Você está na página 1de 35

Como a Rock Content conquistou o primeiro lugar para as

principais palavras-chave do Mercado (e como você pode fazer


isso também)
Marketing digital, SEO, Inbound Marketing, Marketing, Publicidade, Transformação Digital, Marketing de
Conteúdo, Branding, E-commerce, Thumbnail, Fan Page, Lead, Hashtag Palavras-chave…

Vocês sabe o que essas palavras tem em comum — além de serem altamente relevantes e do altíssimo
volume de buscas?

O primeiro lugar do Google para todas elas pertence à Rock Content.

No post hoje eu vou explicar o passo a passo, sem segredos, de como nós fazemos para conquistar
resultados tão incríveis para essas palavras-chave, mesmo em um mercado tão disputado como o de
Marketing Digital.

Vou ensinar os passos para você criar conteúdos dignos da primeira posição do buscador!

A ideia não é um post focado em escrita, mas em otimizações (desde a escolha da palavra-chave até a
divulgação do conteúdo) focadas em alcançar o topo do Google!

Se nós conseguimos, por que você não pode conseguir também?

E com certeza esse blueprint do blog post perfeitos aos olhos do Google poderá levar os seus conteúdos
para o topo das SERPs.

Confira!

1º Passo: Escolher a palavra-chave certa


Para aparecer em primeiro lugar no Google, a primeira pergunta que você precisa responder é:

“Para qual busca eu quero ser a resposta ideal”?

Ou, em outras palavras, quais as principais palavras-chave para o meu blog no presente momento.

Muitas pessoas não conseguem rankear bem no Google porque já erram nesse passo.

Aqui, as pessoas costumam cometer erros graves como:


● Não otimizar para palavra-chave nenhuma
● Otimizar um único post para várias palavras-chave
● Otimizar para palavras-chave irrelevantes

A chave para resolver esse problemas é lembrar que todo conteúdo do seu site é focado em uma
palavra-chave principal!

Mas como saber qual é a palavra-chave ideal?

Primeiro você precisa identificar quais são as palavras-chave que a sua persona procura. Para isso faça
um pesquisa utilizando uma boa ferramenta:
● SEMrush
● Ahrefs
● Ubbersugest (gratuita)
● Answer the Public (gratuita)
● Keyword Explorer (10 buscas gratuitas por mês)

Mas não se deixe enganar por volumes de busca estratosféricos!

Por exemplo:

Uau! 226 milhões de buscas por mês!

Mas temos uma certeza, você nunca vai ranquear em primeiro lugar e dificilmente o usuário vai descer
além dessa visão:

Afinal, 99% das vezes a pessoa só quer acessar o Facebook.

Apesar de importante, volume não é tudo.

Identifique as palavras que potencialmente podem levar o seu público para o seu funil de vendas. As
suas palavras-chave principais não são as que geram mais tráfego, mais as que atraem um
tráfego qualificado!

De nada adianta nosso blog rankear em primeiro lugar para “bicicleta” se ninguém que acessa esse
conteúdo vai comprar nossos serviços.

Outra dica importante:

Analise os seus concorrentes e as palavras-chave mais importantes e que geram mais tráfego para eles.
Domínios novos e com baixa autoridade

Uma dificuldade que sites novos encontram é ter que brigar de frente com empresas tradicionais e já
conhecidas para rankear no Google.

Quando você estiver dando os seus primeiros passos para uma estratégia de SEO, as principais
palavras-chave para você não consistem em volume, mas em oportunidades!

Não que seja impossível você conquistar rankings para palavras-chave muito disputadas, mas isso
exigirá muito tempo.

Para conquistar resultados mais rápidos o ideal é encontrar palavras long tail que não sejam tão
disputadas assim!

Nesse exemplo, olhei long tails sobre empreendedorismo. Muitas dessas palavras não são muito
disputadas, gerando uma grande oportunidade de rankeamento.
Algumas ferramentas de palavras-chave (como Ahrefs e Keyword Explorer) ainda mostram a dificuldade
de rankeamento dessas palavras baseados na página de resultados.

Vamos fazer essa comparação com os termos “empreendedorismo” e “tipos de empreendedores”:

Muitas vezes é melhor você conquistar boas posições para essas palavras em um curto espaço de
tempo e fortalecer o seu domínio para conseguir rankings para outros termos mais disputados.

Além disso, um bom trabalho de linkagem interna nesses posts fortalece as palavras mais disputadas,
aumentando suas chances futuras de conquistar o topo.

