Você está na página 1de 193

Centro Estadual de Educação Supletiva de Votorantim

MÓDULO 1

ROTEIRO DE ESTUDOS:

Leia as explicações do módulo com muita atenção acompanhando a


resolução dos exemplos.
Copie e resolva os exercícios em seu caderno na seqüência em que se
apresentam.

OBJETIVOS

Ao final deste módulo você deverá saber:

 Utilizar os sinais =,≠,< e > para estabelecer relações entre dois números;
 Ordenar uma série de números naturais em ordem crescente ou
decrescente;
 Solucionar expressões numéricas simples, envolvendo adição, subtração,
multiplicação e divisão;
 Determinar o valor de uma parcela desconhecida em adições, subtrações,
multiplicações e divisões;
 Escrever corretamente a leitura de um número no sistema de numeração
decimal;
 Escrever a leitura de um número no sistema de numeração Romano.

www.ceesvo.com.br 2
NÚMEROS... O QUE REPRESENTAM?

O homem vive cercado pelos números: horário de trabalho, velocidade e


consumo do automóvel, salário a receber, impostos e serviços a pagar, contagem
de um jogo de futebol, recordes nas competições, etc. Portanto, os números
representam um papel importante no mundo em que vivemos.

Em qualquer situação os números representam quantidades que podem


ser comparadas, isto é, podem ser iguais ou diferentes.
1º Exemplo:
O dobro de três é igual a seis.
2•3=6 O sinal usado para a multiplicação é o
6 =6 ponto (•• )
Existe uma igualdade (=) entre os dois números, pois ambos representam a
mesma quantidade.

2º Exemplo: O dobro de seis não é oito, então é diferente.


2•3≠8
6 ≠ 8 (não representam a mesma quantidade)
Quando existe o “diferente” podemos pensar em duas situações: ou o
número é maior (>) ou é menor (<) então, nesse caso 6 < 8 (seis é menor do
que oito).
ATENÇÃO...
A leitura começa da
esquerda para a direita.

Comparando os números abaixo podemos escrever usando os


símbolos de matemática:
3 é menor do que 7 3<7
6 é maior do que 2 6>2

www.ceesvo.com.br 3
Copie e responda em seu caderno:

1) Complete com os sinais adequados fazendo as comparações entre os


números:

a) 4 ........ 8 b) 9 ......... 3 • 3 c) 15......10

Confira as respostas no GABARITO ( final do módulo)

De acordo com a quantidade que representam, os números podem ser


escritos em ORDEM CRESCENTE ou ORDEM DECRESCENTE.

Uma série de números está em ordem crescente se o primeiro número for


menor que o segundo, o segundo menor que o terceiro, o terceiro menor que o
quarto, e assim por diante.


Uma série de números está em ordem decrescente se o primeiro nº for
maior que o segundo, o segundo for maior que o terceiro, o terceiro maior que o
quarto, e assim sucessivamente.


Ex.: A série (13, 10, 8, 4,2) está em ordem decrescente, pois:
13 > 10, 10 > 8, 8 > 4 e 4 > 2.

Copie e resolva os exercícios em seu caderno:

2) Escreva em ordem crescente, as séries dos seguintes números::


a) (3,4,8,7,6) b) (9,3,7,4,10,0)
www.ceesvo.com.br 4
3) Paula, Ana e Guilherme são irmãos e apresentam as seguintes alturas:
Paula = 131 cm ; Ana = 90 cm e Guilherme = 158 cm. Coloque as pessoas
citadas em ordem decrescente de acordo com suas alturas.
Confira suas respostas no GABARITO.

ANA GUILHERME PAULA

SISTEMA DE NUMERAÇÃO

Chama-se sistema de numeração as regras que permitem ler e escrever um


número.
Há vários sistemas de numeração. Ao contar unidades em grupos de 2,
trabalha-se no sistema de numeração de base 2.Os computadores utilizam esse
sistema, que é chamado sistema de numeração binário.
O sistema de numeração usado em nosso País é o que agrupa de 10 em 10
( sistema de numeração decimal).

.
SISTEMA DE NUMERAÇÃO DECIMAL
O sistema de numeração decimal, é o sistema de numeração na base 10,
isto é, aquele que agrupa de 10 em 10. Nesse sistema, utilizam-se 10 algarismos
que são os símbolos matemáticos: 0,1,2,3,4,5,6,7,8,9 para se escrever qualquer
número.
Os algarismos 1,2,3,4,5,6,7,8 e 9 são os algarismos significativos.

Observe: ATENÇÃO...
Não use o ponto (••)
Classes mil unidades para fazer a
separação da classe
dos “mil”. Isso não
existe.
145648

Copie e responda o exercício em seu caderno:

4) Escreva a leitura dos números: 208, 1243, 45736, 2365970.


Confira suas respostas no GABARITO.

www.ceesvo.com.br 5
SISTEMA DE NUMERAÇÃO ROMANO

Até o século XIII, quando os árabes introduziram na Europa os símbolos


indo-arábicos, os Europeus usavam o sistema romano de numeração para
escrever os seus números.
Guerreiros e conquistadores, os romanos eram donos de um vasto império,
lidando com grandes quantidades.
Essa necessidade levou-os a estabelecer um sistema de numeração
baseado em sete letras de seu alfabeto.

Quatro fundamentais: I X C M
(1) (10) (100) (1000)

Três intermediárias: V L D
(5) (50) (500)

Usando essas letras, os romanos escreviam seus números de acordo com as


seguintes estruturas:
a) Os símbolos ( ou letras) fundamentais podiam ser repetidos, no máximo três
vezes. De acordo com essa idéia, os romanos escreviam:

1=I 10 = X 100 = C 1000 = M

2 = II 20 = XX 200 = CC 2000 = MM

3 = III 30 = XXX 300 = CCC 3000 = MMM

b) Um símbolo colocado à esquerda de outro símbolo de maior valor indicava um,


a subtração dos respectivos valores; assim, os romanos escreviam:

4 = 5 -1 = IV 40= 50-10 = XL 400 = 500 -100 = CD


9 = 10-1 = IX 90=100 -10 = XC 900 = 1000 - 100 = CM

É conveniente notar que:


• I pode ser subtraído apenas de V e X.
• X pode ser subtraído apenas de L e C.
• C pode ser subtraído apenas de D e M.
• Os símbolos V, L, D nunca podem ser subtraídos.

c) Para representação de outros números, os romanos usavam a adição, ou seja,


os valores eram adicionados conforme você vai ver nos seguintes exemplos:
6 = 5 + 1 = VI 37 = 30 + 7 = XXXVII 15 = 10 + 5 = XV

254 = 200 + 50 + 4 = CCLIV

Os romanos não usavam símbolos para representar o número natural zero.


www.ceesvo.com.br 6
Atualmente, o sistema romano de numeração é pouco usado; ele é
empregado:
• Nos mostradores de relógios;
• Na numeração dos capítulos de um livro;
• Na designação, pela ordem cronológica, de reis e
papas de mesmo nome.

Copie e responda em seu caderno:

5) Escreva usando os nossos algarismos os números romanos: XX, XXXII,


CX, XXIV.
Confira suas respostas no GABARITO.

EXPRESSÕES NUMÉRICAS

Quando tem que resolver mais de uma operação (conta) para se chegar ao
resultado, dizemos que existe uma expressão numérica.

Exemplo 1:

Maria foi ao açougue e comprou 2 quilos de carne moída, 3 quilos de


frango e 1 quilo de costela. No almoço gastou 2 quilos de frango. Com quantos
quilos de carne Maria ficou?

2+3 +1–2=
5 + 1 – 2=
6 – 2=
4 Logo Maria ainda tem 4 quilos de carne em sua casa.

Uma seqüência de operações indicadas chama-se expressão numérica.

Existe uma ordem para se resolver uma expressão numérica que envolva as
quatro operações:
- Primeiro as multiplicações e divisões,
- Em seguida as adições (soma) ou subtrações na ordem que estão, da
esquerda para a direita.
Veja a resolução de uma expressão numérica que envolva apenas adição e
subtração:

www.ceesvo.com.br 7
3 + 4 + 6 – 2 – 3=
RESOLVE A OPERAÇÃO QUE ESTÁ EM
PRIMEIRO LUGAR ( da esquerda para a direita).
7 + 6 – 2 – 3=

13 - 2 – 3=

11 – 3 = 8

Copie e resolva em seu caderno escrevendo a expressão numérica:

6) Pedro trabalhou um dia e ganhou 15 reais, no outro dia ganhou 18 reais


e gastou 13 reais. Quanto dinheiro Pedro possui?
(Veja o exemplo da página anterior)
Confira a resposta no GABARITO

Leia com atenção o exemplo abaixo :

O símbolo usado para a


multiplicação não é X e
sim o ponto (••)

www.ceesvo.com.br 8
Para resolver uma expressão numérica que envolve adição, subtração
multiplicação e divisão você deve efetuar:

1- As multiplicações e/ou divisões.

2- As adições e/ou subtrações, conforme os passos estudados no caso


anterior.

Copie e resolva em seu caderno:

7) Quatro amigos foram tomar lanche e devoraram 3 cheesburgers, 3


americanos e 2 porções de fritas. Tomaram também 2 sucos de melão e 3 de
laranja. Depois dividiram igualmente as despesas. Quanto cada um pagou?

Escreva a expressão numérica que representa a conta dos amigos e resolva


de acordo com a tabela de preços abaixo.

PRODUTO PREÇO
Cheesburger 4,00
Americano 3,00
Fritas 2,00
Suco melão 2,00
Suco laranja 1,00

Exemplo de uma expressão numérica: 4 + 5 • 2 + 12 : 4 – 3 =

A expressão acima contém as 4 operações ( + , - , •, : ) e para resolvê-la


deve-se iniciar pela multiplicação e/ou divisão .
4 + 5 • 2 + 12 : 4 – 3 =

4 + 10 + 3 - 3 = Agora efetuam-se as
adições e subtrações
14 + 3 - 3 = conforme a ordem
apresentada.
17 - 3 = 14

Escreva o seguinte problema em forma de expressão numérica: Miguel foi a


feira e comprou 2 quilos de tomate e 5 quilos de batata. Quanto gastou?
Tabela de Preços
1 quilo de tomate 2 reais
1 quilo de batata 1 real
www.ceesvo.com.br 9
Se você encontrou 9, acertou.
2 • 2 + 5 • 1 pois são 2 quilos de tomate ( a 2 reais o quilo) mais 5 quilos
de batata ( a 1 real o quilo).
4 + 5 = 9 logo Miguel gastou 9 reais.

Copie e resolva em seu caderno:

8) Para fixar o que você aprendeu, resolva as expressões numéricas a seguir


no seu caderno.

a) 34 – 25 + 12 =

b) 23 + 12 : 6 – 3 • 3 =

c) 3 • 5 + 4 • 2 – 8 : 2 =

d) 20 – 35 : 7 =

9) Represente e resolva a seguinte compra no açougue através de uma


expressão numérica: 2 Quilos de Fraldinha, 3 quilos de carne moída, 1 frango de
2 Quilos.

Tabela de preços: 1 Quilo fraldinha = 8 reais


1 Quilo de frango = 2 reais
1 Quilo de carne moída = 7 reais.

Confira as respostas no GABARITO.

EXPRESSÕES NUMÉRICAS COM PARÊNTESES


Para resolver expressões numéricas que possuam parênteses você deve
resolver primeiramente a ou as operações indicadas que estão dentro do
parênteses , assim:
1º Exemplo: 33 – 5 • ( 4 + 2 )

33 – 5 • 6

33 – 30 = 3 Logo, o resultado da expressão é 3.

www.ceesvo.com.br 10
2º Exemplo: Acompanhe a resolução
4 + 7 • (6 – 3 : 3 )= 1º a divisão do parênteses

4 + 7 • (6 - 1 ) = 2º a subtração do parênteses
4+7•5= 3º a multiplicação
4 + 35 = 39 4º a adição

Copie e resolva em seu caderno:

10) Resolva as seguintes expressões, em seu caderno, lembrando que em


primeiro lugar resolvem-se os parênteses (observando a ordem das
operações que estão dentro dele), depois as multiplicações e/ou divisões e
por último adições e subtrações, na ordem em que aparecem.

a) 34 – ( 15 – 3 • 2 ) + 11 =

b) 125 – 6 • ( 4 + 1 ) =

c) 15 + ( 17 – 8 – 5 ) – 3 =

d) 32 : 8 – 1 • 4
Confira as respostas no GABARITO.

DETERMINAÇÃO DE UM VALOR DESCONHECIDO

Veja alguns exemplos de ações inversas:


• Calçar os sapatos e tirar os sapatos.
• Abrir a porta e fechar a porta.

Na matemática, acontecem situações parecidas, em que uma ação desfaz a


outra, mas tudo fica igual ao que era antes. Por isso dizemos que subtrair 3 e
somar 3 são operações inversas.

Adição e Subtração: são operações inversas

A operação adição é inversa da operação subtração e vice-versa.


Exemplo 1:
• Pensei em um nº; tirei 10 e deu 15. Em que nº pensei?
A ação pode ser representada assim:

www.ceesvo.com.br 11
Resolução: ? - 10 = 15 , para descobrir o nº, pensamos na ação inversa ou
operação inversa da subtração que é a adição.

15 + 10 = ?
25 = ? Conclusão: pensei no nº 25

A adição consiste em juntar elementos e formar um todo, enquanto a


subtração consiste em se tirar elementos do todo.

Veja: 5+2 = 7 e 7–2=5

Nas duas operações os números envolvidos são os mesmos e, por isso,


dizemos que, se 5 + 2 = 7, pela operação inversa, temos:

7 – 2 = 5.

Se, numa adição, uma das parcelas for conhecida, é possível, através da
operação inversa, determinar o valor da outra parcela .

1º Exemplo: Qual foi o troco que Pedro trouxe da feira, sabendo que gastou 6
reais e a quantia que possuía era de 10 reais ?
Vamos representar a parcela desconhecida ( troco) por um símbolo qualquer que
não seja um algarismo.

+ 6 = 10 Aplica-se a operação inversa


10 – 6 =
4=

Portanto, 4 é o valor da parcela desconhecida, no caso o troco de Pedro.

Exemplo 2 : Qual o nº que subtraído de 2 é igual a 5 ?

Vamos representar o nº desconhecido por K.

K – 2 = 5 Aplicando a operação inversa da subtração, que é a adição, temos:


5 + 2 = K , logo o valor de K é 7. ou K = 7

Copie e resolva em seu caderno:

11) Determine o valor desconhecido:

a) + 12 = 15 b) 5 + X = 13 c) - 8=3 d) X – 10 = 4

www.ceesvo.com.br 12
12) Quantas bonecas Ana tinha se deu 3 para uma amiga e ainda ficou com 5?
Confira as respostas no GABARITO.

Multiplicação e Divisão: são operações inversas

A operação divisão é inversa da multiplicação e vice-versa.

Veja: 5 • 2 = 10 e 10 : 2 = 5 ou 10 : 5 = 2

Nas operações indicadas, os números envolvidos são os mesmos, por isso,


dizemos que se:
5 • 2 = 10, pela operação inversa 10 : 2 = 5 ou
5 • 2 = 10, pela operação inversa 10 : 5 = 2

Se, numa multiplicação um dos fatores não for conhecido, é possível você
determiná-lo através da operação inversa.

1º EXEMPLO:

Qual o nº que multiplicado por 8 é 32 ?


Representando o número desconhecido por um símbolo qualquer, que não
seja um algarismo, temos:

• 8 = 32 Aplicando a operação inversa: 32 : 8 =

4=
Portanto, 4 é o valor do termo desconhecido.

2º Exemplo: Temos 12 litros de leite em cada caixa. Quantas caixas são


necessárias para acomodar 60 litros?

12 • ? = 60 onde ? = nº de caixas
? = 60 : 12
?= 5
Assim os 60 litros estão distribuídos em 5 caixas.

Copie e resolva os exercícios em seu caderno:

13) Determine o valor desconhecido:


a) X : 7 = 63 b) 6 • Q = 18
Confira suas respostas no GABARITO.
www.ceesvo.com.br 13
GABARITO

1) a) 4 < 8 b) 9 = 3• 3 c) 15 > 10

2) a) 3< 4 < 6 < 7 < 8 b) 0 < 3 < 4 < 7 < 9 < 10


3) Guilherme > Paula > Ana

4) Duzentos e oito ;

Um mil, duzentos e quarenta e três;

Quarenta e cinco mil, setecentos e trinta e seis.

Dois milhões, trezentos e sessenta e cinco mil, novecentos e setenta;

5) 20, 32, 110, 24

6) 20

7) 8

8) a) 21 b) 16 c) 19 d) 15

9) 41

10) a) 36 b) 95 c) 16 d) 0

11) a) =3 b) X = 8 c) = 11 d) X = 14

12) =8

13) a) X = 441 b) Q = 3

www.ceesvo.com.br 14
MÓDULO 2

OBJETIVOS:

• Associar a potência de números naturais à multiplicação de fatores iguais;


• Calcular as potências;
• Reconhecer e calcular potências de expoentes 0 e 1;
• Identificar a raiz quadrada como operação inversa da potenciação;
• Calcular a raiz quadrada;
• Calcular o valor de expressões numéricas com potenciação.

www.ceesvo.com.br 15
No módulo 1 você estudou as 4 operações (adição, subtração,
multiplicação e divisão) e já sabe resolver problemas simples de aplicação
dessas operações.
Agora, neste módulo, você vai aprender uma nova operação: a
potenciação e sua operação inversa, a radiciação.

POTENCIAÇÃO é uma multiplicação de fatores iguais, isto é, uma


multiplicação com o mesmo número.

Considere a seguinte situação:

Numa Olimpíada Cultural participam 5 colégios.


De cada colégio participam 5 turmas.
Em cada turma há 5 alunos.
Para você saber quantos alunos vão participar dessa Olimpíada, basta você
fazer:

5 • 5 • 5 = 125

SAIBA QUE:

5 • 5 • 5 representa um produto ( multiplicação) de 3 fatores iguais.

Em Matemática essa multiplicação de mesmo número é escrita usando a


operação de potenciação e é representado por 53 .

Então: 53 = 125 pois é a multiplicação do nº 5 por ele mesmo: 5 • 5 • 5

ELEMENTOS DA POTENCIAÇÃO

O fator ( número ) que se repete chama-se base; no caso do exemplo


acima é o 5.

O número que mostra a quantidade de números que se repetem


chama-se expoente, no caso o nº 3.

O número 125 que é o resultado da operação chama-se potência.

www.ceesvo.com.br 16
A operação realizada, que é uma multiplicação de fatores iguais, chama-se
potenciação.
Mostra quantas vezes se repete a
expoente Multiplicação do número que está
na base: 5 • 5 • 5 = 125

53 = 125

base potência

Veja outro exemplo:

5 fatores

25 = 2 x 2 x 2 x 2 x 2 = 32 O nº 5 não entra na conta, apenas mostra quantas


vezes se multiplica o número que está na base (o número de baixo) .

Todo número elevado a 1 é igual a ele mesmo.

Ex.: 51 = 5 71 = 7 101 = 10

Todo nº elevado a zero é igual a 1.

Ex;: 50 = 1 40 = 1 100 = 1

Toda potência de base 10 tem como resultado o número 1


seguido de tantos zeros quanto indica o número da base

Exemplo: 106 = 1000000 102 = 100 103 = 1000

LEITURA:

 Quando o expoente (número de cima) é 2, lê-se elevado ao quadrado.


7² = sete elevado ao quadrado

 Quando o expoente é 3, lê-se elevado ao cubo.


53 = cinco elevado ao cubo.

 Nos demais casos (expoentes maiores que 3 ), lemos:


24 = dois elevado a 4ª potência
105 = dez elevado a 5ª potência
www.ceesvo.com.br 17
Copie e resolva em seu caderno:

1 ) Determine as potências de:


a) 3² = e) 4² = i) 5² =

b) 2 elevado ao cubo = f) 10³ = j) 34 =

c) 71 = g) 24 = k) 6³=

d) 100 = h) 6² = l) 9² =

EXPRESSÕES NUMÉRICAS COM POTENCIAÇÃO

Para calcular o valor da expressão numérica você deve seguir os


seguintes passos:

1º Resolver as potenciações em primeiro lugar.


2º Resolver as multiplicações e divisões na ordem em que aparecem.
3º Efetuar as adições e subtrações obedecendo a ordem em aparecem.

EXEMPLO:
4² : 8 + 34 = 4² = 4 • 4 = 16
34 = 3.• 3 • 3 • 3 = 81
16 : 8 + 81=

2 + 81 = 83

Copie e resolva em seu caderno:

2) Observando o exemplo acima calcule o resultado da expressão:


a )103 : 5² • 24 =

b) 131 – 6² : 2² =

Você estudou as operações inversas no módulo 1. O inverso da adição é


a subtração, da divisão é a multiplicação e o inverso da potenciação é a
radiciação.

www.ceesvo.com.br 18
RADICIAÇÃO: é a operação inversa da potenciação.

índice
raiz
2
16 = 4 lê-se : a raiz quadrada de 16 é igual a 4.

radical radicando

O ÍNDICE 2 NÃO
PRECISA SER
ESCRITO

Exemplos:
81 = 9 porque o inverso é 9² = 9 • 9 = 81

Pense em um nº que multiplicado por ele mesmo


dá 81.
25 = 5 porque o inverso é 5² = 5 X 5 = 25

Copie e resolva em seu caderno

3) Determine o resultado das raízes quadradas abaixo:

a) 4 = e) 36 = i) 100 =
b) 9 = f) 49 =
c) 16 = g) 64 =
d) 25 = h) 81 =

EXPRESSÕES NUMÉRICAS COM RAIZ QUADRADA

Exemplo:
20 + 64 • 3 = 64 = 8 pois 8•8=64

20 + 8 • 3 =
20 + 24 = 44
www.ceesvo.com.br 19
2º Exemplo:
40 – 32 • 2 + 36 = 32 = 3 • 3 = 9
40 - 9 • 2 + 6 =
40 – 18 + 6 = 36 = 6 pois 6 • 6 = 36
22 + 6 = 28

Copie e responda em seu caderno:

4) Calcule o resultado da expressão numérica:


62 + 16 • 3 =

Confira as respostas no GABARITO

GABARITO

1) a) 9 d) 1 g) 16 j) 81
b) 8 e) 16 h) 36 k) 216
c) 7 f) 1000 i) 25 l) 81

2) a) 640 b) 4

3) a) 2 b) 3 c) 4 d) 5
e) 6 f) 7 g) 8 h) 9 i)10

4) 48

www.ceesvo.com.br 20
MÓDULO 3

OBJETIVOS:

Ao final desta U.E., você deverá saber:

 Identificar décimos, centésimos e milésimos, como a décima, centésima e


milésima partem de um inteiro;
 Adicionar, subtrair, multiplicar e dividir dois numerais decimais com
representação até milésimos;
 Multiplicar e dividir corretamente um numeral decimal com representação
até milésimos por 10, 100, 1000.

www.ceesvo.com.br 21
INTRODUÇÃO

Na sua vida cotidiana há muitas situações em que os números naturais


(0,1,2,3,4,5,6,7,8,9,10,11,12,...) não são suficientes. Por exemplo:
Ao medir um objeto qualquer você sempre obtém um número exato ou
normalmente “sobra” uma parte? Como você escreveria esse número para
representar essa medida?
Esse número formado pelo “inteiro” e as “partes” é denominado nº decimal
e é usado para facilitar e uniformizar as medidas ou valores não inteiros. Os
números que representam as “partes” do inteiro são chamados de casas
decimais.

NUMERAIS DECIMAIS

Os numerais decimais podem apresentar “partes” em décimos,


centésimos ou milésimos.

DÉCIMOS

Considere uma figura como um inteiro e divida em 10 partes iguais, cada


1
parte será chamada 1 décimo e será representada por 0,1.(nº decimal) ou (nº
10
fracionário) que você estudará no módulo 7.

Um décimo (0,1) é a representação de uma das partes de um inteiro


dividido em 10 partes iguais.

Cinco décimos (0,5) representam cinco fatias da pizza que foi dividida em
10 partes iguais (décimo)
0,5(metade de 10)

25 décimos = 10 + 10 + 5 e por isso, 25 décimos são 2 inteiros e 5 décimos


e sua representação é 2,5.

www.ceesvo.com.br 22
25
Observe: 25 décimos = portanto é 25 10
10
-20 2 inteiros
5 décimos
O “inteiro” é representado pelo número escrito antes (à esquerda) da
vírgula e a parte decimal após a vírgula, também chamado casas decimais.

Copie e resolva em seu caderno:

1) Escreva no seu caderno os símbolos dos numerais decimais:


a) oito décimos
b) sete inteiros e dois décimos
c) cento e oitenta inteiros e dois décimos.
Confira as respostas no GABARITO.

CENTÉSIMOS

Se você considerar uma figura como inteiro e dividirmos essa unidade em


100 partes iguais, cada parte é chamada de 1 centésimo e é representada por
0,01.

Um centésimo é a representação de uma das partes de um inteiro dividido em


100 partes iguais.

Ex.: 2 centésimos = 0,02


30 centésimos = 0,30.
325 centésimos = 3,25 , portanto 325 100
–300 3 inteiros
25 centésimos.

Como exemplo de inteiro dividido em centésimos (100 partes ) há:

1- O METRO: a unidade de medida dividida em 100 partes iguais (centímetro).

Ex. 2,35m = 2 metros e 35 centímetros.

2- Nossa MOEDA ou dinheiro: um real está dividido em 100 centavos.

Ex. R$ 5, 60 = cinco reais e sessenta centavos.

www.ceesvo.com.br 23
Copie e resolva em seu caderno:

2) Escreva em símbolos no seu caderno:


a) oito centésimos
b) setenta centésimos
c) dois inteiros e trinta centésimos
d) dez inteiros e dez centésimos
Confira as respostas no GABARITO.

MILÉSIMOS

Ao definir décimos, você dividiu o inteiro em dez partes iguais e para


centésimos dividiu o inteiro em 100 partes iguais. Para você definir milésimos,
divida o inteiro em mil partes iguais. Cada parte é chamada de 1 milésimo e é
representada por 0,001.
Um milésimo é uma das partes do inteiro que foi dividido em mil partes iguais.

