CRONOLOGIA UE 1957 25 de Março: assinatura em Roma dos Tratados constitutivos da Comunidade Económica Europeia (CEE) e da Comunidade Europeia de Energia

Atómica (Euratom), entre a Itália, França, Alemanha, Bélgica, Holanda e Luxemburgo (em vigor a 1 de Janeiro de 1958). 1962 30 de Julho: entrada em vigor da Política Agrícola Comum (PAC), com o objectivo de criar um mercado único de produtos agrícolas, assegurar que não volta a existir escassez alimentar na Europa e fomentar a solidariedade através do Fundo Europeu de Orientação e Garantia Agrícola (FEOGA). 1965 8 de Abril: assinatura em Bruxelas do Tratado de fusão dos executivos das Comunidades, constituindo-se um Conselho e uma Comissão únicos das Comunidades Europeias (em vigor a 1 de Julho de 1967). 1966 29 de Janeiro: “compromisso do Luxemburgo”: a França aceita voltar a participar no Conselho depois de um bloqueio de sete meses, ao assegurar que a regra da unanimidade se mantém quando estejam em causa “interesses muito importantes” dos Estados. 1970 22 de Abril: assinatura do Tratado que permite o financiamento das Comunidades através de recursos próprios e que amplia os poderes de controlo do Parlamento Europeu. 1973 1 de Janeiro: adesão da Dinamarca, Irlanda e Reino Unido à CEE (referendo negativo na Noruega). As Comunidades passam a contar com nove Estados-membros. 1974 25 de Abril: Revolução em Portugal, que derruba o regime de ditadura de Salazar e Marcelo Caetano, há quarenta e oito anos no poder. Ao adoptar um regime democrático o país passa a reunir as condições necessárias para a adesão às Comunidades Europeias. 9 e 10 de Dezembro: Cimeira de Paris: os Chefes de Estado e de Governo decidem reunirse regularmente no Conselho Europeu; propõem a eleição do Parlamento por sufrágio universal e decidem a criação do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER). 1975 28 de Fevereiro: estabelecimento de um acordo de associação entre a Comunidade e Estados de África, das Caraíbas e do Pacífico (Convenção Lomé) com o objectivo de promover o seu desenvolvimento.

1977 28 de Março: pedido formal de adesão de Portugal às Comunidades Europeias. 1978 6 de Junho: O Conselho aprova o pedido de adesão de Portugal e dá início às negociações, após o parecer favorável da Comissão Europeia. 1979 7 e 10 de Junho: primeiras eleições para o Parlamento Europeu por sufrágio universal directo. 1981 1 de Janeiro: a Grécia torna-se o décimo Estado-membro das Comunidades Europeias. 1985 29 e 30 de Março: o Conselho Europeu aprova, em Bruxelas, a adesão de Portugal e Espanha às Comunidades Europeias. 12 de Junho: assinatura dos Tratados de adesão de Portugal e Espanha às Comunidades Europeias. 2 e 4 de Dezembro: Conselho Europeu de Luxemburgo: decisão de rever o Tratado de Roma para relançar a integração europeia. Com o “Acto Único Europeu”, que prevê a criação do mercado interno até 1993, os Estados-membros decidem estabelecer a liberdade de circulação de pessoas, bens, serviços e capitais (assinatura em Fevereiro de 1986); entrada em vigor em 1 de Julho de 1987). 1986 1 de Janeiro: adesão de Portugal e Espanha às Comunidades Europeias. As Comunidades passam a ter doze Estados-membros. 1987 15 de Junho: início do programa Erasmus, que apoia o intercâmbio de estudantes universitários. 1989 9 de Novembro: queda do muro de Berlim, que abre caminho para a reunificação alemã e a integração da Europa Central e de Leste nas Comunidades Europeias. 1991 9 e 10 de Dezembro: o Conselho Europeu de Maastricht aprova o Tratado da União Europeia, que prevê uma Política Externa e de Segurança Comum, uma colaboração mais

