Você está na página 1de 15

[INSERIR NOME DA UNIVERSIDADE]

SISTEMA DE ENSINO A DISTÂNCIA


EDUCAÇÃO FÍSICA - LICENCIATURA

NOME DO ALUNO

PROJETO DE ENSINO:
O ESPORTE COMO CONTEÚDO ESCOLAR NA EDUCAÇÃO BÁSICA

Cidade
2020
Cidade
2020
Cidade

Cidade
2021
NOME DO ALUNO

PROJETO DE ENSINO:
O ESPORTE COMO CONTEÚDO ESCOLAR NA EDUCAÇÃO BÁSICA

Projeto de Ensino apresentado à [inserir nome


da universidade], como requisito parcial à
conclusão do Curso de [inserir nome do Curso].

Cidade
2021
SUMÁRIO

INTRODUÇÃO..............................................................................................................3
1 TEMA.....................................................................................................................4
2 JUSTIFICATIVA.....................................................................................................5
3 PARTICIPANTES...................................................................................................6
4 OBJETIVOS...........................................................................................................6
5 PROBLEMATIZAÇÃO............................................................................................7
6 REFERENCIAL TEÓRICO....................................................................................8
7 METODOLOGIA....................................................................................................9
8 CRONOGRAMA...................................................................................................10
9 RECURSOS.........................................................................................................10
10 AVALIAÇÃO.........................................................................................................11
CONSIDERAÇÕES FINAIS........................................................................................12
REFERÊNCIAS...........................................................................................................14
3

INTRODUÇÃO

O esporte como conteúdo escolar é de grande importância para o


desenvolvimento psicomotor e cognitivo da criança. Sua organização
da motricidade da criança, por meio de um programa educacional que atenda a
seus interesses, buscando a harmonia entre as necessidades individuais e do
grupo, por meio de atividades lúdicas, desenvolvendo a consciência corporal, de
espaço e tempo.
Dessa forma, a criança poderá ser capaz de realizar movimentos
considerados fundamentais, como a manipulação, a locomoção, a estabilização,
entre outros, e o esporte sendo inserido no conjunto de ações pedagógicas que
ajudem o desenvolvimento, tendo enfoque lúdico, sem perder sua importância
pedagógica. Principalmente, pelo fato de a criança manter vínculos familiares
ainda muito fortes, tornando a esporte uma prática educativa que encontramos
na disciplina de Educação Física como um dos conteúdos escolares mais
significativos no contexto de ensino e aprendizagem.
4

1 TEMA

O tema “O Esporte como Conteúdo Escolar” é de grande importância, tendo em


vista que no ensino trata do assunto: esporte, e mais especificamente o esporte
escolar como uma prática de alto rendimento para o desenvolvimento da criança em
todos os aspectos sociais e beneficiando no ensino e aprendizagem das outras
disciplinas.
    O professor, nesta pedagogia, assume um caráter de técnico esportivo, com o
intuito de melhorar a eficiência motora e física do aluno com ênfase nas técnicas
esportivas, e também, formar e selecionar futuros atletas que venham possivelmente
a representar a nação.
As dimensões inumanas do esporte de rendimento, escrito pelo professor
Kunz (1994), faz referência da especialização precoce: crianças e adolescentes,
estão sendo conduzidas cada vez mais cedo e com mais intensidade ao esporte.
    Segundo o autor: “O treinamento especializado precoce no esporte acontece
quando crianças são introduzidas, antes da fase pubertária, a um processo de
treinamento planejado e organizado a longo prazo, e que este se efetiva a um
mínimo de três seções semanais, com o objetivo gradual do rendimento, além de
participação periódica em competições” (KUNZ, 1994, pág. 12).
    O espore deve ser praticado na escola. No entanto de maneira lúdica e que
estimule a cooperação e o desenvolvimento de várias competências do aluno, e não
o rendimento. “Com toda certeza, nenhuma criança, por si só, optaria livremente em
treinar o esporte de forma especializada, sistemática e intensa como normalmente é
realizado” (KUNZ, 1994).
Ensinar o esporte de maneira lúdica, estimulando a cooperação nos jogos
pré-desportivos, minijogos com dimensões da quadra reduzidas, como também
adaptação das regras, favorecem aos estímulos de superação cognitiva auxiliados
pela prática esportiva como uma forma de proporcionar um sendo crítico.
Por meio das técnicas de cada esporte e pela interação entre os participantes
poderão elevar o indivíduo ao melhor resultado quanto ao desempenho escolar e
familiar, numa melhor perspectiva qualidade de vida.