Ex.: 2354 milésimos são representados por 2,354 e é lido dois inteiros,
trezentos e cinqüenta e quatro milésimos.

1 metro = 1000 mm

Copie e resolva em seu caderno:

3) Agora, escreva no seu caderno os numerais a seguir, usando símbolos:


a) trezentos e trinta e dois milésimos
b) quarenta e cinco milésimos
c) dois inteiros e trinta milésimos
d) seis inteiros e quatro milésimos

Confira as suas respostas no GABARITO.

www.ceesvo.com.br 24
ADIÇÃO DE NUMERAIS DECIMAIS

Para adicionar dois ou mais numerais decimais você deve colocar um


debaixo do outro, de modo que as vírgulas fiquem uma debaixo da outra. Depois
efetue a operação.

Ex.: a) 0,2 + 0,34 = 0,54 b) 0,7 + 3 + 0,283 = 3,983

0,2 0,700
+ 0,34 + 3,000
0,54 0,283
3,983
Quando o nº tem apenas o inteiro
não é necessário escrever a
vírgula depois do nº. Se quiser
preencha com zeros para
“montar” a conta.

SUBTRAÇÃO DE NUMERAIS DECIMAIS

Para subtrair dois numerais decimais, você deve proceder da mesma forma
indicada para a adição. Os números são colocados um debaixo do outro, de
modo que as vírgulas fiquem uma embaixo da outra. Depois efetue a operação.

Ex.: a) 0,85 - 0,3 = 0,55 b) 0,7 - 0,48 = 0,22


0,85 0,70
- 0,30 - 0,48
0,55 0,22

Neste caso convém completar com zeros, para facilitar o cálculo.

Copie e resolva em seu caderno:

4) Abaixo, temos o mapa de um parque ecológico. Veja que o comprimento de


cada trilha está marcado em quilômetros e foram usados números decimais.

www.ceesvo.com.br 25
PARQUE ECOLÓGICO

Responda:
a) Para ir do lago até o moinho, passando pelo mirante e pela colina, quantos
quilômetros você andará?

b) O outro caminho do lago até o moinho (via bosque e criação de peixes) é mais
curto ou mais comprido? Em quanto?

5) Nesta figura foram usados números decimais para apresentar as medidas da


casa em metros.

a) Quanto mede a altura desta casa?


b)Quanto falta para essa altura atingir 6 metros?
c) O nº que representa o que está faltando é maior ou menor do que 1 metro?

6) O segmento AB mede 6,2 cm e o segmento BC mede 2,4 cm. Quanto mede o


segmento AC?

A B C

www.ceesvo.com.br 26
7) A altura de uma casa era 3,42 m. Com a construção de um segundo andar,
passou a ter 7,05m. Quantos metros têm o 2º andar?

MULTIPLICAÇÃO DE NUMERAIS DECIMAIS

Para multiplicar dois numerais decimais, você deve efetuar operação sem
considerar as vírgulas. No final, coloque a vírgula contando da direita para a
esquerda, a quantidade total (soma) de casas decimais que há nos dois fatores
que estão multiplicando.

Exs.: a) 3,2 x 6 = 19,2 b) 2,45 x 0,03 = 0,0735

3,2 (uma casa decimal) 2,45 (2 casas decimais)


x 6 (nenhuma casa decimal x 0,03 (2 casas decimais)
19,2 (uma casa decimal) 0,0735 (4 casas decimais)

No resultado 735 ao contar 4 casas decimais fica faltando uma. Por isso, são
acrescentados tantos zeros à esquerda quantos forem necessários para se
colocar a vírgula.

c) 0,34 x 3,2 = 1,088


0,34 (2 casas decimais)
x 3,2 (1 casa decimal)
068
102+
1,088 (três casas decimais)

Copie e resolva em seu caderno:

8) Cada metro de fio de arame custa R$ 17,20. Dê o preço de:


a) 3 metros de arame
b) 4,5 metros de arame
c) 0,75 metro de arame

www.ceesvo.com.br 27
DIVISÃO DE DOIS NUMERAIS DECIMAIS

Lembre-se: - As divisões em que o resto é zero são chamadas de


divisões exatas e as que o resto é diferente de zero são chamadas de não
exatas.
Observe:

6 3 25 4
0 2 1 6

Nos exemplos acima os números 6 e 25 são denominados dividendos (o


que está sendo dividido).
Os nºs 3 e 4 são os divisores,
Os nºs 2 e 6 são chamados quocientes,
Os nºs 0 e 1 são os restos.

Para dividir dois numerais decimais, é necessário que o dividendo (nº


que está fora da “chave”) e o divisor tenham a mesma quantidade de casas
decimais. Quando são diferentes acrescentamos zeros onde for necessário
para que fiquem com a mesma quantidade de casas decimais dentro e fora
da chave.:

Exemplos:

1º) 34,6 : 0,02

1 casa decimal 2 casas decimais

Neste caso, acrescente um zero à parte decimal do dividendo 34,6 para


que fique com a mesma quantidade de casas decimais do divisor 0,02.
Após certificar-se de que as casas estão igualadas, cancele as vírgulas e
então efetue a operação, como se fossem dois números naturais.
Exemplos:

Assim: 3460 002 efetue a divisão como nº inteiro (sem vírgula)

14 1730
06
00

www.ceesvo.com.br 28
2º) 34,603 : 0,3

Agora é no divisor ( 0,3) que você tem que acrescentar dois zeros para
ter a mesma quantidade de casas decimais do dividendo (34,603).
Assim: 34603 : 03 00 ( sem vírgulas)

3º) 87,5 : 1,25 =


Igualando as casas, você obtém: 87,5 0 : 1,25
Cancelando as vírgulas: 8750 : 125

8750 125
0000 70

Logo: 87,5 : 1,25 = 70

Copie e resolva em seu caderno:

9) Resolva os problemas efetuando as operações necessárias.


a) Quatro amigos foram a um restaurante e dividiram igualmente uma conta de
R$19,60 reais. Quanto coube a cada um?

b)Uma barra de ferro mede 2,24 cm. Quero cortar em pedaços de 0,28cm. Em
quantas partes ficará dividido?

c)Um boneco dá passos de 18,56 cm. Quantos passos ele deve dar para andar
55,68 cm?
Confira a resposta no GABARITO

MULTIPLICAÇÃO DE NÚMEROS DECIMAIS POR 10, 100 OU POR 1000

Agora você irá aprender a multiplicar um numeral decimal por 10, 100 ou
1000 de uma forma mais simples e mais rápida.
Para multiplicar um nº decimal por 10, você deve mudar a vírgula uma
casa para a direita.
Para multiplicar um nº decimal por 100 , você deve mudar a vírgula duas
casas para à direita.
Para multiplicar um nº decimal por 1000, você deve mudar a vírgula três
casas para a direita. OBSERVE que a vírgula estava entre os
números 4 e 6 e passou entre os nºs 6 e 5
(“andou” uma casa).

www.ceesvo.com.br 29
Ex.: 34,65 x 10 = 346,5
6,2 x 10 = 62,0 (acrescente tantos zeros à, direita, quantos forem necessários).
3,456 x 100 = 345,6
24,5 x 100 = 2450,0 ou apenas 2450
3,4567 x 1000 = 3456,7
345,67 x 1000 = 345670,0 ou 345670

Copie e resolva em seu caderno:

10) Efetue as operações indicadas, conforme as regras que você já


estudou:
a) 2,64x10= f) 8,321 x 100 =
b) 4,3 x 10 = g) 4,3 x 1000 =
c) 0,3 x 10 = h) 8,13 x 1000 =
d) 2,64 x 100 = i) 8,321 x 1000 =
e) 0,3 x 100 = j) 0,03 x 1000 =

Confira a resposta no GABARITO

DIVISÃO DE NUMERAIS DECIMAIS POR 10, 100 OU 1000

A divisão de numerais por 10, 100 ou 1000 você pode efetuar de uma forma
simples e rápida, semelhante ao modo de multiplicação desses números por 10,
100 ou 1000. Veja:
Para dividir um numeral decimal por 10, 100 ou 1000, desloque a vírgula
para a esquerda, uma, duas ou três casas decimais, respectivamente.
Ex.:
34,5 : 10 = 3,45
0,3 : 10 = 0,03 (acrescente tantos zeros quantos forem necessários para colocar a vírgula)
34,5 : 100 = 0,345
34,5 : 1000 = 0,0345

Copie e resolva em seu caderno:

11) Efetue, no seu caderno, as operações indicadas a seguir:


a) 3,4 : 10 = f) 7,625 : 100 =
b) 0,8 : 10 = g) 3,4 : 1000 =
c) 0,625 : 10 = h) 7,62 : 1000 =
d) 3,4 : 100 = i) 762,5 : 1000 =
e) 0,8 : 100 = j) 625 : 1000 =

Confira a resposta no GABARITO


www.ceesvo.com.br 30
GABARITO:

1) a) 0,8 b)7,2 c)180,2

2) a) 0,08 b)0,70 c)2,30 d)10,10

3) a) 0,332 b)0,045 c)2,030 d)6,004

4) a) 5 km b) mais comprido (5,8 km) em 0,8 Km

5) a) 5,25m
b) 0,75m
c) < que 1(menor)

6) 8,6 cm

7) 3,63m

8) a) R$ 51,60 b) R$ 77,40 c)R$ 12,90

9) a) R$ 4,90 b) 8 partes c) 3

10) a) 26,4 f) 832,1


b) 43 g) 4300
c) 3 h) 8130
d) 264 i) 8321
e) 30 j) 30

11) a) 0,34 f) 0,07625


b) 0,08 g) 0,0034
c) 0,0625 h) 0,00762
d) 0,034 i) 0,7625
e) 0,008 j) 0,625

www.ceesvo.com.br 31
MÓDULO 4

OBJETIVOS:

• Identificar o real como unidade do sistema monetário brasileiro;


• Escrever corretamente a leitura de uma quantia no sistema monetário
brasileiro;
• Identificar porcentagem como uma quantidade em relação ao valor fixo 100;
• Calcular porcentagem em relação a uma quantidade qualquer.

No módulo 3 você aprendeu a operar ( fazer contas) com os números


decimais.
Uma aplicação direta do uso desses números está nas operações que você
faz com “dinheiro”.
Quando você faz “conta” para saber quanto gastou, quanto sobrou de troco,
você está operando com números decimais.
Acompanhe as explicações desse módulo.

www.ceesvo.com.br 32
TRABALHANDO COM DINHEIRO

O QUE É O DINHEIRO?

Dinheiro é uma unidade de troca. É tudo o que permite comprar ou vender


alguma coisa – mercadoria ou serviço.
Os povos antigos costumavam trocar uma determinada mercadoria por
outra, conforme as suas necessidades. As mercadorias funcionavam como
dinheiro.
Com o passar do tempo as pessoas começaram a utilizar determinados
produtos como meio de troca quando desejavam adquirir uma mercadoria.
Primeiro foi o sal, depois o gado, a carne, o couro, o açúcar, o algodão, o
fumo, a prata, o ouro, etc. Todos esses produtos também funcionavam como
dinheiro.
Mais tarde surgiram as moedas cunhadas. Depois das moedas, veio o
papel-moeda. Hoje o papel-moeda está sendo cada vez mais substituído pelo
cheque e pelo cartão de crédito.
Moedas, notas, cheques, cartões de crédito, tudo é dinheiro.

SISTEMA MONETÁRIO BRASILEIRO

A) Real é a unidade padrão do sistema monetário brasileiro e o símbolo é R$.


Essa unidade padrão foi dividida em 100 partes iguais e cada uma recebeu o
nome de centavo.

Então 1 real = 100 centavos

1 centavo = 0,01 real

Atualmente são cunhadas moedas de metal de 1, 5, 10, 25 e 50 centavos e


de 1 real e são impressas cédulas de papel no valor de 1, 2, 5, 10, 20, 50 e 100
reais.

A casa da moeda é responsável pela cunhagem e pela impressão do


dinheiro, portanto é proibido a qualquer outro indivíduo a fabricação de dinheiro.

www.ceesvo.com.br 33
B ) Escrita

Para se representar um valor em reais escreve-se o símbolo R$ seguido da


importância em números decimais, com representação em centésimos (duas
casas depois da vírgula). Mesmo que não haja centavos coloca-se a vírgula e
dois zeros.

Exemplos : R$ 5,35 R$ 2,00 R$ 0,01

C ) Leitura
O numeral decimal 5,35 é lido 5 inteiros e 35 centésimos.
Para se ler R$ 5,35 substituem-se inteiros por reais e centésimos por
centavos.

No preenchimento de cheque é usado o numeral decimal (números) e


também escrito por extenso como se lê.

Exemplos:
R$ 5,35 lê-se cinco reais e trinta e cinco centavos.
R$ 2,00 lê-se dois reais ( não se diz zero centavos ).
R$ 0,01 lê-se um centavo ( não se diz zero reais ).

Copie e responda no seu caderno:

1) Escreva por extenso como se lê as seguintes importâncias:

a) R$ 122,20
b) R$ 1034,50
c) R$ 0,08
d) R$ 30,25

2) Escreva simbolicamente (usando os números) as seguintes importâncias:

a) Dois reais e setenta e cinco centavos


b) Trinta e cinco reais
c) Doze reais e oito centavos
d) Duzentos e quarenta e dois reais e trinta e cinco centavos
e) Nove reais e noventa centavos

www.ceesvo.com.br 34
3) Escreva por extenso a quantia que aparece no cheque:

# 3520, 80 #

Loja dos armários

Votorantim, 10 setembro 2005

OPERAÇÕES

A ) Adição : para adicionar duas ou mais importâncias em reais, efetua-se da


forma indicada para os números decimais( vírgula embaixo de vírgula).

Ex.: R$ 720,38 + R$ 6,00 720,38


6,00 Coloque vírgula
embaixo de vírgula
726,38 na adição e subtração
R$ 720,38 + R$ 6,00 = R$ 726,38

B ) Subtração: Efetua-se da forma indicada para os números decimais .

Ex.: R$ 650,00 – R$ 34,50 650,00


- 34,50
615,50
R$ 650,00 – R$ 34,50 = R$ 615,50

C ) Multiplicação : só é válida a multiplicação de uma importância em real por


um número. Não existe a multiplicação de real por real.

Para se multiplicar real por número efetua-se da mesma forma que a


multiplicação de numerais decimais (mód 3).

www.ceesvo.com.br 35
No resultado são conservadas apenas duas casas decimais.

Exemplos: a) R$ 72,00 X 3 = 72,00


X _3_
216,00

R$ 72,00 X 3 = R$ 216,00

b) R$ 72,00 • 3,5 = 72,00 (duas casas decimais)


X 3,5 (uma casa decimal)
36000
21600+
252,000

R$ 72,00 • 3,5 = R$ 252,00

c) Você comprou 1,4 Kg de carne . Sabendo que o quilo custa R$ 8,50, quanto
você pagou pela carne?
8,50
X 1,4
3400
150+
11,900
Resp.: Você pagou R$ 11,90. (apenas duas casas depois da vírgula).

D ) Divisão : efetua-se a divisão que envolve o real da mesma forma que a


divisão de números decimais.
Há duas possibilidades de divisão que envolve o real:

 1ª) Divisão de real por real: o quociente (resultado) é um número


(quantidade).


Ex.: R$ 7,50 : R$ 1,50 =


Como a quantidade de casas
decimais (depois da vírgula) é
750 150
o mesmo cancele-as e faça a
0 5
divisão.

R$ 7,50 : R$ 1,50 = 5

www.ceesvo.com.br 36
 2ª) Divisão de real por um número: o quociente (resultado) é real.
(dinheiro)

Ex.1: R$ 60,00 : 4 igualando as casas e cancelando as vírgulas obtém-se :


Como o resultado é em Real deve-se acrescentar a
6000 400 vírgula e dois zeros do centavo.
2000 15
00
Logo: R$ 60,00 : 4 = R$ 15,00

Ex. 2: R$ 70,00 : 4 acrescenta dois zeros e cancela as vírgulas


7000 400
3000 17,50
2000
000
Logo: R$ 70,00 : 4 é igual a R$ 17,50

Copie e responda no seu caderno:

4 ) Copie e efetue em seu caderno as seguintes operações:


a) R$ 66,00 + R$ 3,50 =
b) R$ 3,20 + R$ 6,40 + R$ 19,20 =
c) R$ 65,20 – R$ 32,10 =
d) R$ 195,00 – R$ 65,30 =
e) R$ 18,30 · 3 =
f ) R$ 48,00 : R$ 3,00 =
g) R$ 54,00 : 6 =
h) R$ 960,00 : 8 =

www.ceesvo.com.br 37
PORCENTAGEM

OBSERVE:
LIQÜIDAÇÃO
DESCONTO DE
40% Neste anúncio aparece a

expressão 40%

que se lê: “quarenta por cento”.

O que você entende desse anúncio?

A expressão “desconto de 40%” pode ser entendida que em cada R$ 100,00 você
terá um desconto (abatimento) de R$ 40,00 no preço de uma mercadoria.

Ex.:
Se você gasta R$ 100,00 terá um desconto de R$ 40,00 e paga R$ 60,00.

Se você gasta R$ 200,00 terá um desconto de R$ 80,00 e paga R$ 120,00.

Se fosse 30% de desconto, seriam R$ 30,00 em cada R$ 100,00. Isto é, a pessoa


só pagaria R$ 70,00.

Leitura: do símbolo porcentagem ( % )

6% - lê-se seis por cento e quer dizer 6 em 100

15% - lê-se 15 por cento e quer dizer 15 em 100.

A porcentagem pode ser escrita na forma de fração:

20
20% é o mesmo de
100
45
45% é o mesmo de
100

www.ceesvo.com.br 38
Copie e responda no seu caderno:

5 ) Copie o quadro e complete os espaços vazios em seu caderno conforme o


exemplo da primeira linha.

% Lê-se Representação em fração


30% Trinta por cento 30
100
Cinco por cento
85 por 100
8%
15%

COMO CALCULAR A PORCENTAGEM?

A contribuição ao INSS é de 8% sobre os vencimentos de um trabalhador. De


quanto deve ser essa contribuição para quem recebe R$ 300,00 ?

A resolução do seu problema está certa se você obteve R$ 24,00 de


resposta.
8% de R$ 300,00 é 8 : 100 de R$ 300,00

8 2400,00
·• 300,00 = = 24,00
100 100

OBS. Se você não colocar os dois zeros dos centavos na conta, não deverá
dividir por 100, pois já “cortou” os dois zeros.
Ex.: 8 • 300 = 24,00

Copie e responda no seu caderno:

6 ) Para fixar o que você aprendeu, resolva os seguintes exercícios cujas


respostas estão no final da apostila.
a ) Calcule 7% de 100
b ) Calcule 15% de 120
c ) Calcule 65 % de R$ 2300,00
d ) Calcule 22% de R$ 7200,00

www.ceesvo.com.br 39
7 ) Resolva os problemas:
a ) Pedro fez um teste, do qual acertou 65% das 20 questões. Quantas
questões Pedro acertou?

b ) Um aparelho de eletrodomésticos que custava R$ 700,00 teve um acréscimo


de 5% . Qual ficou sendo o preço do aparelho com o aumento?

c ) Joana pagou 30% de uma conta de R$ de 500,00. Calcule a quantia que ela
pagou.

d ) Uma loja de eletrodomésticos está anunciando uma liquidação. A geladeira


cujo preço era de R$ 800,00 , está com um desconto de 25% à vista. Qual é o
preço à vista da geladeira

Salário líquido
é o salário bruto
8) Uma pessoa recebe um salário bruto de R$ 1400,00, dos menos os
quais são descontados 8% para previdência social descontos.
( que pagará sua aposentaria ) e 27% de imposto de renda.
Calcule o salário líquido dessa pessoa.

SUGESTÃO:
= Calcule 8% de R$ 1400,00 são os descontos
- Calcule 27% de R$1400,00

9 ) Qual a porcentagem que corresponde a parte riscada de cada figura ?

a) b) c)

..................... ........................ ....................

www.ceesvo.com.br 40
GABARITO

1) a ) Cento e vinte e dois reais e vinte centavos


b ) Um mil, trinta e quatro reais e cinqüenta centavos
c ) Oito centavos
d ) Trinta reais e vinte e cinco centavos

2) a) R$ 2,75 b ) R$ 35,00 c )R$ 12,08


d )R$ 242,35 e) R$ 9,90

3) Três mil, quinhentos e vinte reais e oitenta centavos.

4) a ) R$ 69,50 b ) R$ 28,80 c ) R$ 33,10


d ) R$ 129,70 e ) R$ 54,90 f ) R$ 16,00
g ) R$ 9,00 h ) R$ 120,00

5)
% Lê-se Significa
30% Trinta por cento 30 em 100
5% Cinco por cento 5 em 100
85% Oitenta e cinco por cento 85 em 100
8% Oito por cento 8 em 100
15% Quinze por cento 15 em 100

6) a)7 b) 18 c) R$1495,00 d)R$ 1584,00

7) a ) 13 b)R$ 735,00 c) R$ 150,00 d)R$ 600,00

8) R$ 910,00

9) a)25% b) 50% c) 100%

www.ceesvo.com.br 41
MÓDULO 5

OBJETIVOS:

O aluno será capaz de:


- Utilizar as unidades de medidas do comprimento, massa e capacidade;
- Diferenciar uma unidade de medida da outra;
- Efetuar transformações de unidades quando necessário;
- Operar com essas medidas;
- Resolver situações-problemas do cotidiano.

Neste módulo você vai aprender o que são, para que servem e como utilizar
as unidades de: tempo, comprimento, capacidade e massa.
- A todo o momento estamos avaliando o tempo, usando as unidades de
medida e as relações entre elas.

www.ceesvo.com.br 42
MEDIDAS DE TEMPO:

A unidade de medida do tempo mais usada é a hora (h).

Você sabe que:


- Um dia tem 24 horas;
- 1 hora tem 60 minutos;
- 1 minuto tem 60 segundos;
- 1 semana tem 7 dias;
- 1 mês tem 30 dias (é fixado em 30 para cálculos de problemas).
- 1 ano tem 12 meses
- 1 ano civil tem 365 dias (usado para cálculo de problemas);
- O ano bissexto tem 366 dias;
- O ano bissexto ocorre de 4 em 4 anos;
- 1 decênio ou década (10 anos);
- 1 século ou centenário (100 anos);
- Milênio (1.000 anos), etc.

Copie e resolva em seu caderno:

1) Copie o quadriculado que está na página seguinte em seu caderno e preencha


as quadrículas da palavra-chave:

1. Período de 100 anos.


2. Período de domingo a sábado.
3. Período de 6 meses.
4. Período de 1.000 anos.
5. Ano de 366 dias.
6. Período de três meses.
7. Período de três anos.
8. Mês de 29 dias no ano bissexto.

1
2 E
3 M
4 E
5 S
6 T
7 R
8 E

www.ceesvo.com.br 43
Atenção:

No relógio, o tempo é medido em O dia tem 24 horas.


horas, minutos e segundos. A primeira metade do
O ponteiro menor marca as horas dia compreende as
e o maior os minutos. horas de 1 a 12 (ou
O ponteiro mais fino marca os meio dia). A segunda
segundos. metade, as horas de 13
a 24 (ou meia-noite)

23 24

12 13
11 1
22 10 14 O relógio está marcando:
2
21 9 3 15
14h e 40 min (se for á tarde).
8 4 16
20 2h e 40 min se for de madrugada.
7 5
19 6
17
18

O ponteiro mais fino dá uma volta completa em 60 segundos que


corresponde a 1 minuto.

60 segundos = 1 minuto

O ponteiro maior dá uma volta completa em 60 minutos, que correspondem


à 1 hora.

60 minutos = 1 hora

O ponteiro maior percorre um espaço entre um número e outro em 5 minutos.

Relação entre hora e dia:

Para dar uma volta completa o ponteiro pequeno leva 12 horas ou metade do dia.
www.ceesvo.com.br 44
Do meio dia (12 horas) até meia noite, o ponteiro dará mais uma volta
completa passando-se mais 12 horas ou a 2ª metade do dia.

1 dia = 24 horas

1
dia = 12 horas
2

1
Como posso calcular (metade) hora? 1h = 60 min então:
2
60 2
1
00 30 min da hora = 30 minutos
2

1
E da hora?
4

É fácil!

Dividimos 60 4
20 15 min
0

Obs.: na divisão do tempo não se


QUANTAS HORAS HÁ EM 130 MIN.?
cancelam os zeros.

130 60 130 min = 2h e 10 min ( o resto são os minutos )


10 2

QUANTOS MINUTOS HÁ EM 160 SEGUNDOS? 160 60


40 2 min e 40 seg

Copie e resolva em seu caderno:

2) Responda em seu caderno:


1- Uma hora da tarde é o mesmo que________horas.
2- Meia noite é o mesmo que_________horas.
www.ceesvo.com.br 45
3- Dezessete horas é o mesmo que________horas da tarde.
4- Vinte e uma horas é o mesmo que________horas da noite.

3) Num jogo da Seleção Brasileira de Futebol, o primeiro gol foi feito aos 10 min
de jogo e o segundo gol, 20 minutos depois do primeiro gol. Sabendo-se que o
jogo foi iniciado às 16h 10 min, a que horas foi feito o segundo gol?

MEDIDAS DE COMPRIMENTO

Há muitos e muitos anos atrás a tendência era utilizar como unidade de


medida de distância o nosso pé, a mão (palmo), o passo etc.
Por volta do século XIX foi definido na França, o metro, como unidade
fundamental de comprimento (distância entre dois pontos) e desde então os
diversos países passaram a adotá-lo.
Mas há ocasiões em que o metro não é adequado para medir.

