Você está na página 1de 14

c 

 



  



         






1. Que é acidente de trabalho?


2. Como fazer o cálculo do Custo do Acidente de Trabalho?
3. A quem recorro em caso de ter dúvidas sobre como proceder
em caso de acidentes de trabalho ou proble mas relacionados?
4. Que são as Normas Regulamentadoras e quem as faz?
5. Que é trabalho noturno? Trabalho noturno dá direito a adicional de
insalubridade?

6. Que é trabalho insalubre? Que direitos tem quem trabalha em condições


insalubres?
7. Quais as atividades perigosas na forma da lei?
8. Quais as condições básicas para percepção da periculosidade?
9. Como saber se tenho direito ao adicional de insalubridade?
10. Quanto tempo tenho para entrar com pedido de indenização por acidente ou
doença de trabalho?
11. Pode o Técnico de Segurança fazer perícia técnica ?
12. Quem pode fazer o PPRA - Plano de Prevenção de Riscos Ambientais ?
13. Quais as normas que regulamentam a recarga dos extintores e a
manutenção das mangueiras de incêndio?


  
14. Onde se encontra a lista de CBO - Código Brasileiro de Ocupação?
15. Há alguma lista de discussão sobre Saúde e Segurança do Trabalho?
16. Há no Brasil alguma instituição que trata da Segurança do Trabalho?
17. Existe algum chat sobre Segurança do Trabalho?
18. Onde há informaçõe s sobre congressos, cursos e eventos de seguranca do
trabalho?
19. Como encontro na Internet figuras e fotos sobre acidentes de trabalho?
20. Onde posso fazer um curso de Tecnico de Segurança do Trabalho on line
ou por correspondência?
21. Se eu trabalhar em uma empresa brasileira em outro país, a que lei estou
sujeito em caso de acidente de trabalho?


 ! 


22. Quais as leis que regem a Segurança do Trabalho?
23. Que é penosidade ou atividade penosa?
24. Que é a NR Zero?
25. Em que caso se aplica o adicional de periculosidade?
26. O adicional de insalubridade po de ser retirado da folha de pagamento
do empregado se for eliminada a insalubridade?

27. Pode uma empresa contratar somente Engenheiro de Segurança do


Trabalho
sem contratar Técnico de Segurança do Trabalho?
28. Quem é habilitado para exercer a função de Engenheiro de Segurança do
Trabalho
e de Técnico de Segurança do Trabalho ?
29. Qual o piso salarial do Engenhe iro de Segurança do Trabalho
e de Técnico de Segurança do Trabalho ?
30. Como fica a situação em caso de acidentes de trabalho de um
cidadão sentenciado que presta serviços a comunidade?
31. Presto serviço de segurança patrimonial em obras de construção civil com
cães-de-guarda.
Um de meus cães-de-guarda veio a se acidentar, morrendo. Que direitos
tenho?
32. Qual a lei que obriga a empresa fornecer aos empregados EPIs?

33. O que acontece se o trabalhador se recusar a usar EPIs?


34. O que acontece se a empresa onde trabalho não fornecer EPIs?
35. O uso de EPI elimina a insalubridade?
36. O cipeiro pode ter seu mandato prorrogado?
37. O presidente da CIPA tem estabilidade no emprego?
38. Trabalho em um lugar muito quente. Tenho direito a insalubridade?
39. Onde encontro livros, vídeos, revistras e jornais de Segurança do Trabalho?
40. Onde encontro normas da ABNT para download?


  
41. Posso usar o material contido nest e site para dar cursos de Segurança do
Trabalho?
42. Onde encontro as respostas das questões de SST?
43. Você aceita propaganda no site?
44. Como faço para receber artigos de Segurança do Trabalho?
45. Quais o endereço correto da AreaSeg?

"  







1. Voltar
# $      % &
acidente de trabalho é aquele que acontece no exercício do trabalho a serviço
da empresa,
provocando lesão corporal ou perturbação funcional podendo causar morte,
perda ou redução
permanente ou temporária, da capacidade para o trabalho.

