Você está na página 1de 33

SIGMUND

FREUD
(1856-1939)
“Uma lição clínica em La Salpêtrière”
André Brouillet (1887)
JOSEF BREUER
(1842-1925)

tratamento da
médico e
histeria com
fisiologista
hipnose
JOSEF BREUER
(1842-1925)

Método de psicoterapia em
que o efeito terapêutico
método
visado é uma descarga
catártico
adequada dos afetos
patogênicos
Anna O.
(Bertha Pappenheim)
1859-1936

Período de Líder feminista,


tratamento: escritora,
1880-1882 assistente social
Anna O.
(Bertha Pappenheim)
1859-1936

Depressão,
paralisia, perda
de memória,
SINTOMAS
deterioração
HISTÉRICOS
mental, náuseas,
distúrbios
visuais e orais.
Técnica psicoterápica em
LIVRE
ASSOCIAÇÃO
que se propõe ao paciente
discursar livremente
Teoria elaborada entre
1895 e 1897 que atribui à
TEORIA DA
lembrança de cenas reais
SEDUÇÃO
de sedução o papel
INFANTIL
determinante na origem
das neuroses
“se é verdade que os histéricos tiram
TEORIA DA os seus sintomas de traumas fictícios, o
FANTASIA fato novo é exatamente que eles
SEXUAL fantasiem essas cenas

[...] descobrimos que essas fantasias


serviam para dissimular a atividade
erótica dos primeiros anos da infância

[...] Então, por trás destas fantasias


surgiu, em toda sua vastidão, a vida
sexual da criança”
FASES PSICOSSEXUAIS DO DESENVOLVIMENTO

fase
latência genital
fase
fálica
fase
anal
fase
oral
• período: O a 2 anos
• zona erógena: boca
FASES PSICOSSEXUAIS DO DESENVOLVIMENTO

fase
latência genital
fase
fálica
fase
anal
fase
oral
• período: 2 a 3 anos
• zona erógena: ânus
FASES PSICOSSEXUAIS DO DESENVOLVIMENTO

fase
latência genital
fase
fálica
fase
anal
fase
oral
• período: 4 a 5 anos
• zona erógena: órgão
genital
FASES PSICOSSEXUAIS DO DESENVOLVIMENTO

fase
latência genital
fase
fálica
fase
anal
fase
oral
• período: 6 a 9 anos
• “intervalo” na evolução
sexual
FASES PSICOSSEXUAIS DO DESENVOLVIMENTO

fase
latência genital
fase
fálica
fase
anal
fase
oral
• período: 10 anos em diante
• o prazer está no objeto
externo ao indivíduo
PRIMEIRA TEORIA SOBRE A ESTRUTURA DO APARELHO PSÍQUICO - TÓPICA

CONSCIENTE

PRÉ-
CONSCIENTE

INCONSCIENTE

Estão os elementos
instintivos, que nunca
foram conscientes e que
não são acessíveis à
consciência
PRIMEIRA TEORIA SOBRE A ESTRUTURA DO APARELHO PSÍQUICO - TÓPICA

CONSCIENTE

PRÉ-
CONSCIENTE

INCONSCIENTE

E também, material que


foi excluído da
consciência, censurado e
reprimido.
PRIMEIRA TEORIA SOBRE A ESTRUTURA DO APARELHO PSÍQUICO - TÓPICA

CONSCIENTE

PRÉ-
CONSCIENTE

INCONSCIENTE

Uma parte do
inconsciente que pode
tornar-se consciente com
facilidade
PRIMEIRA TEORIA SOBRE A ESTRUTURA DO APARELHO PSÍQUICO - TÓPICA

CONSCIENTE

PRÉ-
CONSCIENTE

INCONSCIENTE

Pequena parte do
aparelho psíquico, inclui
tudo do que estamos
cientes em um dado
momento
PRIMEIRA TEORIA SOBRE A ESTRUTURA DO APARELHO PSÍQUICO - TÓPICA

CONSCIENTE

PRÉ-
CONSCIENTE

INCONSCIENTE
PRIMEIRA TEORIA SOBRE A ESTRUTURA DO APARELHO PSÍQUICO - TÓPICA

Nada ocorre por acaso. Há uma


causa para cada pensamento,
para cada memória revivida,
sentimento ou ação.

