Você está na página 1de 22

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA – HIDROMECÂNICOS

PCH CAVERNOSO IV

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

HIDROMECÂNICOS

PCH CAVERNOSO IV

REV ALTERAÇÃO DATA


00 Emissão inicial 18/02/2020
01 Alterado quantidade e dimensões das basculantes, descrição da válvula gaveta, 19/02/2020
inclusão de UH para a válvula gaveta e escopo do conduto forçado

1
ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA – HIDROMECÂNICOS
PCH CAVERNOSO IV

OBJETIVO

Nesta Especificação Técnica estão definidos os requisitos técnicos mínimos para o fornecimento e montagem dos
hidromecânicos da PCH CAVERNOSO IV.

O fornecimento inclui ainda todos os acessórios, dispositivos e ferramentas especiais necessários para a
montagem dos componentes descritos nessa Especificação Técnica, bem como o projeto executivo completo,
desenhos, resultado das memórias de cálculo e demais documentações técnicas específicas, a fabricação,
inspeção, ensaios, embalagem para transporte, montagem, comissionamento e a entrega do Data Book.

Os elementos deverão ser projetados e fabricados para atender as pressões e as dimensões fixadas nos desenhos
de referência fornecidos pelo CONTRATANTE.

O Fornecimento deverá ser completo, contendo o que for necessário para o perfeito funcionamento do
equipamento para a finalidade prevista.

DADOS GERAIS DA USINA

Empresa................................................................................................. Vale Do Cavernoso Geração De Energia Ltda


CNPJ............................................................................................................................................. 25.290.240/0001-07
Projeto................................................................................................................................................PCH Cavernoso IV
Município usina................................................................................................................................................... Candoi
Estado..........................................................................................................................................................................PR
Vazão Turbinada total ..................................................................................................................................41,43 m3/s
Nível de água Normal de montante NAM........................................................................................................El.604,00
Nível de água normal de jusante NAJ...............................................................................................................El.587,00
Queda bruta média ............................................................................................................................................17,00 m
Queda liquida calculada ....................................................................................................................................16,45 m
Potência instalada.............................................................................................................................................6,00 MW

DETERMINAÇÕES GERAIS

Para o conjunto dos elementos dos hidromecânicos especificados neste documento, faz parte do escopo os
seguintes itens:
- Projeto completo de todos os elementos, incluindo todos os desenhos, resultados dos memoriais de cálculo e
informações necessárias para a perfeita caracterização técnica do fornecimento, diagramas elétricos e hidráulicos
(quando aplicável);
- Testes não destrutíveis nas soldas de LP e ultrassom e demais atividades realizadas conforme Norma aplicável
(ABNT NBR 11213 e NBR 8883 em sua última revisão).
- "Data-Book" do fornecimento com todas as informações referentes à qualidade dos materiais;
-Fornecimento dos itens detalhados no escopo dessa Especificação.
-Transporte e a descarga na obra dos itens inclusos nesse escopo.
- Montagem em campo dos componentes detalhados no escopo dessa especificação;
-Fornecimento dos acessórios necessários para a realização da montagem, como cavaletes, tirantes, esticadores,
pedestais, correntes, talhas e outros dispositivos necessários para uso temporário na montagem;
-Comissionamento dos equipamentos a seco e com água, durante o comissionamento da usina.

2
ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA – HIDROMECÂNICOS
PCH CAVERNOSO IV

ESCOPO

O escopo apresentado nesse capítulo deve contemplar todos os itens necessários para o bom funcionamento do
hidromecânico, mesmo que não esteja explícito.

COMPORTAS BASCULANTES

Comportas basculantes para permitir a variação do nível de água na barragem, com respectivas peças fixas de
primeira concretagem, acionamento hidráulico e painel local de controle e comando.

Tipo .............................................................................................................................................................. Basculante


Número de comportas .............................................................................................................................................. 05
Número de jogos de peças fixas ................................................................................................................................ 06
Pressão normal sobre a soleira ....................................................................................................................... 3,00 mca
Pressão máxima sobre a soleira ...................................................................................................................... 3,50 mca
Vão livre ...................................................................................................................................................... 12.000 mm
Altura vão hidráulico ..................................................................................................................................... 3.000 mm
Ângulo de abertura....................................................................................................................................................75°
Elevação da soleira ......................................................................................................................................... 601,00 m
Nível d'água normal à montante .................................................................................................................... 604,00 m
Elevação do coroamento de manobra ........................................................................................................... 604,50 m
Nível d'água máximo normal maximorum à montante (comporta aberta) ................................................... 605,08 m
Acionamento ................................................................................................................................................. Hidráulico
Quantidade de cilindros de acionamento .................................................................................................. 2/comporta
Quantidade de estágios dos cilindros......................................................................................................................... 01
Pressão máxima de operação .............................................................................................................................120 bar
Vedação ..................................................................................................................................................... A montante
Aço Estrutural ........................................................................................................................... ASTM A 36 e SAE 1020
Aço Inoxidável das Peças Fixas de Vedação ..................................................................................................... AISI 304
Norma de Cálculo ........................................................................................................................................... NBR 8883

A comporta será do tipo basculante com vedação a montante de construção soldada em chapa de aço carbono
será composta de uma chapa de "paramento" reforçada por vigas horizontais em formato "TE" contraventadas
verticalmente, formando um conjunto estrutural monobloco.

