Você está na página 1de 104

Manual de atos oficiais administrativos do

Supremo Tribunal Federal


Manual de atos oficiais administrativos do

Supremo Tribunal Federal

Brasília
2020
Secretaria-Geral da Presidência
Daiane Nogueira de Lira

Diretoria-Geral
Eduardo Silva Toledo

Secretaria de Documentação
Naiara Cabeleira de Araújo Pichler

Projeto gráfico, capa e diagramação: Eduardo Franco Dias e Roberto Hara Watanabe

Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP)


(Supremo Tribunal Federal – Biblioteca Ministro Victor Nunes Leal)

Brasil. Supremo Tribunal Federal (STF).


Manual de atos oficiais administrativos do Supremo Tribunal Fede-
ral [versão eletrônica] / Supremo Tribunal Federal. -- Brasília : STF,
Secretaria de Documentação, 2020.
104 p.

Modo de acesso: <http://intranet/atos/manualAO.pdf>

ISBN : 978-65-990124-2-6.

1. Redação oficial. 2. Atos oficiais. Legislação Administrativa –


Supremo Tribunal Federal. 3. Instrução Normativa 191/2015. I.
Título.

CDDir 469.5
SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL

Ministro José Antonio DIAS TOFFOLI, Presidente (23-10-2009)


Ministro LUIZ FUX , Vice‑Presidente (3-3-2011)
Ministro José CELSO DE MELLO Filho, Decano (17-8-1989)
Ministro MARCO AURÉLIO Mendes de Farias Mello (13-6-1990)
Ministro GILMAR Ferreira MENDES (20-6-2002)
Ministro Enrique RICARDO LEWANDOWSKI (16-3-2006)
Ministra CÁRMEN LÚCIA Antunes Rocha (21-6-2006)
Ministra ROSA Maria Pires WEBER (19-12-2011)
Ministro Luís ROBERTO BARROSO (26-6-2013)
Ministro Luiz EDSON FACHIN (16-6-2015)
Ministro ALEXANDRE DE MORAES (22-3-2017)
Apresentação
O Supremo Tribunal Federal, visando à comunicação eficiente e à documentação uniformi-
zada, publica a segunda edição do Manual de Atos Oficiais Administrativos.
A obra busca auxiliar o consulente na elaboração de textos consoante os preceitos da redação
oficial e a norma-padrão da língua portuguesa. Pretende, ainda, orientar os usuários acerca
da estrutura dos diferentes documentos oficiais, para que sejam concebidos em conformi-
dade a critérios específicos.
Além do apoio linguístico e da orientação sobre a apresentação dos textos oficiais, este
trabalho também compõe o tema “Processo Administrativo”, que obedece à disciplina esta-
belecida na Instrução Normativa nº 191/2015 deste Tribunal. A prática dos procedimentos
definidos por essa norma refletirá, por certo, na agilidade dos atos e das decisões adminis-
trativas, essenciais ao complexo de atividades que dão suporte ao Supremo Tribunal para o
cumprimento das suas atribuições institucionais.
Espera-se que este manual, elaborado com fundamento em bibliografia técnico-especiali-
zada, dinamize os trabalhos desenvolvidos por esta Casa. Esta obra, certamente, não exaure
os assuntos aqui abordados e, por esse motivo, declara-se aberto o espaço para contribuições
ao seu aprimoramento.
Brasília, abril de 2020.
Secretaria de Documentação
Sumário
1. Redação oficial 9
1.1 Clareza e precisão 10
1.1.1 Clareza 10
1.1.2 Precisão 11
1.2 Concisão 13
1.3 Formalidade e padronização 16
1.4 Impessoalidade 17
1.5 Objetividade 18
1.6 Simplicidade 21

2. Elementos 22
2.1 Pronomes de tratamento 23
2.1.1 Concordância com os pronomes de tratamento 26
2.1.2 Grafia 28
2.1.3 Tratamento e variações pronominais 29
2.1.4 Formas de tratamento obsoletas 29
2.2 Vocativo 30
2.3 Fechos para comunicações 32
2.4 Identificação do signatário 33
2.4.1 Cargos interino e substituto 34
2.4.2 Grafia de cargos compostos 35
2.5 Cabeçalho 38
2.6 Identificação do expediente 38
2.7 Local e data do documento 39

3. Atos oficiais administrativos 40


3.1 Tipos de documentos 42
3.2 Documentos oficiais 44
3.2.1 Ata 44
3.2.2 Atestado 46
3.2.3 Ato regulamentar 48
3.2.4 Certidão 50
3.2.5 Comunicado 52
3.2.6 Declaração 54
3.2.7 Despacho 56
3.2.8 Informação 58
3.2.9 Instrução normativa 60
3.2.10 Mensagem 62
3.2.11 Mensagem eletrônica (e-mail) 64
3.2.12 Ofício 66
3.2.13 Ordem de serviço 71
3.2.14 Portaria 73
3.2.15 Relatório 75
3.2.16 Requerimento 81
3.2.17 Resolução 83
3.3 Elementos acessórios 85
3.3.1 Anexos 85
3.3.2 Tabelas, gráficos, figuras e quadros 85

4. Informações complementares 87
4.1 Normatização do STF 88
4.1.1 Siglas dos registros processuais 88
4.1.2 Siglas das unidades 91
4.1.3 Numeração das seções de um documento 95
4.1.4 Remissão a texto legal 97

Referências bibliográficas 101


1. Redação oficial
A redação oficial é o modo como a administração pública se comunica tanto com o público
quanto com as instituições governamentais ou privadas, os órgãos e as entidades de qual-
quer um dos Poderes. Refere-se, portanto, à forma adotada pelo poder público para redigir
atos normativos e comunicações oficiais. A linguagem empregada na elaboração desses atos
e expedientes oficiais pauta-se pela variante padrão da língua portuguesa.
Para atingir seus objetivos, o texto oficial deve apresentar qualidades básicas de formulação
e estruturação, tais como: clareza, precisão, concisão, objetividade, uniformidade, coesão
e coerência. Além do uso da norma-padrão da língua portuguesa, os expedientes oficiais
precisam seguir os princípios inerentes à administração pública, entre os quais a legalidade,
a formalidade e a impessoalidade.

1.1 Clareza e precisão


1.1.1 Clareza

Consiste na habilidade de transpor ideias ou pensamentos para o papel com exatidão. Mais
que inteligível, o texto precisa ser claro de tal forma a impedir interpretação equivocada
pelo leitor. A compreensão do documento deve ser imediata. Para alcançar esse objetivo,
é importante redigir orações na ordem direta, evitar períodos muito longos e eliminar o
emprego excessivo de adjetivos. Além disso, deve-se excluir da escrita qualquer ambigui-
dade, obscuridade e rebuscamento. O texto claro pressupõe o uso de sintaxe correta e de
vocabulário ao alcance do leitor.

Recomendações

Releia o texto várias vezes após escrevê-lo, para garantir sua clareza.
 mpregue linguagem técnica apenas em situações que a exijam e tenha o cuidado de
E
explicitá-la em comunicações a outros órgãos não especializados ou em expedientes vol-
tados aos cidadãos.

Sumário 10
 ertifique-se de que as conjunções estabeleçam as relações sintáticas desejadas e evite o
C
uso excessivo de intercalações entre as orações subordinadas, pois períodos muito subdi-
vididos dificultam o entendimento.
 tilize palavras e expressões em outro idioma apenas quando indispensáveis, em razão
U
de serem designações ou expressões de uso já consagrado ou de não terem exata tradução.
Nesse caso, grafe-as em itálico.
Evite o uso de regionalismos e neologismos.
 evise o texto em busca de períodos compostos incompletos (sem a oração principal ou
R
sem a subordinada) ou pontuados indevidamente.
Uniformize o tempo verbal em todo o texto.
Escreva o significado da sigla por extenso na primeira ocorrência.

1.1.2 Precisão

Todo texto claro apresenta vocabulário preciso e adequado ao contexto. A precisão, por-
tanto, refere-se à escolha de termos que exprimam de forma específica a ideia a ser trans-
mitida. Falhas nesse quesito decorrem da impropriedade vocabular, ou seja, da inadequação
do termo escolhido ao gênero, ao destinatário ou à temática do texto. Também concorrem
para a imprecisão o uso de vocábulos genéricos e a confusão entre homônimos e parônimos.

Recomendações

 vite o emprego de sinônimos com o objetivo meramente estilístico, na tentativa de


E
apenas evitar repetições.
Certifique-se de que os parônimos e homônimos foram empregados com o sentido c­ orreto.

Sumário 11
 vite o emprego de substantivos abstratos que, por serem demasiado abrangentes, tornam
E
o texto vago e impreciso.
Releia o texto em busca de palavras ou expressões de duplo sentido ou ambíguas.
Certifique-se de escolher o termo que expressa exatamente a ideia a ser transmitida. Para
isso, evite o uso excessivo de verbos de sentido genérico empregados no lugar de outros
mais específicos, como “pôr”, “ter” e “fazer”.

Evite Prefira

O servidor dispõe de dez dias para elaborar o


O servidor tem dez dias para fazer o projeto. 
projeto. 

É necessário que se faça o ofício com urgência.  É necessário redigir o ofício com urgência. 

Sumário 12
1.2 Concisão

Consiste em informar o máximo em um mínimo de palavras. Expor o assunto de forma


concisa não significa reduzir a mensagem ao ponto de o texto se tornar lacônico e vago.
Devem ser eliminados apenas itens que nada acrescentam à informação, tais como adjeti-
vação excessiva e digressões.
A concisão colabora para a correção do texto, pois as possibilidades de erro aumentam na
mesma proporção que a quantidade de palavras. Mais que curtas e claras, as expressões
empregadas devem ser precisas. Para redigir um texto conciso, é fundamental ter conheci-
mento do assunto sobre o qual se escreve.

Recomendações

 evise o texto e retire palavras inúteis e adjetivos supérfluos, evite repetições desneces-
R
sárias de ideias e reescreva períodos extensos e emaranhados. Não acumule pormenores
irrelevantes.

Evite Prefira

Solicito os bons préstimos de Vossa Senhoria de


Solicito a Vossa Senhoria cópia do contrato. 
enviar cópia do contrato. 

Não hesite em ser direto quando necessário.

Evite Prefira

Seria bom redigir pelo menos dez linhas, por favor.  Redija, no mínimo, dez linhas. 

Sumário 13
Dispense, sempre que possível, os verbos auxiliares, em especial “ser”, “ter” e “haver”, pois
a recorrência constante a eles torna a redação monótona, cansativa.

Evite Prefira

A administração estará fazendo o recadastramento


A administração recadastrará os servidores e cole-
dos servidores e estará coletando as digitais para o
tará suas digitais para o novo sistema de identifi-
novo sistema de identificação, que será inaugurado
cação, a ser inaugurado no próximo mês. 
no próximo mês. 

Prefira palavras breves. Opte sempre por aquelas de menor extensão.

Evite Prefira

acima citado  citado 

acusamos o recebimento  recebemos 

como dissemos acima  como mencionado 

conforme segue relacionado  relacionado a seguir 

devido ao fato de que  por causa de 

no Estado de Pernambuco  em Pernambuco 

ocorrido no corrente mês  ocorrido neste mês 

Sumário 14
Evite usar artigos indefinidos, por exemplo, “um” e “uma”, pois transmitem a informação
de forma vaga e imprecisa.

Evite Prefira

A apresentação de defesa prévia não é uma exigên- A apresentação de defesa prévia não é exigência do
cia do princípio constitucional da ampla defesa.  princípio constitucional da ampla defesa. 

A lei garantiu uma tolerância quanto ao atraso no A lei garantiu tolerância quanto ao atraso no
trabalho.  trabalho. 

Sumário 15
1.3 Formalidade e padronização

A formalidade caracteriza-se pelo uso da norma-padrão da língua portuguesa, pela obser-


vância da civilidade e das formas de tratamento adequadas a cada destinatário, pela padro-
nização dos textos e pela diagramação uniforme das correspondências.
A elaboração de atos administrativos e comunicações oficiais deve seguir as normas grama-
ticais. A redação oficial não contempla linguagem coloquial, regionalismos nem modismos
vocabulares.
A uniformização da diagramação dos documentos oficiais e a clareza do texto são elemen-
tos indispensáveis à adequada transmissão da mensagem. Além disso, a adoção de papéis
padronizados, procedimentos e normas contribui para a comunicação transparente entre a
administração e a sociedade. Essas orientações são válidas tanto para os documentos ele-
trônicos (e-mails, documentos gerados no Sistema Eletrônico de Informações – SEI, html)
quanto para os impressos.

Recomendações

 tente para o correto emprego dos pronomes de tratamento e dos vocativos adequados
A
ao destinatário do texto.
Escolha o tipo de correspondência oficial apropriado ao destinatário e ao assunto.
 roque termos repetidos por outros de significação equivalente, desde que a substituição
T
não seja meramente estilística, com a utilização de vocabulário em desuso.
Consulte dicionários e gramáticas em caso de dúvida.
 bserve a disposição correta dos elementos na estrutura do documento e use o papel
O
adequado, quando necessário imprimir.
Acesse o SEI para a tramitação de atos administrativos internos.
Use sempre o tipo de expediente adequado à finalidade comunicativa.
Ajuste o padrão da correspondência ao exigido para o âmbito em que vai circular.
 mpregue as regras estabelecidas para cada tipo de documento a fim de simplificar e
E
uniformizar a comunicação.