Por exemplo:
- para medir uma rua ou avenida o “metro” é pequeno demais, então usamos os
múltiplos do metro:

dam (decâmetro) é 10 vezes o metro


hm (hectômetro) é 100 vezes o metro
km (quilômetro) é 1000 vezes o metro

- para medir um lápis, o metro é grande demais, então usamos os submúltiplos


do metro:
dm (decímetro) é o metro dividido em 10 partes iguais Cada parte é
representado por 0,1m
cm (centímetro) é o metro dividido em 100 partes iguais. Cada
parte é representada por 0,01m
mm (milímetro) é o metro dividido em 1000 partes. Cada parte é
representada por 0,001m

Observe o quadro das medidas de comprimento:

Unidade
Múltiplos Submúltiplos
Fundamental
Quilômetr Hectômetro Decâmetro Metro Decímetro Centímetro Milímetro
o hm Dam m dm cm mm
Km
1000m 100m 10m 1 0,1 0,01 0,001
www.ceesvo.com.br 46
UNIDADES DE MEDIDAS

Para medir ou comparar quantidades de uma mesma grandeza deve-


se ter uma medida padrão que são as Unidades de Medidas.

NÃO PODEMOS COMPARAR DUAS GRANDEZAS SE SUAS


MEDIDAS ESTIVEREM ESCRITAS EM UNIDADES DIFERENTES.

Ex.: uma distância em metros e outra em quilômetros.

Ex. 1:
Se você tem 5 dúzias de laranjas em um cesto e 6 dezenas de laranjas em
uma árvore e perguntarem onde há mais laranjas, o que você vai responder?

Para saber a resposta é necessário que as 5 dúzias e as 6 dezenas sejam


transformadas em uma mesma unidade. Não se pode comparar apenas as
quantidades 5 e 6. Então transformamos tudo na mesma unidade de medida.
1 dúzia = 12 unidades.
5 dúzias = 5 x 12 = 60 unidades.
1 dezena = 10 unidades.
6 dezenas = 6 x 10 = 60 unidades.

Transformando na mesma unidade de medida você percebe que existe a mesma


quantidade de laranjas.

MUDANÇA DE UNIDADE DE MEDIDA DO COMPRIMENTO

Atenção: Para efetuar a operação:

30m + 20cm

Você não pode efetuar a operação com unidades diferentes: o metro e o


centímetro.

Há duas opções: Você pode transformar tudo em metro ou tudo em


centímetro.
Lembre-se 1 metro = 100 centímetro

www.ceesvo.com.br 47
Transformando em centímetro:

Assim: 30m = 30 • 100 = 3000cm


+ 20cm
3020cm

Transformando em metro:

Pense: 1 cm é igual 0,01 metro

20 cm é igual 20 x 0,001 metro = 0,20 metros


Relembrando:
logo 30 m + 0,20 m = 30,20 m Para adição e subtração
de números decimais é
30 00 m necessário colocar
+0,20 m vírgula embaixo de
30,20 m vírgula.

MÉTODO PRÁTICO DE TRANSFORMAÇÃO DE UNIDADES

Para passar de uma Unidade de Medida maior para uma Unidade de


Medida menor basta deslocar (andar) a vírgula para a direita, acompanhando
a descida da escada, como mostra o desenho abaixo.
Isto é cada degrau da escada que você desce é como se estivesse
multiplicando por 10.

Ex.: 5,8 Km para transformar em m = 5800m (a vírgula “desce” 3 degraus)

5 Comece escrevendo o número


Km 8 inteiro (à esquerda da vírgula) na
hm 0 Unidade de Medida indicada e
dam 0 depois, distribua os outros pelos
M degraus da escada.
dm
cm
mm

Para passar de um submúltiplo para múltiplo, basta deslocar a vírgula


para a esquerda. Isto é cada vez que você “sobe” o degrau da escada está
dividindo por 10.
www.ceesvo.com.br 48
Ex.: 125 cm para m = 1,25m

LEMBRE-SE!
Quando o nº não vem escrito com vírgula ela está depois do último
algarismo (125,). Para distribuir os números nos degraus da escada comece
pelo número que está com a vírgula como mostra o desenho abaixo.

Km
hm
dam 1,
M 2
dm 5
cm
mm

Copie e resolva em seu caderno:

4) Copie e resolva em seu caderno transformando as unidades em m (metro):


a) 5,5 km + 3,4 m =
b) 5,4 m - 40 cm =
c) 3 m + 2,8 km =
5) Um ônibus iniciou a viagem às 9h, saindo do km zero. Ás 10h passou pelo km
80 e às 11h pelo Km 153.

a) Quantos Km andou?
b) Quantos quilômetros fez na segunda hora de viagem?
c) Quantas horas se passaram até o Km 153?

6) De sua casa até o clube, Antonio percorre 4,25 km. Ele já percorreu 170
metros do caminho. Quantos metros faltam para chegar ao clube? NÃO
ESQUEÇA DE TRANSFORMAR TODAS AS MEDIDAS EM METRO (m).

MEDIDAS DE CAPACIDADE
Você aprendeu a medir comprimentos (distância) e a trabalhar com as
unidades de medida de comprimento.
Há situações que exigem um outro tipo de medida.

www.ceesvo.com.br 49
Por exemplo:
- Como medir a quantidade de leite?
- Como a Sabesp mede a quantidade de água no reservatório?
- Como medir a quantidade de batata que está no saco?
Para facilitar e padronizar essas situações foram estabelecidas as unidades de
medida de capacidade (para as duas primeiras) e as de massa (para a 3ª
situação).
As unidades de medida de capacidade são geralmente utilizadas para medir
líquidos e gases e as unidades de medida de massa servem para medir os
sólidos.
Observe os desenhos dos recipientes de alguns produtos e a quantidade
contida em cada um.

Contém 1L Contém 250 ml Contém 1000 ml Contém 900ml

Para medir a capacidade de líquidos e gases, costuma-se empregar o


volume dos recipientes que os contém.

Capacidade de um recipiente é o maior volume de líquido que ele pode


conter. Veja o desenho: o maior volume de água dessa piscina é 1000L (litros),
pois a piscina tem um volume de 1m3 = 1000L

A unidade fundamental das medidas de capacidade é o litro, que


corresponde ao volume de 1 dm³.
www.ceesvo.com.br 50
Escreve-se: L
1L equivale a 1dm³ = 1dm • 1dm • 1dm 1 dm

1 L = 1 dm³ 1 dm
1 L = 1000 cm³
1 dm

Mas afinal o que é litro?

Litro é a unidade fundamental de medida de capacidade e corresponde a


quantidade de líquido que preenche um cubo de 1dm ou 10 cm de aresta (lados).

UNIDADES DE MEDIDAS DE CAPACIDADE

Para volumes pequenos usam-se os submúltiplos do litro e para volumes


grandes usam-se os múltiplos do litro.
As unidades mais usadas são o litro (L), e o mililitro (ml).

Múltiplos e submúltiplos do litro


MÚLTIPLOS UNIDADE SUBMÚLTIPLOS
quilolitro hectolitro decalitro litro decilitro centilitro mililitro
kl hl dal l dl cl ml
1000 L 100 L 10 L 1L 0,1L 0,01L 0,001L

Pelo quadro acima você pode concluir que:


Cada unidade de capacidade é 10 vezes maior que a unidade
imediatamente inferior (da esquerda para a direita).
Obs.: Utilize o mesmo raciocínio da escada para a transformação das unidades.

Atenção:
Você pode usar a mesma técnica dos degraus da escada para fazer a
transformação das unidades de medidas de capacidade (veja o exemplo na
unidade de medida do comprimento).

Ex. 4,65hl = 465L Veja:

Kl
4
hl
6
dal
5
L
dl
cl
ml

www.ceesvo.com.br 51
Copie e resolva em seu caderno:

7) Transforme as unidades em litro (L) e efetue as operações:


a) 2,5 dl + 3,26 l=
b) 953 ml + 2 l =

8) Uma piscina cheia comporta 1800L de água. Hoje ela está com 60 dal de sua
capacidade. Quantos litros de água estão faltando para atingir sua capacidade
total?
SUGESTÃO: transforme 60dal em L (litros) para resolver o problema.
9) 1 litro de leite custa R$ 1,20. Quanto gasta por semana, uma família que
consome 2000ml por dia?

MEDIDAS DE MASSA (sólido)


É muito comum em nossa vida usarmos as expressões “tenho que
perder peso” ou “ganhar peso”. Essas expressões, porém não são verdadeiras
porque na realidade a pessoa perde massa e não peso.
A balança é o aparelho que avalia a massa, isto é, dá a medida da massa
dos corpos.

MASSA E PESO

Muita gente confunde massa com peso

Massa de um corpo (objeto) é a quantidade de matéria que constitui o


corpo.
A quantidade de matéria que forma um corpo é sempre a mesma em
qualquer lugar. Portanto, um pedaço de ferro terá a mesma massa em São Paulo,
no Rio de Janeiro, no Rio Grande do Sul e na Lua.

www.ceesvo.com.br 52
O peso de um corpo é a força com a qual a terra atrai esse corpo. Essa
força de atração é chamada gravidade.
A força da gravidade não é a mesma em todos os lugares da terra. Então, o
peso (força) de um corpo pode variar de lugar para lugar.
À medida que aumenta a distância do corpo em relação ao centro da Terra,
diminui a força da gravidade. O peso do corpo diminui, mas a massa não.
Guarde bem isso:
Peso é força (medida de uma grandeza usada na física) e massa é a
quantidade de matéria (unidade de medida).
UNIDADES DE MASSA
A unidade fundamental de massa é o quilograma. Abrevia-se kg
O quilograma equivale aproximadamente à massa de 1 dm³ (1 litro) de água
destilada à temperatura de 4°C.
Na prática a unidade de massa mais empregada é o grama.
O grama é a milésima parte do quilograma. Partindo do grama você terá os
seguintes múltiplos e submúltiplos:

MÚLTIPLOS E SUBMÚLTIPLOS DO GRAMA

MÚLTIPLOS UNIDADE SUBMÚLTIPLOS


quilograma hectograma decagrama metro decigrama centigram miligrama
kg hg dag g dg a mg
cg
1000g 100g 10g 1g 0,1g 0,01g 0,001g

Obs: Utilize o mesmo raciocínio da escada para a transformação das unidades.


Ex. : 25,3mg = 0,0253g
Kg
hg
dag
g ,0
dg 2
cg 5
Mg 3
Comece colocando a vírgula na
Unidade de Medida indicada e depois distribua
os números pelos degraus da escada
deslocando a vírgula para a esquerda.

UNIDADES ESPECIAIS – “CURIOSIDADES”


Para medir grandes massas emprega-se a
Tonelada (ton) = 1000kg
www.ceesvo.com.br 53
Megatonelada (megaton) = 1000 ton = 1 000 000 kg
Para medir a massa de pedras e metais preciosos usa-se o quilate.
1 quilate = 0,2g

Exemplo: anel de diamante de 3 quilates tem massa igual a 0,6g:


0,2 g • 3 = 0,6g

Copie e resolva em seu caderno:

10) Pesquise os preços do quilograma de cada produto e calcule, em seu


caderno, o valor dos pesos indicados.

prod preç 3 kg 3 12 4k 5 kg
uto o kg 1
kg 2
Arro R$
z 1,00
Feijã R$
o 1,80
Açúc R$
ar 0,60
Pó R$
de Café 5,60
Tom R$
ate 1,10

Para adicionar, subtrair, multiplicar e dividir medidas nas unidades


estudadas é necessário que todas estejam na mesma unidade. Se não
estiverem é preciso transformá-las para que fiquem na mesma unidade. Usem o
método prático da “escadinha” para fazer as transformações necessárias.

Ex.: 7,3kg – 650g

Vou transformar 7,3 kg em g = 7300 g:


7.300g
- 650g
6.650g então: 7,3kg – 650g = 6650g

11) Copie e resolva em seu caderno dando as respostas em gramas:


a) 3 kg + 250 g =

b) 7,3 g + 2,3 dag =

www.ceesvo.com.br 54
GABARITO

1)
1- SÉCULO
2- SEMANA
3- SEMESTRE
4- MILENIO
5- BISSESTO
6- TRIMESTRE
7- TRIÊNIO
8- FEVEREIRO

2)
1- 13 HORAS
2- 24 HORAS
3- 5 HORAS DA TARDE
4- 9 HORAS DA NOITE

3) 16:40h 10)

4) a- 5503,4m arroz 3,00 3,50 4,50 5,00


b- 5m feijão 5,40 6,30 8,10 9,00
c- 2803m açúcar 1,80 2,10 2,70 3,00
café 16,80 19,60 25,20 28,00
5) a- 153 Km Tomate 3,30 3,85 4,95 5,50
b- 73 km
c- 2 horas

6) 4080m 11) a ) 3250g


b ) 30,3g
7) a- 3,51 L
b- 2,953 L

8-) 1200L

9) R$ 16,80

www.ceesvo.com.br 55
Bibliografia:

Desenhos ilustrativos tirados dos livros:

BONGIOVANNI, Vicenzo, Vissoto, Olímpio Rudinin Leite, Laureano, José


Luiz Tavares. MATEMÁTICA VIDA. Quinta Série a Oitava Série
São Paulo. Editora Ática. 7ª Edição. 1995.

IMENES, Luiz Marcio, Lellis Marcelo. MATEMÁTICA. Oitava Série


São Paulo. Editora Scipione. 1999.

SCIPIONE, Di Pierrô Netto. MATEMÁTICA CONCEITOS E HISTÓRIAS. 6ª


Edição. Oitava Série. São Paulo. Editora Scipione 1997.

ELABORADO PELA EQUIPE DE MATEMÁTICA 2007:

- Elisa Rocha Pinto de Castro


- Francisco Carlos Vieira dos Santos
- Josué Elias Latance
- Rosy Ana Vectirans

COLABORAÇÃO:

- Adriana Moreira Molinar


- Esmeralda Cristina T. Ramon
- Rosimeire Maschetto Nieri
- Sara M. Santos

DIREÇÃO:

- Elisabete Marinoni Gomes


- Maria Isabel Ramalho de Carvalho Kupper

Atualização 2008

COORDENAÇÃO:

- Neiva Aparecida Ferraz Nunes

APOIO: Prefeitura Municipal de Votorantim


www.ceesvo.com.br 56
Centro Estadual de Educação Supletiva de Votorantim
MÓDULO 6

Nesta U.E., você aprenderá um novo conjunto de números para representar


situações em que apenas os elementos do conjunto N não são suficientes.
Esse conjunto de números é denominado CONJUNTO DE NÚMEROS
INTEIROS.

OBJETIVOS:

Ao final desta U.E., você deverá saber:


• Identificar Z como o conjunto N ampliado;
• Localizar na reta numerada os elementos de Z;
• Comparar dois números inteiros, utilizando os sinais >,< ou =;
• Escrever o simétrico de um número inteiro;
• Determinar o módulo ou o valor absoluto de um número inteiro;
• Adicionar, subtrair, multiplicar e dividir corretamente dois ou mais números
inteiros;
• Efetuar corretamente a potência de um número inteiro;
• Efetuar a radiciação de um número inteiro.

ROTEIRO:
Leia as explicações do módulo com muita atenção acompanhando a
resolução dos exemplos.
Copie e resolva os exercícios em seu caderno na seqüência em que se
apresentam.

NÃO ESCREVA NA APOSTILA.

FAÇA OS EXERCÍCIOS EM SEU CADERNO.

www.ceesvo.com.br 2
INTRODUÇÃO

Com a evolução do homem foram aparecendo situações novas que não


podiam ser representadas com os números conhecidos (números naturais).
Por exemplo:

Eu tenho R$23,00 para pagar uma dívida de R$28,00. Como fica o


resultado dessa operação?

R$23,00 – R$28,00 = ? Fiquei devendo R$5,00. Mas como você pode


representar esse resultado?

Os elementos (números) do conjunto N não servem porque nenhum


deles representa uma quantidade menor que zero.

Para solucionar essas situações foi necessário criar um outro conjunto de


números. Assim surgiram os “números inteiros negativos” que representam
perdas, dívidas, sentido oposto, etc.
Dever 5 passou a ser representado por –5 (lê-se:5 negativo ou negativo
5 ).

CONJUNTO DOS NÚMEROS INTEIROS RELATIVOS


OU NÚMEROS INTEIROS

É o conjunto formado por todos os números positivos


(infinito), o número zero e todos os números negativos
(infinito).
Foram criados os números:
–1 (lê-se negativo um)
–2 (lê-se negativo dois)
–3 (lê-se negativo três)

E assim sucessivamente. Esses números foram criados para representar


quantidades menores que zero. Eles foram denominados números inteiros
negativos.

Os números inteiros negativos são: –1, –2, –3, –4, –5, –6,...
Todo número precedido de sinal negativo (–) representa uma
quantidade menor (<
< ) que zero.

Ex.: -3 < 0 -5 < 0

www.ceesvo.com.br 3
Portanto o zero, por sua vez, é maior (>
>) que qualquer número
negativo, por isso:
Ex.: 0 > -2 0 > -8

Os números naturais 1,2,3,4,5,6..., são números inteiros positivos e


são representados pelo sinal (+). Isto é: 1 = +1, 2 = +2, 3 = +3; ... 10 = +10;...
Os números positivos representam ganho, lucro, mesmo sentido.

Fica determinado O número zero


que o número sem fica sem sinal.
sinal é positivo. Não é positivo,
nem negativo

Z é o símbolo do conjunto dos números inteiros

Z = ..., –3, –2, –1, 0, +1, +2, +3, ...

Os números inteiros negativos são tão úteis quanto os números inteiros


positivos. Na realidade, você usou os números inteiros negativos em muitas
ocasiões, sem chamá-los de números inteiros negativos.

Veja algumas dessas situações:

a) Distâncias à direita de um ponto marcado (ponto zero):

8 Km à direita (+8Km).
Distâncias à esquerda do mesmo ponto marcado:
8 Km à esquerda (–8Km).
–8Km 0 +8Km
b) Saldo bancário:
Crédito de R$ 600,00 (+R$600,00).
Débito de R$ 600,00 ( – R$600,00).
c) Tempo antes e depois de uma data:
100 anos depois de Cristo (+100 anos).
100 anos antes de Cristo (–100 anos).
d) Saldo de gols de uma equipe:
15 gols a favor (+15 gols).
15 gols contra ( – 15 gols).
e) Temperatura ambiente:
18 graus acima de zero ( + 18º C).
18 graus abaixo de zero ( –18 º C).

www.ceesvo.com.br 4
Copie e responda no seu caderno:

1) Represente usando números inteiros positivos ou negativos:


a) uma distância de 35 Km à direita de um ponto. (...........)
b) uma temperatura de 29 graus abaixo de zero. (...........)
c) um prejuízo de R$350,00. (................)
d) um saldo de 8 gols a favor. (..............)

2) Pedro tem R$250,00 no banco. Qual será seu saldo:


a) Se ele retirar R$ 150,00?
b) Se ele retirar R$ 250,00?
c) Se ele retirar R$ 280,00?
d) Se ele depositar R$ 50,00?

3) Você tem R$ 600,00 no banco. Qual será seu saldo depois de efetuar as
operações abaixo?

a) depositou R$ 400,00 = ................


b) retirou R$200,00 = .....................
c) retirou R$150,00 = .....................

REPRESENTAÇÃO DE NÚMEROS INTEIROS NA RETA NUMÉRICA

Observe a reta numerada abaixo. Nela estão representados os números


positivos e negativos. Perceba que para cada ponto marcado na reta está
relacionado um número positivo ( à direita do zero) e um negativo (à
esquerda do zero) a partir do ponto inicial ( número zero).

...–5 –4 –3 –2 –1 0 +1 +2 +3 +4 +5 +6 +7... Z

O que você vê são alguns elementos de Z representados. Você sabe que


a representação de todos os elementos é impossível, porque Z é um conjunto
infinito, da mesma forma que a reta.

www.ceesvo.com.br 5
SIMÉTRICO DE UM NÚMERO INTEIRO

-7 -6 -5 -4 -3 -2 -1 0 1 2 3 4 5 6 7 Z

Observe na reta numerada a localização dos números +3 e –3.


O que você percebeu?
– Que os dois números estão a uma mesma distância em relação ao
zero;
– Que os números positivos podem ou não ser escritos acompanhados do
sinal positivo.
Os pares de números que estão a uma mesma distância do zero chamam-
se opostos ou simétricos, logo o oposto de –3 é 3.

MÓDULO OU VALOR ABSOLUTO DE UM NÚMERO

Chama-se módulo ou valor absoluto de um número a quantidade de


unidades que existem do zero até ele, sem levar em conta a sua posição
(esquerda ou direita). É o nº sem a representação do sinal.
O módulo ou valor absoluto de um nº é representado por duas barras
verticais.
Por exemplo: –5 = 5 o módulo ou valor absoluto de –5 é 5, porque –5
está a 5 unidades do zero.

Veja. 5 unidades

-7 -6 -5 -4 -3 -2 -1 0 1 2 3 4 5 6 7 Z

Qual é o módulo de +8?


Como o +8 está a 8 unidades do zero, o módulo de 8 é 8.
Não importa o número ser positivo ou negativo, pois o seu valor absoluto
representa apenas a quantidade.

Copie e resolva em seu caderno:

4) Complete com o valor absoluto dos números:


a) + 10 = ........... b) o valor absoluto de 15 é ..........
c) − 6 = ......... d) o módulo de –3 é igual a: .........

www.ceesvo.com.br 6
COMPARAÇÃO ENTRE NÚMEROS POSITIVOS E NEGATIVOS

Você aprendeu que todos os números negativos são menores que


zero portanto também são menores que qualquer número positivo.
Comparando dois números negativos podemos dizer que quanto mais
distante o nº negativo está do zero menor ( < ) ele é.
Comparando dois números positivos podemos dizer que quanto mais
distante o nº positivo está do zero maior ( > ) ele é.
Os números inteiros (positivos e negativos) se tornam maiores
quando a localização, na reta geométrica, está da esquerda para a direita.
Ex.: –4 < –1 < 0 < +5 < +8

–4 –1 0 +5 +8
crescendo ou aumentando

Copie e resolva em seu caderno:

5) Copie e complete no seu caderno, utilizando os sinais > (maior) ou <


(menor) :

a) 3 ...... –5 d) –5 ......... 0
b) –2 ...... –3 e) 0 ......... – 4
c) –4 ......+ 6 f) –3 ......... –2

OPERAÇÕES COM NÚMEROS INTEIROS:

ADIÇÃO OU SOMA: Quando somar?

Quando temos que “juntar” dois ou mais números positivos


(créditos) ou dois ou mais números negativos (débitos).
Para adicionar (somar) basta usar a seguinte associação:

Crédito com crédito, soma e resulta crédito (positivo com positivo = +)


Exemplo:
+5+6 = +11

www.ceesvo.com.br 7
Débito com débito, soma e resulta débito ( negativo com negativo = - )

Exemplo:

Você tem R$ 400,00 na conta corrente e deposita R$100,00. O resultado


será crédito de R$500,00
+400 +100 = +500
Você tem um débito de R$400,00 nas Casas Bahia e um débito de
R$100,00 na Loja Riachuelo. O resultado será um débito de R$500,00.
–400 –100= –500

SUBTRAÇÃO OU DIFERENÇA: Quando subtrair?

Quando temos que saber a diferença (o que vai sobrar) entre a


quantidade de números positivos (créditos) e a quantidade de números
negativos (débitos) nas seguintes situações:

+8-12=-4 -8+12=+4

O senhor Silva tinha R$ 200,00 na conta bancária, mas foi descontado


um cheque de R$500,00. O resultado será um débito de R$300, 00, pois a
quantidade de débito é maior do que o crédito. Veja o extrato bancário:

+200 –500 = –300

Você tem um débito de R$70,00 e tem R$100,00 na carteira. O resultado


será um crédito de R$30,00.
–70 +100 = +30

Exemplos de situações:

Ex.1: Tenho R$ 12,00 e gastei R$ 8,00 no supermercado. Quanto sobrou?


Crédito ou débito?

Se você respondeu que sobrou R$ 4,00, acertou, pois:


+ 12 - 8 = + 4

www.ceesvo.com.br 8
Ex.2: Devo R$ 8,00 na padaria e R$ 15,00 no açougue. Tenho débito ou
crédito? Quanto?

Solução: Como tenho duas dívidas, devo somá-las e ficarei com dívida de 23.
Assim: – 8 –15 = –23
Logo, devo R$ 23,00 ou seja, –23 ( valor negativo).

Regra Prática

* Débito (–) maior que o crédito (+), fico com débito (–). Ex.: –10 + 8 = –2
*Crédito (+) maior que o débito (–), fico com crédito (+). Ex.: +10 –8 = + 2
*Débito (–) mais débito(–) dá débito (–). Ex.: –2 – 6 = –8
*Crédito (+) mais crédito(+) dá crédito (+). Ex.: +3 + 4= +7

Eliminação de parênteses

Um número só pode ter um sinal. Se houver dois sinais antes do número


fazemos o “jogo” dos sinais:

Jogo dos  Dois sinais iguais resulta positivo


Sinais  Dois sinais diferentes resulta negativo

Observe os exemplos:

– (+ 3) = –3 sinais diferentes = negativo ( – )


+ ( –3 ) = –3

– (– 3) = +3 sinais iguais = positivo ( + )


+ ( +3 ) = +3

A mesma regra você aplica nas operações que têm parênteses:

1º) elimina os parênteses fazendo o “jogo” de sinais.

2º) resolve verificando os sinais de cada nº.

www.ceesvo.com.br 9
1º Ex.: (+2) + (–7) = +2 – 7 = – 5
Dois sinais diferentes resulta −

2º Ex.: (+2) – (+7) = +2 –7 = -5

3º Ex.: (+3) + (+8) = +3 + 8 = + 11

4º Ex.: (+3) -– (–8) = +3 + 8 = + 11


Dois sinais iguais resulta +

Copie e resolva em seu caderno:

6) Resolva os exercícios em seu caderno, eliminando os parênteses com o


“jogo de sinais”:

a) ( + 4 ) + ( + 5 ) = Não esqueça de
eliminar os
b) (+ 4 ) + ( - 6 ) = parênteses em
cada exercício.
c) (– 4 ) + ( - 8 ) =

d) (+ 3 ) – (+ 5 ) =

e) ( + 4 ) – ( - 5) =

f) (–7 ) – ( - 10) =

MULTIPLICAÇÃO E DIVISÃO:
Regras: Perceba que a regra
dos sinais da
Sinais Iguais , resultado Positivo. multiplicação e divisão
é a mesma usada na
Ex.: (+3) • (+2) = + 6
eliminação dos
(−3 ) • (−2) = + 6 parênteses.