As soldas devem ser estanques em todas as juntas sujeitas a pressão hidrostática.

Nas vigas horizontais devem ser previstos furos para a drenagem do acúmulo de água.

As vedações devem ser em borracha sintética SBR (estireno/butadieno) teflonadas, sendo a vedação lateral de
perfil especial tipo nota musical e a vedação inferior será composta por uma manta de borracha. As vedações
devem ser fixadas sobre barras chatas e aparafusadas a estas através de parafusos inoxidáveis com barra de
compressão.

A comporta possuirá dois pontos de suspensão, convenientemente projetados, para permitir a sua movimentação
através de cilindros hidráulicos.

A operação de fechamento é efetuada com a pressão de óleo da unidade hidráulica, o comando é dado a partir do
quadro de controle através de operação local ou remota, incluso nesse fornecimento. O óleo sob pressão da
unidade hidráulica atua sobre o servomotor hidráulico conectado ao suporte no painel da comporta.

A abertura será executada sob condição de pressões desequilibradas, liberando o óleo pressurizado dos cilindros,
através de um comando do painel de controle, permitindo o retorno do óleo para a unidade hidráulica.

A unidade hidráulica será fabricada em chapa de aço carbono e sobre ela será montada a motobomba de
engrenagem de corrente alternada alimentada em 380/220Vca, uma válvula reguladora de pressão, um filtro de
pressão e as válvulas de comando dos cilindros hidráulicos operadas com sinal de 4-20mA. A unidade será

3
ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA – HIDROMECÂNICOS
PCH CAVERNOSO IV

equipada com um manômetro para visualização local da pressão fabricado em caixa de aço, bem como um
pressostato para indicação de pressão normal de operação. Também deve existir um visor de nível vertical com
medição volumétrica.

Os cilindros hidráulicos devem ser construídos em aço carbono e as hastes de acionamento devem ser revestidas
com cromo duro para garantir durabilidade ao equipamento.

Devem ser ainda fornecidas todas as válvulas conexões e as tubulações com respectivos suportes necessárias para
a interligação da unidade hidráulica com o respectivo cilindro.

Os trechos da tubulação hidráulica que ficar em contato com a água devem ser em aço inox e anilhada.

As peças fixas de primeiro estágio devem ser constituídas basicamente por soleira, apoio da vedação, guias de
deslizamento e parafusos niveladores, fabricados em estrutura laminada de aço carbono SAE 1020, nas dimensões
definidas em função dos esforços exigidos. A vedação será em aço inoxidável AISI 304 com espessura final média
de 3mm, estruturada por um quadro que focará embutida nos pilares laterais.

As peças ou partes que necessitem de manutenção preventiva ou substituição periódica deverão ser facilmente
acessíveis e projetadas de modo a facilitar ao máximo essas operações.

A variedade dentro de cada tipo de componente padronizado deverá ser mínima, inclusive para os componentes
comerciais. Os equipamentos fornecidos por um mesmo fornecedor deverão ser idênticos, e as tolerâncias
dimensionais das partes individuais deverão ser tais que permitam a intercambiabilidade entre os componentes
similares dos equipamentos.

Deverá fazer parte do escopo de fornecimento todas as peças, componentes e acessórios adequados ao bom
funcionamento dos equipamentos definidos neste documento, inclusive todos aqueles que não se encontram
explicitamente mencionados, porém considerados necessários para uma operação correta dos hidromecânicos.

IMAGENS

4
ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA – HIDROMECÂNICOS
PCH CAVERNOSO IV

GRADE FINA

Na tomada d´água haverá DOIS painéis de grade para proteção contra a entrada de detritos e corpos estranhos
com respectivas peças fixas de primeira concretagem.

Tipo ..................................................................................................................................................................... Móvel


Número de vãos ......................................................................................................................................................... 02
Número de painéis por vão ....................................................................................................................................... 01
Coluna d’água normal sobre a soleira inferior.................................................................................................. 9,40mca
Coluna d’água máxima sobre a soleira ......................................................................................................... 10,46 mca
Grau de entupimento ......................................................................................................................................... 30 kPa
Espaçamento entre barras verticais ...................................................................................................................60mm
Largura do vão livre ......................................................................................................................................6.400mm
Altura do vão livre ........................................................................................................................................ 9.000mm
Altura total da grade .................................................................................................................................... 9.500mm
Inclinação ................................................................................................................................................................. 15°
Elevação da soleira.......................................................................................................................................... 594,60 m
Elevação do nível à montante normal ........................................................................................................... 604,00 m
Elevação do nível à montante máximo ........................................................................................................... 605,08 m
Elevação do piso de manobra ......................................................................................................................... 606,50 m
Aço estrutural ................................................................................................................................................SAE 1020
Norma de Cálculo ......................................................................................................................................... NBR 11213
Número de apoios tipo asa de avião..........................................................................................................................02
Número de Painéis cego ........................................................................................................................................... 02
Dimensões dos Painéis Cego ..............................................................................................L=6.400mm x H=3.000mm

5
ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA – HIDROMECÂNICOS
PCH CAVERNOSO IV

Os painéis devem ser dotados de uma série de barras verticais igualmente espaçadas, suportadas por um quadro
estrutural e vigas horizontais com perfil asa de avião que transmitirão às peças fixas no concreto a carga aplicada
nos painéis. O quadro estrutural da grade será fabricado em aço carbono SAE 1020, assim como as barras verticais.