Sumário 16
1.4 Impessoalidade

O assunto de um texto oficial está sempre relacionado às atividades do órgão expedidor.


A comunicação é feita em nome da administração pública, e, por isso, o tratamento deve
ser isento da interferência da individualidade de quem subscreve. Do mesmo modo, quem
recebe a comunicação pode ser tanto um cidadão ou o conjunto de cidadãos quanto qual-
quer outro órgão público, e, em qualquer caso, o destinatário é concebido de forma homo-
gênea e impessoal. A uniformidade e as normas rígidas em relação ao emprego dos prono-
mes de tratamento também imprimem impessoalidade aos textos oficiais.

Recomendações

Não expresse impressões individuais. Exponha sua opinião apenas quando solicitada.
Pesquise sempre o pronome de tratamento adequado à autoridade destinatária.
 refira o emprego da primeira pessoa do plural, quando o subscritor representar o órgão
P
no qual exerce suas funções.

Exemplos

Comunicamos a Vossa Senhoria o recebimento dos documentos. 

Convidamos Vossa Excelência para a celebração ecumênica. 

Encaminhamos a Vossa Senhoria cópia do contrato. 

 mpregue a primeira pessoa do singular quando o ato contiver assunto de responsabili-


E
dade exclusiva e pessoal do subscritor.

Exemplos

Atesto, para fins de imposto de renda, que o servidor tem dois dependentes econômicos. 

Em cumprimento ao despacho, certifico que o documento foi juntado ao processo principal. 

Sumário 17
1.5 Objetividade

A objetividade consiste em ir diretamente ao assunto, sem rodeios nem divagações. Para ser
objetivo, é necessário escrever apenas o imprescindível à compreensão do assunto. Redigir
com objetividade é evidenciar a ideia central a ser transmitida e usar vocabulário de sentido
exato, com referencial preciso, para facilitar a compreensão do leitor.

Recomendações

Redija frases curtas e evite intercalações excessivas e inversões desnecessárias.


Elimine os adjetivos que não contribuam para a clareza do pensamento.

Evite Prefira

Até o presente momento  Até o momento 

Corte os advérbios ou as locuções adverbiais dispensáveis.

Evite Prefira

Antecipadamente somos gratos.  Agradecemos. 

 eja econômico no emprego dos pronomes pessoais, possessivos e indefinidos. Evite, por
S
exemplo, “um tal”, “um outro”, “um certo”, “um determinado”, pois termos indefinidos
juntos não contribuem para maior clareza; ao contrário, tornam o texto obscuro.

Sumário 18
Use com parcimônia conjunções e pronomes relativos (que, qual, cujo).

Evite Prefira

É indispensável que se conheçam os critérios que


É indispensável conhecer os critérios adotados
se adotaram para que sejam corrigidas as provas
para a correção das provas realizadas ontem, a fim
que se realizaram ontem, a fim de que se tomem as
de se tomarem as medidas necessárias. 
medidas que forem julgadas necessárias. 

Evite o uso de expressões irrelevantes, pois tornam o texto artificial.

Exemplos

a seu inteiro dispor 

aproveitando o ensejo para colocarmo-nos a seu inteiro dispor 

as considerações tecidas são realmente preocupantes 

com os protestos de elevada estima e distinta consideração 

firmamos mui cordialmente 

firmamos mui atenciosamente 

temos a honra de 

temos a subida honra de 

Sumário 19
temos especial prazer em renovar 

temos o prazer de 

Evite o uso de figuras de linguagem, frases ambíguas e circunlóquios.

Evite Prefira

O diretor convenceu o gerente a trabalhar durante


o fim de semana no escritório da diretoria. 
O diretor convenceu o gerente a trabalhar durante
ou
o fim de semana em seu escritório. 
O diretor convenceu o gerente a trabalhar durante
o fim de semana no escritório da gerência. 

Antes de o Astro Rei aparecer no firmamento, o À primeira hora do expediente, o diretor chegou à
diretor chegou à sala de reuniões.  sala de reuniões. 

Reúna fatos e seja preciso ao relatá-los, evitando expor opiniões.

Evite Prefira

Não aceitamos os monitores, por estarem com a


Não aceitamos tal mercadoria por estar inade­
tela danificada, nem os teclados, que não seguem o
quada. 
padrão estabelecido pela ABNT. 

Selecione palavras específicas, pertinentes ao assunto.

Sumário 20
1.6 Simplicidade

Redigir com simplicidade significa escrever para todos os tipos de leitor, os quais têm o
direito de entender qualquer texto, seja ele político, econômico ou jurídico. Deve-se enfo-
car a matéria principal e particularizar os pontos necessários sem criar um estilo prolixo,
retórico ou confuso. O bom senso estabelecerá o equilíbrio entre a linguagem técnica e a
comum. As ideias devem ser expressas de maneira gradual, com todas as suas implicações.
A simplicidade do texto não implica necessariamente repetição de formas e frases desgas-
tadas, uso exagerado da voz passiva, pobreza vocabular etc. Com palavras conhecidas por
todos, é possível escrever de maneira original e criativa e produzir frases elegantes, variadas,
fluentes e bem interligadas.

Recomendações

 vite expressões e clichês do jargão burocrático, formas arcaicas de construção de frases,


E
assim como coloquialismos e gírias.

Exemplos

Sendo o que nos resta para o momento, despeço-me. 

Esse problema é uma coisa que deve ser considerada. 

Aí o caso ficou resolvido. 

Prefira, em qualquer ocasião, a palavra mais simples.

Evite Prefira

sufragar  votar 

Prefira a ordem direta da frase, por conduzir mais facilmente o leitor à essência da mensagem.

Sumário 21
2. Elementos
Este capítulo apresenta os elementos e as características comuns a quase todas as modali-
dades de comunicação oficial.

2.1 Pronomes de tratamento

Os pronomes de tratamento inserem-se na categoria de pronomes pessoais, palavras cuja


função referencial é identificar as pessoas do discurso. Também chamados de formas de
tratamento ou de pronomes de reverência, são usados na redação oficial para referir-se
ou dirigir-se ao destinatário de maneira cerimoniosa e protocolar. Nas correspondências
oficiais, são empregados em três situações: no vocativo, no corpo do texto e no endereça-
mento, conforme apresentado no quadro a seguir.

Tratamento no
Autoridade Endereçamento Vocativo Abreviatura
corpo do texto

A Sua Excelência Excelentíssimo Senhor


Presidente da o Senhor Presidente da República, Vossa
Não se usa
República A Sua Excelência Excelentíssima Senhora Excelência
a Senhora Presidente(a)1 da República,

Excelentíssimo Senhor
A Sua Excelência Presidente do Congresso
Presidente do o Senhor Nacional, Vossa
Congresso Não se usa
A Sua Excelência Excelentíssima Senhora Excelência
­Nacional
a Senhora Presidente do Congresso
Nacional,

1 http://www.academia.org.br/artigos/presidenta-ou-presidente

Sumário 23
Tratamento no
Autoridade Endereçamento Vocativo Abreviatura
corpo do texto

Excelentíssimo Senhor
Presidente A Sua Excelência Presidente do Supremo
do Supremo o Senhor Tribunal Federal, Vossa
Não se usa
Tribunal A Sua Excelência Excelentíssima Senhora Excelência
Federal a Senhora Presidente do Supremo
Tribunal Federal,

A Sua Excelência Senhor Vice-Presidente


Vice-Presidente o Senhor da República, Vossa
V. Exa.
da República A Sua Excelência Senhora Vice-Presidente Excelência
a Senhora da República,

A Sua Excelência
Ministro de o Senhor Senhor Ministro, Vossa
V. Exa.
Estado A Sua Excelência Senhora Ministra, Excelência
a Senhora

Secretário-Exe-
cutivo de Minis- A Sua Excelência Senhor Secretário-
tério e demais o Senhor Executivo, Vossa
V. Exa.
ocupantes de A Sua Excelência Senhora Secretária- Excelência
cargos de natu- a Senhora Executiva,
reza especial

A Sua Excelência
o Senhor Senhor Embaixador, Vossa
Embaixador V. Exa.
A Sua Excelência Senhora Embaixadora, Excelência
a Senhora

A Sua Excelência
Oficial-General o Senhor Senhor + Posto, Vossa
das Forças V. Exa.
A Sua Excelência Senhora + Posto, Excelência
Armadas
a Senhora

Sumário 24
Tratamento no
Autoridade Endereçamento Vocativo Abreviatura
corpo do texto

Outros postos Ao Senhor Senhor + Posto, Vossa


V. Sa.
militares À Senhora Senhora + Posto, Senhoria

A Sua Excelência
Senador da o Senhor Senhor Senador, Vossa
V. Exa.
República A Sua Excelência Senhora Senadora, Excelência
a Senhora

A Sua Excelência
Deputado o Senhor Senhor Deputado, Vossa
V. Exa.
Federal A Sua Excelência Senhora Deputada, Excelência
a Senhora

Senhor Ministro do
Ministro do A Sua Excelência Tribunal de Contas da
Tribunal de o Senhor União, Vossa
V. Exa.
Contas da A Sua Excelência Senhora Ministra do Excelência
União a Senhora Tribunal de Contas da
União,

Ministro do A Sua Excelência


STF e dos o Senhor Senhor Ministro, Vossa
V. Exa.
Tribunais A Sua Excelência Senhora Ministra, Excelência
Superiores a Senhora

A Sua Excelência Senhor Procurador-


Procurador- o Senhor -Geral da República, Vossa
-Geral da V. Exa.
A Sua Excelência Senhora Procuradora- Excelência
República
a Senhora -Geral da República,

A Sua Excelência Senhor Advogado-Geral da


Advogado- o Senhor União, Vossa
-Geral da V. Exa.
A Sua Excelência Senhora Advogada-Geral Excelência
União
a Senhora da União,

Sumário 25
Tratamento no
Autoridade Endereçamento Vocativo Abreviatura
corpo do texto

Funcionários
graduados
(diretores,
secretários, Ao Senhor/
coordenadores, À Senhora
gerentes); Senhor + cargo, Vossa
Nome do V. Sa.
profissionais Senhora + cargo, Senhoria
Destinatário,
liberais; pessoas
de cerimônia; Cargo
demais
autoridades;
particulares.

A forma abreviada, quando permitida, pode ser empregada no corpo do texto.

2.1.1 Concordância com os pronomes de tratamento

Concordância de pessoa

Os pronomes de tratamento, embora se refiram à segunda pessoa gramatical, concordam


com a terceira pessoa. O verbo concorda com o substantivo que integra a locução.

Exemplos

Vossa Senhoria saberá encaminhar o problema. 

Vossas Senhorias saberão encaminhar o problema. 

Sumário 26
Da mesma forma, os pronomes possessivos referentes a pronomes de tratamento são sempre
os da terceira pessoa.

Exemplo

Solicito que Vossa Senhoria encaminhe seu pedido.  (E não “vosso pedido” )

Outra particularidade dos pronomes de tratamento é a distinção entre as expressões “Vossa”


e “Sua”.
“Vossa” é empregado para a pessoa com quem se fala, a quem se dirige a correspondência.

Exemplo

Convidamos Vossa Excelência para a cerimônia. 

“Sua” é empregado para a pessoa de quem se fala, ou seja, quando se fala a respeito da auto-
ridade ou do destinatário da correspondência.

Exemplo

A placa comemorativa foi descerrada por Sua Excelência o Senhor Governador do Estado. 

Sumário 27
Concordância de gênero

Faz-se a concordância de gênero não com o substantivo da locução, mas com o gênero da
pessoa representada pelo pronome de tratamento.

Se a autoridade for do gênero masculino:

Vossa Senhoria será arrolado como testemunha. 

Diga a Sua Excelência que nós o aguardamos no aeroporto. 

Se a autoridade for do gênero feminino:

Vossa Excelência será informada imediatamente sobre a solução dada ao caso. 

2.1.2 Grafia

Não se devem abreviar os pronomes de tratamento em comunicações dirigidas às altas


autoridades dos Poderes da República e às altas autoridades eclesiásticas. A forma por
extenso é a recomendável em correspondência mais formal ou cerimoniosa.
Na correspondência interna e na externa menos formal, nada impede que se abrevie a
forma de tratamento. Contudo, é mais conveniente preferir as formas por extenso.

Sumário 28
2.1.3 Tratamento e variações pronominais

Evite, apesar de gramaticalmente correta, a substituição dos pronomes de tratamento pelas


formas “seu”, “sua”, “lhe” e “o”, principalmente em relação a Vossa Excelência, Vossa Emi-
nência e outros de alta cerimônia. Por convenção, essas formas demonstram mais respeito
e deferência em relação às pessoas que recebem tais tratamentos.

Evite Prefira

Encaminho a Vossa Excelência o documento


Encaminho-lhe o documento solicitado. 
solicitado. 

Solicito-lhe o documento.  Solicito o documento a Vossa Senhoria. 

2.1.4 Formas de tratamento obsoletas

Não se usam mais as formas Digníssimo (DD.), Mui Digno (M.D.) e Ilustríssimo (Ilmo.)
na correspondência oficial.
Convém ressaltar que doutor (dr.) não é forma de tratamento, mas título acadêmico, a ser
usado apenas em comunicações dirigidas a pessoas que tenham concluído curso universi-
tário de doutorado. O mesmo vale para o título de professor (prof.), o qual também deve
ser dirigido somente aos que concluíram a licenciatura. Nos demais casos, o pronome de
tratamento “Senhor” é suficiente para conferir formalidade às comunicações.

