Você está na página 1de 3

A ANSIEDADE NOS NOSSOS DIAS

Não é novidade para ninguém o fato de


estarmos vivendo em um mundo onde cada vez
mais as pessoas estão sofrendo com problemas
de ansiedade e depressão. O que ainda precisa
ser compreendido é o quanto nosso estilo de
vida tem nos feito adoecer, vivemos sob muita
pressão e cobranças, corremos de um lado para o
outro tentando acompanhar o ritmo das mudanças
constantes na sociedade.
Estamos o tempo todo recebendo novas informações de todos os lados, temos que estar
sempre atentos às notícias que surgem diariamente sobre diferentes tipos de assuntos,
são novos golpes, novas doenças, mudanças na previdência, mudanças na política e
tantas outras novidades. Além disso, temos a preocupação de escolher o melhor tipo de
dieta, o melhor esporte, a melhor faculdade e também temos que entender de política, de
vida fitness, de futebol e ainda de temos que lembrar de registrar toda nossa vida nas
redes sociais… ah, e de saber o que os outros estão fazendo.

Estamos sempre ocupados e desempenhando tantos papéis que não temos tempo
para mais nada, nem mesmo para pensar nos nossos muitos
problemas. Inconscientemente, muitas vezes, fugimos para o shopping, para a televisão
ou para internet, fugimos sim, de nós mesmos, de resolvermos dentro de nós as questões
que fingimos não existir.
E é impressionante a quantidade de opções que temos para preencher o nosso tempo,
quantas opções de trabalho, de esportes, de comida, de roupa, de celulares,
frequentemente nos sentimos perdidos, queremos fazer tudo ao mesmo tempo, e cada
escolha envolve uma renúncia. E ficamos com aquela sensação de que poderíamos ter
escolhido melhor.

A questão é que tudo na vida passa, e o que é novidade logo deixa de ser, não demora
muito surge um esporte novo, um curso novo, um celular novo, etc., e lá vamos nós
atrás daquela sensação passageira de felicidade. Empenhamos todos os nossos esforços
e tempo em coisas que nos preenchem por tão pouco tempo.

Pessoas ansiosas e depressivas não possuem tempo para cuidar de si mesmo, estão
com os dias lotados de tarefas e compromissos que elas não conseguem dar conta,
fazendo coisas que não gostam, mas fazem porque acreditam que precisam fazer.
Estamos em constante correria, sob a pressão de termos que dar conta de tanta coisa e
toda essa pressão gera ansiedade e muitas pessoas não sabem como lidar com ela,
muitas se afundam em vícios ou desenvolvem comportamentos compulsivos.

É importante refletirmos sobre o estilo de vida que temos levado. Porque fazemos
as escolhas que fazemos? O que realmente estamos buscando? Porque precisamos
de tanto? Todo excesso é prejudicial. Quando nos falta o equilíbrio, adoecemos, e
tudo passa a perder o significado. Viver tentando atender às exigências desse
mundo é um trabalho árduo demais que muitos pagam com a vida. Enquanto nosso
objetivo for buscar a perfeição estaremos sempre nos frustrando, mas se entendermos
que a vida é só uma e que não conseguiremos ter e ser tudo, sobrará espaço para sermos
apenas o melhor que podemos, competindo conosco mesmos na busca da mudança e
crescimento pessoal que consequentemente influenciará o mundo à nossa volta.

QUANDO A ANSIEDADE É O INIMIGO

Todos nós já passamos pela experiência de nos sentirmos ansiosos, afinal essa é uma
condição inerente a todo ser humano. Quem nunca ficou ansioso ao conhecer uma
pessoa importante, ao começar um novo emprego, ao ter que falar em público ou ao
viajar para um lugar desconhecido, por exemplo? São muitas as experiências que podem
provocar ansiedade, ninguém está livre dela.

Na medida certa a ansiedade é importante em nossas vidas, pois ela nos alerta de
perigos, e também ajuda a nos prepararmos melhor para situações em que precisamos
ter um bom desempenho. Imagine viver sem a ansiedade, como seria? Ficaríamos
expostos a todo tipo de ameaça, correríamos todo tipo de risco, e isso porque não
teríamos aquele “alarme” piscando toda vez que estivéssemos frente a um perigo.

O problema é que atualmente a ansiedade tem se tornado um inimigo a ser combatido, é


cada vez maior o número de pessoas acometidas por transtornos ansiosos, o que faz
destes os tipos de transtornos mais comuns dentre os transtornos mentais. Sem falar na
crescente venda de medicamentos ansiolíticos e na grande procura por técnicas de
meditação, técnicas de relaxamento, psicoterapia, entre outros meios que ajudem no
controle da ansiedade.

É claro que a ansiedade sempre existiu. Na época de nossos antepassados primitivos ela
era essencial para a sobrevivência, nesses tempos os mecanismos mentais e físicos da
ansiedade preparavam os homens da forma ideal para que conseguissem escapar de
grandes perigos. Contudo, essa resposta “exagerada” ao medo permanece em nós até os
dias de hoje, fazendo com que, muitas vezes, respondamos de forma inadequada àquilo
que interpretamos como ameaçador. Inadequada porque em nossa civilização atual não
enfrentamos os mesmos perigos que nossos antepassados enfrentavam, ou seja, não
temos que lutar ou nos preparar para fugir de animais selvagens como antigamente.

Atualmente os problemas com a ansiedade refletem a correria dos nossos dias, vivemos
com pressa e atolados de compromissos, o tempo está cada vez mais curto para darmos
conta de tantas tarefas, parece que não temos mais controle sobre as coisas. Em
consequência de tamanho esforço para lidar com tantos desafios cotidianos o equilíbrio
emocional acaba sendo afetado, gerando angústia e tristeza.
O importante é perceber quando a ansiedade estiver em um nível que comece a
prejudicar a vida. Se chegar ao ponto em que já esteja afetando negativamente áreas
importantes, busque ajuda, tentar esconder o problema só o torna maior. Busque se
informar, pois quanto mais conhecimento sobre o assunto, mais você saberá lidar com
ela.

Outro ponto importante é se engajar no tratamento. Você tem que querer melhorar, caso
contrário, nada mudará. Por fim, busque o apoio das pessoas com quem você pode
contar! Ninguém consegue nada sozinho.

É preciso aprender a conviver de forma equilibrada com a ansiedade, ela é importante


em nossas vidas. Se quisermos viver uma vida mais tranquila, temos que encarar nossos
medos, conhecê-los, bem como conhecer nossa capacidade de enfrenta-los. Há potencial
em nós que pode nos fazer superar os momentos mais difíceis que tivermos que
enfrentar. Esse é um caminho de autoconhecimento, de modificação de crenças e de
mudanças de comportamentos pelo qual todos deveriam passar, porque afinal, o medo
começa dentro de nós.

Neiva Reis - Psicóloga-CRP: 05/47292


Especialista em:
- Terapia Cognitivo Comportamental;
- Neurociências;
- Terapia do Esquema.

Você também pode gostar