Você está na página 1de 33

Sumário

Introdução
Oração
1. Pai, perdoai-os porque eles não sabem o que fazem (Lc
23,34)
2. Em verdade eu te digo que hoje estarás comigo no Paraíso
(Lc 23,43)
3. Mulher, eis aí teu filho; eis aí a tua mãe (Jo 19,26-27)
4. Meu Deus, meu Deus, por que me abandonaste? (Mt 27,46)
5. Tenho sede (Jo 19,28)
6. Está consumado (Jo 19,30)
7. Pai, em tuas mãos entrego meu espírito (Lc 23,46)
Mensagem final
Regresso
Bibliografia
Introdução

Ouço uma voz que me diz: ‘O homem


necessita de alguém que lhe esclareça quem
ele é, que o instrua acerca de seus deveres,
que o dirija para a virtude, renove seu
coração, que o restabeleça em sua dignidade
e em seus direitos’.
Santo Antônio Maria Claret
Refletindo sobre tal verdade expressa por esse grande santo da
Igreja, apresentamos este livro como subsídio de orações para
ajudar as pessoas a combater os vícios que destroem o corpo, a
alma, as relações interpessoais, o vínculo com Deus e com o
mundo, os sonhos, as famílias. É um encontro com Deus a partir de
uma meditação sobre as palavras de Cristo na cruz.
Vício é uma palavra proveniente do latim vitium que significa
falha ou defeito; é um mau hábito que causa dependência física ou
emocional; é uma fuga da realidade; é um prazer seguido de dor. É
também, de maneira simples, uma autodestruição.
O número 7 é muito significativo na tradição bíblica. Na Sagrada
Escritura significa perfeição, totalidade, plenitude. Citamos vários
exemplos: os seis dias da criação foram seguidos pelo sétimo de
descanso; os sete anos de fartura e de carestia no Egito (Gn 41,2s);
os israelitas marcham sete dias em volta de Jericó (Js 6,1s); sete
são os dias de purificação ritual (Lv 12-15); os sete pães que são
multiplicados deixam sete cestos com sobras (Mt 15,34.37; Mc
8,5.8); sete demônios são expulsos de Maria Madalena (Lc 8,2); no
livro do Apocalipse também vemos o sete: igrejas, candelabros,
estrelas, espíritos, selos, trombetas, pragas. Sete vezes sete
exprime o perdão que deve ser concedido a alguém (misericórdia
infinita). Sete é o número das petições do Pai-Nosso (Mt 6,9-13).
Sete também foram as palavras de Cristo na cruz. E são estas
palavras que apoiam a busca por libertação dos vícios de muitas
pessoas dependentes e descrentes da vida: pessoas marcadas pela
dependência que destrói o amor e a capacidade de viver com
dignidade.
As 7 palavras que libertam trazem de volta o sentido da vida e
restauram com a força do Espírito Santo a imagem e semelhança de
Deus presente em cada ser humano. A oração é um poderoso e
valioso auxílio para transfigurar essa realidade de morte que o
mundo enfrenta.
O objetivo é que as pessoas intercedam a Deus por aqueles que
vivem esse drama social e estabeleçam, por meio da oração, uma
comunhão fraterna com todos os que necessitam. Rezar pelo
próximo é um compromisso. E a oração pode ser feita de diversas
maneiras, segundo as circunstâncias e as necessidades: diária,
semanal, mensal, pessoal, em família, em comunidade, nos grupos
de oração etc. A didática empregada é a de que sempre se invoque
a força do Espírito Santo para começar a rezar e depois, na
sequência, fazer uma meditação a cada dia seguida de uma oração
final. Em oposição aos vícios vêm, então, as virtudes. É o que deve
ser pedido em cada reflexão: a força das virtudes para salvar quem
está perdido.
Santo Antônio Maria Claret nos estimula a rezar sempre por
quem mais precisa. Façamos nossas estas palavras do santo:

Ó querido próximo,
eu te amo por mil razões:
porque Deus assim o quer,
porque Deus me manda que te ame,
porque Deus te ama, porque Deus te criou
à sua imagem e te destinou para o céu,
porque foste redimido pelo
sangue de Jesus Cristo.
Amo-te pelo muito que Jesus fez e sofreu
por ti. E, como prova de meu amor por ti,
suportarei todas as dificuldades e trabalhos,
até a morte, se for necessário.
Amo-te e, por este amor, te livrarei
dos pecados e das penas do inferno e,
por este amor, te instruirei e te mostrarei os
males que deves evitar e as virtudes
que deves praticar; enfim, te acompanharei
nos caminhos das boas obras
rumo ao céu.
Oração

O Espírito do Senhor está sobre mim.