Os painéis ficarão depositados e aparafusados nas peças fixas metálicas tipo asa de avião, prevendo possíveis
golpes de contra-refluxo.

As barras verticais devem ser encaixadas nas vigas estruturais da grade por meio encaixe usinado tipo pente, que
garantirá o alinhamento, para só então receberem solda.

O conjunto será dimensionado para uma velocidade máxima de aproximação de 1,0 m/s e grau de entupimento
de 30 kPa.

O conjunto também deve ser dimensionado para um impacto de um corpo flutuante de 1000 kg com diâmetro de
0,5m.

As peças fixas de primeiro estágio devem ser constituídas basicamente por soleira e peças laterais para as asas de
avião, construídas em aço carbono SAE 1020, nas quantidades e dimensões definidas em função dos esforços
exigidos.

Já os encostos transversais, devem possuir um perfil hidrodinâmico similar ao perfil de uma asa de avião. O mesmo
deve aparafusado nas peças fixas de primeiro estágio, podendo ser desmontável.

Caso o equipamento Limpa Grades, incluso nesse escopo, necessite de um painel cego na parte superior de cada
grade para seu bom funcionamento, esse deverá ser fornecido em chapa #6,35mm, aço SAE 1020. Os DOIS painéis
cego terão 3,00m de altura por 6,40m de largura, e serão estruturados por um quadro de guias formados por
perfis tipo cantoneira de 6,35mm com espaçamento de 500 mm x 500mm.

IMAGENS

6
ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA – HIDROMECÂNICOS
PCH CAVERNOSO IV

LIMPA GRADES

Limpa Grades Automático para a limpeza das grades com seu respectivo carro de movimentação, garra e
dispositivos de sistema de acionamento automático

Tipo ............................................................................................................................................................. Automático


Capacidade ........................................................................................................................................................... 10 kN
Inclinação da grade Velocidade de descida / subida do rastelo ....................................................................5,0 m/min
Largura útil do rastelo ......................................................................................................................................... 1,00 m
Curso do rastelo ...................................................................................................................................12,5 m estimado
Largura útil de limpeza .................................................................................................................................. 1.000 mm
Comprimento monovia ............................................................................................................................... 15.000 mm
Elevação da soleira.......................................................................................................................................... 594,60 m
Elevação do nível à montante normal ........................................................................................................... 604,00 m
Elevação do nível à montante máximo ........................................................................................................... 605,08 m
Elevação do piso de manobra ......................................................................................................................... 606,50 m

O limpa-grade deve ser composto de:

Uma garra mecânica (limpadora da grade) fabricada em chapas e perfis de aço carbono ASTM - A 36/ SAE – 1020,
tendo em sua parte inferior dentes para efetuar a limpeza dos vãos entre as barras verticais da grade. Os dentes
devem ser espaçados de acordo com o espaçamento da grade;

Um sistema eletromecânico da garra composto de um moto redutor para o comando de descida e subida da garra
mais cabo de aço galvanizado.

Um sistema de abertura e fechamento da garra.

Uma monovia de rolamento da máquina limpa grade formada de um perfil “I” de aço carbono SAE – 1020 com
comprimento de 15m, fixada a TRÊS pilares em concreto através de sistema de fixação com parafusos e porcas.

O acionamento da máquina limpa-grade se dará através do painel de controle e comando que através de
temporizador acionará automaticamente a mesma.

O movimento de abrir e fechar da garra poderá ocorrer de forma pneumática ou elétrica, com a utilização de
guinchos.

A operação do limpa grades poderá ocorrer de duas formas, operação manual Local ou operação automática
através do supervisório da usina.

Toda a operação de comando da máquina limpa-grade deve ser efetuada a partir de um painel elétrico individual
tipo caixa metálica padrão montagem ao tempo. O painel possuirá uma IHM que permite a parametrização e a
execução de todos os comandos locais da máquina limpa - grade.

O Limpa grades deve ser dotado de sensores de proximidade para indicar os fins de curso do carro talha e da garra.

7
ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA – HIDROMECÂNICOS
PCH CAVERNOSO IV

IMAGENS

8
ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA – HIDROMECÂNICOS
PCH CAVERNOSO IV

COMPORTA VAGÃO

Na tomada d’água, logo após as grades haverá duas comportas vagão corta fluxo com respectivas peças fixas de
primeiro estágio e acionamento hidráulico.

Tipo .......................................................................................................................................................................Vagão
Quantidade de comportas vagão ...............................................................................................................................02
Quantidade de painéis por comporta vagão ..............................................................................................................01
Quantidade de jogos de peças fixas ...........................................................................................................................02
Dispositivo de calagem..............................................................................................................................................não
Acionamento...................................................................................................................................................Hidráulico
Vão livre ..........................................................................................................................................................4.000mm
Altura livre .......................................................................................................................................................5.000mm
Elevação da soleira.......................................................................................................................................... 594,60 m
Elevação do nível à montante normal ........................................................................................................... 604,00 m
Elevação do nível à montante máximo ........................................................................................................... 605,08 m
Elevação do piso de manobra ......................................................................................................................... 606,50 m
Pressão normal sobre a soleira ......................................................................................................................9,40 mca
Pressão máxima sobre a soleira ....................................................................................................................10,46 mca
Pressão de projeto da comporta ...................................................................................................................12,50 mca
Vazão de corte........................................................................................................................................................110%
Válvula de enchimento tipo “by-pass”......................................................................................................................não
Abertura por cracking................................................................................................................................................sim
Vedação ...........................................................................................................................................................A jusante
Pressão de óleo máxima na linha........................................................................................................................120 bar
Aço Estrutural .............................................................................................................................................. SAE 1020
Aço Inoxidável das Peças Fixas de Vedação .......................................................................................................AISI 304
Norma de Cálculo ...........................................................................................................................................NBR 8883

O painel da comporta deve ser do tipo vagão de construção soldada em chapa de aço carbono e compostos de
uma chapa de "paramento" reforçada por vigas horizontais em formato "TE" contraventadas verticalmente,
formando um conjunto estrutural monobloco.

