Você está na página 1de 74

Risco de Incêndio

e segurança de
vidas
Eng.º Guilherme F. S. de Araújo
Risco de Incêndios
São condições que favorecem o desenvolvimento de
incêndio.

São necessários 3 elementos para iniciar e manter o


fogo:
• Oxigênio
•Combustível
•Calor
Triângulo do Fogo
Combustão
Reação química entre oxigênio e um combustível que são
convertidos em energia sob forma de calor.

Reações Químicas Exotérmicas: Consumem menos calor do


que eles geram.

Reações Químicas Endotérmicas: Consumem mais calor do


que eles geram
Substâncias Criadas após a
Combustão
•Carbono : Quando queima combina-se com oxigênio e
forma monóxido de carbono ou dióxido de carbono.

•Hidrogênio : Combina-se com oxigênio e forma água.


Como apagar um incêndio?
Retirando a fonte geradora ( oxigênio, combustível) ou
resfria-lo abaixo do seu ponto de combustão.

O que é Explosão ?
Incêndio muito rápido, contido. Ocorre quando os gases
produzidos excedem a capacidade do vaso de pressão,
ocorrendo em seguida uma ruptura ou explosão.
Transferência de Calor

Condução: é a transferência de energia térmica direta.

Radiação: é a transferência electromagnética da onda


de calor para um sólido.

Convecção: é a transferência de calor através da


circulação de gases quentes.
Condução

Convecção
Irradiação
Eventos Concorrentes
Combustíveis Sólidos
• Os combustíveis sólidos, ao contrário do que pode
parecer, via de regra não queimam diretamente no estado
sólido. Para que possa ocorrer a combustão é necessário
que moléculas se desprendam e fiquem disponíveis para reagir
com o oxigênio.
• A energia de ativação, o calor, é que “quebra” o combustível
liberando moléculas que se desprendem sob a forma de vapor.
Esse processo de queima é chamado de pirólise ou termólise.
• Combustíveis que queimam diretamente no estado sólido e
merecem atenção especial (enxofre e os metais alcalinos -
potássio, magnésio, cálcio, etc...).
Propagação do fogo em razão
da posição
• Como os sólidos tem forma definida, o fogo em um
corpo se propagará de acordo com sua forma, preferindo o
rumo ascendente, pois as massas de vapores combustíveis
sobe devido à convecção.
• Quando a placa está deitada, os gases aquecidos se
afastam da placa e o fogo progride pela ação direta das
chamas.
Combustíveis sólidos especiais
• Metais reativos com a água - Necessitam de maior atenção, pois
além de queimarem liberando muita energia, reagem com a água
“quebrando-a”. A quebra da água libera oxigênio, que reage com o
material intensificando a combustão, e hidrogênio, que é altamente
combustível.
• Halogênios - São materiais que apresentam risco de explosão, quando
misturados a outros materiais. Exemplo: flúor, cloro, bromo, iodo e
astatínio.
• Materiais reativos com o ar - Necessitam de maior atenção
quando em contato com o ar, pois liberam grande quantidade de
calor. Exemplo: carvão vegetal, fósforo branco, fósforo vermelho, etc.
Combustíveis Líquidos
• Nos líquidos, as moléculas não ficam tão bem “presas” umas às
outras como no sólidos. Por isso os líquidos não tem forma
definida. Como as ligações são mais fracas entre as moléculas,
elas podem se movimentar dentro do corpo líquido sofrendo,
inclusive, a ação da gravidade. Por isso os líquidos escorrem o
quanto podem para as partes mais baixas dos recipientes que
os contém.
Líquidos Inflamáveis e
Combustíveis Líquidos :

•Líquidos inflamáveis tem um ponto de inflamação


inferior a 37,7 ° C (99,8 ° F).

•Combustíveis líquidos têm um ponto de inflamação igual


ou maior do que a temperatura de combustão.
Combustíveis Gasosos
• O combustível é assim considerado quando se apresenta em
forma de gás ou vapor na temperatura do ambiente. Esse
combustível em contato com o oxigênio do ar forma a
mistura inflamável (ou mistura explosiva), que na presença do
calor (energia ativante) se inflama.

