Você está na página 1de 7

MESA WILFLEY APLICADA À PRÉ-CONCENTRAÇÃO DO REJEITO DE

OURO ORIUNDO DE ÁREA DA GARIMPEIRA DE ARIPUANÃ/MT


1
Cláudio dos Reis Siqueira
2
Moacir Medeiros Veras

1 - Curso de Tecnologia em Mineração / IFAP


2 – Professor Dr da COTECMIN, Laboratório de Tratamento e Tecnologia Mineral /
IFAP
e-mail: crs45queira@gmail.com

RESUMO

No ano de 2018 chega ao município de Aripuanã/MT milhares de pessoas para fazer


exploração, ausente de planejamento, do ouro descoberto na Folha Aripuanã que está
inserida nos Crátons Brasilianos. O depósito já conhecido desde os anos 80 por suas
várias ocorrências de ouro mapeados nos córregos Vale do Ouro e Expedito com teores
para explotação garimpeira. A fundação da Cooperativa dos Garimpeiros possibilitou
algumas melhorias, mas os trabalhos se desdobraram com planejamento desordenado
onde cada cooperado faz sua própria lavra e seu próprio método beneficiamento. Os
processos rudimentares são desenvolvidos com desmonte, fragmentação manual, e
separação em calha com placa de cobre revestida com mercúrio (amalgada). Neste
método, uma quantidade de ouro fino não fica aderida a placa, constituindo um rejeito
denominado pelo garimpeiro de curimã, cujo material será repassado novamente na
calha inclinada com placa de cobre amalgada. Neste método, já com confrmada baixa
eficiência nas literaturas, sempre gera rejeito com teor de ouro fino. A proposta em tela
visa realizar coleta do rejeito na área da cooperativa, realizar caracterização tecnológica
e fazer pré-concentração em mesa concentradora de ouro modelo Wilfley como
alternativa à maximização do processo de beneficiamento em substituição a placa
amalgada, com vista a melhoraria no enriquecimento de ouro frente às técnicas
rudimentares. Os desdobramentos metodológicos foram articulados com amostragem de
rejeito pelo método aleatório em bacias de rejeito da Cooperativa dos garimpeiros de
Aripuanã. Seguindo o estudo com caracterização tecnológica entre os laboratórios da
UFRGS, LTTM do IFAP, os testes em mesa modelo Wifley foram executados no LTM
do IFRN. Os testes em laboratório comprovaram o teor médio de 2,6 ppm de ouro na
massa global coletada. Os resultados de análise de tamanho de partículas apontaram
uma maior quantidade de ouro livre na fração menor que 0,183 mm (32 mesh)
representando ~51% da massa passante acumulada. A amostra global apresentou massa
específica média de 5,516 g/cm³. Nos testes de calibração em mesa modelo Wilfley foi
analisada apenas as massas concentradas com teor médio de ~65 pmm, resultando em
uma razão enriquecimento de ~26 vezes em comparação ao teor da amostra global.
Neste entendimento foi possível notar que a mesa modelo Wilfley pode maximizar os
trabalhos de pequenos produtores associados à Cooperativa de Aripuanã a fim de
mitigar o uso de placas amalgadas. Como benefícios diretos, pode-se citar a redução no
uso de mercúrio que otimizará o projeto a mitigar um dos passivos ambientais
considerado o vilão em áreas garimpeiras, e em segundo ponto está na promoção de
massas enriquecidas com o elemento de interesse econômico para ser viabilizada em
outros estágios de limpeza com zero mercúrio.

Palavras Chaves: Rejeito. Ouro. Pré-concentração. Mesa Wilfley. Garimpo.


