Você está na página 1de 12

DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL

04.DIREITO ADMINISTRATIVO

SUMÁRIO
CAPÍTULO I – CONCEITO E FONTES DO DIREITO ADMINISTRATIVO...........................................................2
1. EVOLUÇÃO CONCEITUAL...............................................................................................................................2
2. CONCEITO DE DIREITO ADMINISTRATIVO...................................................................................................3
3. FONTES DO DIREITO ADMINISTRATIVO.......................................................................................................5
4. REGIME JURÍDICO ADMINISTRATIVO: Princípios do Direito Administrativo.................................................6
5. PRINCÍPIOS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA EXPLÍCITOS NA CONSTITUIÇÃO.......................................7
6. OUTROS PRINCÍPIOS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA..............................................................................12

Página 1 de 12
DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL
04.DIREITO ADMINISTRATIVO

CAPÍTULO I – CONCEITO E FONTES DO DIREITO ADMINISTRATIVO


1. EVOLUÇÃO CONCEITUAL:
(Q897352 – FUNDATEC - 2018 - PC-RS - Delegado de Polícia - Bloco II) Acerca da formação histórica do Direito Administrativo,
analise as seguintes assertivas:
I. O Direito Administrativo tem origem na Idade Média, período histórico em que a vontade do monarca passa a se subordinar à lei.
II. O direito francês se notabiliza como a principal influência na formação do Direito Administrativo brasileiro, de onde importamos
institutos importantes como o conceito de serviço público, a teoria dos atos administrativos, da responsabilidade civil do estado e da
submissão da Administração Pública ao princípio da legalidade.
III. Devido à organização do Estado brasileiro, composto por diferentes entes políticos dotados de competências legislativas
próprias para disciplinar suas atividades administrativas, a codificação do Direito Administrativo em âmbito nacional se torna
inviável.
Quais estão corretas?
A) Apenas I. B) Apenas III. C) Apenas I e II.
D) Apenas II e III. E) I, II e III.
GABARITO: “D”. ITEM I Errado: O nascimento do direito administrativo remonta à idade moderna. Na idade média, o monarca não observava o
princípio da legalidade, pois o Rei era o Estado e as Leis ( l’état est moi). ITEM II Certo: O direito francês é a origem do direito administrativo.
Contudo, o modelo de jurisdição adotado pelo Brasil é o modelo inglês. ITEM III Certo: O Direito Administrativo não é igual ao Direito civil e Penal,
no qual a CF atribui competência para legislar sobre Direito Administrativo, por isso a codificação seria inviável, ou ao menos, complicada.

Página 2 de 12
DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL
04.DIREITO ADMINISTRATIVO

2. CONCEITO DE DIREITO ADMINISTRATIVO:


(Q921329 – VUNESP - 2018 - PC-SP - Delegado de Polícia) O conceito de Administração Pública possui vários sentidos, sendo
correto afirmar que:
A) sob o sentido formal, a Administração Pública deve ser entendida como o conjunto de funções administrativas exercidas pelo
Estado.
B) sob o sentido objetivo, entende-se como Administração Pública a estrutura orgânica do Estado, definidora do conjunto de
estruturas de competências legalmente definidas.
C) sob o sentido empreendedor, a Administração Pública é o conjunto de funções administrativas exercidas pelo Estado de forma
empreendedora, visando o atingimento das suas finalidades.
D) sob o sentido material, a Administração Pública deve ser entendida como a atividade administrativa exercida pelo Estado.
E) sob o sentido material, entende-se como Administração Pública o conjunto de órgãos do Estado, isto é, a estrutura estatal.
GABARITO: “D”. Letra A Errada: tratou do sentido material (e não formal). Letra B Errada: tratou do sentido subjetivo (e não objetivo). Letra C
Errada: não existe doutrina nesse sentido. Letra “D” Certa: Formal – Orgânico – Subjetivo (quem realiza) conjunto de órgãos, entidades e
agentes públicos que desempenham atividade administrativa do Estado. Funcional – Objetivo – Material (o que é realizado) conjunto de funções
necessárias aos serviços públicos em geral, ou seja, é a própria função administrativa em si.; atividade exercida pelo Estado, por meio de seus
agentes e órgãos; critério teológico: cumprimento dos fins. Letra E Errada: este é o conceito de administração público em sentido formal
(subjetivo) amplo.

(Q419794 – ACAFE - 2014 - PC-SC - Delegado de Polícia) Considere a definição de Direito Administrativo e assinale a alternativa
correta.
A) É o conjunto dos princípios jurídicos de direito público que tratam da Administração Pública, suas entidades, órgãos e agentes
públicos.
B) É o conjunto dos princípios jurídicos de direito público que têm como estudo o Serviço Público.
C) É o conjunto dos princípios jurídicos de direito público que regem as relações jurídicas entre órgãos do Estado.
D) É o conjunto dos princípios jurídicos de direito público e privado que tratam da Administração Pública, suas entidades, órgãos e
agentes públicos.
E) É o conjunto dos princípios jurídicos de direito público e privado que têm como estudo os atos do Poder Executivo.
GABARITO: “A”. Letra B Errada: O critério do serviço público é insuficiente, tendo em vista que o direito administrativo abarca muitas outras
funções. Letra C Errada: As relações jurídicas abrangem também os administrados, não somente os órgãos. Letras D e E Erradas: Classificam o
direito administrativo como parte do direito privado. Como se sabe, faz parte do ramo público.

