Você está na página 1de 5

ROTEIRO DE ESTUDO PARA O TESTE

4 DE JUNHO DE 2008

Formam-se em França 2
partidos

Girondinos Jacobinos
 
mais moderados mais radicais e extremistas
(burgueses) (povo)

1792  A Convenção / Terror

 Jacobinos tomam conta do poder;


 Acabam com a Monarquia  Republica;
 Mandam matar o Rei Luís XVI (o rei é guilhotinado);
 Os Jacobinos começam a perseguir e a condenar à morte grande
parte dos Girondinos;
 Chefe do Governo  Robespierre.

1795/99  Directório
 Revolta e os elementos mais modernos (Girondinos) tomam conta do
poder;
 1794  Robespierre é preso e guilhotinado;
 O poder é dividido por 5 elementos  Directores;
 Continua uma situação de instabilidade de política, económica e social;
 Dá-se um golpe de Estado Militar (18 Brumário) o poder é entregue
aos militares e Napoleão Bonaparte é convidado para integrar o
poder.

1799-1814  Período Napoleónico em França


a) 1799-1802  Consulado
 O governo de França é partilhado por 3 Cônsules;
 Apoiado pela Alta Burguesia o general Napoleão vai
usurpando o poder dos outros cônsules até ser nomeado
cônsul-vitalício.
b) 1799-1802  Império
 Napoleão faz-se aclamar Imperador (exerce o poder de
forma autoritária)
 Medidas: (Modernização da França)
o Reorganização da administração pública;
o Publicação do Código Civil (1804) que consagrou o direito
à propriedade privada e à igualdade perante a lei;

1
Construção de obras públicas como estradas e o
o
melhoramento de cidades;
o Reforma do ensino (criação de liceus e reforma da
Universidade);
o Fundação do Banco de França (1800).
 Conquistar um grande Império na Europa invadindo e
conquistando outros reinos (Holanda, Polónia, alguns estados
Alemães).
 A Revolução Liberal Portuguesa (24 de Agosto de 1820 no Porto)

D. Carlota Joaquina
 D. João VI + (absolutista)

D. Pedro (Brasil) D. Miguel (absolutista)

D. Maria (7 Estava em
anos) Portugal

originou casou
com

Independência
do Brasil (1822)

1822  Independência do Brasil (razões)


o Regresso do Rei ao Brasil;
o Fim dos privilégios que tinham;
o Regresso do Brasil à situação de colónia.
1822  1ª Constituição (Divisão de poderes e igualdade de todos perante a lei)
o Poder Legislativo Cortes (deputados)
o Poder Executivo Rei (Governo e Conselho de Estado)
o Poder Judicial Tribunais (juízes)
1826  Carta Constitucional
Foram atribuídos mais poderes ao rei: além do direito de voto sobre as leis
das Cortes e do poder executivo, o rei passou a deter também o poder
moderador. O clero e a nobreza recuperaram parte dos seus privilégios,
garantindo-se a hereditariedade da nobreza.

 A Revolução Industrial no Século XIX


País mais industrializado  Grã-Bretanha
Após 1870  Outros países Europeus vão iniciar a sua Industrialização:
ALEMANHA FRANÇA
- Rica em matérias-primas;
- Desenvolvem a metalurgia; - Rede de caminhos-de-ferro;
- Indústria Têxtil (algodão); - Metalurgia;
- Indústria Química (sabão, - Minas.
medicamentos, detergentes).
Fora da Europa 2 países iniciaram a sua Industrialização:

2
E.U.A. JAPÃO
- Mão-de-obra (juvenil e imigrante);
- Rede de caminhos-de-ferro; - A industrialização é feita pelo
- Metalurgia; Imperador;
- Têxtil (algodão); - Construção naval;
- Inovações técnicas e científicas; - Caminhos-de-ferro;
- Riqueza de matérias-primas; - Indústria têxtil (seda e algodão):
- Comércio interno desenvolvido.
1832-1834  Guerra Civil em Portugal
A Guerra Civil em Portugal iniciou-se em 1832 com um pequeno exército
que desembarcou na praia de Panpelido, foi aí que iniciou-se a guerra entre
liberais e absolutistas. Os liberais ocuparam a cidade do Porto, então os
absolutistas resolveram cercar a cidade. Em 1833, as tropas liberais,
comandadas pelo Duque da Terceira, desembarcaram no Algarve e dirigiram-se
para Lisboa, onde entraram comemorando vitória, em 24 de Julho desse mesmo
ano.

1834  Convenção de Évora do Monte


A Convenção de Évora do Monte tinha uma grande importância, era a paz,
o fim do Absolutismo e a vitória do Liberalismo e o exílio de D. Miguel.