   
2 JUSTIFICATIVA
5

Tenho trabalhado com a ideia de que a educação física, tradicionalmente, tem


sido pouco pensada dentro de um projeto educacional pautado pela idéia da leitura
do mundo. Diversos estudos em nossa área têm revelado que originalmente a
educação física entra na escola com o claro propósito de preparação do corpo e/ou,
através do corpo, do caráter. Ainda tem mantido um sentido periférico e autônomo
em relação aos projetos escolares, atendendo, geralmente, a interesses de outras
instituições.
Longe, assim, do que considero um componente curricular no sentido de
matéria escolar. A educação física, segundo minha leitura, passou, recentemente,
no meio acadêmico e mais recentemente ainda no aspecto legal, a ser considerada
o que poderíamos denominar como um componente curricular no sentido de matéria
escolar. Isto significa:
não apenas um constituinte do rol de disciplinas escolares, mas um
elemento da organização curricular da escola que, em sua
especificidade de conteúdo, traz uma seleção de conhecimentos
que, organizados e sistematizados, devem proporcionar ao aluno
uma reflexão acerca de uma dimensão da cultura e que, aliado a
outros elementos dessa organização curricular, visa a contribuir
com a formação cultural do aluno (Souza Júnior, 2001, p. 83).

No início da educação infantil, é importante proporcionar o maior número


possível de experiências à criança, pois isso as ajudará a adquirir e descobrir um
mundo completamente novo. A educação física deve, assim, ser inserida
no conjunto de ações pedagógicas que ajudem o desenvolvimento infantil, tendo
enfoque lúdico, sem perder sua importância pedagógica. Principalmente, pelo fato
de a criança manter vínculos familiares ainda muito fortes.
“Nessa fase, a criança é muito ativa e, por meio dos movimentos,
experimenta suas possibilidades e seus limites motores. Por isso, a educação física
deve trabalhar a criança em seus movimentos mais amplos, ajudando-a a
compreender seu corpo, podendo adquirir a autoconfiança necessária à sua
autonomia”, afirma o professor Rodrigo William Ferreira, do Curso Educação Física
Infantil, elaborado pelo CPT – Centro de Produções Técnicas.
O  objetivo da educação física deve ser a organização da motricidade da
criança, por meio de um programa educacional que atenda a seus interesses,
buscando a harmonia entre as necessidades individuais e do grupo, por meio de
6

atividades lúdicas, desenvolvendo a consciência corporal, de espaço e tempo.


Dessa forma, a criança poderá ser capaz de realizar movimentos
considerados fundamentais, como a manipulação, a locomoção, a estabilização ,
entre outros.

3 PARTICIPANTES

Alunos regulamente matriculados na educação básica da rede pública de


ensino da escola onde o projeto está sendo efetivado, com a colaboração dos
professores e alunos que estarão sendo os educandos.

4 OBJETIVOS

Objetivos Gerais:

Dizem respeito ao desenvolvimento da criança como um todo, não apenas no

que se refere à atividade física, mas, desde aspectos do aprendizado na escola, até

questões do convívio social. São eles:

   Obter desenvolvimento corporal harmônico (físico- mental);

   Adquirir controle corporal;


   Desenvolver a habilidade motora;

   Condicionar os sistemas orgânicos a suprir demandas diárias e de

emergência;

  Objetivos específicos
  Identificar e efetuar movimentos, discriminando as diferentes velocidades
e trajetórias, no deslocamento do corpo e dos objetos.
 Reconhecer o corpo, no seu todo, e diferenciar cada uma de suas partes, por

meio do movimento;

  Realizar movimentos independentes e interdependentes, como os diversos

segmentos do corpo;

  Definir sua dominância lateral.