(Q389309 – VUNESP - 2014 - PC-SP - Delegado de Polícia) A Administração Pública, em sentido


A) objetivo, material ou funcional, designa os entes que exercem a atividade administrativa.
B) amplo, objetivamente considerada, compreende a função política e a função administrativa.
C) estrito, subjetivamente considerada, compreende tanto os órgãos governamentais, supremos, constitucionais, como também os
órgãos administrativos, subordinados e dependentes, aos quais incumbe executar os planos governamentais.
D) estrito, objetivamente considerada, compreende a função política e a função administrativa.
E) subjetivo, formal ou orgânico, compreende a própria função administrativa que incumbe, predominantemente, ao Poder
Executivo.
GABARITO: “B”. Letra A Errada: Em sentido objetivo, material ou funcional, ela designa a natureza da atividade exercida pelos referidos entes;
nesse sentido, a Administração Pública é a própria função administrativa que incumbe, predominantemente, ao Poder Executivo. Letra C Errada:
Em sentido estrito, a Administração Pública compreende, sob o aspecto subjetivo, apenas os órgãos administrativos. Letra D Errada: Em sentido
estrito, a Administração Pública compreende, sob o aspecto objetivo, apenas a função administrativa, excluídos, no primeiro caso, os órgãos
governamentais e, no segundo, a função política. Letra Errada: Em sentido subjetivo, formal ou orgânico, ela designa os entes que exercem a
atividade administrativa; compreende pessoas jurídicas, órgãos e agentes públicos incumbidos de exercer uma das funções em que se triparte a
atividade estatal: a função administrativa.

(Q83521 – CESPE - 2011 - PC-ES - Delegado de Polícia - Específicos) No que se refere a conceitos e poderes da administração
pública e à aplicação da teoria do órgão, julgue os seguintes itens.
Em sentido material ou objetivo, a administração pública compreende o conjunto de órgãos e pessoas jurídicas encarregadas, por
determinação legal, do exercício da função administrativa do Estado.
( ) Certo ( X ) Errado
QUESTÃO ERRADA: 1) Sentido FOS (Formal – Orgânico – Subjetivo) segundo esse critério, a lei define quem é Administração Pública. E
quem faz parte? Pessoas Jurídicas + órgãos + agentes públicos, que desempenham as atividades administrativas. 2) Sentido MOF (Material –
Objetivo – Funcional) segundo esse critério, a administração pública é o conjunto de atividades que são consideradas atividades administrativas
(serviço público, polícia administrativa, fomento, intervenção).

Q650574 – CESPE - 2016 - PC-PE - Delegado de Polícia) Considerando os princípios e fundamentos teóricos do direito
administrativo, assinale a opção correta.
A) As empresas públicas e as sociedades de economia mista, se constituídas como pessoa jurídica de direito privado, não integram
a administração indireta.
B) Desconcentração é a distribuição de competências de uma pessoa física ou jurídica para outra, ao passo que descentralização é
a distribuição de competências dentro de uma mesma pessoa jurídica, em razão da sua organização hierárquica.
Página 3 de 12
DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL
04.DIREITO ADMINISTRATIVO

C) Em decorrência do princípio da legalidade, é lícito que o poder público faça tudo o que não estiver expressamente proibido pela lei.
D) A administração pública, em sentido estrito e subjetivo, compreende as pessoas jurídicas, os órgãos e os agentes públicos que
exerçam função administrativa.
E) No Brasil, por não existir o modelo da dualidade de jurisdição do sistema francês, o ingresso de ação judicial no Poder Judiciário
para questionar ato do poder público é condicionado ao prévio exaurimento da instância administrativa.
GABARITO: “D”. Letra A Errada: Empresas públicas e sociedades de economia mista sempre são constituídas como pessoa jurídica de direito
privado, e nem por isso deixam de pertencer à administração indireta. Letra B Errada: Inverteu os conceitos. Letra C Errada: O item apresentou o
princípio da legalidade sob a ótica do particular. Letra E Errada: Em regra, não existe condição para ingresso no Poder Judiciário, salvo justiça
desportiva, reclamação contra o descumprimento de Súmula Vinculante, habeas data, mandado de segurança e ações judiciais contra o INSS
relativas à concessão de benefícios previdenciários.

Página 4 de 12
DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL
04.DIREITO ADMINISTRATIVO

3. FONTES DO DIREITO ADMINISTRATIVO:


(Q389308 – 2014 – VUNESP – PC-SP – VUNESP - 2014 - PC-SP - Delegado de Polícia) O conceito de Direito Administrativo é
peculiar e sintetiza-se no conjunto harmônico de princípios jurídicos que regem os órgãos, os agentes e as atividades públicas
tendentes a realizar concreta, direta e imediatamente os fins desejados pelo Estado. A par disso, é fonte primária do Direito
Administrativo
A) a jurisprudência B) os costumes C) os princípios gerais de direito
D) a lei, em sentido amplo E) a doutrina
GABARITO: “D”. São 4 as principais fontes: lei, jurisprudência, doutrina e costumes. Contudo, como fonte primária só temos a lei, em seu sentido
genérico (latu sensu) que incluem, além da CF, as leis ordinárias, complementares, delegadas medidas provisórias, atos normativos com força de
lei, e alguns decretos-lei ainda vigentes no país.

