Você está na página 1de 12

Física e Química A – 11º ano

UNIDADE 2 DE QUÍMICA

EQUILÍBRIO ÁCIDO-BASE
Mais de 97% da água é salgada, encontrando-se nos mares e oceanos. A restante é
doce, encontrando-se a maior parte nos glaciares, calotes polares e cadeias de
montanhas geladas.

Águas doces: água da chuva


Águas naturais
Águas salgadas: água do mar

A composição química das águas naturais depende de muitos fatores como o a


qualidade e a quantidade de sais minerais e gases dissolvidos.

Escala Sorensen e pH

• É um dos parâmetros mais importantes para caracterizar as águas, fornecendo


indicação sobre o grau de acidez, alcalinidade ou neutralidade das soluções aquosas.
• Foi proposta por Sorensen e está relacionada com a concentração de iões oxónio
(H3O+):

pH = - log [H3O+]

Cristina Vieira da Silva 2


• Para T = 25ºC
neutro
ácido básico caráter químico

0 7 14 pH

Ácidos e bases: evolução histórica dos conceitos

Ácidos: sabor azedo, provocam mudança de cor de alguns


corantes vegetais.
• Até ao século XIX:
Bases: sabor amargo, untuosas ao tato, provocam mudança
de cor de alguns corantes vegetais.

• Em 1887, Arrhenius propõe nova teoria:


Ácido: substância que contém hidrogénio e que, em solução aquosa, origina o
ião H+;
Base: substância com oxigénio e hidrogénio e que, em solução aquosa, origina
o ião OH-.
Falha: não explica o caráter básico de soluções aquosas de amoníaco (NH3) ou
carbonato de cálcio (CaCO3) e o caráter ácido do cloreto de amónio (NH4Cl)

Cristina Vieira da Silva 3


• Em 1923, Bronsted e Lowry introduzem conceito mais geral:
Ácido: espécie (molécula ou ião) com tendência a ceder protões (H+)
Base: espécie (molécula ou ião) com tendência a receber protões (H+)

Água destilada e água pura

• A água quimicamente pura tem baixa condutividade elétrica, o que significa que
estão presentes iões. Isto deve-se a uma reação chamada de autoionização da água:
2𝐻2 𝑂 𝑙 ⇌ 𝐻3 𝑂+ 𝑎𝑞 + 𝑂𝐻−(𝑎𝑞)
que é muito pouco extensa no sentido direto, sendo a constante de equilíbrio
chamada de produto iónico da água:

kW = [H3O+]e  [OH-]e

que, a 25ºC, tem o valor de 1,010-14

Caráter químico Ácido: [H3O+] > [OH-]


das soluções aquosas Neutro: [H3O+] = [OH-]
Básico: [H3O+] < [OH-]

Cristina Vieira da Silva 4


Água gaseificada e água da chuva

• Estas águas têm, a 25ºC, um pH diferente de 7.


• Isto deve-se à dissolução do dióxido de carbono, CO2, presente na atmosfera,
através das seguintes etapas:

𝐶𝑂2 𝑔 ⇌ 𝐶𝑂2 𝑎𝑞
𝐶𝑂2 𝑎𝑞 + 𝐻2 𝑂(𝑙) ⇌ 𝐻2 𝐶𝑂3 𝑎𝑞

𝐻2 𝐶𝑂3 𝑎𝑞 + 𝐻2 𝑂 𝑙 ⇌ 𝐻𝐶𝑂3− 𝑎𝑞 + 𝐻3 𝑂+(𝑎𝑞)

• A reação global será

Caráter químico
ácido
𝐶𝑂2 𝑎𝑞 + 2𝐻2 𝑂 𝑙 ⇌ 𝐻𝐶𝑂3− 𝑎𝑞 + 𝐻3 𝑂 +(𝑎𝑞)

Cristina Vieira da Silva 5


Ácidos e bases em água
• Os ácidos são compostos moleculares. Quando se dissolvem em água ionizam-se:

HCl(aq) + H2O(l) → H3O+(aq) + Cl-(aq)

• As bases podem ser compostos iónicos ou moleculares. As bases moleculares, tal


como nos ácidos, quando se dissolvem em água ionizam-se:

𝑁𝐻3 𝑔 + 𝐻2 𝑂 𝑙 ⇌ 𝑁𝐻4+ 𝑎𝑞 + 𝑂𝐻−(𝑎𝑞)

• Nas bases iónicas, quando entram em contato com a água, dá-se a separação dos
iões que a formam, ocorrendo uma dissociação. As ligações que existem entre os
iões do sólido são quebradas e os iões são solvatados (hidratados) pelas moléculas
de água:

𝐻2 𝑂
𝑁𝑎𝑂𝐻 𝑠 𝑁𝑎 + 𝑎𝑞 + 𝑂𝐻 − (𝑎𝑞)

Cristina Vieira da Silva 6


Reações ácido-
ácido-base. Pares conjugados ácido-
ácido-base
• Uma reação ácido-base ou reação de neutralização é uma reação em que há
transferência de protões (H+) de um ácido para uma base:

H+

Reação 1 HCl(aq) + H2O(l) → H3O+(aq) + Cl-(aq)


ácido base ácido base
H+
Reação 2 𝑁𝐻3 𝑔 + 𝐻2 𝑂 𝑙 ⇌ 𝑁𝐻4+ 𝑎𝑞 + 𝑂𝐻−(𝑎𝑞)
base ácido ácido base

• Par ácido base-conjugado: espécies químicas que diferem num protão (H+).
Escreve-se em primeiro lugar a espécie ácida.
Reação 1: HCl/Cl- e H3O+/H2O
Reação 2: H2O/OH- e NH4+/NH3

• Reparar que na reação 1 a água atuou como uma base (recebeu um protão) e na
reação 2 atuou como um ácido (cedeu um protão): é uma espécie anfotérica.

