Você está na página 1de 4

Ficha de trabalho: Energia mecânica

1. Uma pedra de 400 g cai de cima de um penhasco, tendo adquirido, ao chegar ao


nível do solo, a energia cinética de 80,0 J. Determine, desprezando a resistência
do ar:
1.1. a velocidade atingida pela pedra.
1.2. a altura a que a pedra se encontrava inicialmente, relativamente ao ponto em
que caiu.

2. Uma bola de 50 g foi lançada verticalmente para cima com a velocidade inicial
de 15 m/s. Determine, considerando os atritos desprezáveis:
2.1. a energia mecânica total do sistema bola - Terra relativamente ao nível do
lançamento.
2.2. a altura máxima atingida pela bola.
2.3. a velocidade da bola quando atinge a altura 8,0 m.

3. Uma bola com a massa de 200 g foi largada no início de uma rampa, em A, e
deslocou-se até B. Considerando os atritos desprezáveis, determine:
3.1. a variação da energia potencial gravítica experimentada pela bola nesse
intervalo de tempo.
3.2. a energia cinética da bola no instante em que atinge o ponto B.

2,0 m
5,0 m

C B

4. Um bloco de massa 10,0 kg é arrastado sobre um plano horizontal, num


deslocamento de 2,0 m, sob a acção de uma força F , de norma 10 N, cuja direcção
no sentido ascendente forma um ângulo de 53 º com a horizontal no sentido do
deslocamento. A força de atrito entre o bloco e o plano em que se desloca tem o
valor de 3,0 N. Calcule os valores do trabalho realizado durante esse
deslocamento:

4.1. pela força F .


4.2. pela força gravítica.
4.3. pela força de atrito.
5. O trabalho realizado pela força
gravítica do corpo de 10,0 kg, quando
desce 10,0 m ao longo do plano inclinado α
é de 50,0 J. Determine o valor de α .

1
6. O gráfico representa a variação da energia cinética, de um corpo, sujeito
apenas a forças conservativas, em função do espaço percorrido, ∆ s . A energia
mecânica do corpo é 1000 J , determine , justificando :

Ec(J) 1000

500

0
4 8 12 16 ∆ s (m)

6.1. o valor da energia potencial gravítica do sistema , corpo – Terra ao fim de 12


m de percurso.
6.2. a altura do solo a que se encontra o corpo, depois de ter percorrido 8 m .
6.3. a velocidade corpo quando se encontra a 16 m da origem, considerando que a
massa do corpo é 40 kg.

7. Um carrinho com a massa de 2,0 kg move-se numa pista com o perfil indicado na
figura. O carrinho passa na posição A com uma velocidade de 5,00 m/s. Os
efeito das forças resistivas são desprezáveis.

B
A
hB = 5 m
hA= 4 m
C
hC = 1 m

7.1. Mostre que o carrinho atinge o ponto C.


7.2. Determine que altura deveria ter o ponto B para que o carrinho, ao chegar a
B voltasse para trás.

8. Um corpo de massa 50 g é atirado verticalmente para cima com velocidade de


valor igual a 12 m/s. Desprezando a resistência do ar, determine:
8.1. o ponto da trajectória onde a energia potencial do corpo , em relação ao
plano horizontal de lançamento, é igual à energia cinética.
8.2. a altura máxima atingida.

9. Um corpo com a massa de 300 g é lançado do solo verticalmente para cima com
velocidade de 12 m/s . Determine:
9.1. a energia mecânica do corpo .
9.2. a energia potencial do corpo no instante em que a sua velocidade tem o valor
de 6,0 m/s.

2
9.3. a energia potencial do corpo no instante em que este atinge a altura máxima .

10. Uma esfera de massa 500 g, desliza sem atrito ao longo de uma calha,
fazendo em seguida um looping como mostra a figura. ( R = 0,4 m ).

10.1. Calcule o valor da altura a que se deve abandonar a esfera para que passe no
ponto C com uma velocidade de 5 m/s.
10.2. Calcule o trabalho realizado pelo peso do corpo no percurso A até B.
A

C
h

11. O António afirma que deixa cair, acidentalmente, um objecto de 50 N da sua


varanda, situada a 10 m da rua. O Mário, que está numa varanda abaixo a 5 m da
rua, não acredita e desafia-o para deixar novamente cair o objecto. O Mário
filma a passagem do objecto pela sua varanda, determina o módulo da sua
velocidade, chegando ao valor de 11 m/s. Conclui, então, que o António é
mentiroso. Indique em que é que se baseia.

12. Uma pedra de 100 g que se comunicou a velocidade inicial de módulo 10 m/s,
sobe até 95% da altura que subiria se não existisse força de resistência do ar.
Calcule:
12.1. o valor médio da força da resistência do ar.
12.2. o módulo da velocidade com que a pedra volta a passar no ponto de partida.

13. Uma bola de 200 g é lançada verticalmente para cima com velocidade de
módulo 20 m/s atingindo a altura máxima de 18 m.
13.1. Verifique se houve conservação da energia mecânica.
13.2. Indique se houve energia dissipada e em caso afirmativo calcule o seu valor.
13.3. Determine o rendimento do processo de lançamento.

14. Um rapaz de 80 kg está num trenó de 10,0 kg, movendo-se o conjunto sobre
uma superfície gelada, onde o atrito é desprezável, com velocidade de módulo
54 km/h. De repente, o trenó apanha uma zona plana de terra não totalmente
coberta de gelo e o módulo da sua velocidade reduz-se para 36 km/h ao fim de
20,0 m de percurso.
14.1. Determine a variação da energia cinética sofrida pelo sistema trenó +
ocupante.
14.2. Calcule o valor médio da força de atrito entre o trenó e o solo.

3
14.3. Depois do trenó parar, o rapaz empurra-o sobre uma superfície gelada plana
exercendo uma força de módulo 80 N paralela ao solo. Calcule o módulo da
velocidade adquirida pelo trenó ao fim de percorrer 2,0 m.

15. O centro de massa de um carro de 900 kg move-se a 90 km/h. De repente, o


condutor avista um peão a 50 m e trava a fundo. São as forças de atrito nas
rodas que são responsáveis pela travagem e têm módulo igual a 70% do módulo
do peso do carro. Determine :
15.1. a variação da energia mecânica que sofre o centro de massa do carro.
15.2. o trabalho realizado pela força de atrito.
15.3. se o condutor terá atropelado o peão.
15.4. Se a estrada estivesse molhada as condições de travagem melhorariam ou
piorariam?

16.Um pêndulo com a massa de 200 g e comprimento 80 cm, foi afastado da sua
posição de equilíbrio, A , até a uma posição B, que faz um ângulo de 53 º com a
vertical. A partir dessa posição foi posto a oscilar, sem velocidade inicial. Calcule
para o percurso BA:
16.1. o trabalho realizado pela tensão do fio.
16.2. o trabalho realizado pela força gravítica.
16.3. a variação da energia cinética sofrida pela esfera.
16.4. o valor da velocidade da esfera quando passa na posição de equilíbrio.

Você também pode gostar