Inicie este momento de oração traçando o sinal da cruz


Pelo sinal da Santa Cruz, + livrai-nos Deus, nosso Senhor, + dos
nossos inimigos +. Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.
Amém.

Invoque o Espírito Santo


Vem, Espírito Santo, vem iluminar, vem destruir as trevas, vem
devolver a alegria onde impera a dor.

Vem, Espírito Santo, vem transformar, vem revelar o amor de Deus


a quem o perdeu.
Vem, Espírito Santo, vem reconciliar, vem restaurar quem
abandonou a fé.
Vem, Espírito Santo, vem ressuscitar, vem renovar as vidas
interrompidas, as famílias derrotadas, as vítimas dos vícios.

Vem, Espírito Santo, vem restaurar, vem preparar a comunhão com


o Cristo, vem realizar o milagre da vida.

Vem, Espírito Santo, vem levantar, vem colocar de pé quem caiu da


cruz, quem não aguentou, quem não perseverou.
Vem, Espírito Santo, vem e não demores. Vem ao nosso encontro
para que a alegria do Pai seja completa e a nossa verdade seja o
amor. Vem, Espírito Santo. Amém.
Mencione os nomes das pessoas
que precisam se libertar dos vícios
(Pode ser em silêncio ou em voz alta.)
1
PAI, PERDOAI-OS PORQUE ELES NÃO SABEM O QUE
FAZEM (Lc 23,34)

Amai os vossos inimigos, fazei bem aos que


vos odeiam, orai pelos que vos maltratam e
perseguem.
Mt 5,44

Meditação
Nesta primeira palavra, somos convidados a rezar por aqueles
que nos perseguem, pelos que introduzem os mais variados vícios
no mundo. É um convite a sermos fortes e a buscarmos no amor a
chave para superar a violência contra o corpo e a alma. Suspenso
na cruz, Jesus pediu ao Pai que perdoasse seus malfeitores. Pediu
perdão pela incredulidade do mundo dominado por sistemas de
morte. Perdoou com amor os responsáveis por tanto sofrimento às
almas indefesas.
Hoje contemplamos a cruz de Cristo; deixamo-nos penetrar por
seu olhar amoroso e pedimos misericórdia pelos que nos seduzem
nos desviando da graça divina. Pelos que transformam o sofrimento
em lucro e destroem tantas vidas inocentes. São filhos sem
consciência, iludidos, feridos em sua dignidade, escravos da
idolatria, violentados pela mentira. São vítimas que geram vítimas,
são crucificados pela ilusão do mundo fácil. Pai, perdoai-os!
Movidos por compaixão, aprendemos a pedir perdão e tomamos
consciência de que rezar pelos que promovem o mal é o caminho
para a liberdade. Seja o amor ao próximo a vitória na luta contra os
males e as tentações.
Porque aquele que não ama seu irmão, a
quem vê, é incapaz de amar a Deus, a quem
não vê. Temos de Deus este mandamento: o
que amar a Deus ame também a seu irmão.
Jo 4,20-21

Prece
Rezemos neste momento por aqueles que nos perseguem e nos
afastam do caminho escolhido por Deus. Peçamos por todos os
responsáveis na promoção dos vícios. Socorrei, Senhor, os
pequeninos filhos vossos que padecem no sofrimento dos vícios.
Abraçai-os com vosso perdão e ternura infinita.

Virtude a pedir
O AMOR a Deus e ao próximo como a ti
mesmo.