Sumário 29
2.2 Vocativo

Vocativo é uma expressão pela qual o autor se dirige ao interlocutor, invocando-o. Será
sempre seguido de vírgula.
Para chefes de Poder, emprega-se a expressão “Excelentíssimo Senhor” ou “Excelentíssima
Senhora” e o cargo respectivo, seguidos de vírgula.

Exemplos

Excelentíssimo Senhor Presidente da República, 

Excelentíssimo Senhor Presidente do Congresso Nacional, 

Excelentíssima Senhora Presidente do Supremo Tribunal Federal, 

Para as demais autoridades, mesmo as tratadas por Vossa Excelência, usa-se o vocativo
“Senhor” ou “Senhora” seguido do cargo respectivo.

Exemplos

Senhor Ministro, 

Senhora Juíza, 

Senhora Deputada, 

Sumário 30
Para os demais cargos ou para particulares, o vocativo “Senhor” ou “Senhora” pode ser uti-
lizado seguido do cargo ou da forma pela qual a instituição trata o interlocutor (servidor,
usuário, contribuinte, eleitor, diretor etc.).

Exemplos

Senhor Diretor-Geral, 

Senhora Secretária, 

Senhora usuária, 

Se o destinatário for um particular, pode-se, ainda, usar o vocativo “Prezado Senhor” ou


“Prezada Senhora”.

Sumário 31
2.3 Fechos para comunicações

O fecho das comunicações oficiais, além de arrematar o texto, tem a finalidade de saudar
o destinatário. Emprega-se, geralmente, um dos dois fechos2 para todas as modalidades de
comunicação oficial:

a) para autoridades de hierarquia superior à do remetente:


Respeitosamente,

b) para autoridades de mesma hierarquia ou de hierarquia inferior:


Atenciosamente,

2 Esses fechos não se aplicam às comunicações dirigidas a autoridades estrangeiras, que atendem a rito e tradição próprios.

Sumário 32
2.4 Identificação do signatário

Excluídas as comunicações assinadas pelo Presidente da República, todas as demais comu-


nicações oficiais devem conter o nome e o cargo da autoridade que as expede abaixo do
local da assinatura, segundo a orientação do Manual de Redação da Presidência da República.
A forma da identificação deve ser a seguinte:

(espaço para a assinatura)

NOME

(em letras maiúsculas ou apenas as iniciais maiúsculas)

Cargo

(apenas as iniciais maiúsculas)

No entanto, nas comunicações oficiais que normalizem situações administrativas internas


do Supremo Tribunal Federal, sejam elas produzidas pelo Diretor-Geral da Secretaria do
Tribunal, sejam pelo seu Presidente (ato regulamentar, instrução normativa, ordem de ser-
viço, portaria e resolução), o cargo já vem especificado no início do documento e, por isso,
não há a obrigatoriedade de repeti-lo junto ao nome e à assinatura.
Em documentos impressos, recomenda-se não deixar a assinatura em página isolada do
expediente. Deve-se transferir para a última página ao menos a última frase, anterior ao
fecho, com pelo menos duas linhas.
Não se deve utilizar, em nenhum documento, o traço para indicar o local da assinatura.
Esse procedimento é considerado deselegante, porque supõe a necessidade de demarcar um
campo para o correto preenchimento pelo subscritor.

Sumário 33
Na identificação do signatário, o cargo deve obedecer à flexão de gênero do seu ocupante.

Exemplos

Ministra do Supremo Tribunal Federal 

Secretária de Documentação 

Coordenadora de Divulgação de Jurisprudência 

Técnica Administrativa 

Analista Judiciária 

Ressalta-se que, de acordo com a Instrução Normativa nº 203/STF, de 27 de novembro


de 2015, “os documentos produzidos no SEI serão assinados por meio de login e senha ou
certificado digital emitido por autoridade certificadora credenciada na Infraestrutura de
Chaves Públicas Brasileiras (ICP-BRASIL)”.

2.4.1 Cargos interino e substituto

Os termos “interino” e “substituto” podem ser acrescidos ao cargo, na identificação do sig-


natário.
Interino designa o nomeado para ocupar cargo público de forma transitória, durante a
vacância. Já substituto refere-se ao servidor designado para exercer as atribuições de cargo
público vago ou durante o afastamento e impedimento legal ou regulamentar do titular.

Sumário 34
Esses termos são dispostos depois do cargo, sem hífen, sem vírgula e em minúsculo.

Exemplos

Coordenador substituto de Análise de Jurisprudência 

Diretor-Geral substituto 

Secretário substituto 

Secretário interino 

2.4.2 Grafia de cargos compostos

Não recebem hífen:


a) nomes compostos com elementos de ligação preposicionados;

Exemplos

Capitão de Mar e Guerra 

General de Exército 

b) “relator” e “presidente” como adjetivo.

Exemplos

Ministro Presidente 

Ministro Relator 

Sumário 35
Recebem hífen:
a) cargos formados pelo adjetivo “geral”;

Exemplos

Advogado-Geral da União 

Corregedor-Geral da União 

Diretor-Geral 

Defensor Público-Geral 

Procurador-Geral da República 

Secretário-Geral 

b) nomes formados com numeral;

Exemplos

Primeiro-Secretário 

Primeiro-Ministro 

Primeira-Dama 

Sumário 36
c) postos da hierarquia militar;

Exemplos

Tenente-Coronel 

Capitão-Tenente 

d) cargos formados com os prefixos “ex” ou “vice”.

Exemplos

Ex-Presidente 

Ex-Secretário 

Vice-Presidente 

Vice-Diretor 

O Manual de Redação da Presidência da República recomenda que, em palavras com hífen,


após se optar pelo uso da maiúscula ou da minúscula, se mantenha a escolha para a grafia
dos demais elementos hifenizados. Desse modo, pode-se escrever “Diretor-Geral” ou “dire-
tor-geral”, mas não “Diretor-geral”.

Sumário 37
2.5 Cabeçalho

Trata-se do conjunto de informações de identificação da instituição emissora, centralizado


na parte superior de página. É usado apenas no topo da primeira página do documento.
O cabeçalho é formado pelos seguintes elementos:
a) Brasão de Armas da República;
b) nome completo do Tribunal;
c) nomes dos órgãos secundários, quando necessários, da maior para a menor hierarquia.
A Lei nº 5.700/1971 determina o uso obrigatório das Armas Nacionais (Brasão da Repú-
blica) em todos os documentos oficiais (papéis de expediente, convites e publicações ofi-
ciais federais). No entanto, o Brasão não precisa constar das comunicações de uso interno.
Os dados do órgão, tais como endereço, telefone, e-mail, site, podem vir no rodapé do
documento, centralizados.

2.6 Identificação do expediente

As correspondências oficiais devem ser identificadas seguindo modelos próprios apresen-


tados neste manual.
Há certos documentos oficiais em que a identificação do expediente recebe numeração,
como o ofício e o ato regulamentar, e outros em que a numeração é dispensada, tais como
atestado e declaração. Detalhes referentes ao tipo de identificação de cada ato podem ser
visualizados no capítulo seguinte.

Sumário 38
2.7 Local e data do documento

O local e a data do documento serão grafados da seguinte forma:


a) n
 ome da cidade onde foi expedido o documento, sem a sigla da unidade da Federação,
seguido de vírgula;
b) d
 ia do mês em numeração ordinal, se for o primeiro dia do mês, ou em numeração car-
dinal, para os demais dias do mês. Não se deve utilizar zero à esquerda do número que
indica o dia do mês;
c) nome do mês por extenso, escrito com inicial minúscula;
d) ponto-final depois da data.

Sumário 39
3. Atos oficiais administrativos
A Resolução nº 565/STF, de 20 de novembro de 2015, instituiu o Sistema Eletrônico de
Informações (SEI) como meio exclusivo para a tramitação de documentos no âmbito do
Supremo Tribunal Federal. Mesmo gerados em ambiente digital, os atos administrativos
devem seguir os padrões estipulados neste manual3 com vistas a alcançar a necessária uni-
formidade das comunicações.
A padronização oferecida para cada ato visa a facilitar a identificação do documento, a
agilizar sua elaboração e a favorecer a interpretação da mensagem pelo destinatário, sim-
plificando sua juntada a processos ou sua inclusão em arquivos tradicionais e eletrônicos.
Para atingir esses objetivos, sugere-se ainda a diagramação a seguir para todos os tipos de
documentos:
papel: A4 (29,7 cm x 21 cm);
alinhamento: justificado;
c ores: letras pretas em papel branco, reservando-se, se necessário, a impressão colorida
para gráficos e ilustrações;
espaçamento entre linhas: simples;
fontes: Times New Roman ou Arial 4:
corpo do texto: tamanho 12 ou 14 pontos, dependendo da extensão do texto;
citações recuadas: tamanho 11 pontos;
notas de rodapé: tamanho 10 pontos;
parágrafos:
espaçamento entre parágrafos: 6 pontos após cada parágrafo;
recuo de parágrafo: 2,5 cm de distância da margem esquerda; no computador, a tecla
de tabulação equivale a 1,25 cm;
numeração de parágrafos: em geral, desde o primeiro, quando o documento contiver
três ou mais parágrafos. Não se numeram o vocativo e o fecho;
margem superior: 2 cm;

3 Resolução nº 565/STF: “Art. 13. Os documentos administrativos do Tribunal serão elaborados conforme modelos disponibilizados no SEI e
de acordo com o Manual de Atos Oficiais Administrativos do STF. Parágrafo único. Caso haja necessidade de elaboração de documento que não
disponha de modelo específico no SEI, deverão ser observadas as regras do Manual mencionado no caput.”
4 O Manual de Redação da Presidência da República recomenda o uso das fontes Calibri ou Carlito nos documentos oficiais.

Sumário 41
margem inferior: 2 cm;
margem lateral direita: 1,5 cm ou, se o texto for muito pequeno, 2 cm;
margem lateral esquerda: no mínimo 3 cm;
área de cabeçalho: na primeira página, 5 cm a partir da margem superior do papel;
área de rodapé: nos 2 cm da margem inferior do documento;
impressão: quando se fizer necessária, a impressão pode ocorrer em ambas as faces do
papel. Nesse caso, as margens esquerda e direita terão as distâncias invertidas nas páginas
pares (margem espelho);
 estaques: se necessário, aplique o negrito. Evite o uso de itálico, sublinhado e letras
d
maiúsculas;
palavras estrangeiras: grafadas em itálico;
a rquivamento: dentro do possível, é importante preservar o arquivo de todos os documentos
elaborados para consulta posterior ou aproveitamento de trechos em casos análogos. Para
isso, é preciso selecionar um formato de arquivo que possa ser lido e editado pela maioria
dos editores de texto utilizados no serviço público, tais como DOCX, ODT ou RTF;
 ome do arquivo: para facilitar a localização, os nomes dos arquivos devem ser formados
n
da seguinte maneira:
[tipo do documento] + [número do documento] + [ano do documento (com quatro dí-
gitos)] + [palavras-chave do conteúdo]

Exemplo

Ofício 123_2018_relatório anual

A numeração das páginas é obrigatória apenas a partir da segunda página da comunica-


ção. Deve ser centralizada e no rodapé do documento.

Sumário 42
3.1 Tipos de documentos

Diversos atos administrativos, de acordo com seu objetivo, comportam as seguintes varia-
ções: circular, conjunto ou conjunto circular. Tais especificações poderão ser acrescidas ao
nome do expediente, conforme descrição a seguir.
a) [Nome do expediente] + Circular: Quando um órgão ou unidade interna envia o mesmo
expediente para mais de um órgão receptor. A sigla na epígrafe será apenas a do remetente.
b) [Nome do expediente] + Conjunto: Quando mais de um órgão ou unidade interna
envia, conjuntamente, o mesmo expediente para um único órgão receptor. As siglas dos
remetentes constarão da epígrafe.
c) [Nome do expediente] + Conjunto Circular: Quando mais de um órgão ou unidade
interna envia, conjuntamente, o mesmo expediente para mais de um órgão receptor. As
siglas dos remetentes constarão da epígrafe.

Exemplos

Ofício Circular nº 652/2018/SDO

Ofício Conjunto nº 368/2018/SDO/SGP

Ofício Conjunto Circular nº 795/2018/SDO/SGP

Sumário 43
3.2 Documentos oficiais

De acordo com o Regulamento da Secretaria do Supremo Tribunal Federal, em seu art.


108, parágrafo único, este manual deve primar pela exposição clara e concisa “dos padrões
de emissão dos principais documentos oficiais utilizados no Tribunal”. Com vistas a alcan-
çar esse objetivo, a apresentação das informações contidas neste capítulo foi reformulada,
de modo a facilitar a compreensão dos padrões estruturais de cada tipo de ato administra-
tivo, bem como das respectivas formatações.

