Você está na página 1de 2

ANO LETIVO 2019-

DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS – PORTUGUÊS/ 12º ANO 2020


SABER MAIS O ESSENCIAL PARA O EXAME
ÁLVARO DE CAMPOS
 Para Campos (o mais moderno dos heterónimos de Fernando Pessoa) sentir é tudo e o seu desejo é
"sentir tudo de todas as maneiras". O sensacionismo torna a sensação a realidade da vida e a base da
arte. O EU do poeta tenta integrar e unificar tudo o que tem ou teve existência ou possibilidade de
existir.

 Álvaro de Campos é quem melhor procura a totalização das sensações, mas sobretudo das perceções
conforme as sente, ou como ele próprio afirma "sentir tudo de todas as maneiras".

 O Sensacionismo de Campos Começa Com a premissa de que a única realidade é a sensação. Mas a
nova tecnologia na fábrica e nas ruas da metrópole moderna provoca-lhe a vontade de ultrapassar os
limites das próprias sensações, numa vertigem insaciável.

 Ao tentar a totalização de todas as possibilidades sensoriais e afetivas da humanidade, em todo o


espaço, tempo ou circunstâncias, num mesmo processo psíquico individual, o sensacionismo faz o
mesmo que o Unanimismo francês (movimento poético, do início do século XX que, em reação contra o
individualismo e as estéticas do descontínuo, procura criar laços entre os grupos humanos,
interpretando a sua alma e a sua vida, acreditando na possibilidade de uma alma “unânime", na
solidariedade e na importância da coletividade para fazer face às situações reais e ameaçadoras da vida
moderna).

 A obra de Álvaro de Campos passa por três fases:

— a decadentista — que exprime o tédio, o cansaço e a necessidade de novas sensações (Opiário); o


Decadentismo surge como uma atitude estética finissecular que exprime o tédio, o enfado, a náusea, o
cansaço, o abatimento e a necessidade de novas sensações. Traduz a falta de um sentido para a vida e a
necessidade de fuga à monotonia. Com rebuscamento, preciosismo, símbolos e imagens apresenta-se
marcado pelo romantismo e pelo simbolismo.

— a futurista e sensacionista — nesta fase, Álvaro de Campos celebra o triunfo da máquina, da energia
mecânica e da civilização moderna. Apresenta a beleza dos "maquinismos em fúria" e da força da
máquina por oposição à beleza tradicionalmente concebida. Exalta o progresso técnico, essa "nova
revelação metálica e dinâmica de Deus". A Ode Triunfal ou a Ode Marítima são bem o exemplo desta
intensidade e totalização das sensações.

— a intimista — que, perante a incapacidade das realizações, traz de volta o abatimento, que provoca
"Um supremíssimo cansaço. / íssimo, íssimo, íssimo, / Cansaço...". Nesta fase, Campos sente-se vazio,
um marginal, um incompreendido. Sofre fechado em si mesmo, angustiado e cansado. (Esta velha
angústia; Apontamento; Lisbon revisited).

 O drama de Álvaro de Campos concretiza-se num apelo dilacerante entre o amor do mundo e da humanidade; é
uma espécie de frustração total feita de incapacidade de unificar em si pensamento e sentimento, mundo exterior
e mundo interior. Revela, como Pessoa, a mesma inadaptação à existência e a mesma demissão da personalidade
íntegra.
ANO LETIVO 2019-
DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS – PORTUGUÊS/ 12º ANO 2020
SABER MAIS O ESSENCIAL PARA O EXAME
Campos busca, na linguagem poética, exprimir a energia ou a força que se manifesta na vida. Daí o
surgimento de versos livres e muito longos, vigorosos, submetidos à expressão da sensibilidade, dos
impulsos, das emoções (através de frases exclamativas, de apóstrofes, onomatopeias e oximoros.

Você também pode gostar