Também é considerado acidente de trabalho,


÷ aquele que acontece quando você está prestando serviços por ordem
da empresa fora do local de trabalho
÷ aquele que acontece quando você estiver em viagem a serviço da
empresa
÷ aquele que ocorre no trajeto entre a casa e o trabalho ou do trabalho
para casa.
÷ doenças profissionais (as doenças provocadas pelo tipo de trabalho.
Ex. problemas de coluna)
÷ doença do trabalho (as doenças causadas pelas condiçoes do trabalho.
Ex. dermatoses causadas por cal e cimento)

2. Voltar
ï '     
   (

       
 
   
     %    
   
&
Voce pode recorrer ao Ministerio doTrabalho e ou a Delegacia Regional do
Trabalho. O Site da DRT possui lista completa com os nomes dos delegados
do trabalho, bem como os endereços das DTRs Regionais

3. Voltar
   )      
   ï     % &
O calculo em si não é dificil mas m uito trabalhoso. Para cada caso há
diferentes variaveis envolvidas em em muitos casos podem chegar a dezenas
de variáveis,muitas vezes de difiícil identificação. Em linhas gerais pode -se
dizer que o custo do acidente é o somatório dos custos diretos e indi retos
envolvidos.

 * +  

+
  + ,
É o custo mensal do seguro de acidentes do trabalho. Não tem relação com o
acidente em si. A contribuição é calculada a partir do enquadramento da
empresa em três níveis de risco de acidentes do trabalho essa p orcentagem é
calculada em relação à folha de salário de contribuição e é recolhida
juntamente com as demais contribuições arrecadadas pelo INSS.

÷ 1% para a empresas de riscos de acidente considerado leve;


÷ 2% para a empresa de risco médio,
÷ 3% para a empres a de risco grave.


    ,
Não envolvem perda imediata de dinheiro. Relacionam -se com o ambiente que
envolvem o acidentado e com as consequências do acidente. Entre os custos
indiretos podemos citar:

1.Salário que deve ser pago ao acidentado no dia do acidente


e nos primeiros 15 dias de afastamento, sem que ele produza.

2.Multa contratual pelo não cumprimento de prazos

3.Perda de bônus na renovação do seguro patrimonial

4.Salário pagos aos colegas do acidentado

5.Despesas decorrentes da substituição ou manutenção de peça danificada

6.Prejuízos decorrentes de danos causados ao produto no processo;

7.Gastos de contratação e treinamento de um substituto

8.Pagamento de horas -extras para cobrir o prejuízo causado à produção

9.Gastos de energia elétrica e demais facilidades das instalações (horas -


extras)

10.Pagamento das horas de trabalho despendidas por supervisores e outras


pessoas e ou empresas:
- Na investigação das causas do acidente
-Na assistência médica para os socorros de urgê ncia
-No transporte do acidentado
-Em providências necessárias para regularizar o local do acidente
-Em assistência jurídica
-Em propaganda para recuperar a imagem da empresa

Em caso de acidente com morte ou invalidez permanete ainda devemos


considerar o custo da indenização que deve ser pago mensalmente até que o
empregado atinja a idade de 65 anos.

Pesquisa feita pela Fundacentro revelou a necessidade de modificar os


conceitos tradicionais de custos de acidentes e propôs uma nova sistemática
para a sua elaboração, com enfoque prático, denominada Custo Efetivo dos
Acidentes, como descreito a seguir:

 *   

Ce= Custo efetivo do acidente


C= Custo do acidente
i= Indenizações e ressarcimento recebidos por meio de seguro ou de terceiros
(valor líquido)

 * c  "  -

C1= Custo correspondente ao tempo de afastamento (até os 15 primeiros dias)


em conseq.ência de acidente com lesão;

C2= Custo referente aos reparos e reposições de máquinas, equipamentos e


materiais danificados (acidentes com da nos a propriedade);

C3= Custo complementares relativos as lesões (assistência médica e primeiro


socorros) e os danos a propriedade (outros custos operacionais, como os
resultantes de paralisações, manutenções e lucros interrompidos).

4. Voltar
#
. 
 ! 
   
  '
 ) &
As Normas Regulamentadoras, também ditas NR, são normas que
regulamentam, fornecem parâmetros e instruções sobre Saúde e Segurança
do Trabalho. São em número de 34, a saber 29 Normas Regulamentadoras e 5
Normas Regulamentadoras Rurais. As NRs são elaboradas por uma comissão
tripartite composta por represntantes do governo, dos empregadores e dos
empregados. Veja as 34 Normas Regulamentadoras em nossa seção de
Normas e Leis

5. Voltar
# $   %    &   %            

 &
Trabalho noturno é aquele prestado das 22h de um dia às 5h d o dia seguinte
para o trabalho urbano (CLT, art. 73, § 2.0). Para o trabalho rural, é aquele
prestado das 20h de um dia às 4h do dia seguinte, na pecuária, e das 21h de
um dia às 4h do dia seguinte, na pecuária, e das 21h de um dia às 5h do dia
seguinte, na agricultura (Lei 5889/73, art. 7.0 e Decreto 73626/74, art. 11,
parágrafo único).
O adicional de insalubridade não é inerente ao trabalho noturno. O trabalhador
somente terá direito ao adicional de insalubridade se a insalubridade for
caracterizada no seu ambiente de trabalho, quer exerça trabalho noturno ou
não.