ABSTRACT

In 2018, thousands of people arrived in the municipality of Aripuanã/MT to explore,


without planning, the gold discovered in the Aripuanã Leaf, which is inserted in the
Brasilianos Cratons. The deposit has been known since the 1980s for its various
occurrences of gold mapped in the Vale do Ouro and Expedito streams with grades for
mining exploration. The foundation of the Cooperativa dos Garimpeiros enabled some
improvements, but the work unfolded with disorderly planning where each member
does his own mining and his own method of processing. The rudimentary processes are
developed with dismantling, manual fragmentation, and separation in trough with
copper plate coated with Mercury (amalgamated). In this method, a quantity of fine gold
is not adhered to the plate, constituting a tailings called by the garimpeiro, whose
material will be transferred again in the inclined trough with an amalgamated copper
plate. In this method, already with low efficiency confirmed in the literature, it always
generates tailings with fine gold content. The proposal on screen aims to collect the
tailings in the cooperative area, perform technological characterization and pre-
concentrate in a Wilfley model gold concentrating table as an alternative to maximizing
the processing process in replacement of the amalgamated plate, with a view to
improving the enrichment of gold against rudimentary techniques. The methodological
developments were articulated with tailings sampling by the random method in tailings
basins of the Cooperative of Garimpeiros of Aripuanã. Following the study with
technological characterization between the laboratories of UFRGS, LTTM of the IFAP,
the tests on a table model Wifley were performed in the LTM of the IFRN. Laboratory
tests confirmed the average content of 2.6 ppm of gold in the collected global mass. Os
resultados de análise de tamanho de partículas apontaram uma maior quantidade de ouro
livre na fração menor que 0,183 mm (32 mesh) representando ~51% da massa passante
acumulada. A amostra global apresentou massa específica média de 5,516 g/cm³. Nos
testes de calibração em mesa modelo Wilfley foi analisada apenas as massas
concentradas com teor médio de ~65 pmm, resultando em uma razão enriquecimento de
~26 vezes em comparação ao teor da amostra global. Neste entendimento foi possível
notar que a mesa modelo Wilfley pode maximizar os trabalhos de pequenos produtores
associados a Cooperativa de Aripuanã a fim de mitigar o uso de placas amalgadas.
Como benefícios diretos, pode-se citar a redução no uso de mercúrio que otimizará o
projeto a mitigar um dos passivos ambientais considerado o vilão em áreas garimpeiras,
e em segundo ponto está na promoção de massas enriquecidas com o elemento de
interesse econômico para ser viabilizada em outros estágios de limpeza com zero
mercúrio.

Palavras Chaves: Rejeito. Ouro. Pré-concentração. Mesa Wilfley. Garimpo.


1. INTRODUÇÃO

O beneficiamento de mineral acareta um grande volume de rejeitos,


ordinariamente depositado em barragens. As barragens podem apresentar custos
elevados, impactos ambientais e sociais com elevado de destruição como vem
ocorrendo no país. O receio com a concepção de resgardo do meio ambiente e a visão
econômica de reprocessar materiais de baixo teor, tem gerado um maior aproveitamento
desses rejeitos tanto na mineração quanto na siderugicas (Galvão, 2016). Nesse sentido
surge o aproveitamento de rejeitos, intentando reduzir devastações, o descarte no meio
ambiente e a dessipação de materiais utilizaveis. Segundo Machado (2018) a
transfomação destes rejeito em materiais aproveitaveis, com valor agregado, alem de
benificios ambientais geram vantagens economicas paras as industriais. Por apresentar
uma diversidade distinta dos outros minerais, o rejeito mineral com particulas de ouro
apresenta algumas peculiaridades que o distiguem de outros metodos de tratamento,
(Chaves 2002).

Entretanto, para que seja viavel o reprocessamento das pilhas de materiais de


baixo teor é necessário aumentar a concentração do material, para esse fim pode-se
utilizar técnicas de concentração de materiais minerais. Das técnicas de concentração, a
gravimétrica é comumente utilizada nessa etapa do processo. Essa técnica é assentada
na diferença de densidade existente entre os materiais presentes, valendo-se de um meio
fluido (água) para que ocorra a efetiva separação. O emprego adequado de processos de
concentração em plantas minerais poderá aumentar, virtualmente, o aproveitamento de
seus rejeitos. Em função disso é que a escolha do método de concentração a ser aplicado
nas pilhas de rejeito com partículas auríferas deve satisfazer condições técnicas e
econômicas ideais para a sua implantação (Reis, 2005). Desse modo, fica clara a
relevância do estudo sobre técnicas de concentração em leitos vibratórios para o
reprocessamento de rejeito mineral com presença de ouro.