7

5 PROBLEMATIZAÇÃO
Esporte e Educação física estão intimamente ligados. A escola, muitas vezes
é o local onde a criança tem o primeiro contato com o esporte, por isso devemos
atentar para que as aulas de Educação Física tenham o maior proveito possível do
esporte e trazer todos os benefícios que este pode representar para a formação
física, mental e do caráter do cidadão.
(Tubino, 1993) A busca do homem por um equilíbrio completo é explícita na
famosa frase “mente sã, corpo são”, onde a dicotomia de corpo e mente anda junto
e a paz harmoniosa entre eles traduz esse tão sonhado equilíbrio.
    Em geral se consideram esportes as atividades de recreio ou competitivas
que exigem certa dose de esforço físico ou de habilidade. Podem ser individuais ou
coletivos.
No passado só eram considerados esportes as atividades recreativas
praticadas livremente, como a pesca e a caça, em contraposição aos jogos,
competições atléticas organizadas de acordo com regras determinadas. A distinção
entre esportes e jogos hoje é menos clara, e com frequência os dois termos são
usados de forma indistinta.
    O principal objetivo sempre foi converter atributos físicos nas mais variadas
formas de expressão corporal, como força, agilidade, flexibilidade, velocidade, etc.
Além disso, também fomenta outras qualidades como respeito, coragem, disciplina,
persistência.
    Segundo o autor o tema esporte tem origem no século XIV, onde os
marinheiros usavam expressões “fazer esporte” com intuito de passar o tempo
utilizando habilidades físicas.
    O esporte surpreende pela rapidez e amplitude de sua progressão, que se
impõe pela atração que desperta, incita a ação, competição, superação de esforço, e
que deste modo, favorece o enriquecimento pessoal, além de ser um extraordinário
meio de expressão que revela os limites de cada um (FERREIRA, 2001).
    Atingindo de forma instantânea o esporte é cativante, desperta nos homens
sua necessidade de competir, superar obstáculos, que faz pensar sobre questões
antropológicas. Observando em nossas práticas o aluno praticante de esporte, nota-
se que é o fundamento pelo qual suas características de ser humano se colocam a
prova.
   
8

6 REFERENCIAL TEÓRICO

Todos os esportes implicam uma atividade física. Como formas de interação


social, exibição de força física e divertimento, os esportes surgiram com as
civilizações. Culturas antigas como a egípcia e a chinesa já conheciam alguns
esportes, mas essas atividades alcançaram seu desenvolvimento máximo na Grécia
(TUBINO, 1993).
    Na Grécia o esporte era bem difundido, os mais famosos eram os Jogos
Olímpicos realizados em Olímpia. Disputados de quatro em quatro anos, os jogos
tinham extrema importância para a vida do país. Luta, corridas, lançamento de disco
e dardo e salto em distância eram as modalidades praticadas. Nesta época a
presença feminina era proibida, até mesmo como espectadoras.
    Um divisor de águas na história esportiva foi o surgimento da bola. Algumas
civilizações a tinham como hábito em suas práticas. As primeiras bolas eram apenas
bexigas de ar e com o passar do tempo foi sendo aperfeiçoada. Para gregos e
romanos o esporte tinha conotação antagônica. Os primeiros visavam antes de tudo
a competição, os s segundos objetivavam o entretenimento (TUBINO, 1993).
     A principal característica deste tempo foi a notória diferenciação entre as
atividades das classes sociais. Nobres desenvolviam-se para aptidões guerreiras em
torneios e combates, juntamente com caça e equitação. O povo voltava-se às
práticas de jogos com bola (TUBINO, 1993).
   O esporte cresce infindavelmente e cada vez mais as pessoas buscam
atividades físicas. Estes fatores trazem ao esporte uma crescente importância vinda
desde seu surgimento até os dias atuais. Em 1896 renasce os Jogos Olímpicos
através do barão Pierre de Coubertin, e também traz a máxima "o importante não é
vencer, mas competir" (TUBINO, 1997). 
  No Brasil o esporte com maior popularidade é sem dúvida o futebol.
Mundialmente entre os mais praticados estão são: basquetebol, voleibol, handebol,
judô e tênis.
    O esporte está presente no nosso cotidiano através dos mais variados
veículos de comunicação, tais como jornais, revistas, televisão, rádio, entre outros, e
esta mídia que contribui para cada vez mais nos aproximar deste fenômeno.
   A importância que o esporte tem desde o século XX, é a influência que ele
exerce na vida das pessoas a cada dia, não somente nos praticantes, mas também
9