(Q39210 – CESPE / CEBRASPE - 2004 - Polícia Federal - Delegado de Polícia) No que se refere a fontes e princípios do direito
administrativo, julgue os itens seguintes. A jurisprudência é fonte do direito administrativo, mas não vincula as decisões
administrativas, apesar de o direito administrativo se ressentir de codificação legal.
( X ) Certo ( ) Errado
QUESTÃO CERTA: Uma das características do nosso Direito Administrativo è a falta de uma codificação legal, falta de um diploma que abarque a
maioria das suas regras. Nesse sentido, para a Doutrina, as fontes são a Lei, a Doutrina, a Jurisprudência e os Costumes. A Lei, fonte primária e,
as demais fontes secundárias. A jurisprudência, em regra, não vincula a Administração (norteia e serve de orientação). Há exceção, no entanto,
na hipótese de o STF editar Súmula. Esta, por determinação da Constituição, art. 103-A, será obrigatória para toda administração pública, direta e
indireta, de todos os níveis da Federação (União, Estados, Distrito Federal e Municípios) e, para todo o Poder Judiciário.

(UDESC - Delegado de Polícia (PC SC)/2002) Escolha a alternativa que, segundo a doutrina, enuncia as fontes principais do Direito
Administrativo.
A) Lei, doutrina, jurisprudência e costumes.
B) A Constituição, porque só dela devem emanar as fontes de todos os direitos.
C) Os decretos e leis oriundos do Poder Executivo, pois o Direito Administrativo trata somente da administração exercida por esse
poder.
D) As normas administrativas organizadas em conjunto pelos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, reunidas no Código
Administrativo Brasileiro.
GABARITO: “A”.

Página 5 de 12
DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL
04.DIREITO ADMINISTRATIVO

4. REGIME JURÍDICO ADMINISTRATIVO: Princípios do Direito Administrativo


(Q843773 – FAPEMS - 2017 - PC-MS - Delegado de Polícia) De acordo com o texto a seguir o direito público tem como objetivo
primordial o atendimento ao bem-estar coletivo.
[...] em primeiro lugar, as normas de direito público, embora protejam reflexamente o interesse individual, têm o objetivo primordial
de atender ao interesse público, ao bem-estar coletivo. Além disso, pode-se dizer que o direito público somente começou a se
desenvolver quando, depois de superados o primado do Direito Civil (que durou muitos séculos) e o individualismo que tomou conta
dos vários setores da ciência, inclusive a do Direito, substituiu-se a ideia do homem como fim único do direito (própria do
individualismo) pelo princípio que hoje serve de fundamento para todo o direito público e que vincula a Administração em todas as
suas decisões [...].
Dl PIETRO, Maria Sylvia Zaretla. Direito Administrativo. 30.ed. São Paulo: Atlas, 2017, p 96.
Diante disso, as "pedras de toque" do regime jurídico-administrativo são
A) a supremacia do interesse público sobre o interesse privado e a impessoalidade do interesse público.
B) a supremacia do interesse público sobre o interesse privado e a indisponibilidade do interesse público.
C) a indisponibilidade do interesse público e o princípio da legalidade.
D) a supremacia da ordem pública e o princípio da legalidade.
E) a supremacia do interesse público e o interesse privado e o princípio da legalidade.
GABARITO: “B”. O que o enunciado chama de “pedra de toque1” nada mais é do que o próprio regime jurídico administrativo (RJA). Os pilares do
Regime Jurídico Administrativo são os princípios da supremacia do interesse público e da indisponibilidade do interesse público. Resumidamente,
quando se fala em supremacia do interesse público, estamos nos referindo às prerrogativas que o Poder Público possui, e que o colocam em
posição superior em relação aos administrados. Tais poderes, no entanto, não são justificados em si mesmos, mas são instrumentais: servem
para o alcance do interesse público, que não pertence a nenhum indivíduo ou grupo determinado, mas sim a toda coletividade.

(Q905763 – FUMARC - 2018 - PC-MG - Delegado de Polícia Substituto) Sobre os princípios da Administração Pública, é
CORRETO afirmar que:
A) a efetivação de pagamento de precatório em desobediência à ordem cronológica traduz violação ao princípio da impessoalidade,
à luz do qual é vedada a atuação administrativa dissociada da moral, dos princípios éticos, da boa-fé e da lealdade.
B) em consonância com o princípio da legalidade, estatuído no artigo 37, caput, da CR/88, a Administração Pública pode fazer tudo
o que a lei não proíbe.
C) não são oponíveis às Sociedades de Economia Mista, haja vista que essas sociedades são regidas pelo regime de direito
privado.
D) o princípio da supremacia do interesse público não se radica em dispositivo específico da CR/88, ainda que inúmeros aludam ou
impliquem manifestações concretas dele.
GABARITO: “D”. Letra A Errada: trata-se do princípio da moralidade. Letra B Errada: tratou da legalidade ao particular, pois para a administração a
legalidade se traduz em só fazer aquilo que a lei permitir. Letra C Errada: pois os princípios administrativos se aplicam à Administração Pública,
seja direta ou indireta.