Falarei disso mais à frente.

Vamos ao segundo passo.

2º (e mais importante) Passo: Responda a intenção do usuário


Por trás de toda busca em forma de palavra-chave feita no Google existe uma grande dúvida!

Quando alguém digita alguma coisa no buscador, ela espera descobrir algo.

Por exemplo, se a pessoa procura “tamanho da torre Eiffel”, a intenção dela é ver isso:

Ela não quer saber a história, ela não quer saber quem construiu e nem o ano de construção. Ela quer
simplesmente saber a altura da torre! E é exatamente isso que o Google exibe para ela.

E se a pessoa busca por Marketing Digital? Qual é a intenção que esse usuário tem?

De certa forma é simples imaginar. Ela quer saber o que é e como fazer, certo?

Vamos ver o que a página de resultados nos conta:


Percebemos que realmente é isso que as pessoas estão procurando! Afinal, todas as principais posições
do Google são de conteúdos educativos e explicativos.

Agora, e se uma pessoa busca por cachorros fofos ou fantasias de Halloween? Que tipo de resultados
veremos?
Podemos observar que as páginas de resultados começam com imagens. E, se você clicar nos
conteúdos para as duas SERPs, você verá que eles são cheios de ilustrações.

Ou seja, se você escrever um post completo explicando o que são cachorros fofos, listar as raças, fazer
otimizações On Page você vai…?

Exatamente! Rankear mal!

O seu post precisa ter imagens! Os fatores que mencionei são essenciais, mas o usuário espera ver
imagens desses cachorros fofos ou dessas fantasias de Halloween.

Um último exemplo para você não ter desculpa e falar que não entendeu:

Essa é a página de resultados para “como usar o Premiere”. Percebe-se claramente que o Google
entendeu que os usuários esperam encontrar vídeos e tutorias.

E esse tipo de conteúdo que vai rankear no topo!


Por isso, o passo mais importante para rankear em primeiro lugar para uma palavra-chave é entender a
intenção do usuário e assim, realizar o seu objetivo de busca.

Esse passo vai guiar todos os próximos!

Chegamos agora a um ponto que é necessário que você tenha um conhecimento prévio e tenho os
materiais perfeitos para te indicar.

RECOMENDAÇÕES DO AUTOR - O Guia Definitivo de SEO da Rock Content - Os Segredos do


Tráfego Orgânico

3º Passo: O que abordar no meu conteúdo


Agora que você entendeu a intenção que o seu usuário tem quando faz aquela busca é hora definir cada
tópico que será abordado dentro do seu conteúdo.

Aqui é fundamental ter uma coisa em mente: tamanho não tem nada a ver com profundidade!

Você não precisa fazer um conteúdo enorme para ranquear para uma palavra-chave, a não ser que seja
realmente necessário.

O tamanho ideal do seu conteúdo é aquele que responde de forma clara e completa a dúvida
(intenção de busca) do usuário.

Por isso definir quais tópicos serão abordados no conteúdo é tão importante.

Vamos a uma análise mais prática!

Quando você quiser rankear para uma palavra-chave específica, faça uma busca por ela no Google e
encontre os 10 primeiros resultados.

Observe cada um deles. Você vai reparar, por exemplo que:


● O primeiro colocado aborda os tópicos: A, B, D, E, F
● O segundo colocado aborda os tópicos: A, B, C
● O terceiro colocado aborda os tópicos: B, C, E
● O quarto colocado aborda os tópicos A, B, E, F

Essa é a melhor forma para compreender quais são os principais tópicos abordados sobre o tema que
você quer rankear.

Você agora tem uma lista, de A a F dos tópicos que os principais concorrentes estão investindo.

É fácil observar também que o único tópico abordado por todos eles é o B. Isso revela que esse tópico é,
provavelmente, o mais importante e que você precisa dar mais atenção dentro do seu conteúdo.

Sabendo de todos esses temas abordados pelos concorrentes, é fácil perceber que se você fizer um
conteúdo abordando os tópicos A, B, C, D, E e F você terá o conteúdo mais completo dentre todos os
que estão na primeira página.

Ao produzir o conteúdo mais completo e compreensivo você terá o conteúdo que melhor responde a
intenção do usuário e, consequentemente, o conteúdo de maior qualidade!

Mas não é só isso.

Definindo os tópicos
Bom, já expliquei como você pode usar a sua concorrência para definir os tópicos do seu conteúdo.

Essa é a forma mais manual de se fazer, mas ainda temos outras boas opções. Vamos à elas?