As soldas devem ser estanques em todas as juntas sujeitas a pressão hidrostática.

9
ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA – HIDROMECÂNICOS
PCH CAVERNOSO IV

Nas vigas horizontais devem ser previstos furos para a drenagem do acúmulo de água.

As vedações devem ser em borracha sintética SBR (estireno/butadieno) revestidas de uma camada de material de
baixa aderência (teflonadas), sendo a vedação lateral e superior de perfil especial tipo nota musical e a soleira de
perfil retangular. As vedações devem ser fixadas sobre barras chatas e aparafusadas a estas através de parafusos
inoxidáveis com barra de compressão.

Rodas devem ser em aço carbono forjadas e devem permitir o alinhamento de tal forma que ocorra o contato
plano entre o caminho de rolamento e a roda. Os eixos das rodas devem ser de aço inoxidável com rolamento.

O painel terá o seu centro de gravidade contido no mesmo plano do ponto de suspensão.

O painel da comporta deve ser provido de cunhas de encosto ou molas para garantir a vedação no momento do
enchimento do lago.

O painel da comporta possuirá um ponto de suspensão, convenientemente projetado para permitir o içamento
por meio de uma haste que interligará a comporta ao piso de manobra para engate do munhão do cilindro
hidráulico.

A abertura será executada sob condição de pressões desequilibrada (cracking).

Para o fechamento, as comportas devem ser dimensionadas para o caso de inexistência de fluxo e para uma
emergência, com 110% da vazão nominal. Nesses casos, o lastro de concreto deve ser dimensionado levando em
consideração a velocidade de descida da comporta.

As peças fixas serão instaladas ainda no primeiro estágio de concretagem e devem ter um sistema de montagem
por parafusos, o que facilitará sua montagem e alinhamento em campo.

O apoio da vedação e o caminho de rolamento devem ser revestidos com chapa de aço inox com espessura final
média de 5.0 mm.

A operação de abertura e fechamento da comporta será efetuada através da unidade hidráulica devidamente
dimensionada para que os esforços de abertura e fechamento da comporta não ultrapassem 120 bar. Além da
unidade hidráulica, a tubulação e o painel elétrico de comando fazem parte desse fornecimento.

A operação de abertura é efetuada com a pressão de óleo da unidade hidráulica, o comando é dado a partir do
quadro de controle local ou remoto, incluso nesse fornecimento. O óleo sob pressão da unidade hidráulica atua
sobre o servomotor hidráulico conectado ao suporte no painel da comporta.

A unidade hidráulica será fabricada em chapa de aço carbono e sobre ela será montada a motobomba de
engrenagem de corrente alternada alimentada em 380/220Vca, uma válvula reguladora de pressão, um filtro de
pressão e as válvulas de comando dos cilindros hidráulicos operadas com sinal de 4-20mA. A unidade será
equipada com um manômetro para visualização local da pressão fabricado em caixa de aço, bem como um
pressostato para indicação de pressão normal de operação. Também deve existir um visor de nível vertical com
medição volumétrica.

Os cilindros hidráulicos devem ser construídos em aço carbono e as hastes de acionamento devem ser revestidas
com cromo duro para garantir durabilidade ao equipamento.

Devem ser ainda fornecidas todas as válvulas conexões e as tubulações com respectivos suportes necessárias para
a interligação da unidade hidráulica com o respectivo cilindro.

Os trechos da tubulação hidráulica que ficar em contato com a água devem ser em aço inox e anilhada.

As peças ou partes que necessitem de manutenção preventiva ou substituição periódica deverão ser facilmente
acessíveis e projetadas de modo a facilitar ao máximo essas operações.

A variedade dentro de cada tipo de componente padronizado deverá ser mínima, inclusive para os componentes

10
ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA – HIDROMECÂNICOS
PCH CAVERNOSO IV

comerciais. Os equipamentos fornecidos por um mesmo fornecedor deverão ser idênticos, e as tolerâncias
dimensionais das partes individuais deverão ser tais que permitam a intercambiabilidade entre os componentes
similares dos equipamentos.

O fornecimento de deve incluir todos os reforços nos pontos apoio, chumbadores de ancoragem, de alinhamento
e fixação das guias, com dimensões e em número suficiente para garantir a manutenção das tolerâncias definidas
no projeto. Além disso o fornecimento deve prever os insumos e os materiais necessários para a realização da
montagem em campo das peças fixas.

IMAGENS

11
ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA – HIDROMECÂNICOS
PCH CAVERNOSO IV

VÁLVULA GAVETA

No Conduto Forçado, na entrada de Casa de Força haverá uma válvula gaveta corta fluxo em cada tramo do
conduto, com respectivas peças fixas de primeiro estágio e acionamento hidráulico através da Unidade hidráulica
da Turbina.

