Você está na página 1de 22

Enigmas Maias

• Compartilhar por E-mail




• Compartailhar no Orkut

20/11/2009

Autor e Co-autor(es)

Autor CLAUDIA MATOS PEREIRA

JUIZ DE FORA - MG COL DE APLICACAO JOAO XXIII

Co-autor(es)

Nelson Vieira da Fonseca Faria

Estrutura Curricular

Modalidade / Nível de Componente


Tema
Ensino Curricular
Ensino Fundamental Arte Visual: Arte visual como produção
Artes
Final cultural e histórica
Ensino Fundamental
História Tempo cronológico
Final
Ensino Fundamental Arte Visual: Produção do aluno em arte
Artes
Final visual

Dados da Aula

O que o aluno poderá aprender com esta aula

O aluno terá oportunidade de conhecer um pouco sobre a civilização maia, seu


enigmático silabário, podendo desenvolver totens e mandalas, e até combinar as sílabas
deste alfabetário tão interessante, para ludicamente, formar palavras.
Trabalhando em equipe, poderá desenhar, pintar e formar composições com pequenas
peças retangulares e triangulares, nas mandalas (bidimensionais) e nos prismas
(tridimensionais), utilizando materiais reciclados como papelão velho, caixas de leite
longa vida, pratos de isopor, embalagens de ovos de páscoa, simulando o metal nobre
que é a prata e as esmeraldas, recursos minerais tão valorizados na América Pré-
Colombiana.

Duração das atividades

8 aulas de 50 minutos

Conhecimentos prévios trabalhados pelo professor com o aluno

Não há requisitos prévios para se ministrar esta aula. Foi aplicada a alunos de 8º ano do
Ensino Fundamental, podendo ser adaptada a outras séries, conforme a proposta do
professor e suas expectativas, bem como de acordo com o nível de maturidade dos
alunos.

Seria muito enriquecedor trabalhar a temática da civilização maia de forma


interdisciplinar com o professor de História, pois ele poderia ampliar o leque de visão
nas questões históricas, políticas e sociais, ressaltando o legado desta civilização. O
professor de Artes desenvolveria a percepção acerca das expressões artísticas e
arquitetônicas, motivando e envolvendo os alunos na criatividade, no desenvolvimento
das idéias em grupo e na prática do processo de criação de um trabalho coletivo.

Estratégias e recursos da aula

Aula 01: Civilização Maia

"A civilização maia habitou a região das florestas tropicais das atuais Guatemala,
Honduras e Península de Yucatán (sul do atual México). Este povo nestas regiões entre
os séculos IV a.C. e IX a.C. Entre os séculos IX e X , os toltecas invadiram essas
regiões e dominaram a civilização maia".

O professor poderá dar uma breve explicação sobre a cultura maia.

Os Maias foram os inventores do conceito de abstração matemática. Criaram um


número equivalente ao zero e nossos calendários são baseados no calendário dos Maias.
Com sua aritmética, os Maias faziam cálculos astronômicos de notável exatidão.
Conheciam os movimentos do Sol, da Lua, de Vênus e provavelmente de outros astros.

Dentre suas construções de pedra destaca-se o templo de Kukulkan (no México) que foi
usado como observatório astronômico. As quatro faces do templo estão voltadas para os
pontos cardeais e representam as estações do ano. Nos dias 21 de março e 23 de
setembro, quando o dia tem exatamente a mesma duração da noite, o sol (que incide às
17h e 30min sobre o templo em forma de pirâmide) projeta uma sombra nos degraus
que forma a imagem de Kukulkan, o deus da serpente emplumada.

Declínio
Quando se deu a conquista dos maias a partir de 1523, existiam Estados distintos: os da
Península de Yucatán e os da atual Guatemala, já em decadência. Na região da atual
Guatemala, os povos maias foram logo vencidos por Pedro Alvarado, enviado de
Cortês. Os maias de Yucatán resistiram até 1546, porém, foram submetidos ao trabalho
forçado, perderam sua identidade cultural e a população primitiva foi praticamente
destruída.

(Estes trechos acima mencionados, bem como as imagens ilustrativas abaixo sobre a
escrita maia, encontram-se nos sites recomendados em recursos complementares).

Poderá apresentar os seguintes vídeos:

Vídeo - Los codices maias

http://www.youtube.com/watch?v=BXfGCOMYd2Q&feature=related

Vídeo: Padrões geométricos similares à pele da cobra cascavel.

Este vídeo mostra obras, templos principais e aspectos da cultura maia, o que
enriquecerá muito a aula.

http://www.youtube.com/watch?v=OTB7j57_8JE&feature=related

Definitivamente um dos maiores feitos artísticos da civilização Maia foi sua escrita.
“Escrita hieróglifos Maia consiste de símbolos que representam palavras completas
(logogrifos) ou silabas que consistem de pares de vogais com consoantes ou de vogais.
Numa escrita silábica, palavras são escritas pelos símbolos de cada bloco, ordenados um
atrás do outro.”

O alfabetário maia foi pesquisado e trabalhado pelos alunos com a utilização de


canetas de retroprojetor sobre o interior das caixas de leite longa vida, de cor
prata, ressaltando a conscientização e a importância da reciclagem de materiais na
escola.

Estes eram alguns exemplos de hieróglifos completos. Eles são formados a partir dos
símbolos a seguir, cada um com o seu respectivo significado.
Estes hieróglifos, juntos, podem constituir um texto que possui a seguinte aparência:
A aparência física dessa escrita em pedras das paredes das maravilhosas construções
Maias é, como na foto a seguir, de um degrau da escada do Templo de Cinco Andares
em Edzna":

Motivação: incentivar os alunos a trazerem embalagens de leite longa vida e sucos,


pois serão realizadas escritas semelhantes às sílabas maias com canetas de retro projetor
pretas sobre as superfícies prateadas do interior das caixas, recortadas em formas de
retângulos e triângulos e posteriormente coladas em mandalas e totens preparados por
eles nas aulas seguintes.

O objetivo de realizar estas mandalas e totens é expressar a exploração da prata e


das esmeraldas pelos europeus, no período da América Colonial.
Aula 02: Recorte das caixas e recorte das formas geométricas com o papelão da caixa,
preparando a superfície a ser trabalhada. Guardar as formas obtidas, retangulares e
triangulares na sala de artes.

Aulas 03 e 04: Imprimir as sílabas maias e entregar aos grupos na sala de aula. Fornecer
pedaços de folhas de papel ofício para que os alunos se inspirem e façam esboços das
sílabas de sua preferência, para depois repassá-los ao papelão prateado. Com o esboço
pronto, basta colocar o papel ofício por cima do papelão e repassar com força o esboço
realizado, reforçando as linhas com o traço do lápis de desenho, pois as formas
aparecerão no papelão como baixo-relevo. Logo após, o aluno conseguirá visualizar os
traços de seus desenhos sobre o papelão prateado e assim poderá passar a caneta de
retro projetor por cima de seus desenhos, conforme as imagens abaixo.
Aulas 05 e 06: Utilizando o verso de papelão da capa de blocos de papel canson A4,
que guardamos ao longo do período na escola para reaproveitamento, selecionamos
grupos para emendar estes papelões com tiras de cartolina branca e cola, formando
prismas fechados para formarmos totens, que foram pint ados de tinta acrílica preta e
rolinhos de espuma, para que fique uma superfície homogênea. Nestas aulas foram
pintadas também bandejas médias de isopor branca para formar as mandalas e uma
mandala maior, em um círculo de madeira que tínhamos na escola, também
reaproveitado. Dividir grupos para elaborar os totens e grupos para pintar as mandalas.
O professor poderá realizar os totens com outro tipo de material, papelão, eucatex, etc,
que achar mais fácil.

Totens
Pintando as mandalas

Aulas 07 e 08: Colagem das peças retangulares e triangulares prontas, sobre as


superfícies dos totens e mandalas. Cada grupo decidirá a forma da colagem que
permitirá um jogo de composição com as sílabas. Poderá utilizar cola branca líquida
para a colagem ou cola quente, com o auxílio do professor.