Oração

Meu Senhor e meu Pai. Que eu te


conheça e te faça conhecer.
Que eu te ame e te faça amar.
Que eu te sirva e te faça servir.
Que eu te louve e te faça louvar por
todas as criaturas. Faze,
ó meu Pai, que todos os pecadores
se convertam. Que todos os
justos perseverem na graça
e que todos consigamos
a glória eterna. Amém.

(Santo Antônio Maria Claret)


Creio, Pai-Nosso, Ave-Maria, Glória ao Pai…

Meu Jesus, misericórdia!


Libertai o mundo dos vícios para
vossa honra e glória!
2
EM VERDADE EU TE DIGO QUE HOJE ESTARÁS COMIGO
NO PARAÍSO (Lc 23,43)

Ó bem-aventurado ladrão, que roubaste


o céu com essa confissão.
Santo Atanásio

Meditação
Com Jesus estavam dois ladrões crucificados, um de cada lado.
Um deles é o símbolo dos que zombam da vida, e o outro, dos que
acolhem a salvação. Por mais dolorosa que seja a vida com suas
dificuldades causadas pelos vícios sempre há salvação para os que
reconhecem Deus como Senhor. Jesus veio para “salvar o que
estava perdido” (Mt 18,11). Seus braços na cruz alcançam o
coração arrependido, resignado, consciente dos desvios de Deus.
O bom ladrão encontrou o paraíso ao seu lado. Jesus entrou em
sua casa e recebeu-o com amor. Na cruz acontecem as bodas do
cordeiro e o convidado ceia junto, pois ele foi revestido com a
melhor roupa, anel e sandália aos pés. O pródigo ladrão roubado na
sua essência por oportunistas encontrou o vinho novo da alegria.
Não sou digno de que entres em minha casa, mas dizei uma palavra
e serei salvo (Mt 8,8). A Palavra de Jesus sempre nos salva, nunca
condena, sempre acolhe e ama.

Coisas que os olhos não viram, nem os


ouvidos ouviram, nem o coração humano
imaginou (Is 64,4), tais são os bens que Deus
tem preparado para aqueles que o amam
(1Cor 2,9).

Prece
Rezemos pelos irmãos e irmãs que ainda não viram os novos
céus abertos e continuam se consumindo na prisão do medo e da
zombaria. Rezemos por aqueles que não temem a Deus e vivem na
desgraça, pelos que têm medo de renascer e abrir-se ao paraíso.
Ofertemos ao Senhor a realidade do mundo que promove a
superficialidade e o vazio para que eles sejam preenchidos com a
luz da fé e dos valores cristãos.

Virtude a pedir
A ALEGRIA que é o selo dos cristãos.

Oração
Ó meu Senhor, vós sois meu amor!
Vós sois minha honra, minha esperança,
meu refúgio! Vós sois minha vida,
minha glória, meu fim! Ó amor meu!
Ó bem-aventurança minha!
Ó conservador meu! Ó alegria minha!
Ó reformador meu! Meu mestre!
Meu Pai! Meu amor! Amém.

(Santo Antônio Maria Claret)

Creio, Pai-Nosso, Ave-Maria, Glória ao Pai…


Senhor, abandono-me em Ti,
confio em Ti, descanso em Ti!
3
MULHER, EIS AÍ TEU FILHO; EIS AÍ A TUA MÃE (Jo 19,26-
27)

No monte Calvário, estes dois grandes


mártires, Jesus e Maria, se calavam: a grande
dor que os oprimia tirava-lhes a faculdade de
falar.
São Bernardo
A dor, porém, de Maria não foi uma dor
estéril, como a das outras mães vendo os
sofrimentos de seus filhos; foi, pelo contrário,
uma dor frutuosa: pelos merecimentos dessa
dor e por sua caridade.
Santo Afonso de Ligório