Cristina Vieira da Silva 7


Constante de acidez e basicidade
• Para as reações reversíveis de ácidos e bases aplica-se a lei do equilíbrio químico,
em que a água não entra na expressão da constante de equilíbrio por se considerar
que se trata de soluções diluídas:
CH3COOH(aq) + H2O(l) ⇄ CH3COO-(aq)+H3O+(aq)

𝐶𝐻3 𝐶𝑂𝑂− 𝑒 × 𝐻3 𝑂+ 𝑒
𝐾𝑎 =
𝐶𝐻3 𝐶𝑂𝑂𝐻 𝑒
em que Ka é chamada constante de acidez.

•Para o amoníaco (uma base):

𝑁𝐻3 𝑔 + 𝐻2 𝑂 𝑙 ⇌ 𝑁𝐻4+ 𝑎𝑞 + 𝑂𝐻 −(𝑎𝑞)

𝑁𝐻4+ 𝑒× 𝑂𝐻− 𝑒
𝐾𝑏 =
𝑁𝐻3 𝑒

em que Kb é a constante de basicidade.

Cristina Vieira da Silva 8


• Ka ou Kb é muito elevado: a reação é muito extensa no sentido
direto e os ácidos ou bases são classificados de fortes (na equação
química substitui-se ⇄ por →).
HCl(aq) + H2O(l) → Cl-(aq) + H3O+(aq)

• Ka ou Kb é pequeno: as espécies encontram-se parcialmente


ionizadas. A força de um ácido ou de uma base pode ser medida
pelo valor de Ka ou Kb – quanto maior for o valor de Ka (por
exemplo), maior a extensão da reação direta, logo maior é a
Quando concentração dos iões H3O+ em solução, logo mais forte é o ácido.
Por exemplo, para 25ºC:

Ka(HF) = 7,110-4 HF é um ácido mais forte do que


Ka (CH3COOH) = 1,810-5 CH3COOH

O mesmo raciocínio se aplica às bases: maior Kb implica uma


reação mais extensa, maior a concentração de OH- logo mais forte
é a base.

• Para um par conjugado ácido-base: K a  Kb = Kw

Cristina Vieira da Silva 9


Efeito da temperatura na autoionização da água
• A reação de autoionização da água é endoenergética.

2𝐻2 𝑂 𝑙 ⇌ 𝐻3 𝑂+ 𝑎𝑞 + 𝑂𝐻− 𝑎𝑞 ∆𝐻 = +55,81 𝑘𝐽 𝑚𝑜𝑙−1

• De acordo com a Lei de Le Chatelier, um aumento de temperatura favorece as


reações endoenergéticas, isto é, favorece a reação direta, aumentando a
concentração de iões H3O+ e OH-, o que significa que diminui o pH da solução. No
entanto, reparar que para a água pura, a concentração dos iões H3O+ e OH-
continua a ser igual.

Reações de neutralização
• São reações entre ácidos e bases, formando-se um sal e água.

HCl(aq) + NaOH(aq) → NaCl(aq) + H2O(l)


ácido base sal

Cristina Vieira da Silva 10


Volumetria de ácido-
ácido-base

• Esta é uma técnica, também conhecida como titulação, que se utiliza para o
estudo quantitativo das reações de neutralização ácido-base. A montagem utilizada:
Titulante (colocado na bureta)
• a sua concentração é conhecida;
Bureta • mede-se o seu volume no final
da titulação (no ponto final)

Garra

Torneira: regula a adição de


Torneira
titulante até se atingir o ponto
final
Suporte universal

Titulado (colocado no
Erlenmeyer
Erlenmeyer)
• a sua concentração não é
Erlenmeyer conhecida e é calculada no final
da titulação;
• o seu volume é conhecido;
• adiciona-se-lhe indicador.

Cristina Vieira da Silva 11


• Adiciona-se gradualmente titulante até que a reação química entre o ácido e a base
seja completa, isto é, até reagirem numa proporção estequiométrica. Quando isto
acontece, atinge-se o ponto de equivalência, não havendo excesso nem de ácido
nem de base na solução.
• Na prática, o que se deteta experimentalmente é o ponto final: quando há uma
variação brusca de uma propriedade física ou química da mistura: por exemplo,
uma variação brusca da cor de uma substância adicionada inicialmente ao titulado,
geralmente um indicador.
• Indicadores ácido-base: são ácidos ou bases orgânicos fracos, em que as formas
ácidas e básicas dos pares conjugados têm cores diferentes.
HIn(aq) + H2O(l) ⇄ H3O+(aq) + In-(aq)

Responsável pela Responsável pela


cor em meio ácido cor em meio básico

• A mudança de cor do indicador não se dá para um valor específico de pH mas para


um intervalo de valores de pH a que se chama de zona de viragem, que é
característica de cada indicador.
• A solução resultante nem sempre é neutra, porque depende da força relativa do
ácido e da base que estão a reagir. O indicador deve ser escolhido de forma a que a
zona de viragem do indicador deve incluir a zona de variação brusca de pH que
ocorre durante a titulação
Cristina Vieira da Silva 12

Você também pode gostar