Tipo .......................................................................................................................................................................Vagão
Quantidade de válvulas ..............................................................................................................................................02
Quantidade de jogos de peças fixas ...........................................................................................................................02
Acionamento........................................................................................................Hidráulico, através da UH da turbina
Diâmetro..........................................................................................................................................................2.800mm
Elevação da soleira.......................................................................................................................................... 594,60 m
Elevação do nível à montante normal ........................................................................................................... 604,00 m
Elevação do nível à montante máximo ........................................................................................................... 605,08 m
Pressão normal sobre a soleira ......................................................................................................................9,40 mca
Pressão máxima sobre a soleira ....................................................................................................................10,46 mca
Pressão de projeto da válvula .......................................................................................................................12,50 mca
Vazão de corte........................................................................................................................................................110%
Válvula de enchimento tipo “by-pass”......................................................................................................................não
Abertura por cracking................................................................................................................................................sim
Vedação ...........................................................................................................................................................A jusante
Pressão de óleo máxima na linha........................................................................................................................120 bar
Aço Estrutural ................................................................................................................................................ SAE 1020
Aço Inoxidável das Peças Fixas de Vedação .......................................................................................................AISI 304
Norma de Cálculo ...........................................................................................................................................NBR 8883

O painel da válvula deve ser de construção soldada em chapa de aço carbono e compostos de uma chapa de
"paramento" reforçada por vigas horizontais em formato "TE" contraventadas verticalmente, formando um
conjunto estrutural monobloco ou, caso o dimensionamento permitir, ser formada por um caixa metálica cheia de
concreto.

As soldas devem ser estanques em todas as juntas sujeitas a pressão hidrostática.

As vedações devem ser em borracha sintética SBR (estireno/butadieno), sendo a vedação através de um duplo
o‘ring colado dentro de um canal usinado.

O painel terá o seu centro de gravidade contido no mesmo plano do ponto de suspensão.

O painel da válvula possuirá um ponto de suspensão, convenientemente projetado para permitir o içamento por
meio de uma haste que interligará a comporta ao piso de manobra para engate do munhão do cilindro hidráulico.

A abertura será executada sob condição de pressões equilibradas através de um by-pass com válvula manual.

Para o fechamento, as válvulas devem ser dimensionadas para o caso de inexistência de fluxo.

As peças fixas em formato de caixa estanque serão instaladas ainda no primeiro estágio de concretagem e devem
ter um sistema de montagem por parafusos, o que facilitará sua montagem e alinhamento em campo.

O apoio da vedação e o caminho de deslizamento devem ser revestidos com chapa de aço inox com espessura final
média de 5.0 mm.

A operação de abertura e fechamento da comporta será efetuada através da unidade hidráulica própria
devidamente dimensionada para que os esforços de abertura e fechamento das válvulas não ultrapassem 120 bar.

Os cilindros hidráulicos devem ser construídos em aço carbono e as hastes de acionamento devem ser revestidas
com cromo duro para garantir durabilidade ao equipamento.

12
ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA – HIDROMECÂNICOS
PCH CAVERNOSO IV

Devem ser ainda fornecidas todas as válvulas conexões e as tubulações com respectivos suportes necessárias para
a interligação da unidade hidráulica com o respectivo cilindro.

As peças ou partes que necessitem de manutenção preventiva ou substituição periódica deverão ser facilmente
acessíveis e projetadas de modo a facilitar ao máximo essas operações.

IMAGENS

13
ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA – HIDROMECÂNICOS
PCH CAVERNOSO IV

COMPORTA ENSECADEIRA PARA O TUBO DE SUCÇÃO DAS TURBINAS

Uma comporta ensecadeira com by-pass com respectivas peças fixas de primeiro estágio, acionamento por talha
elétrica.

Tipo ............................................................................................................................................................Ensecadeira
Quantidade de comportas .........................................................................................................................................01
Quantidade de jogos de peças fixas ...........................................................................................................................02
Dispositivo de calagem .............................................................................................................................................sim
Dispositivo de içamento............................................................................................................................Talha elétrica
Vão livre ...............................................................................................................................................................3,50 m
Altura livre ...........................................................................................................................................................3,50 m
Elevação da soleira ..........................................................................................................................................582,56 m
Elevação do piso de manobra .........................................................................................................................596,00m
Nível d'água normal .........................................................................................................................................587,00m
Nível d'água máximo TR 10000 ........................................................................................................................593,74m
Pressão normal sobre a soleira .......................................................................................................................4,40 mca
Pressão máxima sobre a soleira ....................................................................................................................11,20 mca
Pressão de projeto da comporta ...................................................................................................................11,20 mca
Vazão de corte........................................................................................................................................................00%
Válvula de enchimento tipo “by-pass”......................................................................................................................sim
Abertura por cracking................................................................................................................................................não
Monovia..................................................................................................................................................................10 m
Vão de apoio da monovia.......................................................................................................................................5,0 m
Talha elétrica ......................................................................................................................................................Incluso
Vedação ...........................................................................................................................................................A jusante
Aço Estrutural ................................................................................................................................................ SAE 1020
Aço Inoxidável das Peças Fixas de Vedação .......................................................................................................AISI 304
Norma de Cálculo ...........................................................................................................................................NBR 8883

O painel da comporta deve ser do tipo ensecadeira de construção soldada em chapa de aço carbono e compostos
de uma chapa de "paramento" reforçada por vigas horizontais em formato "TE" contraventadas verticalmente,
formando um conjunto estrutural monobloco.