Meditação
Os vícios desolam todos os que fazem parte do convívio social,
envolve o próximo no sofrimento e destrói terrivelmente os afetos.
Maria, aos pés da cruz, recebe a missão de cuidar do mais carente,
do afastado que encontrou nos vícios o apoio para seus problemas.
Nossa Mãe está sempre disposta a nos ouvir, a nos consolar, a nos
devolver o brilho dos olhos. Qualquer tipo de dependência
empobrece a convivência e exclui a pessoa. O sacrifício de Maria
aos pés do crucificado é o sacrifício de mães, pais, irmãos, famílias,
amigos que suportam a dor do outro e muitas vezes sentem-se
incapazes de ajudar. Quantos vivem este drama!
Mas há sempre uma esperança.
Assim como ela é mãe natural de Jesus
Cristo, tornou-se então mãe espiritual dos
fiéis membros de Jesus, cooperando com sua
caridade para nosso nascimento e para fazer-
nos filhos da Igreja.
Santo Agostinho
Ela é a mulher disponível em nos indicar novas direções para a
felicidade. Ela tira luz de onde as trevas reinam. Em Maria podemos
confiar, pois sua missão consiste em nos levar a Cristo seu Filho e
nosso Salvador. Os que buscam Maria nunca serão abandonados.
Ela sempre aproxima e nunca afasta.

Prece
Peçamos a Maria que interceda por todos os que estão tristes e
abatidos por causa dos vícios para que encontrem a fortaleza nas
palavras de Cristo: “Caminho, Verdade e Vida”.

Virtude a pedir
A ESPERANÇA contra todo desespero.

Oração
Ó virgem e mãe de Deus,
mãe e advogada dos pobres e infelizes
pecadores! Sou como uma flecha
colocada em vossa mão poderosa.
Lançai-me, minha mãe, com toda a força
de vosso braço contra o ímpio,
sacrílego e cruel príncipe deste mundo,
que tem estabelecido aliança com
a carne. Para vós, minha mãe,
seja a vitória. Vós vencereis.
Sim, vós que tendes poder para acabar
com todas as heresias, erros e vícios.
E eu, confiado em vossa poderosíssima
proteção, empreendo a batalha,
não só contra a carne e o sangue,
mas também contra os príncipes
das trevas. Vós sois rainha dos anjos.
Ordenai-lhes, minha mãe,
que venham em meu socorro.
Vós bem conheceis a minha fraqueza
e as forças de meus inimigos.
Vós sois rainha dos santos.
Pedi que eles roguem por mim
e dizei-lhes que a vitória e o triunfo
conseguidos serão para a maior glória
de Deus e salvação de seus irmãos.
Amém.

(Santo Antônio Maria Claret)

Creio, Pai-Nosso, Ave-Maria, Glória ao Pai…

Ó Maria concebida sem pecado,


rogai por nós que recorremos a vós!
4
MEU DEUS, MEU DEUS, POR QUE ME ABANDONASTE?
(Mt 27,46)

Carregou os nossos pecados em seu corpo


sobre o madeiro para que, mortos aos nossos
pecados, vivamos para a justiça. Por fim, por
suas chagas fomos curados.
1Pd 2,22-24

Meditação
A grande pergunta que muitos se fazem diante do sofrimento é
esta: “Meu Deus, por que me abandonastes? Por que esquecestes
de mim? O que fiz para merecer isto?”. São questões de quem
ainda não compreendeu a vida e as consequências das escolhas. O
livre arbítrio é um caminho de duas vias: uma vai e a outra volta.
Todas as escolhas que fazemos repercutem no caminho para o bem
ou para o mal. Deus nos deu a graça de viver uma vida santa e nos
favoreceu com sua bênção e seus dons. Temos diante dos olhos o
melhor e tudo o que contribui para a abundância da vida. Mas temos
também a opção de entrar no mundo dos vícios e fazer deles nossa
verdade.
Deus jamais nos abandona. Ele sempre caminha conosco, é
nosso amigo, confia que podemos voltar a Ele tomando uma
decisão madura. Se um dia muitos tiveram a infelicidade de escolher
o erro, devem também ter a coragem de dizer sim para a vida.

No sofrimento e na morte, sua humanidade


se tornou o instrumento livre e perfeito de seu
amor divino, que quer a salvação dos
homens.
Catecismo da Igreja Católica n. 609
Jesus não foi abandonado por Deus, mas se abandonou em
Deus.