6. Voltar
#$  % 
&# 
'  %   /0



&
Trabalho insalubre é aquele prestado em condições que expõem o trabalhador
a agentes nocivos à saúde, acima dos limites de tolerância fixados em razão
da natureza e da intensidade do agente e do tempo de exposição aos seus
efeitos (CLT, art. 189 e NR 15).

O exercício de trabalho em condições de insalubridade, assegura ao


trabalhador a percepção de adicional, incidente sobre o salário mínimo da
região, equivalente a
÷ 40%, para insalubridade de grau máximo;
÷ 20%, para insalubridade de grau médio;
÷ 10%, para insalubridade de grau mínimo

(NR-15.2)

7. Voltar
# 

  
 

   )    &
De acordo com a CLT e a NR-16 denminam-se atividades perigosas aquelas
que, por sua natureza ou métodos de trabalho, impliquem o contato
permanente com inflamável ou explosivos em condições de risco acentuado. A
NR-16 ainda versa que são consideradas atividades e operações perigosas as
constantes nos anexos numeros 1 e 2 da NR-16. Estes anexos da NR-16
referem-se a atividades com explosivos e inflamáveis. A periculosidade para
trabalhos com radiação foi definida posteriromente por portaria.

8. Voltar
# 

   /0
 

    /.   
 &
o trabalho em que o empregado fica exposto à pelo menos um desses agentes:
radiação, inflamáveis, explosivos ou eletricidade. O exercício de trabalho em
condições de periculosidade assegura ao trabalhador a percepção de adicional
de 30% (trinta por cento), incidente sobre o salário, sem os acréscimos
resultantes de gratificações, prêmios ou participação nos lucros da empresa.
(NR-16, subitem 16.2)

9. Voltar
  

 %         
  &
As Normas Regulamentadoras, em especial a NR 15, regulamentam e definem
parametros sobre pagamento ou não desse adicional. Essa resposta não é
uma resposta rápida e imediata, pois cada caso deve ser analizado como um
caso especial. Para se ter cert eza quanto ao pagamento ou não do adicional
de insalubridade, o melhor a fazer é um laudo técnico do local de trabalho. Este
deverá ser feita por profissional habilitado.

10. Voltar
#   %           /.    
 /     % &
O tempo limite é de 5 anos a partir da data que foi caracterizado o acidente ou
a doença ocupacional. Após 5 anos há prescrição do prazo.

11. Voltar
   $    /  )  1  $  &
Não. A perícia técnica cabe somente ao Engenheiro de Segurança do
Trabalho.

12. Voltar
#  )    ï      /.   

 ï 
 &
A elaoração, implementação e acompanhamento e avaliação do PPRA
poderão ser feitos pelo SESEMT ou por pessoa ou equipe de pessoas, que a
critério do empregador, sejam capazes de desenvolver o disposto na NR -9
(NR-09, alínea 9.3.1.1)

13. Voltar
# 

  
 '       
 2 
  
 /. 
  
  3  &
Colaboração:Cristian Manzur

c !4 5ï
÷ NBR 13485 - Manutenção de 3. o Nível (teste hidrostát ico) em extintores
de incêndio.
÷ NBR 12962 - Inspeção, manutenção e recarga em extintores de
incêndio.
÷ NBR 11715 - Extintores de incêndio com carga d'água.
÷ NBR 10721 - Extintores de incêndio com carga de pó químico.
÷ NBR 11716 - Extintores de incêndio co m carga de gás carbônico.
÷ NBR 11751 - Extintores de incêndio com carga de espuma mecânica.
÷ NR 23 - Norma regulamentadora aprovada pela portaria 3214 da Lei
6514.
÷ NBR 12779 - Inspeção, manutenção e cuidados em mangueiras de
incêndio.