As soldas devem ser estanques em todas as juntas sujeitas a pressão hidrostática.

Nas vigas horizontais devem ser previstos furos para a drenagem do acúmulo de água.

As vedações devem ser em borracha sintética SBR (estireno/butadieno), sendo a vedação lateral e superior de
perfil especial tipo nota musical e a soleira de perfil retangular. As vedações devem ser fixadas sobre barras chatas
e aparafusadas a estas através de parafusos inoxidáveis com barra de compressão.

Cada painel terá o seu centro de gravidade contido no mesmo plano do ponto de suspensão.

O painel da comporta deve ser provido de cunha de encosto ou molas para garantir a vedação no momento do
enchimento do canal de fuga.

O painel da comporta possuirá um ponto de suspensão, convenientemente projetado para permitir o içamento
por meio de uma haste que interligará a comporta ao piso de manobra para engate do munhão da talha elétrica,
inclusa no escopo de fornecimento e devidamente dimensionada para os esforços de abertura e fechamento da
comporta. Para tanto deve-se fornecer os cambões necessários para realizar a operação de abertura e fechamento
da comporta.

A talha elétrica correrá por uma monovia de 10 m de comprimento que interligará os dois nichos das comportas,
item que também deve ser fornecido pelo CONTRATADO.

A abertura será executada sob condição de pressões equilibradas. As pressões serão equalizadas através de uma
válvula by-pass instalado no paramento e acionada pelo içamento da haste.

14
ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA – HIDROMECÂNICOS
PCH CAVERNOSO IV

Para o fechamento, as comportas devem ser dimensionadas para o caso de inexistência de fluxo. Caso seja
necessário, deverá ser previsto lastro de concreto para vencer as forças de atrito.

No piso de manobra deve existir um dispositivo de calagem, para travar a comporta na posição aberta, liberando a
talha elétrica.

As peças fixas serão instaladas ainda no primeiro estágio de concretagem e devem ter um sistema de montagem
por parafusos, o que facilitará sua montagem e alinhamento em campo.

O apoio da vedação deve ser revestido com chapa de aço inox com espessura final média de 5.0 mm.

As peças ou partes que necessitem de manutenção preventiva ou substituição periódica deverão ser facilmente
acessíveis e projetadas de modo a facilitar ao máximo essas operações. As peças que, pelas suas dimensões,
forma, ou qualquer outra razão, necessitem de recursos que facilitem o seu manuseio, deverão ser dotadas de
alças de suspensão, orifícios roscados, suportes etc.

A variedade dentro de cada tipo de componente padronizado deverá ser mínima, inclusive para os componentes
comerciais. Os equipamentos fornecidos por um mesmo fornecedor deverão ser idênticos, e as tolerâncias
dimensionais das partes individuais deverão ser tais que permitam a intercambiabilidade entre os componentes
similares dos equipamentos.

O fornecimento de deve incluir todos os reforços nos pontos apoio, chumbadores de ancoragem, de alinhamento
e fixação das guias, com dimensões e em número suficiente para garantir a manutenção das tolerâncias definidas
no projeto. Além disso o fornecimento deve prever os insumos e os materiais necessários para a realização da
montagem em campo das peças fixas.

IMAGENS

15
ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA – HIDROMECÂNICOS
PCH CAVERNOSO IV

CONDUTO FORÇADO

As peças principais do conduto forçado, detalhadas na sequência, devem ser fabricadas em aço ASTM A-588 grau
50 ou COR 500 ou USI SAC 350, nas espessuras mínimas descritas a seguir.

Cone de redução

O túnel da PCH Cavernoso IV termina com um Plug em concreto onde haverá um cone de redução envelopado.
Esse cone será formado por uma redução concêntrica com dimensões na entrada de Øi 4.100mm e na saída de
Øi2.800mm. O comprimento do eixo deve ser de 1.500mm.

Essa peça deve ser fabricada em chapa 3/8” ou #9,53mm.

A peça deve ser dotada de TRÊS aletas corta percolação de 3/8” x 6”, com soldas contínuas podendo ser em aço
ASTM A-36 calandradas desde que pintadas em campo ou no aço padrão, dispensado pintura . Rabos de andorinha
para ancorgem no concreto na proporção 10 rabos de andorinha por m².

O plug deverá ter grapas de interferência com o concreto na proporção 10 un/m².

O peso estimado para essa peça é de 2.919 kg.

16
ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA – HIDROMECÂNICOS
PCH CAVERNOSO IV

Trecho reto

Logo após ao cone de redução haverá um trecho reto de conduto forçado com Øi=2800mm e 18m de
comprimento, construído em aço chapa 3/8” (#9,53mm).

Ao longo do trecho exposto haverá um berço de apoio, sendo que logo a montante e a jusante de cada bloco
deverá haver aletas de reforços de 3/8” x 150mm, que ajudarão na distribuição das tensões oriundas dos apoios.

O peso estimado para esses trechos é de 26.059 kg.

Apoios deslizantes

Os apoios deslizantes serão do tipo sanduiche de mantas (pead, manta geotextil engraxada, pead), não havendo a
necessidade de fornecer sela em aço ou chapa de sacrifício.

Curvas Øi 2.800mm

Após o final de cada trecho reto haverá uma curva de 45°, direcionando os eixos para dentro da Casa de Força.