(Q464343 – VUNESP - 2015 - PC-CE - Delegado de Polícia Civil de 1a Classe) Em grandes centros urbanos brasileiros, observa-se
um desafio na questão da mobilidade urbana, ou seja, uma constante tensão entre o transporte de caráter individual e o transporte
coletivo. Diante dos congestionamentos crescentes, por qual dos princípios implícitos da Administração Pública o administrador
público deve se guiar para constituir uma política que privilegie o transporte coletivo em detrimento do transporte individual?
A) Pelo princípio da Inteligibilidade. B) Pelo princípio da Razoabilidade.
C) Pelo princípio do Interesse Público. D) Pelo princípio da Eficiência.
E) Pelo princípio da Alocação.
GABARITO: “C”. Princípio da inteligibilidade: pode ser denominado como “Princípio da Clareza”, decorrência clara do princípio da publicidade,
vinculado os gastos públicos a transparência nas informações das contas públicas. Princípio da alocação: Diz respeito à distribuição de verbas
públicas (alocação de recursos), empregadas de forma a privilegiar o interesse coletivo.

1
Expressão criada pelo Professor Celso Antônio Bandeira de Melo.
Página 6 de 12
DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL
04.DIREITO ADMINISTRATIVO

5. PRINCÍPIOS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA EXPLÍCITOS NA CONSTITUIÇÃO:


(Q921330 – VUNESP - 2018 - PC-SP - Delegado de Polícia) Os princípios administrativos podem ser utilizados para fins de
controle de constitucionalidade dos atos administrativos pelo Poder Judiciário, sendo o que se observa na alternativa a seguir:
A) a nomeação de cônjuge da autoridade nomeante para o exercício de cargo em comissão ou de confiança na Administração
Pública do Estado viola a Constituição Federal.
B) o ato administrativo eivado de ilegalidade deverá ser revogado pelo administrador público, em obediência ao princípio
administrativo da discricionariedade.
C) ao titular do cargo de procurador de autarquia exige-se a apresentação de instrumento de mandato para representá-la em juízo.
D) não é possível a autotutela sobre os atos administrativos após a sua impugnação no Poder Judiciário.
E) o princípio da pessoalidade é corolário da isonomia e da legalidade, sendo centrais à ação administrativa.
GABARITO: “A”. Letra “A” Certa: Súmula Vinculante do STF nº 13. Letra B Errada: Súmula nº 4732 do STF. O ato administrativo eivado de
ilegalidade deverá ser anulado (e não revogados), em obediência ao princípio da autotutela. Letra C Errada: Súmula nº 6443 do STF. Não se exige
apresentação de instrumento de mandato. Letra D Errada: Inexiste essa vedação. Letra E Errada: Trata-se do princípio da impessoalidade e não
da pessoalidade.

(Q897354 – FUNDATEC - 2018 - PC-RS - Delegado de Polícia - Bloco II) Sobre os princípios da Administração Pública, analise as
seguintes assertivas:
I. A prisão em flagrante delito de um indivíduo, sob o enfoque de não depender de prévia manifestação do poder judiciário, é uma
manifestação concreta do princípio da autotutela administrativa.
II. O uso moderado e progressivo da força, modulador da ação policial, encontra fundamento no princípio da proporcionalidade, que
tem por objetivo evitar que a atividade coercitiva do Estado seja exercida em intensidade superior à estritamente necessária para
restabelecer a ordem e a segurança pública.
III. No âmbito administrativo, o acesso à informação, por se tratar de um direito público subjetivo de envergadura constitucional,
derivado do princípio da publicidade e da transparência, não comporta sigilo como exceção.
IV. A utilização, por parte do servidor público, para fins privados, de um bem regularmente apreendido no âmbito de uma
investigação criminal caracteriza violação ao princípio da impessoalidade, sob o enfoque da finalidade, impondo o enquadramento
de tal conduta em ato de improbidade administrativa.
Quais estão corretas?
A) Apenas I. B) Apenas I e II. C) Apenas II e IV.
D) Apenas III e IV. E) Apenas II, III e IV.
GABARITO: “C”. ITEM I Errado: Trouxe um exemplo de poder de polícia judiciária, não se aplicando o princípio da autotutela administrativa. ITEM
III Errado: O princípio da publicidade comporta 3 exceções: 1) caso de soberania (art. 1º, I, CF); 2) casos de segurança pública (art. 20 do CPP); e
3) casos previstos em lei (art. 234-B, CP).