• O aumento de temperatura aumenta a movimentação das


moléculas dos gases, fazendo com que as ligações entre elas
praticamente deixem de existir, facilitando a combinação do
gás com o oxigênio, permitindo que os gases (gás inflamável e
oxigênio) cheguem à concentração ideal para a formação da
mistura inflamável/explosiva.
• Exemplos: CH4, C3H8, GLP (propano + butano), Gás
Natural, hidrogênio, o monóxido de carbono, amônia,
dissulfeto de carbono.
Mecanismo de ignição do combustível gasoso.
COMBURENTE
• É o elemento que possibilita vida às chamas e intensifica a
combustão. O mais comum é que o oxigênio desempenhe esse
papel.
• A atmosfera é composta aproximadamente por 21% de
oxigênio, 78% de nitrogênio e 1% de outros gases.
Reação química em cadeia
• A reação em cadeia como elemento da combustão foi
descoberta quando se estudava a alta capacidade de extinção
do PQS em altíssimas temperaturas.
• Anteriormente acreditava-se que o PQS era bom agente
extintor pela presença de CO2 em sua fórmula
(bicarbonato: HCO³-), entretanto, verificou-se que em
temperaturas acima de 1000ºC o PQS era mais efetivo que o
seu peso em CO2.
Exemplificando o processo
O processo de combustão do Hidrogênio no ar:
1ª fase: Duas moléculas de hidrogênio reagem com uma molécula de
oxigênio, ativadas por uma fonte de energia térmica, produzindo 4 radicais ativos
de hidrogênio e 2 radicais ativos de oxigênio.

2ª fase: Cada radical de hidrogênio se combina com uma molécula de


oxigênio, produzindo um radical ativo de hidroxila mais um radical ativo de
oxigênio;
Exemplificando o processo
• 3ª fase: Cada radical ativo de oxigênio reage com uma
molécula de hidrogênio, produzindo outro radical ativo de
hidroxila mais outro radical ativo de hidrogênio.

• 4ª fase: Cada radical ativo de hidroxila reage com uma


molécula de hidrogênio, produzindo o produto final estável –
água e mais um radical ativo de hidrogênio.
TIPOS DE COMBUSTÃO
Combustão Incompleta:
• Todos os produtos instáveis (moléculas e átomos)
provenientes da reação em cadeia caracterizam uma
combustão incompleta, que é a forma mais comum de
combustão.
• A camada gasosa presente na fumaça permanece aquecida e
carregada de material capaz de reagir com o oxigênio, o que a
torna uma massa combustível, necessitando apenas de ar para
“fechar” o tetraedro do fogo e reiniciar a combustão.
Combustão Completa
• Combustão que produz calor e chamas, ocorrendo em um
ambiente rico em oxigênio.
• É importante lembrar que combustão completa não é o
mesmo que queima total. A queima total é a situação na
qual todo o material combustível presente no ambiente já foi
atingido pela combustão, enquanto que a combustão
completa é a combinação perfeita entre o combustível e o
oxigênio fazendo com que todo o combustível reaja.
Classificação Quanto a sua Velocidade
Combustão Viva
A combustão viva é o fogo caracterizado pela presença de
chama.

Pela sua influência na intensidade do incêndio e pelo impacto


visual e psicológico que gera, é considerada como sendo o tipo
mais importante de combustão e, por causa disso, costuma
receber quase todas as atenções durante o combate.
Classificação Quanto a sua Velocidade

Combustão Lenta
A incandescência é um processo de
combustão relativamente lento
que ocorre entre o oxigênio e
um sólido combustível
comumente chamado de brasa.
As Incandescências podem ser o
início ou o fim de uma chama, ou
seja, de uma combustão viva. Em
todos os casos há produção de luz,
calor e fumaça.
Classificação Quanto a sua Velocidade

Combustão espontânea
Acontece com a decomposição de compostos orgânicos
através de processo químico natural, liberando gás
metano através da degradação dos compostos orgânicos
que são ótimos combustíveis.
Reações hipergólicas

Ocorrem quando os combustíveis de mistura oxidantes


produzem um acumulo de calor rapidamente causando
combustão imediata a temperatura ambiente.
Classes de incêndios de acordo com a :
National Fire Protection Association.
•Incêndios Classe A - de materiais sólidos como madeira, plásticos,
têxteis, e seus produtos: papel, vestuário, habitação.

•Incêndios Classe B - líquidos inflamáveis e gases.

•Incêndios de Classe C - elétrica (referindo-se a viver situações de


eletricidade, não incluindo os incêndios em outros materiais iniciados por
eletricidade).