estreita no âmbito da Justiça e Assuntos Internos e a criação de uma União Económica e Monetária, com uma moeda única (assinatura em 7 de Fevereiro de 1992; entrada em vigor a 1 de Novembro de 1993). 1992 1 de Janeiro: início da primeira Presidência Portuguesa das Comunidades Europeias. 1993 1 de Janeiro: criação do Mercado Interno Europeu. 1995 1 de Janeiro: adesão da Áustria, Finlândia e Suécia na União Europeia (referendo negativo na Noruega). A União Europeia passa a contar com quinze Estados-membros. 26 de Março: entra em vigor o Acordo de Schengen entre a Bélgica, França, Alemanha, Luxemburgo, Países Baixos, Portugal e Espanha. Este Acordo permitiu abolir os controlos nas fronteiras internas entre os Estados signatários e criar uma fronteira externa única onde são efectuados os controlos de acesso ao “espaço Schengen”. 27 e 28 de Novembro: Conferência Euro-Mediterrânica de Barcelona, que estabelece uma parceria entre a UE e os países do Sul do Mediterrâneo. 1997 16 e 17 de Junho: o Conselho Europeu de Amesterdão aprova um Tratado que confere novas competências à UE, incluindo um novo título sobre o Emprego, facilita a conclusão da União Económica e Monetária e possibilita o início de um novo processo de alargamento (assinatura do Tratado a 2 de Outubro de 1997; entrada em vigor a 1 de Maio de 1999). 1999 1 de Janeiro: introdução do “euro” nos mercados financeiros dos Estados-membros que reúnem as condições necessárias para a sua adopção. O Banco Central Europeu (BCE) passa a ser responsável pela política monetária. As notas e moedas continuam a circular nas antigas divisas, agora consideradas “denominações do euro”. 10 e 11 de Dezembro: Conselho Europeu de Helsínquia: a Turquia é reconhecida como país candidato à UE; é confirmado o processo de negociações com doze países candidatos da Europa Central e de Leste. 2000 1 de Janeiro: início da segunda Presidência Portuguesa da União Europeia. 23 e 24 de Março: o Conselho Europeu de Lisboa define uma nova estratégia da União para estimular o crescimento e o emprego. É a “Estratégia de Lisboa”. 7 e 8 de Dezembro: o Conselho Europeu de Nice adopta um novo Tratado que reforma o sistema de tomada de decisões da UE, na perspectiva do alargamento. À margem do

Conselho Europeu, os Presidentes do Parlamento Europeu, do Conselho Europeu e da Comissão proclamam solenemente a Carta dos Direitos Fundamentais da UE (assinatura em 26 de Fevereiro de 2001; entrada em vigor a 1 de Fevereiro de 2003). 2001 14 e 15 de Dezembro: Conselho Europeu de Laeken: adopção de uma declaração sobre o futuro da União Europeia e convocação de uma Convenção para redigir um projecto de revisão dos Tratados. 2002 1 de Janeiro: início da circulação das moedas e notas de euro nos doze Estados-membros da zona euro: Áustria, Bélgica, Finlândia, França, Alemanha, Grécia, Irlanda, Itália, Luxemburgo, Países Baixos, Portugal e Espanha. 31 de Maio: os quinze Estados-membros ratificam o Protocolo de Quioto (Acordo internacional relativo às alterações climatéricas, que entra em vigor 2005). 2004 1 de Maio: adesão à UE da República Checa, Estónia, Chipre, Letónia, Lituânia, Hungria, Malta, Polónia, Eslovénia e Eslováquia. A UE passa a ter 25 Estados-membros. 29 de Outubro: é assinado, em Roma, o Tratado que estabelece uma Constituição para a Europa (projecto baseado nos trabalhos da Convenção Europeia). 22 de Novembro: toma posse a Comissão Europeia presidida pelo português José Manuel Durão Barroso. 2005 20 de Fevereiro: Espanha é o primeiro Estado-membro que ratifica por referendo o Tratado que estabelece uma Constituição para a Europa (segue-se o Luxemburgo em 10 de Julho de 2005). 29 de Maio: os eleitores franceses rejeitam o Tratado que estabelece uma Constituição para a Europa em referendo; o mesmo acontece com os eleitores holandeses em 1 de Junho. 2007 1 de Janeiro: adesão à UE da Roménia e da Bulgária. A UE tem 27 Estados-membros. 25 de Março: celebração dos 50 anos dos Tratados de Roma, com o lema “Juntos desde 1957”.
Fonte: “A União Europeia que construímos juntos em 50 anos” – Publicação da Representação da Comissão Europeia em Portugal, Janeiro 2007

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful