Você está na página 1de 15

PRESCRIÇÃO

FARMACÊUTICA
MÁRCIA E VANGE LISTA BORGE S
VANE SSA E IDE LV E IS PICKLE R
HISTÓRIA
➢ Surgiu com o intuito de expandir para o farmacêutico o cuidado
com o paciente
➢ Novo modelo de prescrição
➢ Pratica multiprofissional
➢ De acordo com as necessidades de cuidado do paciente e com os
limites de atuação de cada profissional
➢ Melhorando o acesso do paciente a saúde
➢ Controle de gastos
➢ Obtenção de melhores resultados terapêuticos
ATUAÇÃO DO FARMACÊUTICO
➢ Prescrever medicamentos definidos em programas de saúde no
âmbito do sistema público, em rotinas de instituição ou conforme
protocolos clínicos e diretrizes terapêuticas pré-estabelecidas

➢Tal concepção da prescrição farmacêutica está fragmentada na


legislação vigente
Conselho Federal de Farmácia
➢ Ao regular a prescrição farmacêutica, tenta aumentar a integração
do farmacêutico com as demais áreas da saúde
➢ Zelar pelo bem estar do paciente
➢ Valorizar a formação científica e ética do farmacêutico.
Conselho Regional de Farmácia
➢ Usando as atribuições previstas em várias leis, resolve ampliar a
atuação para a prescrição farmacêutica
➢ Lei Federal nº3.820, de 11 de novembro de 1960
➢ RDC Anvisa nº 44, de 17 de agosto de 2009
A PRESCRIÇÃO FARMACÊUTICA
➢ Seleção e documentação de terapias farmacológicas e não
farmacológicas
➢ Outras ações que visam a cuidar da saúde
➢ Medicamentos e outros produtos com finalidade terapêutica, que
não precise de prescrição medica
➢ Habilidades clinicas
➢ Farmacêutico precisa estra vinculado a uma instituição
farmacêutica junto ao CRF de sua jurisdição
* medicamentos que exigem prescrição médica
Forma da prescrição
➢ Escrita por extenso
➢ Legível
➢ Observando a nomenclatura e o sistema de pesos e medidas
oficiais
➢ Sem emenda ou rasuras
➢ Identificação do estabelecimento farmacêutico, consultório ou
serviço de saúde
➢ Nome completo e contato do paciente
➢ Descrição da terapia farmacológica que inclua:
▪ nome do medicamento ou formulação
▪ concentração, forma farmacêutica e via de administração
▪ dose
▪ frequência de administração e duração do tratamento
▪ se necessário instruções adicionais
▪ descrição da terapia não farmacológica ou da intervenção
▪ nome completo do farmacêutico, assinatura e o numero do
registro no Conselho Regional de Farmácia
▪ local e data da prescrição
EM CASO DE ERRO
➢ Caso ocorra do farmacêutico prescrever além do necessário, ele
esta sujeito a enquadramento segundo o código de ética, com
penalidade prevista na resolução do CFF nº 461/07 de advertência,
multa ou suspenção da atividade profissional por 12 meses
MEDICAMENTOS LIBERADOS SEGUNDO
A RDC Nº 138
➢ Antiacneicos tópicos e adstringentes, com restrição para retinóides
➢ Antiácidos, antieméticos, eupépticos, enzimas digestivas
➢ Antibacterianos tópicos
➢ Antidiarreicos (com restrição para Loperamida infantil, Opiáceos)
➢ Antiespasmódicos (com restrição para mebeverina)
➢ Anti-histamínicos (com restrição para adrenérgicos, corticoides)
➢ Anti-seborréicos
MEDICAMENTOS LIBERADOS SEGUNDO
A RDC Nº 138
➢ Antissépticos orais, antissépticos buco-faríngeos
➢ Antissépticos nasais, fluidificantes nasais, umectantes nasais
➢ Antissépticos oculares (com restrições para adrenérgicos e corticoides)
➢ Antissépticos de pele e mucosas
➢ Antissépticos urinários
➢ Antissépticos vaginais tópicos
➢ Aminoácidos, vitaminas e minerais
MEDICAMENTOS LIBERADOS SEGUNDO
A RDC Nº 138
➢ Anti-inflamatórios
➢ Antiflebites
➢ Antifiséticos, antiflatulentos, carminativos
➢ Antifúngicos, antimicóticos
➢ Anti-hemorroidários
➢ Antiparasitários orais, anti-helmínticos
➢ Antiparasitários tópicos, escabicidas, ectoparasiticidas
MEDICAMENTOS LIBERADOS SEGUNDO
A RDC Nº 138
➢ Antitabágicos, com restrição para Bupropiona
➢ Analgésicos, antitérmicos, antipiréticos
➢ Ceratolíticos
➢ Cicatrizantes
➢ Colagogos, coleréticos
➢ Descongestionantes nasais tópicos, com restrição para vasoconstritores
➢ Descongestionantes nasais sistêmicos
MEDICAMENTOS LIBERADOS SEGUNDO
A RDC Nº 138
➢ Emolientes e lubrificantes cutâneos e de mucosas
➢ Emolientes, lubrificantes e adstringentes oculares
➢ Expectorantes, balsâmicos, mucolíticos, sedativos da tosse
➢ Laxantes, catárticos
➢ Rehidratante oral
➢ Relaxantes musculares
➢Rubefacientes
➢ Tônicos orais
O PROCESSO DE PRESCRISSÃO É
CONTITUÍDO DE 6 ETAPAS:
1) Identificação das necessidades do paciente relacionadas a saúde
2) Definição do objetivo terapêutico
3) Seleção da terapia ou intervenção relacionada ao cuidado da saúde,
baseando-se na sua eficácia, custo e conveniência
4) Redação da prescrição
5) Avaliação dos resultados * Com completa proibição o uso
da prescrição farmacêutica como
6) Documentação do processo de prescrição meio de propaganda e
publicidade.

Você também pode gostar