Totens e detalhes
Totens de esmeraldas: para sua realização, os alunos trouxeram embalagens
transparentes de ovos de páscoa no formato de pedras preciosas, que foram colados ao
papelão com cola quente e posteriormente pintados com tinta verde metálica.
Totem de esmeraldas finalizado

Mandalas e detalhes
< /p>
Sugestão: com os trabalhos prontos, realizar uma exposição com o conjunto de
mandalas dispostas na parede e os totens em pé, próximos às mandalas, formando a
composição dos “enigmas maias”.

Recursos Complementares

Alguns sites para pesquisa:

http://www.discoverybrasil.com/guia_maia/escrita_maia/hieroglifos_maia/index.shtml

http://www.suapesquisa.com/pesquisa/maias.htm

http://www.pegue.com/incas/culturamaia.htm

http://pt.wikipedia.org/wiki/Escrita_maia

http://lexiquetos.ohui.net/quis/mynt.htm

http://historia.abril.com.br/cultura/raio-x-maias-435135.shtml

http://revistadomuseu.wordpress.com/2009/02/06/civilizacoes-indigenas-parte-iv/

http://www.google.com.br/imgres?imgurl=http://ekso.tripod.com/hist1/3-pre-
col_arquivos/image028.gif&imgrefurl=http://ekso.tripod.com/hist1/3-pre-
col.htm&h=455&w=539&sz=90&tbnid=6KP7Z4VG5KdzJM:&tbnh=111&tbnw=132&
prev=/images%3Fq%3Descrita%2Bmaia&hl=pt-
BR&usg=__lQcTjYZifvPlsOd3PUZMai-
9QXU=&ei=kvD5Sv6SG4aduAeKwtzPDA&sa=X&oi=image_result&resnum=4&ct=i
mage&ved=0CA0Q9QEwAw

http://www.historiadomundo.com.br/maia/escrita-maia.htm
http://ilhadeatlantida.vilabol.uol.com.br/povos/maiaspg.html

Alguns livros:

BARBOSA, Ana Mae (org.) Ensino da Arte: memória e história. São Paulo:
Perspectiva, 2008. p.335.

MARTINS, Miriam Celeste; GUERRA, M. Terezinha T.; PICOSQUE, Gisa. Didática


do Ensino de Arte: poetizar, fruir e conhecer arte. São Paulo: FTD, 1998.

VICENTINO, Cláudio; DORIGO, Gianpaolo. História para o Ensino Médio -


História Geral e do Brasil. São Paulo: Scipione, 2005. p. 206-212.

Avaliação

• O professor deve estabelecer os critérios de avaliação de forma clara e evidente


ao apresentar a proposta de trabalho aos alunos, para que tenham conhecimento
do que necessitam desenvolver durante as aulas e consigam atingir os objetivos
almejados.
• As reflexões diante dos vídeos apresentados, principalmente do contato que os
alunos terão com o alfabetário maia, bem como o desenvolvimento de cada idéia
do grupo devem ser incentivadas pelo professor. O intuito é que os alunos
expressem através de seu trabalho, uma idéia original, que leve em conta o
consenso da equipe e que demonstrem coerência na linha de pensamento em
relação à proposta da aula.
• Deve-se avaliar o envolvimento, participação e organização dos grupos durante
as aulas, sua criatividade, imaginação e contribuições com o processo da
Abordagem Triangular de Ana Mae e suas seis possibilidades de articulações
nas dinâmicas do Apreciar, Contextualizar e Fazer.
• O professor deve também ser um incentivador em todas as fases do processo e
avaliar o interesse, participação e questionamentos apresentados pelos alunos
nas reflexões sobre os aspectos desenvolvidos da cultura maia.
• Deverá acompanhá-los para analisar até que ponto os aluno se envolveram com
a proposta chegando contribuir com o desenvolvimento de um trabalho coletivo,
bem como, verificar aula a aula, a participação dos mesmos na organização,
montagem e colagem dos totens e mandalas.
• Será muito importante analisar o comprometimento do grupo acerca dos
materiais recicláveis solicitados para a realização dos trabalhos, como caixas de
leite longa vida ou sucos, pratos de isopor, papelões, embalagens de plástico
transparente, etc.

Opinião de quem acessou

Você também pode gostar