Prece
Rezemos por todos os que encontraram nos vícios sua
destruição e peçamos que se abandonem no amor de Deus. Só em
Deus nossa alma tem repouso, só nele é que podemos viver com
dignidade.
Com efeito, de tal modo Deus amou o mundo,
que lhe deu seu Filho único, para que todo o
que nele crer não pereça, mas tenha a vida
eterna.
Jo 3,16

Virtude a pedir
A FORTALEZA para não desanimar.

Oração
Ó Senhor, eu sou teu servo, filho de
tua serva. Faça-se em mim segundo a tua
vontade. Senhor, que queres que eu faça?
Ensina-me a fazer tua vontade, pois tu és o
meu Deus. Concede, pois, ao teu servo um
coração dócil, capaz de fazer justiça ao teu
povo e discernir entre o bem e o mal.
Nós te rogamos, pois, que te lembres de
teus servos, aos quais remiste com teu
precioso Sangue. Salva teu povo, Senhor,
e bendize a tua herança. Governa-os e
exalta-os para sempre. Digna-te, Senhor,
guardar-nos neste dia sem pecado.
Tem misericórdia de nós, pois em ti
depositamos nossa esperança. Em ti,
Senhor, esperei, nunca serei decepcionado.
Amém.
(Santo Antônio Maria Claret)

Creio, Pai-Nosso, Ave-Maria, Glória ao Pai…

Ó Deus, vinde em meu auxílio; Senhor,


apressai-vos em socorrer-me.
5
TENHO SEDE (Jo 19,28)

Se conhecesses o dom de Deus e quem é


que te diz: ‘Dá-me de beber!’, certamente lhe
pedirias tu mesma e ele te daria uma água
viva. […] aquele que beber da água que eu
lhe der jamais terá sede. Mas a água que eu
lhe der virá a ser nele fonte de água, que
jorrará até a vida eterna.
Jo 4,10.14

Meditação
A porta de entrada para os vícios na vida de uma pessoa é o
vazio, a sede de algo. Essa sede é confundida com os prazeres
fáceis e com a satisfação imediata. O desespero empurra a pessoa
para o vício. No princípio traz bem-estar e segurança, mas, passado
o efeito, a pessoa sente-se sozinha, carente, deprimida e com mais
sede ainda. O ciclo recomeça e vai enfraquecendo o corpo e a
mente.
A sede de Jesus na cruz era algo mais profundo, era a sede de
almas salvas pela infinita misericórdia. Jesus tinha sede de amor, e,
com sua entrega, provou para o mundo que o reino de Deus é muito
maior do que a provisoriedade desta vida. Afirma para a samaritana
que Ele é a “água viva”, o único que faz jorrar uma fonte inesgotável
de vida eterna.
É a fome e a sede do ansioso desejo que
Jesus tinha de nossa salvação que o faziam
exclamar sobre o madeiro da cruz: ‘Tenho
sede!’. Como se dissesse: Tenho sede e
desejo de vossa salvação, mais do que vos
pode demonstrar o suplício corporal da sede.
Sim, porque a sede do corpo é limitada, mas
a sede do santo desejo não tem limites.
Santa Catarina de Sena
A sede que os vícios trazem é o fatalismo, a derrota.

Prece
Rezemos pelas vítimas da sociedade fútil e vazia que oferece
vinagre em vez de amor. Rezemos por aqueles que vendem os
vícios e pelos que os consomem para que todos se voltem a Cristo
e bebam com Ele do cálice da vida.

Virtude a pedir
A CONFIANÇA inabalável em Deus.

Oração
Ó Senhor, vós sois meu amor! Vós sois
minha honra, minha esperança e meu
refúgio. Vós sois minha glória e meu fim.
Ó meu amor! Bem-aventurança minha!
Protetor meu! Alegria minha! Restaurador
meu! Meu mestre! Meu Pai! Não procuro,
Senhor, nem quero saber outra coisa,
senão vossa santíssima vontade, a fim
de cumpri-la. Nada mais desejo senão
a vós e, unicamente por vós e para vós,
as demais coisas. Vós sois para mim
suficientíssimo. Eu vos amo, ó minha
fortaleza, meu refúgio e meu consolo.
Fazei que vos ame, como vós me amais e
como quereis que vos ame. Amém.