•Incêndios da Classe D - combustíveis, facilmente oxida metais tais como


alumínio, magnésio, titânio, zircônio.

•Categorias especiais - oxidantes extremamente ativos ou misturas


contendo oxigênio, inflamáveis, ácido nítrico, peróxido de hidrogênio, e
propulsores de mísseis sólidos.
Classificações:
Líquidos inflamáveis
Classe I - A Ponto de inflamação inferior a 73 ° F (~23ºC), ponto de
ebulição abaixo de 100 ° F (~38ºC).
Classe I - B Ponto de inflamação inferior a 73 ° F, ponto de ebulição
igual ou superior a 100 ° F.
Classe I - C Ponto de inflamação igual ou superior a 73 ° F, mas
abaixo de 100 ° F.
Combustíveis líquidos
Classe II O ponto de inflamação igual ou superior a 100 ° F, mas
abaixo de 140 ° F (60ºC).
Classe III - um ponto de inflamação igual ou superior a 140 ° F, mas
abaixo de 200 ° F.
Classe III - B Ponto de inflamação igual ou superior a 200 ° F.
A NFPA criou o sistema NFPA 704
para rápida identificação de riscos
apresentados quando substâncias
queimam.

Vermelho = Inflamabilidade
Azul = Saúde
Amarelo = Reatividade
Branco = informação especial
Risco de incêndio para os seres humanos
• O contato direto com a chama pode ser perigoso,
causando queimaduras na pele.

• Segundo a NFPA pessoas que morrem em incêndios


morreram por sufocamento.
Detecção de incêndios
Os detectores de expansão térmica utilizam uma
ligação de metal sensível ao calor que funde a uma
temperatura pré-determinada para fazer contato e, em
última análise soar um alarme
Sensores Ópticos de incêndio detectam mudanças
na energia infravermelha que é radiada pela fumaça,
muitas vezes, as partículas de fumaça obscurecendo o
feixe fotoelétrico. Um relé é aberto sob condições
aceitáveis e fechou para completar o circuito de
alarme quando o fumo interfere.
Ionização ou sensores de radiação usam a tendência de uma
substância radioativa para ionizar quando expostos ao fumo.
A substância torna-se eletricamente condutora com a
exposição à fumaça e permite que o circuito de alarme seja
completado.

Ultravioleta ou detectores de infravermelho soam um alarme


quando a radiação das chamas de incêndio são detectadas.
Quando as mudanças rápidas nas intensidades de radiação são
detectadas, um sinal de alarme de incêndio é dado.
A Occupational Safety and Health Administration
(OSHA) determinou a inspeção mensal e anual e
gravação do estado dos extintores de incêndio em
ambientes industriais.
Redução dos fatores de risco de incêndio

• A melhor maneira de reduzir os incêndios é a prevenção.

• A Principais causas de incêndios são máquinas quentes, mal


isoladas e processos mal realizados

• Isolamento dos três elementos do triângulo: combustível,


oxigênio e calor

• No caso de fluidos, fechando uma válvula pode parar o


elemento combustível.
Líquidos inflamáveis devem ser armazenados das
seguintes maneiras:

• lugares resistentes a chama;


• Isolados dos lugares onde as pessoas trabalham;
• Drenagem adequada e ventilação devem ser
fornecidas para tais construções;
• Em tanques abaixo do nível do solo;
• No primeiro andar dos edifícios de vários andares.

Substituir por materiais menos inflamáveis.


Fontes de ignição podem ser eliminadas ou isoladas dos
combustíveis:

• Proibir fumar perto de quaisquer combustíveis


possíveis;
• Estoques de combustíveis longe das áreas onde
faíscas elétricas de equipamentos, fiação, ou
relâmpagos podem ocorrer;
• Manter combustíveis separados das áreas onde há
chamas;
Outras estratégias para reduzir o risco de incêndios são:

• Limpar os líquidos inflamáveis derramados, imediatamente


após o ocorrido;
• Mantenha as áreas de trabalho livres de suprimentos extras
de material inflamável;
• Passar os cabos elétricos ao longo das paredes ao invés de
passá-los pelo chão ou em outras áreas que possam ser
pisados;
• Desligar a energia completamente e desenergizar o
equipamento antes de realizar os procedimentos de
manutenção;
• Não utilize ferramentas que propagam chama ou atrito perto
de materiais combustíveis;
• Testar rotineiramente extintores de incêndio.
Sistemas de extinção dos incêndios

• Em instalações industriais maiores ou isoladas, uma


brigada de incêndio pode ser criada.