Sinais Diferentes , resultado Negativo.


Ex.: (+3) • (−2) = −6
(− 3) • (+2) = − 6

www.ceesvo.com.br 10
Copie e resolva em seu caderno:

7) Resolva as multiplicações e divisões em seu caderno observando os sinais.


a) (+4).(+3)=
b) (− 8 ) . ( − 1 ) =
c) (+9):(−3)=
d) (−6):(−6)=

POTENCIAÇÃO
(multiplicação com o mesmo número e sinal)

Como a potenciação é um produto de fatores iguais, aplicamos as


mesmas regras de sinais observadas na multiplicação.

Ex.:
1) (+5)² = (+5) • (+5) = + 25
2) (−4)³ = (−4) •. (−4) • (− 4) = −64

Sinais diferentes = −
Sinais iguais = +

IMPORTANTE:

• Qualquer número inteiro, elevado a um expoente par, tem como


potência um número positivo.
Ex.: (+2)4 = +16 pois +2 . +2 . +2 . +2 = +16
(-3)²= +9 pois –3 . –3 = +9

• Qualquer número inteiro, elevado a um expoente ímpar, tem como


potência (resultado) um número com o mesmo sinal da base.

Ex.: (+3) ³ = +27 pois +3 . +3 . +3 = + 27


(-2) ³ = -8 pois –2 . –2 . –2 = -8

. Observe algumas
potências especiais:

www.ceesvo.com.br 11
a) Todo número elevado à zero é igual a um.

(+7)0 = 1

b) Todo número elevado a um é igual ao próprio número.

(+7)1= +7

c) Toda potência de 10 é calculada escrevendo o número 1 acompanhado


de tantos zeros quanto for o nº. do expoente.

104 = 10000
102 = 100

Copie e resolva em seu caderno:

9) Copie e responda em seu caderno:


a) ( + 3 )3 = d) ( + 8 ) 0 =
b) ( -2 ) 4 = e) ( - 7 ) 1 =
c) ( -1 ) 3 = f) 10 5 =

RADICIAÇÃO
É a operação inversa da potenciação

Ex. 1: 2 25 = 5 porque (+ 5 ) 2 = 25, pois 5 • 5 = 25


ATENÇÃO:
ou −5 porque ( − 5 ) 2 = −5 • −5= +25 Na raiz quadrada não é
necessário escrever o nº 2
no índice.
2 16 = 16
Ex. 2:
3 8 =2 2 =83

3 − 8 = −2 ( −2 ) 3 = −8
Como qualquer nº elevado ao
quadrado é sempre positivo, não
existe (∃) raiz quadrada de um
numero negativo.

Ex. 3: -4 = ∃

www.ceesvo.com.br 12
Utilize o resumo das regras de sinais para resolver os exercícios de
fixação:

REGRA DE SINAIS:

ADIÇÃO E SUBTRAÇÃO

• SINAIS IGUAIS ( + + ou – – ) → SOMAM-SE OS NÚMEROS E


CONSERVA-SE O SINAL.

EX.: + 3 + 5 = + 8
EX.: – 3 – 5 = – 8

• SINAIS DIFERENTES ( + – ) → SUBTRAEM-SE OS NÚMEROS


E DÁ O SINAL DO MAIOR NÚMERO.

EX.: + 3 – 5 = – 2
EX.: – 3 + 5 = + 2

MULTIPLICAÇÃO E DIVISÃO
• SINAIS IGUAIS ( + + ou – – ): resultado +

EX.:( + 6 ) • ( + 2 ) = + 12 – – →+
EX.:( – 6 ) ÷ ( – 2 ) = + 3 + – → –

• SINAIS DIFERENTES ( + – ): resultado –

EX.: ( + 6 ) • ( – 2 ) = – 12 + – → –
EX.: (–6)÷(+2)= –3 – + →–

www.ceesvo.com.br 13
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO

Copie e resolva em seu caderno:

1) Relacione as temperaturas da tabela com os itens abaixo:


36,5ºC −18ºC 6000ºC −3ºC 58ºC −88ºC 0ºC

a) Freezer = ......
b) Superfície do sol = ......
c) Recorde mundial de frio ( pólo sul )= .....
d) Temperatura normal do corpo humano= ......
e) Recorde Mundial de calor ( Líbia )= ....
f) Temperatura em que a água transforma-se em gelo= ..
g) Congelador da geladeira= ....

2) O gráfico mostra os lucros e prejuízos de um supermercado no 1º semestre


de 1999.
Em alguns meses
houve lucro e em
outros prejuízos.

a) Em que mês o prejuízo foi de - 30 milhões de reais? ...........................


b) Em algum mês o lucro foi de 45 milhões de reais? ...............................
c) Considerando o total do semestre, qual foi o lucro? ..............................

3) Complete os pontilhados eliminando os parênteses e efetue as operações


indicadas:
a) (+2) + (+6) = ......... e) (+6) – (+3) = ............
b) (+7) + (-3) = .......... f) (-7) – ( -4) = ..............
c) (-9) + (+5) = .......... g) (-8) – (+2) = .............
d) (-3) + (-4) = ........... h) (+2) – (+5) = ............

www.ceesvo.com.br 14
4) Resolva as multiplicações e divisões observando as regras dos sinais:
a) ( -2) . (-5) =
b) ( +4) . ( -2 ) =
c) (+6):(+6)=
d) (- 50 ) : ( +10 ) =

5) Efetue as seguintes potências e radiciações:

a) (-1) ³ = .............. e) 36 = ..............


b) (-2) 6= ............. f) 3 − 27 = ................
c) (+5)2 = .............. g) − 16 =
d) (-5) 0 = .............. h) 3
27 =

GABARITO: ESTE MÓDULO NÃO TEM RESPOSTAS.


FAÇA A CORREÇÃO COM O PROFESSOR.

www.ceesvo.com.br 15
MÓDULO 7

OBJETIVOS:

- Adquirir conceitos de múltiplos, divisores e números primos;


- Efetuar decomposição e mínimo múltiplo comum;
- Conceituar, identificar e representar frações;
- Associar fração como divisão de dois números;
- Operar com frações (adição, subtração, multiplicação e divisão);
- Aplicar as técnicas de operações com frações na resolução de situações -
problemas.

www.ceesvo.com.br 16
MÚLTIPLOS ( M ) E DIVISORES ( D )

Duas frases podem ter o mesmo significado apesar de utilizarem


palavras diferentes.
Por exemplo:
“Gabriel é filho de Marcelo”.Significa que “Marcelo é pai de Gabriel “
é filho de
2 é divisor de 10
significa
significa
é pai de
10 é divisível por 2

Na matemática isto também acontece como você pode ver no exemplo


acima.

Você sabe o que quer dizer divisível?

O conceito (idéia) de divisível vem da operação “divisão”

Ex.1: - 20 : 1 = 20 Você pode dizer que o nº 20


20 : 2 = 10 é divisível por 1,2,4,5,10,20,
20 : 4 = 5 pois em todas as divisões efetuadas
20 : 5 = 4 o resto é zero
20 : 10 = 2 ou 1,2,4,5,10,20 são divisores de 20.
20 : 20 = 1

Ex. 2: - Quais são os divisores do nº 42?

É o conjunto D(42) = 1,2,3,6,7,14,21,42

Observe que nos dois exemplos o conjunto dos divisores


começa com o nº 1 e termina no próprio nº.

EX. 3: – E os divisores de 7?

Conjunto D(7) = 1,7 pois 7 : 1 = 7


7:7=1

www.ceesvo.com.br 17
Você reparou que no exemplo 3 os divisores são apenas dois: o nº. 1 e
o próprio número?

O nº. que tem apenas 2 divisores (o nº. 1 e o próprio número) é chamado


de NÚMERO PRIMO.

A seqüência de números primos é infinita. São eles:

2,3,5,7,11,13,17,19,23,...

Copie essa seqüência em seu caderno, pois você vai usá-la mais adiante.

MÚLTIPLOS

São determinados efetuando a multiplicação do nº. pela seqüência dos


números naturais 0,1,2,3,4,5...

EX. 1: - Múltiplos de 5 ( começa sempre pelo nº. zero)

5 • 0 = 0
5 • 1 = 5
5 • 2 = 10
5 • 3 = 15
. . .
. . .
. . .
Portanto conjunto M5 = 0,5,10,15,20,... é infinito ( não tem fim)

EX. 2: – Qual o conjunto dos múltiplos de 3?

M3 = 0,3,6,9,12,15,18, ... seqüência de 3 em 3

EX. 3: – E o conjunto dos múltiplos de zero?

M0 = 0 pois todo nº. multiplicado por zero é zero.

www.ceesvo.com.br 18
EXEMPLO PRÁTICO:

Um bebê precisa mamar de 3 em 3 horas. Começa à zero hora. Quais


serão os horários das mamadas do dia?

M3 = 0,3,6,9,12,15,18,21,24
Neste caso o conjunto dos múltiplos é finito, pois o período foi pré-determinado.

DECOMPOSIÇÃO DE UM NÚMERO EM FATORES PRIMOS

Decompor um número é escrever esse número em forma de multiplicação.

EX. 1: - decomponha o nº 12 FATORES são os números que se multiplicam.

12 = 1 . 12 ou FATORES PRIMOS - multiplicação de


números primos.
2 . 6 ou
3 . 4 ou
2 . 2 . 3

Você pode usar o método prático para efetuar a decomposição em


fatores primos, dividindo o nº. pela seqüência de nº. primos já estudada
anteriormente.

Seqüência de nº primos 2,3,5,7,11,13,17,19,13,...


EX. 1: – Decomponha o nº 12 em fatores primos:

Divide apenas por nº primos.


12 2 O resultado é escrito em forma de potência.
6 2
3 3 R = 2² • 3 ( 2² porque é 2 • 2 )
1

EX. 2: – decomponha o nº 60 em fatores primos.


Método prático
60 2 2² Divide o número por um número primo de
30 2 modo que a divisão seja exata.,
15 3 O resultado da divisão escreve na linha
5 5 R = 2² . 3 . 5 debaixo,
Divide novamente pelo mesmo número
primo ou pelo próximo da seqüência.

www.ceesvo.com.br 19
EX. 3: – decomponha o nº 108

108 2 2²
54 2
27 3
9 3 3³
3 3 R = 2² . 3³
1 Não esqueça de escrever a resposta.

Mínimo Múltiplo Comum (M.M.C)

Menor múltiplo pertence a dois ou mais números

Dado dois ou mais números você pode determinar qual é o menor múltiplo
que pertence aos conjuntos dos múltiplos dos números dados.

Qual é o mínimo múltiplo comum (m.m.c) dos números 12 e 4?

M12 = {0,12,24,36...}
M4 = {0,4,8,12,16,20...}

m.m.c (4,12) = 12 ( múltiplo que pertence aos dois números )

Unindo o conceito de múltiplo com a decomposição em fatores primos você


pode usar uma técnica prática para calcular o m.m.c.

EX.1: 4, 12 2
2, 6 2
1, 3 3 efetue a multiplicação
1, 1 12 = m.m.c

Ex. 2: m.m.c (4,5,15)

4, 15, 5 2 Você percebeu que a divisão tem que


2, 15, 5 2 ser exata. Quando não der para dividir
1,15, 5 3 “ abaixa” o número.
1, 5, 5 5
1, 1, 1 60 = m.m.c.

www.ceesvo.com.br 20
APLICAÇÕES PRÁTICAS

1- Uma pessoa tem que tomar 3 remédios. Um de 2 em 2 horas; outro de 3 em


3 e o último de 4 em 4 horas. Após serem tomados à zero hora, depois de
quanto tempo eles serão tomados novamente juntos?
m.m.c (2,3,4) 2 , 3 , 4 2
1 , 3 , 2 2
1 , 3 , 1 3
1 , 1 , 1 12
Depois de 12 horas.

Copie e resolva em seu caderno:

1) Decomponha os números:
a) 60
b) 150
c) 55

2) Calcule o m.m.c. dos números:


a) m.m.c. ( 12 , 8 ) c) m.mc.(6,3,9) e) m.m.c.( 8,5)

b) m.m.c. ( 6 , 10 , 12 ) d) m.m.c.(10,8,160) f) m.m.c.( 2,3,6)

3) Em um país as eleições para presidente são de 4 em 4 anos e para


senadores de 6 em 6.
Em 1990 houve eleição para os dois cargos. Depois de quanto tempo isto
acontecerá novamente e em que ano?

www.ceesvo.com.br 21
CONJUNTO DOS NÚMEROS RACIONAIS - FRAÇÃO

INTRODUÇÃO

Até agora você estudou e trabalhou com os números inteiros positivos e


negativos. Agora, neste módulo você conhecerá os números fracionários,
utilizados para representar quantidades não inteiras.
O termo fração significa “pedaço” do inteiro dividido em partes iguais.

Observe o exemplo:

A figura abaixo representa um inteiro

Dividindo-a em 3 partes iguais, cada uma dessas partes (pedaço)


1
representará a fração ( ) do inteiro. 1
3
3 ou 1/3
Observe os desenhos abaixo:

1 2 3
3 3 3
Observe que o número debaixo mostra em quantas partes o inteiro foi
dividido. E o número de cima quantas partes foram consideradas (pintadas).

Cada número que compõe a fração recebe um nome especial.

Ex.: 2 numerador (quantas partes considerei)


3 denominador (quantas partes o inteiro foi dividido)

Copie e resolva em seu caderno:

4) Veja a figura abaixo e responda::

É uma pizza dividida em 8 pedaços iguais.


a) Qual a fração que representa 1 pedaço de pizza ?

4
b) Na fração , quantas partes considerei?
8
c) Qual é a fração que corresponde a pizza inteira?

www.ceesvo.com.br 22
LEITURA:

Para ler uma fração você deve ler primeiro o numerador e depois o
denominador.
3
Observe: Ex.: lê-se três quintos.
5
3
Se o denominador for 2, lê-se meio (s) Ex.: três meios
2
2
Se o denominador for 3, lê-se terço (s) Ex.: dois terços
3
1
Se o denominador for 4, lê-se quarto (s) Ex.: um quarto
4
Se o denominador for 5, lê-se quinto (s) e assim por diante até o número 10
(décimo).

A partir do número 11 fala-se o número acrescido da palavra “avos”.

Exemplos: 4 = quatro onze avos b) 7 = sete treze avos


11 13

FRAÇÃO É DIVISÃO:

O traço de fração ou barra ( ― ) também significa “divisão” pois:

4 10
= 1 inteiro 4 4 = 5 inteiros 10 2
4 2
0 1 0 5

SIMPLIFICAÇÃO DE FRAÇÕES:

Você pode simplificar uma fração, isto é, deixar os números menores,


dividindo sucessivamente os termos (numerador e denominador) por um
mesmo número.

Observe: 48:2 = 24:2 = 12:2 = 6:3 = 2 fração irredutível


72:2 36:2 18:2 9:3 3
Quando não
FRAÇÕES SIMPLIFICADAS dá mais
para
ou 48:12 = 4:2 = 2 ou 48:24 = 2 simplificar.
72:12 6:2 3 72:24 3

www.ceesvo.com.br 23
Observe que há várias maneiras de se fazer a simplificação. Você
pode utilizar o número que achar mais adequado desde que use sempre o
mesmo número para dividir o denominador e o numerador e que o resultado
seja sempre exato, não sobre resto nas divisões.

Copie e resolva em seu caderno:

5) Simplifique as frações até torná-las irredutíveis:


a) 12 b) 9 c) 15
16 18 20

REDUÇÃO A UM MESMO DENOMINADOR:

Há casos de frações cujos denominadores (n.º debaixo) são diferentes


e precisam ser reduzidos (transformados) a um mesmo denominador.

Para isso é necessário que você:


1- Calcule o m.m.c. dos denominadores (você viu no início deste
módulo);

2- O resultado do m.m.c. será o novo denominador;

3- Divida o novo denominador pelo denominador de cada fração;

4- Multiplique esse resultado pelos respectivos numeradores.

Observe o exemplo abaixo:


Ex.: Reduza ao mesmo denominador as frações: 2 , 3 , 2
3 2 4

1º) m.m.c 3, 2, 4 2
3, 1, 2 2 4º) Multiplica 2 , 3 , 2
3, 1,1 3 (multiplica) 3 2 4
1, 1, 1 12
novo denominador 3º) Divide
8 , 18 , 6
12 12 12

Modo prático
Divide o novo denominador pelo nº.
debaixo e multiplica o resultado pelo nº.
de cima. O resultado final será o novo
numerador.

www.ceesvo.com.br 24
Copie e resolva em seu caderno:

6) Reduza ao mesmo denominador ( nº. debaixo) as frações:


a) 5 , 3 b) 7 , 2 , 5 c) 4 , 3 , 5
3 7 8 3 12 2 3
Observação: no exercício letra c, coloque o n.º 1 embaixo do
4 como denominador para poder fazer a divisão

Comparação de frações

Comparar duas frações significa estabelecer uma relação de igualdade


( igual ) ou de desigualdade entre esses números.
Para identificar a desigualdade você vai usar os símbolos:

< (menor) ou > (maior)

1º caso: os números fracionários têm o mesmo denominador:

Observe os desenhos e compare:o pedaço “a” é maior (>) do que o pedaço


“b”

a) 7
8 7 > 3 Leia: sete oitavos é maior do que
8 8 três oitavos.
b) 3
8

Quando duas frações têm o mesmo denominador, a maior é aquela que


tem o maior numerador (nº de cima).

2º caso: os números fracionários têm denominadores diferentes:

Para comparar é necessário que o inteiro esteja dividido na mesma


quantidade de pedaços por isso, você deve reduzir ao mesmo denominador.
3 e 2 m.m.c de 6 e 3. = 6 6 ,3 3
3 6 3 2 ,1 2
6 1 6
3 , 4 então 3 < 4
6 6 6 6
2
3

www.ceesvo.com.br 25
Copie e resolva em seu caderno:

7) Usando o conceito de igual, maior ou menor responda reduzindo ao mesmo


denominador quando for necessário:

2 5
a) Maria comeu de uma pizza e João comeu . Quem comeu menos?
3 8
Para você responder com certeza terá que reduzir ao mesmo
denominador as duas frações e depois compará-las.

b) Complete com os sinais de igual (=), maior (>) ou menor ( < ) :

I ) 3 ___ 15 II ) 2 ____ 1 III ) 2 ____ -7


6 30 4 3 3 5

Operações com frações:

Você já aprendeu que fração é um número que representa parte(s)


do inteiro. Agora você vai aprender a resolver situações problemas que
envolvem números fracionários. Para isso terá que saber operar (fazer
conta) com esses números.

Adição e Subtração de Frações

Quando vamos efetuar uma soma ou uma subtração de frações devemos


considerar dois casos:

1º caso – As frações têm o mesmo número em baixo, ou seja, mesmo


denominadores:

Exemplo:

Uma pizza foi dividida em 3 pedaços iguais. João comeu dois pedaços.
Quanto sobrou?
3 - 2 =1 CONSIDERE A PIZZA
3 3 3 INTEIRA COMO = 3
3

www.ceesvo.com.br 26
Logo, sobrou 1 da pizza.
3

Conclusão: Quando as frações têm o mesmo denominador devemos


somar ou subtrair apenas os números de cima, ou seja, os numeradores e
manter o mesmo denominador.

2º caso – As frações têm denominadores diferentes:

TÉCNICA para ADIÇÃO e SUBTRAÇÃO

1º) determine o m.m.c. dos denominadores (nºs debaixo);


2º) o resultado do m.m.c. será o novo denominador;
3º) divida o novo denominador pelo nº. debaixo e multiplique pelo nº. de cima
de cada fração;
4º) efetue a adição ou subtração dos numeradores (nºs de
cima).conservando o denominador;.

Exemplo:
Para fazer um trabalho escolar você usou dois terços de uma cartolina e
sua irmã usou três quartos. Que fração de cartolina vocês dois usaram juntos?

Você deve encontrar o m.m.c.


multiplica 2 + 3 = dos denominadores 3 e 4
3 4 3,4 2
3,2 2
divide 3,1 3 2 •2 •3 =• m.m.c. = 12
8 + 9 = 17 1,1 Observe as flechas ao lado.
12 12 12 Elas mostram as operações que você
deve fazer.

Resp: Usaram juntos 17 da cartolina ou 17 : 12 = 1,4 cartolinas.


12

Conclusão: Quando as frações têm denominadores diferentes,


devemos primeiro reduzir as frações ao mesmo denominador para depois
efetuar a soma ou subtração.
Os dois exemplos a seguir mostram os dois casos e as maneiras
diferentes de serem efetuados.

www.ceesvo.com.br 27
1 2
1-) Um agricultor tem um sítio e quer plantar da área com feijão e
5 5
com milho. Qual a fração que representará a área plantada?

Se você pensou 1 + 2 = 3 acertou!


5 5 5
(Se têm denominadores iguais, conserva o denominador e soma os
numeradores).

2-) Esse mesmo agricultor após a colheita vai novamente plantar 1/3 da área
com feijão e 2/5 com milho. Qual a fração que representará a área plantada?

Agora complicou! Você percebeu que os denominadores são


diferentes, portanto a área foi dividida em “pedaços de tamanhos
diferentes”.
Pense. Você já aprendeu a fazer com que os denominadores
fiquem iguais, então, calcule o m.m.c. dos denominadores.

1 + 2 =
3 5 Para resolver reduza ao mesmo denominador:
3 , 5 3
5 + 6 = 11 1 ,5 5 x
15 15 15 1 , 1 15

11
Resposta. é a fração que representará a área plantada.
15

A subtração é efetuada usando a mesma regra da adição.

4 1
3) Dos da área destinada ao plantio o agricultor vai deixar para plantar
5 5
mandioca. Quanto irá sobrar para as outras plantações?
4 – 1 = 3
5 5 5
Área destinada ao plantio

Outras plantações

3
Resposta. da área sobrará para as outras plantações.
5

www.ceesvo.com.br 28
2 1
4) Dos da área destinada ao plantio o agricultor vai reservar para o
4 5
pasto de animais. Qual a fração que representa a área destinada a outras
plantações?
2 – 1 = 4 , 5 2 Não se esqueça!
4 5 2 , 5 2 Denominadores diferentes,
calcule o m.m.c.para reduzir
1 , 5 5 ao mesmo denominador.
10 – 4 = 6 1 , 1 20
20 20 20
6 3
Resposta: Deixará ( simplificando por 2) a resposta será: para outras plantações.
20 10

Para você fazer as adições e subtrações de frações negativas e


positivas observe as regras dos sinais
O resultado foi
negativo porque
vale a regra de
I-) Mesmo denominador.
sinais onde o
a-) 1 + 3 = 4 c-) 4 – 6 = –2 negativo é maior do
6 6 6 5 5 5 que o positivo.

Quando o
b-) 6 –5 = 1 d-) –2 – 1 = –3 = -1 numerador é
igual ao
7 7 7 3 3 3 denominador a
fração representa
“Juntando” duas frações o inteiro, pois
negativas resulta negativo fazemos a divisão
de 3 por 3 = 1

II -) Denominadores diferentes ( não esqueça do m.m.c. para reduzir


ao mesmo denominador):

a) 3 + 2 = b) -1 - 3 =
6 5 8 5

15 12 27 5 24 29
+ = – – =–
30 30 30 40 40 40

c) – 7 + 1 = Observe os sinais das frações: o negativo é


9 5 maior do que o positivo, portanto “sobra”
35 9 26 negativo.
– + = –
45 45 45

www.ceesvo.com.br 29
Copie e resolva em seu caderno:

8) De acordo com o que você aprendeu até agora, resolva as adições e


subtrações de frações:

a) 1 + 4 = c) 9 - 2 =
3 3 2 3

b) 7 + 2 = d) – 1 – 3 =
5 8 2 4

Multiplicação de frações

4 2 8
Ex: • =
Regra Prática: 5 7 35

- Multiplique os numeradores (nºs de cima);


3 8 24
- Multiplique os denominadores (nºs debaixo); – •– =+
6 5 30
- Observe os sinais das frações para usar a regra.

Sinais iguais resulta positivo.


Sinais diferentes resulta negativo.
1-) Um fazendeiro tem 5 fazendas. Dessas, 3 são produtivas.
7
Qual é a fração que representa toda a terra produtiva?

DICA IMPORTANTE!
Quando aparece no problema a palavra “de”, “dessa”, a operação usada
é a multiplicação e a resposta representa a fração em relação ao inteiro.
3
de 5 então:
7
3 5 15 15
• = Resposta: representa a parte produtiva das 5 fazendas.
7 1 7 7

Nas operações com frações


colocamos o n.º 1 embaixo do
n.º inteiro.

www.ceesvo.com.br 30
3 2
2-) Um fazendeiro vai plantar da área da fazenda. Já plantou
5 6
dessa área com soja. Qual a fração que representa a área de plantação de
soja em relação a área da fazenda?

3 • 2 = 6 multiplique os numeradores
5 6 30 multiplique os denominadores

Resposta: A fração que representa a parte plantada com soja em relação à


6 1
fazenda inteira é ( ou simplificando por 6) apenas .
30 5

Divisão de frações

Regra Prática:

- Copie a primeira fração;


- Mude o sinal de divisão ( : ) para o de multiplicação (•);
- Copie a segunda fração invertendo os lugares do numerador com o
denominador;
- Multiplique os numeradores;
- Multiplique os denominadores;
- Observe os sinais das frações aplicando a regra de sinais que é a mesma
da multiplicação.

Exemplo:
1
1º) A metade ( ) da área de uma fazenda vai ser dividida em 6 partes
2
iguais. Qual a fração que representa cada parte?

Observe que:
1 : 6 = 1 . 1 = 1 1- A divisão foi transformada em
2 1 2 6 12 multiplicação.

2- A segunda fração foi invertida.

1
R: Cada parte é representada por .
12

www.ceesvo.com.br 31
Copie e resolva em seu caderno:

9) Efetue as multiplicações e divisões de frações:


a) 2 • 5 = c) 2 : 1 =
3 8 5 3

b) 1• 3 • 5 = d) 7 : 4 =
2 4 7 10 6

Potenciação
(multiplicação com o mesmo número)

Regra prática:

- Efetue a potenciação do numerador, multiplicando pelo mesmo número


tantas vezes quanto for o número do expoente;
- Efetue a potenciação do denominador.