 A Revolução Industrial e a Criação do Mercado Interno e Externo


A grande produção Industrial tinha que ser escoada das fábricas até aos
consumidores através de uma rede de transportes e de lojas espalhadas por todo
o lado. As fábricas produziam para o mercado Interno e para o mercado Externo.

Mercado Interno  mercado formado por todos os consumidores dentro de


um país (usava-se o Comboio).

Mercado Externo  mercado formado por todos os consumidores em todo


o mundo (usava-se o Barco).

 O Desenvolvimento dos Mercados


A revolução dos transportes aliada ao crescimento populacional
juntamente com um grande aumento de produção, formaram os mercados
nacionais originando o aumento das trocas internacionais e o desenvolvimento
do mercado à escala mundial.

 Liberalismo Económico
Nova forma de organizar a produção na 2ª metade dos século XIX.

DEPENDE:
o Livre Iniciativa  Total liberdade de produção, comércio, preços,
salários.
o O Estado não deve intervir na economia.

 Empresas/Fábricas quando querem modernizar-se ou necessitar de


dinheiro
o Empréstimos bancários;
o Associam-se a outras empresas/fábricas;
o Vendem acções na Bolsa  sociedades anónimas.

3
GRANDE AUMENTO DA POPULAÇÃO
 2ª Metade do século XIX  Revolução Demográfica
o Aumento da produção agrícola  maior e melhor alimentação;
o Progressos na Medicina:
 Medicamentos (aspirinas)
 Vacinas (varíolas, raiva, cólera)
o Algumas melhorias na higiene (construção de esgotos, utilização de
roupas de algodão).

 Melhoria generalizada de vida das populações;


 Diminuição da mortalidade;
 Aumento da esperança média de vida;
 A natalidade continua alta/elevada.

 As cidades na 2ª metade do século XIX


o Vão crescer (tamanho e n.º de habitantes)
o Problemas:
 Desemprego;
 Desorganização na construção e alargamento da cidade;
 Desenraizamento da população.
 Aumento de problemas sociais.

Delinquência Alcoolismo

Prostituição Mendicidade

As cidades não têm capacidade para absorver toda a população e muita vai
emigrar

AMÉRICA (E.U.A., BRASIL)
AUSTRÁLIA

 Mudanças no quotidiano das cidades


o Novas infra-estruturas  hospitais, escolas, universidades,
esquadras de polícia;
o Melhoria nas vias de comunicação  estradas, passeios, estações
de caminhos-de-ferro;
o Aparecimento de novos locais de divertimento  casinos, teatros,
óperas, cafés, cabarets, passeios públicos.

 Divisão social dos bairros dentro da cidade

CLASSE MÉDIA (PEQUENA E MÉDIA


ALTA BURGUESIA PROLETARIADO/OPERARIADO
BURGUESIA)

Bairros muito elegantes Apartamentos ou Bairros operários


e ricos, próximos do pequenas moradias em desagrada-dos,
centro da cidade. bairros limpos e próximos das fábricas.
organizados.

 Situação do Operariado/Proletariado (problemas)


o Desemprego  excesso de mão-de-obra, mecanização da indústria,
utilização do trabalho infantil e feminino;

4
o Longos horários de trabalho;
o Baixos salários;
o Más condições de vida e de trabalho.

DESCOTENTAMENTO, REVOLTAS E AGITAÇÃO SOCIAL



Operários associam-se e formam as 1as Trade Unions

 Trade Unions/Sindicato
Organização de operário que tinham como objectivo lutar por melhores
condições de vida e de trabalho para os operários.
A forma de luta/arma usada pelos sindicatos contra os patrões era a
GREVE.

1864  1ª Organização Internacional de Sindicato


A.I.I. (Associação Internacional dos Trabalhos)

 Ideias Socialistas (2ª metade do século XIX)


o Objectivos do Socialismo: Acabar com as desigualdades sociais e
melhorar a vida dos mais pobres.

3.º Tipo de Socialismo

Socialismo Reformista
(actual)
Socialismo Utópico 
 Através de eleições e do voto
Impossível de realizar pode-se mudar a política de
Socialismo um país. As mudanças devem
Científico ser graduais (não devem de
 ser todas feitas numa vez.
Karl Marx
Friedich Engels

 Socialismo Científico  Defende a Revolução dos Trabalhadores


Objectivos: Ditadura de proletariado
 Os operários deviam de tomar conta do poder;
 Colectivizar todos os meios de produção (tudo devia pertencer ao
Estado);
 Defender a substituição do capitalismo pelo socialismo;
 Comunismo deveria haver  uma sociedade sem classes (todos
são iguais).