Manualmente

Além da forma que já ensinei, repita o processo para as páginas de resultados em outros idiomas.

Para fazer isso, basta acessar a pesquisa avançada.

E depois você consegue buscar em outros idiomas e resultados para países específicos.

Geralmente faço esse processo para ver o que os conteúdos em inglês abordam. Especialmente para o
mercado de Marketing Digital, o mercado americano é a principal referência.

Usando uma ferramenta

No meu caso uso o SEMrush e o Google Search Console que possuem funcionalidades que ajudam
bastante a determinar o que será abordado dentro de um conteúdo.

Vou começar pelo SEMrush.

SEMrush

Ele possui duas funcionalidade ideais para o processo. A primeira é mão na roda!

Dentro do barra de Menu do SEMrush existe uma função chamada SEO Content Template.

Essa ferramenta apresenta algumas dicas de otimização para o seu conteúdo. Ela se baseia nos 10
primeiros colocados orgânicos e apresenta uma série de palavras-chave em comum utilizadas por todos
eles.

Veja esse exemplo para “marketing digital”:

A ferramenta sugere não apenas palavras essenciais para o seu conteúdo abordar, como potenciais
parceiros para backlinks e o tamanho médio que esses conteúdos têm para rankear em posições tão
privilegiadas.

Bem simples, não é?

Mas a segunda função, para mim, é ainda melhor!

Ela não vai ser tão simples porque vai exigir um pouco da sua análise, mas, com certeza, é daqui que eu
tiro muitas ideias de tópicos para complementar os nossos conteúdos.
O Keyword Magic Tool é a principal funcionalidade de pesquisa de palavras-chave do SEMrush!

Dentro dele você pode criar listas de pesquisas de palavras-chave de acordo com um tema específico.

Quando você faz uma busca com uma head tail, ele apresentará milhares de palavras-chave long tail e
os seus respectivos volumes de busca.

É aí que fica o ouro!

Veja esse exemplo, novamente, para “marketing digital”:


O que você vê ali, além de palavras-chave long tail?

Exatamente: tópicos a serem abordados no seu conteúdo!

Pelo print acima é nítido que você precisa abordar “plano de marketing digital” dentro do seu conteúdo.
Ou seja, é fundamental para a sua persona, em um conteúdo completo sobre o tema, aprender a fazer
um bom planejamento de marketing digital.

“Curso de marketing digital” é outra necessidade enorme da nossa persona, portanto é essencial que
você aborde o tema e indique os melhores cursos de Marketing Digital do mercado.

(Ainda não conhece a melhor plataforma de cursos online de Marketing Digital do mercado? Confira
agora mesmo todos os cursos da Rock University!)

Tudo bem, eu sei que o SEMrush é uma ferramenta paga, por isso vou dar algumas dicas gratuitas.

Algumas opções para você fazer essa pesquisa de palavras-chave sem depender do SEMrush ou
alguma outra ferramenta paga são:
● Ubbersuggest
● Answer the Public
● Keywordtool.io

Atualmente, sugiro o Ubbersugest que já apresenta o volume de buscas de cada uma dessas palavras.

Google Search Console

Ainda existe uma outra ferramenta (gratuita) que pode ajudar a definir os tópicos do seu conteúdo: o
Google Search Console.

A ideia aqui é utilizar a ferramenta para identificar quais são as principais dúvidas que levam os seus
leitores ao conteúdo que você quer otimizar ou para outros que possuem a mesma temática.

Esse hack só pode ser utilizado quando o seu conteúdo já foi postado ou utilizando em outras páginas
do seu blog com o tema semelhante e que podem revelar as necessidades dos seus leitores.

Dentro do Search Console, acessa a ferramenta “Search Analytics”:


Escolha a página que você quer analisar.

Depois selecione consultas.

Agora você terá uma listas das pesquisas realizadas pelos usuários até chegar ao seu conteúdo:

Dentro dessas buscas você pode descobrir dúvidas interessantes e tópicos que você pode abordar
dentro do seu conteúdo!

Repita o processo em páginas dentro da mesma temática e identifique dúvidas que possam ser
respondidas.
Uma das consultas identificas foi essa! Se eu não tenho esse tópico dentro do meu conteúdo ou não
abordo essa temática, é hora de adicionar ao meu conteúdo, afinal esse é um dos motivos que atrai os
meus leitores.

Outra página relacionada a essa e que pode ajudar com tópicos para complementar o conteúdo é “Plano
de Marketing”.