1-) Qual é a área de um quadrado cujo lado é ½ m de lado?


A área do quadrado é: A = L²
½m A = (1/2)² = 1² = 1• 1= 1 m²
2² 2•2 4

Para efetuar a potenciação de fração você deve elevar o numerador e o


denominador ao expoente dado e calcular o resultado:

Ex. 5 ³ = 5³ = 5 • 5• 5 = 125
4 4³ 4 • 4 •4 64

www.ceesvo.com.br 32
Radiciação de frações:

Regra prática:

- Determinar a raiz do numerador;


- Determinar a raiz do denominador.

9 9 3 3.3
Exemplo: = = pois
16 16 4 4.4

Copie e resolva em seu caderno:


2 3
2 7
10) Calcule: a)   = b)   =
5  10 

9 25
c) = d) =
16 4

Usando o conceito de fração onde o denominador identifica em


quantas partes está dividido o inteiro e o numerador quantas partes está
sendo tomado. Pense no problema abaixo e veja como foi resolvido.

3
Uma granja tem 2400 aves. Destas são galinhas.
5

a) Qual a quantidade de galinhas?


b) Qual a fração que representa os frangos?
c) Qual a quantidade de frangos?

Resolução:
a) 2400 5 480
480 x 3
1440 galinhas

representa o inteiro
5 3 2
b) - = representa os frangos
5 5 5

d) 2400 – 1440 = 960 frangos

www.ceesvo.com.br 33
Você percebeu que para cada tipo de operação com frações há uma
técnica específica.
No quadro a seguir você terá um resumo dessas técnicas para usar em
cada operação usada para resolver os exercícios e problemas a seguir.

RESUMO DAS TÉCNICAS DE OPERAÇÕES DE FRAÇÕES

:
Adição e subtração Divisão
(tem que ter o mesmo
denominador) - Copie a primeira fração;
- M.m.c. dos denominadores; - Transforme a divisão em
- O resultado do m.m.c. será o multiplicação;
novo denominador; - Inverta a segunda fração;
- Divida o novo denominador - Multiplique os numeradores;
pelo nº debaixo e multiplique - Multiplique os denominadores.
pelo nº de cima de cada
fração;
- Efetue a adição ou subtração
dos numeradores
conservando o nº do
denominador. Potenciação

- Efetue a potenciação do
numerador, multiplicando pelo
Multiplicação mesmo número tantas vezes
quanto for o número do
- Multiplique os numeradores expoente;
(nºs de cima); - Efetue a potenciação do
- Multiplique os denominadores denominador.
(nºs debaixo).

Radiciação

- Determine a raiz do
numerador;
- Determine a raiz do
denominador.

www.ceesvo.com.br 34
Copie e resolva em seu caderno:

11) Resolva os problemas em seu caderno lembrando que cada operação


com fração tem uma regra própria. Confira as respostas no gabarito:
4
I) Um aluno já executou da tarefa de matemática. Qual a fração da
7
tarefa que resta fazer?
LEMBRE-SE!!
A fração que representa o inteiro tem denominador
7
igual ao numerador. Neste caso o inteiro é
7

7
II) Tenho uma divida de R$ 250,00. Já paguei . Quanto estou devendo?
10
Observação: A dívida está dividida em 10 prestações

6
III) Em uma panela há do Kg (quilograma) de pipoca estourada. Quero
8
1
repartir (dividir) em saquinhos de do Kg. Quantos saquinhos devo
4
comprar?
1
IV) Em um pomar há três tipos de árvores frutíferas sendo que são
4
2 2
laranjeiras, são jabuticabeiras e são limoeiros. Qual a fração que
5 10
corresponde ao total (soma) de árvores desse pomar?
1
v-) João Carlos é operário e ganha R$ 1400,00 por mês. Gasta desse
4
2
dinheiro com aluguel e (desse dinheiro) com a alimentação da família.
5
a) Qual é a fração que representa o total de gastos de João Carlos ?

b) Quanto dinheiro ela representa?


1
c) Qual o valor do aluguel? ( desse dinheiro)?
4

2
d) Quanto gasta com a alimentação? ( de R$1400,00)
5

www.ceesvo.com.br 35
GABARITO

1) a) 2² . 3 . 5

b) 2 . 3 . 5²

c) 5 . 11

2) a) 24 c) 18 e) 40
b) 60 d) 160 f) 6

3) 12 anos em 2002

4) a)1/8 b ) 4 partes c ) 8/8

5 ) a ) 3/4 b ) 1/2 c ) 3/4

6 ) a ) 35 , 9 b ) 21, 16, 10 c) 24, 9,10


21 21 24 24 24 6 6 6

7) a ) João

5 66 23 5
8) a) b) c) d) -
3 40 6 4

10 15 6 42
9) a) b) c) d)
24 56 5 40

4 343 3 5
10) a) b) c) d)
25 1000 4 2

11) I ) 3/7 II ) R$ 75,00 III ) 3 saquinhos IV ) 17/20


13
V) a) b) R$ 910,00 c) R$ 350,00 d) R$ 560,00
20

www.ceesvo.com.br 36
MÓDULO 8

OBJETIVOS:

No final desta Unidade de Ensino (U.E.), o aluno deverá :

 Entender uma razão como o quociente de dois números racionais em


que o segundo é diferente de zero;
 Reconhecer se duas razões formam uma proporção;
 Resolver problemas simples que envolvem escalas;
 Resolver uma situação problema envolvendo grandezas proporcionais,
utilizando a regra de três;
 Resolver problemas simples de porcentagem e problemas que
envolvem cálculo de juros simples.

ROTEIRO DE ESTUDO:
- Leia com atenção observando e acompanhando as resoluções dos exemplos.
- Faça os exercícios do módulo no caderno seguindo a seqüência de estudo,
- Confira as respostas no gabarito.

NÃO ESCREVA NA APOSTILA. FAÇA OS EXERCÍCOS EM SEU


CADERNO

www.ceesvo.com.br 37
RAZÃO, UMA GRANDE INVENÇÃO.

Dos 50 alunos de uma sala de computação, 20 são


homens e 30 são mulheres. Qual é a relação entre o
número de homens e o número de mulheres?

Simplificando,
isto é, dividindo
número de homens = 20 : 10 = 2 por um mesmo
número de mulheres= 30 : 10 3 número.

Você pode concluir que:

- para cada 2 homens há 3 mulheres que estão na sala,ou o número de


homens (2) está para o número de mulheres (3) ou simplesmente 2 está para
3.

A expressão 2 está para 3 é chamada de razão entre 2 e 3 e é indicada por


2 ou 2 : 3.
3
RAZÂO serve para comparar quantidades entre duas grandezas.
No exemplo acima as duas grandezas são: HOMENS e MULHERES.
Veja o exemplo abaixo:

Se você comparar as quantidades de


gatos com as quantidade de cães, você
têm as grandezas: GATOS e CÃES e a
3
razão ou seja: três está para quatro
4
(para cada 3 gatos têm 4 cães)

Copie e resolva em seu caderno:

1) Escreva a razão simplificando quando for possível:


a) 20 para 50 b) 10 para 40

2) Em um hospital tem 16 pacientes para 2 enfermeiros. Qual a razão entre


o número de pacientes e o número de enfermeiros?

www.ceesvo.com.br 38
RAZÕES INVERSAS

Para determinar a razão entre o número de homens (20) e o número de


20
mulheres (30) da sala de computação do primeiro exemplo, você fez ,
30
2
que depois de simplificado ficou a mesma coisa que (dois está para três).
3
Se você quer determinar a razão entre o número de mulheres (30) e o
30
número de homens (20), é só fazer , que simplificando por 10 é a mesma
20
3
coisa de (três está para dois).
2
3 2
As razões e são chamadas de inversas entre si.
2 3
O produto (multiplicação) de duas razões inversas é igual a 1.

3 2 6
• = = 1
2 3 6

Copie e resolva em seu caderno:

3) Pedro fez uma prova que continha 10 questões de Português e 20 de


Matemática.
a) Qual a razão entre as questões de Português e Matemática?
b) Qual a razão entre as questões de Matemática e Português?

4) Ache a razão inversa de:


a) 3 b) 2 : 5 c) 4 : 1
4

ALGUMAS RAZÕES ESPECIAIS

Você já deve ter ouvido falar ou lido em algum lugar os termos


velocidade média, densidade demográfica e escala.
Na verdade, elas são razões especiais, que utilizamos com freqüência no
dia-a-dia. Vamos então ver qual o significado de cada uma.

VELOCIDADE MÉDIA
Velocidade média de um móvel é a razão entre o espaço percorrido
e o tempo gasto para percorrê-lo.

www.ceesvo.com.br 39
EXEMPLO:
A velocidade média de um carro que percorre 300 Km em 5 horas é dada
pela razão:

300km 60km
= simplificando por 5 = ou 60 Km/h (sessenta km por hora)
5horas 1hora

Copie e resolva em seu caderno:

5) Calcule a velocidade média de um carro que percorreu 210 Km em 3 horas.

DENSIDADE DEMOGRÁFICA

Densidade demográfica é a razão entre o número de habitantes de uma


região e a área dessa região.

Exemplo: A cidade de Votorantim (SP) tem uma área aproximada de 177Km²


e segundo os dados de 2003 do IBGE a população está aproximada em
110000 habitantes. Portanto, a densidade demográfica de Votorantim é dada
por:

Isto significa
População = 110000 = 621 hab/Km² que têm 621 hab.
Área 177 em 1 Km²

110000 177 faça esta operação na calculadora

Copie e resolva em seu caderno:

6) O censo de 2000 estimou a população do estado de São Paulo em


36351316 habitantes. Calcule a densidade demográfica desse estado da
região Sudeste, sabendo que a área total é de 248811Km².
Faça na calculadora.

www.ceesvo.com.br 40
ESCALA

Escala é a razão entre a medida do comprimento no desenho e a


medida do comprimento real.

Exemplo:
1
Se a planta ou croqui (desenho) de uma casa está na escala de 1:100 ou
100
(1 para 100), significa que para cada 1cm do desenho corresponde a 100 cm
na dimensão real.
Observe:

A planta a seguir foi desenhada na escala 1:100cm:

banheiro 3cm
quarto A 2,5cm Lembre-se!!
100cm=1m
3cm 1,5cm
6cm cozinha 6cm
1cm corredor sala

quarto B 2,5cm

4,5cm 3,5cm

Agora, responda:

Quais são as dimensões reais (comprimento e largura) da cozinha, da sala


e do quarto A dessa casa.

Se você respondeu que as dimensões reais da cozinha são 3m por 6m, da


sala são 6m por 3,5m e do quarto são 3m por 2,5m, acertou!!!

www.ceesvo.com.br 41
PROPORCIONALIDADE
A proporção no dia-a-dia:

Fernando e Alex apostaram juntos numa loteria esportiva e foram


premiados. Como eles devem dividir o prêmio de R$ 500 000,00, se as
importâncias que Fernando e Alex apostaram estão na razão 2 para 3?

2
Como as quantias que eles apostaram estão na razão de é fácil concluir
3
que:

- Fernando vai receber 2 partes, portanto R$ 200 000,00.

- Alex vai receber 3 partes, portanto R$ 300 000,00.

2 200000,
A igualdade entre as razões = é uma proporção.
3 300000

A proporção também pode ser indicada da seguinte maneira:

2 : 3 = 200000,00 : 300000,00

Veja um exemplo prático de proporção:

Você sabe que uma foto 3 X 4 tem 3cm de base (largura) e 4 cm de altura
(comprimento) . Do mesmo modo, uma foto 6 X 8 tem 6 cm de base e 8 cm de
altura.

Observe as fotos da figura abaixo:

Qual é a razão entre a base e a altura da foto menor? E entre a base e a


altura da foto maior?

Base da foto menor = 3 = 0,75 (3 dividido por 4)


Altura da foto menor 4

Base da foto maior = 6 = 0,75


Altura da base maior 8

www.ceesvo.com.br 42
3 6
Como = , ou seja, três está para quatro assim como seis está para
4 8
oito, podemos concluir que existe uma proporção entre as medidas das duas
fotos.
Você observou que o
3 6 resultado das divisões (3:4 e
A igualdade entre as razões = forma uma 6:8) são iguais?
4 8 Isto mostra que as fotos têm
proporção. tamanhos proporcionais.

Na proporção 3 : 4 = 6 : 8, os números e 4 e 6 são chamados de meios:


e 3 e 8 são chamados de extremos

DESAFIO:

Medindo os lados das 2 fotos, verifique se elas são proporcionais (use a


régua) e responda as questões abaixo:

a) Os lados são proporcionais? .


.........

b) ABCD é ampliação de EFGH? ....

www.ceesvo.com.br 43
Propriedade fundamental das proporções

Em toda proporção, o produto (multiplicação) dos meios é igual ao


produto dos extremos.

Exemplo:

3 = 6
4 8 O produto dos extremos é 3 • 8 = 24
O produto dos meios é 4 • 6 = 24

Os dois produtos são iguais, portanto, formam uma proporção.

Copie e resolva em seu caderno:

7) Verifique se as razões formam uma proporção. Utilize a propriedade


fundamental das proporções:

a) 2 e 10 b) 2 = 3
5 25 8 4

CÁLCULO DE UM TERMO DESCONHECIDO OU


APLICAÇÃO DA “ REGRA DE TRÊS”

Com a propriedade fundamental das proporções (o produto dos meios é


igual ao produto dos extremos), tornou-se simples determinar o valor
desconhecido de um dos termos da proporção.

Veja qual o valor de X (termo desconhecido) nas proporções a seguir:


Multiplique
cruzado
a) 3 = X
4 8
Pela propriedade fundamental: Produto dos meios = produto dos extremos

4. X = 3 . 8 (calculando o valor de X)
Então: 4. X = 24
X = 24 : 4 Use a operação inversa
X = 6 da multiplicação que é a
divisão.

www.ceesvo.com.br 44
Copie e resolva em seu caderno:

8) Copie e calcule em seu caderno o valor desconhecido (X) nas


proporções:

a) 2 = X c) 12 = 15
8 12 X 5

b) 5 = 25 d) X = 9
6 X 6 2

GRANDEZAS DIRETAMENTE PROPORCIONAIS


O que são grandezas diretamente proporcionais?
Duas grandezas são diretamente proporcionais quando ambas
aumentam ou diminuem seus valores ou quantidades.

1 º Exemplo:

Se um padeiro faz 60 pães com 5 Kg de farinha, quantos pães ele fará


com 8 Kg de farinha?

É fácil perceber que, aumentando a quantidade de farinha (primeira


grandeza), a quantidade de pães (segunda grandeza) também aumentará.
Logo, as duas grandezas: quantidade de farinha de trigo e quantidade de
pães são diretamente proporcionais.

Para resolver esse problema você deve:

- montar uma tabela com duas colunas correspondentes a cada grandeza;


- escrever os números nas respectivas colunas;
- analisar se as grandezas são diretamente ou inversamente proporcionais;
- resolver para calcular o termo desconhecido.

Veja a montagem:

Quantidade de pães Quantidade de farinha

60 5 Kg
X terá que aumentar 8 Kg aumentou

www.ceesvo.com.br 45
Assim, podemos escrever a seguinte proporção:

60 5
=
X 8
Aplicando a propriedade fundamental das proporções, temos:

60 = 5 5• X = 60 • 8
X 8 5• X = 480
X = 480 X = 96
5
Com 5 Kg de farinha o padeiro fará 96 pães.

2º Exemplo:

Um padeiro faz 80 pães com 20Kg de farinha de trigo. Quantos pães fará
com 3 Kg de farinha?
Quantidade de pães Quantidade de farinha

80 20 Kg
X terá que dimimuir 3 Kg diminuiu

É fácil perceber que diminuindo a quantidade de farinha (primeira


grandeza), a quantidade de pães (segunda grandeza) também diminuirá.
As duas grandezas: quantidade de farinha de trigo e quantidade de pães
são diretamente proporcionais.
80 20
Então: = 20 • X = 80 • 3
X 3

20 • X = 240

240
X= X = 12
20

O padeiro fará 12 pães.

Observe que:
Duas grandezas são diretamente proporcionais
quando as duas aumentam ou as duas
diminuem.

www.ceesvo.com.br 46
Copie e resolva em seu caderno:

9) Resolva os problemas de acordo com os exemplos:


a) Roberto comprou 15 lápis por R$ 5,00. Se comprasse 36 lápis, quanto
pagaria?
b) Uma torneira leva 5 horas para encher uma caixa d’água de 1000 litros de
capacidade. Quantas horas levará essa torneira para encher uma caixa
d’água de 3000 litros de capacidade?

GRANDEZAS INVERSAMENTE PROPORCIONAIS


O que são grandezas inversamente proporcionais?
Duas grandezas são inversamente proporcionais quando uma grandeza
aumenta e a outra diminui ou vice-versa: uma diminui e a outra aumenta.

1º Exemplo:
Mário fez uma viagem de carro em 20 horas com uma velocidade média
de 60Km/h. Qual será a velocidade média para fazer essa mesma viagem
em 15 horas?
Tempo gasto (h) Velocidade média (Km/h)

20 60

15 diminuiu X terá que aumentar

Você percebeu que para diminuir o tempo de viagem (horas) a


velocidade média do carro deve aumentar, portanto enquanto uma
grandeza diminui a outra grandeza aumenta.
Dizemos então, que as grandezas velocidade e tempo são inversamente
proporcionais. Para resolver o problema temos que inverter uma das razões
correspondente a uma das grandezas. Pode ser a coluna do X ou a outra.
20 60
= invertendo uma das colunas
15 X
15 60
= = 15 • X = 20 • 60
20 X

15 • X = 1200

1200
X = então X = 80
15

A velocidade média do carro será de 80Km/h.


www.ceesvo.com.br 47
2º Exemplo:

Para reformar a quadra de esportes de uma escola, 2 pedreiros vão


trabalhar 24 dias. Em quantos dias 6 pedreiros poderão fazer esse mesmo
serviço?
Temos:

Número de pedreiros Tempo (dias)

2 24

6 X

aumentou diminuiu tem que


inverter a razão

Se você aumentar a quantidade de pedreiros vai diminuir a quantidade


de dias gastos na reforma.
Uma grandeza (pedreiros) está aumentando enquanto que a outra (dias)
está diminuindo.

Uma grandeza é inversa da outra,


logo são inversamente proporcionais.

Invertendo uma das razões da proporção 2 = 24


2 = X 6 X
6 24
6 • X = 2 • 24

6 • X = 48
48
X= X=8
6
Assim, 6 pedreiros podem fazer o mesmo serviço em 8 dias.

ATENÇÃO! DICA IMPORTANTE!

Quando uma das grandezas for o TEMPO (horas, dias, etc) geralmente é
inversamente proporcional.

www.ceesvo.com.br 48
Copie e resolva em seu caderno:

10) Resolva os problemas em seu caderno de acordo com os exemplos:


a) 6 homens constroem uma casa em 90 dias. Quantos homens são
necessários para construir essa casa em 60 dias, no mesmo ritmo de
trabalho?
b) Um automóvel a 50Km/h vai de uma cidade a outra em 6 horas. Qual
deve ser a velocidade do automóvel para percorrer a mesma distância em 4
horas?
PORCENTAGEM

A expressão por cento é familiar. Você a vê, praticamente em todos os dias


nos jornais e na televisão.
A expressão por cento quer dizer “por um cento ou cem”. Assim quando
você lê ou escuta uma afirmação como “grande liquidação de verão com 40
por cento de desconto em todos os artigos”, significa que você tem um
desconto de 40 reais para cada 100 reais do preço do artigo.
40
Isto nos leva então a estabelecer a razão .
100

40
Assim: 40% é o mesmo que
100

Qual é o significado do símbolo %?

O símbolo % usado nas manchetes desse jornal, significa por cento.


Acompanhando um número indica a centésima parte desse número.
Assim:

6
6 % ou = 0,06
100

16,85
16,85% ou = 0,1685
100

5,82
5,82% ou = 0,0582
100

www.ceesvo.com.br 49
Qual é o valor de 80% de 60?

Veja o exemplo abaixo:


Em uma partida de basquete Hortência acertou 80% dos 60 arremessos que
efetuou. Quantos arremessos ela acertou?
Resolver esse problema significa responder a questão: Quanto vale 80% de
60?
Solução:
80
Como 80% = ou 0,80 você pode calcular usando a fração ou o nº.
100
decimal fazendo:
80 4800
• 60 = = 48 ou 0,80 . 60 = 48
100 100

Você também pode usar a regra de três ou propriedade fundamental da


proporção.
80 X
=
100 60
100 • X = 80 • 60
100 • X = 480
480
X= X = 48
100
Hortência acertou 48 arremessos que correspondem aos 80%.

Copie e resolva em seu caderno:

11) De acordo com o exemplo resolva os problemas de porcentagem:


a) 70% dos alunos da classe de Laura sabem nadar. Quantos alunos sabem
nadar, se a classe de Laura tem 40 alunos?

b) De um total de 30 alunos, 20% foram reprovados. Quantos alunos foram


reprovados?

c) O preço de um aparelho de som é R$500,00. Durante uma liquidação, a


loja anunciou um desconto de 20%. Nessas condições:
I) Qual é a quantia que corresponde ao desconto?
II) Qual é o preço do aparelho com o desconto?
Confira as respostas no final do módulo.
www.ceesvo.com.br 50
JUROS

Os juros fazem parte do nosso dia-a-dia.

Uma ótica está vendendo óculos nas seguintes condições:


R$ 200,00 à vista ou em 4 parcelas de R$ 70,00. Desse modo o preço dessa
mercadoria a prazo sobe. Por que isso acontece?
O preço dessa mercadoria, à vista, é diferente do preço a prazo, porque
estão sendo cobrados juros pelo parcelamento da dívida.

O juro é uma compensação em dinheiro que a empresa cobra por estar


parcelando a dívida para o cliente.
No caso das aplicações financeiras (poupança), o cliente é que empresta
dinheiro ao banco e, por esse empréstimo, recebe uma quantia de juros.

A dívida que uma pessoa contrai quando compra uma mercadoria a prazo
ou, a quantia que investe quando faz uma aplicação financeira é chamada
de capital.
A soma do capital e juros é chamada de montante.

Assim, podemos dizer que:

Juro (j) é uma compensação para mais ou para menos, em dinheiro, que se
paga ou que se recebe.
O capital (c) é o dinheiro que se empresta ou que se pede emprestado.
A taxa (i) é o índice de porcentagem que se paga ou que se recebe pelo
aluguel do dinheiro.
O tempo (t) é o tempo pelo qual o capital fica emprestado.

Exemplo:
Sérgio emprestou R$2 000,00 de um banco por 4 meses a uma taxa de
3% ao mês.

a) Qual a quantia que ele pagará de juros?


b) Qual o total que terá de pagar no final do empréstimo?
www.ceesvo.com.br 51
Solução:

a) Vamos calcular quanto de juros por mês:

3% de 2000,00 = 3 = X ou 3 . 2000,00
100 2000,00 100

X = (3 . 2000,00) : 100

X = 60,00

Como o empréstimo foi feito em 4 meses, temos:

4 • 60,00 = 240,00

b) Ao todo irá pagar:

2000,00 + 240,00 = 2240,00

R.: Sérgio pagará R$240,00 de juros num total de R$2 240,00.

Copie e resolva em seu caderno:

12) Resolva em seu caderno os problemas e confira as respostas no final deste


módulo:

a) Qual o juro produzido por R$ 2800,00 em 3 meses da aplicação, a 7% ao


mês?

b) Marcos comprou uma bicicleta por R$ 180,00. Pagará em 6 meses, por


isso o vendedor cobrará juros à base de 3% ao mês. Quanto ele pagará de
juros e qual o total que pagará pela bicicleta?

www.ceesvo.com.br 52
GABARITO:

1) a) 2 b) 1
5 4

2) 16 = 8 3) a) 10 = 1 b) 20 = 2
2 20 2 10

4) a) 4 b) 5 c) 1
3 2 4
5) 70 Km/h

6) 146,1 hab/Km²

7) a) Sim formam proporção, porque 50 = 50


b) Não formam proporção, porque 8 ≠ 24

8) a) X = 3 c) X = 4
b) X = 30 d) X = 27

8) a) Pagaria R$12,00 b) Levará 15 horas

9) a) Pagaria R$12,00 b) Levará 15 horas

10) a) São necessários 9 homens.

b) A velocidade deve ser de 75Km/h.

11) a) Sabem nadar 28 alunos.

b) Foram reprovados 6 alunos.

c) I )desconto de R$100,00.

II ) Preço do aparelho R$ 400,00.

12) a) Juro de R$ 588,00.


b)Pagará de juros R$ 32,40 e total de R$ 212,40.
www.ceesvo.com.br 53
Bibliografia:

Desenhos ilustrativos tirados dos livros:

BONGIOVANNI, Vicenzo, Vissoto, Olímpio Rudinin Leite, Laureano, José Luiz


Tavares. MATEMÁTICA VIDA. Quinta Série a Oitava Série
São Paulo. Editora Ática. 7ª Edição. 1995.

IMENES, Luiz Marcio, Lellis Marcelo. MATEMÁTICA. Oitava Série


São Paulo. Editora Scipione. 1999.

SCIPIONE, Di Pierrô Netto. MATEMÁTICA CONCEITOS E HISTÓRIAS. 6ª


Edição. Oitava Série. São Paulo. Editora Scipione 1997.