"  ï 6ï + 7!4 

" c2  8 

 9ï:

÷ NBR 12962 - a recarga deve ser executada num intervalo máximo de 5


anos.
÷ NBR 11715 - a recarga deve obedecer às intruções do fabricante.

" "2  ;#1  9#:

÷ NBR 12962 a recarga deve obedecer às instruções do fabricante


÷ NBR 10721 o recarregamento deve ser efetuado de acordo com as
instruções específicas do fabricante.

" -2  6


 < 94":

÷ NBR 12962 este agente extintor deve ser substituído somente quando
houver perda superior a 10% da carga nominal declarada ou conforme
previsto na NBR 11716.
÷ NBR 11716 a recarga deve obedecer às instruções do fabricante e à
NBR 12962.
÷ NBR 12962 todos os extintores devem passar por manutenção de
primeiro nível anualmente.
÷ NR 23 todos os extintores devem ser inspecionados externamente a
cada mês e possuir uma ficha individual de inspeção.

- ï65 5 ï

- c2  6
 < 94" :

÷ NBR 12962 pesar quando for inspecionado.


÷ NBR 12962 inspeção semestral.

- "2  

. = 9   ;    :

÷ NR 23 - pesar semestralmente a ampola.

þ >+ 484

÷ A NBR 13485 determina que todos os extintores de incêndio devem ser


vistoriados (submetidos a teste hidrostático) em um intervalo máximo de
5 anos.

4 5ï!6? ï+!@!+4

÷ NBR 12779 - Inspeção, Manutenção e Cuidados em Mangueiras de


Incêndio: inspeção trimestral, este hidrostático anual.


  

14. Voltar
4 
     
   4  ;   
   4 /. &
No site do Ministério do Trabalho e Emprego,
http://www.mtecbo.gov.br

15. Voltar
>   
   


. 
  (    /     % &
Sim, há no Brasil listas de discussão de SST.
Eis algunas:
÷ Lista de Discussão da SOBES - Moderador: Angelo Acauã
÷ SESMT - Segurança e Medicina do Trabalho - Moderador: Cosmo
Palasio
÷ Grupo Trabalho Seguro - Moderador: Jorge Reis

16. Voltar
>   
   
/.  '      /     % &
Sim, no Brasil há muitas instituições e organizações que tratam de Segurança
do Trabalho
Podemos citar entre as públicas a Fundacentro e o MTE - Ministério do
Trabalho e Emprego .
Entre as agremiações privadas a Revista Cipa, Revista Proteção a SOBES -
Sociedade Brasileira de Engenharia de Segurança do Trabalho, as
associações regionais de Engenheiros de Segurança do Trabalho e as
associações regionais de Técnicos de de Segurança do Trabalho -
FENATEST. Tambem as centrais sindicais, CUT, CGT e Força Sindical
possuem setores que tratam sobre Saúde e Segurança do Trabalho com
seriedade.

17. Voltar
2
  % 
  /     % &
Sim, há diversos chats, mas infelizmente quase sempre vazios.
Tente estes:
Chat da AreaSeg - sem banners, frames, nem anúncios. Não requer senha de
entrada.
Chat da Lista de Discussão da SOBES - mantido pelo Grupos.com.br.
Chat da Revista CIPA - limite de 30 pessoas.

18. Voltar
4 %)  /0

 


A


 
  
   % &
Um dos maiores diviulgadores da área é a revista CIPA.
Há boas informações sobre eventos no site da revista.
% ,BBCCC      .

19. Voltar
         )
  ) 

  
    % &
Sites de busca como o Google e o Altavista possuem opção para procurar
imagens. Basta escolher essa opção e usar as segintes expressões:
1. work accident
2. work injury
3. occupational accident
4. occupational injury

20. Voltar
4 

) 
    /    %  
   
 3 &
Não existe tal curso. Cursos de Tecnico de Segurança do Trabalho on line e/ou
por correspondência não estão regulamentados no Brasil.

21. Voltar
  %   

    1
A '
 

=   
       % &
Você está sujeito a lei do país em que está registrado na previdência social. Se
você estiver trabalhando no extranjeiro e tiver a carteira assinada no Brasil,
está sujeito as leis brasileiras. Vale também o acordo ou protocolo de trabalho
entre os dois países, caso exista.


 ! 