Vemos a necessidade de um passo a passo ou modelo de plano de marketing! Portanto, podemos


explorar isso no nosso post de marketing digital, apresentando um passo a passo.

É uma necessidade da nossa persona.

Dica bônus

E não para por aí!


Se o principal objetivo de definir os tópicos a serem abordados no conteúdo é resolver de forma
completa a dúvida da persona, nada melhor que definir esses assuntos de observando as dúvidas das
próprias personas!

Para isso, se atente aos comentários dentro do seu blog, no seu canal do YouTube, nas suas fanpages e
grupos nas redes sociais, acesse fóruns sobre o tema, entre vários outros canais.

Encontrar as principais discussões dentro do seu mercado pode ser a melhor forma de antecipar um
tópico relevante que ainda não possui um alto volume de buscas.

Perfeito, agora já sabemos como escolher os temas que serão abordados no nosso conteúdo!

Podemos seguir para os próximos passos.

Mas antes…

Faça um esqueleto

Tópicos definidos? É hora de colocar no papel o esqueleto do seu texto.

Defina o que você abordará sobre cada assunto e quais subtópicos estarão em cada um deles. Isso é
fundamental, especialmente se o responsável pela redação do conteúdo não for você.

Isso evitará tópicos demasiadamente longos ou limitados e curtos.

O ideal é que, em tópicos que demandam um conteúdo mais longo, você explique de forma sucinta e
faça uma linkagem para um conteúdo que explique isso de forma mais completa!

Eu vou fazer isso durante esse conteúdo e, assim que fizer, te aviso para você seguir o exemplo!

4º Passo: Escrever o melhor conteúdo sobre o tema


Agora é hora de produzir a melhor resposta possível para o Google apresentar para os leitores.

Você não observou tudo o que os concorrentes e os seus equivalentes estrangeiros estão produzindo
apenas para definir os tópicos a serem abordados!

Ler os conteúdos que você quer passar é fundamental para chegar ao topo.

Dessa forma você entende tudo o que seus concorrentes abordam e…

Ofereça um conteúdo único

Um dos principais fatores de rankeamento para o Google é apresentar um conteúdo único.

Se você faz um conteúdo que gera o mesmo valor que o do seus concorrentes, mas com palavras
diferentes, por que o Google rankearia você e não eles em primeiro lugar?

Identifique como o seu conteúdo pode gerar mais valor do que o deles.

Talvez seja embedando um vídeo dentro do conteúdo, ou quem sabe fazendo um infográfico?

Talvez seja usando dados de pesquisas ou estudos feitos pela sua empresa.

Não importa o que você vai fazer, mas tenha um diferencial no seu conteúdo para todos os outros.
Ofereça aquilo que os seus concorrentes não conseguem oferecer.

Após identificar os elementos que você pode usar para tornar o seu artigo único, é hora de colocar a
mão na massa.

Mostre para o Google que o seu conteúdo é de qualidade

O que é um conteúdo de qualidade aos olhos do Google? Quais são os fatores que mostram para o
buscador se um conteúdo é bom ou ruim?

Todas as métricas a seguir precisam ser acompanhadas de perto por você, são esses sinais que vão
apresentar ao Google se o seu conteúdo é digno de uma posição privilegiada na primeira página.

Então vamos ao que interessa:

Tempo de permanência na página:

O tempo que a pessoa gasta dentro da página do seu site é uma das principais formas do buscador
interpretar se o seu conteúdo é bom ou não.

Afinal, se você entra em um site com conteúdo péssimo e que não chama a sua atenção, você logo
retorna para a página de resultados e vai atrás de outro conteúdo — melhor — para responder a sua
dúvida.

Portanto, o tempo de permanência mostra ao Google se as pessoas estão lendo o seu conteúdo e se ele
é atraente o suficiente para mantê-las ali dentro.

Claro que, sozinho, esse sinal pode ser enganoso.

Uma pessoa pode passar alguns minutos no seu site porque a navegabilidade é péssima e ele não
encontra nada lá, não é verdade?

Por isso é importante somar outras métricas a esse importante sinal, como:

Bounce rate:

A taxa de rejeição do seu conteúdo representa o número de pessoas retornam ao buscador sem interagir
com o seu site. (A métrica no seu Analytics mostra as pessoas que saíram sem interação. Ela pode ser
configurada de acordo com a suas necessidades).

Se uma pessoa acessa a sua página, você deve fazer com que ela interaja, comente, assista a um
vídeo, faça um comentário, acesse outros conteúdo, tudo isso mostra ao Google que a pessoa está
gostando e interagindo com o seu post.