Dessa forma, o objetivo deste trabalho e a implantação de uma mesa oscilatória


Wilflay bem como a determinação de parâmetros adequados para uma maior
concentração do material com partículas de ouro.

2. MATERIAIS E MÉTODOS
Para o desenvolvimento do estudo foi utilizado rejeito mineral da area da
Cooperativa de Mineradores e Garimpeiros da Região de Ariuanã – MT.
COOPEMIGA, Processo ANM 48068.8666390/2020 – 87, Perrmissão de Lavra
Garimpeira (PLG).

2.1 Preparação e Caracterização da Amostra


A determinação de uma dada propriedade de um fluxo só pode ser realizada em
uma pequena fração do mesmo, denominada amostra, que represente da melhor forma
possível, o fluxo amostrado (CETEM). Para este estudo, foi feito a coleta de dois tipos
de amostra: material primária denominado de Amostra (A1) cominuida no moinho do
laboratório do IFRN Britador de facas com tela de 2 mm, um total de 215 Kg e Amostra
(A2) caracterizada como rejeito cominuido em moinho de martelo e grelhas com
abertura 1,0 mm, com 234 kg. O procedimento de pesagem foi realizado com a Balança
KN WAAGEN, com pesagem máxima de 100 kg e mínima de 100g. As amostras foram
dispostas em pilhas longitudinais sobre uma lona, de seção triangular e o quarteamento
foi realizado dormando-se pilhas menores. As pilhas nemores contimuaram sendo
divididas ate se obter sub-amostras de 1,0 kg, sendo: Amosra (A1) Material primário e
Amostra (A2) rejeito as quais foram encaminhadas para o Separador Jones. Nesse
procedimento coletou-se 150g de (A1) e (A2) para em seguida proceder analise de ATP.
Para analise de ATP pegou-se as 150g e dissolveu-se em 1 litro de agua misturando por
2 minutos em seguida empregou-se as peneiras granulométricas de 9 mesh, 14 mesh, 28
mesh, 32 mech, 65 mech e 80 mech.

2.2. Concentração Gavimetrica

Para a etapa de concentração gravimétrica utilizou-se a separação de minérios


por leitos vibratórios onde as partículas arrastadas pela polpa escoam sobre uma
superfície que se movimenta por vibração assimétrica, permitindo combinar a
estratificação com o arrastamento das partículas.

Imagem 1 – Mesa Concentradora Wiflay

Imagem: Siqueira 2021

Foi utilizado cerca de 2 kg de cada amastra em cada ensaio. Neste estudo foram
avaliado três criterios principais de funcionamento da mesa, os quais fazem parte da
eficiência do processo de concentração: a) Granulometria; b) Amplitude; e c)
Inclinação. Para cada critério foi empregado no mínimo dois valores distintos. A Tabela
1 exibe as configurações empregadas na mesa em cada ensaio. Alguns critérios da mesa
foram fixados: fluxo de água 60 L/h; frequência de 300 RPM, taxa de alimentação de 1
kg/h. As amostras foram descarregada na mesa em forma polpa. Utilizando-see
bandejas de aço, coletou-se os produtos da mesa vibratória, denominada de
concentração (porção com maior concetração). Resalta-se que nestes ensaios de mesa
vibratória não se realizou ensaios em duplicata. Os resultados obtidos no processo de
concentração foram analisados percentualmente por recuperação mássica e metalúrgica
e pelo teror de concentrado.