O Øi das curvas será de 2.800mm e eixo com comprimento de 4.700 mm.

As curvas devem ser fabricadas em chapa 3/8” (#9,53mm).

As peças devem ser dotadas de aletas de reforço e rabos de andorinha para ancorgem no concreto na proporção
10 rabos de andorinha por m².

O peso estimado para as curvas é de 7.423 kg.

Boca de visita

O conduto forçado deverá possuir uma boca de visita de 800mm de diâmetro para acesso de manutenção
localizada próximo à bifurcação.

Esta boca de visita deverá ser adequadamente dimensionada perante a pressão máxima de serviço com
coeficiente de segurança 2,00. Conter parafusos classe 8.8, oring em sede usinada na tampa, colarinho de reforço
anti rasgo soldado na virola do conduto forçado (arruela amassada)

O peso dessa peça deve ser acrescido ao peso global do conduto forçado.

Sobre metal

Logo após o as curvas haverá um trecho reto de conduto forçado com Øi=2800mm e 150 mm de comprimento,
construído em aço chapa 3/8” (#9,53mm), que servirá de sobre metal para acoplamento das turbinas.

O peso estimado para essas peças é de 197 kg.

PROJETO

Para o dimensionamento dos hidromecânicos, o cálculo das tensões deverá levar em consideração os níveis de
operação apresentados pela PROJETISTA. Deverá ser baseado na teoria mais adequada para cada tipo de material
e situação específica. Deverão também considerar as condições mais desfavoráveis a que estiverem sujeitas
(durante a operação, montagem, ensaios de campo e transporte).

As Tensões Admissíveis para cálculo da tubulação deverão atender ao disposto na norma ABNT NBR 8883 e NBR
11213 em sua última revisão.

A análise de tensões deverá ser feita para todos os equipamentos, sob cada condição de carga de projeto,

17
ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA – HIDROMECÂNICOS
PCH CAVERNOSO IV

considerando-se o seguinte:
-Níveis de tensão máxima e distribuição de tensões, com indicação dos picos de tensão em pontos críticos
e pressões de contato;
-Deformações e deflexões;
-Tensões Admissíveis.
Quando os componentes dos equipamentos estiverem sujeitos às condições máximas normais de operação, ou
estiverem sujeitas à máxima pressão hidrostática, incluindo o aumento de pressão devido à rejeição a plena carga,
a tensão no material usado não excederá os seguintes valores:

Tensão Máxima Admissível


MATERIAL Componentes Sujeitos a Cargas Componentes Sujeitos a Cargas
Dinâmicas Estáticas
Ferro Fundido
Tração 10% do LR 15% do LR
Compressão 70 MPa 100 MPa
Cisalhamento 14 MPa 14 MPa
Ferro Fundido Nodular
Tração ou Compressão A menor entre 17% do LR ou 25% do LE A menor entre 25% do LR ou 40% do LE
Aço Carbono e Aço Liga Fundidos
Tração ou Compressão A menor entre 20% do LR ou 33% do LE A menor entre 25% do LR ou 50% do LE
Aço Forjado e Chapas de Aço Laminado
Tração A menor entre 30% do LR ou 55% do LE A menor entre 33% do LR ou 55% do LE
Compressão 60% da Tensão Admissível à Tração 60% da Tensão Admissível à Tração
Aços de Alta Resistência
Tração ou Compressão A menor entre 20% do LR ou 33% do LE A menor entre 30% do LR ou 50% do LE

LE (Tensão de Escoamento) e LR (Tensão de Ruptura)

No caso de cálculos realizados por elementos finitos, os limites de tensões poderão ser os definidos pelo Código
ASME Seção II.

Os materiais utilizados na fabricação do fornecimento especificado terão o tipo, composição e características


mecânicas melhor adaptadas às finalidades a que se destinam e de acordo com as melhores práticas de
engenharia. Todos os materiais empregados estarão de acordo com as normas correspondentes da ABNT ou
ASTM, salvo exceções.

PINTURA

Todo o material em aço carbono deve ser jateado através de granalha de aço angular.

Após a limpeza as peças em contato com a água devem receber duas demãos de tinta Epóxi totalizando uma
espessura final de 400 micrometros.

As peças que não ficarem expostas a água devem receber uma demão de tinta Epóxi com uma espessura final de
120 micrometros.

As superfícies embutidas em concreto não precisam sofrer qualquer tratamento superficial.

As superfícies usinadas devem ser cobertas com graxa adequada ou verniz anti-corrosivo apropriado.

TRANSPORTE

Será de responsabilidade do CONTRATADO o transporte e o descarregamento em obra dos equipamentos inclusos


nessa Especificação Técnica.

As peças fixas deverão ser enviadas para a obra com travamento metálico para evitar deformação dos
componentes após verificação dimensional realizada em fábrica.

Deverão ser evitadas amarrações por cordas e cabos de aço nas virolas durante o carregamento no veículo de
transporte que causem danos dimensionais e físicos permanentes nestes elementos.

18
ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA – HIDROMECÂNICOS
PCH CAVERNOSO IV

As superfícies usinadas deverão ser protegidas com resina protetiva nos casos de juntas de dilatação e apoios
deslizantes.

MONTAGEM E COMISSIONAMENTO EM OBRA

Será de responsabilidade do CONTRATADO a montagem completa dos componentes do fornecimento, incluindo o


lançamento dos hidromecânicos através de um caminhão munck de sua responsabilidade.