Essa métrica está diretamente relacionada à próxima:

Páginas por visita:

Se você compra o livro de um autor, termina de ler, volta à livraria e compra outro livro do mesmo autor,
posso deduzir que você gostou dele, correto?

É por isso que a métricas páginas por visita é tão relevante.

Por mais que a pessoa leia o seu post inteiro e até interaja com ele, se ela terminar e sair do blog, pode
mostrar que, apesar de bom, o seu conteúdo não despertou a interesse do leitor para ler mais páginas
do seu site.

Quanto mais páginas a pessoa acessa por visita, melhor é o sinal. Isso mostra que os seus conteúdos
são tão bons que as pessoas não conseguem se satisfazer com a leitura de apenas um!

CTR

A taxa de cliques é também um sinal importante para você mostrar a qualidade do seu texto,
especialmente do seu título.

Um bom conteúdo começa por um bom título. De nada adianta ter o melhor conteúdo do mundo, se
ninguém vai clicar e ler.

Por isso é fundamental ter um título de qualidade e uma meta descrição atrativa.

O CTR também mostra para o Google que as pessoas já estão familiarizadas com a sua marca e
esperam um bom conteúdo.

Bom, esses sinais são fundamentais, mas como você faz para garantir que todos eles estarão
satisfatórios?

Para isso é necessário escrever o melhor...

Conteúdo para blogs

Esse conteúdo não é focado em dicas de escrita para otimizar o seu texto, para isso vou indicar que
você leia outro conteúdo que eu escrevi: conteúdo para blogs

O foco dele é apresentar dicas para a sua escrita para você ter um conteúdo rico e que prenda os seus
leitores, garantindo que ele mostra ao Google todos esses sinais que falei para você acompanhar!

Dentro dele você aprenderá a fazer introduções que prendem o leitor, títulos que realmente funcionam e
dicas para otimizar o tempo que o leitor passa no seu blog.

Nesse ponto é essencial dizer que você, obrigatoriamente, precisa produzir um conteúdo que:
● tenha um título que convença o usuário a ler a postagem;
● escreva uma introdução que prenda o leitor e mostre os benefícios de ler o conteúdo até o final;
● faça intertítulos que apresentam benefícios claros e despertem o interesse do leitor;
● crie um conteúdo de leitura agradável (escaneabilidade);
● faça um índice e invista na navegabilidade do leitor;
● faça CTAs irresistíveis.

Esses fatores são essenciais para um conteúdo fazer sucesso e se manter no topo do Google.

No conteúdo que sugeri no princípio deste tópico eu explico como fazer cada uma dessas otimizações
de escrita.

Se você conseguir otimizar o seu conteúdo dessa forma e garantir que o Google verá os sinais que
mencionei de forma positiva, as suas chances de aparecer no topo serão altíssimas.

5º passo: Otimizações On Page


Após escrever o melhor conteúdo sobre o tema e garantir que ele responde a intenção do usuário, é
importante deixar ele perfeito aos olhos do Google.
Algumas otimizações On Page são fundamentais para alcançar bons rankings.

Vou apresentar aqui as que dou mais atenção para garantir o sucesso de tantos conteúdos aqui na
Rock.

1. Seja otimizado para Mobile

Bom, nem vou explicar muito aqui.

Atualmente o Google prioriza e indexa a versão mobile da suas páginas. Portanto, se o seu conteúdo
não responsivo ou não funciona muito bem em celulares, pode esquecer qualquer chance de
rankeamento.

De verdade.

2. SEO Title

Dentre as otimizações On Page que eu faço, sem dúvidas é nessa que eu gasto mais tempo.

Quando o meu conteúdo já está pronto, eu acesso o Search Console e confiro as principais buscas que
levam o meu leitor até o conteúdo. Dessa forma eu consigo otimizar os meus títulos de acordo com a
necessidade do usuário.

O processo é basicamente o mesmo que mostrei para definir os tópicos a acrescentar em um conteúdo
que já está pronto.

Você vai escolher uma página e conferir as buscas que levam as pessoas até ali:

Outra dica que dou para fazer um título realmente atualizado para cliques é observar os anúncios do
Google Adwords.
Geralmente aqueles conteúdos são minuciosamente criados para receber cliques, portanto cada vírgula
ali pode valer muito para o anunciante.

Isso significa que esses títulos são extremamente otimizados. Portanto, nada mais natural do que
aprendermos um pouco com eles.