3.2.1 Ata

Registro sucinto e fidedigno de ocorrências e decisões de assembleia, reunião, congresso,


mesa redonda, convenção etc.
O texto da ata deve ser escrito seguidamente, sem rasuras, emendas, entrelinhas nem entra-
das de parágrafos. Precisa ser apresentado sem espaços que permitam a inserção posterior
de palavras. Os numerais são escritos por extenso; e as abreviaturas, evitadas.
Quando houver necessidade de correção, a emenda será redigida imediatamente ao erro,
após a expressão digo. Por exemplo, se o registro deveria ter sido: “A reunião foi encerrada”
(em vez de “A sessão foi encerrada”), o redator corrigiria assim: “A sessão, digo, a reunião
foi encerrada”.
Se o erro tiver de ser corrigido depois de confeccionada a ata, será feita a seguinte ressalva:
Em tempo: na linha 1, onde se lê “A sessão foi encerrada.”, leia-se “A reunião foi encerrada”.
A ata é normalmente redigida por um secretário efetivo ou, na falta desse, por um secretá-
rio designado para a ocasião.
Costumava-se lavrar a ata em livro próprio, autenticado, e suas páginas eram rubricadas
pela autoridade que redigia os termos de abertura e encerramento. Hoje a ata pode ser
digitada e impressa em papel A4, dispensado o livro tradicional.

Sumário 44
Exemplo de ata

1,5 cm
3 cm 2 cm ou 2 cm

SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL


Identificação do órgão e da unidade.
Secretaria de Administração e Finanças

2 a 4 espaços simples
Identificação do documento com letras
ATA DO PREGÃO N0 .../2003 maiúsculas, em negrito, e centralizada.
Aquisição de Impressora de Código de Barras
Assunto
Processo n0 ...
2 espaços simples
Aos vinte e sete dias do mês de janeiro de dois mil e três, às catorze horas, reuniram-se, na sala Dia, mês, ano e hora por extenso,
de reuniões da Comissão Permanente de Licitação do Supremo Tribunal Federal, o pregoeiro seguido de local e nomes dos presen-
e a equipe de apoio, nomeados pelas Portarias n0 .../2003 e .../2003, para recebimento e tes (com seus respectivos cargos).
abertura dos envelopes contendo as “Propostas de Preços” e os “Documentos de Habilitação”
referentes ao Pregão n0 .../2003 — Aquisição de Impressora de Código de Barras. Participaram
deste certame quatro empresas: 1) [nome da empresa]; 2) [nome da empresa]; 3) [nome
da empresa] e 4) [nome da empresa]. Após o credenciamento, iniciou-se a sessão com o
recebimento da declaração de cumprimento dos requisitos de habilitação e dos envelopes.
Foram abertos os que continham as propostas de preços. Para atender ao disposto na legislação,
procedeu-se à verificação da conformidade das propostas com os requisitos estabelecidos no
Edital e estavam todas de acordo. As propostas foram classificadas e deu-se início à fase de
lances verbais, os quais foram registrados no “Histórico de Lances”, anexo a esta Ata, dela
sendo parte integrante sem necessidade de reprodução. Após análise da melhor proposta
quanto ao objeto e ao valor, o pregoeiro decidiu pela aceitabilidade, por essa preencher os
requisitos editalícios. O representante da empresa [nome da empresa] se retirou às quinze
horas e quinze minutos. Verificou-se a documentação da empresa [nome da empresa], que
foi habilitada, ressalvando-se que o Sistema de Cadastramento Unificado de Fornecedores –
SICAF não foi consultado por não estar disponível até as quinze horas e trinta minutos, tendo o
pregoeiro aceitado a declaração dos cumprimentos de requisitos de habilitação até a consulta
do referido cadastro, declarando-a vencedora do certame. A proposta e a documentação de
habilitação foram disponibilizadas aos licitantes, que foram questionados sobre a intenção de
interpor recurso, mas não houve manifestação nesse sentido. Os documentos de habilitação
das demais empresas serão devolvidos aos seus representantes após a homologação do
presente certame. Nada mais havendo a tratar, encerrou-se a sessão às quinze horas e
quarenta minutos, sendo lavrada esta Ata, assinada pelo pregoeiro, pela equipe de apoio e Fecho
pelos representantes presentes.

2 a 4 espaços simples

Assinatura
Nome
Pregoeiro
2 a 4 espaços simples
Assinaturas e nomes dos componentes da equipe de apoio,
do responsável pelo setor e dos licitantes

2 cm

Sumário 45
3.2.2 Atestado

Documento que comprova situação ou fato conhecido pela administração que não consta
de qualquer documento em poder da organização. Diz respeito a eventos transitórios, pas-
síveis de frequentes modificações. Comporta adaptação ao que será atestado pelo servidor
público, em razão de seu ofício ou de sua função.
O Decreto nº 83.936/1979, nos seus arts. 1º e 2º, aboliu a exigência de atestados de vida,
residência, pobreza, dependência econômica, idoneidade moral e bons antecedentes na
administração federal direta e indireta.

Sumário 46
Exemplo de atestado

1,5 cm
3 cm 2 cm ou 2 cm

Brasão e identificação do órgão.


SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL

2 a 4 espaços simples
Identificação do documento com letras
ATESTADO DE CAPACIDADE TÉCNICA
maiúsculas, em negrito, e centralizada.
2 espaços simples
2,5 cm 1. Atesto, para comprovação de capacidade técnica, que a empresa [nome da
empresa], situada em [endereço da empresa], inscrita no CNPJ sob o n0 ..., mantém com o
Supremo Tribunal Federal contrato de editoração, formatação, publicação e comercialização
da Revista Trimestral de Jurisprudência do Supremo Tribunal Federal, com as seguintes
características:
Empresa contratante: ...
Endereço: ... Texto com a exposição do que se
Vigência: ... atesta e, se possível, os fins a que se
Contrato: ... destina.
Objeto do contrato: ...
Local da prestação dos serviços: ...
2. Declaro que os serviços acima descritos vêm sendo executados conforme
informação prestada pela Coordenadora de Divulgação de Jurisprudência no Processo
Administrativo n0 ...
3. Por fim, declaro que o prazo de validade deste atestado é de seis meses contados
da data da assinatura.
2 espaços simples
Brasília, [data por extenso].

2 a 4 espaços simples

Assinatura
Nome
Cargo

2 cm

Sumário 47
3.2.3 Ato regulamentar

Ato decorrente de decisão administrativa do Tribunal para introduzir modificações no


Regulamento da Secretaria, bem assim para dispor normativamente, quando necessário ou
conveniente, sobre matéria correlata com o que nele se regula.

Sumário 48
Exemplo de ato regulamentar

1,5 cm
3 cm 2 cm ou 2 cm

Brasão e identificação do órgão.


SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL

2 a 4 espaços simples
Identificação do documento em letras
ATO REGULAMENTAR N0 33, DE 18 DE MARÇO DE 2004. maiúsculas e negrito, seguida do
2 espaços simples número e da data de expedição.
Altera a estrutura orgânica do Supremo Tribunal Federal
e dá outras providências. Ementa com o assunto que motiva o ato.
2 espaços simples
O PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL, nos termos do art. 361, Preâmbulo – não integra a matéria
inciso II, alínea b, do Regimento Interno, haja vista o decidido na 6ª Sessão Administrativa normatizada. É aberto com a deno-
do ano de 2002, realizada nesta data, com base no disposto na Lei n0 10.461, de 17 de maio
minação do expedidor do ato (em
de 2002, no art. 10 da Lei n0 10.475, de 27 de junho de 2002, e considerando o constante do
Processo n0 316.359/2002, maiúsculas e negrito) e se encerra
com a expressão “RESOLVE” em letras
2 espaços simples
maiúsculas e negrito, registrada em
RESOLVE: novo parágrafo.
2 espaços simples
Art. 10 A estrutura orgânica do STF passa a ser a constante do Anexo I.
2,5 cm Art. 20 O grupamento e a lotação das funções comissionadas e dos cargos em
comissão do quadro de pessoal do Tribunal ficam alterados na forma dos Anexos II e III. Conteúdo do ato regulamentar. Tem a
Art. 30 Os atos que dispõem sobre a competência das Unidades componentes
da estrutura orgânica e as atribuições de seus dirigentes e dos demais titulares de funções
estrutura de texto legislativo, com a
comissionadas e cargos em comissão, de modo a ajustar-se o contido nos arts. 10 a 34 do divisão do assunto em artigos, parágra-
Regulamento da Secretaria, serão baixados pela Presidência do Tribunal. fos, incisos e alíneas.
Art. 40 Este Ato Regulamentar entra em vigor na data de sua publicação,
revogando-se o Ato Regulamentar n0 32, de 7 de março de 2001.

2 a 4 espaços simples

Assinatura
[Nome]
Nome e cargo da autoridade expedidora.

2 cm

Sumário 49
3.2.4 Certidão

Ato pelo qual a administração afirma por escrito a existência de um fato ou de uma situa-
ção verificável em assentamento público (autos, procedimentos, despachos etc.). Difere do
atestado em dois aspectos: a) atém-se obrigatoriamente a documentos em poder da orga-
nização; b) refere-se a situações de natureza permanente.
A certidão, desde que autenticada, tem a mesma força probante do documento original e
pode ser fornecida por qualquer dirigente da instituição no âmbito de sua competência.

Sumário 50
Exemplo de certidão

1,5 cm
3 cm 2 cm ou 2 cm

Brasão e identificação do órgão.


SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL

2 a 4 espaços simples
Identificação do documento com letras
CERTIDÃO
maiúsculas, em negrito, e centralizada.
2 espaços simples
2,5 cm Certifico, para os devidos fins, que [nome], matrícula n0 ..., é servidor do quadro
de pessoal da Secretaria deste Tribunal, ocupante do cargo efetivo de Analista Judiciário, Área
Judiciária, privativo de bacharel em Direito, nos termos do Ato Regulamentar n0 ..., de [data],
publicado no Diário da Justiça do dia [data]. O servidor, habilitado em concurso público, foi
nomeado mediante Portaria PRESI n0 ..., [data], publicada no Diário da Justiça de [data],
tomou posse e entrou em exercício no dia [data], nos termos da Lei n0 8.112/1990. Certifico,
ainda, que, nos termos da Resolução n0 .../STF, [data], aos ocupantes do cargo acima referido
corresponde o exercício das seguintes atividades: a) elaboração de projetos, de pareceres
jurídicos, de informações e de relatórios; b) pesquisas e estudos na legislação, na jurisprudência
e na doutrina, inclusive de outros países, para fundamentar análise, conferência e instrução de
processos; c) assistência técnica em questões que envolvam matéria de natureza jurídica com Texto com o teor do que se certifica e,
análise e emissão de informações e de pareceres que subsidiem a tomada de decisões; d) apoio se possível, com a finalidade do ato.
técnico e administrativo aos magistrados e às unidades do Tribunal; e) análise, pesquisa,
conferência, seleção, processamento, registro, armazenamento, recuperação, requisição
e divulgação de feitos, documentos e informações, com base na legislação pertinente e
normas técnicas; f) verificação de prazos processuais; g) elaboração e atualização de normas
e de procedimentos pertinentes à área de atuação; h) redação de documentos diversos; i)
trabalhos que exijam conhecimentos básicos de informática e de digitação; j) atendimento ao
público interno e externo, para transmitir informações de natureza jurídica e administrativa;
l) organização de documentos, utilizando técnica e procedimentos; e m) realização de outras
atividades inerentes à área de atuação e/ou formação especializada publicada no Edital do
Concurso Público n0 ..., de [data].
2 espaços simples
Brasília, [data por extenso].

2 a 4 espaços simples

Assinatura
Nome
Cargo

2 cm

Sumário 51
3.2.5 Comunicado

Documento expedido pelo Diretor-Geral da Secretaria do Tribunal e por secretários e


assessores-chefes para transmitir breves instruções de serviço, ordens, avisos, decisões ou
esclarecimentos acerca de objetivos, políticas, programas de trabalho e normas administra-
tivas e operacionais do Tribunal.

Sumário 52
Exemplo de comunicado

1,5 cm
3 cm 2 cm ou 2 cm

SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL


Identificação do órgão e da unidade.
Secretaria de Administração e Finanças

2 a 4 espaços simples
Identificação do documento com letras
COMUNICADO
maiúsculas, em negrito, e centralizada.
2 espaços simples
1. A Secretaria de Administração e Finanças informa que a área próxima ao Panteão
da Pátria Tancredo Neves e ao Bosque dos Ministros, inscrita como Patrimônio Cultural da
Humanidade pela Unesco, entrará em obras de paisagismo.
2,5 cm 2. Por solicitação reiterada da Administração Regional de Brasília, o estacionamento
existente no local deverá estar totalmente desocupado até o final deste mês de agosto.
3. Foi destinado novo espaço para estacionamento de veículos, situado entre Texto com o teor do comunicado.
o complexo predial do Tribunal de Contas da União – TCU e o da Procuradoria-Geral da Os parágrafos devem ser numerados.
República – PGR, disponível desde o mês de maio.
4. Pede-se que os usuários da área tombada passem a utilizar o novo
estacionamento, de forma que, a partir de setembro próximo, o Governo do Distrito Federal
possa dar início às referidas obras.
2 espaços simples
Brasília, [data por extenso].

2 a 4 espaços simples

Assinatura
Nome
Cargo

2 cm

Sumário 53
3.2.6 Declaração

Ato pelo qual a administração afirma a existência de um direito ou de um fato.


A declaração é administrativa, quando emitida pela própria instituição, por intermédio de
titulares de unidades, ou pessoal, quando a manifestação parte do servidor para atender a
determinação da instituição.