Tabela 1 - Criterios utilizados nos testes de concentração em mesa Vibratoria Wilfly

Ensaios Granulometria (µm) Inclinação (º) Amplitude (mm)


1 <125 2 13
2 >125 2 13
3 <125 4 13
4 >125 4 13
5 <125 2 17
6 >125 2 17
7 <125 4 17
8 >125 4 17

2.3. Análise Química Semi-quantitativa (FRX)

Para avaliar quantitativamente os teores do produto da concentração do leito vibratório,


serviu-se da técnica de Analise Química Semi-quantitativa, equipamento FRX portátil
Thermo Scientific Niton XL3T. Foi empregado o FRX como ferramenta analistica de
forma a quantificar a composição das amostras alimentadas na mesa oscilatória bem
como as faixas de concentração do produto de cada ensaio. Cada amostra foi adequada a
analise, ou seja, sua granulometria foi reduzida a partículas inferior a 75 nicrons.

Tabela 2 - Análise Química Semi-quantitativa realizada pelo equipamento FRX portátil Thermo
Scientific Niton XL3T

Alimentação Au As Ag Cu S Cr Fe Co Ni Zn Se Rb
ppm ppm ppm ppm ppm ppm ppm ppm ppm ppm ppm ppm
<125 µm 60 450 30 610 2010 210 24,01 480 180 780 440 150
>125 µm 50 490 70 620 1860 250 25,66 440 190 760 400 160

3. RESULTADOS E DISCURSSÃO

A figura 2 exibe os resultados dos testes de concentração do rejeito na mesa vibratória,


contendo dados sobre a recuperação media em massa e a recuperação metarlurgica e o
teor dos minerais presentes. Para os ensaios observava-se que foram obtidos elevados
teores com altas taxas de recuperação em massa.
2500

2000
Recuperação metalurgica (%)

1500
<125 µm
>125 µm
1000

500

0
Au As Ag Cu S Cr Fe Co Ni Zn Se Rb
Figura 2 - Grafico de recuperação metalúrgica

Observa-se que a taxa maior de recuperação concentrou-se entre o elemento


Prata (Ag) e o Cromo (Cr) de variando entre <125 µm e >125 µm.

18
16
14
12
Amplitude

10
8 Inclinação (º)
6 Amplitude (mm)
4
2
0
1 2 3 4 5 6 7 8
Ensaios

Figura 3- Grafico de recupeção mássica entre amplitude e inclinação

As maiores taxas de recuperação de concentrado estiveram relacionadas com maior


amplitude da mesa vibratória alcançando significativa recuperação metalúrgica para os
ensios.
4. CONCLUSÕES

O processo de beneficiamento gravimétrico por mesa vibratória se mostrou


eficiente para concentração do rejeito da Cooperativa de Mineradores e Garimpeiros da
Região de Ariuanã – MT. Destaca-se que os critérios estudados foram significativos na
recuperação metalúrgica. Observou-se que as amplitudes em conjunto com
granulometria maior ou menor tem uma pequena variação.

Em termos gerais, os resultados dos testes de concentração em mesa


concentradora vibratória mostraram que e possível uma recuperação mássica dos
elementos minerais de forma a agregar substancial valor no concentrado.

5. AGRADECIMENTOS

O Autor agradece o Prof. Dr. Moacir e a Prof. Ms Lidia e aos demais parceiros que
contribuíram para que esse trabalho pudesse ser desenvolvido.

6. REFERÊNCIAS

ANM. 2020. Agência Nacional de Mineração. Anuário Mineral 2020. Ministério de


Minas e Energia. Brasil.

BRANCO, Pércio de Moraes. Dicionário de Mineralogia e Gemologia. São Paulo:


Oficina de Textos, 2008. 608 p. il.

PRODEAGRO. 2000. Projeto de Desenvolvimento Agroambiental do Estado de Mato


Grosso. Aspectos Geológicos da Folha Aripuanã – Mir 297 (Sc.21-Y-A) – Memória
Técnica. Governo do Estado de Mato Grosso.

GALVÃO, R. O. Aplicação de um planejamento fatorial na recuperação de liga


metálica (FeSiMn) de escória empregando-se mesa oscilatória do tipo wilfley.
Dissertação de mestrado, Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Recife, 2016.

REIS, E. L. Caracterização de resíduos provenientes da planta de beneficiamento do


minério de manganês sílico carbonatado da RDM-Unidade Morro da Mina. Dissertação
mestrado, Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2005.

Você também pode gostar