(Q812453 – IBADE - 2017 - PC-AC - Delegado de Polícia Civil) Acerca dos princípios que informam o Direito Administrativo
Brasileiro, é correto afirmar que a(o):
A) nomeação de cônjuge, companheiro ou parente em linha reta, colateral ou por afinidade, até o quarto grau, inclusive, da
autoridade nomeante ou de servidor da mesma pessoa jurídica investido em cargo de direção, chefia ou assessoramento, para o
exercício de cargo em comissão ou de confiança ou, ainda, de função gratificada na Administração Pública direta e indireta em
qualquer dos poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, compreendido o ajuste mediante designações
recíprocas, viola a Constituição Federal.
B) Supremo Tribunal Federal já possui pacífica jurisprudência no sentido de que o Chefe do Poder Executivo Estadual pode nomear
parentes em linha reta, a exemplo de uma filha, para o cargo de Secretária de Estado, porque se trata de uma escolha política e o
fato do cargo de Secretário de Estado ser de natureza política torna esta nomeação insuscetível de controle.
C) princípio da publicidade considera-se atendido sempre que houver a publicação de atos no Diário Oficial, sendo, por
conseguinte, desnecessária qualquer medida adicional por parte da Administração Pública.
D) princípio da legalidade tem idêntica aplicação para os particulares e para a Administração Pública, significando a possibilidade
de realização de atos que não sejam vedados pelo ordenamento jurídico.
E) Supremo Tribunal Federal possui entendimento no sentido de que vedar o acesso de qualquer cidadão a cargo público tão
somente em razão da existência de relação de parentesco com servidor público que não tenha competência para o selecionar ou o
nomear para o cargo de chefia, direção ou assessoramento, ou que não exerça ascendência hierárquica sobre aquele que possua
essa competência é, em alguma medida, negar um dos princípios constitucionais a que se pretendeu conferir efetividade com a
edição da Súmula Vinculante n° 13, qual seja, o princípio da impessoalidade.
GABARITO: “E”. Letra A Errada: Somente até o 3° grau (e não 4°). Letra B Errada: A jurisprudência não é pacífica, além disso, a assertiva informa
que a nomeação de parente para cargo de natureza política é um tipo de ato insuscetível de controle, o que não é verdade, pois pode ser objeto
de controle sim, neste sentido vide princípios como o da inafastabilidade da jurisdição. Letra C Errada: A publicidade não se confunde com a
publicação do ato, sendo essa última apenas uma das diversas hipóteses de publicidade dos atos, um ato pode se tornar público com a mera
notificação do interessado, sem conhecimento, portanto, das demais pessoas. Letra D Errada: O princípio da legalidade não tem idêntico

2
Súmula nº 473 do STF: A administração pode anular seus próprios atos, quando eivados de vícios que os tornam ilegais, porque deles não se originam direitos; ou
revoga-los, por motivo de conveniência ou oportunidade, respeitados os direitos adquiridos, e ressalvada, em todos os casos, a apreciação judicial.
3
Súmula nº 644 do STF: Ao titular do cargo de procurador de autarquia não se exige a apresentação de instrumento de mandato para representa-la em juízo.
Página 7 de 12
DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL
04.DIREITO ADMINISTRATIVO

significado para particulares e a Administração. Particulares significa fazer de tudo que a lei não proibir; Administração é o contrário, onde ela
somente pode fazer aquilo que esta permitido em lei.
(Q509569 – UEG - 2013 - PC-GO - Delegado de Polícia - 2ª prova) A Súmula Vinculante n. 13 do Supremo Tribunal Federal,
editada para combater a prática do nepotismo na administração pública direta e indireta em qualquer dos poderes da União, dos
estados, do Distrito Federal e dos municípios, veda a nomeação para o exercício de cargo em comissão ou de confiança ou, ainda,
de função gratificada,
A) de cônjuge ou parente em linha reta, colateral ou por afinidade, até o terceiro grau, inclusive, da autoridade nomeante ou de
servidor da mesma pessoa jurídica investido em cargo em comissão de direção, chefia ou assessoramento.
B) de cônjuge, companheiro ou parente em linha reta, colateral ou por afinidade, até o terceiro grau, inclusive, da autoridade
nomeante ou de servidor da mesma pessoa jurídica investido em cargo em comissão de direção, chefia ou assessoramento.
C) de cônjuge, companheiro ou parente em linha reta, colateral ou por afinidade, até o segundo grau, inclusive, da autoridade
nomeante ou de servidor da mesma pessoa jurídica investido em cargo em comissão de direção, chefia ou assessoramento.
D) de cônjuge ou parente em linha reta, colateral ou por afinidade, até o segundo grau, inclusive, da autoridade nomeante ou de
servidor da mesma pessoa jurídica investido em cargo em comissão de direção, chefia ou assessoramento.
GABARITO: “B”. Súmula Vinculante nº 3 do STF: A nomeação de cônjuge, companheiro ou parente em linha reta, colateral ou por afinidade, até o
terceiro grau, inclusive, da autoridade nomeante ou de servidor da mesma pessoa jurídica investido em cargo de direção, chefia ou
assessoramento, para o exercício de cargo em comissão ou de confiança ou, ainda, de função gratificada na administração pública direta e
indireta em qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, compreendido o ajuste mediante designações
recíprocas, viola a Constituição Federal.

