Você está na página 1de 3

A ORIGEM EVOLUTIVA DO ANO LITÚRGICO

O Domingo é o único elemento do Ano Litúrgico que é certamente


de origem apostólica. A celebração da Eucaristia ao Domingo para celebrar a
Páscoa foi o núcleo primitivo do Ano Litúrgico. Podemos comprová-lo com
muitos documentos:
a) É a “fracção do pão no primeiro dia da semana”, de que falam os Actos
dos Apóstolos 20,7
b) A Igreja apostólica escolheu o “primeiro dia” dos judeus – chamado dia
“do sol” pelos romanos para a sua assembleia eucarística, porque é o
“dia da ressurreição” ou então o “dia do Senhor” (Ap 1, 10)
c) Todos os evangelistas são unânimes em sublinhar “o primeiro dia da
semana” como dia da ressurreição do Senhor (cfr. Mt 28, 1; Mc 16; Lc
24, 1; Jo 20, 1).

Portanto, o Ano Litúrgico começou com o “ritmo semanal” da


celebração da Páscoa do Senhor; e o dia da semana escolhido foi o Domingo.

Não há Domingo sem Eucaristia, porque é a Eucaristia que faz do


Domingo o dia do Senhor. Para o Apocalipse – o livro mais litúrgico do NT – o
Domingo é um “dia senhorial”, pois com ele reconhecemos jubilosamente o
“senhorio” ou a soberania de Cristo sobre o universo como Senhor da História,
que foi constituído em dono da vida e da morte pela ressurreição.

À celebração da Eucaristia foi acrescentado o “descanso – repouso”,


primeiro por lei civil de Constantino, que se tornou depois lei eclesiástica.
Razão: abandonar as “actividades laborais” para viver a “gratuidade da vida” é
uma componente fundamental da festa. Toda a simbologia do Domingo é
pascal!

Guiada pelo regresso às fontes, a reforma e revisão do Ano


Litúrgico sublinhou a importância da celebração semanal da Páscoa no dia
denominado “dia do Senhor” ou Domingo (cfr. SC 106). Os Domingos estão
classificados ritualmente em:
a) “Domingos do tempo comum”, que celebram o conjunto do mistério
pascal; e
b) Domingos da Páscoa e do Natal, que formam os dois grandes ciclos
festivos, com os respectivos Domingos da Quaresma e do Advento, que
os preparam. Estes têm prioridade sobre qualquer festividade.

Com a Instituição da celebração anual da Festa da PÁSCOA (séc. II)


começou propriamente a organização do Ano Litúrgico. Foi surgindo,
progressivamente: um tempo de preparação, que deu origem à Quaresma; um
tempo de prolongamento, que se chamou, primeiro, “Pentecostes” e depois,
“Tempo Pascal”.

Por influência de uma multiplicidade de factos históricos, surgiu


depois o Ciclo do NATAL, estruturado à semelhança do Ciclo da Páscoa:
preparado pelo Advento e prolongado pela Sagrada Família, Epifania e
Baptismo.
Origem do Ano Litúrgico

CELEBRAÇÃO SEMANAL CELEBRAÇÃO ANUAL CELEBRAÇÃO DO NATAL


DA PÁSCOA DA PÁSCOA

Eucaristia No
Domingo Simbolização Advento Natal
dia do Senhor pascal Quaresma Cinquentena Epifania
pascal Baptismo

Você também pode gostar