Você está na página 1de 4

12%Título:

Curso:
Disciplina:
Módulo:
Tipo:

Atividade Avaliativa-Alunos Com Deficiência Visual


+Educação Especial Inclusiva (4)
Alunos com Deficiência Visual
Módulo 4
AA

  1)  Como eram vistas as pessoas com cegueira e baixa visão na antiguidade?


Inábeis, anormais, deformadas, mal constituídas.
Capazes, rotuladas, diferentes, bem constituídas.
Fortes, serenas, com dons especiais, talentosas.
Frágeis, normais, protegidas, mal constituídas.

  2)  

Com o avanço das ciências e do conhecimento científico, a sociedade destacou


algumas pessoas cegas, por meio de suas contribuições nas diferentes áreas do
conhecimento. As pessoas que ganharam relevância foram:

Ray Charles, Helen Keller e Dorina Nowill.


 Nicholas Saunderson, Homero e Andrea Bocelli.
Homero, Nicholas Saunderson e François Huber.
Dorina Nowill, Homero e François Huber.

  3)  

José Álvarez de Azevedo, nascido cego e com grande vivacidade e inteligência


precoce, foi estudar na França (Paris) no Instituto Real dos Jovens Cegos. Ao
concluir seus estudos, retornou ao Brasil para difundir o Sistema Braille. Para isso
corroborou com a fundação do Instituto dos Meninos Cegos (1854). Hoje esse
Instituto é conhecido por:

Fundação Dorina Nowill.


 Instituto Laramara.
Instituto de Cegos do Brasil Central.
Instituto Benjamin Constant.
  4)  

Há vários e diferentes mitos sobre as pessoas com cegueira. Os mitos são criados
no imaginário social. Como isso se dá?

Por meio fatos cientificamente explicados, falta de valores, atitudes e egoísmo.


Por meio de crenças que limitam a falta de conhecimento das peculiaridades da
cegueira e suas reais consequências.
Por meio fatos reais, os quais levam a acreditar que essas pessoas são incapazes.
Por meio de crenças que impulsionam a ciência e o mercado de trabalho a acreditar
que a cegueira pode ocorrer de fato.

  5)  

Sabemos que há dois tipos de cegueira. Uma que ocorre no nascimento ou nos
primeiros anos de vida e outra que podemos adquirir ao longo da vida. Quais são as
causas mais frequentes da cegueira congênita?

Retinopatia da prematuridade, catarata, glaucoma e a atrofia do nervo óptico.


Glaucoma, catarata, toxoplasmose e prematuridade.
 Prematuridade, rubéola e infecção na íris.
Catarata, glaucoma e a atrofia do nervo óptico.

  6)  

Para a Sociedade Brasileira de Visão Subnormal (também citada como baixa visão),
uma pessoa com baixa visão é aquela que:

  Possui 10 graus de miopia em ambos os olhos.


Possui um comprometimento de seu funcionamento visual e tem uma acuidade visual
inferior a 20/60, ou seja, de 0,3 e 0,05 no olho de melhor visão e com a melhor correção
óptica.
Possui perda de visão em apenas um olho.
Possui um comprometimento de seu funcionamento visual e tem uma acuidade visual
inferior a 20/60, ou seja, de 0,3 e 0,05 em ambos os olhos.

  7)  
O campo visual é o mapeamento e a mensuração da amplitude e a abrangência do
ângulo da visão em que os objetos são focalizados a partir de um ponto de fixação.
Isso pode comprometer a:

Visão central ou periférica.


Visão central ou nervo óptico.
Visão periférica ou retina.
Visão nebulosa ou periférica.

  8)  

É necessário avaliar funcionalmente a visão, principalmente as pessoas com baixa


visão. Quais são os principais mediadores dessa avaliação?

Oftalmologista e pediatra.
 Família e ortoptista.
Professores e família.
Ortoptista e pediatra.

  9)  

Quais são os aspectos legais que fundamentam o Atendimento Educacional


Especializado - AEE?

Resolução CNE/CEB nº 4/2009 e Portaria Interministerial nº 11/2009.


Decreto nº 7.611/2011 e Decreto nº 5.296/2004.
Resolução CNE/CEB nº 4/2009 e Decreto nº 7.611/2011.
Decreto nº 5.296/2004 e Portaria Interministerial nº 11/2009. 

  10)  

Para Alves (2006), o Atendimento Educacional Especializado - AEE é uma ação do


sistema de ensino no sentido de acolher a diversidade ao longo do processo
educativo, constituindo-se num serviço disponibilizado pela escola para oferecer:

Suporte e apoio à educação regular.


Reforço escolar.
Serviços e recursos.
Aulas de na área técnica.

Você também pode gostar