(Santo Antônio Maria Claret)

Creio, Pai-Nosso, Ave Maria, Glória ao Pai…

Senhor, seja feita a vossa santíssima vontade. Senhor, Tu sabes


tudo, Tu sabes que Te amo!
6
ESTÁ CONSUMADO (Jo 19,30)

Quem perseverar até ao fim será salvo.


Mt 10,22

Meditação
A sensação que se tem diante dos vícios é a de derrota total.
Parece que não há mais solução e não há saída. A grande maioria
das pessoas se entrega totalmente e morre. Porém, o desejo de sair
de uma realidade triste pode ser decisivo para restabelecer a fé e o
compromisso com a vida. Devemos consumar nossa busca em
Deus e jamais desistir. Quando o viciado estiver totalmente nos
braços de Deus e dependente do Senhor, então acontece a
ressurreição. Deus dá sempre novos meios para que se reconcilie
com Ele e com a própria vida. O segredo é a perseverança até o
fim. É um contínuo levantar-se das quedas e das tentativas, pois a
cada passo em direção de um novo horizonte restauram-se as
forças, e o mínimo esforço torna-se o máximo para quem vive a
descrença.

Nunca esqueçais que Jesus Cristo não é um


modelo morto e inerte; pelo contrário, sempre
vivo, produz sobrenaturalmente em quem
d’Ele se aproxima, nas devidas disposições, a
perfeição que contemplam na sua pessoa.
Beato Columba Marmion
Não olhemos para trás nesta caminhada, sigamos adiante com o
coração em Deus.
Prece
Rezemos por todos os irmãos e irmãs que conhecemos e que
neste momento precisam consumar sua decisão de sair dos vícios.
Peçamos ao Senhor que lhes dê coragem para perseverar no
desejo de salvar-se desse tormento. Peçamos pelas famílias para
que sempre estimulem os dependentes a confiar na graça de Deus
e também não voltem atrás com seu compromisso pela vida.

Virtude a pedir
A PERSEVERANÇA no caminho da
salvação.

Oração
Ó Deus meu! Como tendes sido bom
para comigo! Levei muito tempo até
conhecer as muitas e grandes graças que
me confiastes. Fui servo inútil, que não
fiz crescer o talento a mim confiado.
Porém, Senhor, dou-vos minha palavra
que trabalharei; tende um pouco de
paciência comigo; não me retireis o
talento; eu o farei render; dai-me vossa
graça e vosso divino amor. Amém.

(Santo Antônio Maria Claret)

Creio, Pai-Nosso, Ave-Maria, Glória ao Pai…


Bendito sejais, meu Deus, porque tudo dispusestes da melhor
maneira possível para vossa glória e salvação das almas!
7
PAI, EM TUAS MÃOS ENTREGO MEU ESPÍRITO (Lc 23,46)

A linguagem da cruz é loucura para os que se


perdem, mas, para os que foram salvos, para
nós, é uma força divina.
1Cor 1,18

Meditação
Os vícios são por excelência uma cruz! Pesada cruz! É uma cruz
que vai matando aos poucos, derrubando, ferindo. É uma cruz
coletiva, pois o viciado não a carrega sozinho. Muitas pessoas são
obrigadas a carregá-la junto. Esses também são crucificados na
preocupação, no desgaste, no sofrimento diário. Porém, a morte de
Jesus na cruz nos ensina a levantar os olhos para o céu e entregar
nossa vida nas mãos de Deus. Quando já não há mais esperança
neste mundo, somos chamados a Deus. Nosso espírito pertence a
Ele e somente o Espírito Santo é quem nos dará neste momento o
frescor da vida. Entregar-se é reconhecer nosso limite humano e
deixar o Senhor nos restaurar. A vida é um dom, pertence a Ele.
Davi punha toda a sua esperança no futuro
Redentor, dizendo: ‘Em vossas mãos, Senhor,
entrego o meu espírito; pois vós me remistes,
Senhor Deus da verdade’ (Sl 39[40],6).
Quanto mais nós devemos confiar em Jesus
Cristo, que já realizou a nossa redenção?
Digamos-lhe, pois, com grande confiança:
Vós me remistes, Senhor, por isso em vossas
mãos encomendo o meu espírito.
Santo Afonso de Ligório

Prece
Rezemos por todos os irmãos e irmãs que se entregam nos
vícios. Peçamos ao Senhor que venha em auxílio de suas fraquezas
para que sejam confortados pela fé. Peçamos que restabeleçam sua
confiança e se deixem curar pelo Espírito do amor. Peçamos por
todas as famílias para que encontrem na cruz do Senhor a resposta
para a Ressurreição.

