Você está na página 1de 2

A ciência como atividade crítica

A ciência e o conhecimento cientifico não são propriamente a mesma coisa,


mas, para entrarmos na parte crítica da ciência, precisamos do
conhecimento da qual resulta esta investigação científica.
A ciência utiliza métodos e técnicas para obter conhecimentos sobre os
fenômenos estudados, o que é, por outras palavras, o conhecimento
cientifico. Este pode ser definido como uma das várias e diferentes formas
com que o ser humano se relaciona com a verdade, considerando-se parte
da epistemologia, ramo da filosofia que estuda, precisamente, os problemas
do conhecimento cientifico.
Entrado mais na definição do conhecimento cientifico, este é um
conhecimento sistemático e crítico, sendo aqui que se liga a crítica com a
ciência.
No inicio do seculo XX, as ideias de Albert Einstein e Karl Popper
revolucionaram a visão que se tinha da ciência e do método científico,
método utilizado pelo conhecimento cientifico, e por sua vez, pela ciência.
A partir daí, cedeu-se lugar à atitude crítica e o método cientifico deixou de
ser visto como um procedimento rígido que os cientistas deveriam seguir
para alcançarem o conhecimento científico.
Se recuarmos um pouco no tempo e analisarmos a história da ciência
podemos observar que esta teve uma grande evolução em relação aos seus
princípios básicos, pois muitos deles foram modificados ou substituídos em
função de novas conjeturas ou de novos padrões. Isto comprova-se, por
exemplo, quando Galileu modificou parte da mecânica de Aristóteles e
Einstein fez o mesmo com Newton.
Para tal acontecer tiveram de permitir uma atitude crítica para a análise dos
trabalhos, teorias e argumentos que lhes eram apresentados. Se não
tivessem duvidado das teorias que lhes eram apresentadas, com esta
capacidade crítica, a ciência não teria avançado pois estaríamos presos no
pensamento de que a ciência, que até tal tinha sido descoberta, era absoluta
e inquestionável, coisa que não é verdade pois não há espaço para dogmas
ou verdades absolutas dentro da ciência, tendo em conta que esta está em
constante mudança, novamente graças ao sentido crítico aplicado sobre
esta.
Falando agora da função da ciência, conceito que já se deu a entender ao
longo deste trabalho, esta resume no aperfeiçoamento do conhecimento,
possibilitando a substituição de conceitos anteriores por novos. Novamente,
tal como já foi falado anteriormente, isto é possível graças à crítica que faz
com que duvidas em relação a um certo tema possam surgir e,
consequentemente, pesquisas e experimentações sejam feitas.
A ciência, no entanto, pode estar em função da satisfação de uma
necessidade individual ou coletiva, entrando aqui os diferentes tipos de
crítica no conhecimento cientifico.
Esta crítica cientifica pode ser positiva no sentido de que segue os melhores
meios para atingir, por exemplo, uma continua melhoria da qualidade de
vida e saber da população, ou pode ser negativa, de modo a iluminar os
próprios fins de um indivíduo ou comunidade.
Concluindo, para que haja um desenvolvimento na ciência, é preciso o
senso crítico do conhecimento comum, de forma benéfica, para que, a
partir das críticas, se possam formar dúvidas e melhorar a veracidade dos
estudos científicos, veracidade esta que está sempre em constante mudança.
Webgrafia: https://periodicos.uff.br/trabalhonecessario/article/view/6096
https://www.todoestudo.com.br/filosofia/conhecimento-cientifico
Bibliografia: não foram usados livros para este trabalho

Você também pode gostar