O CONTRATANTE ficará responsável por fornecer a locação dos hidromecânicos através de sua topografia, porém
não ficará responsável polo alinhamento das peças.

Também ficará responsável por construir o acesso necessário para o patolamento do veículo que a CONTRATADA
utilizará para o lançamento das peças.

O CONTRATADO deverá emitir procedimentos/ilustrações específicos para a montagem do escopo de


fornecimento, nos quais serão relacionados os desenhos e as especificações técnicas com as condições gerais e
específicas a serem seguidas pela equipe de montagem.

Também devem ser emitidos e enviados a campo para supervisão os protocolos dimensionais de montagem
correspondentes.

Estes procedimentos e/ou instruções deverão ser incorporados ao Manual de Montagem.

Todos os equipamentos e consumíveis necessários para a execução completa dos trabalhos de montagem em obra
serão de responsabilidade do CONTRATADO, assim como hospedagem, alimentação e EPIs da equipe que
executará os serviços.

ADMINISTRAÇÃO DO CONTRATO

Para a fase de gerenciamento do fornecimento dos equipamentos constantes desta especificação, o CONTRATADO
deverá fornecer ao CONTRATANTE os seguintes documentos:

-Documentação descrita no capítulo seguinte;


- Cronograma detalhado da fabricação;
- ART’s de projeto, fabricação e montagem;
-Relatório fotográficos mensais demostrando os avanços na fabricação e na montagem em campo.

Os marcos intermediários, as datas limite de entrega dos equipamentos e a data do início da operação, serão
definidos na ocasião do fechamento do CONTRATO de fornecimento.

DOCUMENTAÇÃO

Está relacionada neste capítulo a documentação mínima, porém não limitada, para a fase de projeto para os
hidromecânicos e seus acessórios objetos desta especificação técnica.

Memoriais de Cálculo

-Condições de Funcionamento;
-Memorial de cálculo com estado tensional de tensões;

19
ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA – HIDROMECÂNICOS
PCH CAVERNOSO IV

-Cargas nas fundações;

Desenhos e Diagramas

-Desenhos de conjunto e de subconjunto, das peças fixas de 1º estágio;


-Desenhos executivos com o arranjo geral dos equipamentos;
-Diagramas elétricos e hidráulicos das Unidades Hidráulicas.

Manuais e relatórios

-Manuais de montagem, ensaios em fábrica, transporte e manuseio com procedimentos e tolerâncias;


-Instruções para testes de campo e Comissionamento;
-Ensaios não destrutivos de líquido penetrante e ultrassom;
-Verificação dimensional das tolerâncias;
-Rastreabilidade da equipe de soldagem com a documentação de todos os procedimentos qualificados e registro de
qualificação de soldadores para as soldas relacionadas com a segurança do produto.
-Controle de execução e ensaios não destrutíveis das soldas executadas em obra;
-Protocolos dimensionais.

Planos de Inspeções e Testes (PIT)

-Relação de inspeções e testes necessários para a execução dos equipamentos em todas as fases de produção
(fábrica e obra).

Data-book

-Farão parte deste documento todos os registros emitidos durante a fabricação, catálogos de Itens de terceiros e
matéria-primas (chapas, elementos de fixação, conexões, etc.).

GARANTIAS

A GARANTIA TÉCNICA será de 24 (vinte e quatro) meses contados da data de entrada em operação dos equipamentos
ou de 30 (trinta) meses contados da entrega em fábrica dos equipamentos, devendo prevalecer o que ocorrer primeiro
desde que as seguintes condições tenham sido atendidas:

-Manuseio na obra e armazenamento em local adequado;


-Operações dentro do limite de suas capacidades, conforme especificado nesse memorial;
-Realização periódica das devidas manutenções preventiva, de acordo com as informações inclusas nos manuais de
operação e manutenção, a serem fornecidas pela contratada;

Durante o período de garantia técnica, no caso de falha ou defeito de quaisquer bens ou serviços, incluindo, mas não
se limitando a equipamentos, materiais, serviços, devido a falha de projeto, defeitos de materiais e/ou de execução,
ou, ainda, se tais bens e serviços deixarem de estar em conformidade com as condições previstas nesse memorial, os
mesmos deverão ser re-projetados, reparados ou substituídos, conforme o caso, pelo prazo dessa garantia, pela
contratada, à sua exclusiva expensas.

Todos os custos relativos aos serviços de engenharia e projeto, reparos e substituições, remoção de equipamentos
e/ou materiais necessários, serão de exclusiva responsabilidade da contratada.

A garantia não é válida se for constatado que o defeito ou avaria tenha sido ocasionado por acidentes, desgaste
normal, negligências, manobra indevida, tratamento inadequado ou descuido, terrenos impróprios para construção,
defeitos químicos, defeitos nos equipamentos elétricos, ações de intempéries, armazenagens prolongadas em
ambientes inadequados, montagens executadas fora das normas técnicas apresentadas pela contratada em seus
manuais.

20
ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA – HIDROMECÂNICOS
PCH CAVERNOSO IV

ANEXO 01

PROJETOS DAS ESTRUTURAS

21
ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA – HIDROMECÂNICOS
PCH CAVERNOSO IV

ANEXO 02

PLANILHA DE HIDROMECÂNICOS

22

Você também pode gostar