Virtude a pedir
A HUMILDADE para acolher a vontade
de Deus.

Oração
Ó meu Deus! Como fostes bom
e admirável para comigo! De que meios
tão estranhos vos valestes para me
arrancar do mundo! Que bebida amarga
usastes para livrar-me da Babilônia!
Assim como Davi, devo exclamar:
Vossa misericórdia foi grande para
comigo, arrancastes minha alma das
profundezas da região dos mortos.
Amém.

(Santo Antonio Maria Claret)

Creio, Pai-Nosso, Ave Maria, Glória ao Pai…


Salve, ó Cruz, única esperança! Vitória,
Tu reinarás, ó cruz tu nos salvarás!
Mensagem final

A oração feita com amor e perseverança sempre faz o grão


germinar. Nunca é em vão elevar a Deus uma oração pelos mais
necessitados. Nossa missão consiste em salvar e dar a nossa vida
como Cristo pela santificação dos que amamos e também dos que
não conhecemos. Cristo precisa de nós para que a ovelha perdida
retorne ao coração do pastor e a celebração da vida se complete.
Ao finalizar este momento de encontro com o Senhor, louvamos
e agradecemos por Ele nos ouvir e esperamos sempre pelo
regresso dos que estão longe. Esperamos e confiamos!
Regresso

Regressei de tão distante,


de um mundo desconhecido,
onde a luz do sol
já não mais brilhava
e as noites eram espessas
de solidão e abandono.
Regressei dos horrores da guerra,
da tristeza e do vazio
onde as pessoas queimadas
pelo fogo da vaidade
morreram sem saber por quê.
Regressei das fantasias
para pisar no chão duro do dia a dia
e continuar a jornada que abandonei.
Regressei da fé nos outros deuses
e descobri que um só me dá alegria.
Regressei do medo e da angústia
para recomeçar a sonhar novamente
comigo, aqui e agora.
Bibliografia

BÍBLIA. Português. Bíblia Sagrada Ave-Maria. Tradução do Centro


Bíblico Católico. São Paulo: Editora Ave-Maria, 2013.
CATECISMO DA IGREJA CATÓLICA (CIC). Disponível em:
<http://www.vatican.va/archive/cathechism_po/index_new/prima
-pagina-cic_po.html>.
CLARET, Antônio Maria. Autobiografia. São Paulo: Editora Ave-
Maria, 2008.
LIGÓRIO, Afonso M. de. A Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo.
Edição PDF de Fl. Castro, abril 2002. 2v.
MARMION, Columba. Jesus Cristo nos seus mistérios: conferências
espirituais. Porto: Edições Ora & Labora, 1958.
© 2014 by Editora Ave-Maria. All rights reserved.
Rua Martim Francisco, 636 – 01226-000 – São Paulo, SP – Brasil
Tel.: (11) 3823-1060 • Fax: (11) 3660-7959
Televendas: 0800 7730 456
editorial@avemaria.com.br • comercial@avemaria.com.br
www.avemaria.com.br
Capa: Agência GBA
1. ed. - 2014

ISBN 978-85-276-1524-2

Diretor Geral: Marcos Antônio Mendes, CMF


Diretor Editorial: Luís Erlin Gomes Gordo, CMF
Gerente Editorial: Valdeci Toledo
Editora Assistente: Carol Rodrigues
Preparação e Revisão: Lucrécia Freitas
Diagramação: Carlos Eduardo P. de Sousa
Impressão e Acabamento: Gráfica Ave-Maria

Edição digital: agosto 2014

Arquivo ePub produzido pela Simplíssimo Livros

Você também pode gostar