22. Voltar
# 

 
 '    /     % &
A  /    % é regida por normas e leis. No Brasil, a Legislação
de Segurança do Trabalho compõe -se de Normas Regulamentadoras, leis
complementares, como portarias e decretos, as convenções Internacionais da
Organização Internacional do Trabalho, ratificadas pelo Brasil e normas de algumas
instituições, como o Corpo de Bombeiros.

23. Voltar
# $ 
     
&
Segundo o projeto de lei nº 2168/89 é atividade penosa aquela que demanda
esforço físico estafante ou superior ao normal, exije atenção contínua e
permanente ou resulte em desgaste ou stress.
Segundo o projeto de lei nº 1808/89/89 é atividade penosa aquela que em
razão de sua natureza ou intensidade co m que é exercida, exige do
empregado esforço fatigante, capaz de diminuir -lhe significativamente a
resistência física ou a produção intelectual.
É uma luta antiga a regulamentação do adicional de periculosidade, para
trabalhos penosos.
Quando esta P & R foi editada, em 21/12/2001, a penosidade ainda não estava
regulamentada pela legislação brasileira.

24. Voltar
# $  !  D &
Muitos chamam de NR Zero à portaria 393, de 09 de abril de 1996. Esta
portaria define que a metodologia de regulamentação na área de segurança e
saúde no trabalho, atribuição da Secretaria de Segurança e Saúde no Trabalho
tem como princípio básico a adoção do sistema tripartite paritário - Governo,
Trabalhadores e Empregadores.
Veja http://www.areaseg.com/normas/leis/nrzero.html

25. Voltar
 ' 

        
 &
O adicional de periculosidade se aplica aos seguintes casos:
Radiação, explosivos, inflamáveis e eletricidade
O valor do adicional de periculosidade é de 30% do salário do empregado.

26. Voltar
4    
  
  ) %      
  
 )     
 &
Sim, desde que seja eliminada a insalubridade o adicional de insalubridade
deixara de ser pago.
O trabalhador que esta há tempo na função não tem direito a continuar
recebendo o adicional de insalubridade.
Neste caso não há direito adiquirido.

27. Voltar
     
    
 %    /  
  % 
     $    /     % &
Neste caso a primeira coisa que nos vem em mente é que o grau de estudo de
um Engenheiro de Segurança do Trabalho é maior que o de um Técnico de
Segurança do Trabalho e que por isso pode ria o engenheiro ocupar o lugar do
técnico, por ter maior grau de estudo que este. Entretanto, as duas profissões
são regulamentadas por lei . A ética profissional e as leis trabalhistas reservam
a cada categoria seu espaço. Se em uma empresa o Engenheiro de Segurança
do Trabalho ocupar o lugar do Técnico de Segurança do Trabalho haverá uma
violação do quadro do SESMT desta empresa. O Engenheiro de Segurança do
Trabalho não pode acumular funções ou ser contratado como Técnico de
Segurança do Trabalho. Há ai nda uma disparidade de carga horária, para a
maioria dos casos, que prevê 8 horas de trabalho para o o técnico e 6 horas
para o engenheiro. Se em alguma empresa o engenheiro ocupar o lugar do
técnico a ética profissional estará sendo violada. Será uma situ ação que se não
for ilegal é, no mínimo, imprópria.

28. Voltar
#$%    2 )/.  %   /  
  %    $    /     %  &

As duas profissões estão regulamentadas. Vejamos o que versa a lei.

Decreto nº 92.530 de 09/04/1986

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o


artigo 61, item III, da Constituição, e tendo em vista o disposto no artigo 4º da
Lei nº 7.410, de 27 de novembro de 1985.

DECRETA

ï  cE  4 21   


  /.   %    /  
  %  $  A 2
 ,

I - ao Engenheiro ou Arquiteto, portador de certificado de c onclusão de curso


de especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho, em nível de pós -
graduação;

II - ao portador de certificado de curso de especialização em Engenharia de


Segurança do Trabalho, realizado em caráter prioritário, pelo Ministério do
Trabalho;

III - ao possuidor de registro de Engenheiro de Segurança do Trabalho,


expedido pelo Ministério do Trabalho dentro de 180 dias da extinção do curso
referido no item anterior.

ï"E421    )

.  $   /    % $


 A 2
 ,
I - ao portador de certificado de conclusão de curso de Técnico de Segurança
do Trabalho ministrado no País em estabelecimento de ensino de 2º grau;
II - ao portador de certificado de conclusão de curso de Supervisor de
Segurança do Trabalho, realizado em caráter prioritário pelo Ministério do
Trabalho;
III - ao possuidor de registro de Supervisor de Segurança do Trabalho,
expedido pelo Ministério do Trabalho até 180 dias da extinção do curso referido
no item anterior.

