durante a


Há a formação de subprodutos de baixa
reação;
MM;
O centro ativo é uma insaturação;
Os centros ativos são radicais funcionais;
Normalmente produz uma cadeia carbônica;
Normalmente produz uma cadeia
Apresenta um mecanismo de reação com
heterogênea;
Iniciação, Propagação e
Não apresenta mecanismo de reação;
Término;
Já no início da reação a formação de
Cadeias completas são formadas desde o
cadeias poliméricas de baixa;
início da reação, coexistindo
Massa molecular, com o consumo de todos
Polímeros e monômeros durante toda a
os materiais iniciais;
reação;
Não precisa de iniciador.
Há necessidade do uso de um iniciador.
Polimerização por Condensação

1) Quanto ao monômero: Monômeros bifuncionais


Polimerização por Condensação
2) Reação entre grupos funcionais; duas moléculas com grupos funcionais que reagem entre
si, formando um novo grupo funcional.

1 etapa: Reação reversível 2 etapa: Reação do dímero com o ácido


Polimerização por Condensação
2) Reação entre grupos funcionais; duas moléculas com grupos funcionais que reagem entre
si, formando um novo grupo funcional.

3 etapa: Reação do dímero com o etilenoglicol 4° etapa: Reação reversível


Polimerização por Condensação

Monômero + Monômero = Dímero Tetrámero + Monômero = Pentâmero

Dímero + Monômero = Trímero Trímero + Dímero = Pentâmero

Dímero + Dímero = Tetrámero Trímero + Trímero = Hexamero

Trímero + Monômero = Tetrámero Tetrámero + Monômero = Hexamero


Polimerização por adição
Polimerização por adição

1) Quanto ao monômero: Dupla ligação

O centro ativo é uma insaturação e não há formação de subprodutos


Polimerização por adição
2) mecânismo de reação envolve 3 etapas (INICIAÇÃO, PROPAGAÇÃO, TÉRMINO)

Iniciação: A iniciação de uma polimerização em Imediatamente, o radical ( I*) ataca a dupla ligação de
cadeia via radicais livres normalmente se dá um monômero (C=C), transferindo o centro ativo e
através do uso de iniciadores termicamente dando início a polimerização.
instavéis

A iniciação também pode ser dar somente pela ação


de calor (iniciação térmica) ou radiação (UV e vísivel)
para a geração do centro ativo monômero, através da
abertura da dupla ligação.
Polimerização por adição

3) Propagação 4) TERMINAÇÃO
A interrupção do crescimento da cadeia se dá
A transferência do centro ativo de monômero a através do desaparecimento do centro ativo, que
monômero, com o crescimento da cadeia a um pode ser de várias maneiras, dependendo do tipo de
velocidade altíssima e baixa energia de ativação. monômeros e das condições de polimerização Pode
ser dada por:

- Combinação de dois macro-radicais

- Desproporcionamento;

- Transferência de cadeia;

- Transferencia para o solvente


Polimerização por adição

Combinação de dois macro-radicais

Esse tipo de terminação gera cadeias com


massa molecular alta Sua ocorrência pode
ser dificultada ou impedida,se houve
impedimento estérico entre os grupos
lateriais (R).
Polimerização por adição

Desproporcionamento

há a transferência intermolecular de
hidrogênio do carbono-cauda de uma
ponta de cadeia para o carbono cabeça
localizado na ponta da outra cadeia
Polimerização por adição

Transferencia de cadeia

Durante o crescimento de uma


cadeia polimérica, esta pode abstrair
um próton (hidrogênio) de um ponto
qualquer de uma outra cadeia,
interrompendo o seu crescimento
Polimerização por adição

Transferencia para o solvente

Dependendo do tipo de outras moléculas presentes no meio reacional (solvente por


exemplo) pode haver a transferência de átomos para centro ativo

A porção da molécula de B* pode ser ativa e portanto continuar reagindo ou ser


inativa, mantendo-se estável sem reagir, nesse caso como um terminador de cadeia.
Polimerização por adição: Catiônica

Nesta polimerização, onde o centro ativo é um carbocátion , utiliza-se um catalisador do tipo ácido
de Lewis ( AlCl3, BF3, AlBr3) que são ácidos protônicos, ou seja, receptores de elétrons em
conjunto com um cocatalisador ( água).
Polimerização por adição: Catiônica

Formação do complexo catalisador (c/c): Cloreto de tercbutila e Cloreto de alumínio

Iniciação:
Polimerização por adição: Catiônica

Propagação: A carga positiva do carbocátion instabiliza a dupla ligação de um monômero próximo.


Novamente temos o uso do par de elétrons da dupla ligação, formando uma ligação simples e
transferindo a carga positiva para o próximo carbono-cabeça do monômero, assim dando o
crescimento da cadeia.
Polimerização por adição: Catiônica

Término: Transferência de monômero

Um próton ( átomo de hidrogênio) do carbono- cauda ligado ao carbono ativo é


transferido para o carbono-cauda de um monômero que naquele momento esteja próximo
o suficiente para tal transferência. Isto gera insaturação da cadeia
Polimerização por adição: Catiônica

Término: Rearranjo com o contra-íon:

Término: Através da terminação forçada

A adição de nucleófilos violentos interrompe instantaneamente a reação de polimerização, matandos


todos os centros ativos presentes. Para o caso do metanol a reação é:
Polimerização por adição: Aniônica

O centro ativo é um carbanion( C-), ou seja um átomo de carbono com dois elétrons. Nesse tipo
de polimerização seguem praticamente todos os passos anteriormente descritos, nesse caso o
íon tem um par de elétrons extra.
Polimerização por adição: Aniônica

Iniciação:
Polimerização por adição: Aniônica

Propagação:
Polimerização por adição: Aniônica

Término:

Somente com adição de um terminador interromperá a reação (Ex: Água).

Essa característica permite a obtenção dos “ polímeros vivos” que tem uma
estreita distribuição de massa molar.
Técnicas de Polimerização
Classificação: quanto ao arranjo físico

Dependendo de como se quer obter o polímero final, é determinado qual arranjo físico utilizar.

Polimerização em massa

Polimerização em solução

Polimerização em emulsão
Polimerização em Massa

Técnica mais simples e direta da


polimerização;

Não utiliza solvente;

Coloca-se apenas monômero,


iniciador, aditivo ou outros elementos;

Monômero
Processo homogêneo;
Iniciador
Polimerização em Massa

Etapas do Processo

Moldagem (para
Adição dos Terminação
sólidos) Reação
monômeros e Aguardar o molde
Líquidos Aumento da
demais MPs para resfriar ou adicionar
permanecem no viscosidade
homogeinização terminador
reator.
Polimerização em Massa

Experimento
Transformação do estireno em poliestireno
por polimerização em massa.

Monômero: estireno (15 mL).

Imerso no óleo com a temperatura entre


75 a 85 °C.

Iniciador: peróxido de benzoíla (0,5 g).


Polimerização em Massa

Por conta da alta viscosidade no meio reacional, ocorre uma dificuldade na movimentação
das moléculas dentro do reator.

É utilizado para a maioria dos polímeros de crescimento em etapas e muitos tipos de


polímeros de crescimento de cadeia.

Coloca-se apenas monômero,


iniciador, aditivo ou outros elementos;

Para evitar problemas, a polimerização em massa é geralmente conduzida em baixas


temperaturas e com baixas concentrações de iniciadores;
Vantagens e Desvantagens

Sistema homogêneo com alto grau de


pureza do polímero; Controle de temperatura;

Técnica econômica; Método mais periculoso;

Ausência de solventes orgânicos; Não é indicado para aplicações in vivo;

Baixa custo de moldagem. Impossível atingir 100% de conversão no


reator (máximo 45%).
Aplicações

Fabricação de Nylon 6;

PMMA (polimetilmetacrilato);

PVC (Policloreto de Vinila);

Resina PAN (poliacrilonitrila);

Kevlar (poliaramida);

PU (Poliuterano).
Exemplos

Síntese de PMMA (polimetilmetacrilato):

Iniciador:AIBN (azo-bis isobutironitrila)

metacrilato de metila polimetacrilato de metila


Exemplos

Síntese de resina PAN (poliacrilonitrila):


Iniciador: peróxido de benzoíla.

acrilonitrila poliacrilonitrila

1– Polimerização
2– Ciclização– 200-300°C (4– Reagente)
3– Desidrogenação(oxidação)– 2500°C
Exemplos

Síntese do PVC (Policloreto de Vinila):

Iniciador: peróxido

Cloreto de Vinila policloreto de vinila


Bibliografia
POLÍMEROS: Compostos Químicos. [S. l.], 2016. Disponível em: https://www.infoescola.com/quimica/polimeros/. Acesso em: 30 jan. 2022.
FATORES QUE INFLUENCIAM NA POLIMERIZAÇÃO EM SUSPENSÃO. Library, [20--]. Disponível em: https://1library.org/article/fatores-que-influenciam-
na-polimeriza%C3%A7%C3%A3o-em-suspens%C3%A3o.y9d0r0lq. Acesso em: 29 jan. 2022.
COPOLIMEROS: E suas classificações. [S. l.], 2020. Disponível em: https://afinkopolimeros.com.br/o-que-sao-copolimeros-e-suas-classificacoes/.
Acesso em: 28 jan. 2022.
BULK Polymerization. [S. l.], 2018. Disponível em: https://www.techglads.com/cse/sem1/bulk-polymerization/. Acesso em: 30 jan. 2022.
FERNANDES, FABIANO; LONA, LILIANE. INTRODUÇÃO À MODELAGEM DE SISTEMAS DE POLIMERIZAÇÃO. SÉRIE POLÍMEROS, [s. l.], 2004. Disponível
em: http://www.nadp.ufc.br/Material/Polm_Livro.pdf. Acesso em: 30 jan. 2022.
SÍNTESE E CARACTERIZAÇÃO DE OLIGÔMEROS TERMOSSENSÍVEIS COM GRUPOS TERMINAIS REATIVOS VIA POLIMERIZAÇÃO RADICALAR
CONTROLADA. 2012. DISSERTAÇÃO (MESTRE EM ENGENHARIA QUÍMICA.) - Escola de Engenharia da Universidade Federal de Minas Gerais, [S. l.],
2012. Disponível em: https://repositorio.ufmg.br/bitstream/1843/BUOS-8WCP3M/1/engqu_mica_anacarolinasdvasconcelosmachado_disserta__o.pdf.
Acesso em: 30 jan. 2022.
MATERIAIS Poliméricos. Usp, [s. l.], [20--]. Disponível em: http://www.pmt.usp.br/pmt5783/Aula%20de%20pol%C3%ADmeros%20-
%20introdu%C3%A7%C3%A3o%20(aula%201).pdf. Acesso em: 28 jan. 2022.
PRINCIPAIS caracteristicas dos materiais poliméricos. Larapedia, [20--]. Disponível em:
https://www.larapedia.com/engenharia_e_tecnologia_resumos/principais_caracteristicas_dos_materiais_polimericos_resumo.html. Acesso em: 30 jan.
2022.
TÉCNICAS de Polimerização. IFBA, [s. l.], [20--]. Disponível em:
http://www.ifba.edu.br/professores/iarasantos/QUI%20541_Qu%C3%ADmica%20de%20pol%C3%ADmeros/aulas/3-
T%C3%A9cnicas%20de%20Polimeriza%C3%A7%C3%A3o%20_%20julho%202014.pdf. Acesso em: 1 fev. 2022.
Obrigada pela Atenção!

Você também pode gostar