ELABORADO PELA EQUIPE DE MATEMÁTICA 2007:

- Elisa Rocha Pinto de Castro


- Francisco Carlos Vieira dos Santos
- Josué Elias Latance
- Rosy Ana Vectirans

COLABORAÇÃO:

- Adriana Moreira Molinar


- Esmeralda Cristina T. Ramon
- Rosimeire Maschetto Nieri
- Sara M. Santos

DIREÇÃO:

- Elisabete Marinoni Gomes


- Maria Isabel Ramalho de Carvalho Kupper

COORDENAÇÃO:

- Neiva Aparecida Ferraz Nunes

APOIO: Prefeitura Municipal de Votorantim

www.ceesvo.com.br 54
Centro Estadual de Educação Supletiva de Votorantim
Módulo 9
Objetivos:
- Identificar representações de ponto, reta e plano em situações
concretas;
- Representar e nomear ponto, reta e plano;
- Identificar as posições das retas em vertical, horizontal e inclinada,
- Identificar as posições de 2 retas num plano em paralelas, concorrentes
e coincidentes;
- Identificar segmento de reta, segmentos consecutivos e segmentos
congruentes;
- Identificar um polígono;
- Distinguir os lados e as diagonais de um polígono e calcular o nº de
diagonais;
- Calcular o perímetro de um polígono;
- Identificar o uso de ângulos;
- Reconhecer os ângulos : reto, agudo e obtuso;
- Determinar os ângulos complementares e suplementares;
- Reconhecer ângulos congruentes e ângulos opostos pelo vértice;
- Caracterizar um triângulo representando e nomeando seus elementos;
- Verificar a existência de um triângulo formado com três segmentos
dados;
- Determinar a medida de um dos ângulos internos de um triângulo,
conhecendo as medidas dos outros ângulos;
- Identificar a mediana, a altura e a bissetriz de um triângulo;
- Classificar triângulos quanto à medida dos lados e quanto à medida dos
ângulos;
- Identificar triângulos semelhantes;
- Determinar a razão de semelhança em triângulos semelhantes;
- Calcular a medida de lados em triângulos semelhantes;.
- Aplicar o Teorema de Talles;
- Aplicar as relações métricas no triângulo retângulo em resolução de
situações-problemas.

Roteiro de estudo:
- Para estudar e aprender o conteúdo deste módulo você deverá ler com
muita atenção, pensando e raciocinando sobre o que você leu.
- Você deverá resolver os exercícios do módulo e fazer a correção pelo
gabarito.

FAÇA OS EXERCÍCIOS EM SEU CADERNO, NÃO


ESCREVA NA APOSTILA.

www.ceesvo.com.br 2
Introdução à Geometria
Finalmente você vai estudar uma parte da matemática onde
não será preciso “decorar” teoremas ou fórmulas. É a GEOMETRIA
(estudo de medidas e formas que existem na terra).
GEO significa terra e METRIA significa medida.

PONTO, RETA E PLANO


1- Conceito (idéia) de PONTO:

Observando o mundo em que vivemos certas idéias surgem de


modo intuitivo
Exemplo: A marca da ponta de um lápis, uma marca de giz no
quadro negro, a localização de uma cidade no mapa, tudo isso nos
dá a idéia de ponto em geometria.

O ponto não tem dimensões (tamanho) e é normalmente


indicado por letras maiúsculas do nosso alfabeto.
Ex.: . A . B
( ponto A ) ( ponto B )

2- Conceito de RETA:

Exemplo: Um fio esticado por duas pessoas, a linha divisória de


um campo de futebol sugerem a idéia de reta em geometria, com
uma diferença básica: a reta não tem começo e nem fim, portanto
não pode ser medida.

As retas são indicadas por letras minúsculas do nosso alfabeto.

Ex.: r s a

(reta r) (reta s) (reta a)

3- Conceito de PLANO:

Qualquer superfície (a parede de uma sala, um pedaço de


madeira compensada, o piso de um campo de futebol), sugere a
idéia de plano em geometria.

www.ceesvo.com.br 3
Usualmente os planos são indicados por letras do alfabeto
grego.

Ex: ∝ (alfa), β (beta), δ (gama)


Representação:


β

(plano ∝ alfa) (plano β Beta)

Conclusão:
- O ponto, a reta e o plano são noções intuitivas, ou seja, são
modelos criados por nossa imaginação e usados justamente
para compreendermos melhor certos aspectos do mundo em
que vivemos.

Posições de uma reta:


Vertical, Horizontal, Inclinada

A figura acima nos mostra um campo de voleibol onde:


 Cada vara lateral sugere a idéia de reta (r, t );
 Cada faixa da rede sugere a idéia de reta (s, u );
 O campo sugere a idéia de plano ( ∝ ).

www.ceesvo.com.br 4
Em relação ao campo ( plano ∝ ) as varas laterais ( letra r , t )
ocupam a posição vertical.
Representação da reta vertical

Observe a posição vertical do mastro da bandeira

Em relação ao campo (plano ∝ ) as faixas da rede (s, u )


ocupam a posição horizontal.
Representação da reta horizontal

Observe a posição horizontal da fecha:

Um foguete ocupa a posição inclinada em relação ao chão


quando está em movimento.
Representação da reta inclinada

Observe a posição inclinada do foguete:

Posições relativas de duas retas em um plano:


Retas Paralelas e Concorrentes

www.ceesvo.com.br 5
A figura anterior mostra uma quadra de voleibol. Nela você observa
que:
 as linhas laterais que sugerem a idéia de retas (retas a e b)
não se cruzam, então, as linhas laterais são paralelas
(mantém sempre a mesma distância entre elas);
 as faixas da rede que sugerem a idéia de retas (retas r e s)
não se cruzam, então as faixas das retas são paralelas.

RETAS PARALELAS: Quando duas retas de um mesmo plano


não se cruzam elas mantêm sempre a mesma distância entre si,
portanto, não possuem ponto em comum e são denominadas retas
paralelas.
Representação de retas paralelas

b ∝
r s

a || b r || s

(lê-se: a é paralela a b) (lê-se: r é paralela a s)

A linha do trem exemplifica o conceito de


paralelismo, pois mantém sempre a mesma
distância entre seus trilhos.

Veja novamente a figura da quadra de voleibol na página anterior


e observe:

 As linhas laterais e as linhas de fundo sugerem a idéia de


retas que se interceptam (cruzam a com c ou b com c)
isto é, têm um ponto comum, por isso são chamadas de
concorrentes.
 A vara lateral e a faixa da rede sugerem a idéia de retas (t
e r ou t e s) que se cruzam em um ponto comum, então, a
vara lateral e a faixa de rede são concorrentes.
Portanto:

www.ceesvo.com.br 6
RETAS CONCORRENTES: Quando duas retas de um mesmo
plano possuem um ponto comum, isto é, que pertence às duas
retas são denominadas retas concorrentes (se cruzam em um
ponto).
Representação de retas concorrentes

c ∝ t
P A
a r
β

axc txr
lê-se a é concorrente a c lê-se t é concorrente a
r
P é o ponto em comum A é o ponto em comum

Observe as duas agulhas de tricô que se cruzam


num ponto. Elas nos dão a idéia de
concorrentes.

RETAS COINCIDENTES: Quando duas retas r e s possuem


todos os pontos comuns isto é, uma está sobreposta (encima) à
outra.
Representação de retas coincidentes


r=s lê-se r é coincidente a s

SEGMENTO DE RETA (pedaço da reta)

Considere uma reta r e sobre ela marque dois pontos A e B


distintos (diferentes). O conjunto de pontos formados por A, por B e
por todos os pontos que estão entre A e B, denomina-se segmento
de reta AB . O segmento é identificado por um traço em cima das
letras que identificam o início e o fim do segmento.

www.ceesvo.com.br 7
Os pontos A e B são chamados
A extremidades do segmento
B r AB determinado sobre a reta r.

Veja um exemplo prático:

LEMBRE-SE:
RETA não tem começo e nem
fim. Não pode ser medida.
SEGMENTO DE RETA tem
começo e fim logo pode ser
medido.

F AF leia segmento AF
H
FH leia segmento FH
A

SEGMENTOS CONGRUENTES ( tem a mesma medida)

A B

C D

De acordo com a figura acima observe que:


 Os segmentos AB e CD têm a mesma medida logo são
congruentes
 Os segmentos AC e BD são congruentes (têm a mesma
medida)
Então:
Tomando a mesma unidade de referência, dois segmentos
que têm a mesma medida são denominados segmentos
congruentes.
Você pode representar a congruência usando o símbolo ≅ .
Veja: AB ≅ CD (segmento AB é congruente ao segmento CD).

www.ceesvo.com.br 8
SEGMENTOS CONSECUTIVOS

F
H

Observe o desenho acima. O segmento FH começa no mesmo


ponto onde termina o segmento AF . Eles são chamados
segmentos consecutivos (um após o outro).
Então:
Dois segmentos que têm em comum apenas uma extremidade
são denominados segmentos consecutivos.
D
C
Observe o desenho ao lado:
AB e BC são segmentos consecutivos, pois têm
em comum o ponto B.. A
BC e CD são segmentos consecutivos com o
ponto C em comum.
B

FIGURAS POLIGONAIS

Observe as figuras desenhadas abaixo. Elas são formadas por


segmentos consecutivos.

( aberta ) (fechada) (aberta) (fechada)

Essas figuras geométricas planas são chamadas de figuras


poligonais. Elas podem ser abertas ou fechadas.
X
G H M
E F N

A D
B C O P Y Z

As figuras poligonais fechadas recebem o nome de POLÍGONOS.

www.ceesvo.com.br 9
ELEMENTOS DOS POLÍGONOS

LADOS: são os segmentos de reta (AB, BC, CD, DF, FH, HG


e EA) que formam o primeiro polígono desenhado acima.

VÉRTICES: são as extremidades comuns a dois lados


consecutivos de um polígono, ou seja, os pontos A, B, C, D, E, F,
G, H são os vértices do polígono acima desenhado
Existem diferentes tipos de polígonos e eles são classificados
de acordo com a quantidade de lados ou de ângulos. Veja alguns
deles:

Nome dos polígonos

Nº de lados Nome
3 lados triângulo
4 lados quadrilátero
5 lados pentágono
6 lados hexágono
7 lados heptágono
8 lados octógono
9 lados eneágono
10 lados decágono
11 lados undecágono
20 lados icoságono

Diagonais de um polígono: são todos os segmentos com


extremidades em dois vértices não-consecutivos.
B

AC , AE diagonais em relação ao
C vértice A
A
BD , BE diagonais em relação ao
E vértice B
D DC diagonal em relação ao vértice
D ou C
A quantidade de diagonais depende do nº (quantidade) de
vértices do polígono. Para saber quantas diagonais têm um
polígono faça o cálculo aplicando a fórmula:

www.ceesvo.com.br 10
D = n . (n - 3) Onde n = quantidade de lados do polígono
n = 5 (no desenho acima)
2

5 • (5 − 3) 5 • 2 10
Então: D = = = = 5 diagonais
2 2 2

Exemplo: O eneágono (polígono de 9 lados) tem quantas


diagonais?

Substituindo n por 9 na fórmula acima,você tem:

D = 9 . (9 – 3) = 9 . 6 = 54 = 27 diagonais
2 2 2

PERÍMETRO de um polígono qualquer: é a soma das


medidas de todos os seus lados.

Exemplo:
4cm

3cm 2cm O perímetro do polígono é

4+3+2+2,5= 11,5cm

2,5cm

ÂNGULOS
Você já viu que os polígonos são formados por lados
(segmentos) e vértices (ângulos).

O que são ângulos?


É toda região interna ou externa compreendida entre duas
semi-retas que têm o mesmo ponto de origem. A unidade de
medida do ângulo é o grau.
Região interna formada por duas semi-
A
retas
AÔB = ângulo interno
Os ângulos também podem ser
O representados por letras gregas tais
como: α, β, λ ou simplesmente com o
B
acento circunflexo na letra: Â, Ĉ, Ĥ
www.ceesvo.com.br 11
Os ângulos são classificados de acordo com suas medidas:

ÂNGULO DE 360° - é o ângulo que forma uma circunferência.

ÂNGULO RASO - é igual a 180°. É a metade da circunferência.

ÂNGULO RETO - ângulo cuja medida é 90°. Esse ângulo é o mais


usado em arquitetura, construções, etc É o ângulo de 360° dividido
em 4 partes iguais. O ângulo reto é representado pelo símbolo

90°

90°
Â

ÂNGULO ÂGUDO – ângulo com medida menor do que 90°. É o


ângulo fechado representado pelo sinal

Ângulo O < 90°


50°
O Ô < 90°

ÂNGULO OBTUSO – ângulo com medida maior do que 90° ( é o


ângulo aberto)

Ângulo A > 90°

145° Â > 90°

www.ceesvo.com.br 12
MEDIDAS DE ÂNGULOS

Um ângulo não tem comprimento, nem largura nem espessura.


Ele só tem uma medida chamada amplitude e sua unidade de
medida é o graus representado pelo sinal ° Ex. 30° (trinta graus)
O instrumento usado para medir um ângulo é o transferidor.
Observe o desenho do transferidor e veja como se faz para medir
um ângulo.
O transferidor é dividido em
unidades de medidas
denominadas GRAUS, no
intervalo de 0° à 180° (meia
circunferência) ou de 0° à 360°
(uma circunferência).

Esta região está marcando um


ângulo de 40°
.

ÂNGULOS COMPLEMENTARES

Considere os ângulos AÔB, de medida x = 40°, e DÊF, de


medida Y = 50°

B F

40° 50°
O E
A D

Observe que se você “juntar” os dois ângulos você forma um


ângulo de 90°.
Então : X + Y = 90°
40° + 50° = 90°
Nesse caso, os ângulos AÔB e DÊF são complementares. Veja a
representação de ângulos complementares no desenho do
transferidor, no início desta página.

Dois ângulos são complementares quando


a soma de suas medidas é igual a 90°.

www.ceesvo.com.br 13
Veja o exemplo:

1- Calcule o complemento do ângulo de 20°.


Solução:
Sendo X a medida do complemento do ângulo de 20° você tem:
X + 20° = 90° (calculando o valor de X)
X = 90° - 20°
X = 70° ( complementar de 20° )

ÂNGULOS SUPLEMENTARES

Considere os ângulos AÔB, de medida x=35°, e DÊF, de medida


y = 145°

B
F
55° 125°
O A
E D

Observe que X + Y = 180°


Nesse caso dizemos que AÔB e DÊF são ângulos suplementares.
Veja a ilustração no exemplo abaixo

Dois ângulos são suplementares quando


a soma de suas medidas é 180°.

Veja o exemplo:
B

Região do arco de linha pontilhada = 55°


Região do arco de linha cheia = 125°

125° 55°
A
C
O

www.ceesvo.com.br 14
Calcule o suplemento do ângulo de 30°
Solução:
Sendo X a medida do suplemento do ângulo de 30° você tem:
X + 30° = 180° (calculando o valor de X)
X = 180° - 30°
X = 150° (suplemento do ângulo de 30°)

Ângulos congruentes – ângulos que têm a mesma medida


Observe os seguintes ângulos:

R
A

50°
O 50°
T

B
S

Eles têm a mesma medida, portanto são ângulos


congruentes.

Representação: AÔB ≅ RST (lê-se: AÔB é congruente a RST)

Ângulos opostos pelo vértice


OBSERVE OS ÃNGULOS:
X e Y são ângulos opostos pelo A
X Y
vértice ( A).

Dois ângulos são opostos pelo vértice quando os lados de um são


semi-retas opostas aos lados do outro.

Dois ângulos opostos pelo vértice são congruentes


( têm a mesma medida).

Você vai dar continuidade a geometria estudando um polígono


especial formado por 3 lados e 3 ângulos, chamado triângulo.

www.ceesvo.com.br 15
CLASSIFICAÇÃO DE ÂNGULOS

ÂNGULO DE 360° - forma


uma circunferência (uma
volta inteira). ÂNGULO AGUDO – são
ângulos com medidas
menores do que 90°
(são os ângulos fechados).

ÂNGULO RASO – mede


180° (meia volta).
Ex.: uma pasta entreaberta.

Ex.: um livro inteiramente


aberto forma um ângulo de
180° em relação ao fechado


ÂNGULO OBTUSO – são
ângulos com medidas
(180°) maiores do que 90° (são os
ângulos abertos).

ÂNGULO RETO – mede


90° - é representado pelo
símbolo
Ex.: O ângulo entre o
assento e o encosto da
poltrona.
Ex.: Os ponteiros do relógio
(horas e minutos) às 3 horas.


Módulo 10

Objetivos:

O aluno será capaz de:

• Reconhecer as características de um triângulo;


• Identificar e classificar os triângulos;
• Conceituar proporcionalidade;
• Identificar triângulos semelhantes;
• Entender o Teorema de Tales;
• Aplicar esses conceitos em resolução de problemas;
• Identificar triângulo retângulo;
• Reconhecer a relação métrica a ser usada;
• Calcular as medidas desconhecidas nos triângulos;
• Aplicar esses conhecimentos para solução de problemas.

www.ceesvo.com.br 17
TRIÂNGULOS

Você vai estudar neste módulo o mais simples e o mais


importante dos polígonos: o triângulo.
São inúmeras as aplicações práticas do triângulo em
construções e estruturas que exigem rigidez e uma boa distribuição
de forças.
Observe as figuras abaixo e veja se consegue enxergar onde
estão os triângulos, sabendo que:

TRIÂNGULO é um polígono que possui 3 lados e 3 ângulos.

www.ceesvo.com.br 18
Representação e elementos de um triângulo qualquer

B
Representação: ABC

ELEMENTOS:
Vértices: A, B, C

Lados: AB. AC, BC


A C
^ ^
Ângulos internos: Â, B , C

CLASSIFICAÇÃO

Você pode classificar os triângulos observando os lados e os


ângulos.

Quanto aos lados os triângulos são classificados em:

equilátero isósceles escaleno

www.ceesvo.com.br 19
EQUILÁTERO: os 3 lados são congruentes (tem a mesma medida).

ISÓSCELES: têm dois lados congruentes (mesma medida) e um


diferente.

ESCALENO: as medidas dos 3 lados são diferentes.

Quanto aos ângulos os triângulos são classificados em:

RETÂNGULO: 1 ângulo tem medida


^
Igual a 90° (ângulo reto X ).
( Observe o desenho)

OBTUSÂNGULO: tem um
ângulo com medida maior
do que 90° (ângulo Ô aberto). 120º
O

50º
ACUTÂNGULO: os 3 ângulos
têm medidas menores do que
^ ^ ^ 70º 60ª
90° (ângulos A , B , C fechados) A B

www.ceesvo.com.br 20
OBSERVAÇÕES:

 Base ( b ) é o lado sobre o qual o triângulo


se apoia. No triângulo isósceles, considera-se a
base o lado de medida diferente.

 Altura ( h ) é a medida da base até o vértice oposto.


A altura é representada por uma linha pontilhada.

 Num triângulo isósceles, o ângulo formado pelos lados


congruentes (de mesma medida) é chamado ângulo do
vértice.

 No triângulo isósceles os ângulos da base são


congruentes ( mesma medida).

 Num triângulo retângulo denomina-se hipotenusa o lado


oposto ao ângulo reto. Os demais lados denominam-se
catetos.

hipotenusa
cateto

cateto

CURIOSIDADE : CONDIÇÃO DE EXISTÊNCIA


Para você construir um triângulo qualquer é necessário que a
medida de qualquer um dos lados seja menor que a soma das
medidas dos outros dois lados. Veja o exemplo:

9 9 < 5 + 7 ou
5 5 < 7 + 9 ou
7<5+9
7

www.ceesvo.com.br 21
Copie e responda em seu caderno:

1) Classifique os triângulos abaixo:


a) Quanto aos lados.
b) Quanto aos ângulos

2) É possível construir um triângulo com os lados medindo 8cm,


10cm e 15 cm ?

SOMA DAS MEDIDAS DOS ÂNGULOS INTERNOS DE


UM TRIÂNGULO
(TEOREMA ANGULAR DE TALES)

Tales, filósofo e matemático grego ( Mileto, 625 a.C.), foi


um dos chamados 7 sábios da Grécia. Ele usou a geometria
para prever um eclipse solar.

Este é um teorema importante das medidas dos ângulos de


um triângulo qualquer, descoberto por Tales.

“A SOMA DOS TRÊS ÂNGULOS INTERNOS DE UM


TRIÂNGULO QUALQUER É IGUAL A 180º ”

^
Medida A = 70°
^
Medida B = 55°
^
Medida C = 55°

^ ^ ^
A + B + C = 180°

70° + 50° + 60° = 180°

www.ceesvo.com.br 22
1º Exemplo:

Observe o desenho abaixo e veja como calcular a medida do


^ ^
ângulo C do triângulo A B C sabendo que a soma dos 3 ângulos é
igual a 180°.
^ ^ ^
B A + B + C = 180°
55 + 65 + X = 180
65°
120 + X = 180
X C
55°
X = 180 – 120 X = 60°
A

2º Exemplo: Este triângulo é denominado retângulo,


portanto a medida do ângulo  é 90º então:
X + Â + 40° = 180°
X X + 90° + 40 = 180

X + 130 = 180
40º X = 180 – 130
A X = 50°

3º Exemplo:
M M + N + O = 180°
20° 20 + 2X + 10 + X = 180
2X + X + 20 + 10 = 180

3X + 30 = 180
2X + 10 X 3X = 180 – 30
N O 3X = 150
X = 150
3
X = 50°
4º Exemplo:
X + X + 2X = 180
X 4X = 180
X = 180
4
X 2X
X = 45°

www.ceesvo.com.br 23
Copie e responda em seu caderno:

3) Determine o valor do ângulo x nos triângulos abaixo.

A) B)

E)
D)
C)

ELEMENTOS DO TRIÂNGULO

São medidas usadas no TRIÂNGULO.

Mediana: é o segmento de reta que une um dos vértices ao ponto


médio do lado oposto.

AM é a mediana relativa ao lado BC


BM ≅ BC (mesma medida)

Altura: é a medida do segmento de reta perpendicular a um lado


do triângulo, traçado pelo seu vértice oposto.

www.ceesvo.com.br 24
AH é a altura relativa ao lado BC
AH (perpendicular)
Ângulo de 90°
A

B C
H

Bissetriz : é o segmento de reta que divide um ângulo interno em


outros dois congruentes (mesma medida).

^ ^
B A D≅ D A C

FIGURAS SEMELHANTES

Na Matemática uma foto e sua ampliação são exemplos de


figuras semelhantes, pois têm as mesmas características, porém
suas medidas são diferentes mas proporcionais ( a largura da figura
A é o dobro da largura da figura B).
A B

Observe que a foto


dobrou de tamanho.

O mesmo princípio é válido para qualquer figura geométrica.

www.ceesvo.com.br 25
TRIÂNGULOS SEMELHANTES

 Dois triângulos têm a mesma forma uma vez que ambos têm
3 lados e 3 ângulos, mas nem sempre são semelhantes.
 Para que dois triângulos sejam semelhantes devem ter seus
ângulos correspondentes congruentes (mesma medida) e
seus lados correspondentes proporcionais.

Não semelhantes (ângulos diferentes). semelhantes ( ângulos congruentes).

 Dois círculos são sempre semelhantes.

NOÇÃO DE SEMELHANÇA DE TRIÂNGULOS

Observe os dois triângulos ABC e DEF da figura abaixo:

Os lados dos triângulos


são respectivamente
paralelos.

Eles têm ângulos correspondentes congruentes ( mesma


^ ^ ^ ^ ^ ^
medida ) : A ≅ D , B ≅ E, C ≅ F
Esses dois triângulos têm a mesma “forma”. Eles são
1
semelhantes. A razão de semelhança é .ou 0,5
2

www.ceesvo.com.br 26
Vamos retirar o ∆ ABC de dentro do ∆ DEF:

1º) Você pode observar que os ângulos são ordenadamente


^ ^ ^ ^ ^ ^
congruentes: A ≅ D, B ≅ E, C ≅ F

2º) Os lados correspondentes ( ou homólogos ) são proporcionais:


AB AC BC
= =
DE DF EF

Dois triângulos são semelhantes quando têm os ângulos


correspondentes congruentes e os lados homólogos
(correspondentes) proporcionais.

Veja alguns exemplos :

1º ) Note que são


triângulos
semelhantes, pois os
ângulos
correspondentes
são congruentes.

2º )
8 6 3
4

5
10
www.ceesvo.com.br 27
Os triângulos acima são semelhantes, pois os lados
correspondentes são proporcionais.
8 6 10
Veja: =2 =2 =2 Note que a
4 3 5
razão de semelhança neste caso é 2 ( o primeiro triângulo é duas
vezes maior que o segundo ).

EXERCÍCIO RESOLVIDO 1:
Os triângulos abaixo são semelhantes. Descubra a medida do lado X.

12 = 9
9 X 4 x
12.X = 4.9
4 X = 36
12 12
X= 3

EXERCÍCIO RESOLVIDO 2:
Calcule o valor de x :
X
20º 14
20º

80º
10
80º 6

x 6
= ( aplicando a regra da proporção)
14 10

10 . X = 14 . 6

84
10. X = 84 X= X = 8,4
10

www.ceesvo.com.br 28
Copie e responda em seu caderno:

4) Sabendo que os triângulos das figuras abaixo são semelhantes,


determine as medidas dos lados indicados.

b) 6
4
2 Y

X
8

c)
X
18 5
Y

10
20

www.ceesvo.com.br 29
TEOREMA DE TALES
Curiosidades sobre Tales de Mileto

Você sabe quem foi Tales?


- Foi um legislador, filósofo matemático e astrônomo.
- Tales nasceu em Mileto (atualmente pertence à Turquia) no ano
646 aC. e morreu em 546 aC.
- A ele são atribuídas as seguintes descobertas geométricas:

www.ceesvo.com.br 30
ESTUDO DO TEOREMA DE TALES E SUAS APLICAÇÕES
NA SOLUÇÃO DE PROBLEMAS

Você já aprendeu no módulo 9 que quando dois triângulos


são semelhantes , os seus lados correspondentes são
proporcionais. A mesma teoria se aplica quando duas retas (m e
n) cortam três retas paralelas (r, s, t ). Os seus segmentos a, b, c,
d, também são proporcionais. Veja o exemplo resolvido abaixo,
aplicando a propriedade da proporção:o produto (multiplicação) dos
meios é igual ao produto dos extremos.

a = 10 c = 14
s x=a+b y=c+d
b=5 d=7

m n

a c x y x y
= ou = ou =
b d a c b d

10 14 15 21 15 21
= = =
5 7 10 14 5 7

10 • 7 = 5 • 14 15 • 14 = 10 • 21 15 • 7 = 5 • 21
70 = 70 210 = 210 105 = 105

Observe que aplicando o teorema das proporções você


pode determinar a medida de um dos segmentos das retas
transversais que você desconhece.