no grande número de curiosos que acompanham suas mudanças e seus principais


fatos.
Não podemos considerá-lo apenas como mais uma prática de saúde, de
competição, movimentos. O esporte ramifica-se para outras diversas importantes
áreas de nossa sociedade, tais como saúde, educação, economia, turismo, etc. Ele
movimenta milhões de dólares em todo mundo e hoje existe até uma ciência do
esporte, ganhando conotação cientifica (TUBINO, 1993).
ALÉM DE EDITAR DEVERÁ COMPLETAR COM MAIS LINHAS
ALÉM DE EDITAR DEVERÁ ACRESCENTAR MAIS CONTEUDO
Esta etapa deve conter, no mínimo, cinco (5), no máximo sete (7) laudas

7 METODOLOGIA

1º MOMENTO: Primeiramente, os alunos irão se posicionar em dois grupos,


onde cada lado tenha o mesmo número de alunos.

Ensino do basquetebol
Será debatido a importância e as regras do jogo entre o grupo, onde possa ser
tematizado o porquê, por exemplo: é melhor passar a bola para o colega do que
infiltrar para a cesta.
Dialogar na questão das técnicas, exemplo: o professor pergunta: por que temos
que arremessar desta forma, e por que não de outra?

Concepção Educação Física e Saúde


   
O estilo de vida da população, ou melhor, da sociedade atual, está muito
desequilibrado no que diz respeito à questão da qualidade de vida. Ou seja, falta de
atividade física, alimentação inadequada contribuem para o grande aumento das
doenças crônico-degenerativas, contexto no qual que o autor, Dartagnan Pinto
Guedes (1999), explica em seu artigo: Educação para a saúde mediante programas
de educação física escolar.
    Então, a ideia é incorporar nas aulas de educação física escolar, conceitos e
10

referencias teóricas sobre a questão da educação e saúde. O professor deve


adquirir um comportamento voltado para praticar este tipo de abordagem.
Quadro 3. Exemplo prático

Ensino do Futebol
No aquecimento, explicar a importância do mesmo, o porquê do alongamento,
como a flexibilidade é importante, para a vida deles.
Explicar que durante uma subida ao ataque muito rápida, sprint, é necessário
saber o momento certo para a recuperação, baixar a freqüência cardíaca. E
diante disso, como é importante estar bem condicionado para fazer tal esforço.
Ou seja, não devemos praticar atividade física uma ou duas vezes na semana,
mas sim na maioria dos dias, ou diariamente.

8 CRONOGRAMA

Etapas do projeto Período


Planejamento  Resolução do problema inicial, com os conhecimentos
prévios dos alunos.
 Discussões das estratégias de resoluções que os alunos
apresentarem.
 Sistematização do conteúdo.
 Aplicações de atividades.
 Discussões das resoluções que os alunos apresentarem
Execução 1. Encontro com a diretora e os responsáveis da
escola – JULHO 2º SEMESTRE
2. Execução do Projeto de Participação na SALA DE
MULTIMÍDIA – AGOSTO, SETEMBRO, OUTUBRO
E NOVEMBRO (2º SEMESTRE)
Avaliação 1. Avaliação do Aprendizado – DEZEMBRO
(ENCERRAMENTO DO SEMESTRE)
11

9 RECURSOS

Bolas, redes para quadra esportiva, cordas, uso da quadra esportiva.


ALÉM DE EDITAR DEVERÁ COMPLETAR COM MAIS LINHAS
Esta etapa deve conter, no mínimo, meia e, no máximo duas (1) lauda

10 AVALIAÇÃO

A avaliação será feita de forma contínua a cada dia observando o interesse


na participação dos alunos durante o projeto sendo avaliada a criatividade, a
socialização, interação, o raciocínio lógico matemático, linguagem oral e escrita dos
alunos, o nível de interesse cultural, o nível de conscientização dos alunos, também
será avaliada a participação dos alunos em todas as atividades.
A leitura da problematização será feita em sala de aula em silêncio, logo em
seguida com pequenos grupos. O aluno devendo promover uma forma natural de
avaliação, bem como na conduta e interesse na busca de informação em aprender a
ler através desta forma de aprendizagem.
12