Sumário 54
Exemplo de declaração

1,5 cm
3 cm 2 cm ou 2 cm

Brasão e identificação do órgão e da


unidade.
SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL
Secretaria de Gestão de Pessoas

2 a 4 espaços simples
Identificação do documento com letras
DECLARAÇÃO
maiúsculas, em negrito, e centralizada.
2 espaços simples
1. Declaro, para os devidos fins, que [nome], matrícula ..., RG ..., é ex-servidora
do quadro de pessoal da Secretaria deste Tribunal, tendo ocupado o cargo efetivo de Técnico
Judiciário, Área Administrativa. Texto com o teor do que se declara
2,5 cm 2. A servidora, habilitada em concurso público, foi nomeada mediante Portaria e, se possível, com a indicação da
PRESI n0 ..., de [data], publicada no Diário da Justiça do dia [data], tomou posse e entrou em finalidade do ato. Se for a resposta de
exercício no dia [data] e solicitou vacância a partir de [data], por motivo de posse em outro alguém, deve conter referência aos
cargo público inacumulável, nos termos do inciso VIII do art. 33 da Lei n0 8.112/1990.
3. Declaro, ainda, que a referida servidora não usufruiu férias relativas ao exercício
seus documentos de identificação.
de [ano], marcadas para o período de … a ….
2 espaços simples
Brasília, [data por extenso].

2 a 4 espaços simples

Assinatura
Nome
Cargo

2 cm

Sumário 55
3.2.7 Despacho

Decisão ou encaminhamento emanado de autoridade administrativa acerca de assunto


submetido a sua apreciação.
O despacho pode ser:
a) decisório: soluciona e põe termo à questão;
b) ordinatório: apenas dá andamento ao documento;
c) interlocutório: não resolve terminantemente a questão, apenas a transfere a autoridade
superior ou a autoridade de outra unidade da estrutura organizacional do órgão;
d) saneador: resolve as falhas que porventura ocorram no procedimento.
O despacho pode conter um texto curto (“Autorizo”, “Aprovo”, “Indefiro”, “Ciente”, “De
acordo” etc.) ou longo. No primeiro caso, pode ser escrito no próprio corpo do documento
a que se refere. Uma vez redigido, ele passa a fazer parte do processo.

Sumário 56
Exemplo de despacho

1,5 cm
3 cm 2 cm ou 2 cm

SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL Identificação do órgão, da secretaria,


Secretaria de Administração e Finanças da coordenadoria e da gerência ou
Coordenadoria de Manutenção e Patrimônio unidade.
2 a 4 espaços simples Identificação do documento com ini-
cial maiúscula e em negrito, seguida
Despacho n0 .../2004 pelo ano separado por barra e comple-
Referência: Processo administrativo n0 ...
Assunto: Solicitação de reajuste.
mentado pela indicação do processo a
que se refere e pelo assunto do ato.
2 espaços simples
Destinatário, composto pela forma de
Ao Senhor (cargo)
tratamento adequada seguida pelo cargo.
2 espaços simples
1. A empresa [nome] encaminhou a este Tribunal, em [data], solicitação de
reajuste do preço da Revista Trimestral de Jurisprudência – RTJ do Supremo Tribunal Federal,
com base no IGP-DI.
2,5 cm 2. Levando-se em consideração que o último reajuste foi concedido à empresa a
partir de [data], data da primeira prorrogação do contrato, e considerando-se que o contrato
foi novamente prorrogado a partir de [data], a solicitação da empresa está de acordo com o
disposto na Cláusula Quarta do Contrato n0 ... /2002.
3. O entendimento desta Coordenadoria é de que o reajuste pode ser efetuado
por apostilamento, em conformidade com o disposto no art. 65, § 80, da Lei n0 8.666/1993, do
mesmo modo que foi efetuado o reajustamento anterior.
4. A variação do IGP-DI no período foi de 8,94%. Portanto, caso seja concedido o
reajuste solicitado, o valor da assinatura anual da Revista Trimestral de Jurisprudência – RTJ,
que é de R$ ... (valor por extenso), passará a ser de R$ ... (valor por extenso).
5. Assim, submeto os autos à consideração superior.
2 espaços simples
Brasília, [data por extenso].

2 a 4 espaços simples

Assinatura
Nome
Cargo

2 cm

Sumário 57
3.2.8 Informação

Manifestação do servidor acerca de assunto submetido a sua apreciação, com o objetivo


de fundamentar questões levantadas ou aclarar fatos não suficientemente relatados. Serve
essencialmente ao fornecimento de elementos exigidos ao bom trâmite documental, a fim
de que os dados apresentados auxiliem a autoridade competente nos seus despachos e na
solução de problemas. Tem como fundamento o exame de processo ou de fato de que se
tenha conhecimento. A informação fará parte do processo ao qual se refere.
A informação deve ater-se somente ao necessário para a solução do que consta do proce-
dimento, sem afirmações subjetivas ou incertas.
O resumo da questão motivadora do ato poderá iniciar a informação, para ciência do
assunto tratado.

Sumário 58
Exemplo de informação

1,5 cm
3 cm 2 cm ou 2 cm

SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL


Secretaria de Administração e Finanças Identificação do órgão, da secretaria, da
Coordenadoria de Manutenção e Patrimônio coordenadoria e da gerência ou unidade.

2 a 4 espaços simples Identificação do documento com


inicial maiúscula, em negrito, seguida
Informação n0 ... do número e complementado pela
Processo n0 ...
indicação do processo a que se refere
Assunto: Aquisição de impressora de código de barras.
e pelo assunto do ato.
2 espaços simples
Senhor Coordenador de Manutenção e Patrimônio, Vocativo, composto pela forma de
2 espaços simples tratamento adequada e cargo do
destinatário, seguido de vírgula.
1. Encaminhamos a Vossa Senhoria informações relativas à aquisição de impressora
de código de barras, de acordo com o Projeto Básico de fls. ... a ... dos autos.
2,5 cm 2. Conforme consulta feita ao Sistema Integrado de Administração Financeira –
SIAFI (fl. ...), a despesa, até o momento, no subelemento Equipamentos de Processamento
de Dados (Conta Contábil ...), detalhado na fl. ..., é de R$ ... (valor por extenso). A despesa
realizada com a aquisição de impressoras e leitoras de código de barras é de R$ ... (valor
por extenso), que, somada à presente estimativa, se enquadra na modalidade Convite/Menor
Preço, com fundamento no art. 23, II, a, da Lei n0 8.666/1993.
3. Sugerimos, assim, a remessa deste processo à Coordenadoria de Orçamento e
Finanças – COFI para informar disponibilidade orçamentária no valor médio, apresentado no
Mapa da Coleta de fl. ..., de R$ ... (valor por extenso), e posterior envio ao Senhor Secretário
de Administração e Finanças, com vistas à autorização de abertura de processo licitatório.
Era o que tínhamos a informar.
2 espaços simples
Brasília, [data por extenso].

2 a 4 espaços simples

Assinatura
Nome
Cargo

2 cm

Sumário 59
3.2.9 Instrução normativa

Documento de organização e ordenamento administrativo interno cujo objetivo é estabe-


lecer diretrizes, normatizar métodos e procedimentos e regulamentar matéria específica já
disciplinada, a fim de orientar dirigentes e servidores no desempenho de suas atribuições.
No Supremo Tribunal Federal, as instruções normativas são expedidas pelo Diretor-Geral
e dispõem sobre a organização e o funcionamento de diversas unidades do Tribunal.

Sumário 60
Exemplo de instrução normativa

1,5 cm
3 cm 2 cm ou 2 cm

Brasão e identificação do órgão.


SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL

2 a 4 espaços simples Identificação do documento em letras


maiúsculas e negrito, seguida do
INSTRUÇÃO NORMATIVA N0 5, DE 9 DE JANEIRO DE 2004. número e da data do documento.
2 espaços simples
Ementa – resumo do assunto que moti-
Institui formulários demonstrativos da prestação de
serviço terceirizado no Supremo Tribunal Federal. vou o documento. Seu texto é recuado
até o centro da página e justificado.
2 espaços simples
O DIRETOR-GERAL DA SECRETARIA DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL, no uso
das atribuições que lhe confere o art. 65, IX, b, do Regulamento da Secretaria, Preâmbulo – não integra a matéria
normatizada. É aberto com a deno-
2 espaços simples
minação do expedidor do ato e se
RESOLVE: encerra com a expressão “RESOLVE”
2 espaços simples em letras maiúsculas e negrito,
Art. 10 Os demonstrativos de prestação de serviço terceirizado, destinados registrada em novo parágrafo.
a subsidiar os gestores dos contratos de prestação continuada de serviços quanto ao
cumprimento do disposto no art. 67 da Lei n0 8.666/1993, são os constantes do Anexo a esta Conteúdo da instrução normativa.
Instrução Normativa.
2,5 cm Art. 20 Compete ao gestor do contrato encaminhar os demonstrativos
Tem a estrutura de texto legislativo,
elaborados pelo preposto da empresa contratada para atesto da unidade em que os serviços com a divisão do assunto em artigos,
foram efetivamente prestados, até o terceiro dia útil após o período de referência. parágrafos, incisos e alíneas.
Art. 30 Fica revogada a Ordem de Serviço n0 8, de 31 de julho de 2000.
Art. 40 Esta Instrução Normativa entra em vigor nesta data.

2 a 4 espaços simples

Assinatura
Nome

2 cm

Sumário 61
3.2.10 Mensagem

Correspondência oficial usada entre os chefes dos Poderes, com a finalidade de comunicar
atos e interesses dos Poderes e da Nação, para, por exemplo, o envio ao Congresso Nacional
de projetos de lei, pedidos de autorização e comunicação relacionada à abertura de sessão
legislativa. É encaminhada por meio de ofício.

Sumário 62
Exemplo de mensagem

1,5 cm
3 cm 2 cm ou 2 cm

Brasão e identificação do órgão.


SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL

2 a 4 espaços simples Identificação do documento, seguida


do número de registro e ano, separa-
Mensagem n0 …/2018 dos por barra, em negrito.
2 espaços simples
Excelentíssimo Senhor Presidente da República, Vocativo, composto pela forma de
2 espaços simples tratamento adequada e o cargo do
destinatário, seguido de vírgula.
Nos termos do art. 100 da Constituição da República e do art. 345, I, do
Regimento Interno do Supremo Tribunal Federal, requisito a Vossa Excelência as providências
para inclusão no orçamento da União de verba necessária ao pagamento da importância de
R$ … (valor por extenso), conforme determinado no despacho exarado em 10 de março de
2018, cuja cópia segue anexa.
2,5 cm O valor do débito deverá ser depositado, à disposição desta Suprema Corte, na
Caixa Econômica Federal, Agência n0 … (PAB STF), em conta vinculada ao processo em referência.
Seguem anexas as cópias do despacho de 5/9/2017, da Petição STF n0 …/2017
e da Petição STF n0 …/2018.
2 espaços simples
Brasília, 13 de março de 2018. Local e data por extenso.

2 a 4 espaços simples

Ministro/Ministra [NOME]
Presidente
Documento assinado digitalmente

Documento assinado digitalmente conforme MP n0 2.200-2/2001 de 24/08/2001, que institui a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileiras –
ICP-Brasil. O documento pode ser acessado no endereço eletrônico http://www.stf.jus.br/portal/autenticacao/ sob o número 14526740.

2 cm

Sumário 63
3.2.11 Mensagem eletrônica (e-mail)

Obedece aos mesmos princípios norteadores da redação oficial, ou seja, a clareza, a concisão,
a formalidade, a objetividade e, principalmente, a observância às regras da norma-padrão da
língua portuguesa. O texto deve ter um vocativo (saudação inicial), a mensagem propria-
mente dita, uma despedida respeitosa e a assinatura (nome do remetente).
A Medida Provisória nº 2.200, de 24 de agosto de 2001, em seu art. 10, § 1o, estabeleceu
que “as declarações constantes dos documentos em forma eletrônica produzidos com a
utilização de processo de certificação disponibilizado pela ICP-Brasil presumem-se verda-
deiros em relação aos signatários, na forma do art. 131 da Lei nº 3.071, de 1º de janeiro de
1916 – Código Civil”.
Para que o e-mail tenha valor documental, a identidade do remetente deverá ser certificada
digitalmente, segundo os parâmetros de integridade, autenticidade e validade jurídica da
Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira (ICP – Brasil).
Contudo, a Medida Provisória nº 2.200 ressalta serem admitidos outros meios de compro-
vação da autoria e integridade dos e-mails. Assim, esse tipo de mensagem pode ser conside-
rado oficial mesmo não apresentando a certificação eletrônica do ICP-Brasil. Em caso de
questionamento, a repetição do ato será obrigatória por meio de documento físico assinado
ou por meio eletrônico reconhecido pela ICP-Brasil.
No âmbito interno do Supremo Tribunal Federal, muitas vezes as mensagens eletrônicas
são impressas e anexadas a processos administrativos como documentos probatórios de
procedimentos praticados por servidor.
O uso dos pronomes de tratamento deve seguir as mesmas regras dos outros atos oficiais
administrativos. Em se tratando de mensagens para destinatários desconhecidos ou par-
ticulares, deve-se usar “Senhor” ou “Senhora”, acompanhado do nome ou cargo do desti-
natário. As expressões “Prezado Senhor” e “Prezada Senhora” também podem ser usadas
quando o destinatário for um particular.

Sumário 64
Exemplo de mensagem eletrônica

1,5 cm
3 cm 2 cm ou 2 cm

Nome do Signatário
Identificação do e-mail, composta por
De: Nome ou e-mail do signatário remetente, data de envio, destinatá-
Enviado em: Data e hora rio e assunto. Este deve ser o mais
Para: Nome ou e-mail do destinatário específico possível.
Assunto: Composição do Supremo Tribunal Federal

2 a 4 espaços simples
Senhor Diretor da Subsecretaria de Edições Técnicas, Vocativo, composto pela forma de
2 espaços simples tratamento adequada e o cargo do
destinatário, seguido de vírgula.
2,5 cm Solicito a atualização da composição do Supremo Tribunal Federal, constante
do verso da falsa folha de rosto, nas próximas edições da série História Constitucional
Brasileira, objeto do Convênio n0 12/2002, celebrado entre o Supremo Tribunal Federal e o
Senado Federal.
2 espaços simples
Atenciosamente, Fecho – usam-se as expressões:
2 espaços simples “Atenciosamente”, para autoridades
Assinatura
de mesma ou inferior hierarquia; e
“Respeitosamente”, para autori-
dades de hierarquia superior à do
remetente.

2 cm

Sumário 65
3.2.12 Ofício5

Correspondência expedida por autoridade pública para tratar de assunto administrativo


ou predominantemente oficial. Pode também ser expedido entre unidades de um mesmo
órgão para tratar de assuntos internos.
Cada ofício deve abordar um único assunto, organizado em introdução, desenvolvimento
e conclusão.
A introdução apresentará de forma objetiva o assunto que motiva o expediente.
O assunto deve ser detalhado no desenvolvimento. Se houver mais de uma ideia, cada uma
delas será abordada em parágrafos distintos a fim de que o texto flua com clareza.
A conclusão deve reafirmar a proposição que motivou o ato.
Caso o propósito do ofício seja apenas encaminhar documentos, informe, no parágrafo de
introdução, os dados completos do documento encaminhado.
Se o objetivo do expediente for responder ou atender pedido, indique, no parágrafo inicial,
o tipo, o número e a data do expediente que solicitou o encaminhamento ou a providência.

Exemplo

Em resposta ao Ofício nº 34, de 1º de março de 2018, encaminho relatório de avaliação da Revista Trimestral
de Jurisprudência.

Caso o ofício seja acompanhado de outros documentos, mencione, no corpo do texto, o


tipo de anexo.

5 A
 terceira edição do Manual de Redação da Presidência da República uniformizou em um único expediente o ofício, o aviso (expediente entre
autoridades de mesma hierarquia) e o memorando (comunicação interna entre unidades de um órgão). A partir dessa edição, o termo “ofício”
passou a designar a correspondência utilizada tanto para comunicação externa quanto interna.

Sumário 66
Os dados do órgão, como endereço, telefone, endereço de correspondência eletrônica e
site oficial, podem ser informados no rodapé do documento, centralizados (Cf. Manual de
Redação da Presidência da República).
Para evitar equívocos, recomenda-se não deixar a assinatura em página isolada do documento.

Identificação

Os ofícios devem ser identificados da seguinte maneira:


a) nome do documento por extenso, com as iniciais maiúsculas, em negrito;
b) abreviação da palavra número, padronizada como nº;
c) n
 úmero, ano (com quatro dígitos) e siglas usuais do núcleo, gerência ou secretaria que
expede o documento, da menor para a maior hierarquia, separados por barra (/); e
d) alinhamento de texto à margem esquerda da página.

Exemplo

Ofício nº 340/2018/REVIS/CDJU/SDO

Endereçamento

É a parte do documento que contém as informações sobre o destinatário do expediente, da


qual devem constar os seguintes elementos, alinhados à margem esquerda da página:
[vocativo na forma de tratamento adequada ao destinatário]
[nome do destinatário]

Sumário 67
[cargo ou função do destinatário e órgão a que pertence]
[endereço (dividido em 2 linhas), alinhado à margem esquerda da página
1ª linha: localidade/logradouro do destinatário ou, no caso de ofício ao mesmo órgão, o
nome do setor;
2ª linha: CEP e a cidade/sigla da unidade da Federação, separados por espaço simples. No
caso de ofício ao mesmo órgão, dispensável o CEP.]

Exemplos

A Sua Excelência a Senhora À Senhora

[Nome] [Nome]

Procuradora-Geral da República Secretária de Documentação

SAFS Q. 4 Conjunto C Anexo II – Cobertura – sala 630

70050-900 Brasília/DF Brasília/DF

Assunto

A palavra “Assunto” deve anteceder a frase que resume o conteúdo do documento e ser
seguida de dois-pontos. A frase deve ter inicial maiúscula e ser preferencialmente nominal
(não utilizar verbos). Encerra-se com ponto-final. Todo o texto deve vir em negrito e ali-
nhado à esquerda.

Sumário 68
Exemplo de ofício

1,5 cm
3 cm 2 cm ou 2 cm

Brasão, identificação do órgão com


letras maiúsculas e identificação
da unidade com apenas as iniciais
SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL maiúsculas. Utilizado apenas na
Secretaria de Documentação primeira página do documento.

2 a 4 espaços simples Identificação do documento, seguida


do número de registro e ano, separa-
Ofício n0 .../SDO
dos por barra, em negrito.
Brasília, 7 de outubro de 2019. Local e data por extenso.
2 espaços simples
Ao Senhor
(Nome)
Endereçamento
(Cargo)
(Órgão)
2 espaços simples Assunto de que trata o
Assunto: Convite para elaboração de livro. documento, de forma sucinta.
2 espaços simples
2,5 cm Senhor Professor, Vocativo, composto pela forma de
2 espaços simples tratamento adequada e o cargo do
destinatário, seguido de vírgula.
1. Convidamos Vossa Senhoria a elaborar livro de perfil jurisprudencial para a
série Memória Jurisprudencial, cuja produção é coordenada por este Tribunal.
2. A série Memória Jurisprudencial visa a recuperar a memória institucional,
política e jurídica do Supremo Tribunal Federal por meio do resgate da vida e da obra de
ministros que marcaram sua história. Até o momento, foram publicados 11 volumes da série,
iniciada em 2006.
3. Cada volume da coleção é organizado em quatro partes principais: nota do autor,
dados biográficos, desenvolvimento e apêndice. Em linhas gerais, ao pesquisador convidado a
produzir o perfil cabem a seleção de acórdãos e decisões para o apêndice e a elaboração dos
textos da nota do autor e do desenvolvimento.
4. Por meio da obra, será promovido o resgate da memória jurisprudencial e
traçada a exegese da argumentação jurídica utilizada pelo ministro para a fundamentação
de seus votos. Desse modo, o mais importante é desenvolver profunda análise dos processos
escolhidos, cujos trechos comporão o apêndice. Devem-se destacar a relevância e a
influência desses pronunciamentos na formação da jurisprudência do Supremo Tribunal e no
fortalecimento da instituição. A análise deve nortear-se pelo foco principal da série, qual seja,
o de extrair a contribuição do ministro e, em última instância, do próprio Tribunal, para a
consolidação da ordem jurídica brasileira.
5. A parte final da obra, que consiste no apêndice, deverá compreender a transcrição
dos trechos mais relevantes de acórdãos, votos ou decisões do ministro que ilustram a tese
apresentada no texto principal da obra e deverá abranger até 50% do volume total do livro.
Será necessário, portanto, selecionar e digitar apenas os trechos mais expressivos. Os detalhes
sobre a forma de digitação serão informados oportunamente.

2 cm

Sumário 69
1,5 cm
3 cm 2 cm ou 2 cm
6. Entre os autores dos volumes já publicados, figuram juristas, advogados,
professores universitários e outros expoentes do Direito e do meio acadêmico. Como um
representante desse seleto grupo, a participação de Vossa Senhoria neste projeto certamente
agregará valor à série e à história do Supremo Tribunal Federal.
7. Aguardamos a resposta de Vossa Senhoria para enviarmos informações sobre
os prazos para a elaboração e a entrega dos originais. Estamos à sua disposição para quaisquer
outros esclarecimentos.

Atenciosamente,

Assinatura Identificação do signatário em letras


NOME maiúsculas, com o cargo redigido
Cargo apenas com as iniciais maiúsculas.

A numeração das páginas é


obrigatória apenas a partir da segunda
página da comunicação. Deve ser
2
centralizada na página e localizada
no rodapé do documento ou acima da
2 cm área de 2 cm da margem inferior.

Sumário 70
3.2.13 Ordem de serviço

Constitui incumbência determinada por escrito, de caráter eminentemente operacional,


expedida pelo chefe imediato, com vigência limitada ao tempo de execução da tarefa.

Sumário 71
Exemplo de ordem de serviço

1,5 cm
3 cm 2 cm ou 2 cm
Identificação do órgão em letras
SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL
maiúsculas e, se for o caso, da
Secretaria de Documentação
secretaria, da coordenadoria e da
Coordenadoria de Divulgação de Jurisprudência
gerência, com iniciais maiúsculas.
2 a 4 espaços simples
Identificação do documento com letras
ORDEM DE SERVIÇO N0 1, DE 16 DE DEZEMBRO DE 2004. maiúsculas, em negrito, seguida do
2 espaços simples número e da data de expedição.
A Coordenadora de Divulgação de Jurisprudência, no uso de suas atribuições
Preâmbulo – não integra a matéria
e haja vista o disposto nos arts. 37, 216 e 218 do Regulamento da Secretaria do Supremo
Tribunal Federal, resolve: normatizada. É comumente finalizado
1. Nomear comissão formada pelos servidores da Seção de Editoração para com a expressão “resolve”, seguida
elaborar o Manual de Padronização de Atos Oficiais Administrativos. de dois-pontos.
2,5 cm 2. Definir as seguintes etapas para a elaboração do referido manual:
a) A divisão do livro será feita em capítulos, e cada capítulo ficará a cargo de
um membro ou dois da equipe de pesquisa e elaboração, de acordo com a complexidade
ou a extensão do assunto abordado. Os capítulos descreverão os pronomes de tratamento Conteúdo da ordem de serviço. Os
adequados à comunicação oficial, os princípios de redação, os tipos e os modelos de atos
oficiais, além de outros que venham a ser propostos pela equipe de pesquisa e elaboração
parágrafos devem ser numerados por
do manual. algarismos arábicos e poderão, se for
b) Pesquisa e redação individual – ou em duplas – dos capítulos, de acordo com o caso, desdobrar-se em alíneas.
a divisão acordada entre os redatores/revisores participantes.
c) Os textos serão reunidos e cada revisor fará a leitura integral da prova e as
correções ou adaptações que julgar necessárias.
3. Determinar que a Chefe da Seção de Editoração será responsável pela
supervisão dos trabalhos.

2 a 4 espaços simples

Assinatura
Nome

2 cm

Sumário 72
3.2.14 Portaria

Portaria é ato emanado de ministro ou secretário de Estado, dirigente de entidade da admi-


nistração pública federal, presidente ou diretor-geral de secretaria de tribunal, destinado
a instruir sobre assuntos concernentes à administração, especialmente os relacionados a
pessoal (admissão, exoneração, delegação de competência, designação, elogio, punição etc.).

Sumário 73
Exemplo de portaria

1,5 cm
3 cm 2 cm ou 2 cm

Brasão e identificação do órgão.


SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL

2 a 4 espaços simples Identificação do ato em letras maiús-


culas e negrito, seguida do número e
PORTARIA N0 95, DE 28 DE JUNHO DE 2004. da data de expedição.
2 espaços simples
Ementa – resumo do que motivou a
Compõe o Comitê da Qualidade e dá outras providências.
portaria. Seu texto é recuado até o
2 espaços simples centro da página e justificado.
O PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL, no uso de suas atribuições e
haja vista o disposto na Resolução STF n0 210, de 3 de outubro de 2000, Preâmbulo – não integra a matéria
normatizada. É aberto com a deno-
2 espaços simples
minação do expedidor do ato e se
RESOLVE:
encerra com a expressão “RESOLVE”
2 espaços simples em letras maiúsculas e negrito,
Art. 10 Designar o Diretor-Geral da Secretaria, o Assessor-Chefe de Planejamento registrada em novo parágrafo.
e Organização e o Assessor do Núcleo da Qualidade para, sob a presidência do primeiro,
compor o Comitê instituído pela Portaria n0 156, de 29 de novembro de 2001. Conteúdo da portaria. Tem a estrutura
Art. 20 Os representantes da Administração, designados no Manual da
Qualidade, atuam como colaboradores do Comitê da Qualidade.
de texto legislativo, com a divisão
2,5 cm Art. 30 Fica ratificado o enunciado da Política da Qualidade, nos termos da do assunto em artigos, parágrafos,
Resolução n0 214, de 19 de março de 2001. incisos e alíneas.
Art. 40 Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação.
Art. 50 Fica revogada a Portaria n0 104, de 9 de julho de 2003.