12 = 20 multiplicando X . 20 = 12 . 10
12 20 x 10 X . 20 = 120
X = 120
x 10 20
X= 6

www.ceesvo.com.br 31
Você sabe que existem situações que é difícil efetuar
medições, então, pode-se usar o Teorema da Proporcionalidade
(Tales) aplicando a teoria dos triângulos semelhantes.

APLICAÇÃO PRÁTICA

Imagine que uma ponte deve ser construída sobre um rio.


Como calcular a largura do rio para saber qual será o comprimento
da ponte?
Veja o esquema abaixo e observe como achar o valor de x que
representa o comprimento da ponte. Do ponto A até o ponto E e de
E até o ponto C você pode medir assim como do ponto A até o
ponto D (início da ponte). Com essas medidas você forma um
triângulo imaginário e calcula o comprimento da ponte.

Observe que o triângulo ADE é semelhante ao triângulo ABC,


pois seus ângulos são congruentes (mesma medida) e seus lados
correspondentes tem as medidas proporcionais então, pode-se usar
o Teorema de Tales como foi demonstrado acima no próprio
desenho.

www.ceesvo.com.br 32
1º EXEMPLO: observe os lados correspondentes:

4 12

3
5
X 9

4 3 5
= = proporções dos lados correspondentes
12 9 X

para calcular o valor de X multiplique cruzando:

5 3
= 3 • X = 5 • 9
X 9
X = 45 X = 15
3

Copie e responda em seu caderno:

5) Calcule o valor de X dos exercícios abaixo:

A b)
a)
X 1,4
2 2,4
B E
1 X
2,4
C D 1,2

www.ceesvo.com.br 33
c) Calcule a medida do lado X do triângulo:

20 10
x
8

APLICAÇÕES PRÁTICAS:

Copie e responda em seu caderno:

6) Como você pode calcular a altura da torre de uma igreja que


projeta uma sombra de 18 m de comprimento se, no mesmo
instante, uma vara de 1,5 m produz uma sombra de 2,5m?

Observe o desenho abaixo:

T
O
R
R
E X V
A 1,5
R
A
2,5
18m
SOMBRA SOMBRA

7) Se uma haste de 1m projeta uma sombra de 2m, qual será a


altura de um poste de iluminação que, no mesmo instante tem
uma sombra de 15 m?

SUGESTÃO; faça a representação do problema com os desenhos


dos triângulos.

www.ceesvo.com.br 34
TRIÂNGULO RETÂNGULO
TRIÂNGULO RETÂNGULO: É um tipo especial de triângulo
que tem dois lados perpendiculares formando um ângulo reto
(90° ). Os triângulos retângulos foram assuntos dos estudos de
Pitágoras, importante matemático grego que descobriu uma
propriedade válida para todos esses triângulos.

www.ceesvo.com.br 35
RELAÇÕES MÉTRICAS NO TRIÂNGULO RETÂNGULO

Observe o triângulo retângulo e seus


elementos (catetos, hipotenusa, altura
e projeções desenhados abaixo).

A
L
T CATETO
CATETO U
R
A

PROJEÇÃO PROJEÇÃO
HIPOTENUSA

TRIÂNGULO RETÂNGULO (tem um ângulo reto  = 90° que


é representado pelo símbolo ).

Hipotenusa – é o lado oposto ao ângulo reto  (fica na


frente do ângulo de 90°). É o lado maior do triângulo.

Catetos - são os outros dois lados que formam o ângulo de


90º (são perpendiculares entre si ).

Altura - medida que parte do vértice até o lado oposto. O


segmento da altura em relação ao ângulo de 90° divide a
hipotenusa em duas partes denominadas projeções.

www.ceesvo.com.br 36
Você sabe que:
HIPOTENUSA é o lado oposto ao ângulo reto.
CATETOS: são os outros dois lados.
ALTURA: medida que vai do vértice A até a
hipotenusa, formando um ângulo de 90°.
PROJEÇÕES: medidas que resultam da divisão
da hipotenusa ao ser traçada a altura.
Cada cateto tem a sua projeção na hipotenusa.

No triângulo retângulo temos quatro relações métricas que


nos possibilitam calcular as medidas de seus elementos. A
principal delas é o TEOREMA DE PITÁGORAS: “ O quadrado da
hipotenusa é igual a soma dos quadrados dos catetos”

1)
Hip2 = cat2 + cat² CATETO
HIPOTENUSA

TEOREMA DE PITÁGORAS CATETO

Ex.: Determine a medida


Aplicando o Teorema de Pitágoras temos:
3 hip² = cat² + cat²
x² = 3² + 4²
x² = 9 + 16
4 x² = 25 LEMBRE-SE!
x = 25 3² = 3 • 3 = 9
X x = 5

Você sabe o que fazer para achar a medida de um cateto


do triângulo retângulo?

OBSERVE: Hip² = cat² + cat²


5² = X² + 3²
5 25 = X² + 9
3
25 - 9 = X²
x 16 = X
X = 4
www.ceesvo.com.br 37
Copie e responda em seu caderno:

8) Determine o valor de X:
a-) b-) X

6 X
6 4
8

As outras relações métricas você irá usar quando precisar


calcular as medidas internas do triângulo:
(altura ou projeções).

2) Cat² = hip . proj

3) Hip . alt = cat . cat

4) Alt² = proj . proj

Veja como usar essas fórmulas:

1º EXEMPLO:
4 No triângulo ao lado são dadas
3
as medidas dos catetos
X
( 3 e 4 ), e da hipotenusa ( 5 ).
Falta achar a medida da
altura ( X )
5

www.ceesvo.com.br 38
Há duas fórmulas (3 e 4) Na relação nº. 4 é necessário ter
onde aparece altura. as medidas das projeções e no
3) Hip . alt = cat . cat triângulo acima não tem então,
4) Alt² = proj . proj a relação nº. 3 é a mais
adequada.
Qual delas devo usar?

Veja as medidas:

Cat. = 4
Cat. = 3 hip . alt = cat . cat
Hip. = 5 5 . x = 3 . 4
Alt. = X 5x = 12
12
x =
5
x = 2,4

9) Determine o valor de X:

9 6
a-) 12 b-)
X
X
15 8
No exercício b você tem a medida da
hipotenusa e do cateto e quer determinar
3 8 a medida da projeção.
X No exercício c você tem as medidas das
projeções e quer calcular a medida da
c-) altura.
Veja na página anterior as fórmulas 2,3,4
e descubra qual a mais indicada para
cada caso.

www.ceesvo.com.br 39
APLICAÇÕES PRÁTICAS: esses teoremas são usados para
resolver situações problemas. É conveniente fazer a
representação através do desenho.

1º exemplo:

Uma torre metálica de 10m de altura será fixada ao solo por um


cabo de aço em um ponto distante a 30m da extremidade inferior da
torre. Quantos metros de cabo de aço serão necessários ?

Passos para resolver o problema:

1- Faça a representação do problema com desenho anotando as


medidas dadas e identificando o lado X;

2- Identifique o lado da hipotenusa e o dos catetos;

3- Escolha a fórmula mais adequada;

4- Resolva para calcular o valor de X.

10m
Hip² = cat² + cat² cat X hip

X² = 10² + 30²
X² = 100 + 900
X² = 1000 30m cat
X = 1000
X = 31,62

Serão necessários aproximadamente 31,62 metros de cabo de aço.

www.ceesvo.com.br 40
Copie e responda em seu caderno:

10) Um bombeiro precisa colocar uma escada até a janela do 2º


andar que está a 15m de altura do chão. A escada está fixada
a 8m de distância da parede. Qual deve ser a medida mínima
da escada?

Observe a representação geométrica do problema:

Escada
(X)

Parede = 15m

8m

11) Um monumento será construído em forma de triângulo


retângulo cuja hipotenusa mede 10m, um dos catetos mede
6m e o outro 8m. Qual será a altura desse monumento?

6m
8m
X

10m

www.ceesvo.com.br 41
GABARITO:

1) A - I = Eqüilátero B- I = acutângulo
II = Isósceles II = Obtusângulo
III = Escaleno III= Retângulo

2) Sim

3) a) 40° b) 55°
c) 30° d) 40°
e) 108°

4 ) a) X = 12 B) X = 4
Y= 3

C ) X = 10
Y=9

5-) a) X = 1,2 b) X = 2,8 c) X = 16

6-) X = 10,8

7-) X = 7,5

8-) a) X = 10 b) X = 4,4

9-) a) X = 7,2 b) X = 4,5 c) X = 4,8

10-) X = 17

11-) X = 4,8

www.ceesvo.com.br 42
Bibliografia:

Desenhos ilustrativos tirados dos livros:

BONGIOVANNI, Vicenzo, Vissoto, Olímpio Rudinin Leite, Laureano,


José Luiz Tavares. MATEMÁTICA VIDA. Quinta Série a Oitava
Série
São Paulo. Editora Ática. 7ª Edição. 1995.

IMENES, Luiz Marcio, Lellis Marcelo. MATEMÁTICA. Oitava Série


São Paulo. Editora Scipione. 1999.

SCIPIONE, Di Pierrô Netto. MATEMÁTICA CONCEITOS E


HISTÓRIAS. 6ª Edição. Oitava Série. São Paulo. Editora Scipione
1997.

ELABORADO PELA EQUIPE DE MATEMÁTICA 2007:

- Elisa Rocha Pinto de Castro


- Francisco Carlos Vieira dos Santos
- Josué Elias Latance
- Rosy Ana Vectirans

COLABORAÇÃO:

- Adriana Moreira Molinar


- Esmeralda Cristina T. Ramon
- Rosimeire Maschetto Nieri
- Sara M. Santos

DIREÇÃO:

- Elisabete Marinoni Gomes


- Maria Isabel Ramalho de Carvalho Kupper

COORDENAÇÃO:

- Neiva Aparecida Ferraz Nunes

APOIO: Prefeitura Municipal de Votorantim

www.ceesvo.com.br 43
Centro Estadual de Educação Supletiva de Votorantim

www.ceesvo.com.br 1
MÓDULO 11

OBJETIVOS: Ao final desta U.E. você deverá saber:

• Reconhecer expressões numéricas e expressões algébricas;


• Calcular o valor numérico de uma expressão algébrica;
• Identificar o coeficiente e a parte literal de um monômio;
• Escrever sentenças matemáticas;
• Equacionar problemas do primeiro grau;
• Resolver e interpretar problemas do primeiro grau;
• Relacionar equações com o dia-a-dia;
• Resolver algebricamente um sistema de equações do 1º grau
pelo método da adição;
• Interpretar problemas com duas incógnitas relacionando-os
com o cotidiano montando um sistema de equações;
• Resolver os sistemas e interpretar as respostas;
• Conhecer o método geométrico no plano cartesiano para
resolver sistemas de equações do 1º grau.

Roteiro:
- Leia atentamente o módulo observando e acompanhando a
resolução dos exemplos;
- Faça os exercícios no seu caderno e confira as respostas no
gabarito;
- Anote as dúvidas no caderno e pergunte ao professor.

FAÇA OS EXERCÍCIOS NO SEU CADERNO.

NÃO ESCREVA NA APOSTILA.

www.ceesvo.com.br 2
A ÁLGEBRA

INTRODUÇÃO: O uso das letras na resolução de problemas


inaugurou uma nova era da matemática.
No momento em que usamos letras para representar uma
quantidade desconhecida entramos na parte da matemática
chamada álgebra.
O uso da letra facilitou a comunicação matemática. Por exemplo,
você pode representar: “O quadrado da soma de dois números” por
(a+b)² que será entendido em qualquer país. As letras a e b estão
representando dois números quaisquer.
Existem expressões na matemática que necessitam de letras
para representar uma idéia ou uma situação.

Exemplo: Um litro de gasolina custa R$ 1,70. Como você pode


representar o gasto com combustível durante uma viagem?
Você pensou, pensou e não conseguiu responder? Está faltando
algum dado no problema? Você não sabe quantos litros de gasolina
foram gastos?
É verdade, você não pode chegar a um resultado imediato, mas
existe uma maneira de escrever essa idéia: usando uma letra
qualquer para representar a quantidade de litros de gasolina. Então
você pode escrever 1,70 . X onde X representa a quantidade de
litros.
Expressões formadas por números e letras são chamadas de
expressões algébricas.
Na matemática trabalhamos com números, formas e letras que
representam números. São as fórmulas e equações.
Um exemplo do uso de fórmula: para calcular o perímetro P
(soma dos quatro lados) de um retângulo em que um lado é o
dobro do outro.
Observe o desenho abaixo:
Você não sabe a medida de um lado então pode representá-la
por uma letra.
X representa a medida de um lado.
P = X + 2X + 2X + X
X
P = 6X

2.X

www.ceesvo.com.br 3
Nessa expressão X é uma incógnita ou variável e está
representando um número desconhecido.
VALOR NUMÉRICO DE UMA EXPRESSÃO NUMÉRICA

É o número que se obtém quando você substitui as variáveis


(letras) por valores reais (números).
Observe que foram dados valores
Ex. 1: a + b para a = 2 para as letras ( incógnitas ) , então
b=3 é só substituir ((tirar) a letra pelo
2+ 3 número correspondente.
5 Valor Numérico = 5

Ex. 2:
Determine o valor numérico de 2a + 3b – 5 lembrando que 2a é o
mesmo que 2 . a pois entre um número e uma letra tem uma
multiplicação.

2.a+3.b–5 para a=5


b=2

2.5+3.2–5
10 + 6 - 5
16 – 5
11 Logo o valor numérico ( V.N.) é 11.

Ex. 3: Calcule o valor numérico de


2 x² + 3 y para x=5
y= - 4 LEMBRE-SE:
5² = 5 . 5 = 25
2 . 5 ² + 3 . ( -4 )
2. 25 - 12
50 – 12
V.N = 38

Copie e resolva em seu caderno:

1) Calcule o Valor Numérico das expressões:

a) x+2 para x = 3

b ) 5a² - 2b para a=3


b= 2

www.ceesvo.com.br 4
c)x+y para x = -1
y=2

d) 2x − y para x = 3
y=4

e) x + y − z para x = 8 y=3 z=5

TERMO ALGÉBRICO OU MONÔMIO

O termo algébrico é formado por duas partes: a literal (parte das


letras) e o coeficiente numérico (número que está multiplicando a
parte literal).
Quando a expressão algébrica é formada por dois ou mais
termos é denominada POLINÔMIO. Quando têm um só termo é
chamada particularmente de MONÔMIO.

Coeficiente numérico
Dessa maneira convenciona-se:

4 x²

Parte literal

Ex.: 4x é um monômio na variável x e o coeficiente é o 4.

2xy3 é um monômio com variáveis x e y e com coeficiente 2.

X³Y² é um monômio com coeficiente 1 (não é necessário


escrever o nº 1 antes das variáveis).

NÃO SE ESQUEÇA:
4 X é 4 • X (multiplicação)
Obs. O sinal de multiplicação
não é usado entre o número e a
letra ou entre duas ou mais
letras Ex.: 4ab = 4 . a . b

www.ceesvo.com.br 5
MONÔMIOS OU TERMOS SEMELHANTES

Dois ou mais monômios são semelhantes quando as partes


literais (as letras) são idênticas (mesmas letras com mesmos
expoentes).

Assim 15 x²b³ é semelhante a 6x²b³ pois têm a mesma parte


literal (X²b³).

Os monômios 10c²b e –2cb² não são semelhantes pois as


partes literais ( c²b e cb²) não são idênticas ( os expoentes das
letras são diferentes).

REDUÇÃO DE TERMOS SEMELHANTES


Se em uma expressão algébrica houver dois ou mais termos
semelhantes, eles podem ser reduzidos a um só, bastando para
isso efetuar a operação indicada nos coeficientes (números),
mantendo a parte literal (letras).

Exemplos: OBSERVE: quando a parte


literal (letras) não tem
1) 5x² + 7x² - x² = 11x² coeficiente escrito vale 1.
Ex.: X² é igual a 1X²
5 + 7 - 1 = 11

Para efetuar a operação com números positivos e negativos


é necessário lembrar que:
1) quando os números têm o mesmo sinal, soma e conserva
o sinal,
2) quando os números têm sinais diferentes, subtrai (tira) e
resulta o sinal do nº maior.

2) – 4 a b³ + 9 a b³ + 7 a - 10 a = 5 a b³ - 3a

-4+9=5 7 – 10 = - 3

Obs.: quando os monômios não são semelhantes não há redução


de termos.

Ex.: 9x – 3y ( não existe redução pois as partes literais não são


iguais).

www.ceesvo.com.br 6
OPERAÇÕES COM MONÔMIOS

ADIÇÃO E SUBTRAÇÃO DE MONÔMIOS: só podem ser


efetuadas se os monômios são semelhantes. Para determinar o
resultado você deve:
1º eliminar os parênteses aplicando a regra de sinais
conforme mostra os exemplos abaixo,
2º reduzir (juntar) os termos semelhantes observando os
sinais dos coeficientes (números).

1º Ex.: (3X²) + ( -5X²) adição de dois monômios

Sinais diferentes resultam sinal negativo.


3X² - 5X² = -2X² (tem 3 e deve 5 = -2)

2º Ex.: (-8 a²x³) - (- 4a² x³) subtração de monômios

Sinais iguais resultam sinal positivo.


-8 a²x³ + 4 a² x³ = -4a²x³ (deve 8 e tem 4 = -4 )

3º Ex.: ( 4ax²) - ( -9ab²) não são semelhantes portanto não pode


ser reduzido.Você deve apenas eliminar os parênteses: 4ax² + 9ab²

Copie e resolva em seu caderno:

2) Efetue as operações indicadas e reduza os termos semelhantes:


a) –5x²y + 7X²Y – 20X²Y + 3X²Y =

b) ( -12b) + ( - 8b) =

c) 9x – 3x + 2Y –5y

d) (7s ) - ( - 4s) =

3) Observe o jardim abaixo. A letra X representa a largura e x + 3


o comprimento. Represente o perímetro do jardim (soma dos
quatro lados).

www.ceesvo.com.br 7
REPRESENTAÇÃO SIMBÓLICA DE UMA SENTENÇA
MATEMÁTICA.

Você sabe que para representar um número


desconhecido, geralmente utiliza-se uma das letras do alfabeto
latino. Assim:
Um número X

Para representar o seu dobro, multiplica-se o número por 2,


Lembre-se:
Assim: o ponto •
representa
multiplicação.
O dobro de um número 2 . X ou 2X
O triplo de um número representa-se por 3. X ou 3X e assim por
diante.

Agora, em seu caderno, represente usando os símbolos da


matemática as expressões escritas em português :
um número:........................
o dobro de um número:.............................
o triplo de número:....................................
o quádruplo de um número:......................

Você acertou se tiver escrito assim: X, 2X, 3X e 4X.

www.ceesvo.com.br 8
X
Para representar a metade de um número, escreve-se
2
pois é o número dividido por 2. Quando se referir a “partes”,
significa divisão.

Represente simbolicamente, em seu caderno, as seguintes


expressões:
A metade de um número:................................
A terça parte de um número:...........................
A quarta parte de um número...........................
A quinta parte de um número:..........................

Você certamente escreveu desta forma:


X , X , X e X
2 3 4 5

Observe atentamente:

Um número somado com 12 é igual a 20.


Passando para a linguagem da matemática a representação
desta sentença é:

X + 12 = 20

um número somado com 12 é igual a 20

Como se representa: Um número somado com 7 é igual a 23?


Escreva a resposta em seu caderno.
Certamente você escreveu:
X + 7 = 23

Copie e resolva em seu caderno:

4) Passe para a linguagem matemática. Utilize uma das letras do


alfabeto para representar o número desconhecido e os símbolos
adequados:
a) Um número somado com 8 é igual a 12.
b) Um número adicionado a 8 é igual a 16.
c) De um número subtraindo 2 resulta 7.
d) A diferença entre um número e 9 é 12.
e) O dobro de um número é igual a 24.
f) O triplo de um número é igual a 33.
g) A quarta parte de um número é 7.

www.ceesvo.com.br 9
Confira suas respostas no final deste módulo. Se você acertou todos os
exercícios, prossiga os seus estudos.
Caso contrário refaça-os, analisando seus erros.

Observe atentamente:
A soma do triplo de um número com 15 é igual a 27.
A representação dessa sentença é:

3. X + 15 = 27

o triplo de somado com 15 é igual a 27


um número

Represente: A diferença entre o dobro de um número e 15 é


igual a 8. Escreva a resposta no seu caderno. Com certeza você
escreveu: 2. X – 15 = 8. Diferença é subtração.

Copie e resolva em seu caderno:

5) Em seu caderno, passe para a linguagem matemática as


afirmações a seguir:
a) A soma do dobro de um número com 18 é igual a 23.
b) A soma do triplo de um número com 28 é igual a 32.
c) A diferença entre a terça parte de um número e 8 é 14.
d) A diferença entre a quarta parte de um número e 14 é 70.

SUCESSOR ou CONSECUTIVO E ANTECESSOR


O sucessor de 9 é 10, porquê?
Porque 9 + 1 = 10
Para achar o sucessor você acrescenta uma unidade ao
número.
Para representar o sucessor de um número desconhecido
você usa o X portanto X + 1 representa o sucessor ou consecutivo,
dessa forma estamos acrescentando uma unidade ao número (X)
desconhecido.
Lembre-se que sucessor e consecutivo são sinônimos
(significa a mesma coisa).
E o antecessor? O antecessor de um número é aquele que
tem uma unidade a menos.
Exemplo: o antecessor de 9 é 8, porque 9 – 1 = 8

www.ceesvo.com.br 10
Como se representa
simbolicamente o
antecessor de um
número?

Isso mesmo! Se X é o número então, X – 1 representa o


antecessor de um número.

Em seu caderno, represente simbolicamente as expressões,


utilizando Y para representar um número desconhecido.

a) O sucessor de um número.................................
b) O antecessor de um número..............................

Com certeza você escreveu:


a) Y + 1
b) Y - 1

Veja como é representado na linguagem matemática a


sentença:

A soma de um número e seu antecessor é 81.


A representação dessa sentença é X + (X – 1) = 81.

Agora é com você:


Como se representa: a soma de um número com o seu sucessor é
57?
Se você escreveu X + (X + 1) = 57, acertou!!! Ou X + X+1 = 57

Obs.: Os números X e X + 1 também são chamados números


inteiros consecutivos.

Observe atentamente:
A soma de dois números inteiros consecutivos é 15.

A representação dessa sentença é: X + (X + 1) = 15. Pois o número


desconhecido é o X.

www.ceesvo.com.br 11
Copie e resolva em seu caderno:

6) Em seu caderno, passe para a linguagem matemática. Utilize


uma letra do alfabeto latino para representar o número
desconhecido.

a) A soma de um número inteiros com o seu consecutivo é 29.

b) A soma de um número com o antecessor é 61.

c) A soma de um número com seu sucessor é 29.

EQUAÇÃO

Equação é uma igualdade ( = ) envolvendo uma ou mais


letras que estão representando números.

Obs.: Saiba que pode ser usada qualquer letra como incógnita
para representar um número. Esses números são chamados de raiz
ou solução da equação.

As equações são classificadas em grau de acordo com o


maior expoente da incógnita ( letra ).

EQUAÇÃO GRAU JUSTIFICATIVA


2X - 3 = 0 1º O exp. do X é 1
5X² + 6 = 36 2º O exp. do X é 2
O maior exp. de
-8a³ + 6a – 7= -9 3º
aé3

www.ceesvo.com.br 12
EQUAÇÕES DO 1º GRAU

Para determinar o valor da incógnita (letra) de equações


simples você pode usar apenas o raciocínio.
Nas equações mais complexas (difíceis) é necessário usar
técnicas de resolução.

Veja o exemplo que o prof. Francisco deu:


O prof. Francisco propôs o seguinte desafio para sua aluna
Flávia: “Pensei em um número, multipliquei por seis, somei
dois e o resultado deu 32”. Adivinhe que nº é esse.
Flávia descobriu o nº fazendo as operações inversas. Veja suas
anotações:
32 30 6
• 6 +2 = 32 −2 0 5 é o nº pensado
30

O prof. Francisco resolve esse problema usando uma letra (X)


para representar o nº pensado. As operações feitas com ele são
indicadas assim:

6 • X +2 = 32

nº pensado somado resulta 32


e multipl. por 6 com 2

Na sentença obtida, descobre-se o valor de X desfazendo as


operações feitas com ele. Começamos desfazendo a adição.
Observe:
6 • X + 2 = 32
6 • X = 32 − 2
6 • X = 30
Agora, desfazemos a multiplicação:
X = 30
6
X=5
Para desfazer cada operação efetuamos a “conta” inversa.
Adição ( soma): operação inversa é a subtração (menos).
Multiplicação (vezes) operação inversa é a divisão.

Isso que você acabou de ler nada mais é do que a resolução


de uma equação do 1º Grau.

www.ceesvo.com.br 13
Técnicas para Resolução das Equações
Resolver uma equação é achar o valor da variável (letra), de
modo a tornar a igualdade verdadeira.

1º Ex.: X + 8 = 13
Você pode resolver apenas raciocinando: “ Qual é o nº que
somado com 8 resulta 13?
Resposta: é o nº 5, portanto X = 5

No 2º exemplo torna-se mais difícil saber o valor de X na


equação. Você terá que resolver usando as técnicas abaixo
explicadas.
Como não podemos fazer
2º Ex.: 2 x + 7 = 13 “conta” dos termos que tem
X com números devemos:
1º membro 2º membro

- Isolar ou separar , no 1º membro, os termos que possuem


“x” e, no 2º membro, os termos que não têm “x”,
- Inverter as operações trocando de sinais os termos que
mudam de um membro para outro. Você pode usar o
esquema abaixo para representar essa técnica.

Inverte o sinal ou a operação

LETRA LETRA NÚMERO NÚMERO

Inverte o sinal ou a operação

3º Exemplo
2x + 7 =13 Inverte a operação, troca o sinal.