CONSIDERAÇÕES FINAIS

A cada dia que passa, o esporte está cada vez mais presente nas escolas, e
de forma geral, no processo de educação de crianças e jovens, sendo grande parte
das unidades escolares, já apresenta a disciplina de Educação Física em suas
grades curriculares.
Além de todas as experiências, as crianças e jovens que são contemplados
com aulas direcionadas para o esporte durante a Educação, são estimuladas a
desenvolver, ainda mais, as capacidades intelectuais e físicas, uma vez que
promove o exercício do corpo combinado com as estratégias que precisam ser
elaboradas para se jogar.
O esporte é capaz de desencadear sensações de prazer, emoção e
adrenalina nos alunos. Isso faz com que eles se sintam incentivados a participar das
atividades propostas, uma vez que a sensação de bem-estar que aquela atividade
promove é automaticamente identificada pelo cérebro.
Não bastasse isso, a prática do esporte nas escolas também contribui para o
processo de integração social, onde cada criança começa a identificar, desde cedo,
o seu papel diante de uma realidade e aprende a conviver com os demais,
respeitando os limites e diferenças de cada um de seus colegas de sala.
O esporte é capaz de desenvolver assim, as competências comunicativas,
sociais e técnicas, ensinando, na prática, a lidar com as necessidades dos outros e
também com a sua própria necessidade.
Além do respeito, outros valores são aprendidos com a prática regular do
esporte nas escolas. Alguns desses valores são: o cumprimento de regras, a
tolerância, a persistência, saber esperar a sua vez, saber ganhar e também saber
perder, sem descontar suas frustrações nos concorrentes. 
Por fim, uma das grandes contribuições do esporte no ambiente escolar diz
respeito à saúde das crianças e jovens deste século. Todo mundo sabe que com as
tecnologias disponíveis hoje em dia, a maioria das crianças deixam de lado a fase
do brincar e do correr, para usarem, desde muito cedo, os dispositivos móveis.
Dessa forma, a escola mais uma vez tem a importante função de apresentar a
prática de esportes para as crianças, incentivando-as a criar o hábito do exercício.
Quando uma criança tem uma experiência boa com uma atividade, com certeza, ela
irá querer realizá-la com maior frequência. Por isso, a escola deve ser o ambiente a
13

proporcionar essas experiências. 


Com todas essas habilidades adquiridas pelo esporte, a consequência é que
se tenha estudantes mais concentrados e mais preparados, o que facilita a
aprendizagem e o bom desempenho nas demais disciplinas.
14

REFERÊNCIAS

CARLAN, Paulo; KUNZ, Elenor. FENSTERSEIFER, Paulo Evaldo. O esporte como


conteúdo da Educação Física escolar: estudo de caso de uma prática
pedagógica "inovadora”. Disponível em:
https://seer.ufrgs.br/Movimento/article/view/29643/23448. Acesso em: 09 ago. 2021.

DIANA, Juliana. Sistema Muscular. Toda Matéria. Disponível em:


< https://www.todamateria.com.br/sistema-muscular/ >. Acesso em: 09 ago.
2021.

GONZALÉZ, Fernando Jaime. Projeto Curricular e educação física: o esporte


como conteúdo escolar. Disponível em:
<https://www.researchgate.net/publication/316663210_Projeto_curricular_e_educaca
o_fisica_o_esporte_como_conteudo_escolar>. Acesso em 09 ago. 2021.

KUNZ, Elenor. Educação física: ensino & mudanças. Ijuí, RS: Ed. da Unijuí, 1991.

______. Transformação didático-pedagógica do esporte. Ijuí, RS: Ed. da Unijuí,


2001.

SOUZA JUNIOR, M. (Org.). Educação Física Escolar. Recife: 2005, v. 1.


CASTELLANI FILHO, L. Política educacional e Educação Física. Campinas: Autores
Associados, 1998.

STAKE, R. E. A arte da investigação com estudo de caso. Lisboa, Portugal: Calouste


Gulbenkian, 2009.

SOUZA JÚNIOR, M. O saber e o fazer pedagógicos da educação física na


cultura escolar: o que é um componente curricular. In: CAPARROZ, F. E. (Org.).
Educação Física Escolar: política, educação e intervenção. Vitória: Proteoria, 2001.

Você também pode gostar