A RESOLUÇÃO Nº 359 do CONFEA, DE 31 JULHO de 1991, corrobora o


decreto Decreto nº 92.530 de 09/04/1986, no tocante aos Engenheiros de
Segurança do Trabalho
29. Voltar
#   

    %     /     %   
$    /     % &
O piso do engenheiro de segurança do Trabalho é de 6 salários mínimos,
conforme definido pela lei. Entretanto, a média salarial mínima, geralmente,
está acima do piso salarial.
Para o Técnico de Segurança do Trabalho, o mínimo é definido pelo sindicato
da categoria.

30. Voltar
   )  
 /.   
   
    %     . 

  ' 
 
/
    &
Quando se usa mão de obra sentenciada, preso não trabalha de graça, este
possui alguns direitos, entre estes podemos destacar:

1 - Não esta sujeito a CLT, Art. 28, paragrafo 2º da Lei 7210/11/84


2 - O Trabalho do preso será remunerado mediante prévia tabela, n ão podendo
ser inferior a 3/4 do salário mínimo, Art. 29 da mesma Lei.
3 - O produto da remuneração pelo trabalho deverá atender a indenizações dos
danos causados pelo crime que cometeu, assistência a família, pequenas
despesas pessoais, ressarcimento ao Estado das despesas realizadas com a
manutenção do condenado e formação de uma cardeneta de poupança do
pecúlio, que será devolvida ao condenado quando posto em liberdade, Art. 29
da mesma Lei.
4 - Somente não será remunerado quando este prestar serviços a comunidade.
Então, a responsabilidade a acidentes está assegurada pela contribuição ao
INSS, onde este contribui da mesma forma e possui os mesmos direitos de um
trabalhador comum. Quando se tratar de trabalhos a comunidade o tratamento
decorrido de feri mentos causados pelo trabalho, serão tratados no Regime
penitênciario com apoio do SUS.

31. Voltar

 
/  
 /      
   
/.  
  .
    ?  
 .
      
   A
   # 
 % &
Animais não são cobertos pela legislação trabalhista brasileira nem pelas NRs.
Neste caso cabe ao dono do animal uma indenização por perda de patrimônio.
Visando prevenir-se de possiveis acidentes deste tipo, deve-se elaborar
clausulas que prevem esta situação no contrato de prestação de serviços. Esse
tipo de acidente não é acidente de trabalho.

32. Voltar
#    '     
 ) 
  
 
&

c 9 
 /. 

   % :

Art. 166 - A empresa é obrigada a fornecer aos empregados, gratuitamente,


equipamento de proteção individual adequado ao risco e em perfeito estado de
conservação e funcionamento, sempre que as medidas de ordem geral não
ofereçam completa proteção contra os riscos de acidentes e danos à saúde
dos empregados.
" ! F9!      F:

6.2. A empresa é obrigada a fornecer aos empregados, gratuitamente, EPI


adequado ao risco e em perfeit o estado de conservação e funcionamento, nas
seguintes circunstâncias:

a) sempre que as medidas de proteção coletiva forem tecnicamente inviáveis


ou não oferecerem completa proteção contra os riscos de acidentes do
trabalho e/ou de doenças profissionais e do trabalho; (106.001 -5 / I2)
b) enquanto as medidas de proteção coletiva estiverem sendo implantadas;
(106.002-3 / I2)
c) para atender a situações de emergência. (106.003 -1 / I2)

33. Voltar
4 '  
    % 
 
  
 
&
Lembramos que o papel do profissional de segurança é de orientar o
trabalhador e se possível evitar puní -lo. O trabalhador deve ser orientado a
usar EPIs, se for intransigente deve ser advertido. Caso se recuse
continuamente a usar EPIs pode ser demitido por justa causa. Cabe lembrar
também que o EPI deve estar em boas condições de uso, possuir o certificado
de aprovação do Ministério do Trabalho e ser adequado a situação para o qual
é destinado.

34. Voltar
4 '  
   
     %  .  )  
&
A empresa pode ser denunciada no Ministério do Trabalho ou no SUS e vir a
sofrer multa aplicada por estas instituições. A empresa deve fornecer
gratuitamente os EPIs aos empregados.