• Hidrantes e sistemas de mangueira fornecem água


pressurizada para o combate a incêndios.
Classe do fogo Conteúdo do extintor Mecanismo Desvantagens

A Espuma, água, pó químico Quebra da cadeia de Congela se não for


refrigeração, abafando, e mantido aquecido.
diluindo

B Pó químico, Quebra da cadeia Compostos halogenados


bromotrifluorometano, espuma, asfixiante, refrigerando e são tóxicos.
CO2, e outros componentes blindando
halogenados

C Bromotrifluorometano, CO2, pó Quebra da cadeia Compostos halogenados


químico asfixiante, refrigerando e são tóxicos; incêndios
blindando podem iniciar depois do
CO2 dissipar.

D Pós especializados, tais como Refrigerando e Caro, pode ser quebrado


grafite, areia, calcário, blindando resultando um reignição .
carbonato de sódio, cloreto de
sódio

Figura 19-8
Características dos extintores de incêndio.
• Os extintores portáteis são classificados pelos tipos de fogo que
mais eficazmente podem reduzir.
• Sistemas de irrigação automática é um exemplo de um
sistema fixo de extinção.
• A água é o líquido mais comum liberado dos irrigadores.
Figura 19-9
Armário de armazenamento à prova de fogo.
Figura 19-10
Tambor anti-fogo armazenado em um gabinete de
armazenamento exterior.
Regulamentos da OSHA para
Brigadas de Incêndio
Requisitos relevantes dos regulamentos estão a seguir:

• Âmbito de aplicação. Os empregadores não são obrigados a


formar uma brigada de incêndio. No entanto, se o empregador
decidir organizar uma brigada de incêndio, os requisitos desta
seção aplicam-se.

• Planejamento pré-fogo. Ter planejamento pré-fogo


conduzido pelo corpo de bombeiros local ou pela brigada de
incêndio do local de trabalho para que eles possam se
familiarizar com os riscos no local de trabalho e de processo.
• Instrução organizacional. A instrução organizacional deve
conter as seguintes informações: descrição das funções que os
membros da brigada de incêndio são esperados para realizar; a
autoridade de cada linha oficial de bombeiros; o número dos
oficiais bombeiros e do número de instrutores de treinamento;
uma lista e uma descrição dos tipos de prêmios ou
reconhecimento de que os membros da brigada podem ser
elegíveis para receber.
• Capacidade física. A exigência de capacidade física se aplica
apenas aos membros de bombeiros que realizam combate a
incêndios estruturais interior.
• Treinamento e educação. Treinamento e educação devem
ser compatíveis com as funções que o corpo de bombeiros é
esperado para realizar.
• Equipamento de combate a incêndios. É importante
remover do serviço e substituir qualquer equipamento de
combate que está estragado ou é irreparável.
Equipamentos de combate a incêndios devem ser
inspecionados pelo menos anualmente. Os extintores portáteis e
máscaras são obrigados a ser inspecionados pelo menos
mensalmente.

• Vestuário de proteção. É a intenção dos padrões exigir a


proteção adequada para os membros da brigada de incêndio
que podem estar expostos a incêndios em um estágio
avançado, fumaça, gases tóxicos e altas temperaturas. Os
requisitos do vestuário de proteção aplicam-se apenas aos
membros das brigadas que realizam operações de combate a
incêndios das estruturas interiores.
• Aparelhos de proteção respiratória. A proteção
respiratória é necessária para o uso dos membros da
brigada de incêndio, enquanto trabalham no interior
de edifícios ou espaços confinados onde os produtos
tóxicos, de combustão ou falta de oxigênio são
susceptíveis de estar presente.
Preparações para desastres

• Capacitação de funcionários
• Membros da brigada devem ser treinados e testados
pelo menos trimestralmente.
• Preparação de desastres inicialmente requer um
compromisso de gestão, planejamento, resposta
continua e prática de recuperação pela brigada de
incêndio em uma base regular.
• Integração do planejamento da empresa com os
planos da comunidade.
• Devem ser consultados e informados sobre os planos
da empresa de preparação para desastres agências
comunitárias responsáveis por desastres como a
polícia, bombeiros, Cruz Vermelha e os hospitais.
Prevenção de Incêndios no Escritório