Se você quiser entender melhor este hack de títulos e outros hacks avançados para multiplicar o tráfego
do seu blog, confira esse post completo com 12 Hacks de Conteúdo incríveis.

Meta Descrição

Outra otimização On Page que é necessário gastar tempo para fazer da melhor maneira possível é a
meta descrição.

Rankear em primeiro lugar para palavras-chave como Marketing Digital e E-commerce pode ser definido
nos detalhes!

E uma meta descrição melhor que a do seus concorrentes diretos pode ser o diferencial que você
precisa para vencer no CTR e ganhar posições.

Atualmente o Google aumentou o número de caracteres das meta descrições, o que abriu uma excelente
oportunidade para você fazer descrições maiores e mais chamativas.

Poucas pessoas estão explorando esse snippet maior que o Google disponibilizou e isso pode ser um
ótimo diferencial para você.
Veja como a descrição já pode ter até 3 linhas!

E lembre-se: a meta descrição deve ser focada em atrair cliques! Além disso, não deixe de usar a
palavra-chave, ela fica em negrito chamando atenção do leitor.

Outras otimizações

Destaquei as duas anteriores por serem as que mais afetarão o seu CTR nas páginas de resultados do
Google, e isso faz um diferença tremenda no seu conteúdo.

E a mobile porque ,sem ela, é impossível rankear.

As outras otimizações On Page são facilmente resolvidas. Aconselho que você tenha um plugin como o
Yoast para auxiliá-lo no trabalho de otimizações On Page.

Mas lembre-se que nem tudo que não está verdinho é um problema. Se você quiser entender cada
indicação do Yoast, uma por uma, confira esse post!

As principais otimizações que você precisa se atentar, além do título e da meta, são:
● imagens otimizadas para SEO (alt text);
● URL amigável e contendo a palavra-chave;
● campo semântico: uso de variações da palavra-chave e outras palavras para facilitar o entendimento
do buscador.

Existe ainda um outro fator que merece um tópico à parte:

Linkagem Interna

Esse é um dos fatores mais menosprezados quando falamos em otimizações para buscadores.

A linkagem interna é essencial por diversos motivos:


● Mostra ao buscador quais as páginas mais relevantes do seu blog.
● Conduzem o leitor para outras leituras no seu blog, aumentando as páginas por visita e
reduzindo o bounce rate.
● Cria uma rede de conteúdo mostrando sua autoridade sobre um assunto (mais sobre isso no
próximo tópico).
● Conduz o leitor no seu funil de vendas.

A linkagem interna jamais deve ser feita da seguinte forma:

“apareceu a palavra “SEO” ou “palavra-chave” eu preciso linkar para o post.”

A ideia não é essa.

A linkagem interna deve ser feita com um propósito!

Ela deve linkar para conteúdos que fazem sentido dentro daquele assunto, conteúdos complementares
para o leitor e, claro, para as páginas mais relevantes para o seu blog.

A linkagem interna também possui uma hierarquia, ou seja, o primeiro link do seu conteúdo é o que o
Google considera mais relevantes e assim suscetivelmente.

Dessa forma ele interpretará os conteúdos mais relevantes.

É assim que aquelas palavras-long tail serão tão importantes para auxiliar no rankeamento das mais
disputadas.

Portanto, faça uma estrutura de conteúdos para otimizar a navegação tanto dos leitores quanto do
buscador.

Ajude o Google a interpretar o seu site!

A linkagem interna nos leva ao próximo tópico (e um dos mais importantes para rankear para palavras
disputadas):

6º Passo: Faça posts satélites


Lembra quando você analisou os seus concorrentes e utilizou palavras-chave long tail para definir os
tópicos que seriam abordados dentro do seu conteúdo?

Pois é, naturalmente você não vai explorar esses tópicos de forma tão completa dentro de um conteúdo
mais geral.

Por exemplo: vou falar de posts satélites aqui, mas não entrarei tão a fundo e nem explicarei com
detalhes a estratégia neste post.

Para isso você pode ler o nosso conteúdo sobre posts satélites!

(Eu disse que faria isso nesse conteúdo, lembra?)

A ideia aqui é você ter outros conteúdos, mais completos e detalhados, sobre alguns tópicos dentro dos
seus posts.

Esses conteúdos terão muito mais chance de rankear para a long-tail e, consequentemente, com uma
linkagem interna bem feita, fortalecerão o conteúdo Pilar (palavra-chave principal).

Uma das palavra que falei no começo do texto que estamos em primeiro lugar é “Publicidade”.

