Você está na página 1de 2

ANO LETIVO 2017 -

DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS - PORTUGUÊS/ SECUNDÁRIO 2018

COORDENAÇÃO/ SUBORDINAÇÃO
 Orações coordenadas
Frase complexa por coordenação
vírgula Ex. A Ana estuda Direito, o Rui

assindética já trabalha.

E, nem…nem; não só ….mas

Copulativa também; não só …como também) Ex. A Ana estuda Direito e o Rui
(adição) já trabalha.
Disjuntiva Ou, ou…ou, quer…quer, ora…ora, EX. Ou fico por Lisboa ou vou
Oração
(alternativa) seja...seja) para o Algarve.
coordenada
Adversativa Mas (porém, todavia, contudo, no Ex. Corri, mas perdi o
(contraste, oposição) entanto) autocarro.
Conclusiva Logo (portanto, por isso, por EX. Acordei cedo, logo tenho
(conclusão) conseguinte) sono.
sindética
Explicativa Pois, porquanto Ex. Tenho sono, pois acordei
(explicação) cedo.

Adverbiais
 Orações Subordinadas Substantivas
Adjetivas
Causais Porque, visto que, já que, dado que, como
(causa)
Ex. Como estou com sede, vou beber. Vou beber, porque estou com sede.
Quando, mal, assim que, apenas, logo que, sempre que, desde que, antes que,
Temporais depois que, …
Orações (tempo)
Ex. Assim que acabou o seu trabalho, foi para casa.
subordinadas
Finais Para que, a fim de que, para, a fim de, …
adverbiais
(fim)
(equivalente a Ex. Cumpre com as tuas tarefas para que não sejas castigado.
um grupo
adverbial)
Condicionais Se, caso, a não ser que, a menos que, salvo, se, exceto se, desde que, contanto que,
(condição) ….
Ex. Se ele estivesse atento, não teria feito asneiras.
Comparativas Como, assim como, tão … como, mais/menos …. Do que, ….
(comparação) Ex. Ele canta tão bem como toca viola.
Concessivas Apesar de, embora, conquanto, ainda que, se bem que, ….
(concessão) Ex. Embora seja pobre, viaja muito.
Consecutivas Tão ….que, tanto …que, de tal modo …que, ….
(consequência) Ex. Ontem, choveu tanto que a rua ficou inundada.

Professora: Sílvia Brandã o Pá gina 1


Orações
subordinadas Explicativas Ex. Os alunos, que obtiveram melhores resultados, foram premiados.
adjetivas
relativas
(equivalente a
um grupo Restritivas Ex. Os jogadores que terminaram os treinos dirigem-se para os balneários.
adjetival)

Orações subordinadas adjectivas relativas desempenham funções sintáticas próprias de um adjetivo.


restritivos
Modificadores
apositivos
são introduzidas por palavras relativas (determinantes, pronomes, advérbios) associadas a um antecedente.

 A oração subordinada substantiva completiva pode desempenhar as


funções sintáticas de:
1. SUJEITO: Ex. Espanta-me que ele não tenha vindo. / É provável que o João
chegue amanhã.
2. COMPLEMENTO DIRETO: Ex. Diz-se que o Pedro atravessa grandes
dificuldades financeiras. / A Teresa perguntou se conhecias esse artista.
3. COMPLEMENTO DO NOME: Ex. Lamento o facto de que tenhas sido excluído
Orações Completivas do concurso. / Levantou-se a hipótese de que o réu fosse inocente.
subordinadas 4. COMPLEMENTO DE UM ADJETIVO: Ex. Ele foi o professor responsável por
que o projeto tivesse sucesso.
substantivas
(equivalente a
um grupo
nominal)
 A oração subordinada substantiva relativa (sem antecedente) é introduzida
por advérbios relativos (onde), pelo pronome relativo quem e pelo
quantificador quanto, usados sem antecedente. Pode desempenhar as
Relativas funções sintáticas de :
1. SUJEITO: Ex. Quem tudo quer tudo perde. / Quem desdenha quer comprar.
(sem 2. COMPLEMENTO DIRETO: Ex. Conheço quem saiba consertar sapatos. / Só
antecedente) pagas quanto gastares.
3. COPMPLEMENTO INDIRETO: Ex. Deu autógrafos a quem lhos pediu.
4. COMPLEMENTO OBLÍQUO: Ex. O doente precisa de quem o acompanhe ao
hospital.
5. PREDICATIVO DO SUJEITO: Ex. Ele não parece quem me descreveste. / Ele
não é quem se pinta.
6. MODIFICADOR DO GRUPO VERBAL: Ex. Estendi a toalha onde havia lugar.

Professora: Sílvia Brandã o Pá gina 2

Você também pode gostar