Você está na página 1de 7

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto


Departamento de Música

COLABORAÇÃO PIANÍSTICA PARA CANTORES:


Uma prática visando o aprendizado conjunto dos alunos de canto
e piano

Profa. Dra. Maria Yuka de Almeida Prado


Profa. Dra. Fátima Graça Monteiro Corvisier

Projeto para o Programa


Unificado de Bolsas
(PUB 2021-2022)
Vertente: Ensino de
Graduação

Ribeirão Preto – SP

2021
1)Resumo:

O cantor, em raras ocasiões, apresenta-se “a capella”, normalmente acompanhado


de orquestras, formações camerísticas com vários instrumentos, ou um instrumento tal
como violão, mas principalmente, o piano. A colaboração pianística acompanha o cantor
desde o início do seu aprendizado até a mais amadurecida etapa da sua carreira. Para o
pianista, essa colaboração é essencial para a sua formação musical. Entretanto, esta
relação cantor e pianista ainda é muito pouco explorada pelos alunos tanto em ambientes
universitários quanto em escolas/conservatórios de música, e os materiais para estudos e
pesquisas são escassos. Portanto, este trabalho estará baseado na prática conjunta do aluno
de canto e piano e na revisão bibliográfica da colaboração pianística para cantores, com
a finalidade de reunir informações e repertório musical específico acerca dos problemas
que são enfrentados nessa prática, possíveis formas de estudo para um melhor
desempenho dessa função tanto por parte do cantor quanto do pianista, e apresentar quais
os benefícios que a colaboração traz para o cantor e para o pianista em formação.
Palavras-chave: Colaboração pianística; colaboração pianística para cantores; prática
camerística; interpretação musical; leitura à primeira vista.

2) Introdução

A profissão e o trabalho do pianista colaborador têm crescido de forma acelerada,

como aponta BRAAKSMA (2020, p.15). Este colaborador passou de profissional

desvalorizado a altamente aclamado, atualmente. Contudo, por se tratar de algo recente,

o grande desafio é como conseguir desenvolver essa prática de forma eficaz, visto que

tanto em conservatórios quanto em universidades, a colaboração ainda é muito pouco

explorada, gerando várias lacunas quando se torna atividade obrigatória para os alunos.

Outro fator que torna essencial essa modalidade de atuação diz respeito ao quão

dependente o cantor é de um pianista colaborador, já que pouco de seu repertório é

realmente “a capella”, o que é corroborado por Xinyu, quando diz (2019, p. 2, tradução

do autor): “Caso você queira interpretar uma música vocal perfeitamente, você precisa

não apenas de um canto perfeito, mas também de um acompanhamento pianístico

perfeito.”

SOUSA (2016) aponta diversas competências necessárias na colaboração como a

habilidade motora, a técnica instrumental, habilidade motora ocular, que se remete à


velocidade dos olhos em depreender os diversos elementos presentes na partitura, visão

periférica, compreensão e entendimento da leitura, entre vários outros assuntos que serão

explorados nesse trabalho em aula e que englobam diversos detalhes na colaboração ao

piano.

Visando preencher esta lacuna, foi criado recentemente em nosso Departamento,

a disciplina “Colaboração Pianística para Cantores” ministradas pelas Profas. Dras.

Fátima Graça Monteiro Corvisier (piano) e Maria Yuka de Almeida Prado (canto).

Por essas razões, os aspectos e competências necessárias a serem trabalhados na

colaboração pianística para cantores, que não se limitam apenas em possuir uma adequada

leitura à primeira vista, mas também uma profunda conexão entre ambas as partes para

que haja uma compreensão de um repertório, torna-se imprescindível neste momento.

3) Objetivo

O objetivo desse projeto é, através da enumeração dos principais desafios

envolvidos na prática de colaboração pianística para cantores, encontrar formas de estudo

e aplicação de soluções desses desafios trabalhados na disciplina Colaboração Pianística.

Com isso, encontrar meios que possibilitem maior desenvoltura, segurança, confiança e

eficiência nas aulas e em situações de performance. Finalmente, pretende-se apresentar

os benefícios que a colaboração gera para tanto para o aluno de piano como para o aluno

de canto.

4) Justificativa

A prática da colaboração pianística para cantores em ambiente universitário ainda

é pouco explorada. Entretanto, trata-se de uma atividade primordial para o crescimento


dos alunos de piano e canto. O aluno de canto não faz música sem um instrumento que

colabore com ele todo o tempo, sendo assim, o cantor é totalmente dependente do pianista.

São raras as obras “a capella” no repertório de canto. O aluno de piano, por sua vez,

necessita de uma vivência compartilhada para enriquecer seu fazer camerístico junto ao

cantor. Assim, a colaboração de ambos é fundamental para o desenvolvimento e

amadurecimento musical.

Busca-se com esse trabalho, elencar repertório, métodos de estudo e soluções de

problemas, fundamentais para aprimorar a disciplina “Colaboração Pianística para

Cantores” ministradas pelas professoras acima citadas. Trata-se de uma dimensão

interdisciplinar dentro da música, essencial para a excelência na formação dos músicos.