É uma palavra importante para nós, pois é uma porta de entrada para muitas pessoas conhecerem o
Marketing Digital e, consequentemente, Marketing de Conteúdo.

Temos um post principal:


Que foi escrito com a seguinte estrutura:
● O que é publicidade
● Publicidade x Marketing
● Publicidade enganosa e abusiva
● História da publicidade
● Anúncios que fizeram história
● Como funciona uma agência de publicidade
● Atendimento
● Planejamento
● Redação
● Criação
● Mídia
● Sites de publicidade

Todos esses tópicos foram escolhido baseados nos passos 2 e 3.

Depois criamos um conteúdo para cada uma dessas palavras-chave e conquistamos excelentes
rankings para elas.
Entre outros rankins como:

Planejamento publicitário, atendimento publicitário, criação publicitária etc. (algumas palavras não são
encontradas no banco de dados do SEMrush).

Muitas delas chegaram ao topo bem antes do post pilar.

E depois de conquistarmos várias posições com as long tails, o post pilar chegou à primeira posição!

Coincidência? Acho que não.

7º Passo: Link Building


É praticamente impossível conquistar rankings para palavras-chave muito disputados sem conquistar
uma grande proporção de backlinks.

Os links funcionam como uma indicação para o seu site. Ou seja, outros domínios estão mostrando ao
Google que o seu conteúdo é de qualidade!
Essa é a melhor forma de ganhar autoridade dentro do seu mercado e aos olhos do buscador.

O principal ponto é produzir um conteúdo que mereça links! Assim você pode conquistar links
naturalmente.

Se você seguiu todos os passos até aqui, acredito que o seu conteúdo se encaixa nesse padrão.

Vou apresentar aqui as principais táticas de link building que eu uso por aqui.

Claro, existem várias outras, mas quero apresentar as que nos ajudaram a conquistar esses rankings
incríveis.

Guest Post

Os guest posts são até hoje a nossa principal fonte de backlinks de qualidade.

Encontre bons parceiros que possam trocar conteúdos com você. Esses links são feitos de forma natural
e, além de possibilitar que outros públicos conheçam o seu blog, passam muita relevância.

Quanto mais parceiros você conseguir, melhor!

Para achar bons parceiro você precisar descobrir quem são os sites e blogs relevantes no seu mercado
e encontrar bons parceiros.

Uma dica que dou é usar a Ferramenta de Concorrentes Orgânicos do SEMrush.

Concorrentes orgânicos são os sites que utilizam as mesmas palavras-chave que você. Ou seja,
pessoas que estão no mercado e tratam de temas semelhantes.

A maioria deles não será concorrente direto do seu produto. E por isso, serão excelentes opções para
uma potencial parceria.

Entenda o seu mercado e procure marcas que são autoridade em diferentes nichos dentro da sua
marca.

Por exemplo, se você tem uma loja de suplementos, pode fazer guest posts com marcas de:
● marmitas saudáveis;
● academias;
● materiais esportivos.

Entre várias outras marcas que estão dentro do seu mercado e não concorrem diretamente com você.

Menção à marca e à palavra-chave

Aqui o segredo é utilizar o Google alerts para enviar alertas para você a cada vez que ele identificar que
a sua marca ou a sua principal palavra-chave foi mencionada.
Quando receber o alerta, se for pertinente, você pode solicitar um link para sua marca ou sugerir que a
pessoa faça um link para um conteúdo de qualidade para uma palavra-chave que não está linkada no
blog dele.

Link Building com imagens

Confira esse vídeo onde eu explico como conseguir backlinks com as imagens que você usa no seu
blog:

Esse método também já me ajudou a conquistar links valiosos!

Links quebrados

Links quebrados são uma ótima oportunidade para você encontrar oportunidades de backlinks e ainda
sair como o herói da história.

A tática consiste em encontrar links quebrados (que enviam para uma página 404) no blog de um
potencial parceiro.

Ao encontrar esse link, você produz um conteúdo de qualidade que ele possa substituir naquela página.
Assim, no lugar de uma página 404, agora o parceiro terá um conteúdo de qualidade, produzido por você
e com backlinks para o seu site.

Para fazer isso, basta baixar a ferramenta Check My Links:


E depois visitar as páginas de blogs que você queria enviar conteúdo e analisar os links feitos por eles.

Cada erro encontrado é uma oportunidade para o seu blog.

O Check My Links é gratuito, mas funciona apenas para checagem página por página.