2 a 4 espaços simples

Assinatura
Nome

2 cm

Sumário 74
3.2.15 Relatório

O relatório é a descrição pormenorizada de atividade, projeto ou período de tempo de


desenvolvimento de tarefa e normalmente destina-se a autoridade superior.
Os relatórios, com frequência, são submetidos a pessoas que não participaram das ativida-
des de maneira efetiva. Muitas vezes, a avaliação de um trabalho depende da linguagem do
relatório. Por esse motivo, o texto deve ser fluente, com parágrafos bastantes a separarem os
assuntos entre si, e a escrita suficientemente clara para não deixar dúvida quanto ao método
empregado ou à interpretação dos resultados.
O remetente do relatório é o titular do setor ou os membros de comissão designada para
objetivo específico.
Na descrição do projeto ou da atividade, as tarefas devem ser mencionadas pela ordem em
que foram desenvolvidas. Elabore uma lista exaustiva de todas as tarefas, procure reunir o
maior número de informações sem desprezar nenhum tipo de minúcia. Ordene cronolo-
gicamente a lista, pois algumas atividades poderão ter conduzido a outras e assim sucessi-
vamente. Idealize uma estrutura para o relatório, que deverá conter introdução, desenvol-
vimento e conclusão.
Há relatórios que são exigidos por disposições legais, como o Relatório Anual de Atividades
do STF, previsto no art. 13, XIV, do Regimento Interno do Supremo Tribunal Federal –
RISTF/1980, e o Relatório de Gestão, encaminhado ao Tribunal de Contas da União anual-
mente. Esses têm estruturas próprias e requisitos específicos previstos em norma.

Sumário 75
Exemplo de relatório

1,5 cm
3 cm 2 cm ou 2 cm

SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL Cabeçalho: nome da instituição em


Secretaria de Documentação letras maiúsculas e o da unidade com
Coordenadoria de Divulgação de Jurisprudência apenas as iniciais maiúsculas.

Capa/Folha de rosto –
principal fonte de
identificação do trabalho.
Deve conter: cabeçalho,
título e data do relatório.
Relatórios apenas são RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DE ELABORAÇÃO Título: em letras maiúsculas e em
numerados quando se DO MANUAL DE ATOS OFICIAIS ADMINISTRATIVOS negrito, posicionado no centro vertical
DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL e horizontal da página.
referem ao acompa-
nhamento periódico de
atividade ou projeto,
ou quando houver mais
de um sobre o mesmo
assunto.

Brasília, dezembro de 2004 Local e data, sem pontuação final.

2 cm

Sumário 76
1,5 cm
3 cm 2 cm ou 2 cm

FICHA TÉCNICA

Solicitante do trabalho: ... Informação obrigatória.

Supervisão: ...

Responsáveis pela elaboração do


Coordenação: ...
texto (informação obrigatória).

Equipe de pesquisa, elaboração e revisão: ...

Colaboração: ...

Formatação: ...

Estrutura da obra: O Manual de Atos Oficiais Administrativos divide-se em quatro capítulos:


Aspectos legais; Aspectos físicos; Aspectos editoriais; e Projeto gráfico.

2 cm

Sumário 77
1,5 cm
3 cm 2 cm ou 2 cm

RESUMO Versão condensada do documento.


Apresenta a tese do relatório, os
dados objetivos que confirmam a tese
e, ao final, as medidas que podem ou
Este relatório descreve as etapas de elaboração do Manual de Atos Oficiais devem ser tomadas.
Administrativos do Supremo Tribunal Federal. Os itens descritos são a metodologia do
trabalho, baseada em pesquisa bibliográfica e documental, o desenvolvimento de cada fase,
que compreendeu atividades individuais e em grupo, os recursos necessários, o cronograma
e a supervisão do trabalho. O relatório inclui, ainda, levantamento da bibliografia utilizada
durante a pesquisa.

2 cm

Sumário 78
1,5 cm
3 cm 2 cm ou 2 cm

SUMÁRIO Indica as subdivisões do trabalho e as


páginas, para facilitar a consulta.

Introdução 5
Metodologia utilizada 6
Etapas de elaboração 8
Recursos 10
Humanos 10
Materiais 10
Financeiros 11
Coordenação e supervisão 12
Cronograma de atividades 13
Bibliografia 14
Anexo único – Levantamento bibliográfico para elaboração do manual 15

2 cm

Sumário 79
1,5 cm
3 cm 2 cm ou 2 cm

Texto

Brasília, [data por extenso]. Local e data.

Assinatura
Nome
Cargo

2 cm

Sumário 80
3.2.16 Requerimento

É o instrumento por meio do qual o requerente solicita à autoridade administrativa o reconheci-


mento de um direito ou a concessão de um pedido, sob o amparo de lei ou norma reguladora6.

6 De acordo com Oliveira Lima, em sua obra Manual de redação oficial: teoria, modelos e exercícios, “o requerimento só contém dois parágrafos. O
primeiro terá um só período, com a identidade completa do peticionário, inclusive a profissão, residência e domicílio, bem como a explicitação do
direito ou da concessão pedida. No segundo, ocorre a forma terminal, em uma ou duas linhas. Será sempre redigido em terceira pessoa”.

Sumário 81
Exemplo de requerimento

1,5 cm
3 cm 2 cm ou 2 cm

REQUERIMENTO Identificação do ato em letras


maiúsculas e negrito.
2 a 4 espaços simples

2,5 cm Senhor Diretor-Geral da Secretaria do Supremo Tribunal Federal, Vocativo – composto pela forma de
2 espaços simples tratamento adequada e nome do
órgão a que se dirige.
Anastácio Pimenta, servidor deste Tribunal, Analista Judiciário, matrícula ...,
lotado na Secretaria de Documentação, na Coordenadoria de Divulgação de Jurisprudência,
2 espaços simples Texto – inicia-se com o nome do
requer a Vossa Senhoria licença para tratar de assuntos particulares pelo prazo de seis meses
a contar do dia 2 de janeiro de 2005, com base no art. 91 da Lei n0 8.112/1990. requerente e sua identificação,
Nesses termos, pede deferimento. seguido do objeto do requerimento,
2 espaços simples com a identificação dos fundamentos
legais que dão base à solicitação.
Brasília, [data por extenso].
Os fechos mais comumente utilizados
2 a 4 espaços simples são “Nesses termos, pede deferi-
mento” e “Pede deferimento”.
Assinatura

2 cm

Sumário 82
3.2.17 Resolução

Conforme definido pelo Regimento Interno do Supremo Tribunal Federal, com nume-
ração seguida e ininterrupta, “é o ato de competência do Presidente para complementar o
Regimento Interno ou o Regulamento da Secretaria e resolver os casos omissos, bem assim
para complementar a legislação relativa ao funcionalismo, ou regular sua aplicação”.

Sumário 83
Exemplo de resolução

1,5 cm
3 cm 2 cm ou 2 cm

Brasão e identificação do órgão, com


letras maiúsculas, em negrito.
SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL Identificação do documento
2 a 4 espaços simples composta pelo nome do ato em letras
maiúsculas e negrito, seguida do
RESOLUÇÃO N0 227, DE 21 DE FEVEREIRO DE 2002. número e da data de expedição.
2 espaços simples
Ementa – resumo do assunto que moti-
Dispõe sobre o consumo de energia elétrica no âmbito
do Supremo Tribunal Federal. vou o documento. Seu texto é recuado
até o centro da página e justificado.
2 espaços simples
O PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL, no uso de suas atribuições
e haja vista o disposto na Resolução n0 117, de 19 de fevereiro de 2002, da Câmara de Gestão Preâmbulo – não integra a matéria
da Crise de Energia Elétrica, e no Decreto n0 4.131, de 14 de fevereiro de 2002,
normatizada. É aberto com a
2 espaços simples denominação do expedidor do ato e se
RESOLVE: encerra com a expressão “RESOLVE”
2 espaços simples em letras maiúsculas e negrito,
registrada em novo parágrafo.
Art. 10 O consumo de energia elétrica no Supremo Tribunal Federal deve
representar a adequada utilização de iluminação e equipamentos.
Art. 20 Na contratação de obras e serviços e na aquisição de bens, devem ser
adotadas especificações que atendam os requisitos de eficiência energética.
2,5 cm Art. 30 Os titulares das Unidades componentes da estrutura orgânica do Tribunal
deverão colaborar na conscientização dos servidores sobre o adequado uso de lâmpadas e Conteúdo da resolução. Tem a
equipamentos.
Art. 40 O Diretor-Geral fica responsável pelo acompanhamento do consumo de
estrutura de texto legislativo, com
energia elétrica e, se necessário, pela adoção de medidas de racionamento. a divisão do assunto em artigos,
Art. 50 A Secretaria do Tribunal funcionará das 11 às 19 horas; e o expediente parágrafos, incisos e alíneas.
dos servidores será das 12 às 19 horas, conforme disposto na Ordem de Serviço n0 12, de 21
de agosto de 2000.
Art. 60 Ficam revogadas as Resoluções n0 219, de 24 de maio de 2001, e n0 222,
de 13 de setembro de 2001.
Art. 70 Esta Resolução entra em vigor a partir de 10 de março de 2002.

2 a 4 espaços simples

Assinatura Assinatura e nome da autoridade


Nome expedidora.

2 cm

Sumário 84
3.3 Elementos acessórios

3.3.1 Anexos

Anexos são documentos acessórios que acompanham e complementam a correspondência


principal.

Recomendações

Os anexos devem ser identificados por algarismos arábicos ou letras maiúsculas, com a pala-
vra "anexo" grafada em negrito e maiúsculas no cabeçalho do documento: ("ANEXO 1",
"ANEXO A"). Quando em referência no corpo do texto, grafar apenas com a inicial
maiúscula. Havendo apenas um anexo, deverá ser chamado "ANEXO".
 uando um documento apresentar vários anexos, mencione a quantidade no corpo do
Q
texto principal.
 aça referência a alguma página de um anexo da seguinte forma: Anexo 1/2 (que significa
F
Anexo 1, página 2); Anexo 3/5 (que significa Anexo 3, página 5).

3.3.2 Tabelas, gráficos, figuras e quadros

Tabelas, gráficos, figuras e quadros organizam as informações em ordem lógica e tornam


as comparações mais fáceis e acessíveis ao leitor, além de economizarem espaço. Assim,
servem para ilustrar e agilizam o entendimento da informação.

Sumário 85
Recomendações

 presente no texto as tabelas, figuras ou ilustrações logo após serem citadas pela primeira
A
vez, e numere-as em algarismos arábicos, sequencialmente.
 o texto, as palavras “figura”, “quadro”, “anexo” e “tabela”, quando seguidas de numeração,
N
devem ser grafadas com a letra inicial maiúscula.
Nas tabelas, escreva os títulos acima; nas figuras, abaixo.
Evite abreviar palavras dentro de gráficos, tabelas e quadros.
 s legendas internas devem obedecer a um padrão. Prefira a letra maiúscula apenas no
A
início da primeira palavra.
Após toda e qualquer legenda, coloque o ponto-final.
Não abrevie as palavras “figura”, “tabela”, “quadro” e “anexo” no texto nem na legenda.

Sumário 86
4. Informações complementares
4.1 Normatização do STF

O Supremo Tribunal Federal7 padronizou algumas siglas de uso no âmbito da Corte a fim
de facilitar as comunicações e a inclusão de dados nos sistemas eletrônicos.

4.1.1 Siglas dos registros processuais

AC Ação Cautelar

ACO Ação Cível Originária

ADC Ação Declaratória de Constitucionalidade

ADI Ação Direta de Inconstitucionalidade

AO Ação Originária

AOE Ação Originária Especial

AP Ação Penal

AR Ação Rescisória

Ag Agravo

7 Resolução nº 230/2002, que dispões sobre as siglas dos registros processuais no âmbito do Supremo Tribunal Federal.

Sumário 88
AI Agravo de Instrumento

AgR Agravo Regimental

ADPF Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental

AS Arguição de Suspeição

CR Carta Rogatória

Cm Comunicação

CC Conflito de Competência

ED Embargos de Declaração

EDv Embargos de Divergência

EI Embargos Infringentes

Ext Extradição

HC Habeas Corpus

HD Habeas Data

Inq Inquérito

IF Intervenção Federal

Sumário 89
MI Mandado de Injunção

MS Mandado de Segurança

MC Medida Cautelar

Pet Petição

PPE Prisão Preventiva para Extradição

PA Processo Administrativo

QO Questão de Ordem

Rcl Reclamação

RC Recurso Criminal

RHC Recurso em Habeas Corpus

RHD Recurso em Habeas Data

RMI Recurso em Mandado de Injunção

RMS Recurso em Mandado de Segurança

RE Recurso Extraordinário

RvC Revisão Criminal

Sumário 90
SE Sentença Estrangeira

SEC Sentença Estrangeira Contestada

SL Suspensão de Liminar

SS Suspensão de Segurança

STA Suspensão de Tutela Antecipada

4.1.2 Siglas das unidades

ST Secretaria do Tribunal

AJU Assessoria Jurídica

GDG Gabinete do Diretor-Geral

ADM Assessoria de Administração

NGIC Núcleo de Gestão Integrada das Contratações

GPR Gabinete da Presidência

ACO Assessoria de Comunicação

ARP Assessoria de Articulação Parlamentar

Sumário 91
ACE Assessoria de Cerimonial

AIN Assessoria de Assuntos Internacionais

SG Secretaria-Geral da Presidência

GSG Gabinete do Secretário-Geral

ASP Assessoria Processual

APL Assessoria do Plenário

CECID Central do Cidadão

NARP Núcleo de Análise de Recursos da Presidência

NURG Núcleo de Repercussão Geral

SAF Secretaria de Administração e Finanças

CPL Comissão Permanente de Licitação

COFI Coordenadoria de Orçamento e Finanças

CMPA Coordenadoria de Manutenção e Patrimônio

NCIC Núcleo de Controles Internos das Contratações

NSAF Núcleo de Gestão de Contratos da SAF

Sumário 92
SGP Secretaria de Gestão de Pessoas

CATES Central de Atendimento ao Servidor

NCGP Núcleo de Controles Internos em Gestão de Pessoas

CDPE Coordenadoria de Desenvolvimento de Pessoas

CRFP Coordenadoria de Registros Funcionais e Pagamento

STI Secretaria de Tecnologia da Informação

NGIC Núcleo de Gestão Integrada das Contratações

CGTI Coordenadoria de Gestão de Tecnologia da Informação

CSCP Coordenadoria de Soluções Corporativas

CITI Coordenadoria de Infraestrutura Tecnológica

CSJU Coordenadoria de Soluções Judiciais

SEG Secretaria de Segurança

CDIG Coordenadoria de Inteligência e Segurança de Dignitários

CSIT Coordenadoria de Segurança de Instalações e Transporte

Sumário 93
SEJ Secretaria Judiciária

CPIN Coordenadoria de Processamento Inicial

CFIN Coordenadoria de Processamento Final

CPCR Coordenadoria de Processos Criminais

CPCI Coordenadoria de Processos Cíveis

SCO Secretaria de Comunicação Social

CIMP Coordenadoria de Imprensa

COTR Coordenadoria de Gestão da TV e Rádio Justiça

CSTR Coordenadoria de Serviços e Infraestrutura de TV e Rádio Justiça

SDO Secretaria de Documentação

CBIB Coordenadoria de Biblioteca

COAJ Coordenadoria de Análise de Jurisprudência

CDJU Coordenadoria de Divulgação de Jurisprudência

CDOC Coordenadoria de Memória e Gestão Documental

Sumário 94
SGE Secretaria de Gestão Estratégica

EGAP Escritório de Gestão Aplicada

EAET Escritório de Análise Estratégica

SIS Secretaria de Serviços Integrados de Saúde

SGM Secretaria de Gestão do STF-Med

4.1.3 Numeração das seções de um documento

Em documentos extensos, é recomendável a adoção de um sistema de numeração progres-