2x = 13 – 7
2x = 6 Lembre-se que o 2 está multiplicando a variável X
x= 6 portanto passa dividindo.
2
x=3
V= 3

www.ceesvo.com.br 14
4º ) 8x + 3 = 15 + 5x

8x – 5x = 15 – 3
3x = 12
3x = 12
x = 12 x=4 V= 4
3

5º ) 3•( x + 2 ) + 3 = 2 x

Primeiro elimine os parênteses, aplicando a propriedade distributiva


da multiplicação: (multiplica o nº de fora com os termos que estão
dentro do parênteses).
3x + 6 + 3 = 2x
3x – 2x = – 6 – 3
x = -9
X = -9 V= -9

6º) Exemplo:
4x + 2 = 5x - 3 Lembre-se: o
3 1 2 2 denominador do 2 é 1

Reduza as frações ao mesmo denominador calculando o


m.m.c. de 3,2 , divida pelo debaixo e multiplique
pelo de cima. 3,2 2
3,1 3 (multiplica)
1
6 m.m.c
8x + 12 = 15x - 9
6 6 6 6
Cancele os
denominadores (nº 6) e
8x + 12 = 15x - 9 (separando X com X) copie os numeradores
e resolva a equação.
8x - 15x = - 9 - 12
- 7x = - 21 . ( -1)
7x = 21
x = 21
7 V= 3
X = 3

www.ceesvo.com.br 15
7º) 5x – 10 = x – 2
5x – x = -2 + 10 Lembre-se: X = 1 X
4x = 8
X=8 X=2
4

Copie e resolva em seu caderno:

7) Resolva em seu caderno as equações abaixo:

a) x + 3 = 4

b) 2x + 5 = 10

c) 2x + 6 = - 3x - 4

d) 4x + 9 = 2x – 8

e) 2 (X + 3) = 10

f) X + 1 = 3
3 2 2

i) X + 2X = 3x - 4
5 3 3

RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS

Para resolver um problema, você deve:


1º) Ler atentamente o problema;

2º) Identificar os dados desconhecidos do problema que será


representado por uma letra;

3º) Identificar o dado conhecido do problema;


4º) Formar a equação, envolvendo os dados conhecidos e
desconhecidos; usando os símbolos da matemática;

5º) Resolver a equação (achar o valor da letra);

6º) Escrever a resposta do problema.

www.ceesvo.com.br 16
Agora, leia atentamente os problemas resolvidos abaixo para
que você aprenda;

Exemplo 1:
A soma da minha idade com 6 é igual a 28. Qual é a minha
idade?
Dado desconhecido é “minha idade” representada pelo X
Equação correspondente: X + 6 = 28

Resolução da equação:
X + 6 = 28
X = 28 – 6
X = 22
Resposta do problema:
A minha idade é 22 anos.

Exemplo 2:
O dobro de um número somado com 13 é igual a 23. Qual
é esse número?

Dado desconhecido é “o número”, representado pelo X, então a


equação correspondente ao problema é:
2X + 13 = 23

Resolução da equação:
2 . X + 13 = 23
2 . X = 23 – 13
2 . X = 10
10
X = X =5
2

Copie e resolva em seu caderno:

8) Copie no seu caderno os problemas abaixo, passando para a


linguagem da matemática e resolva a equação :
a) Qual é o número que, somado com 7, é igual a 15?
b) De um número subtraímos 9 e encontramos 4. Determine o
nº.
c) O dobro de um número somado com 20 é igual a 50. Calcule
esse número e ache o seu triplo.
d) O triplo de um número menos dez é igual ao dobro desse
número menos quatro. Qual é esse número?

www.ceesvo.com.br 17
SISTEMAS DE EQUAÇÕES DO 1º GRAU COM
DUAS VARIÁVEIS
Você já sabe encontrar o valor de uma variável na equação mas,
se a equação fosse formada por duas variáveis ( letras), como você
resolveria?

Ex: X + Y = 15 Você percebeu que não existe


apenas uma solução?

Veja: Se X = 7 7 + 8 = 15
Y=8

Se X = 2 2 + 13 = 15
Y = 13

Se X = - 3 -3 + 18 = 15
Y = 18
Para determinar um único valor é necessário que se tenha
duas equações, que juntas, formam um sistema de equações com
duas variáveis.

Lembre-se: para determinar os valores das variáveis é


necessário que o número de variáveis seja igual ao número de
equações do sistema.

Geralmente usamos sistemas para resolver problemas com


duas incógnitas, e seguimos as seguintes etapas:
1º ) Ler o problema com muita atenção e montar o sistema com
duas variáveis , geralmente X e Y.
2º ) Resolver o sistema e depois interpretar os resultados obtendo a
resposta para a pergunta feita.

Observe atentamente o exemplo:


Ex. 1:
A soma de dois números é 15 e a diferença entre eles é 3. Quais
são esse números?

Representando os números procurados por X e Y, temos:

X + Y = 15 ( a soma de dois números)


X – Y = 3 ( a diferença de dois números)

www.ceesvo.com.br 18
• O sistema pode ser resolvido pelo método da adição algébrica
em dois passos:
1º passo - cancelando uma das letras ( variáveis )
Lembre-se !! Para cancelar uma letra é necessário que elas tenham o
mesmo número ( coeficiente ) com sinais diferentes.

X + Y = 15 (1ª equação)
X – Y = 3 (2ª equação) Adicionam-se as duas equações.

2X = 18 Da equação resultante, você determina o valor


de uma incógnita (no nosso caso é X ).
2X = 18
X = 18
2
X=9

2º Passo: substituir o valor da letra encontrando na 1ª ou 2ª


equação.
X + Y = 15 (1ª equação) Logo, os números
9 + Y = 15 procurados são 9 e 6 e o
Y = 15 – 9 conjunto verdade é
representado por :
Y=6 V = {(9 , 6)}

X, Y

2º Exemplo: Determine os valores de X e Y do sistema:

X +Y= 8
2X – Y = 7
0Y não existe
3X + 0 Y = 15
3X = 15
X = 15
3
X=5

www.ceesvo.com.br 19
Substituindo X= 5 na primeira equação, você obtém o valor de
Y.
X+Y=8
5+Y=8
Y=8–5
Y=3

O conjunto verdade é representado assim:


V = ( 5 , 3)

(X , Y)

3º) Resolva em seu caderno o seguinte sistema de equações:

3X + 2Y = 18
-3X + 4Y = 0

Você acertou se tiver feito assim:

3X + 2Y = 18
-3X + 4Y = 0

0X + 6Y = 18
6Y = 18
Y = 18 Y=3
6

Substituindo o valor 3 do Y temos:

3X + 2Y= 18 ( 1ª equação) Como 2Y é 2 • Y e você sabe que Y =


3X + 2•3 = 18 3 observe a substituição no exercício.
3X + 6 = 18
3X = 18 - 6
X = 12 X=4
3

V = ( 4,3 )

www.ceesvo.com.br 20
Copie e resolva em seu caderno:

9) A diferença de dois números é 4 e a soma desses números é


26. Quais são esses números?

10) A soma de dois números inteiros é 34 e a diferença é 4.Quais


são esses números?

11) X + 3Y = 17
-X – 2Y = - 12

INICIAÇÃO À GEOMETRIA ANALÍTICA

Você acha possível que um mesmo problema possa ser


resolvido tanto algebricamente como geometricamente? Você
aprendeu a solução algébrica do sistema de equações do 1º grau
fazendo os cálculos com números e as variáveis. Como será a
solução geométrica do mesmo sistema? Usando o plano cartesiano,
ou seja, o gráfico.

Observe: Você aprendeu o que é e para que serve o plano


cartesiano no módulo 6 , vamos relembrar:

Usando duas retas numeradas ( ou eixos ), que se cruzam


num ponto ( a origem ) e considerando :

1º Os eixos perpendiculares entre si ( formando ângulos de 90º );


2º A mesma unidade de medida nos eixos.
eixo Y

4
3
2 . P ( 3,2)

-6 –5 –4 –3 –2 -1 0 1 2 3 4 5 6
-1 eixo X
-2
-3
-4

www.ceesvo.com.br 21
O eixo horizontal é chamado eixo X.
O eixo vertical é chamado eixo Y.
Para localizar um ponto P ( na figura ), traçam-se por esse
ponto paralelas aos eixos X e Y, respectivamente.
Portanto, ao ponto P da figura corresponde um par ordenado
de números reais ( 3,2), dessa maneira fica determinado o ponto,
como intersecção das retas paralelas aos eixos X e Y.

P ( 3,2) : O primeiro número do par ordenado é chamado abscissa


(eixo X) e o segundo nº é a ordenada (eixo Y). Ambos são
denominados coordenadas cartesianas.
Voltando ao exemplo da página 2 :

X + Y = 15
X – Y = 3 para encontrar a solução geométrica faremos assim:

X + Y = 15 ( 1ª equação) X – Y = 3 ( 2ª equação )

Pense em dois nºs que Pense em dois nºs que


somando dá 15 para fazer a subtraindo dá 3para fazer
1ª tabela a 2ª tabela.

Damos valores para X e Y de modo a tornarem verdadeiras as


equações. Existem várias opções. Precisamos no mínimo de 2
valores para cada equação.
Observe:
X Y X Y
7 8 P (7,8) 3 0 P (3,0)
8 7 P (8,7) 4 1 P (4,1)

Você marca os pontos encontrados da 1ª tabela no plano


cartesiano e traça a respectiva reta. Em seguida marca os
pontos da 2ª tabela e traça a segunda reta.
O ponto ( X , Y ) onde elas se cruzam é a resposta do sistema.

Observe o gráfico na página seguinte:

www.ceesvo.com.br 22
Pontos da 1ª tabela

eixo Y

X Y
9
..
.
8
7
Pontos da 6 P (9 , 6 )
2ª tabela 5
4
3

..
2
1

-6 –5 –4 –3 –2 -1 1 2 3 4 5 6 7 8 9 eixo X
-1
-2
-3
-4

O resultado será o ponto de intersecção da reta (onde se


cruzam). Os valores X = 9 e Y = 6 são os únicos que tornam as
duas equações verdadeiras:
X + Y = 15 X–Y=3
9 + 6 = 15 9–6=3

Copie e resolva em seu caderno:

12) Resolva em seu caderno observando a explicação anterior:

X+Y=6 Como queremos a solução geométrica


X–Y=2 precisamos dos valores de X e Y nas duas
equações. Complete as tabelas.
X+Y=6 X–Y=2
X Y X Y

Agora é só marcar os pontos no plano cartesiano (gráfico) e


ver o encontro das duas retas. Essa é a solução do sistema.

www.ceesvo.com.br 23
GABARITO

1) a) 5
b) 41
c) 1
d) 2
e) 6

2) a) –15x²y
b) –20b
c) 6x – 3y
b) 11s

3) P = x + x + x+3+x+3 ou P = 4x+6

4-) a) X + 8 = 12
b) X + 8 = 16
c) X – 2 = 7
d) X – 9 = 12
e) 2 X = 24
f ) 3 X = 33
g) X = 7
4

5-) a) 2X + 18 = 23
b) 3X + 28 = 32
c) X – 8 = 14
3
d) X – 14 = 70
4

6-) a) X + (X + 1) = 29
b) X + (X – 1) = 61
c) X + (X + 1) = 29

7-) a) X = 1
b) X = 5 e) X = 2
2
c) X = -2 f) X = 3
d) X = - 17
2 g) X = 30

www.ceesvo.com.br 24
8-) a) X = 8
b) X = 13
c) X = 15
d) X = 6

9-) (15,11 )
10-) ( 19,15)
11-) ( 2, 5 )

12-)

4
Logo, a solução é X = 4 e Y = 2
3
2 P (4,2)

1 2 3 4 5

www.ceesvo.com.br 25
MÓDULO 12

OBJETIVOS:

Proporcionar ao aluno:

- A vivência das idéias abordadas, envolvendo chances e


possibilidades que levem a observação, organização e raciocínio
lógico dos acontecimentos ao seu redor e no mundo;

- A possibilidade de interpretar gráficos de barras, colunas e


setores circulares, pois as informações trazidas pelos meios de
comunicação (rádio, jornais, televisão, revistas etc.)
constantemente exigem estes conhecimentos, assim o aluno
poderá fazer uma leitura do mundo a contento;

- A oportunidade de analisar criticamente uma informação


apresentada estatisticamente.

www.ceesvo.com.br 26
CERCADO DE ESTATÍSTICAS POR TODOS OS LADOS

Você pode não saber definir estatística, mas ao ouvir essa


palavra logo pensa em números, tabelas e gráficos, não é?
A estatística é um ramo da Matemática especializado em
coletar, organizar, representar e interpretar dados, com o objetivo
de estudar fatos, fenômenos, comportamentos.
Nos mais variados campos ela está presente para ajudar a
solucionar problemas e determinar rumos de ação.
Veja o exemplo:
- Se o estudo estatístico da população de um
determinado país revela taxas de analfabetismo
crescentes, é conveniente que se adotem políticas
educacionais para corrigir esse problema.
- A indústria utiliza estatística para avaliar a aceitação de
seus produtos no mercado e a partir daí troca
estratégias de produção e venda desses produtos.
- A eficácia de um remédio, tratamento de uma doença
ou os efeitos colaterais que ele pode provocar são
determinados estatisticamente, etc.

E você?

A estatística está presente em seu cotidiano: nos jornais,


revistas, TV, na entrevista que você responde sobre seu sabonete
preferido, no folheto com perguntas sobre o serviço de lanchonete
que você freqüenta, nas profissões que você pode vir a exercer.
Que tal aprender um pouco sobre ela?
Esse é o objetivo deste módulo: ensinar noções básicas de
estatística para quem já vive cercado por ela.
Existem empresas especializadas em pesquisas estatísticas
(IBOPE, DATA FOLHA, VOX POPULI, etc.).

POPULAÇÃO E AMOSTRA

Observe este exemplo:


Em épocas de eleições, é comum vermos pesquisas de
intenção de voto divulgadas pela mídia.
Será que eles entrevistam todos os eleitores para obter os
dados da pesquisa? Não, isso seria impossível.
Aí entra o conceito de amostra e população.

www.ceesvo.com.br 27
População: todos os eleitores formam a população do
fenômeno que está sendo estudado.
Amostra: é a parcela da população que foi entrevistada e é
com base nos dados colhidos nessa amostra que a pesquisa é feita.
A escolha da amostra é parte importante na estatística..
Exemplo:
O consumo de tomate na cidade de Curitiba.
População: habitantes da cidade de Curitiba
Amostra: 20 pessoas que moram no mesmo prédio de uma
rua de Curitiba.
Pesquisa = consumo de tomate em Curitiba.
Pergunta: Você consome tomate?
Das 20 pessoas entrevistadas que corresponde a 100% da
amostra você tem:

Sim Não
4 16 Utilizando a regra de três simples você tem:

20 100
4 X 20 . X = 4 . 100
X = 400
20
X = 20%

Conclusão: Somente 20% dos habitantes de Curitiba


consomem tomate.

A pesquisa não é válida! A população de Curitiba não está


sendo adequadamente representada, pois para uma cidade desse
porte uma amostra de 20 pessoas não é significativa. Os moradores
do prédio formam uma amostra muito pequena e particular. Uma
amostra tem que ter uma quantidade suficientemente grande para
representar a população da pesquisa em questão.

TABELA
Todos os dados coletados são organizados de tal forma que
se reduzem em uma tabela. Veja o exemplo abaixo:
Algumas pessoas têm dois irmãos ou irmãs, outras têm 3; há aquelas
que não têm irmãos e também as que, nas famílias numerosas, têm 6 ou 7
irmãos.
Na classe de Ana Lúcia, essa pergunta foi respondida com
uma pesquisa estatística .

www.ceesvo.com.br 28
Primeiro foi necessário coletar dados.

A mesma pergunta foi sendo respondida por todos os alunos e


anotada o resultado na lousa:

nome Nº nome Nº nome Nº nome Nº


de de de de
irmãos irmã irmã irmã
os os os
Ana L. 2 Edna 1 Henrique 1 Paula 2
Ana M 0 Eduardo 2 Ivo 2 Pedro 2
Antonio 1 Fabiana 0 Júlia 1 Renata 3
Bernardo 1 Fernando 1 Luciana 0 Ricardo 0
Célia 0 Gabriel 2 Maria Ap 3 Silvia 1
Daniela 3 Getúlio 0 Neide 1 Sônia 1
Danilo 0 Gilberto 1 Olavo 1 Zoráide 5
E para organizar os dados coletados , foi feita essa tabela.
Ela mostra a quantidade de casos de 0 irmão , 1 irmão, 2 irmãos,
etc.

Nº DE IRMÃOS FREQÜÊNCIA É a quantidade de


0 2 pessoas em cada caso.
1 11
2 6
3 3
4 0
5 1

Os dados da tabela podem ser representados em gráficos.

www.ceesvo.com.br 29
GRÁFICOS: A COMUNICAÇÃO DA ATUALIDADE

Atualmente, quando lemos um jornal, uma revista ou


assistimos a um noticiário de televisão, é muito comum
encontrarmos informações sobre diversas situações representadas
por meio de gráficos.
Neste módulo vamos analisar alguns tipos de gráficos e
entender melhor as informações nele contida.

São eles:
-gráficos de segmento;

-gráficos de setores;

-gráficos de barras ou colunas.

1) Os gráficos de linhas ou segmentos: servem para


mostrar a progressão de um fenômeno num certo período de
tempo.

Veja o exemplo na outra página:

www.ceesvo.com.br 30
Analisando o gráfico percebemos que o candidato B
sempre se manteve em alta (linha crescente) o que evidencia a
probabilidade de ser o vencedor.

2-) Gráficos de setores: utilizam-se círculos fatiados


muito semelhante a uma pizza cortada em vários pedaços e servem
para situações em que se precisa ter uma visão comparativa entre
toda as suas partes e o inteiro.
Nesse gráfico a unidade mais usada é a porcentagem.
Sabendo que o ângulo da circunferência é 360º fazemos a
correspondência com o total da porcentagem (100%) para calcular
o ângulo correspondente a cada porcentagem.
Observe o exemplo do gráfico seguinte e como determinar o
ângulo relativo ao valor de cada porcentagem.

Para representar os 30% dos congressistas np círculo, escrevemos a


seguinte regra de três simples:
100% correspondem a 360º 100 = 360 multiplicando
30 X
30% correspondem a X 100 • X = 30 • 360
100 • X = 10800
X = 10800
100
X = 108%

www.ceesvo.com.br 31
3-) Gráfico de barras ou colunas: apresentam os
resultados em forma de barras horizontais ou verticais (colunas),
partindo do plano cartesiano formado por dois eixos: horizontal e
vertical.

www.ceesvo.com.br 32
V a r ia ç ã o d o D ó la r d e 1 9 9 4 - 2 0 0 0

2 ,5

R
1 ,5
E
Real

A
L1

0 ,5

0
1
1994 2
1995 3
1996 4
1997 5
1998 6
1999 7
2000
v a r ia ç ã o d e 1 9 9 4 - 2 0 0

PLANO CARTESIANO

Aplicando a idéia, podemos pensar em um plano dividido por


duas retas perpendiculares em quatros ângulos retos. Essas retas
recebem o nome de eixos e cada um dos quatro ângulos recebe o
nome de quadrante.
Convenciona-se numerar os quadrantes da seguinte maneira:

2º quadrante 1º quadrante

3º quadrante 4º quadrante

www.ceesvo.com.br 33
Considerando que essas retas sejam a representação das
retas reais e se interceptam no ponto referente ao zero, obtemos
um sistema de referência chamado de sistema cartesiano. Os eixos
desse sistema são chamados eixos cartesianos. Convenciona-se
que:
• O eixo horizontal ( ) é chamado eixo das
abscissas ou eixo x .

• O eixo vertical ( ) é chamado eixo das ordenadas ou


eixo y.
Esses dois eixos determinam o plano cartesiano onde serão
colocados os valores dos gráficos.

ANÁLISE E INTERPRETAÇÃO DE GRÁFICOS


Para você analisar e interpretar um gráfico é necessário
observar alguns elementos que fazem parte dele tais como:
Título: identifica o assunto que está sendo apresentado.

Legenda: identifica quais os elementos que foram


pesquisados.

Títulos dos eixos: vertical e horizontal. Os eixos ( retas) são


divididos em partes iguais. Cada ponto representa uma unidade de
medida. É necessário observar de quanto em quanto foi dividida a
unidade de medida. Neste exemplo o eixo vertical foi dividido de 10
em 10 mil.

MORTES POR DOENÇAS


PULMONARES
MORTES EM 100 MIL PESSOAS

120
110
100
90
80
70
60
50
40
30
20
10
0
NAO~FUMANTES 5 CIGARROS/DIA 15 CIGARROS/DIA 25 CIGARROS/DIA

www.ceesvo.com.br 34
Copie e resolva em seu caderno:

1) Observe o gráfico anterior e responda em seu caderno


a) Qual foi o assunto tratado nessa pesquisa?
b) Qual a graduação (de quanto em quanto foi dividida as
unidades de medida) do eixo vertical?
c) O que representa a coluna de quadradinhos?
d) Qual foi o total de amostra pesquisada? ( total de pessoas)
e) Quantos não fumantes morrem de doenças pulmonares?
f) As 60 mil pessoas que morreram fumavam quantos
cigarros / dia?
g) Para você, qual a relação que existe entre a quantidade de
cigarros/dia fumados e a quantidade de mortes por doença
pulmonar?
h) Dê a sua opinião sobre a relação do uso do cigarro e
mortes por doenças pulmonares.

OBSERVE O PRÓXIMO GRÁFICO E RESPONDA EM SEU


CADERNO:
Suponha a seguinte situação: 144 candidatos fazem uma prova
para um concurso em que as notas variam de 0 a 10, de meio
em meio ponto.
O resultado da avaliação é o que está expresso no gráfico que
segue:
Dizemos, por exemplo, que:
 12 é a freqüência (quantidade) da nota 3;
 8 é a freqüência da nota 6;
 o eixo Y representa a freqüência (quantidade de alunos
de cada nota).

www.ceesvo.com.br 35
2) Copie e complete em seu caderno a tabela abaixo de acordo com os dados no
gráfico acima:

NO 0 0,5 1 1,5 2 2,5 3 3,5 4 4,5 5 5,5 6 6,5 7 7,5 8 8,5 9 9,5 10
TA
S
FRE 0 11 5
Q.

www.ceesvo.com.br 36
FAIXA ETÁRIA DOS ALUNOS DO CEESVO - 2000
10%

12%
14%

1980 - 1985

1980 - 1976

1975 - 1971

1970 - 1966

1965 - 1960

Antes - 1960 21%

25%

18%

3) Copie e responda em seu caderno completando os espaços em


branco.
A legenda refere-se ao intervalo de anos de nascimento dos
alunos do CEESVO. Analise o gráfico e complete as afirmações
abaixo:
a) A faixa etária correspondente a 25% dos alunos é de
___________.

b) Os alunos mais novos correspondem a porcentagem de


________.
c) Se os mais velhos correspondem a 14% dos alunos , a idade
mínima em relação a 2003 é de __________.

d) Os nascidos entre 1975 a 1985 correspondem a um total de


_____% dos alunos.

e) Um aluno que em 2003 tem 30 anos está dentro da faixa etária


que corresponde a ______%

www.ceesvo.com.br 37
MÉDIA ARITMÉTICA
A média aritmética de um conjunto numérico é a soma
de todos os números dividido pela sua quantidade . Veja o
exemplo:

Exemplo: Numa competição de salto em altura um atleta


obteve os seguintes resultados em 6 saltos:
1º salto = 2,22 m
2º salto = 2,36 m
3º salto = 2,30 m
4º salto = 2,28 m
5º salto = 2,32 m
6º salto = 2,38 m

A média aritmética das alturas que esse atleta saltou é dada


pela soma de todas as alturas atingidas divida pela quantidade de
saltos.:

M = 2,22 +2,36 +2,30 + 2,28 +2,32 + 2,38 = 13,86


6 6

M = 2,31 m

Copie e resolva em seu caderno:

4) Qual a média de um aluno que obteve as seguintes notas:


1º bimestre nota 9
2º bimestre nota 8
3º bimestre nota 10
4º bimestre nota 9

Estamos felizes. Você atingiu seus objetivos terminando uma


etapa de seus estudos. Não pare, continue em frente..
Queremos encontrá-lo (a) no Ensino Médio.
Parabéns!!!
Que o seu futuro seja brilhante. Você merece!

www.ceesvo.com.br 38
Gabarito:

1)
a) Mortes por doenças pulmonares
b) De 10000 em 10000 pessoas
c) Os que fumam 15 cigarros / dia
d) 185000 pessoas
e) 5000 pessoas
f) 15 cigarros / dia
g) Pessoal
h) Pessoal

2) -

NOTAS 0 0,5 1 1,5 2 2,5 3 3,5 4 4,5 5 5,5 6 6,5 7 7,5 8 8,5 9 9,5 10
FREQ. 0 1 2 4 6 11 12 16 18 14 12 10 8 7 6 6 5 4 2 0 0

3)
a)1965 – 1960
b) 12%
c) 44 anos
d) 43%
e) 21%

4) Obteve média 9.

www.ceesvo.com.br 39
Bibliografia:

Desenhos ilustrativos tirados dos livros:

BONGIOVANNI, Vicenzo, Vissoto, Olímpio Rudinin Leite, Laureano,


José Luiz Tavares. MATEMÁTICA VIDA. Quinta Série a Oitava
Série
São Paulo. Editora Ática. 7ª Edição. 1995.

IMENES, Luiz Marcio, Lellis Marcelo. MATEMÁTICA. Oitava Série


São Paulo. Editora Scipione. 1999.

SCIPIONE, Di Pierrô Netto. MATEMÁTICA CONCEITOS E


HISTÓRIAS. 6ª Edição. Oitava Série. São Paulo. Editora Scipione
1997.

ELABORADO PELA EQUIPE DE MATEMÁTICA 2007:

- Elisa Rocha Pinto de Castro


- Francisco Carlos Vieira dos Santos
- Josué Elias Latance
- Rosy Ana Vectirans

COLABORAÇÃO:

- Adriana Moreira Molinar


- Esmeralda Cristina T. Ramon
- Rosimeire Maschetto Nieri
- Sara M. Santos

DIREÇÃO:

- Elisabete Marinoni Gomes


- Maria Isabel Ramalho de Carvalho Kupper

COORDENAÇÃO:

- Neiva Aparecida Ferraz Nunes

APOIO: Prefeitura Municipal de Votorantim

www.ceesvo.com.br 40

Você também pode gostar