(Q650579 – CESPE - 2016 - PC-PE - Delegado de Polícia) Tendo como referência a jurisprudência majoritária do STF acerca dos
princípios expressos e implícitos da administração pública e do regime jurídico-administrativo, assinale a opção correta.
A) Se houver repasse de verbas federais a município, a aplicação desses recursos pelo governo municipal não será objeto de
fiscalização do órgão controlador federal, dado o princípio da autonomia dos entes federados.
B) A alteração, por meio de portaria, das atribuições de cargo público não contraria direito líquido e certo do servidor público
investido no cargo, diante da inexistência de direito adquirido a regime jurídico.
C) A administração pública não pode, mediante ato próprio, desconsiderar a personalidade jurídica de empresa fiscalizada por
tribunal de contas; a esse caso não se aplica a doutrina dos poderes implícitos.
D) Segundo o STF, a vedação ao nepotismo decorre diretamente de princípios constitucionais explícitos, como os princípios da
impessoalidade, da moralidade administrativa e da igualdade, não se exigindo a edição de lei formal para coibir a sua prática.
E) De acordo com o princípio da eficiência, a administração pode revogar seus próprios atos, quando eivados de vícios que os
tornem ilegais, porque deles não se originam direitos. Também pode anulá-los, por motivo de conveniência ou oportunidade,
hipótese na qual devem ser respeitados os direitos adquiridos.
GABARITO: “D”. Letra A Errada: os recursos federais repassados a município não perdem a sua natureza federal e, por essa razão, podem ser
fiscalizados pelos órgãos de controle da União, mesmo que sejam aplicados por gestores municipais. Letra B Errada: de fato não há direito
adquirido a regime jurídico, mas desde que a alteração do regime se dê mediante lei, e não por meio de portaria. Letra C Errada: o Tribunal de
Contas pode sim desconsiderar a personalidade jurídica de empresa por ele fiscalizada, a fim de punir o respectivo administrador, ainda que não
exista previsão legal expressa para tanto. Letra E Errada: o item inverteu os conceitos: a extinção do ato por razões de legalidade se dá por
anulação, e não por revogação, a qual se dá por razões de conveniência e oportunidade.

(Q402295 – 2014 – NUCEPE – PC-PI – NUCEPE - 2014 - PC-PI - Delegado de Polícia) Terêncio, delegado de polícia, atendia com
presteza e gentileza apenas algumas pessoas na cidade na qual exercia seu mister. Terêncio feria o seguinte princípio da
administração pública:
A) autotutela B) razoabilidade C) publicidade
D) moralidade E) eficiência
GABARITO: “D”. A conduta de Terêncio fere diretamente o princípio da impessoalidade, entretanto não há dúvidas de que tal atitude também fere
o princípio da moralidade.

(Q395582 – Aroeira - 2014 - PC-TO - Delegado de Polícia) Determinado Delegado de Polícia, no intuito de fazer promoção pessoal
com pretensões políticas, convoca a imprensa para comunicar a prisão de marginal procurado, ressaltando as próprias qualidades
profissionais e que o êxito da operação decorre de mérito seu (da autoridade). A situação descrita revela flagrante ofensa ao
princípio da:
A) moralidade B) impessoalidade C) razoabilidade
D) publicidade
GABARITO: “B”. Princípio da impessoalidade: (i) isonomia: tratar igualmente a todos os que estejam na mesma situação fática e jurídica. (ii)
Finalidade: administrativa impede que o ato administrativo seja praticado visando a interesses do agente ou de terceiros. (iii) Vedação à promoção
pessoal: proibir a vinculação de atividades da administração à pessoa dos administradores, evitando que estes utilizem a propaganda oficial para
sua promoção pessoal.

Página 8 de 12
DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL
04.DIREITO ADMINISTRATIVO

(Q464342 –VUNESP - 2015 - PC-CE - Delegado de Polícia Civil de 1a Classe) Considere a charge.

A prática de nepotismo, além de ser uma atitude antiética, fere qual dos princípios explícitos da Administração Pública? E qual é a
restrição imposta por esse princípio?
A) Fere o princípio da impessoalidade. Ou seja, ao representante público é proibido privilegiar pessoas específicas.
B) Fere o princípio do poder. Ou seja, um agente público não pode fazer uso do seu cargo ou função em benefício de parentes ou
conhecidos.
C) Fere o princípio da eficiência. Ou seja, os funcionários públicos devem prezar pelo bem público e pelo bom uso dos recursos do
Estado.
D) Fere o princípio da eficácia. Ou seja, os agentes públicos devem primar pelo interesse coletivo e pelo bom uso dos recursos do
Estado.
E) Fere o princípio da legalidade. Ou seja, o funcionário público em suas funções e atribuições pode, em determinados casos
previsto em Lei, empregar parentes.
GABARITO: “A”. Salvo a nomeação de particular para assunção de cargos de natureza política, a nomeação de parentes para o exercício de
função pública é considerada ofensa direta ao princípio da impessoalidade.

(Q150756 – CESPE - 2008 - PC-TO - Delegado de Polícia) A administração pública é orientada por princípios de índole
constitucional, cuja observância proporciona aos administrados a sensação de respeito à coisa pública. A respeito desse tema,
julgue os itens que se seguem.
Em toda atividade desenvolvida pelos agentes públicos, o princípio da legalidade é o que precede todos os demais.
( X ) Certo ( ) Errado
QUESTÃO CORRETA: Mesmo não havendo hierarquia entre os princípios, o princípio da legalidade será o primeiro a ser avaliado pelo agente
público, fato que concretiza a ideia da legalidade em sentido stricto, em que a administração somente poderá fazer aquilo que a lei determina ou
autoriza.

(Q1735280 – CONTEMAX - 2020 - Câmara de Flores - PE - Assistente de Controle ) A administração precisa se relacionar
juridicamente com particulares de modo consensual e não somente por meio do império e da soberania, inobstante a supremacia
do interesse público sobre o privado e a indisponibilidade do interesse público. Por isso, o contrato administrativo mescla,
características do contrato privado e do regime jurídico de direito público. Marque a alternativa INCORRETA quanto aos princípios
administrativos expressos na Constituição.
A) legalidade B) Impessoalidade C) Moralidade
D) Publicidade e Eficiência E) Unilaterabilidade
Letra “E” Errada: Os princípios expressos na Constituição, em seu art. 37, são: Legalidade, Impessoalidade, Moralidade, Publicidade e Eficiência
(LIMPE).