siva das divisões e subdivisões do texto, de forma a demonstrar com clareza a sequência, a
importância e o inter-relacionamento da matéria, visando à localização imediata de cada
parte.
As partes em que se divide o texto de um documento são chamadas de seções e contêm as
matérias afins na exposição ordenada do assunto. Seções primárias são as principais divisões
do texto de um documento, denominadas capítulos. As seções primárias podem ser divi-
didas em seções secundárias; as secundárias, em terciárias; as terciárias, em quaternárias e
assim sucessivamente. No entanto, recomenda-se limitar o número das seções até a terciária.
O que permite a localização imediata de uma seção é o indicativo de seção, ou seja, o
número ou o grupo numérico.
Na numeração, são empregados algarismos arábicos, que precedem o título ou a primeira
palavra do texto, se não houver título. Em qualquer caso, haverá um espaço após a numeração.

Sumário 95
O indicativo das seções primárias segue a sequência dos números inteiros a partir de 1,
ao passo que o da seção secundária é constituído pelo indicativo da seção primária a que
pertence, seguido do número que lhe for atribuído na sequência do assunto e separado por
ponto. Repete-se o mesmo processo em relação às demais seções.

Seção Primária Seção Secundária Seção Terciária

1 1.1 1.1.1

2 2.1 2.1.1

3 3.1 3.1.1

… … …

9 9.1 9.1.1

10 10.1 10.1.1

11 11.1 11.1.1

Se for necessário enumerar diversos assuntos, a seção pode ser subdividida em alíneas orde-
nadas alfabeticamente por letras minúsculas seguidas de parênteses. Após a penúltima alínea,
pode ser acrescentado o conectivo “e” ou “ou”, conforme o caso, se for cumulativa ou alterna-
tiva. As alíneas terminam em ponto e vírgula, exceto a última, que se encerra com ponto-final.
Os títulos das seções são destacados gradativamente, usando-se os recursos de negrito, itá-
lico ou grifo, e redondo, caixa alta ou versal etc. Se uma seção tem título, este é colocado na
mesma linha do respectivo indicativo, e a matéria da seção pode começar na linha seguinte
da própria seção ou em uma seção subsequente.

Sumário 96
4.1.4 Remissão a texto legal

Se houver necessidade de remissão a texto legal, a primeira referência deve indicar o número,
seguido da data, com o mês grafado por extenso e o ano.

Exemplo

Portaria nº 10, de 20 de março de 2004.

Nas referências seguintes, indicam-se apenas o número e o ano do texto legal.

Exemplo

Conforme a Portaria nº 10/2004.

Citação de artigos, incisos, parágrafos e alíneas


Artigos

Os artigos de leis, portarias, resoluções, medidas provisórias etc. são designados pela forma
abreviada Art. (ou art.), seguida de algarismo arábico e do símbolo de número ordinal até
o de número nove.
O artigo será separado do texto por um espaço em branco, sem traços ou outros sinais.

Exemplos

Art. 3º Art. 5º Art. 9º

Sumário 97
A partir do artigo de número 10, usa-se o algarismo arábico correspondente, seguido do ponto.

Exemplos

Art. 10. Art. 12. Art. 14.

O texto de um artigo inicia-se sempre por letra maiúscula e termina por ponto, salvo nos
casos em que contiver incisos, quando deverá terminar por dois-pontos.

Exemplo

Art. 13. A língua portuguesa é o idioma oficial da República Federativa do Brasil.

Incisos

Os incisos dos artigos devem ser designados por algarismos romanos, seguidos de travessão
ou traço médio8 (–), e iniciados por letra minúscula, a não ser que se trate de nome próprio.

Exemplo

Art. 3º Constituem objetivos fundamentais da República Federativa do Brasil:

I – construir uma sociedade livre, justa e solidária;

II – garantir o desenvolvimento nacional;

Os incisos são pontuados com ponto e vírgula, exceto o último, que se encerra em ponto, e
aquele que contiver desdobramento em alíneas se encerra com dois-pontos.

8 Nos documentos e publicações do STF, usamos o traço médio. Esse sinal de pontuação é diferente do hífen, que é usado para unir os elementos
de palavras compostas, separar sílabas em final de linha e marcar ligações dos pronomes átonos em ênclise e mesóclise. É um pouco maior que o
hífen e menor que o travessão. No Word, o atalho para o traço médio é alt + 0150.

Sumário 98
Parágrafos

Quando um artigo contiver mais de um parágrafo, estes serão designados pelo símbolo §.
O símbolo do parágrafo é seguido do algarismo arábico correspondente e do símbolo do
número ordinal até o nono parágrafo.

Exemplos

§ 4º § 6º § 9º

A partir do parágrafo de número 10, usa-se o símbolo § seguido do algarismo arábico cor-
respondente e de ponto.

Exemplos

§ 10. § 15. § 35.

As expressões “parágrafo único”, “parágrafo seguinte”, “parágrafo anterior” e semelhantes


são grafadas por extenso.
O texto dos parágrafos inicia-se com letra maiúscula e encerra-se com ponto, a não ser que
ele se desdobre em alíneas, caso em que deverá terminar com dois-pontos.

Sumário 99
Alíneas

As alíneas ou letras de um inciso ou parágrafo são grafadas com a letra minúscula corres-
pondente seguida de parêntese.

Exemplos

a) b) c)

O texto das alíneas começa com letra minúscula e termina com ponto e vírgula, exceto a
última, que se encerra com ponto. Se a alínea se desdobrar em números, encerra-se por
dois-pontos.

Desdobramento de alíneas

Os números que correspondem ao desdobramento de alínea deverão ser grafados em alga-


rismos arábicos seguidos de ponto. O texto inicia-se com letra minúscula e termina em
ponto e vírgula, salvo o último, que se encerra com ponto.

Sumário 100
Referências bibliográficas

ACADEMIA BRASILEIRA DE LETRAS. Vocabulário ortográfico da língua portuguesa.


5. ed. Rio de Janeiro: A Academia, 2009.

ALMEIDA, Napoleão Mendes de. Dicionário de questões vernáculas. 4. ed. São Paulo: Ática,
1998.

ALMEIDA, Napoleão Mendes de. Gramática metódica da língua portuguesa. 44. ed. São
Paulo: Saraiva, 1999.

ARAÚJO, Emanuel. A construção do livro: princípios da técnica de editoração. Rio de


Janeiro: Nova Fronteira; Brasília: INL – Instituto Nacional do Livro, 1986.

BECHARA, Evanildo. Moderna gramática portuguesa. 37. ed. Rio de Janeiro: Lucerna,
2002.

BRASIL. Congresso Nacional. Câmara dos Deputados. Manual de redação da Câmara dos
Deputados: padronização e documentos administrativos. Brasília: Câmara dos Deputados,
Edições Câmara, 2017.

BRASIL. Ministério das Relações Exteriores. Manual de redação e estilo do Itamaraty.


Brasília: SGEX/DCD/DAR, 1994.

BRASIL. Presidência da República. Manual de redação da Presidência da República. Gilmar


Ferreira Mendes et al. 3. ed. rev., atual. e ampl. Brasília: Presidência da República, 2018.

BRASIL. Senado Federal. Manual de correspondência oficial da Subsecretaria de Administração


de Pessoal do Senado Federal. Brasília: Secretaria Especial de Editoração e Publicações, 2000.

BRASIL. Senado Federal. Manual de padronização de textos. Brasília: Secretaria Especial de


Editoração e Publicações, 2002.

Sumário 101
BRASIL. Superior Tribunal de Justiça. Manual de padronização de textos do STJ. Brasília:
STJ, 2016.

BRASIL. Tribunal Superior Eleitoral. Manual de padronização de atos oficiais administrativos.


Brasília: TSE/SDI, 2002.

CAMPETTI SOBRINHO, Geraldo. Como produzir o livro jurídico: preparação de


originais, normalização técnica e acesso à informação. Brasília: Projeto Editorial, 2003.

COSTA, José Maria da. Manual de redação profissional. 2. ed. Campinas: Millenium, 2002.

CUNHA, Celso; CINTRA, Lindley. Nova gramática do português contemporâneo. 3. ed. Rio
de Janeiro: Nova Fronteira, 2001.

DAMIÃO, Regina Toledo; HENRIQUES, Antonio. Curso de português jurídico. 9. ed. São
Paulo: Atlas, 2004.

FERNANDES, Francisco. Dicionário de regimes de substantivos e adjetivos. 21. ed. São


Paulo: Globo, 1990.

FERNANDES, Francisco. Dicionário de verbos e regimes. 38. ed. São Paulo: Globo, 1991.

FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. Novo dicionário da língua portuguesa. 2. ed. Rio
de Janeiro: Nova Fronteira, 1986.

HOUAISS, Antônio; VILLAR, Mauro de Salles. Dicionário Houaiss da língua portuguesa.


Rio de Janeiro: Objetiva, 2001.

LIMA, A. Oliveira. Manual de redação oficial: teoria, modelos e exercícios. Rio de Janeiro:
Impetus, 2003.

LUFT, Celso Pedro. Dicionário prático de regência nominal. 4. ed. São Paulo: Ática, 2002.

LUFT, Celso Pedro. Dicionário prático de regência verbal. 5. ed. São Paulo: Ática, 1997.

Sumário 102
MARTINS FILHO, Eduardo Lopes. Manual de redação e estilo de O Estado de S. Paulo.
3. ed. São Paulo: O Estado de S. Paulo, 1997.

MARTINS FILHO, Plinio. Manual de editoração e estilo. Campinas: Unicamp; UFMG,


2016.

MEDEIROS, João Bosco. Correspondência: técnicas de comunicação criativa. 16. ed. São
Paulo: Atlas, 2003.

MEDEIROS, João Bosco. Manual de redação e normalização textual: técnicas de editoração


e revisão. São Paulo: Atlas, 2002.

MEDEIROS, João Bosco. Manual de redação e revisão. São Paulo: Atlas, 1995.

MICHAELIS. Moderno dicionário da língua portuguesa. São Paulo: Companhia


Melhoramentos, 1998.

NEVES, Maria Helena de Moura. Guia de uso do português. São Paulo: Unesp, 2003.

O GLOBO. Manual de redação e estilo. Organizado e editado por Luiz Garcia. 28. ed. São
Paulo: Globo, 2001.

PARANÁ. Manual de comunicação escrita oficial do Estado do Paraná. Curitiba: Departamento


Estadual de Arquivo Público, 2001.

PIMENTEL, Carlos. A nova redação empresarial e oficial. Rio de Janeiro: Impetus, 2003.

RODRIGUES, Vera Cristina. Dicionário Houaiss de verbos da língua portuguesa. Rio de


Janeiro: Objetiva, 2003.

RYAN, Maria Aparecida Florence Cerquera. Conjugação de verbos em português: prático e


eficiente. 16. ed. São Paulo: Atlas, 1999.

Sumário 103
Este manual foi projetado e composto por Eduardo
Franco Dias e Roberto Hara Watanabe, na
Coordenadoria de Divulgação de Jurisprudência,
vinculada à Secretaria de Documentação do Supremo
Tribunal Federal.

A fonte do texto é a Adobe Caslon Pro, projetada por


Carol ­Twombly com base em impressos feitos pelo
­designer de tipos inglês William Caslon entre 1734 e
1770, e editada pela Adobe ­Systems em 1990.

Os títulos são compostos na fonte Univers LT Std,


projetada por Adrian Frutiger para a ­Deberny & Peignot
em 1957, e reeditada em formato eletrônico por Frutiger
para a Linotype em 1997.

Você também pode gostar