DETERMINISMO PSÍQUICO
PRIMEIRA TEORIA SOBRE A ESTRUTURA DO APARELHO PSÍQUICO - TÓPICA

VIAS DE
ACESSO AO
INCONSCIENTE

Interpretação Lapsos de Associações de


dos sonhos linguagem, atos ideias
falhos, lapsos de
memória
SEGUNDA TEORIA SOBRE O APARELHO PSÍQUICO - ESTRUTURAL

constitui o reservatório da
energia psíquica. É regido pelo
princípio de prazer
SEGUNDA TEORIA SOBRE O APARELHO PSÍQUICO - ESTRUTURAL

Estabelece equilíbrio entre as


exigências do ID, as exigências
da realidade e as “ordens” do
SUPEREGO
SEGUNDA TEORIA SOBRE O APARELHO PSÍQUICO - ESTRUTURAL

É regido pelo princípio de


realidade. É um regulador, na
medida que altera o princípio do
prazer para buscar a satisfação
considerando as condições
objetivas da realidade.
SEGUNDA TEORIA SOBRE O APARELHO PSÍQUICO - ESTRUTURAL

Funções básicas: memória,


sentimentos, pensamento.
SEGUNDA TEORIA SOBRE O APARELHO PSÍQUICO - ESTRUTURAL

É o depósito dos códigos


morais, modelos de conduta.
Constituem as inibições da
personalidade e geram os
“sentimentos de culpa”
MECANISMOS DE DEFESA DO EGO

O EGO EXCLUI
O PRINCIPAL
DA
PROBLEMA DO ESTA É
CONSCIÊNCIA
APARELHO PROVOCADA
OS
PSÍQUICO É POR UM
CONTEÚDOS
ENCONTRAR AUMENTO DA
INDESEJÁVEIS,
MANEIRAS DE TENSÃO OU
PROTEGENDO
ENFRENTAR A DESPRAZER.
O APARELHO
ANSIEDADE.
PSÍQUICO
MECANISMOS DE DEFESA DO EGO

PROJEÇÃO

REGRESSÃO REPRESSÃO

PRINCIPAIS
MECANISMOS

RACIONALI- FORMAÇÃO
ZAÇÃO REATIVA
MECANISMOS DE DEFESA DO EGO

AFASTA DA CONSCIÊNCIA UM EVENTO,


IDÉIA OU PERCEPÇÃO POTENCIALMENTE
PROVOCADORES DE ANSIEDADE.

Memórias
traumatizantes

Informações que RECALQUE/REPRESSÃO


causam desconforto
MECANISMOS DE DEFESA DO EGO

SUBSTITUI COMPORTAMENTOS E SENTIMENTOS QUE


SÃO DIAMETRALMENTE OPOSTOS AO DESEJO REAL;
É UMA INVERSÃO CLARA E, EM GERAL,
INCONSCIENTE DO DESEJO.

atitudes de exagero
repugnância e vergonha

super-proteção
FORMAÇÃO REATIVA
compaixão por todas as
coisas vivas
MECANISMOS DE DEFESA DO EGO

É UM MODO DE ALIVIAR A ANSIEDADE ESCAPANDO DO PENSAMENTO


REALÍSTICO PARA COMPORTAMENTOS QUE, EM ANOS ANTERIORES,
REDUZIRAM A ANSIEDADE.

embebedar-se, quebrar
as leis, falar como
crianças, roer as unhas,
destruir propriedades,
ler histórias de REGRESSÃO
mistérios, vestir-se
como adolescente ou
criança, competir
MECANISMOS DE DEFESA DO EGO

COMPORTAMENTO DE ATRIBUIR A UMA OUTRA PESSOA,


ANIMAL OU OBJETO AS QUALIDADES, SENTIMENTOS OU
INTENÇÕES QUE SE ORIGINAM EM SI PRÓPRIO.

“Aquela pessoa me
causa pena”

“Aquela pessoa é
pervertida”
PROJEÇÃO
“Esse animal está com
saudade de sua
liberdade”
MECANISMOS DE DEFESA DO EGO

É O PROCESSO DE ACHAR MOTIVOS ACEITÁVEIS PARA


PENSAMENTOS E AÇÕES INACEITÁVEIS

“Um dia todos têm que


morrer”

“Precisava mesmo de
um tempo para pensar
em meu futuro” RACIONALIZAÇÃO

“Estou fazendo isso


para o seu bem”

Você também pode gostar