(Q303055 – ACAFE - 2008 - PC-SC - Delegado de Polícia) Assinale a alternativa correta quanto aos princípios administrativos.
A) Segundo o princípio da finalidade, é ilícito conjugar a pretensão do particular com o interesse coletivo nos contratos públicos.
B) A duração do processo judicial ou administrativo que não se revelar razoável afronta o princípio constitucional da eficiência.
C) Violar o princípio da moralidade administrativa não configura ilicitude passível de invalidação do ato.
D) Segundo o princípio da publicidade, não se admite o sigilo na esfera administrativa, nem mesmo sob a alegação de segurança
da sociedade.
LETRA “B”: Segundo Hely Lopes Meirelles, a eficiência passou a ser um princípio constitucional ao ser inserido no inciso LXXVIII do art. 5º da
Constituição Federal de 1988 através da EC 45/2004. Referido dispositivo garante a todos, no âmbito judicial e administrativo, 'a razoável duração
do processo e os meios que garantam a celeridade de sua tramitação'. E conclui referido doutrinador: 'Logo, a duração do processo que não se
revelar razoável afronta esse direito constitucional'. (MEIRELLES, Hely Lopes. Direito Administrativo Brasileiro. 33 ed. São Paulo: Saraiva, 2006.
p. 97).

(Q302439 – UEG - 2013 - PC-GO - Delegado de Polícia - 1ª prova) O princípio constitucional inserido no ordenamento jurídico
brasileiro pela Emenda constitucional nº 19, de 1998, acrescentado ao artigo 37, caput, da Constituição Federal é o princípio da
A) cortesia B) eficiência C) atualidade
D) motivação
Página 9 de 12
DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL
04.DIREITO ADMINISTRATIVO

GABARITO: “B”. Acrescida pela Emenda Constitucional n. 19/1998, a eficiência que antes não tinha previsão expressa na Constituição Federal,
passou a ser a mais nova obrigação da Administração Pública. O princípio em tela corresponde a um verdadeiro DEVER jurídico, assim como os
demais princípios do art. 37, caput, que já estavam elencados no bojo da Constituição, desde a sua promulgação em 1988.

(Q389312 – VUNESP - 2014 - PC-SP - Delegado de Polícia) Desde antigas eras do Direito, já vingava o brocardo segundo o qual
“nem tudo o que é legal é honesto” ( non omne quod licet honestum est). Aludido pensamento vem a tomar relevo no âmbito do
Direito Administrativo principalmente quando se começa a discutir o problema do exame jurisdicional do desvio de poder. Essa
temática serve, portanto, de lastro para o desenvolvimento do princípio constitucional administrativo
A) explícito da moralidade administrativa.
B) explícito da legalidade.
C) implícito da supremacia do interesse público sobre o privado.
D) implícito da finalidade administrativa.
E) implícito da motivação administrativa.
GABARITO: “A”. De fato, o enunciado, ao tocar no tema da honestidade, da ética, da lealdade às instituições públicas, está, sem dúvida,
referindo-se ao princípio da moralidade administrativa, expressamente consagrado em nossa atual CF (art. 37, caput).

(Q283128 – FUNCAB - 2012 - PC-RJ - Delegado de Polícia) No que se refere aos princípios que orientam a atividade
administrativa, assinale a alternativa correta.
A) Ao contrário do princípio da legalidade que é um princípio-fim, os princípios da publicidade e da impessoalidade são princípios-
meio.
B) São alguns dos princípios constitucionais explícitos: eficiência, impessoalidade, proporcionalidade, legalidade e moralidade.
C) O princípio da razoabilidade incide sobre o exercício das funções públicas, exceto sobre a função legislativa.
D) O Poder Executivo, no exercício de sua atividade típica, não se sujeita ao princípio da segurança jurídica que predomina na
atividade jurisdicional, razão que leva a moderna doutrina administrativista a defender a inexistência de coisa julgada administrativa.
E) Assim como ocorre na esfera judicial, em que certos atos podem ter sua publicidade restrita em virtude da preservação da
intimidade das partes, alguns atos administrativos também poderão ter sua publicidade restrita com amparo em dispositivo da
Constituição Federal.
GABARITO: “E”. Letra A Errada: Princípios meios regem a forma ou rito da atuação pública, enquanto princípios fins possuem relação com a
finalidade ou conteúdo das ações adotadas. O princípio da publicidade é o único princípio-meio. Letra B Errada: Publicidade e não
proporcionalidade. Letra C Errada: O exercício do Poder Legislativo não escapa, também, do princípio da razoabilidade. Tanto é verdade que o
STF tem invocado, com frequência o referido princípio, ao lado do postulado da proporcionalidade, como forma de exercer controle de
constitucionalidade das leis e atos normativos em geral. Letra D Errada: Não é afastada a necessidade de se observar o princípio da segurança
jurídica.