Uma opção completa e em massa é o Screaming Frog, em que você checa um domínio inteiro e
identifica diversas oportunidades de links quebrados dentro de um site.
Ele tem uma versão gratuita com algumas features bloqueadas.

Após identificar as oportunidade, é só abordar o potencial parceiro com a solução para o problema dele:
um conteúdo completo para acabar com aquele erro 404 no blog dele.

8º Passo: Divulgação
Não vou me estender muito nesse tópico.

Divulgar o seu conteúdo é essencial. O Google fala que os sinais de Social não afetam o seu
rankeamento.

Mas eu não acredito em tudo o que o Google me fala.

E falo isso por experiência própria! Muitos conteúdos nossos melhoraram o rankeamento após a
divulgação e re-divulgação meses depois de sua postagem original.

Outros rankearam melhor após uma viralização em Social.

Se você quiser ver um case disso, basta ler a história de quando rankeamos em primeiro lugar para o
nome do Neil Patel! (Já passou um ano e não canso de falar desse case, rs).

https://rockcontent.com/br/blog/obrigado-neil-patel/

Além disso, uma divulgação bem feita, amplia as suas chances de ganhar tráfego direto.

Algumas dicas para otimizar a divulgação do seu conteúdo:

Divulgue nas Redes Sociais certas


De nada adianta o Facebook ter bilhões de usuários se o seu público não está lá! Divulgue nas redes
que a sua Persona visita e tende a engajar com os conteúdos.

Separe um orçamento para impulsionar

O alcance das redes sociais está cada vez mais curto. Deixar um verba para ampliar o alcance do seu
conteúdo pode ajudar bastante.

Re-divulgue

não divulgue apenas uma vez! Explore dias e horários diferentes e alcance seguidores diferentes.
Confira a regra 4-4-4:

Encontre influenciadores

A melhor forma de viralizar um conteúdo é encontrando as pessoas certas para divulgar o seu conteúdo.
É a melhor forma de alcançar um grande público e o público certo!

Quando escrevi o conteúdo 12 hacks avançados, o Vitor Peçanha (co-fundador da Rock, best-seller e
Influenciador) resolveu compartilhar e o resultado foi esse:

Números incríveis para um conteúdo nichado e avançado!

@Peçanha, fica à vontade para repetir a dose com esse!

Use o poder dos seus colaboradores


Hoje aqui na Rock somos mais de 300 pessoas. Imagine o alcance que nós temos se 50% da empresa
se une para compartilhar um conteúdo?

Mesmo se fossem 10 pessoas você já ampliaria bastante o seu alcance e, especialmente em redes
como o LinkedIn, os contatos das pessoas tendem a se interessar pelos temas compartilhados.

Você pode conferir outras excelentes dicas de divulgação de conteúdos com este material completo
sobre o tema.

9º Passo: Atualização de conteúdo


Se você fez todos esses passos estará preparado para alcançar bons rankings no Google. De verdade!

Mas não necessariamente você pegará o topo. Para isso, a luta continua.

Você precisa continuar replicando alguns passos como a re-divulgação, link building e, principalmente,
observar o conteúdo dos concorrentes!

Se eles otimizarem o conteúdo deles, você precisa se certificar que o seu continue sendo a melhor
opção para os usuários.

Além disso, muitos mercados estão em constante mudança e exigem que o seu conteúdo esteja sempre
em dia com essas novidades.

Seja crítico também e sempre revisite o seu conteúdo. Com o passar do tempo você pode identificar
pontos de melhoria para chegar ou se manter no topo!

Se quiser aprender como fazemos atualização de conteúdo aqui na Rock Content, não deixe de conferir
este material completo sobre o tema.

Conclusão
Esse são os passos que nós usamos aqui na Rock para conquistar rankings tão impressionantes e
dominar as principais palavras-chave de um dos mercados mais disputados e com os grandes
especialistas sobre o tema!
Tenho certeza que esses passos vão funcionar com vocês. Claro, não é uma fórmula exata. Se fosse,
estaríamos em primeiro para outras palavras importantes que não estamos.

Mas sem dúvida nenhuma, com eles você baterá de frente com os principais nomes do seu
mercado.

Com o tempo e aumento da sua autoridade, os rankings virão!

Gostou deste conteúdo? Aguardo o seu case aqui nos comentários!

E se quiser avançar ainda mais, leia o conteúdo que mencionei algumas vezes nesse post:

12 Hacks avançados de Conteúdo: Multiplique o seu tráfego

Vejo vocês no topo das SERPs!

Powered by TCPDF (www.tcpdf.org)

Você também pode gostar