5) Metodologia:

A etapa inicial será uma revisão literária sobre as competências necessárias para

prática dessa atividade de performance, busca de soluções para os problemas principais

dessa prática e estratégias de estudo desses problemas. Para isso, o material a ser utilizado

será a leitura de autores como: (BINDEL, 2013), (KATZ, 2009), (MUNDIM, 2009),

(SOUSA, 2016), (RISARTO & LIMA 2010), (SLOBODA, 1998), (LEHMANN &

McARTHUR, 2002). Estes autores servirão de base para o bolsista, o qual durante o

projeto, além da revisão bibliográfica, será responsável pela colaboração de ao menos

dois alunos de graduação: um que está iniciando seus estudos na universidade e outro que

já possui uma bagagem do curso e está em seu último ano, preparando-se para o Recital

Final.

Durante todo esse período, o aluno pianista bolsista estará presente semanalmente

nas aulas de canto de ambos os alunos, e será responsável pelo envio de gravações à

primeira vista de, ao menos, duas peças que serão escolhidas pela docente de piano para
serem enviadas. A prática da colaboração pianística será exercida durante as aulas de

canto com o aluno e a professora de canto, e ao mesmo tempo, sob a supervisão da

professora de piano.

6) Resultados esperados

Com os resultados desse trabalho, estima-se um reconhecimento do quão

importante é essa atividade de performance para os pianistas, que, em geral, têm o foco

de seus estudo no repertório solo.

Espera-se ainda que o aluno pianista consiga um melhor desempenho em sua

leitura à primeira vista, e mostre também um domínio da colaboração, possibilitando

assim maior conhecimento e compreensão de repertório, melhor adaptação a situações

adversas e o preenchimento das diversas lacunas que a atividade de colaboração possui

em suas competências necessárias. Ainda se espera que tanto o aluno de piano como o

aluno de canto compreendam em detalhes os impasses ocorridos durante a prática de

colaboração, assim como as formas de trabalhar e praticar de maneira mais eficiente e,

consequentemente, analisar os benefícios que foram adquiridos durante o processo.

Pretende-se ao final, ampliar o material utilizado e as práticas de estudo utilizadas

na disciplina de Colaboração Pianística.


7) Cronograma

O cronograma será apresentado em seis etapas ilustradas na tabela abaixo:

a) Presença semanal nas aulas de colaboração e gravação das obras à primeira vista.

b) Revisão literária, estudo do repertório, busca por soluções para os problemas

encontrados.

c) Fichamento analisando as gravações, aulas e resultados obtidos na revisão literária,

nas estratégias de estudo e soluções de problemas encontrados durante o processo.

d) Redação do relatório final com todos os resultados obtidos durante o processo.

e) Revisão e entrega do relatório final.

Meses
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12
a
b

e
7) Referências
BINDEL, Jennifer. The collaborative pianist and Body Mapping: A guide to healthy
body use for pianists and their musical partners. Arizona State University, 2013.
BRAAKSMA, Jenna. Versatility at the Piano: Developing the Undergraduate
Collaborative Pianist. Tese de Doutorado. The Florida State University, 2020.
KATZ, Martin. The complete collaborator: The pianist as partner. Oxford
University Press, 2009.
LEHMANN, Andreas C.; MCARTHUR, Victoria. “Sight-reading.” In: The science
and psychology of music performance, p. 135-150, 2002.
MUNDIM, Adriana Abid. O pianista colaborador: a formação e atuação
performática no acompanhamento de flauta transversal. 2009. 135 f. Dissertação
(Mestrado em performance Musical) – Escola de Música, Universidade Federal de
Minas Gerais, Belo Horizonte, 2009.
RISARTO, Maria Elisa Ferreira. A leitura à primeira vista e o ensino de piano.
Dissertação (Mestrado em Música) – Universidade Estadual Paulista, Instituto de Artes.
São Paulo, 2010.
RISARTO, Maria Elisa; LIMA, Sonia Regina Albano de. “O método de leitura à
primeira vista ao piano de Wilhelm Keilmann e sua fundamentação teórica.” Opus,
Goiânia, v. 16, n. 2, p. 39-60, dez. 2010.
SILVA, Cinthia Ruivo; BARROS, Guilherme Sauerbronn. “O pianista colaborador:
um estudo no contexto da UDESC, em Florianópolis.” In: DAPesquisa, v. 9, n. 12,
p. 119-135, 2014.

SLOBODA, John A. et al. “Determinants of finger choice in piano sight-reading.”


In: Journal of experimental psychology: Human perception and performance, v. 24, n.
1, p. 185, 1998.
SLOBODA, Jonh. A mente musical: a psicologia cognitiva da música, trad. Beatriz
Ilari e Rodolfo Ilari. Londrina: Eduel, 2008.
SOUSA, Luciana Mittelstedt Leal de. Interações entre o pianista colaborador e o
cantor erudito: habilidades, competências e aspectos psicológicos. Dissertação
(Mestrado), Universidade de Brasília, Departamento de Música, 2016.
SPILLMAN, Robert. The Art of Accompanying: master lessons from the repertoire.
New York: Schirmer Books, 1985.
XINYU, Chen. Research on the Role of Piano Accompaniment in Vocal Music
Singing. Proceedings of the International Conference on Arts, Management, Education
and Innovation (ICAMEI 2019), Seul, Coreia do Sul, 2019.

Você também pode gostar