(Q197372 – PC-MG - 2008 - PC-MG - Delegado de Polícia) São princípios da Administração Pública
A) legalidade, motivação, segurança jurídica, especialidade.
B) legalidade, motivação, segurança jurídica, normatização.
C) legalidade, disciplina, segurança jurídica, normatização.
D) legalidade, disciplina, razoabilidade, controle.
GABARITO: “A”.

(Q218599 – NC-UFPR - 2007 - PC-PR - Delegado de Polícia) Dentre os princípios da Administração Pública adiante listados,
assinale aquele que NÃO está expresso no art. 37 da Constituição Federal:
A) Princípio da motivação.
B) Princípio da eficiência.
C) Princípio da impessoalidade.
D) Princípio da publicidade.
E) Princípio da legalidade.
GABARITO: “A”. Letra A Errada: O princípio da motivação embora não seja um dos princípios constitucionais expressos no art. 37, porém deve
ser observado pela Administração Pública. Este princípio determina que haja uma exigência de fundamentação de todas decisões e atos da
Administração Pública. Esta motivação possibilita um maior controle e transparência dos atos administrativos, em especial dos atos
discricionários. Letras B, C, D e E: São os princípios expressos no art. 37 da CF, juntamente com o da moralidade (LIMPE).

(Q218923 – FAPEC - 2006 - PC-MS - Delegado de Polícia) De acordo com a sequência estabelecida na oração do artigo 37, caput,
da Constituição Federal: “A administração pública direta e indireta de qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito
Federal e dos Municípios obedecerá aos princípios...".
Assinale a alternativa correta:
A) legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência.
B) legalidade, impessoalidade, publicidade, moralidade e eficiência.
C) legalidade, impessoalidade, moralidade, eficiência e publicidade.
D) impessoalidade, legalidade, moralidade, publicidade e eficiência.
E) legalidade, moralidade, impessoalidade, publicidade e eficiência.
GABARITO: “A”. Art. 37. A administração pública direta e indireta de qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos
Municípios obedecerá aos princípios de legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência e, também, ao seguinte:
Página 10 de 12
DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL
04.DIREITO ADMINISTRATIVO

(#495663 – FAURGS - Delegado de Polícia (PC RS)/2006) Qual, dentre as alternativas abaixo, contém apenas princípios
orientadores da Administração Pública com explícita assinalação constitucional?
A) Impessoalidade, eficiência, justiça e legalidade.
B) Legalidade, moralidade, participação e razoabilidade.
C) Publicidade, equidade, economicidade e eficiência.
D) Moralidade, impessoalidade, tolerância e motivação.
E) Legitimidade, publicidade, justiça e economicidade.
GABARITO: “B”. Art. 19. A administração pública direta e indireta de qualquer dos Poderes do Estado e dos municípios, visando à promoção do
bem público e à prestação de serviços à comunidade e aos indivíduos que a compõe, observará os princípios da legalidade, da moralidade, da
impessoalidade, da publicidade, da legitimidade, da participação, da razoabilidade, da economicidade, da motivação e o seguinte:

Página 11 de 12
DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL
04.DIREITO ADMINISTRATIVO

6. OUTROS PRINCÍPIOS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA:


(Q1010595 – Instituto Acesso - 2019 - PC-ES - Delegado de Polícia - Anulado) A administração pública, no Brasil, é regida por uma
série de princípios. Tendo em vista a natureza jurídica destes princípios, leia as afirmativas a seguir.
I - Legalidade, publicidade, impessoalidade, moralidade e eficiência são classificadas, pela doutrina, como princípios expressos da
administração pública por possuírem previsão normativa inserta no texto da Constituição da República Federativa do Brasil de 1988
com aplicação direta ao campo do direito administrativo.
II - O princípio da eficiência da administração se aplica ao servidor, para efeito de sua aptidão ao cargo, durante o estágio
probatório e ao logo do exercício de sua vida funcional.
III - Campanhas ou informes de órgãos públicos que apresentem slogans de promoção pessoal do agente público violam
diretamente o princípio constitucional da moralidade administrativa.
IV - A supremacia do interesse público é considerada, pela doutrina, como um princípio implícito da administração pública
V - Um princípio é considerado implícito ao direito administrativo em razão de este ser aplicável ao campo da administração pública,
ainda que tal princípio seja próprio a um outro campo do direito.
Marque a alternativa correta:
A) Todas as afirmativas estão corretas, à exceção da III.
B) Todas as afirmativas estão corretas, à exceção da I.
C) Todas as afirmativas estão corretas, à exceção da V.
D) Todas as afirmativas estão corretas, à exceção da IV.
E) Todas as afirmativas estão corretas, à exceção da II.
ITEM III: Violam diretamente o princípio constitucional da impessoalidade administrativa.

(Q150755 – CESPE - 2008 - PC-TO - Delegado de Polícia) A administração pública é orientada por princípios de índole
constitucional, cuja observância proporciona aos administrados a sensação de respeito à coisa pública. A respeito desse tema,
julgue os itens que se seguem. O princípio da vinculação política ao bem comum é, entre os princípios constitucionais que norteiam
a administração pública, o mais importante.
( ) Certo ( X ) Errado
QUESTÃO ERRADA: Não existe princípio absoluto, nem muito menos princípio mais importante.

Página 12 de 12

Você também pode gostar