Estratégias úteis na prevenção de incêndios do escritório:

• fumar apenas em áreas designadas e que são equipados com


cinzeiros resistentes ao fogo mobiliário;
• verificar periodicamente circuitos elétricos e conexões.
Substituir os cabos rompidos ou gasto imediatamente;
• certificar que os cabos de extensão e outros acessórios são
aprovados pelo Underwriters Laboratories (UL) e utilizados
apenas como recomendado;
• certificar que há uma abundância de espaço aéreo
perto de máquinas copiadoras e outras máquinas de
escritório que podem superaquecer;
• localizar aparelhos que produzem calor e coloquem
distante da parede ou qualquer outra coisa que pode
inflamar;
• inspecione com frequência aparelhos pessoais, como
fogão, cafeteiras, e aquecedores de copo. Atribuir a
responsabilidade de desligar esses aparelhos todos os
dias para uma pessoa específica;
• manter os corredores, escadas e saídas sem papel,
caixas e outros materiais combustíveis.
Desenvolvimento de Padrões de
Segurança contra Incêndios
• Há aproximadamente 89.000 padrões nos EUA
• 50.000 deles realmente são especificações de compras
desenvolvidas e utilizadas pelo governo
• São desenvolvidos por 3 organizações: a National
Fire Protection Association, a American Society for
Testing Materials, e Underwriters Laboratories.
• 2 tipos básicos de padrões: os padrões por
especificações e os padrões por desempenho.
OSHA Padrões de incêndio