35. Voltar
4 
      
 &
O artigo 191 da CLT diz o seguinte:
Art. 191 - A eliminação ou a neutralização da insalubridade ocorrerá:

I - com a adoção de medidas que conservem o ambiente de trabalho dentro


dos limites de tolerância;
Il - com a utilização de equipamentos de proteção individual ao trabalhador,
que diminuam a intensidade do agente agressivo a limites de tolerância.

Portanto o EPI pode eliminar a insalubridade, desde que atenda ao descrito no


Art 191 da CLT, como transcrito acima.

36. Voltar
4     
        &
A prorrogação de mandato do cipeiro, eleito pelos empregados, não esta
prevista pela NR 5. A NR versa que o cipeiro pode ser reeleito uma vez como
descrito abaixo:
4     
  
  
             
    
O presidente da CIPA, entretanto, poderá ter seu mandato prorrogado, pois
este é indicadopelo empregador.
37. Voltar
4 
   ï  
       &
Não, a estabilidade é somente para os representantes dos empregados que
são escolhidos por voto. O presidente da CIPA representa o empregador e é
escolhido por este. Ele pode ter seu cargo prorrogado i ndefinidamente ate que
o empregador o desejar, mas nao goza de estabilidade no emprego.

38. Voltar
  %        '  %     
 &
A caracterização da insalubridade nem sem pre é direta e imediata. Para este
caso as condições de trabalho devem ser avaliadas. É desejável que se faça
perícia técnica no local de trabalho. Sem a avaliação de perito técnico nada se
pode afirmar.

39. Voltar
4     
A 1 
A 

  =  
   /  
  % &
Bem, vamos por partes:

Livros: LTR e Editora Atlas


Vídeos: COASTALe Fundacentro
Revistas: CIPA e Proteçao
Jornal: Jornal de Segurança e Saúde no Trabalho

40. Voltar
4      
  ï!   C &
Normas da ABNT estão protegidas por leis de direitos autorais, por isso qu em
publicar em sites ou enviar por e -mail tais normas está sujeito as penalidades
previstas por lei. Por isso ninguem tem normas da ABNT para download.

A ABNT disponibiliza suas normas em formato digital e impresso para venda.


A aquisição pode ser feita pelo site:
ABNT DIGITAL - www.abntdigital.com.br

Veja também: Site da ABNT - www.abnt.com.br

Algumas universidades tem em suas bibliotecas algumas normas da ABNT


para consulta pública.


  

41. Voltar



     

   

  /  
  % &
Sim, você pode usar o material que eu, Carlos, fiz, desde que não seja para
ganhar dinheiro com o material. Deve ainda ter em mente que eu não dou
garantia que o material aqui contido esteja 100% correto, portanto fica sob sua
responsabilidade o que for repassado para terceiros.
Caso utilize algum material deste site você deve dar creditos ao site divulgando
o endereço (http://www.areaseg.com). Há entretanto no site outros materiais
que são de outros autores. Estes você deve se reportar a eles para co nseguir
autorização.

42. Voltar
4    
 



 '
0
  &
As perguntas tem por objetivo fazer o profissional e/ou o estudante de
Segurança do Erabalho e Egonomia pesquisar. Elas não possuem respostas.
Doravante as novas questões que sairem terão metade das questões
respondidas.

43. Voltar
V 3        
&
Aceita-se propaganda em forma de banner 300 x 38 pixels na página principal,
e somente nela, e um máximo de 4 banners rotativos, de modo que nao
apareçam mais que 2 por vez, para pagar o custo do site. Em minha opinião
propaganda polui o visual do site e a lém disso o objetivo do site não é ganhar
dinheiro com propaganda. O custo mensal do banner é de 50 Reais e tem por
objetivo manter o site auto -sustentável. Informe-se pelo email
carlos2@areaseg.com

44. Voltar
   ) /     
   /     % &
Muitos sao os visitantes que pedem artigos sobre Segurança do Trabalho.
Uma boa fonte de artigos é a lista de discussão SESMT, coordenada por Cosmo
Palasio, com quase 10 MB semanais de artigos. Para receber os artigos basta
inscrever-se na lista de discussão.

45. Voltar
# 
   /      ï &
A AreaSeg posssui um dominio principal www.areaseg.com
e o domínio adicional www.areaseg.com.br
O email de contato do site é carlos@areaseg.com

Você também pode gostar