• Esta sub parte contém as normas para brigadas,


equipamento de supressão de fogo, fixo e outros
sistemas de proteção contra incêndio.
• Os empregadores não são obrigados a ter uma
brigada de incêndio, mas aqueles que optam por fazê-
lo devem cumprir uma série de requisitos específicos.
Segurança da Vida
• Segurança da vida envolve a proteção dos veículos,
navios e vidas de pessoas em edifícios e estruturas
dos incêndios.
• A principal referência para a segurança da vida é o
Código de Segurança da Vida, publicada pela NFPA.
• Trata da construção, proteção e características de
ocupação necessárias para minimizar os riscos de
fogo, fumaça, fumaça e pânico.
Requerimentos Básicos
• Toda estrutura, novas e existentes, é para ser
ocupado por pessoas e devem ter meios de saída de
emergência e de proteção contra incêndio.
• Toda estrutura deve ser construída ou reformada,
cuidada e operada de tal modo que os operadores
estejam protegidos do fogo, fumaça e do pânico
relacionado ao incêndio.
Meios de Saída
• As saídas devem estar claras e visíveis para que as pessoas
possam definir a melhor rota de fuga;
• toda porta ou passagem que possa ser confundida com uma
rota de fuga deve estar bem sinalizada para que não ocorra
confusão na hora da emergência;
• devem conter projeto de iluminação onde é requerido;
• sistemas de alarme de incêndio devem ser fornecidos e
permanecer funcionado enquanto todos os ocupantes não
estejam fora de perigo;
• todas as escadas, rampas, e outras formas de passar de um
andar para o outro devem ser inclusos para proporcionar
proteção aos ocupantes;.
Vestuário Resistente ao
Fogo
• Obrigatório para empregados que trabalham em posto de
trabalho no qual pode ocorrer chamas ou arcos elétricos.
Normas da OSHA para
vestuário
• Quando o trabalho é realizado perto de partes energizadas, o
empregador deve garantir que cada funcionário remova
condutivos.
• A entidade patronal deve treinar cada funcionário que é
exposto a riscos de chamas ou arcos elétricos.
• O empregador deve garantir que os funcionários expostos a
esses riscos, não usem roupas que pode aumentar a dimensão
do prejuízo.
• Quando for instalar ou remover fusíveis, o empregador tem
que garantir que os operadores utilizem luvas de pontuação
para a tensão.
Programas de Segurança
contra o Fogo
• Estar preparado contra os riscos de incêndio, estabelecendo
um programa de segurança de fogo abrangente, contendo:
avaliação, planejamento, sensibilização/prevenção e resposta.
• Para desenvolver este programa é necessário instituir um
comitê de segurança multifuncional do fogo.
• Avaliação: Continua e permanente. Membros do Comitê
devem ser treinados pelo profissional de saúde e segurança, e
passar seu conhecimento para funcionários;
• Planejamento: A OSHA exige que o plano tenha:
Rotas e procedimentos de fuga de emergência;
Procedimentos críticos de desligamento;
Procedimento de contagem de empregado;
Procedimentos de notificação de incêndios e emergência;
Importante contato pessoal para obter informações
adicionais;
• Sensibilização e Prevenção: Receber treinamento de
conscientização;
• Resposta: Organizar exercícios periódicos para que os
funcionários saibam como agir em uma situação real.
Perigo de Explosão
Muitas das substancias químicas e tóxicas
usadas são inflamáveis ou combustíveis:
• Inflamável: qualquer substância com um ponto de
inflamação inferior à 37.8ºC e uma pressão vapor
menor que 40 PSI.
• Combustível: qualquer substância com um ponto de
inflamação igual ou superior a 37.8ºC
Logo em determinadas condições elas podem
explodir.
Perigo de Materiais
Explosivos para Saúde
• O potencial de lesões graves ou morte com a força de uma
explosão ou queimadura é muito alto. No entanto existem
outros riscos associados a materiais explosivos e inflamáveis,
como: irritação da pele, intoxicação e asfixia.
• A irritação pode ocorrer quando a pele entra em contato com
a substância perigosa. O grau de irritação pode variar de
menor a grave, dependendo do tipo de substancia, sua
concentração e a duração do contato. Intoxicação pode
ocorrer quando um funcionário respira vapores de materiais
inflamáveis.
Combate a Incêndios da
OSHA
• Mesmo com o melhor programa de prevenção de
incêndio e mesmo com os melhores engenheiros de
controle no local, pode ainda ser necessário
manualmente combater incêndios em algum ponto.
Algumas empresas preferem ter seus empregados a
evacuar as instalações em caso de incêndio. Em
algumas empresas o potencial de incêndio é tanto
que elas preferem equipar seus funcionários para
combater incêndios.
Auto-Avaliação em
Proteção contra Incêndio
• Os profissionais de saúde e segurança não pode estar
em toda parte ao mesmo tempo, é aconselhado ter
assistência de supervisores e funcionários na
proteção de incêndio. Uma excelente maneira de
fazer isso é fornecer-lhes um check-list de auto-
avaliação para orientá-los nas suas áreas.
Programa de Trabalho a
Quente
• Empresas industriais que tem trabalho quente criem
um programa abrangente de trabalho a quente.
• OSHA define o trabalho quente como trabalho que
envolve a soldagem, corte, desbaste e o uso de
ferramentas que causa faíscas.
• Materiais combustíveis ou inflamáveis devem ser
mantidos a um mínimo de 20 a 35 metros de
distância do trabalho a quente, ou esses materiais
devem ser cobertos com um fogo-retardador
cobrindo para proteção.
• Componentes do Programa de
Trabalho a quente:
o Equipamentos de Segurança de Fogo: Ex.: Fogo
aspersor, extintores de incêndio, fogos-
retardadores;
o Precauções nas Práticas de Trabalho: Ex.: A
utilização de um contador de gás inflamável para
detectar vapores de gás na área de trabalho; não
permitir trabalho a quente quando o sistema de
extinção de incêndios não funcionar; usar folhas
de metal ou panos úmidos ou ambos quando o
trabalho é executado dentro de três metros de
uma aspersão;
o Requisitos do Contratante: Empreiteiros que
realizam um trabalho à quente devem ter seu próprio
programa de trabalho a quente.
o Requisitos Contra Incêndio: Durante o trabalho a
quente, um indivíduo deve ser colocado na área com a
responsabilidade de assistir e responder imediatamente
aos incêndios levando com ele um extintor e um meio
de comunicação com a emergência.
o Requisitos de Autorização: Deve ser desenvolvido
internamente para que o pessoal de segurança e outras
partes assegurem-se que todas as medidas adequadas no
plano foram tomadas, assinadas e tudo exigido foi
realizado antes do início de qualquer trabalho a quente.
Legislação Brasileira
No Brasil as normas são de acordo com a Norma
Regulamentadora (NR) 23 - PROTEÇÃO CONTRA
INCÊNDIOS

Você também pode gostar